Anda di halaman 1dari 9

Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço Melhem Adas

Expedições Sérgio Adas


geográficas 6

EXPEDIÇÃO
Indústria, PERCURSOS
29 31
sociedade e 30 32
Do artesanato Indústrias
espaço e fontes de
8 à manufatura Indústria:
e à indústria
moderna
transformações
energia A atividade
industrial
sociais e impactos no Brasil
ambientais

Prepare-se para uma


viagem no tempo.
A partir de agora você
vai descobrir como se 1839 – 1876 –
1816 – Fotografia Telefone
deu o desenvolvimento 1895 –
Locomotiva
da atividade industrial Rádio
1776 – a vapor
ao longo da história e Máquina a 1961 –
vapor industrial Robô
de que forma algumas 1881 –
1801– Pilha industrial
das invenções da elétrica Lâmpada
1903 e 1906
humanidade contribuíram elétrica
– Aeroplano 1990 –
para isso. Nesse trajeto, a 1928 – Popularização do
1750 1760 1770 1780 1790 1800 1810 1820 1830 1840 1850 1860 1870 1880
Penicilina 1945 – celular e da internet
produção de mercadorias
Início da
1890 1900
aumentou, as relações era nuclear
1910
de trabalho mudaram e 1975 –
1920 Microchip
alguns desafios vieram à 1930
tona, como a necessidade 1855 – 1940
1763 – 1802 – 1837 – 1886 –
de minimizar os impactos Telégrafo Processo 1950
Máquina Iluminação Motor a 1960
ambientais e desenvolver de fiar a gás de explosão 1897 – 1970
mecânica 1789 – produção
fontes sustentáveis de Telégrafo
Tear de aço a
sem fio
1980
energia. 1807 – baixo custo
mecânico 1990
Barco a
vapor
1877 – 2000
1957 – Satélite
Fonógrafo
artificial (Sputnik)

Aquecendo
1969 –
1 Quais dessas invenções você considera indispensáveis Homem na Lua
em seu dia a dia? Por quê?
2 Compare um dos primeiros telefones, projetado em 1977 –
1876, com os atuais celulares. Que tipo de mudança os Invenção da
fibra óptica
celulares provocaram na sociedade?
3 Em sua opinião, por que a invenção do robô industrial foi, 1980 –
ao mesmo tempo, positiva e negativa para a sociedade? Computador
pessoal

228 EXPEDIÇÃO 8 229

1
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 29 - Do artesanato à manufatura e à
indústria moderna

Figura 5. Propagação da Revolução Industrial nos séculos XVIII e XIX

OCEANO GLACIAL ÁRTICO

RÚSSIA
INGLATERRA E U R O PA
ALEMANHA
BÉLGICA
FRANÇA
ESTADOS
ITÁLIA
UNIDOS ÁSIA JAPÃO

OCEANO OCEANO
AMÉRICA ÁFRICA
ATLÂNTICO PACÍFICO

OCEANO EQUADOR

PACÍFICO
OCEANIA
OCEANO
ÍNDICO
MERIDIANO DE GREENWICH

0º 2.130 km

Fonte: elaborado pelos autores.

2
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 29 - Do artesanato à manufatura e à
indústria moderna

Figura 9. Mundo: países industrializados e países não industrializados – 2008


OCEANO GLACIAL ÁRTICO
A que grupo
GROENLÂNDIA
(DIN) pertence
CÍRCULO POLAR ÁRTICO o Brasil?
ALASCA (EUA) ISLÂNDIA
RÚSSIA
CANADÁ
REINO
UNIDO POLÔNIA
ALEMANHA CAZAQUISTÃO
FRANÇA
ESTADOS ESPANHA ITÁLIA
UNIDOS PORTUGAL
GRÉCIA COREIA
CHINA DO SUL JAPÃO
TRÓPICO DE CÂNCER
MÉXICO HONG
ÍNDIA KONG TAIWAN OCEANO
PACÍFICO
EQUADOR OCEANO

CINGAPURA
PACÍFICO
OCEANO INDONÉSIA
BRASIL
ÍNDICO
TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO OCEANO
ATLÂNTICO AUSTRÁLIA
ÁFRICA
DO SUL
ARGENTINA
Países industrializados,
MERIDIANO DE GREENWICH

com tecnologia avançada


NOVA
ou de alto nível
ZELÂNDIA
Países industrializados
N
(de industrialização tardia)
com setores de tecnologia CÍRCULO POLAR ANTÁRTICO
avançada
2.540 km
Países dependentes industrial,
científica e tecnologicamente

Fonte: Banco Mundial. Disponível em: <www.worldbank.org>. Acesso em: 26 fev. 2011.

3
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 31 - Indústrias e fontes de energia

Figura 23. Fases da formação do carvão mineral


no sul do Brasil

1 Formação do lago de origem glacial


Corrente de
água escavando
Arenito flúvio-glacial
depressões
e conglomerado
residual
Geleira

Água do degelo
e detritos

2 Formação de um pântano

Cobertura vegetal
Depósito vegetal

Lago

Calcário
Tilito
Conglomerado

3 Preenchimento da depressão pela turfa

Turfa
20 m

Tilito

4 Estágio final

Carvão mineral

Carvão
Forma-se o carvão
70 cm mineral e a deposição
de sedimentos contínua Fonte: LEINZ, Viktor; AMARAL, Sérgio. Geologia
geral. 7. ed. São Paulo: Nacional, 1978. p. 208.

4
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 31 - Indústrias e fontes de energia

Figura 25. Formação do petróleo

1 Falha
2 tectônica
3
Rocha 4
não porosa ou
impermeável

O plâncton é
depositado no
leito oceânico O petróleo e
o gás natural O petróleo e o
formam-se gás deslocam-se
para estratos O petróleo e o
em rochas
superiores gás são retidos
sedimentares
em bolsões ou
porosas
reservatórios

Fonte: elaborada com base em FARNDON, John. Dicionário escolar da Terra. Porto: Civilização, 1996. p. 168.

5
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 31 - Indústrias e fontes de energia

Figura 28. Petróleo: os dez maiores produtores mundiais – 2008

(em %)
13,1
Arábia Saudita
38,1 Rússia
Estados Unidos
12,4 Irã
China
7,8 México
Canadá
Emirados Árabes Unidos
5,3
Kuait
3,4 4,8 Venezuela
3,5 4,0 Outros
3,6 4,0

Fonte: Images économiques du monde 2010. Paris: Armand Colin, 2009. p. 76.

6
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 31 - Indústrias e fontes de energia

Figura 29. Gás natural: os dez maiores produtores mundiais – 2008

(em %)
19,6
Rússia
35,8 Estados Unidos
Canadá
Irã
Noruega
19,3 Argélia
Arábia Saudita
China
2,3 Catar
2,5 5,7 Indonésia
2,5 Outros
2,5 3,8
2,8 3,2

Fonte: Images économiques du monde 2010. Paris: Armand Colin, 2009. p. 81.

7
Melhem Adas
Expedições
6
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço
Sérgio Adas
geográficas Percurso 31 - Indústrias e fontes de energia

Figura 31. Energia hidráulica: os cinco maiores


produtores mundiais – 2008

18,5

(em %)
China
Canadá
45,1 11,7 Brasil
Estados Unidos
Rússia
11,5 Outros

5,3 7,9

Fonte: Images économiques du monde 2010. Paris: Armand Colin, 2009. p. 83.

8
Expedição 8 - Indústria, sociedade e espaço Melhem Adas
Expedições Sérgio Adas
geográficas 6
PERCURSO Década de 1970 2000
Os investimentos estatais mantiveram o O setor de comércio e
crescimento industrial privilegiando grandes serviços representava
A atividade industrial empresas. Entre 1967 e 1973, esse crescimento 34,3% 66,7 % do PIB brasileiro.
ficou conhecido como “milagre econômico”.
32 no Brasil 32,5%

1 Histórico
30,0%
1980
Até o início do século XX, o Brasil não havia ainda realizado a sua indus- 29,8% 214 mil
O Produto Interno Bruto (PIB)
é a soma dos bens e serviços
trialização. Em 1889, de cada mil brasileiros, somente quatro trabalhavam
produzidos em um país, no em indústrias, dedicando-se principalmente à produção de bens de consu- 1985
1970 207 mil
período de um ano. Em geral, mo não duráveis, como tecidos, calçados e alimentos. Foi somente a partir 165 mil 27,7%
seu valor é expresso em Década de 1980
dólares ou na moeda nacional.
da década de 1930 que o Brasil intensificou a industrialização. Por essa ra-
Dificuldades, em obter novos
zão foi chamado de “país de industrialização tardia”, quando comparado à equipamentos e crédito do governo
O infográfico a seguir mostra
Inglaterra, à França ou aos Estados Unidos. 25,6% Década de 1960 (instável econômica e politicamente)
a participação do setor
Depois de duas décadas marcaram o período, conhecido como
industrial no PIB brasileiro. Acompanhe no infográfico a evolução industrial brasileira no século XX. 1959
111 mil de forte crescimento, a “década perdida” para a economia
% a economia brasileira do Brasil.
% da produção industrial
no PIB brasileiro Década de 1930 começou a desacelerar,
Os cafeicultores perderam seu enquanto os problemas Década de 1990
Número de indústrias poder político. O governo e os políticos aumentavam. Com a economia mais estável,
investidores se voltaram para a 1949 alguns segmentos industriais
criação de indústrias. 83 mil voltaram a crescer. Outros, porém,
tiveram dificuldades para superar a
1920 concorrência dos produtos importados
Parte dos ganhos obtidos com após a abertura do mercado, em 1990.
Década de 1950
a venda de café passou a ser 1941
A população urbana cresce
investida na criação de bancos e Fundação da
e a indústria se diversifica,
de indústrias – como a de sacaria Companhia Siderúrgica 1. Observe novamente o infográfico e identifique três fases da
atuando em setores
para grãos. Nacional (CSN), em evolução industrial brasileira. Explique sua escolha.
como naval, químico,
Volta Redonda (RJ).
farmacêutico, automobilístico
1900 e de eletrodomésticos, com 2. O processo de industrialização brasileira ocorreu de maneira
A agropecuária respondia grande crescimento da independente de outros países? Selecione trechos do texto
por 45% do PIB brasileiro, 18,7%
participação de empresas que confirmem sua resposta.
e a produção de café transnacionais.
para exportação era a
principal atividade do
país. Os cafeicultores, que Ciência e tecnologia
dominavam a política, não O setor industrial tem dependido cada vez mais do desenvolvimento
viam a industrialização tecnológico para melhorar seu desempenho. O Brasil conta
entre suas prioridades. com instituições de ensino e pesquisa, onde se buscam novos
15,7% conhecimentos científicos que dão suporte à produção industrial.
14,8% É o caso do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), do Instituto
RICARDO LABASTIER / INPE

Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Empresa Brasileira de


1939
43 mil Agropecuária (Embrapa). Apesar de os investimentos em ciência e
tecnologia serem crescentes, ainda não têm sido suficientes para
13,1% tornar o Brasil independente tecnologicamente de outros países.
Década de 1940 Laboratório de Integração e Testes do Inpe,
1920 O desenvolvimento da indústria nacional em São José dos Campos, SP (2009).
11,6%
13 mil foi estimulado pela substituição de
produtos importados por nacionais, Fonte: BONELLI, R. Industrialização e desenvolvimento: notas e conjecturas com foco na experiência do Brasil. In:
1907 enquanto as principais potências do Industrialização, desindustrialização e desenvolvimento. São Paulo: Fiesp/Iedi, 2005. p. 9.
3,2 mil mundo estavam em guerra. Disponível em: <www.fiesp.com.br>. Acesso em: 17 fev. 2011.

1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000
Primeira Guerra Mundial Crise de 1929 Governos Getúlio Vargas Governo Juscelino Kubitschek Governo militar
A maioria dos produtos industrializados Uma crise econômica começou Período de muitos investimentos Visando modernizar a indústria, o Foram feitos investimentos públicos
ainda vinha da Europa quando a Primeira nos Estados Unidos e afetou outros estatais na produção de energia, governo estabelece um Plano de Metas nos setores de energia, transportes e
Guerra provocou diminuição da oferta, países. O preço internacional do café aço e máquinas, sem as quais outras com especial atenção às áreas de energia, comunicação. Porém, os esforços em
tornando-os caros demais. Novas fábricas despencou, e a cafeicultura brasileira indústrias dificilmente surgiriam. transportes e às indústrias de base manter o crescimento econômico nacional
surgiram aqui, substituindo as importações. foi muito prejudicada. (químicas, siderúrgicas e elétricas etc.). acentuaram o endividamento do país.

256 EXPEDIÇÃO 8 PERCURSO 32 257

256_257.indd 256-257
9 30/11/11 10:42