Anda di halaman 1dari 2

Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira

Instituto de Humanidades e Letras


Curso de Licenciatura em História
Das Revoluções Atlânticas ao Mundo Contemporâneo

Docente: Prof. Dr. Lourenço da Conceição Cardoso


Discente: Gutemberg de Queirós Lima

Análise de livro didático


Livro: MOTA, Myriam Becho; BRAICK, Patrícia Ramos. História: das cavernas ao
terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 2005. 287 p.

O referido livro se dirige à alunos do segundo ano do ensino médio, arcando com cerca
de quatro unidades (Os diferentes povos da América; É uma casa portuguesa, com
certeza!; A era das Revoluções; Um período de ebulição.). Para análise foram
selecionados dois capítulos da terceira unidade, Era das revoluções, intitulados As
Revoluções Inglesas e A Revolução Industrial.

O capitulo de número 10, as Revoluções Inglesas, possui no livro didático 8 páginas (p.
108-115), sendo as últimas três páginas direcionadas a atividades. O conteúdo do texto
aborda as rupturas causadas pelas revoluções inglesas no século XVII como os processos
que levaram a tais eventos.

Primeiramente, o livro discute os elementos que levam até a Revolução Puritana de 1640.
A crise financeira que abala a coroa se intensificou com a subida ao poder de Jaime I em
1603, criando uma relação conflituosa com os súditos puritanos.

O conflito religioso e econômico se manteve no reinado de Carlos I, como aponta o livro,


levando a uma guerra civil que durou de 1642 a 1651, com a vitória do parlamento contra
o rei. O texto também aborda o período de governo de Cromwell e a Restauração
Monárquica. No fim do capítulo ainda se trata da Revolução Gloriosa, que levou
Guilherme de Orange ao trono.

O capitulo possui três imagens inseridas junto ao texto: uma fotografia dos Lordes
Parlamentares em 1999, uma cena do filme Elizabeth (1998) que retrata a vida de
Elizabeth I, e a pintura O espetáculo da morte representando a decapitação de Carlos I.
Há ainda um documento cartográfico, como o mapa da Inglaterra no período da
Revolução Puritana (p. 111)

Nas paginas referentes a atividades, há um texto complementar de Michelle Perrot e


Georges Duby sobre a participação das mulheres nas Revoluções Inglesas, contanto com
3 questões. Mais à frente 5 questões são assinaladas e em seguida o livro traz 6 questões
de vestibular. Por fim, há ainda uma indicação do filme Cromwell (1970) como sugestão
de conteúdo extra.

O capitulo 11, A Revolução Industrial, conta com 9 páginas (p. 116-124), com as últimas
três paginas reservadas a atividades referente ao capitulo. O texto inicia relatando o
ambiente político propício da Inglaterra para este momento, a produção massiva que se
desenvolve junto ao imperialismo britânico e o surgimento de uma variedade de
industrias.

Os autores ainda levam em consideração discutir o trabalho nesse período, pondo em


destaque o conceito de alienação no processo de produção, além das modificações nas
cidades e a transformação dos núcleos urbanos. Há ainda uma rápida discussão sobre
moral burguesa e a condição do trabalhador nos setores industriais.

É ainda levando em conta o movimento dos operários em resistência, destacando se o


movimento ludista e A Carta do Povo. Por fim, o texto didático é finalizado, que mesmos
com avanços benéficos, a Revolução Industriais trouxe consequências ainda nos dias de
hoje, como o desemprego estrutural, em que trabalhadores são substituídos por maquinas.

Nas paginas destinada a atividades, há um texto complementar de René Rémond acerca


das sequelas sociais da revolução, com 4 questões demarcas acerca do mesmo texto. O
livro possui ainda 8 questões sobre o conteúdo do capitulo e mais 8 questões de vestibular.
Há ainda duas sugestões de filmes: Germinal (1993) tratando sobre os mineiros de carvão
franceses e Tempos Modernos (1936) sobre o capitalismo industrial do século XX.

Há em todo o referido capítulo 3 pinturas: A vida e aventura de Michael Armstrong: o


garoto da fábrica de Francês Trollope; Uma gravura de origem desconhecida; Cristo na
casa de seus pais de John Millais; Uma forja de ferreiro de Joseph Wright de Derby.
Além de uma fotografia de um restaurante e dois quadros estatísticos.