Anda di halaman 1dari 40

CÁLCULO I

FUNÇÕES
Parte 2

José Fernando Santiago Prates

UNIVERSIDADE DE FRANCA

2014
Cálculo Diferencial e Integral Limites

1. Limites Laterais
a. Limites laterais à direita
Notação: Lim f(x)
xA

Para o cálculo, substituímos x por x = A + h com h  0 e calculamos o novo limite.


Exemplo
1) Calcule o limite lateral Lim 2x  3
x3
Solução:
Substituímos x por x = -3 + h com h  0 temos:
Lim 2x  3  Lim 2(3  h)  3 = Lim  3  2h  3
x3 h0 h0
 1
2) Calcule o limite lateral Lim  
x0   x 
Solução:
Substituímos x por x = 0 + h com h  0 temos:
 1  1 
Lim    Lim  
x0  x 

h  0 0  h 

 1
 Lim    
h  0 h 
lim f(x)  
x0

10
f(x) = 1/x
8

0
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-2

-4

-6

-8

-10

José Fernando Santiago Prates 2


Cálculo Diferencial e Integral Limites

 x2  4 
3) Calcule o limite lateral Lim  
x 2  x  2 


Solução:
Substituímos x por x = 2 + h com h  0 temos:
 x2  4   (2  h)2  4 
Lim   Lim 
x 2  x  2  h  0 (2  h)  2 
   
2
4h  h
 Lim
h0 h
 Lim 4  h  4
h 0

7
f(x) = (x2-4)/(x-2)
6

lim f(x) 3
x 2

1
x
0
-4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5
-1

-2

José Fernando Santiago Prates 3


Cálculo Diferencial e Integral Limites

b. Limites laterais à esquerda


Notação: Lim f(x)
xA

Para o cálculo, substituímos x por x = A-h com h  0 e calculamos o novo limite.


Exemplo:
1) Calcule o limite lateral Lim 2x  3
x7 
Solução: Substituímos x por x = -7 - h com h  0 temos
Lim 2x  3  Lim 2(7  h)  3
x7  h0
 Lim  11  2h  11
h0
2) Calcule o limite lateral Lim 2x  3
x5 
Solução: Substituímos x por x = 5 - h com h  0 temos
Lim 2x  3  Lim 2(5  h)  3 =
x5  h0
Lim 13  2h  13
h0
 1
3) Calcule o limite lateral Lim  
x0  x 

Solução: Substituímos x por x = 0 - h com h  0 temos


 1  1   1 
Lim    Lim   = Lim    
x0  x 

h  0 0  h  h  0  h 

10
f(x) = 1/x 8
6
4
2
0
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-2
-4
lim f(x)  
x0 -6
-8
-10

José Fernando Santiago Prates 4


Cálculo Diferencial e Integral Limites

 x2  4 
4) Calcule o limite lateral Lim  
x 2  x  2 


Solução:
Substituímos x por x = 2 - h com h  0 temos:
 x2  4   (2  h)2  4 
Lim    Lim  
x 2   x  2  h  0 (2  h)  2 

 4h  h2
 = Lim
h0 h
 Lim 4  h  4
h0

f(x) = (x2-4)/(x-2) 6

lim f(x) 3
x 2

1
x
0
-4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5
-1

-2

José Fernando Santiago Prates 5


Cálculo Diferencial e Integral Limites

2. Exemplos de aplicação de limites laterais

 x 2  4x  3 se x  1

1) Obter o gráfico de f(x)   x 1 se  1  x  2 e responda:
 2  e2  x se 2x

a) lim f(x) = 2
x  1

b) lim f(x) =0
x  1

c) lim f(x) = Não existe limite no ponto x = - 1.


x 1

d) lim f(x) =3
x2

e) lim f(x) =4
x2

f) lim f(x) = Não existe limite no ponto x = 2


x2

5
lim f(x) =4 f(x)
x 2
4
lim f(x) =3
x 2
3

2
lim f(x) =2
x  1
1

0
-5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8
lim f(x) =0 -1
x  1

-2

José Fernando Santiago Prates 6


Cálculo Diferencial e Integral Limites

2) Observe o gráfico da função abaixo e responda:

a) lim f(x) = b) lim f(x) =


x  3 x  3

c) lim f(x) = d) lim f(x) =


x  2 x  2

e) lim f(x) = f) lim f(x) =


x  0 x  0

g) lim f(x) = h) lim f(x) =


x 1 x 1

i) lim f(x) = j) lim f(x) =


x 1 x  

k) lim f(x) =
x 

8
7
6
5
4
3
2
1
0
-8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5
-2
-3
-4
-5
-6
-7
-8

José Fernando Santiago Prates 7


Cálculo Diferencial e Integral Limites

3) Observe o gráfico da função abaixo e responda:

a) lim f(x) =
x  4

b) lim f(x) =
x  4

c) lim f(x) =
x  1

d) lim f(x) =
x  1

e) lim f(x) =
x 1

f) lim f(x) =
x 1

g) lim f(x) =
x 1

h) lim f(x) =
x  

i) lim f(x) =
x 

10
9
8
7
6
5
4
3
2
1 x
0
-9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6

-2
-3
-4

José Fernando Santiago Prates 8


Cálculo Diferencial e Integral Limites

3. Assíntotas
a. Assíntotas Verticais
Definição: A reta x = a é uma assíntota vertical do gráfico de y = f (x), se pelo menos uma das
seguintes afirmações for verdadeira:
lim f(x) =± lim f(x) =±
x  a x  a

b. Assíntotas Horizontais
Definição: A reta y = b é uma assíntota horizontal do gráfico de y = f (x), se pelo menos uma
das seguintes afirmações for verdadeira:
lim f(x) =b
x  

c. Assíntotas Inclinadas
P(x)
Definição: A reta y = ax + b é uma assíntota inclinada do gráfico de f(x)  , obtida pelo
Q(x)
P(x)
quociente de , se pelo menos uma das seguintes afirmações for verdadeira:
Q( x )
lim [f(x)  (ax  b)]  0 ou lim f(x)  
x   x
30
f(x) = (x2-16)/x
20

10
y=x
0
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-10

-20

-30

José Fernando Santiago Prates 9


Cálculo Diferencial e Integral Limites

4. Método prático para cálculo de limites infinito de funções racionais


lim f(x)
x  
Podemos dividir o numerador e o denominador pela maior potência de x.

k
Se x    0
xn k  R, (k  0)
k
Se x    0
xn
Exemplos:
2
1) Lim 2x  8
x  x
2x 2  8 8
2
2x  8 2x 
Solução1: (x ) Lim = Lim x = Lim x =
x  x x  x x 1
x 1
2
Portanto, Lim 2x  8 = 
x  x
2x 2  8 2x 2 8 8
2  2
(x2 ) Lim 2x  8 = Lim
2
Solução2: x = Lim x
2
x 2
= Lim x2 = 
x  x x x x x x 1
2 2 x
x x
2
Portanto, Lim 2x  8 = 
x  x
2
2) Lim 5x  2
x  2x 3
5x 2  2 5

2
2 x x3
Solução1: (x3 ) Lim 5x  2 = Lim x3 = Lim =0
3 2
x  2x x  2x 3 x 

x3
5x 2  2
Portanto, Lim =0
x  2x 3
5x 2  2 2
2 5
5x  2 2 x2 = 0
Solução2: (x2 ) Lim = Lim x = Lim
x  2x 3 x  2x 3 x  2x
x2
5x 2  2
Portanto, Lim =0
x  2x 3

José Fernando Santiago Prates 10


Cálculo Diferencial e Integral Limites

5. Método prático para cálculo de limites laterais gerados pela condição de


existência

lim f(x) e lim f(x)


xa  x a 

Neste caso usamos a análise da função f(x)  1 quando x  0  e x  0  .


x
k
Se x  0   
x k  R, (k  0)
k
Se x  0   
x

-3
-3 -3+
-

x
1) lim f(x) = lim 2
-3,1 -2,9
x3 x 9
x3
x
= lim = - (se x  -3-  x-3  0-)
x3 (x  3)( x  3)

x
2) lim f(x) = lim 2
x3 x3 x  9
x
= lim = (se x  -3+  x-3  0+)
x3 (x  3)( x  3)

3
x 3- 3+
3) lim f(x) = lim 2 2,9 3,1
x3  x3 x  9

x
= lim = - (se x  3-  x-3  0-)
x3 (x  3)( x  3)

x
4) lim f(x) = lim 2
x3 x3 x  9
x
= lim = (se x  3+  x-3  0+)
x3 (x  3)( x  3)

José Fernando Santiago Prates 11


Cálculo Diferencial e Integral Limites

6. Exemplos de aplicação de limites em funções racionais

Regra prática para construção de gráficos de funções racionais:


I) Descubra a condição de existência de f(x).
Valores de x que não podem ser aplicados em f(x): x  a

II) Descubra os pontos onde f(x) intercepta os eixos:


i). Se x = 0  y = ? (caso exista)
ii). Se y = 0  x = ? (caso exista)
III) Obtenha os limites no infinito para f(x).
i). lim f(x) ii). lim f(x)
x  x  
IV) Obtenha os limites laterais para condição de existência de f(x).
i). lim f(x) ii). lim f(x)
x  a x  a
Exemplos:
1). Obter: a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
1
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) = .
x
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x) = : x 0.
x
1
II) Se x = 0  y = Não existe !
0
Se y = 0  Nunca assume valor 0!
1 1
III) lim f(x) = lim = 0 lim f(x) = lim = 0
x   x   x x  x x

IV) a. lim f(x) =- b. lim f(x) = 


x 0 x 0

Df = R* If = R*
10
f(x) = 1/x 8

6
lim f(x)
lim f(x) x  0
x   4

0
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-2

-4

lim f(x) -6
x  0
-8 lim f(x)
x  
-10

José Fernando Santiago Prates 12


Cálculo Diferencial e Integral Limites

2). Obter: a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
1
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) = - .
x
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x) = - : x  0.
x
1
II) Se x = 0  y =- Não existe !
0
Se y = 0  Nunca assume valor 0!
1
III) lim f(x) = lim  = 0
x   x   x
1
lim f(x) = lim  = 0
x  x  x

1
IV) lim f(x) = lim  =
x 0 x 0 x
1
lim f(x) = lim  = -
x 0 x 0 x

Df = R* If = R*

10
f(x) = -1/x 8

6 lim f(x) = 0
x  
lim f(x) =  4
x  0
2

0
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-2

-4 lim f(x) = -
x  0
lim f(x) = 0 -6
x  
-8

-10

Lembrete Prático:
k
Se x  0    
x
k
Se x  0    
x k  R, (k  0)
k
Se x    0
x
k
Se x    0
x

José Fernando Santiago Prates 13


Cálculo Diferencial e Integral Limites

3). Obter: a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
1
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) = + 2.
x
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x) = + 2: x  0.
x
1
II) Se x = 0  y = +2 Não existe !
0

1  2x 1
Se y = 0  0  x
x 2

1
III) lim f(x) = lim 2 =2
x   x   x

1
lim f(x) = lim 2 =2
x  x  x

1
IV) lim f(x) = lim 2 = -
x 0 x  0 x

1
lim f(x) = lim 2 =
x 0 x  0 x

Df = R* If = R – {2}
Assíntota Vertical
lim f(x) = 2 x=0
x  

14
12
10
8 lim f(x) = 
x  0

Assíntota Horizontal f(x) = 1/x + 2 6

y=2 Função Chegada 4


2
0
x
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1-2 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-4
f(x) = 1/x
-6
lim f(x) = -
Função Partida
-8
lim f(x) = 2
x 0
x  
-10
-12
-14

José Fernando Santiago Prates 14


Cálculo Diferencial e Integral Limites

4). Obter: a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
1
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) = .
x 2
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x) = : x  2.
x 2

1 1
II) Se x = 0  y = 
0 2 2
1  2x 1
Se y = 0  0  x
x 2

1
III) lim f(x) = lim =0
x   x   x  2
1
lim f(x) = lim =0
x  x  x  2

1
IV) lim f(x) = lim = - (se x  2- temos que x-2  0-)
x 2  x 2 x  2

1
lim f(x) = lim =  (se x  2+ temos que x-2  0+)
x 2  x 2 x  2

Df = R – {2} If = R*

Assíntota Vertical
x=2

10

6 f(x) = 1/(x-2)
Assíntota f(x) = 1/x 4 Função Chegada
Horizontal Função Partida
y=0 2

0
x
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-2

-4

-6

-8

-10

José Fernando Santiago Prates 15


Cálculo Diferencial e Integral Limites

5). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) =
1
 3.
x 2
Solução:
1 3x  5
I) Condição de existência de f(x) = +3= : x  2.
x 2 x 2

3.(0)  5 5
II) Se x = 0  y = 
0 2 2
3x  5 5
Se y = 0  =0  3x – 5 = 0  x
x 2 3

1
III) lim f(x) = lim 3 =3
x   x   x  2
1
lim f(x) = lim 3 =3
x  x  x  2

1
IV) lim f(x) = lim  3 = - (se x  2- temos que x-2  0-)
x 2 x 2 x  2

1
lim f(x) = lim  3=  (se x  2+ temos que x-2  0+)
x 2  x 2 x  2

Df = R – {2} If = R – {2}

Assíntota Horizontal
y=3 Assíntota Vertical
x=2

13
11
9
f(x) = 1/(x-2)+3
7
Função Chegada
5
3
1 x
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1-1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
-3
f(x) = 1/x -5
Função Partida -7
-9
-11
-13

José Fernando Santiago Prates 16


Cálculo Diferencial e Integral Limites

6). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x) =
1
3 .
x4
Solução:
1 3x  13
I) Condição de existência de f(x) = 3  = : x  4.
x4 x4

3.(0)  13 13
II) Se x = 0  y = 
04 4
3x  13 13
Se y = 0  =0  3x – 13 = 0  x
x4 3

1
III) lim f(x) = lim 3  =3
x   x   x4
1
lim f(x) = lim 3  =3
x  x  x4

1
IV) lim f(x) = lim 3  =  (se x 4- temos que x-4  0-)
x  4 x4  x4
1
lim f(x) = lim 3  = - (se x 4+ temos que x-4  0+)
x4  x  4 x4

13
11
f(x) = 3 - 1/(x-4)
9
f(x) = 1/x Função Chegada
7
Função Partida
5
3
1
x
-1 0
-8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
-3
-5
-7
-9
-11

Df = R – {4} If = R – {3}

José Fernando Santiago Prates 17


Cálculo Diferencial e Integral Limites

7). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
1
f(x)   3.
(x  2)2
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x)  3 : x  2.
(x  2)2

1 11
II) Se x = 0  y 3  
(0  2)2 4

1 1  3(x  2)2
Se y = 0  3  0  0  x1 = 1,42
(x  2)2 (x  2)2
x2 = 2,57

1
III) lim f(x) = lim  3 = -3
x   x   (x  2)2

1
lim f(x) = lim  3 = -3
x  x  (x  2)2

1
IV) lim f(x) = lim 2
 3=  (se x  2- temos que x-2  0-)
x 2 
x 2 
(x  2)

1
lim f(x) = lim 2
 3=  (se x  2+ temos que x-2  0+)
x 2 
x 2 
(x  2)

19

16

13
f(x) = 1/x2
Função Partida
10 f(x)=1/(x-2)2-3
7 Função Chegada

1
x
-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1
-2 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

-5

Df = R – {2} If = R – {-3}

José Fernando Santiago Prates 18


Cálculo Diferencial e Integral Limites

8). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x
f(x)  2 .
x 9
Solução:
x
I) Condição de existência de f(x)  2 : x  ± 3 .
x 9
II) Se x = 0  y=0

Se y = 0  x=0
x 1
x 2
III) lim f(x) = lim = lim x = lim x 0
x   x   2
x 9 x   2
x 9 x   9
1
x 2 x2
1
lim f(x) = lim x 0
3 -3
x  x 9 3- 3+ -3- -3+
1
x2 2,9 3,1 -3,1 -2,9
x x
IV) lim f(x) = lim 2
= lim= - (se x  -3-  x-3  0-)
x  3 x  3 x  9 x  3 (x  3)( x  3)
x x
lim f(x) = lim 2
= lim = (se x  -3+  x-3  0+)
 (x  3)( x  3)
x  3 
x  3 x  9

x  3

x x
lim f(x) = lim 2
= lim = - (se x  3-  x-3  0-)
x 3 
x 3 x  9

x 3 (x  3)( x  3) 

x x
lim f(x) = lim 2 = lim = (se x  3+  x-3  0+)
x 3 
x 3 x 9
x 3 (x  3)( x  3)

7
f(x) = x/(x2-9) 6
5
4
3
2
1
0
x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7
Df = R – {-3, 3} If = R*

José Fernando Santiago Prates 19


Cálculo Diferencial e Integral Limites

9). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x2  9
f(x)  .
x
Solução:
x2  9
I) Condição de existência de f(x)  : x  0.
x
II) Se x = 0  

x2  9
Se y = 0  0  x1 = -3 e x2 = 3
x
x2 9 9
 x
x2  9 x = -
III) lim f(x) = lim = lim x x = lim
x   x   x x   x x   1
x
9
x
x2  9 x = 
lim f(x) = lim = lim
x  x  x x  1
x2  9
IV) lim f(x) = lim = -
x  0 x  0 x
x2  9
lim f(x) = lim =
x  0 x  0 x

Cálculo da assíntota inclinada:


x2 - 9 x
A assíntota é dada por h(x) = x
-9 x

30
f(x) = (x2-9)/x
20

10

0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7

-10

-20

-30
*
Df =R If =R

José Fernando Santiago Prates 20


Cálculo Diferencial e Integral Limites

10). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
1
f(x)  2 .
x 1
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x 1

II) Se x = 0 

Se y = 0 

III) lim f(x) =


x  

lim f(x) =
x 

IV) lim f(x) =


x  1

lim f(x) =
x  1

lim f(x) =
x 1

lim f(x) =
x 1
Df = If =
7
f(x) = 1/(x2-1) 6
5
4
3
2
1
0
x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7

José Fernando Santiago Prates 21


Cálculo Diferencial e Integral Limites

11). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
1
f(x)  2 1 .
x 1
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x)  2 1 : x  .
x 1

II) Se x = 0 

Se y = 0 

III) lim f(x) =


x  

lim f(x) =
x 

IV) lim f(x) =


x  1

lim f(x) =
x  1

lim f(x) =
x 1

lim f(x) =
x 1
Df = If =
7
f(x) = 1/(x2-1) - 1 6
5
4
3
2
1
0
x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7

José Fernando Santiago Prates 22


Cálculo Diferencial e Integral Limites

12). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
1
f(x)  2 .
x 4
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x 4

II) Se x = 0 

Se y = 0 

III) lim f(x) =


x  

lim f(x) =
x 

IV) lim f(x) =


x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2

Df = If =

7
f(x) = 1/(x2-4) 6
5
4
3
2
1
0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7

José Fernando Santiago Prates 23


Cálculo Diferencial e Integral Limites

13). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
1
f(x)  .
4  x2
Solução:
1
I) Condição de existência de f(x)  : x  .
4  x2

II) Se x = 0 

Se y = 0 

III) lim f(x) =


x  

lim f(x) =
x 

IV) lim f(x) =


x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2

Df = If =

7
f(x) = 1/(4-x2) 6
5
4
3
2
1
0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7

José Fernando Santiago Prates 24


Cálculo Diferencial e Integral Limites

14). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x
f(x)  2  2.
x 9
Solução:
x
Condição de existência de f(x)  2 2 : x  .
x 9

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x)
x  3 =

lim f(x) =
x  3

lim f(x) =
x 3

lim f(x) =
x 3
Df = If =

8
f(x) = x/(x2-9)+2 7
6
5
4
3
2 x
1
0
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5

José Fernando Santiago Prates 25


Cálculo Diferencial e Integral Limites

15). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x2  16
f(x)  .
x
Solução:
x2  16
Condição de existência de f(x)  : x  .
x

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  0

lim f(x) =
x  0

Df = If =

30
f(x) = (x2-16)/x
20

10

0
x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7

-10

-20

-30

José Fernando Santiago Prates 26


Cálculo Diferencial e Integral Limites

16). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
4  x2
f(x)  .
x
Solução:
4  x2
Condição de existência de f(x)  : x  .
x

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  0

lim f(x) =
x  0

Df = If =
40
f(x) = (4-x2)/x
30

20

10

0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-10

-20

-30

-40

José Fernando Santiago Prates 27


Cálculo Diferencial e Integral Limites

17). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
2x2
f(x)  .
x2  1
Solução:
2x2
Condição de existência de f(x)  : x  .
x2  1

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

Df = If =

2,5

f(x) = 2x2/(x2+1)
2

1,5

0,5

x
0
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7

José Fernando Santiago Prates 28


Cálculo Diferencial e Integral Limites

18). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
3x  4
f(x)  2 .
x 1
Solução:
3x  4
Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x 1

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

Df = If =

1
f(x) = (3x-4)/(x2+1) x
0
-11-10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

-1

-2

-3

-4

-5

José Fernando Santiago Prates 29


Cálculo Diferencial e Integral Limites

19). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x2  1
f(x)  .
3x  4
Solução:
x2  1
Condição de existência de f(x)  : x  .
3x  4

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
4
x
3
lim f(x) =
4
x
3

Df = If =

15
f(x) = (x2+1)/(3x-4)

10

5
x

0
-11 -10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

-5

-10

José Fernando Santiago Prates 30


Cálculo Diferencial e Integral Limites

20). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
x3
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de f(x)  .
x 1
Solução:
x3
Condição de existência de f(x)  : x  .
x 1

Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x 1

lim f(x) =
x 1

Df = If =
30
f(x) = (x3)/(x-1)
25

20

15

10

5
x
0
-5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5
-5

-10

-15

-20

José Fernando Santiago Prates 31


Cálculo Diferencial e Integral Limites

21). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x3
f(x)  .
4  x2
Solução:
x3
Condição de existência de f(x)  : x  .
4  x2
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2

Df = If =
25
f(x) = (x3)/(4-x2)
20

15

10

0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-5

-10

-15

-20

-25

José Fernando Santiago Prates 32


Cálculo Diferencial e Integral Limites

22). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x3
f(x)  .
x2  4
Solução:
x3
Condição de existência de f(x)  : x  .
x2  4
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x)
x   =

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2
Df = If =
25
f(x) = (x3)/(x2-4)
20
15
10
5
0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-5
-10
-15
-20
-25

José Fernando Santiago Prates 33


Cálculo Diferencial e Integral Limites

23). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x
f(x)  2 .
x x 2
Solução:
x
Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x x 2
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  1

lim f(x) =
x  1

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2

Df = If =
15
f(x) = (x)/(x2-x-2)

10

x
0
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7

-5

-10

-15

José Fernando Santiago Prates 34


Cálculo Diferencial e Integral Limites

24). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x
f(x)  2 .
x x6
Solução:
x
Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x x6
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 3

lim f(x) =
x 3
Df = If =

15
f(x) = (x)/(x2-x-6)
10

0
x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7

-5

-10

-15

José Fernando Santiago Prates 35


Cálculo Diferencial e Integral Limites

25). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x2  x  4
f(x)  .
x2  4
Solução:
x2  x  4
Condição de existência de f(x)  : x  .
x2  4
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x  2

lim f(x) =
x 2

lim f(x) =
x 2

Df = If =

7
f(x) = (x2+x-4)/(x2-4) 6
5
4
3
2
1
0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2
-3
-4
-5
-6
-7

José Fernando Santiago Prates 36


Cálculo Diferencial e Integral Limites

26). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
2x3
f(x)  .
x2  4
Solução:
2x3
Condição de existência de f(x)  : x  .
x2  4
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

Df = If =

25
f(x) = (2x3)/(x2+4)
20
15
10
5
0 x
-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-5
-10
-15
-20
-25

José Fernando Santiago Prates 37


Cálculo Diferencial e Integral Limites

27). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x3
f(x)   .
x2  1
Solução:
x3
Condição de existência de f(x)   : x  .
x2  1
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

Df = If =

6
f(x) = (-x3)/(x2+1)
4

0 x
-6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6

-2

-4

-6

José Fernando Santiago Prates 38


Cálculo Diferencial e Integral Limites

28). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x4
f(x)  2 .
x  16
Solução:
x4
Condição de existência de f(x)  2 : x  .
x  16
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  

lim f(x) =
x 

lim f(x) =
x  4

lim f(x) =
x  4

lim f(x) =
x  4

lim f(x) =
x  4

Df = If =
10
f(x) = (x-4)/(x2-16)
8

2
x
0
-11 -10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7
-2

-4

-6

-8

-10

José Fernando Santiago Prates 39


Cálculo Diferencial e Integral Limites

29). Obter a condição de existência, os pontos onde f(x) intercepta os eixos, os limites no infinito
para f(x), limites laterais para condição de existência de f(x), Df, If e o gráfico de
x4
f(x) 
(x 2  4)( x 2  1)
Solução:
x4
Condição de existência de f(x)  : x  .
(x 2  4)( x 2  1)
Se x = 0 

Se y = 0 

lim f(x) =
x  
lim f(x) =
x 
lim f(x) =
x2
lim f(x) =
x2
lim f(x) =
x1
lim f(x) =
x1
lim f(x) =
x2
lim f(x) =
x2
lim f(x) =
x1
lim f(x) =
x1

18
f(x) = (x4)/((x2-4)(x2-1)) 16
14
12
10
8
6
4
2
0
x
-8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -2
-1 0 1 2 3 4 5 6 7 8
-4
-6
-8
-10
-12
-14
-16
-18

José Fernando Santiago Prates 40