Anda di halaman 1dari 56

Petróleo

Prof. Philipe Laboissière


Cap. 4-Reservatórios
Reservatórios

Reservatórios
Os profissionais que atuam na área de engenharia
de reservatórios se preocupam em identificar o
potencial das rochas portadoras de petróleo e
retirar os fluidos do interior das rochas.

 Utilizam as propriedades e características das rochas


e dos fluidos das formações.
 As interações rocha-fluido.
 Leis físicas que regem o escoamento em meio poroso.
 Aplicam métodos de recuperação que possam
maximizar os ganhos.
 Avaliam o comportamento passado da formação para
inferir o comportamento futuro dos reservatórios.
Migração

Migração primária e secundária


A migração primária consiste na expulsão do
petróleo da rocha geradora.
De migração secundária se chama o percurso
ao longo de uma rocha porosa e permeável ate
ser interceptado por um arcabouço com trapa.
Propriedades das rochas

Propriedades
  das rochas

 Porosidade
 Mede a capacidade de armazenamento de
fluidos. A porosidade é definida como sendo a
relação entre o volume de vazios de uma rocha
e o volume total da mesma, ou seja:

onde φ é a porosidade, o volume de vazios e o


volume total. O volume de vazios é normalmente
denominado volume poroso da rocha e
representado pelo símbolo .
Propriedades das rochas

Propriedades
  das rochas

 Porosidade
 Mede a capacidade de armazenamento de
fluidos. A porosidade é definida como sendo a
relação entre o volume de vazios de uma rocha
e o volume total da mesma, ou seja:

onde φ é a porosidade, o volume de vazios e o


volume total. O volume de vazios é normalmente
denominado volume poroso da rocha e
representado pelo símbolo . O volume total é o
volume de sólidos mais .
Propriedades das rochas

Propriedades das rochas

 Porosidade absoluta
 É a relação entre o volume total de vazios de uma
rocha e o volume total da mesma.

 Porosidade efetiva
É a relação entre os espaços vazios
interconectados de uma rocha e o volume
total da mesma. Do ponto de vista da
engenharia de reservatórios, a porosidade
efetiva é o valor que se deseja quantificar,
pois representa o espaço ocupado por fluidos que
podem ser deslocados do meio poroso.
Propriedades das rochas

Propriedades das rochas

 Porosidade primária
A porosidade desenvolvida da conversão do
material sedimentar em rocha é chamada de
porosidade primária.

 Porosidade secundária
 Após sua formação, a rocha e submetida a
esforços mecânicos, fraturas e reações químicas,
e a porosidade resultante é a secundária.
Exercício 1- Exemplo

Exemplo
1 Para se ter uma acumulação de petróleo é necessário que, após o processo de
geração, ocorra a sua migração e que essa migração tenha o caminho
interrompido pela existência de algum tipo de armadilha geológica. A migração
primária e a migração secundária são representadas, respectivamente:
 
a) pela expulsão do petróleo da rocha onde foi gerado e pelo percurso do petróleo
ao longo de uma rocha porosa e permeável até ser interceptado e contido por
uma armadilha geológica
b) pela saída do petróleo da rocha selante onde foi armazenado e pelo percurso
do petróleo ao longo de uma rocha sem permeabilidade até ser interceptado e
contido por uma armadilha geológica
c) pela expulsão do petróleo de uma rocha sem permeabilidade e pelo percurso
do petróleo ao longo de uma zona de alta temperatura até ser interceptado e
contido por uma armadilha geológica
d) pela saída do petróleo da rocha selante onde foi armazenado e pelo percurso
do petróleo ao longo de uma zona de baixa temperatura e alta pressão até ser
interceptado e contido por uma armadilha geológica
e) pela expulsão do petróleo do magma terrestre e pelo percurso do petróleo ao
longo de uma zona de turbulência até ser interceptado e contido por uma
armadilha geológica
Exercício 1- Exemplo

Exemplo
1 Para se ter uma acumulação de petróleo é necessário que, após o processo de
geração, ocorra a sua migração e que essa migração tenha o caminho interrompido
pela existência de algum tipo de armadilha geológica. A migração primária e a
migração secundária são representadas, respectivamente:
 
a) pela expulsão do petróleo da rocha onde foi gerado e pelo percurso do petróleo ao
longo de uma rocha porosa e permeável até ser interceptado e contido por uma
armadilha geológica
b) pela saída do petróleo da rocha selante onde foi armazenado e pelo percurso do
petróleo ao longo de uma rocha sem permeabilidade até ser interceptado e contido
por uma armadilha geológica
c) pela expulsão do petróleo de uma rocha sem permeabilidade e pelo percurso do
petróleo ao longo de uma zona de alta temperatura até ser interceptado e contido por
uma armadilha geológica
d) pela saída do petróleo da rocha selante onde foi armazenado e pelo percurso do
petróleo ao longo de uma zona de baixa temperatura e alta pressão até ser
interceptado e contido por uma armadilha geológica
e) pela expulsão do petróleo do magma terrestre e pelo percurso do petróleo ao longo
de uma zona de turbulência até ser interceptado e contido por uma armadilha
geológica

 Solução:
) Pela definição: Migração Primária: expulsão do petróleo da rocha onde foi gerado.
) Migração Secundária: Ao seu percurso ao longo de uma rocha porosa e permeável até
Exercício 2- Concurso

Concurso
2 Uma rocha, para constituir um reservatório, deve apresentar
espaços vazios (porosidade) no seu interior e estes vazios
devem estar interconectados, conferindo-lhe a característica
de permeabilidade. A porosidade que se desenvolve quando
da conversão do material sedimentar em rocha é denominada
“primária”. Dentre as rochas apresentadas abaixo, aquelas
que podem ser consideradas rochas-reservatório devido a sua
porosidade primária são:

a) folhelho e argilas
b) diabásio e embasamento
c) arenito e calcários
d) sal e outros evaporitos
e) siltitos e ardósias
Exercício 2- Concurso

Concurso
2 Uma rocha, para constituir um reservatório, deve apresentar espaços
vazios (porosidade) no seu interior e estes vazios devem estar
interconectados, conferindo-lhe a característica de permeabilidade. A
porosidade que se desenvolve quando da conversão do material
sedimentar em rocha é denominada “primária”. Dentre as rochas
apresentadas abaixo, aquelas que podem ser consideradas rochas-
reservatório devido a sua porosidade primária são:

a) folhelho e argilas
b) diabásio e embasamento
c) arenito e calcários
d) sal e outros evaporitos
e) siltitos e ardósias

Comentário: A maioria dos depósitos comerciais de petróleo ocorre


em reservatórios formados por rochas sedimentares clásticas e não
clásticas, principalmente em arenitos e calcários.
Exercício 3- Concurso

Concurso
3 Os folhelhos e os evaporitos (sal) são exemplos de classes de rochas
selantes que, além da impermeabilidade, são dotadas de uma
característica denominada plasticidade. Essa característica se traduz
principalmente pela:

a) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando


submetida a esforços que geram solidificações das fases dos fluidos
presentes em suas matrizes
b) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram cristalização de suas camadas
c) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram deformações
d) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram evaporação dos líquidos presentes
em suas camadas
e) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram mudança de fase dos fluidos
presentes em suas matrizes
Exercício 3- Concurso

Concurso
3 Os folhelhos e os evaporitos (sal) são exemplos de classes de rochas
selantes que, além da impermeabilidade, são dotadas de uma
característica denominada plasticidade. Essa característica se traduz
principalmente pela:

a) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando


submetida a esforços que geram solidificações das fases dos fluidos
presentes em suas matrizes
b) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram cristalização de suas camadas
c) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram deformações
d) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram evaporação dos líquidos presentes
em suas camadas
e) capacidade de manter sua condição selante, mesmo quando
submetida a esforços que geram mudança de fase dos fluidos
presentes em suas matrizes
Conceitos básicos

Saturação
 
 É a fração percentual em volume poroso, do volume de
um fluido na formação.
 A soma das saturações de óleo, gás e água é 100%.

Ponto de bolha
 É o ponto de pressão e temperatura onde as primeiras
moléculas de gás são observadas no óleo ou fluido.

Ponto de orvalho
 É o ponto de pressão e temperatura onde as primeiras
moléculas de gás são observadas no óleo ou fluido.
Exercício 4- Exemplo

Exemplo
4 O volume total de uma rocha modelo é de 30 m³, e a sua porosidade,
expressa em percentual, equivale a 35%. Os valores de seu volume
de sólidos e de seu volume poroso são, respectivamente:
 
a) 20 m³ e 18 m³
b) 10 m³ e 14 m³
c) 11,5 m³ e 18,5 m³
d) 19,5 m³ e 10,5 m³
e) 16 m³ e 33 m³
 
Exercício 4- Exemplo

Exemplo
  
4 O volume total de uma rocha modelo é de 30 m³, e a sua porosidade,
expressa em percentual, equivale a 35%. Os valores de seu volume
de sólidos e de seu volume poroso são, respectivamente:
 
a) 20 m³ e 18 m³
b) 10 m³ e 14 m³
c) 11,5 m³ e 18,5 m³
d) 19,5 m³ e 10,5 m³
e) 16 m³ e 33 m³
 
 Solução:
Temos os seguintes dados: Vt = 30m³ e = 35%,
Então, primeiramente calculando o Vp, temos:
Logo: Vp = 10,5 m³. Então Vs = Vt – Vp, logo

Vs = 19,5m³, alternativa d)
Reservatórios

Produtividade da formação
A produtividade é definida pelo índice de
produtividade que é a razão entre a vazão do
poço e a diferença de pressão entre a pressão
estática media do reservatório e interior do poço

onde q é a vazão e Pe é a pressão estática (ou


média). Pw é a pressão de fluxo no fundo do
poço.
Reservatórios

  
Calculo de Reservas

 A reserva é proporcional ao volume da formação, a


porosidade, a saturação de óleo, ao fator de
recuperação, e ao fator volume de formação (Bo).
 Área do reservatório (A) km²
 Espessura média do reservatório (H) em metros
 Porosidade média do reservatório ()
 Saturação de água média (Sw)
 Fato de recuperação (FR)
 A estimativa do volume recuperável (VR) do petróleo, é:

 
Reservas

Definições de Reservas

 Volume original: quantidade de óleo existente na


descoberta do reservatório.

 Volume recuperável: quantidade de óleo ou gás que se


espera produzir de uma acumulação de petróleo, sempre
menor que o volume original, devido a interações capilares,
aprisionamento, limites econômicos e operacionais.

 Fator de recuperação final: razão entre o volume


recuperável e o volume original.

 Produção acumulada: quantidade de fluido que foi


produzida ate o momento especificado.
Reservas (2)

Definições de Reservas

 FraçãoRecuperada: quociente, em um determinado


momento da produção acumulada pelo volume original

 Reserva Provada: Volume de um reservatório cuja extração


foi comprovada tecnicamente e economicamente por meio
de um projeto bem definido, com risco baixo, certificadas
por entidade

 Reserva Provável: Reservas cuja comprovação depende do


inicio da produção e da confirmação da economicidade

 Reserva Possível: Reservas estimadas a partir de dados de


engenharia e geologia, com maior risco de recuperação.
Exercício 5- Concurso (1)

(DRM-RJ – Engenheiro de Petróleo – 2011)


5 Determina-se Estimativa de Reservas a atividade dirigida à obtenção dos
volumes de fluidos que se podem retirar do reservatório até que ele chegue à
condição de abandono. Relacione algumas definições, em relação à Estimativa
de Reservas, apresentadas na coluna da esquerda, com os seus significados,
citados na coluna da direita.

( ) É o percentual do fluido original que foi produzido


1 – Volume Original
até um determinado instante.
( ) É a quantidade de fluido que ainda pode ser obtida
2 – Volume
e um reservatório de petróleo numa época qualquer de
Recuperável
sua vida produtiva.
3 – Fator de ( ) É a quantidade de fluido existente no reservatório
Recuperação na época da sua descoberta.
( ) É o nome que se dá a quantidade de fluido que já foi
4 – Produção
produzida de um reservatório até uma determinada
Acumulada
época.
( ) É a quantidade de óleo ou gás que se espera
5 – Fração Recuperada
produzir de uma acumulação de petróleo.
( ) É o percentual do volume original que se espera
6 - Reserva
produzir de um reservatório.
Exercício 5- Concurso (2)

(DRM-RJ – Engenheiro de Petróleo – 2011)


5
 
a) 3 – 5 – 4 – 2 – 1 – 6
b) 2 – 4 – 5 – 1 – 3 – 6
c) 4 – 3 – 2 – 6 – 5 – 1
d) 1 – 2 – 3 – 5 – 6 – 4
e) 5 – 6 – 1 – 4 – 2 – 3
 
Solução:
Baseado nas definições explicado acima, esta questão aborda os
conceitos de reservatórios, sendo que com auxilio do bom senso,
raciocínio e alguns conceitos, podemos resolver a questão.
Alternativa e)
Exercício 6- Concurso

Caiu no Concurso!
 
6 Um determinado campo de petróleo previsto para operar por
20 (vinte) anos começou a operar há 8 (oito) anos. Quando
da descoberta, estimou-se um fator de recuperação final de
30% e possuía um volume original de 7.000.000 m³ de
petróleo. A sua produção acumulada atual é de 900.000 m³. A
atual reserva de petróleo do referido campo é de:
 
a) 1.200.000 m³
b) 1.260.000 m³
c) 1.350.000 m³
d) 1.830.000 m³
e) 4.270.000 m³
Exercício 6- Concurso

Caiu no Concurso!
 
6 Um determinado campo de petróleo previsto para operar por
20 (vinte) anos começou a operar há 8 (oito) anos. Quando
da descoberta, estimou-se um fator de recuperação final de
30% e possuía um volume original de 7.000.000 m³ de
petróleo. A sua produção acumulada atual é de 900.000 m³. A
atual reserva de petróleo do referido campo é de:
 
a) 1.200.000 m³
b) 1.260.000 m³  
Volume recuperável = Vo*0,30
c) 1.350.000 m³
Reserva atual = VR – 900.000 m3
d) 1.830.000 m³
e) 4.270.000 m³
Exercício 7- Concurso

(DRM-RJ – Engenheiro de Petróleo – 2011)

 7 Seja um reservatório de petróleo com as características abaixo:


 Área do reservatório = 10 km²
 Espessura média do reservatório = 100 m
 Porosidade média do reservatório = 20%
 Saturação de água média = 30%
 Fato de recuperação = 30%
 A estimativa do volume recuperável do petróleo, considerando-se os
valores acima é:

a) 18.000 m³
b) 30.000 m³
c) 42.000 m³
d) 18.000.000 m³
e) 42.000.000 m³
Exercício 7- Concurso

(DRM-RJ – Engenheiro de Petróleo – 2011)

 7. Seja um reservatório de petróleo com as características abaixo:


 Área do reservatório = 10 km²
 Espessura média do reservatório = 100 m
 Porosidade média do reservatório = 20%
 Saturação de água média = 30%
 Fato de recuperação = 30%
 A estimativa do volume recuperável do petróleo, considerando-se os
valores acima é:

a) 18.000 m³
 
b) 30.000 m³
c) 42.000 m³
d) 18.000.000 m³
e) 42.000.000 m³
Classificação de Petróleo

Classificação de Fluidos em função do envelope de fases


Petróleo “black-oil” ou de baixo fator de “encolhimento
volumétrico” – apresenta elevado teores de liquido na região
bifásica, com densidade mais elevada.

Petróleo volátil ou de elevado fator de “encolhimento


volumétrico” – apresenta grande formação de gás quando
entra na região bifásica, com menor densidade.

Petróleo Subsaturado – Todo gás se encontra em solução no


petróleo e mais gás poderia ser dissolvido no petróleo nas
condições originais de reservatório.

Petróleo Saturado – ao atingir a curva de pressão do ponto de


bolha, gás começa a sair do petróleo, diz que o petróleo está
saturado de gás.
Classificação de Petróleo
Água dos Reservatórios

Água
Pode ter quatro origens:
Subterrânea (freática ou aquífero)
Superfícies (água doce)
Mar
Produzida (associada ao petróleo)
Exercício 9- Concurso

9 Nos processos convencionais de recuperação utilizam-se a água e o


gás natural como fluidos de injeção. A água de injeção possui
basicamente quatro origens diferentes, que são:
 
a) água oriunda de processos de reciclagem, água de superfície, água
do mar e água de rios
b) água do mar, água produzida, água de rios e água oriunda de
processos de reciclagem
c) água de rios, água de lagos, água do mar e água subterrânea
d) água subterrânea, água de superfície, água do mar e água produzida
e) água produzida, água de lagoa, água do mar e água oriunda de
processos de reciclagem
Exercício 9- Concurso

9 Nos processos convencionais de recuperação utilizam-se a água e o


gás natural como fluidos de injeção. A água de injeção possui
basicamente quatro origens diferentes, que são:
 
a) água oriunda de processos de reciclagem, água de superfície, água
do mar e água de rios
b) água do mar, água produzida, água de rios e água oriunda de
processos de reciclagem
c) água de rios, água de lagos, água do mar e água subterrânea
d) água subterrânea, água de superfície, água do mar e água produzida
e) água produzida, água de lagoa, água do mar e água oriunda de
processos de reciclagem

 Solução:

 Como sabemos, a água pode ter quatro origens diferentes: água


subterrânea, água produzida, água do mar e água de superfície.
 Resposta: Alternativa d)
Propriedades das rochas

Compressibilidade
 A porosidade das rochas sedimentares é função
do grau de compactação das mesmas, e as forças
de compactação são funções da máxima
profundidade em que a rocha já se encontrou.

A compressibilidade é o quociente entre a variação


fracional de volume e a variação de pressão.
Propriedades das rochas

Compressibilidade

Três tipos de compressibilidade devem ser


distinguidos:

 Compressibilidade da rocha matriz: é a variação


fracional em volume do material sólido da rocha,
com a variação unitária da pressão.
 Compressibilidade total da rocha: é a variação
fracional do volume total da rocha, com a variação
unitária da pressão.
 Compressibilidade dos poros: é a variação
fracional do volume poroso da rocha com a variação
unitária da pressão.
Propriedades das rochas

Compressibilidade Efetiva

O volume poroso de um reservatório é uma


função de sua pressão interna. Ao ser retirada
uma certa quantidade de fluido do interior da
rocha, a pressão cai e os poros têm seu
volume reduzido.

A relação entre esta variação fracional dos


volumes dos poros e a variação de pressão
dá-se o nome de “compressibilidade
efetiva da formação”.
Exercício 9- Concurso

(Banco de Questões Cesgranrio)


 
9. A Compressibilidade Isotérmica do gás natural é uma propriedade
importante para cálculos em Engenharia de Reservatórios, e é definida
como:

a) A relação do volume real pelo volume ideal do gás à mesma


temperatura.
b) A relação de volume ideal pelo volume real do gás à mesma
temperatura.
c) O fator de compressibilidade z da equação do gás real.
d) Variação fracional de volume do gás causada pela variação unitária
na pressão.
e) Diferença entre o volume real e o volume ideal à mesma pressão e
temperatura.
Exercício 9- Concurso

(Banco de Questões Cesgranrio)


 
9. A Compressibilidade Isotérmica do gás natural é uma propriedade
importante para cálculos em Engenharia de Reservatórios, e é definida
como:

a) A relação do volume real pelo volume ideal do gás à mesma


temperatura.
b) A relação de volume ideal pelo volume real do gás à mesma
temperatura.
c) O fator de compressibilidade z da equação do gás real.
d) Variação fracional de volume do gás causada pela variação unitária
na pressão.
e) Diferença entre o volume real e o volume ideal à mesma pressão e
temperatura.

) Resolução:
) Pela simples definição anterior, alternativa d)
Propriedades da rocha

Permeabilidade
  (K)

A propriedade da rocha de permitir a passagem de fluido,


em maior ou menor vazão por unidade de área (A).

onde q é a vazão (cm3/s) e é o diferencial da pressão


(atm) ao longo de L (cm). E é viscosidade do fluido. K
será dado em Darcy.
Propriedades da rocha

Exemplo

Uma amostra de testemunho com 2 cm de


comprimento e 1 cm de diâmetro apresentou
uma vazão de água (µ= 1 cp) de 60
cm3/minuto com pressão a montante de 3,3
atm e pressão a jusante de 1,0 atm. Calcular
a permeabilidade da amostra.
Propriedades da rocha

 
Exemplo

Uma amostra de testemunho com 2 cm de


comprimento e 1 cm de diâmetro apresentou
uma vazão de água (µ= 1 cp) de 60
cm3/minuto com pressão a montante de 3,3
atm e pressão a jusante de  1,0 atm. Calcular
a permeabilidade da amostra.

Solução:
Darcy
q = 60cm3/min = 1 cm3/s
A = /4 = /4
Histórico de Produção

Corte de água (Water-Cut)

 Um dos parâmetros de produção importantes é o


corte de água ou water-cut, e este é a razão entre a
vazão instantânea de água pela vazão total de
líquido (óleo mais água).

Razão Gás-Óleo (RGO)


 
 Um parâmetro de produção importante também é a
razão gás-oleo ou RGO, e este é a razão entre a
vazão instantânea do gás produzido nas condições
de superfície e a vazão de óleo morto produzido nas
condições de superfície.
Mecanismos de Produção

Mecanismos de Produção
Em alguns casos, mais de uma forma de energia interna
contribui com uma parte significativa para o mecanismo
de produção de fluidos de um reservatório. Em muitos
casos, no entanto, e possível se classificar um
reservatório como tendo uma fonte predominante de
energia interna e mecanismo de produção em
comparação ao qual todos os outros mecanismos de
produção possuem um efeito negligenciável. Os
mecanismos de produção de um reservatório existentes
são:
Gás em solução
Capa de gás
Influxo de Água
Descompressão
Mecanismos de Produção (2)

Gás em solução

O principal mecanismo de energia motriz nesse caso é a expansão do


óleo e de seu gás originalmente dissolvido. O aumento nos volumes de
fluido durante o processo é equivalente à produção. Duas fases podem
ser distinguidas, a primeira quando o reservatório é subsaturado e a
segunda quando a pressão cai abaixo do ponto de bolha e uma fase de
gás livre existe no reservatório.

Na primeira etapa, todo o gás produzido na superfície esteve dissolvido


no óleo nas condições de pressão do reservatório, e há manutenção da
produção.

Na segunda etapa, frações leves do petróleo começam a vaporizar


ainda dentro do meio poroso, isso forma uma fase contínua de gás
dentro do meio poroso que flui preferencialmente, a pressão do
reservatório e a produção caem rapidamente e há grande aumento da
RGO, o fator de recuperação final é inferior a 20%, e o water-cut é
baixo.
Mecanismos de Produção (5)
Mecanismos de Produção (6)

Capa de gás
Um reservatório com capa de gás típico, em
condições iniciais, há a presença de um
contato óleo gás e neste contato o óleo
deve estar na pressão de bolha.
Neste mecanismo, a pressão do
reservatório reduz lentamente, a produção
é mantida constante enquanto a pressão de
reservatório (enquanto a RGO aumenta), o
water-cut é baixo e o fator de recuperação
atinge valores entre 20 e 30%.
Mecanismos de Produção (7)
Mecanismos de Produção (8)

Influxo de Água ou Aquífero

Para que ocorra este mecanismo, é necessário que a formação


portadora de hidrocarbonetos esteja em contato direto com
uma grande acumulação de água.

A queda de pressão que ocorre na zona de óleo é transmitida


para a zona de aquífero, e este responde com a expansão da
água, redução do volume poroso, compensando a queda de
pressão do reservatório de hidrocarbonetos.

Nesse caso, a pressão de reservatório é mantida constante ou


cai lentamente, e a vazão de produção de óleo pode ser
elevada. A RGO de produção é próxima da original. Esse
mecanismo possui o mais elevado fator de recuperação, de 30
a 40%, ou superior. Obviamente, se observa elevado water-cut.
Mecanismos de Produção (9)
Mecanismos de Produção (5)

Descompressão
A remoção de líquido ou gás de um
reservatório resulta em uma redução da
pressão de fluidos e consequentemente em
um aumento da pressão efetiva (há uma
diferença de compressibilidade entre a rocha
e o fluido).
O mecanismo de produção por compactação é
a expulsão de fluidos de reservatório devido a
redução dinâmica do volume de poros e
somente será um mecanismo significativo se
o volume de poros for grande.
Exercício 10- Concurso

(Banco de Questões Cesgranrio)


10. O mecanismo de produção do reservatório influencia sobremaneira o
comportamento de vazão dos poços ao longo do tempo. Considerando
os três principais mecanismos de produção dos reservatórios de
petróleo, é correto afirmar que:

a) Reservatórios que operam com forte influxo de água apresentam


pequena redução da pressão estática do reservatório com a
produção acumulada.
b) Reservatórios que produzem exclusivamente pelo mecanismo de
gás-em-solução apresentam uma razão gas-óleo de produção
sempre crescente com o aumento da produção acumulada.
c) O mecanismo de produção que proporciona a maior vazão média por
poço quando a fração de água produzida é elevada é o Bombeio
Centrífugo Submerso;
d) O mecanismo de produção de reservatório Gás-Lift apresenta uma
razão crescente gás-óleo de produção para altos fatores de
recuperação do reservatório.
e) Os poços de reservatórios cujo principal mecanismo de produção é a
expansão da capa de gás apresentam uma razão gás-óleo de
produção aproximadamente constante com a produção acumulada.
Exercício 10- Concurso

(Banco de Questões Cesgranrio)


10. O mecanismo de produção do reservatório influencia sobremaneira o
comportamento de vazão dos poços ao longo do tempo. Considerando
os três principais mecanismos de produção dos reservatórios de
petróleo, é correto afirmar que:

a) Reservatórios que operam com forte influxo de água apresentam


pequena redução da pressão estática do reservatório com a
produção acumulada.
b) Reservatórios que produzem exclusivamente pelo mecanismo de
gás-em-solução apresentam uma razão gas-óleo de produção
sempre crescente com o aumento da produção acumulada.
c) O mecanismo de produção que proporciona a maior vazão média por
poço quando a fração de água produzida é elevada é o Bombeio
Centrífugo Submerso;
d) O mecanismo de produção de reservatório Gás-Lift apresenta uma
razão crescente gás-óleo de produção para altos fatores de
recuperação do reservatório.
e) Os poços de reservatórios cujo principal mecanismo de produção é a
expansão da capa de gás apresentam uma razão gás-óleo de
produção aproximadamente constante com a produção acumulada.
Exercício 11- Concurso

(Eng. de Petróleo – Petrobras – 2011)


11 Para que os fluidos contidos nas rochas reservatórios possam ser retiradas e
conduzidos à superfície de forma econômica, é necessário o conhecimento das
propriedades das rochas e dos fluidos nela contidos, além da forma come estes
interagem e das leis físicas que reagem o movimento dos fluidos no seu
interior. A esse respeito, analise as afirmativas a seguir:
I. O estado físico de uma mistura de hidrocarbonetos depende da sua
composição e das condições de temperatura e pressa a que ela está
submetida.
II. A composição original de uma mistura líquida é determinante para o seu grau
de encolhimento, quando a mesma é levada das condições de reservatório
para as condições de superfície (condições básicas).
III. O “Mecanismo de Influxo de Água” fornece resultados excelentes em termos
de fator de recuperação, devido as pressões e vazões permanecerem altas,
mantendo-se as características dos fluidos próximas às originais.
IV. À medida que um reservatório vai produzindo, o seu “Fator de Recuperação”
vai-se reduzindo como uma consequência normal da produção.
) Está correndo o que se afirma em
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III apenas.
d) I, II, e III apenas.
e) I, II, III e IV.
Exercício 11- Concurso

(Eng. de Petróleo – Petrobras – 2011)


11 Para que os fluidos contidos nas rochas reservatórios possam ser retiradas e
conduzidos à superfície de forma econômica, é necessário o conhecimento das
propriedades das rochas e dos fluidos nela contidos, além da forma come estes
interagem e das leis físicas que reagem o movimento dos fluidos no seu
interior. A esse respeito, analise as afirmativas a seguir:
I. O estado físico de uma mistura de hidrocarbonetos depende da sua
composição e das condições de temperatura e pressa a que ela está
submetida.
II. A composição original de uma mistura líquida é determinante para o seu grau
de encolhimento, quando a mesma é levada das condições de reservatório
para as condições de superfície (condições básicas).
III. O “Mecanismo de Influxo de Água” fornece resultados excelentes em termos
de fator de recuperação, devido as pressões e vazões permanecerem altas,
mantendo-se as características dos fluidos próximas às originais.
IV. À medida que um reservatório vai produzindo, o seu “Fator de Recuperação”
vai-se reduzindo como uma consequência normal da produção.
) Está correndo o que se afirma em
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II e III apenas.
d) I, II, e III apenas.
e) I, II, III e IV.
Exercício 12- Concurso (1)

(Eng. de Petróleo – Petrobras – 2012)


 
12 Durante o processo de produção, o petróleo é retirado do
reservatório com auxílio de pressão, sendo usada a
complementação do poço. Os tipos de complementação são
primária, secundária e terciária, sendo usadas de modo a aumentar
a produção e a vida do poço de petróleo em diversas etapas de sua
produção. Sobre os tipos de complementação, tem-se que a(s):

(A) primária consegue produzir até 30% do petróleo existente.


(B) primária fica ineficiente, podendo levar ao uso tanto da secundária
como da terciária.
(C) primária, secundária e terciária, todas em uso podem levar à
produção do poço a chegar até 80%.
(D) secundária é utilizada quando a primária não consegue mais
produzir e alcança em média 35% de produção.
(E) terciária é uma técnica comum que utiliza injeção de água no
reservatório.
Exercício 12- Concurso (2)

Resolução:
 
A recuperação primária é quando se usa a energia interna do reservatório
(mecanismos de produção naturais, mais descompressão de líquido) para produção.
Estima-se produzir exclusivamente por esta forma seja capaz de recuperar até 30%
do óleo existente.

A recuperação secundária é a injeção de água para manutenção da pressão e


varrido do óleo após o decréscimo da produção do reservatório exclusivamente por
energia interna. Ela é empregada antes da recuperação primária atingir sua
recuperação máxima, levando a um fator de recuperação de 30 a 50%, chegando,
em alguns casos, a 60%.

A recuperação terciária é o nome dado à injeção de gás miscível, vapor, polímero e


outros métodos especiais de recuperação. Em todos os casos, a opção por um
método de recuperação melhorada para aumento da recuperação de um
reservatório é feito por razões econômicas e iniciam não quando a produção pelo
mecanismo natural se esgota. Usando as técnicas de recuperação primária,
secundária e terciária de forma adequada, pode-se conseguir recuperar até 80% do
óleo de um reservatório, dependendo da forma de operação, da estratégia de
produção, do número de poços, do tempo de produção e das características do
reservatório.
Exercício 12- Concurso (2)

Resolução:
 
A alternativa b) é absurda.
A alternativa c) contém um erro grave de definição (usa
produção de poço, quando o correto é recuperação final do
reservatório).
A alternativa d) não reflete a realidade, dificilmente um
gerente de reservatórios vai aguardar que o esgotamento
do mecanismo primário para usar um método de
recuperação avançada.
A alternativa e) erra na definição de recuperação terciária.
Resposta: alternativa a).

O gabarito oficial é a alternativa d), então essa questão


deveria ter sido anulada por meio de recurso.