Anda di halaman 1dari 6

Dicas Para Orar Com Poder

Atos 12.5

Introdução
O pastor Paul Yonggi Cho perguntou a Billy Graham: "Se você
tivesse oportunidade de dar três conselhos para o mundo, quais
você daria?" Billy Graham respondeu: "Primeiro: Ore; Segundo:
Ore; e terceiro: Ore".

Leio este verso da Palavra de Deus para, agora, irmos diretamente


à resposta para a seguinte e tão importante pergunta: Como orar
com poder?
Neste capítulo 12 do livro de Atos, temos o registro de uma oração
poderosa, que alcançou grandes resultados.

No v.5 lemos sobre a maneira e o método desta oração: "...a igreja


orava intensamente a Deus".

A primeira coisa a ser notada neste versículo é a expressão "a


Deus".
A ORAÇÃO QUE TEM PODER É AQUELA QUE É DIRIGIDA A DEUS
Alguns podem dizer: "Mas, toda oração não é feita a Deus, não é
dirigida a Deus?"
Não. Tem muita oração sendo feita tanto em público quanto no
quarto de escuta, em particular, que não é feita a Deus.
É feita ao nada... a pessoa fecha os olhos para orar e se põe a
imaginar um montão de coisas, enquanto ora ou é guiada por
outros em oração (isso acontece muito durante o culto da
igreja...).

Entra-se no quarto, fecha-se a porta e inicia a oração... mas a


pessoa pensa: "Estou sozinha aqui... estou falando comigo mesma".

Para que a oração seja realmente feita a Deus, dirigida a Deus, é


preciso, primeiro, que a pessoa tenha uma aproximação
consciente de Deus - uma compreensão clara de que quando ela
orar, Deus estará se inclinando para ouvir.

Muitas vezes não oramos conscientemente a Deus porque nossa


mente fica ocupada com aquilo que precisamos, ocupada com
aquilo que queremos pedir.
Freqüentemente não nos ocupamos com Aquele a quem estamos
orando, mas com aquilo que queremos. Não há poder nesse tipo
de oração.

Mas quando realmente nos colocamos na presença de Deus,


tomando consciência de que nos encontramos com Ele,
espiritualmente face a face, então há poder.

Então, se quisermos orar com poder, a primeira coisa que


devemos fazer é realmente nos colocarmos, conscientemente, na
presença de Deus.
Antes de fazermos qualquer pedido, antes de falarmos qualquer
coisa ou pronunciarmos qualquer palavra, devemos ter a
consciência de que estamos falando com Deus, e devemos crer
que Ele está ouvindo.

Isto é possível mediante a ação do Espírito Santo... devemos pedir:


"Espírito Santo me leve realmente à presença de Deus... eu sei
que devido ao atributo da onipresença, Deus está presente, mas,
oh! Espírito Santo, me envolva em Sua presença... eu quero
mergulhar, quero me envolver em Ti".

A gente não deveria ter pressa em falar até que o Espírito Santo
nos tenha levado à sala do trono.
A pressa tem sido o mal do século... estamos mal acostumados
com as facilidades da vida moderna: o self-service, o celular, o
forno microondas, o controle remoto... que em tudo queremos
rapidez.

Porém, se quisermos orar com poder, essa pequena expressão do


versículo deve ficar gravada em nosso coração: "a Deus", dirigir a
oração a Deus... primeiro, precisamos nos certificar de ter entrado
na sala do trono, nos certificar de ter o pensamento voltado para
Deus.

...a segunda coisa a ser notada neste versículo é a expressão


"intensamente".
A ORAÇÃO QUE TEM PODER É AQUELA QUE É FEITA INTENSAMENTE
Numa versão da Bíblia aparece a palavra "contínua"... na NTLH,
está escrito que "a igreja continuava a orar com fervor".
Porém a Nova Versão Internacional (NVI) da Bíblia, captou melhor
o sentido da oração aqui... esta igreja do primeiro século, orava
intensamente - isto é, orava da mesma maneira como o evangelho
de Lucas mostra ter Jesus orado no Monte das Oliveiras (Lc 22.44).
No evangelho de Lucas lemos que Jesus, "Estando angustiado, ele
orou ainda mais intensamente [a mesma palavra no original, usada
lá em At 12.5]; e o seu suor era como gostas de sangue que caíam
no chão".

Na Carta aos Hebreus 5.7, lemos sobre como Jesus orava, sobre
como Jesus fazia oração. Lemos: "Durante os seus dias de vida na
terra, Jesus ofereceu orações e súplicas, em alta voz e com
lágrimas...".

Se Jesus entrasse hoje em nosso meio, para fazer oração, eu


penso que Ele deixaria muitos crentes incomodados... primeiro,
porque a oração dEle seria em alta voz, gritada em certos
momentos, e segundo, seria também uma oração com choro, uma
oração emocionada, de soluços e gemidos... e a gente prefere
oração silenciosa, daquelas calminhas...

Mas a Bíblia nos ensina em Rm 15.30, pelo pedido de Paulo aos


crentes, que lutemos com ele em suas orações.
Lemos isto: "Recomendo-lhes, irmãos, por nosso Senhor Jesus
Cristo e pelo amor do Espírito, que se unam a mim em minha luta,
orando a Deus em meu favor".

O apóstolo Paulo usou a palavra luta, uma palavra própria dos


jogos olímpicos, nos quais, os atletas colocam todo o empenho,
toda a força, toda a alma...

Portanto, isto significa o seguinte: a oração com poder é aquela


que fazemos intensamente, quando colocamos nela toda a nossa
alma.
Um servo de Deus chamado RA Torrey, analisando bem os dias
atuais, observou isto: "Muito da nossa oração moderna não tem
poder porque não tem coração".

Nós temos, irmãos, corrido para a presença de Deus com uma lista
de pedidos na mão, que apresentamos pra Ele e logo nos
levantamos e vamos embora... e, se alguém nos perguntar uma
hora depois pelo que oramos, freqüentemente não sabemos dizer.
Oramos, na maioria das vezes, somente quando estamos em
necessidade, quando estamos em perigo... Como se passou na sala
de aula certa vez. A professora perguntou pr'os alunos: "Quem
aqui faz oração antes das refeições?" Todos levantaram a mão,
menos Joãozinho. "Joãozinho! Você não ora antes das refeições?"
"Não, fessora... Lá em casa não precisa! A minha mãe cozinha
muito bem!"

Irmãos, se pomos pouco do nosso coração nas orações que


fazemos, não podemos esperar que Deus ponha muito do coração
dEle nelas.

Há uma modalidade de oração que é calma, serena e tranqüila,


mas existe algo como luta na oração.
Jesus lutou em oração... o Senhor orava tão intensamente, que
em suas orações havia clamor e lágrimas... e Paulo pediu aos
irmãos de Roma que lutassem com ele em suas orações.

Ah! Quando nos aproximarmos de Deus com uma intensidade de


desejo, que nos leve a clamar e a chorar, então experimentaremos
o que é orar com poder.

E como podemos chegar a esse ponto?


A explicação de como alcançarmos isto está em Rm 8.26: "Da
mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não
sabemos como orar, mas o próprio Espírito [aleluia!] intercede por
nós com gemidos inexprimíveis".

Novamente aqui, se quisermos orar com poder, devemos esperar


que o Espírito Santo nos ensine a orar.

É neste ponto que entra o jejum... em Dn 9.3 lemos que Daniel


voltou o rosto "ao Senhor Deus, para o buscar com oração e
súplicas, com jejum, pano de saco e cinza".

Alguns pensam que o jejum saiu de moda; mas quando lemos a


Bíblia, vemos que ele era praticado regularmente pela igreja (At
14.23; 13.2-3).

Irmãos, se quisermos orar com poder, devemos orar com jejum.


Naturalmente, isto não significa que toda a vez que for fazer
oração, você precise jejuar...

Mas há períodos de emergência, há períodos críticos no trabalho,


na família, ou em nossa vida particular, quando é preciso que
deixemos de lado a satisfação de apetites naturais, a fim de nos
entregarmos inteiramente à oração.
Sabe, existe um poder especial na oração com jejum... há poder
na determinação sincera, há poder na busca intensa... há poder
em deixar de lado tudo o mais, a fim de voltar nosso rosto para
encontrar a Deus!

...e uma terceira coisa a ser notada neste versículo é a expressão


"da igreja".
A ORAÇÃO QUE TEM PODER É AQUELA QUE É FEITA PELA IGREJA
Há poder na oração em grupo (diga isto à pessoa do seu lado)... há
poder na oração em conjunto.
O príncipe dos pregadores, Carlos Spurgeon, escreveu num artigo:
"A oração coletiva dos crentes é a primeira parte de um
Pentecostes; a conversão dos pecadores, a outra. Começa somente
com "uma reunião de oração", mas termina com um grande
batismo de milhares de convertidos". É poderosa a oração em
concordância.

Claro que há poder na oração de uma só pessoa... Tiago escreveu


que "A oração de um justo é poderosa e eficaz" (Tg 5.16)... mas há
um poder muito maior na oração em conjunto.
Quando você precisar da oração de alguém em seu favor, não peça
apenas que se orem por você, mas se una com um ou dois e façam
oração juntos... tem crente que não ora nem sozinho e nem com
os outros (está errado!), aliás, quando vê os outros, vai logo
pedindo: "Irmãos, cês oram por mim". Estes até já foram
adequadamente apelidados de "Crentes Seis Horas" - cês oram por
mim...

Irmãos, lemos em Mt 18.19, esta bênção que Jesus pronunciou:


"Também lhes digo que se dois de vocês concordarem na terra em
qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por
meu Pai que está nos céus".

Observem que Jesus não falou que se dois concordarem ao pedir,


mas se concordarem a respeito daquilo que pedirem...

Duas pessoas podem concordar em pedir uma mesma coisa ao


Senhor (Ex.: vamos pedir a Deus um auditório, maior que esse, lá
no centro da cidade), mas pode não haver um verdadeiro acordo a
respeito daquilo que pediram... um poderia pedir algo com muita
sinceridade, o outro poderia fazer apenas para agradar o amigo...

Então, se e somente se houver concordância, haverá oração com


poder.
Foi o que Jesus falou: "se dois de vocês estiverem em perfeita
harmonia com respeito ao que possam pedir a Deus, isso lhes será
concedido por meu Pai".

Irmãos, quando o Espírito Santo coloca o mesmo fardo em dois


corações, em tal oração há poder - um poder absolutamente
irresistível!

Conclusão
A oração que tem poder é aquela que é dirigida a Deus...
Então, antes de falar com Deus, aprenda a concentrar-se nEle, a
envolver-se nEle.

A oração que tem poder é aquela que é feita intensamente...


Então, não aprisione as emoções; lute em oração, seja intenso,
libere suor, clamor e lágrimas.

A oração que tem poder é aquela que é feita em concordância...


Então, ore sozinho, mas não apenas sozinho; peça que orem com
você e não apenas por você!