Anda di halaman 1dari 18

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO

FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

EXPERIÊNCIA 6 – CIRCUITOS OSCILADORES

CUIABÁ – 2017
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO
FACULDADE DE ARQUITETURA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Ana Carolina Maia Atala – N1


Rafael Alves Fuhrmann – N1

EXPERIÊNCIA 6 – CIRCUITOS OSCILADORES

Relatório elaborado a partir de


atividade de laboratório para obtenção
de nota parcial na disciplina de
Eletrônica II, ministrada pelo professor
Dr. Raul Monteiro.

CUIABÁ – 2017
RESUMO

Os circuitos osciladores são circuitos derivados dos amplificadores


operacionais capazes de modificar o sinal de entrada, que pode ser DC, em relação
ao de saída, na forma de onda e ou frequência, criando um sinal AC com
características específicas. Esse tipo de circuito é muito utilizado na área de sinais,
como recepção, transmissão, modulação e demodulação devido ao tamanho portátil
do circuito e sua versatilidade, permitindo a aplicação do mesmo em diversos
dispositívos.
Palavras-chave: Amplificador Operacional, Osciladores, Multisim.
Lista de figuras
Figura 1: Oscilador de Relaxação----------------------------------------------------------------------7
Figura 2: Oscilador de deslocamento de fase.---------------------------------------------------------8
Figura 3: Oscilador em quadratura.---------------------------------------------------------------------8
Figura 4: Montagem experimental----------------------------------------------------------------------9
Figura 5: Circuito oscilador por deslocamento de fase---------------------------------------------10
Figura 6: Oscilador de quadratura---------------------------------------------------------------------11
Figura 7: Forma de onda do oscilador de relaxação-------------------------------------------------12
Figura 8: Forma de onda das saídas dos dois AOP’s. A onda em azul é do AOP da direita,
enquanto a outra é respectiva ao AOP da esquerda.-------------------------------------------------12
Figura 9: Forma de onda de saída para o caso com os dois diodos.-------------------------------13
Figura 10: Forma de onda de saída com o diodo de cima aberto---------------------------------14
Figura 11: Forma e onda de saída com o diodo debaixo aberto------------------------------------14
Figura 12: Forma de saída sem ambos os diodos----------------------------------------------------14
Sumário
RESUMO....................................................................................................................................3
1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................................5
2 OBJETIVOS............................................................................................................................6
3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...........................................................................................7
3.1 Oscilador de Relaxação....................................................................................................7
3.2 Oscilador de Deslocamento de Fase.................................................................................7
3.3 Oscilador em quadratura..................................................................................................8
4 METODOLOGIA....................................................................................................................9
4.1 Materiais...........................................................................................................................9
4.2 Procedimento Experimental.............................................................................................9
5 RESULTADOS E DISCUSSÃO............................................................................................12
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS.................................................................................................16
7 REFERÊNCIAS.....................................................................................................................17
1 INTRODUÇÃO

Em engenharia elétrica, principalmente na área de modulação de sinais, é


importante ter acesso a sinais de diferentes formas, amplitudes e frequências,
porém, nem sempre é possível ter um gerador de sinais em um circuito integrado,
devido ao tamanho do projeto e do gerador de sinais.
Para solucionar esse problema é utilizado um circuito oscilador, circuitos
derivados do amplificador operacional que necessitam apenas de uma entrada DC
para gerar diferentes sinais com diferentes formas e frequências em AC, sendo
extremamente útil para pequenos projetos eletrônicos.
Entre as aplicações dos osciladores estão: gerador de sinal para clock, base
de tempo, sincronismo de televisores, circuitos de recepção de sinais, geração da
onda portadora em circuitos transmissores de sinais e etc.
Portanto a atual experiência teve como objetivo estudar os diferentes tipos de
osciladores e analisar as ondas de saída.

5
2 OBJETIVOS

• Observar as formas de onda de saída osciladores de relaxação, oscilador de


deslocamento de fase e oscilador em quadratura.

6
3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

3.1 Oscilador de Relaxação.


O oscilador de relaxação é um circuito onde a frequência é controlada pela
carga e descarga de um capacitor através de um resistor, ilustrado na figura a
seguir:

Figura 1: Oscilador de Relaxação

o ganho do amplificador é calculado por:


R2
A=
R2 + R1
E a frequência do sinal de saída é:
1
F=
1+ A
2 Rc ln( )
1−B
3.2 Oscilador de Deslocamento de Fase.

O circuito do oscilador de deslocamento de fase é ilustrado na imagem a


seguir:

7
Figura 2: Oscilador de deslocamento de fase.
O oscilador consistem em um amplificador com ganho negativo, com circuito
RC de três seções na malha de realimentação, já que três seções é o número
mínimo necessário para causar o deslocamento de fase de 180°
Para que o circuito oscile, o ganho do amplificador deve ser:
Rf
A=
Ri
E a frequência do sinal de saída é:
1
F=
2 π Rc √ 6
Observa-se que este circuito oscilador é responsável apenas por deslocar o
sinal de saída em relação a entrada, não alterando a forma de onda do mesmo.

3.3 Oscilador em quadratura.


O circuito em quadratura é ilustrado com a figura a seguir:

Figura 3: Oscilador em quadratura.

O oscilador em quadratura tem a função de gerar duas ondas, defasadas de


90° entre si, é muito utilizada em circuitos de modulação de demodulação.

8
4 METODOLOGIA

4.1 Materiais
• Computador; • MultiSIM 13;

4.2 Procedimento Experimental

Este experimento foi realizado por meio de uma simulação no software


MultiSIM 13, da National Instruments. Primeiramente, fez-se a simulação do Circuito
Oscilador de Relaxação, mostrado na Figura abaixo:

Figura 4: Montagem experimental


Para a montagem acima, verificou-se a forma de onda da tensão de saída,
utilizando-se o osciloscópio XSC1, indicado na figura. Em seguida, simulou-se o
circuito da figura abaixo, chamado de Oscilador por deslocamento de fase:

9
Figura 5: Circuito oscilador por deslocamento de fase
Neste, fez-se a medição da forma de onda na saída e entre os resistores R6 e
R4, variando-se a colocação dos diodos e a abertura da chave do capacitor central
de 10 nF. A ordem das operações foi: medição conforme a figura; medição com o
diodo superior aberto; medição com o diodo inferior aberto; medição com ambos os
diodos abertos; medição com a abertura do ramo do capacitor.
Em sequência, montou-se o Oscilador em Quadratura, mostrado na Figura
abaixo, cuja tensão de saída do segundo AOP fora registrado com o uso do
osciloscópio.

10
Figura 6: Oscilador de quadratura

11
5 RESULTADOS E DISCUSSÃO

A forma de onda do oscilador de relaxação é apresentada na Figura abaixo:

Figura 7: Forma de onda do oscilador de relaxação


Neste, nota-se uma forma de onda aproximadamente quadrada. Isto é
característico dos osciladores de relaxação, uma vez que estes operam em
saturação, o que é notado pela tensão máxima de 14,1 V, sendo esta a tensão de
saturação para o LM 741 quando alimentado simetricamente por +15 V / -15V.
Para o oscilador em quadratura, apresenta-se as formas de onda de saída
dos dois AOP’s na Figura a seguir:

Figura 8: Forma de onda das saídas dos dois AOP’s. A onda em


azul é do AOP da direita, enquanto a outra é respectiva ao AOP
da esquerda.

12
Nota-se nestes que as formas de onda estão aproximadamente em
quadratura, o que é característico desta configuração de oscilador. Para as duas
ondas, a frequência de oscilação medida foi de 2,19 kHz. Nota-se na onda relativa
ao AOP da esquerda que esta apresentou uma pequena saturação. Tal fato pode ser
atribuído ao fato de que há um resistor em série com a entrada não-inversora do
segundo AOP, de sorte que a tensão aplicada a este não é suficiente para saturá-lo.
Relativamente ao oscilador com deslocamento de fase, apresentam-se, nas
figuras abaixo, a forma de onda da tensão de saída para as várias configurações em
relação aos diodos e ao capacitor central. Nas imagens abaixo, a forma de onda
trapezoidal amarela é relativa à saída do AOP, enquanto as ondas azuis foram
medidas entre os resistores R6 e R4.

Figura 9: Forma de onda de saída para o caso com os dois


diodos.

13
Figura 10: Forma de onda de saída com o
diodo de cima aberto

Figura 11: Forma e onda de saída com o


diodo debaixo aberto

Figura 12: Forma de saída sem ambos os


diodos

14
Ao compara-se a saída com e sem os diodos, nota-se que há uma leve
saturação nos picos de tensão, de sorte que a configuração sem estes apresentou
picos mais suaves. Já as configurações contendo apenas um dos diodos apresentou
saturação no pico oposto ao sentido de polarização retirado. Isto pode ser explicado
pelo fato dos diodos fazerem o bypass do resistor ao qual estão em paralelo, de
forma que a corrente aplicada ao nó de realimentação seja maior.
A forma de onda relativa ao caso em que o capacitor é aberto não é
apresentada em virtude desta não diferir para nenhuma das configurações, exceto
que sua ausência provocou um aumento na frequência de oscilação.

15
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Circuitos Osciladores são aqueles que por meio da combinação de elementos


ativos e passivos permitem a produção de sinais alternados, senoidais ou não, com
alimentação em corrente contínua, utilizando-se de redes de realimentação positiva
com ganho tal que a oscilação seja produzida.
No que tange aos osciladores não lineares, ou seja, os que produzem ondas
não senoidais, têm-se como exemplo o oscilador de relaxação, cuja saída é uma
onda quadrada obtida em virtude da saturação do amplificador utilizado. Todavia,
oscilações lineares podem ser obtidas em configurações onde há um esforço para
que o amplificador não sature.
Assim, percebe-se a versatilidade de diversos arranjos na produção de
oscilações, bem como a possibilidade de aplicá-los a diferentes tipos de sistemas,
podendo servir como elementos de sincronização, produção de portadoras para
sistemas modulados, dentre outros.

16
7 REFERÊNCIAS

BOYLESTAD, Robert. NASHELSKY, Louis. DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS E


TEORIA DE CIRCUITOS. Editora LTC, 6 ed. Rio de Janeiro: 1998.

TEXAS INSTRUMENTS. LM741 Operational Amplifier. Acesso em 23 de Outubro


de 2017. Disponível em <http://www.ti.com/lit/ds/symlink/lm741.pdf>.

17