Anda di halaman 1dari 4

Página |1

CLONAGEM HUMANA
ENFOQUE TEOLÓGICO

Gênesis 1.27-31; 2.7 – Zacarias 12.1

Objetivo do estudo:
A luz do que já aprendemos sobre clonagem humana, analisar até que ponto o
assunto pode ser aceito pelo cristão, e questionar sobre a possibilidade ou não da
formação do espírito humano neste projeto científico.

INTRODUÇÃO
Num sentido mais popular, podemos dizer que teologia é o estudo de Deus e sua
relação com o universo. E aí entra a própria criação do universo, suas leis, e a criação
do ser humano e de todos os seres vivos.

Neste caminho, a teologia indaga sobre o que Deus pensa de todo o empreendimento
científico de clonagem humana.

• Como foi que Ele criou o ser humano, e que planos Ele tem para os métodos e
procedimentos que criou para a procriação humana?
• Faria Deus questão do método de gerar uma vida pelo encontro de duas
pessoas pelo ato conjugal e pelo resultante encontro de um espermatozoide e
um óvulo (semente masculina e semente feminina)?
• Teria Deus um relógio genético para cada ser humano que venha ao mundo
pelos meios normais - um tempo de nascer e um tempo de morrer, como diz
Eclesiastes 3.2?

Dos textos bíblicos acima mencionados, os dois primeiros tratam da metodologia que
Deus usou para criar o ser humano e como o dotou biologicamente. O terceiro texto,
fala especificamente da criação do espírito do ser humano dentro dele.

À luz destes textos, vamos averiguar quais os resultados que advirão da modificação,
pela ciência, dos métodos e processos criados por Deus para a reprodução humana.

1 - CONFRONTO DA TEOLOGIA COM A INTENÇÃO DOS


CIENTISTAS
Sabe-se que no esquema de Deus, há segredos que a ciência ainda não desvendou.

Que diferença haveria, por exemplo, entre o ser humano gerado pelo prazer conjugal
de um homem e uma mulher por um feto que se desenvolve num útero onde se deu a
geração do seu ser?

Pelas emoções e pelo sentimento de amor de mãe que o feto recebe durante todo o
seu período de gestação, e o clima de um ser gerado em laboratório, no vidro frio e
insensível, com o núcleo genético modificado, a partir do óvulo de uma mulher que
não lhe comunicou a vida e, ainda, que será desenvolvido num outro útero que não é o
da sua mãe biológica?

E a questão do espírito humano? Muitos cientistas não acreditam que haja espírito no
ser humano. Mas sabe-se, pela Bíblia, que Deus forma o espírito dentro do homem
(Zc 12.1).

www.semeandovida.org
Página |2

De uma grande discussão do assunto, a maioria dos teólogos entende que o espírito
do homem é formado no processo da concepção, dentro das leis biológicas,
psicológicas e espirituais que Deus estruturou dentro do ser humano.

E a pergunta é: Poderia uma "fecundação" assim manipulada, modificada, permitir o


surgimento do espírito humano? Ou, o que é mais complicado ainda: se o clone é uma
cópia fiel de uma pessoa, seria o espírito também copiado?

Ora, na clonagem de um animal isto não é tão relevante, pois este não possui espírito
como o homem. Mas no caso do ser humano, que seria se uma pessoa viesse a existir
sem espírito? Não seria ele um monstro?

Quando Deus criou o primeiro homem, desejou multiplicá-lo. Para tanto, providenciou-
lhe uma mulher, uma fêmea. A fêmea foi tirada do macho, é verdade. Isto poderia ser
até algo semelhante a uma clonagem, pois uma costela de Adão conteria DNA à
vontade.

Só que não foi cópia fiel, porque o sexo foi modificado, e, sobretudo, a cópia já veio
crescida. Será que a ciência ainda vai tentar fazer o mesmo?

Mas o ponto mais importante deste argumento é que, em vez de continuar fazendo um
tipo de "clonagem" para multiplicar a espécie humana, Deus estabeleceu leis
biológicas de reprodução, com uma maravilhosa possibilidade de diversificação, a
começar pelo quociente de inteligência (QI).

É bem verdade que este sistema de clonagem pode até redundar em outros tipos de
benefícios para a humanidade. Mas será que compensa lutar contra a natureza criada
por Deus?

Em resumo: não obstante trabalhar a clonagem com material fornecido pela natureza
que Deus criou, ainda assim, teologicamente, a clonagem não cabe nos propósitos de
Deus.

2 - TEORIAS TEOLÓGICAS DA CRIAÇÃO DO ESPÍRITO OU


ALMA
Sendo este um dos assuntos mais polêmicos dos questionamentos já mencionados,
queremos dar-lhe um destaque maior.

Os teólogos costumam apresentar três teorias:

A teoria da preexistência. Segundo esta teoria, as almas ou espíritos de cada


pessoa já foram criadas por Deus bem antes de cada pessoa vir a existir e estes
espíritos vão sendo concedidos ou incorporados em cada pessoa à medida em que
vão sendo geradas. Esta foi uma das primeiras teorias, sendo esposada por alguns
dos chamados "pais da Igreja", como Orígenes.

A teoria do criacionismo. Aqui a ideia é que Deus vai criando cada alma
imediatamente para cada pessoa que vai sendo gerada. Trata-se de uma intervenção
direta de Deus na criação de cada alma ou espírito. Esta teoria foi ferrenhamente
defendida pela chamada Igreja do Oriente, de um modo geral. Na chamada Igreja do
Ocidente, apenas alguns poucos defensores existiram.

www.semeandovida.org
Página |3

A teoria da transmissão. Nesta teoria, a alma ou espírito se propaga normalmente


dentro dos mesmos princípios em que a vida se propaga. Um dos argumentos
principais é que Deus soprou apenas uma vez nas narinas do homem e lhe comunicou
todos os bens físicos e espirituais.

E é com base nesses princípios que o ser humano se reproduz. E é neste sentido que
se entende o texto de Zacarias 12.1. Esta é a teoria que adotamos1.

3 - PRINCÍPIOS BÍBLICOS DE AJUDA


Há alguns textos bíblicos que ajudarão nossa posição teológica, como já
mencionamos de passagem numa das lições anteriores, pois a melhor teologia para
nós é aquela calçada na Bíblia. Desses textos, podemos inferir pelo menos quatro
princípios bíblicos sobre a procriação humana:

Macho e fêmea. Deus não criou um laboratório permanente para fabricar seres
humanos, mas criou-os macho e fêmea, anatomicamente estruturados para a
procriação e multiplicação da espécie humana.

A ordem para crescer e multiplicar-se. Outra vez, Deus deixou ao primeiro casal a
tarefa de acionar as leis neles estruturadas. Eles cresceriam seguindo as leis que lhes
foram dadas.

O casamento. Para tão importante mister, Deus instituiu o casamento a fim de garantir
a segurança da espécie multiplicada. Aí entram fatores jurídicos, sociais, psicológicos
e espirituais.

O vínculo familiar. Ao realizar o casamento, Deus estruturou os laços familiares:


"Deixará o homem pai e mãe... Mais à frente, temos a primeira lista genealógica, que
faz questão de registrar o vínculo de cada pessoa à sua própria família. E os judeus
fazem questão disso até hoje.

CONCLUSÃO
A ciência é capaz de grandes feitos. No entanto, é preciso indagar se vale a pena
realizar ou não determinado experimento; se será bom ou não para a humanidade. Por
isso, a Ética opõe suas barreiras e a Lei deve ser aperfeiçoada para regular possíveis
danos a todo o mundo. E se a teologia é desrespeitada ou se a vontade de Deus, o
Criador, é violada, poderemos esperar resultados negativos, que virão, com certeza.

Assim, mesmo que a Bíblia não registre matéria específica sobre este tema, ela nos
dá princípios claros sobre a metodologia que Deus, o Criador, usou para criar o ser
humano, inclusive a sua parte espiritual. E a Bíblia ressalta: "E viu Deus que era bom"
(Gn 1.12).

Neste ponto, poderíamos buscar a opinião de vários teólogos sobre esta matéria. No
entanto, achamos que isto tornaria a lição muito acadêmica, o que fugiria aos nossos
propósitos com este trabalho. Cremos que o material que temos aqui já é suficiente
para o nosso enfoque teológico.

1
Ver Teologia Sistemática, L. Berkhof, Casa Bautista de Publicaciones, El Paso, Texas,
pp.231/237

www.semeandovida.org
Página |4

PONTOS PARA DISCUTIR


1. Analisar as diferenças e vantagens entre a geração de um ser humano pelo
encontro de um homem e uma mulher num autêntico ato conjugal, como na
metodologia de Deus, e a geração de um ser humano num processo de manipulação
em laboratório, como na metodologia científica.
2. À luz das diversas teorias sobre a criação do espírito humano, que acha de Zacarias
12.1?
3. Se a clonagem, como querem alguns, é cópia fiel do original, seria o seu espírito
também uma cópia?

AUTOR: DAMY FERREIRA

www.semeandovida.org