Anda di halaman 1dari 3

Rua Florianópolis, 901, D - Bairro: Jardim Itália - CEP: 89814-200 - Fone: (49)3361-

1300 - www.jfsc.jus.br - Email: sccha02@jfsc.jus.br

AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 5011702-


40.2014.4.04.7202/SC

AUTOR: VALDECIR CASTILHA

RÉU: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS

DESPACHO/DECISÃO

1. Trata-se de ação ordinária proposta por Valdecir Castilha, em face do Instituto


Nacional da Seguridade Social - INSS, com o objetivo de obter a concessão de auxílio
acidente a partir da data de cessação do benefício de auxílio doença (NB 519.663.355-0)
- ocorrida em 31/03/2007 -, bem como lhe seja reconhecido direito aos valores atrasados
desde a data citada.

2. Por ocasião do pedido inicial, o autor desde já requereu as provas documental e


testemunhal sendo que, após intimado para especificar provas requereu também perícia
médica (evento 11). O INSS, por sua vez, em sede de contestação, postulou a extinção
do processo sem resolução do mérito alegando ausência de interesse de agir.

Da prova documental.

Acerca da produção de provas dispõe o artigo 130 do CPC:

"Art. 130. Caberá ao juiz, de ofício ou a requerimento da parte, determinar as provas


necessárias à instrução do processo, indeferindo as diligências inúteis ou meramente
protelatórias."

3. Defiro a prova documental, vez que é cabível a qualquer tempo (art. 397, CPC).

3.1. Caso sejam apresentados novos documentos, dê-se vista à outra parte para
manifestação, em 05 (cinco) dias, nos termos do art. 398 do CPC.

Nomeio para atuar como perito deste Juízo o Dr. Rafael Ricardo Lazzari, inscrito no
CRM/SC nº 4070, Ortopedista e Traumatologista, com endereço na Rua Rui Barbosa, nº
200-D, Centro Ortopédico/Coluna, Centro, Chapecó/SC, Fone (49) 332-3034 e 9876-
2209.

O perito deverá responder aos seguintes quesitos:

Do juízo:

4.1) Queira o Sr. Perito informar o nome completo, idade, profissão (ou última
atividade, em caso de desemprego), grau de escolaridade e nº. de documento com foto
do(a) periciado(a).
4.2) O(a) periciado(a) é portador(a) de alguma doença? Em caso positivo, indicar o
respectivo CID, o estágio atual, a origem (congênita, degenerativa, inerente à faixa
etária do(a) periciado(a), hereditária, acidentária, adquirida por outra causa etc.), e,
se possível, a data provável de início da patologia, bem como apontar todos os exames
realizados ou apresentados que embasam este laudo.

4.3) Caso se trate de doença acidentária, é possível caracterizar o acidente sofrido


pelo(a) periciado(a) como acidente do trabalho (o que inclui doenças ocupacionais) ou
acidente de natureza diversa?

4.4) Depois do início da doença houve agravamento do estado de saúde do


periciado(a)? Em caso positivo, queira o Sr. Perito apontar quando isto ocorreu e
quais os dados objetivos (exames, observações etc.) que sustentam as conclusões.

4.5) A doença da qual o(a) periciado(a) é portador(a) gera incapacidade para o


exercício de sua profissão habitual? Em caso positivo, indicar se a incapacidade é total
ou parcial (e, se parcial, qual a proporção aproximada entre a capacidade do(a)
periciado(a) e a de uma pessoa totalmente capaz), indicar especificamente as
atividades e/ou movimentos para os quais há incapacidade e apontar os elementos
objetivos (exames, observações etc.) que sustentam as conclusões.

4.6) Em caso de incapacidade parcial, é possível afirmar que a redução da capacidade


decorre de sequelas consolidadas decorrentes de acidente sofrido pelo(a) periciado(a)?

4.7) A eventual incapacidade laborativa do(a) periciado(a) para o exercício da sua


profissão habitual é temporária ou permanente? Caso seja temporária, queira o Sr.
Perito estimar o prazo necessário para a recuperação da capacidade, bem como
descrever o tratamento necessário.

4.8) O(a) periciado(a) vem realizando tratamento e/ou acompanhamento médico? Em


caso positivo, descrever qual seria o tratamento e desde quando ele vem sendo
realizado, bem como se a permanência do(a) periciado(a) em atividade prejudicaria
sua recuperação.

4.9) Há indícios de que o(a) periciado(a) tenha desempenhado atividade laborativa


recentemente? Em caso positivo, quais seriam estes indícios?

4.10) É possível fixar a data provável de início da incapacidade para o exercício da


profissão habitual do(a) periciado(a)? Em caso positivo, apontar qual seria tal data,
bem como indicar os elementos objetivos (exames, observações etc.) que possibilitam
sua fixação.

4.11) Em caso de incapacidade permanente para sua função habitual, o(a) periciado(a)
poderia desempenhar ou ser reabilitado(a) para profissão diversa? Em caso positivo,
queira o Sr. Perito exemplificar outras atividades que o(a) periciado(a) poderia
desempenhar.

4.12) Em caso de incapacidade permanente, o(a) periciado(a) necessita da assistência


permanente de terceiros? Em caso positivo, especificar qual o tipo de assistência
necessária e para quais atividades.
4.13) A doença que acomete o(a) periciado(a) guarda relação com aquela que deu
origem ao requerimento do benefício indeferido ou cessado pelo INSS?

4.14) Queira o Sr. Perito descrever o que mais entender relevante sobre a saúde e a
capacidade laborativa do(a) periciado(a).

Da parte autora:

4.15) As sequelas decorrentes do esmagamento do dedo indicador da mão direita do


Autor e consequente a amputação de parte do referido dedo diminuíram a capacidade de
trabalho do Autor?

4.16) Caso o Autor possa exercer a mesma função que exercia antes do acidente, a
sequela resultante do acidente (amputação da do dedo indicador da mão direita) reduziu
a capacidade para a atividade laboral que o Autor habitualmente exercia ?

4.17) Na hipótese do Autor ter a possibilidade de exercer a mesma atividade laboral que
exercia antes do acidente a referida sequela diminuiu a qualidade ou quantidade do
trabalho exercido pelo Autor?

5. A Secretaria deverá observar o seguinte procedimento:

5.1. Intimem-se as partes do conteúdo deste despacho, podendo, em 05 (cinco) dias, o


INSS formular quesitos e indicar assistente técnico caso assim deseje.

5.2. Fixo os honorários periciais, em conformidade com a Resolução nº 305, de


07/10/2014, do Conselho da Justiça Federal, em R$ 352,00 (trezentos e cinquenta e
dois reais), que serão liberados após o término do prazo para as partes se manifestem
sobre o laudo, ou, havendo solicitação de esclarecimentos, depois de serem eles
prestados.

5.3. Sendo expedida a requisição, oficie-se à Corregedoria-Geral de Justiça,


comunicando a majoração dos honorários, nos termos da parte final do art. 3º, § 1º, da
Resolução supramencionada.

5.4. Intime-se, então, o perito acerca da nomeação, para manifestar a aceitação do


encargo, bem como para:

5.4.1. Comunicar a este Juízo, com antecedência mínima de 20 (vinte) dias, a data, hora
e local para realização da perícia, propiciando a intimação do autor;

5.4.2. Entregar seu laudo, devidamente datilografado ou digitado, no prazo de 15


(quinze) dias.

6. Apresentado o laudo pericial, dê-se vista às partes pelo prazo comum de 10 (dez)
dias, inclusive para fins do disposto no parágrafo único do artigo 433 do Código de
Processo Civil.