Anda di halaman 1dari 2

Ficha Formativa

Cames lrico- revises (contedo 10ano)

Leia o poema.
A fermosura desta fresca serra
E a sombra dos verdes castanheiros,
O manso1 caminhar destes ribeiros,
Donde toda a tristeza se desterra;

O rouco som do mar, a estranha terra,


O esconder do sol pelos outeiros,
O recolher dos gados derradeiros3,
Das nuvens pelo ar a branda guerra;

Enfim, tudo o que a rara Natureza


Com tanta variedade nos oferece
Me est, se no te vejo, magoando.

Sem ti, tudo me enoja e me aborrece;


Sem ti, perpetuamente estou passando,
Nas mores alegrias, mor tristeza.

Lus de Cames, Lrica

Responda s perguntas.
O sujeito lrico, nas duas quadras, descreve a natureza.
1.1- Refira a funo da natureza descrita.
2- O poeta exterioriza o seu estado de esprito.
2.1- Caracterize-o.
2.2- Justifique a causa desse estado de esprito.
2.3- Quais os recursos estilsticos presentes na ltima estrofe do poema?
3.- Analise o poema formalmente.
3.1- Segundo a lgica das ideias, divida-o em partes, justificando.
3.2- Aponte duas caractersticas que enquadrem o poema dentro da corrente renascentista.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lrica camoniana
Na lrica camoniana coexiste a potica tradicional e o estilo renascentista.

Caractersticas da corrente tradicional Caractersticas da corrente


-As formas poticas tradicionais: cantigas, renascentista
vilancetes, esparsas, endechas, -O estilo novo: soneto, cano, cloga, ode,
trovas... entre outros.
-Uso da medida velha: redondilha menor e -Medida nova: decasslabos.
maior. -O amor surge, maneira petrarquista,
-Temas tradicionais e populares; a menina como fonte de contradies, entre a
que vai fonte; o verde dos campos vida e a morte, a gua e o fogo, a esperana
e dos olhos; o amor e o desengano;
-Temas tradicionais e populares; a menina -A conceo da mulher, outro tema essencial
que vai fonte; o verde dos campos da lrica camoniana, em ntima
e dos olhos; o amor simples e natural; a ligao com a temtica amorosa e com o
saudade e o sofrimento; a dor e a mgoa; o tratamento dado Natureza (locus
ambiente corteso com as suas cousas de amenus), oscila igualmente entre o polo
folgar e as futilidades; a exaltao da platnico (ideal de beleza fsica, espelho da
beleza de uma mulher de condio servil, de beleza interior), representado pelo modelo
olhos pretos e tez morena (a Barbara, de Laura e o modelo renascentista de Vnus.
escrava); a infelicidade presente e a
felicidade passada.