Anda di halaman 1dari 2

A primeira coisa que nos faz sentir saudade quando estamos num

lugar estranho de ouvir nossa lngua materna na boca das pessoas. De


algum modo quando ouvimos o portugus brasileiro, sabemos que estamos
um pouco em casa.
Dito isto, deu um bocado de alegria saber, e ouvi isso de um brasileiro
em Barcelona, que saudade uma palavra que s existe no portugus. Em
castelhano a traduo mais parecida com saudade extraar (algo como
perder ou estranhar). Portanto, nossa palavra carrega um sentido mais
potico do que a traduo espanhola, uma vez que significa a presena da
ausncia. Mais sofisticado, n? No de graa que ela foi tema de tantos
livros e canes portuguesas. Ora, saudade tem muitos particulares.
Saudade aumenta o tamanho das coisas, por exemplo. Veja o caso de
uma simples tapioca: alguns pesquisadores nordestinos, que esto tambm
estudando por aqui, realizaram uma intensa busca da torno da goma de
tapioca (carssima, por sinal). E a primeira a encontrar em Barcelona (uma
paraibana) anunciou a descoberta com a felicidade de um bandeirante que
encontrou ouro. Da percebi o quanto cheiramos tapioca no caf da manh,
nas ruas da cidade, no jantar e etc.
Saudade tambm diminui coisas grandes. A crise que atravessa o
pas (com reformas trabalhistas, previdencirias, fiscais, empurradas goela
abaixo do brasileiro, nem sequer sufragadas nas eleies) de repente fica
um tanto menor desse lado. que nossos problemas no parecem menos
graves (e tento nunca esquecer disso), pois a vontade de ter presente o seu
lugar sempre maior.
A saudade lhe mostra com assustadora clareza o seu lugar. Se algum
dia voc se perder pode contar que ela te mostra o caminho de volta. Daqui
at compreendi melhor Belchior (que agora virou saudade): no precisam
que me digam de que lado nasce o sol porque bate l meu corao.
Por ltimo, muito difcil acrescentar algo novo sobre saudade, tendo
em vista que ela j foi cantada e explicada milhes de vezes. Mas fazer o
qu? que cada gerao que nasce e que fenece acha que tem algo mais
novo e verdadeiro a dizer sobre ela. E se isto verdadeiro, se ela insiste em
rejuvenescer em nossa lngua, que ela tem a um s tempo um pouco de
vida (e por isso vibra nos coraes moos a cada vez que proferida) e de
morte (pois a morte abre o caminho para a saudade, de modo que as duas
s podem ser parentes).
Estou cheio de saudade do meu lugar e da nossa gente. Nunca viajo
de mala vazia.

Andr Carvalho.
Vitoriense e atualmente realiza uma parte do doutorado em
Barcelona.