Anda di halaman 1dari 6

A mitocôndria é um dos organelos celulares mais importantes, sendo extremamente

importante para respiração celular. É abastecida pela célula que a hospeda por
substâncias orgânicas como oxigênio e glicose, as quais processa e converte em energia
sob a forma de ATP, que devolve para a célula hospedeira. Sendo energia química que
pode ser, e é, usada em reações bioquímicas que necessitem de dispêndio de energia. A
mitocôndria está presente em grande quantidade nas células: do sistema nervoso (na
extremidade dos axiomas), do coração e do sistema muscular, uma vez que estas
apresentam uma necessidade maior de energia.

O núcleo celular, organelo primeiramente descrito por Franz Bauer, em 1802, é uma
estrutura presente nas células eucariontes, que contém o ADN (ou DNA) da célula. É
delimitado pelo envoltório nuclear, e se comunica com o citoplasma através dos poros
nucleares. O núcleo possui duas funções básicas: regular as reações químicas que
ocorrem dentro da célula, e armazenar as informações genéticas da célula. O seu
diâmetro pode variar de 11 a 22.25 μm.
Além do material genético, o núcleo também possui algumas proteínas com a função de
regular a expressão gênica, que envolve processos complexos de transcrição, pré-
processamento do mRNA (RNA mensageiro), e o transporte do mRNA formado para o
citoplasma. Dentro do núcleo ainda se encontra uma estrutura denominada nucléolo,
que é responsável pela produção de subunidades dos ribossomos. O envoltório nuclear é
responsável tanto por separar as reações químicas que ocorrem dentro do citoplasma
daquelas que ocorrem dentro do núcleo, quanto por permitir a comunicação entre esses
dois ambientes. Essa comunicação é realizada pelos poros nucleares que se formam da
fusão entre a membrana interna e a externa do envoltório nuclear.

O núcleo é um compartimento essencial da célula eucarionte, pois é onde se


localiza o material genético, responsável pelas características que o organismo
possui e a manutenção das características de uma espécie.
Os ribossomos originam-se nas células eucariotas e procariotas do núcleo, e podem ser
encontrados espalhados no citoplasma, presos uns aos outros por uma fita de RNAm
formando polissomas (também chamados de polirribossomas), ou retículo
endoplasmático (formando assim o retículo endoplasmático rugoso ou granular). Já nas
células procariotas são encontradas livres no hialoplasma, onde tem sua origem. Neste
tipo de célula, elas são criadas a partir de proteínas e RNA ribossômico específicos, por
um processo de auto-construção, ou seja, os ribossomos procariontes, constroem-se
sozinhos a partir de seus componentes.
O retículo endoplasmático é formado por canais delimitados por membranas. Esses
canais comunicam-se com o envoltório nuclear (carioteca). O retículo endoplasmático
pode ser considerado uma rede de distribuição, levando material de que a célula
necessita, de um ponto qualquer até seu ponto de utilização. O retículo endoplasmático
tem portanto função de transporte servindo como canal de comunicação entre o núcleo
celular e o citoplasma.

Em biologia celular, o complexo de Golgi, aparelho de Golgi, dictiossoma,


golgiossomo ou complexo golgiense é uma organela encontrada em quase todas as
células eucarióticas. O nome provém de Camilo Golgi, que foi quem o identificou. É
formado por sacos achatados e vesículas, sua função primordial é o processamento de
proteínas ribossomaticas e a sua distribuição por entre essas vesículas. Funciona,
portanto, como uma espécie de sistema central de distribuição na célula, atua como
centro de armazenamento, transformação, empacotamento e remessa de substâncias na
célula. É responsável também pela formação dos lisossomos, da lamela média dos
vegetais e do acrossomo do espermatozoide, do glicocalix e está ligado à sintese de
polissacarídeos. Acredita-se, ainda, que o complexo de Golgi seja responsável por
alguns processos pós traducionais, tais como adicionar sinalizadores às proteínas, que as
direcionam para os locais da célula onde actuarão.
O citoplasma é o espaço intra-celular entre a membrana plasmática e o envoltório
nuclear em seres eucariontes, enquanto nos procariotos corresponde a totalidade da área
intra-celular. O citoplasma é preenchido por uma matéria coloidal e semi-fluída
denominada hialoplasma, e neste fluido estão suspensos os organelos celulares. Nos
eucariontes, em oposição ao protoplasma, o citoplasma não inclui o núcleo celular, cujo
interior é formado por nucleoplasma.
No geral, citoplasma é tudo o que compreende a célula menos o núcleo.

O ácido desoxirribonucleico (ADN, em português: ácido desoxirribonucleico; ou


DNA, em inglês: deoxyribonucleic acid), é um composto orgânico cujas moléculas
contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de
todos os seres vivos e alguns vírus. O seu principal papel é armazenar as informações
necessárias para a construção das proteínas e ARNs. Os segmentos de ADN que são
responsáveis por carregar a informação genética são denominados genes. O restante da
sequência de ADN tem importância estrutural ou está envolvido na regulação do uso da
informação genética.
O Retículo Endoplasmático Rugoso (RER) é formado por sistemas de túbulos achatados
e ribossomos aderidos a membrana o que lhe confere aspecto granular. Função:
Participa da síntese de proteínas, que serão enviadas para o exterior das células. O
reticulo endoplasmático é também chamado ergastoplasma, palavra originada do grego
ergozomai, que significa elaborar, sintetizar. Esse tipo de retículo é muito desenvolvido
em células com função secretora. É o caso por exemplo das células do pâncreas, que
secretam enzimas digestivas, e também o caso das células caliciformes da parede do
intestino, que secretam muco. A microscopia eletrônica revelou a presença, no interior
do citoplasma, de um retículo de membranas lipoprotéicas que foi denominado retículo
endoplasmático (RE). Conforme a posição das membranas, podemos distinguir a
existência de túbulos e saculos ou vesículas achatadas. O retículo endoplásmatico
rugoso apresenta as seguintes funções: aumenta a superfície interna da célula, o que
amplia o campo de atividade das enzimas, facilitando a ocorrência de reações químicas
necessárias ao metabolismo celular, síntese de proteínas(sua principal função) e
armazenamento. Graças aos ribossomos aderidos a suas membranas,o reticulo
endoplasmático rugoso atua na produção de certas proteínas celulares, como o colágeno
que é uma proteína produzida pelo RER do fibroblasto. O Retículo Endoplasmático
Rugoso, também pode ser chamado de Retículo Endoplasmático Granuloso.
A membrana celular, também conhecida por plasmalema, é a estrutura que delimita
todas as células vivas, tanto as procarióticas como as eucarióticas. Ela estabelece a
fronteira entre o meio intra-celular, o citoplasma, e o meio extracelular, que pode ser a
matriz dos diversos tecidos.
Aparece em eletromicrografias como duas linhas escuras separadas por uma faixa
central clara, com uma espessura de 7 a 10 nm. Esta estrutura trilaminar encontra-se em
todas as membranas encontradas nas células, sendo por isso chamada de unidade de
membrana ou membrana unitária.
A membrana celular não é estanque, mas uma “porta” seletiva que a célula usa para
captar os elementos do meio exterior que lhe são necessários para o seu metabolismo e
para libertar as substâncias que a célula produz e que devem ser enviadas para o exterior
(sejam elas produtos de excreção, das quais deve se libertar, ou secreções que a célula
utiliza para várias funções relacionadas com o meio).