Anda di halaman 1dari 11

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

Curso: Administração Semestre: 3º/4º


Responsabilidade Social e Ambiental; Gestão de Pessoas;
Disciplinas
Direito Empresarial e do Trabalho; Seminário Interdisciplinar IV.
Elias Barreiros; Indiara Beltrame Brancher; Janaina Carla Vargas
S Testa; Emília Yoko Okayama; Natalia Branco Lopes;
Professores
Aleksander Roncon; Nicole Cerci Mostagi; Ewerton Taveira
Cangussu; Elizete Alice Zampronio; Eduardo Faria Nogueira.
Conhecer os fundamentos, processos pertinentes as disciplinas
Competências de Responsabilidade Social e Ambiental; Gestão de Pessoas;
Direito Empresarial e do Trabalho.
Ao concluir as etapas propostas neste desafio, você terá
desenvolvido as competências e habilidades que constam nas
Diretrizes Curriculares Nacionais descritas a seguir (MEC, 2016,
p.1):
 Reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar
estrategicamente, introduzir modificações no processo produtivo,
atuar preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos e
exercer, em diferentes graus de complexidade, o processo da
tomada de decisão.
 Desenvolver a capacidade crítico-analítica de avaliação, quanto
às implicações organizacionais com o advento da tecnologia da
Habilidades informação.
 Desenvolver a iniciativa, criatividade, determinação, vontade
política e administrativa, bem como a vontade de aprender,
abertura às mudanças e consciência da qualidade e das
implicações éticas do seu exercício profissional.
 Desenvolver capacidade de transferir conhecimentos da vida e
da experiência cotidianas para o ambiente de trabalho e do seu
campo de atuação profissional, e diferentes modelos
organizacionais, revelando-se profissional adaptável.
 Desenvolver capacidade para realizar consultoria em gestão e
administração, pareceres e perícias administrativos, gerenciais,
organizacionais, estratégicos e operacionais
Por meio da temática proposta objetivamos possibilitar a
Objetivos da aprendizagem interdisciplinar, criticidade e capacidade analítica
Aprendizagem assim o exercício das competências gerenciais essenciais para
os gestores de organizações.

Prezados alunos,
Sejam bem-vindos a este semestre!
A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como
temática: Hidrelétrica do Riacho Doce. Com essa temática objetivamos possibilitar
a vocês, estudantes, a aprendizagem interdisciplinar de conteúdos contemplados nas
disciplinas desse semestre.
Neste trabalho vocês desenvolverão a atitude de investigação, sistematizando
julgamentos baseados em critérios e padrões qualitativos e quantitativos relacionados
a uma situação geradora de aprendizagem (SGA) e embasados em conhecimentos
construídos em cada disciplina. A seguir apresentamos as orientações.

ORIENTAÇÕES DA PRODUÇÃO TEXTUAL

1. Formação dos grupos


 O trabalho será realizado em GRUPOS composto por no mínimo 2 alunos e
máximo de 7 alunos.
 A formação dos grupos é de responsabilidade dos alunos; no entanto,
solicitamos que sigam as orientações passadas pelo tutor sobre a formação dos
grupos. O tutor presencial cadastra os grupos. Importante: somente o líder do grupo
conseguirá cadastrar o trabalho na área restrita.
 A produção textual é um trabalho original e, portanto, não poderá haver
trabalhos idênticos ao de outros alunos ou grupos.
 O líder do grupo deve postar o trabalho na pasta específica (na pasta atividades
interdisciplinares) obedecendo o prazo limite de postagem conforme disposto no
cronograma do curso. Não existe prorrogação para a postagem da atividade.
 É importante que você leia os materiais disponíveis das disciplinas do
semestre;
 Além da pesquisa nos materiais das disciplinas, lembre-se de que a Biblioteca
Digital tem excelentes obras que tratam dos temas propostos. (A pesquisa é
fundamental para o bom desenvolvimento do trabalho);
 A Produção Textual deverá ser desenvolvida inteiramente dentro das Normas
da ABNT (Capa, Folha de rosto, Sumário, Desenvolvimento, Conclusão, Referências,
etc).

2. Leitura e interpretação da SGA


a) Na Produção Textual em Grupo (PTG) vocês deverão, num primeiro momento,
conhecer a Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) “Hidrelétrica do Riacho Doce”.
b) Num segundo momento, vocês deverão se envolver com a Situação Geradora
de Aprendizagem (SGA), inserindo-se nesse contexto para realizar as tarefas
previstas. Para realizar essas tarefas, sigam as orientações fornecidas nesse material
e embasem-se em fundamentações teóricas diversas (livros das disciplinas, teleaulas,
web aulas e outros materiais complementares, sejam estes indicados pelos
professores ou pesquisados por vocês).

SITUAÇÃO GERADORA DE APRENDIZAGEM (SGA)

Hidrelétrica do Riacho Doce


Atualmente a demanda por energia é crescente, sendo que menos de 1% do
trabalho de produção de produtos industrializados dependem da força muscular.
Portanto, o abastecimento adequado de energia é essencial para o processo de
desenvolvimento econômico, visto que, esse permeia todos os setores como:
economia, trabalho, relações internacionais e ambiente.
Em todo o mundo os governos têm em suas políticas energéticas o uso de
combustíveis fósseis, carvão, petróleo, gás natural, sendo que, tais bases
representam altos custos de impactos socioambientais que sustentaram o
crescimento e o desenvolvimento econômico das últimas décadas. A produção de
energia no século XX foi dominada por combustíveis fósseis o que representavam,
ainda no início do século XXI, cerca de 80% de toda a energia produzida no mundo.
Por outro lado, energia nuclear e a energia hidroelétrica apresentam pouca
participação, bem como as novas fontes renováveis de energia, tais como: solar,
eólica, geotérmica e pequenas centrais hidroelétricas que são as mais atraentes do
ponto de vista ambiental, porém, representavam apenas 1,5% da produção mundial.
Considerando esse contexto vamos analisar o caso da Hidrelétrica do Riacho
Doce. A Foz do Riacho Doce é a empresa detentora da concessão da Usina
Hidrelétrica Foz do Riacho Doce. Foi a empresa responsável também pela
implantação da hidrelétrica e é quem a administra e opera.
A empresa tem o compromisso de operar a sua usina de forma a assegurar o
desempenho adequado ao negócio de geração de energia, com base no conceito da
sustentabilidade ambiental, amparado pelo seguintes princípios e valores:
 ser ética, responsável e transparente no planejamento e execução das ações
de comunicação organizacional;
 ser ágil, clara e precisa na divulgação de informações para os públicos interno
e externo, sem prejuízo da confidencialidade, quando necessário;
 ser confiável, diligente e prestativa no atendimento dos diversos grupos de
relacionamento (funcionários, contratados, profissionais dos meios de comunicação e
demais atores envolvidos);
 ser focada, eficiente e organizada para atingir os objetivos e resultados
esperados; defender os interesses da instituição, resolver problemas, fazer uso
planejado e responsável dos recursos e otimizar os custos das ações de
comunicação;
 ser competitiva, técnica e pró-ativa na exploração de mídias espontâneas, no
relacionamento com os meios de comunicação e com as fontes internas da entidade;
 ser dinâmica, moderna e inovadora, o que significa estar sintonizada com as
novas tecnologias de informação e contribuir com as estratégias de gestão e de
mudanças na cultura organizacional;
 ser envolvente, motivadora e solidária, o que significa ter capacidade de
sensibilizar e mobilizar o público interno e a comunidade em ações de
responsabilidade social e ambiental patrocinadas pela entidade;
 ser democrática, interativa e participativa, o que significa estimular a
incorporação de todos os atores internos na implantação do Plano de Comunicação
Interna, garantindo-lhes representação e participação decisória no seu
desenvolvimento, avaliação e atualização.
No que se refere a Hidrelétrica do Riacho Doce o empreendimento se deu da
seguinte maneira:
 1984 – Após diversos estudos iniciados na década de 60 o Aproveitamento da
Hidrelétrico da Foz do Riacho Doce.
 2001– A Foz do Riacho Doce Energia vende o leilão promovido pela Agência
Nacional de Energia Elétrica – ANEEL e se torna detentora a concessão da Usina.
 2002 – O IBAMA expede a Licença Prévia, com validade de dois anos. A licença
prévia é emitida após aprovação de Estudos e do Relatório de Impacto Ambiental
(EIA/RIMA). Estabelece condicionantes que deverão ser cumpridas pelo empreender
para que a construção da Usina possa ter início.
 2004 – O IBAMA emite a Licença Ambiental de instalação, com validade de dois
anos, após aprovação do Projeto Básico Ambiental (PBA), documento que detalha
programas socioambientais que devem ser desenvolvidos durante a implantação da
hidrelétrica.
 2006 – Licença de instalação é renovada por quatro anos. Começa a
implantação do canteiro de obras.
 2010 – A primeira, segunda e terceira das quatro unidades geradoras da usina
entra em operação.
 2011 – A quarta e última unidade geradora entra em operação.

A Usina
Com quatro unidades geradoras, a Usina Hidrelétrica Foz do Riacho Doce tem
uma potência instalada de 855 megawatts. É energia suficiente para abastecer mais
de cinco milhões de lares.
Está instalada no Rio Doce, entre os municípios de Águas de Purificação, e o
município de Lotus. O eixo da barragem encontra-se nas coordenadas geográficas
27º 08’ 22,75” de latitude sul e 53º 02’ 50,59’’ de longitude oeste. A barragem da Foz
do Riacho Doce tem 598 metros de extensão e 48 metros de altura e foi a primeira do
Brasil a utilizar a técnica do núcleo asfáltico, comum em países da Europa e nos
Estados Unidos. O asfalto propicia velocidade às obras mesmo em períodos
chuvosos, já que é menos vulnerável à umidade. Também é reconhecido pelo
excelente desempenho como impermeabilizante, garantindo total segurança no
bloqueio da água.
O vertedouro da Foz do Riacho Doce é formado por quinze comportas que
escoam a água do reservatório não utilizada para geração de energia. Sua capacidade
máxima de descarga se aproxima da capacidade de vazão da maior usina hidrelétrica
em operação no Brasil: a Usina de Itaipu (somente 100 m3/s menor que Itaipu).

Impactos e Responsabilidade Social e Ambiental


Aproximadamente três mil famílias de 13 municípios tiveram que deixar suas
casas, o motivo: suas terras foram alagadas pelas águas do Rio Doce, que subiram
por causa da Foz do Riacho Doce. A empresa responsável pela obra, reconheceu que
pouco mais de 2,4 mil famílias seriam atingidas pelo empreendimento, porém, de
acordo com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o número não confirma
a realidade.
Entre outros problemas, causados pela construção da Usina Hidrelétrica Foz
do Riacho Doce está a diminuição do nível da água que causou a redução no número
de peixes e gerou problemas econômicos para os trabalhadores. Há trechos onde a
navegação está impossibilitada.
De acordo com o especialista na área, os relatos apontam para uma queda
brusca na renda de centenas de famílias. “Antes da construção da hidrelétrica, os
pescadores faturavam até três salários mensalmente, hoje o valor não ultrapassa um
salário mínimo”, relatou. O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) estima que
mais de 2,5 mil famílias foram atingidas direta e indiretamente pelas obras da Usina
Hidrelétrica Foz do Riacho Doce. Dessas, cerca de 600 ainda aguardam na justiça por
pendências com o consórcio Riacho Doce.
No que se refere a recuperação de áreas mais de R$ 9 milhões estão sendo
aplicados exclusivamente em recuperação, permitindo a preservação de diversas
áreas de importância biológica. E com o objetivo de aumentar a população de peixes
na bacia do Riacho Doce, atendendo também às responsabilidades decorrentes do
licenciamento ambiental da Usina, a Foz do Riacho Doce Energia firmou uma parceria
com a Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste (FUNDESTE), o Instituto
Goio-En e o Ministério da Pesca agricultura, o que propiciou a construção de uma
Estação de Piscicultura.
A Foz do Riacho Doce Energia mantém outros programas socioambientais na
área de abrangência da Usina que, por meio de monitoramentos e controles
periódicos supervisionados pelo órgão licenciador da hidrelétrica, o IBAMA, buscam a
mitigação e a prevenção de impactos que eventualmente possam ser ocasionados
pela operação do empreendimento.

Agora, é com vocês!


Se por um lado a construção de uma Hidrelétrica gerará inúmeros benefícios,
dentre eles: energia elétrica; reservatório d´água; prática de esportes; pesca e criação
de peixes; servirá como controle de enchentes; lazer e entretenimento, além da
geração de muitos empregos. Por outro lado, moradores perderão uma expressiva
porção de terra produtiva e ocorrerão impactos ambientais pela interrupção da
piracema, além do êxodo rural e assim como a história de um povo que vai literalmente
por água abaixo.
O desafio é analisar o caso da Usina Hidrelétrica Foz do Riacho Doce no que
se refere aos aspectos pertinentes a responsabilidade social e ambiental; gestão de
pessoas; direito empresarial e do trabalho. Agora que vocês já sabem desta missão,
elaborem um relatório onde deverá ser apresentado obrigatoriamente os aspectos
apresentados a seguir:

a) Responsabilidade Social e Ambiental

1) Existe um movimento que contesta o número de famílias atingidas pelo


empreendimento Foz do Rio Doce. É o Movimento dos Atingidos por Barragens
(MAB). Conceitue o que são Movimentos Sociais, apresente quais são os canais para
atingir os seus fins no caso aqui analisado.

2) Como as tecnologias podem ser utilizadas para favorecer o meio ambiente? O que
é tecnologia verde? Como esse tema se relaciona com a questão da Usina Hidrelétrica
Foz do Riacho Doce?

b) Gestão de Pessoas:
A percepção do colaborador a respeito do ambiente organizacional influência
seu desempenho e sua dedicação. O clima organizacional, de acordo com Luz (2003),
reflete a atmosfera psicológica que envolve empresa e funcionários. Existem formas
de se identificar a percepção do colaborador sobre a empresa e seu trabalho, e uma
maneira eficaz de fazer isso é por meio da aplicação de uma ferramenta de pesquisa.
Com a pesquisa de clima organizacional é possível reconhecer o que o
colaborador realmente pensa da organização. A elaboração de uma pesquisa de clima
organizacional visa então, por meio de determinadas dimensões, conhecer como está
o engajamento, o comprometimento e a satisfação do colaborador com a organização.
Para que isso ocorra, deverão ser escolhidas as dimensões que mais se adéquem
àquela organização. Portanto, podem ser verificadas as percepções quanto ao grau
de responsabilidade atribuída, à liderança, às recompensas e ao reconhecimento.
Além destas, há outras dimensões que podem ser avaliadas, como:
Comprometimento e Engajamento Profissional; Comunicação; Estilo de Gestão;
Remuneração; Desenvolvimento Profissional; Condições de Trabalho;
Relacionamento Interpessoal; Foco no Resultado; Agilidade; Foco na Solução de
Problemas; Organização e Planejamento.
Considerando a Unidade 4 - Pesquisa de Clima Organizacional (PCO), do livro
de gestão de pessoas, escolha 4 dimensões e construa um instrumento de pesquisa
de Clima organizacional de no mínimo 16 questões (4 questões para cada dimensão)
O instrumento de pesquisa deve ser elaborado conforme Figura1.

Figura 1- Exemplo de formulário de pesquisa de clima organizacional

Fonte: Avona (2015, p. 189)

c) Direito Empresarial e do Trabalho


A construção da Usina Hidrelétrica Foz do Riacho Doce envolve um conflito
substancial entre o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente. A
partir desta afirmação:
1) Apresente uma análise deste conflito sob o viés do Direito empresarial, refletindo
sobre a ordem econômica no Brasil e sua finalidade, qual seja: “assegurar a todos a
existência digna”.

2) Correlacione esta finalidade da ordem econômica (“assegurar a todos a existência


digna”) com a defesa do meio ambiente, prevista como um dos princípios da ordem
econômica (vide inciso VI, art 170):

Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e


na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme
os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios: I - soberania
nacional; II - propriedade privada; III - função social da propriedade; IV - livre
concorrência; V - defesa do consumidor; VI - defesa do meio ambiente,
inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental
dos produtos e serviços e de seu processos de elaboração e prestação; VII -
redução das desigualdades regionais e sociais; VIII - busca do pleno
emprego; IX - tratamento favorecido para as empresas de pequeno porte
constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sua sede e administração
no País.
NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL

A resolução da situação-problema deverá ser registrada em forma de um


relatório descritivo que deverá ser postado em seu ambiente virtual. Neste texto você
deverá obedecer às normas a seguir:
a) Abra um documento no Word seguindo as normas da ABNT. Acesse a
Biblioteca Digital, clique em “Padronização” e escolha as opções “Trabalhos
acadêmicos – Apresentação” e “Modelo para elaboração de Trabalho Acadêmico”;
b) Este relatório deverá ser redigido na seguinte estrutura: capa de abertura,
descrição separada de cada um dos itens solicitados na Situação Problema (SP)
acompanhada do detalhamento solicitado para cada um desses itens.
c) A Produção Textual Interdisciplinar em grupo deverá, obrigatoriamente, ser
apresentada à turma no momento da aula atividade da disciplina de Seminário
Integrador.
d) Ao definir quem serão os participantes do grupo, informe seu tutor de sala. Isto
é importante para ele acompanhar e saber quem são os grupos que já estão formados.
Lembre-se que é responsabilidade do aluno acompanhar o cadastro do grupo pelo
aluno responsável, bem como acompanhar a inserção da atividade.
e) Quando o aluno responsável pelo cadastro do grupo e pelo cadastro de
atividade não realiza os procedimentos dentro do prazo devido, todo grupo fica
prejudicado.
f) Salientamos que todos os alunos devem acompanhar a formação do grupo e a
inserção da atividade direta de sua área restrita.
g) Em caso de dúvida para elaboração do trabalho, você deverá buscar
orientações na sala do tutor.
h) Atenção aos prazos de postagens!
Critérios avaliativos: Apresentamos os critérios avaliativos que nortearão a devolutiva
escrita e o conceito a ser dado pelo tutor eletrônico:

Critério Significado Valor/peso


O texto apresenta uma argumentação crítica e
Coerência interna fundamentada. 10%
Aplicação dos No texto escrito (com as justificativas e
conteúdos argumentações) as ideias apresentam relação
interdisciplinares direta com a situação descrita na reportagem e
no texto explicitam conteúdos trabalhados nas
argumentativo disciplinas de forma clara. 20%
As ideias apresentadas no texto (com as
justificativas e argumentações) têm relação
Riqueza de direta com o tema e traduzem uma perspectiva
argumentação crítica e variedade de pontos de vista. 20%
As ideias apresentadas no texto (com as
justificativas e argumentações) têm relação
direta com a situação exposta na reportagem
Abrangência da incluindo tudo o que deveria ser dito, ou seja, na
argumentação resposta nada importante foi deixado de fora. 20%
Todo o registro de ideias foi feito com um
mínimo de termos, sem repetições ou
Conclusão redundâncias. 10%
Respeito às normas da ABNT, respeito a escrita
Normalização ortográfica e estrutura solicitada. 20%

Um ótimo trabalho!
Professores
REFERÊNCIAS

ALEGRETTI, M.. A construção social de políticas públicas. Chico Mendes e o


movimento dos seringueiros. Disponível
em http://ojs.c3sl. ufpr.br/ojs/index.php/made/article/viewFile/13423/9048.

AVONA, M. E.. Gestão de pessoas. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional


S.A., 2015. 224 p.

CABRAL, A. R. N.. LEONETTI, C. A.. Uma ordem econômica sustentável junto ao


princípio constitucional da defesa do ambiente. Disponível em:
http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=99880ac6c3bbe603. Data de acesso:
Jul. 2017.

DELBONO, B. de F.. Responsabilidade social e ambiental. Londrina: Editora e


Distribuidora Educacional S.A., 2016.

GOHN, M. da G. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e


contemporâneos. São Paulo: Ed. Loyola, 2002.

NOLDIN, P. H. P.; BERTOTTI, J. L. F.; CAVALLI, K. J..


A atividade de mineração à luz da constituição federal e a defesa do meio
ambiente.http://ajufesc.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Pedro-H.-P.-Noldin-
J%C3%A9ssica-Bertoti-e-Kau%C3%AA-J.-Cavalli.pdf

PAINO, D. B.. Desenvolvimento econômico e meio ambiente: integração de


princípios culminando no respeito à dignidade da pessoa humana. Disponível
em: http://intertemas.unitoledo.br/revista/index.php/ETIC/article/viewFile/1231/1173