Anda di halaman 1dari 4

Sustentabilidade Social

Definição de sustentabilidade social, ações, importância para o desenvolvimento


sustentável, exemplos, bibliografia
Conceito (o que é)
Sustentabilidade Social se refere a um conjunto de ações que visam melhorar a
qualidade de vida da população. Estas ações devem diminuir as desigualdades sociais,
ampliar os direitos e garantir acesso aos serviços (educação e saúde principalmente) que
visam possibilitar as pessoas acesso pleno à cidadania.
Importância
As ações sustentáveis socialmente não são importantes apenas para as pessoas
menos favorecidas. Quando colocadas efetivamente em prática, possuem a capacidade
de melhorar a qualidade de vida de toda população.
Um exemplo prático é a diminuição da violência proporcionalmente à
ampliação do sistema público educacional de qualidade.
Vale lembrar que uma população com bom nível cultural e educacional respeita
mais o meio ambiente, colaborando desta forma para o desenvolvimento sustentável do
planeta.
Exemplos de ações de sustentabilidade social:
Implantação de projetos educativos e sociais gratuitos, principalmente para
pessoas de baixa renda; Investimentos em educação pública, visando à qualidade do
ensino;
Implatação de programas voltados para a inclusão social, principalmente de
pessoas portadoras de necessidades especiais; Qualificação profissional de jovens
através, principalmente, de cursos gratuitos de língua estrangeira, informática e etc.;
Investimentos governamentais em saneamento básico, garantindo tratamento de
esgoto e acesso à água potável para pessoas que não tem acesso a estes serviços;

- Implantação de projetos que possibilitem acesso à energia elétrica para pessoas


que ainda não possuem este serviço; Ampliação do acesso à Internet para pessoas de
baixa renda;
Ampliação dos meios de participação democrática na definição de ações que
visem melhorar a qualidade de vida das pessoas. Um bom exemplo desta ação é o
orçamento participativo;
Adoção de sistemas educacionais que levem informações sobre a importância
da preservação ambiental para a sociedade, relacionando-a com a melhoria da qualidade
de vida em seu espaço geográfico; Projetos de qualificação profissional, principalmente
para trabalhadores que se encontram desempregados;
Orientação aos jovens, através de programas eficientes, sobre o grave problema
das drogas; Implantação de programas geradores de renda para pessoas carentes.

Sustentabilidade Cultural
A noção de sustentabilidade cultural aponta para uma nova
abordagem interdisciplinar, dedicada a aumentar o significado da cultura e a importância
das suas características tangíveis e intangíveis nos campos locais, regionais e globais
do desenvolvimento sustentável. A cultura é um aspecto crucial da sustentabilidade, pois
consegue ilustrar como encaramos os nossos recursos naturais, e sobretudo como
construímos e cuidamos das nossas relações com os outros a curto e longo prazo, com
vista à criação de um mundo mais sustentável a todos os níveis sociais.
No entanto, o papel da cultura no quadro do desenvolvimento sustentável é
relativamente vago a nível científico, político e econômico. A cultura já tem sido retratada
como o quarto pilar do desenvolvimento sustentável, [1] ou mesmo como dimensão chave
para as suas metas.[2][3] Porém, o aumento presente dos desafios ecológicos, económicos
e sociais implica uma atenção cada vez maior relativamente ao papel da cultura para o
desenvolvimento integrado da investigação e das políticas no campo da sustentabilidade.

Gestão Política e Governação


Os temas do desenvolvimento sustentável e da cultura têm sido relacionados em
diversas convenções e documentos dedicados à gestão política e governação. Por
exemplo, as conexões entre biodiversidade e cultura foram já reconhecidas pela
Convenção da Biodiversidade (1992), e desde então o reconhecimento da sua importância
alastrou-se através de outras plataformas de discussão e documentos. [6] No relatório A
Nossa Diversidade Criativa (Comissão Mundial para a Cultura e o Desenvolvimento 1995),
resultante da Década da UNESCO para o Desenvolvimento Cultural (1988–1997), a
cultura foi reconhecida como um fator que desempenha não só um papel instrumental na
promoção do desenvolvimento económico, mas também um papel central nas sociedades
como algo a alcançar enquanto fim em si mesmo. [7] Em acréscimo, a cultura é igualmente
mencionada como aspecto crucial para a promoção e construção do desenvolvimento
sustentável em diversos documentos de governação provenientes do Conselho Europeu e
da Comissão Europeia, como sendo o In From the Margins (Conselho Europeu 1995) e
a Agenda Europeia para a Cultura (Comissão Europeia 2007)

Investigação Acadêmica
No campo da investigação acadêmica, a cultura tem sido essencialmente tida
como um aspecto importante do desenvolvimento sustentável no contexto dos países em
vias de desenvolvimentos, conservação da natureza e populações e culturas nativas, mas
assistimos igualmente à sua consideração nos setores da produção primária ou do turismo
e do desenvolvimento local e regional. Nestes domínios, a sustentabilidade cultural surge
como algo que requere, por exemplo, o reconhecimento e a valorização de culturas
materiais e simbólicas a nível local e regional, ou a participação democrática das
populações na definição das estratégias de desenvolvimento dos seus contextos sociais e
territoriais.

Contudo, no âmbito da investigação acadêmica a noção de sustentabilidade


cultural também surge frequentemente associada ao papel das artes, da criatividade e das
indústrias culturais no desenvolvimento e planeamento econômico, político e social. Neste
contexto, a promoção da diversidade cultural e a preservação de heranças culturais
tangíveis e intangíveis têm sido consideradas como fatores chave para o desenvolvimento
sustentável. Em acréscimo, para além destes domínios, a sustentabilidade cultural
também tem sido estudada em quadros de mudanças de paradigma, relativas a estilos de
vida cotidianos, ou mesmo referentes a interseções científicas interdisciplinares, ambos os
casos com base em parâmetros ecológicos, éticos e participativos, do comércio justo à
mobilidade urbana e ao design inclusivo.

[
Iniciativas
Existem diversas iniciativas com o objectivo de integrar a cultura nos quadros
maiores do desenvolvimento sustentável. Por exemplo, a 'Agenda 21 Para a Cultura' é
um documento de referência para as instituições governamentais definirem as suas
políticas culturais no âmbito do desenvolvimento sustentável. Este documento é
baseado nos princípios da diversidade cultural, direitos humanos, diálogo intercultural,
democracia participativa, sustentabilidade e paz. Por sua vez, iniciativas de carácter
mais académico como a Acção COST IS1007 (2011–2015) 'Investigar a
Sustentabilidade Cultural' apontam para uma compreensão alargada de base
multidisciplinar sobre as inúmeras dimensões culturais que se podem e devem encontrar
no seio do desenvolvimento sustentavel.
Referências
https://www.suapesquisa.com/religiaosociais/sustentabilidade_social.htm