Anda di halaman 1dari 36

Economia

Conceitos Fundamentais da
Macroeconomia
Contabilidade Nacional

Cláudia Pires da Silva

1
Macroeconomia
Consumo, Poupança e Investimento
Consumo: despesa total (por indivíduo ou país) em
bens de consumo durante um certo período.

Poupança: parcela do rendimento que não é


consumida. Diferença entre o rendimento disponível e
o consumo.

Investimento: actividade económica que sacrifica o


consumo no presente com o objectivo de aumentar a
produção no futuro.
Inclui capital tangível (instalações, equipamentos e
existências) e os investimentos intangíveis (educação
ou capital humano, investigação e desenvolvimento) 2
Macroeconomia
Repartição do Rendimento

Repartição do Rendimento:
Distribuição dos rendimentos gerados no
decorrer do processo produtivo pelos
diferentes agentes económicos de uma
sociedade.
► Repartição funcional do rendimento
► Repartição pessoal do rendimento
3
Macroeconomia
Repartição do Rendimento

Repartição FUNCIONAL do rendimento:


Mostra como são remunerados os
diferentes intervenientes no processo
produtivo, tendo em atenção as funções
por eles desempenhadas.

► salário (nominal/real)
► rendas, juros e lucros
4
Macroeconomia
Repartição do Rendimento

Repartição PESSOAL do rendimento:


Permite analisar como é que os
rendimentos se distribuem pelos
agregados familiares de uma comunidade,
independentemente da origem desses
rendimentos.
► diferenciação salarial
► propriedade do factor capital
5
Macroeconomia
Conceitos

O que é a Contabilidade Nacional?

A contabilidade nacional é uma técnica que tem por


objectivo medir a actividade económica de um país nas
suas diversas vertentes. Funciona como um
instrumento de análise da situação económica, de
quantificação dos objectivos de política económica e
de controlo do modo como as metas económicas vão
sendo cumpridas.
6
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB):


Valor monetário dos bens e serviços finais produzidos
num país, líquidos da componente importada.

Indicador do É a medida mais


desempenho abrangente do
económico e da produto total
forma como os resultante da
recursos estão a actividade económica.
ser utilizados.

7
Macroeconomia
Conceitos

PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB):


• PIB nominal e PIB real
Quando se procura comparar ou analisar o comportamento do PIB de um
país ao longo do tempo, é preciso diferenciar o PIB nominal do PIB real.
PIB nominal - ao valor do PIB calculado a preços correntes, ou seja, no ano
em que o produto foi produzido e comercializado,
PIB real - é calculado a preços constantes, onde é escolhido um ano-base
onde é feito o cálculo do PIB eliminando assim o efeito da inflação.
Para avaliações mais consistentes, o mais indicado é o uso de seu valor real,
que leva em conta apenas as variações nas quantidades produzidas dos
bens, e não nas alterações de seus preços de mercado. Para isso, faz-se uso
de um deflator (normalmente um índice de preços) que isola o crescimento
real do produto daquele que se deu artificialmente devido ao aumento dos
preços da economia. 8
• Uma variação do PIB • Para isolar o efeito da
Nominal ou a preços variação das
correntes – pode quantidades, avalia-
ocorrer quer devido a se o PIB a preços
uma variação nos constantes, ou PIB
preços dos bens e Real
serviços quer a uma
variação nas • Variaveis Reais representam preços
constantes
quantidades dos bens
e serviços
• Variaveis nominais representam preços
correntes
Macroeconomia
Conceitos
Preços correntes e preços constantes

Os valores podem exprimir-se a preços correntes ou a preços constantes.

A valorização diz-se a preços correntes quando toma por referência os


preços desse mesmo ano.

Quando a valorização é efectuada com base em preços de um outro ano, diz-


se a preços constantes desse outro ano.

Uma série de valores a preços constantes procura reflectir variações nas


quantidades (reais). Uma série de valores a preços correntes (nominal)
reflecte variações de preços e de quantidades.

10
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

3 formas de cálculo do PIB:


- Óptica da despesa

- Óptica do rendimento

- Óptica da produção

11
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

Óptica da despesa: Consumo Privado


+ Consumo Público
O valor da produção é conhecido (ou Gastos) +
através das despesas realizadas Investimento ou
pelos diferentes agentes (FBCF+VE)
+ Exportações
económicos. – Importações
____________________________

= PIB (D) =PNBpm


FBCF: Formação Bruta de Capital Fixo
VE: variação das Existências
12
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

Óptica da despesa

Na óptica da despesa, o valor do PIB é calculado a partir das despesas efectuadas pelos
diversos agentes económicos em bens e serviços para utilização final (isto é, aqueles bens e
serviços que não vão servir de consumos intermédios na produção de outros bens e serviços).

Nesta óptica, o PIB corresponderá à despesa interna (ou procura interna), que inclui a despesa
das famílias em bens de consumo (consumo privado, C), a despesa do Estado em bens de
consumo (consumo público, G), a despesa das empresas em investimento (I), quer em bens de
capital (formação bruta de capital fixo, FBCF), quer em existências de matérias-primas e
produtos (variação de existências, VE).

No entanto, a despesa interna é dirigida não só a bens que foram produzidos no país, mas
também a bens que não foram produzidos no país (bens importados, Q), e que portanto não
devem ser incluídos no PIB. Por outro lado, há bens que devem ser incluídos no PIB, mas que
não vão ser utilizados no país (as exportações, X), e que por isso não estão incluídos na procura
interna. 13
Macroeconomia
Conceitos
Conceito Formação Bruta de Capital Fixo

Valor dos bens duráveis adquiridos para serem utilizados por prazo superior a um ano no
processo produtivo e acrescido do valor dos serviços nele incorporados.

Exemplos de tipos de formação bruta de capital fixo:

a) aquisições líquidas de activos fixos corpóreos: habitações e outros edifícios e estruturas,


máquinas e equipamento, activos de cultura ou de criação (árvores e efectivos pecuários);

b) aquisições líquidas de activos fixos incorpóreos: exploração mineira, programas informáticos,


guiões de espectáculos e obras literárias ou artísticas e outros activos fixos incorpóreos;

c) melhorias importantes em activos não produzidos corpóreos, nomeadamente nos ligados a


terrenos (embora sem incluir a aquisição de activos não produzidos);

d) os custos associados à transferência de propriedade de activos não produzidos, como


terrenos e activos patenteados (embora sem incluir a própria aquisição destes activos).

14
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

Óptica do rendimento:

O valor da produção é
Salários + Juros +
conhecido através dos Rendas + Lucros + RLE
rendimentos a que essa ____________________________

produção dá origem. = PIB (R) =RN

RN= S+J+R+L+RLE
RN=PNLcf=PNBcf- EBE: Excedente Bruto de
Exploração
Amortizações RLE: Rendimento liquido do
Exterior 15
Macroeconomia
Conceitos
Óptica do rendimento

Na óptica do rendimento, o valor do PIB é calculado a partir dos rendimentos


de factores produtivos distribuídos pelas empresas.

Nesta óptica, o PIB corresponderá à soma dos rendimentos do factor trabalho


com os rendimentos dos outros factores produtivos, que nas contas nacionais
portuguesas aparecem todos agrupados numa única rubrica designada
Excedente Bruto de Exploração (EBE).

O EBE inclui as amortizações e os rendimentos da propriedade e


autonomizados são os rendimentos distribuídos ao Estado sob a forma de
impostos.

16
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

Óptica da produção:
∑ VAB
+Impostos sobre a importação
O valor da produção é + IVA
conhecido através da ____________________________

actividade produtiva das = PIB (P)


empresas.
As actividades das empresas VAB: Valor Acrescentado Bruto.
estão identificadas por um nº∑VAB: Soma das parcelas com que
CAE cada sector da actividade económica
contribui para a formação do produto.
17
Macroeconomia
Conceitos
Óptica da Produção

Na óptica da Produção, o valor do PIB é calculado a partir do valor gerado em


cada uma das empresas que operam na economia.

Esse valor gerado é o VAB (valor acrescentado bruto), a diferença entre o


valor da produção e os consumos intermédios de cada empresa.
Conhecendo o VAB de cada empresa, podemos calcular o PIB como a soma
de todos os VABs das empresas dessa economia.

Para obtermos o valor do PIB a preços de mercado (PIBpm), o único


ajustamento que teremos de fazer é somar impostos, líquidos de subsídios,
que incidem sobre os bens e serviços entre o fim da produção e a venda, isto
é, os impostos sobre o consumo, como o IVA.
18
Macroeconomia
Conceitos

VALOR ACRESCENTADO BRUTO (VAB)


Resultado final da actividade produtiva no decurso de um período
determinado. Resulta da diferença entre o valor da produção e o valor do
consumo intermédio.

VALOR ACRESCENTADO LÍQUIDO (VAL)


Valor acrescentado bruto deduzido do consumo de capital fixo de bens de
equipamento, edifícios, construções e plantações.

19
Macroeconomia
Deflator

Deflator do PIB – Índice de preços que revela o custo


no momento presente, de comprar os itens durante o
ano base. como o ano base assume o valor de 100, à
medida que o deflator do PIB regista valores
superiores a 100, ele indica que os preços
aumentaram.

É uma forma possível de medir o nível geral de preços,


sendo obtido a partir do rácio entre o PIB nominal e o
PIB Real
20
Macroeconomia
Deflator do PIB
O deflator do PIB é uma estatística simples calculada pela
divisão do PIB nominal pelo PIB real multiplicados por cem.

Como o PIB nominal e o PIB real serão iguais nos anos base, o
deflator do PIB neste ano deve ser igual a cem.

A importância do deflator do PIB é reflectir as mudanças que


ocorrem nos preços do mercado e, portanto, é usado para
controlar o nível médio de preços em dada economia.

O cálculo da taxa de inflação de um determinado ano leva em


consideração, geralmente, o deflator do PIB deste ano em
relação à mesma estatística referente ao ano anterior.
21
Macroeconomia
continuação
O deflator do PIB é um índice agregado de preços (do
tipo índice de Paasche) que permite obter a variação
do nível de preços entre o ano base e o ano corrente.

Inflação – Subida Generalizada dos Preços numa dada


economia observado ao longo de um dado período de
tempo

A taxa de inflação mede o aumento do nível médio de


preços na economia.

22
Macroeconomia
continuação
A utilização da expressão aumento generalizado,
significa que a inflação não incide apenas sobre os
preços de alguns bens e serviços, mas sim sobre os
preços da grande maioria dos bens e serviços; não
incide apenas sobre os preços pagos pelos
consumidores, mas também sobre os preços pagos
aos produtores daqueles bens e serviços; finalmente, a
inflação não incide apenas sobre os preços de bens e
de serviços, mas também sobre outros preços, como
por exemplo os salários (preço da mão-de-obra).

23
Macroeconomia
continuação
Vejamos um pequeno exemplo, totalmente fictício. Suponhamos o caso de uma união cooperativa de
produtores de leite, que vende a sua produção a empresas grossistas. Se em 1999 as vendas da cooperativa
tiverem sido de 500 mil euros e em 2000 tiverem atingido os 660 mil euros, a conclusão parece óbvia: as
vendas cresceram, em termos relativos, 32%. Se além disso soubermos que o preço de venda do leite foi, em
1999, de 1,25 euros por litro e em 2000 de 1,5 euros por litro, facilmente concluiremos que a cooperativa
vendeu 400 mil litros de leite em 1999 e 440 mil litros em 2000. De acordo com estes novos dados, somos
levados a afirmar que as vendas da cooperativa cresceram 10%, o que é um valor substancialmente inferior ao
inicialmente indicado. Põe-se então a questão: qual dos dois valores (10% ou 32%) exprime correctamente a
evolução observada?

A resposta poderá ser algo surpreendente: com efeito, ambos os valores estão correctos! A chave para esta
aparente impossibilidade reside em compreender que aqueles dois números medem realidades diferentes.
Assim, 32% é a medida do crescimento relativo da quantia efectivamente recebida pela cooperativa na venda
do leite. Designa-se por isso de crescimento em valor das vendas. Com significado equivalente, utilizam-se
também as expressões crescimento nominal e crescimento a preços correntes. O termo crescimento é também
muitas vezes substituído pela palavra variação. Por seu turno, 10% é a medida do crescimento relativo da
quantidade de leite efectivamente vendida. Designa-se por isso de crescimento em volume das vendas, ou
crescimento real, ou crescimento a preços constantes do ano base (1999, no exemplo apresentado).

A variação em volume (ao contrário da variação em valor) como que desconta o efeito da inflação, pelo que
usualmente se considera ser esta a forma mais correcta de analisar a evolução ao longo do tempo das
grandezas económicas.
24
Macroeconomia
continuação
As quantificações da inflação não são obtidas directamente a partir dos preços, mas
sim com base em indicadores sintéticos, habitualmente designados como índices de
preços.

Genericamente, um número índice é apenas uma relação entre dois valores,


geralmente referidos a momentos de tempo diferentes.

O seu objectivo é o de facilitar a leitura da evolução no tempo de uma qualquer


variável, bem como ajudar à realização de análises comparativas da evolução de
duas ou mais variáveis com ordens de grandeza bastante díspares.

Alternativamente, um número índice pode ter como objectivo comparar realidades


distintas (por exemplo, dois ou mais espaços geográficos), em vez de momentos
distintos.

Um número índice que representa a evolução temporal de determinado(s) preço(s),


constitui um índice de preços 25
Macroeconomia
Conceitos
O Rendimento Nacional corresponde à totalidade dos rendimentos
provenientes da remuneração dos factores produtivos, nomeadamente da
remuneração do trabalho (salários) e da remuneração do capital (rendas,
juros e lucros distribuídos pelas empresas aos seus proprietários).

Uma forma alternativa de calcular o Rendimento Nacional é deduzir ao PIB as


amortizações e os impostos directos (impostos que incidem directamente
sobre os rendimentos provenientes do trabalho e do capital).

O Rendimento Disponível corresponde ao rendimento que a globalidade das


famílias de uma determinada economia têm disponível para consumo e para
poupança.

26
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

PIB e PIL

A diferença entre o produto interno bruto (PIB) e o produto interno líquido (PIL) traduz-se no valor
das depreciações. Ao contrário do PIB, o PIL tem em conta o valor da depreciação do capital.

PIL = PIB - depreciações

Depreciação – expressa a perda de valor que os valores de imobilizados de utilização para a


actividade da empresa sofrem no tempo

27
Macroeconomia
Conceitos
PIB e PNB (produto nacional bruto)

O PIB difere do produto nacional bruto (PNB) basicamente pela renda líquida
enviada ao exterior (RLEE): ela é desconsiderada no cálculo do PIB, e
considerada no cálculo do PNB, inclusive porque o PNB é gerado a partir da
soma do PIB mais entradas e saídas de capital.

Esta renda representa a diferença entre recursos enviados ao exterior


(pagamento de factores de produção internacionais alocados no país) e os
recursos recebidos do exterior a partir de factores de produção que, sendo do
país considerado, encontram-se em actividade em outros países.

Assim (e simplificadamente), caso um país possua empresas actuando em


outros países, mas proíba a instalação de transnacionais no seu território,
terá uma renda líquida enviada ao exterior negativa.
Transnacional - Que vai além das fronteiras nacionais, englobando mais de uma nação.
28
Macroeconomia
PIB e PNB (produto nacional bruto)
Conceitos

O Produto Nacional Bruto é a soma de bens e serviços finais produzidos pelos nacionais no país
e no estrangeiro num dado período de tempo, normalmente um ano. Inclui remessas de
emigrantes e exclui aquilo que os estrangeiros produzem nesse país.

O critério para o apuramento do PNB é a nacionalidade, ao contrário do PIB em que o território é


que é determinante para o apuramento.

Os países com forte investimentos de capital estrangeiro, têm facilmente um PIB maior que o
PNB. Foi isto que aconteceu na Irlanda entre 1990 e 2005.

Quando o valor perdido pelo "desgaste" do capital utilizado na produção (i.e. depreciação) é
deduzido do valor PNB, temos o PNL - Produto Nacional Líquido.

O Produto Nacional Líquido a custo de factores (i.e. excluindo o valor de impostos indirectos
subsídios) chama-se Rendimento Nacional.

Alguns economistas destacam a importância do Rendimento Nacional relativamente ao PIB. O


Presidente da República, Cavaco Silva, fez eco disso mesmo ao dizer: «Mais importante que
olhar para o PIB, seria olhar para o rendimento interno nacional. Uma coisa é o rendimento
29
gerado pelo país, e outra é o que fica no País».
Macroeconomia
Conceitos
O produto nominal é o valor a preços de mercado do total de bens e serviços
produzidos durante um determinado período.

O produto real é o volume de bens e serviços produzidos num determinado período,


avaliados a preços de referência.

Um aumento do produto nominal pode decompor-se em duas parcelas: aumento do


produto real (crescimento económico) e aumento do nível geral de preços (inflação).

O produto natural (ou potencial) é o volume de produção que resultaria de uma


utilização normal dos recursos e tecnologias de uma economia. É um indicador da
capacidade produtiva.

O produto natural é o nível de produto real ao qual a taxa de inflação se mantém


constante, não tendo o aumento dos preços tendência para acelerar nem para
desacelerar.

A diferença entre o produto real (volume de produção efectivo) e o produto natural30


designa-se por hiato do produto (output gap)
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção
Produto a custo de Produto a preços de
factores (PIBcf): mercado (PIBpm):
Remuneração dos factores Valor do produto no
que contribuem para a mercado(paga
produção(não entra impostos, não há
impostos mas há subsídios).
subsídios.
PIBcf = PIBpm + Subsídios(SUB) - Impostos
Indirectos(T)

31
Macroeconomia
Cálculo do Valor da Produção

Produto Nacional (PNB): Produto Interno (PIB):


Critério da residência do Critério do território onde
factor. está instalado o factor.

PNB = PIB + Saldo dos Rendimentos do Resto do Mundo

SRRM = Rendimentos recebidos RM – Rendimentos pagos ao RM

32
Macroeconomia
Conceitos
Balança Comercial

A Balança Comercial é uma das componentes da Balança de Pagamentos de


determinado país, onde são registadas as importações e as exportações de
mercadorias, nomeadamente bens primários / matérias-primas (bens
alimentares, combustíveis, minério,...) e bens industriais (equipamentos,
veículos,...).

Quando o montante das exportações é superior ao montante das importações


diz-se que se verifica um superavit comercial. Na situação inversa diz-se que
se verifica um défice comercial. Para efeitos de análise e comparação entre
diferentes países, é comum efectuar a análise em função do PIB.

33
Macroeconomia
Conceitos
Balança Comercial

Da relação entre o montante das importações e o das exportações de um


país num dado ano retira-se o importante conceito de taxa de cobertura das
importações pelas exportações. Esta taxa não é mais do que a proporção em
que as exportações cobrem as importações.

A importância da taxa de cobertura reside no facto de ela nos dar um noção


do grau de (in)dependência comercial de um país face ao exterior.

34
Macroeconomia
Conceitos
Balança Pagamentos

A Balança de Pagamentos de um determinado país consiste num mapa onde são


registadas todos os fluxos financeiros relativos a todas as transacções desse país com
o resto do mundo durante um determinado período de tempo (geralmente um ano).

Componentes da Balança de Pagamentos


A Balança de Pagamentos é composta por duas componentes principais:

A Balança de Transacções Correntes que regista transacções como as exportações e


as importações de mercadorias e de serviços, os rendimentos provenientes de
investimentos e as transacções unilaterais;

A Balança de Capitais onde são registadas as compras e vendas de activos;

Por princípio, a soma destas duas componentes será sempre zero, o que significa que
se, por exemplo, a Balança de Transacções Correntes for deficitária, o país será
obrigado a financiar esse défice através, por exemplo, da venda de títulos 35

representativos de dívida.
Macroeconomia
Conceitos
A Balança de Transacções Correntes é uma das componentes da Balança de
Pagamentos de um determinado país e inclui a Balança Comercial, a Balança
de Serviços, os rendimentos de investimentos e as transferências unilaterais.

A Balança de Transacções Correntes corresponde, desta forma, ao


rendimento líquido de um país: no caso de apresentar um saldo positivo (ou
superavit), contribui para a acumulação de créditos sobre o exterior; no caso
de apresentar um saldo negativo (ou défice), contribui para a acumulação de
dívida ao exterior.

Saldo Orçamental Global - não inclui os activos e passivos financeiros, ou seja, é a


diferença entre o total de receitas (menos a emissão da dívida pública) e o total das
despesas (menos as amortizações da dívida);

36