Anda di halaman 1dari 6

Índices de Liquidez

Os índices de liquidez ou indicadores de liquidez são elementos utilizados pelos


analistas para avaliação da situação financeira da empresa, além das análises vertical e
horizonta, esse é um elemento importante no processo de avaliação empresarial.
Matarazzo (2010) compara a avaliação dos índices para o analista como uma aferição
realizada por um médico no paciente para uma avaliação mais minuciosa sobre o estado
de saúde. “Assim como um médico usa certos indicadores, como pressão arterial e
temperatura, para elaborar o quadro clínico de um paciente, os índices financeiros
permitem construir um quadro de avaliação da empresa decisão em diferentes
situações” (MATARAZZO, 2010, p. 82).

Apesar de ser um ferramenta de apoio para uma avaliação segura e respaldada da


situação econômica e financeira da empresa, Martins, Miranda e Diniz (2014) ressaltam
que nem sempre é necessário utilizar todos os índices disponíveis, a menos que seja
necessário. Nesse sentido, o ideal seria o analista identificar aqueles que tenham
relevância para seu objetivo de análise proposto, dispensando os que não tenha relação,
economizando tempo de análise e sendo mais objetivo nas avaliações.

Martins Miranda e Diniz (2014, p.126) definem que “os índices de liquidez apresentam
a situação financeira de uma empresa frente aos compromissos financeiros assumidos,
ou seja, demonstram sua capacidade de arcar com as dívidas assumidas, o que em
última instância, sinalizada condição de sua própria continuidade”. Os índices de
liquidez são divididos em: a) liquidez corrente; b) índice de liquidez seca; c) liquidez
imediata; e d) liquidez geral.

Liquidez Corrente

O índice de liquidez correte apresenta a razão de ativo circulante da empresa em relação


ao passivo circulante, ou seja, ele representa a capacidade de pagamento da empresa no
curto prazo. O índice pode ser obtido pela seguinte fórmula:

𝐴𝑡𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒
𝐿𝑖𝑞𝑢𝑖𝑑𝑒𝑧 𝐶𝑜𝑟𝑟𝑒𝑛𝑡𝑒 =
𝑃𝑎𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒
Quanto maior for o índice maior a disponibilidade de recursos para cumprimento de
suas obrigações à curto prazo. Como trabalha com a relação de elementos de curto
prazo (circulante) esse índice também indica a situação que se encontra o Capital
Circulante Líquido (CCL), quando o índice apresentar valor maior que 1, significa que o
CCL é positivo, consequentemente quando menor que 1, o CCL será negativo.

Liquidez Seca

Esse índice faz uma adequação a capacidade pagamento no curto prazo, há um critica
que o índice de liquidez correte não considera a relação temporal entre realização do
ativo e pagamento das obrigações, o índice de liquidez seca busca ajustar essa relação
apresentando a relação com elementos de altíssima liquidez. Para isso são

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)
Índices de Liquidez
desconsideradas as parcelas de ativo sobre estoques e despesas antecipadas. O índice
pode ser obtido da seguinte forma:

𝐴𝑡𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒 − 𝐸𝑠𝑡𝑜𝑞𝑢𝑒𝑠 − 𝐷𝑒𝑠𝑝𝑒𝑠𝑎𝑠 𝐴𝑛𝑡𝑒𝑐𝑖𝑝𝑎𝑑𝑎𝑠


𝐿𝑖𝑞𝑢𝑖𝑑𝑒𝑧 𝑆𝑒𝑐𝑎 =
𝑃𝑎𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒
Portanto, essa relação aponta a capacidade de pagamento utilizando praticamente ativos
monetários de curto prazo, desconsiderando o tempo de transformação dos demais
ativos de curto prazo. Comumente utilizada por analistas para melhor avaliação
observando também outros índices para verificação. Mesmo com a modificação ainda
existe uma relação de disfunção do tempo em relação aos pagamentos do passivo
circulante, e também sobre o recebimento visto que os valores que compões contas a
receber ou clientes podem ser significativos e não serem efetivamente recebidos em sua
totalidade no curto prazo.

Liquidez Imediata

O índice de liquidez imediata indica a capacidade de pagamento imediato de dividas,


utilizando os ativos financeiros monetários disponíveis na instituição. Esse índice faz
uma avaliação de qual a capacidade de recursos da companhia para quitar dividas de
curto prazo. Pode ser identificado da seguinte forma:

𝐷𝑖𝑠𝑝𝑜𝑛í𝑣𝑒𝑙
𝐿𝑖𝑞𝑢𝑖𝑑𝑒𝑧 𝐼𝑚𝑒𝑑𝑖𝑎𝑡𝑎 =
𝑃𝑎𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒
Esse índice geralmente é baixo, visto que as empresas não costumam deixar muitos
valores sem aplicações devido a questões de desvalorização e inflação conforme
relatado Martins, Miranda e Diniz (2014). Os autores também argumentam que este é
um índice pouco utilizado, uma vez que sua capacidade informacional é baixa.

Liquidez Geral

Contempla a avaliação da capacidade e pagamento da empresa considerando seus


recursos de curto e longo prazo em relação as obrigações na mesma condição de tempo
(curto e longo prazo). O índice de liquidez geral é calculado pela fórmula:

𝐴𝑡𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒 + 𝑅𝑒𝑎𝑙𝑖𝑧á𝑣𝑒𝑙 𝑎 𝐿𝑜𝑛𝑔𝑜 𝑃𝑟𝑎𝑧𝑜


𝐿𝑖𝑞𝑢𝑖𝑑𝑒𝑧 𝐺𝑒𝑟𝑎𝑙 =
𝑃𝑎𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒 + 𝑃𝑎𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜 𝑁ã𝑜 𝐶𝑖𝑟𝑐𝑢𝑙𝑎𝑛𝑡𝑒
Existe uma crítica muita forte sobre esse índice devido à ele ser o que mais sofre
impacto temporal das contas, uma vez que trabalha com todos os recursos conversíveis
em dinheiro a curto prazo e longo prazo e está condicionado a pagamento de dívidas
com a mesma variação temporal.

Assaf Neto (2012) considera que esse índice pode ser considerada uma forma de
verificar a capacidade da empresa quitar todas as suas dívidas utilizando seus recursos
de transformação, apresentando uma forma de segurança para novos investimentos.

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)
Índices de Liquidez

Exemplo prático1

A Cia Grega ao término do período apresentou a seguinte situação patrimonial:

Com base no balanço da Cia Grega apresentado acima, foram calculados os índices
liquidez possíveis.

1
Exemplo e atividades de fixação retiradas do livro “Análise didática das demonstrações contábeis”
Martins, Miranda e Diniz (2014).

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)
Índices de Liquidez
Avaliação

Por meio dos cálculos realizados é possível identificar que a capacidade de pagamento
imediato da Cia grega apresenta um crescimento ao longo do tempo, conforme
observado pela elevação do índices de liquidez imediata. Sendo assim, aumenta a
relação de recursos disponíveis a curtíssimo prazo.

O índice de liquidez geral proporciona a confirmação na capacidade de pagamento de


maneira geral, ou seja, no curto e longo prazo.

Contrário ao apresentado pelos índices de liquidez imediata e geral, os índices de


liquidez seca e correta, apresentam uma redução na capacidade de pagamento da
companhia ao longo do tempo, apontando uma queda dos índices comparando o período
inicial aos demais. Identificado isso é necessário observar as possíveis causas da queda,
no exemplo pode ser apontado o aumento significativo no valor do passivo circulante e
falta de crescimento do ativo circulante nas mesmas proporções.

Exercícios de fixação:

1- A Cia Medusa atua no ramo de cosméticos e apresentava a seguinte


situação patrimonial:

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)
Índices de Liquidez
a) Faça o cálculo dos índices de liquidez imediata, seca, corrente e geral da Cia
Medusa;

b) Tendo como referência que os índices de liquidez correte e seca do setor de


cosméticos no 3º período forma de 1,85 e 1,17 respectivamente, faça uma
avaliação da Cia Medusa com base nos índices calculados

2- Observe os dados da Cia Zeus e realize os cálculos dos índices de liquidez.


Faça uma análise financeira da cia com base nos índices calculados.

3- (FUNCAB/ANS 2015) A liquidez de uma empresa é medida pela sua


capacidade de honrar suas obrigações no curto prazo, que pode ser medida,
basicamente, através da liquidez corrente e liquidez seca. Sobre o assunto, é
correto afirmar que:

a) para o cálculo da liquidez seca o valor em estoque é muito importante para


determinar o índice desejado.

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)
Índices de Liquidez
b) quanto mais baixo o índice de liquidez corrente, mais a empresa é considerada
líquida.
c) índice de valor corrente é igual a ativo circulante/passivo circulante.
d) a liquidez corrente mede a capacidade da empresa de saldar suas obrigações
com o saldo em conta corrente.
e) a liquidez seca é semelhante à liquidez corrente, exceto pelo fato de excluir as
contas a pagar.

4- (FGV – TCM 2015) O parecer dos auditores independentes sobre as


Demonstrações Contábeis da empresa DILU S/A, referente ao exercício de
2014, foi emitido com as seguintes ressalvas: ausência de reconhecimento
adequado das provisões para perdas no estoque; ausência de adoção de
critérios de impairment do imobilizado condizentes com a realidade
econômica de seus ativos; e classificação indevida das obrigações a pagar
inferior a 12 meses no Passivo Não Circulante. Considerando esses fatos, um
analista financeiro, desejando conhecer a Liquidez Corrente (LC) da
empresa, deverá:

a) realizar ajustes, reduzindo o valor do estoque e do imobilizado registrados no


Ativo;
b) realizar ajuste, aumentando o valor do Ativo, em decorrência da ausência de
realização do impairment pela empresa;
c) realizar ajuste, reduzindo o Passivo Circulante e aumentando o Passivo Não
Circulante, em decorrência do valor de obrigações a pagar;
d) realizar ajustes, reduzindo o valor do estoque no Ativo Circulante e aumentando
o valor de obrigações a pagar no Passivo Circulante;
e) considerar como base de sua análise as informações originais das
Demonstrações Contábeis.

Referências

ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e Análise de Balanços: um enfoque econômico –


financeiro. 10. Ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTINS, Eliseu; DINIZ, Josedilton Alves; MIRANDA, Gilberto José. Análise Avançada das
Demonstrações Contábeis. São Paulo: Atlas, 2012.

______. MIRANDA, Gilberto José; DINIZ, Josedilton Alves. Análise Didática das
Demonstrações Contábeis. São Paulo: Atlas, 2014.

MATARAZZO, Dante Carmine. Análise Financeira de Balanços: abordagem gerencial.


7 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

VISCECONTI, Pulo Eduardo Valchez; NEVES, Silvério. Contabilidade Avançada. 17 ed. São
Paulo: Saraiva, 2013.

Análise das Demonstrações Prof. Cassius Klay FUCAMP


Contábeis (7º período/contábeis)