Anda di halaman 1dari 18

Sísmica

Sísmica de
de
Refração
Refração

Aula 4

Prof. João Carlos Dourado

1
Frentes de ondas e raio sísmico

Frente de onda (wavefront): lugar geométrico das partículas que


possuem o mesmo tempo de percurso da onda

Raio Sísmico (raypath) : é uma abstração física, representada


por uma linha perpendicular à frente de onda.O raio sísmico é
muito utilizado para mostrar graficamente o percurso da onda

Em um meio homogêneo e isotrópico a frente de onda é


representada por uma circunferência e o raio sísmico serão
os próprios raios desta circunferência

2
A propagação de uma onda sísmica vai obedecer a dois princípios

Princípio de Huygens

O princípio de
Huygens diz que cada
ponto
de uma frente de ondas
funciona como
como uma fonte de
ondas

Princípio de Fermat
O princípio de Fermat diz que uma onda vai
percorrer o percurso de menor tempo. Isto é
ao se propagar entre dois pontos, a onda irá
se propagar pelo percurso de tempo mínimo.

3
A onda de corpo incidindo em uma superfície que separa
meios com velocidades de propagação diferentes

p s
p
ls lp
ip
Vp1,Vs1
Vp2,Vs2 rp
rs
p
s

Vp1<Vp2
Vs1<Vs2

s s
ls
p
lp

Vp1,Vs1

Vp2,Vs2 rp p
rs
s

4
Refração
A refração sísmica é um fenômeno que causa um desvio na direção de
propagação de uma onda quando ela passa de um meio para
outro, onde a velocidade de propagação das ondas seja diferente. Este
desvio é calculado pela lei de Snell

V1

V2

Lei de Snell

sen(i ) V1
=
sen(r ) V2
5
6
Refração total
A refração total ou crítica vai ocorrer quando a
onda atingir uma interface com um meio de maior velocidade,
cujo raio sísmico faça um ângulo de incidência tal, cujo ângulo
de refração resulte em um ângulo reto (90o). Este ângulo de
incidência é denominado de ângulo crítico.

ic
Meio 1
V1<V2
Meio 2

A onda ao sofrer refração total, vai se propagar na interface entre


os meios 1 e 2, com velocidade do meio 2, isto é, V2.
Desta maneira as partículas desta interface vão gerar novas frentes de
ondas (princípio de Huygens), cujos raios vão retornar à superfície
formando ângulo crítico ic.

ic ic
Meio 1
V1<V2
Meio 2

7
8
A técnica da sísmica de refração tem por objetivo detectar em superfície
as ondas sísmicas refratadas em profundidade (refração total), e desta
maneira determinar as velocidades de propagação das ondas bem como
as espessuras dos estratos em subsuperfície. Para tanto dispõe de
metodologia de campo, processamento de dados e interpretação que
possibilitam atingir este objetivo.

Sismograma

9
Para entender esta metodologia, vamos primeiro compreender
o gráfico tempoXdistância (dromocrônicas) das ondas sísmicas
diretas, refletidas e refratadas em uma interface em uma profundidade h,
para facilitar a visualização supõe-se que esta interface é plana e
paralela com a superfície.

tempo

Ti

xc distância

h
ic ic
V1<V2

10
Equação das curva das ondas refletidas

2r
tx =
V1
2
 x
r =   + h12
 2

x2
2 + h1
4
tx =
V1

tx 2 x2
− =1
4 h12 2 4 h12
V1
A curva da onda refletida é representada pela equação da hipérbole
11
Equação da reta das ondas diretas
e das ondas refratadas

ti

Xc
P G

h Ic V1
A B
P’ G’ V2
Utilizando Xc
x
Eq. Da reta das ondas diretas
td =
V1
Eq. Da reta das ondas refratadas
PA AB BG PA AB
tr = + + =2 +
V1 V 2 V1 V1 V 2
2h cos i X − 2h tan i
tr = +
V1 V2

12
tempo

Ti

xc distância

h
ic ic
V1<V2

Pode-se notar no gráfico tempo distância que:


- As ondas diretas e refratadas serão as primeiras a ser registradas
em um sismograma.
- A hipérbole que representa as ondas refletidas tem como assíntota
a reta das ondas diretas.
- Acurva das ondas refletidas tem um ponto em comum com o inicio da
reta das ondas refratadas.
- O Ti é o tempo em que a reta das ondas refratadas intercepta o eixo do
tempo.
- xc é a distância na qual a onda refratada começa a chegar antes do que
a onda direta. 13
Tanto a metodologia de campo, a técnica de registro e de processamento
dos dados de sísmica de refração, vai se valer da propriedade das ondas
refratadas em subsuperfície chegarem em primeiro lugar, como mostra
o sismograma abaixo

14
Por meio desta figura verificamos que a onda refrata na interface entre
o meio 1 e 2, emerge na superfície com velocidade V2, seguindo a lei
da velocidade aparente.

15
Lei das Velocidades Aparentes

A velocidade com que uma frente de onda


aparenta se propagar é igual a razão entre a
velocidade real e o seno do ângulo de emergência
B

A dt

G1 dx G2
θ
ds V1

dx ds V1
Vap = = =
dt sen θ . dt sen θ

Na refração se θ = ic

então Vap = V2 16
Cálculo das Espessuras

ti

Xc
P G

h Ic V1
A B
P’ G’ V2
Utilizando Xc
x
Eq. Da reta das ondas diretas
td =
V1
Eq. Da reta das ondas refratadas
PA AB BG PA AB
tr = + + =2 + xc 2h cos i xc − 2h tan i
V1 V 2 V1 V1 V 2 = +
V1 V1 V2
2h cos i X − 2h tan i
tr = + xc V 2 − V 1
V1 V2 h=
2 V 2 +V1
Em Xc td=tr 17
Cálculo das Espessuras

ti

Xc
P G

h Ic V1
A B
P’ G’ V2
Utilizando o ti
Eq. Da reta das ondas refratadas
PA AB BG PA AB
tr = + + =2 +
V1 V 2 V1 V1 V 2
2h cos i X − 2h tan i
tr = +
V1 V2
2h cos i
ti =
Fazendo x=0 V1
tiV 1
h= 18
2 cos i