Anda di halaman 1dari 4

Cosmogonia 1

Cosmogonia
Cosmogonia (do grego κοσμογονία; κόσμος "universo" e -γονία "nascimento") é o termo que abrange as diversas
lendas e teorias sobre as origens do universo de acordo com as religiões, mitologias e ciências através da história.

A ciência e a origem do Universo


A proposta do Big Bang (ou Grande explosão) foi sugerida primeiramente pelo padre e cosmólogo belga Georges
Lemaître (1894-1966), quando expôs uma teoria propondo que o universo teria tido um início repentino.
No entanto, com o passar do tempo, a hipótese do cosmólogo belga começou a tomar forma quando em 1929 as
linhas espectrais da luz das galáxias observadas no observatório de Monte Palomar por Milton La Salle Humason
começaram a revelar um afastamento progressivo das galáxias mais distantes, com características de uma dilatação
universal. Concluiu-se que, se o universo está em expansão e está se distannciando, algum dia, há muito tempo atrás,
o universo esteve contido em um único ponto. Traduzida em números, esta descoberta permitiu ao astrônomo Edwin
Hubble encaixar uma progressão aritmética que mais tarde foi chamada de Constante de Hubble. Até hoje essa
proporção aritmética é a régua cósmica: instrumento usado para confirmação das teorias de astrônomos e
cosmólogos do mundo inteiro. A afirmação de que E=mc², ou seja, energia é igual a massa multiplicada pela
velocidade da luz ao quadrado, mostra que a energia e materia não são coisas tão diferentes assim e que, como foi
comrpovado com o advento da bomba atômica, atraves da fissão nuclear, que ocorre quando átomos radiotivos, logo
instaveis e de grande massa, dividem-se e geram dois outros átomos de massa menor, materia pode gerar energia.
Nessa divisão, ocorre a liberação de grandes quantidades de energia, tanto que na bomba atômica foram necessárias
não mais que poucas gramas de urânio, que é o elemento natural mais complexo. Outro fato interessante que mostra
que o universo surgiu em um único instante refere-se ao Sol. O Sol é uma "grande usina nuclear", mas o trabalho que
é feito no Sol é um tanto diferente. No núcleo do Sol existem grande quantidades de H (hidrogênio) se tranformando
em He(hélio). Isso acontece graças a quantidades de calor inimagináveis que exitem no Sol, cerca de 70.000ºC.
Atráves da fusão nuclear, os átomos de H ficam em grande estado de agitação, e dois átomos de H acabam por se
fundir gerando um átomo de He. A cada fusão dessas que ocorre, resta um pouco de energia, gera-se então um fóton
de luz, e assim gera-se a luz do Sol. Outros átomos podem ainda ser formados, mas não no Sol. Existem estrelas
ainda maiores do que o Sol e que produzem mais calor, e podem produzir elementos como o C (carbono), O
(oxigênio) etc. Isso responde como podem se originar todos os elementos, menos um, o mais simples de todos, o H
(hidrogênio). Acredita-se, portanto, que o mesmo surgiu nos primeiros instantes do unniverso.

A questão do mito
Um mito é um relato em forma de narrativa com carácter explicativo e/ou simbólico, profundamente relacionado
com uma dada cultura e/ou religião. O termo é, por vezes, utilizado de forma pejorativa para se referir às crenças
comuns (consideradas sem fundamento objectivo ou científico, e vistas apenas como histórias de um universo
puramente fantástico) de diversas comunidades. No entanto, até acontecimentos históricos se podem transformar em
mitos, se adquirem uma determinada carga simbólica para uma dada cultura. Na maioria das vezes, o termo refere-se
especificamente aos relatos das civilizações antigas que, organizados, constituem uma mitologia - por exemplo, a
mitologia grega e a mitologia romana.
Todas as culturas têm seus mitos, alguns dos quais são expressões particulares de arquétipos comuns a toda a
humanidade. Por exemplo, os mitos sobre a criação do mundo repetem alguns temas, como o ovo cósmico, ou o deus
assassinado e esquartejado cujas partes vão formar tudo que existe.
Mito não é o mesmo que fábula, conto de fadas, lenda ou saga.
Cosmogonia 2

As várias visões religiosas


As religiões possuem cada qual a sua teoria ou mito para explicar a criação do mundo.

Teoria judaica e cristã


A Torá e a Bíblia apresentam, nos versículos 1 a 19 do primeiro capítulo do livro de Gênesis, o relato da criação dos
céus e da Terra atribuído a Javé (outro nome de Deus), o Deus único e onipotente, que teria executado a obra em seis
dias e descansado no sétimo, tornando-o sagrado. Hoje já existe entre algumas correntes teológica da fé cristã a
ceitação de quê o mundo passou a existir por meio de um "Big Bang". Este conceito foi adquirido a partir do texto
"torádico e bíblico": Haja luz! Gênesis Cap.1:3.

Teoria suméria
Os sumérios e babilônios desenvolveram uma cosmogonia própria, preservada em poema, como Gilgamesh e Enuma
Elis. A criação era representada como um processo de procriação. Os deuses seriam elementos naturais que
formaram o universo. Segundo os babilônios, Marduk foi o único deus que conseguiu derrotar Tiamat, o dragão, que
representava o caos e as águas do mar.
Resumo do mito: Na mitologia mesopotâmica, no princípio do mundo existia Abzu e Tiamat, os elementos
masculino e feminino das águas. Tiamat criou o céu, de quem nasceu Ea (a magia), que produziu Marduk. Este
venceu os demais deuses e dividiu o corpo de Tiamat, separando o céu da Terra e produziu o primeiro homem,
usando o sangue do monstro derrotado.

Teoria nipônica
A mitologia japonesa explica que no início, os deuses não estavam satisfeitos com a quantidade de comida fornecida
no Universo. Então eles criaram esferas giratórias com gente para os serví-los. Só que suas mulhres não deixaram
dando força aos habitantes dos planetas e assim se iniciou uma guerra que foi tão intensa que foi daí que surgiu o
Sol. Os deuses acabaram perdendo a arma que lhes dava a força e o poder para os terráquios, que criaram tudo o que
há na Terra, como árvores e frutos para poder ter condições de viver.

Teoria brâmane
A visão bramânica do mundo e sua aplicação à vida estão descritas no livro do Manusmristi (Código de Manu),
elaborado entre os anos 200 a.C. e 200 da era cristã, embora também contenha material muito mais antigo. Manu é o
pai original da espécie humana. O livro trata inicialmente da criação do mundo e da ordem dos brâmanes; depois, do
governo e de seus deveres, das leis, das castas, dos atos de expiação e, finalmente, da reencarnação e da redenção.
Segundo as leis de Manu, os brâmanes são senhores de tudo que existe no mundo.

Teoria islâmica
Os Islâmicos acreditam na origem do Universo segundo o que descreveu o profeta Moisés na Torá. Outros Livros
passíveis de crédito islâmico são: os Salmos, o Evangelho, e O Corão que é o derradeiro e completo livro sagrado,
constituindo a coletânea dos ensinamentos revelados por Deus ao profeta Maomé.

Teoria budista
Não há um deus criador no budismo, a religião não se inicia no começo dos tempos, mas com o despertar de Buda. O
universo tal como é simplesmente sempre foi assim "desde o tempo sem início".
Cosmogonia 3

Teoria inuit
Os inuits explicam a Origem do Universo tal como a conhecem as culturas ocidentais e a ciência, apontando para o
modelo de ordem cósmica. Estes mitos tem lugar em Tshishtashkamuku, a terra dos Mishtapeuat.

Teoria espírita
O Espiritismo segue as descobertas e revelações da Ciência, embora admita a inteferência de Deus na engenharia da
criação do Universo. "Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas".[1]

Teoria cosmogônica
É uma de varias teorias tentando responder à pergunta se um ser é gerado de um ser precedente, como surgiu o
primeiro ser?, depois de a teoria de geração espontânea ter sido derrubada por Louis Pasteur em 1864.
Uma teoria tentando resolver esta questão supõe que organismos cosmozoários teriam vindo para a Terra por meio
de meteoros. Esta teoria rapidamente caiu em descrédito, mas investigações recentes têm vindo a devolver-lhe
alguma plausibilidade.

Outros mitos
• Mitologia asteca
[1] Kardec, Allan, tradução de Guillon Ribeiro (2007), « Capítulo I (http:/ / www. espirito. org. br/ portal/ codificacao/ le/ le-1-01. html#1)» O
Livro dos Espíritos: princípios da doutrina espírita: filosofia espiritualista, 14. ed. de bolso, 65, Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira.
ISBN 978-85-7328-484-3

Ver também
• Big Bang
• Criacionismo
• Cosmogênese
• Sopa Orgânica
Fontes e Editores da Página 4

Fontes e Editores da Página


Cosmogonia  Fonte: http://pt.wikipedia.org/w/index.php?oldid=19136406  Contribuidores: Adailton, Albmont, Alchimista, AltCtrlDel, Arges, Bisbis, Black felipe, Bonás, Capela4ever,
ChristianH, Daimore, Dantadd, Dimitry Ditrich, Dpc01, ElementoX, Flávia Mazzini Aldini, Fontoura, Gabbhh, Gil mnogueira, Gisely Gonçalves de Castro, GoEThe, Gwbernardo, Jo Lorib, João
Carvalho, Jurema Oliveira, Kadookaiwao, Lechatjaune, Leonardorejorge, Lucianopinheiro, Lusitana, Manuel Anastácio, Matheus Wahl, OS2Warp, Ozymandias, Pietro Roveri, Sturm,
TarcísioTS, Theus PR, ThiagoRuiz, Tumnus, Vini 175, Vmadeira, Vmss, 87 edições anónimas

Licença
Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported
http:/ / creativecommons. org/ licenses/ by-sa/ 3. 0/