Anda di halaman 1dari 18

CLAMORES MISSIONARIOS

Na verdade, que já os fundamentos se transtornam; que


pode fazer o justo? (sl 11.3)

O salmista demonstra uma certa inquietação em


relação aos fundamentos estabelecidos Os quais estão
sendo atacados, destruídos, desfeitos.

A palavra fundamento sig. Base, alicerce de uma


construção. Conjunto de regras básicas de organização e
funcionamento de uma instituição.

Transtornam sig. Alterar a ordem, desorganizar, gerar


caos, desorientar, desfigurar, perde a forma.

Uma estrutura depende de seus alicerces para


continuar a existir. Um ato de destruição sobre os
fundamentos, derrubará todo o edifício.
Nosso hábito como cristão é de lamentar os padrões
depravados do mundo.

Criticamos sua violência, sua desonestidade, sua


imoralidade, sua negligência com a vida humana e
sua ganância materialista.

O mundo está de mal a pior –Realmente os


fundamentos, as bases estão sendo destruídas.

Dai o Salmista faz uma pergunta: que pode fazer o


justo?

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido (sem sabor), com que se há de
salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos
homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada
sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas
no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz
diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso
Pai, que está nos céus.
Mateus 5:13-16
Se a casa estiver escura ao anoitecer, não faz sentido
culpar a casa, pois isso é o que acontece quando o sol se
põe. A pergunta a ser feita é : “Onde está a luz?”.

Da mesma forma, se a carne estragar e for impossível


comê-la, não faz sentido culpar a carne, pois isso é o que
acontece quando as bactérias são deixadas ao léu para
reproduzirem-se. A pergunta é: “Onde está o sal?”.

Assim também, se a sociedade se deteriora e seus


padrões declinam ao ponto de ela se tornar como uma
noite escura ou como um peixe fedorento.

As perguntas a serem feitas é: “Onde está a Igreja?

Por que a luz e o sal de Jesus Cristo não estão


permeando e mudando a sociedade?

O Jesus disse para sermos o sal [que conserva ou


retarda a decomposição] e a luz do mundo [que dissipa a
escuridão].
Se a escuridão e a podridão abundam, grande parte da
culpa é nossa e devemos aceitá-la.

Por que a igreja existe?


Por que nos reunimos aqui semana após semana?
Por que lê sua Bíblia e é chamado de crente?

A igreja é importante? Qual é sua missão? Qual é seu


propósito?

Precisamos saber quem somos para sabermos o que


fazer?

 EM RELAÇÃO A DEUS A IGREJA EXISTE PARA


ADORAR
 UMA RELAÇÃO A SI MESMA, A IGREJA EXISTE
PARA TREINAR OS CRENTES –
 EM RELAÇÃO AO MUNDO A IGREJA EXISTE PARA
TESTEMUNHAR –
Esta máxima, ensinada por Jesus aos discípulos, traduz
a grande diferença que a igreja é capaz de fazer no
mundo.
Portanto, Fazer missoes é uma obra que:

 Exige urgência
O trabalho missionário não pode esperar. PREGAR EM
TEMPO E FORA DE TEMPO.....

 Fazer missões é uma obra que exige


envolvimento de todos

O privilégio de fazer missões não é apenas para aqueles


que têm o chamado de sair de sua cultura e ir além
fronteiras.
Todos nós podemos orar por missões.
Todos nós devemos contribuir com missões.
Todos nós precisamos fazer missões.
Toda a igreja deve estar engajada nesse projeto
A proclamação do evangelho é uma missão
intransferível.

Propagar as boas novas do evangelho, ser o sal da terra


e a luz do mundo, influenciar a sociedade, tudo isso é
tarefa da Igreja, como agente transformador.

O propósito de Deus é o evangelho todo, por toda a


igreja, em todo o mundo.

A Igreja é enviada ao mundo por Cristo, assim como


Cristo foi enviado ao mundo pelo Pai

Jesus disse na sua oração sacerdotal: “Assim como tu


me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo”
(Jo 17.18).
Motivos que levaram a Igreja a fazer missões

■ A convicção de que Jesus é o único Salvador:

Pedro Disse: “E em nenhum outro há salvação; porque


debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os
homens, em que devamos ser salvos.” (At. 4.8-12);

Paulo fez que Timóteo lembrasse: “Porque há um só


Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo
Jesus, homem” (1Tm 2.5; V.tb. Rm 3.29);

Romanos 10

9 Se você disser com a sua boca: “Jesus é Senhor” e no seu coração


crer que Deus ressuscitou Jesus, você será salvo.
13 Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
14 Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como
crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há
quem pregue?
2Cor 5

18 E tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou


consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério
da reconciliação,
19 isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o
mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em
nós a palavra da reconciliação.
20 De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo,
como se Deus por nós rogasse.
VOCE CONSEGUE OUVIR OS CLAMORES POR
MISSÕES

Clamor significa pedir com impetuosidade, chorar,


insistir e até gritar.
Clamor é muito mais que pedido, é uma expressão de
angustia.

O mundo esta em desespero, as nações estão em


trevas, os homens a cada dia mais se distanciando de
Deus.

O mundo clama por socorro, quem esta ouvindo esse


gemido? O mundo clama por paz, por segurança, por
saúde, por salvação, quem consegue ouvir?

É hora de abrir nossos ouvidos e ouvir o Clamor


Missionário.
A igreja precisa esta sensível a voz missionaria.

A Igreja em Antioquia. Atos 13.1-3.

O CLAMOR QUE VEM DE DENTRO DE CADA UM DE


NÓS
MARCOS 6.34
A paixão pelas almas é uma obra divina implantada
em nós:

“E Jesus, saindo, viu uma grande multidão...” (v


34a) –
Jesus viu não apenas um amontoado de pessoas, ele viu
pessoas aflitas, sufocadas e perdidas.

Sem esta visão não podemos ganhar almas.

Onde estão fixos os nossos olhos? OS DISCIPULOS EM SAMARIA


“...e teve compaixão deles, porque eram como
ovelhas que não têm pastor” (v 34b) –

SE NOS NÃO TIVERMOS ESSA SENSIBILIDADE,


AGIREMOS COMO OS DISCIPULOS

“...despede-os, para que vão aos campos e aldeias


circunvizinhas e comprem pão para si, porque não têm o
que comer” (v 36) – Os seguidores de Jesus estavam
tomados pela indiferença, pelo comodismo e egoísmo.

Imagine se a igreja tivesse como única resposta


alternativa para o mundo nas trevas o “Vão e procurem
vocês mesmos alimento”. Como encontrariam vida no
meio dos mortos? (Lc 24.5).

Como poderia “se virar”, uma geração paralisada pelo


pecado que não tem quem lhe ajude a receber a bênção?
(Jo 5.7).
“Ele, porém, respondendo, lhes disse: Dai-lhes vós
de comer” (v 37) –

Somente a Igreja tem a resposta para o homem


sem esperança.

Os políticos podem ajudar a resolver os problemas


sociais; a medicina pode curar muitas doenças; a polícia
pode dar uma certa segurança;

Mas somente a Igreja pode dar “pão celestial aos


famintos”. Alimantar a alma dos famintos.

Um coração “apaixonado” pelos perdidos, nunca


cessará de falar, de contribuir, de orar, de instigar.

Seu coração missionário não descansará, enquanto


não ver uma alma rendida aos pes de Cristo
Você consegue ver a “multidão” com os olhos de Jesus?

Consegue sentir compaixão pelo seu estado desgarrado?

(At 17:16 [ARC])

E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o


seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a
cidade tão entregue à idolatria.
O CLAMOR QUE VEM DA TERRA
ATOS 16.6-10

9 Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da


Macedônia estava em pé e lhe suplicava: "Passe à
Macedônia e ajude-nos".
10 Depois que Paulo teve essa visão, preparamo-nos
imediatamente para partir para a Macedônia, concluindo que

Deus nos tinha chamado para lhes pregar o evangelho.

NARRAR OS ACONTECIMENTOS NA CIDADE

Quando Você chega, o Evangelho, a Luz chega junto.


O CLAMOR QUE VEM DO INFERNO
LUCAS 16.19-31

Embora o inferno seja um lugar onde não há espaços


para arrependimento, nos é mostrado através desta
passagem que o clamor insistente por outros, não pra sí.

“Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu


pai” (v 27)
O CLAMOR QUE VEM DO CÉU
ISAIAS 6.1-13

 Primeiramente Ouvimos o clamor que Vem de Dentro


de Cada um de Nós;

 Depois ouvimos o Clamor que vem da Terra;

 Em Terceiro ouvimos o clamor do inferno;

 Agora, Ouviremos O Clamor que Vem do Céu.

O clamor de um Deus apaixonado por VIDAS.

De um Deus sedento por salvar as almas.

“Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A


quem enviarei, e quem há de ir por nós?” (v. 8).
O CÉU CLAMA POR UMA RESPOSTA

“Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim” (v 8b).

Quando Deus faz perguntas, Ele espera respostas.

A quem enviarei, e quem há de ir por nós?

1. Eis-me aqui: Uma resposta que revela


prontidão -

2. Envia-me a mim: Uma resposta que revela


disposição –
CONCLUSÃO

Que pode fazer o justo diante dessa realidade?

Que fará a Igreja diante desses apelos?

FALAR DE JOAO 5

JESUS AO INVES DE IR AO TEMPLO FOI AO


TANQUE