Anda di halaman 1dari 17

Racismo e Xenofobia

Instituto de Promoção Social de Bustos


Racismo e Xenofobia
Inês Margarida da Silva Ferreira, nº702, 10ºA
Sofia Loureiro Reis Pedreiras, nº 718, 10ºA
Ano letivo 2015/2016
Introdução
● O racismo e a xenofobia são problemas atuais, intemporais e preocupantes;
● O preconceito está bem vincado na humanidade, pelo que o conceito subjacente à frase “todos
diferentes todos iguais” não é colocado em prática;
● Nesta apresentação iremos clarificar os conceitos de racismo, xenofobia, etc.
● Abordaremos:
– o racismo, os seus diferentes tipos e formas de manifestação do mesmo;
– a temática da xenofobia;
– a relação entre os conceitos de xenofobia, racismo e preconceito (regimes racistas);
– origem e presença do racismo e da xenofobia na sociedade atual;
● nos EUA;
● na Europa;
● em Portugal;
– a luta contra o racismo e a xenofobia;
● organizações.
Racismo
● Não há uma uma única definição de racismo, pois existem muitas perspetivas diferentes sobre o
seu significado e abrangência (definição da UNESCO);
● O racismo é um um modo de pensar e de se posicionar, em que se dá grande importância à
noção de que existem raças humanas distintas, sendo que umas são superiores às outras;
● A raça é uma “ferramenta” que permite categorizar e dividir uma dada população em grupos de
pessoas cujas marcas físicas são idênticas e, a nível social, significativas;
● A raça, como instrumento de organização social, fomenta a criação e manutenção de sistemas
sociais de desigualdade, assentes na segregação social e no preconceito;
● Todas as teorias sobre o racismo implicam a presunção de que existem “raças diferentes” e o
assumir de que alguns grupos étnicos são superiores ou inferiores a outros;
● Relacionados com o conceito de racismo surgem os conceitos de discriminação e violência
racial;
● Um indivíduo racista pode sê-lo porque tomou para si determinados valores ou por influência de
uma família racista e discriminatória que lhe incutiu, os seus valores (racistas) durante a sua
educação;
● O racismo é algo subjetivo e individual que cada um escolhe ou não praticar. Quando
generalizado gera conflitos e iniquidades.
Formas e tipos de racismo
● Uma sociedade racista, é uma sociedade discriminatória;
● O racismo pode manifestar-se de diversas formas. São elas:
– a eugenia;
– a xenofobia;
– a disgenia;
– a misoginia;
– o antissemitismo;
● Existem também vários tipos de racismo, de entre os quais se destacam:
– o racismo individual;
– o racismo institucional;
– o racismo cultural;
– o racismo primário;
– o racismo comunitarista ou diferencialista;
– o racismo ecológico ou ambiental;
Xenofobia
● O termo xenofobia provém do conceito grego composto por xenos (“estrangeiro”) e phóbos
(“medo”). A xenofobia é então o ódio, medo, aversão, hostilidade e rejeição em relação aos
estrangeiros;
● A xenofobia é, portanto, um problema social assente na intolerância e na discriminação socia;
● Este conceito é frequentemente utilizado para nos referirmos à fobia face a pessoas de diferente
contexto social, cultural e político;
● A xenofobia é uma ideologia que consiste na rejeição de identidades culturais diferentes da da
pessoa xenofóbica (casos extremos - comportamentos radicais, agressão e destruição);
● As atitudes xenofóbicas incluem a proibição da entrada de imigrantes estrangeiros ou de pessoas
pertencentes a diferentes culturas e etnias no país e a defesa do extermínio dessas mesmas pessoas.
É portanto um preconceito associado à nacionalidade;
● As atitudes xenofóbicas geram violência, humilhação e constrangimentos morais, físicos e
psicológicos, que são promovidas pela não aceitação das diferenças culturais e étnicas;
● Algumas das ideias xenofóbicas e preconceituosas que vigoram atualmente na nossa sociedade são
estereótipos de grupos minoritários;
● A xenofobia pode ser vista como um transtorno psiquiátrico, inserindo-se no grupo das
perturbações fóbicas, caraterizadas pela ansiedade e angústia provocadas pela exposição do doente
a uma situação ou a algo temido por este.
Racismo, Xenofobia e Preconceito
● O preconceito é um termo que não está ligado unicamente à aparência física de uma
pessoa. Pode estar ligado a uma escolha ou opção ou ainda ao estilo de vida de uma
pessoa (orientação sexual). Pode também haver preconceito relativo à classe e ao
contexto social em que uma dada pessoa está integrada(a aversão a pessoas pobres);
– o racismo é um tipo de preconceito, de natureza racial ou étnica, assente numa
ideia pré-concebida e negativa a respeito de uma determinada etnia, raça ou povo
em particular,
– a xenofobia é um tipo de preconceito, relacionado com o sentimento de repulsa e
repugnância relativa a pessoas estrangeiras, mesmo que sejam da mesma raça ou
etnia.
● Ao longo de todo século XX, o mundo testemunhou importantes momentos que
marcaram a luta contra preconceitos que persistem nas sociedades há séculos. A luta
contra o racismo e a garantia dos direitos humanos dos negros, mulheres e
homossexuais, foram alguns dos movimentos mais significativos das últimas décadas.
Regimes racistas
● Foi a partir do momento em que houve a procura pela identificação das
diferenças entre os Homens e sua organização em grupos que o racismo
surgiu;
● A partir de então, a distinção racial serviu para que alguns filósofos e
cientistas passassem a defender a ideia de que existiam raças superiores e
inferiores;
● A crença de que existem raças superiores a outras foi, historicamente,
utilizada para justificar crimes contra a humanidade (ex: escravidão, o
domínio de determinados povos por outros, genocídios, etc);
● Como regimes racistas podemos distinguir como principais, o nazismo
(Europa), o Apartheid (África do Sul) e regime de segregação social (E. U.
A).
Nazismo
● O racismo pode estar associado à política de um país, sendo um dos maiores exemplos,
a Alemanha nazi, que perseguiu e exterminou judeus, ciganos, eslavos, etc;
● O nazismo foi um movimento político-ideológico que surgiu na Alemanha, largamente
espalhado durante toda a II Guerra Mundial;
● Adolf Hitler foi a principal figura do nazismo, impelido por ideais nacionalistas,
fascistas e racistas. Segundo ele, a raça ariana era a mais pura e, portanto, superior às
outras;
– esta ideologia de “pureza racial” que está na base do nazismo, resulta da
reinterpretação do darwinismo social, pensamento sociólogo que tentava explicar a
evolução da sociedade a partir da teoria da evolução de Charles Darwin (criação de
uma hierarquia racial);
– de acordo com este pensamento as restantes raças deveriam ser isoladas e
“neutralizadas” para que a raça ariana pudesse manter a sua hegemonia;
● Os seguidores da doutrina nazi promoveram, durante toda a II Guerra Mundial, a
discriminação e extermínio de minorias étnicas e grupos específico.
● As formas de racismo mais marcantes desta época foram o antissemitismo e a eugenia.
Apartheid
● O Apartheid, que significa separação, foi um regime marcado pela segregação racial, que surgiu na África
do Sul em 1948, o qual privilegiava a elite branca do país;
● Este regime perdurou até as eleições presidenciais de 1994, ano em que Nelson Mandela tomou posse,
tornando-se assim o maior ícone de liderança da “África Negra”, pondo fim ao regime de segregação
vigente, lutando pela igualdade racial na África do Sul e conduzindo ainda à redemocratização da mesma;
● O Apartheid tinha como principal objetivo a separação de pessoas consoante a sua raça, distinguindo
dessa forma, brancos, asiáticos e negros. O Apartheid estabeleceu uma hierarquia social, em que a raça
branca dominava o resto da população;
● O Apartheid que existia na África do Sul, é considerado um fruto direto das teorias racistas, uma vez que
as medidas deste regime ficaram marcadas por uma política de discriminação, segregação e intolerância.
Algumas medidas mais marcantes do Apartheid, e nas quais esta política racista está bem vincada são:
– Lei da proibição dos casamentos mistos (1949);
– Lei de Registo Populacional (1950);
– Lei de Áreas de Agrupamento (1950);
– Lei de Reserva dos Benefícios Sociais (1953);
● Durante o Apartheid os não-brancos não podiam votar, os negros não podiam empregar trabalhadores
brancos e a sua educação era de péssima qualidade e voltada para o mercado de trabalho físico.
Segregação Social
● O regime de segregação racial que vigorou nos Estados Unidos no século XIX, ficou marcado
pela segregação de grupos de pessoas baseada na raça;
● No século XIX, existiam conflitos entre os estados do norte e os estados do sul, devido às
posições opostas que cada parte tomava no que toca à legalidade da escravidão;
● Após quatro anos de sangrentos combates, a Confederação entrou em colapso. A escravidão
foi abolida, o que garantiu os direitos humanos dos escravos livres, registando-se ainda o
começo de um complexo processo de reconstrução dos estados envolvidos no conflito;
● Durante estes conflitos, em alguns estados o acesso a instalações públicas e privadas, serviços
e oportunidades, tais como moradia, cuidados médicos, educação, emprego e transporte, era
restrito ou mesmo proibido a alguns grupos sociais;
● Mesmo após a derrota da Confederação, organizações terroristas como a Ku Klux Klan
(formada em 1866), continuavam a semear o terror entre a população negra. Ao mesmo
tempo, juízes, chefes de polícia e governantes atuavam em conjunto para impedir os negros
de ter acesso ao voto e conservá-los como uma raça inferior ao nível social;
● Desde 1954 até 1964 houve uma sequência de acontecimentos que contribuiram para que os
negros dos Estados Unidos finalmente alcançassem a cidadania .
Racismo e Xenofobia
● Apesar de serem conceitos diferentes, tanto o racismo como a xenofobia resultam de atitudes
de intolerância, pelo que são “filhos” da ignorância, da falta de conhecimento e do
preconceito;
● A distinção entre racismo e xenofobia não é importante em termos legais e o impacto nas
vítimas de comportamentos e atos racistas ou xenófobos é sempre o mesmo;
● Uma influência particularmente devastadora do racismo, xenofobia e/ou discriminação racial
está bem visível nas crianças, pelo que em muitos casos, atos desta natureza causam danos
psicológicos irreversíveis. O tom racista, as palavras e os estereótipos entram nas mentes
destas crianças, tornando-se parte da forma como se vêem a si mesmas.
● O que pode levar ao racismo e à xenofobia?
– O racismo e a xenofobia, resultam essencialmente da discriminação racial e de posições
de intolerância;
– A intolerância é a intransegência a opiniões diferentes, constituindo assim uma forma de
discriminação. Quando alguém se recusa a deixar outras pessoas agir de maneira
diferente e terem opiniões diferentes, está a ser intolerante.
Racismo e Xenofobia na atualidade
● Devido à imposição de determinadas regras pela sociedade e à mudança de mentalidades, as
manifestações de atitudes racistas já não são tão visíveis como no passado;
● As punições atualmente impostas pela lei a quem age de modo xenófobo ou racista impedem
que haja atos de maior gravidade para com as raças discriminadas. Ainda assim, atitudes
racistas de menor amplitude prevalecem nos mais variados campos;
● Racismo nos EUA:
– Um estudo recente levado a cabo pela Universidade de Chicago mostra algumas das
várias facetas do racismo (candidaturas ao emprego);
● Racismo e Xenofobia na Europa:
– O aumento da intolerância a todos os níveis e os vários conflitos armados, dentro e fora
da Europa, são alguns dos fatores que levam à saída de inúmeras pessoas do seu lar, à
procura de uma vida melhor. Por vezes, os refugiados não são bem recebidos pela
comunidade para onde emigram, fator que, quando combinado com os problemas sociais
vividos nessa região gera tensões e situações de discriminação;
Racismo e Xenofobia na atualidade
– Estudos recentes, relacionam o aumento aumento da xenofobia na Europa com a crise de
refugiados que se tem verificado atualmente. Por parte dos europeus regista-se o receio
da perda da identidade nacional, costumes e tradições, devido à mistura de culturas
promovida por esta mesma crise.
– Os países europeus em que o sentimento de xenofobia tem maior destaque na atualidade
são, a Alemanha, a Inglaterra e a França.
● O racismo e a xenofobia em Portugal:
– Estado de invisibilidade;

«A Europa é uma sociedade multicultural e multinacional que se enriquece


com a variedade. No entanto, a constante presença do racismo na nossa
sociedade não pode ser ignorada. O racismo toca toda a gente. Degrada as
nossas comunidades e gera insegurança e medo.»
Pádraig Flynn, Comissário Europeu
Lutar contra o racismo e a xenofobia
● O racismo e a xenofobia são temas que não podem ser ignorados atualmente. É de suma
importância discutir estes temas publicamente, desmistificar a ideia de que os emigrantes ou
os turistas são “maus” para o país, e educar a população por forma a minimizar o número de
atitudes racistas e xenofóbicas;
● É urgente combater o racismo e todas as formas de discriminação a ele associadas. Para tal é
necessário estabelecer metas e objetivos e deve-se:
– procurar eliminar-se as situações de exclusão social (geradoras de tensões);
– criar leis que punam estes crimes contra a Humanidade;
– promover a educação como forma de combater os preconceitos que estão na origem da
intolerância;
– aprender com os ensinamento que podemos tirar da História;
● Embora atualmente as atitudes racistas e/ou xenofóbicas recebam uma punição imposta pela
lei, o que impede que tomem grandes proporções, é preciso promover um relacionamento
institucional, económico, político, social e interpessoal coerente que aposte na
interculturalidade;
● A interculturalidade é uma “batalha” que deve ser ganha de forma gradual, sendo que são
vários os campos onde podem ser tomadas ações decisivas. Este conceito tem uma forte
relação com o de educação, sendo ambos uma necessidade da sociedade atual;
● Os meios de comunicação e difusão de informação, como a Internet, que atualmente conta
com mais de 2 biliões de utilizadores em todo o mundo, devem ser considerados “aliados de
peso” nesta luta;
● Em suma, para combater a xenofobia, o racismo e a discriminação social, deve apostar-se em
consensos internacionais, na interculturalidade, na educação da população e na criação de
organizações que promovam a igualdade, o respeito, a dignidade humana e defendam os
direitos humanos;
● Atualmente já existem organizações de apoio às vítimas de racismo e xenofobia, de entre as
quais se destacam:
– a ONU e a Amnistia Internacional (nível mundial);
– a União Europeia;
– o SOS Racismo (nível nacional);
Conclusão
● O racismo é o preconceito de um indivíduo para com um determinado grupo, diferente
daquele ao qual pertence. É algo subjetivo que cada um escolhe ou não praticar. Quando
praticado por um determinado grupo, gera iniquidades que afetam a minoria, construindo-se
dessa forma uma sociedade discriminatória;
● Existem diversos tipos de racismo, tendo este diversas formas de expressão;
● O conceito de xenofobia refere-se ao sentimento de medo, aversão em relação aos
estrangeiros;
● Ao longo da História foram vários os regimes assentes em teorias racistas, de entre os quais
se destacam o Nazismo, o Apartheid e o regime de segregação social nos E.U.A.;
● O racismo e a xenofobia estão ainda bastante presentes na sociedade atual, ainda que mais
“escondidos”. Embora já se tenham dado passos muito importantes no sentido de diminuir
estas atitudes criminosas, ainda há um longo caminho a percorrer. Para a realização desta
tarefa devemos apostar na interculturalidade, nos consensos internacionais e na educação;
● Mas porque não começar a fazer pouco a pouco? Afinal, uma guerra é feita de pequenas
vitórias.
Conclusão
● Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.
Haile Selassie
● Ninguém nasce a odiar outra pessoa pot causa da cor da sua pele, origem ou ainda religião.
Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser
ensinadas a amar.
Nelson Mandela
● Tire o seu racismo do caminho, que eu quero passar com a minha cor.
Georges Najjar Jr
● Continuarão a existir as guerras enquanto a cor da pele for mais importante do que a dos
olhos.
Bob Marley
● O racismo é a maior ameaça para o homem, o máximo de ódio pelo mínimo de razão.
Abraham J. Heschel
● A discriminação dos negros está presente em cada momento das suas vidas para recordar-lhes
que a inferioridade é uma mentira que só é aceita como verdadeira pela sociedade que os
domina. Martin Luther King