Anda di halaman 1dari 9

O SISTEMA DIGESTIVO é formado por um conjunto de órgãos especializados na obtenção

dos nutrientes consttuintes dos alimentos necessários ao metabolismo celular.

5.1 ETAPAS DA DIGESTÃO – A nutrição trata do estudo dos processos de obtenção dos
nutrientes, pelos seres humanos, em várias fases, através da alimentação:

Ingestão – Ato de colocar o alimento na boca;


Deglutição – Ato de engolir o alimento;
Digestão – Processo em que os alimentos são transformados em nutrientes mais simples;
Absorção – Passagem dos nutrientes pata o meio interno e correspondentes células.

5.2 ÓRGÃOS DO SISTEMA DIGESTIVO E SUAS FUNÇÕES:

BOCA – Local de entrada dos alimentos, é formada pelos lábios, língua e dentes. Possuí,
como glândulas anexas, as glândulas salivares. A sua função consiste na formação do bolo
alimentar através da trituração dos alimentos, com os dentes, e a sua insalivação com a
ajuda da língua e da saliva produzida nas glândulas salivares.

FARINGE – Canal muscular que liga a boca ao esófafgo.

ESÓFAGO – Tubo que se estende da faringe até ao estômago.

ESTÔMAGO – Órgão em forma de bolsa onde se armazena o bolo alimentar. A sua função é
misturar o bolo alimentar com os sucos gástricos através da ajuda dos movimentos
peristáltcos do estômago para a formação do QUIMO.
O suco gástrico contém enzimas digestvas e ácido clorídrico formado nas glândulas gástricas
existentes na parede do estômago.

DUODENO – Porção inicial do intestno delgado onde é lançado o QUIMO e que recebe as
secreções do fgado (a bílis), o suco pancreátco e os sucos intestnais.

INTESTINO DELGADO – Órgão em forma tubular, com cerca de 6 a 7 m) que liga o estômago
ao intestno grosso. Contém glândulas intestnais situadas nas suas paredes, que produzem o
suco intestnal e também enzimas digestvas que atuam sobre os lípidos e os prótdos. Deste
modo, forma-se uma pasta líquida – o QUILO – a partr do Quim, por ação de todos os sucos
digestvos (pancreátcos, bílis e intestnal).
É no intestno, após a realização da digestão que se processa a fase da ABSORÇÃO
DIGESTIVA, isto é, os nutrientes estão agora transformados em nutrientes mais simples
devido àstransformações químicas que sofreram ao longo do tubo digestvo. Estes nutrientes
mais simples são:
- Glicose e outros monossacarídeos;
- Glicerol (ácidos gordos) resultantes da digestão dos lípidos;
- Aminoácidos resultantes da digestão das proteínas.
- Vitaminas, sais minerais e a água não sofrem digestão.

ABSORÇÃO INTESTINAL – Passagem, depois da realização da digestão, dos nutrientes simples


através da mucosa intestnal para o sangue e para a linfa.

INTESTINO GROSSO – Consttui a parte fnal do tubo digestvo. Nele são absorvidos os sais
minerais e a água e são armazenadas as fezes, na sua parte fnal – RETO – formadas pelos
materiais não absorvidos no intestno delgado, bactérias e células mortas. No intestno
grosso está presente a maior parte das bactérias que vivem em equilíbrio no corpo humano
e que desempenham um papel muito importante na síntese de certas vitaminas e no
controlo de bactérias nocivas.
O intestno grosso é formado por três compartmentos: cólon ascendente (parte inicial que
liga pelo CEGO ao intestno delgado), cólon trasnverso e o cólon descendente que termina
no reto e comunica com o exterior pelo ÂNUS.

5.3 GLÂNDULAS ANEXAS:

- Glândulas salivares (produzem a saliva responsável pela digestão dos amidos, na boca);
- Fígado – produz a bílis e sais biliares que se armazenam na vesícula biliar;
- Pâncreas – produz o suco pancreátco.

5.5 VÁLVULAS CONIVENTES – São pregas existentes no intestno delgado que facilitam a
absorção digestva. Estas pregas são revestgidas por milhões de estruturas em forma de
dedos - VILOSIDADES INTESTINAIS. As células destas vilosidades possuem prolongamentos –
as microvilosidades – cuja função é a de aumentar muito a área superfcial da parede do
intestno e assim, a sua capacidade de absorção dos nutrientes

5.7 MICROBIOTA HUMANO - O microbiota humano é o conjunto de microrganismos que


normalmente estão localizados em diferentes locais dos corpos de seres vivos multcelulares,
como o corpo humano. Estes microrganismos que são frequentemente encontrados em
várias partes do corpo, em indivíduos saudáveis. O microbiota estabelece uma relação
simbiótca comensal com o hospedeiro (organismo humano), uma vez que eles
microrganismos também obtêm vantagens do indivíduo humano e, por outro lado, ajudam
na digestão de alimentos, produzem vitaminas e protegem contra a colonização de outros
microrganismos que podem ser nocivos.
5.8 DOENÇAS DO SISTEMA DIGESTIVO

CANCRO DO CÓLON – É originado a partr de pólipos existentes na parede do intestno


delgado e que podem evoluir para tumores malignos. Este tpo de cancro está associado a
dietas alimentares ricas em gorduras e prótdos e pobres em fbras , sedentarismo,
obesidade e consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

ÚLCERA GÁSTRICA – Ferida mais ou menos profunda na parede do estômago ou duodeno.


Grande parte destas úlceras são provocadas por uma bactéria – Helicobacter Pylori – que
danifca a mucosa que reveste a parede do estômago que fca desprotegida da ação dos
sucos gástricos. São fatores agravantes: o stress, excesso de bebidas alcoólicas, tabaco e
certos medicamentos.

CÁLCULOS BILIARES – São pequenas pedras que se formam na vesícula biliar e que resultam
da alteração da composição da bílis devido a dietas muito calóricas e ricas em colesterol. São
situações partcularmente graves se os cálculos se deslocarem da vesícula para as vias que
conduzem a bílis e os sucos pancreátcos ao duodeno, podendo causar uma infamação
muito grave do pâncreas – pancreatte.

5.9 MEDIDAS PARA O BOM FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DIGESTIVO


- Exercício fsico variado e regular;
- Partcipação em rastreios do cancro do cólon e do reto;
- Evitar bebidas alcoólicas e tabaco.
METABOLISMO CELULAR – São todas as reações químicas que ocorrem ao nível das células,
entre as quais se inclui a produção de energia a partr dos nutrientes e oxigénio.

ORGANISMO – Conjunto de todos os sistemas que o compõem.


SISTEMA – Conjunto dos órgãos que trabalham para realizar uma função específca.

ÓRGÃOS – Conjunto de tecidos formados por células semelhantes na sua estrutura, que
desempenham um trabalho especializado.

3.1 HOMEOSTASIA - Condição de relatva estabilidade de que o organismo necessita para


realizar suas funções adequadamente para o equilíbrio dos diferentes sistemas de órgaos,
reajustando contnuamente as condições fsicas e químicas de modo a regular o seu
ambiente interno. É uma propriedade dos sistemas abertos.

SISTEMA ABERTO - O corpo humano tem um conjunto de componentes que se relacionam


entre si e permitem o funcionamento do organismo. É considerado um sistema aberto
porque troca matéria e energia com o exterior:
Vapor de água, O2, CO2, Água, Excreções, Alimentos, Calor, etc.

3.2 NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA DO CORPO HUMANO


Nível químico atómico;
Nível químico molecular;
Nível celular;
Nível tecidular;
Nível orgânico;
Nível sistémico;
Organismo.

3.3 ELEMENTOS QUÍMICOS MAIS ABUNDANTES DO CORPO HUMANO


Oxigênio, O (65%)
Carbono, C (18%)
Hidrogénio, H (10%)
Nitrogénio, N ( 3%)
Cálcio, Ca (1,5%)
Fósforo, P (1,2%)
Potássio, K
Enxofre, S
Cloro, Cl
Sódio, Na
Magnésio, Mg
Ferro, cobalto, cobre, zinco, iodo
selênio, flúor
3.4 CAVIDADES DO CORPO HUMANO

As cavidades são espaços que protegem, isolam e sustentam os órgãos internos:


Cavidade craniana – onde se encontra o cérebro e todas as suas estruturas;
Cavidade torácica – Aloja os pulmões, coração, esófago e faringe;
Cavidade abdominal – Imediatamente no plano abaixo da cavdade torácica é onde se alojam
o estômago, fgado pâncreas, baço, intestno delgado e parte do intestno grosso;
Cavidade pélvica – Aí se encontra a parte terminal do intestno grosso e alguns órgãos
genitais;
Cavidade espinal – Composta pelo conjunto das vértebras e onde se aloja a espinal medula.

3.5 CONTRIBUTOS DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA PARA O CONHECIMENTO DO CORPO


HUMANO

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA – Derivada de tecnologias sofstcadas que combinam o uso de


campos magnétcos e ondas de rádio e que tornam possível a construção de imagens dos
tecidos moles.

TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE PROTÕES (PET) e TOMOGRAFIA AXIAL COMPUTORIZADA


(TAC) – São exames complementares de diagnóstco que permitem, com recurso a
computadores e softare especializado, reconstruir imagens 3D ou secções de órgãos em
estudo.

RAIOS X - Foram descobertos em 1895 por Wilhelm Röntgen, um fsico alemão. São
utlizados para obter imagens do interior do corpo humano.

ECOGRAFIA - A ultrassonografa (ecografa) é uma técnica que consiste na emissão direta


para o organismo de ondas sonoras de alta frequência (ultrassons) e da receção do eco que
estas produzem.
4.1 DISTINÇÃO ENTRE ALIMENTO E NUTRIENTE
ALIMENTO - Todas as substâncias utlizadas pelos seres vivos como fonte de matéria e
energia para poderem realizar as suas funções vitais.

NUTRIENTE - Qualquer elemento ou composto químico necessário para o metabolismo de


um organismo vivo e compõem os alimentos. Nutrientes são essenciais para a vida e estão
divididos em macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes
(vitaminas, minerais, água e fbras).

4.2 FUNÇÕES DESEMPENHADAS PELOS NUTRIENTES

Os nutrientes têm diferentes caraterístcas e as suas funções dependem do tpo de


nutriente:

Os nutrientes orgânicos são compostos de carbono, hidrogénio, azoto e oxigénio cujas


funções são:

- Plástica, pois fazem parte da consttuição das membranas celulares e fornecem os


materiais necessários à “construção” dos tecidos e, têm ainda, funções hormonais, de
coagulação ou enzimátca – É o caso dos PRÓTIDOS;
- Energética, pois fornecem cerca de 60% da energia necessária ao funcionamento do corpo,
consttuem substâncias de reserva e entram na consttuição do DNA – São os Glúcidos ou
dos Lípidos, cuja consttuição é porém diferente;
- Reguladora - Desempenham um papel importante na homeostasia atuando como fator
regulador – São as Vitaminas que, contudo, o organismo é incapaz de sintetzar: Existem 2
tpos: as hidrossolúveis e as lipossolúveis;
Os nutrientes inorgânicos não possuem na sua composição carbono. Têm funções :
Plástica e Reguladora – a Água e os Sais Minerais.

4.4 TESTAR A PRESENÇA DE NUTRIENTES EM ALIMENTOS

Pode-se testar a presença de determinados nutrientes nos alimentos através da utlização de


indicadores próprios para o efeito:
SOLUTO DE LUGOL – Substância líquida de cor castanha e cora de azul na presença do amido
(pão, batata,…);
LICOR DE FEHLING – é um indicador de cor azul e que, quando aquecido, na presença da
glucose forma um precipitado castanho-avermelhado;
REAGENTE DE BIURETO – substância líquida de cor azul que juntamente com a solução de
hidróxido de sódio (branca) forma uma solução de cor laranja, na presença de proteínas.

4.5 CONSEQUÊNCIAS DA DEFICIÊNCIA DE ELEMENTOS-TRAÇO NO ORGANISMO

Os elementos-traço são sais minerais que se encontram em muito baixas concentrações no


organismo mas que são essenciais para os processos biológicos, como é o caso da digestão:
Cobre – Promove a absorção do ferro e é essencial na formação dos glóbulos vermelhos.
Carência = fadiga, anemia, e osteoporose;
Ferro – Componente essencial da hemoglobina e tem um papel importante no transporte de
oxigénio. Carência = Anemia e fadiga;
Flúor – Importante na formação dos ossos e fortalecimento dos dentes. Carência = Cáries
dentárias;
Iodo – Evita que a gordura se acumule nos tecidos e é fundamental para o funcionamento da
tróide. Carência = Alterações do funcionamento da tróide e atrasos no desenvolvimento
sexual e mental;
Selénio – Protege o coração e previne doenças oncológicas. Carência = Mau funcionamento
do fgado, coração e músculos;
Zinco – Importante na reconsttuição da pele. Carência = Defciente resposta do sistema
imunitário, falta de memória, cansaço e fadiga.

4.6 JUSTIFICAR COMO OS DESEQUILÍBRIOS ALIMENTAR PODEM AFETAR O EQUILÍBRIO DO


ORGANISMO

Os distúrbios alimentares são doenças psicológicas, emocionais caraterizadas por


desequilíbrios contnuados nos hábitos alimentares que produzem danos graves na saúde
fsica e mental.
Pela sua maior recorrência destacam-se:
Anorexia Nervosa – Doença causada pela recusa em manter uma massa corporral normal
para a idadde e estatura do indivíduo. Consiste num medo intenso de ganhar massa corporal
ou de fcar obeso mesmo sendo muito magro. O indivíduo não tem a perceção do seu corpo
tal como ele é. Consequências = Pele seca, cabelo fraco, tonturas, anemias,distrúrbios
hormonais, problemas de rins, estômago e, no limite, morte.
Bulimia Nervosa – Caraterizada por episódios sistemátcos de compulsão alimentar que
consiste em ingerir grandes quantdades de alimentos em curtos períodos de tempo a que se
seguem comportamentos compensatórios para evitar o aumento de massa corporal, como a
indução de vómitos ou uso de diurétcos e jejuns prolongados e muito exercício fsico.
Consequências = Tonturas, anemias, distúrbios no sistema hormonal, lesões no esófago e
faringe devido aos vómitos.
Compulsão alimentar - Consiste em ingerir grandes quantdades de alimentos em curtos
períodos de tempo. Ao contrário da bulimia não existe qualquer mecanismo de
compensação para evitar o aumento da massa corporal. Consequência = O indivíduo acaba
por fcar obeso e daí passar para uma grande variedade de doenças decorrentes da
obesidade.

4.7 CONTRIBUTO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA A PREVENÇÃO DE DOENÇAS


CONTEMPORÂNEAS.

Uma alimentação saudável é promotora de saúde e de bem-estar e previne muitas doenças


dos tempos atuais, como a obesidade, as doenças cardiovasculares e o cancro:
Obesidade – Carateriza-se, segundo a OMS, por um excesso de gordura corporal acumulada
que é capaz de afetar a saúde. Trata-se de uma doença crónica própria dos países
desenvolvidos. Consequências – Elevada taxa de mortalidade e redução da qualidade de
vida. A adoção de estlos de vida saudáveis (dieta equilibrada e exercício fsico) podem
minizar estes riscos para a saúde.
Doenças cardiovasculares – É o conjunto de doenças que afetam o coraçaão e os vasos
sanguíneos (enfarte do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais – AVC – aterosclerose.
Fatores agravantes – maus hábitos alimentares, excesso de sal, de açúcares de absorção
rápida, de gorduras, de álcool, ausência de legumes, vegetais e frutos frescos na dieta
alimentar.
Cancro – designação dada a um conjunto de doenças que resultam do crescimento
desordenado de células que invadem tecidos e órgãos. Fatores de risco – são de natureza
ambiental, genétca ou comportamental (maus hábitos alimentares com excesso de
consumo de gorduras, carnes vermelhas, enchidos, fumeiros, entre outros.

4.8 IMPORTÂNCIA DA DIETA MEDITERRÂNICA

Uma alimentação saudável respeita as caraterístcas do indivíduos e recorre a refeições que


respeitam as proporções da roda dos alimentos.
A dieta mediterrânica recomenda uma elevada ingestão de fruta, produtos hortcolas
(couves de folha escura), leguminosas, cereais integrais. Consumo moderado de produtos
lácteos, carne e peixe e utlização de azeite como gordura principal e, ainda, ingestão de
grandes quantdades de água entre refeições.
A adoção de uma dieta mediterrânica tem demonstrado contribuir para a redução de
doenças cardiovasculares.