Anda di halaman 1dari 17

A utilização de SIG em Estudos

Geoambientais

A utilização de SIG em
Estudos Geoambientais:
estudos de caso
(Projeto Araranguá)
(SIG Geoambiental do
Aglomerado Cuiabá –
Várzea Grande e Entorno)

Marcelo Eduardo Dantas


Geógrafo, MSc.
DEGET/CPRM
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações teóricas e epistemológicas

• A incessante busca por uma metodologia de análise integrada da


estrutura da paisagem.
• Abordagem Geossistêmica (Rússia e França)
– Viktor Sotchava (URSS-1960). O Estudo dos Geossistemas.
– Planícies Siberianas (ressalta-se um zoneamento biogeográfico)
– George Bertrand (França-1968). Paisagem e Geografia Física Global.
– Pireneus Franceses (ressalta-se um zoneamento geomorfológico)
– Análise estrutural da paisagem através da superposição e interação das diversas
“layers”que compõem o sistema geobiofísico.
• Abordagem Geoecológica (Alemanha)
– Carl Troll (1950). Ecologia da Paisagem (Landscape Ecology)
– Klink (1974). Geoecologia e Regionalização natural: bases para a pesquisa
ambiental.
– Análise sistêmica da paisagem e das atividades humanas por meio de uma
dinâmica de fluxos e redes de matéria e energia.
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações teóricas e epistemológicas

• Ecodinâmica (França)
– Jean Tricart (França-1977). Ecodinâmica.
– Contraposição à abordagem geossistêmica e à busca de unidades de
paisagem.
– Análise da estrutura da paisagem em sua morfodinâmica sem
preocupação em delimitar unidades territoriais singulares.
• Biostasia x Resistasia (Alemanha)
– Erhardt (Alemanha-1956). Biostasia x Resistasia .
– Tricart se apropria desses conceitos formulados por Erhardt para
propor um modelo de classificação da paisagem em áreas mais
estáveis ou instáveis frente à morfodinâmica.
– Morfogênese x Pedogênese
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações teóricas e epistemológicas

• A Unidade Territorial Básica


– Unidade de Paisagem (Land Unit - Zonneveld, 1989): trata-se de
uma unidade espacial que apresenta características singulares (tanto
no meio geobiofísico, quanto no meio sócio-econômico) que a
definem e a delimitam e a distinguem das outras unidades.
– Abordagem Geossistêmica - Geótopo
– Abordagem Geoecológica - Ecótono
– A Unidade de Paisagem resulta do processo de integração das
variáveis e pode consistir, por excelência, numa unidade de
planejamento/ gerenciamento ambiental.
– Tipos de Unidades de Planejamento: Unidade de Paisagem; Bacia
Hidrográfica; Limites Político-Administrativos.
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações metodológicas

• Análise integrada dos estudos temáticos (Abordagem geoecológica)


• Unidade de paisagem ( unidade de mapeamento extraída da peculiar interação
entre as diferentes variáveis que compõem o sistema geobiofísico)

• Todos os procedimentos operacionais executados em ambiente SIG


• Geologia
• Domínios Geoambientais
Geomorfologia
Solos
• Unidades Geoambientais Clima e Vegetação primária
Outros temas
•Geologia do Quaternário (Neotectônica e/ou Formações Superficiais); Geologia de
Engenharia; Hidrogeologia;Geoquímica Ambiental; Unidades de Conservação; etc.
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações metodológicas

•Geoprocessamento
•1 Organização e padronização das bases (cartográficas e temáticas)
•2) Definição e/ou Reclassificação de Classes ou Categorias dos
Mapas Temáticos Básicos
•3) Escolha dos atributos que irão compor a base de dados
Geoambiental
•4) Superposição e Cruzamento dos Temas- Análise Espacial e
Modelagem
•5) Produção do Mapa GeoAmbiental
•6) Disponibilização imediata – Cd’s e DVD`s
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações metodológicas

LEGENDA DO MAPA GEOAMBIENTAL


A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Considerações metodológicas

A EXPERIÊNCIA ACUMULADA PELA CPRM


• Projeto Curitiba – Mapa Geoambiental da Região Metropolitana de Curitiba
• Projeto Rio de Janeiro – Mapa Geoambiental do Estado do Rio Janeiro
• ZEE RIDE Brasília – Mapa Geoambiental da Região Integrada de Desenvolvimento
do Distrito Federal e Entorno
• Pro-Guaíba – Mapa Geoambiental da Bacia Hidrográfica do rio Guaíba (Região
Metropolitana de Porto Alegre)
• Paisagens Geoquímicas e Ambientais do Vale do Ribeira – Mapa Geoambiental da
Bacia Hidrográfica do rio Ribeira (SP/PR)
• Diagnóstico Ambiental de Cuiabá, Várzea Grande e Entorno – Mapa Geoambiental do
aglomerado Cuiabá – Várzea Grande e entorno
• E diversas outras obras
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações

• Mas como podemos aplicar, para o setor mineral,


todo este arcabouço teórico e metodológico?
• Land Unit - Unidade Territorial Básica (de Planejamento)
• Escola Americana (derivada da Escola Geoecológica Alemã)
– Landscape Ecology
• Territorial Planning
• Land Management

• Conservação Ambiental: (planos de manejo de APA; PN; EE; RB; etc.)


• Diagnóstico Sócio-Ambiental: (IQM-verde; IDH)
• Planejamento Territorial:(planos diretores muncipais; PDM)
• Gestão do Território: (ZEE; PPA; Planos Qüinqüenais)
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações

ANÁLISE DAS POTENCIALIDADES E LIMITAÇÕES DO MEIO FÍSICO


quanto:
GEOTECNIA (capacidade de suporte dos terrenos; suscetibilidade à erosão/
movimentos de massa; escavabilidade e drenagem dos solos; rugosidade do
relevo; aptidão para obras civis e disposição de resíduos sólidos)
RECURSOS HÍDRICOS (disponibilidade e distribuição sazonal de águas
superficiais; potencial e vulnerabilidade dos aqüíferos; qualidade de águas e
fontes de poluição)
AGROPECUÁRIA (fertilidade natural dos solos; aptidão agrícola)
TURISMO (áreas de beleza cênica para Geoecoturismo)
MINERAÇÃO (potencial mineral; cadastro de atividades mineiras)
PLANEJAMENTO (instituições públicas; ONG’s; comitês de bacias
hidrográficas; empresas privadas; e sociedade)
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

PROJETO ARARANGUÁ
Bacia Hidrográfica do rio Araranguá
Zona Carbonífera Sul-Catarinense
• A exploração mineral remonta ao final do século XIX produzindo uma vasta
área atrelada à mineração de carvão, tendo em Criciúma sua cidade-pólo.
• Esta atividade, ininterrupta por mais de um século, legou um expressivo
passivo ambiental composto por:
– Pilhas de estéril e de rejeito e cavas a céu aberto, descaracterizando a paisagem
física e a morfologia original dos terrenos.
– Lagoas de decantação e bocas de minas promovendo a acidificação das águas
superficiais e subterrâneas em ampla porção da bacia do rio Mãe-Luzia.
– Risco de solapamentos e combustão espontânea de novas zonas urbanas
assentadas sobre antigas áreas mineradas.
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

PROJETO ARARANGUÁ
Bacia Hidrográfica do rio Araranguá
Zona Carbonífera Sul-Catarinense
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

PROJETO ARARANGUÁ
Bacia Hidrográfica do rio Araranguá
Zona Carbonífera Sul-Catarinense
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

O Estudo Geoambiental como um instrumento norteador de Tomada de Decisão

Abrangência Regional e Relevância sócio-econômica da atividade mineral


• Implantação de logística de transportes, telecomunicações, energia, etc.
• Geração de impostos, emprego e renda
Caracterização Geobiofísica da área de influência direta da atividade mineral
•Geologia; Geomorfologia; Formações Superficiais; Pedologia; Hidrologia;
Hidrogeologia; Biodiversidade
Caracterização Sócio-Econômica da área de influência da atividade mineral
• Estrutura social da população (IDH)
• Estrutura fundiária; atividades econômicas existentes e Equipamentos urbanos
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

O Estudo Geoambiental como um instrumento norteador de Tomada de Decisão

Impactos ambientais desencadeados pela atividade mineral


• Perda de Biodiversidade (desmatamentos e redução de número ou extinção de
espécies vegetais e animais)
• Poluição atmosférica
• Poluição dos recursos hídricos superficiais
• Poluição do lençol freático e/ou aqüíferos confinados
• Poluição dos solos
• Erosão (desde erosão laminar até voçorocamentos e movimentos de massa)
• Assoreamento da rede de canais
• Desertificação
• Perigo à saúde pública
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

O Estudo Geoambiental como um instrumento norteador de Tomada de Decisão

Passivos ambientais legados pela atividade mineral


• Danos sociais e econômicos (doenças crônicas; populações desalojadas;
desemprego; decadência econômica; perda de arrecadação com turismo; contaminação
dos mananciais de abastecimento de água; etc.)
• Tanques ou depósitos de resíduos tóxicos.
• Lagoas de decantação.
• Pilhas de estéril
• Áreas de rejeito
• Áreas contaminadas (solo; biota; águas superficial e subterrânea)
• Descaracterização das paisagens (beleza cênica)
• Áreas fortemente degradadas
A utilização de SIG em Estudos Geoambientais
Aplicações para o Setor Mineral

O Estudo Geoambiental como um instrumento norteador de Tomada de Decisão

Tal atividade econômica é compatível com o desenvolvimento sustentável


regional?

(uma ponderação entre os benefícios sociais e econômicos e os passivos ambientais)

Quais as alternativas?
• tecnológicas
• econômicas