Anda di halaman 1dari 82

Contabilidade

Curso FISCAL 2015


Professor: Silvio Sande
 

Demonstração de Fluxo de Caixa

A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade
para todas as sociedades de capital aberto ou com patrimônio líquido superior a R$ 2.000.000,00
(dois milhões de reais).

Esta obrigatoriedade vigora desde 01.01.2008, por força da Lei 11.638/2007, e desta forma torna-
se mais um importante relatório para a tomada de decisões gerenciais.

Objetivo(Resolução CFC 1296/2010)

Informações sobre o fluxo de caixa de uma entidade são úteis para proporcionar aos usuários das
demonstrações contábeis uma base para avaliar a capacidade de a entidade gerar caixa e
equivalentes de caixa, bem como as necessidades da entidade de utilização desses fluxos de caixa.
As decisões econômicas que são tomadas pelos usuários exigem avaliação da capacidade de a
entidade gerar caixa e equivalentes de caixa, bem como da época de sua ocorrência e do grau de
certeza de sua geração.

De forma condensada, esta demonstração indica a origem de todo o dinheiro que entrou no caixa
em determinado período e, ainda, o Resultado do Fluxo Financeiro. Assim como a Demonstração
de Resultados de Exercícios, a DFC é uma demonstração dinâmica e também está contida no
balanço patrimonial.

A Demonstração do Fluxo de Caixa irá indicar quais foram às saídas e entradas de dinheiro no
caixa durante o período e o resultado desse fluxo.

AS PRINCIPAIS TRANSAÇÕES QUE AFETAM O CAIXA

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
A seguir, relacionaremos em dois grupos as principais transações que afetam o caixa.

a) Transações que Aumentam o Caixa (Disponível)

• Integralização do Capital pelos proprietários em dinheiro;

• Empréstimos bancários e financiamentos oriundos das instituições financeiras;

• Vendas de Ativos Imobilizados;

• Outras entradas (juros recebidos, indenizações de seguros, etc.).

b) Transações que Diminuem o Caixa (Disponível)

• Pagamento de dividendos aos acionistas;

• Pagamento de juros de dívidas;

• Aquisição de itens do Ativo Imobilizado;

• Compra à vista e pagamento de fornecedores;

• Pagamentos de despesas/custo, contas a pagar e outros.

c) Transações que não Afetam o Caixa

Dentre as transações realizadas pela empresa, algumas não afetam o caixa, isto é, não há encaixe
e nem desencaixe de dinheiro, como por exemplo: - Depreciação, amortização e exaustão; -
Provisão para devedores duvidosos; - Correção monetária de balanço; - Acréscimo ou diminuições
de investimentos avaliados pelo método de equivalência patrimonial, sem significar que houve
vendas ou novas aquisições.

CONCEITOS IMPORTANTES

Caixa compreende numerário em espécie e depósitos bancários disponíveis.

Equivalentes de caixa são aplicações financeiras de curto prazo, de alta liquidez, que são
prontamente conversíveis em um montante conhecido de caixa e que estão sujeitas a um
insignificante risco de mudança de valor.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Fluxos de caixa são as entradas e saídas de caixa e equivalentes de caixa. Atividades operacionais
são as principais atividades geradoras de receita da entidade e outras atividades diferentes das de
investimento e de financiamento. Atividades de investimento são as referentes à aquisição e à
venda de ativos de longo prazo e de outros investimentos não incluídos nos equivalentes de caixa.
Atividades de financiamento são aquelas que resultam em mudanças no tamanho e na
composição do capital próprio e no endividamento da entidade, não classificadas como atividade
operacional.

Os equivalentes de caixa são mantidos com a finalidade de atender a compromissos de caixa de


curto prazo e não para investimento ou outros fins. Para ser considerada equivalente de caixa,
uma aplicação financeira deve ter conversibilidade imediata em um montante conhecido de caixa e
estar sujeita a um insignificante risco de mudança de valor.

APRESENTAÇÃO DO RELATÓRIO DE FLUXO DE CAIXA

Seguindo as tendências internacionais, o fluxo de caixa pode ser incorporado às demonstrações


contábeis tradicionalmente publicadas pelas empresas.

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas:

I - Atividades Operacionais; II - Atividades


de Investimento;
III - Atividades de Financiamento.

As Atividades Operacionais são explicadas pelas receitas e gastos decorrentes da industrialização,


comercialização ou prestação de serviços da empresa. Estas atividades têm ligação com o capital
circulante líquido da empresa.

As Atividades de Investimento são os gastos efetuados no Realizável a Longo Prazo ou no Ativo


Permanente, bem como as entradas por venda de ativos imobilizados.

As Atividades de Financiamento são os recursos obtidos do Exigível a Longo Prazo e do Patrimônio


Líquido. Devem ser incluídos aqui os empréstimos e financiamentos de curto prazo. As saídas
correspondem à amortização destas dívidas e os valores pagos aos acionistas a título de
dividendos, distribuição de lucros.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
MONTAGEM DOS FLUXOS DE CAIXA

Método Direto

De acordo com o método direto, as informações sobre as principais classes de entradas e saídas
de caixa podem ser obtidas:

1) dos registros contábeis da entidade; ou 2) ajustando as vendas, os custos


das vendas e outros itens da demonstração do resultado referentes a:
a) mudanças ocorridas no período nos estoques e nas contas operacionais a receber e a pagar;
b) outros itens que não envolvem caixa; e
c) outros itens cujos efeitos no caixa sejam fluxos de caixa decorrentes das atividades de
financiamento e de investimento.

EXEMPLO DE APRESENTAÇÃO DE DFC PELO MÉTODO DIRETO

(Conforme Pronunciamento CPC 03)

1. Fluxos de caixa das atividades operacionais

(+) Recebimentos de clientes

(-) Pagamentos a fornecedores e empregados

(+) Caixa gerado pelas operações

(+) Juros recebidos

(+) Dividendos recebidos

(-) Juros pagos

(-) Imposto de renda e contribuição social pagos

(-) Imposto de renda na fonte sobre dividendos recebidos

(=) Caixa líquido proveniente das atividades operacionais

2. Fluxos de caixa das atividades de investimento

(-) Aquisição da controlada X líquido do caixa incluído na aquisição

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(-) Compra de ativo imobilizado

(+) Recebido pela venda de equipamento

(=) Caixa líquido usado nas atividades de investimento

3. Fluxos de caixa das atividades de financiamento


(+) Recebido pela emissão de ações

(+) Recebido por empréstimo a logo prazo

(-) Resgate de ações


(-) Dividendos pagos

(=) Caixa líquido usado nas atividades de financiamento

4. Aumento líquido de caixa e equivalentes de


caixa Caixa e equivalentes de caixa no início do período

Caixa e equivalentes de caixa ao fim do período

ACRÉSCIMOS NOS ATIVOS OU PASSIVOS

Quando há um aumento nos ativos circulantes (estoques, contas a receber), o raciocínio é que foi
usado dinheiro do caixa, para comprar estoques ou conceder crédito a clientes. De maneira
inversa, se os estoques ou clientes diminuírem é porque a empresa está tendo receita ou
recebimento de clientes.

Nota: Os aumentos do Ativo Circulante usam caixa, as diminuições produzem caixa.

Os aumentos do Passivo Circulante têm o efeito oposto sobre o caixa. Quando os fornecedores
concedem créditos, o caixa é liberado para outras atividades. Quando a empresa diminui a conta
de fornecedores, é que ela está usando caixa para solver compromissos.

Nota: Os aumentos do Passivo Circulante produzem caixa, as diminuições usam caixa.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Todos estes ajustes fazem parte das atividades operacionais. As demais atividades de
investimento e de financiamento serão elaboradas nos mesmos moldes do Método Direto, usando-
se para tanto os dados do Balanço
Patrimonial.

A demonstração dos fluxos de caixa deve apresentar os fluxos de caixa de período classificados
por atividades operacionais, de investimento e de financiamento.
Atividades Operacionais

Os fluxos de caixa decorrentes das atividades operacionais são basicamente derivados das
principais atividades geradoras de receita da entidade. Portanto, eles geralmente resultam das
transações e de outros eventos que entram na apuração do lucro líquido ou prejuízo. Exemplos de
fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são:

(a) recebimentos de caixa pela venda de mercadorias e pela prestação de serviços;

(b) recebimentos de caixa decorrentes de royalties, honorários, comissões e outras receitas;

(c) pagamentos de caixa a fornecedores de mercadorias e serviços;

(d) pagamentos de caixa a empregados ou por conta de empregados;

(e) recebimentos e pagamentos de caixa por seguradora de prêmios e


sinistros, anuidades e outros benefícios da apólice;

(f) pagamentos ou restituição de caixa de impostos sobre a renda, a menos que possam ser
especificamente identificados com as atividades de financiamento ou de investimento; e

(g) recebimentos e pagamentos de caixa de contratos mantidos para negociação imediata ou


disponíveis para venda futura.

Algumas transações, como a venda de um ativo imobilizado, podem resultar em ganho ou perda,
que é incluído na apuração do lucro líquido ou prejuízo. Os fluxos de caixa relativos a tais

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
transações são fluxos de caixa provenientes de atividades de investimento. Entretanto,
pagamentos para a produção ou aquisição de ativos destinados a aluguel para terceiros e, em
seqüência, serem vendidos, são fluxos de caixa das atividades operacionais. Os recebimentos de
aluguéis e das subseqüentes vendas de tais ativos são também fluxos de caixa das atividades
operacionais.

2 Uma entidade pode ter títulos e empréstimos para fins de intermediação que sejam
semelhantes a estoques adquiridos especificamente para revenda. Portanto, os fluxos de caixa
decorrentes da compra e venda desses títulos são classificados como atividades operacionais. Da
mesma forma, as antecipações de caixa e os empréstimos feitos por instituições financeiras são
comumente classificados como atividades operacionais, uma vez que se referem à principal
atividade geradora de receita dessas entidades.

3 A conciliação entre o lucro líquido e o fluxo de caixa líquido das atividades operacionais deve
ser fornecida de forma que os usuários tenham elementos para avaliar os efeitos líquidos das
atividades operacionais e de outros eventos que afetam o lucro líquido e os fluxos operacionais de
caixa em diferentes períodos.

Atividades de Investimento
4 A divulgação em separado dos fluxos de caixa decorrentes das atividades de investimento é
importante porque tais fluxos de caixa representam a extensão em que os dispêndios de recursos
são feitos pela entidade com a finalidade de gerar resultados e fluxos de caixa no futuro.
Exemplos de fluxos de caixa decorrentes das atividades de investimento são:

(a) pagamentos de caixa para aquisição de ativo imobilizado, intangível e outros ativos de longo
prazo. Esses desembolsos incluem os custos de desenvolvimento ativados e ativos imobilizados de
construção própria;

(b) recebimentos de caixa resultantes da venda de ativo imobilizado, intangível e outros ativos de
longo prazo;

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(c) pagamentos para aquisição de ações ou instrumentos de dívida de outras entidades e
participações societárias em joint ventures (exceto desembolsos referentes a títulos considerados
como equivalentes de caixa ou mantidos para negociação imediata ou venda futura);

(d) recebimentos de caixa provenientes da venda de ações ou instrumentos de dívida de outras


entidades e participações societárias em joint ventures (exceto recebimentos referentes aos títulos
considerados como equivalentes de caixa e os mantidos para negociação);

(e) adiantamentos de caixa e empréstimos feitos a terceiros (exceto adiantamentos e empréstimos


feitos por instituição financeira);

(f) recebimentos de caixa por liquidação de adiantamentos ou amortização de empréstimos


concedidos a terceiros (exceto adiantamentos e empréstimos de uma instituição financeira);

(g) pagamentos de caixa por contratos futuros, a termo, de opção e swap, exceto quando tais
contratos forem mantidos para negociação imediata ou venda futura, ou os pagamentos forem
classificados como atividades de financiamento; e

(h) recebimentos de caixa por contratos futuros, a termo, de opção e swap, exceto quando tais
contratos forem mantidos para negociação imediata ou venda futura, ou os recebimentos forem
classificados como atividades de financiamento.

Quando um contrato for contabilizado como proteção (hedge) de uma posição identificável, os
fluxos de caixa do contrato devem ser classificados do mesmo modo como foram classificados os
fluxos de caixa da posição que estiver sendo protegida.

Atividades de Financiamento

5 A divulgação separada dos fluxos de caixa decorrentes das atividades de financiamento é


importante por ser útil para prever as exigências sobre futuros fluxos de caixa pelos fornecedores
de capital à entidade. Exemplos de fluxos de caixa decorrentes das atividades de financiamento
são:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(a) caixa recebido pela emissão de ações ou outros instrumentos patrimoniais;

(b) pagamentos de caixa a investidores para adquirir ou resgatar ações da entidade;

(c)caixa recebido proveniente da emissão de debêntures, empréstimos, títulos e valores, hipotecas


e outros empréstimos de curto e longo prazos;

(d) amortização de empréstimos e financiamentos, incluindo debêntures emitidas,


hipotecas, mútuos e outros empréstimos de curto e longo prazos; e

(e) pagamentos de caixa por arrendatário, para redução do passivo relativo a


arrendamento mercantil financeiro.

Uma única transação pode incluir fluxos de caixa classificados em mais de uma atividade. Por
exemplo, quando o desembolso de caixa para pagamento de um empréstimo inclui tanto os juros
como o principal, a parte dos juros pode ser classificada como atividade operacional, mas a parte
do principal deve ser classificada como atividade de financiamento.
Antes do pronunciamento CPC 09, não existia consenso quanto a classificação dos juros pagos e
recebidos, e dos juros sobre o capital próprio e dos dividendos pagos e recebidos .

Este Pronunciamento encoraja fortemente as entidades a classificarem os juros,


recebidos ou pagos, e os dividendos e juros sobre o capital próprio recebidos como
fluxos de caixa das atividades operacionais, e os dividendos e juros sobre o capital
próprio pagos como fluxos de caixa das atividades de financiamento. Alternativa
diferente deve ser seguida de nota evidenciando esse fato.

Ressalta-se que este pronunciamento so corrobora o tratamento já dado pela ESAF.

Método direto

Por este método, o Fluxo de Caixa evidencia todos os pagamentos e recebimentos


decorrentes das atividades operacionais da empresa, como por exemplo: os valores
Professor: Silvio Sande
www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
recebidos decorrentes de vendas á vista, os valores recebidos de clientes, os valores pagos a
fornecedores, os valores de impostos pagos.
Este método também é conhecido como a abordagem das contas T, e consiste em classificar os
recebimentos e pagamentos utilizando as partidas dobradas e tem como vantagem
permitir a geração de informações com base em critérios técnicos livres de qualquer interferência
da legislação fiscal. Neste método começa-se a explicação do caixa gerado pelas operações da
empresa pelo recebimento das vendas.
Pelo método direto, devemos partir das receitas e despesas constantes na DRE e
compará-las com suas contrapartidas no Balanço Patrimonial com o intuito de verificar
o valor do efetivo pagamento e recebimento naquele exercício social. Após verificar o
valor das despesas efetivamente pagas e das receitas efetivamente recebidas, faz-se o
registro na DFC.

Fatos e contabilização dos fatos relacionados á Venda:

Quando se analisa o recebimento decorrente de vendas deve-se verificar as seguintes contas:


valor das vendas(DRE), variação da conta clientes(BP), variação de adiantamento de clientes(BP)
e verificar como foi utilizada a PDD.

Ex.: Receitas com vendas X2 500.000,00

Duplicatas a Receber X1 0,00

Duplicatas a Receber X2 30.000,00

Valor do recebimento decorrente das Vendas = 500.000,00 – 30.000,00 = 470.000,00. Isto


significa que a variação positiva de Duplicatas a receber significa não recebimento e no momento
de calcular o valor correspondente ao recebimento em X2 esse valor deve ser deduzido.
Imaginemos agora a seguinte situação:

Ex.: Receitas com vendas X2 500.000,00

Duplicatas a Receber X1 50.000,00

Duplicatas a Receber X2 0,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
A análise dessa situação permite concluir que além da empresa receber todas as vendas do
período, ela ainda recebeu 50.000,00 do período anterior. Logo se pedir o recebimento decorrente
das vendas em X2 devem se adicionar ao valor da receita com vendas a Variação negativa de
duplicatas a receber.
Resumindo, se for pedido o valor do recebimento de vendas em determinado exercício,
deve-se subtrair caso haja variação positiva de clientes/duplicatas a receber ou
somar caso haja variação negativa de cleintes/duplicatas a receber
Análise de adiantamento de Clientes

Receita de Vendas X2 800.000,00

Adiantamento de Clientes 30.000,00

Adiantamento de Clientes 0,00

A análise do adiantamento de vendas é justamente o contrário, significa que daqueles 800.000,00,


não foi recebido 30.000,00 pois o mesmo já havia sido adiantado no exercício anterior, logo o
valor correspondente ao recebimento de vendas em X2 foi 800.000,00- 30.000,00 = 770.000,00.
Imaginemos agora essa outra situação

Receita de Vendas X2 800.000,00

Adiantamento de Clientes 0,00

Adiantamento de Clientes 40.000,00

A análise da situação acima permite concluir que houve recebimento decorrente de vendas no
valor de 840.000,00, destes 800.000,0 correspondentes a venda do período e os 40.000,00
decorrente de vendas cujo fato gerador ainda não ocorreu.
Concluindo a variação positiva de adiantamento de clientes significa que foi recebido mais do que
foi vendido logo deve ser adicionada ao valor das vendas, quando se quer saber o valor dos
recebimentos decorrentes de vendas naquele período ao passo que a variação negativa deve ser
diminuída.
Caso apareçam questões com receita de Vendas e variação de clientes e também variação de
adiantamento de clientes, deve ser somado ao valor das vendas o valor da variação negativa de

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
clientes e o valor da variação positiva de adiantamento de clientes e subtraído a variação positiva
de clientes e a variação negativa de adiantamento de clientes, conforme explicado acima..

Receita de Vendas X2 1.000.000,00

Duplicatas a Receber X1 250.000,00

Duplicatas a Receber X2 100.000,00

Adiantamento de Clientes 130.000,00

Adiantamento de Clientes 80.000,00

Receitas 1.000.000,00

+ (-) clientes 150.000,00

- (-)adiantamento de clientes (50.000,00)

Além das analises nas contas de clientes e adiantamento de clientes acima vistas, deve-se ficar
atento também para saber se houve baixa de clientes com uso de provisão para devedores
duvidosos, e também se houve baixa de clientes com perdas com recebimento.
No fluxo de caixa a PDD não utilizada ela é revertida para o resultado. Então deve-se primeiro
olhar a PDD constituída no exercício anterior e verificar o quanto dela foi utilizado, para verificar
quando da mesma foi utilizada, deve se observar na DRE para verificar se houve reversão de PDD
se não houve é porque a mesma foi totalmente utilizada. Pode acontecer de a mesma só ser
parcialmente utilizada e percebe-se isso através da DRE caso exista a conta reversão de PDD por
um valor inferior ao valor constituído. Mas também, pode acontecer que a PDD tenha sido
insuficiente para dar baixa nos créditos por não recebimento e fazer essa análise para se ter
certeza, também se deve olhar na DRE para ver se lá possui a conta Perdas com recebimento de
clientes. Caso haja essa conta, significa que o valor do não recebimento foi igual ao valor da PDD
mais as perdas com clientes e esses valores devem ser subtraídos do valor do recebimento de
vendas do período.
Fatos e contabilização dos fatos relacionados à Compra:

Quando se analisa o pagamento e a fornecedores, deve-se verificar as seguintes contas: valor das
compras(obtido através do CMV na DRE), variação da conta fornecedores(BP), variação de
adiantamento á fornecedores. primeiramente pega-se o valor das compras na DRE, que

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
normalmente não é fornecido devendo ser calculado através do CVM constante na
DRE. Com o valor das compras faz-se a análise com a contrapartida desta conta no
Balanço Patrimonial. È importante perceber que nesses tipos de questões, não
interessa se a compra foi a prazo ou foi a vista. Portanto imagine que toda compra foi
feito a prazo.

Compras em X2 700.000,00

Fornecedores X1 80.000,00

Fornecedores X2 0,00

Ao analisar a situação acima, constata-se que a empresa além do pagamento de todas as compras
do exercício, ela ainda pagou mais 80.000,00 do exercício anterior. Valor do pagamento a
fornecedores será de 700.000,00 mais 80.000,00 portanto 780.000,00.

Exemplo 2

Compras em X2 300.000,00

Adiantamento a Fornecedores X1 50.000,00

Adiantamento a Fornecedores X2 0,00

Ao analisar a situação a cima, percebe-se que das compras de X2 no valor de 300.000,00, só


foram pagas 250.000,00, pois 50.000,00 já haviam sido adiantados no exercício anterior. Logo
para se encontrar o valor do pagamento de fornecedores deve-se somar a variação positiva de
adiantamento de clientes e subtrair a variação negativa de adiantamento de clientes.

Resumindo, caso ocorra aumento na conta fornecedores significa que você deixou de
pagar compras devendo ser deduzidos já quando a conta adiantamento a
fornecedores aumenta significa que foi pago um valor maior portanto deve ser somado
ao valor de fornecedores. Analisando inversamente, a redução da conta fornecedora
deve ser somada haja vista que foi pago um valor maior que as compras do período e
quando adiantamento a fornecedores reduz o saldo você deve subtrair pois significa
que o pagamento foi inferior..

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
ANÁLISE DE DEPESAS COM VARIAÇÃ DE CONTAS A PAGAR
A variação positiva de contas a pagar significa que as despesas provisionadas naquele
exercício(despesas daquele exercício que deixaram de ser pagas) superaram as despesas pagas
de outros exercícios que estavam provisionadas. Se fosse fornecido os valores das despesas
daqueles exercícios que foram provisionadas você subtrairia e adicionava as despesas pagas de
outros exercícios que estavam provisionada. Como as questões normalmente não fornece esse
tipo de informação, você deve pegar pela variação das contas a pagar. Entenda da seguinte
forma: variação positiva de contas a pagar significa que você pagou menos despesas
devendo ser deduzidas, ao passo que a variação negativa de contas a pagar significa
que você pagou mais despesas devendo assim ser somada.
Para melhor entender essa situação, imagine uma empresa com uma despesas de salários de
80.000,00 e a contas salários a pagar variou de 0 para 30.000,00 isso significa que dos oitenta mil
de despesas, foi pago apenas 50.000,00 e o restante provisionado para pagamento posterior.
Logo para se achar o valor das despesas pagas (50.000,00), subtraímos o valor das
despesas(80.000,00) da variação positiva da conta salários a pagar(30.000,00).

Agora imaginemos, uma empresa com uma despesa de salários de 100.000,00 e a conta salários a
pagar variou de 40.000,00 para 0,00 isso significa que além do 100.000,00 cem mil de despesas
de salários daquele exercício, a empresa ainda pagou mais 40.000,00 de despesas de outros
exercícios que estavam provisionados. Portanto o valor do pagamento correspondeu a 140.000,00
referente a 100.000,00 de despesas do exercícios mais a variação negativa da conta salários a
pagar de 40.000,00.

ANÁLISE DE DEPESAS COM VARIAÇÃ0 DE DESPESAS ANTECIPADAS

Caso você tenha na DRE uma despesa com seguros e exista no Balanço Patrimonial uma Variação
nas despesas de seguros pagos antecipadamente, essa variação deverá ser levado em conta no
momento de se calcular o valor do pagamento das despesas.Vamos supor que uma empresa teve
uma despesa de seguros constante na DRE de x2 no valor de 60.000,00 e no seu BP você
encontra no ativo circulante a conta seguros a vencer variando de 20.000,00 em x1 para
35.000,00 em x2. Você tem que analisar quer aquela despesa antecipada de x1de 20.000 é
correspondente ao exercício de x2 e portanto já esta incluída no valor das despesas de 60.000,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
de x2 entretanto não vai haver desembolso para pagamento da mesma pois ela já foi paga no
exercício anterior, portanto elas devem ser subtraída das despesas, não obstante, a despesas de
35.000,00 que é despesas antecipada em x2 portanto correspondente ao exercício de x3 não esta
incluída nos 60.000,00(pois neste valor só estarão as despesas do exercício de x2) mas a empresa
pagou e portanto deve ser adicionada ao valor das despesas pagas. Resumindo se a conta
correspondente a despesas antecipadas aumentar significa que foi paga uma despesa
maior devendo ser adicionada e se as despesas antecipadas diminuírem significa que
houve um pagamento menor de despesas devendo ser deduzido do valor das despesas
para encontrar o valor do pagamento das mesmas.

Suponhamos que uma empresa teve uma despesa de seguros de 130.000,00 no exercício de x6 e
a conta seguros a vencer(seguros antecipados) variou de 30.000,0 em x5 para 70.00,00 em x6.
Para sabermos o valor das despesas pagas devemos analisar que o valor de 30.000 já esta
incluído nos 130.000,0 mais a empresa nada desembolsará pois já havia pago antecipadamente
em x5 já o valor de 70.000,00 não esta incluído nos 130.000,00 mas a empresa pagou. Portanto
devemos ao valor das despesas de 130.000,00 diminuirmos 30.000,00 e somarmos 70.000,00,
portanto o valor das despesas pagas será de 170.000,00 justamente o valor das despesas
somadas a variação positiva da conta seguros a vencer.

PAGAMENTO DE DESPESAS COM VARIAÇÃO SIMULTÂNEA DE CONTA A PAGAR E


DEPESAS ANTECIPADAS CORREPONDENTES AS MESMAS DESPESAS.

Quando ocorrer essa variação você deve fazer como se fossem dois fatos isolados . pega o valor
das despesas e adiciona a variação negativa de contas a pagar e subtrai a variação positiva de
contas a pagar e posteriormente analisa as despesas antecipadas adiconando a variação positiva
da mesma e subtraindo a variação negativa da mesma, o motivo desses ajustes foram explicados
nos itens anteriores.

Despesa de Seguros X2 = 200.000,00

Seguros a pagar X1 = 50.000,00

Seguros a pagar X2 = 80.000,00

Seguros a Vencer X1 = 30.000,00

Seguros a Vencer X2 = 40.000,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Para calcular o valor das despesas pagas em X2 deve ao valor das despesas de seguros
subtrairmos a variação positiva dos seguros a pagar e adicionarmos o valor da variação positiva
dos seguros antecipados. 200.000,00 – 30.000,00 +
10.000,00 = 180.000,00.

Resumindo, como a conta seguros a pagar aumentou significa que você deixou de
pagar seguros devendo ser deduzidos já quando a conta seguros a vencer aumentou,
significa que você pagou mais despesas devendo ser somado.

VALOR DAS DESPESAS PAGAS NO EXERCÍCIO.

Quando for pedido o valor das despesas pagas no período que não deve ser confundido
com as despesas pagas do período,
1. você deve tomar cuidado com as contas de despesas que não exigem pagamento.
Ex.: depreciação, amortização, PDD, Etc.
2. observar a variação das conta contas a pagar(utilizadas para contabilizar despesas
não pagas)
3. observar a variação das contas de despesas antecipadas.

Ex.: Despesas Totais X2 70.000,00

Despesa com PDD 10.000,00

Despesa com Depreciação 30.000,00

Contas a pagar X1 15.000,00

Contas a Pagar X2 25.000,00

Despesas antecipadas X1 8.000,00

Despesas Antecipadas X2 15.000,00

Pede-se o valor das Despesas Pagas em X2:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Despesas Totais 70.000,00


(-) PDD (10.000,00)

(-) Depreciação (30.000,00)

(-) (+) contas a pagar (10.000,00)

(+) (+)Despesas Antecipadas 7.000,00

Despesas pagas em X2 = 27.000,00

Pode também acontecer, de a banca fornecer o valor das despesas


provisionadas(entenda despesas que não necessitam de pagamento), e, nesse caso,
você só deverá ajustar das variações de contas a pagar e de despesas antecipadas.
Cuidado, pois pode acontecer de ser fornecido o valor das despesas provisionadas e o
valor de uma outra despesa que não necessita pagamento. Pois nesse caso essa
despesa que não necessita de pagamento já estará incluída no valor das despesas
provisionadas não sendo necessário fazer este ajuste.

Despesas Totais X2 300.000,00

Despesas Provisionadas 15%

Despesas de depreciação 10.000,00

Contas a pagar X1 80.000,00

Contas a Pagar X2 20.000,00


Despesas antecipadas X1 40.000,00

Despesas Antecipadas X2 10.000,00

Pede-se o valor das Despesas Pagas em X2:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Você tem que star atento que o valor das despesas provisionadas já engloba o valor da despesa
com depreciação, portanto só se faz o ajuste das despesas provisionadas.

Despesas Totais 300.000,00

(-) Despesas provisionadas (45.000,00)

(+) (-) contas a pagar 60.000,00

(-) (-)Despesas Antecipadas (30.000,00)

Despesas pagas em X2 = 285.000,00

Método Indireto

O método indireto consiste na demonstração dos recursos provenientes das atividades


operacionais a partir do lucro líquido, ajustado pelos itens que afetam o resultado (tais como
depreciação, amortização e exaustão), mas que não modificam o caixa da empresa.
Este método, principalmente pela sua parte inicial (lucro líquido ajustado), assemelha-se à
Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos. Parte do lucro líquido para, após os ajustes
necessários, chegar ao valor das disponibilidades produzidas no período pelas operações
registradas na Demonstração do Resultado do Exercício. A semelhança com a DOAR se estende
apenas às contas do circulante. Este método é também conhecido como método de reconciliação.

o método indireto, segundo o qual o lucro líquido ou o prejuízo é ajustado pelos efeitos de
transações que não envolvem caixa, pelos efeitos de quaisquer diferimentos ou apropriações por
competência sobre recebimentos de caixa ou pagamentos em caixa operacionais passados ou
futuros, e pelos efeitos de itens de receita ou despesa associados com fluxos de caixa das
atividades de investimento ou de financiamento.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
De acordo com o método indireto, o fluxo de caixa líquido advindo das atividades operacionais é
determinado ajustando o lucro líquido ou prejuízo quanto aos efeitos de:

(a) variações ocorridas no período nos estoques e nas contas operacionais a receber e a
pagar;

(b) itens que não afetam o caixa, tais como depreciação, provisões, tributos diferidos,
ganhos e perdas cambiais não realizados e resultado de equivalência patrimonial quando aplicável;
e

(c)todos os outros itens tratados como fluxos de caixa advindos das atividades de investimento e
de financiamento.

Ajustes do resultado e apuração dos valores das atividades operacionais:


Sequencia da Atividade operacional pelo método inidreto:

1 - Registrar o lucro líquido da DRE.


2 - Somar ou subtrair os lançamentos que afetam o lucro mas que não têm efeito no caixa ou
cujo efeito se reconhece em outro lugar da DFC ou a longo prazo, caso da depreciação,
amortização, ganhos e perdas com MEP, despesas e receitas financeiras de longo prazo etc.

3 - Somar ou subtrair os lançamentos que, apesar de afetarem o caixa, não pertencem às


atividades operacionais, tais como, ganho ou perda na venda de imobilizado ou outro ativo não
pertencente ao grupo circulante.
4 - Somar as reduções nos saldos das contas do ativo circulante e realizável a longo prazo
vinculadas às operações.
5 - Subtrair os acréscimos nos saldos das contas do ativo circulante e realizável a longo prazo
vinculados às operações.
6 - Somar os acréscimos nos saldos das contas do passivo circulante e exigível a longo prazo
vinculados às operações.
6 - Subtrair as reduções nos saldos das contas do passivo circulante e exigível a longo prazo
vinculadas às operações.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

QUESTÕES RESOLVIDAS NA AULA 38

01. (FUNDATEC/CAGE/2014-2) A demonstração financeira apresentada com o objetivo de


evidenciar a capacidade de uma empresa gerar caixa e equivalentes de caixa em um período é a :

a) Demonstração do Valor Adicionado


b) Demonstração das Origens e Aplicações de recursos
c) Demonstração de Fluxo de Caixa
d) Demonstração do Resultado do Exercício
e) Demonstração de Lucros e Prejuízos Acumulados.

02. (FUNDATEC/CONTADOR/2012) Uma das inovações da Lei 11.638/2007 foi a exigência da


Demonstração dos Fluxos de Caixa. Entretanto, nem todas as companhias estão obrigadas a elaborar e
publicar tal demonstração. A lei dispensa dessa obrigatoriedade as companhias fechadas com
patrimônio, na data do balanço, inferior a R$
A) 240.000,00.
B) 360.000,00.
C) 500.000,00.
D) 1.000.000,00.
E) 2.000.000,00.

03. (CESGRANRIO/TERMOAÇU 2008) Considerando as Normas Internacionais de Contabilidade,


especificamente o International Accounting Standard - IAS - no 7 que trata da Demonstração do Fluxo
de Caixa, tem-se que

(A) a divulgação da demonstração dos fluxos de caixa deverá ser para 3 (três) exercícios sociais
comparativos.
(B) a movimentação do fluxo de caixa é classificada em três categorias segundo a natureza de sua
atividade; são elas: operacional, de terceiros e financiamento.
(C) a demonstração dos fluxos de caixa pode ser elaborada pelo método indireto ou direto, sendo que
neste último os fluxos de caixa são apresentados ajustando-se o resultado do período.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(D) caixa e equivalentes de caixa englobam as contas de Caixa, Bancos e aplicações financeiras com
vencimento até 3 (três) meses.
(E) caixa e equivalentes de caixa englobam as contas de Caixa, Bancos e aplicações financeiras de
curto prazo com vencimento até 6 (seis) meses.

04. (FUNDATEC/CONTADOR/2012) Com base na Lei no 11.638/2007, analise as afirmações abaixo


em relação à Demonstração dos Fluxos de Caixa- DFC:
I - Segrega suas informações em, no mínimo, 3 (três) fluxos: das operações, dos financiamentos e dos
investimentos.
II - Demonstra o valor da riqueza gerada pela companhia, a sua distribuição entre os elementos que
contribuíram para a geração dessa riqueza, tais como empregados, financiadores, acionistas, governo e
outros, bem como a parcela da riqueza não distribuída.
III - Apresenta as alterações ocorridas durante o exercício, nos saldos de caixa e equivalentes de caixa.
IV - É obrigatória sua elaboração somente para as sociedades por ações de capital aberto.
Quais estão corretas?
A) Apenas I e II.
B) Apenas I e III.
C) Apenas I, II e III.
D) Apenas II, III e IV.
E) I, II, III e IV.

05. (FCC/TRT/18/2013) De acordo com a estrutura da Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC),
pagamentos de caixa decorrentes do resgate de ações da própria entidade, amortização de
empréstimo obtido (pagamento de principal) e recebimentos de caixa decorrentes da venda de uma
patente devem ser classificados, respectivamente, no fluxo de caixa das atividades

(A) de investimento, de investimento e de financiamento.


(B) de financiamento, de financiamento e de investimento.
(C) de investimento, de financiamento e de investimento.
(D) de financiamento, de financiamento e operacionais.
(E) operacionais, de financiamento e de investimento.

06. (FCC/MP/AM/2013) Os seguintes eventos afetaram a conta Caixa e Equivalentes de Caixa de


uma empresa em determinado período:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
1. Recebimento de valores decorrentes da venda de ativo imobilizado.
2. Pagamento para resgatar ações da própria entidade.
3. Recebimento decorrente da emissão de debêntures.

De acordo com a regulamentação vigente, na elaboração e divulgação da Demonstração dos Fluxos de


Caixa (DFC), estes eventos devem ser classificados, respectivamente, no fluxo de caixa das atividades
(A) de investimento, de financiamento e de financiamento.
(B) operacionais, de financiamento e de financiamento.
(C) operacionais, de investimento e de investimento.
(D) de financiamento, operacionais e de financiamento.
(E) de investimento, de investimento e de financiamento.

07. (FCC/SEFAZ/SP/2013) Durante o ano de 2012, a Cia. Desenvolvida S.A. adquiriu ações de sua
própria emissão, pagou fornecedores de matéria-prima e pagou três prestações de um arrendamento
mercantil financeiro referentes à aquisição de uma máquina. Estas transações devem ser classificadas,
respectivamente, na Demonstração dos Fluxos de Caixa como fluxos de caixa decorrentes das
atividades

(A) operacionais, de financiamento e de financiamento.


(B) de financiamento, operacionais e operacionais.
(C) de investimento, operacionais e de financiamento.
(D) de financiamento, operacionais e de investimento.
(E) de financiamento, operacionais e de financiamento.

08.(FCC 2010) Considere as seguintes assertivas sobre a Demonstração dos Fluxos de Caixa:

I. Pagamentos de caixa a fornecedores de mercadorias devem ser classificados como fluxos de caixa
das atividades operacionais.
II. Caixa gerado na venda de um ativo imobilizado é classificado como fluxo de caixa das atividades de
investimentos.
III. Pagamentos de caixa decorrentes do resgate de ações de emissão pela própria enxtidade devem
ser classificados como fluxos de caixa decorrentes das atividades de investimento.

Está correto o que se afirma em

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(A) III, apenas.
(B) II, apenas.
(C) I e II, apenas.
(D) I e III, apenas.
(E) I, II e III.

09. (FCC/TRT/2012) Na elaboração e divulgação da Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), de


acordo com a regulamentação vigente, o aumento de capital em dinheiro, a amortização de um
empréstimo e a aquisição de ações de emissão da própria empresa devem ser classificados,
respectivamente, no fluxo de caixa das atividades

(A) operacionais, de financiamento e de investimento.


(B) de financiamento, de financiamento e de financiamento.
(C) de financiamento, de financiamento e de investimento.
(D) de investimento, operacionais e de investimento.
(E) de financiamento, de investimento e de financiamento.

10. (FCC/INFRAERO/2011) De acordo com a estrutura definida pela regulamentação vigente para
a elaboração da Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC), a amortização de um financiamento
(principal), o pagamento de dividendos e a aquisição de um imobilizado devem ser classificados,
respectivamente, no fluxo de caixa das atividades

(A) de financiamento, de investimento e operacionais.


(B) operacionais, de investimento e de financiamento.
(C) de financiamento, operacionais e de investimento.
(D) de financiamento, de financiamento e de investimento.
(E) de investimento, operacionais e operacionais.

11. (FCC/ARCE/2012) Na Demonstração dos Fluxos de Caixa, podem ser citados como exemplos de
fluxo de caixa das atividades de investimentos os
(A) pagamentos de caixa decorrentes de contratos mantidos para negociação imediata e os
pagamentos de caixa para resgatar ações da própria entidade.
(B) pagamentos de caixa para aquisição de ativo intangível e os pagamentos de caixa a empregados
pelos serviços prestados.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(C) recebimentos de caixa decorrentes da emissão de debêntures e os pagamentos de caixa
decorrentes de arrendamento mercantil financeiro.
(D) recebimentos de caixa decorrentes de royalties e os recebimentos de caixa decorrentes da venda
de participação societária.
(E) recebimentos de caixa decorrentes da venda de ativo imobilizado e os pagamentos por aquisição de
instrumentos patrimoniais de coligada.

12. (FCC/INFRAERO/2011) O Pronunciamento Técnico CPC no 3, que trata da elaboração da


Demonstração dos Fluxos de Caixa, encoraja fortemente as entidades a classificar os dividendos e
juros sobre o capital próprio pagos como fluxo de caixa das atividades

(A) operacionais e de financiamento, respectivamente.


(B) de financiamento.
(C) de investimento.
(D) de financiamento e de investimento, respectivamente.
(E) operacionais.

13(FCC/TRT-SE/2011) Na elaboração da Demonstração dos Fluxos de Caixa são classificadas como


Atividades de Financiamento:

(A) a aquisição de títulos patrimoniais de outras empresas e os contratos de mútuo concedidos às


empresas controladas.
(B) o aumento de capital social com saldos de reservas e as vendas de imobilizados à vista.
(C) a obtenção de novos empréstimos de longo prazo e o resgate de aplicações financeiras de longo
prazo.
(D) o pagamento de juros sobre capital próprio e a venda de novas ações.
(E) a quitação de passivos não circulantes e os ganhos com alienação de participações societárias.

14. (FCC/TRT-SE/2011) Um dos eventos que afetam financeiramente os Fluxos de Caixa das
empresas é
(A) a despesa de depreciação.
(B) a venda de imobilizado.
(C) a variação cambial apropriada.
(D) o ajuste de diferenças de inventário.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(E) a equivalência patrimonial negativa.

15(FCC/SEFAZ/SP/2009) A empresa Novos Tempos S.A. tem, segundo a lei societária vigente, a
obrigatoriedade de apresentar a Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC). Em um determinado
período, a empresa efetuou a venda de máquinas e equipamentos totalmente depreciados pelo valor
de R$ 100.000,00, realizou aumento de capital no valor de R$ 1.000.000,00 e comprou softwares
ligados ao processo produtivo à vista. Na DFC, do mesmo período, esses eventos geraram,
respectivamente,

a) aumento das fontes de investimento, aumento das fontes de financiamento e diminuição das fontes
de investimento.
b) aumento das fontes de financiamento, aumento das fontes de investimento e aumento das fontes
de investimento.
c) diminuição das fontes de investimentos, diminuição das fontes de financiamento e diminuição das
fontes de investimento.
d) diminuição das fontes de financiamento, diminuição das fontes de investimento e aumento das
fontes de investimento.
e) diminuição das fontes de investimento, aumento das fontes de financiamento e aumento das fontes
de financiamento.

16(ICMS-RO-2010-FCC). Na Demonstração dos Fluxos de Caixa, são itens classificados como fluxo
de caixa das atividades de financiamento

(A) os pagamentos de caixa para resgatar ações da entidade e para reduzir o passivo relativo a
arrendamento mercantil financeiro.
(B) o caixa recebido proveniente da emissão de debêntures e os pagamentos para aquisição de ações
ou instrumentos de dívida de outras entidades.
(C) os pagamentos de caixa para aquisição de ativo intangível e o pagamento de dividendos.
(D) os pagamentos de caixa a fornecedores de mercadorias e serviços e o caixa recebido pela emissão
de instrumentos patrimoniais.
(E) os recebimentos de caixa decorrentes de royalties, honorários, comissões e outras receitas e a
amortização de empréstimos e financiamentos

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
17) FGV 2010- A Cia. Mato Grosso efetuou a emissão de uma debênture em 2006 no valor de R$
1.000.000. O valor recebido com a emissão da debênture foi integralmente utilizado para a compra de
estoques. Em 2009, a empresa efetuou a liquidação integral do Passivo, incluindo os juros incidentes.
Como o resgate da debênture deve ser evidenciado na Demonstração dos Fluxos de Caixa de
Dezembro de 2009?

a) Fluxo de caixa gerado pela Atividade Operacional.


b) Fluxo de Caixa gerado pela Atividade de Financiamento.
c) Fluxo de Caixa consumido pela Atividade Operacional
d) Fluxo de Caixa consumido pela Atividade de Investimento
e) Fluxo de Caixa consumido pela Atividade de Financiamento.

18 (CARLOS CHAGAS/CIA ENERGÉTICA DE AL 2005) Informações extraídas do Demonstrativo


do Fluxo de Caixa da Cia. Beta em 31-12-2004:
Entradas líquidas de caixa das atividades op...........................R$ 100.000,00
Saídas líquidas de caixa das atividades de in............................R$ 80.000,00
Variação do Disponível.................................................................R$ 35.000,00

É correto concluir que o fluxo de caixa derivado das atividades de financiamento foi:
(A) positivo no valor de R$ 55.000,00.
(B) negativo no valor de R$ 50.000,00.
(C) negativo no valor de R$ 35.000,00.
(D) positivo no valor de R$ 15.000,00.
(E) nulo.

19. (FCC/TCE-SP/2012) Da Demonstração dos Fluxos de Caixa elaborada pela Cia. Araxá, relativa
ao exercício findo em 31-12-2011, foram extraídas as seguintes informações:
I. O valor do Disponível da Cia. Araxá aumentou R$ 186.500,00 entre 31-12-2010 e 31-12-2011.
II. Houve uma saída líquida de caixa e equivalentes-caixa das atividades de investimento no valor de
R$ 54.680,00.
III. O fluxo de caixa das atividades de financiamento registrou uma entrada líquida de R$ 38.640,00.
À vista dessas informações, conclui-se que, no exercício de 2011, houve uma entrada líquida de caixa
das atividades operacionais no valor de, em reais,
(A) 170.360,00
(B) 170.460,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(C) 182.500,00
(D) 202.540,00
(E) 208.520,00

20. (CETRO /ISS/SP/2014) 75. Uma sociedade empresária apresentou, em seu Balanço
Patrimonial, um saldo de Caixa e Equivalentes de Caixa de $350.000,00 em 31/12/2012 e de
R$310.000,00 em 31/12/2013. Observando os dados da sua Demonstração dos Fluxos de Caixa de
2013, verificou-se que as suas atividades operacionais geraram caixa no valor de R$43.000,00.
Observou-se, também, que a única operação em suas atividades de financiamento foi um aumento de
Capital Social em dinheiro no valor de R$20.000,00.
Com base nos dados apresentados, assinale a alternativa que apresenta as Atividades de
Investimentos na Demonstração dos Fluxos de Caixa dessa empresa em 2013.

(A) Geraram caixa no valor de R$103.000,00.


(B) Consumiram caixa no valor de R$103.000,00.
(C) Não apresentou movimentação no período.
(D) Geraram caixa no valor de R$63.000,00.
(E) Consumiram caixa no valor de R$63.000,00.

21. (FGV/CCGE/MA/2013) O CPC 03 – Demonstração dos Fluxos de Caixa versa sobre a elaboração
e a apresentação desta demonstração.

Em relação à classificação dos juros pagos e recebidos, o CPC determina que

a) os juros pagos podem ser classificados como atividade operacional ou de investimento, enquanto os
juros recebidos podem ser classificados como atividade operacional ou de financiamento.
b) os juros pagos podem ser classificados como atividade operacional ou de financiamento, enquanto
os juros recebidos podem ser classificados como atividade operacional ou de investimento.
c) os juros pagos e recebidos têm que ser classificados como atividade operacional.
d) os juros pagos têm que ser classificados como atividade de financiamento, enquanto os juros
recebidos têm que ser classificados como atividade de investimento.
e) os juros pagos podem ser classificados como atividade de financiamento ou operacional, enquanto
os juros recebidos podem ser classificados como atividade de financiamento ou investimento.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

22. (FCC/TRT16/2014) A Cia. Líquida realizou as seguintes transações que impactaram seu Caixa e
Equivalentes de Caixa durante o mês de janeiro de 2014:

1. Pagamento de R$ 50.000,00 a Fornecedores.


2. Pagamento de R$ 110.000,00 referentes ao salário de seus funcionários.
3. Recebimento de R$ 250.000,00 referentes à venda de um imóvel.
4. Recebimento de R$ 180.000,00 referentes ao aumento do Capital Social.
5. Recebimento de R$ 90.000,00 de Duplicatas a Receber de Clientes.
6. Pagamento de R$ 210.000,00 referentes a um empréstimo (principal).
7. Pagamento de R$ 80.000,00 referentes à aquisição de imobilizado.
8. Pagamento de R$ 60.000,00 referentes ao Adiantamento ao Fornecedor José.
9. Recebimento de R$ 150.000,00 referentes ao Adiantamento do Cliente
10. Recebimento de R$ 140.000,00 referentes a um empréstimo obtido.

É correto afirmar que o registro destas transações provocou uma alteração no Fluxo de Caixa das
Atividades Operacionais da Cia. Líquida, no mês de janeiro de 2014, no valor de
a) R$ 20.000,00, positivos.
b) R$ 70.000,00, negativos.
c) R$ 80.000,00, positivos.
d) R$ 60.000,00, negativos.
e) R$ 300.000,00, positivos.

23/ (FEPESE/MPE/SC/2014) De acordo com o CPC 03/R2/2010, a Demonstração dos Fluxos de


Caixa deve ser elaborada destacando três tipos de atividades: Operacionais, de Investimentos e
Financiamentos.

Analise os itens abaixo e classifique-os de acordo com o tipo de atividade, conforme previsto na
legislação.

1. recebimento de vendas a prazo


2. captação de empréstimos junto a instituições financeiras
3. venda de veículo de uso da empresa
4. aquisição de novos equipamentos para ampliação das atividades operacionais da empresa
5. pagamento de dividendos

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
6. compra de mercadorias para revenda

Assinale a alternativa que indica a sequência correta das afirmativas acima, segundo o tipo de
atividade.
a) Operacional; Investimento; Investimento; Investimento; Financiamento; Operacional.
b) Operacional; Financiamento; Investimento; Investimento; Operacional; Operacional.
c) Operacional; Investimento; Investimento; Financiamento; Financiamento; Operacional.
d) Operacional; Financiamento; Investimento; Investimento; Financiamento; Operacional.
e) Investimento; Operacional; Investimento; Investimento; Financiamento; Operacional.

GABARITO

Dez/Und 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
0 X C E D B B A E C B
1 D E B D B A A E D D
2 B B A D

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

QUESTÕES RESOLVIDAS NA AULA 39

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
24). Com base nessa tabela, é correto afirmar que o valor do recebimento de clientes, no
ano 2007, é igual a
A R$ 95.000,00.
B R$ 98.500,00.
C R$ 101.000,00.
D R$ 104.500,00.
E R$ 110.500,00.

25). O valor pago, em reais, aos funcionários no período é igual a


A 3.500.
B 32.500.
C 37.860.
D 45.040.
E 48.540.

26). Assinale a opção que apresenta corretamente o valor pago em aluguéis no período.
A R$ 10.590,00
B R$ 16.210,00
C R$ 19.460,00
D R$ 22.710,00
E R$ 26.790,00

27). Conclui-se da tabela que o valor referente a energia elétrica pago no período é igual a
A R$ 15.200,00.
B R$ 15.620,00.
C R$ 16.120,00.
D R$ 19.320,00.
E R$ 31.740,00.

28). O valor pago aos fornecedores, no período, é igual a


A R$ 1.900,00.
B R$ 6.480,00.
C R$ 6.700,00.
D R$ 8.380,00.
E R$ 20.580,00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Das demonstrações contábeis da Cia. Azulão foram extraídas as contas abaixo com os seus respectivos
saldos:
Período
2000 2001

Fornecedores 23.000 32.000


CMV 800.000 1.300.000
Compras 750.000 1.200.000
Vendas 2.500.000 6.500.000
Despesas Antecipadas 15.000 240.000
Despesas Totais do Período 1.200.000 4.000.000
Depreciações do Período 320.000 540.000

Tomando como base os dados fornecidos, responda às questões de nº 29 a 31.

29) (ESAF/AFRF/2002.2) O valor pago pelas compras no ano de 2001 foi:


a) 1.300.000
b) 1.200.000
c) 1.191.000
d) 1.101.000
e) 1.091.000

30) (ESAF/AFRF/2002.2) Se o valor do estoque final for 90.000, o estoque inicial será:
a) 190.000
b) 180.000
c) 120.000
d) 100.000
e) 90.000

31) (ESAF/AFRF/2002.2) Considerando que o Passivo Circulante da empresa era formado


unicamente pela rubrica fornecedores e o Balanço Patrimonial não evidenciava a
existência de Realizável a Longo Prazo, pode-se afirmar que o valor das Despesas pagas no
período é:

a) 3.220.000
b) 3.445.000
c) 3.460.000
d) 3.685.000
e) 4.000.000

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Dadas as informações a seguir:

I - As Demonstrações Contábeis, de três períodos consecutivos, da CIA. MARACANÃ, registram nas


contas abaixo, os seguintes saldos:

II - O Balanço Patrimonial de 1998 evidenciava como saldos finais das contas a seguir os valores:

III - A empresa utilizava Contas a Pagar somente para registrar despesas a prazo.

Com base unicamente nas informações fornecidas, responda às questões de 32 a 34.

32) (ESAF/AFRF/2002) O valor das compras efetuadas pela empresa em 2001 é:


a) 18.005.000
b) 17.935.000
c) 14.535.000
d) 16.705.000
e) 13.385.000

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
33) (ESAF/AFRF/2002) O valor de ingresso no Fluxo de Caixa, nos três períodos,
proveniente das Vendas é:
1999 2000 2001
a) 15.000.000 25.000.000 32.000.000
b) 13.000.000 22.002.000 31.998.000
c) 12.997.000 22.000.000 31.992.000
d) 9.007.000 21.992.000 27.988.000
e) 4.997.000 15.982.000 27.992.000

34) (ESAF/AFRF/2002) No período de 2000 os pagamentos efetuados pela empresa aos


fornecedores foram no valor de:

a) 18.005.000
b) 17.935.000
c) 16.705.000
d) 14.535.000
e) 13.385.000

Tomando como base apenas os dados acima fornecidos, responder as questões de nos 35 a 37. Dados
da Cia. Comercial Santarém:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

3 – Outras informações:
Do resultado de 19x9 foram destinados: 3.500 para os acionistas e 500 para Reservas de
Lucros.
35. (ESAF/ANALISTA SERPRO 2001 - Avançada) O valor das compras de mercadorias efetuadas
em x9 é:
a) 180.000
b) 177.500
c) 177.000
d) 173.500
e) 173.000

36. (ESAF/ANALISTA SERPRO 2001 - Avançada) Em 19x9 o valor dos ingressos de


disponibilidades originados por vendas é:
a) 300.000
b) 296.500
c) 283.200
d) 280.200
e) 280.000

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
37. (ESAF/ANALISTA SERPRO 2001 - Avançada) O valor apurado, em 19x9, como pagamento de
Despesas, no Fluxo de Caixa pelo Método Direto é:
a) 173.500
b) 173.200
c) 108.200
d) 78.200
e) 68.000

GABARITO

Dez/Und 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
2 - - - - C C B D D C
3 A D A E E A D C
4

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

QUESTÕES RESOLVIDAS NA AULA 40

38.(FCC 2009) Com relação à demonstração dos Fluxos de Caixa, o resultado obtido com a alienação
de imobilizado representa:

(A) um acréscimo de recurso evidenciado nesta demonstração como atividade de investimento.


(B) um ajuste de resultado se o método utilizado para elaboração dessa demonstração for o indireto.
(C) um ingresso de recurso e por esta razão evidenciada como atividade de financiamento.
(D) um ganho, reconhecido pelo seu valor líquido como uma atividade operacional.
(E) uma atividade operacional se a empresa utilizar, para elaboração dessa demonstração, o método
direto.

39(FCC/TRT25ª/2008) A Cia. Comercial Itapicuru elaborou a Demonstração do Fluxo de Caixa para


o exercício encerrado em 31/12/2007, da qual foram extraídas as informações abaixo (em R$).

Lucro líquido do exercício ................................... 280.000,00


Empréstimo bancário obtido no exercício de 2007...... 320.000,00
Valor total de aquisição de imóvel com entrada de 20% 450.000,00
Dividendos distribuídos ....................................... 140.000,00
Despesas de depreciação...................................... 100.000,00
Ganho na alienação de bem do ativo imobilizado ........ 150.000,00
Aumento de capital em numerário.......................... 180.000,00
Aquisição de participação societária à vista .............. 200.000,00
Aumento em Duplicatas a Receber............................ 90.000,00
Diminuição em Estoques ........................................ 20.000,00
Aumento em Fornecedores..................................... 50.000,00
Diminuição em Tributos a Recolher .......................... 30.000,00

Utilizando apenas essas informações, é correto concluir que o fluxo de caixa operacional da sociedade
acarretou um aumento do Disponível, em R$, de
(A) 150.000,00.
(B) 170.000,00.
(C) 180.000,00.
(D) 220.000,00.
(E) 230.000,00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

40(FCC/ICMS/RO/2010) A empresa HAGA apresenta a seguinte Demonstração do Resultado do


Exercício findo em X9.

Demonstração do Resultado do Exercício


Receita Líquida de vendas ........................................... 150.000,00
Custo dos Produtos Vendidos ........................................ (87.000,00)
Lucro Bruto............................................................. 63.000,00
Despesas de Vendas ................................................... (8.400,00)
Despesas Administrativas ............................................ (25.600,00)
Despesa de Depreciação .............................................. (3.000,00)
Resultado de Equivalência Patrimonial............................... 6.000,00
Prejuízo na Venda de Imobilizado ................................... (2.000,00)
Resultado antes do Imposto de Renda e CSLL ................... 30.000,00
Imposto de Renda e CSLL .............................................. (9.000,00)
Lucro Líquido ........................................................... 21.000,00

Na elaboração da demonstração dos fluxos de caixa, pelo método indireto, considerando apenas os
valores constantes na Demonstração do Resultado do Exercício acima, o valor do ajuste ao lucro
líquido é, em reais,
(A) 1.000,00 negativo.
(B) 3.000,00 negativo.
(C) 5.000,00 positivo.
(D) 6.000,00 negativo.
(E) 34.000,00 positivo.

41. As seguintes informações foram extraídas da escrituração contábil da Cia. Aldebarã, relativas ao
exercício findo em 31.12.X0:

Diminuição em duplicatas a receber ............ 40.000,00.


Aumento em duplicatas descontadas ........... 10.000,00.
Aumento em estoque ................................... 15.000,00.
Diminuição em despesas antecipadas ............ 3.000,00.
Diminuição em fornecedores ......................... 8.000,00.
Aumento em impostos e contribuições .......... 2.500,00.
Redução em salários a pagar .......................... 1.500,00.
Lucro Líquido de X1 .................................... 25.000,00.

Os itens que compuseram o lucro do exercício, mas que não afetam as disponibilidades da companhia,
foram:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Despesas de Depreciação ................................ ..... 4.000,00.


Resultado negativo da equivalência patrimonial ........ 7.000,00.

Pode-se concluir que a variação positiva das disponibilidades da companhia em função de suas
atividades operacionais foi:
a) R$ 51.000,00;
b) R$ 57.000,00;
c) R$ 63.000,00;
d) R$ 67.000,00;
e) R$ 74.000,00.

42). Considere as seguintes informações a respeito do exercício findo no dia 31.12.X4 da Cia
Empregando:

- Lucro Líquido do Exercício 490


- Despesas com Depreciação 20
- Resultado Positivo com Equivalência Patrimonial 90
- Aumento de saldo na conta Clientes 60
- Redução de saldo na conta Fornecedores 80
-Redução do saldo das notas promissórias a pagar 20

Diante de tal quadro, podemos afirmar que o fluxo das atividades operacionais evidenciado na
Demonstração do Fluxo de Caixa pelo método indireto será de:

a) 280,00
b) 420,00
c) 440,00
d) 400,00
e) 480,00

43 (FCC/INFRAERO/2011) São dadas as seguintes informações, em R$, extraídas da escrituração


contábil da Cia. ABC, que elabora a Demonstração dos Fluxos de Caixa pelo método direto:

Saldo da conta Duplicatas a Receber em 31-12-2009..................... 385.890,00


Saldo da conta Duplicatas a Pagar em 31-12-2010........................ 388.650,00
Vendas efetuadas pela companhia no exercício de 2010................. 956.230,00
Compras efetuadas pela companhia no exercício de 2010 .............. 487.340,00
Saldo da conta Duplicatas a Pagar em 31-12-2009......................... 416.220,00
Saldo da conta Duplicatas a Receber em 31-12-2010...................... 352.810,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

O valor das vendas recebidas dos clientes no exercício de 2010 foi, em R$,
(A) 923.150,00
(B) 928.660,00
(C) 983.800,00
(D) 989.310,00

44 (INFRAERO- CONTADOR) Considere o quadro a seguir, referente à Demonstração dos Fluxos


de Caixa da Cia. Omega em 31/12/2003:

Sabendo-se que o saldo de caixa da Cia. Omega em 31/12/ 2002 era de R$ 860, o método de Fluxo
de Caixa empregado e o saldo de Caixa em 31/12/2003 são, respectivamente:
a) Método Direto; R$ 20
b) Método Direto; RS 880
c) Método Indireto; R$ 20
d) Método Indireto; R$ 880
e) Método Indireto; R$ 5.720

45. (FCC/TCE/SP/2013) A Empresa Corrente S.A. apresentou, em 31/12/2011, as seguintes


demonstrações contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Balanço Patrimonial (em reais)

Ativo 31/12/10 31/12/11 Passivo 31/12/10 31/12/11


Ativo Circulante 240.000 434.000 Passivo Circulante 160.000 212.000
Disponível 100.000 314.000 Fornecedores 160.000 119.000
Duplicatas a Receber 140.000 120.000 IR/CSLL a pagar – 93.000
Passivo Não
210.000 225.000
Circulante
Ativo Não Circulante 450.000 446.000 Empréstimos 210.000 225.000
Investimento 150.000 156.000
Imobilizado 300.000 290.000 Patrimônio Líquido 320.000 443.000
Edifícios 300.000 300.000 Capital Social 300.000 310.000
Deprec. Acum.
(10.000) Reservas de Lucros 20.000 133.000
Edifícios
Total do Ativo 690.000 880.000 Total do Passivo + PL 690.000 880.000
 

Demonstração do Resultado do Exercício de 2011 (em reais)

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Receita Bruta de Vendas 850.000
(-) Impostos sobre Vendas (153.000)
(=) Receita Líquida de Vendas 697.000
(-) Custo dos Produtos Vendidos (344.000)
Lucro Bruto 353.000
Despesas Gerais e Administrativas (58.000)
Despesa de Depreciação (10.000)
Resultado de Equivalência Patrimonial 6.000
Despesa Financeira (15.000)
Lucro antes do IR e CSLL 276.000
Despesa com Imposto de Renda e CSLL (93.000)
Lucro Líquido 183.000
 

Com base nas demonstrações da Empresa Corrente S.A. e sabendo que houve distribuição e
pagamento de dividendos de 70.000, e que as despesas financeiras não foram pagas, o fluxo de caixa
gerado pelas Atividades Operacionais foi, em reais,
a) 202.000.
b) 274.000.
c) 280.000.
d) 295.000.
e) 316.000.

A Cia. Comércio Mundial apresentava as seguintes demonstrações contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Informações Adicionais:
As Despesas Financeiras não foram pagas no período.
O terreno foi vendido à vista.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
O aumento de capital foi realizado da seguinte forma: R$ 50.000,00 em equipamentos e o restante
com incorporação de reservas de lucros.
Não houve pagamento de empréstimos no período.
A conta Fornecedores contém apenas as compras a prazo de Estoques e o Custo das
MercadoriasVendidas se refere apenas à baixa do Estoque vendido.

46. (FCC/TCE/RS/2014) O fluxo de caixa decorrente das Atividades Operacionais apurado no


primeiro semestre de 2014 foi, em reais,
(A) 85.000,00 negativo.
(B) 67.000,00 positivo.
(C) 105.000,00 negativo.
(D) 90.000,00 negativo.
(E) 110.000,00 negativo.

47. (FCC/TRE/RO/2013) Considere as informações apresentadas, a seguir, da empresa Delta S.A.:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Considerando que a despesa com juros é referente aos empréstimos de longo prazo e que NÃO foi
paga, as Atividades Operacionais, em 2012,

(A) geraram caixa no valor de R$ 3.560,00.


(B) consumiram caixa no valor de R$ 4.440,00.
(C) geraram caixa no valor de R$ 5.560,00.
(D) geraram caixa no valor de R$ 14.560,00.
(E) consumiram caixa no valor de R$ 19.440,00.

48. (FCC/TRT/AL/2014) Os Balanços Patrimoniais, em 31/12/00 e 31/12/01, e a Demonstração do


Resultado para o ano 01 da empresa Comercial deAlimentos S.A. são apresentados nos dois quadros a
seguir:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Sabe-se que no ano 01 a empresa não vendeu participações societárias nem máquinas e
equipamentos, não liquidou qualquer empréstimo, não pagou as despesas financeiras do ano, a venda
do terreno foi à vista e o aumento de capital foi em dinheiro. O valor, em reais, correspondente ao
Caixa das Atividades Operacionais é
(A) 54.000 (negativo).
(B) 26.000 (negativo).
(C) 79.200 (positivo).
(D) 102.000 (negativo).
(E) 51.200 (positivo).

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

49.(SEFAZ/RJ/2014). Determinada empresa comercial apresentava as seguintes demonstrações


contábeis (valores expressos em reais):

Com base nestas demonstrações contábeis e considerando, ainda, que os juros não foram pagos e foi
recebido o valor da venda de terreno não destinado a aluguel, o fluxo de caixa gerado pelas Atividades
Operacionais no primeiro trimestre de 2013 foi

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(A) R$ 19.000,00.
(B) R$ 42.000,00.
(C) R$ 121.000,00.
(D) R$ 98.000,00.
(E) R$ 132.000,00.

50(VUNESP/AFTM/SJRP/2014) Os seguintes dados foram extraídos do Balanço Patrimonial e da


Demonstração de Resultado da Cia. Ametista, relativos ao exercício encerrado em 31.12.2013, sendo
que as variações foram calculadas em relação aos valores de 31.12.2012:

Aumento de Contas a Pagar 100.000,00


Lucro Líquido do Exercício 480.000,00
Aumento de Fornecedores 20.000,00
Despesas de Depreciação do Imobilizado 170.000,00
Aumento de Recebíveis 60.000,00
Diminuição dos Estoques 50.000,00
Resultado Negativo da Equivalência Patrimonial 110.000,00

Considerando-se apenas esses dados, pode-se concluir que o Fluxo de Caixa das atividades
operacionais da companhia representou uma entrada de caixa e equivalentes- caixa, em R$, de:
a) 870.000,00.
b) 990.000,00.
c) 860.000,00.
d) 800.000,00.
e) 910.000,00.

GABARITO  

Dez/Und 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
3 - - - - - - - - B C
4 A D A D A B C C A B
5 A
 

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
QUESTÕES RESOLVIDAS NA AULA 41

Instruções para resolução das questões de nºs 51 a 57.

Em uma operação de verificação dos livros contábeis, realizada na Cia. Luanda, foi possível identificar
os seguintes dados:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

IV - Outras informações adicionais

As Notas Promissórias vencem em 180 dias.


Os financiamentos foram contratados junto ao Banco ABC em 30.12.20x1 pelo prazo de 8 anos, com
carência de 3 anos e juros de 5% anuais, pagáveis ao final de cada período contábil. O saldo devedor é
corrigido pela variação da moeda x, com pagamento do principal em 5 parcelas anuais após o período
de carência.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

51)- O valor dos ingressos de caixa gerado pelas vendas no período examinado foi:
a) 159.500
b) 150.000
c) 141.200
d) 139.500
e) 139.200

52)- Examinando os dados, verifica-se que a empresa pagou aos fornecedores o valor de:
a) 89.500
b) 86.500
c) 85.000
d) 82.000
e) 75.500

53)- Com base nos dados identificados, pode-se afirmar que a saída de caixa para o
pagamento de despesas foi:
a) 52.700
b) 50.700
c) 44.700
d) 45.500
e) 43.700

54)- No período a empresa efetuou compras de estoques no valor de:


a) 89.500
b) 86.500
c) 85.000
d) 82.000
e) 75.500

55)- Com os dados fornecidos e aplicando o método indireto para elaborar o fluxo de caixa,

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
pode-se afirmar que a contribuição do resultado ajustado para a formação das
disponibilidades é:
a) 21.300
b) 12.000
c) 17.500
d) 20.500
e) 6.000

56)- O valor dos itens de Investimentos que contribuíram para a variação das
disponibilidades é:
a) (5.500)
b) (5.000)
c) (500)
d) 5.000
e) 5.500

57) O valor do caixa líquido consumido nas atividades operacionais é:


a) (9.300)
b) (8.000)
c) (3.000)
d) 7.000
e) 9.000

58. (FCC/TRT/12/2013) Os Balanços Patrimoniais em 31/12/X0 e 31/12/X1, e a Demonstração do


Resultado para o ano X1 da empresa Comercial de Alimentos S.A. são apresentadas nos dois quadros a
seguir:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Sabe-se que no ano X1 a empresa não liquidou qualquer empréstimo, não pagou as despesas
financeiras do ano e o aumento de capital foi em dinheiro. Os valores correspondentes aos Fluxos de
Caixa Gerados ou Consumidos pelas Atividades Opera- cionais e pelas Atividades de Financiamentos
foram, respectivamente, em reais,
(A) 27.000 consumidos e 154.000 gerados.
(B) 29.000 consumidos e 154.000 gerados.
(C) 27.000 consumidos e 130.000 gerados.
(D) 25.000 gerados e 80.000 gerados.
(E) 13.000 consumidos e 50.000 gerados.

59. (FCC/TJ/AP/2014) Os Balanços Patrimoniais em 31/12/10 e 31/12/11 e a Demonstração do

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Resultado para o ano de 2011 da empresa Produtos Baratos Comercial S.A. são apresentadas a
seguir:

Sabe-se que no ano de 2011 a empresa não vendeu participações societárias nem veículos, não
liquidou qualquer empréstimo e não pagou as despesas financeiras do ano. Os valores correspondentes
ao caixa consumido ou gerado pelas Atividades Operacionais e pelas Atividades de Investimentos
foram, respectivamente, em reais (R$),

(A) 54.000,00 (positivo) e 32.000,00 (positivo).

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(B) 58.000,00 (negativo) e 32.000,00 (negativo).
(C) 54.000,00 (negativo) e 32.000,00 (negativo).
(D) 58.000,00 (negativo) e 48.000,00 (negativo).
(E) 54.000,00 (negativo) e 48.000,00 (negativo).

60. (FCC/SEFAZ/PE/2014) A empresa Informática Produtos e Serviços S.A. publicou os Balanços


Patrimoniais em 31/12/2011 e 31/12/2012, e a Demonstração do Resultado para o ano 2012, os quais
são apresentados a seguir:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Durante o ano de 2012, a empresa não vendeu investimentos nem máquinas e equipamentos, não
liquidou os empréstimos e não pagou as despesas financeiras incorridas. O valor registrado em Contas
a Receber se refere à venda dos Terrenos e o valor registrado em Contas a Pagar corresponde à
compra de ativos imobilizados. O valor em reais correspondente ao Caixa das Atividades de
Investimentos é
(A) 44.000,00 (positivo).
(B) 148.000,00 (negativo).
(C) 92.000,00 (negativo).
(D) 196.000,00 (negativo).
(E) 92.000,00 (positivo).

61. (FCC/TCE/PR/2011) A Cia. Gera Caixa S.A. é uma empresa comercial e apresentava as
seguintes demonstrações contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Com base nessas demonstrações e sabendo que os juros não foram pagos, que o aumento de capital
foi em dinheiro e que os veículos foram adquiridos à vista, o fluxo de caixa decorrente das Atividades
de Financiamento foi, em reais,
a) 32.000.
b) 42.000.
c) 52.000.
d) 90.000.
e) 95.000.

Instruções: Para responder às questões de números 62 a 64, considere as demonstrações


contábeis e as informações adicionais a seguir:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

A Cia. Comércio Mundial apresentava as seguintes demonstrações contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Informações Adicionais:

As Despesas Financeiras não foram pagas no período.


O terreno foi vendido à vista.
O aumento de capital foi realizado da seguinte forma: R$ 50.000,00 em equipamentos e o restante
com incorporação de reservas de lucros.
Não houve pagamento de empréstimos no período.
A conta Fornecedores contém apenas as compras a prazo de Estoques e o Custo das
MercadoriasVendidas se refere apenas à baixa do Estoque vendido.

62. (FCC/TCE/RS/2014) O fluxo de caixa decorrente das Atividades Operacionais apurado no


primeiro semestre de 2014 foi, em reais,
(A) 85.000,00 negativo.
(B) 67.000,00 positivo.
(C) 105.000,00 negativo.
(D) 90.000,00 negativo.
(E) 110.000,00 negativo.

63. (FCC/TCE/RS/2014) O fluxo de caixa decorrente das Atividades de Financiamento apurado no


primeiro semestre de 2014 foi, em reais,
(A) 55.000,00 positivo.
(B) 35.000,00 positivo.
(C) 30.000,00 positivo.
(D) 25.000,00 positivo.
(E) 75.000,00 negativo.

64. (FCC/TCE/RS/2014) O valor que foi pago, no primeiro semestre de 2014, referente às compras
de Estoques foi, em reais,
(A) 928.000,00
(B) 106.000,00
(C) 822.000,00
(D) 840.000,00
(E) 946.000,00

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Atenção: Para responder às questões de números 65 a 67, utilize as demonstrações contábeis a


seguir (Balanços Patrimoniais e Demonstração do Resultado) e as informações adicionais, abaixo.
A empresa comercial Compra e Vende S.A. apresentava as seguintes demonstrações contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Informações adicionais:
O aumento de capital foi realizado com a emissão de novas ações.
As despesas financeiras serão pagas somente na data de vencimento dos empréstimos, em
31/12/2012.
Não houve venda de investimentos.

65. (FCC/SABESP/2014) O fluxo de caixa decorrente das Atividades Operacionais no ano de 2011
foi, em reais,
(A) 41.500, positivos.
(B) 29.000, positivos.
(C) 4.500, positivos.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(D) 44.000, positivos.
(E) 7.500, negativos.

66. (FCC/SABESP/2014) O fluxo de caixa decorrente das Atividades de Investimento no ano de


2011 foi, em reais,
(A) 0,00 (zero).
(B) 9.000, negativos.
(C) 21.000, positivos.
(D) 12.000, positivos.
(E) 30.000, positivos.

67. (FCC/SABESP/2014) O fluxo de caixa decorrente da s Atividades de Financiamento no ano de


2011 foi, em reais,
(A) 79.000, positivos.
(B) 47.500, positivos.
(C) 35.000, positivos.
(D) 25.000, positivos.
(E) 37.500, positivos.

QUESTÕES RESOLVIDAS NA AULA 42

GABARITO
Dez/Und 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
5 - D A E B D B D C C
6 C B C D A D A C

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
Dos registros da Cia. Boreal, foram extraídos os dados relativos aos exercícios contábeis de 2009/2010,
a seguir:

Informação adicional
I. Títulos com vencimento previsto para 30 dias.
II. Com relação a PCLD, a provisão em 2010 correspondeu a R$400,00. Não houve registro de reversão
dos saldos anteriores.
III. O Resultado c/Venda do Imobilizado corresponde a 75% do valor líquido do bem vendido. Com
base nos dados fornecidos, responder as questões 68 e 69.

68- (ESAF/AFRFB/2013) O resultado apurado no período:

a) gerou um ingresso total de caixa de R$ 16.300,00.


b) quando ajustado, é negativo em R$ 8.700,00.
c) contribuiu para ingresso financeiro de R$ 12.800,00.
d) representa um uso total de disponibilidades de R$ 12.300,00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
e) indica que a atividade operacional foi positiva em R$ 1.300,00.

69- (ESAF/AFRFB/2013) Para a elaboração da Demonstração dos Fluxos de Caixa da Cia. Boreal,
deve-se considerar que
a) ocorreu uma aquisição de participações societárias em outras empresas.
b) as atividades operacionais foram alteradas pelo ganho com a venda do Imobilizado.
c) os dividendos distribuídos devem ser demonstrados como atividade de investimento.
d) as atividades de financiamento geram um ingresso positivo no fluxo do caixa.
e) a movimentação dos Fornecedores provoca aumento nas atividades de financiamentos.

70- (ESAF/AFC/STN/2013) A empresa Inovação S.A. produtora de cabos de energia efetuou as


seguintes operações em 2012:
I. Lançamento da depreciação do ano.
II. Pagamento de dividendos.
III. Juros sobre o Capital Próprio Recebidos.

Pode-se afirmar que estes eventos afetam a Demonstração dos Fluxos de Caixa, respectivamente,
como:
a) ajuste das atividades operacionais; saída das atividades de financiamento; entrada das fontes de
investimento.
b) entrada das fontes de investimento; saída das fontes de financiamento; entradas das fontes de
financiamento.
c) entrada das fontes de financiamento; entrada das fontes de investimento; saída das fontes de
financiamento.
d) entrada das atividades operacionais; saída das atividades de financiamento; saídas das fontes de
investimento.
e) saída das atividades operacionais; saídas das atividades operacionais; entrada das atividades
operacionais.

71- (ESAF/AFRFB/2014) O lucro obtido na Venda de Imobilizado e o Resultado de Equivalência


Patrimonial representam, na Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC):
a) ingresso de caixa na atividade de investimento.
b) aumento de atividades operacionais.
c) ajustes do resultado na elaboração da DFC.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
d) ingressos por Receita Operacional.
e) aumento de investimentos.

72(FCC/TCE/CE/2015) Os Balanços Patrimoniais em 31/12/2013 e 31/12/2014 e a Demonstração


do Resultado do ano 2014 da empresa Armas da Paz S.A. são apresentados nos dois quadros a seguir
(Valores em reais):

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Sabe-se que, no ano de 2014,


a empresa não vendeu participações em outras empresas e equipamentos; os imóveis foram
vendidos à vista em 02/01/2014;
a empresa pagou metade das despesas financeiras, mas não houve pagamento de principal dos
empréstimos;
a empresa classifica os pagamentos de despesas financeiras nas atividades operacionais. Os valores
correspondentes ao caixa consumido ou gerado pelas Atividades Operacionais, Atividades de
Investimento e Atividades de Financiamento em 2014 foram respectivamente, em reais,
(A) 24.000 (negativo), 104.000 (negativo) e 376.000 (positivo).
(B) 4.000 (negativo) e 84.000 (negativo) e 336.000 (positivo).
(C) 44.000 (negativo), 84.000 (negativo) e 386.000 (positivo).
(D) 44.000 (negativo), 84.000 (negativo) e 376.000 (positivo).
(E) 4.000 (positivo), 124.000 (positivo) e 376.000 (negativo).

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

73. (FCC/TCE/CE/2015) A Cia. Brasileira apresentou as seguintes demonstrações contábeis (Valores


em reais):

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Com base nas demonstrações acima e sabendo que a venda do terreno foi à vista e os juros não foram
pagos, o fluxo de caixa gerado pelas atividades operacionais foi, em reais,
(A) 202.000,00.
(B) 132.000,00.
(C) 292.000,00.
(D) 152.000,00.
(E) 344.000,00.

Atenção: Utilize as informações a seguir para responder as questões de números 74 e 75.


A Comércio Natalino S.A. apresentou, em 31/12 /2013, as seguintes demonstrações
contábeis:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

74.(FCC/TCM/GO/2015) Sabendo que a venda dos imóveis foi realizada à vista e que as despesas
financeiras não foram pagas no período, o fluxo de caixa gerado pelas Atividades Operacionais da
Comércio Natalino S.A. foi, em reais,
(A) 170.000,00.
(B) 230.000,00.
(C) 210.000,00.
(D) 310.000,00.
(E) 160.000,00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

75.(FCC/TCM/GO/2015) O valor que a Comércio Natalino S.A. recebeu de clientes em 2013 foi, em
reais,
(A) 740.000,00.
(B) 600.000,00.
(C) 850.000,00.
(D) 665.000,00.
(E) 525.000,00.

76.(FCC/TCM/GO/2015) Os Balanços Patrimoniais em 31/12/2012 e 31/12/2013 e a Demonstração


do Resultado do ano de 2013 da empresa Águas Claras Surf S.A. são apresentados nos dois quadros a
seguir:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Sabe-se que no ano de 2013 a empresa não vendeu investimentos e equipamentos, não liquidou
qualquer empréstimo e não pagou as despesas financeiras. Os valores correspondentes ao caixa
consumido ou gerado pelas Atividades Operacionais, Atividades de Investimento e Atividades de
Financiamento em 2013 foram, respectivamente, em reais,

(A) 8.000 (positivo), 52.000 (negativo) e 168.000 (positivo).


(B) 4.000 (positivo), 32.000 (positivo) e 208.000 (positivo).
(C) 2.000 (negativo), 42.000 (negativo) e 168.000 (positivo).
(D) 18.000 (positivo), 62.000 (negativo) e 168.000 (positivo).
(E) 2.000 (negativo), 6.000 (positivo) e 168.000 (positivo).

complementares apresentadas, a seguir, para responder às questões de números 77 e 78.


Os Balanços Patrimoniais em 31/12/2011 e 31/12/2012 e a Demonstração do Resultado referente ao
exercício de 2012 da em- presa Importados Chineses Comercial S.A. são apresentados nos dois
quadros a seguir, em reais:

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Informacoes Complementares

Sabe-se que no ano de 2012 a empresa não vendeu participações societárias e nem veículos, não
liquidou qualquer empréstimo, não pagou as despesas financeiras do ano e a integralização do capital
social foi em dinheiro.

77. (FCC/SEFAZ/PI/AUD/2015) O valor correspondente ao caixa consumido ou gerado pelas


Atividades Operacionais no ano de 2012 foi, em reais,
(A) 116.000 (negativo).
(B) 52.000 (negativo).
(C) 116.000 (positivo).
(D) 108.000 (negativo).
(E) 108.000 (positivo).

78.(FCC/SEFAZ/PI/AUD/2015) Os valores correspondentes ao caixa consumido ou gerado pelas


Atividades de Investimentos e ao caixa consumido ou gerado pelas Atividades de Financiamentos no
ano de 2012 foram, respectivamente, em reais,
(A) 64.000,00 (negativo) e 520.000,00 (positivo).
(B) 96.000,00 (negativo) e 32.000,00 (negativo).
(C) 64.000,00 (negativo) e 616.000,00 (negativo).
(D) 40.000,00 (negativo) e 520.000,00 (positivo).
(E) 64.000,00 (positivo) e 616.000,00 (positivo).

Atenção: Para responder às questões de números 79 e 80, considere as demonstrações contábeis da


empresa Perde Tudo X S.A. Apresentadas a seguir (Balanços Patrimoniais em 31/12/2013 e
31/12/2014 e a Demonstração do Resultado para o ano de 2014).

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

* E.P.C.L.D. = Estimativa de Perdas com Créditos de Liquidação Duvidosa Informações Adicionais:


Os investimentos são avaliados pelo Método da Equivalência Patrimonial.
Todos os veículos existentes em 31/12/2013 foram vendidos em 02/01/2014.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
O aumento de capital foi efetuado com a entrega de veículos no valor de R$ 5.000,00 e o restante
em dinheiro.
A empresa classifica os pagamentos de despesas financeiras como operacionais.
Os empréstimos existentes em 31/12/2013 foram integralmente pagos em 02/01/2014. Do saldo
existente em 31/12/2013 o valor de R$ 8.000,00 corresponde a despesas financeiras de períodos
anteriores que ainda não haviam sido pagos.
As despesas financeiras de 2014 foram pagas no próprio período.

79.(FCC/CNMP/2015) O valor correspondente ao caixa consumido ou gerado pelas Atividades


Operacionais no ano de 2014 foi, em reais,
(A) 9.500,00 positivo.
(B) 27.500,00 negativo.
(C) 17.500,00 positivo.
(D) 25.000,00 positivo.
(E) 22.500,00 positivo.

80.(FCC/CNMP/2015) Os valores correspondentes ao caixa consumido ou gerado pelas Atividades


de Investimento e pelas Atividades de Financiamento no ano de 2014 foram, respectivamente, em
reais,
(A) 35.000,00 negativo e 10.000,00 positivo.
(B) 17.500,00 negativo e 10.000,00 positivo.
(C) 17.500,00 negativo e 13.000,00 positivo.
(D) 22.500,00 negativo e 13.000,00 positivo.
(E) 15.000,00 negativo e 5.000,00 positivo.

81.(SEFAZ/PE/2015) A empresa Comercial de Bebidas S.A. apresentou as seguintes


demonstrações contábeis (valores em reais):

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Considerando as demonstrações contábeis acima, e sabendo que os juros não foram pagos, o valor da
venda do terreno foi recebido e os equipamentos foram adquiridos à vista, o fluxo de caixa gerado
pelas Atividades Operacionais no ano de 2014 foi, em reais,
(A) 80.000,00.
(B) 66.000,00.
(C) 50.000,00.
(D) 36.000,00.
(E) 56.000.00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

82.(FCC/CNMP/2015) A Empresa Trovoada S.A. apresentou as seguintes demonstrações contábeis,


com os valores expressos em reais:

Sabendo-se que as despesas financeiras somente serão pagas na data de vencimento dos empréstimos
existentes em 31/12/2014, que não houve pagamento de empréstimos em 2014, que o terreno foi
vendido à vista e os equipamentos foram adquiridos à vista, o fluxo de caixa gerado pelas Atividades
Operacionais no ano de 2014 foi, em reais,
(A) 66.000,00.
(B) 80.000,00.
(C) 50.000,00.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
(D) 36.000,00.
(E) 56.000.00.

83.(SEFAZ/PI/ANA/2015) Os Balanços Patrimoniais da Empresa Internacional S.A. em 31/12/2012


e 31/12/2013 e a Demonstração do Resultado para o ano de 2013 são apresentados a seguir (valores
em reais):

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 

Informações Adicionais:
Os investimentos são avaliados pelo Método de Custo.
Todos os veículos existentes em 31/12/2012 foram vendidos em 30/06/2013. A taxa de depreciação
destes bens era 10% ao ano.

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br
Contabilidade
Curso FISCAL 2015
Professor: Silvio Sande
 
O aumento de capital foi efetuado com a entrega de veículos no valor de R$ 20.000,00 e o restante
em dinheiro.
Os empréstimos existentes em 31/12/2012 foram integralmente pagos em 01/01/2013.
As despesas financeiras são pagas no próprio período a que competem. A empresa classifica os
pagamentos de juros como operacionais.

O valor correspondente ao caixa gerado pelas Atividades Operacionais no ano de 2013 foi, em reais:
(A) 50.000,00
(B) 17.000,00
(C) 20.000,00
(D) 25.000,00
(E) 55.000,00

GABARITO

Dez/Und 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
6 - - - - - - - - B D
7 A C D B E D C D A A
8 C D D C

Professor: Silvio Sande


www.silviosande.com.br