Anda di halaman 1dari 192

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Inverno

Inverno condução de calor em regime permanente através da parede de uma casa

Transferência de calor direção normal à superfície da parede.

Transferência de calor desprezível nas outras direções.

327
327

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Transferência

Transferência de calor em uma direção gradiente de temperatura

Não haverá transferência de calor na direção na qual não há variação de temperatura.

Medições de temperatura em diversos locais na superfície interna e externa superfície isotérmica

328
328

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Modelamento

Modelamento da transferência de calor

Regime permanente

Unidimensional

Temperatura na parede irá depender apenas da direção x T(x)

329
329

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas Transferência de calor é a única
Condução de calor em regime permanente em paredes
planas
Transferência de calor é a única interação
de energia ocorrendo neste caso.
Não há geração de calor.
Balanço de energia para a parede pode
ser expresso como:
 Taxa de
 
 Taxa de
 
 Taxa de
 
transferência
transferência
mudança
=
de calor para
de calor para
de energia
dentro da parede
fora da parede
da parede
 
  
  
 
 
 
330
330

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Transferência

Transferência de calor é a única interação de energia ocorrendo neste caso.

Não há geração de calor.

Balanço de energia para a parede pode ser expresso como:

&

Q

entra

&

Q

sai

=

dE

parede

dt

Regime permanente

dE parede

=

dt

0

331
331

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Transferência

Transferência de calor na parede

&

Q

entra

=

&

Q

sai

A taxa de transferência de calor através da parede deve ser constante

entra

=

&

Q

sai

=

&

Q

condução, parede

=

constante

&

Q

332
332

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Considere uma parede de espessura L e condutividade térmica média k.

As duas superfícies desta parede são mantidas à temperaturas constantes T 1 e T 2 .

Para condução de calor em regime permanente unidimensional T(x)

Lei de Fourier

&

Q

condução, parede =

k

A

dT

  • dx (W)

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Lei de Fourier

&

Q

condução, parede =

k

A

dT

dx

dT

dx

= constante

A temperatura através da parede varia linearmente com a direção x.

Separando as variáveis e integrando:

&

Q

condução, parede =

k

A

dT

dx

L

x

=

0

&

Q

condução, parede

dx

= −

T

2

T

=

k

T

1

A

dT

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Lei

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resolvendo a integração e rearranjando os termos:

&

Q

condução, parede

=

k

A

T 1
T
1

T

2

L

(W)

A taxa de condução de calor através da parede plana é proporcional à condutividade térmica média, à área da parede e à diferença de temperatura, mas é inversamente proporcional à espessura da parede.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resolvendo a integração e rearranjando os termos:

&

Q

condução, parede

=

k

A

T 1
T
1

T

2

L

(W)

Uma vez que a taxa de condução é calculada,

a

temperatura

T(x)

em

qualquer

posição

x

pode

ser

determinada

substituindoT 2 porT e L por x na equação acima.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

T − T & 1 2 Q = k ⋅ A (W) Equação da condução de
T
T
&
1
2
Q
=
k
A
(W)
Equação da condução de calor
condução, parede
L
T
T
&
1
2
Q
=
(W)
Rearranjada
condução, parede
R
parede
L
°  C   ou   K  
Resistência térmica
=
R parede
k
A
W
W
337
Resistência térmica da parede contra a condução

Resistência de condução

depende da geometria e das propriedades térmicas do meio

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

A resistência térmica pode ser expressa como:

R

parede

=

T

&

Q

condução, parede

É

a

razão

da condução potencial T

transferência Q condução,parede

para a correspondente taxa de

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Analogia com o fluxo de corrente elétrica (I):

I =

V 1
V
1

V

2

R

e

V

1

V

2

diferença de tensão

R

e

L

=

σ

e

A

R

e

resistência elétrica

σ

e

condutividade elétrica

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Conceito

Analogia com o fluxo de corrente elétrica (I):

&

Q

condução, parede

=

T

1

T

2

R

parede

V

1

V

2

I =

R

e

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Considere a transferência de calor por convecção na superfície de um sólido de área A s e temperatura T s para um fluido cuja temperatura suficientemente longe do sólido é T , com um coeficiente de transferência de calor por convecção h.

Lei de Newton para o resfriamento

&

Q

convecção

= h A

s

(

T

s

T

)

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Rearranjando

&

Q

convecção

= h A

s

(

T

s

T

)

&

Q

convecção

=

(

T

s

T

)

R

convecção

R

convecção

1

=

h

A

s

(W)

° C   ou   K  

W

W

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Conceito

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

R

convecção

1

=

h

A

s

Coeficiente de convecção de transferência de calor muito grande

Resistência de convecção nula

T

s

T

h → ∞

A superfície não oferece qualquer resistência à convecção

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Considerando os efeitos da radiação A taxa de transferência de calor por radiação entre uma superfície com emissividade ε e área A s , a uma temperatura T s e as superfícies ao redor a uma temperatura médiaT cir pode ser expressa como:

&

Q

radiação

&

Q

radiação

=

ε σA

s

=

h

rad

A

s

(

T

s

4

T

4

cir

)

(

T

s

T

cir

)

=

T

s

T

cir

R

rad

(W)

R

rad

1

=

h

rad

A

s

° C

W

K

W

ou

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Coeficiente de transferência de calor por radiação

h

rad

=

&

Q

radiação

A

s

(

T s
T
s

T

cir

)

=

(

ε σ T

s

2

+

T

2

cir

)(

T s
T
s

+ T

cir

)

W

m

2

K

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Transferência de calor em uma superfície convecção e radiação

Transferência total de calor soma (ou subtração) das componentes de convecção e da radiação

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Conceito

Resistência de convecção e radiação paralelas

Complicações na rede de resistência térmica

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Conceito da resistência térmica

Quando T cir ≈ T efeito da radiação combinado em um coeficiente

h

combinado

=

h

conv

+

h

rad

W

m

2

K

Coeficiente de transferência de calor combinado

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Considere o fluxo térmico em regime permanente unidimensional através de uma parede plana de espessura L, área A e condutividade térmica k que é exposta à convecção nos dois lados com fluidos à temperaturas T 1 e T 2 com coeficientes de transferência de calor h 1 e h 2 , respectivamente.

T < T ∞ 2 ∞ 1
T
<
T
2
1

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Sob regime permanente:

Taxa de

 

convecção

de calor

  para dentro

da parede

=

Taxa de

condução

de calor

através

da parede

 

=

Taxa de

convecção

de calor

  para fora

da parede

 

Q & = h

1

A

s

(

T

1

T

1

)

=

k

A

T 1
T
1

T

2

L

=

h

2

A

s

(

T

2

T

2

)

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Rearranjando

&

Q

=

h

1

A

s

(

T

1

T

1

)

=

k

A

T

1

T

2

h

=

  • L 2

A

s

(

T

2

T

2

)

Q & =

T

1

T

1

1 h
1
h

1

A

s

=

T

1

T

2

L k
L
k

A

=

T

2

T

2

1 h
1
h

2

A

s

Q & =

T

1

T

1

R

conv,1

=

T T

1

2

R

parede

=

T

2

T

2

R

conv,2

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Somando os numeradores e denominadores

Q & =

T

1

T

2

R

total

(W)

R

total

= R

conv,1

+ R

parede

+ R

conv,2

R

total

=

1

h

1

A

s

+

L

k

A

+

1

h

2

A

s

° C

W

K

W

ou

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Rede

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Área de transferência de calor constante para uma parede plana

Taxa de transferência de calor através de uma parede que separa dois

meios

igual

a diferença

térmica total entre os meios

de temperatura dividida pela resistência

Resistência térmica em série

Resistência térmica equivalente soma das resistências individuais (resistência elétrica)

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Q & =

T

1

T

2

R

total

(W)

A taxa de transferência de calor em regime permanente entre duas superfícies é igual a diferença de temperatura dividida pela resistência térmica total entre as duas superfícies.

A

razão

da queda

de temperatura

e

da

resistência térmica em

qualquer camada é constante e a queda de temperatura em qualquer camada é proporcional à resistência térmica da camada.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Quanto maior a resistência, maior a queda de temperatura.

Q & =

T

R

T = QR &

(°C)

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Rede

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Algumas vezes é conveniente representar a transferência de calor de através de um meio de maneira análoga a lei de resfriamento de Newton:

Q & = UAT

(W)

coeficiente global de

transferência de calor

  

U  

W

m

2

K

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Comparação entre as equações

Q & =

T

1

T

2

R

total

Q & = UAT

(W)

(W)

UA =

1

R

total

W

K

Assim, para uma área unitária,

o coeficiente de transferência de calor

global é igual ao inverso da resistência térmica total

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

Nota-se

que

não

é

necessário

conhecer

as temperaturas das

superfícies da parede para avaliar a taxa de transferência de calor em

regime permanente através dela.

É

necessário saber

os coeficientes de transferência de calor por

convecção e as temperaturas dos fluidos nos dois lados da parede.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Rede de resistência térmica

A temperatura da superfície da parede pode ser determinada utilizando o conceito da resistência térmica, mas tomando a superfície na qual a temperatura será determinada como a superfície terminal

Exemplo

assim

temperaturaT 1

que

Q

é

avaliado

pode-se determinar a

T − T T − T ∞ 1 1 & ∞ 1 1 Q & =
T
T
T
T
1
1
&
1
1
Q & =
Q
=
R
1
conv,1
(h A)
1
358

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Parede plana com multicamadas

Na prática, encontra-se

paredes

planas que

são

constituídas de

diversas camadas de materiais diferentes.

O conceito de resistência térmica pode ainda ser utilizado para determinar a taxa de transferência de calor em regime permanente através de paredes compostas.

Divide-se a diferença de temperatura entre as duas superfícies pela resistência térmica total entre elas.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Parede plana com multicamadas

Considere uma parede plana que consiste de duas camadas (parede de tijolos com isolamento).

A taxa de transferência de calor em regime permanente através desta parede composta por duas camadas pode ser expressa como:

Q & =

T

1

T

2

R

total

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Parede
360
360

R

total

resistência térmica total

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Parede plana com multicamadas

Taxa de transferência de calor T − T ∞ 1 ∞ 2 Q & =
Taxa de transferência de
calor
T
T
1
2
Q & =
R
total
R
= R
+ R
+ R
+ R
total
conv,1
parede,1
parede,2
conv,2
1
L
L
1
1
2
R
=
+
+
+
total
h
A
k
A
k
A
h
A
1
1
2
2
361

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Parede plana com multicamadas

Uma

vez

que

Q

é

conhecida,

uma

temperatura

superficial

desconhecida em qualquer superfície ou interface pode ser

determinada a partir de:

Q & =

T

i

T

j

R

total, i

j

T

i

temperatura conhecida no local i

R

total, i

j

resistência térmica total

entre os locais i e j

  

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Parede

Parede plana com multicamadas

Quando as temperaturas dos fluidos T 1 e T 2 estão disponíveis e Q calculada, a temperatura na interface T 2 pode ser determinada como:

T

1

T

2

&

Q

=

T

1

T

2

1

h

1

A

+

L

1

k

1

A

Q & =

R

conv,1

+

R

parede,1

363
363

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Considere uma janela de painel duplo de altura 0,8 m e largura 1,5 m que consiste de duas camadas de vidro (k = 0,78 W/(m.°C)) de espessura

4

mm,

separadas

por

um

espaço

de

ar estagnado

(k

=

0,026

W/(m.°C))

de

 

10

mm

de

largura. Determine a

taxa de

transferência de calor em regime permanente através desta janela de

painel

duplo

e

a

temperatura de

sua superfície

interna para um

dia

durante o qual

o quarto

é

mantido a 20°C enquanto a temperatura

exterior é -10°C. Tome os coeficientes de transferência de calor por

convecção das superfícies interna e

externa da janela como

h 1

=

10

W/(m 2 .°C) e h 2 = 40 W/(m 2 .°C), os quais incluem os efeitos da radiação.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Resistências

R

total

= R

+ R

conv,1

vidro,1

R

i

=

R

conv,1

R

vidro,1

(

R

1

)

+ R + R + R ar vidro,2 conv,2 1 = h ⋅ A 1 L
+ R
+ R
+ R
ar
vidro,2
conv,2
1
=
h
A
1
L
(
)
vidro
=
R
R
=
vidro,2
3
k
A
vidro

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Resistências

R

total

= R

conv,1

+ R

vidro,1

+ R

ar

+ R

vidro,2

+ R

conv,2

R

2

=

R

ar

=

L

ar

k

ar

A

R

0

=

R

conv,2

1

=

h

2

A

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Resistências

R

total

= R

conv,1

+ R

vidro,1

+ R

ar

+ R

vidro,2

+ R

conv,2

R

i

=

R

conv,1

=

0,08333

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

° C

W

R

vidro,1

(

R

R

2

=

R

ar

) = R ( R ) 1 vidro,2 3 ° C = 0,3205 W
)
= R
(
R
)
1
vidro,2
3
° C
= 0,3205
W

=

° C 0,00427 W R = R = 0 conv,2
° C
0,00427
W
R
=
R
=
0
conv,2

0,02083

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

° C

W

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Resistências

R

total

= R

conv,1

+ R

vidro,1

+ R

ar

+ R

R

total

=

(

0,08333

+

0,00427

+

R

total

=

0,4332

0,3205 ° C W
0,3205
° C
W

+

0,00427

+ R vidro,2 conv,2 ) ° C + 0,02083 W
+ R
vidro,2
conv,2
)
° C
+ 0,02083
W
Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26 Taxa de transferência de calor [ 20 − ( − 10 )] T
Exemplo 26
Taxa de transferência de calor
[
20
(
10
)]
T
T
°
C
1
2
Q & =
Q & =
° C
R
0,4332
total
W
Q & = 69,2 W

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 26

Temperatura da superfície interna

&

Q =

T

1

T

1

R

conv,1

T

1

= T

1

&

QR

conv,1

T

1

=

°

20 C

69,2 W 0,08333

° C

W

T

1 =

°

14,2 C

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Análise da condução de calor através de sólidos com multicamadas

Considera-se contato perfeito na interface das duas camadas

Não há nenhuma queda de temperatura

Condição

Superfícies completamente lisas contato perfeito em todos os pontos

Realidade

Superfícies planas que parecem lisas ao olho nu podem ser ásperas quando examinadas em um microscópio

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Resistência

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Quando duas superfícies são pressionadas uma contra a outra, os picos irão formar um bom contato no material mas os vales irão formar espaços preenchidos com ar.

Assim, uma interface irá conter diversos espaços com ar de variados tamanhos que atuam como isolantes devido a baixa condutividade térmica do ar.

Desta maneira, a interface oferece resistência a transferência de calor e esta resistência por are unitária da interface é chamada de resistência térmica de contato (R c )

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Resistência

Resistência térmica de contato

O valor da resistência térmica de contato (R c ) é determinado experimentalmente.

Dados imprecisos dificuldade na caracterização das superfícies

373
373

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Considere a transferência de calor através de dois bastões de metal com área de seção A que são pressionados um contra o outro.

A transferência de calor através da interface destes dois bastões é a soma das transferência de calor através dos contatos do material e dos espaços nas áreas sem contato:

&

Q

=

&

Q

contato

+

&

Q

espaço

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Lei de Newton para o resfriamento

Q & = h

c

AT

interface

A área aparente da interface (área da seção dos bastões)

T interface diferença de temperatura efetiva na interface

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Lei de Newton para o resfriamento

Q & = h

c

AT

interface

h c condutância térmica de contato

h

c

=

&

Q

A

T

interface

W

m

2

⋅°

C

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Lei de Newton para o resfriamento

Q & = h

c

AT

interface

R c resistência térmica de contato

R

c

1

=

h

c

R

c

=

A

T

interface

&

Q

 

m

2

⋅°

C

W

 

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

O valor da resistência térmica de contato depende:

Da rugosidade da superfície;

Das propriedades do material;

Da temperatura e da pressão na interface;

E do tipo de fluido preso na interface.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

A situação se torna mais complexa quando as placas são apertadas com parafusos, rebites ou tarraxas.

A pressão na interface se torna não uniforme.

A resistência térmica de contato neste caso irá depender também na espessura da placa, do raio do parafuso e do tamanho da zona de contato.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Observa-se que

a resistência térmica de contato diminui

com

a

diminuição da rugosidade da superfície e com o aumento da pressão

na interface.

Valores experimentais da resistência térmica de contato

2 2 m ⋅° C m ⋅° C 0,000005 < R < 0,0005 c W W
2
2
m
⋅°
C
m
⋅°
C
0,000005
<
R
<
0,0005
c
W
W
condutância térmica de contato
W
W
2000
<
R
<
200000
2
c
2
m
⋅°
C
m
⋅°
C
380

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Análise da transferência de calor em um meio que consiste de duas ou mais camadas

a resistência térmica de contato é significativa?

Comparação do valor da resistência térmica de camadas com valores típicos de resistência térmica de contato.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Resistência térmica por unidade espessura 1 cm:

de

área de material isolante

de

R c,isolante =

  • L R

k

c,isolante

=

0,01m

0,04

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Resistência

W

(m

⋅°

C)

R

c,isolante

=

0,25

m

2

⋅°

C

W

Resistência térmica por unidade de área do cobre de espessura 1 cm:

R c,cobre =

  • L R

k

c,cobre

=

0,01m W 386 (m ⋅° C)
0,01m
W
386
(m
⋅°
C)

R

c,cobre

=

0,000026

m

  • 2 ⋅°

C

W

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Bons

condutores de

contato é significativa

calor

(ex. metais)

resistência térmica de

Isolantes resistência térmica de contato desprezível

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Resistência térmica de contato minimizada

Aplicação de um líquido condutor térmico (pasta térmica) como óleo de silicone nas superfícies antes de pressioná-las uma contra a outra componentes eletrônicos

Substituição do ar na interface por um gás com melhor condutividade térmica

 Condutância térmica de contato     para placas de alumínio com  
 Condutância térmica de contato 
para placas de alumínio com
diferentes fluidos na interface
 para uma rugosidade na
superfície de 10 µm e pressão
de 1 atm
  
  
384
384

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Resistência térmica de contato

Efeito de revestimentos

metálicos na condutância

térmica de contato

 

 

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Resistência

Resistência térmica de contato minimizada

Inserção de uma folha metálica macia (estanho, prata, cobre, níquel ou alumínio) entre as duas superfícies

Estudos apontam que a resistência térmica de contato pode ser reduzido por um fator de até 7, com uma folha metálica na interface.

Para máximo efeito a folha deve ser bem fina

385
385

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 27

A condutância térmica de

contato na interface

de

duas placas de

alumínio de 1 cm de espessura é 11000 W/(m 2 .K). Determine a

espessura de uma placa de alumínio cuja resistência térmica é igual a resistência térmica na interface entre as placas.

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 27

Condutividade térmica do alumínio

k

=

237

W

m

K

Resistência térmica de contato

R

1

  • c

=

h

c

R

c

1

=

  • 11000 W

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

(m

  • 2 K)

R

c

=

0,909

×

10

4

m

  • 2 K

W

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 27

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Resistência térmica por unidade de área de uma placa plana

L

k

R = R

c

R

c

L

=

k

×

10

4

m

2

⋅°

C

W

237

W

m

⋅°

C

L

=

R

c

L = 2,15 cm

R =

k

L

0,909

=

L = 0,0215 m

388
388

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Redes generalizadas de resistência térmica

O conceito de resistência térmica (analogia elétrica) pode ser utilizado para resolver problemas de transferência de calor em regime permanente que envolvem camadas paralelas ou arranjos em série e paralelo.

Apesar

destes

problemas

serem

frequentemente

bi

ou

tridimensionais, soluções aproximadas podem ser obtidas pela suposição de transferência de calor unidimensional e utilizando a rede de resistência térmica.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Redes generalizadas de resistência térmica

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Redes

Considere a parede composta que consiste de duas camadas em paralelo.

Rede de resistência térmica da parede

Nota-se que a transferência de calor total é a soma da transferência de calor através de cada camada, assim:

=

&

Q

1

+

&

Q

2

&

Q

=

&

Q

(

T

1

T

2

=

)

 

T

1

T

2

R

1

1

1

 

+

R

1

R

T 1
T
1

T

2

+

 

R

2

&

Q

390   2
390
2

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Redes generalizadas de resistência térmica

Considere a parede composta que consiste de duas camadas em paralelo.

Q & =

T

1

T

2

R

total

1

R

total

=

1

R

1

+

1

R

2

R

total

=

R

1

R

2

R

1

+

R

2

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Redes
391
391

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Redes generalizadas de resistência térmica

Considere a parede composta que consiste de camadas em série e paralelo.

Taxa de transferência de calor total

Q & =

T

1

T

R

total

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Redes

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

R

Redes generalizadas de resistência térmica

Considere a parede composta que consiste de camadas em série e paralelo.

Resistência total

R

total

= R

12

total

=

R

1

R

2

R

1

+

R

2

+ R

  • 3 + R

conv

+ R

  • 3 + R

conv

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas R

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Redes generalizadas de resistência térmica Considere a parede composta que consiste de camadas em série
Redes generalizadas de resistência térmica
Considere a parede composta que consiste
de camadas em série e paralelo.
Resistências
L
L
1
R
=
3
R
=
1
3
k
A
k
A
1
1
3
3
L
1
2
R
=
R
=
2
conv
k
A
h
A
2
2
3
394

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 28

Uma parede com 3 m de altura e 5 m de largura consiste de tijolos com seção de 16 cm x 22 cm separados por camadas de gesso com 3 cm de espessura (k = 0,22 W/(m.°C)). Existem também camadas de gesso de 2 cm de espessura de cada lado dos tijolos e uma espuma rígida (k = 0,026 W/(m.°C)) de 3 cm de espessura na parte interna da parede. As temperaturas interna e externa são 20°C e -10°C e o coeficiente de transferência de calor por convecção nos lados interno e externo são h 1 =10 W/(m 2 .°C) e h 2 = 25 W/(m 2 .°C), respectivamente. Assumindo transferência de calor unidimensional e desprezando o efeito da radiação, determine a taxa de transferência de calor através da parede.

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Exemplo 28

396
396

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 28 – Hipóteses

Transferência de calor em regime permanente

Transferência de calor unidimensional (predominante na direção x)

Condutividade térmica constante

Transferência de calor por radiação desprezível

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Exemplo 28

Padrão de construção repete a cada 25 cm

398
398

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Exemplo 28

R

conv,1

R

espuma

R

6

=

 

1

 

=

 

h

1

A

 

L

=

 

k

A

R

i

=

R

1

=

R

2

=

 

L

=

 

k

A

R

gesso,lado

399
399

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Condução de calor em regime permanente Condução de calor em regime permanente em paredes planas Exemplo

Exemplo 28

3

=

R

5

=

R

 

L

=

 

k

A

R

gesso,centro

L

k

A

R

R

=

=

4

tijolo

1

h

2

A

R

R

=

=

o

conv,2

400
400

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

Exemplo 28 1 R = R = i conv,1 W ⋅ ( 2  
Exemplo 28
1
R
=
R
=
i
conv,1
W
(
2
 
10
0,25
×
1
)
m
(
2
)
 
m
⋅°
C
° C
R
=
R
=
0,4
i
conv,1
W
0,03 m
R
=
R
=
1
espuma
W
(
2
  0,026
 ⋅ 
0,25
×
1
)
m
(
m
⋅°
C
)
° C
R
=
R
=
4,6
1
espuma
W
401

Condução de calor em regime permanente

Condução de calor em regime permanente em paredes planas

R

2

R

3

Exemplo 28

R

6

=

R

0,02 m

  0,22

 

=

=

gesso,lado

W

(

m

⋅°

C

)

(

0,25

×

)

1 m

2

R

2

=

R

6

=

R

0,16 m

 

  0,22

W

(

m

⋅°

C

)

 

(

0,015

×

1

)