Anda di halaman 1dari 33

ANEXO 3

EXEMPLO DE RELATÓRIO
-------------------------------------------------------------------------------------------------------

XXIII - Feira Regional de Matemática

Categoria: Ensino Médio


Modalidade: Matemática Aplicada e/ou Inter-Relação com outras Disciplinas
Expositores: Aline Natana Bublitz, Jéssica Reis Nunes
Instituição: Escola de Educação Básica José Bonifácio
Orientador: Ketlin Weiss
Endereço do Orientador: Rua Alberto Spredemann, nº 622, Centro, Pomerode/SC, CEP 89107-
000, telefone (47)3387-3312, e-mail danikesu@terra.com.br (para maiores informações sobre o
trabalho).

A MAGIA DOS FRACTAIS

Trabalho apresentado na XXIII Feira Regional de Matemática, desenvolvido nas disciplinas de


Matemática, Física, Filosofia, e Português, da 2.s.2, do Ensino Médio, da EEB José Bonifácio.

POMERODE,
2007.
ALINE NATANA BUBLITZ
JÉSSICA REIS NUNES

XXIII - Feira Regional de Matemática

A MAGIA DOS FRACTAIS

Trabalho apresentado na XXIII Feira Regional de Matemática, desenvolvido nas


disciplinas de Matemática, Física, Filosofia, e Português, da 2.s.2, do Ensino Médio, da
EEB José Bonifácio.
Professores : Ketlin, Ita, e Nédio.

POMERODE,
2007.
SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO.......................................................................................................... 06
2. OBJETIVOS............................................................................................................. 07
2.1 GERAL..................................................................................................................... 07
2.2 ESPECÍFICOS.......................................................................................................... 07
3. DESENVOLVIMENTO ................................................................................ 08
3.1 O QUE SÃO FRACTAIS E TEORIA DO CAOS................................................ 08
3.1.2 FRACTAIS............................................................................................................... 08
3.1.2 TEORIA DO CAOS................................................................................................. 09
3.3 HISTÓRIA................................................................................................................ 10
3.3.1 FRACTAIS................................................................................................................. 10
3.3.2 TEORIA DO CAOS..................................................................................................... 11
4. EXEMPLOS DE APLICAÇÕES DESTAS CIÊNCIAS....................................... 12
4.1 CURVA DE KOCH.................................................................................................. 12
4.2 ILHA DE KOCH...................................................................................................... 18
4.3 TAPETE DE SIERPINSKI....................................................................................... 23
4.4 TRIÂNGULO DE SIERPINSKI.............................................................................. 26
5. A IMPORTÂNCIA DA TEORIA DO CAOS E DOS FRACTAIS...................... 28
5.1 NA SOCIEDADE..................................................................................................... 28
5.2 NA CIÊNCIA CONTEMPORÂNEA....................................................................... 29
6.CÁLCULO DE COMPRIMENTO DE LITORAIS E FRONTEIRAS................ 30
7. INTERDISCIPLINARIEDADE.............................................................................. 35
7.1 LÍNGUA PORTUGUESA........................................................................................ 35
7.2 FILOSOFIA.............................................................................................................. 40
7.3 FÍSICA...................................................................................................................... 41
8. FRACTAIS NA VIDA REAL.................................................................................. 42
46
9. CONCLUSÃO...........................................................................................................
47
ANEXOS........................................................................................................................
49
REFERÊNCIAS............................................................................................................
RESUMO

Fractais são formas que caracterizam repetições, ou iterações, de um determinado


padrão com ligeiras e constantes variações. São facilmente identificados na natureza na forma de
um couve-flor, nas árvores, nos mariscos ou em qualquer estrutura cujas ramificações sejam
variações de um mesma forma básica. Quando analisado em diferentes escalas, o fractal se mostra
sempre similar ao todo, apresentando cópias de si mesmo em seu interior, fato este conhecido como
auto-similaridade. Eles começaram a aparecer em trabalhos científicos, por volta de 1857 e 1913,
mas só se desenvolveram a partir da década de 60 com o auxílio da computação, tendo como maior
matemático envolvido neste processo o polonês Benoit Mandelbrot.

Já a Teoria do Caos trata do comportamento de fenômenos aleatórios que com o tempo


apresentam padrões e se auto-organizam. Tal fenômeno pode ser visto em diferentes locais, como
na formação de nuvens, desertos e dunas por exemplo.

Este trabalho apresenta alguns fractais, estruturas geométricas de grande complexidade


e beleza, aos quais relacionam-se diversos conceitos matemáticos, como progressões geométricas,
escalas, figuras geométricas, a própria geometria fractal e a teoria do caos, conceitos da ciência
contemporânea, de uma matemática atual, ligada às formas da natureza, ao desenvolvimento da vida
e à compreensão do universo; para que, dessa forma, seja possível à todos compreender estes novos
conceitos

Para tanto, destacam-se também diversas aplicações dos conceitos desta ciência nas
mais diversas áreas, mostrando o quanto os Fractais e a Teoria do Caos, apesar de recentes, já se
espalharam por quase todos os domínios da atividade humana auxiliando no desenvolvimento de
novas tecnologias e na busca de respostas à diversas questões da humanidade. Mostram-se ainda
ligações entre tal tema com áreas como Filosofia e Língua Portuguesa, disciplinas nas quais se
foram trabalhados o conceito de conhecimento e o desenvolvimentos de poesias.

A ciência está em constante e infinita evolução e cada vez mais é preciso aprendê-la
para poder fazer novas descobertas, compreender as novidades que nos são apresentadas
diariamente e saber a real importância de tudo o que é feito. É essencial que tenhamos um pouco de
conhecimento sobre a ciência contemporânea, da qual os Fractais e a Teria do Caos fazem parte,
pois só assim, compreenderemos de uma forma mais correta e científica os conhecimentos de
mundo onde vivemos.
1. INTRODUÇÃO

Esta ciência, a dos Fractais, apresenta estruturas geométricas de grande complexidade e


enorme beleza, ligadas às formas da natureza, ao desenvolvimento da vida e à própria compreensão
do universo, buscando uma representação das irregularidades encontradas no mundo.

Os fractais são objetos que apresentam auto-semelhança e complexidade infinita, ou


seja, têm sempre cópias aproximadas de si; mesmo em seu interior. São gerados a partir de fórmulas
simples, repetidas milhares de vezes com auxílio do computador, dando origem a fantásticas e
surpreendentes figuras.
Então, partindo do pressuposto que os fractais estão presentes em nosso cotidiano,
obtivemos grande curiosidade em aprimorar nossos conhecimentos referente a esta teoria, motivo
que nos impulsionou a realizar esta pesquisa. Também pressupomos que, como os fractais estão
presentes nos elementos da natureza, poderemos interagir com outras disciplinas curriculares para
melhor compreendermos a situação.

2. OBJETIVOS

2.1 GERAL

- Mostrar que a matemática está em constante e infinita evolução, buscando atender às novas
necessidades surgidas com a ciência contemporânea.

2.2 ESPECÍFICOS

- Apresentar a Geometria Fractal e a teoria do Caos;

- Trabalhar conceitos matemáticos como Progressão Geométrica, Cálculo de áreas e


perímetros a partir de figuras da Geometria Fractal.
3. DESENVOLVIMENTO
Para abordar mos este conteúdo fizemos uma pesquisa bibliográfica (todos os alunos da
sala). Primeiramente, procuramos conceitos referentes ao tema a ser pesquisado. Para isto,
procuramos em livros em em sites da Internet.
Após, começamos a explorar o conteúdo em sala de aula, mais precisamente nas aulas de
Matemática. Em seguida, foram desenvolvidos conteúdos matemáticos para verificarmos a
aplicação destes fractais (ver no texto desenvolvido a seguir). Além disto, verificamos se nossos
pressupostos iniciais eram verdadeiros. Para isto procuramos na natureza a existência dos fractais.
Ao estudarmos o conteúdo, outras disciplinas também fizeram parte de nossa pesquisa
(Língua Portuguesa, Filosofia e Física). Para aproveitar, apresentamos este trabalho (semi-
concluído) na Feira interna que nossa escola realizou. Em seqüência, participamos da Feira
Municipal. Fomos classificados para a etapa seguinte: Feira Regional de Matemática.
Verifiquem na seqüência, o desenvolvimento de nossa pesquisa.

3.1 O QUE SÃO FRACTAIS E TEORIA DO CAOS

3.1.1 FRACTAIS

Fractais são formas que caracterizam repetições de um determinado padrão com ligeiras
e constantes variações. São facilmente identificadas na natureza, na forma de uma couve-flor, em
árvores, mariscos e qualquer estrutura cujas ramificações sejam variações de uma mesma forma
básica.
Em conseqüência da auto-similaridade, quando vistas através de uma lente de aumento,
as diferentes partes de um fractal se mostram similares à forma como um todo, isto é, tem sempre
cópias aproximadas de si, mesmo em seu interior.
Um fractal pode ser gerado a partir de uma fórmula matemática, muitas vezes simples,
que sendo aplicada de forma iterativa, produz resultados impressionantes. Podemos encontrar dois
tipos de fractais: os geométricos, que repetem o modelo padrão e os aleatórios. A geometria fractal
pode ser utilizada para descrever diversos fenômenos na natureza, onde não podem ser utilizadas
geometrias tradicionais.
Embora não aparentem, os fractais são encontrados em todo o universo natural e na
ciência, desde o aspecto das nuvens, montanhas, árvores e relâmpago, até à distribuição das galáxias
e à economia de mercados. A geometria fractal é bem evidente, tanto na engenharia, quanto nas
comunicações telefônicas, na química, na metalúrgica, na arte, na matemática e até na medicina.
3.1.2 TEORIA DO CAOS
A ciência do Caos é relativamente recente e é considerada a terceira grande revelação
deste século. Nos anos 60 houve uma investigação, onde se descobriu sistemas complexos que
podiam ser traduzidos por equações matemáticos simples.

Através da Teoria do Caos, verificou-se que um sistema passa facilmente de um estado


de ordem para um estado caótico. Pequenas diferenças nas condições inicias ou um sistema podem
conduzir diferenças bastante significativas no resultado final.

Esta teoria tem proporcionado algumas descobertas extraordinárias e levando questões


problemáticas que se tornam desafiantes. A geometria dos fractais está ligada à Teoria do Caos. A
estruturas quebradas, complexas, estranhas e belas da geometria que indicam uma certa ordem ao
caos.

Uma pequena alteração pode provocar uma diferença considerável. Mas pode acontecer
que uma alteração não origine uma diferença significativa. Mas a mais pequena alteração pode ter
conseqüências imprevisíveis. Entretanto, verifica-se que de todo caos surge uma ordem.

3.2 HISTÓRIA

3.2.1 FRACTAIS
Por muito tempo os objetos e os conceitos da filosofia e da geometria foram considerados
os melhores que descreviam o mundo em que vivemos. A descoberta de geometrias não-euclidianas
introduziu objetos que representou fenômenos do Universo, e esses chamados de fractais.
Considerados até hoje objetos que retratam fenômenos da Natureza.

Durante algum tempo, aproximadamente entre 1857 e 1913, o termo e a idéia do fractal
teve seu início baseado em trabalhos científicos. Tais trabalhos continham objetos e idéias de
produção de figuras, mas não conseguiam colocá-las em prática por falta de tecnologia, já que
precisaram da ajuda do computador para representar as formas. Por esses fatos podemos dizer que
esses objetos foram classificados como demônios, pois a dificuldade de representá-los foi atribuída
a poderes sobrenaturais.
Em 1872, Weierstrass encontrou o exemplo de uma função, cujo gráfico é hoje chamado de
fractal. Já em 1904, Helge von Koch, não concordando com sua definição abstrata, por ser muito
simples resolveu criar sua própria definição, atualmente conhecida como Floco de Neve. Trata-se
do resultado de diversas adições de triângulos no perímetro de um triângulo inicial, ou seja, cada
vez que triângulos são adicionados, o perímetro cresce, tendendo assim ao infinito.
Assim como este trabalho houveram outros, relacionando estes objetos e figuras. Porém

apenas na década de 60 essa ciência, a dos fractais conseguiu se desenvolver com a ajuda da

computação. Um dos primeiros a usar esta técnica foi Benoit Mandelbrot, um matemático que já

vinha estudando tais objetos e figuras.

Mandelbrot foi um dos pioneiros e responsável por criar o termo fractal, baseando-se no

adjetivo latino fractus, do verbo frangere que significa quebrar, criar fragmentos irregulares. Foi

ainda responsável ainda pela descoberta de um dos fractais mais conhecidos atualmente, o

conjunto de Mandelbrot.

Desde então diversos novos fractais surgiram, bem como aplicações foram descobertas.
Assim, os fractais fazem parte da história atual da ciência, inclusive a matemática, desenvolvendo-
se cada vez mais e trazendo novos rumos às tecnologias, concepções de mundo e ciências.

3.2.2 TEORIA DO CAOS

Na Mitologia grega, o Caos era o estado não organizado, ou o nada, de onde todos as
coisas surgiram.

Com o desenvolvimento da Matemática e de outras ciências, a Teoria do Caos surgiu


para dar explicações às flutuações erráticas e irregulares que se encontram na natureza, resíduos da
formação primordial.

4. EXEMPLOS DE APLICAÇÕES DESTAS CIÊNCIAS

4.1 CURVA DE KOCH


A curva de Koch é uma curva geométrica e um dos primeiros fractais a serem descritos.
Aparece pela primeira vez num artigo em 1904.
Podemos imaginar a sua construção a partir de um segmento de reta que será submetido
às iterações descritas a seguir:
1. Divide-se o segmento da reta em três segmentos de igual comprimento.
2. Desenha-se um triângulo eqüilátero, para o qual o segmento central, referido no
primeiro passo, servirá de base.
3. Apaga-se o segmento que serviu de base ao triângulo do segundo passo.
4. Repete-se as três passagens anteriores com cada um dos três lados da nova figura, o
que resultará numa nova figura com dezesseis lados.
A curva de Koch é o limite para o qual tende esta construção, repetindo as operações
referidas, sucessivamente, para cada segmento.
As figuras a seguir representam as quatro primeiras etapas de construção da curva:

Nível 0

Nível 1

Nível 2

Nível 3

Nível 4

Se considerarmos cada passo, notamos que para passar de uma linha para a seguinte,
substituímos três segmentos por quatro de igual comprimento, ou seja, o comprimento total é
multiplicado por 4/3. A cada iteração o comprimento do lado é multiplicado pelo fator 1/3 e o
número de lados quadruplicado a cada nova passagem. O limite da sucessão geométrica de razão
4/3 é o infinito, o que significa que a figura final terá um comprimento infinito.
Considerando estas figuras, é possível formular uma planilha que forneça os valores
quanto ao número de iterações, ao comprimento de cada lado, número de lados e comprimento das
curvas.
Observando esta tabela, podemos notar que em cada coluna, ocorre uma progressão geométrica.

PROGRESSÃO GEOMÉTRICA (PG): É uma seqüência de números não-nulos em cada


termo posterior, a partir do segundo, igual aos anteriores, multiplicado por um número fixo
chamado razão da progressão.

Termo geral de uma PG

an = a1 . qn-1

Utilizando o termo geral de uma PG conseguimos chegar em fórmulas matemáticas que


expressam diferentes características da figura de acordo com o número de iterações realizadas.
Assim, podemos, por exemplo, saber qual será o comprimento da figura após 30 iterações sem que
elas precisem ser efetivamente feitas. Abaixo seguem as montagens das fórmulas:
A relação entre o número de iterações realizadas e o número de lados da figura pode ser
expressa através de uma função exponencial y = 4x, conforme gráfico

y= 4
Nº de Lados

300
256
200
100
4 16 64
0 1
1 2 3 4 5
Iteração

Iteração Nº de lados

Para descobrirmos quantas iterações precisaremos fazer para obter quantos lados
quisemos, precisamos utilizar os logaritmos. Antes, trazemos o conceito e algumas propriedades
que serão utilizadas.

Logaritmos

Considerando dois números reais a e b, positivos, com a ≠ 1

Loga b = c  ac = b

(b>0 e 0<a ≠ 1)

Propriedades dos Logaritmos

loga (m.n) = loga m + loga n

loga m = loga m - loga n


n
loga nk = k loga n
Vejamos alguns exemplos de cálculos realizados:
- Quantas iterações são necessárias para termos uma curva com:

a)16.384 lados

b) Lados de 0,001cm

c) Comprimento de aproximadamente 38cm.

4.2 ILHA DE KOCH


O fractal conhecido como Ilha de Koch ou floco de neve corresponde à mesma curva,
porém, iniciando a sua construção a partir de um triângulo eqüilátero. A ilha de Koch trata-se de um
fractal, que repetidas diversas iterações apresenta um perímetro tendendo ao infinito.
Ao iniciar sua construção partimos de uma figura com 3 lados e cada uma com 1
unidade de medida. Cada um dos lados deste triângulo é uma base da construção de uma curva de
Koch. Repetem-se infinitas iterações em cada lado, dividindo-o em quatro novos segmentos com
1/3 do comprimento do anterior.
As figuras a seguir representam os quatro primeiros passos da construção da Ilha de

Koch.
Na segunda etapa temos uma figura com 12 lados, sendo cada um com comprimento de
1/3 da unidade da medida inicial.
Repete-se o processo com cada um dos 12 lados da figura.Estes sofrem o mesmo tipo
de repartição.
Na terceira iteração a figura possui 48 lados, sendo cada um com 1/9 da unidade de
comprimento inicial. Assim repete-se o processo sucessivamente.
Conseqüentemente, com estes determinados dados, podemos formar uma tabela,
contendo o número de lados, comprimento de cada lado, e perímetro da figura, possibilitando assim,
realizar análises das características do fractal após inúmeras iterações sem que este precise ser
efetivamente representado.

Na montagem da tabela também utilizamos o conceito de Progressão Geométrica para


chegar ao termo geral de cada coluna.

Notamos ainda a possibilidade da utilização da idéia do comprimento de circunferência.

Fórmula

2π . r
Sabe-se que o raio da Terra na Linha do Equador é de 6.400km. Assim, o comprimento
da circunferência da Terra nesta linha é de 2 . 3,14 . 6400, ou seja 40.212,39km. A partir da tabela
percebe-se que na iteração de número 38 ao cortarmos a figura e esticarmos ela, seria possível
contornar a Terra.

Também neste fractal a relação entre o número de iterações e o número de lados da


figura pode ser representado por uma função exponencial, como mostra a figura:

y=3.4
Nº de Lados

300
200
256
100
4 16 64
0 1
1 2 3 4 5
Iteração

Iteração Nº de lados

Também neste fractal efetuamos alguns cálculos sobre características da figura em


diferentes iterações. Seguem três exemplos:

- Quantas iterações são necessárias para termos uma figura com:

a) 49.152 lados

b) Lado de 0,00004m (0,04mm)


c) c) Perímetro de aproximadamente 12m

4.3 TAPETE DE SIERPINSKI


O tapete de Sierpinski é o conjunto resultante da remoção sucessiva do quadrado do
centro, quando se divide um quadrado em nove quadrados iguais.

O processo de construção consiste em dividir o quadrado inicial em nove quadrados


iguais, retirar o do meio e aplicar sucessivamente este procedimento aos quadrados que restam ao
fim de cada iteração, conforme ilustrado nas imagens seguintes:
Após todos esses processos, através de uma tabela, é possível efetuar cálculos e

visualizar como a cada iteração, temos um diferente número de quadrados e como eles se

relacionam. Mostra-se também nesta tabela a medida dos lados e a área de cada um conforme o

Tapete é desenhado, calculando por último a área total da cobertura do tapete (sendo ela, o numero

de quadrados pela área de cada quadrado).Assim como nas tabelas anteriores, o conceito de

Progressão Geométrica foi utilizado na determinação do termo geral de cada uma das colunas. Ao

final, utilizamos as fórmulas obtidas para efetuarmos alguns cálculos, os quais são apresentados a

seguir.

- Quantas iterações são necessárias para ter um tapete com:

a) 4096 quadrados

b) b) Quadrados de 0,015cm2

c) Área de cobertura de 500cm²


4.4 TRIÂNGULO DE SIERPINSKI

O triângulo de Sierpinski trata-se de um fractal obtido a partir de iterações realizadas


num triângulo. Para a sua construção inicia-se com um triângulo eqüilátero. No primeiro passo,
retira-se um subtriângulo marcado a partir dos pontos médios dos lados do triângulo inicial. Nesta
passagem restarão três triângulos. Em cada um dos três restantes marca-se novos subtriângulos a
partir dos pontos médios e estes são retirados da figura. Este processo repete-se infinitamente
obtendo finalmente o chamado de Triângulo de Sierpinski.

O triângulo pode ainda ser obtido através de um jogo aleatório, mostrando como do
caos surge a ordem.

Primeiro marca-se três pontos nos vértices de um triângulo eqüilátero. Colore-se um


vértice de vermelho, outro de azul, e do terceiro verde. É necessário também um dado com duas
faces de cada cor (vermelho, azul e verde). Em seguida, escolhe-se um ponto no triângulo para
começar as marcações. Este ponto será a semente para o jogo. (a semente pode estar em qualquer
lugar no plano). Joga-se então o dado. Dependendo da cor que cair, move-se a semente exatamente
a metade da distância do ponto inicial para o vértice com a cor correspondente. Isto é, se cair o
vermelho, move-se a semente a metade da distância do ponto inicial até o vértice vermelho, na
direção deste vértice.

Joga-se novamente o dado e, agora, move-se a semente a partir do resultado obtido na


jogada anterior até a metade da distância entre ponto e o vértice cuja cor apareceu no dado. E assim
por diante, conforme indica a figura abaixo:

Semente

A imagem formada a partir das iterações, repetida infinitas vezes, será o que se chama de

triângulo de Sierpinski, conforme indicado na figura abaixo:


5. A IMPORTÂNCIA DA TEORIA DO CAOS E DOS FRACTAIS

5.1 NA SOCIEDADE
Os fractais são importantes para descrever certas formas da natureza (costas,
montanhas, nuvens) ou artefatos humanos (curva da bolsa). Além disso, após a Teoria do Caos
fatores aparentemente pouco significativos passaram a ser pesquisados, devido à demonstração de
que pequenas alterações podem gerar grandes transformações; só que quando não preparados para a
possibilidade dessas ocorrências projetos ou planos podem perder.
Na Matemática, por exemplo, a análise de dados caoticamente dispersos resultou na
evolução do tratamento estatístico e da noção de probabilidade. Ainda na matemática a geometria
fractal, trouxe a idéia do infinito.
Na Física, o caos trouxe uma idéia de uma nova luz, que mede a complexidade de um
sistema, e os conceitos da mecânica quântica. Na Medicina as conquistas da Teoria do Caos está
sendo aplicada nos estudos do câncer e em Epidemiologia. Administração de empresas para que
tudo pareça igual e na Economia estão aplicando essa idéia.
Também se reconheceu que a invariância de escala tinha implicações estéticas e por
isso os fractais também se encontram na arte. Na literatura com poemas também já foi colocado a
idéias dos fractais. E muitos filósofos acreditam que o conhecimento pode ser dividido em partes
que se completam.
Sendo assim, concluímos que os fractais e a teoria do caos estão sendo bem
desenvolvidos e é muito importante para várias áreas. A sociedade já necessita dele, porém muitas
pessoas não sabem o que são.
E com finalidade de explicar que tudo no mundo pode-se descobrir, aprender e muitas
vezes começamos de um simples detalhe e depois transformar em algo bastante complexo.
Nunca devemos esquecer da idéia de que uma coisa pequena se originou da grande, e a
grande da pequena. Tudo está interligado. O todo depende das partes e as partes dependem do todo.
5.2 NA CIÊNCIA CONTEMPORÂNEA

Na ciência, a complexidade surge, ainda no século XX, com a micro-física e a macro-


física. Mas essas duas complexidades micro e macro físicas eram íntimos de nosso universo. A
complexidade é um fenômeno que ocorre uma estrema quantidade de iterações e de interferência
entre um grande número de unidades. Para abranger essa complexidade, é preciso desafiar todas as
categorias convencionais e assim saber que precisam descobrir toda a complexidade que existe em
uma pequena coisa complexa, suas partes pequenas e necessárias.
Tudo isso só nos faz entender que a ciência está em constante e infinita evolução e
cada vez mais é preciso aprende-la para poder fazer novas descobertas e saber a pequena
importância de tudo que existe. Até mesmo nas doenças existe a importância de examinar cada
detalhe e cada partícula. A teoria da relatividade, a mecânica quântica, a descoberta do DNA,
foram de grande importância neste processo, sendo que já na metade do século XX ocorreu ainda o
desenvolvimento do caos e da complexidade.
A forma de viver e de pensar da humanidade está transformando-se devido aos avanços
do conhecimento e da tecnologia. No entanto, o aprendizado é o fio condutor do processo evolutivo
da humanidade, ou seja, a idéia do aprendizado deve desempenhar papel de grande importância na
concepção na ciência contemporânea, que sempre estarão ligadas com fractais e trará muitas
descobertas.

6.CÁLCULO DE COMPRIMENTO DE LITORAIS E FRONTEIRAS


Tamanho do Número de vezes que o Comprimento da curva de
segmento segmento coube acordo com essa escala

14,8 cm 1 14,8 cm

Tamanho do Número de vezes que o Comprimento da curva de


segmento segmento coube acordo com essa escala

7,4 cm 2,76 20,424 cm


Tamanho do Número de vezes que o Comprimento da curva de
segmento segmento coube acordo com essa escala

3,7 cm 5,62 20,79 cm

Tamanho do Número de vezes que o Comprimento da curva de


segmento segmento coube acordo com essa escala

1,85 cm 11,59 21,44 cm

Os pontos graficados não estão exatamente em cima da linha, mais estão bem
próximos, assim, calculando o coeficiente angular da reta é possível descobrir qual é sua inclinação.
Neste exemplo:

m = 1,064 – 0 = -1,18 → Dimensão Fractal

m = tgθ
θ = arc tg (-1,18)
θ = 130,3°

A inclinação dessa curva varia de acordo com os pontos selecionados. Sua inclinação é
a aproximação da dimensão fractal. No caso apresentado temos que a dimensão fractal é 1,18.
Sendo um valor em 1,0 e 2,0 e mais próximo do 1D, tem-se que este fractal está mais próximo de
uma reta do que de um plano, mesmo que não seja exatamente nem um nem outro.
7. INTERDISCIPLINARIEDADE

7.1 LÍNGUA PORTUGUESA – POEMAS CRIADOS PELA TURMA (ver exemplo)

O MUNDO DOS FRACTAIS

De grandes partes

Formamos várias pequenas

De pequenas partes

Chegamos ao infinito

Ver uma gota

E imaginar um oceano

Imaginar o mundo

E ver um grão de areia.

Preservar o início

E iniciar o futuro

Sem temer a realidade

Que sempre está a nos esperar

De pequenas modificações

Grandes alterações, surge o caos

Retorna-se ao início

E continua-se o futuro

Cada parte sendo parte, até formar o todo.


7.2 FILOSOFIA
“Desde o primeiro instante que conhecemos este mundo observamos apenas um grão; e
não fazemos idéia do que está por vir.

À medida que evoluímos ampliam-se os nossos conhecimentos, tendo como base às


pessoas e os fatos do nosso cotidiano.

Desta forma no fim de nossa jornada percebemos o quanto somos pequenos em meio
ao nosso grão de areia, porém muitos de nós se vão sem mesmo ter idéia de muitas coisas que aqui
existem; em função de vários conhecimentos que ignoramos.”“O conhecimento não se dá num
momento, ele tem fragmentos de cada filósofo e forma um todo. Essa é a base para saber que o
conhecimento, o modo de pensar tem haver com os fractais.

Muitas vezes sabemos pouco sobre um determinado assunto ou temos uma opinião,
mas conforme o conhecimento e opiniões de outras pessoas é que podemos concluir muito mais
coisas e fazer que mais dúvidas surjam e assim por diante.

O conhecimento consiste em dois fatores: o sujeito que quer conhecer e o objeto a ser
conhecido e se formos ver existe muito que conhecer só do sujeito, ou só do objeto e ainda tem uma
relação entre os dois.

Por isso não devemos esquecer que talvez o mínimo que você conhece, vão poder ter
uma grande interpretação, pois tudo está constituído de várias partes.

O sujeito se transforma com o novo saber, e o objeto também se transforma, pois o


conhecimento lhe dá sentido.

Concluindo então que tudo pode ser transformado, conhecido, explicado só basta a
idéia de sempre achar detalhes, semelhanças e infinitas características”.

7.3 FÍSICA

Solo
Existe o processo de estudar geometria de estruturas complexas, altamente irregulares,
como dos solos. A matemática fractal permite identificar o significado físico de certos parâmetros
de ajuste estatísticos de modelos empíricos. Isso indica um bom caminho para uma melhor
caracterização da estrutura do solo e sua aplicação no desenvolvimento de futuros modelos para os
processos.

Esses estudos são necessários devidos as dificuldades nos estudos dos processos que
ocorrem no espaço poroso do solo, como a retenção e movimento da água, para se estabelecer
modelos geométricos capazes de simular razoavelmente bem a estrutura do solo, permitindo a
caracterização de algumas relações fundamentais entre partículas e espaço poroso que governam
esses processos.

Sendo assim, o modo de estudar tudo isso acaba sendo na física do solo, onde o
incremento fractal de um objeto, determinado em três dimensões, aplica-se igualmente a qualquer
plano ou qualquer transição do objeto.

Sistema Solar
O sistema solar estabelece uma enorme relação junto a física, e o caos, devido aos
comportamentos de órbitas periódicas. Poincaré um grande físico, interessou-se por esses
comportamentos. Contudo, percebeu que podia encontrar órbitas periódicas dentro do sistema solar
considerando os pontos de intercepção dessas órbitas com uma secção do espaço da fase. Como por
exemplo, se uma órbita passar um determinado ponto, será que no futuro ela voltará a passar no
mesmo lugar? Sendo assim, podemos determinar esse exemplo como órbitas periódicas.

Poincaré pode ver que as órbitas podem separar-se uma da outra e em vez de marcarem
um ponto na secção, podem regredir a secção, desenhando formas pelo mesmo ponto. Ele descobriu
também órbitas irregulares com sensível dependência, no caso mínimas mudanças que geram
grandes transformações, reconhecendo assim pela primeira vez essa complexidade o que mais tarde
viria a ser chamada de caos.

8. FRACTAIS NA VIDA REAL


9. CONCLUSÃO

Baseado na pesquisa desenvolvida relacionada ao tema fractais observou-se que eles estão
constantemente presente em nossas vidas, tanto na matemática e em outras disciplinas, como no
universo natural.

Pudemos perceber ainda que, por mais que se desenvolvam, a matemática e as outras
ciências nunca estão completas. Elas evoluem constantemente, na busca de soluções para os novos
problemas que surgem a cada dia, trazendo melhorias para toda a humanidade bem como o planeta
Terra.

Com a matemática podemos calcular essas formas invariáveis, o número de lados,


comprimento dos lados e das curvas, perímetros, áreas, e a progressão geométrica. Sendo que um
fractal pode ser gerado a partir de fórmulas matemáticas, produzindo resultados impressionantes.

É um processo que pode se repetir várias vezes, e apesar dos valores inicias e finais
mudarem, as diferentes partes de um fractal mostram-se similares a forma como um todo, isto é,
tendo sempre cópias aproximadas de si, mesmo em seu interior. Assim, a matemática mostra-se
capaz de representar as irregulares formas da natureza, sendo uma ferramenta para descrever as
coisas mais variadas que possamos imaginar. Claro que este conteúdo se estende muito e temos
curiosidade em investigar como a química, por exemplo, interage neste assunto. Mas esta é uma
pesquisa que ainda precisa ser desenvolvida num outro momento.
ANEXOS

Anexo 1: Apresentação Feira Municipal De Matemática

Anexo 2: Exposição Feira Interdisciplinar


REFERÊNCIAS
Disponível em:< www.inf.ufsc.br/~l3c/artigos/fractais.pdf > Dia acessado: 12/08/07. Hora
acessada: 14:25, 36s.

Disponível em:< www.mat.ufpr.br/~karas/fractais.htm > Dia acessado: 04/08/07. Hora

acessada: 16:14, 05s.

Disponível em:< www.incards.com.br/cgi-bin/incards2.cgi?acao=gallery&id=8 > Dia acessado:


13/08/07. Hora acessada: 18:49, 54s.

Disponível em:< www.uol.com.br/folha/educacao/ult305u964.shtml > Dia acessado:24/07/07. Hora


acessada: 18:32, 42s.

Disponível em:< www.pr.gov.br/batebyte/edicoes/1998/bb73/frac.htm > Dia acessado: 29/07/07.


Hora acessada: 10:38, 44s.

Disponível em:<www.expoente.com.br/professores/kalinke/paraqueserve/fractais.htm > Dia


acessado: 17/08/07. Hora acessada: 12:25, 54s.

Disponível em:< www.ime.usp.br/~kon/papers/fractal2.ps.gz > Dia acessado: 09/08/07. Hora


acessada: 22:14, 43s.
Disponível em:< www.vivenciapedagogica.com.br/node/590 > Dia acessado: 07/08/07. Hora
acessada: 16:19, 05s.

Disponível em:< www.mat.puc-rio.br/~nicolau/olimp/obm-l.200305/msg00996.html > Dia


acessado: 28/07/07. Hora acessada: 19:24, 07s.

Disponível em:< www.linkk.com.br/story.php?id=11091 > Dia acessado: 21/07/07. Hora

acessada: 17:20, 01s.

Disponível em:< www.insite.com.br/fractarte/artigos/superinteressante.php > Dia acessado:


29/06/07. Hora acessada: 13:57, 29s.

Disponível em:< www.overmundo.com.br/overblog/extrategia-para-forex-operando-com-fractais >


Dia acessado: 11/08/07. Hora acessada: 18:39, 59s.

Disponível em:< www.inf.ufsc.br/~visao/fractais.html > Dia acessado: 30/07/07. Hora

acessada: 17:39, 41s.


Disponível em:< www.damadanoite.adm.br/trabalhandofractais.htm > Dia acessado: 06/08/07.
Hora acessada: 18:19, 09s.

Disponível em:< www.nigin.com.br/fractais.html > Dia acessado: 04/08/07. Hora acessada: 23:28,
10s.