Anda di halaman 1dari 15

QUESTÕES BARROCO, (A) o medo de ser infeliz, uma Para o levar à praça e ao terreiro.

imensa angústia em face da vida, a 04. (F.O - SP) Sobre cultismo e


ARCADISMO, que não consegue dar sentido; a Muitos mulatos desavergonhados conceptismo, os dois aspectos
ROMANTISMO desilusão diante da falência de Trazidos sob os pés os homens construtivos do Barroco, assinale a
PROFESSOR JOÃO valores terrenos e divinos. nobres, única alternativa incorreta.
MARCOS (B) a consciência de que o mundo Postas nas palmas toda a picardia, (A) O cultismo opera através de
WWW.esquecenao.blogspot.c terreno é efêmero e vão; o sentimento analogias sensoriais, valorizando a
om de nulidade diante do poder divino. Estupendas usuras nos mercados, identificação dos seres por metáforas.
(C) a percepção de que não há saídas Todos os que não furtam muito O conceptismo valoriza a atitude
01.
para o homem; a certeza de que o pobres: intelectual, a argumentação.
I- A arte barroca caracteriza-se por
aguardam o inferno e a desgraça E eis aqui a cidade da Bahia." (B) Cultismo e conceptismo são
apresentar dualidades, conflitos,
espiritual. partes construtivas do Barroco que
paradoxos, e contrastes, que
(D) a necessidade de ser piedoso e (A) O soneto ressalta uma crítica aos não se excluem. É possível localizar
convivem tensamente na unidade da
caritativo, paralela à vontade de fruir desmandos das autoridades e à no mesmo autor e até no mesmo texto
obra.
até as últimas conseqüências o lado futilidade dos habitantes citadinos. os dois elementos.
II- O conceptismo e o
material da vida. (B) A temática revela reverência em (C) O cultismo é perceptível no
cultismo, expressões da poesia
(E) a revolta contra os aspectos fatais relação àqueles que vivem rebuscamento da linguagem, pelo
barroca, apresentam um imaginário
que os deuses imprimem a seu honestamente sem ter a necessidade abuso no emprego de figuras
bucólico, sempre povoado de
destino e à vida na terra. de explorar os mais humildes. semânticas, sintáticas e sonoras. O
pastoras e ninfas.
(C) Neste poema, o poeta demonstra conceptismo valoriza a atitude
III- A oposição espiritual
03. (UFRGS) - Selecione a simpatia em relação aos mestiços, intelectual, o que se concretiza no
sustentada pela Contra-Reforma
alternativa correta em relação ao considerando-os importantes discurso pelo emprego de sofismas,
expressa, no plano religioso, os
seguinte soneto, de Gregório de elementos no quadro de silogismos, paradoxos.
mesmos dilemas de que o Barroco se
Matos Guerra: miscigenação racial. (D) O cultismo na Espanha, Portugal
ocupa.
"A cada canto um grande (D) No soneto evidenciam-se os bons e Brasil é também conhecido
Quais estão corretas ? (A)
conselheiro, costumes, a moral elevada dos Gongorismo e seu mais ardente
Apenas I (B) Apenas II (C) Apenas
Que nos quer governar cabana e habitantes do Brasil Colônia e o defensor, entre nós, foi o Pe. Antônio
III (D) Apenas I e III (E) I, II e III
vinha; sentimento de solidariedade para Vieira, que no Sermão da
Não sabem governar sua cozinha, com o próximo. sexagésima, propõe a primazia da
02. (USF- SP) - " Que és terra,
E podem governar o mundo inteiro (E) O poema vincula o autor à palavra sobre a idéia.
homem, e em terra hás de tornar-
temática e aos princípios estéticos (E) Os métodos cultistas mais
te,
Em cada porta um bem freqüente europeus ao elaborar uma poesia seguidos por nossos poetas foram os
Te lembra hoje Deus por sua Igreja;
olheiro, satírica voltada para os conflitos do de Gôngora e Marini, e o
De pó te fez espelho, em que se veja
Que a vida do vizinho e da vizinha. homem barroco. conceptismo de Quevedo foi o que
A vil matéria, de que quis formar-te."
Pesquisa, escuta, espreita e maiores influências deixou em
Conforme sugere o excerto acima,
esquadrinha, . Gregório de Matos.
o poeta barroco não raro expressa:
Instrução O texto abaixo refere-se segundo, a menção às forcas V - Emprega a gradação.
05. (UFRGS) - Com relação ao à questão número 06. motivadoras da transformação do Então, pode-se dizer que são
Barroco brasileiro, assinale a 01 Triste Bahia! ó quão estado anterior. verdadeiras:
alternativa incorreta. dessemelhante (C) As transformações sofridas pela a) Apenas I, II, IV.
(A) Os Sermões, do padre Antônio 02 Estás e estou do nosso antigo Bahia e pelo poeta aconteceram no b) Apenas I, II, V.
Vieira, elaborados numa linguagem estado! passado e já se encerraram, conforme c) Apenas I, III, V.
conceptista, refletiram as 03 Pobre te vejo a ti, tu a mi se pode constatar no segundo d) Apenas I, IV, V.
preocupações do autor com empenhado, quarteto. e) Todas.
problemas brasileiros da época, por 04 Rica te vi eu já, tu a mi abundante. (D) No primeiro Terceto, o caráter
exemplo a escravidão. 05 A ti trocou-te a máquina lesivo das trocas mencionadas torna-
(B) Os conflitos éticos vividos pelo mercante, se evidente pelo contraste entre a
homem do barroco corresponderam, 06 que em tua larga barra tem excelência do açúcar e a inutilidade 08. (UFRGS-RS) Assinale com V
na forma literária, ao uso exagerado entrado, das drogas. (verdadeiro) ou F (falso) as
de paradoxos e inversões sintáticas. 07 A mi foi-me trocando e tem (E) As duas últimas estrofes afirmações abaixo sobre os dois
(C) A poesia barroca foi a trocado expressam o desejo do poeta de ver a grandes nomes do Barroco
confirmação, no plano estético, dos 08 Tanto negócio e tanto negociante. Bahia modificar-se: passar de brasileiro.
preceitos renascentistas de harmonia 09 Deste em dar tanto açúcar abelhuda a sisuda. ( ) A obra poética de Gregório de
e equilíbrio, vigentes na Europa no excelente Matos oscila entre os valores
século XVI, que chegaram ao Brasil 10 Pelas drogas inúteis, que transcendentais e os valores
no século XVII, adaptados, então, à abelhuda 07. (ITA-SP) Leia o texto abaixo e mundanos, exemplificando as
realidade nacional. 11 Simples aceitas do sagaz as afirmações que se seguem. tensões do seu tempo.
(D) Um dos temas principais do Brichote. "Que falta nesta cidade? Verdade. ( ) Os sermões do Padre Vieira
Barroco é a efemeridade da vida, 12 Oh se quisera Deus que de repente Que mais por sua desonra? Honra. caracterizam-se por uma construção
questão que foi tratada no dilema de 13 Um dia amanheceras tão sisuda Falta mais que se lhe ponha? de imagens desdobradas em
viver o momento presente e, ao 14 Que fora de algodão o teu capote! Vergonha. numerosos exemplos que visam
mesmo tempo, preocupar-se com a O demo a viver se exponha, enfatizar o conteúdo da pregação.
vida eterna. 06. (UFRGS) - Com relação ao Por mais que a fama a exalta, ( ) Gregório de Matos e o Padre
(E) A escultura barroca teve no Brasil soneto de Gregório de Matos Numa cidade onde falta Vieira, em seus poemas e sermões,
o nome de Antônio Francisco Lisboa, acima transcrito, assinale a Verdade, honra, vergonha." mostram exacerbados sentimentos
o Aleijadinho, que, no século XVIII, afirmação incorreta. Gregório de Matos patrióticos expressos em linguagem
elaborou uma arte d tema religioso (A) A expressão quão dessemelhante Guerra. barroca.
com traços nacionais e populares, (verso 1) aponta um contraste entre o I - Mantém uma estrutura formal e ( ) A produção satírica de Gregório de
numa mescla representativa do passado e o presente, entre um antigo rítmica regular. Matos e o tom dos sermões do Padre
Barroco. estado (verso 2) e um estado atual. II - Enfatiza as idéias opostas. Vieira representam duas faces da
(B) À lamentação expressa no III - Emprega a ordem direta. alma barroca no Brasil.
primeiro quarteto, segue-se, no IV - Refere-se à cidade de São Paulo.
( ) O poeta e o pregador alertam os topa lavor.Não fez Deus o céu em xadrez
contemporâneos para o desvio Em apa, epa, ipa, opa, upa." de estrelas, como os pregadores 11. (UFV-MG) Leia atentamente o
operado pela retórica retumbante e Gregório fazem o sermão em xadrez de fragmento do sermão do padre
vazia. de Matos Guerra. palavras. Se de uma parte há-de Antônio Vieira:
A seqüência correta de A alternativa que melhor exprime estar branco, da outra há-de estar "A primeira cousa que me desedifica,
preenchimento dos parênteses, de as características da poesia de negro; se de uma parte está dia, da peixes, de vós, é que comeis uns aos
cima para baixo, é Gregório de Matos, encontradas no outra há-de estar noite; se de uma outros. Grande escândalo é este, mas
a) V - F - F - F - F poema transcrito, é a que destaca a parte dizem luz, da outra hão-de a circunstância o faz ainda maior.
b) V - V - V - V - F presença de: dizer sombra; se de uma parte dizem Não só vos comeis uns aos outros,
c) V - V - F - V - F a) Inversões da sintaxe corrente, desceu,da outra hão-de dizer senão que os grandes comem os
d) F - F - V - V - V como em “Com sua língua, ao nobre subiu.Basta que não havemos de ver pequenos. Se fora pelo contrário era
e) F - F - F - V – V o vil decepa” e “Quem menos falar num sermão duas palavras em paz? menos mal. Se os pequenos comeram
pode”. Todas hão-de estar sempre em os grandes, bastara um grande para
b) Conflito entre os universos do fronteira com o seu contrário? muitos pequenos; mas como os
09. (Fatec-SP) profano e do sagrado, como se vê na Aprendamos do céu o estilo da grandes comem os pequenos, não
As cousas do mundo oposição “Quem dinheiro tiver” e disposição,e também o das bastam cem pequenos, nem mil, para
"Neste mundo é mais rico o que “pode ser Papa”. palavras." um só grande [...]. Os homens, com
mais rapa: c) Metáforas raras e desusadas, como Vieira, Sermão da suas más e perversas cobiças, vêm a
Quem mais limpo se faz, tem mais no verso experimental “a Musa sexagésima. ser como os peixes que se comem uns
carepa; topa/Em apa, epa, ipa, opa, upa”. No texto, Vieira critica um certo aos outros. Tão alheia cousa é não só
Com sua língua, ao nobre o vil d) Contraste entre os pólos de estilo de fazer sermão, que era da razão, mas da mesma natureza,
decepa: antíteses violentas, como “língua” — comum na arte de pregar dos padres que, sendo criados no mesmo
O velhaco maior sempre tem capa. “decepa” e “menos falar” —“mais dominicanos da época. O uso da elemento, todos cidadãos da mesma
Mostra o patife da nobreza o mapa: increpa”. palavra xadrez tem o objetivo de: pátria, e todos finalmente irmãos,
Quem tem mão de agarrar, ligeiro e) Imagens que exploram os a) Defender a ordenação das idéias vivais de vos comer."
trepa; elementos mais efêmeros e diáfanos em um sermão. VIEIRA, Antônio.
Quem menos falar pode, mais da natureza, como “flor” e “tulipa”. b) Fazer alusão metafórica a um certo Obras completas
increpa; tipo de tecido. do padre Antônio
Quem dinheiro tiver, pode ser Papa. c) Comparar o sermão de certos Vieira: sermões.
A flor baixa se inculca por tulipa; 10. (Ufscar-SP) pregadores a uma verdadeira prisão. O texto de Vieira contém algumas
Bengala hoje na mão, ontem "O pregar há-de ser como quem d) Mostrar que o xadrez se assemelha características do Barroco. Dentre
garlopa. semeia,e não como quem ladrilha ou ao semear. as alternativas a seguir, assinale
Mais isento se mostra o que mais azuleja.Ordenado,mas como as e) Criticar a preocupação com a aquela em que NÃO se confirmam
chupa. estrelas.(...) Todas as estrelas estão simetria do sermão. essas tendências estéticas:
Para a tropa do trapo vazo a tripa por sua ordem;mas é ordem que faz a) A utilização da alegoria, da
E mais não digo, porque a Musa influência,não é ordem que faça comparação, como recursos
oratórios, visando à persuasão do Tomás Antônio Gonzaga. nem montadas estátuas ao seu nome. No trecho de Marília de Dirceu,
ouvinte. Marília de Dirceu. Desiste, louco chefe, dessa empresa: expressões como "cem cativos", "rios
b) A tentativa de convencer o homem Marília de Dirceu apresenta um dos um soberbo edifício levantado caudalosos" e "granetes de oiro"
do século XVII, imbuído de práticas principais traços do Arcadismo. A sobre ossos de inocentes, construído remetem para:
e sentimentos comuns ao opção que aponta essa característica com lágrimas dos pobres, nunca a) A profissão de minerador exercida
semipaganismo renascentista, a temática, presente no texto, é serve por Dirceu.
retomar o caminho do espiritualismo a) O bucolismo. de glória ao seu autor, mas sim de b) Uma atividade econômica
medieval, privilegiando os valores b) A presença de valores ou opróbrio." exercida na época.
cristãos. elementos clássicos. Tomás Antônio c) O desagrado de Dirceu em relação
c) A presença do discurso dramático, c) O pessimismo e negatividade. Gonzaga. Cartas chilenas à atividade do pai de Marília.
recorrendo ao princípio horaciano de d) A fixação do momento presente. Todas as alternativas abaixo d) Preocupações de Dirceu relativas à
"ensinar deleitando" — tendência e) A descrição sensual da mulher apresentam características desse poluição dos rios.
didática e moralizante, comum à amada. estilo literário, presente nos versos e) A prosperidade em que vivia o
Contra-Reforma. acima citados, EXCETO: povo brasileiro.
d) O tratamento do tema principal — 13. (UFV-MG) Os árcades, no Brasil, a) Valorização do ideal da vida
a denúncia à cobiça humana - através assimilaram as idéias neoclássicas simples e tranqüila. 15. (Ufla-MG) Apresentam-se em
do conceptismo, ou jogo de idéias. européias, muitas vezes, b) Tendência ao discurso em forma seguida três proposições: I, II e III.
e) O culto do contraste, sugerindo a reinterpretando, cada um ao seu de diálogo do eu poético com um I. O momento ideológico, na
oposição bem x mal, em linguagem estilo, a realidade sociopolítica e interlocutor. literatura do Setecentos, traduz a
simples, concisa, direta e expressiva cultural do país, como se observa no c) Utilização de linguagem elegante, crítica da burguesia culta aos abusos
da intenção barroca de resgatar os seguinte fragmento das Cartas rebuscada e artificial. da nobreza e do clero.
valores greco-latinos. chilenas: d) Intenções didáticas, expressas no II. O momento poético, na literatura
"Pretende, Doroteu, o nosso chefe tom de denúncia e sátira. do Arcadismo, nasce de um encontro,
12. (UFRJ) erguer uma cadeia majestosa, e) Caracterização do poeta como um embora ainda amaneirado, com a
Lira XI que possa escurecer a velha fama pintor de situações e não de emoções. natureza e os afetos comuns do
"Não toques, minha musa, não, não da torre de Babel e mais dos homem.
toques grandes, 14. (UFSM-RS) III. Façamos, sim, façamos, doce
Na sonorosa lira, custosos edifícios que fizeram, "Tu não verás, Marília, cem cativos amada,
Que às almas, como a minha, para sepulcros seus, os reis do tirarem o cascalho e a rica terra, Os nossos breves dias mais ditosos.
namoradas Egito. ou dos cercos dos rios caudalosos, A característica que está presente
Doces canções inspira: Talvez, prezado amigo, que imagine ou da minada serra. nesses versos de Marília de Dirceu,
Assopra no clarim que apenas soa, que neste monumento se conserve, Não verás separar ao hábil negro de Tomás Antônio Gonzaga, é o
Enche de assombro a terra! eterna a sua glória, bem que os do pesado esmeril a grossa areia, "carpe diem" ("gozar a vida").
Naquele, a cujo som cantou povos, e já brilharem os granetes de oiro Marque:
Homero, ingratos, não consagrem ricos no fundo da bateia." a) Se só a proposição I é correta.
Cantou Virgílio a guerra." bustos b) Se só a proposição II é correta.
c) Se só a proposição III é correta. II. Composição do poema Vila Rica roubam um homem, estes roubam III. O texto de Vieira, sendo Barroco,
d) se só são corretas as proposições I por Cláudio Manuel da Costa, o cidades e reinos, os outros furtam está pleno de metáforas, de
e II. Glauceste Satúrnio. debaixo de seu risco, estes sem temor linguagem figurada, de termos
e) Se todas as proposições são III. Predomínio da tendência mística nem perigo; os outros se furtam são inusitados e eruditos, sendo de difícil
corretas. e religiosa, expressiva da busca do enforcados, e o bucolismo estes compreensão.
transcendente. furtam e enforcam." IV. Vieira adota a tendência barroca
16. (Ufla-MG) Leia os seguintes IV. Propagação de manuscritos Antonio Vieira. conceptista que leva para o texto o
fragmentos de Marília de Dirceu, de anônimos de teor satírico e conteúdo Sermão do bom ladrão. predomínio das idéias, do raciocínio,
Tomás Antônio Gonzaga. político, atribuídos a Tomás Antônio "Que havemos de esperar, Marília da lógica, procurando adequar os
Texto I Gonzaga. bela? textos religiosos à realidade
"Verás em cima de espaçosa mesa V. Presença de metáforas da Que vão passando os florescentes circundante.
Altos volumes de enredados feitos; mitologia grega na poesia lírica, dias? Está(ão) correta(s) apenas:
Ver-me-ás folhear os grandes livros, divulgando as idéias dos As glórias que vêm tarde já vêm a) I, II e III.
E decidir os pleitos." inconfidentes. frias; b) I.
Texto II Considerando as anotações E pode enfim mudar-se a nossa c) II.
"Os Pastores, que habitam este anteriores, assinale a alternativa estrela. d) I, II e IV.
monte, CORRETA: Ah! Não, minha Marília, e) II, III e IV.
Respeitam o poder do meu cajado; a) Apenas I e III são verdadeiras. Aproveite-se o tempo, antes que faça
Com tal destreza toco a sanfoninha, b) Apenas II e IV são falsas. O estrago de roubar ao corpo as 20. (Ufal) Considerando-se a
Que inveja me tem o próprio c) Apenas II e V são verdadeiras. forças produção poética de Gregório de
Alceste." d) Apenas III e V são falsas. E ao semblante a graça." Matos e Cláudio Manuel da Costa, é
Responda: e) Todas são verdadeiras. Tomás Antônio correto afirmar que ambos:
a) Em qual dos fragmentos o sujeito Gonzaga. Lira XIV. a) Cultivaram o soneto, forma fixa
lírico é caracterizado de acordo com 18. (PUC-MG) Sobre a obra desses autores, analise pela qual exploraram temas e
a convenção arcádica? as afirmativas a seguir. recursos poéticos próprios dos
b) Explique. 19. (UFPE) I. A obra de Gonzaga é exemplar do diferentes períodos e estilos literários
"Basta senhor, porque roubo em uma Arcadismo. O tema dos versos acima que tão bem representaram.
barca sou ladrão, e vós que roubais é o “carpe diem” (gozar a vida b) Cultivaram o soneto, pois
17. (UFV-MG) Sobre o Arcadismo, em uma armada sois imperador? presente), escrito numa linguagem valorizaram o mesmo estilo de época
anotamos: Assim é. Roubar pouco é culpa, amena, sem arroubos, própria do predominante no século XVII,
I. Desenvolvimento do gênero lírico, roubar muito é grandeza. O ladrão Arcadismo. quando essa forma fixa de poesia era
em que os poetas assumem postura de que furta para comer, não vai nem II. Despojada de ousadias sintáticas e considerada superior a todas as
pastores e transformam a realidade leva ao inferno: os que não só vão, vocabulares, a linguagem arcádica, demais.
num quadro idealizado. mas que levam de que eu trato, são os no poema de Gonzaga, diferencia-se c) Notabilizaram-se pela sátira,
outros... ladrões de maior calibre e da linguagem rebuscada, usada pelo dirigida contra os mandatários da
mais alta esfera... Os outros ladrões Barroco. Coroa portuguesa responsáveis pela
exploração econômica do açúcar e 22. (Ufal) Considere as seguintes E mais as finas lãs, de que me visto. (C) Apresentam a fina ironia de
pela corrupção política na Bahia. afirmações: Graças, Marília bela, Gonzaga, o que liga o poema às
d) Notabilizaram-se por um tipo de I. Gregório de Matos e Tomás Graças à minha estrela! Cartas Chilenas,
lirismo sentimental que já Antônio Gonzaga compuseram Irás a divertir-te na floresta, escritas pelo autor, depois que estava
prenunciava o movimento romântico, poesia lírica, mas o talento de ambos Sustentada, Marília, no meu braço; preso, para ridicularizar o Visconde
influindo diretamente nas obras de encontrou sua expressão máxima nas Aqui descansarei a quente sesta, de Barbacena, feroz inimigo dos
Gonçalves Dias e Álvares de sátiras. Dormindo um leve sono em teu Inconfidentes.
Azevedo. II. Em Marília de Dirceu, o árcade regaço; (D) Reiteram o nome de Marília nos
e) Notabilizaram-se pela idealização mineiro buscou figurar um equilíbrio Enquanto a luta jogam os pastores, estribilhos, mas, ao contrário do que
do amor e da natureza, esses dois entre a vida rústica e a cultura E emparelhados correm nas pode parecer, esse recurso não
elementos centrais para a lírica que ilustrada. campinas, imprime musicalidade ao texto, serve
seguia os padrões e os valores do III. Cláudio Manuel da Costa Toucarei teus cabelos de boninas, para enaltecer a mulher, vista,
chamado estilo neoclássico. confronta a paisagem bucólica Nos troncos gravarei os teus naquele momento, como elemento
idealizada com a de sua terra natal. louvores. angélico e divinal, o que faz a poética
21. (UEL-PR) A chamada atividade Está inteiramente correto o que vem Graças, Marília bela, de Gonzaga preceder o Romantismo.
literária das primeiras décadas de afirmado SOMENTE em Graças à minha estrela!” (E) Ilustram tópicos preferenciais do
nossa formação histórica a) I. GONZAGA, Tomás Arcadismo, como o locus amenus
caracterizou-se por seu cunho b) II. Antônio. "Marília de Dirceu". (lugar ameno), o ideal de vida
pragmático estrito, seja a circunscrita c) III. É correto afirmar sobre as estrofes: simples, a pintura de cenas pastoris, e
ao parâmetro jesuítico, seja a d) I e II. (A) Ilustram não só preferências revelam os valores da classe
decorrente de viagens de e) II e III. temáticas do Arcadismo, como o burguesa, de então, presentes na
reconhecimento e informação da ideal de vida simples, o herói que se preocupação econômica que o pastor
terra. 23. (UFPA) Tomás Antônio Gonzaga faz pela honradez e pelo trabalho, enuncia.
São representantes dos dois tipos de escreveu Marília de Dirceu, um dos mas também o sentimento de
atividade literária referidos no mais conhecidos poemas de nosso transitoriedade da vida, que arrasta o
excerto acima: Arcadismo. Leia duas estrofes da poeta ao carpe diem (aproveitar a
a) Gregório de Matos e Cláudio Lira I, da primeira parte do poema. vida) horaciano. 24. (Ufam) Considerando,
Manuel da Costa. “Eu, Marília, não sou algum (B) Representam os temas do principalmente, o nome da musa
b) Antônio Vieira e Tomás Antônio vaqueiro bucolismo, do fugere urbem (fuga da inspiradora, somente um dos trechos
Gonzaga. Que viva de guardar alheio gado, cidade), da áurea mediocritas abaixo foi escrito por Tomás António
c) José de Anchieta e Gabriel Soares De tosco trato, d`expressões (existência dentro da mediania), mas Gonzaga. Assinale-o.
de Sousa. grosseiro, fogem do convencionalismo arcádico a) “Não sei, Marília, que tenho.
d) Bento Teixeira e Gonçalves de Dos frios gelos e dos sóis queimado. da linguagem simples, o que torna o Depois que vi o teu rosto,
Magalhães. Tenho próprio casal e nele assisto; poema artificial. Pois quanto não é Marília,
e) Basílio da Gama e Gonçalves Dias. Dá-me vinho, legume, fruta, azeite; Já não posso ver com gosto.
Das brancas ovelhinhas tiro o leite Noutra idade me alegrava,
Até quando conversava b) O retorno ao equilíbrio e à e. egocentrismo, d. transbordamento na forma
Com o mais rude vaqueiro: simplicidade dos modelos greco- hipersensibilidade, alegria, de expressão; valorização
Hoje, ó bela, me aborrece romanos. descontração e crença no do índio como típico
Inda o trato lisonjeiro c) O culto da teoria aristotélica da futuro. homem nacional;
Do mais discreto pastor.” arte como imitação da natureza. 27. (PUCCAMP) apresentação da natureza
b) “Nilse? Nilse? Onde estás? d) A exaltação da vida campesina, como refúgio dos males do
"Cantor das selvas, entre bravas
Aonde espera com sua paisagem, seus pastores e coração.
Achar-te uma alma, que por ti seu gado. matas e. expressão a serviço da
suspira; e) O gosto pelo noturno, como forma Áspero tronco da palmeira escolho, manifestação dos estados
Se quanto a vista se dilata e gira de acentuar a atmosfera de mistério. Unido a ele soltarei meu canto, de espírito mais
Tanto mais de encontrar-te Enquanto o vento nos palmares exagerados; sentimento
desespera!” profundo de solidão.
zune,
c) “Eu vi a linda Estela e namorado 26. (UEL) Assinale a alternativa que
Fiz logo eterno voto de querê-la; Rugindo os longos, encontrados
completa adequadamente a asserção: 28. (USC) A respeito do
Mas vi depois a Nise e é tão bela, leques."
Que merece igualmente o meu O Romantismo, graças à ideologia Romantismo no Brasil, pode-se
Os versos acima, de Os Timbiras, de
cuidado. dominante e a um complexo afirmar que:
Gonçalves Dias, apresentam
[ ]” conteúdo artístico, social e político, a. sua ação nacionalista deu
d) “Uma, que às mais precede em características da primeira geração origem às condições
caracteriza-se como uma época
gentileza, romântica: políticas que propiciaram a
propícia ao aparecimento de a. apego ao equilíbrio na nossa Independência;
Não vinha menos bela do que irada:
Era Moema, que de inveja geme, naturezas humanas marcadas por forma de expressão; b. coincidiu com o momento
E já vizinha à nau se apega ao a. teocentrismo, presença do nacionalismo, decisivo de definição da
leme.” hipersensibilidade, alegria, pela temática indianista e nacionalidade e colaborou
e) Este lugar delicioso e triste, otimismo e crença. pela valorização da para essa definição;
Cansada de viver, tinha escolhido b. etnocentrismo, natureza brasileira. c. espelhou sempre as
Para morrer a miséria Lindóia. insensibilidade, b. resistência aos exageros influências estrangeiras, em
Lá, reclinada, como que dormia.” descontração, otimismo e sentimentais e à forma de nada aproveitando os
crença na sociedade. expressão subordinada às costumes e a cor locais;
25. (Ufam) Todas as características c. egocentrismo, emoções; visão da poesia a d. foi decisivo para o
de estilo abaixo relacionadas hipersensibilidade, serviço de causas sociais, amadurecimento dos
pertencem ao Arcadismo, exceto: melancolia, pessimismo, como a escravidão. sentimentos nativistas que
a) A defesa de uma função social para angústia e desespero. c. expressão preocupada com culminaram na
a literatura, que devia ter caráter d. teocentrismo, o senso de medida; "mal do Inconfidência Mineira;
didático. insensibilidade, século"; natureza como e. ganhou relevo apenas na
descontração, angústia e amiga e confidente. poesia, talvez por falta de
desesperança.
talentos no cultivo da 30. (FUVEST) b. barroco; II- arcadismo; III- Entre nuvens azuis pranteia orando.
ficção. I - "Ah! enquanto os destinos romantismo; É um retrato talvez. naquele seio
29. (F.C.CHAGAS) O movimento c. arcadismo; II- romantismo;
impiedosos III- barroco; Porventura sonhei doiradas noites.
romântico, cujas origens estão na
Não voltam contra nós a face irada, d. arcadismo; II- barroco; III- Talvez sonhando desatei sorrindo
Alemanha e na Inglaterra, adquiriu Façamos, sim façamos, doce amada, romantismo; Alguma vez nos ombros perfumados
na literatura brasileira um reflexo e. barroco; II- arcadismo; III-
Os nossos breves dias mais ditosos Esses cabelos negros, e em delíquio
extraordinário porque: romantismo.
II -"É a vaidade, Fábio, nesta vida, Nos lábios dela suspirei tremendo.
a. nossas letras contavam, à 31. (F.C.CHAGAS)
época, com artistas do Rosa, que da manhã lisonjeada, foi-se minha visão. E resta agora
"Em cismar, sozinho, à noite,
talento de um Machado de Púrpuras mil, com ambição Aquela vaga sombra na parede
Mais prazer encontro eu lá;
Assis e de um Raul dourada, – Fantasma de carvão e pó cerúleo,
Pompéia; Minha terra tem palmeiras
Airosa rompe, arrasta presumida." Tão vaga, tão extinta e fumarenta
b. coincidiu com o momento Onde canta o sabiá."
III- "E quando eu durmo, e o Como de um sonho o recordar
decisivo de definição da Nestes versos de Gonçalves Dias,
nossa nacionalidade e de coração ainda incerto."
escritos em Portugal, o poeta vive
valorização do nosso Procura na ilusão da lembrança, (AZEVEDO, Álvares de. VI Parte
passado histórico; um momento marcado por
Anjo da vida, passa nos meus de "Idéias Íntimas". In: CÂNDIDO,
c. prosperavam, entre nós, os a. solidão, devaneio e
sonhos idealização nacionalista. A. & CASTELLO, J. A. Presença da
sentimentos nativistas
elevados ao mais alto plano E meus lábios orvalha de b. melancolia, tédio e ironia; Literatura Brasileira, vol.II, São
estético, como demonstram esperança!" c. amor a Portugal, devaneio e Paulo, Difusão Européia do Livro,
os poemas "O Uruguai" e Associe os trechos acima com os idealização nacionalista; 1968, p. 26).
"Caramuru"; d. saudades, ânimo satírico e
respectivos movimentos literários, pessimismo; Considerando os aspectos temáticos
d. nosso complexo cultural de
cujas características estão e. alívio, expectativa e e formais do poema pode-se vinculá-
colonizadores encontrava
na prosa intimista sua enunciadas abaixo. otimismo. lo ao segundo momento do
expressão mais adequada e Romantismo: evasão e devaneio na 32. (VUNESP) Baseando-se na movimento romântico brasileiro,
natural; realização de um erotismo difuso. leitura do texto de Álvares de também conhecido como "geração
e. nossos homens de letras e Arcadismo: aproveitamento do Azevedo, assinale a única alternativa do spleen" ou "mal do século."
de ciências criaram teorias a. A presença da mulher
momento presente ("carpe diem"). incorreta.
em que se demonstrava a amada torna-se o ponto
flagrante superioridade do Barroco: efemeridade da beleza "Junto a meu leito, com as mãos
central do poema. Isso é
pensamento anglo- física, brevidade enganosa da vida. unidas, claramente manifestado
germânico sobre o de a. romantismo; II- arcadismo; Olhos fitos no céu, cabelos soltos, pelas recordações do eu-
outros povos. III- barroco; Pálida sombra de mulher formosa lírico, marcado por um
passado vivido, que sempre "Eu deixo a vida como deixa o tédio de Azevedo pertence a uma geração e. 3 - 3 - 2 - 2 - 1 - 1;
volta em imagens e sonhos. Do deserto, o poento caminheiro romântica situada entre a de
b. texto reflete um articulado
– Como as horas de um longo a. Gonçalves Dias e a de 37. (F.C.CHAGAS) A palavra de
jogo entre o plano do
Cláudio Manuel da Costa Castro Alves seria, no contexto em
imaginário e o plano real. pesadelo
b. Gonçalves de Magalhães e
Um dos elementos, entre Que se desfaz ao dobre de um que se inseriu, uma palavra aberta à
a de Gonçalves Dias;
outros, que articula essa sineiro." c. Castro Alves e a de Cruz e realidade da nação, indignando-se o
contradição é a alternância Sousa; poeta com o problema do escravo e
Os versos acima exemplificam:
dos tempos verbais
a. a utilização de metáforas d. Gonçalves Dias e a de entusiasmando-se com o progresso e
presente/passado.
grandiosas para expressar a Castro Alves; a técnica que já atingiam o meio
c. Realidade e fantasia
indignação com as e. Cláudio Manuel da Costa e
tornam-se a única realidade rural. Esse último aspecto permite
injustiças sociais que a de Tomás Antônio
no espaço da poesia lírica Gonzaga. afirmar que Castro Alves
caracteriza a obra de Castro
romântica, gênero a. identifica-se aos poetas da
Alves; 36. (FEI) Numere a coluna da
privilegiado dentro desse segunda geração romântica
b. a temática da procura da esquerda, de acordo com a coluna da
movimento. no que se refere à
morte como solução para os
d. Apesar de utilizar direita, tendo em vista a poesia concepção da natureza
problemas da existência em
decassílabo, esse poema romântica brasileira: como refúgio.
que se encontra em Álvares
possui o andamento b. afasta-se, nesse sentido, de
de Azevedo; 1. primeira geração
próximo ao da prosa. Esse outros poetas, como
c. tratamento ao mesmo 2. segunda geração
aspecto formal é importante Fagundes Varela, que o
tempo irônico e lírico a que
para intensificar certo 3. terceira geração consideram o campo um
Álvares de Azevedo
prosaísmo intimista da ( ) abolicionismo antídoto para os males da
submete o cotidiano;
poesia romântica. ( ) condoreirismo cidade;
d. a presença da natureza
33. (PUC) Considerado pela crítica como cenário para o c. trata a natureza da mesma
( ) autocomiseração exacerbada
brasileira o escritor mais bem dotado encontro do pastor com sua forma que o poeta árcade
( ) obsessão pela morte que o antecedeu;
de sua geração, Álvares de Azevedo, amada, como ocorre em
( ) indianismo d. antecipa o comportamento
além das poesias, deixou-nos que Fagundes Varela;
e. a exploração de ecos, ( ) nacionalismo do poeta parnasiano que se
obra de prosa narrativa? Agora, escolha a alternativa que entusiasma com a realidade
assonâncias, aliterações em
a. Conde Lopo; exterior;
busca de uma sonoridade apresenta a seqüência correta dos
b. Macário; válida por si mesma, como e. idealiza a natureza da
c. espumas Flutuantes; numerais: pátria, buscando preservar a
se vê na obra de Castro a. 2 - 3 - 2 - 1 - 2 - 1;
d. Noite na Taverna; sua simplicidade e pureza,
Alves b. 1 - 3 - 2 - 1 - 2 - 3;
e. Pedro Ivo. tal como Gonçalves Dias.
35. (F.C.CHAGAS) A poesia c. 3 - 2 - 2 - 1- 2 - 2;
34. (U.FORTALEZA)
confessional e fantasiosa de Álvares d. 2 - 1 - 2 - 2 - 1 - 1;
38. maneira dos poetas populares das 40. (FUVEST) "O primeiro considerava sua obra como fator
"Agora, peço a você. feiras nordestinas, a vida e as cearense, ainda no berço, emigrava primacial da criação realmente
Ó caboclo brasileiro, aventuras de um poeta do da terra da pátria. Havia aí uma orgânica de nossa literatura".
caboclo ainda cativo, romantismo brasileiro. Assinale nas predestinação de uma raça?" (Eugênio Gomes).
ler o 'Navio Negreiro' alternativas abaixo aquela que Eis aí uma reflexão sob a forma de 41. (FUVEST) O romancista a que
para ficar informado contenha respectivamente: pergunta que o autor, ......, faz a si se refere o crítico é:
do passado cativeiro.  a temática versada mesmo com toda propriedade, e por a. João Guimarães Rosa;
Era um navio maldito, pelas estrofes acima; motivos que podemos interpretar b. Joaquim M. de Macedo;
uma ave de rapina  nome do poeta c. Bernardo Guimarães;
como pessoais, ao finalizar o d. José de Alencar;
romântico;
voando a flor do oceano, romance ........ .
 título da primeira obra e. Manuel Antônio de
no bojo a gana a assassina deste poeta romântico; Assinale a alternativa que completa Almeida.
conduzia ouro humano:  nome do poeta os espaços. 42. (FUVEST) Assinale a opção em
a rapa negra era a mina. modernista autor desse a. José Lins do Rego - que vêm citadas obras do
Caboclo, não chore não, texto à moda de cordel. Menino do Engenho; romancista, objeto da questão
I. temática regionalista; II- b. José de Alencar - Iracema;
não chora quando o poema antecedente.
Gonçalves Dias; III- c. Graciliano Ramos - São
apertar-lhe o coração; Primeiros Cantos; IV- a. Cortiço e Casa de Pensão;
Bernardo;
se não puderimpe ou gema Mário de Andrade. b. Fogo Morto e Banguê;
d. Aluísio Azevedo - O
II. temática amorosa; II- c. A Moreninha e O Moço
ou grite de indignação. Mulato;
Álvares de Azevedo; III- Louro;
caboclo, este o dilema. e. Graciliano Ramos - Vidas
Lira dos Vinte Anos; IV- Secas. d. Grande Sertão: Veredas e
Depois leias as Vozes d'África Ferreira Gullar. Saragana;
(FUVEST) Texto para as questões e. Senhora e O Guarani
com a mesma indignação III. temática racial; II-
41 e 43: 43. (FUVEST) Lucíola e Senhora;
contra os senhores de escravos, Casimiro de Abreu; III-
Primaveras: IV- Carlos "Sua ambição literária era, contudo, O Gaúcho, Sertanejo; e o Guarani e
ó caboclo do sertão,
Drummond de Andrade. imensa e pode ser aferida, não só por As Minas de Prata representam na
o cativeiro de hoje
IV. temática urbana; II- Olavo sua produção romanesca, como pelo
é o mesmo: cana e algodão." obra de Alencar, de acordo com os
Bilac; III- Tarde; IV- projeto gigantesco que delineara de
39. (VUNESP) As quatro estrofes Oswald de Andrade. seus conteúdos e seus cenários,
V. temática de crítica social; maneira bem significativa, na sua romances de tipos, respectivamente:
acima constituem trecho de uma
II- Castro Alves; III- indiscutidíssima introdução ao a. urbanos, regionalistas e
obra, publicada em 1952, em que um
Espumas Flutuantes; IV- romance Sonhos d'Ouro. Está fora indianistas e históricos;
poeta modernista, autor do longo b. documentais, sociais e
Jorge de Lima. de dúvida que (o romancista)
poema "Invenção de Orfeu", conta à histórico-indianistas;
c. europeus, nacionais e e. permite aos protagonistas Seu enredo resulta em ser personagens: Isaura, Malvina, Rosa,
indianistas; recuperarem sua dignidade inverossímil, tais e tantos são os Leôncio, Álvaro, Belchior, André, o
d. psicológicos, documentais pela força do amor.
e folclóricos; expedientes primários do Autor, Dr. Geraldo, Martim e Miguel, se
e. realistas, impressionistas e 45. (FUVEST) Entre as obras mais usados para conduzir por têm peculiaridades físicas e morais
românticos. determinados caminhos e para que os caracterizam suficientemente
comentadas do Visconde de Taunay
44. (PUC) Nos romances Senhora e estão: O Encilhamento, A Retirada desenlace preestabelecido: em e os individualizam na galeria das
Lucíola, José de Alencar dá um freqüentes ex-abruptos, mudam os personagens da ficção romântica, se
da Laguna e, principalmente, o
passo em relação à crítica dos sentimentos dos protagonistas com ocupam posições bem "marcadas"
romance:
valores da sociedade burguesa, na a. A Moreninha; relação à bela e desditosa Isaura, e no palco dos acontecimentos,
medida em que coloca como b. Inocência; assim de protetores se transformam decomposto em dois cenários (uma
protagonistas personagens que se c. Clarissa; de pronto em pérfidos algozes, fazenda de café da Baixada
d. Rosa;
deixam corromper por dinheiro. servindo à linha dramática Fluminense e o Recife), não chegam
e. A Escrava Isaura
Entretanto, essa crítica se dilui e ele premeditada pelo ficcionista; não contudo, a receber suficiente estofo
(PUCCAMP) Da questão 46 a 48,
se reafirma como escritor romântico, menos precipitada e artificialmente psicológico: daí a impressão que
você vai usar o texto abaixo.
nessas obras, porque se engendram e desenrolam as deixam, não apenas de símbolos
a. pune os protagonistas no Texto crítico
situações ou episódios concebidos dramáticos quase vazios, senão que
final, levando-os a um "Embora seja importante indagar das
sempre com a intenção de marcar também títeres (vá lá a cansada
casamento infeliz; razões por que público brasileiro dos
b. justifica o conflito dos "passos" da via "crucis" da imagem) conduzidos pelo autor,
anos de 1870 avidamente leu e com
protagonistas com a desgraçada heroína, que, por fim, para esta ou aquela ação
entusiasmo aplaudiu "A Escrava
sociedade pela diferença de mais arrastada pelo autor que pelas indispensável, a seu ver, às suas
raça: uns, índios Isaura", razões que encontram o
forças do drama que vive, encontra principais intenções".
idealizados; outros, principal motivo em onda então
brasileiros com maneiras no alto do seu calvário, ao invés do (Antônio Soares Amora, "O
crescente de sentimento
européias; sacrifício final (o que teria dado ao Romantismo", vol. II de A
abolicionista – convenhamos em que
c. confirma os valores romance verossimilhança e força), a Literatura Brasileira).
muito mais importante o
burgueses, condenando os salvação e a felicidade extrema. 46. (PUCCAMP) Segundo o texto:
protagonistas à morte; comportamento desse público é,
Tão primário e artificial quanto o a. "A Escrava Isaura"
d. resolve a contradição entre para a crítica, a natureza desse consagrou-se como um
o dinheiro e valores morais enredo que domina a obra, dando-
romance. bom romance por causa da
tornando os protagonistas lhe típica estrutura novelesca ou aceitação que teve entre o
Mesmo lido com simpatia, "A
ricos e poderosos; romanesca, é, não digo a concepção, público leitor de 1870.
Escrava Isaura" não resiste à crítica.
mas o modo de conduzir
b. "A Escrava Isaura" não é d. é muito difícil a crítica e. para a heroína é muito mais 50. (UECE) Sobre José de Alencar é
um bom romance porque o avaliar romances de grande importante encontrar a correto afirmar:
público leitor de 1870 o leu popularidade e aceitação; salvação e a felicidade
a. Focaliza, em suas
avidamente e o aplaudiu e. romance da natureza é para extrema do que o sacrifício
personagens, os traços mais
com entusiasmo. a crítica muito mais final, no alto do Calvário.
objetivos dos caracteres,
c. O leitor deve ter muito importante do que o 49. (ITA-SP) O tema do excerto em termos de paixões,
cuidado ao ler ou aplaudir comportamento do público virtudes e defeitos morais,
abaixo relaciona-se à representativa
um romance, pois poderá leitor. pelos quais a sociedade é
consagrar uma obra tendência de um determinado estilo
48. (PUCCAMP) De texto freqüentemente
medíocre. literário. Assinale, então, a opção
concluímos que: responsabilizada, como se
d. "A Escrava Isaura" não é cujos autores pertencem à tendência
a. de tal modo os episódios de vê, por exemplo, em
um bom romance para a e ao estilo em questão:
"A Escrava Isaura" são Lucíola.
crítica, embora o público o dominados pela "Amei-te sempre: – e pertencer-te b. Alcança sua maior glória
haja lido com entusiasmo,
precipitação e quero com o romance histórico,
movido pelo sentimento
artificialidade, que a ação que lhe deu oportunidade
abolicionista. Para sempre também, amiga morte.
resulta muito mais da de pesquisar fielmente o
e. "A Escrava Isaura" não Quero o chão, quero a terra - esse
inserção do Autor do que passado nacional e fugir da
pode ser considerado um das forças do conflito; elemento observação da vida
bom romance por causa do b. a típica estrutura novelesca contemporânea, cujo
sentimento abolicionista. que não se sente dos vaivéns da
de "A Escrava Isaura" sorte." aspecto urbano sempre
47. (PUCCAMP) Antônio Soares caracteriza-se pelo evitou retratar.
a. Casimiro de Abreu,
Amora diz-nos, no texto, que: desenvolvimento do Visconde de Taunay, José c. Mesmo sem abandonar
a. a crítica, ao avaliar um enredo, pela concepção das de Alencar. definitivamente as soluções
romance, baseia-se na personagens e pelo b. Álvares de Azevedo, românticas para os
natureza da obra e não desfecho; Fagundes Varela, Junqueira problemas dos heróis,
simplesmente nas reações c. em "A Escrava Isaura" o Freire. revelou grande capacidade
do público leitor; Autor vive um drama cujas c. Tomás Antônio Gonzaga, de denunciar certos
b. a crítica ataca os romances forças o arrastam a um Cláudio Manuel da Costa, aspectos profundos da
que cativam a simpatia e o calvário onde encontra, em Basílio da Gama. realidade social e
entusiasmo dos leitores; vez do sacrifício final, a sua d. Castro Alves, Gonçalves individual, e, nesse sentido,
c. Bernardo Guimarães, ao felicidade; Dias, Manuel Antônio de pode ser considerado um
escrever seu romance "A d. a bela e desditosa Isaura Almeida. precursor de Machado de
Escrava Isaura", não se muda os sentimentos dos e. Gregório de Matos, Padre Assis.
preocupou com a crítica e, protagonistas, levando-os Vieira, Bernardo 51. (FUVEST-SP) "A identificação
sim, com a Abolição; ao sacrifício final, no alto Guimarães. da natureza com o sofrimento
do calvário;
humano, a tragédia perene do 53. (UFES) A leitura de Lucíola, de burgueses do Rio de apresentando, por isso, uma
amante rejeitado, o jovem andarilho José de Alencar, revela a(o): Janeiro de cem anos atrás. imagem do índio brasileiro
55. (UFPR) Qual das informações sem deformação ou
condenado à vida errante em sua a. preferência pelo uso de
idealismo.
regionalismos. sobre José de Alencar é correta?
curta eternidade, a solidão do artista. 56. (UFSCar-SP) Na obra narrativa
b. visão idealizada da mulher, a. Alencar inaugurou a ficção
E, enfim, a resignação e a mesmo em seus aspectos brasileira com a publicação de José de Alencar nota-se:
reconciliação – ressentidas um negativos. de sua obra Cinco minutos. a. que seus personagens são
pouco, por certo." c. sentimento indianista do b. Alencar foi um romancista marcados por profunda
O texto acima enumera preferências autor. que soube conciliar um estrutura psicológica.
d. preocupação em exaltar a romantismo exacerbado b. um anseio de evasão no
temáticas e concepções existenciais
natureza. com certas reminiscências tempo e no espaço animado
dos poetas: e. descrição materialista e do Arcadismo, manifestas, por acentuado egotismo.
a. barrocos. carnal do amor. principalmente, na c. um grande menosprezo
b. arcádicos. linguagem clássica. pelo colonizador branco e
54. (UFES) Em relação ao romance
c. românticos. c. Alencar, apesar de todo o pela nobreza portuguesa.
d. simbolistas. Lucíola, de José de Alencar, só não
idealismo romântico, d. menos precisão e menor
e. parnasianos. é correto dizer que: conseguiu, nas obras participação emotiva no ato
52. (FUVEST-SP) Sobre o romance a. analisa o drama íntimo de Lucíola e Senhora, captar e de escrever.
uma mulher, dividida entre denunciar certos aspectos e. um total desligamento entre
indianista de José de Alencar, pode-
o amor conjugal e a riqueza profundos, recalcados, da a realidade humana e a
se afirmar que: material.
a. analisa as reações realidade social e paisagem, que aparece
b. é escrito em forma de individual, onde podemos apenas como cenário.
psicológicas da personagem cartas, que serão reunidas e
como um efeito das detectar um pré-realismo
publicadas pela senhora ainda inseguro.
influências sociais. que aparece no texto. 57. (CEETEPS-SP) José de Alencar
b. é um composto resultante d. A obra de Alencar,
c. narrado em 1ª pessoa objetivando atingir a faz críticas às relações humanas na
de formas originais do retrata um perfil de mulher História do Brasil e a sociedade carioca da sua época,
conto. aparentemente mundana e
c. dá forma ao herói síntese de suas origens, preocupada apenas com a ostentação
frívola. volta-se exclusivamente
amalgamando-o à vida da d. protagonista relata, através e o status que só o dinheiro confere.
natureza. para assuntos indígenas e
de sua visão romântica, a Em três romances, o autor retrata
d. representa contestação regionalistas, sem incursões
sina da prostituição de pelo romance urbano. perfis de mulheres que, embora se
política ao domínio Lúcia.
português. e. indianismo de José de defrontem com os homens, em plano
e. autor revela aspectos Alencar baseou-se em
e. mantém-se preso aos de igualdade, são no final, redimidas
negativos dos costumes dados reais e pesquisa
modelos legados pelos
clássicos. antropológica,
ou dominadas pelo amor. Trata-se b. concreta. exemplo, Lira dos Vinte assim se inicia: "minha
de: c. próxima. Anos e A Noite na Taverna. terra tem palmares/ Onde
d. natural. c. poeta maranhense, um dos gorjeia o mar.".
a. A escrava Isaura, Iracema,
e. inacessível. principais representantes do d. releitura crítica da célebre
D. Guidinha do Poço
60. (UFPA) Os poemas de Álvares Romantismo, escreveu "Canção do Exílio", de
b. Iaiá Garcia, Viuvinha,
poesias sentimentais e Gonçalves Dias.
Inocência de Azevedo desenvolvem
c. Diva, Lucíola, Senhora poemas de enaltecimento e. releitura não crítica das
atmosferas variadas que vão do do índio como, por estéticas nacionalistas e
d. Luzia-Homem, A
lirismo mais ingênuo ao erotismo, exemplo, Timbiras. sentimentalistas.
Moreninha, As asas de um
com toques de ironia, tristeza, d. natural de Minas Gerais, foi 63. (FAU-SP) O indianismo de
anjo
zombaria, sensualidade, tédio e um dos representantes do
e. A pata da gazela, Sonhos nossos poetas românticos é:
Pré-Modernismo ao
d'ouro, Leonor de humor. Estas características a. uma forma de apresentar o
Mendonça. escrever Inspirações do índio em toda a sua
demonstram: Claustro.
58. (UCP-PR) O desejo de morrer e a. a carga de brasilidade do realidade objetiva; o índio
e. poeta paulista, pertencente
seu autor. como elemento étnico da
a sentimentalidade doentia são ao Parnasianismo, ficou
b. a preocupação do autor futura raça brasileira.
características da poesia do autor de famoso com a obra
com os destinos de seu b. um meio de reconstruir o
Lira dos vinte anos. Trata-se de: Conferências Literárias. grave perigo que o índio
país.
a. Gonçalves Dias. 62. (UFES) representava durante a
c. os aspectos neoclássicos
b. Castro Alves. que ainda persistem nos "Minha terra não tem palmeiras... instalação da capitania de
c. Gonçalves de Magalhães. E em vez de um mero sabiá, São Vicente.
versos desse autor.
d. Casimiro de Abreu. c. um modelo francês seguido
d. ultra-romantismo, marcante Cantam aves invisíveis
e. Álvares de Azevedo. no Brasil; uma necessidade
nesse autor. Nas palmeiras que não há."
59. (PUC-RS) e. aspecto social de seus de exotismo que em nada
versos. (Mário Quintana) difere do modelo europeu.
"Era a virgem do mar! na escuma
O texto deve ser considerado uma: d. um meio de eternizar
fria 61. (UFRN) Sobre Gonçalves Dias,
a. reafirmação da estética liricamente a aceitação,
Pela maré das águas embaladas! é correto afirmar: romântica e seus principais pelo índio, da nova
Era um anjo entre nuvens d'alvorada a. natural do Ceará, escreveu dogmas. civilização que se instalava.
obras indianistas como A b. negação da estética e. uma forma de apresentar o
Que em sonhos se banhava e se
Confederação dos Tamoios romântica, questionando índio como motivo estético;
esquecia!" e Ubirajara. seu olhar que se detém idealização com simpatia e
A estrofe demonstra que a mulher b. poeta gaúcho, destacou-se, piedade; exaltação da
mais na paisagem que no
aparece freqüentemente na poesia de dentro do Romantismo, social. bravura, do heroísmo e de
Álvares de Azevedo como figura: pela poesia lírica e c. paródia de um texto de todas as qualidades morais
a. sensual. sentimental como, por Oswald de Andrade, que superiores.
64. (U.F. Juiz de Fora-MG) Em a. predomínio da razão, a. "Voz do poeta", de d. confidente do poeta, que
relação ao Romantismo brasileiro, perfeição da forma, Fagundes Varela compartilha seus
imitação dos antigos gregos b. "As pombas", de Raimundo sentimentos com a
todas as afirmações são verdadeiras. e romanos Correia paisagem; a natureza se
Exceto: b. reação anticlássica, busca c. "Círculo vicioso", de modifica de acordo com o
a. expressão do nacionalismo de temas nacionais, Machado de Assis estado emocional do poeta.
através da descrição de sentimentalismo e d. "Canção do Tamoio", de e. um cenário idealizado,
costumes e regiões do imaginação Gonçalves Dias onde todos são felizes e os
Brasil. c. anseio de liberdade e. nda poetas são pastores.
b. análise crítica e científica criadora, busca de verdades 68. (UFRS) A produção de Álvares
dos fenômenos da absolutas e universais, arte
sociedade brasileira. de Azevedo é, no Brasil, a maior
pela arte
c. desenvolvimento do teatro d. desejo de expressar a expressão:
nacional. realidade objetiva, visão a. do culto à natureza
d. expressão poética de temas materialista do universo b. do cientificismo
confessionais, indianistas e e. preferência por temas c. da arte pela arte
humanistas. medievais, rebuscamento d. do culto ao "bom
e. caracterização do romance de conteúdo e de forma, selvagem"
como forma de tentativa de expressar a e. do mal-do-século.
entretenimento e realidade inconsciente. 69. (FMU/FIAM-SP) O homem de
moralização. 67. (UNESP-SP) todas as épocas se preocupa com a
65. (OSEC-SP) A época romântica "lá? natureza. Cada período a vê de
caracteriza-se por ser: ah! modo particular. No Romantismo, a
a. lusófoba e nacionalista.
sabiá... natureza aparece como:
b. de influência somente a. um cenário cientificamente
inglesa. papá...
estudado pelo homem; a
c. ateia e influenciada pelo maná... natureza é mais importante
positivismo. sofá... que o elemento humano.
d. carente de bons poetas.
sinhá... b. um cenário estático,
66. (FMABC-SP) Assinale a indiferente; só o homem se
cá?
alternativa em que se encontram três projeta em busca de sua
bah!"
características do movimento realização.
O poema acima, do poeta c. um cenário sem
literário ao qual se dá o nome de
contemporâneo José Paulo Paes, importância nenhuma; é
Romantismo: alude parodisticamente ao poema: apenas pano de fundo para
as emoções humanas.