Anda di halaman 1dari 4

Universidade Federal de Uberlndia

Instituto de Qumica

GILBERTO ARANTES KOCH - 11311QID043


KAROLINE VITRIA - 11311QID041
LUDYMILA ROSA BATISTA - 11511QID023
SIMONE NETO DE SOUZA 11611QID030

- EXPERIMENTO 5
DETERMINAO DA TENSO SUPERFICIAL DE LQUIDOS

UBERLNDIA
2017
GILBERTO ARANTES KOCH
KAROLINE VITRIA
LUDYMILA ROSA BATISTA
SIMONE NETO DE SOUZA

- EXPERIMENTO 5
DETERMINAO DA TENSO SUPERFICIAL DE LQUIDOS

Relatrio apresentado como requisito


parcial de avaliao para a disciplina de
Fsico Qumica Experimental do curso
de Qumica Industrial da Universidade
Federal de Uberlndia.

Professor: Dr. Daniel Pasquini

UBERLNDIA
2017
SUMRIO

1 INTRODUO 04
2 OBJETIVOS 06
3 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL 06
3.1 Materiais 06
3.2 Metodologia 06
4 RESULTADOS E DISCUSSO 07
5 CONCLUSO 11
6 REFERNCIAS 12
1 INTRODUO
A existncia de foras de atrao de van der Waals de curto alcance entre as
molculas, responsveis pela existncia do estado lquido, um fato bastante conhecido.
O fenmeno de tenso superficial pode ser explicado em funo dessas foras de coeso
(e.g. Van der Walls, pontes de hidrognio). As molculas situadas no interior de um
lquido so, em mdia, sujeitas a foras de atrao iguais em todas as direes, ou seja,
as molculas circunjacentes esto distribudas de forma aproximadamente simtrica em
seu redor. J as molculas que se encontram na superfcie de separao lquido-ar esto
sujeitas a foras no-equilibradas ou no-balanceadas resultando numa fora em direo
ao interior do lquido (SHAW,1975), como pode ser observado na ilustrao feita na Fig.
1.
Figura 1 Foras de atrao entre molculas no interior e na superfcie de um lquido

Sendo assim, o maior nmero possvel de molculas se deslocar da superfcie


para o centro do lquido levando a superfcie a se contrair espontaneamente, ou seja, a
superfcie age como uma membrana que tende a comprimir o lquido. Isso tambm
fundamenta a razo de porque gotculas de um lquido tendem a adquirir uma forma
esfrica visto que a forma geomtrica com a menor rea superficial para um dado volume
a esfera. Na superfcie a resultante das foras de coeses internas chamada de tenso
superficial
2 OBJETIVO