Anda di halaman 1dari 4

AGENTES AGRESSORES – BACTERIOLOGIA – MINI PGAD

Streptococcus (gênero)
Gênero formado por bactérias catalase negativas, divisão em planos ou cadeias; imóveis;
aerotolerantes (não precisam de o2 mas suportam a sua presença); carboidrato C na sua
superfície e proteína M (são importantes na aderência da bactéria ao meio, inibem a fagocitose
e degradam o factor C3b do sistema do complemento); são classificadas de acordo com o tipo
de hemólise em ágar sangue (alfa hemolítico: hemólise parcial; beta hemolítico: hemólise total
[pyogenes]; gama hemolítico: ausência de hemólise; grupos sorológicos de Lancefield:
características antigênicas do carboidrato C; polissacarídeos capsulares com especificidade
antigênica devido à precipitação em anticorpos específicos.

Streptococcus pyogenes (espécie)


Apresenta parede celular com 3 camadas; dentre
os fatores de virulência estão a proteína M, que
consiste em permitir à bactéria aderência ao
meio; a proteína F, que faz união com a
fibronectina e prende a bactéria na mucosa da
faringe para estra não se soltar durante a tosse;
a peptidase C5 que degrada a C5a do
complemento e impede os leucócitos;
carboidrato C que tem função imunogênica;
ácido teicóico com produção de citotoxinas;
enzimas hidrolíticas, fibrolisina,
desoxirribonuclease, hialuronidase; dentre as
toxinas estão as leucocidinas que matam
leucócitos, as estreptolisinas S e O, sendo que a
estreptolisina S gera o halo de hemólise beta e
não e imunogênica, ou seja, não induz resposta
imunológica. Já a estreptolisina O é imunogênica
e ocasiona febre reumática como sequela da
infecção; exotoxinas pirogênicas; o principal
mecanismo de ação de virulência é fugir da
fagocitose; sendo que as principais doenças são
impetigo, erisipela, fascite necrosante, etc; a transmissão se dá por gotículas aéreas e contato
direto; o tratamento é feito com base em penicilina G e eritromicina aos pacientes que são
alérgicos à penicilina.

Fasciite necrosante: causada por Streptococcus


pyogenes; a porta de entrada é abrasão na pele; a
sintomatologia é caracterizada por destruição
intensa de tecidos moles; a transmissão ocorre por
contato direto e o tratamento é com remoção
cirúrgica do tecido e antibióticos de amplo espectro.
Erisipela: causada por Streptococcus pyogenes;
porta de entrada é a pele e a membrana mucosa; a
sintomatologia é caracterizada por placas
vermelhas na pele e febre alta frequente; a
transmissão é feita por infecção endógena e o
tratamento é com cefalosporina.

Staphylococcus (gênero)
Colônia em cachos; gram positivas; imóveis, facultativas; mesófila; pouca exigência nutricional;
locais de alta pressão e baixa umidade (vias nasais e pele); fermentam glicose com a produção
de ácido sem gás, produzem catalase (no caso é feito um teste para descobrir o gênero da
bactéria, se produzir catalase é porque ela é Staphylococcus); produzem coagulase (define a
espécie de Staphylococcus, no caso, se formar coágulo é porque a espécie é Staphylococcus
aureus.

Staphylococcus aureus (espécie): ocorre


no trato respiratório, sem causar doenças
em condições normais; produz piocianina
(pus); produz halo de beta-hemólise
(toxinas que destroem as hemácias);
hemólise total (hemolisina); entre os
fatores de virulência estão: cápsula
polissacarídea (proteção contra fagocitose
e slime que consiste em ácido hialurônico,
é visto como um fator de virulência pois
nosso corpo produz esse ácido, logo, o
sistema imunológico não reconhece como
antígeno), peptídeoglicanos e ácidos
teicóicos; ativa a via alternativa do sistema
complemento; proteína A; adesinas (se
ligam à matriz extracelular); produção de
enzimas extracelulares como catalase,
coagulase, desoxirribouclease,
fibrinolisina, hialuronidases, lipases e
betalactamases (são enzimas que
promovem resistência a antibióticos
devido ao anel beta-lactâmico); produção
de citotoxinas de efeito citotóxico como toxinas beta e gama além de leucocidinas;
toxina esfoliativa na síndrome da pele escaldada; bacteriófagos que realizam
transdução; exotoxina TSST-1 (síndrome do choque tóxico através do gene tsst-1;
apresenta genes cromossômicos de virulência; o principal mecanismo de virulência é
escapar da fagocitose através dessas estruturas que apresenta; o tratamento das
infecções bacterianas causadas por Staphylococcus aureus é o uso de mupirocina,
vancomicina (cefalosporinas); MRSA, ORSA, VISA, VRSA como fatores de resistência
bacteriana; a superbactéria é a que possui resistência a mais de duas classes
antibióticos; infecções por MRSA: resistência por meio de beta-lactâmicos e
sensibilidade à clindamicina, eritromicina e cotrimoxazol.
Lembrando que o diagnóstico das doenças bacterianas é feito por cultivo de bactérias
análise destas.
Impetigo
Causada por Staphylococcus aureus; com a
porta de entrada pela pele; a sintomatologia é
baseada em vesícula cutâneas; a transmissão
ocorre por contato direto e fômites; o
tratamento é feito com antibióticos tópicos.

Foliculite
É causada por Staphylococcus aureus; a porta de
entrada é pelo folículo piloso; a sintomatologia é
a infecção do folículo piloso; a transmissão e
feita por contato direto, fômites e infecção
endógena; o tratamento é feito com a drenagem
do pus e o uso de antibióticos tópicos.

Síndrome do choque tóxico


É causa por Staphylococcus aureus; a porta de entrada é
por meio de incisões cirúrgicas; dentre os sintomas
estão a febre, erupção e choque; a transmissão é por
infecção endógena, ou seja, realizada por bactérias da
microbiota do hospedeiro; o tratamento é feito com
antibióticos dependendo do grau de sensibilidade.
Pseudomonas aeruginosa
Dermatite por pseudomonas: a porta de entrada é por abrasões na pele; a
sintomatologia é caracterizada por erupção superficial; a transmissão ocorre por água
de piscinas e banheiras; quanto ao tratamento, geralmente a infecção é autolimitada.

Otite externa: a porta de entrada é o ouvido; a


sintomatologia é caracterizada por infecção superficial
no canal auditivo externo; a transmissão ocorre por
bactérias existentes em águas de piscinas e similares; o
tratamento decorre de fluoroquinolonas.

Propionibacterium acnes
Acne: a porta de entrada da bactéria é pelos ductos sebáceos; a sintomatologia é
caracterizada por lesões inflamatórias originadas do acúmulo de sebo e que rompem
um folículo piloso; método de transmissão é por contato direto; o tratamento é feito
com peróxido de benzoíla, isotretinoína e ácido azelaico; comedonal, forma comedões,
que é um processo não infamatório que deriva da oxidação dos lipídeos; inflamatória,
que é de grau moderado e a cística, que é mais severa com lesões profundas, inflamadas
e cheias de pus; possuem biofilme; gram positivas.