Anda di halaman 1dari 21

TRANSFORMAÇÕES DE FASES

EM METAIS E
MICROESTRUTURAS

Tópicos da Aula:

- Conceitos básicos

- Alterações microestruturais das ligas Fe-C e


propriedades (curvas TTT - Temperatura -
Tempo - Transformação).
RESFRIAMENTO FORA DO
EQUILÍBRIO
EFEITOS DO NÃO-EQUILÍBRIO

 Ocorrências de fases ou transformações


em temperaturas diferentes daquela
prevista no diagrama.

 Existência a temperatura ambiente de


fases que não aparecem no diagrama.
TRANSFORMAÇÕES DE FASE

COM DIFUSÃO
o Sem variação no número e composição de fases
Ex: solidificação metal puro e transformação alotrópica
o Com variação no número e composição de fases
Ex: Transformação eutética, eutetóide...

SEM DIFUSÃO
o Ocorre com formação de fase metaestável
Ex: transformação martensítica

A maioria das transformações de fase no estado sólido não


ocorre instantaneamente, ou seja, são dependentes do tempo
CURVAS TTT

 As curvas TTT estabelecem a temperatura e

o tempo em que ocorre uma determinada


transformação

 Só tem validade para transformações a


temperatura constante
CURVAS TTT

início final
Ex 1: CURVA TTT PARA AÇO EUTETÓIDE

Temperatura de 
austenitização

+Fe3C
Martensita

Perlita

-Como a martensita não envolve difusão, a sua formação ocorre instantaneamente


(independente do tempo, por isso na curva TTT a mesma corresponde a uma reta)
EX 2: CURVAS TTT PARA AÇO EUTETÓIDE COM AS
DUREZAS ESPECIFICADAS DAS MICROESTRUTURAS
Ex 3: ALGUMAS CURVAS DE RESFRIAMENTO A TEMPERATURA
CONSTANTE PARA UM AÇO EUTETÓIDE, E AS RESPECTIVAS
MICROESTRUTURAS FORMADAS PARA CADA UM DOS CASOS
Ex 4: ALGUMAS CURVAS DE RESFRIAMENTO CONTÍNUO, PARA UM
AÇO EUTETÓIDE, E AS RESPECTIVAS MICROESTRUTURAS
FORMADAS PARA CADA UM DOS CASOS

A (FORNO)= Perlita grossa


B (AR)= Perlita + fina (+ dura
que a anterior)
C (AR SOPRADO)= Perlita +
fina que a anterior
D (ÓLEO)= Perlita +
martensita
E (ÁGUA)= Martensita

No resfriamento contínuo, as curvas TTT deslocam-se um


pouco para a direita e para baixo
Ex 5: CURVAS TTT E MICROESTRUTURAS PARA
AÇOS HIPOEUTETÓIDE E HIPEREUTETÓIDE

0,35% C 0,90 %C
MICROESTRUTURAS RESULTANTES DO
RESFRIAMENTO RÁPIDO

 MARTENSITA
AUSTENITA
- A martensita se forma quando o
resfriamento for rápido o suficiente
de forma a evitar a difusão do TRANSFORMAÇÃO
ALOTRÓPICA COM
carbono, ficando o mesmo retido AUMENTO DE VOLUME,
em solução. Como conseqüência que leva à concentração de tensões

disso, ocorre a transformação


polimórfica mostrada ao lado.
MARTENSITA
- Como a martensita não envolve
difusão, a sua formação ocorre
instantaneamente (independente
do tempo).
MICROESTRUTURAS RESULTANTES
DO RESFRIAMENTO RÁPIDO

CFC CCC TCC

O maior vazio O maior vazio Vazio menor


D = 0,104 nm D = 0,072 nm que o CCC
MICROESTRUTURAS RESULTANTES
DO RESFRIAMENTO RÁPIDO

O parâmetro c
alongou porque
acomodou os átomos
de carbono na célula
unitária com o
encurtamento do
parâmetro a.
MICROESTRUTURAS RESULTANTES
DO RESFRIAMENTO RÁPIDO
 MARTENSITA
- É uma solução sólida supersaturada de carbono (não se
forma por difusão)
-Microestrutura em forma de agulhas
- É dura e frágil (dureza: 63-67 Rc)
- Tem estrutura tetragonal cúbica (é uma fase metaestável,
por isso não aparece no diagrama)
Na martensita todo o carbono permanece intersticial, formando uma
solução sólida de Ferro supersaturada com Carbono, que é capaz
transformar-se em outras estruturas, por difusão, quando aquecida.
MICROESTRUTURAS RESULTANTES
DO RESFRIAMENTO RÁPIDO
 MARTENSITA REVENIDA

- É obtida pelo reaquecimento (700ºC-24h da Martensita


(fase alfa + Cementita).

- A dureza cai.

- Os carbonetos precipitam.

- Forma de agulhas escuras.


MICROESTRUTURAS RESULTANTES
DO RESFRIAMENTO RÁPIDO

Martensita
MARTENSITA (Dureza: 63-67 HRC)

Martensita nos Aços


Martensita no Titânio

A transformação
Martensítica ocorre c/
aumento de “volume”
MARTENSITA REVENIDA
Martensita  Fe3C + 
Fe3C partículas

 matriz

Revenimento: 200ºC (2horas) Revenimento: 594ºC (24horas)

INFLUÊNCIA NA MORFOLOGIA  TEMPO E TEMPERATURA


PROPRIEDADES MECÂNICAS DE AÇOS ESFRIADOS
LENTAMENTE EM FUNÇÃO DO TEOR DE CARBONO

Tabela 1, pg 34
Livro Aços e Ferros Fundidos, Vicente Chiaverini, 7ª edição, São Paulo,
2012.
LISTA DE EXERCÍCIOS

1. Copie em seu caderno, da figura 18 à figura 25,


com suas respectivas legendas, entendendo os
diferentes diagramas de transformações.
Livro Aços e Ferros Fundidos, Vicente Chiaverini, 7ª edição, São Paulo,
2012.
Verificação no caderno na próxima aula.
PRÓXIMA AULA

Curvas TTT “2”

 Características das Microestruturas