Anda di halaman 1dari 4

Educação do corpo na escola brasileira.

fez sobre teoria crítica, racionalidade e edu-


Marcus Aurélio Taborda de Oliveira (org). cação. Neste texto, Vaz ocupa-se do tema da
Campinas: Autores Associados, 2006, 209 pp. memória e da história em Benjamim e Adorno,
tendo como fonte para seus comentários as
Álvaro de Azeredo Quelhas recordações de infância que aparecem em
Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz trechos de obras destes pensadores. Nas
de Fora memórias de Benjamim, a escola aparece como
<alvaro.quelhas@ufjf.edu.br>
espaço de restrição e sofrimento, enquanto em
Adorno observa-se uma relação entre fascismo,
Graziany Penna Dias os primeiros anos de vida e o cotidiano escolar.
Professora de Educação Física da Secretaria de Educação A violência na escola é o tema abordado por
de Juiz de Fora Luciane Paiva Alves de Oliveira em “Violência,
<grandias@ig.com.br>
corpo e escolarização: apontamentos a partir da
teoria crítica da sociedade”. Apoiando-se em
Este livro é uma coletânea de dez textos que, teóricos como Foucault, Marcuse, Horhheimer
em sua maioria, abordam a questão do trato do e Adorno, discute a negação do corpo nas práti-
corpo e das práticas corporais nas escolas cas corporais presentes na escola como parte de
brasileiras. As análises apresentadas desen- um contexto mais amplo de uma sociedade
volvem-se a partir de pesquisas na área da marcada pela história de dominação, que,
história da educação/educação física realizadas desde cedo, está presente na escola, pois qual-
em sua maior parte por pesquisadores do esta- quer aluno identifica e aprende a seguir regras
do do Paraná. Os trabalhos lançam novos que colaboram para o desenvolvimento do
olhares, perspectivas e expectativas para o autocontrole sobre suas ações, representando
desenvolvimento de pesquisas sobre o assunto, algum tipo de sacrifício corporal ou não.
especialmente por abordarem temas bastante Segundo a autora, a investigação da violência,
variados, tais como: disciplina; castigos corpo- dentro ou fora da escola, pode ser feita por
rais; relações entre escolarização e esporte; intermédio da vinculação contraditória que o
disciplinas escolares; higiene. homem mantém com o corpo: relação de amor-
O texto de Marcus Aurélio Taborda de ódio. A título de ilustração são relatadas algu-
Oliveira, “A título de apresentação – educação mas situações vivenciadas no contexto escolar
do corpo na escola brasileira”, é, segundo o onde se manifesta a violência: durante o recreio
autor, um conjunto de reflexões que pretendem e no período de entrada e saída de turnos,
sugerir algumas possibilidades para um progra- propondo que a escolarização como um projeto
ma de pesquisa em torno da instauração de formativo tenha como princípios fundamentais
práticas corporais no interior da escola. Estas o combate à violência, ao ódio e à barbárie.
reflexões são elaboradas a partir de quatro O uso dos castigos corporais empregados
eixos: o sentido de um programa de pesquisa para disciplinar e conter os corpos das crianças
que pretende estudar historicamente a relação que deveriam se submeter a uma educação
entre corporalidade e escolarização; o conjunto escolarizada, em busca de uma civilização dos
de temas que pode encerrar; a documentação costumes pretendida em fins do século XIX, é o
sobre a qual se pode trabalhar; a inter-relação tema sobre o qual Talita Bance Dalcin discorre
entre diferentes campos disciplinares. Durante em seu texto “‘Palmatoando’ as fontes: os usos
o trabalho, Oliveira aborda estes eixos através dos castigos físicos em nome da disciplinariza-
do diálogo com alguns resultados de um proje- ção e da ordem nas escolas paranaenses da
to de pesquisa sob sua coordenação, que vem segunda metade do século XIX”. Analisando
estudando a questão no contexto da escola documentos do Arquivo Público do Paraná,
paranaense durante o período 1882-1920. Dalcin aponta que os castigos corporais eram
Em “Marcas do corpo escolarizado, inven- justificados sob dois argumentos centrais: o
tário do acúmulo de ruínas: sobre a articulação esgotamento do castigo moral, previsto em lei,
entre memória e filosofia da história em Walter como forma de disciplinar os alunos, e maior
Benjamim”, o autor Alexandre Fernandez Vaz eficácia dos castigos corporais, especialmente
reúne parte dos resultados de uma pesquisa que da palmatória, para o disciplinamento que
conduziria à ‘civilidade’. Por volta de 1880, o programa contido na reforma Francisco Campos
uso desse recurso, além de não produzir os quanto as diretrizes para a educação física nos
efeitos disciplinadores, passa a ser repulsado estabelecimentos de ensino secundário de 1947
pela sociedade, ganhando força e aprovação foram claramente baseados no método francês.
social os castigos morais. Sua principal contribuição é a de demonstrar
O processo de escolarização do esporte por em que medida estes programas se efetivaram,
meio da contribuição da Associação Brasileira ou não, no contexto do Ginásio Paranaense.
de Educação (ABE) é tratado por Meily Assbú O trabalho de Vera Lúcia Gomes Jardim,
Linhales em “A produção de uma forma escolar intitulado “Educação musical: a concepção
para o esporte: os projetos culturais da Associa- escolar para o ensino da música” trata dos
ção Brasileira de Educação (1926-1935) como processos de ensino da música implantados
indícios para a historiografia da educação físi- através das políticas educacionais nas escolas
ca”. Em sua exposição, Linhales analisa proje- públicas de São Paulo em consonância com a
tos da ABE, utilizando-se da categoria forma filosofia educacional historicamente colocada
escolar para propor a identificação das estraté- no final do século XIX até os anos de 1920. Ao
gias de produção do que ela denomina de longo do texto, a autora procurou destacar as
forma escolar para o esporte, e da categoria funções que estavam colocadas para a educação
saberes escolares para pensar o esporte como musical na formação escolar daquele período.
uma ‘disciplina’ que participa da (con)formação Demonstra, por meio de sua análise, que os
da escola, da prescrição pedagógica e da orga- métodos utilizados na educação musical
nização sociocultural atinentes à experiência estavam sintonizados com os novos postulados
escolar moderna. da pedagogia e da psicologia, em especial com o
A forma como os intelectuais de diferentes método intuitivo desenvolvido por Pestalozzi,
formações abordaram a discussão da saúde, da que se apoiava na intuição, na observação, nos
higiene, da educação e da sociedade, assim sentidos e na experiência.
como as influências destas questões na revista “O ensino de canto orfeônico e sua perspec-
Educação Physica, nas décadas de 1930 e 1940, tiva higienista na primeira metade do século
foram analisadas por Omar Shneider e Amarílio XX”, de Wilson Lemos Junior, é um texto onde
Ferreira Neto em “Saúde e escolarização: repre- o autor procura destacar a perspectiva utili-
sentações, intelectuais, educação e educação tarista com a qual pretendia-se ensinar a músi-
física”. Evidencia-se a transposição de uma ca orfeônica na escola, enfocando as práticas da
perspectiva que defendia um branqueamento escola secundária curitibana na primeira meta-
da sociedade, para um discurso que aponta a de do século XX. Neste contexto, o aspecto
educação do corpo de caráter higienista para a higienista era muito enfatizado enquanto ele-
melhoria da população. A educação física, res- mento de desenvolvimento físico das partes res-
saltada na revista, tinha por função melhorar as piratória e circulatória do corpo, bem como
condições biotipológicas promovendo uma ho- recreador, socializador e moldador de um deter-
mogeneidade da população, tendo como mode- minado perfil cultural para o país, principal-
lo a educação grega (física, moral e intelectual) mente, com o advento do Estado Novo.
e o culto ao padrão grego de estética corporal O texto que encerra o livro, de autoria de
espelhado em sua estatutária. Aponta-se um Cássia Helena Ferreira Alvin e Marcus Aurelio
processo onde está presente tanto continuidade Taborda de Oliveira, intitulado “Uma experiên-
quanto descontinuidade nos discursos e pro- cia de construção do currículo escolar para a
postas de promoção da saúde por meio da esco- educação física: das amarras da tradição à
la. tentativa de reorientação”, expõe, a partir das
Os programas de educação física para o experiências de Araucária, no Paraná, uma
ensino secundário e sua implementação no con- proposta de reformulação para o ensino da
texto escolar são analisados por Sérgio Roberto educação física. Propõe como seu objeto de
Chaves Júnior em “Os programas de educação ensino a corporalidade concebida como a
física no ensino secundário: algumas considera- expressão criativa e consciente do conjunto de
ções sobre o Ginásio Paranaense (1931-1947)”. manifestações corporais historicamente pro-
As análises desenvolvidas indicam que tanto o duzidas, buscando a comunicação e interação
diferentes indivíduos com eles mesmos, com
outros, com o seu meio social e natural. Assim,
foram elaborados quatro eixos norteadores para
a prática pedagógica deste componente curri-
cular na escola: (a) desenvolvimento corporal e
construção da saúde; (b) expressividade do cor-
po; (c) relação do corpo com o mundo globaliza-
do; (d) o corpo que brinca e aprende. O ponto
de partida do trabalho pedagógico na con-
cepção pautada na corporalidade é entender o
corpo como construção histórico-cultural,
partindo do senso comum para o conhecimento
científico-cultural elaborado, produzido pela
humanidade, organizado e sistematizado.
Compreendemos que os trabalhos apresen-
tados neste livro trazem importantes contri-
buições para o entendimento das relações entre
os processos de escolarização e os processos de
educação do corpo na sociedade brasileira,
constituindo-se em fonte de inspiração para o
desenvolvimento de novas pesquisas e re-
flexões, especialmente nas áreas da educação e
educação física.