Anda di halaman 1dari 6

Disciplina Farmácia Hospitalar

Caroline Tannus

MANIPULAÇÕES MAGISTRAIS EM FARMÁCIA HOSPITALAR

A manipulação magistral em farmácia hospitalar requer cuidados especiais, em seu


preparo para que se evite um medicamento de má qualidade que ao invés de tratar
irá prejudicar o paciente. Existe uma série de recomendações que se deva ter no
preparo de um medicamento.

• Preparação farmacêutica:

- forma farmacêutica cuja formulação não é padrão, sendo destinada ao tratamento


de um paciente especifico.

Avaliação necessidade da preparação farmacêutica

• há no mercado formulação comercial?

• Se sim:

- Os PA da formulação comercial são similares ?

- As concentrações dos PA são adequada?

- As características físico-quimicas dos adjuvantes são adequadas as


necessidades do paciente?

Substituir por formulação comercial

Área de Manipulação
• Deve estar situado longe da área de dispensação

• Deve ser isolado de possível contaminação química, por partículas ou poeira

• Não deve conter materiais não utilizados para manipulação

• Caixas e embalagens não devem ser abertas na área de manipulação

• Deve conter uma pia para lavagem dos materiais e mãos


Disciplina Farmácia Hospitalar
Caroline Tannus

• Desejável controle de temperatura e umidade

• Deve ser bem iluminada

• Deve ser limpa diariamente nunca durante a manipulação

Superfície de manipulação
• Deve ser:

- lisa

- impermeável

- Sem rasuras ou frestas

- Limpa com detergente apropriado, no mínimo antes e depois de cada operação.

Equipamentos
BALANÇAS

• Desejável sensibilidade de no mínimo 1mg

• Devem ser mantidas em ambientes secos e sobre superfícies firmes e planas

• Devem ser calibradas no mínimo anualmente

• Os materiais a serem pesados não devem ser manuseados com as mãos

VIDRARIA

• Deve-se escolher material cujo o volume a medir seja no mínimo 20% da


capacidade nominal.
• Seringas calibradas devem ser preferidas para medir líquidos viscosos
(glicerina, óleo mineral) e de pequeno volume (abaixo de 2 ml).

• Líquidos opacos devem ser pesados

• Volumes menores 1 ml utilizar micropipetas


Disciplina Farmácia Hospitalar
Caroline Tannus

PARAMENTAÇÃO
Deve prevenir contaminação do produto e exposição do manipulador

• Recomenda-se:

- Avental

- Máscaras

- Toucas

- Luvas

- Óculos de segurança

Pessoal-treinamento

- Procedimentos em caso de exposição à produtos tóxicos

- Interpretação das prescrições médicas

- Cálculos (concentração e diluição)

- Uso de literatura para verificação de solubilidade, estabilidade,


compatibilidade, etc.

Matérias primas

• Devem ser fornecidas por fabricantes ou distribuidores pré-qualificados

• No mínimo na especificação grau farmacêutico


• Se utilizar especialidade farmacêutica para uso injetável como
matéria-prima, lembra que:

- Formas farmacêuticas de liberação controlada não devem ser trituradas

para obtenção do PA

-Adjunvantes presentes podem afetar biodisponibilidade do produto

Manipulado
Disciplina Farmácia Hospitalar
Caroline Tannus

• Se utilizar especialidade farmacêutica para uso injetável como matéria-


prima,lembrar que:

- Principio ativo pode ser uma pró-droga, não sendo ativo quando

administrado por outra via

- Estabilidade de droga pode ser comprometida em pH gástrico

Armazenamento matéria-primas

• Todas MP devem ser estocadas de acordo com as recomendações do fabricante

• Limite de temperatura USP-NF:

-Ambiente 15 à 30º C

-Refrigeração 2 à 8º C

-Congelamento - 20 à -10º C

-Matérias primas potencialmente tóxicas devem ser armazenadas separadas

Documentação

•Fórmula Master deve conter:

-Componentes e quantidades/concentração de cada componente

-Etapas de manipulação

-Recomendações de armazenagem

-Estabilidade/data de validade

-Referencia da formulação

•Fixa ou ordem de manipulação deve conter:

-Responsável pela manipulação

-Farmacêutico supervisor
Disciplina Farmácia Hospitalar
Caroline Tannus

-Número do lote

-Quantidade ou concentração dos componentes utilizados

-Ordem de mistura, incluindo procedimentos não inscritos no formulário

•Certificação dos componentes utilizados:

-Potencia

-Pureza

-Umidade

-Documentação da eficácia e efeitos adversos quando da administração ao paciente

Estabilidade

• FF líquidas são mais propensas instabilização:

-Hidrolise

-Fotólise

-Reações óxido-redução

-Prazo de validade

-Depende da mensuração das variáveis citadas

-Na prática, pode-se encapsular dose a ser administrada, preparando-se


suspensão/solução no momento da administração

• Formas farmacêuticas
-Quando PA for proveniente especialidade farmacêutica, utilizar 25% prazo
validade restante ou meses, o que for menor

-Quando PA for obtido de fornecedor pré-qualificado, prazo de validade deve ser


menor que 6 meses

-Em outro casos, prazo validade deve ser durante tempo de tratamento ou 30 dias, o
Disciplina Farmácia Hospitalar
Caroline Tannus

que for menor

Etiquetagem

• As etiquetas devem incluir:

-Nome genérico ou químico do PA

-Quantidade/concentração do PA

-Formas farmacêuticas liquidas: mg/ml, mEq/ml, %(p/v) ou % (v/v)

-Formas farmacêuticas sólidas: g. mg ou mcg

-Discriminação e quantidade de excipiente e veículos

-Número do lote

-Data de validade

-Orientação na armazenagem

-Nome do farmacêutico responsável

-Deve-se evitar nomes usuais da formulação (Por ex.: solução de Johnson’s)