Anda di halaman 1dari 40

ESTE SEMINARIO É OFERECIDO

AOS TÉCNICOS POR NOSSOS


PARCEIROS, LISTADOS ABAIXO:

1
SE VOCÊ TIVER QUAISQUER PERGUNTAS OU
COMENTÁRIOS DURANTE O SEMINÁRIO, SINTA-SE À
VONTADE PARA COMENTAR A QUALQUER TEMPO NA ABA
COM O NOME: “CHAT”

SE VOCÊ AINDA NÃO TIVER BAIXADO O ARQUIVO DESTE


SEMINÁRIO EM PDF, CLIQUE NA PARTE INFERIOR DESTA
APRESENTAÇÃO, EM “DESCRIÇÃO”.

QUAISQUER QUESTÕES, COMENTÁRIOS E SUGESTÕES POR


FAVOR ENVIAR UM E-MAIL PARA:

suporte@apttabrasil.com

AGRADECEMOS

2
APRESENTAÇÃO

3
APLICAÇÃO NOS VEÍCULOS:

ACURA MDX 2014-2015 (9HP48)


RLX 2014-2015
CHRYSLER Town&Country 2013-15(948TE)
Caravan 2014-2015 V6
JEEP Cherokee 2013-2015(948TE)
Renegade 2014-2015
Compass 2013-2015
FIAT 500X 2014-2015(9HP48)
Doblo 2015
Toro diesel 2015
HONDA Civic 2014-2015(9HP48)
CRV 2014-2015

LAND ROVER Evoque 2013-2015(9HP48)


Discovery 2015 4
Diferença entre unidades:

Transmissão ZF9HP48 (Produzida na Alemanha)

Transmissão Chrysler 948TE (Prod. Estados Unidos)

• Externamente as duas unidades são similares


• As peças não são intercambiáveis.
• A solicitação de peças de reposição deve ser feita
baseada na etiqueta de identificação.

948 TE – 9HP48
9 – Nove marchas a frente
48 – 480 Nm de capacidade de torque
T – Transversal
E – Controle Eletronico
HP planetárias de acionamento hidráulico

5
INTRODUÇÃO

A ZF desenvolveu a primeira transmissão automática de 9


marchas para veículos de tração dianteira. Apesar do
projeto ser de 2011, ela só começou a ser produzida
comercialmente a partir de 2013.
Ela apresenta tempos de mudança extremamente curtos e suaves.
O controle eletrônico seleciona a melhor marcha utilizando cerca de
40 programas diferentes. Ela também pode ser aplicada em
veículos com a tecnologia START-STOP desde que, no caso de nova
partida, é necessário somente aplicar um elemento de fricção, o
que torna seus tempos de resposta muito rápidos. A ZF9HP48 pode
também ser utilizada em veículos híbridos, substituindo seu
conversor de torque por um motor elétrico.
Ela também possui a capacidade de ser utilizada em veículos com
tração 4X4 pela aplicação de uma caixa de transferência simples
em sua carcaça. A unidade ZF9HP48 é construída pela ZF alemã
enquanto que a unidade 948TE é feita nos Estados unidos. Suas
peças não são totalmente intercambiáveis.

6
Na condução normal, a transmissão sai em 2ª marcha,
mas pode ser mudada manualmente em 1ª marcha com
as borboletas do volante, se se desejar máxima
aceleração ou uma relação muito baixa de 4,7:1 em
condução off-road.
A transmissão possui ainda uma característica de pular
algumas marchas na redução. Os tempos de mudança e a
firmeza de engates dependem do motorista. O Lock Up
pode ser aplicado a partir já da 1ª marcha.

7
COMPONENTES PRINCIPAIS

8
Existem 6 embreagens,
nomeadas A-F, de acordo
com o fluxo de força da
entrada até o diferencial,
2 embreagens, 2 freios
multidiscos e duas (2)
embreagens DOG.

9
10
ESTRATEGIA DE EMERGÊNCIA

11
FUNÇÃO DA EMBREAGEM “DOG” A
A embreagem “dog” A é uma das duas embreagens
dog na transmissão 948TE. A embreagem dog utiliza
pressão hidráulica para engatar e desengatar os
dentes das árvores estriadas entre dois componentes.
Isto fornece uma conexão firme que não utiliza discos
de fricção. A embreagem “dog” A é uma embreagem
acionadora localizada na parte traseira da transmissão
e é parte do eixo de entrada. Esta embreagem está
aplicada desde a 1ª até a 7ª marcha. Quando o TCM
necessita realizar o engate de uma das embreagens
dog, uma mensagem é enviada ao PCM solicitando que
o motor seja levado a uma certa RPM. As embreagens
“dog” na transmissão 948TE não pode ser aplicada
simplesmente durante reduções sem considerar a
diferença de rotação entre os componentes estriados.
Elas não possuem componentes que patinam para
corrigir a rotação das peças, tais como os discos.
Como resultado, o módulo TCM solicita uma certa
rotação do motor e correção do torque para tornar as
rotações compatíveis para o engate. 12
SINCRONIZAÇÃO DA EMBREAGEM DOG A
À medida que a rotação do motor aumenta, a transmissão
patina uma ou mais embreagens multi-discos até que os
componentes da embreagem DOG estejam na mesma
velocidade. Devido à embreagem DOG A ser usada em 1ª
porém não em Ré, o TCM poderá utilizar as fases de
transição do veículo em algumas situações tais como
balançar o veículo quando em neve ou lama. O TCM utiliza outras
embreagens para sincronizar a rotação da embreagem DOG e o eixo
de entrada à medida
que a rotação das
rodas muda entre
o movimento à frente
e à Ré.

13
FUNÇÃO DA EMBREAGEM DOG A
A embreagem DOG A é uma embreagem acionadora
localizada na parte traseira da transmissão. Ela é parte
integrante do eixo de entrada. Esta embreagem está
aplicada de 1ª marcha até a 7ª marcha.

Pressão de
aplicação das
embreagens
DOG:
44 bar

14
EMBREAGEM DOG “A”

15
FUNÇÃO DA EMBREAGEM DOG “F”

A embreagem DOG F é uma embreagem tipo freio. Quando


aplicada, a embreagem DOG F trava as engrenagens solares
dos conjuntos planetários P3 e P4. A embreagem DOG F
está aplicada desde a
1ª marcha até a 4ª
marcha, bem como em
Ré e PARK/Neutro.

16
EMBREAGEM DOG “F”

Engrenagem de Transferência
17
FUNÇÃO DA EMBREAGEM
DOG “F”

18
HIDRÁULICA DAS EMBREAGENS DOG “A” e “F”

19
CIRCUITO HIDRÁULICO DE APLICAÇÃO DA
EMBREAGEM DOG “A”

20
CIRCUITO HIDRÁULICO DE
LIBERAÇÃO DA EMBREAGEM
DOG “A”

21
CIRCUITO HIDRÁULICO DE
APLICAÇÃO DA EMBREAGEM
DOG “F”

22
CIRCUITO HIDRÁULICO DE
LIBERAÇÃO DA EMBREAGEM DOG “F”

23
Os sensores de rotação de entrada e saída fazem parte de
um conjunto único localizado sob o corpo de válvulas. Os
sensores produzem um sinal de 9 V de onda quadrada
baseado na rotação dos componentes. O sensor de
entrada utiliza a carcaça da embreagem
E como roda fônica e o sensor de saída
utiliza a engrenagem de transferência.

24
SENSOR DE TEMPERATURA DO FLUIDO

O sensor de temperatura do fluido da transmissão é


parte do chicote interno da transmissão.

25
SELETOR ELETRONICO DE POSIÇÃO DA ALAVANCA
Existem duas variáveis possiveis de sensor de posição da
Alavanca: Acionamento por fio e por cabo. Ambos são
baseados em sensores sem contato mecânico. Eles dois
possuem montagem interna à transmissão.

26
Movimentar a alavanca seletora para qualquer posição
menos DRIVE ativará o modo ERS (tiptronic) que exibirá
A marcha corrente no painel de instrumentos, mantendo
aquela marcha como a mais alta disponível. No modo
ERS, toda vez que a alavanca é movida para a frente (-)
ou para trás (+) alterará a marcha mais alta disponível.

27
TRANSDUTOR DE PRESSÃO DAS EMBREAGENS DOG
O transdutor de pressão é montado no corpo de válvulas e o
TCM o utiliza para monitorar a pressão de liberação das
duas embreagens DOG “A” e “F”. Quando uma das
embreagens DOG é desaplicada, há um aumento
momentâneo da pressão no circuito de escoamento das
mesmas. O padrão do sinal do transdutor é monitorado pelo
TCM para controle e diagnóstico do funcionamento das
embreagens

28
10 solenoides

9 solenoides

29
30
Os veículos CHRYSLER utilizam um botão para controle
da transmissão.

31
LOCALIZAÇÃO DOS MÓDULOS DE CONTROLE (TCM)
Dependendo do fabricante, a localização do módulo varia
(ZF ou CHRYSLER)

32
SUBSTITUIÇÃO DO FLUIDO

33
NOTA: Será necessário utilizar o escaner e a ferramenta
especial MILLER para correta verificação do nível de fluido.
Apóie a ferramenta especial no topo da abertura de
verificação. A ferramenta especial MILLER e marcada em
incrementos de 5 mm. O motor deverá estar em marcha
lenta, alavanca em PARK e o veículo em um piso nivelado.

1. Conecte o escaner ao veiculo.


2. Leia a temperatura do fluido.
3. Funcione o motor em marcha lenta,
com a alavanca seletora em PARK.
4. Verifique que a temperatura esteja
acima de 50º Celsius.

34
VERIFICAÇÃO DO NIVEL
DO FLUIDO

5. Levante e apoie o veículo


6. Remova a roda dianteira esquerda.
7. Gire a direção totalmente para a
esquerda.
8. Remova o tampão (1) da abertura
de verificação do nível de fluido.
9. Instale a ferramenta especial
MILLER até que ela apoie na carcaça
da transmissão (2).
10. Remova a vareta 10323-A (1) da
abertura de verificação (3) com
cuidado para que a medição seja
acurada.

35
11. Note o incremento na ferramenta onde o fluido deixou
a marca.
12. Baseado na temperatura do fluido e a marca na vareta,
consulte o gráfico acima para encontrar o nível correto.
13. Instale o tampão na abertura de verificação de fluido e
aperte com o torque recomendado (25 Nm).
14. Instale o conjunto da roda esquerda .
36
FLUIDO RECOMENDADO E LOCALIZAÇÃO DO
FILTRO
O fluido recomendado pela CHRYSLER é o MOPAR #
68157995AB ou o fluido ZF LifeGuardFluid 8
Ou também o Fluido FEBI 39095
e o filtro é interno à transmissão.
Somente pode ser substituído com a remoção da
carcaça do conversor de torque.
Quantidade de Fluido: 6,5 litros totais

37
A transmissão 948TE utiliza uma válvula bypass no
circuito de arrefecimento. O funcionamento e localização
pode variar em função do fabricante e modelo.
Esta válvula permite ao fluido passar direto pelo cooler
até que o fluido alcance a temperatura de trabalho.
Quando a temperatura correta for alcançada, a válvula
abre e direciona o fluido ao trocador de calor.

38
MUITO OBRIGADO!

39
ESTE SEMINARIO É OFERECIDO
AOS TÉCNICOS POR NOSSOS
PARCEIROS, LISTADOS ABAIXO:

40