Anda di halaman 1dari 1

Apocalipse: O Sexto Selo; os Assinalados por Deus, capítulo 7

Por Ruy Porto Fernandes

É concorde em todos os estudos de interpretação premilenista que os assinalados por


Deus constantes do capítulo 7 do livro do Apocalipse diz respeito ao povo judeu.

Portanto, o anjo de Deus que porta o selo do Deus vivo (v. 2a), e que possui o poder
sobre o Mal (v. 2b), ao clamar com grande voz proibindo os quatro anjos de danificar a terra
e o mar (v. 3a), assinalará os judeus para a salvação no período daqueles dias (Zc 12.6-14;
Rm 11.25-32)

Assim, este ato de assinalamento se concretiza na mesma simbologia do povo judeu no


Egito, que escapou das pragas quando suas casas foram assinaladas com o sangue do cordeiro,
e que daí em diante fica instituído pela páscoa judaica (pesach) até o fim desse período.
Depois que os servos de Deus forem assinalados, se dará o período da grande tribulação.
Quando houver a quebra da aliança e a manifestação do assolador (Dn 9.27).

Portanto, Deus, que tem o inteiro controle sobre o Mal naqueles tempos, conhece as
intenções do coração (Rm 8.27; Hb 4.12) de cada servo para, por Ele mesmo, determinar a
salvação dos seus escolhidos. Ou seja, naquele tempo, não será por meio de conversão ou
instrução que os judeus irão crer e obedecer ao Deus que Vive Para Sempre (Dn 4.34).

O próprio Espírito de Deus é quem irá marcá-los para a Salvação, e o Mal não lhes
fará dano algum, pois eles passarão incólumes por aquele período de julgamento sobre o Mal
que ocorrerá na volta do Senhor Jesus Cristo.

Nos vs. 4-8 estão listadas as tribos e o número simbólico dos judeus que serão
assinalados naquele tempo, diferente do que Deus anteriormente fez. Pois o que chama
atenção nessa relação é a alteração da ordem das tribos para incluir todos os israelitas, sem
privilegiar a tribo de Levi, que não tinha herança ou propriedade territorial, dedicando-se
exclusivamente ao serviço do Senhor, pois o Senhor era sua possessão e sua herança (Nm
1.49; Dt 10.8; 18.1; Js 13.14, 33).

Isto é coerente com as profecias do AT e NT, que serão cumpridas por ocasião da
vinda do Senhor Jesus Cristo, pois os ressuscitados, os que possuem o corpo definitivo, corpo
físico em carne e osso nos quais viverão eternamente, como o corpo do Senhor Jesus Cristo,
serão os que ministrarão para Deus, pois serão reis e sacerdotes (Ap 1.6; 5.10; 20.6).

Assim, podemos relacionar os quatro tipos santos que estão ou serão salvos:
- os da 1ª ressurreição dos santos judeus, por ocasião da ressurreição de Cristo (Mt 27.52, 53)
- os da 1ª ressurreição dos santos cristãos, por ocasião da volta de Cristo (Ap 20.5, 6)
- salvação dos judeus quando Jesus tocar esta terra no fim dos tempos (Zc 14.4; Ap 7.3-8)
- salvação dos cristãos no fim dos tempos, após a grande tribulação (Ap 18.4; Ap 7.9-17)

Os judeus e cristãos salvos no fim da tribulação, provenientes de todas as nações tribos


e línguas, serão os habitantes das moradas preparadas pelo Senhor Jesus Cristo (Jo 14.1-4),
que darão continuidade à promessa de Iaveh feita a Abraão (Gn 22.14-18). Isto ficará evidente
quando analisarmos o restante do capítulo 7, os versículos de 9 a 17.

Niterói, 29 de março de 2010.


ruyportofernandes@gmail.com