Anda di halaman 1dari 72

ManualOncologico OK.

p65 1 24/11/2005, 15:06


ManualOncologico OK.p65 2 24/11/2005, 15:06
Manual do Paciente Oncológico

NAPACAN - Núcleo de Apoio ao Paciente com Câncer


CNPJ 03.538.703/0001-66
Cidadania em Cancerologia

Corpo Diretivo e Conselho do Napacan

Presidente
Psicoterapeuta Graça Marques Ibiapino

Vice Presidente
Dra. Nise H. Yamaguchi

Diretor Científico
Dr Paulo Jorge Valentim

1ª Secretária
Dra. Edina Vasconcelos

Desde 1999 distribuímos 85.000 exemplares.

www.napacan.org.br
napacan@napacan.org.br

Tel.: (11) 3151-2945

ManualOncologico OK.p65 3 24/11/2005, 15:06


Para a criação deste manual contamos com a
colaboração de:

Dra. Graça Marques Ibiapino: Psicoterapeuta, psico


oncologista e editora científica deste manual;

Dra. Nise Yamaguchi: Mestra e doutora em oncologia;

Enfermeira Lúcia Marta G. da Silva e


Profª. Dra. Maria Tereza C. Laganá:
(Escola de enfermagem do HIAE);

Dra. Alisson Monteiro: Médica e cirurgiã Oncológica;

Dr. Paulo Jorge Valentim: Médico e cirurgião oncológico;

Dra. Edina Vasconcelos: Advogada e voluntária do napacan;

Dra. Nívea Froes: Mestre e Doutora em Genética pela


Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Pós-doutora
pela Universidade do Texas, Departamento de Medicina
Preventiva, Ramo Médico de Galveston - EUA
ex-paciente de câncer.

ManualOncologico OK.p65 4 24/11/2005, 15:06


ÍÍ nn dd ii cc ee
28
Parte I • Ácidos Graxos
• Açúcares (glicídios) e amidos 28
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE CÂNCER 7 • Vitaminas 28
1. O que é câncer e quais são as suas causas? 7 • Enzimas 29
• Sais Minerais 29
2. (A e B) Tipos de cânceres 10 • Lactobacilos acidófilos e absorção de micro
3. Estou com câncer, o que devo fazer? 17 nutrientes 29
2. Cuidados no manuseio e preparo de
alimentos 31
Parte II 3. O que deve ser evitado na alimentação do
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE Paciente com Câncer 32
MODOS DE TRATAMENTO 19
4. Então, o que Comer? 34
1. Internação Hospitalar 19 5. Indisposição gástrica devido a Quimioterapia? 38
2. Sistema de Atendimento Ambulatorial 19
3. O que é Quimioterapia? 19
• Modo de aplicação dos medicamentos Parte IV
quimioterápicos 20
O QUE É QUALIDADE DE VIDA? 41
• Auto cuidado durante o tratamento quimioterápico 20
• Cuidados nos dias da aplicação 21 1. Introdução 41
• Paciente com Catéter Implantado (“porte”): 2. Cuide da qualidade de Vida 42
o que é, como é implantado e para que? 22
3. Cuidados com sua saúde emocional e
• Auto cuidado com o “porte” 22
espiritual 43
• Quimioterapia através de veias periféricas
(mãos e braços) 22 4. Recomendações aos Familiares (e Amigos)
e ao Paciente 43
4. O que é Radioterapia? 23
• Simulação e planejamento do tratamento 23 5. Prezado paciente 44
• Efeitos colaterais da Radioterapia 24
• Auto cuidado durante o tratamento radioterápico 24
5. O que é Hormonioterapia? 25
Parte V
VOCÊ É UM SOBREVIVENTE, LUTE, RECLAME
E SEJA GRATO PELA VIDA 45
Parte III 1. Reclame pelos seus direitos, faça denúncias 46
O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE 2. Apoio Espiritual 63
ALIMENTAÇÃO (NUTRIÇÃO) 27
3. Quem Somos 65
1. Por que nos Alimentamos? 27
• O que são Micronutrientes 27 4. Fontes de Pesquisas e Links 66
• Aminoácidos 27 5. Vida Sexual e Fertilidade do paciente 67

APÊNDICE
Sugestões aos Familiares do Paciente e Tipos de Exames Preventivos; Um direito do usuário - Denuncie;
Reclame, Tire Dúvidas; Onde receber tratamento; Telefones úteis... Direitos e Deveres do Paciente;
Apoios; Agradecimentos; Quem somos.

ManualOncologico OK.p65 5 24/11/2005, 15:06


ManualOncologico OK.p65 6 24/11/2005, 15:06
arte II
PParte
O QUE VOCÊ PRECISA SABER
SOBRE CÂNCER

Nos últimos cem anos, o ser humano tem sido não mais obedece aos sinais internos. Deste modo,
exposto a uma quantidade cada vez maior de inúme- a célula mutada passa a agir independentemente em
ros compostos químicos novos (resultantes da ativida- vez de cooperativamente, dividindo-se de modo des-
de industrial), amplamente distribuídos no ambien- controlado, até formar uma massa celular denomi-
te e capazes de induzir danos ou lesões no material nada tumor.
genético.
Um tumor é denominado benigno quando ele
O corpo humano contém trilhões de células agru- não invade os tecidos vizinhos ou se transloca, via
padas para formar tecidos, como os músculos, ossos sangüínea, para outros locais. Esses tumores são
e pele. A maioria das células normais cresce, se re- quase sempre facilmente removidos cirurgicamente.
produz e morre em resposta aos sinais internos e
externos ao corpo. Se esses processos ocorrerem
de modo equilibrado e de forma ordenada, o corpo 1. O QUE É CÂNCER E QUAIS AS
permanece saudável executando suas funções nor- SUAS CAUSAS?
mais. No entanto, uma célula normal pode tor-
nar-se uma célula alterada e isso ocorre quan- Por outro lado, se as células tumorais crescem e
do o material genético é danificado. se dividem, invadindo outros locais, são denominadas
malignas ou cancerosas. Essas células podem ter a
Material genético é toda a informação contida
habilidade de se espalhar pelos tecidos sadios do cor-
nos genes, formados pelo ácido desoxirribonucléico
po, por um processo conhecido como metástase,
ou DNA e localizados no núcleo celular. Os genes
invadindo outros órgãos e formando novos tumores.
são responsáveis pela produção de todas as nossas
proteínas, que determinam tudo, isto é, desde a Portanto, o câncer (neoplasia maligna) pode ser
estrutura à função do nosso corpo, bem como o com- definido como uma doença degenerativa resultante
portamento e aparência normal das células, além do acúmulo de lesões no material genético das célu-
de conferir todas as características físicas únicas que las, que induz o processo de crescimento, reprodução
formam o conjunto de cada indivíduo. e dispersão anormal das células (metástase).

A partir do momento em que uma célula carrega Existem aproximadamente 200 tipos diferentes
uma lesão em seu material genético (DNA), ela passa de câncer, muitos deles curáveis, se detectados pre-
a ser uma célula alterada, sendo denominada muta- cocemente. Três são as principais categorias dos cân-
da. Uma vez lesado o DNA, o corpo consegue, quase ceres conhecidos: carcinomas, sarcomas, leuce-
sempre, promover o reparo desses danos através mias e linfomas. Os carcinomas incluem os cânceres
de eficientes mecanismos que recompõem as ativida- que se originam de células que formam a epiderme -
des celulares. Com o passar dos anos as alterações tal como o câncer de pele - ou tecidos que revestem
que não foram reparadas vão se acumulando e, even- os órgãos internos, por exemplo o carcinoma de pul-
tualmente, podem levar à perda de controle dos pro- mão ou, ainda, formam as glândulas, como no caso
cessos vitais da célula, uma vez que a célula mutada do câncer de mama. Os sarcomas, por sua vez, repre-

ManualOncologico OK.p65 7 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

sentam os cânceres que se originam dos tecidos co- do câncer e melhorar sobremaneira, outros aspectos
nectivos como os ossos e cartilagens (osteossarcoma da saúde. Além disso, exames preventivos devem
ou câncer do osso) ou tecidos musculares (rabdomios- ser realizados periodicamente, para aumentar a
sarcoma ou tumor maligno do músculo esquelético). chance de diagnóstico precoce (ou seja, de se des-
cobrir uma lesão cancerosa ainda na fase inicial).
As leucemias e os linfomas estão relacionados, res-
Por exemplo, exame de próstata, Papanicolau, ma-
pectivamente, aos cânceres originados das células for-
mografia, ultrasonografias, hemograma completo,
madoras do sangue e das células do sistema imunoló-
CA 15-3, radiografias e outros de acordo com a con-
gico ou de defesa. Como exemplo de leucemia, temos
duta de seu médico. Sempre consulte uma segunda
a leucemia granulocítica que é o câncer das células
opinião se houver dúvidas.
brancas do sangue; e de linfoma, o câncer que aco-
mete os linfonodos, denominado linfoma de Hodgkins. A mutação genética pode ser causada por repeti-
das exposições do organismo humano, em nosso co-
O câncer constitui importante causa de mortalida- tidiano, aos inúmeros agentes físicos, químicos ou
de em todo o planeta, sendo a segunda causa de biológicos a que ele se expõe, quer por inalação,
morte no Brasil, atrás apenas das doenças cardiovas- por ingestão ou por contato da pele. Alguns exemplos
culares. Sabe-se hoje que cerca de 1% de todos os de fatores de exposição que podem causar mutações
cânceres são de origem hereditária1 e 16% são atri- são dados a seguir:
buídos a agentes infecciosos 2. Contudo, existem evi-
♦ Fatores biológicos: Pessoas que não herdaram
dências substanciais de que na origem de 80 a 90%
genes mutados podem desenvolver câncer devido
de todos os tipos de cânceres haja o envolvimento
a alterações genéticas provocadas por certas
dos agentes ambientais representados por compos-
infecções por vírus ou bactérias, tais como
tos químicos oriundos do tabagismo, alcoolismo e
o câncer de fígado devido a hepatites B ou C
infecções parasitárias e, principalmente da dieta ali-
(provocadas por vírus), câncer de colo uterino e
mentar, bem como de agentes físicos representados
cervical nas mulheres ou de pênis (causados por
pela luz ultra-violeta ou solar, causa principal do cân-
infecção por papiloma vírus), câncer de estômago
cer de pele. Assim sendo, as medidas preventivas
(devido à infecção por bactéria Helicobacter py-
devem incluir mudanças no estilo de vida.
lorii prolongada e não tratada) 3.
Alguns indivíduos estão geneticamente predis-
♦ Agrotóxicos: Também podemos desenvolver
postos a desenvolver um tipo particular de câncer
câncer quando nosso corpo é exposto a peque-
em algum estágio de suas vidas, independente da
nas doses diárias de inseticidas como o BHC
ação do ambiente. Esses são ditos suscetíveis ou
e o DDT – tanto de uso caseiro quanto por conta-
predispostos. No entanto, pessoas que herdaram
minação de cereais, frutas e legumes nas lavou-
um gene mutado, podem não desenvolver a doença.
ras – ao longo dos anos. Esses e outros agrotó-
Existem hoje testes e medidas preventivas eficazes
xicos acumulam-se em glândulas (como o fígado,
no aconselhamento de pessoas que possuem históri-
as glândulas mamárias, a próstata, os testículos,
co familiar de câncer.
etc.) e no sangue e, ao atingir certos níveis, cau-
Em muitos casos, os sintomas do câncer só apa- sam mutações genéticas que podem resultar em
recem após a doença ter se instalado. Embora o câncer de mama, de próstata, de ovário, etc.
corpo humano possua mecanismos de defesa natu- Nos Estados Unidos, o uso desses inseticidas está
rais, nosso estilo de vida e hábitos nocivos à saúde proibido desde 19724,5.
podem suplantar a capacidade desses mecanismos
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
de defesa da célula contra a mutação. No entanto, 1
OMS/IARC, 1998.
cada um de nós deve ter em mente de que nunca é 2
OMS/IARC, 1998.
tarde para melhorar nossos hábitos de vida. Tal atitu- 3
Robert A. Weinstein. New and Emerging Pathogens: Watching Our
Food and Water. 39 th Interscience Conference on Antimicrobial Agents
de ajudará a reduzir as chances de desenvolvimento and Chemotherapy - ICAAC: Day 2 – September 27, 1999.

ManualOncologico OK.p65 8 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre Câncer • Parte I

♦ Poluentes atmosféricos6: presentes na fuma- a pele ao sol (bronzeamento, vermelhidão, resse-


ça do escapamento de veículos movidos a óleo camento ou bolhas e descamação), lesões acon-
diesel, gasolina e álcool e outros aditivos que tecem nas camadas mais profundas que não são
são misturados a eles, bem como o cigarro e os reparadas. Essas lesões vão se acumulando, com
vapores químicos de indústrias diversas (de refi- a repetição da exposição aos raios ultravioletas
no de petróleo, de tratamento de madeiras, de da luz do sol (mesmo em dias nublados) e podem
solventes industriais, etc.) o pó de amianto, os acabar produzindo mutações malignas, principal-
vapores de chumbo e outros químicos presentes mente em pessoas de pele clara.
nas tintas de parede, vernizes, tinturas de cabelo,
Um estilo de vida com muitas tensões emocio-
etc., também podem atuar como um dos fatores
nais, pressões, má alimentação, sono irregular, trau-
para o desenvolvimento de diversos tipos de tu-
mas ou episódios profundos e prolongados de depres-
mores malignos.
são, podem contribuir para que todos os fatores já
♦ Alcoolismo e Tabagismo: Indivíduos que bebem mencionados - ou vários deles - causem uma muta-
diariamente (“happy hour”) e/ou fumam, aumen- ção maligna em algum órgão, em algum ponto de
tam em até 60% suas chances de desenvolver nossas vidas.
câncer de pulmão, câncer de estômago, de fíga-
Teoricamente, o câncer deveria ser mais comum
do, câncer de laringe e boca, câncer de bexiga
na velhice, quando nosso corpo já acumulou muitas
ou de próstata7. O álcool, além de retirar do corpo
lesões devido ao estresse, poluição, contaminação
nutrientes importantes é, do ponto de vista bio-
com diversos cancerígenos e, ao mesmo tempo, tem
químico, uma substância tóxica e alucinógena,
as suas defesas naturais enfraquecidas devido à pró-
pois tem uma atuação no cérebro semelhante
pria idade avançada. No entanto, os níveis crescentes
ao alcalóide da maconha (responsável pelo efeito
de poluição (do ar, das águas e dos alimentos), con-
relaxante desta erva): impede que as células ner-
taminação alimentar por carcinogênicos, alimentação
vosas do cérebro utilizem a glicose (açúcar) para
rica em frituras, gorduras e alimentos artificiais e
gerar a energia necessária ao seu bom funcio-
conservados com químicos nocivos à saúde, o câncer
namento 8.
está aparecendo no mundo moderno cada vez mais
♦ Alimentação rica em gorduras e frituras e cedo e em um número crescente de indivíduos. Leve
pobre em verduras, frutas e cereais inte- em conta que sua vida emocional e espiritual po-
grais9 também predispõe a diversos tipos de cân- dem contribuir positiva ou negativamente para sua
ceres, como os de intestino, mama, fígado, testí- saúde. Excesso de atividade física e falta de carinho
culos, etc.. Carnes de boi e aves engordados com fragilizam seu sistema imunológico, deixam seu
hormônios e peixes, camarão, lula, polvo, lagosta
e crustáceos (marisco, ostra, vieira, vongolli, ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

4
Estrogens in the Environment. III Proceedings of the Symposium in
etc.) contaminados com mercúrio, inseticidas e Environmental Health Perspectives Supplements. John McLachlan
outros detritos químicos domésticos e industriais and Kenneth Korach (eds.), 1995.
5
Wolff, M.S. et al., 1994 – Mount Sinai Medical Center, Ny., Ny; and
despejados em rios (que por sua vez levam a Krieger, N.K. et al., 1994 – Kaiser Foundation Institute, Oakland, CA.
6
poluição para as águas litorâneas), também con- Perera F P, Weinstein I B. Molecular Epidemiology and Carcinogen-
DNA Adduct Detection: New Approaches to Studies of Human Can-
tribuem de forma importante para o aparecimen- cer Causation. Journal of Chronic Diseases, Vol. 35: 581-600; 1982.
7
Albano E, Clot P, Tabone M, Aricó S, Ingleman-Sundberg M. Oxi-
to do câncer. dative damage and human alcoholic liver diseases: Experimental
and Clinical Evidence. In: Poli G, Albano E, Dianzani UM, eds. Free
♦ Exposição prolongada ao sol – principalmente Radicals: from basic science to medicine. Basel: Birkkhäuser Verlag.
1992; pp 310-322.
na infância e adolescência – pode resultar em 8
Barron F, Jarvik M E, Bunnel Jr. S. Drogas Alucinógenas. In: Psico-
biologia – as bases biológicas do comportamento: pp.389-398; Editora
câncer de pele e melanoma (um tipo mais agres- da Universidade de São Paulo, 1996.
sivo de câncer de pele) na idade adulta. É impor- 9
Stähelin H B, Gey K F, Eichholzer M, et al. Plasma antioxidant
vitamins and subsequent cancer mortality in the 12-year follow-up of
tante compreender que, cada vez que irritamos the Prospective Basel Study. Am. J. Epidemiol. 132: 857-870; 1991.

ManualOncologico OK.p65 9 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

organismo suscetível a doenças inúmeras, por isso Sarcoma é um câncer?


adote o caminho do meio – O Tao, o equilíbrio de
Sim. O sarcoma é um tumor maligno dos tecidos
corpo, emoção, mente e espírito (TAO, Transforma-
moles do corpo, como gordura, músculos, nervos,
ção da Mente e do Corpo – Huai-Chin-Nan; Gestos
tendões e veias. Os sarcomas de “partes moles” são
de Equilíbrio, Tarthang Tulku).
raros. De acordo com a Sociedade Americana de
Câncer (American Cancer Society) aproximadamente
8.700 novos casos deste tipo de câncer são diagnos-
2. A: ARTIGOS SOBRE CÂNCER
ticados a cada ano em adultos e crianças nos Estados
Sarcoma – www.sarcoma.com.br Unidos. No Brasil, não temos ainda estatísticas. Quan-
do o sarcoma começa em alguma parte óssea do
Sarcoma é um tipo raro de câncer e, por isso
organismo é chamado de sarcoma osteogênicon ou,
mesmo, geralmente suscita dúvidas e perguntas para
ocasionalmente, de chondosarcoma (sarcoma de car-
as quais nem sempre achamos esclarecimentos. A
tilagens).
proposta desta seção de perguntas e respostas é
tentar esclarecer, de maneira simples e despreten-
Todos os sarcomas são iguais?
siosa, as dúvidas mais comuns, aquelas que surgem
logo que a pessoa se descobre portadora de Não. Os sarcomas de partes moles englobam
sarcoma. uma série de tipos de tumores. Alguns crescem deva-
gar, lentamente, outros são mais agressivos, cres-
O que é o câncer? cem muito rapidamente e, às vezes, quando feito o
diagnóstico, já espalharam pelo corpo todo e podem
Todos os tipos de câncer começam de uma célula
não ter cura. Cada tipo é um tipo e em cada pessoa
em particular que sofre uma mutação. O DNA desta
cada tipo pode ter progressão ou comportamento
célula muda de forma que ela não pode mais crescer
diferente. Mas o fato é que a maioria deles é resisten-
dentro das regras do seu tipo de célula e passa a
te à quimioterapia e à radioterapia, por isso se diz
crescer descontroladamente. O nome do câncer nor-
que o melhor tratamento para sarcomas é o cirúrgico.
malmente é dado pelo tipo da célula da qual ela cres-
ce e se transforma em tumor. Por exemplo, sarcomas
Que tipo de pessoa é predisposta
de tecidos moles são cânceres nos quais o cresci-
a ter sarcoma?
mento das células malignas ou cancerosas se origi-
nam dos tecidos moles do corpo. Os tecidos moles Os sarcomas podem atacar qualquer pessoa, jo-
incluem a gordura, os vasos sanguíneos, nervos, vens ou velhos. Diferentes tipos de sarcoma ocorrem
ossos, músculos, pele e cartilagem. em diferentes faixas etárias. Não sabemos se deter-
minados tipos de comportamentos ou hábitos dei-
O que é um tumor primário? xam a pessoa mais exposta ao risco de desenvolver
um sarcoma.
E o primeiro tumor - que poderá ou não dar ori-
gem a recorrências ou metástases. É onde a doença
O que significa o “grau”
começou a partir da divisão desgovernada da primei-
do sarcoma?
ra célula mutante. Se o tumor primário envia células
através da corrente sangüínea ou através do sistema Grau é um termo descritivo que o patologista usa
linfático, estas funcionam como células sementes que após examinar o tecido do tumor (no caso, do sarco-
vão gerar tumores secundários ou metástases. Se o ma). O grau é um indicativo do quão agressivo o
tumor primário é removido por meio de cirurgia com tumor poderá vir a ser. Os tumores de baixo grau
amplas margens de segurança, pode mesmo assim são menos agressivos e os de alto grau são mais
haver uma recorrência ou recidiva no mesmo local. agressivos, crescem mais rapidamente.

10

ManualOncologico OK.p65 10 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre Câncer • Parte I

Para onde os sarcomas podem Portador de sarcoma é submetido


se espalhar? à quimioterapia?

Depende de onde eles começam, de onde se lo- Apesar de os sarcomas serem, normalmente, re-
caliza o tumor primário. O mais comum é que a me- sistentes a quimioterápicos, hoje em dia já se sabe
tástase seja no pulmão, mas podem também surgir que novas combinações de medicamentos antigos
metástases no fígado. Isto depende muito e somente (como taxotere e gemzar) e medicamentos de última
o oncologista poderá dizer com mais exatidão. geração (como as pílulas quimioterápicas gleevec e
temodar) estão tendo excelente eficácia contra deter-
Diagnóstico de sarcoma é minados tipos de sarcomas. Os portadores de sar-
sentença de morte? comas são, sim, submetidos a quimioterapia para
redução de tumores que serão operados ou em caso
Não. A maioria dos pacientes pode conviver com
de tumores inoperáveis. Cada caso é um caso e ape-
a doença, com excelente qualidade de vida. Cerca
nas os oncologistas sabem quando se deve ou não
de 90 por cento deles ultrapassam os 5 anos de so-
usar a quimioterapia em sarcomas.
brevivência após o diagnóstico. As novidades científi-
cas e tecnológicas nesta área surgem a cada dia e
Portador de sarcoma é submetido
os prognósticos podem mudar favoravelmente de
à radioterapia?
uma hora para outra. Até dois anos atrás os tumores
gastrointestinais (GIST) matavam inapelavelmente. A radiação é comumente usada para limitar o
Hoje, com o gleevec, podem ser curados. risco de uma recorrência do tumor após sua extir-
pação por cirurgia. Há novas técnicas também de
Sarcoma dói? radioterapia intraoperatória, onde após a retirada
do tumor é aplicada a radioterapia “in loco”, durante
Não. Sarcoma não dói e isso é um dos problemas
a cirurgia. Há também a braqueterapia, que é a apli-
para ser rápido diagnóstico - como não dói, a pessoa
cação local de radioterapia através de pequenos
não vai ao médico e, geralmente, não descobre cedo
tubos implantados sob a pele durante a cirurgia. No-
a doença. Raramente o sarcoma causa dor, só quan-
vamente, cada caso é um caso e apenas o oncolo-
do o tumor está localizado em lugares muito raros e
gista, o cirurgião e o radioterapeuta podem definir
de difícil acomodação.
o melhor tratamento para cada paciente.

O que devo perguntar a meu


Quando poderei dizer que estou curado?
médico antes do tratamento?
No caso dos sarcomas de partes moles 70 por
O mais importante de tudo é você procurar um
cento dos pacientes que tiveram recorrências elas
médico que tenha experiência em Sarcoma, este tipo
aconteceram nos primeiros dois anos após o surgi-
raro e difícil de câncer. Ter um médico que entenda
mento do primeiro tumor. Entretanto, pacientes de
e tenha experiência no tratamento de sarcoma faz
sarcoma costumam ser estadiados (acompanhados
toda a diferença na corrida contra este tipo de doen-
cuidadosamente, com tomografias) por, no mínimo,
ça. Exatamente por a doença ser tão rara é importan-
dez anos. Pacientes podem ter recorrências tardias,
te você procurar um doutor que conheça este tipo
mas quanto mais tardias forem mais favoráveis ao
de tumor. Isto é importante não apenas para você
tratamento serão.
ter o melhor tratamento, mas também para evitar
que você seja submetido a tratamentos desnecessá-
Os sarcomas são hereditários?
rios ou ineficazes. Geralmente os especialistas em
sarcomas atuam em equipe multidisciplinar e levam Os sarcomas podem ocorrer em uma mesma fa-
em consideração sempre o fato de os sarcomas se- mília, mas isto também é muito raro. Geralmente
rem resistentes à quimioterapia e à radioterapia. há uma doença anterior que conhecidamente aumen-

11

ManualOncologico OK.p65 11 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

ta a predisposição ao sarcoma. Por exemplo: um to poderá ser cirúrgico, radioterapia externa ou bra-
mioma que transforma-se em um leiomiosarcoma quiterapia. Em todos estes tipos de tratamentos exis-
de útero. O médico, especialista em sarcoma, tem tem vantagens e desvantagens. A escolha de qual
familiaridade com estas doenças que causam ou terapia utilizar deve ser conjunta do paciente e do
transformam-se em sarcoma. médico especialista, pois existem várias nuances a
serem consideradas. Para pacientes com doença
Por que é difícil diagnosticar sarcomas? avançada o tratamento é o controle da doença com
medicações especificas a base de hormônios que
Porque os sarcomas são tumores raros. Oncolo-
bloqueiam o aumento do tumor.
gistas lidam com cânceres todos os dias, mas muitas
vezes passam toda a sua vida clínica sem se deparar A prevenção do câncer de próstata passa pela
com um sarcoma. adoção de hábitos saudáveis de vida. Atitudes como
diminuir o consumo de alimentos ricos em gordura
animal e aumentar o consumo dos derivados da soja,
B: OUTROS TIPOS DE CÂNCERES dos alimentos ricos em licopeno (tomate), exposição
ao sol (que produz um aumento de vitamina D), su-
Câncer de Próstata plementação de selênio e vitamina são uma arma
contra o câncer de próstata.
A próstata é uma glândula presente nos homens
Dr. Paulo Jorge Valentim
situada abaixo da bexiga urinária. É nessa glândula
que se desenvolve um dos tumores mais comuns dos
homens após os 50-60 anos: o câncer de próstata. Câncer de Pulmão
Homens com parente de primeiro grau com a doença O câncer pulmonar é uma doença grave, que
e homens da raça negra apresentam maior risco. muitas vezes poderia ser evitada com eliminação do
Acredita-se que uma dieta rica em gordura e pro- hábito de fumar cigarros. Não há dúvidas que o fator
teína animal contribua para o desenvolvimento desse mais importante para o desenvolvimento do câncer
tumor; e que alimentos ricos em selênio, vitamina de pulmão é o hábito de fumar. A idade na qual a
D, vitamina E e licopeno e derivados de soja sejam pessoa começou a fumar e o número de cigarros
fatores protetores contra o câncer de próstata. consumidos por dia também interferem no risco de
desenvolver a doença. Da mesma forma o fumante
Na fase inicial os sintomas não existem ou são
passivo apresenta risco de desenvolver câncer de
muito discretos. Em geral, o paciente apresenta alte-
pulmão. Pacientes não fumantes também desenvol-
rações relacionadas com a micção (dificuldade para
vem câncer de pulmão, porém isso é mais raro.
urinar, retenção de urina). Porém estes sintomas
Outros fatores considerados de risco são contato com
também são comuns em outras doenças da próstata.
asbesto, hereditariedade, história pessoal e algumas
Por isso, os exames de rotina para prevenção e diag-
doenças pulmonares prévias.
nóstico precoces são muito importantes. É importan-
te fazer uma consulta com o médico especialista que Os principais sintomas são tosse e dor nas costas
fará toque retal e exame de PSA (Antígeno Prostático que não melhoram, falta de ar e cansaço constante,
Especifico). Ambos são exames simples passíveis de escarro com sangue, perda de apetite ou emagreci-
serem realizados em qualquer ambulatório medico. mento. Como esses sintomas podem aparecer em
Essa prevenção é indicada para homens com idade várias doenças do pulmão, é importante consultar
superior a 50 anos. Homens negros ou aqueles de um médico especialista. A suspeita do câncer é atra-
qualquer raça com história comprovada de câncer vés do exame clínico e radiografia de tórax ou exame
em parentes de primeiro grau a idade é 40 anos. do escarro. Para confirmar a presença de câncer de
Em caso de alguma suspeita, o médico pedirá exame pulmão e saber qual o tipo celular deverá ser feita
de biópsia para confirmar o diagnóstico. O tratamen- uma biópsia.

12

ManualOncologico OK.p65 12 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre Câncer • Parte I

O tratamento depende do tipo de câncer de pul- tos comuns. Algumas vezes sangue ou “catarro” são
mão, tamanho, localização e extensão do tumor, e visíveis nas fezes. Cólicas ou dor para evacuar, ema-
saúde geral do paciente. Combinações entre os trata- grecimento e anemia também são sintomas do cân-
mentos também são utilizadas. Podem ser utilizadas cer colo-retal. Na presença desses sintomas deve-
a cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Os pacientes se procurar o médico especialista que fará exame
necessitam também de fisioterapia pulmonar para clínico e outros exames para afastar ou confirmar o
auxiliar o tratamento e melhora da falta de ar. diagnóstico. Nesse processo é importante o “toque
A melhor maneira de prevenir o câncer de pulmão retal” (exame de toque pelo ânus), que por si só
é parar ou nunca começar a fumar. Nunca é tarde pode diagnosticar um tumor no reto ou ânus. Outros
para parar de fumar. Mesmo após o diagnóstico de exames podem ser feitos para realização de biópsia.
câncer de pulmão, parar de fumar pode prevenir o O tratamento inclui a cirurgia na maioria das ve-
desenvolvimento de um novo câncer. zes. Nos tumores de reto, dependendo da posição
Como em todos os cânceres, o acompanhamento do tumor, pode ser necessário a realização de “co-
após o tratamento do câncer de pulmão é muito im- lostomia” na cirurgia. A colostomia é a alça do intes-
portante para verificar se o câncer está sob controle. tino conectada a parede abdominal para dar vazão
Entre as consultas marcadas, as pessoas que tiveram as fezes. Essa alça intestinal ficará coberta por uma
câncer devem estar atentas ao surgimento de anor- “Bolsa” própria para a coleta das fezes (“bolsa de
malidades: sintomas pulmonares, emagrecimento, colostomia”), podendo ser provisória ou definitiva –
fraqueza ou nódulos crescidos no pescoço e axilas. depende de cada caso. Essa situação não limita o
convívio social, uma vez que a bolsa está totalmente
Dra. Allisson Monteiro da Silva
Residência Médica em Cirurgia Geral e Cirurgia Oncológica; oculta sob a roupa. Radioterapia e quimioterapia
Especialista em Cirurgia Oncológica pela Sociedade Brasileira de também podem ser utilizadas.
Cancerologia; Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela
Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Mestre Após o tratamento, é importante o paciente reali-
em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP;
zar exames periódicos de acompanhamento. Durante
Colaboradora do Grupo de Biópsia de Linfonodo Sentinela da
Disciplina de Cirurgia Plástica - UNIFESP os intervalos desses exames, o paciente deve estar
allisson.monteiro@schering.com.br atento a presença de sangue nas fezes, emagreci-
mento, fraqueza ou crescimento ou dor na barriga.
Câncer de Intestino Como prevenção deve-se optar por dieta rica em
Um dos tumores mais comuns no aparelho diges- fibras vegetais.
tivo é o câncer do Intestino grosso que pode afetar Dra. Allisson Monteiro da Silva
o cólon, reto ou ânus. Portanto é chamado câncer Residência Médica em Cirurgia Geral e Cirurgia Oncológica;
Especialista em Cirurgia Oncológica pela Sociedade Brasileira de
colo-retal. Normalmente surge em pessoas entre 50-
Cancerologia; Especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela
70 anos. Algumas vezes pode aparecer em pessoas Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço; Mestre
bem mais jovens. Hábitos de dieta são considerados em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP;
Colaboradora do Grupo de Biópsia de Linfonodo Sentinela da
importantes para o desenvolvimento desse tipo de
Disciplina de Cirurgia Plástica - UNIFESP
tumor. Sabe-se que pessoas com dieta pobre em allisson.monteiro@schering.com.br
fibras apresentam maior chance de desenvolver a
doença. Pessoas com antecedentes familiares de
Câncer de boca
câncer ou portadoras de retocolite ulcerativa ou poli-
pose familiar do cólon também apresentam maior Tumores da cavidade oral (boca) ou orofaringe
chance de desenvolver câncer de cólon. Os sintomas (parte superior da garganta) podem aparecer nos
podem ser variados, mas geralmente afetam os hábi- lábios, língua, soalho da boca, parte interna das bo-
tos intestinais do paciente. Pode haver desde consti- chechas, gengivas, pálato mole e pálato duro, região
pação até diarréia, que não melhoram com tratamen- das amídalas e parede posterior da garganta. São

13

ManualOncologico OK.p65 13 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

tumores que, se diagnosticados precoces, podem ser Observe a pele do rosto e do pescoço, prestando
tratados e curados com poucas ou nenhuma seqüela atenção se há alguma alteração. Toque com a ponta
funcional. Por outro lado, o tratamento em fases dos dedos toda a região, especialmente se notou
avançadas deverá deixar maiores seqüelas e exigir alguma área diferente.
maior reabilitação do paciente.
Puxe com os dedos, o lábio inferior para baixo,
Como a cavidade oral é de fácil acesso, auto exa- observe e palpe sua parte interna, repetindo a opera-
mes são estimulados para prevenção e detecção pre- ção com lábio superior.
coce de câncer da boca. Da mesma maneira, deve-
Com a ponta do dedo indicador, afaste a bochecha
se fazer uma revisão com dentista pelo menos uma
para examinar a parte interna da mesma, dos dois
vez por ano.
lados.
Tabagismo, alcoolismo, trauma crônico (uso de
Com a ponta do dedo indicador, percorra toda a
próteses dentárias mal-ajustadas), má higiene oral,
gengiva superior e inferior.
má conservação dos dentes, baixo consumo de caro-
teno e história familiar de câncer são considerados Introduza o dedo indicador por baixo da língua e
fatores de risco. o polegar da mesma mão por baixo do queixo e pro-
cure palpar todo o assoalho da boca.
Atenção especial deve ser dada aos lábios, já
que tumores de lábio estão relacionados a exposição Incline a cabeça para trás e abrindo a boca o
crônica ao sol, bastante comum em países tropicais máximo possível, examine atentamente o céu da
e com atividades rurais, sendo mais comum em pes- boca. Em seguida diga ÁÁÁÁ... e observe o fundo
soas brancas e no lábio inferior. da garganta.
O câncer na cavidade oral (boca) ou orofaringe Observe e apalpe a parte de cima da língua, bem
(garganta) acomete principalmente tabagistas e/ou como suas laterais.
alcoólatra, sendo que a associação das duas ativida-
Examine o pescoço, comparando os lados direito
des aumenta consideravelmente o risco de desenvol-
e esquerdo. Veja se existem caroços ou áreas en-
vimento da doença, bem como distúrbios de nutrição.
durecidas.
É mais comum em indivíduos do sexo masculino aci-
ma de 50 anos. Devem ser observados sinais como mudança na

O principal sintoma deste tipo de câncer é o apa- cor da pele e mucosas, endurecimentos, caroços,

recimento de ferida na boca que não cicatriza em feridas, inchaços, áreas dormentes, dentes quebra-
uma ou duas semanas. Essas feridas podem ser su- dos ou amolecidos e úlcera rasa, indolor e averme-
perficiais ou mais profundas, indolores no início, po- lhada, placas esbranquiçadas.
dendo sangrar ou não. Manchas esbranquiçadas ou
Como prevenir o câncer de boca:
avermelhadas nos lábios ou na boca também são
suspeitas. O combate ao tabagismo é um dos pontos mais im-
portantes na prevenção deste tipo de câncer. Deve-se:
Nos estágios avançados podem surgir dificuldade
de fala, mastigação e deglutição; emagrecimento 1. evitar o fumo e o álcool;
acentuado, dor e nódulos no pescoço.
2. evitar exposição continuada aos raios solares;

Como Fazer o auto exame: 3. utilizar protetor labial, chapéus quando expos-
to ao sol por longos períodos;
O auto-exame da boca deve ser realizado a cada
seis meses, em local bem iluminado, diante do espe- 4. evitar traumas crônicos na mucosa bucal, tais
lho. Lave bem a boca e remova próteses dentárias como: prótese mal adaptada, coroas dentais
para uma boa observação. fraturadas, raízes residuais;

14

ManualOncologico OK.p65 14 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre Câncer • Parte I

5. manter higiene adequada, escovando os den- liação microscópica do tumor. O retardo no diagnósti-
tes 4 vezes ao dia, principalmente após a in- co pode levar à progressão da doença, uma vez que
gestão de alimento e fazer uso do fio dental; são neoplasias com intensa duplicação celular e rápi-
da progressão. Alguns pacientes referem trauma
6. fazer o auto-exame da boca cada 6 meses;
local, porém este não tem relação de causa, apenas
7. fazer alimentação balanceada e completa; chama atenção para um processo já deflagrado. Em
8. procurar seu Dentista ou Médico em caso de fases mais avançadas, sintomas e sinais de metás-
aparecimento de qualquer lesão que não regri- tases podem estar presentes como falta de ar, massa
da no espaço de 7/14 dias. abdominal e emagrecimento.

Com esses cuidados, além de prevenir o câncer As células tumorais produzem substâncias no san-
de boca, você também estará colaborando para um gue que podem ser detectadas através de exames

estilo de vida bem mais saudável. laboratoriais. Tais exames devem ser sempre dosados
inicialmente sendo muito importantes no diagnóstico,
Allisson Monteiro da Silva
quantificação do grau de comprometimento da doen-
Médica Oncologista
allisson.monteiro@schering.com.br ça e acompanhamento após o tratamento definitivo.

Os diagnósticos diferenciais mais comuns são os


Câncer de Testículos processos inflamatórios ou infecciosos do testículo,
torção testicular ou hidrocele. A apresentação clínica
A grande preocupação com o câncer de testículo
difere pouco em todas elas e necessitam de avaliação
consiste no fato de ser a neoplasia maligna mais fre-
urológica para diagnóstico e tratamento o mais rápi-
qüente em homens entre 20 e 34 anos de idade, perío-
do possível.
do de plena atividade produtiva e reprodutiva. O testí-
culo produz a maior parte da testosterona sendo res- A ultrassonografia do testículo tem papel funda-
ponsável pela manutenção do libido, além disso, é o mental no diagnóstico, pois caracteriza a presença
órgão responsável pela produção dos espermato- do tumor e sua relação com as estruturas vizinhas,
zóides e conseqüentemente da fertilidade no homem. além de diferenciar das outras doenças (torção de
testículo e inflamação testicular). Outra vantagem
Há pouco mais de 10 anos esses tumores eram
do ultrassom é a capacidade de mostrar tumores
curados em apenas metade dos pacientes, no entan- não palpáveis ao exame físico do urologista, sendo
to, devido ao diagnostico precoce e ao tratamento estas lesões diagnosticadas em fases iniciais facili-
adequado, a sobrevida em 5 anos nos dias de hoje tando o tratamento desses pacientes. A tomografia
aproxima-se de 95% dos pacientes tratados. de abdome é outro exame indispensável na avaliação
O principal fator associado ao câncer testicular é pré-operatoria e acompanhamento por diagnosticar
a presença dos testículos posicionados fora da bolsa a presença de doença metástase que ocorre princi-
testicular, com risco 50 vezes maior para os indivíduos palmente no retroperitônio.
com essa anormalidade. Outro grupo com maior inci- O conhecimento da drenagem do testículo é es-
dência deste câncer são os homens portadores de sencial no tratamento dos tumores tornando a biós-
infertilidade, pois a presença do tumor pode ser a pia de um nódulo testicular contra-indicada pela pos-
causa da diminuição da produção de espermatozóides. sibilidade de disseminação da doença no trajeto da
agulha. O tratamento correto consiste na retirada
O quadro clínico caracteriza-se por aumento do
do testículo acometido realizada sempre através de
volume testicular ou pela presença de nódulo testicu-
abordagem na região inguinal.
lar indolor a palpação. Toda massa testicular, princi-
palmente em adultos jovens, deve ser considerada Mais da metade dos pacientes com tumor testicular
um câncer até que se prove o contrário, apesar disso, tem doença metastática no momento do diagnóstico,
o diagnóstico definitivo somente é possível após ava- tornando necessário algum tipo de tratamento com-

15

ManualOncologico OK.p65 15 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

plementar após a retirada do tumor primário. Embora O Tabaco e o câncer


seja assustadora a alta freqüência de doença dissemi-
O tabagismo é o principal responsável pelo de-
nada ao diagnóstico inicial, estes pacientes ainda
senvolvimento de câncer de pulmão e de laringe.
apresentam possibilidade de cura em aproximadamen-
Também é associado ao desenvolvimento de câncer
te 75% dos casos, devido a resposta favorável desses
de cavidade oral, faringe, esôfago, pâncreas, bexiga
tumores tanto a quimioterapia como a radioterapia.
e colo do útero. Considerando doenças não cancero-
Muitos dos pacientes com câncer ainda não pos- sas, o tabagismo se associa a bronquite crônica, enfi-
suem uma família constituída, sendo assim, o trata- sema pulmonar, infecções respiratórias, doenças dos
mento pode representar um grande impacto na ferti- vaso e do coração, aneurismas, úlceras, impotência
lidade desses indivíduos. Após quimioterapia ou ra- sexual, infertilidade, menopausa precoce, dismenor-
dioterapia quase todos os pacientes tem a função réia e dependência psíquica.
do testículo remanescente gravemente alterada por
um período de aproximadamente 2 anos, quando um Cerca de 50% dos tabagistas irão falecer de algu-
pouco mais da metade desses apresentam melhora ma doença relacionada ao fumo. O tabagista vive
importante com possibilidade de gravidez. Por esse menos que o não fumante, com um índice de mortali-
motivo, todos os pacientes, sem família constituída, dade 70% maior para todas as causas de óbito, inclu-
podem ter seus espermatozóides congelados antes sive doença coronariana. O cigarro contribui para
do tratamento definitivo, permanecendo assim a pos- 22% da mortalidade geral, 30% para a de origem
sibilidade de obtenção de gravidez por método de cardiovascular, 30% para o câncer e 30% para as
reprodução assistida. doenças respiratórias. Nos Estados Unidos, mais de
uma em cada seis mortes é relacionada ao tabagis-
Quanto ao aspecto estético, hoje em dia, existem
mo. Segundo dados da Organização Mundial da Saú-
próteses testiculares colocadas no mesmo ato da reti-
de (OMS) o tabaco é a maior causa de doenças e
rada do testículo sem deixar cicatrizes e imperceptíveis
morte em todo mundo.
visualmente quando comparadas ao testículo normal.
Além dos danos causados à população, ele tam-
O testículo produz a maior parte da testosterona
bém é responsável pela poluição ambiental e por
no homem e é responsável pela manutenção do libido.
prejudicar a saúde de outras pessoas – os fumantes
Felizmente, tumores bilaterais ocorrem em menos de
passivos. Na fumaça do cigarro existem mais de
1% dos casos, sendo assim, a necessidade de repo-
3.000 elementos nocivos. Para o fumante passivo, a
sição hormonal e possível dano na função sexual são
simples inalação da fumaça traz 10% de risco.
condições extremamente raras.
Do ponto de vista econômico, doenças associadas
Pela faixa etária jovem de acometimento desses
ao cigarro representam milhares de tratamentos,
tumores e a alta curabilidade da doença, as conse-
que muitas vezes podem durar anos. No aspecto la-
qüências do tratamento tornaram-se as principais
boral, muitos pacientes se tornam improdutivos e
preocupações na atualidade. Cirurgia, radioterapia e
irão depender de auxílio financeiro, seja ele do sis-
quimioterapia possuem efeitos colaterais potencial-
tema de previdência ou não. Recente comunicação
mente prejudiciais a longo prazo na qualidade de vida
do Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos ates-
desses pacientes. Sendo assim, os principais avan-
ta que o tabagismo custa aos patrões US$ 26 bilhões
ços no tratamento concentram-se na diminuição das
em perda de produtividade ao ano. A prevenção do
conseqüências com permanência de bons resultados.
tabagismo representa evitar um grande número de
Dr. Jorge Hallak
mortes. O cigarro é a causa mortis mais passível de
Médico-Assistente Doutor, Divisão de Clínica Urológica e
Diretor-Executivo, Centro de Reprodução Humana do Hospital prevenção que existe.
das Clínicas da FMUSP; Responsável pela Seção de Reprodução
Humana, Infertilidade e Função Sexual da Sociedade Brasileira O hábito de fumar está associado aos níveis de
de Cancerologia cultura e educação dos povos, já que em países

16

ManualOncologico OK.p65 16 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre Câncer • Parte I

menos desenvolvidos encontramos índices mais ele- hoje em desenvolvimento, com resultados animado-
vados. No Brasil e na África os índices de tabagismo res. Entre esses novos recursos de tratamento, en-
chegam a estar aumentando. contram-se as terapias rediferenciadoras (com for-
mas ácidas da vitamina A e D para alguns tumores e
A maioria dos homens do Leste Europeu fuma.
o trióxido de arsênico, para alguns tipos de leucemia),
Na antiga Alemanha Oriental 40% fumam; já os oci-
a hormonioterapia, como tratamento adjuvante para
dentais fumam menos. O tabagismo também é co-
tumores de próstata e endométrio uterino e mama,
mum nas classes sociais mais baixas de Reino Unido,
bem como algumas vacinas, como a Theratope ®, que
Suíça, China, Filipinas e EUA. No Brasil, um em cada
se encontra em fase final de testes na Grã Bretanha,
três adultos é fumante.
com mais de 900 pacientes com câncer de mama
Dentro desse painel, medidas sérias, com partici- avançado. Novos medicamentos imunomoduladores
pação do governo e sociedade civil, devem ser toma- que ajudam a aumentar as defesas naturais do corpo
das no combate ao tabagismo. Embora legalizado, o (sistema imunológico) a combaterem tumores já
fumo causa dependência e incontáveis danos a saúde estão sendo utilizados no Brasil.
pública.
Além disso, alguns tratamentos tradicionais conti-
Paulo Jorge Valentim
nuam progredindo, como as diversas novas técnicas
Cirurgião Oncologista
Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho de diagnóstico precoce, de cirurgia, novos tratamen-
tos com medicamentos quimioterápicos e novos avan-
ços em radioterapia. Portanto, no caso de diagnóstico
de câncer, procure informar-se com seu médico sobre
3. ESTOU COM CÂNCER, as melhores estratégias de tratamento para o seu
O QUE DEVO FAZER? caso em particular.

Hoje a Medicina já trata com sucesso um número Uma crescente compreensão da importância de
cada vez maior de tipos de neoplasias (câncer). O uma alimentação equilibrada e apropriada para o
diagnóstico de um tumor em suas fases iniciais de paciente com câncer é outro fator fundamental para
desenvolvimento, aumenta a chance de cura total melhorar a resposta aos tratamentos, promover sua
da doença. Porém, novos tratamentos para alguns qualidade de vida e diminuir ou evitar certos efeitos
cânceres em seu estágio avançado, encontram-se colaterais dos tratamentos.

17

ManualOncologico OK.p65 17 24/11/2005, 15:06


18

ManualOncologico OK.p65 18 24/11/2005, 15:06


arte II
PParte II
O QUE VOCÊ PRECISA SABER
SOBRE OS TRATAMENTOS

1. INTERNAÇÃO HOSPITALAR E 2. SISTEMA DE TRATAMENTO


CIRURGIA AMBULATORIAL
Dos tratamentos mencionados anteriormente, a É realizado quando o médico responsável e o pa-
cirurgia é o tratamento que quase sempre exige in- ciente decidem que o tratamento pode ser feito sem
ternação hospitalar, principalmente quando se tratam a necessidade de internação. Tanto a quimioterapia
de tumores internos profundos ou em regiões de di- quanto a radioterapia podem ser feitas em ambulató-
fícil acesso. Muitas vezes, o paciente de câncer chega rio e o seu médico responsável irá solicitar os servi-
ao serviço de saúde em um grau profundo de desnu- ços de quimioterapia ou de radioterapia de um hospi-
trição, devido à falta de apetite ou dificuldade em tal ou clínica e orientá-lo(a) a agendar com a enfer-
alimentar-se. Nesses casos, o médico responsável magem do serviço os dias e horários em que se deve
pode decidir interná-lo por alguns dias para que ele comparecer ao setor para receber o tratamento. Per-
possa receber alimentação por via enteral (sonda gunte a seu médico se é conveniente levar um acom-
nasoenteral) ou parenteral (veia periférica, ou veia panhante nos dias do tratamento.
central), enquanto realiza os exames adicionais ne-
cessários para planejar a cirurgia.

A cirurgia pode ser realizada com dois objetivos: 3. O QUE É QUIMIOTERAPIA?


extrair o tumor e/ou realizar a biópsia (exame que
É um tratamento que utiliza medicamentos (re-
determina o tipo de tumor) e verificar se existem
médios) que eliminam as células de câncer que for-
metástases na proximidade dele. (Metástases são
mam os tumores e metástases. Quando o tumor é
formadas por células que saem do tumor principal e
muito grande e se encontra em uma região do corpo
invadem outros órgãos ou tecidos). Quando nódulos
que não permite sua extração por cirurgia ou permite
linfáticos exibem invasão ou metástase, o médico
cirurgião extrai estes nódulos também, na maioria apenas a retirada de parte do tumor, a radioterapia

das vezes. pode ser utilizada em combinação com a quimiote-


rapia ou uma e depois a outra – dependendo do que
Uma vez encerrada a etapa cirúrgica, o médico
seu médico decidir ser mais recomendável. A quimio-
responsável por seu tratamento irá decidir o tipo de
terapia pode inclusive servir para diminuir o tumor
terapia necessária a seguir: – quimioterapia, radiote-
e permitir que ele seja, então, extraído através de
rapia ou ambas – ou ainda, uma combinação de uma
cirurgia.
destas (ou de ambas) com outras terapias, tais como
a imunomodulação e/ou uma terapia rediferencia- Tratamento Adjuvante - Uma situação em que
dora. Geralmente, esses tratamentos são realizados a quimioterapia e/ou a radioterapia podem ser utili-
sem internação, através de atendimento ambulatorial zadas como tratamento preventivo (adjuvante), é
– a menos que seu médico decida que é importante quando o tumor foi retirado na cirurgia, mas os estu-
mantê-lo internado por mais alguns dias. dos indicam que se o paciente fizer quimioterapia

19

ManualOncologico OK.p65 19 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

e/ou radioterapia, isso diminuirá a probabilidade de objetivo do tratamento seja alcançado. Portanto, não
células tumorais que possam ter emigrado para falte às sessões de tratamento que foram agendadas.
outras regiões desenvolvam novos tumores. É importante seguir corretamente as orientações do
médico responsável. Se alguma coisa não ficou clara,
Existem muitos tipos de medicamentos quimio-
terápicos e aqueles que cada paciente irá receber, não fique constrangido(a) em fazer perguntas. Seu

bem como a duração do tratamento, serão estabele- médico, os médicos desse setor e a equipe de enfer-
cidos pelo médico responsável. A quimioterapia con- magem, ficarão satisfeitos em respondê-las da forma
siste na utilização de agentes químicos (remédios), mais adequada possível.
isolados ou em combinação com outros tratamentos, Efeitos Colaterais: A ocorrência de efeitos co-
com o objetivo de tratar uma doença. Os aspectos laterais depende fundamentalmente dos tipos de me-
particulares sobre seu quadro clínico (doença) deve- dicamentos (remédios) prescritos e do próprio
rão ser esclarecidos com o médico responsável. organismo de cada paciente. Isso significa que
alguns efeitos colaterais desagradáveis podem ocorrer
Modo de aplicação dos com uma pessoa enquanto uma outra nada sente ou
medicamentos quimioterápicos os têm de forma mais branda. A equipe de enferma-
gem estará continuamente acompanhando o trata-
Os medicamentos são preparados e aplicados por mento, para detectar qualquer anormalidade e escla-
uma equipe de enfermagem treinada e podem ser recer dúvidas. No caso de dúvidas, pergunte!
administrados por várias vias de acesso (locais ou
regiões do corpo), tais como: Alguns efeitos de medicamentos quimioterápicos
são a diminuição de glóbulos brancos e/ou de glóbulos
a) Via Endovenosa (na veia): poderá ser rea-
vermelhos e plaquetas. Quando o potencial deste
lizado através de uma veia periférica (mãos
efeito é muito grande, o seu médico poderá indicar
ou braços), ou por um catéter (vide explicação
uma medicação subcutânea ou endovenosa (na veia)
posterior).
que ajude a restaurar esses componentes do sangue.
b) Via Intramuscular (dentro do músculo): Certos medicamentos quimioterápicos afetam o cres-
nos braços, pernas ou nádegas. cimento de cabelos, pelos do corpo e unhas, causan-
do a queda de cabelos e enfraquecimento de unhas.
c) Via Subcutânea (na região acima do mús-
Porém, na maioria das vezes, esses sintomas são
culo): nádegas, barriga, braços ou pernas
temporários e, uma vez encerrado o tratamento, eles
(coxas).
voltam a crescer. Seu médico ou a enfermeira do
d) Via oral (tomando comprimidos, cápsulas serviço de oncologia podem orientá-lo sobre isso.
ou líqüidos pela boca): seu médico o infor-
mará sobre os medicamentos que irá rece-
ber, os possíveis efeitos colaterais que podem
Auto Cuidado Durante o
acompanhar o tratamento e como agir caso
Tratamento:
estes ocorram. A medicação é tomada em ho- ♦ Durante o período de tratamento com quimiote-
rários definidos pelo médico, para facilitar a rápicos, mantenha sua boca e gengivas sempre
sua absorção. Por exemplo, 1 hora antes ou limpas e utilize escovas de dente macias, esco-
1 hora e 30 minutos após a refeição. É impor- vando os dentes após ingerir alimentos. Não utili-
tante observar a orientação do médico e não ze cremes dentais abrasivos (com branqueado-
interromper a medicação sem informá-lo.
res) e faça bochechos com 1 colher (de café) de
Muitos desses medicamentos precisam ser admi- bicarbonato de sódio dissolvido em um copo de
nistrados (tomados), a intervalos específicos (1 vez água à temperatura ambiente (nem quente nem
por semana ou a cada 21, 28 dias, etc.) para que o gelada), três vezes ao dia, e após as refeições.

20

ManualOncologico OK.p65 20 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre os tratamentos • Parte II

♦ Devido à ansiedade ou preocupação com a doen- IMPORTANTE:


ça e o tratamento, algumas pessoas não se sen- Como os quimioterápicos podem diminuir os
glóbulos brancos e as suas defesas contra infec-
tem dispostas a manter relações sexuais com seu
ções, qualquer sinal de febre, calafrios,
parceiro(a). Se este for o caso, converse clara-
ardor urinário ou tosse inesperada, deve
mente com a outra pessoa. Não deixe no entanto ser comunicado ao médico responsável ou
de manter um contato de afeto e carinho, onde à equipe médica. Caso não o encontre, pro-
o dar e receber podem ser muito construtivos e cure o Pronto Socorro e peça para entrarem
nutritivos para o bem estar emocional de ambos. em contato com seu médico.

♦ Mulheres podem ter seu ciclo menstrual alterado


ou ressecamento da vagina durante o tratamento. Evite tomar sol durante a fase de tratamen-
Caso isto ocorra, comunique o médico responsá- to quimioterápico. Quando tomar sol, faça uso de
vel e siga sua orientação. Mesmo com o ciclo protetores solares. Os medicamentos podem aumen-
irregular, pode ocorrer gravidez. Portanto, os cui- tar a sensibilidade ao sol. Avise seu médico.
dados de anticoncepção devem continuar, porque
a maioria dos quimioterápicos interferem com o Cuidados nos dias da aplicação:
crescimento das células e podem causar malfor-
Nos dias do tratamento quimioterápico, tome os
mações no feto.
seguintes cuidados:
♦ Alguns problemas de pele podem ocorrer durante
♦ Coma alimentos mais leves e de fácil diges-
o tratamento, tais como pele seca, vermelhidão,
tão, sem temperos irritantes (pimentas, mostar-
coceira, descamação e acne (espinhas). Portanto
da, molho de tomate) e evite frutas ácidas (aba-
siga as seguintes instruções:
caxi, laranja, morango). Veja no capítulo sobre
• Não tome banho muito quente, para evitar o Nutrição do Paciente deste Manual outros alimen-
ressecamento da pele; tos que devem ser evitados.

• Use sabonetes neutros (sabonetes para bebês ♦ Alimente-se 3 horas antes da sessão de quimio-
são os melhores); terapia e leve consigo uma fruta e biscoitos (bola-
cha maizena ou Maria, ou biscoitos de água e sal).
• Após o banho, hidrate a pele de seu corpo com
um creme hidratante testado dermatologica- ♦ Se sentir sede durante a aplicação, peça à enfer-
mente (pergunte a seu médico o que ele reco- magem que lhe dê água ou chá (se houver).
menda); ♦ No caso de aplicação dos medicamentos por
• Se as irritações da pele (coceira, descamação, via endovenosa (na veia), comunique imediata-
acne e vermelhidão) forem intensas ou persis- mente à enfermagem qualquer sensação de quei-
tentes, fale com seu médico responsável; mação, ardor ou irritação na região da aplicação.

♦ Se sentir enjôo (náuseas) ou vertigem (ton-


• Certos medicamentos podem modificar a colo-
tura), chame a enfermeira.
ração da urina. Portanto, lembre-se de tomar
bastante água, chás ou sucos de fruta (ou água ♦ Durante a aplicação dos medicamentos no
de coco verde) durante o período de tratamen- ambulatório, procure manter seus pés ele-
to. Caso note a presença de sangue em vados, para evitar que seus pés e pernas inchem.
sua urina ou fezes; ou tenha sangramen- Algum edema (inchaço) pode ocorrer em pés,
to nasal ou gengival, comunique o seu mé- mãos e rosto, devido ao tratamento. Reduza o
dico o mais rápido possível. sal de sua alimentação e beba bastante líqüido.

21

ManualOncologico OK.p65 21 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Paciente com Catéter Implantado ♦ No dia do tratamento ambulatorial, o pacien-


(“port”): te ficará com um curativo simples no local
da punção, que poderá ser retirado após
O “port” é um dispositivo implantado através de
12h. Use, se possível camisa ou blusa com botões,
um procedimento cirúrgico simples, com anestesia para facilitar o acesso à região do catéter ou “port”.
local ou geral. Consiste em um “compartimento” co-
♦ Caso note alterações na região de implanta-
locado sob a pele (abaixo), geralmente na região
ção como, vermelhidão, aumento da temperatura
superior do tórax. A finalidade deste é receber as
do local, saída de algum líqüido, dor, inchaço –
medicações (remédios) sem a necessidade de pun-
ou tenha febre, comunique seu médico imediata-
cionar uma veia periférica (furar as veias do braços
mente ou a enfermeira do ambulatório.
e mãos). Uma vez implantado o ”port”, os pontos
(suturas) no local da cirurgia deverão ser retirados, ♦ O fato de estar com o “port”, não altera
entre sete e dez dias - ou de acordo com a orienta- suas atividades diárias.
ção de seu médico responsável. Durante este tempo, ♦ Depois de cicatrizado o local, pode-se dor-
deverão ser realizados curativos e cuidados diários mir do lado em que está implantado o “port”.
por pessoa habilitada.
♦ Algumas pessoas são muito sensíveis à dor
Quando um medicamento vai ser aplicado, o “port” no momento da punção, se este for seu caso,
é puncionado (perfurado com uma agulha especial) converse com a enfermeira do ambulatório, pois
para que seja administrado o medicamento. O “port” existem pomadas específicas para diminuir a dor
pode ser puncionado por volta de 2.000 vezes e durar local.
até oito anos e poderá ser puncionado desde sua
♦ Quando estiver em tratamento ambulatorial,
implantação, de acordo com a orientação médica.
comunique imediatamente à enfermagem qual-
O uso do “port” requer um procedimento periódi- quer alteração como dor, queimação local, sen-
co denominado “heparinização”, que consiste em sação que o curativo está molhado ou mal estar.
lavar o “porte”, injetando soro fisiológico e solução
de heparina. Este procedimento é feito pela enferma- Quimioterapia através de veias
gem especializada do serviço de quimioterapia e cos- periféricas (mãos e braços)
tuma ser agendado com antecedência.
Pacientes que recebem remédios quimioterápicos
Quando da Implantação do “Port” e Após a
através de veias periféricas, localizadas nos braços
Retirada dos Pontos, o paciente deverá seguir as
ou nas mãos, devem observar alguns cuidados im-
seguintes recomendações:
portantes, como os descritos a seguir:
♦ Lavar o local normalmente, todos os dias, ♦ Ao receber a medicação no ambulatório, esteja
durante do banho. O “port” é fixado sob a pele, atento a qualquer sinal de dor ou queimação
sendo assim importante manter a pele do corpo e chame imediatamente um membro da equipe
seca e limpa, incluindo a região onde ele está de enfermagem caso isso ocorra.
implantado.
♦ Depois de receber a medicação o paciente
♦ Não use objetos ou roupas que possam irri- ou um familiar deverá aplicar uma pomada na
tar ou comprimir a pele do local da implantação. região da punção para estimular a circulação local
♦ No momento da cirurgia, talvez tenha sido feita (por exemplo, Hirudoid) três vezes ao dia, duran-
uma raspagem de pêlos na região do implante. te dois dias no mínimo.

Posteriormente, porém, não se deve raspá- ♦ Se ocorrer alguma alteração importante na


los para evitar agredir a pele e causar pe- região (vermelhidão ou dor), fale com o médico
quenas lesões. responsável ou a enfermagem do ambulatório.

22

ManualOncologico OK.p65 22 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre os tratamentos • Parte II

♦ Tenha certos cuidados para não machucar os nomes dos medicamentos que você está to-
mãos e braços. mando), ele(a) poderá dar a você a assistência
necessária (que também será registrada no
♦ Se suas mãos estiverem um pouco inchadas,
prontuário).
não use anéis ou aliança.
4. Mantenha uma caderneta com os telefones
♦ Se sua pele estiver ressecada, use um creme de seu médico ou do Serviço de Saúde em que
hidratante indicado pelo seu médico. você está se tratando. Informe-se com eles dos
♦ Durante o tratamento quimioterápico, você endereços e telefones dos serviços de emergên-
cia oncológica e internação que atendem o seu
poderá notar algum edema (inchaço) de região
convênio (ou o SUS) e nos quais seu médico se
periférica (mãos e pés) e na face. Procure manter
encontra cadastrado, para poder procurá-los em
os pés elevados durante o tratamento no ambu-
casos de emergência.
latório.

♦ Se sentir enjôo (náuseas) ou forte dor de


cabeça durante a aplicação ou depois dela, 4. O QUE É RADIOTERAPIA?
avise a enfermagem ou o médico responsável.
Radioterapia é um tratamento que busca destruir
♦ Preservação das veias – durante o tratamen-
as células do tumor através da irradiação de ondas
to, podem ser necessários muitos exames de
de energia originadas de material radioativo (ou seja,
sangue. Converse com a enfermagem e o médico
material que emite essas ondas), como por exemplo,
sobre informe-se sobre as veias que serão mais
o Raio X, o cobalto, o iodo radioativo, etc. Esses
usadas para a quimioterapia e peça indicação
raios são invisíveis, não têm cheiro e você não sen-
dos melhores laboratórios de análise clínica den-
te dor durante a aplicação.
tre aqueles cobertos pelo seu convênio de saúde.
Ao comparecer no laboratório para coleta de san- O tratamento radioterápico é feito no Serviço de
gue, explique a eles que você precisa preservar Radioterapia de um ambulatório equipado para isto
tais e tais veias para a quimioterapia, conforme ou de um hospital, mas não exige que você seja
explicado pelo seu médico. internado especificamente para este procedimento.
O seu médico poderá indicar a radioterapia, quando
for necessário, encaminhando-o a um médico espe-
IMPORTANTE:
cializado neste tipo de tratamento.
1. Lembre-se de que o seu médico – seja ele
consultado através de um convênio de saúde
ou de uma clínica ou hospital conveniado ao SUS Simulação e Planejamento
ou visto particularmente - é o profissional respon-
sável pelo seu tratamento e deve ser informado Antes do início das sessões de radioterapia o
sempre que algum sinal de anormalidade, como médico radioterapeuta e a enfermagem especializada
febre, inchaço no local da aplicação, ou outras em radioterapia irão examiná-lo(a) e orientá-lo(a),
sensações de mal estar, como as descritas em esclarecendo as dúvidas que você tiver. Serão feitas
alguns dos itens acima ocorrerem.
várias radiografias da região de seu corpo em que
2. No caso de não conseguir entrar em contato as aplicações serão feitas. Em seguida, será marcada
com seu médico responsável, outro médico que uma sessão de simulação (“ensaio”), para estu-
o esteja substituindo ou atendendo ao plantão dar a posição em que você deve permanecer duran-
do Serviço Oncológico em que você está se tra-
te a aplicação, estabelecer o local exato da aplica-
tando deve ser procurado.
ção, a dose e o tipo de radiação e o número de apli-
3. Com o seu prontuário em mãos (relatório em cações necessárias. Durante a simulação não é fei-
que os médicos e enfermeiros registram seu his- ta nenhuma aplicação, porque a simulação tem o
tórico clínico, os exames e diagnósticos feitos e
objetivo de ajudar no correto planejamento de seu

23

ManualOncologico OK.p65 23 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

tratamento. Uma vez que o seu tratamento esteja Tardios: pneumonite (inflamações pulmonares);
devidamente planejado, as sessões de aplicação retite (inflamação do reto); cistite (inflamação da
serão agendadas. bexiga); cataratas; e dependem da região irradiada.

Após o término do tratamento, haverá um perío- Para que se possa prever os possíveis efeitos
do de acompanhamento, em que o médico responsá- colaterais, é necessário pensar nas áreas que serão
vel pela radioterapia fará um exame periódico do(a) irradiadas, embora algumas reações sejam comuns
paciente para avaliar possíveis efeitos tardios da radia- a todos os pacientes, independente do local a ser
ção e estabelecer tratamento adequado para eles. irradiado: - fadiga, reações cutâneas e inapetência.

O médico e a enfermagem irão recomendar algu- Reações da Pele: Se a pele for o alvo da radio-
mas medidas de auto-cuidado que devem ser segui- terapia (câncer de pele ou linfoma de pele), ela ficará
das pelos pacientes durante e após o tratamento, mais sensível ou poderão ocorrer alterações cutâneas
para evitar complicações desnecessárias. Durante o mais intensas, que não dependem exclusivamente
período de tratamento com radioterapia, o médico da dose, mas também da área e região irradiada,
radioterapeuta fará consultas regulares de avaliação como descamação, eliminação de líqüido claro, bo-
do paciente. lhas ou até feridas dolorosas e modificações na colo-
ração da pele.
Efeitos colaterais da radioterapia Cuidados com a Pele Irradiada: Você deve
contribuir para diminuir os riscos de complicações,
Os efeitos colaterais gerais da radioterapia são
tomando os seguintes cuidados com o local de sua
reações da pele (descamação seca ou úmida), sen-
pele onde a radiação está sendo aplicada:
sação de cansaço e alterações do apetite. Os efeitos
colaterais específicos estão associados com a região ♦ Não aplique loções e cremes, se aplicados
do corpo em que a radiação é aplicada. Eles podem na área de tratamento, porque podem interfe-
ser agudos, sub-agudos ou tardios. rir com a absorção da dose de radiação recebida,
algumas vezes aumentando a dosagem recebida
Agudos: são os que ocorrem durante o trata-
pela pele.
mento e até 6 meses após seu término, tais como:
náuseas; vômitos; febre; hemorragia; diarréia; dor ♦ Conserve o local de tratamento seco e livre
local; queimaduras; fadiga (cansaço); alopécia (que- de irritações (não coce, não passe a unha, não
da de cabelos); inflamações locais. arranque a pele que está descamando (“descas-
cando”) e não passe pente ou escova;
Sub-Agudos: são os que persistem ou ocorrem
após 6 meses do término do tratamento, como: ane- ♦ Não use loções, cremes, talcos, produtos
mia, maior tendência a pegar resfriados e outras caseiros (emplastos e outros curativos não reco-
infecções, lesão de pele (vermelhidão, descamação mendados pelo seu médico), álcool ou produtos
seca ou úmida); mucosites (aftas, pele da língua e que o contenham;
gengivas vermelhas e irritadas); alterações de pala- ♦ Lave a pele do campo de tratamento com água
dar (gosto “metálico” na boca, sensação de que os morna e sabonete neutro (de bebês ou outro
alimentos têm um gosto diferente); anorexia (falta recomendado pelo seu médico) e sem perfume;
de apetite); mal estar geral (sensação vaga de peso
♦ Ao secar a pele e pregas da pele, tome cui-
nas pernas, sensação de ossos ou juntas doloridas”;
dado para não esfregar a toalha. Porém se-
alopécia (queda de pelo e cabelos); astenia (sensação
que bem pele e dobras de pele;
de desânimo, fraqueza ou cansaço); hipovitaminose
(deficiência ou carência de vitaminas e outros nu- ♦ Evite usar roupas justas, para não comprimir
trientes); desidratação (diarréia); ou irritar o local irradiado, com o atrito da roupa;

24

ManualOncologico OK.p65 24 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre os tratamentos • Parte II

♦ Não use esparadrapo ou adesivos sobre a ♦ Examine a pele cuidadosamente em busca de


pele irradiada; lesões e/ou sinais de infecção, ao trocar de roupa
♦ Evite expor a pele irradiada a extremos de ou na hora do banho, todos os dias. Se notar
calor ou frio, como por exemplo, luz do sol, inchaço, mal cheiro, pus ou sensação de dor por
calor de fogão ou forno – ou o ar frio de geladeira latejamento no local do tratamento, procure o
e freezer; médico responsável ou a enfermagem do serviço
de radioterapia;
♦ Evite o contato de tecidos sintéticos com a
área tratada – ou seja, todos os tecidos que ♦ Se tenha febre, com ou sem sinal de gripe
não sejam de algodão puro, linho puro ou seda ou resfriado, avise o médico o mais rápido
pura. A lã, mesmo pura, pode ser irritante. Portan- possível ou procure o plantão do serviço
to, coloque uma camisa, blusa ou camiseta (ou de radioterapia em que está se tratando.
calça) de algodão puro sob o agasalho de lã; Caso isso não seja possível, procure o Pron-
to Socorro do hospital e, após ser visto pelo
♦ Nas áreas com pelos, tais como pernas (mu-
médico do plantão, peça a ele que entre em
lheres) e barba (homens), evitar depilar. Se
contato com seu médico.
muito necessário, usar somente barbeador elétri-
co, até que todas as reações tenham desapare-
cido. Não usar lâmina, navalha ou cera depilatória;
5. O QUE É HORMONIOTERAPIA?
♦ Proteger a área da exposição solar, usar
FPS máximo. No entanto, lembre-se que a melhor Alguns tumores (de próstata no homem e de
proteção contra os raios solares é não tomar sol mama ou do endométrio uterino na mulher) podem
no local da irradiação, protegendo-o com roupa depender de hormônios para crescerem. Assim, pode
ou – no caso de pele da cabeça, pescoço ou rosto fazer parte do tratamento oncológico o bloqueio da
– usar, além do protetor solar, também um cha- produção de certos hormônios pelo corpo ou o uso
péu, sombrinha (ou guarda chuva) ou lenço. Per- de hormônios que antagonizem aquele hormônio que
sista com esta precaução durante no mínimo 6 estimula o crescimento do tumor. Esse bloqueio hor-
meses a 1 ano após o tratamento. Preferencial- monal pode ser realizado com medicações orais e,
mente, jamais exponha a região ao sol pelo quando esta é a via de administração, é importante
risco de danos tardios severos, inclusive que o paciente não “pule” dias, nem interrompa a
tumores malignos; medicação sem ordem médica. Outros hormoniote-
♦ Mantenha seu corpo hidratado, bebendo água, rápicos são injetáveis por via intramuscular ou sub-
chá verde, água de coco e sucos em grande quan- cutânea e sua aplicação obedece uma estratégia de-
tidade durante o dia; finida pelo médico que deve ser seguida à risca.

♦ Alimente-se regularmente, seguindo as orien- Efeitos colaterais: Podem surgir sinais de me-
tações do próximo capítulo deste Manual, para nopausa ou andropausa precoces, disfunções sexuais,
evitar as complicações e/ou o agravamento de ressecamento vaginal, ondas de calor. Comunique a
efeitos colaterais, devido à falta de vitaminas e seu médico quaisquer desses sintomas e siga sua
outros nutrientes importantes. Alimente-se! orientação. Apesar desses inconvenientes, a hormonio-
Mesmo que não sinta fome, comendo meno- terapia pode ser um tratamento muito eficaz, valendo
res quantidades várias vezes ao dia (a cada a pena suportar seus efeitos colaterais, frente a seus
2 ou 3 horas, no máximo); benefícios potenciais, quando bem indicada.

25

ManualOncologico OK.p65 25 24/11/2005, 15:06


26

ManualOncologico OK.p65 26 24/11/2005, 15:06


III
arte III
PParte
O QUE VOCÊ PRECISA SABER
SOBRE ALIMENTAÇÃO

1. POR QUE NOS creveremos a seguir: (Alguns autores classificam


como micronutrientes Vitaminas, minerais... outros
ALIMENTAMOS?
como oligoelementos, quando utilizado com os ma-
Uma nutrição (alimentação) adequada e apro- cronutrientes, proteínas, carboidratos e lipídeos é
priada para cada fase da vida é indispensável a todos mais utilizado nutrientes).
os seres vivos, para a manutenção da saúde, diminui-
ção de riscos de doenças e também para a restaura- Aminoácidos
ção da saúde (quando ficamos doentes), através da
recuperação, reconstrução, desintoxicação e reparo São a matéria prima das diversas proteínas que
de células, órgãos e tecidos ao longo de nossas vidas. compõem os músculos, pele, órgãos, tendões, cabe-
Nosso sistema imunológico (que nos defende de lo, unha. Alguns dos 22 aminoácidos são produzidos
infecções) e demais funções vitais dependem dos pelo nosso corpo, a partir de outros elementos mais
micro-nutrientes extraídos dos alimentos que inge- simples. Porém, existem 8 aminoácidos essenciais
rimos. Vamos, portanto, falar um pouco sobre esses que nosso corpo precisa extrair já prontos dos ali-
diversos micro nutrientes, fornecendo uma visão mentos porque não consegue produzi-los a partir
geral de sua importância e os alimentos onde são de nutrientes mais simples.
encontrados. Mesmo a carência de um único aminoácido, pode
impedir que o corpo produza uma ou mais proteínas
O Que São Micro-nutrientes? de que necessita, originando doenças. Os alimentos
que ingerimos não possuem todos as mesmas quanti-
São substâncias que nosso corpo extrai dos ali-
dades de aminoácidos ou todos os 8 essenciais. Por-
mentos, através do processo de digestão. Esses
tanto, nossa alimentação deve ser variada, incluindo
micro-nutrientes são absorvidos através das paredes
diversos tipos de alimentos durante o dia.
do intestino delgado para dentro das artérias (vasos
sangüíneos). Através da circulação do sangue, os As proteínas (que são a fonte de aminoácidos em
micro nutrientes são distribuídos às células dos diver- nossa alimentação) estão presentes em maior con-
sos órgãos e tecidos que compõem o nosso corpo, centração nas carnes (peixe, frutos do mar, carne bo-
de forma a mantê-los saudáveis, gerando energia e vina, frango), nos ovos, castanhas, nozes, amêndoas,
oferecendo matéria prima para a reconstrução e a germe de trigo, levedo de cerveja. Também são en-
renovação celular e para a proteção das células con- contradas nas frutas e outros vegetais - sendo que o
tra a intoxicação produzida pelo cansaço, doenças, feijão de soja e seus derivados (leite de soja, farinha
ferimentos e toxinas (substâncias tóxicas ou veneno- de soja, missô, tofú) e as leguminosas (outros feijões,
sas) de diversas origens (poluição ambiental, infla- tais como: feijão preto, branco, vermelho, fradinho,
matória, infecciosa, certos medicamentos, etc.). Os azuki, jalo, lentilha, fava, ervilhas, etc.) são boas fontes
micro nutrientes estão classificados conforme des- de diversos aminoácidos.

27

ManualOncologico OK.p65 27 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Ácidos graxos ♦ Fibras vegetais: Nas folhas de verduras, nas


cascas das frutas e dos grãos de cereais integrais
Os ácidos graxos são os componentes das gordu-
existe um tipo de açúcar, a celulose, que nós
ras (lipídios) que, junto com as proteínas, sais mine-
humanos não digerimos. Porém, essas fibras de
rais e açúcares, formam as estruturas de nossas célu-
celulose são importantes em nossa alimentação
las. Os ácidos graxos são usados pelo corpo para a
porque formam um “bolo” pastoso no intestino,
construção de diversas substâncias que participam que estimula os movimentos do tubo intestinal e
de muitas funções vitais: desde o fornecimento de nos ajuda a combater a prisão de ventre ou o
energia, até a produção de hormônios. As fontes mais “intestino preguiçoso”.
saudáveis de lipídios são os grãos de cereais (soja,
gergelim, milho, aveia, trigo integral, centeio, cevada, Além, disso, essa massa fibrosa remove resíduos
alimentares que aderiram anteriormente às dobras
etc.), as nozes, castanhas e azeitonas. Também estão
das alças do tubo intestinal, eliminando, assim, maté-
presentes em laticínios (queijos, leite, coalhada, iogur-
ria intestinal putrefada (apodrecida) e toxinas ali acu-
te, manteiga), carnes (mesmo as carnes magras) e
muladas – inclusive algumas toxinas que podem cau-
margarinas feitas de óleo extraído de cereais.
sar câncer de intestino (experimente perguntar ao
seu médico se você pode usar as fibras das semen-
Açúcares (glicídios) e amidos tes de linhaça dourada com ômega3 nos sucos, água
e saladas de frutas e aveia duas vezes ao dia como
A vida é, fundamentalmente, doce. Os açúcares
um lanche Flax ômega3, www.nutriphill.com.br.
ou glicídios (frutose, lactose, dextrose, maltose) e
Este Flax remove impurezas dos intestinos, alimenta
amidos (farinha de trigo, maizena, arroz, etc.) dos
e melhora suas taxas de triglicérides e deixa sua pele
alimentos são transformados pelo nosso corpo em
limpa. Ele é totalmente natural e é um suplemento
glicose, que é o açúcar utilizado como combustível
alimentar.
por nossas células e sua principal fonte de energia. A
glicose participa da estrutura de muitas proteínas (co- Nos cereais integrais (em que essa película de
nhecidas como glicoproteínas) e também da estrutu- celulose não foi retirada), diversas vitaminas impor-
ra de nosso DNA, que é a molécula que contém todo tantes permanecem nos grãos. Porém, nos cereais
o código genético que nossos pais nos transmitiram “beneficiados” elas se perdem e somente o amido
e que regula todas as atividades de nosso corpo. permanece.

Nosso corpo faz reservas de açúcares em múscu-


los - para que possamos ter energia para nos movi- Vitaminas
mentar, para que o coração possa bombear o san-
Todos os seres vivos que respiram o oxigênio
gue, para que os pulmões possam expandir-se e con-
(chamados “organismos aeróbicos”) necessitam de
trair-se, levando oxigênio ao sangue. As glândulas,
um verdadeiro arsenal de vitaminas para que possam
tecidos e órgãos, ou seja, todas as células do corpo,
sobreviver ao próprio oxigênio. Precisamos do oxigê-
extraem a energia de que precisam dos açúcares ou
nio para queimar reservas de açúcares e extrair deles
glicídios que ingerimos.
a energia que nos mantém vivos, do mesmo modo
♦ Fontes de Glicose: Os açúcares, geralmente sob que o motor de um carro precisa do oxigênio para
a forma de carboidratos, estão presentes nas queimar o combustível (gasolina, álcool ou diesel)
frutas (este açúcar é chamado “frutose”), no para gerar a energia que movimenta o carro. Por
leite e laticínios (“lactose”), nos amidos dos outro lado, o oxigênio é um gás tóxico. Por esta razão,
cereais, mandioca, batatas, inhame, e nas fari- todos os organismos que respiram oxigênio utilizam
nhas feitas a partir deles (“maltose”), no mel de um verdadeiro arsenal de vitaminas e enzimas (um
abelhas, no milho (“dextrose”), na cana de tipo de proteína) para controlar e neutralizar os efei-
açúcar (“sucrose”), etc. tos tóxicos do oxigênio sobre as células e órgãos 10.

28

ManualOncologico OK.p65 28 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

As diversas vitaminas são também necessárias ♦ As melhores fontes de enzimas são os ali-
para o bom funcionamento de todos os órgãos, aju- mentos crus, pois elas são destruídas com o
dando na cicatrização e renovação de tecidos (pele, calor do cozimento. O mamão e o abacaxi são
mucosa, ossos, etc.), garantindo o bom funciona- ricos em enzimas digestivas (papaína e bromeli-
mento do sistema imunológico (que nos defende de na). A casca do pepino contém enzimas digesti-
infecções), protegendo o colesterol e outras gordu- vas que nos ajudam a digerir o próprio pepino.
ras do corpo contra a rancidificação produzida pelo Os vegetais – frutas e verduras – são uma fonte
contato com o oxigênio. rica em uma variedade de enzimas, assim como
a levedura (ou levedo) de cerveja, a gemada (i.e.,
♦ As melhores fontes de vitaminas são as ver-
gema de ovo cru batido com açúcar), o sashimí,
duras, legumes, frutas11 - consumidos crus –
o sushí e o quibe cru.
e os grãos integrais (em sopas, pães e bolos).
As vitaminas também estão presentes no leite
integral e laticínios e carnes cruas (sushi, Sais Minerais
sashimi e quibe cru). Contudo, grande parte delas
Existem vários minerais que participam de diver-
se perde no processo de pasteurização ou outro
sas funções em nosso corpo: desde a formação e
tipo de processamento industrial, bem como no
manutenção de ossos até o bom funcionamento das
cozimento caseiro, porque a maioria delas é sen-
células de nossos órgãos, como por exemplo, múscu-
sível ao calor (algumas vitaminas se degradam
los, coração e cérebro. Alguns dos minerais que
rapidamente, mesmo à temperatura ambiente,
nosso corpo extrai dos alimentos, são: cálcio, potás-
quando esta é superior a 25°C e à exposição à
sio, magnésio, ferro, selênio, lítio, sódio, zinco, etc.
luz (solar ou artificial) e ao oxigênio do ar; por
Todos os alimentos citados anteriormente são fontes
exemplo, a vitamina C.
de diversos sais minerais e - o que é mais importante
- os minerais dos alimentos encontram-se em pro-
Enzimas porções fisiológicas e ligados a proteínas, o que faci-
lita a sua absorção.
São pequenas proteínas, muito importantes para
que o nosso organismo possa realizar uma enorme
quantidade de tarefas vitais. Algumas enzimas parti- Lactobacilos acidófilos e absorção
cipam do processo de digestão dos alimentos e são dos micro nutrientes
conhecidas como “enzimas digestivas”; outras, aju-
Os lactobacilos são bactérias amigas e, quando
dam o nosso corpo a construir proteínas maiores;
as hospedamos em nosso intestino, nos ajudam a
outras, protegem nossas células contra a intoxicação
manter uma boa saúde, porque favorecem a ab-
pelos derivados do oxigênio e de outras toxinas. Exis-
sorção dos micro-nutrientes pelo nosso corpo.
te uma outra família de enzimas que protege nossos
Quando nossa flora intestinal se encontra carente de
genes e diminui a possibilidade de as células dege-
lactobacilos acidófilos, tendemos a hospedar outras
nerarem. Muitas doenças são conseqüência da de-
bactérias que são menos amigáveis ou até mesmo
generação de um determinado grupo de células;
hostis. Algumas delas podem causar infecções intesti-
entre elas, o próprio câncer.
nais, diarréia, cólicas, gases ou prisão de ventre e,
Quando estamos deficientes de enzimas digesti- ainda, consumir grande parte dos micro nutrientes,
vas, não conseguimos reduzir os alimentos a micro antes que eles possam ser absorvidos pelas paredes
nutrientes; nossa digestão fica lenta e difícil e... o
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
que é pior, não extraímos dos alimentos os nutrientes
10
LeGardeur B Y, Lopez S A, Johnson W D. A case-control study of
que nosso corpo necessita absorver. Algumas enzi- serum vitamins A, E and C in lung cancer patients. Nutrition and
Cancer 14:130-140;1990.
mas digestivas são produzidas pelo próprio corpo e 11
Ziegler R G. Vegetables, fruits and carotanoids. Am. J. Clin. Nutr.
outras são encontradas em alguns alimentos. 53:251-259;1991.

29

ManualOncologico OK.p65 29 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

do intestino delgado e colocados na circulação san- Para evitar gases e acidez estomacal, não
güínea. Portanto, devemos cultivar uma flora de lacto- adoce a coalhada com mel ao ingerí-la. Procure
bacilos, para impedir que essas outras bactérias nos acostumar-se ao sabor dela, de preferência, sem
roubem a nossa preciosa nutrição. açúcar... use-a no preparo de molhos para saladas.
Nossa flora intestinal amigável (e não amigável) ♦ Molho de coalhada para saladas: ½ xícara
pode ser destruída pela ação de antibióticos, radiote- de coalhada, uma pitada de sal, umas gotas de
rapia e medicamentos quimioterápicos. Assim, é im- limão e azeite de oliva. Misture bem e use para
portante repor essa flora através da ingestão diária temperar a salada.
de alimentos ricos em lactobacilos.
♦ Outra Receita: 1 pepino japonês lavado e pica-
♦ As melhores fontes de lactobacilos acidófilos do em cubinhos com a casca (que é rica em enzi-
são a coalhada caseira, preparada a partir de fer- mas digestivas e evitam a famosa azia do pepino
mentos lácteos (encontrados em supermercados,
comido sem casca); descasque e pique um pouco
para se fazer queijo) ou a ingestão diária (mais
de nozes ou de castanhas do Pará, acrescente
de uma vez ao dia) de preparados como o “Chami-
uma colher (de sopa) de uvas passas com ou
to” e o “LCI” (também disponíveis nos supermer-
sem sementes, e misture com o molho de coalha-
cados). Existem também lactobacilos acidófilos
da para salada descrito acima. Se não tiver gas-
liofilizados, em cápsulas, de origem estrangeira,
trite, acrescente um dente pequeno de alho es-
que seu médico pode eventualmente recomendar.
premido no amassador de alho. Misture tudo e
O iogurte industrializado não é uma fonte confiá- bom apetite!
vel de lactobacilos, mas é uma boa fonte de cálcio e
proteínas. Mas dê preferência à coalhada caseira! Curiosidade: O soro da coalhada, tomado puro
em jejum, é utilizado há milênios em vários países
♦ Receita de coalhada caseira: Ferva três litros
do Oriente Médio e da Europa Oriental, para dissolver
de leite tipo B, despeje em uma tigela ou pirex
cálculos renais (pedras nos rins).
fundo e deixe esfriar, até aproximadamente a
temperatura de 45°C. Use um termômetro culiná- 2. A Importância de Uma Nutrição Equilibra-
rio ou seu próprio dedo, para testar a temperatu- da: Uma dieta ou nutrição equilibrada e apropriada
ra. No caso do dedo, ao mergulhá-lo no centro às circunstâncias de uma enfermidade, ajuda o orga-
do leite, este deve estar bem quente, sem no nismo a reagir melhor ao tratamento, melhora a dis-
entanto causar queimadura. Retire a camada de posição do paciente e contribui de forma fundamental
nata que se formou com uma escumadeira e para a promoção de uma boa qualidade de vida. Tal
acrescente então o fermento lácteo, na medida dieta deve levar em conta todos os fatores descritos
recomendada pelo fabricante e misture bem. anteriormente, para garantir a ingestão diária de uma
Tampe a panela e enrole-a em papel alumínio e combinação de diferentes alimentos, durante as vá-
uma toalha grossa, para que esfrie muito lenta- rias refeições do dia e deve considerar, também, o
mente. Após umas oito horas (se o tempo estiver problema de absorção dos nutrientes, em função da
frio, aguarde 10 horas), destampe, faça vários flora intestinal12.
cortes em xadrez na coalhada com uma faca e
coloque o vasilhame na geladeira para resfriar. Além disso, a dieta deve ser preparada com base
Isso fará com que o soro acabe de separar da nas condições individuais do próprio paciente – sua
massa do coalho, o qual fica com uma consistên- capacidade de ingerir alimentos sólidos ou não – visto
cia cremosa firme. Lembre-se: se o fermento que alguns remédios quimioterápicos provocam náu-
lácteo for acrescentado ao leite muito quente, a sea, outros intoxicam o fígado ou provocam diarréia,
coalhada ficará ácida; se estiver “morninho”, a
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
produção de lactobacilos será prejudicada. A tem- 12
Block G. Dietary guidelines and the results of food consumption
peratura ideal é entre 50 e 45°C. surveys. Am. J. Clin. Nutr. 53:356-357:1991.

30

ManualOncologico OK.p65 30 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

o que acaba por comprometer tanto a ingestão de cificação dessas gorduras (ricas em vitaminas A
alimentos quanto a sua digestão e absorção. e E, as quais se perdem com a rancidificação)
por ação do oxigênio. Os alimentos gordurosos
É muito importante não sobrecarregar o fígado
já estão rançosos muito antes do cheiro e do
com alimentos ricos em gordura pois, durante o tra-
sabor típicos do ranço apresentarem um gosto
tamento, este órgão que é responsável por mais de
alterado. A toxina que resulta da rancificação das
quinhentas funções bioquímicas vitais (o fígado reali-
gorduras (peróxido de lipídio) ataca o fígado e
za a síntese de colesterol, participa do ciclo de meta-
está ligado a vários problemas hepáticos 13. Por-
bolismo da glicose, produz complementos para a res-
tanto, deve-se manter a manteiga e a mar-
posta imunológica, produz bílis para a digestão, parti-
garina sempre sob refrigeração e dentro
cipa de processos de desintoxicação do sangue, etc.),
de suas embalagens originais, para retar-
será muito solicitado na eliminação de toxinas deriva-
dar esse processo. À mesa, evite deixá-las
das de medicamentos, radiação, processos inflama-
expostas ao ar por mais tempo do que o
tórios, etc. Também é importante ajudar os rins a
necessário para servir-se. Use o mínimo
eliminar toxinas através da urina. Portanto, beba lí-
possível dessas gorduras.
qüidos saudáveis (água, sucos, chás e água de coco
verde) várias vezes ao dia. É preferível comprar quantidades menores
desses produtos - sempre atento às datas de
fabricação e vencimento do produto - do que
2. CUIDADOS NO MANUSEIO E embalagens grandes que ficam várias semanas em
uso. (Independente da data de validade, o processo
PREPARO DE ALIMENTOS
de rancificação das gorduras (peroxidação lipídica)
A forma de manuseio, armazenamento e preparo será acelerado, uma vez que o produto seja coloca-
dos alimentos também é importante, visto que as do em uso.
vitaminas são facilmente degradadas com o cozi- ♦ As vitaminas A e E de óleos e azeites: são
mento ou com a exposição prolongada à luz, ao ar e degradadas quando aquecidas para fritura ou para
às variações climáticas de temperatura. Por exemplo, refogar-se um alimento e também degradam
a vitamina C de sucos, frutas e verduras degrada quando a embalagem (transparente) é guardada
com o cozimento ou com a exposição à luz e ao calor em local exposto à luz. Guarde em um armário
(o mesmo acontece com os suplementos de vitamina ao abrigo da luz e mantenha o frasco sempre tam-
C e medicamentos que contêm essa vitamina nas pado. Nunca reutilize óleos, azeites e gordu-
farmácias e em nossas casas); as vitaminas A e ras vegetais depois de aquecê-las.
E, presentes em óleos, gorduras, leite integral, mar-
♦ Maçãs, pêras e beringelas cortadas também
garinas, queijos, castanhas, nozes, amêndoas e tam-
escurecem rapidamente em contato com o ar
bém em certas frutas (acerola, caju, pupunha, cajá,
pelo mesmo motivo (degradação de vitaminas
cupuaçú, graviola, manga, abacate, mamão, pimen-
em contato com o oxigênio do ar).
tão, tomate) e verduras, reagem com o oxigênio do
ar e são transformadas em toxinas. ♦ Frutas excessivamente maduras ou “machu-
cadas” apresentam pontos escuros causados pelo
Para melhor preservar os nutrientes dos alimen-
processo de podridão vegetal já em andamento e
tos, tome os seguintes cuidados: suas vitaminas também se encontram em degra-
♦ Manteiga, margarina, nata e creme do leite, dação. Prefira as menos maduras (“ao ponto”)
queijos e castanhas ou nozes picadas, em e remova as áreas machucadas (escuras).
contato com o oxigênio do ar, adquirem uma cor
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
amarela mais forte que vai gradualmente escure- 13
Poli G, Albano E, Dianzani M U. The role of lipid peroxidation in
cendo. Isso é uma evidência do processo de ran- liver damage. Chem. Phys. Lipids 45: 412-426; 1987.

31

ManualOncologico OK.p65 31 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

♦ Frutas devem ser consumidas imediatamen- Feijão, lentilha e grão de bico podem ser agitados
te depois de cortadas. Caso contrário, suas vita- dentro de um recipiente com um pouco de água e
minas degradam em contado com o ar e a luz. algumas gotas de detergente ou sabão de coco diluí-
do, sendo enxaguados várias vezes a seguir, antes
♦ Não faça grandes estoques de vegetais
de levados ao fogo para cozimento.
frescos. Compre pequenas quantidades duas ou
três vezes por semana. Se isso for difícil, estoque ♦ Carnes devem ter suas camadas de gordura
vegetais e legumes congelados. Mas não des- retiradas e aves devem ter suas peles e gordu-
congele legumes antes cozê-los. Leve do con- ras removidas antes de serem cozidas ou assadas.
gelador diretamente ao vapor (muito melhor do ♦ Como fonte preferencial de lipídios, coma
que ferver). uma pequena porção diária de castanhas
Cozimento de legumes ao vapor: Não é preci- do Pará; nozes ou amêndoas cruas (seis de
so gastar dinheiro com panelas especiais para cozer uma delas ao dia e descascadas na hora), masti-
legumes e certos vegetais ao vapor. Coloque uma gando-as lentamente e longamente, até se torna-
panela grande (3 litros) com água para ferver. Ao rem uma pasta, antes de engolir, para melhor
levantar fervura, abaixe o fogo, coloque os vegetais absorção de suas vitaminas e enzimas. Consuma
em uma peneira sobre a borda da panela e cubra também trigo, cevada e centeio em grãos inteiros
com a tampa ou papel alumínio. Cozinhe ao vapor em sopas ou pilaf (veja receitas mais adiante) e
o mínimo possível, para preservar ao máximo milho verde cozido.
enzimas e vitaminas.

♦ Frutas e verduras devem ser guardadas sob 3. O QUE DEVE SER EVITADO NA
refrigeração (com exceção das que ainda estão
verdes) ou em local fresco e escuro e não devem
ALIMENTAÇÃO DO PACIENTE
ser estocadas por mais de dois ou três dias, para COM CÂNCER?
melhor preservação de seus nutrientes. Lembre-
O organismo do paciente com câncer encontra-
se de lavá-las muito bem antes de consumir.
se já agredido pela própria doença e pelos diversos
♦ As saladas devem ser preparadas no mo- tratamentos a que foi ou está sendo submetido, tais
mento em que vão ser consumidas e as fo- como cirurgia, quimioterapia, radioterapia, medica-
lhas das verduras, uma vez lavadas cuidadosa- mentos anti-inflamatórios, antibióticos, anestésicos,
mente, não devem permanecer imersas em água antiálgicos, etc. Portanto, poupe o seu fígado e
(com ou sem desinfetantes de verduras ou vina- outros órgãos de agressão extra, evitando a
gre) por mais do que dez ou quinze minutos. ingestão de certos alimentos, conforme descri-
to a seguir:
Para remover inseticidas agrícolas das cas-
cas: Um outro problema é a película de inseticidas ♦ Ingestão de frituras, leite gordo, queijos cu-
que adere às cascas de tomates, maçãs, pepinos, rados ou envelhecidos, carnes gordurosas,
feijão, lentilha, etc. A simples lavagem com água massas ricas em gordura e doces fritos ou
não remove esses venenos cancerígenos. No caso ricos em gorduras- empadinhas e tortas feitas
de tomates e de outras frutas como a maçã, pêra, com a tradicional massa podre - mistura de man-
pêssego, berinjela e o pepino japonês) que se conso- teiga ou margarina com farinha de trigo ou farelo
me com a casca (de preferência, por causa de vitami- de biscoitos devem ser evitadas, devido à ranci-
nas, enzimas e fibras de celulose), deve-se lavá-las ficação progressiva das gorduras e à digestão
cuidadosamente com uma esponja macia e sabão difícil desses alimentos. Óleos e gorduras aqueci-
de coco, enxaguando-as completamente, antes de dos para fritura ou refogados são transforma-
ingeri-las ou (no caso de berinjelas), cozinhá-las. dos em toxinas que sobrecarregam o fígado, ran-

32

ManualOncologico OK.p65 32 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

cificam o colesterol e outros tipos de gorduras níveis de açúcar no sangue e no cérebro, baixa
presentes nos próprios alimentos fritos ou refo- o nível de magnésio, vitaminas do complexo B e
gados, dificultando a sua digestão. A dieta rica intoxica o fígado. Os sucos e bebidas artificiais
em gorduras encontra-se associada a di- contêm uma combinação de corantes químicos
versos tipos de cânceres, tais como mama, em sua composição – entre eles, geralmente a
14
próstata, testículos , fígado e câncer de tartrazina, que impede a absorção de várias vita-
cólon – entre outros – segundo diversos minas B que são importantes para o cérebro e
estudos científicos15; para muitas outras funções vitais.

♦ Alimentos enlatados – devido à presença de ♦ Refrigerantes do tipo cola contêm formal-


produtos químicos, tais como alguns conservantes deído e corantes tóxicos, segundo estudos reali-
e corantes, muitos deles tóxicos para as células zados pela Universidade da Califórnia em Berke-
do fígado; ley21. Além disso, o gás dos refrigerantes causa
gases e sensação de “estufamento” abdominal.
♦ Evite o amendoim e seus derivados, pois
Os refrigerantes dietéticos, geralmente con-
grande parte dos estoques de amendoim do Bra-
têm sacarina, que também é tóxica para o fíga-
sil e de outros países em desenvolvimento16,17 não
do22. Um copo de 250 ml de refrigerante não
passa nos testes para detecção de aflatoxina
dietético contém até mais de 200 vezes a quan-
ou micotoxina B1. Esses testes são obrigatórios
tidade de açúcar presente no corpo. O impacto
para a aprovação de exportação desses produtos
de todo esse açúcar no sangue faz com que o
para países desenvolvidos, onde o controle destes
pâncreas libere níveis altíssimos de insulina, o
potenciais carcinogênicos é rigoroso 18. O mesmo
que é seguido por uma queda rápida dos níveis
vale para os grãos de milho maduro e suas
de glicose no sangue e a compulsão de consumir
farinhas (fubá e farofa de milho em flocos).
mais açúcar. Enfim, esse excesso de açúcar dos
Prefira o milho verde cozido e utilize-o em pratos
refrigerantes desequilibra o metabolismo do pân-
doces ou salgados. Pães de grãos integrais
creas, que é uma glândula muito importante para
devem ser consumidos frescos para evitar o
o processo de digestão de alimentos (fabrica a
desenvolvimento de mofo (contaminação por fun-
enzima digestiva pancreatina) e para a absor-
go do gênero Aspergillus), que é uma fonte de
ção da glicose pela musculatura (síntese do
micotoxina B1.
glicogênio).
♦ Lingüiças, salsichas, frios e carnes defuma-
das – contém produtos químicos corantes e con- ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

14
servantes comprovadamente cancerígenos (nitro- Sigurdson AJ, Chang S, Annegers JF, Duphorne CM, Pillow PC,
Amato RJ, Hutchinson LP, Sweeney AM, Strom SS. A case-control
saminas, hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, study of diet and testicular carcinoma. Nutrition and Cancer 34(1):
20-26; 1999.
carbo-hidroxilas) 19 . 15
Stoll BA. Oncology Department, St. Thomas’Hospital, U.K. Breast
cancer and the western diet: role of fatty acids and antioxidants
♦ Churrasco – os resíduos de carbono da fumaça 16
vitamins. Eur J Cancer 34(12): 1852-6;Nov.; 1998.
Omer RE, Idris MO, Kadaru AMY, Bakker MI, van’t Veer P, Alink
penetram nas carnes e formam um poderoso car- FJ, Hoogenboom RLAO, Polman THG. Aflatoxin and liver cancer in
Sudan. Nutrition and Cancer 32(3): 174-180, 1998.
cinogênico denominado dimetilnitrosamina 20 . 17
Kuiper-Goodman T. Mycotoxins: risk assessment and legislation.
Toxicol Lett 82-83: 853-9; Dec. 1995.
Além disso, as gorduras das carnes expostas ao 18
Toxicants Occurring Naturally in Foods. Washington, D.C.: National
calor e ao oxigênio, formam toda uma família de Academy of Sciences, 1973. P. 400.
19
Linder MC. Nutritional Biochemistry and Metabolism. New York:
substâncias tóxicas que agridem até mesmo o Elsevier, 1985, p. 252.
DNA das células. 20
Zapsalis, C. and R. A. Beck. Food Chemistry and Nutritional Bio-
chemistry. New York: John Wiley & Sons, 1985, p. 1061.


21
Ames, Bruce N. “Ranking possible carcinogenic hazards.” Science,
Bebidas alcoólicas, sucos artificiais - o álcool 1987; 236: 272-273.
é uma substância tóxica que interfere com os 22
Ames BN. “Dietary carcinogens”. Science, 1983; 221: 1257.

33

ManualOncologico OK.p65 33 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Muitos dos refrigerantes dietéticos (light) mente bombardeadas por ondas eletromagnéti-
contêm sacarina e/ou ciclamatos, que também cas de alta freqüência e curta amplitude (daí o
são tóxicos para o fígado e, no caso do ciclama- nome “microondas”) que agitam os átomos das
to, carcinogênico. (Estudos demonstram que a sa- moléculas que compõem as células dos alimen-
carina, consumida em alta quantidade, também pode tos, para gerar o calor que os aquece ou cozinha
induzir câncer pancreático e de bexiga 23,24 e uma dose em poucos segundos. Neste processo, todas as
limite já foi estabelecida. Muitas pessoas consomem enzimas são destruídas, bem como as vitaminas
refrigerantes dietéticos diariamente no lugar de água – a despeito da propaganda dos fabricantes....
e sucos ou, ainda, adoçam chás, cafezinhos e sucos
caseiros com adoçantes a base de sacarina e cicla-
mato, o que pode levá-las a acumular níveis tóxicos 4. ENTÃO, O QUE COMER?
destas duas substâncias no organismo).
O organismo do paciente oncológico precisa de
♦ Água com gás - deve ser evitada porque provo- uma alimentação realmente saudável e livre de carci-
ca e/ou aumenta o desconforto causado pelo nogênicos adicionais, presentes nos alimentos men-
acúmulo de gases no estômago e nos intestinos. cionados acima – seja devido à forma de seu preparo
♦ Café e chá preto - devem ser evitados por dois ou de sua fabricação. Em linhas gerais devemos con-
motivos: são irritantes gástricos e ricos em cafeí- siderar as seguintes situações:
na, que varre o cálcio para fora dos ossos, elimi-
A) Paciente que consegue alimentar-se
na potássio e zinco do corpo. Use café descafei-
normalmente: este grupo de pacientes deve ali-
nado (encontra-se em supermercados).
mentar-se com uma dieta variada e balanceada, que
Lembre-se: Nem tudo o que é “natural” é saudá- inclua, diariamente:
vel. Tome cuidado com os chás medicinais populares.
♦ Dois ou mais tipos de fruta ao dia e pelo me-
Muitas ervas contêm fortes toxinas que elas próprias
nos cinco tipos de fruta diferentes por se-
produzem para defender-se de pragas que as ata-
mana, tais como figo, pêssego, banana, mamão,
cam. É o caso do confrei, que foi muito utilizado por
laranja-lima, lima da pérsia, tangerina-ponkã,
naturalistas em forma de chá, que contém dois alca-
manga, ameixa, kiwi, acerola, pitanga, etc.
lóides (pirrolizidinas): sinfitina e singlandina, que cau-
sam tumores malignos no fígado de animais, em estu- ♦ Coalhada caseira, iogurte (e LCI ou Chami-
dos de laboratório . 25 to), para manter uma absorção nutricional.

♦ Condimentos fortes e irritantes - podem ♦ Levedura de cerveja em pó e germe de trigo


agravar eventuais gastrites decorrentes de medi- que são ricos em vitaminas do complexo B e são
camentos. Além disso, alguns condimentos são uma fonte da enzima glutationa – um protetor
altamente tóxicos e cancerígenos, como é o caso das células contra a intoxicação. Podem e devem
da mostarda e da raiz forte. Sal em excesso e ser acrescentados às vitaminas de fruta (frutas
pimenta do reino também favorecem o desenvol- batidas no liqüidificador com suco de laranja lima
vimento de tumores do trato gastrointestinal. ou leite magro) e às sopas.

♦ Adoçantes artificiais ou alimentos dieté- ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

ticos contendo sacarina e ciclamatos: 23


Byard J.L. Metabolism of food toxicants: saccharin and aflatoxin B 1,
a contrast in metabolism and toxicity. Adv Exp Med Biol 177: 147-
ambas estas substâncias são tóxicas e alguns 51: 1984.
24
Garland E. M., Cohen S.M. Dpt. Of Pathology and Microbiology,
estudos indicam que podem produzir câncer 23. University of Nebraska Medical Center, Omaha, USA. Saccharin-
induced bladder cancer in rats. Prog Clin Biol Res 391: 237-43;1995.
♦ Evite o microondas: no microondas, as células 25
Ridker, P.M. et al. “Hepatic venocclusive disease associated with
the consumption of pyrrolisidine-containing dietary supplements.”
dos alimentos (vegetais ou carnes) são intensa- Gastroenterology, 1985; 88: 1050-1054.

34

ManualOncologico OK.p65 34 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

♦ Grãos integrais (arroz, trigo, cevada, etc.), me de leite, chocolate em excesso e massas fo-
ricos em sais minerais, algumas vitaminas do com- lhadas ou doces fritos (Donuts, sonhos, pingos de
plexo B, alguns aminoácidos essenciais e fibras. chuva, rabanada, pretzel que, embora assado, é
depois mergulhado em manteiga derretida; etc.).
♦ Castanha do Pará, nozes, amêndoas (cruas
e descascadas na hora de consumir, como Dê preferência às compotas caseiras de fru-
fonte de proteínas (aminoácidos essenciais) e vi- tas, frutas cristalizadas, frutas secas, bolo de cenou-
tamina E, a qual é muito importante tanto na ra, bolo de banana e madalenas. Porém, sem exces-
prevenção quanto como adjuvante em tratamen- sos... sempre! Uma porção moderada de doce ao
tos de combate ao câncer26. dia, após o jantar, é o ideal.
♦ Porções moderadas de peixe ou frango ou ♦ Mel de abelhas e geleia real, são fontes de
carne – crus (sashimi, sushi ou quibe cru) ricos glicose de fácil absorção e, no caso da geleia
em enzimas, proteínas e vitaminas - ou assados real, rica em vitamina E. No caso de intestino
ou cozidos como fonte de proteína. preso, uma colher (de sopa) de mel de abelhas
♦ Uma variedade de verduras e legumes, tais misturado a um copo de água tomado todas as
como tomate, couve, alface de diversos tipos, manhãs, em jejum (aguarde 20 minutos antes
almeirão, rúcula, agrião, cebola, salsão, cheiro de ingerir outro alimento), é um ótimo hidratante
verde, chicória, acelga, brócolis, cenoura e beter- intestinal.
raba (as duas últimas, cruas e raladas na hora
♦ Chá verde (Green Tea) chinês ou japonês
de consumir), preferencialmente em forma de
(não confundir com Ban Chá) pode e deve
salada crua, para melhor aproveitar essa fonte
ser tomado várias vezes ao dia, pois é rico em
de enzimas, vitaminas e sais minerais.
uma família de substâncias polifenólicas que têm
♦ Cozinhe levemente no vapor ou ferva o mí- demonstrado certa capacidade de impedir metás-
nimo possível outros legumes, como a vagem, tases e inibir o crescimento de tumores em al-
ervilha torta, chicória, etc. Não frite beringelas, guns tipos de cânceres. Preparar o chá na hora
prepare-as cozidas ou assadas. em que se vai tomar, para evitar oxidação.
♦ Ricota e queijo magro fresco é preferível ao ♦ Feijão soja, tofú (queijo de soja), missô (pas-
próprio leite - seja gordo ou desnatado – como ta de soja para preparo de sopas e caldos),
fonte adicional de proteína e de cálcio, sendo de leite em pó de soja, etc. Faça um esforço para
digestão mais fácil do que a carne bovina e o incluí-los em sua alimentação, pois além de exce-
frango. lente fonte de aminoácidos essenciais, são ricos
♦ Se tolerada e na ausência de gastrite, um em genisteína que, segundo estudos recentes, pos-
pouco de cebola crua na salada é recomendável. sui propriedades anti-tumorais.
Alho e cebola, se apreciados, podem ser incluídos ♦ Sucos de frutas e de legumes preparados na
na dieta, sob a forma de tempero de vários pra-
hora em que se vai beber.
tos (O alho esmagado no tempero de carnes que
se vai assar e a cebola, cortada em gomos, ♦ Água de coco verde é hidratante e rico em sais
acrescentada ao pirex do assado nos últimos dez minerais e outros nutrientes importantes, inclusi-
minutos de forno). ve lipídios. Mas deve ser tomado imediatamente
após sua extração, pois oxida (é agredido pelo
♦ Doces, na ausência de diabetes ou hipogli-
oxigênio) com facilidade em contato com o ar.
cemia, podem ser consumidos com moderação,
evitando-se aqueles ricos em gordura, tais ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

como biscoitos amanteigados ou com recheio arti- 26


Yu W, Simmons-Menchaca M, Gapor A, Sanders B G, Kl ine, K.
Induction of apoptosis in human breast cancer cells by tocopherols
ficial, sorvetes cremosos (ricos em gordura), cre- and tocotrienols. Nutrition and Cancer 33(1): 26-32, 1999.

35

ManualOncologico OK.p65 35 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

♦ Suco de couve com laranja lima preparado ♦ acrescentar uma ou duas colheres de fari-
na hora – bata no liquidificador com água e coe, nha de soja e três ou quatro de germe de
ou faça na centrífuga – um copo pela manhã. trigo em sopas, massa de bolos ou massa de
tortas (a soja e o germe de trigo são ricos em
♦ Suplementos alimentares: Existem nos su-
permercados suplementos alimentares de aminoácidos essenciais);

fácil digestão, como Sustain, Sustagen, Susta- ♦ guardar na geladeira a água em que cozi-
cal (não confundir com as fórmulas para emagre- nhou os legumes do almoço para utilizar no
cimento como o Diet Shake), contendo todas as preparo de molhos e sopas no jantar (este caldo
vitaminas, aminoácidos essenciais e minerais, é rico em sais minerais);
que podem enriquecer a dieta, sendo consumidos
♦ ingerir pelo menos uma colher de sopa de mel
diluídos em água (fria) ou batidos no liqüidificador
puro de abelhas ao dia, pois é uma fonte de
junto com frutas (banana, maçã, mamão, beter-
glicose de fácil absorção (seu fígado agradecerá);
raba) no café da manhã, lanche da tarde e antes
de deitar-se. Eles vêm nos sabores baunilha, cho- ♦ acrescentar uma colher (de chá) de levedu-
colate, morango e coco. Lembre-se: embora os ra de cerveja em pó às vitaminas de fruta todos
fabricantes afirmem nas embalagens que você os dias (ótima fonte de vitaminas B e da enzima
pode diluí-los em água quente, não o faça! Pois glutationa);
isso destruirá a maior parte das vitaminas do
♦ comer mais de um tipo de fruta a cada dia
produto.
e mais de quatro tipos de fruta por semana;
No caso de anemia decorrente da doença ou do
♦ beber água de coco verde, (extraída na ho-
tratamento - ou para preveni-la - experimente a se-
ra) que é rica em alguns sais minerais importan-
guinte receita, duas vezes ao dia:
tes e lipídios;
Coloque no liqüidificador: uma banana maçã
♦ experimentar um leite de soja que já vem
ou prata pequena, metade de uma beterraba grande
pronto em caixinha longa vida – Natural e
(ou uma beterraba pequena) crua e sem casca, me-
com sabores de frutas – Você encontra em super-
tade de uma cenoura grande (ou uma pequena) crua
mercados grandes, é da ADES. Lembre-se que a
e sem casca, 1 copo de suco (300 ml) de laranja-
soja é rica em aminoácidos essenciais (aqueles
lima (que não é ácida), 1 colher (de sopa) de germe
que nosso corpo não consegue fabricar) e contém
de trigo, uma colher (de sopa) de aveia e uma colher
uma substância chamada genisteína, que inibe o
(de chá) de levedo de cerveja em pó. (Acrescente
crescimento de tumores mamários, câncer de
duas colheres (de sopa) de um dos suplementos ali-
pulmão de não pequenas células e suas metás-
mentares citados acima, se o desejar). Bata tudo e
tases, segundo estudos recentes 27;
beba a seguir.
♦ comer sushi, sashimi e/ou quibe cru pelo
Lembre-se de:
menos duas vezes ao mês/ou gemada uma vez
♦ mastigar muito bem antes de engolir os ali- por semana para garantir um bom suplemento de
mentos (a digestão começa na boca), comer de- enzimas (além de outros nutrientes importantes);
vagar e com tranqüilidade e evitar assun-
♦ comer peixe de todos os tipos (fresco ou resfria-
tos irritantes ou desagradáveis durante as
refeições; do de dois dias no máximo) pelo menos duas
vezes por semana;
♦ utilizar o trigo em grão integral, a cevada
e o centeio, bem cozidos, para enriquecer sopas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

cremosas ou sopas com pedaços de legumes ou 27


Lian F, Li Y, Bhuiyan M, Sarkar F. p-53-independent apoptosis induced
by genistein in lung cancer cells. Nutrition and Cancer 33(2): 125-
para o preparo de pilaf (ver receita abaixo); 131, 1999. © Lawrence Erlbaum Ass. Inc.

36

ManualOncologico OK.p65 36 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

♦ evitar os alimentos listados como impróprios dia para o outro. Cozinhe sob pressão por 45 minu-
para você, no início deste capítulo; tos, com 2/3 da panela com água filtrada. Reserve.
Em uma panela grande, coloque para cozinhar uma
♦ que a má alimentação ou alimentação inade-
mistura de aproximadamente ½ quilo dos seguintes
quada, a carência de alguns nutrientes
vegetais picados: cenoura, abóbora vermelha, va-
essenciais e a desnutrição são as maiores
gem, alho porró, mandioquinha, beterraba e ervilha
aliadas de qualquer doença – portanto, suas
fresca. Acrescente água e deixe ferver por 15 minutos
piores inimigas neste momento.
e, a seguir, acrescente o trigo (ou o cereal escolhi-
O Pilaf: pilaf é um prato básico que pode ser do), sal e uma colher (de chá) de gengibre em pó.
preparado com uma variedade de cereais (arroz, Deixe em fogo brando por mais 5 minutos ou até
trigo, cevada, etc., em combinação com carne de levantar fervura, mexendo de vez em quando. Desli-
frango desfiada - ou sem frango, para acompanhar gue o fogo e acrescente um pouco de salsinha e
outro tipo de carne ou frutos do mar. Substitui o arroz cebolinha (cheiro verde) lavados e picados. Se dese-
e feijão com vantagens, quando é feito com grãos jar, acrescente azeite de oliva no próprio prato.
integrais, por ser muito mais fácil de digerir, não
Sopa que recupera as nossas forças: ½ ma-
provocar gases e, ainda, estimular o bom funciona-
ço de rúcula, ¼ de kilo de inhame, uma beterraba,
mento do intestino. Do ponto de vista nutricional, é duas cenoura, uma espiga de milho debulhado, um
muito mais rico em nutrientes, tais como, vitaminas talo de aipo, 3 galhos de sala, 12 folhas de alfafa, 2
do complexo B, aminoácidos essenciais, sais minerais mandioquinha, 3 folhas de couve, um dente de alho,
e fibras vegetais. ½ cebola, ½ xícara de feijão azuki, 50 gramas de
Pilaf de grãos integrais com frango: cozinhe carne de vaca, dois rabanetes, 2 galhos de espinafre,
separadamente: 1 peito de frango sem pele e sem uma colher de sopa de shoyo, ½ colher de óleo de
gordura (com um pouco de sal); também em separa- semente de girassol, sal moderado. Cozinhe tudo
do, cozinhe uma xícara de grãos inteiros de trigo junto, espere esfriar e bata no liquidificador. OBS.:
tome esta sopa três vezes por semana no mínimo.
integral (que ficou de molho em água filtrada desde
a véspera); uma xícara de cevada (que também ficou Receita de caldo de missô com tofú: Missô é
de molho desde a véspera) e 1 xícara de arroz inte- uma pasta salgada feita com a polpa do grão de
gral (prefira o tipo cateto, grãos curtos e arredonda- soja, que é utilizado de diversas formas na cozinha
dos em vez do tipo agulhinha). Coloque um pouco japonesa. Missô e tofú (queijo de soja) são facilmen-
de sal em cada um dos cereais durante o cozimento. te encontrado em casas de produtos japoneses, al-
Uma vez bem cozidos, escorra a água (que pode ser guns supermercados e casas de produtos naturais.
guardada na geladeira para o preparo de sopas) e A forma mais conhecida e apreciada por brasileiros
desfie a carne de frango. Lave e pique cheiro verde é a seguinte:
a gosto. Em uma panela, acrescente todos os ingre- Caldo de missô: Corte uma fatia de tofú em
dientes, coloque uma pitada de canela em pó, 1 co- cubinhos. Lave e pique uma haste de cebolinha verde
lher (de sobremesa) de sementes de gergelim e um (pode-se acrescentar um ramo de salsinha também.
pouco de azeite de oliva ou de óleo vegetal (milho Em uma caneca ou tigelinha, coloque uma colher
ou soja, etc.) e misture bem. Leve a panela ao o (chá) de missô e misture bem com a cebolinha e
fogo e revolva a mistura por cerca de 10 minutos, salsinha picadas. Acrescente água filtrada bem quen-
servindo a seguir. te (quase fervendo) e misture, até dissolver a pasta
de missô completamente. Acrescente os cubinhos
Sopa de legumes com grãos: 2 xícaras de
de tofú e sirva.
grãos de trigo inteiros e/ou de cevada (o trigo inteiro
pode ser encontrado em casas de produtos japoneses Receita de arroz integral: 1 xícara de arroz
e lojas de produtos naturais). Deixe de molho de um cateto integral, bem escolhido e lavado e 1 copo e

37

ManualOncologico OK.p65 37 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

meio de água. Coloque para cozinhar. Quando levan- familiar no preparo da dieta ou, no caso de tratamento
tar fervura, acrescente sal a gosto e reduza o fogo com enfermagem domiciliar coberta pelo plano de
ao mínimo, deixando cozinhar em panela tampada saúde do paciente, a enfermeira receberá, também,
por 40 minutos ou até a água secar. Experimente. a orientação da nutricionista, juntamente com o fami-
Se ainda estiver um pouco duro, acrescente um míni- liar. Suplementos nutricionais contendo vitaminas,
mo de água e tampe a panela por mais um ou dois aminoácidos essenciais e sais minerais, podem ser
minutos. Não refogue nem acrescente óleo à panela. administrados pela sonda, quando o grau de desnutri-
ção do paciente é grave, por orientação da(o) nutricio-
Arroz integral de forno com banana da ter-
nista ou médico.
ra: prepare o arroz integral como indicado acima e
reserve. Acenda o forno para ir aquecendo e, en- D) Paciente sem função gastrointestinal
quanto isso, corte uma ou duas bananas da terra normal ou anatomica-mente bloqueadas: a nu-
em fatias finas e longas (de comprido e não em rode- trição deve ser feita por via parenteral: ou seja, a
las) e reserve. Coloque o arroz em uma tigela e mis- administração de nutrientes através de um catéter,
ture com um ovo cru batido com a clara, meia xícara diretamente na circulação sangüínea.
de cheiro verde picado, 5 azeitonas sem caroço pica-
das, uma colher (sobremesa) de azeite de oliva ou
óleo e misture bem. Unte com um pouco de marga-
5. INDISPOSIÇÃO GÁSTRICA
rina um pirex e coloque uma camada de arroz, outra DEVIDO À QUIMIOTERAPIA
de fatias de banana, outra de arroz e assim por dian-
Seguem abaixo algumas orientações para melho-
te, terminando com uma camada de arroz. Enfeite
rar ou evitar alguns dos efeitos colaterais de algumas
com azeitonas e fatias de tomate. Cubra o pirex com
medicações:
uma folha de alumínio e leve ao forno pré- aquecido
por 20 minutos com a chama do forno no mínimo. 01) Faça sua refeições em pequenas quantida-
Caso o arroz tenha sido cozido com muita antece- des, várias vezes ao dia (A cada duas horas,
dência e esteja gelado, aumente para 30 minutos o por exemplo).
tempo de forno. 02) Evite líquidos durante as refeições, tome-
B) Paciente com dificuldade de engolir ou os apenas antes e no final delas ou no intervalo
mastigar: Os alimentos devem ser processados (em entre elas.
liqüidificador, peneira ou multiprocessador) em forma 03) Evite excessos de doces e pelas razões já ex-
de creme, purês ou sucos. No entanto, procurar man- postas, não coma frituras, comidas e doces
ter a mesma variedade de alimentos na dieta, como gordurosos ou excessivamente temperadas e
descrita no item anterior, para garantir uma oferta de condimentadas.
todos os micro nutrientes necessários ao organismo.
04) Mastigue bem os alimentos e coma vaga-
C) Pacientes impossibilitados temporaria- rosamente.
mente de alimentar-se por via oral (devido a
05) Esteja atento ao tipo de alimento que você
cirurgia, disfagia, anorexia, obstrução esofágica
digere com maior facilidade.
ou inconsciência): se as funções digestivas e de
absorção nutricional estão preservadas, o ideal é a 06) Evite comer alimentos “pesados” antes do
colocação de uma sonda nasogástrica (ou nasoente- início do tratamento quimioterápico (prefe-
rencialmente 3h antes). Porém, não fique em
ral), através da qual uma dieta liqüefeita cremosa é
jejum, mas faça refeições leves.
ministrada lentamente. Quando o paciente está inter-
nado, o hospital provê esta dieta para sonda naso- 07) Evite locais com odores que incomodam,
gástrica. Se o paciente se encontra em sua casa, o como cigarros, frituras, perfumes, produtos de
médico indicará uma nutricionista para orientar um limpeza, etc.

38

ManualOncologico OK.p65 38 24/11/2005, 15:06


O que você precisa saber sobre alimentação • Parte III

08) Evite deitar-se logo após as refeições; aguar- ♦ Caso o desconforto por gases seja inten-
de no mínimo duas horas. Se possível, faça uma so e persista, fale com seu médico.
pequena caminhada, sem pressa, logo após as
♦ No caso de diarréia, acrescente à suas re-
refeições.
feições alimentos ricos em potássio (um mi-
09) Se sentir enjôo (náuseas) durante a quimio- neral importante para o funcionamento de
terapia ou logo após o término da aplicação, seu organismo, que se perde nesta situação),
respire fundo pela boca e avise a equipe de consuma tomate sem casca, banana e, se
enfermagem. não estiver com gastrite, abacaxi. (Mas não
10) Algumas pessoas sentem-se enjoadas só em todos na mesma refeição). Consuma muito
pensar no tratamento. Tente distrair-se com liqüido, como suco de melão, de melancia,
revistas, música ou assistindo televisão. água de coco verde, suco de maçã (feito na
hora e com umas gotinhas de limão para
11) Em caso de diarréia ou cólicas intestinais
evitar a oxidação da polpa da maçã (que fica
durante as semanas de tratamento, siga estas
amarelada e depois escurece, quando oxida).
orientações:
No preparo de purê de maçã, faça o mesmo
♦ Faça uma dieta com alimentos de fácil diges- (gotinhas de limão). Não tome sucos de maçã
tão: frutas (pêra, maçã, banana-maçã), sucos industrializados, pois já vêm oxidados e sem
naturais, sopas de legumes com pedacinhos valor nutritivo.
de músculo bovino.
♦ No caso de diarréia (com ausência de
♦ Tome bastante líqüido: água, chás de ervas
gastrite) o suco de limão pode ser muito útil,
(camomila, hortelã, erva cidreira) adoçado
porque é rico em sais minerais, vitamina C e
com mel de abelhas ou chá verde, água de
pectina (uma substância natural que comba-
coco verde e sucos. Mas não adoce os chás,
te bactérias nocivas na flora intestinal). Acero-
para evitar mais gases.
la é também uma fonte rica de vitaminas C, A
♦ No caso de cólicas sem diarréia, evite ali- e pectina. Maçã com casca é rica em pectina
mentos que causam flatulência (gases): feijão, e vitamina A. A água de coco verde é um ótimo
lentilha, ervilha, repolho, couve-flor, mandioca, reidratante, compensando a perda de água e
mandioquinha, brócolis, batatas, café e ali- minerais causada pela diarréia.
mentos condimentados. Alface e banana inge-
♦ Evite leite e seus derivados pelo tempo em
ridos na mesma refeição também causam ga-
que persistir a diarréia.
ses. Mas podem ser consumidos em horários
diferentes do dia (a banana no café da manhã ♦ Caso a diarréia continue por mais de 24h
e uma salada de alface, beterraba crua ralada procure orientação médica. Não tome re-
e cenoura ralada no almoço, por exemplo.) médios sem autorização de seu médico res-
Saladas de frutas, onde se misturam frutas ponsável.
doces (banana, mamão, pêra) e frutas cítricas
12) No caso de obstipação (prisão de ventre),
(laranja, tangerina, abacaxi) favorecem a fer-
siga estas orientações:
mentação desses ingredientes no estômago
e no intestino e produzem gases (Além de per- ♦ Tome bastante líquidos. Uma colher de sopa
derem rapidamente suas vitaminas, antes de de mel de abelhas, diluído em um copo de
serem consumidas.) água, tomada todas as manhãs em jejum, é
um excelente hidratante do intestino.
♦ Evite adoçar o iogurte ou coalhada com
mel ou açúcar, para não agravar cólicas de- ♦ Inclua na sua dieta alimentos ricos em fibras:
correntes de acúmulo de gases. vegetais, cereais integrais e frutas.

39

ManualOncologico OK.p65 39 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

♦ Mantenha, se possível, um nível normal de ♦ Se estiver sentindo dor, procure orientações


atividade ou exercícios. Uma caminhada tran- médica.
qüila costuma estimular a movimentação dos
♦ Se os seus lábios estiverem ressecados, pro-
intestinos (movimentos peristálticos).
cure orientação do médico ou da enfermagem
♦ Caso a obstipação torne-se crônica, procure para as medidas mais acertadas. Sendo mu-
seu médico responsável. Não tome remédios lher, acentue os seus traços com maquiagem
sem a devida prescrição. e lembre-se que um sorriso franco muitas ve-
zes muda o foco de atenção de seu interlocutor.
13) Caso sinta dificuldade em deglutir (engolir
líquidos ou alimentos) tente alimentar-se com 15) Alguns medicamentos afetam o crescimento dos
alimentos pastosos ou liqüefeitos (sopas cremo- cabelos, pêlos do corpo e unhas, na maioria
sas, suco de legumes, purês de legumes ou fru- das vezes, de maneira temporária – se a medi-
tas) e informe seu médico. cação que você receber causar um destes efei-
tos, o médico ou a enfermeira podem lhe prestar
14) Na ocorrência de estomatite (aftas) em
maiores esclarecimentos. No caso de alopécia
sua boca:
(queda dos cabelos), existem endereços de lo-
♦ Evite alimentos ácidos: laranja, limão, abaca- cais onde poderão ser encontrados perucas ou
xi, tomates, molhos de tomate e café. chapéus. Lembre-se: a perda dos cabelos é
♦ Evite sal em excesso e alimentos muito tem- temporária (na grande maioria das vezes), sen-
perados. do, portanto, necessário algum tempo para se
ajustar à nova situação.
♦ Mantenha sua boca e gengivas limpas, com
o uso de escovas macias (existem escovas 16) No caso de algum sangramento intestinal,
especiais para essa finalidade, pergunte ao urinário, nasal ou nas gengivas, comunique
seu médico ou à enfermagem), não use agen- seu médico, o mais rápido possível.
tes abrasivos (creme dental ou colutório), 17) Alguns medicamentos (remédios), podem alte-
faça bochechos com água bicarbonatada: uma rar a cor da sua urina. Se isto ocorrer, aumente
colher (de café) de bicarbonato de sódio diluí- a ingestão de líquidos e converse com a enfer-
da (misturada) em um copo de água em tem- meira do ambulatório.
peratura ambiente (nem quente nem fria)
três vezes ao dia e após as refeições. Caso
não consiga escovar os dentes, faça um bo-
checho com Periogard diluído para higieni-
zação bucal.

40

ManualOncologico OK.p65 40 24/11/2005, 15:06


arte IV
PParte IV
O QUE É QUALIDADE DE VIDA?

1. INTRODUÇÃO Quando foi a última vez que:

♦ Você parou para apreciar a chuva e sentir o


Alguns aspectos importantes de nossa vida aca-
cheiro de terra seca recebendo água? Ou admi-
bam esquecidos ou não recebem a devida atenção,
rou um arco íris?
devido à rotina em que caímos, às pressões de traba-
lho e à nossa inabilidade em administrar bem o nosso ♦ Percebeu a beleza de uma árvore em flor no
tempo e avaliar periodicamente os rumos que esta- caminho para o seu trabalho?
mos dando à nossa existência. Vale lembrar que inva- ♦ Sorriu para um estranho que passou por você?
riavelmente estamos tentando mudar algo dentro e
♦ Disse um “bom dia” sorridente para alguém?
fora de nós que nos aprisiona e endurece nossa
alma, fingimos que já passou ou buscamos saídas ♦ Cantou no chuveiro?
mágicas que nem sempre nos livra das pressões e
♦ Saiu para dançar?
frustrações. Mudanças exigem um novo plano de vôo
que nos libere dos condicionamentos com recursos ♦ Olhou as luzes do amanhecer ou sentou-se
psíquicos que vão além do esperado conselho e re- para contemplar um por de sol?
ceita mágica. Mudar dói por dentro e por fora, mas ♦ Respirou fundo o perfume de uma flor?
liberta e indica o caminho do auto-conhecimento.
♦ Sentou-se em silêncio junto ao mar e ouviu
Efeitos Colaterais de Uma Vida, as ondas murmurando em seu vai e vem?
Graça Marques,
Ed. Inteligentes – Cultura ♦ Olhou para as estrelas e tentou adivinhar as
constelações?
Alguns desses aspectos importantes, dizem res- ♦ Deitou-se em um gramado ou em uma pedra
peito aos nossos relacionamentos familiares e/ou no meio do pasto e olhou as nuvens passando
pessoais; outros, aos objetivos e ideais que um dia contra o fundo azul do céu?
aqueceram nossos corações e iluminaram nossas
♦ Desligou o televisor quando um amigo chegou
mentes e que, por uma ou outra razão, foram esque-
para vê-lo?
cidos, abandonados ou enterrados sob uma camada
de desilusões, cinismo, amargura e mecanismos de ♦ Ouviu uma melodia serena e bela?
autodefesa que construímos contra novas desilusões. ♦ Relaxou e respirou conscientemente, embalan-
Mas em algum lugar, no fundo de nós mesmos, a do-se na “maré” da respiração, simplesmente
matéria prima de que são feitos esses sonhos e sendo...?
ideais espera por uma nova oportunidade de iluminar
♦ Abraçou as pessoas que você ama?
a nossa vida e espantar o frio e a névoa do desencan-
to. Além disso, cada dia traz consigo seus próprios ♦ Disse “obrigado” pelo carinho ou dedicação
encantos. Mas a automatização de nossa rotina diária dos que amam você (familiares e amigos) e
nos tornou cegos e surdos a eles... e assim, nos que há anos contribuem para o seu conforto
brutalizamos. físico e bem estar emocional?

41

ManualOncologico OK.p65 41 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

♦ Disse “por favor” e “obrigado” a um subordinado? podem assumir compromissos com a sua própria
consciência e o Outro.
♦ Agradeceu à Vida (ou a Deus) pelas boas pe-
quenas e grandes coisas e pessoas que a exis- Ser feliz é amar e apreciar as pequenas coisas
tência lhe proporcionou? que cada dia nos oferece. Ser feliz é gostar do que
se tem e desejar dar o seu melhor ao seu próximo.
♦ Percebeu que algumas das coisas mais impor-
tantes da existência não podem ser compra- Ser feliz é saber contemplar a natureza e nascer
das? Amor Verdadeiro, Amizade Sincera, Com- do sol sempre que possível, é lembrar que há alguém
preensão Amorosa, Lealdade, Integridade de em algum lugar pensando em você, é saber que o
Caráter, Pureza de Coração, Beleza de Alma, amor e a vida moram dentro de você!
Um Coração Generoso, Dedicação Desinteres-
Embora certos recursos materiais sejam funda-
sada, Luz do Sol, do Luar, Ar Puro, Beleza Na-
mentais para a nossa sobrevivência, a nossa qualida-
tural, Talento, Criatividade, Canto dos Pássaros
de de vida não depende das coisas que acumulamos,
em Liberdade, Alegria de Fazer o Bem, de ser
mas sim da:
Justo, de Servir e Contribuir para a Felicidade
do Outro (seres humanos e animais)? ♦ nossa qualidade interior e da qualidade que
damos aos nossos relacionamentos;
♦ Quando foi a última vez que você foi você
mesmo?... E não sentiu medo? Afinal, ♦ da capacidade de dar sem humilhar e de rece-
quem é você? ber sem sentir-se humilhado;

♦ da capacidade de sentir e expressar gratidão;

2. CUIDE DE SUA QUALIDADE ♦ de sentir-se verdadeiramente livre quando se


ajuda alguém, não transformando a gratidão
DE VIDA alheia em uma canga ou um fardo a ser carre-
Nestes tempos de mercantilismo, muitos foram gado pelo outro, “porque ele me deve um fa-
levados a crer que dinheiro e poder são as chaves vor...”
da felicidade; outros acreditam que a felicidade é ♦ de saber viver e deixar os outros viverem...
uma coisa que “acontece” a algumas pessoas; poucos
Pois o Ser Humano é filho de Deus, mas sua mãe
são os que percebem que ser feliz é um ato de livre
é a Liberdade... e o Amor é a dádiva de Deus e da
arbítrio, de escolha consciente.
Liberdade a seus filhos humanos...
Ser feliz é um ato de compromisso com o que há
A existência é uma jornada que percorremos a
de mais belo e amoroso na essência de você mesmo
pé pela paisagem da vida. Que a nossa bagagem
e a coragem de amar e proporcionar felicidade aos
seja leve para que possamos apreciar a beleza da
outros seres vivos – homens e animais – pois a felici-
dade se fundamenta na compreensão amorosa (acei- paisagem. Pois se a nossa bagagem estiver carrega-

tação sem culpa ou julgamento) das necessidades e da com mágoas, auto piedade, rancores, inveja e

limitações próprias e alheias. desejos insaciáveis, não sobrará espaço para a ale-
gria de viver que alimenta nossa alma, nem para o
Ser feliz é abrir o seu coração à beleza das pe-
néctar da beleza que sacia a sede do nosso coração,
quenas coisas e dilatar a sua alma para apreender
nem para o ungüento do perdão que cicatriza nossas
os verdadeiros valores da existência humana.
feridas, nem para o pão da gentileza que devemos
Ser feliz é ter coragem de ser generoso e dar de compartilhar com nossos companheiros de jornada.
si mesmo com a dignidade daqueles que são verda- Que a radiância de um coração amoroso seja o lume
deiramente livres em espírito; pois somente os livres que ilumina nossos passos.

42

ManualOncologico OK.p65 42 24/11/2005, 15:06


O que é qualidade de vida? • Parte IV

3. CUIDADOS COM SUA SAÚDE se emocionalmente apoiado e ser ouvido. Apren-


dam a ouvir por inteiro, sem interromper – per-
EMOCIONAL E ESPIRITUAL
mitindo que o outro “lave a alma” sempre que sentir
Faça meditação, a meditação ajuda você a manter necessidade. Um abraço e um beijo sincero valem
a mente calma e protegida de pensamentos negativos. por mil palavras de resposta. Mas se tiver algo a
A meditação é uma prática que eleva sua alma para dizer, só fale quando ele terminar o desabafo.
uma dimensão de serenidade e relaxa o corpo, a pala- Nos momentos de calma e serenidade, conversem
vra e mente. Sugestão de local de meditação abaixo. sobre assuntos agradáveis e de interesse do paciente.
Tanto o lazer diário quanto o sono, são fundamen- Compartilhem bons momentos e boas risadas juntos,
tais para o equilíbrio psicológico (mental e emocional) e sempre que a oportunidade surgir. Apostem na vida e
para a boa saúde. Estudos recentes demonstram que não na doença, evitando assuntos como tragédias, vio-
esses momentos diários são indispensáveis para o bom lência urbana, fim do mundo, conversas irritantes, etc.
desempenho profissional e para a criatividade também. Amigos devem compreender que as visitas não
Tenha o cuidado que estar em contato com suas devem tornar-se um fardo para um paciente hospita-
emoções, leia, faça psicoterapias, grupos de auto- lizado ou que acaba de receber alta e está convales-
ajuda e arte terapias. Estes cuidados são essenciais cendo de uma cirurgia ou outro tratamento realizado
para que seu corpo emocional fique alimentado e em hospital.
fortaleça seu corpo, não relaxe, não se descuide,
Se estiver resfriado ou com saindo de uma gripe
não esqueça que o câncer é uma doença curável se
ou com os sintomas de que vai ter uma, telefone ou
você faz a sua parte. Ande num ritmo suave e retome
mande um cartão. É falta de educação e consideração
às suas atividades profissionais e outras, com calma.
visitar alguém – seja ele quem for – quando você
Esse, aliás, é um dos erros que muitos pacientes está com uma doença facilmente contagiosa como
cometem. Após uma boa resposta inicial ao tratamen- gripe ou resfriado. Além disso, é importante para o
to do câncer, esses pacientes resolvem “recuperar o paciente com câncer evitar pegar infecções que pos-
tempo perdido” e mergulham freneticamente em um sam enfraquecê-lo – principalmente as que podem
redemoinho de atividades, esquecendo de alimentar- ser evitadas com uma pitada de bom senso por parte
se corretamente e nos horários certos, matando de amigos e familiares.
horas de sono, trabalhando demais ou abusando de
Familiares devem estar conscientes de que as
sua saúde em noitadas festivas – geralmente acom-
queixas de dor ou desconforto do paciente devem
panhadas de alimentos e bebidas impróprios para
ser ouvidas e atendidas. Nunca subestime a dor que
ele. Como resultado, esgotam-se e enfraquecem, de-
o outro diz estar sentindo. Além disso, a dor não
senvolvem infecções (gripes, pneumonias) e negam
precisa fazer parte do dia a dia do paciente. Fale
a si mesmos o tempo necessário para que o organis-
com o médico em busca de medicações ou procedi-
mo possa livrar-se das toxinas derivadas dos medi-
mentos para que o paciente viva sem dor. No caso
camentos e da radiação, etc.
de dor intensa, não espere a próxima consulta ou o
dia seguinte; leve-o ao Pronto Socorro.

4. RECOMENDAÇÕES AOS FAMILIA- Antes de cada consulta, ajude-o a anotar as suas


dúvidas e perguntas, para esclarecer com o médico
RES (E AMIGOS) E AO PACIENTE
e anote as respostas.
Caros Familiares e Amigos do Paciente,
Muitas informações que parecem corriqueiras para
Os cuidados do paciente com câncer vão além o médico, são completamente novas para vocês (paci-
de ações puramente físicas (alimentação, medicação ente e familiar). Anote as respostas em um caderno
e conforto corporal). É importante para ele sentir- ou agenda, onde também anotará os sintomas, exames

43

ManualOncologico OK.p65 43 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

marcados, principais resultados, consultas, quimiote- seguindo com disciplina e determinação as orienta-
rapia, radioterapia e outras informações necessárias. ções e cuidados necessários a cada etapa da terapia.
Saiba lutar com consciência e respeito aos esforços
Se não entenderem a resposta do médico, peçam
daqueles que buscam ajudá-lo.
a ele que explique em uma linguagem menos técnica
que vocês possam entender. Nunca hesite em per- Lembre-se de procurar amigos e pessoas que já
guntar o que não entender. passaram por situações parecidas. Não se isole em sua
dor, buscando compartilhar com amigos e familiares suas
O paciente e seu familiar devem compreender a
dores, temores e preocupações. A solidariedade existe
medicação prescrita; portanto, peça que os nomes
dos medicamentos sejam escritos de forma legível em benefício também das pessoas que a praticam.

no receituário. Pergunte e anote os efeitos colaterais Não sinta vergonha em dizer que está com câncer,
previstos para as medicações prescritas e pergunte mesmo que as pessoas à sua volta ainda não saibam
o que fazer para aliviar esses efeitos. que o câncer tem cura e tenham medo do que sen-
Ao sair de uma consulta, marque a próxima ou, tem. Procure apoio psicológico com profissionais ou
se já estiver em tratamento, marque a próxima qui- grupos abalizados de auto ajuda. Se você não pode
mioterapia ou radioterapia. pagar um psicólogo, procure uma faculdade de psico-
logia e informe-se sobre serviços gratuitos prestados
Lembre-se de que o médico precisa de todas as
por estagiários de Psicologia sob a orientação de pro-
informações do paciente para medicá-lo melhor. Deixe
fessores. Peça a eles que comecem um grupo de auto
que o paciente responda às perguntas durante a
ajuda para pacientes com câncer naquele serviço.
consulta. Porém, se perceber que algo foi esquecido,
lembre o paciente, quando ele terminar de falar e Não deixe que a depressão e o desânimo o derro-
não assuma ares paternais ou matriarcais. Por outro tem. No caso de depressão profunda (que pode ter
lado, seja objetivo, para não tornar a consulta lon- causas orgânicas ou medicamentosas) fale com seu
ga e desgastante. médico. Ele pode medicar você, se for necessário.

Recupere sua identidade espiritual, revendo suas


crenças e alimentando a sua alma e a sua fé, através
5. PREZADO PACIENTE do contato com membros de sua comunidade religio-
Nunca deixe de lutar por sua Vida e se um dia a sa. Lembre-se! Não fique só!
atitude de algum profissional o decepcionar ou con- O objetivo deste departamento da Sociedade
fundir, fale com ele francamente e tente entender Brasileira de Oncologia – SP (NAPACAN – Núcleo de
que ninguém sabe tudo. Use o seu bom senso para Apoio ao Paciente com Câncer) é servir como um
avaliar se a relação de confiança é resgatável. Os veículo de VOZ ATIVA aos Pacientes, para que eles
médicos também estão em processo de adaptação possam discutir abertamente o câncer, seu tratamen-
a um novo perfil de paciente que requisita informa- to e novas ações necessárias à melhoria da qualida-
ções de forma mais criteriosa. de de suas vidas. Vamos todos – pacientes, médicos
O médico e o paciente são parceiros nesta jorna- e demais profissionais da saúde – fazer desta luta
da terapêutica e uma relação baseada em verdadei- uma consagração à VIDA.
ros valores humanos, enriquecerá a experiência de Não desista da vida nunca e lute pelos seus direi-
vida de ambos.
tos. Leia aqui algumas informações importantes para
Você também é responsável pelos bons resulta- realizar seu tratamento caso tenha dificuldades na
dos de seu tratamento e deve fazer a sua parte, hora de ser atendido pela Rede Pública.

44

ManualOncologico OK.p65 44 24/11/2005, 15:06


arte V
PParte V
VOCÊ É UM SOBREVIVENTE, LUTE,
RECLAME E SEJA GRATO PELA VIDA

DECLARAÇÃO DE DIREITOS DOS SOBREVIVENTES DE CÂNCER

Tradução feita de: Spingarn, N. D. Chapter 3: You and your health care team:
working together. In: Hoffman, B. A Cancer Survivor’s Almanac. Charting
your journey. p.53-55. John Wiley & Sons, Inc., New Jersey. 2004. 374p.

Os sobreviventes têm o direito de garantir cuidado médico vitalício, como necessário. Médicos e outros profissionais
envolvidos no cuidado desses pacientes devem continuar se empenhando para ser:
• Sensíveis às escolhas do estilo de vida desses sobreviventes e suas necessidades de auto-estima e dignidade;
• Cuidadosos, não importa quanto tempo tenham de sobrevivência, de levar os sintomas a sério, não rejeitando
sofrimentos e dores, por medo da recorrência que é parte natural da sobrevivência;
• Informativos e abertos, suprindo-os, conforme queiram muita ou pouca informação médica e encorajando-os a
participar com essas informações em benefício próprio;
• Conhecedores acerca dos recursos de aconselhamento, estando inclinados a se dirigirem aos sobreviventes e fa-
miliares de modo apropriado para o suporte emocional e terapêutico, a fim de melhorar a qualidade de vida individual.

Em suas vidas pessoais, os sobreviventes, como quaisquer outros cidadãos, têm o direito de buscar sua felicidade. Isso
significa que eles têm o direito de:
• Falar com seus familiares e amigos sobre sua experiência com a doença, se assim o desejarem, mas recusar discuti-la
se essa for sua escolha, sem esperar que sejam mais contundentes ou mais tristes do que qualquer outra pessoa;
• Ser livre de estigma do câncer como uma “doença temível” em todas as situações sociais;
• Ser livre de acusações por ter sido acometido pela doença e culpar-se por ter sobrevivido a ela.

No ambiente de trabalho, os sobreviventes têm direitos iguais às oportunidades de trabalho. Isso significa que eles têm
o direito de:
• Aspirar a trabalhos que compensem suas capacidades e para aquilo que são treinados e possuem experiência e
assim, ser contratados, promovidos e readmitidos ao trabalho, de acordo com suas capacidades e qualificações
individuais e em desacordo com estereótipos, como “câncer” e “incapacidade”.
• Ter privacidade em relação ao seu histórico médico.

Desde que a cobertura do seguro saúde seja contrária ao interesse do paciente, deve ser feito todo esforço para
assegurar-lhes adequado plano de saúde, seja público ou privado. Isso significa:
• Para empregadores, que os sobreviventes tenham o direito de serem incluídos no grupo de cobertura de saúde,
usualmente menos oneroso e provedor de melhor benefício e cobertura para o empregado, independente de
seu histórico médico;
• Para os médicos, advogados e outros profissionais envolvidos, que eles se mantenham informados e atualizados,
bem como aos seus clientes, sobre as opções individuais ou em grupos disponíveis, observando, por exemplo, que
despesas maiores como custos hospitalares e exames médicos fora do hospital sejam cobertos e que essa quantia
seja paga antes da cobertura (dedutível).

Dra. Nívea Froes


Mestre e Doutora em Genética - Universidade Estadual Paulista (UNESP); Pós-doutora pela Universidade do Texas,
Departamento de Medicina Preventiva; Ramo Médico de Galveston. EUA. Ex-paciente de câncer.

ManualOncologico OK.p65 45 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

1. RECLAME SEUS DIREITOS CRM – Delegacia Regional de Guarulhos


Tel: (11) 6440-3899
Endereço: R. José Maurício, 235 - 8º andar - Conj. 84
Entidades que irão receber
Horário de Atendimento: das 9:00 às 12:00h e
DENÚNCIAS dos usuários do SUS
das 13:00h às 18:00h
Havendo dificuldades de conseguir vaga para Tipo de Atendimento: Serviço aos Médicos,
atendimento, o paciente deve: Prestação de Serviço e Denúncias
Pessoa Responsável: Ana Elizabeth S. Carvalheira
♦ reunir documentos que comprovem a necessi-
dade do serviço de medicamento e tratamento; CRM – Osasco
♦ em caso de dificuldade para obter medicamen- Tel: (11) 3682-9344
Endereço: R. D. Primitiva Vianco, 244 - 12º A - Cj. 1210
tos na rede pública, fazer um orçamento dos
Horário de Atendimento: das 8:00 às 21:00h
remédios necessários;
Tipo de Atendimento: Atendimento à médicos
♦ levar comprovante de renda (os serviços cos- Pessoa Responsável: Dr. Cláudio Graieb Sarno
tumam atender pessoas que ganham até 5 sa-
CRM – Santo André
lários mínimos).
Tel: (11) 4438-2799
Estes documentos devem ser encaminhados para Endereço: Av. Dom Pedro II, 288 - 5º andar
algum serviço de assistência judiciária gratuito, como Horário de Atendimento: das 8:00h às 21:00h
estes: Tipo de Atendimento: Atendimento a médicos

Forum Central Municipal


Procure seus direitos, faça denúncias:
Tel: (11) 6197-4224
Endereço: R. Carlota Luiza Jesus, 50
DEFESA DO CONSUMIDOR/PACIENTE Horário de Atendimento: das 7:00 às 15:00h
Tipo de Atendimento: Tribunal de Justiça
Assistência Judiciária da OAB
Pessoa Responsável: Hermínio Belmonte Lopez
Tel: (11) 3116-1000
Endereço: Praça da Sé, 385 Fundação PROCON
Horário de Atendimento: das 9:00h às 18:00h Tel: 151
Tipo de Atendimento: Ordem dos Advogados Endereço: Poupatempo Sé (Atendimento de Recla-
mações do Procon) Praça do Carmo s/n, Centro
Horário de Atendimento: das 7:00h às 19:00h e
Centro Acadêmico 11 de agosto
sáb. das 7:00h às 13:00h
(faculdade de direito da USP)
Tipo de Atendimento: reclamações de consumidores
Tel: (11) 3105-8444
Endereço: Praça João Mendes, 62 - 17º andar GAESP – Grupo de Atuação Especial de Defesa
Horário de Atendimento: das 14:00h às 18:00h Tel: (11) 3119-9088 / 3119-9355
Tipo de Atendimento: Assistência Jurídica Endereço: R. Riachuelo, 115 - 3º andar - Sala 315
Horário de Atendimento: das 9:00h às 19:00h
Conselho Regional de Medicina (CRM) Tipo de Atendimento: Defesa da Saúde Pública
Tel: (11) 3017-9300 Pessoa Responsável: Rodrigo César Pinto

Fax: (11) 3231-1745


Ministério Público de São Paulo
Endereço: Rua da Consolação, 753
Tel: (11) 3119-9000
Horário de Atendimento: das 9:00h às 18:00h Endereço: R. Riachuelo, 115
Tipo de Atendimento: Variado Horário de Atendimento: Não há pronto atendimento
www.cremesp.org.br Tipo de Atendimento: Setor de Protocolo Geral

46

ManualOncologico OK.p65 46 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

Ministério Público Promotoria do Deficiente Físico


Procuradoria da República Tel: (11) 3119-9043
Tel: (11) 6468-0959 / 6468-3168 / 6468-8218 Endereço: R. Riachuelo, 115
Endereço: R. Cândida Matos Silva, 52 1º andar - Sala 114
Centro de Guarulhos Horário de Atendimento: das 13:30 às 17:00h
Horário de Atendimento: das 11:00 às 19:00h Tipo de Atendimento: Criança Adolescente com
Tipo de Atendimento: Denúncias, investigações Deficiência Física
junto á Justiça Federal Pessoa Responsável: Promotor de Justiça Júlio
Pessoa Responsável: Supervisor Adm. Waldemar da César Botelho
Silva Ferreira
Promotoria do Idoso
Ministério da Saúde Tel: (11) 3119-9082
Departamento de Saúde Suplementar (Brasília) Endereço: R. Riachuelo, 115 - 1º andar
Tel: 0800-611997 – Central de Atendimento Horário de Atendimento: das 13:00h às 16:00h
Tipo de Atendimento: Orientações de Saúde, Tipo de Atendimento: Atendimento ao Idoso
denúncias, etc. Pessoa Responsável: João Estevão

Procuradoria da Assistência Promotoria da Infância e do Adolescente


Judiciária da OAB Tel: (11) 3119-9072
Tel: (11) 3106-6534 / 0800-178989 Endereço: R. Riachuelo, 115 - 1º andar
Central de Atendimento Horário de Atendimento: das 9:00h às 19:00h
Endereço: Av. Liberdade, 32 - 7º andar Tipo de Atendimento: Casos coletivos
Horário de Atendimento: das 7:00h às 9:30h Pessoa Responsável: Promotores
Tipo de Atendimento: Civil e Família
Pessoa Responsável: Procurador Dr. Anselmo Pietro Sistema Poupatempo

Procuradoria da República Tel: 0800-7723633 – Central de Atendimento
Tel: (11) 3281-8800 / 2192-8754 Endereço: Praça do Carmo, s/n - Centro
Endereço: R. Peixoto Gomide, 1038 Horário de Atendimento: das 7:00h às 19:00h
Horário de Atendimento: das 8:30h às 20:00h Sáb. das 7:00h ás 13:00h
Tipo de Atendimento: Órgão Público
Sistema Poupatempo
Promotoria do Consumidor Santo Amaro
Tel: (11) 3119-9061 Tel: 0800-7723633 – Central de Atendimento
Endereço: R. Riachuelo, 115 - Sala 130 - 1º andar Endereço: R. Amador Bueno, 176/258
Horário de Atendimento: das 13:00h às 18:00h Horário de Atendimento: das 7:00h às 19:00h
Tipo de Atendimento: Reclamações do Consumidor sáb. das 7:00h às 13:00h
Pessoa Responsável: Gilberto Nonaka
Sistema Poupatempo
Promotoria da Cidadania Itaquera
Tel: (11) 3017-1700 Tel: 0800-7723633 – Central de Atendimento
Endereço: R. Minas Gerais, 316 - 7º andar Endereço: Av. Do Contorno, 60
Horário de Atendimento: das 13:00h às 16:00h (ao lado da estação Corinthians)
Tipo de Atendimento: Matérias ligadas ao direito Horário de Atendimento: das 7:00h às 19:00h
de fuso sáb. das 7:00h às 13:00h
Pessoa Responsável: Saad Mazloum Tipo de Atendimento: Documentos Diversos

47

ManualOncologico OK.p65 47 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

ESTES TELEFONES E ENDEREÇOS Posto: Barra Funda - (11) 3825-4111


SÃO IMPORTANTES Rua Vitorino Carmilo, 717 - Barra Funda
CEP 01153-000
Ação Solidária Contra o Câncer Infantil
Endereço da Sede:
Posto: Jabaquara - (11) 577-4111
R. Oscar Freire, 1990 - B. Pinheiros, São Paulo - SP
Av. Jabaquara, 2.607 - Jabaquara
Endereço do Bazar Permanente: CEP 04045-004
R. Oscar Freire, 1918 - B. Pinheiros, São Paulo - SP
Endereço da Obra: Posto: Pinheiros - (11) 3083-4111
R. Oscar Freire, 2.384 - B. Pinheiros, São Paulo - SP Rua Cardeal Arcoverde, 562 - Pinheiros
Telefone para divulgação: (11) 3083-7034 CEP 05408-000
E-mail: ascci@ocancertemcura.org.br
www.acaosolidaria.org.br Posto: Vila Carrão - (11) 6197-4111
Rua Aimborés, 14 - Vila Carrão
AA - Alcoólicos Anônimos CEP 03404-110
Av. Senador Queiroz, 101 - 2º Andar - Cj. 205
São Paulo - Tel.: (11) 3229 3611 Posto: Vila Mariana - (11) 5575-4111
www.alcoolicosanonimos.org.br Rua Domingos de Morais, 348 - Loja 34
CEP 04010-000
Al-Anôn (Ajuda ao Familiar do Alcoólico)
Fone/Fax: (11) 3331-8799 AIDS: Informações - Tel.: 0800 16 25 50
2ª a 6ª feira das 9h às 18h
Escritório de Serviços Gerais Al-Anon Disque Homicídio: denúncias anônimas
São Paulo - SP - Caixa Postal 2034 - CEP 01060-970 Tel.: 0800 62 70 70
www.al-anon.org.br
Telecan (informações sobre câncer)

COMDEC - Comissão Municipal de Defesa Civil Tel.: 3272-5073

Viaduto do Chá, 15 - 10º andar Disque Denúncias

CEP 0100-020 - Centro - São Paulo - SP 0800 15 63 15

Tel.: 3113-8000

Coordenadoria Estadual de Defesa Civil SAIBA ONDE ENCONTRAR OS


Palácio dos Bandeirantes CENTROS DE TRATAMENTO E
Av. Morumbi, 4500 - Sala T-79 - Morumbi DE APOIO ESPECIALIZADOS
CEP 05698-900 - São Paulo, SP - Brasil
Tel.: (11) 3745-3333 - Fax: (11) 3745-3673 HOSPITAIS E ASSOCIAÇÕES
defesacivil@defesacivil.sp.gov.br Especializados no Tratamento do Câncer

CVV
Alagoas

Central de comunicação - (11) 3151-4109 Santa Casa de Misericórdia de Maceió


www.cvv.com.br Rua Barão de Maceió, 288
Centro - CEP 57020-360
Posto: Abolição - (11) 3242-4111 Tel.: (82) 221-6858 / 221-8084 / 221-8759
Rua Abolição, 411 - Bela Vista Fax: (82) 221-0060
CEP 01319-010 Maceió

48

ManualOncologico OK.p65 48 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

Bahia Minas Gerais

Hospital Aristides Maltez Centro de Estudos e Pesquisas


Av. Dr. João VI, 332 Oncológicas de Minas Gerais
Brotas - CEP 40285-001 Av. Antônio Carlos, 1684 - 2º Subsolo
Tel.: (71) 357-6850 / 357-6800 Cachoeirinha - CEP 31210-010
Fax: (71) 356-3090 Tel.: (31) 442-2200 / 442-4644
E-mail: presidencia@lbcc.org.br Fax: (31) 442-0403
Salvador Belo Horizonte

Ceará Centro de Oncologia e Radioisótopos - COR

Centro Regional Integrado Av. José Júlio da Costa, 2805

de Oncologia - CRIO Ferroviários - Tel.: (31) 3822-1972

Rua Francisco Calaca, 1300 E-mail: coronc@net.em.com.br

Centro - CEP 60336-550 Ipatinga


Fortaleza
Hospital Dr. Hélio Angotti
Santa Casa de Misericórdia de Sobral Rua Gov. Valadares, 122
Praça Monsenhor Eufrásio, 110 Caixa Postal 202 - Centro
CEP 62020-580 CEP 38010-380
Tel.: (88) 677-1930 Uberaba
Sobral
Hospital Esc. da Faculdade de Medicina do
Goiás Triângulo Mineiro
Av. Getúlio Guarita, S/N
Hospital Araújo Jorge
CEP 38025-440
Rua 239, 181 - C. Postal 871
Uberaba
C. Universitária - CEP 74605-070
Tel.: (62) 224-5070
Hospital Felício Rocho
Goiânia
Av. Contorno, 9530
CEP 30110-130
Mato Grosso
Tel.: (31) 339-7244
Centro de Oncologia de Cuiabá Fax: (31) 275-4434
Av. Pres. Marques, 35 Belo Horizonte
Centro - CEP 78045-100
Tel.: (65) 321-5220 Hospital Maria José Beata Reis
Cuiabá Rua Independência Dr. J. Coelho, S/N
Cascatinha - CEP 36016-110
Centro de Oncologia e Radioterapia da Juiz de Fora
Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá
Praça do Seminário, 229 - Centro Santa Casa de Misericórdia de
Caixa Postal 1011 Belo Horizonte
CEP 78015-140 Tel.: (31) 238-8119
Tel.: (65) 321-3231 Fax: (31) 238-8205
Cuiabá Belo Horizonte

49

ManualOncologico OK.p65 49 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Paraíba Rio Grande do Norte

Hospital Napoleão Laureano - HNL Centro de Oncologia e Hematologia de


Av. Cap. José Pessoa, 1140 Mossoró Ltda - COHM
Jaguaripe - CEP 58015-170 Rua Dr. João Marcelino, 429
Tel.: (83) 241-5858 Mossoró - CEP 59612-200
Fax: (83) 222-0900 Tel.: (84) 317-4807
João Pessoa Mossoró

Paraná Hospital Universitário Onofre Lopes


Hospital Erasto Gaertner - RHC Av. Nilo Peçanha, 620
Rua Dr. Ovander do Amaral, 201 Petrópolis - Natal
Jardim América - CEP 81520-060 CEP 59012-300
Tel.: (41) 366-3233 - Ramal: 346 Natal
E-mail: super@lpccnet.org.br
Curitiba Rio Grande do Sul

Centro Regional de Oncologia


Rio de Janeiro
Av. Duque de Caxias, 250
Hospital de Oncologia Caixa Postal 464 - Pelotas
Rua Equador, 831 CEP 96030-002
S. Cristo - CEP 20220-410 Pelotas
Tel.: (21) 516-1404
Rio de Janeiro Santa Catarina

Centro de Tumores Renato Sodré Borges


Hospital Mário Kroeff - ABAC
Rua Floriano Peixoto, 300
Rua Magé - Rio de Janeiro
Centro - CEP 89010-500
CEP 21020-130
Tel.: (47) 326-5455
Tel.: (21) 290-9090
Blumenau
Rio de Janeiro

Serviço de Oncologia
Serviço de Oncologia
Hospital Governador
Real e Benemérita Sociedade Portuguesa de
Celso Ramos (CEPON)
Beneficência do Rio de Janeiro
Rua Irmã Benwarda, 205
Rua Santo Amaro, 80
Centro - CEP 88015-270
Glória - CEP 22211-230
Tel.: (48) 224-6879 / 224-9033 / 246-6528
Tel.: (21) 292-1255 - Ramal: 430
Florianópolis
Fax: (21) 242-0500
Rio de Janeiro
Serviço de Oncologia da
Irmandade do Sr. dos Passos
Hemorio
e Hospital de Caridade
Rua Frei Caneca, 8
Rua Menino de Deus, 376 – Centro
Centro (próximo ao Campo de Santana)
CEP 20211-030 Tel.: (48) 224-9222

Tel.: (21) 2242-6080 Fax: (48) 223-3874

Rio de Janeiro Florianópolis

50

ManualOncologico OK.p65 50 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

São Paulo Bahia

Centro de Atenção Integral à Liga Baiana Contra o Câncer


Saúde da Mulher - CAISM Hospital Aristides Maltez
Divisão de Oncologia da UNICAMP Tel.: (71) 357-6850 / 357-3099

Cidade Universitária “Zeferino Vaz” Fax: (71) 244-3090


Salvador
Barão Geraldo - CEP 13083-970
Tel.: (19) 3788-9333
Ceará
Fax: (19) 3289-3687
Campinas Associação Cearense de Combate ao Câncer
Rua João Cordeiro, 1994

Centro de Oncologia de Piracicaba Altos Piedade - CEP 60110-301


Tel.: (85) 252-1696 / 252-1697
Rua Rafael Aloise, 60
Fax: (85) 253-1994
V. Rezende - CEP 13405-205
Fortaleza
Piracicaba

Instituto do Câncer do Ceará


Centro Infantil de Investigações
Rua Papi Junior, 1222
Hematológicas
Rodolfo Teófilo - CEP 60430-230
Dr. Domingos A. Boldrini Tel.: (85) 281-2800 - Fax: (85) 281-2865
Rua Dr. Gabriel Porto 1270 Fortaleza
Cidade Universitária
Barão Geraldo - CEP 13083-210 Sociedade Cearense de Cancerologia
Tel.: (19) 3787-5000 Rua Carlos Vasconcelos, 1515
Campinas Fortaleza - CEP 60115-170
Tel.: (85) 924-9867 - Fax: (85) 272-6556
Clínica Especializada na Mulher - ISBEM Fortaleza
Av. Indianópolis, 2700 - Planalto Paulista
Tel.: (11) 5589-4442 Espírito Santo

São Paulo Associação Feminina de Educação


e Combate ao Câncer
Av. Marechal Campos, 1579
ORGANIZAÇÕES DE APOIO
Maruípe - CEP 29040-091

Amazonas Tel.: (27) 225-5718 / 334-8000 / 334-8058


Fax: (027) 325-5498
Fundação Centro de Controle de Oncologia - Vitória
FCECON
Rua Francisco Orellana, S/N Goiás
D. Pedro I - CEP 69040-010
Associação de Combate ao Câncer em Goiás -
ACCG
Liga Amazonense Contra o Câncer
Rua 239, 206 - Setor Universitário
Rua Francisco Orellana, 215
CEP 74605-070
Planalto - Manaus Tel.: (62) 224-5070 / 225-9424
CEP 69040-010 Fax: (62) 224-5513
Tel.: (92) 656-1211 E-mail: accg.sin.@internetional.com.br
Manaus Goiânia

51

ManualOncologico OK.p65 51 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Maranhão Associação de Combate ao Câncer do


Centro-oeste de Minas - ACOM
Faça uma Alimentação Natural
Frei Klaus TH. Fincam Rua Vinte e Três de Novembro, 370

R. Magalhães de Almeida, 955 São João de Deus - CEP 35500-249


Cx. postal 02 - Bacabal Tel.: (37) 3222-5203
CEP 65700-000 Fax: (37) 3214-6080
Tel.: (98) 621-1558 - Fax: ramal 2443 E-mail: hcancer@xnext.com.br
São Luís Divinópolis

Fundação Antônio Jorge Dino Associação Feminina de Prevenção e Combate


Rua Serôa da Mota, 23 ao Câncer de Juiz de Fora - ASCOMCER
Apeadouro - CEP 65031-470 Av. Independência, 3500
Tel.: (98) 231-2181 Cascatinha - CEP 36025-290
Fax: (98) 231-1776 / 222-2181 Tel.: (32) 236-1992 / 236-1264 / 236-1263
São Luís Fax: (32) 236-1370
Juiz de Fora
Mato Grosso

Associação Mato-grossense de Instituto de Oncologia e Radioterapia - IOR


Combate ao Câncer Hospital Evangélico
Av. Rubens de Mendonça, S/N Rua Ranulfo Álvares, 1620 - Vila Isa
Centro - CEP 78008-000 Tel.: (33) 3278-2074
Cuiabá Governador Valadares

Instituto de Tumores de Cuiabá S/C Ltda - ITC Rede Feminina de Combate ao


Rua 13 de Junho, 2101 Câncer de Santos Dumont
Porto - CEP 78025-000 Av. Getúlio Vargas, 138
Cuiabá Sobrado - CEP 36240-000
Tel.: (32) 251-2665
Minas Gerais Santos Dumont
Associação Amigos Hospital Mário Penna
Hospital Mário Penna - Instituto Mineiro de Pará
Oncologia (IMO) Instituto Ofir Loiola
Rua Aquiles Lobo, 297
Av. Gov. Magalhães Barata, 992
Floresta - CEP 30150-160
S. Braz - CEP 66063-240
Tel.: (31) 273-5022
Tel.: (91) 249-0222
Fax: (31) 273-1138
Belém
Belo Horizonte

Paraíba
Associação de Combate ao
Câncer do Brasil Central Fundação Santa Cecília
Rua Governador Valadares, 122 Rua 15 de Janeiro, 333
Centro - CEP 38010-380 Centro - Mari
Tel.: (34) 333-3100 Tel.: (83) 224-3264
Fax: (34) 332-4133 Fax: (83) 224-0704
Uberaba João Pessoa

52

ManualOncologico OK.p65 52 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

Paraná Rio de Janeiro

Conselho Londrinense de Associação Brasileira de


Assistência à Mulher - CLAM Assistência aos Cancerosos
Rua Cambará, 585 - 3º andar Av. Almirante Barroso, 06 - 18º andar
Centro - CEP 86010-530 Grupos 1801/1803 - Centro
Tel.: (43) 324-3838 - Fax: (43) 324-8028 CEP 20031-000
Londrina Tel.: (21) 220-7337 - Fax: (21) 220-2858
Rio de Janeiro
Hospital do Câncer UOPECCAN - União Oeste
Paranaense de Estudos e Combate ao Câncer Fundação Ary Frauzino
Av. Tancredo Neves, 3224 Tel.: (21) 221-6227
Santo Onofre - CEP 85806-470 Fax: (21) 221-6227
Tel.: (45) 326-3420 / 226-6170 Rio de Janeiro
E-mail: uopeccan@terra.com.br
Cascavel Instituto Nacional de Câncer
Pça. Cruz Vermelha, 23
Instituto de Câncer de Londrina Centro - CEP 20230-310
Rua Luccila Ballalai, 212 Tel.: (21) 292-4110
Jd. Petrópolis - CEP 86015-520 Rio de Janeiro
Tel.: (43) 330-3880 / 330-2600
Fax: (43) 330-2909 Rio Grande do Norte
Londrina
Liga Norte-Riograndense Contra o Câncer
Hospital Dr. Luiz Antônio
Liga Paranaense de Combate ao Câncer
Rua Dr. Mario Negócio, 2267
Rua Dr. Ovande do Amaral, 201
Quintas - CEP 59040-040
Jardim das Américas - CEP 81520-060
Tel.: (84) 793-4147 - Fax: (84) 753-2862
Tel.: (41) 366-3233 Ramal: 217
Natal
Fax: (41) 267-7766 / 266-1822
E-mail: liganet@bastecnet.com.br
Rio Grande do Sul
Curitiba
Associação Protetora do Hospital de Caridade
Pernambuco Hospital de Caridade Dr. Astrogildo Azevedo
Tel.: (55) 222-4444 - Fax: (55) 223-3069
Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer
Santa Maria
Av. Cruz Cabugá, 1597
Santo Amaro - CEP 50040-000
Associação Riograndense de
Tel.: (81) 423-2088 / 423-4373
Combate ao Câncer
Fax: (81) 423-6147
Rua Sarmento Leite, 187
Recife
Centro - CEP 90050-170
Tel.: (51) 225-7422 - Fax: (51) 330-6517
Piauí
Santa Maria
Sociedade Piauiense de Combate ao Câncer
Hospital São Marcos Fundação Centro de Oncologia Radioterápica
Rua Olavo Bilac, 2300 - CEP 64001-280 Rua Orfanatrofio, 299
Tel.: (86) 222-6014 / 222-3633 / 222-6543 Av. Teresópolis
Fax: (86) 222-3774 CEP 90840-440
Teresina Porto Alegre

53

ManualOncologico OK.p65 53 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Fundação Antônio Prudente


Porto Alegre Rua Prof. Antônio Prudente, 211
Hospital Santa Rita Liberdade - CEP 01509-010
Tel.: (51) 227-4388 Tel.: (11) 3272-5000
Fax: (51) 228-1618 Fax: (11) 3272-5088
Porto Alegre E-mail: fapbib@eu.ansp.com.br
São Paulo
Sociedade de Cancerologia do
Rio Grande do Sul Fundação Dr. Amaral Carvalho
Av. Ipiranga, 5311 Rua das Palmeiras, 164 e Rua Dona Silvéria, 150
CEP 90610-001 Jaú
Tel.: (51) 339-2899
Fax: (51) 339-2998 Hospital Amaral Carvalho
Porto Alegre Tel.: (14) 620-1212 / 621-1448
Fax: (14) 620-1207
Santa Catarina E-mail: hospmc.jau@netsite.com.br
Jaú
Liga Catarinense de Combate ao Câncer
Tel.: (48) 222-7966
Fundação Maria Cecília Souto Vidigal
Florianópolis
Rua Pedroso Alvarenga, 1255 - 1º andar
Itaim Bibi - CEP 04531-012
São Paulo
Tel.: (11) 3079-2888
ASPAL - Associação de Pais e Amigos Fax: (11) 852-2985
dos Doentes de Leucemia E-mail: fsouto.vidigal@sao.nutecnet.com.br
R. Dr. Souza Alves, 139 São Paulo
Centro - CEP 01202-030
Tel.: (12) 3635-4600 Fundação Oncocentro
E-mail: contato@aspalleucemia.com.br Rua Oscar Freire, 2396
Taubaté CEP 05409-012
São Paulo
Centro de Atenção Integral à Saúde
da Mulher - CAISM Fundação Pio XII
Divisão de Oncologia da UNICAMP Hospital São Judas Tadeu
Cidade Universitária “Zeferino Vaz” Rua 20, 221 - CEP 14780-070
Barão Geraldo - CEP 13083-970 Tel.: (17) 322-8822 / 322-9414
Tel.: (19) 3788-9333 Fax: (17) 322-2255
Fax: (19) 3289-3687 Barretos
Campinas
Instituto Brasileiro de Controle de Câncer -
Centro Infantil de Investigações IBCC
Hematológicas Av. Alcântara Machado, 2576
Dr. Domingos A. Boldrini Moóca - CEP 03102-002
Tel.: (PABX) (19) 3787-5000 Tel.: (11) 291-6988 / 692-1381 / 291-6988
Rua Dr. Gabriel Porto, 1270 - Cidade Universitária Fax: (11) 693-7898 / 291-5107 / 278-0222
Barão Geraldo - CEP 13083-210 E-mail: ibcc@ibcc.org.br
Campinas São Paulo

54

ManualOncologico OK.p65 54 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

Instituto de Oncologia de Sorocaba VOCÊ TEM O DEVER DE:


Av. Moreira Cesar, 175
Procurar ajuda especializada;
Centro - CEP 18010-010
Falar para não adoecer;
Tel.: (15) 232-2119 Procurar um atendimento psicológico;
Sorocaba Pedir orientação correta;
Conhecer seus direitos;
Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho Lutar por eles;
Rua Dr. Cesário Mota Junior, 112 Formar grupos de mútua-ajuda para somar forças;
V. Buarque - CEP 01221-020 Denunciar desumanidade, negligência, hipocrisia,
Tel.: (11) 222-7088 - Fax: (11) 223-8691 corrupção;
São Paulo Exigir os seus direitos;
Pesquisar planos de saúde que melhor atendam às
Instituto Peq. Missionárias Maria Imaculada suas necessidades;
Hospital Obra de Ação Social Pio XII Procurar um advogado para defendê-lo quando
Tel.: (12) 321-6788 for o caso;
São José dos Campos Procurar Assistência Jurídica Pública disponível, se
necessário;
Irmandade da Santa Casa de Ler e carregar sempre consigo este manual, para
saber onde encontrar informações e apoio para as
Misericórdia de Sorocaba
suas necessidades.
Av. São Paulo, 750 - Árvore Grande
CEP 18013-002 E O DIREITO DE:
Tel.: (15) 237-8000
“Receber informações claras objetivas e compreen-
Sorocaba
síveis sobre”:
• Diagnóstico
Irmandade de Misericórdia de Taubaté
• Duração prevista do tratamento
Hospital Sta. Isabel das Clínicas
• Efeitos colaterais de medicamentos
Tel.: (12) 232-4044
• Riscos
Fax: (12) 232-9343 • Finalidade de qualquer exame
Taubaté • Alternativas de tratamento, mesmo aqueles não
disponíveis no hospital
Irmandade Santa Casa de Misericórdia • Chances de sucesso
de São José do Rio Preto
Tel.: (17) 232-3233 Ter acesso ao seu prontuário médico, que deve ser
São José do Rio Preto elaborado de forma legível e conter:
• Histórico do paciente
Sergipe • Informações sobre o princípio e a evolução da doença
• Explicações e justificativas para o tratamento adotado
Fundação Beneficência – Hospital de Cirurgia
• Exames realizados
Tel.: (79) 212-7312
• Relatórios e anotações clínicas
Aracaju • Recusar procedimentos com os quais não
concorde
Fundação de Beneficência Hospital • Revogar a qualquer hora seu consentimento
de Cirurgia ao tratamento
Av. Desembargador Maynard, 174 • Receber ou recusar assistência moral, psico-
Getúlio Vargas - CEP 49055-210 lógica, social e religiosa “
Tel.: (79) 224-7312 Fonte: Hospital Universitário
Aracajú Clementino Fraga Filho - RJ/RJ

55

ManualOncologico OK.p65 55 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Leis que protegem o paciente:

DIREITOS DO PACIENTE COM CÂNCER

(Artigo 196 da Constituição Federal: “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante
políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doenças e de outros agravos e ao acesso
universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”).

Lei Orgânica da Saúde (lei 8080/90) – é responsabilidade do Estado a assistência terapêutica inte-
gral, inclusive farmacêutica, garantindo à população acesso aos serviços e ações de saúde, sem privilégios
de qualquer espécie.

Constituição da República Federativa do Brasil


Da Seguridade Social – Seção II – Da Saúde

Art. 197 - São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor, nos
termos da Lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita diretamen-
te ou através de terceiros e, também, por pessoa física e jurídica de direito privado.

Art. 198 - As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e cons-
tituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes:

I. descentralização, com direção única em cada esfera de governo;

II. atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais;

III. participação da comunidade;

§ único. O sistema único de saúde será financiado, nos termos do art. 195, com recursos do orçamento
da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes.
(art. 195: A Seguridade Social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos
termos da Lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal
e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais:

I. dos empregadores, incidente sobre a folha de salários, o faturamento e o lucro;

II. dos trabalhadores;

III. sobre a receita de concursos de prognósticos.)

Legislação referente a benefícios concedidos aos portadores de neoplasia maligna


Servidor público: Art. 40, inciso I da Constituição Federal

Servidor Público Civil Federal: Lei n° 8.112, de 11 de dezembro de 1990 – Dispõe sobre o Regime Jurídico dos
Servidores Públicos Civis da União, das Autarquias e das fundações públicas federais:

Art. 186, inciso I, 1° e 3°, 188 1°, 2° e 3°, 189, § único, 190 e 194.

• Militares (federais): Lei n° 6.880, de 09.12.80, que dispõe sobre o Estatuto dos Militares: artigos 104 e
seguintes (Da Reforma).

• Servidor público civil do DF: Lei Orgânica do Distrito Federal - art. 41, inciso I.

56

ManualOncologico OK.p65 56 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

• Trabalhador regido pela consolidação das Leis do Trabalho - CLT (legislação previdenciária): Lei n° 8.213, de
24 de julho de 1991 – foi alterada, consolidada e republicada por determinação do artigo 6º da Lei 9.032, de
28.04.1995 (Rep-DOU 11.04.1996 e 14.08.1998. Dispõe sobre os planos de Benefícios da Previdência Social:

Art. 26, inciso II e 151 – Benefícios decorrentes da aposentadoria por invalidez permanente
motivada por neoplasia maligna:

A aposentadoria por invalidez causada pelo câncer independe de carência (número de contribuições).

• Isenção de IPF: Lei 8.989 de 23.02.1995 9 Alterações posteriores pelas Leis 10.182/2001, 10.690/2003
3 10.754/2003, que regulamentou a Instrução Normativa da Receita Federal nº 375 de 23/12/2003.

• Quitação do financiamento de imóvel junto à Caixa Econômica Federal: sujeito à verificação de


cobertura do seguro e composição da renda familiar no contrato de financiamento.

• Isenção da contribuição previdenciária sobre a parcela de até R$ 3.000,00 dos proventos dos
servidores públicos federais aposentados por invalidez: Lei n° 9.783 de 28.01.99.

• FGTS: Lei n° 8.036 de 11 de maio de 1990: Art. 20, inciso XI (dispositivo acrescentado pela Lei n° 8.922
de 25.07.94), permite a movimentação da conta vinculada quando o trabalhador ou qualquer de seus
dependentes for acometido de neoplasia maligna.

OBS: Antes desta lei, porém, já existia a Lei nº 7.670, de 08/09.1988, que estendia aos portadores da
AIDS idêntico direito.

• FGTS-Planos Econômicos-Saque da Correção Decreto Lei nº 3.913 de 11.09.2001 que regulamentou


a Lei Complementar nº 110 de 29.06.2001.

Para ter direito ao saque é preciso que o titular da conta vinculada de FGTS tenha saldo nas seguintes datas:
01.12.1988-Plano Verão: 16,64% e 01.04.1990- Plano Collor-1: 44,80%; Verão/Collor-1: 16,64% +44,89%-
sobre os saldos mantidos no período de 01.12.1988 a 28.02.1989 e no mês de abril de 1990 – (art. 2º).

• PIS/PASEP: Resolução n°1 de 15.10.96, do Conselho Diretor do Fundo de Participação PIS-PASEP/MF.


Os saques poderão ser solicitados a qualquer momento, exclusivamente nas agências da Caixa Econômica
Federal, pelos seguintes motivos:

Aposentadoria; reforma militar; invalidez permanente; transferência de militar para a reserva remunerada;
portador do vírus (AIDS); neoplasia maligna (titular ou dependente); morte do trabalhador; benefício
assistencial a idosos e deficientes.

• Isenção do ICMS/DF (Imposto sobre operações relativas à Circulação de Mercadorias) na aquisição de


veículos de até 127 HP de potência bruta, adaptados ao uso de pessoas portadoras de deficiência física
(caso de mulheres submetidas à mastectomia decorrente de neoplasia maligna) - Lei DF n° 261 de 06.05.92.

• Isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) na aquisição de veículos por portadores de
deficiência física: Medida Provisória n° 1.845 - 19 de agosto/99 (reeditada), que restaurou a vigência da
Lei n° 8.989 de 24.02.95.

• Isenção do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores)- A maioria das Leis estaduais
isenta o deficiente físico do pagamento do IPVA, ou seja, aquele que a critério da Junta Médica do
Departamento de Trânsito, for incapacitado para dirigir veículo comum.

Nota: Cada estado tem suas próprias leis sobre o IPVA e as hipóteses de isenção e as alíquotas podem
variar conforme dispuser a legislação do estado.

• IOF-Isenção no financiamento para a compra de veículo. Lei 8.383 de 30.12.1991

OBS.: o benefício será concedido uma única vez.

57

ManualOncologico OK.p65 57 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

• Rodízio de Automóveis: Autorização para trafegar - DSV (setor de autorizações especial). Av. das
Nações Unidas 7.203 - Pinheiros - São Paulo - SP.

SÃO PAULO: Cadastramento de veículos das pessoas portadoras de deficiência ou de quem as transporte,
para rodarem no dia do rodízio municipal.

• CPMF: Lei n° 9.311, de 24.10.96 -Terá direito a um acréscimo nos benefícios, de percentual proporcional
ao valor da contribuição devida, até o limite de sua compensação, quem recebe até 10 (dez) salários
mínimos nos seguintes casos:

- Benefício de prestação continuada ou de prestação única, previstos nos Planos de Benefícios da Previdên-
cia Social (lei nº 8.213, de 24.07.1991;

- Proventos de aposentadoria, pensão e demais benefícios de que trata a Lei nº 8.112, de 11.12.1990.

• Gratuidade nos transportes públicos do DF para pessoas de baixa renda portadoras de câncer (sujeita a
avaliação médica e parecer social): Lei DF n° 773 de 10.10.94 - Decreto n° 16.982 de 05.12.95.

• Gratuidade no transporte Urbano - ônibus Municipal; Metro e Trolebus (somente para portadores de
neoplasia de mama, ossos e cartilagens).

• Transporte, pousada e alimentação-Tratamento Fora do Domicílio (TFD)- Projeto de Lei nº 2.586, de


2000. O texto regulamentar que ampara tais situações é uma PORTARIA DA SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA
À SAÚDE, nos seguintes termos:

Portaria nº 55 de 24.02.de 1999 (DOU-26.02.1999).- dispõe sobre a rotina do tratamento fora de domicílio
no Sistema Único de Saúde (SUS), a qual através do artigo 4º determina que as despesas permitidas
pelo TFD são aquelas relativas a transporte aéreo, terrestre e fluvial; diárias para alimentação e pernoite
para paciente e acompanhante, devendo ser autorizadas de acordo com a disponibilidade orçamentária
do município e estado, sendo que será permitido o pagamento de despesas para o acompanhante,
quando houver indicação médica, esclarecendo o porquê da impossibilidade de o paciente se deslocar
desacompanhado.

O art. 9° determina que em caso de óbito do usuário em Tratamento Fora de Domicílio, a Secretaria de
Saúde do Município/Estado de origem se responsabilizará pelas despesas decorrentes.

• Cirurgia plástica reparadora da mama pela rede de unidades integrantes do Sistema Único de Saúde -
SUS, nos casos de mutilação de uma ou ambas decorrente de tratamento de câncer: Lei n° 9.797 de
06.05.99 (Dependendo de regulamentação pelo Poder Executivo).

• Cirurgia Plástica reparadora da mama pelos Seguros e planos de saúde: Lei nº 10.223 de
15.05.2001, para isso foi modificada a Lei nº 9.656, de 03.06.1998, que regulamenta os planos de saúde,
dando nova redação ao seu artigo 10-A.

• Seguros e Planos de Previdência Privada-Resgate-O resgate de seguro ou pecúlio pago por invalidez ou
morte do segurado é isento do Imposto de Renda-Decreto Lei nº 3.000, de 25.03.1999 – Código Civil Lei
10.406 de 10.01.2002-arts. 757-788.

• Benefício de Prestação Continuada-LOAS - Decreto Lei 1.744 de 08.12.1995(assegura direito ao benefício


mínimo a quem dela necessitar independente de contribuição à seguridade Social).

• Processo Judicial: Andamento Prioritário - Diante da Lei 10.173, de 09.01.2001 que beneficia o idoso, em
razão da sua baixa expectativa de vida, combinado com o critério utilizado pela Lei Complementar nº 110/
2001, que dá prioridade máxima aos portadores de câncer, entende-se que é passível de tratamento proces-
sual prioritário todo e qualquer processo judicial envolvendo pessoas acometidas de neoplasia maligna.

58

ManualOncologico OK.p65 58 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

CONHEÇA PARTE DO CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA cos discriminados em contratos – o consumidor


DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA – CFM terá direito à assistência imediata a partir da
adaptação do contrato.
PREÂMBULO:
2. Contratos assinados há mais de 18 meses e que
I. O presente Código contém as normas éticas que
estão em vigor há menos de cinco anos - o consumi-
devem ser seguidas pelos médicos no exercício
dor terá de esperar seis meses, a partir da adaptação
da profissão, independentemente da função ou
do contrato, para ter direito à cobertura completa,
cargo que ocupem.
que inclui eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia
Capítulo I – Princípios fundamentais (por exemplo, internação em UTI) e procedimentos
de alta complexidade (por exemplo, radioterapia,
Art. 1° A Medicina é uma profissão a serviço da
hemodiálise, quimioterapia). Este período de espe-
saúde do ser humano e da coletividade e deve ser
ra é chamado de cobertura parcial temporária.
exercida sem discriminação de qualquer natureza.
3. Contratos assinados há 18 meses na data da
Art. 2° O alvo de toda atenção do médico é a saúde do
adaptação – nestes casos, a cobertura parcial
ser humano, em benefício da qual deverá agir com o
temporária se estende até que se completem 24
máximo zelo e o melhor da sua capacidade profissional.
meses de contrato.
Art. 9° A Medicina não pode, em qualquer circunstân-
cia, ou qualquer forma, ser exercida como comércio. IMPORTANTE:
O consumidor tem direito a atendimento ambula-
torial de até 12 horas em caso de urgência/emer-
SOBRE OS PLANOS DE SAÚDE – O QUE MUDOU
gência das doenças em que estiver cumprindo
cobertura parcial temporária. Passado este prazo,
O que muda para quem já possui plano ou ou se o paciente necessitar de internação hospita-
seguro de saúde individual ou familiar lar, será encaminhado a uma unidade da rede pú-
blica ou arcará com as despesas de atendimento
Todos os contratos firmados até 31 de dezembro
em hospitais privados. A operadora arcará com a
de 1998 deverão ser adaptados obrigatoriamente responsabilidade e os custos de encaminhamento.
para as novas regras na data de sua renovação ou
Coberturas dos planos e seguros de saúde previs-
até 02 de dezembro de 1999. A adaptação não implica
tos na nova lei Compreende a cobertura de consul-
em nova contagem de carências.
tas em número limitado, exames complementares
A exemplo dos novos contratos, os consumido- e outros procedimentos, em nível ambulatorial,
res que já possuíam planos ou seguros de saúde, incluindo atendimentos e procedimentos caracteri-
zados como urgência e emergência até as primei-
terão direito à cobertura de aids, câncer, deficiências
ras 12 horas. Procedimentos em hemodinâmica.
físicas, transtornos psiquiátricos, observada a abran-
gência do tipo de plano ou seguro contratado. Os Compreende atendimento em unidade hospitalar
reajustes terão de ser feitos dentro dos limites esta- com número ilimitado de diárias, inclusive em UTI,
transfusões de sangue, quimioterapia e radiote-
belecidos por mudança de faixa etária.
rapia entre outros, necessários durante o período
Todas as operadoras terão de dar cobertura à de internação. Inclui também os atendimentos ca-
doenças e lesões preexistentes, mesmo para contra- racterizados como de urgência e emergência que
tos que não previam este tipo de cobertura. Nesses evoluírem para internação ou que sejam necessá-
rios à preservação da vida, órgãos e funções.
casos, os prazos para início da cobertura completa
variam de acordo com o tempo de contrato na data No caso de dúvidas entre em contato com o Disque
Saúde pelo Telefone: 0800 61 19 97 ou escreva para o
de sua adaptação: Ministério da Saúde, Depto. de Saúde Suplementar -
Esplanada dos Ministérios - Bloco G - Sala 724
1. Contratos com, no mínimo, cinco anos e aqueles CEP 70058-900 - Brasília - DF
que não prevêem exclusão de doenças e lesões E-mail: desas@saude.gov.br e yacyra@saude.gov.br
ascom@saude.gov.br, eliane@saude.gov.br
preexistentes, doenças e procedimentos específi-

59

ManualOncologico OK.p65 59 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Aqui você tem algumas informações sobre mais Os valores do FGTS deverão estar a disposição,
direitos e como fazer: para retirar seu FGTS, Apo- do requerente, para serem recebidos, até 5 dias
sentadoria, Licença para tratamento de saúde. úteis após a solicitação do saque.

Os documentos necessários para a realização do


FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO
saque são:

“Todos os trabalhadores regidos pela C.L.T. (que 1. Carteira de trabalho (original e fotocópia);
tem Carteira Profissional assinada) a partir de 05/ 2. Comprovante de Inscrição no PIS/PASEP;
10/88, têm direito ao FGTS. Antes dessa data o
3. Original e cópia do Laudo Histopatológico;
direito ao FGTS era opcional.
4. Atestado médico(*) que contenha:
Os trabalhadores rurais, os temporários, os avul-
sos e os atletas profissionais (jogadores de futebol) a- Diagnóstico expresso da doença;
também têm direito ao FGTS.
b- CID - Classificação Internacional de Doenças;
Poderá realizar o saque do FGTS, junto à Caixa
c- Menção à Lei 8922 de 25/07/94;
Econômica Federal, o trabalhador portador de câncer,
AIDS e estágio terminal de doenças graves ou o tra- d- Estágio clínico atual da doença e do paciente;
balhador que possuir dependente com câncer ou e- Carimbo legível do médico com o número
AIDS ou estágio terminal de doenças graves que do Conselho Regional de Medicina - CRM.
esteja registrado como dependente no INSS ou no
Fonte: C.E.F.
Imposto de Renda. (www.caixa.gov.br)

Em caso de saque por câncer ou AIDS ou estágio


A Justiça Federal, mediante ação judicial, tem
terminal de doenças graves, o trabalhador poderá
liberado o FGTS para outras doenças graves, não
receber o saldo de todas as suas contas, inclusive a
só câncer e AIDS.
do atual contrato de trabalho. Nesta hipótese, o sa-
que na conta poderá ser efetuado quantas vezes for
solicitado pelo trabalhador, desde que este apresente ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

os documentos necessários. (*)


A validade do atestado é de 30 dias.

MODELO DO ATESTADO PARA RETIRADA DO FGTS: (Papel Timbrado)

Atestado Médico

Atesto que o paciente..................... (nome do paciente), é portador de.................... (nome da doença),


CID - Classificação Internacional de Doenças nº............. (o médico deve verificar o Classificação da doença). O
presente atestado destina-se a comprovação junto à CEF, nos moldes da Lei 8.922 de 25/07/94, que acrescenta
dispositivo ao art. 20 da Lei nº 8.036 de 11 de maio de 1990 e Medida Provisória nº 2.164 de 24/08/2001, artigo
9º, para permitir a movimentação da conta vinculada quando o trabalhador ou qualquer de seus dependentes for
acometido de neoplasia maligna ou AIDS ou estágio terminal de doença grave. O estágio clínico atual da doença
é............... (Ex.: estável) e o paciente encontra-se em............... (Ex.: tratamento quimioterápico).

(Local e data)

(Assinatura e carimbo legível do médico responsável pelo tratamento)

OBS.: Reconhecer firma do médico. O atestado é válido por 30 dias.

60

ManualOncologico OK.p65 60 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE Existem dois tipos, fundamentais de relação de


trabalho: os celetistas e os funcionários públicos.
AUXILIO DOENÇA Celetistas são os que têm Carteira Profissional
O auxílio-doença será devido ao doente que ficar assinada e pagam o INSS.
incapacitado para o seu trabalho ou para a sua ativida- Funcionários públicos são os que ingressaram
de habitual por mais de 15 (quinze) dias consecutivos. no serviço público, mediante concurso, podem ser
Durante os primeiros 15 (quinze) dias consecuti- federais, estaduais ou municipais.
vos de afastamento da atividade por motivo de doen- O INSS assegura aos celetistas portadores de
ça, cabe à empresa pagar ao doente empregado o doenças graves quando não puderem mais ganhar
seu salário. No caso de segurado empresário, a sua seu sustento, com base em conclusão de laudo médi-
remuneração também deve ser paga pela empresa. co, o direito a aposentadoria por invalidez, indepen-
Não existe carência para se requerer o auxílio- dente do número de contribuições (sem carência).
doença e aposentadoria por invalidez para quem tem Se o celetista estiver recebendo auxílio-doença,
doenças graves, desde que provado por laudo médico a aposentadoria por invalidez começará a ser paga
e o doente tenha inscrição no Regime Geral de Previ- a contar do dia imediato ao da cessação do auxílio-
dência Social (INSS). doença.
O auxílio-doença, inclusive o decorrente de aci- Para o segurado do INSS (empregado) que não
dente do trabalho, consistirá numa renda mensal cor- recebe auxílio-doença a aposentadoria por invalidez
respondente a 91% (noventa e um por cento) do começará a ser paga a partir do 16º dia de afasta-
salário-de-benefício. mento da atividade ou a partir da data da entrada
do requerimento, se entre o afastamento e a entrada
O doente, quando estiver recebendo o auxílio-doen-
do requerimento decorrerem mais de 30 dias.
ça, poderá ter que se submeter a processo de reabili-
tação profissional para o exercício de outra atividade. Para os demais segurados (trabalhadores autô-
nomos) a aposentadoria por invalidez começará a ser
Lembre-se que qualquer atividade que o faça se
paga a partir da data do início da incapacidade ou a
sentir útil será ótima para seu bem estar geral.
partir da data da entrada do requerimento, quando
Até que volte a trabalhar, quando reabilitado, na requerido após o 30º dia do afastamento da atividade.
nova atividade, que lhe garanta a subsistência, o
Veja bem este direito. Ele é muito é importante
doente continuará a receber o auxílio-doença.
se o segurado do INSS necessitar de assistência per-
O doente em auxílio-doença ou em aposentadoria manente de outra pessoa, a critério da perícia médica,
por invalidez está obrigado, sob pena de suspensão o valor da aposentadoria por invalidez será aumen-
do benefício, a submeter-se a exame médico a cargo tado em 25% a partir da data de sua solicitação.
da Previdência Social (INSS), ao processo de reabili-
A aposentadoria por invalidez o benefício deixa
tação profissional por ela prescrito e custeado, e ao
de ser paga quando:
tratamento dispensado gratuitamente.
• o segurado recupera a capacidade para o trabalho;
O auxílio-doença deixa de ser pago quando da
recuperação da capacidade para o trabalho ou pela • quando o segurado volta voluntariamente ao
transformação em aposentadoria por invalidez. trabalho e

• quando o segurado solicita e tem a concordân-


APOSENTADORIA POR INVALIDEZ cia da perícia médica do INSS.

Só existe possibilidade de requerer a aposentado- A relação de documentos e os formulários estão


ria por invalidez se a pessoa não mais tiver possibilida- disponíveis nas Agências ou Unidades Avançadas de
de de trabalhar. Não basta, apenas, ter doença grave. Atendimento de Previdência Social.

61

ManualOncologico OK.p65 61 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Para maiores informações, consulte os atendentes Nos casos de invalidez permanente, cuja docu-
nas Agências da Previdência Social ou use o PREVFone mentação tenha sido complementada junto à Segura-
(0800 78 0191). dora, em um mês deverá ter quitado o financiamento
ou parte dele.
Os funcionários públicos são regidos por leis espe-
ciais, as informações devem ser procuradas nos de- Para os casos de invalidez permanente, o banco
partamentos pessoais de cada repartição. ou a COHAB ou a Caixa que fez o financiamento, enca-
minhará à Seguradora os seguintes documentos:

a) Aviso de Sinistro Habitacional preenchido, in-


QUITAÇÃO DO FINANCIAMENTO DA CASA clusive com a data da RI (Relação de Inclusão)
PRÓPRIA SISTEMA FINANCEIRO DA em que constou a última alteração contratual
HABITAÇÃO averbada antes do sinistro;

Quando se adquire uma casa financiada pelo Sis- b) Declaração de Invalidez Permanente em im-
tema Financeiro da Habitação (S.F.H.), juntamente presso padrão da Seguradora preenchida e
com as prestações mensais para quitar o financia- assinada pelo órgão previdenciário para o qual
mento, paga-se um seguro destinado a quitar a casa contribua o Segurado;
no caso de invalidez e/ou morte. c) Carta de concessão da aposentadoria por inva-
Portanto o seguro quita a parte da pessoa inváli- lidez permanente, emitida pelo órgão previ-
da na mesma proporção que sua renda entrou para o denciário;
financiamento. Se, por exemplo: o inválido entrou com d) Publicação da aposentadoria do Diário Oficial,
100% da renda, o imóvel será totalmente quitado. Se se for Funcionário Público;
na composição da renda contribuiu com 50% terá
e) Quadro nosológico, se o financiado for militar;
quitada metade do imóvel e sua família terá de pagar
apenas os 50% restantes da prestação mensal. f) Comunicado de Sinistro devidamente preen-
chido e assinado, com firma reconhecida do
O seguro do S.F.H. entende invalidez total e per-
médico assistente do doente;
manente como incapacidade total ou definitiva para
o exercício da ocupação principal e de qualquer outra g) Contrato de financiamento;
atividade laborativa, causada por acidente ou doença, h) Alterações contratuais, se houver;
desde que ocorrido o acidente, ou adquirida a doença
i) Declaração específica com indicação expressa
que determinou a incapacidade, após a assinatura
da responsabilidade de cada financiado, o va-
do instrumento contratual de compra da casa própria.
lor com que o doente entrou na composição
Tratando-se de Segurado aposentado por tempo da renda familiar para a compra da casa, se
de serviço ou não vinculado a órgão previdenciário, a o contrato de financiamento não a contiver
invalidez será comprovada por questionário específi- de forma expressa;
co respondido pelo médico do adquirente da casa e a j) FAR - Ficha de Alteração de Renda, se houver,
perícia médica realizada e custeada pela Seguradora. em vigor na data do sinistro;
Não aceitando a decisão da Seguradora, o doente l) Demonstrativo de evolução do saldo devedor;
comprador de casa financiada deverá submeter-se
m) Demonstrativo de pagamento de parcelas, ou
a junta médica constituída por três membros, o doen-
planilha de evolução da dívida, ou documento
te deverá levar laudos, exames, atestados médicos,
indicando o valor e a data da liberação”.
guias de internação e quaisquer outros documentos
de que disponha relacionados com o mal que não Do Fundo de garantia e sua retirada até aqui é
texto da cartilha da Maria Cecília Mazzariol Volpe
permite que exerça seu trabalho. mariinha@sorirama.com.br

62

ManualOncologico OK.p65 62 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO Que algum dia tenhamos contraído e que ainda
estejam sem reparação!
Você não está sozinho. O NAPACAN existe para
educá-lo e informá-lo sobre os caminhos pelos quais Eu sou grato(a), somos gratos pela Lei do Perdão
que nos permite amar a vida livre da roda do mau
optar para ser atendido pelo sistema de saúde público
karma antes que ele possa manifestar-se ou ser
ou particular, e para indicar onde encontrar os órgãos
sustentado por mais tempo. Nós aceitamos esta
competentes capazes de socorrê-lo quando sua doen-
resolução da Lei do Perdão Naquilo que é mais
ça não for respeitada e você não for atendido. Sagrado, banhando-nos com a Sagrada Luz Violeta
que tudo transforma e transmuta até os menores
pensamentos, em Amor Universal! Amém!
2. APOIO ESPIRITUAL Oração retirada de livros da
Ponte para a Liberdade
Queremos sugerir que você busque ajuda espi-
ritual no lugar que for mais agradável para você.
A seguir endereços de Templos e Igrejas
Veja uma de nossas indicações abaixo:
para sua Orientação Espiritual
Medite todos os dias. Meditar é estar com você.
Olhe uma árvore pelo menos 30 minutos todos Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra
os dias. Cante uma música que você mais goste, www.saranossaterra.com.br
cante para você mesmo. Quando você canta,
sua alma está sendo acariciada. Faça uma oração Igreja Luterana Nova Aliança
que alimenta sua alma: www.ilna.org.br
Tele-Fé 24h: (11) 5181-1414
Oração do divino perdão E-mail: ilna@ilna.org.br
Site Tele-Fé: www.tele-fe.com.br
Com todo o Poder da Presença de Deus e do
raio do amor eterno, eu perdôo, perdôo, perdôo, Igreja Batista Renovada
cada pessoa, lugar, condição ou coisa que me www.batistarenovada.com.br
tenha feito algum mal, de qualquer modo, em
qualquer momento, por qualquer razão, e agora Igreja Batista Nacional
envolvo em AMOR DA LUZ ROSA todas as dívidas Tel.: (11) 6943-5170
a mim atribuídas da vida e rogo que a CHAMA glaucio@batistarenovada.com.br
VIOLETA possa transmutar em NOVAS ALEGRIAS
E PAZ para mim, esta(s) situações ou pessoas Fundação Renascer - Sede Administrativa
atingidas por mim sem minha consciência da se- Rua Apeninos, 1088 - 9º Andar
riedade da ação praticada. Peço ao Deus do Eter- Paraíso - São Paulo - SP - CEP 04104-100
no que me perdoe, me perdoe, me perdoe, me Tel.: (11) 5087-5800
purifique de todo o mal gerado em mim por mi-
nha irresponsabilidade emocional e espiritual. Em Paróquia Nossa Senhora do Rosário
nome da Divina Presença Eu Sou do Amor, eu Av. Pompéia, 1.250 - Tel.: (11) 3862-6727
ordeno que este Apelo seja um decreto Divino
que me liberta, me cura e me fortalece em nome Seminário São Camilo
da Chama Dourada da Proteção Divina. Av. Pompéia, 1.214 - Tel.: (11) 3673-3324
Eu invoco a Lei do perdão para mim mesmo(a) e
Seicho-No-Ie Do Brasil
para toda Humanidade pelo mau uso da Energia
www.seicho-no-ie.org.br
Sagrada de Deus. Perdoe-me Senhor! Perdoem-
me meus amigos e inimigos, perdoe-me (dizer os Sede Central:
nomes das pessoas). E à medida que somos per- Av. Eng. Armando Arruda Pereira, 1266
doados enviamos uma dádiva de amor para equili- Tel.: (11) 5014-2222
brar todas as dívidas geradas à vida, ao planeta,... sni@sni.org.br

63

ManualOncologico OK.p65 63 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Consulte este site, ele é bem interessante “O Budismo é uma filosofia de vida baseada inte-
(pelo menos até o dia de hoje, 22.06.05, gralmente nos profundos ensinamentos do Buda
havia coisa legal). Boas orações e medite. para todos os seres, que revela a verdadeira face
www.meusanto.com.br da vida e do universo. Quando pregava, o Buda
não pretendia converter as pessoas, mas iluminá-
Igreja Messiânica do Brasil Sede Central las. É uma religião de sabedoria, onde conheci-
Vila Mariana - Tel.: (11) 5087-5000 mento e inteligência predominam.

O Budismo trouxe paz interior, felicidade e harmo-


Johrei Center: nia a milhões de pessoas durante sua longa histó-
Paraíso - Maria Lúcia: Tel.: (11) 3887-4971; ria de mais de 2.500 anos. O Budismo é uma
Jardins - Maria do Roccio - Tel.: (11) 3889-7982; religião prática, devotada a condicionar a mente
Perdizes - Min. Antonio - Tel.: (11) 3864-1386; inserida em seu cotidiano, de maneira a levá-la
Vila Sonia - Tel.: (11) 3742-3926; à paz, serenidade, alegria, sabedoria e liberdade
Campo Belo - Tel.: (11) 5531-0504, 5532-0351 perfeitas. É uma maneira de viver que extrai os
mais altos benefícios da vida”.
www.messianica.org.br

Centro de Dharma da Paz Shi-De Choe Tsog


O Johrei já é estudado e observado na In- Templo de estudos e prática do Budismo Tibetano
glaterra e no Arizona no tratamento de pacientes Rua Apinagés, 1718 - Sumaré
com doenças graves, inclusive o câncer. “Segundo CEP 01258-000 - São Paulo - SP
especialistas, durante a sessão as ondas cerebrais Tel.: (11) 3871-4827
beta, que sinalizam nervosismo e tensão, são substi- www.centrodedharma.com.br
tuídas por ondas alfa, que evidenciam o estado de dharmapaz@uol.com.br
relaxamento. O cérebro também aumenta a produ- www.lgpt.net
ção de endorfinas, substâncias que acalmam a dor www.peacenvironment.net
e diminuem o estresse. www.worldpeacecongress.net
www.healingjewels.com
O johrei, uma forma de canalizar a energia uni-
www.vidanova.com
versal com as mãos, foi criada por Mokiti Okada (Mei-
shu Sama) (1882-1955), comerciante japonês que Centro Budista Djampel Pawo
se tornou o primeiro líder espiritual da Igreja Mes- Lama Kalden Tulku Rimpoche
siânica Mundial. Inicialmente, a técnica era aplicada Rua Sá Miranda, 128 - Vila Olímpia - São Paulo
como digitopuntura (massagem executada com os Tel.: (11) 3045-7932 / 3045-4103
dedos) a fim de ser mais bem-aceita na rígida cultu-
ra do Japão da década de 30”. Templo Zu-Lai
Estr. Municipal Fernando Nobre, 1461 - Cotia - SP
“JOHREI, JOH = PURIFICAR, REI = Tel.: (11) 4612-2895 - Fax: (11) 4702-5230
ESPÍRITO = Purificação do espírito. zulai@budanet.org.br / http://www.budanet.org.br

O objetivo do Johrei é criar felicidade. O Johrei MENSAGEM PARA REFLETIR


purifica máculas espirituais e elimina toxinas
de nosso corpo físico e emocional. O Johrei é A vida que vivemos é o resultado de nossas ações,
a união do elemento água, fogo e terra. logo somos responsáveis pela salvação de nosso pas-
JOHREI É ORAÇÃO EM AÇÃO, Johrei significa sado e de nosso futuro (pense em nossos antepas-
purificação do espírito” (Meishu Sama). sados). Mudar para viver com saúde e alegria é um

64

ManualOncologico OK.p65 64 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

passo importante, embora difícil. A minha maneira como um tabu), reside em aspectos de prevenção,
de me relacionar com os meus objetos e atividades diagnóstico precoce, acesso à cirurgia, mas também
denuncia minha forma de existir. Para eu entender na pesquisa clínica.
por que vivo lutando contra tudo, basta-me observar O NAPACAN precisa do apoio dos nossos go-
o funcionamento do meu aparelho digestivo. Se eu vernantes para criar condições dignas de tratamento
observar a minha respiração posso aprender a vencer para TODOS.
os meus medos. Se eu me desapegar dos objetos e
Se todos derem às mãos formaremos uma REDE
pessoas, fico livre para viver sem medos.
de solidariedade fundamental para tornar este País
“O Homem é o que come e o que pensa Humano e Ético na hora de oferecer tratamento gra-
E vê apenas aquilo que sonha”. tuito para o povo que não tem recursos para pagar
um serviço particular.
O Homem é sua própria liberdade
Sua prisão Nós articulamos encontros de pessoas que lutam
Seu bem, seu mal por viabilizar projetos que possam beneficiar o pa-
Sua luz, suas trevas ciente com câncer para PLANTAR a idéia da EDU-
Sua vida e sua morte CAÇÃO que salva vidas e criar serviços eficazes
Carente de aprender a fazer luto de suas perdas. médicos de oncologia e psico oncologia gratuitos em
Para transcender aos seus grilhões emocionais todo o Brasil.
e espirituais. O NAPACAN criou um Programa de Educação
Podendo adormecer sapo e despertar príncipe. Continuada e distribui gratuitamente um Manual,
Encontrando seu próprio brilhante. uma Cartilha para o Brasil, e criamos uma home
Tornando-se sacerdote de sua autotransformação! page na Internet (www.napacan.org.br) com infor-
mações importantíssimas para o paciente e seus
familiares.
3. QUEM SOMOS
O nosso Manual foi adotado a partir do mês de
O NAPACAN – Núcleo de Apoio ao Paciente julho de 2000, como material pedagógico em cance-
com Câncer, foi criado no dia 26 de setembro de rologia e oncologia para leigo, pelo Instituto Brasi-
1999 em São Paulo e contou com a ajuda e apoio de leiro de Controle do Câncer_ IBCC. Foram entre-
muitas pessoas que dedicaram seu tempo e conheci- gues 2.500 exemplares para seus pacientes.
mentos para tornar real a idéia de que sendo solidário O NAPACAN, juntamente com a SBC instalou
o Homem cresce e fica FORTE. a Frente Parlamentar da Cancerologia em
O NAPACAN existe fundamentalmente para dar 25.11.1999. Criou o Fórum da Cidadania em Can-
VOZ ao paciente na hora de receber atendimento, cerologia com a SBC, a Frente Parlamentar da
de saber de seus direitos, de ser informado adequa- Cancerologia, representantes de Entidades Filantró-
damente sobre o que é o câncer, sobretudo ser infor- picas, Representações do Ministério da Saúde, INCA
mado que câncer tem cura quando se faz um diagnós- e outros, que foi realizado em 18.10.2000 em Bra-
tico precoce e se recebe tratamento especializa- sília. Lutamos para a liberação da droga que dá so-
do na hora certa. brevida e até cura ao paciente de Leucemia Mielóide
Crônica (glivec) e pela sua inclusão no SUS desde
Nós do NAPACAN, engajados neste movimento setembro de 2001.
de conscientização, lutaremos pelos direitos do pa-
ciente apontando as falhas possíveis do atendimento Entendemos que programas de Educação e Pre-
venção para a população Salvam Vidas e reduz custos
do Sistema Único de Saúde nos Hospitais bem como
com Hospitais e medicamentos.
procurando soluções para as mesmas. É importante
salientar, que a cura do câncer (que ainda é tratado Vamos Plantar esta Idéia.

65

ManualOncologico OK.p65 65 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

O NAPACAN está preparando novos projetos para 4. FONTES DE PESQUISA E LINKS


mudar a vida das pessoas que procuram por saúde
e ética nos atendimentos médicos e psicoterápicos.
IMPORTANTES
Estamos com um programa de prevenção na Sindicato dos Médicos de São Paulo (SIMESP);
conexão medica juntamente com o Instituto Conselho Federal de Medicina;
Avon, Rede Brasileira de Combate ao câncer, Curso Básico de Cancerologia - SBC;
Fundação Faculdade de Medicina e Sociedade Instituto Nacional do Câncer - INCA;
Paulista de Oncologia Clínica – Educação, Preven- Revista da Sociedade Brasileira de Cancerologia;
ção e Detecção precoce do câncer de mama (www.
Sociedade Brasileira de Cancerologia;
conexaomedica.com.br, www.mamaevida.com.br).
Sociedade Brasileira de Oncologia Clinica;
Lançamos nosso jornal (Educando para ter Saúde) www.mdanderson.org
eletrônico primeira edição no site www.napacan.org.br www.aleitamento.org.br, www.ibcc.org.br
(olhe o menu onde se ler Jornal).
www.filantropia.com.br, www.saude.gov.br
Também Realizamos a primeira caminhada Bra- www.sbcancer.org.br, www.cancereurope.org
silUnidoContraoTabaco dia 31 de maio de 2005, www.zipsaude.com.br,
dia mundial sem tabaco, com a intenção de chamar www.saudeetrabalho.com.br
a atenção dos governantes sobre a importância de
www.conexaomedica.com.br, www.sarcoma.com.br
aprovar a Convenção Quadro _ primeiro tratado in-
www.spoc.org.br, www.oncoguia.org.br
ternacional de saúde pública da história da humanida-
de, criado em 1999 durante a 52ª Assembléia Mundial American Society of Pediatric Hematology/
da Saúde, (OMS), fixa padrões internacionais para Oncology
o controle do tabaco, com providências relacionadas www.aspho.org
à propaganda e patrocínio, à política de impostos e
Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia
preços,...Dentre outras medidas. Este tratado não
substitui as ações nacionais e locais para o controle www.abrale.org.br

do tabaco de nenhum país, elas as complementa e Centro Infantil Boldrini


fortalece. Estamos captando um mínimo de 500 mil www.boldrini.org.br
assinaturas, se possível conseguiremos 1.000.000
para enviarmos ao Senado pedindo que o tratado Centro de Oncologia Pediátrica
seja assinado no Brasil, um dos poucos do mundo www.inca.gov.br/hc_I/oncologia_pediatrica
que ainda não assinou.
Centro de Hematologia e Oncologia Pediátrica
Se o governo pensasse na saúde do cidadão e www.cehope.com.br
de quanto custa tratá-lo nos hospitais públicos, ele
Instituto de Oncologia Pediátrica
já teria assinado este documento. Se ele pensasse
www.unifesp.br/dped/exten/iop.html
que milhares de jovens serão fumantes desde os 12
anos e morrerão mais cedo acometidos por doen- Instituto Ronald McDonald
ças causadas pelo tabaco.... www.instituto-ronald.org.br

Consulte os links para parar de fumar: Portal do Câncer Infantil


www.abqv.com.br, www.vivasemtabaco.com, www.oncopediatria.org.br
www.sesi.org.br, www.vidaqualita.com.br,
Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica
www. niquitin.com.br, www.nicorette.com.br,
www.sobope.org.br
e tele atendimento pelo 0800.266001,
0800.7037033 (este último é do INCA, instituto American Association for Cancer Research
nacional do câncer www.inca.gov.br). www.aacr.org

66

ManualOncologico OK.p65 66 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

MD Anderson Cancer Center: falar com pacientes, sobre assuntos do tipo pessoal
Pediatric Bone Marrow Transplantation ou íntimo. Reconhecer o desconforto do cuidador da
www.mdanderson.org/departments/pedbmt saúde pode ajudá-lo a desenrolar a conversa. Você
pode iniciá-la, perguntando “eu não estou inteira-
National Childhood Cancer Organisations
mente à vontade trazendo à tona o assunto sexuali-
www.cancerindex.org/ccw/guide2j.htm
dade, mas é para mim importante conhecer como
Pediatric Oncology Services at the UCSF minha doença e o respectivo tratamento podem afe-
http://cc.ucsf.edu/clinical/peds.html tar minha função sexual e fertilidade”. Se seus prove-
dores de saúde ficarem constrangidos, ou não estive-
St. Jude Children’s Research hospital
rem bem informados acerca dos tratamentos para
www.stjude.org/
preservar sua função sexual e fertilidade, peça a in-
University of Minnesota: dicação de alguém que possa ajudá-lo a encontrar
Department of Pediatrics um médico e psicólogo especialistas na área, um
www.peds.umn.edu enfermeiro com experiência ou algum outro membro
da saúde.

Alguns cânceres, como o de mama, próstata, ová-


5. VIDA SEXUAL E FERTILIDADE
rio, útero, vagina, cérvix, pênis e testículo, natural-
DO PACIENTE mente levam os sobreviventes a pensarem no assunto.

Contudo, qualquer tipo de câncer pode causar


SEXUALIDADE E FERTILIDADE
impacto na sexualidade e muitos tratamentos podem,
temporariamente ou permanentemente afetar a se-
Tradução feita de:
Thaler-DeMers, D. Chapter 4: Sexuality and Fertility. xualidade e fertilidade.
In: Hoffman, B. A Cancer Survivor’s Almanac.
Charting your journey. p.69-90. John Wiley & Sons, Inc. Depois de diagnosticados, muitos sobreviventes
New Jersey. USA. 2004. 374p.
se concentram em escolher um plano de tratamento
apropriado e começá-lo, tão logo seja possível. Em-
A experiência do câncer afeta tudo em sua vida. bora seus médicos possam discutir os efeitos cola-
Enquanto o foco imediato do sobrevivente possa ser terais do tratamento, os sobreviventes são sobrecar-
o de encontrar êxito no tratamento, o diagnóstico regados com uma porção de informação nova e com-
gera efeitos no físico, mas também nas esferas do plexa. Suas preocupações com sexualidade, intimida-
emocional, espiritual, financeiro, legal, interpessoal de e fertilidade podem ser adiadas até o tratamento
e reprodutivo. As questões de sexualidade e fertilida- ser iniciado. No entanto, para prover um cuidado
de raramente são discutidas, mesmo pelos cuidado- com qualidade, os provedores da saúde devem contar
res do paciente. Muitos sobreviventes de câncer pas- aos sobreviventes como o tratamento pode afetar a
sam por mudanças de experiência em seus níveis sexualidade e fertilidade, antes que eles façam a
de desejo sexual e fertilidade, justificáveis pelos efei- decisão final do tratamento. Considere esse exemplo:
tos colaterais freqüentes, tanto da doença em si,
Roberto foi diagnosticado com câncer de próstata
como do seu tratamento.
e obteve muitas opções de tratamento. Essas in-
A sexualidade e fertilidade são partes importan- cluíam cirurgia, implantes radioativos, radioterapia,
tes do tratamento. Desse modo, se seu médico ou quimioterapia e terapia hormonal. Ele foi informado
enfermeira oncologista não abordou esses tópicos de que quaisquer desses tratamentos poderiam cau-
com você, pergunte sobre isso, antes de iniciar o sar impotência. Roberto diz a seu médico que quer
tratamento. No entanto, eles podem se sentir des- ter a melhor chance de cura, mas igualmente quer
confortáveis de falar sobre esses temas. Poucas preservar sua atividade sexual. Assim, seu médico
escolas médicas ou de enfermagem ensinam como relata que dentre os tipos de cirurgia que podem

67

ManualOncologico OK.p65 67 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

ser realizadas, algumas são menos prováveis de cau- cuidadores sobre a possibilidade de preservar tecido
sar impotência do que outras. Eles falam sobre im- ovariano para opções futuras de fertilização. Sua equi-
plantes penianos, além de outros modos de trata- pe, contudo não estava familiarizada com essa técnica,
mento da impotência, se ela ocorrer como resultado desse modo ela recorreu a um endocrinologista repro-
do tratamento. dutivo, antes de iniciar seu tratamento.

Joaquim, um universitário, foi diagnosticado com Susana é um exemplo de sobrevivente que leu
câncer no testículo e passará por cirurgia e quimio- sobre os efeitos colaterais e instruiu-se como mini-
terapia. Ele é um competidor em esporte e está preo- mizar aqueles efeitos em sua vida. Ela está bem infor-
cupado como seus companheiros de time reagirão mada, mas do mesmo modo é assertiva sobre a co-
com a mudança em sua aparência, após a cirurgia. municação de seus desejos. Quando percebe que
Ele está também se inquieta com o impacto que sua seus cuidadores não estão bem informados, pede
doença exercerá em sua vida social. Uma vez que a para conversar com um especialista.
aparência física lhe é importante, ele deve saber
Todo ano, novas descobertas médicas trazem
antes da cirurgia, de que pode implantar uma prótese
melhores técnicas cirúrgicas, novos medicamentos
testicular, no momento da remoção do tumor. Há dis-
e melhores escolhas de tratamento que minimizam
ponibilidade de próteses de diferentes tamanhos, do
os efeitos colaterais danosos da quimioterapia. A
mesmo modo que podem ser feitas de diferentes ma-
qualidade de vida tornou-se uma consideração im-
teriais. Se ele não soubesse disso antes da cirurgia e
portante na escolha do tratamento.
descobrisse depois, Joaquim teria que passar por uma
outra cirurgia, para ter a prótese inserida. Além disso,
SEXUALIDADE
ele pode questionar o motivo pelo qual não obteve
com antecedência esse tipo de informação. A sexualidade é mais do que um ato físico relacio-
nado à atividade sexual. Sua sexualidade compreen-
Antes que você faça quimioterapia, considere a
de como você se vê, tanto como indivíduo como em
possibilidade de armazenar esperma para uso futuro
relação aos outros. Isso inclui como você se sente
(banco de esperma). Uma vez iniciado o tratamento,
sobre seu corpo, a necessidade de toque, o interesse
a quimioterapia pode causar uma mudança significa-
na atividade sexual, comunicando suas necessidades
tiva na fertilidade. Embora você possa armazenar seu
de sexo a seu companheiro, e a capacidade de apro-
esperma, após ter iniciado o tratamento, a quantida-
veitar o ato sexual. A sexualidade é uma interação
de e qualidade do esperma colhido pode não ser mais
complexa de muitos fatores, incluindo o desejo da
a mesma. O banco de esperma deve ser oferecido a
intimidade emocional.
homens de todas as idades e deve ser discutido com
os jovens, adolescentes e com os pais de crianças O diagnóstico de câncer pode afetar a sexualidade
também. Avanços recentes na medicina reprodutiva de muitas maneiras. Do momento do diagnóstico,
têm tornado possível aos homens serem pais, apesar você pode ter alterações físicas, emocionais, psicoló-
da contagem baixa no momento do diagnóstico. gicas e espirituais. Essas alterações podem começar
antes da escolha do tratamento, qualquer um deles
Susana foi diagnosticada com linfoma. Ela decidiu
pode afetar sua sexualidade e o desejo de contato
por uma quimioterapia de alta dose e transplante de
íntimo com outros.
medula óssea e foi informada sobre a possibilidade
da quimioterapia lhe causar infertilidade. Do mesmo A “resposta sexual” é o termo melhor usado para
modo, foi aconselhada a usar contraceptivos durante descrever as mudanças que ocorrem do período de
a quimioterapia, uma vez que essa tem o potencial excitação sexual até o período de repouso após a
de causar malformações aos fetos concebidos durante atividade sexual. Cada pessoa tem uma resposta úni-
o tratamento. Susana leu sobre os efeitos colaterais ca; sua resposta pode ser diferente daquela descrita
da quimioterapia, por isso perguntou à equipe de neste ou qualquer outro manual. Use as mudanças

68

ManualOncologico OK.p65 68 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

físicas descritas aqui, como guia. Se você está tendo ração do corpo, que varia no tempo, dependendo do
dificuldade em realizar quaisquer dos estágios descri- indivíduo. Os ritmos cardíaco e respiratório, a pres-
tos, ou se está com desconforto durante o ato sexual, são sangüínea e a tensão muscular retornarão aos
discuta isso com seu médico. Mudanças físicas, quí- níveis normais.
micas ou psicológicas que causem problemas sexuais A comunicação com seu parceiro é essencial du-
podem ser dirigidas pela sua equipe de cuidadores. rante a atividade sexual. Se você sente dor, deixe
Muitas pessoas que experimentam incômodo ou seu parceiro saber imediatamente e tente identificar
sangramento durante suas primeiras tentativas de o que a inicia. Pode haver necessidade de mudar a
atividade sexual durante o tratamento, assumem que posição, usar mais lubrificante, apoiar-se em mais
não podem mais regozijar da atividade sexual. Isto travesseiros, ou empreender outras alterações em
não é verdade. Posições diferentes, vários tipos de sua atividade sexual que a torne uma experiência
lubrificação, mais atenção aos momentos que prece- prazerosa para ambos.
dem o ato, a melhora de comunicação entre os par-
Muitas partes do corpo necessitam exercitar-se
ceiros ou a consulta com um terapeuta sexual podem
juntas para que ocorra a resposta sexual. As mensa-
ajudá-lo(a) a lidar melhor com os problemas encont-
gens passam do cérebro para os músculos e vasos
rados durante a atividade sexual. Falta de desejo
sangüíneos, através do sistema nervoso. A mudança
sexual, geralmente é causado pelos medicamentos
resultante de doença, cirurgia, radiação, quimiotera-
ou fadiga associada ao tratamento. Algumas vezes,
pia ou terapia biológica pode alterar a resposta sexual
alteração na medicação ou planejamento do momen-
orgânica. O estresse emocional ou depressão podem
to íntimo seguido de repouso pode ajudar.
bloquear o impulso sexual.
A resposta sexual começa mais precisamente,
no cérebro. Um pensamento erótico, alguma coisa QUESTÕES COMUNS SOBRE SEXUALIDADE
que você vê ou lê, um cheiro, toque, engatilha a PARA O HOMEM E A MULHER
resposta. Pode ser uma coisa ou uma combinação
Você pode necessitar de certas precauções se
delas. O cérebro, então libera compostos químicos
sua doença afeta a contagem de suas células san-
que iniciam uma série de mudanças físicas.
güíneas. Um volume baixo de células vermelhas do
O sangue começa a aumentar em algumas partes sangue (anemia) pode abreviar a respiração, diminuir
do seu corpo, principalmente no pênis, clitóris, vulva sua resistência e causar fadiga, afetando sua ativida-
e vagina. Os seios crescem e os mamilos ficam ere- de sexual. Do mesmo modo, a redução da contagem
tos. A mulher secreta um fluido que lubrifica a vagina. de plaquetas (trombocitopenia) pode tornar a rela-
O pênis se ergue, o escroto se espessa, o coração ção sexual perigosa. As plaquetas são um dos fatores
bate mais rápido, a respiração acelera e a pressão que auxiliam seu corpo a formar coágulos de sangue.
sangüínea aumenta. Algumas pessoas ficam rubori- Se você tem uma contagem muito baixa de plaque-
zadas ou sentem-se tensas e ansiosas. Os músculos tas, pode se machucar facilmente e caso se corte,
se contraem e pode haver espasmos involuntários. sangrará mais tempo que o normal. As plaquetas
Nada que acontece nessa fase do ciclo de resposta em nível baixo podem causar sangramento espontâ-
sexual deve ser doloroso. neo devido à desidratação das mucosas. Você perce-
berá isso como uma hemorragia nasal ou sangra-
Se a atividade sexual prossegue, essas sensa-
mento dos lábios secos e rachados. Confira com seu
ções se elevarão até culminarem no orgasmo. As
médico ou enfermeira oncologista para verificar se
contrações musculares na área pélvica fazem com
está seguro para fazer sexo.
que o homem ejacule. O orgasmo proporciona uma
sensação de liberação e bem estar. Os espasmos Uma contagem alta de células brancas, como na
musculares podem ocorrer com a liberação da tensão leucemia, pode também apresentar risco para a ati-
muscular. Isso é seguido por um período de recupe- vidade sexual. O grande número de células brancas

69

ManualOncologico OK.p65 69 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

pode obstruir os vasos sangüíneos e aumentar a contra isso cerca de 20 minutos antes da atividade
pressão sangüínea. Isso pode se tornar um problema, sexual, uma vez que o movimento pode piorar a
pois a excitação sexual também causa o aumento náusea.
da pressão e um aumento do batimento cardíaco.
Se você tem mielomas múltiplos, tome precau-
Se você está com as células brancas muito aumenta-
ções extras. Eles facilitam a quebra de seus ossos,
das, fale com seu médico acerca da segurança da
às vezes sem nenhuma razão óbvia. Escolha posições
atividade sexual. Por outro lado, quando a contagem
que confiram suporte e conforto. Use bastante tra-
dessas células é muito baixa, o risco de infecção é
vesseiros ou toalhas enroladas ou cobertores para
alto, portanto, você não deve se envolver em certos
seu suporte. Diga imediatamente a seu parceiro se
tipos de atividade sexual. Nesse caso, você e seu
tiver dor durante o ato sexual. Esteja certo de que
companheiro devem ter boa higiene pessoal, a fim
pode mover essa parte do seu corpo sem dor. Se
de reduzir os riscos de infecção.
ela avermelhar ou inchar ou a dor não amainar, ligue
Qualquer tipo de câncer que afeta sua capacidade prontamente para seu médico.
de respirar, ou que ocasiona um fôlego mais curto Qualquer um que se envolve em atividade sexual,
durante a atividade física pode afetar sua vida sexual. tendo câncer ou não deve se precaver contra as
A contagem baixa de células vermelhas faz você se doenças sexualmente transmissíveis. Quando você
sentir com fôlego curto, quando em atividade. Se faz sexo com alguém, você está tendo os mesmos
você está usando bomba de oxigênio, esteja certo riscos como se estivesse fazendo sexo com cada par-
de que haja quantidade suficiente no tanque e que o ceiro com quem seu companheiro se relacionou. Al-
tubo de oxigênio seja longo o bastante para permitir gumas doenças sexualmente transmissíveis não apre-
sua livre movimentação durante a atividade sexual. sentam sintomas, portanto, é possível ter a doença
Você pode respirar mais facilmente se não estiver sem saber. Qualquer um que esteja fazendo trata-
deitado de costas. Tente a posição sentado vertical- mento para câncer, ou pessoas com linfoma ou leu-
mente ou em pé. Isso ajudará a expansão de seu cemia em particular, está sob risco de contrair herpes
diafragma, permitindo que você inale mais oxigênio ou verrugas vaginais, que se espalham no contato
em cada respiração. Fale ao seu parceiro se você entre peles. Parasitas podem ser transmitidos entre
está com a respiração abreviada. Descanse e diminua parceiros, por meio de relação anal ou contato anal/
a velocidade de sua atividade até que sua respiração oral. Hepatites e HIV se espalham através de muitos
se restabeleça. tipos de contato sexual. Qualquer troca de secreção
Se você tem colostomia, ileostomia, nefrostomia do corpo é um risco para transmissão da doença.
ou conduto íleo, esvazie a bolsa antes da ativida- A melhor proteção para essas doenças é o uso
de sexual. Se você está preocupado com o odor, de preservativos e lubrificantes à base de água, tal
coloque substâncias dentro da bolsa, que elimi- como o gel KY. Os preservativos devem ser usados
nam odores desagradáveis. Esteja certo de que em qualquer contato entre a boca e o pênis, o pênis
os grampos estão apertados. e a área genital ou o pênis e o ânus. Se o homem
fizer sexo oral na mulher, coloque tampão ou embala-
Se você necessita de medicação rotineira ou está
gem plástica ao redor da vulva, para prevenir infec-
tomando analgésico “conforme necessário”, após a
ção. O uso de preservativos com sabor ou a adição
cirurgia, tome um analgésico 20 minutos antes da
de cobertura de chocolate ou chantilly no preservativo
atividade sexual. As pessoas geralmente tornam-se
pode diminuir a barreira do gosto.
tensas, quando têm dor. Isso promove a contração
muscular e piora a dor. O uso abundante de travessei- Como acréscimo à proteção contra doenças se-
ros para melhor posicionamento pode ajudar a aliviar xualmente transmitidas, qualquer um em tratamento
a dor causada pela doença ou cirurgia recente. Se deve evitar a gravidez. Muitos tipos de tratamento
seu tratamento causa náusea, tome um medicamento podem perturbar o desenvolvimento do feto. Espere

70

ManualOncologico OK.p65 70 24/11/2005, 15:06


Você é um sobrevivente, lute, reclame e seja grato pela vida • Parte V

pelo tempo após a conclusão do tratamento antes bém a fonte de memória das coisas que o faz feliz,
de conceber um filho. relaxado e seguro. Pense nas coisas que lhe deram

Ter câncer é somente uma parte de quem é você. prazer antes de ter a doença e podem continuar após
Enquanto você está em tratamento, sua atenção deve seu diagnóstico. Qual é sua música favorita? Qual
ser focalizada em buscar aquilo que você esqueceu seu restaurante predileto? Com quem você gosta de
sobre as coisas que fez e se contentou antes do seu estar? O que dá prazer em fazer? Pense sobre essas
diagnóstico. Dê a você permissão de tirar férias da coisas que trouxeram alegria a você e que faz você
experiência com a doença e curta você. O ciclo de focalizar outras coisas, além da doença, tal como
resposta sexual começa em sua mente, que é tam- seu interesse pela sexualidade e intimidade.

Tradução, Dra. Nívea Froes


Mestre e Doutora em Genética - Universidade Estadual Paulista
(UNESP), Pós-doutora pela Universidade do Texas,
Departamento de Medicina Preventiva,
Ramo Médico de Galveston. EUA.
ex-paciente de câncer.

Este texto na íntegra será publicado na


www.napacan.org.br em educando
para ter saúde

Agradecemos a colaboração de
pessoas que acreditam em nossas
idéias e apóiam nossos projetos.

EDUCANDO PARA TER SAÚDE

São Paulo, 11 de junho de 2005.

71

ManualOncologico OK.p65 71 24/11/2005, 15:06


Manual do Paciente Oncológico

Este manual não pode ser vendido, sua distribuição é


gratuita em todo Brasil. Sua reprodução só será
autorizada por escrito e se citada a sua fonte.

72

ManualOncologico OK.p65 72 24/11/2005, 15:06