Anda di halaman 1dari 56

CONCRETO

DO PREPARO À CURA
CONTROLE TECNOLÓGICO
Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha
Engenharia Civil – 7º Período – Turma A01
Disc. Construção Civil I

PREPARO,
RECEBIMENTO,
LANÇAMENTO E CURA
DO CONCRETO

PREPARO

É a operação de fabricação do
concreto, destinada a obter um
conjunto homogêneo resultante do
agrupamento interno dos agregados,
aglomerantes, aditivos e água.

PREPARO

Em obra

Proveniente
de
concreteira

PREPARO
EM OBRA
Ordem de colocação dos materiais:
• parte da água
• agregado graúdo
• cimento
• agregado miúdo
• restante da água
• eventualmente aditivo(líquido diluído na
água)

Neste caso é conveniente a saturação antecipada do mesmo .TRANSPORTE PARA OBRA POSSÍVEIS PROBLEMAS Pode ocorrer a hidratação do cimento devido às condições ambientes e à temperatura Evaporação da água devido também à fatores ambientais Absorção por parte do agregado em especial da argila expandida.

TRANSPORTE PARA OBRA POSSÍVEIS PROBLEMAS Trituração que ocorre com a agitação do material friável (que pode reduzir-se facilmente a fragmentos de pó). A areia modifica o módulo de finura ao passo que a brita pode se transformar em areia Em todo caso há a necessidade de se alterar o teor de água para evitar a perda de trabalhabilidade .

.TRANSPORTE PARA OBRA A ABNT NBR 14931:2004 • Recomenda que o intervalo transcorrido entre o instante em que a água de amassamento entra em contato como cimento e o final da concretagem não ultrapasse 2 horas e 30 minutos. salvo condições específicas ou influências de condições climáticas ou de composições do concreto.

RECEBIMENTO DO CONCRETO .

CONCRETAGEM Elevadores de obra + jericas TRANSPORTE NA OBRA Gruas com caçambas Bombeamento .

TRANSPORTE NA OBRA ELEVADORES DE OBRA + JERICAS .

TRANSPORTE NA OBRA GRUAS COM CAÇAMBAS .

TRANSPORTE NA OBRA BOMBEAMENTO .

devendo haver uma película lubrificante entre a tubulação e a massa. O concreto desloca-se dentro da tubulação de forma constante. .TRANSPORTE NA OBRA BOMBEAMENTO Cuidados na execução do concreto: • diâmetro do agregado não deve ser maior que 1/3 do diâmetro do tubo. O concreto deve ter slump de 8 a 10cm com no mínimo 60% de argamassa. que é obtida com a introdução na tubulação de uma nata de cimento antes do início da concretagem.

LANÇAMENTO DO CONCRETO Implica em três operações fundamentais: Preparação das formas Colocação do material transportado no local de aplicação • Evitar segregação • Plano de início e término • Cuidados em locais de altas taxas de armadura Maneiras de colocação • Para receber adensamento (compactação) • Espessura das camadas .

como a redução da dimensão máxima característica do agregado e da dosagem para uma trabalhabilidade adequada. Deve-se estabelecer uma ordem de lançamento • concreto vai preenchendo a forma.LANÇAMENTO DO CONCRETO Concretagens durante períodos de chuvas • Deverão ser interrompidos quando houver a lavagem superficial do concreto. . No lançamento de concreto em peças densamente armadas • adequações ao traço.

LANÇAMENTO DO CONCRETO EVITAR: Camadas não superiores a 50cm Altura de lançamento acima de 2m ou acima de um pé direito .

Se houver mais de uma etapa de concretagem. a interrupção deverá ser procedida de maneira que sempre as peças sejam completadas. .PLANO DE CONCRETAGEM Deve ser elaborado a partir do volume a ser concretado e da capacidade de produção do equipamento disponível.

). energia.PLANO DE CONCRETAGEM Deve-se considerar: • Concretagens no período noturno utilizar sistema de iluminação. • Deve-se garantir que as equipes sejam suficientes e o provimento de todos os recursos operacionais (água.etc. . réguas. pás. • Devem ser verificadas as condições de vizinhança e a legislação vigente quanto aos serviços ruidosos. enxadas. vibradores.

.etc. protegendo convenientemente áreas de concretagem em pavimentos altos. • Devem-se considerar questões de segurança do trabalho.PLANO DE CONCRETAGEM Deve-se considerar: • Deve-se priorizar ou reservar unicamente para a concretagem os equipamentos necessários para o transporte do concreto. • Deve-se estabelecer um plano alternativo caso venha a ocorrer falta de energia ou falha mecânica dos equipamentos.

PLANO DE CONCRETAGEM A interrupção da concretagem e consequente formação de “junta fria” (junta de concretagem) deve ocorrer em locais previstos no projeto estrutural. nas seções com menores esforços de cisalhamento. .

retirando todos os detrito . onde se utiliza fôrmas temporárias. tipo “pente” no local da interrupção • Antes de iniciar a nova concretagem. deve-se remover a nata de cimento e limpar a superfície da junta.PLANO DE CONCRETAGEM NBR 14931:2004 Algumas precauções ligação do concreto novo ao concreto já endurecido: • O concreto deve ser bem adensado até a superfície da junta.

para a obtenção da aderência entre o concreto existente e a camada a ser lançada.PLANO DE CONCRETAGEM NBR 14931:2004 Algumas precauções ligação do concreto novo ao concreto já endurecido: • A nata superficial pode ser removida imediatamente após o fim de pega do concreto com água sob pressão. deve-se apicoar a superfície da junta. deixando o agregado graúdo aparente . Se não for possível.

adensar novamente . deve-se lavar a superfície com jato de água sobpressão • Deve-se aplicar argamassa sobre a superfície do concreto com a mesma composição da argamassa do concreto.PLANO DE CONCRETAGEM NBR 14931:2004 Algumas precauções ligação do concreto novo ao concreto já endurecido: • Na retomada da concretagem. afim de evitar a formação de vazios • Lançar o concreto novo.

Estudar emendas em vigas e lajes. e em seguida colocar as armaduras de vigas e lajes. sempre baseando-se nos esforços (momento e cortante) .PLANO DE CONCRETAGEM Quando se pretende concretar um pavimento deve-se concretar antes os pilares até o nível do fundo das vigas. para prosseguir a concretagem.

ADENSAMENTO Operação para a retirada do ar presente na massa do concreto. com o objetivo de se reduzir a porosidade ao máximo Obtém-se a melhoria da resistência mecânica. dificultando a entrada de agentes agressivos e o perfeito preenchimento das fôrmas A forma usual de adensamento é a vibração .

Ao vibrar uma camada de concreto. Tanto a falta como o excesso de vibração são prejudiciais ao concreto. . o vibrador deve penetrar cerca de 10 cm na camada anterior.ADENSAMENTO CUIDADOS Quando forem utilizados vibradores de imersão. a espessura da camada deve ser aproximadamente igual a 3/4 do comprimento da agulha.

a fim de que a cavidade formada pela agulha se feche novamente . mantendo-o sempre ligado.ADENSAMENTO CUIDADOS Devem ser tomados os seguintes cuidados durante o adensamento com vibradores de imersão • preferencialmente aplicar o vibrador na posição vertical • vibrar o maior número possível de pontos ao longo do elemento estrutural • retirar o vibrador lentamente.

mas promover um adensamento uniforme e adequado de toda a massa de concreto. observando cantos e arestas. para evitar a formação de bolhas de ar na superfície da peça.ADENSAMENTO CUIDADOS Devem ser tomados os seguintes cuidados durante o adensamento com vibradores de imersão • não permitir que o vibrador entre em contato com a parede da fôrma. de maneira que não se formem vazios • mudar o vibrador de posição quando a superfície apresentar-se brilhante .

ADENSAMENTO TIPOS DE EQUIPAMENTOS Réguas vibratórias Vibradores de mesa ou de forma Vibradores de imersão manual .

CURA A cura do concreto é uma operação que pretende evitar a retração hidráulica e garantir a continuidade das reações de hidratação do cimento nas primeiras idades do concreto quando sua resistência ainda é pequena .

CURA Promover a cura úmida da laje •Mínimo 3 dias. ideal 7 dias •Técnicas •Aspersão contínua de água •Lâmina d’água estática -“piscina” •Sacos de aniagem. feltros e areia saturados •Cura química (com película de cura) .

CURA Com aspersão d’água Com lâmina d’água .

CURA Com feltros saturados .

CURA Com cura química .

DESFORMA Respeitar o tempo de cura Formas laterais 3 dias Formas de fundo (CUIDADO!) 7 dias. deixando escoras remanescentes Retirada total do escoramento 21 dias .

DESFORMA Escoras permanentes “ re-escoramento” .

DESFORMA Execução do reescoramento Retirada dos painéis CUIDADO com quedas!! Limpeza dos painéis Reparos necessários Transporte dos painéis para o local de montagem Verificar o concreto das peças desformadas .

CONTROLE DA CONCRETAGEM PILARES O lançamento do concreto está sendo feito em camadas? O vibrador alcança toda a espessura da camada? Os procedimentos de cura estão sendo observados? .

CONTROLE DA CONCRETAGEM LAJES VERIFICAR A OPERAÇÃO DE VIBRAÇÃO Toda camada está sendo vibrada? Está sendo respeitado o tempo de vibração? .

REINÍCIO DASOPERAÇÕES NO PAVIMENTO SEGUINTE .

CONTROLE TECNOLÓGICO .

INFLUENCIAM A QUALIDADE CONCRETO.. DO ..

• Especificações das características do material • Atendimento às normas técnicas • Conhecimento do sistema construtivo • Correta aplicação • Concretos segundo normas e especificações. com preço justo • Mão de obra qualificada • Procedimentos RESPONSABILIDADES Projetista Concreteira Construtora Laboratório de Controle • Concretos que atendem as normas e especificações técnicas • Materiais • Equipamentos • Logística • Ensaios concreto (fresco e endurecido) • Agilidade • Confiabilidade • Equipamentos e mão de obra qualificada • Procedimentos .

ENSAIOS DE CONSISTÊNCIA NBR NM 67/1998 Slump Test .

• ao reiniciar o preparo após uma interrupção da jornada de concretagem de pelo menos 2 h.. Sempre que ocorrerem alterações na umidade dos agregados e nas seguintes situações: • na primeira amassada do dia. Para concretos usinado a cada betonada . • cada vez que forem moldados corpos-de-prova.QUANDO REALIZAR. • na troca dos operadores..

ENSAIOS DE RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO Resistência potencial (referência) Operações de ensaio e controle Resistência real Resistência característica (estatística) .

1.ENSAIOS DE RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO fck = fcm .65 Sd .

655/2015 . corr. corr. em função da umidade do agregado Volume Massa B C10 até C20 C C10 e C15 FONTE: NBR 12.Condição Classe de de preparo concreto A C10 até C80 C10 até C25 Cimento Água Agregados Massa Massa ou volume. em função do agregado Massa Volume Massa combinada com volume Massa Volume Volume. corr. em função do inchamento Massa Volume.

ROTEIRO DO CONTROLE TECNOLÓGICO Estabelecimento da quantidade de lotes nos quais o controle tecnológico deverá ser dividido Estabelecer se a amostragem será total ou parcial Para amostragem parcial. estabelecer a quantidade e quais betonadas a serem ensaiadas Aplicar as expressões de norma para estabelecimento do fckest .

TIPOS DE CONTROLE Amostragem Parcial Casos excepcionais Amostragem Total .

FORMAÇÃO DE LOTES (NBR 12655) As amostras devem ser coletadas aleatoriamente durante a operação de concretagem Cada exemplar é constituído por dois corpos-de-prova da mesma amassada. . para cada idade Toma-se como resistência do exemplar o maior dos dois valores obtidos no ensaio do exemplar.

EXPRESSÕES PARA FCKEST .

TIPOS DE CONTROLE .

ACEITAÇÃO X REJEIÇÃO fckest ≥ fck .

ATÉ A PRÓXIMA AULA! Bom Dia! .