Anda di halaman 1dari 3

Penicillium bilai: um microrganismo ao serviço da agricultura

Autor(es): Moreda, Emanuel


Publicado por: Publindústria
URL URI:http://hdl.handle.net/10316.2/25691
persistente:
Accessed : 22-Nov-2017 14:59:53

A navegação consulta e descarregamento dos títulos inseridos nas Bibliotecas Digitais UC Digitalis,
UC Pombalina e UC Impactum, pressupõem a aceitação plena e sem reservas dos Termos e
Condições de Uso destas Bibliotecas Digitais, disponíveis em https://digitalis.uc.pt/pt-pt/termos.

Conforme exposto nos referidos Termos e Condições de Uso, o descarregamento de títulos de


acesso restrito requer uma licença válida de autorização devendo o utilizador aceder ao(s)
documento(s) a partir de um endereço de IP da instituição detentora da supramencionada licença.

Ao utilizador é apenas permitido o descarregamento para uso pessoal, pelo que o emprego do(s)
título(s) descarregado(s) para outro fim, designadamente comercial, carece de autorização do
respetivo autor ou editor da obra.

Na medida em que todas as obras da UC Digitalis se encontram protegidas pelo Código do Direito
de Autor e Direitos Conexos e demais legislação aplicável, toda a cópia, parcial ou total, deste
documento, nos casos em que é legalmente admitida, deverá conter ou fazer-se acompanhar por
este aviso.

impactum.uc.pt
digitalis.uc.pt
NUTRIÇÃO VEGETAL

PENICILLIUM BILAI Por: Emanuel Moreda


Estudante da Escola Superior Agrária
UM MICRORGANISMO AO de Ponte de Lima

SERVIÇO DA AGRICULTURA

O
solo, como principal interveniente na produção vegetal, é constituído por vários Será importante referir que o “jumpstart”
componentes essenciais à nutrição das plantas. De entre macro e micro nutrien- pode ser uma solução para várias culturas,
tes, o solo também possui microrganismos que, ora afectam a estabilidade das exemplos como o trigo, o milho, a ervilha, a
espécies vegetais, ora beneficiam o seu crescimento: o fungo Penicillium bilai lentilha, o feijão, o grão-de-bico, a soja, a alfafa
está inserido no grupo dos microrganismos que muitas vantagens proporciona às plantas. entre outras.
O P. biliai caracteriza-se por aumentar de forma exponencial a disponibilidade de fósforo no Em síntese, tanto o agricultor como o am-
solo. Tal acontece devido à capacidade de solubilizar os fosfatos, por meio da produção e liber- biente poderão tirar partido das vantagens do
tação de ácidos orgânicos. Ou seja, o fungo ao colonizar as raízes das plantas, liberta compostos “jumpsart”, na medida em que, na maior parte
orgânicos os quais, por sua vez, libertam fosfatos sob forma mineral, que tanto no solo como dos casos, não se torna necessária a aplicação
ainda nos fertilizantes se encontram em baixas concentrações. Assim sendo, ficam, estes fosfatos, de fósforo, podendo assim optar-se por adubos
imediatamente disponíveis à planta (Figura 1). Convém salientar que existem várias estirpes des- nas formas elementares para o N (Azoto) e K
te fungo, no entanto não se verificam diferenças muito expressivas entre estirpes diferentes desta (Potássio), o que se traduz numa redução de
espécie. Para além da já referida vantagem na absorção de fósforo beneficia-se ainda do aumento custo. Para além disso, é esperado o aumen-
da percentagem de matéria seca bem como o rendimento geral da cultura. to médio de produção por Ha, traduzindo-se
Reforçando uma vez mais, o P. bilai é um fungo sempre presente no solo, embora em peque- num aumento de receita por parte do agricul-
nas quantidades, daí a existência no mercado em fórmulas que permitem a inoculação do fungo tor e o ambiente fica beneficiado, pois, sem o
no solo, no sentido de aumentar a sua população. Neste contexto surge o “jumpstart”, produto aporte de fosfatos ao solo atenua-se a pressão
internacionalmente vendido pela empresa Novozymes, e em Portugal representado pela empresa poluente/ambiental ocasionada pelo excesso
Crimolara. Para garantir uma maior eficiência na aplicação deste produto, devem ter-se em aten- deste elemento.
ção aspectos tais como: a temperatura, a acidez e a disponibilidade natural de fósforo no solo. A utilização de microorganismos na Agri-
O “jumpstart” é vendido em duas formas: líquida e granular. No entanto, em Portugal só está cultura é cada vez mais frequente dada a cres-
disponível na forma granular a qual pode ser aplicada através do microgranulador do semeador. cente preocupação da comunidade científica
Quanto à forma líquida está reservada aos mercados agrícolas dos Estados Unidos e Canadá, cuja em garantir melhores resultados, quantitativa
inoculação se efectua directamente na semente. e qualitativamente, nas produções agrícolas,
Mais de metade do fertilizante fosfatado aplicado anualmente não é usado pois fica retido não deixando no entanto de defender o am-
ou ligado a partículas do solo e a outros elementos que o indisponibilizam para as culturas, daí biente, por forma a obter-se um desenvolvi-
ser crucial aplicação anual do produto cujo princípio activo é o Penincilium bilai, maximizando mento agrícola sustentável.
assim a sua eficiência.
Figura 1
Na figura estão representados o ciclo do fósforo e o ciclo Colheita
de vida de P. bilai, bem como as interacções ocorridas
entre estes e a raiz das plantas. Do fósforo que existe
no solo, apenas uma pequena percentagem se encontra
disponível para utilização das plantas, daí a importância do
fungo em questão, por disponibilizar de imediato o fosfato
mineral às plantas, nutriente essencial ao seu correcto Estrumes e Erosão e
Biosólidos Dos fertilizantes Escoamento
desenvolvimento.

Colónias de P. bilai, cujo ciclo de vida está aqui representado:


8. Ascos abre para 1. Hifas produzem
libertar ascósporos 9. Ascósporo conidióforos
germina para
produzir hifas

7. Meiose e depois
Mitose Reprodução Reprodução
Sexuada Assexuada Utilização imediata
pela planta
2. Os conídios são
4. Cresce
libertados dos conidióforos Fósforo orgânico:
o micélio Fósforo em
6. Cariogamia -+ vegetativo em humus, Rochas
Libertação Libertação de P solução como:
restos de organismos, e Minerais
3. Os conídios germinam de ácidos mineral micróbios...
5. Plasmogamia para produzir hifas orgânicos
Lixiviação

38