Anda di halaman 1dari 5

Placas de Circuito Impresso – PCI - Evitar Oxidação da PCI

O cobre em contato com o ar oxida fazendo com que as trilhas fiquem


interrompidas. Um dos processos para evitar que a placa se danifique com o tempo é,
após a montagem dos componentes, cobrir toda a placa com verniz plástico. No entanto,
a cobertura de verniz de toda a placa, torna qualquer trabalho de soldadura complicado.
Antes, pode dar-se um banho de prata em toda a placa o que evitará que o cobre
oxide.

Banho de prata para a placa

Este banho de prata evita que o cobre oxide criando cortes nas pistas dos circuitos.
A fórmula: (para 50 ml de solução: recalcule para quantidades maiores.)

 50 ml de água destilada (H2O).


 2 g de nitrato de prata (AgNO3)
 1 g de cloreto do amónio (NH4Cl)
 5 g de carbonato do cálcio (CaCO3)
 4 g de tiossulfato do sódio (Na2S2O3)

Como fazer a solução:

Dissolva 2 gramas do nitrato de prata em 50 ml de água desmineralizada ou


destilada.
Misture 1 grama do cloreto do amónio, 5 gramas de carbonato de cálcio e 4 gramas
de tiossulfato de sódio num recipiente e adicione-os à solução.
O carbonato do cálcio é necessário quando existe a necessidade de friccionar um
objeto com a solução em vez de mergulhar na solução (é a opção ideal para as placas de
circuito impresso).

Utilização:

Com a solução pode pratear o cobre, o bronze ou objetos de zinco.


Limpe o objeto que pretende pratear completamente com um pedaço de pano (um
objeto muito oxidado pode ser limpo com o ácido nítrico)
Deixe o objeto num tanque com a solução aproximadamente por 2 minutos
(ou friccione com um pano embebido por alguns minutos).
Atenção: A solução não é muito estável, devendo ser preparada e usada no mesmo
dia. Cuidado ao preparar a solução pois o nitrato de prata, em contato com a pele, reduz
a prata metálica produzindo mancha escuras. Não é tóxico mas corre o risco de ter suas
mãos cheias de pintas pretas que desaparecem após alguns dias.

Soluções Corrosivas

Existem alguns produtos que permitem a corrosão do cobre nas PCB, percloreto
de ferro [FeCl3], persulfato de amónio (NH4)2S2O8, e persulfato de sódio [Na2S2O8].
Um outro produto corrosivo de cobre que pode ser usado é o cloreto de cobre
[CuCl2], que pode ser feito em casa.
Atenção: As soluções químicas para produzir as placas corroem metal, emitem
fumos tóxicos e podem manchar. O seu manuseamento deve ser feito com cuidado e,
mesmo depois de terminado o processo, deve ser removido como resíduo perigoso e não
deitado no esgoto. EVITE INALAR POEIRAS OU VAPORES DE QUALQUER UM
DOS PROCEDIMENTOS.
Todas têm vantagens e desvantagens, são comercializadas nas lojas de
componentes eletrônicos e mais ou menos usadas em determinados países mais por uma
questão comercial do que por qualquer outra razão. A solução mais usada para fazer
placas em casa é o percloreto de ferro por ser mais barato e uma das mais eficazes.

Percloreto Ferro - FeCl3

Não é tóxico é usado em medicina para estancar hemorragias, apresenta o


inconveniente de manchar todos os objetos exteriores se existir um acidente.
Percloreto de Ferro (FeCl3) pode ser adquirido em pó ou já diluído. No caso de
percloreto em pó, misturar com água na proporção de 1 para 1. Colocar o percloreto de
ferro na água e não o contrário, misturar com um bastão de madeira. Ao colocar a placa,
a mistura vai reagir com o cobre exposto (as zonas sem desenho de circuito). A reação
produz hidróxido de ferro o que diminui o efeito corrosivo do percloreto à medida que
vai sendo usado. Para contrariar o efeito de perda de corrosão pode-se adicionar ácido
clorídrico (HCl) na proporção de 3% para a quantidade de percloreto de ferro, por
exemplo, 1Kg (FeCl3) ->30mL (HCl).
Se adicionarmos oxigénio à reação o resultado melhora substancialmente porque
existe uma alteração na reação química, por isso, colocar um borbulhador de aquário no
fundo do recipiente melhora significativamente todo o processo. Quanto maior a
temperatura mais rápido é todo o processo. Ter uma lâmpada que produza calor junto do
recipiente que aqueça o conjunto beneficia todo o processo.

Solução Química:

 1 parte água H2O


 1 parte de percloreto de ferro FeCl3
 3% ácido clorídrico HCl *

* O ácido clorídrico apenas aumenta o tempo de vida da solução, não é necessário


para executar o processo.

Vantagens:

 É relativamente barato.
 É o produto químico usado por estações de tratamento de esgoto para separar
resíduos sólidos é usado também para estancar hemorragias.

Desvantagens:

 É marrom (castanho) escuro, dificilmente se consegue ver a placa.


 Mancha todos os objetos que entre em contato.
 Colocando alumínio no seu interior inicia uma "explosão controlada" tipo
incêndio, que pode ser difícil de extinguir.
 Enferruja objetos de aço nas proximidades.

Persulfato de Amônio - (NH4)2S2O8


É altamente tóxico e os resíduos devem ser tratados como muito perigosos. É
altamente inflamável.

Vantagens:

 É transparente o que permite visualizar o processo.

Desvantagens:

 Exige uma temperatura elevada.


 É pouco agressivo o que aumenta o tempo do processo.
 Os fumos são tóxicos.
 É bastante mais caro que o percloreto.
 Não permite as pistas feitas com caneta permanente, ataca a tinta.

Persulfato de Sódio - Na2S2O8

É moderadamente tóxico e os resíduos devem ser tratados como perigosos.

Vantagens

 Permite visualizar o processo uma vez que é uma solução clara.


 Pode ser usado mesmo em PCI feitas com caneta.

Desvantagens:

 É relativamente caro em comparação com FeCl3.


 Cloreto de Cobre - CuCl2

É uma solução que facilmente se faz em casa e que pode ser reutilizada. Na
primeira fase, é libertado cloro em quantidades que podem ser perigosos em espaços
pequenos, ventilar bem a área onde estão a ser feitas as soluções. Quando esgotado, pode
ser reativado através da adição de peróxido de hidrogénio (H2O2). Adicionando peróxido
de hidrogénio pode libertar grandes quantidades de gás (cloro). Quando a mistura já não
funcionar adicione peróxido de hidrogénio (H2O2) e um pouco de ácido clorídrico.
Estes produtos são facilmente encontrados para tratamentos de piscinas.

Solução Química:

 5 Partes de ácido clorídrico (HCl).


 10 Partes de água.
 5% de peróxido de hidrogénio (24%) (H2O2)

Se for peróxido da farmácia a concentração é de 3%, deve ser usado numa


proporção mais elevada.
Estes produtos químicos são perigosos, não respirar os gases da reação na mistura.

Vantagens
 Pode-se ver o processo de corrosão na PCI.
 É barato.
 Não se desgasta.
 É caseiro, a partir de produtos químicos facilmente disponíveis.

Desvantagens:

 Liberta vapores (cloro e oxigénio).


 Os vapores de ácido muriático enferrujam instantaneamente todos os metais
ferrosos que entrem em contato.

Para eliminar, recomenda-se a adição de carbonato de sódio e água salgada, deitar


fora a parte líquida que fica assim neutralizada. Os resíduos resultantes da corrosão das
PCI devem ser removidos como resíduos perigosos.

Solução água oxigenada com ácido clorídrico ou ácido muriático

Nesta solução tem de existir um cuidado extremo com os ácidos na sua


preparação.

 1 parte de água oxigenada (peróxido de hidrogênio)130 volumes. Caso não


encontre, utilize a água oxigenada encontrada nas farmácias, mas não use a
cremosa.
 1 parte de ácido clorídrico ou ácido muriático
 4 partes de água. Se utilizou a água oxigenada da farmácia, não adicione água.

Fórmula para corrosão de placa

Ácido clorídrico e água oxigenada:

Este banho de corrosão é mais rápido e eficiente.


Tem ainda as vantagens de ser transparente, permitindo a visualização do
andamento do trabalho, e de resultar (depois de usado à exaustão) em uma solução de
cloreto de cobre e ácido, que uma vez evaporada resulta em cristais que podem ser
aproveitados para outras finalidades.

As proporções usadas na mistura são de aproximadamente:

• 350 ml de água da torneira;


• 100 ml de ácido clorídrico comercial, encontrado nas lojas
de materiais de construção com o nome de ácido muriático, para limpeza;
• 20 ml de água oxigenada 150 ou 200 volumes
(concentração equivalente à cerca de 30%).

O princípio químico aqui é simplesmente: o ataque do ácido ao cobre.


Acontece que o ácido clorídrico puro não tem o poder oxidante de dissolver o
cobre imediatamente.
A água oxigenada serve para dar esse "empurrão" ao ácido.
Evidentemente, se não puderem ser encontrados o ácido e a água oxigenada na
concentração indicada, basta diminuir proporcionalmente a quantidade de água da
torneira usada na mistura.

CORROSÃO COM ÁGUA OXIGENADA.

Para confeccionar placas por este método você vai precisar de:

-> ÁCIDO MURIÁTICO;


-> ÁGUA OXIGENADA VOLUME 200;
-> ÁGUA DE TORNEIRA.

As proporções que deverão ser mantidas (para um tempo médio de 1min de


corrosão, para placas de 10 cm x 10 cm aproximadamente) são:

-> 100 ml de água de torneira;


-> 100 ml de ácido muriático;
-> 10ml de água oxigenada volume 200.

Misture primeiro o ácido na água de torneira e posteriormente misture a água


oxigenada.

OBS.01: NÃO RESPIRE OS VAPORES (INCOLORES) QUE SE FORMAM


QUANDO A PLACA ESTÁ SENDO CORROIDA.
OBS.02: SEMPRE FAÇA ISTO EM LOCAL BEM VENTILADO.

Para quem não entende nada de química, abaixo está uma explicação muito
simples de como funciona este método:
O ácido muriático é um produto químico que reage com metais, ou seja, oxida o
metal.
Porém para que o ácido consiga oxidar o metal, ele precisa de oxigênio (por isto
que se fala que está oxidando o metal).
É ai que entra a água oxigenada volume 200, que é um produto químico com uma
concentração de oxigênio muito grande.
Com esta quantidade muito grande de oxigênio a disposição do ácido, ele
consegue acelerar e muito o processo de oxidação do metal. Diminuindo drasticamente o
tempo oxidação natural que o ácido muriático proporciona utilizando somente o
oxigênio disponível na atmosfera terrestre.
A água, é apenas um diluente para aumentar o volume de solução corrosiva, para
facilitar em caso de placas grandes ou recipientes muito rasos.