Anda di halaman 1dari 64

EMENTÁRIO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA

FASE I

CÁLCULO I
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Funções, estudos de máximos e mínimos. Limite noções sobre limite e continuidade,
limites laterais, cálculo do limite de uma função. Definição de derivada, regras de
derivação, derivadas simples e compostas aplicações de derivada.

Referências Básicas:
AYRES ,Frank . Cálculo diferencial e integral . São Paulo: Mcgraw – Hill do Brasil,
1986.
LARSON, Roland E. Cálculo com aplicações. Rio de Janeiro: CTC editora, 1998.
MORETTIN, Pedro A. Cálculo funções de uma e várias variáveis. São Paulo:
Saraiva,2005.
FLEMMING, Marilia D; GONÇALVES, Miriam. Cálculo A: funções, limites,
derivação e integração. Makron, 1992.
2
ECOLOGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Ecologia: definição, objetivos, fundamentos e abrangência. Processos ecológicos.
Interação com as demais ciências e níveis de organização biológicos. Meio ambiente
– suas interações. Sistemas ecológicos que determinam a caracterização dos
diferentes ecossistemas. Ecossistemas. Cadeia e teia alimentar; fluxos de energia e
materiais. Ciclos biogeoquímicos - ciclagem da matéria. Biosfera, biociclos e suas
dimensões. Fatores ecológicos e limitantes. Influência dos fatores bióticos e
abióticos sobre os vegetais e animais. Tolerância e fatores limitantes. Habitat e nicho
ecológicos. Adaptação ecológica como resposta a condições climáticas e
pedológicas. Populações: Estrutura, dinâmica e interações entre animais e vegetais.
Sucessões ecológicas. Comunidades e seus atributos: composição e diversidade de
espécies. Recursos naturais e a intervenção humana. As relações sociais e
econômicas, no contexto atual e sua influência na qualidade de vida e da
sustentabilidade.

Referências Básicas:
BEGON, M.; HARPER, J.L.; TOWSEND, C. R. Fundamentos em ecologia. São
Paulo: Artmed, 2006.
COELHO,R.P. Fundamentos em ecologia. Artmed: Porto Alegre, 1998.
ODUM, P E. Fundamentos de Ecologia. Fundação Calouste 2001.
3
INTRODUÇÃO A ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
A Engenharia Ambiental e sanitária: definição como ciência e como engenharia.
Perfil profissiográfico do engenheiro ambiental e sanitário e seu mercado de trabalho
(especialista vs generalista; engenharia vs gestão). Cursos no Brasil e em Santa
Catarina. Atribuições do Engenheiro Ambiental e Sanitário. Consciência Ambiental,
necessidade de interdisciplinaridade.
Fundamentos. Poluição ambiental, saneamento urbano. Desenvolvimento
sustentável.

Referências Básicas:
BRAGA, Benedito et al. Introdução à Engenharia Ambiental. São Paulo: Prentice
Hall, 2002;
RESOLUÇÃO Nº. 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973;
RESOLUÇÃO Nº. 447, DE 22 DE SETEMBRO DE 2000.
CONFEA. Atribuições do Engenheiro Ambiental. Online na Internat, 2001.
DAVIS & CORNWELL, Introduction to Environmental Engineering,
McGraw-Hill, USA, 1991
4
QUÍMICA GERAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Noções Básicas: Estequiometria; estado sólido, liquido e gasoso; equilíbrio físico e
químico; termoquímica; eletroquímica e cinética química; estrutura atômica; ligação
química; química orgânica; práticas sobre os itens acima.

Referências Básicas:
BRADY, J. E.; HUMISTON, G. E. Química geral. 2 ed. São Paulo: LTC, 1998.
ROSEMBERG, J. L.; EPSTEIN, L. M. Teoria e Problemas de Química Geral. 8 ed.
Porto Alegre: Bookman, 2003.
RUSSEL, J. B. Química geral. São Paulo: Makron Books, 2009.
5
FISICA I
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Vetores. Trabalho e Energia. Cinemática. Estática. Dinâmica. Mecânica de Fluidos.

Referências Básicas:
HALLIDAY, D., RESNICK, R. WALKER, J. Fundamentos de física. Vol 1. Rio de
Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1993.
TIPLER, Paul A.; MOSCA, Gene. Física: para cientistas e engenheiros. V.1. 5. ed.
São Paulo: LTC, 2006.
MÁXIMO, Antônio e ALVARENGA, Beatriz. Física. Volume Único. São Paulo:
Scipione, 1997.
SEARS Stephen, R.; ZEMANSKY, Mark W.; YOUNG, Hugh D. Física 1. 2.ed. Rio de
Janeiro: LTC, 1983.
6
INFORMÁTICA APLICADA
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Hadware, software, classificação dos computadores, sistemas de processamento,
memória, dispositivos de armazenamento, sistemas operacionais, editore de textos,
planilhas eletrônicas. Internet. Softwares de autoria Multimídia.

Referências Básicas:
LAUDON, Keneneth; LAUDON, Jane P. Sistemas de Informação gerenciais.
São Paulo : Pearson Brasil, 2003.
O´BRIEN, James A. Sistemas de Informação – E as decisões gerenciais na
era da Internet. Saraiva, 2001.
STAIR, Ralph M.; REYNOLDS, George W. Princípios de Sistemas de
Informação. 4a ed.,LTC: 2002.
7
PORTUGUÊS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Interpretação de texto. Fonética. Ortografia. Acentuação e redação.

Referências Básicas:
FLORES, Lúcia Locatelli. Redação Oficial. Editora da UFSC: 2002.
MEDEIROS, João Bosco. Português Instrumental. Editora Atlas, 4ª edição, São
Paulo: 2000.
MARTINS, Dileta Silveira; ZILBERKNOP, Lúbia Scliar. Português Instrumental. 21ª
edição. Editora Sagra Luzzatto, Porto Alegre: 2000.
TUFANO, Douglas. Guia Prática da Nova Ortografia. Melhoramentos, São Paulo:
2008.
8
FASE II

CÁLCULO II
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Estudo das integrais: Integrais por partes; integrais trigonométricas; integrais de
funções racionais por frações parciais; área e volume por integração; teorema
fundamental
do Cálculo.

Referências Básicas:
AYRES ,Frank . Cálculo diferencial e integral . São Paulo: Mcgraww – Hill do
Brasil, 1986.
AVILA, Geraldo. Cálculo I – função de uma variável. 6.ed. Rio de Janeiro: Livros
Técnicos e Científicos S.A,1992.
FLEMMING, Marilia D; GONÇALVES, Miriam. Cálculo A: funções, limites,
derivação e integração. Makron, 1992.
LANG, Serge. Cálculo. Riode Janeiro: Livros Técnicos e Científicos S.A,1975.
LEITHOLD, Louis. O cálculo com geometria analítica. São Paulo:Harper Row do
Brasil ,1977.
WHIPKEY, Kenneth L ; Mary N. Cálculo e suas múltiplas aplicações. Rio de
Janeiro: Campus,1982.
9
ÁLGEBRA LINEAR E GEOMETRIA ANALÍTICA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Matrizes determinantes e sistemas lineares, análise combinatória: binômio de
Newton, equações da reta e equação da circunferência.
Sistemas de equações lineares e Eliminação Gaussiana. Matrizes e determinante.
Espaços vetoriais Euclidianos.
Geometria analítica no plano. Vetores: conceito; operações e ângulos. Vetores no
plano e no espaço: Expressão analítica; operações e paralelismo. Produtos de
vetores: produto escalar; módulo; produto vetorial e misto. Distâncias. Estudo da reta
e do plano. Curvas.

Referências Básicas:
Noble, Ben;Daniel, James W. Algebra linear aplicada. 2.ed. Rio de Janeiro,
Prentice-Hall do Brasil, 1986.
Steinbruch, Alfredo. Algebra linear e geometria analitica. São Paulo, McGraw-Hill
do Brasil, 1979.
ANTON, H; CHRIS, R. Álgebra linear com aplicações. Porto Alegre : Bookman,
2004.
LIPSCHUTZ, S. Álgebra linear. São Paulo: Editora Makron Books, 1994.
10
FÍSICA II
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Termologia. Dilatação. Calorimetria. Termodinâmica. Eletrologia. Eletrostática.
Eletrodinâmica. Eletromagnetismo.

Referências Básicas:
HALLIDAY, D., RESNICK, R. WALKER, J. Fundamentos de física. Vol 2 e 3. Rio
de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1993.
TIPLER, Paul A.; MOSCA, Gene. Física: para cientistas e engenheiros. V.1 e 2. 5.
ed. São Paulo: LTC, 2006.
YOUNG, Hugh D & FREEDMAN, Roger. Física, v. 2 e 3. 12.ed. Tradução de Sônia
Midori Yamamoto. São Paulo: Addison Wesley, 2009.
11
DESENHO TÉCNICO
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Perspectivas. Vistas Ortográficas. Esboço Cotado. Elementos de Desenho
Topográfico. Classificação das Cartas Topográficas. Equipamentos para Desenho
Topográfico. Normas Técnicas. Formato de Papel. Representação do Relevo.
Desenho Auxiliado por Computador (auto-Cad 2000).

Referências Básicas:
DAGOSTINO, Frank R. Desenho arquitetônico Contemporâneo. São Paulo:
Hemus .
DUARTE, Paulo Araujo. Fundamento de Cartografia. Florianópolis: Editora da
UFSC.
MACHADO, Ardevan. Perspectiva. 2 ed. São Paulo: McGRAW-HILL
NEUFERT, Ernest. A Arte de projetar em arquitetura. São Paulo: Editora Gustavo
Gili do Brasil.
VOLLMER. Dittmar. Desenho Técnico. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico
12
QUÍMICA AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceito dos termos importantes dentro da química ambiental. Principais
propriedades físico-químicas da água, reações químicas que ocorrem na água:
Solubilização, precipitação, complexação, oxido-redução. Vias de transporte e
transformação das substâncias químicas no ambiente aquático. Propriedades
químicas da atmosfera. Mecanismos de poluição e seus efeitos. Noções de química
do solo.

Referências Básicas:
BAIRD, Colin. Química ambiental. 2.ed. Porto Alegre, Bookman, 2002.
ROCHA, Julio Cesar; ROSA, André Henrique; CARDOSO, Arnaldo Alves.
Introdução à química ambiental. 2.ed. Porto Alegre, Bookman, 2009.
SPIRO, Thomas G.; STIGLIANI, William M. Química ambiental. 2.ed. São Paulo,
Pearson, 2009.
13
ENGENHARIA AMBIENTAL,TECNOLOGIA E SOCIEDADE
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Direito a um meio ambiente sadio; Desenvolvimento sustentável; Políticas públicas
para o desenvolvimento sustentável; fundamentos políticos da proteção do meio
ambiente; Conflitos sócio-ambientais; A política de ciência e tecnologia; Políticas
para o semi árido, mata atlântica e a Amazônia; Meio Ambiente, Tecnologia e
interdisciplinaridade; Tecnologia, meio ambiente e as relações internacionais.

Referências Básicas:
ABBOT, J., GUIJT, I. Novas Visões sobre Mudança Ambiental: abordagens
participativas de monitoramento. Rio de Janeiro: AS-PTA, 1999.
BUARQUE, S. C. Construindo o desenvolvimento Local Sustentável:
metodologia de planejamento. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.
CAVALCANTI, C. Meio Ambiente Desenvolvimento Sustentável e Políticas
Públicas. 3 ed. São Paulo Cortez, recife. 2001
14
Metodologia Cientifica
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
A Metodologia e a Universidade. Organização na vida universitária. O Conhecimento
e o saber. O Método científico. Pesquisa. Projeto de pesquisa. Transmissão de
conhecimentos. Trabalhos científicos.

Referências Básicas:
BEBBER, Guerino e MARTINELL0, Darci. Metodologia Científica. 3 ed. Caçador:
Universidade do Contestado, 2002.
DALBELLO, Liliane: GRÜTZMANN, André. Normalização para trabalhos acadêmicos
da Universidade do Contestado UnC. Caçador: 2008.
FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. 7 ed. São Paulo:
Cortez, 2001.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo:
Atlas, 2002.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI. Marina de Andrade. Fundamentos de
metodologia Científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007
15
FASE III

DIREITO AMBIENTAL
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Política e Legislação Ambiental. Política e Legislação de Saneamento Básico.
Política Nacional de Meio Ambiente. Legislação Ambiental na Constituição Federal e
Estadual. Diretrizes internacionais de meio ambiente. Meios administrativos e
judiciais de proteção ambiental. Legislação específica: unidades de conservação,
poluição e licenciamento ambiental. Resoluções do CONAMA. Impacto, dano, culpa,
responsabilidade e indenização. Áreas de preservação.

Referências Básicas:
ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 1996.
BENJAMIN, Antônio Herman V. Dano Ambiental: prevenção e repressão. São
Paulo: RT, 1993.
CARVALHO, Carlos Gomes de. Introdução ao direito ambiental. Cuiabá: Verde
pantanal, 1990.
16
FÍSICA III
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Transformadores. Ondas eletromagnéticas, interferências, fótons, refração,
aplicações, relatividade e conceitos da física moderna, princípios básicos da física
nuclear e física quântica.

Referências Básicas:
HALLIDAY, D., RESNICK, R. WALKER, J. Fundamentos de física. Vol 2 e 3. Rio
de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1993.
TIPLER, Paul A.; MOSCA, Gene. Física: para cientistas e engenheiros. V.1 e 2. 5.
ed. São Paulo: LTC, 2006.
YOUNG, Hugh D & FREEDMAN, Roger. Física, v. 2 e 3. 12.ed. Tradução de Sônia
Midori Yamamoto. São Paulo: Addison Wesley, 2009.
17
CÁLCULO III
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Derivadas parciais; integrais múltiplas; séries.

Referências Básicas:
Larson, Roland E.;Hostetler, Robert P.;Edwards, Bruce H. Cálculo com aplicações.
4. ed. Rio de Janeiro, 4
LTC, 1998.
AYRES ,Frank . Cálculo diferencial e integral . São Paulo: Mcgraww – Hill do
Brasil, 1986.
FLEMMING, Marilia D; GONÇALVES, Miriam. Cálculo B. Makron, 2005.
LEITHOLD, Louis. O cálculo com geometria analítica. São Paulo:Harper Row do
Brasil ,1977.
WHIPKEY, Kenneth L ; Mary N. Cálculo e suas múltiplas aplicações. Rio de
Janeiro: Campus,1982.
18
PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Introdução. Estatística descritiva: tabelas e gráficos. Probabilidades: adição,
multiplicação, condicional. Teorema de Bayes. Variáveis aleatórias. Valores
esperados. Momentos. Distribuições de probabilidade. Aproximações. Distribuição
normal. Estimativas por ponto e intervalo. Intervalos de confiança.

Referências Básicas:

LIPSCHUTZ, Seymour. Probabilidade. São Paulo: Makron Books, 1993.


MENDENHALL, W. Probabilidade e estatística. Ed. Campus, 1985.
SPIEGEL, Murray R. Probabilidade e estatística. São Paulo: McGraw-Hill, 1978.
LEVINE, David M. Estatística: Teoria e Aplicações. 3ª ed. LTC. 2005
19
ÉTICA E MEIO AMBIENTE
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Direitos individuais e coletivos, direitos sociais. Ética, justiça e liberdade. Bioética.
Consciência e participação. Pensamento ecologismo. A ideologia do crescimento:
impacto ambiental e o custo social. Ecodesenvolvimento e desenvolvimento
sustentável. O meio ambiente como direito humano.

Referências Básicas:

BENJAMIN, C. Diálogo sobre ecologia, ciência e política. Rio de Janeiro: Nova


Fronteira, 1993.
CASTORIADES, C. A instituição imaginária da sociedade. São Paulo: Paz e
Terra, 1986.
GRÜN, Mauro. Ética e educação ambiental: conexão necessária. Campinas:
Papirus, 2000.
GALVÃO, Antônio M. Bioética. A ética a serviço da vida: uma abordagem
multidisciplinar. Aparecida, SP: Editora Santuário, 2004.
20
GEOLOGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Introdução à Geologia. O universo. A Terra e a litosfera. Minerais e Rochas.
Processos Geodinâmicos. Geologia do Brasil. Geologia de Santa Catarina.

Referências Básicas:

Leinz, Viktor (1904-1983);Amaral, Sergio Estanislau do. Geologia geral. 11.ed. rev.
São Paulo, Nacional, 1
1989.
Loczy, Louis de (1897);Ladeira, Eduardo A. Geologia estrutural e introducao a
geotectonica. São Paulo, 1
Edgard Blucher, [s.d.]Rio de Janeiro, CNPQ, 1981.
GUERRA, A.J.T.; CUNHA, S.B. da (orgs.). Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio
de Janeiro: Bertrand Brasil. 2006.
LEINS, V. Geologia geral. São Paulo: Nacional. 1970.
LEPSCH, I.F. Formação e conservação dos solos. São Paulo: Oficina de Textos,
2002.
21
BIOQUÍMICA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Célula e biomoléculas; água, sistema tampão; química de aminoácidos, de
proteínas, de carboidratos, de lipídios, de ácidos nucléicos; enzimas; metabolismo;
ciclos biogerquímicos; contaminantes: conceitos e tipos; xenobióticos; relação entre
estrutura e atividade biológicas de alguns contaminantes, grupo de contaminantes:
gases, metais pesados, hidrocarbonetos, organofosforados, carbamatos,
detergentes, etc. Bioacumulação; Organismos indicadores, bioindicadores e
biomarcadores; técnicas de contaminação e seus efeitos, bioativação e radicais
livres, mecanismos de genotoxicidade e mutagenecidade..

Referências Básicas:

Lehninger, Albert Lester (1917). Bioquímica. 2.ed. São Paulo, Edgard Blucher,
1976.
Marzzoco, Anita;Torres, Bayardo Baptista. Bioquímica básica. 2.ed. Rio de Janeiro,
Guanabara Koogan, 8
1999.
LEHNINGER, A. L.; NELSON, D. L.; COX, M. M. Princípios de Bioquímica.
WorthPublishers, 3a. ed. 2002.
Voet, D., Voet, J., Pratt, C. W. Fundamentos de bioquímica. Artmed editora. Porto
Alegre ,2002.
22
FASE IV

HIDROLOGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Introdução, precipitação e escoamento superficial, evaporação e transpiração,
infiltração, hidrograma unitário, vazão de enchente, modelagem de dados de vazão
e medidas de vazão.

Referências Básicas:
Pinto, N.L. de Souza et alii. Hidrologia Básica. São Paulo. Editora Edgard
Blucher, 1976.
Linsley, R. K. & Franzini J.B.Engenharia de Recursos Hídricos. São Paulo
Editora McGraw-Hill do Brasil.
J.B. Dias de Paiva e E.M.C. Dias de Paiva. Hidrologia Aplicada Gestão de
Pequenas Bacias Hidrográficas. ABRH. Porto Alegre, 2001.
23
HIDRÁULICA AMBIENTAL E DE RECURSOS HIDRICOS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Disponibilidade de água e demanda. Multiplicidade de usos e tipos de obras.
Hidráulica geral: conceitos básicos, pressão, velocidade, vazão, hidrometria,
hidrostática, hidrodinâmica. Escoamento sob pressão. Escoamento em canais.
Sistemas hidráulicos. Regularização de vazões. Máquinas hidráulicas

Referências Básicas:

AZEVEDO NETTO, J. M. & ALVAREZ, A. A. Manual de hidráulica. São Paulo,


Blücher, 1988.
CREDER, H. Instalações hidráulicas e sanitárias. Livros Técnicos Editora, Rio de
Janeiro, 1972.
NEVES, E. T. Curso de hidráulica. Ed. Globo. Porto Alegre, 1979. 577
AZEVEDO NETO, J. M.; ALVAREZ, G. A. Manual de Hidráulica. 7a ed., São Paulo.
Ed. Edgard Blucher.
24
MICROBIOLOGIA AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Observação microscópica de microorganismos. Nomenclatura. Introdução a
Procariotes, vírus e Eucariotes. Significância sanitária de microorganismos.
Seleção de exames de qualidade. Teste de Ames. Padrões microbiológicos de
qualidade. Princípios de degradação biológica da matéria orgânica. Ensaios de
tratabilidade. Bactérias e micorrizas simbiontes na produção de mudas de espécies
arbóreas florestais.

Referências Básicas:
Pelczar Jr., Joseph Michael (1916-);Reid, Roger Delbert;Chan, E. C. S.
Microbiologia. São Paulo, Makron Books, McGraw-Hill do Brasil, 1981. Trabulsi,
Luiz Rachid. Microbiologia. 2.ed. Rio de Janeiro, Atheneu, 1991.
Pelczar Jr., Joseph Michael (1916-);Chan, E. C. S;Krieg, Noel R. Microbiologia :
conceitos e aplicações. 2. 14 ed. São Paulo, Makron Books, 1996.
TORTORA, G.J.; FUNKE, B.R.; CASE, C.L. Microbiologia. 6 ed. Porto Alegre: Artes
Médicas, 2000.
MADIGAN, M.T.; MARTINKO, J.M.; PARKER, J. BROCK. Microbiologia. São
Paulo: Prentice-Hall, 10a Ed. 2004.
25
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Reflexões introdutórias sobre a educação ambiental. Concepções de educação
ambiental que sustentam nossa prática cotidiana. A questão Ambiental e as
conferências mundiais de meio ambiente; Princípios e fundamentos da Educação
Ambiental E Sanitária. Histórico, objetivos, diretrizes e práticas da EAS. Vertentes
da educação ambiental. Subsídios para a prática da EAS emancipatória. Estudo da
Política Brasileira de EA. Organização, representação e participação social como
sustentação da EAS. A EAS e a cidadania. A educação ambiental como ferramenta
no processo de gestão ambiental. A percepção e análise da realidade ambiental
local e global. Contribuições da EAS na qualidade de vida. A ação do homem sobre
o meio ambiente. Integração dos diversos setores sociais e o meio ambiente. A
problemática do desenvolvimento econômico, a sustentabilidade e a EAS.

Referências Básicas:
Pedrini, Alexandre de Gusmão (1952-). Educação ambiental : reflexões e práticas
contemporâneas. 2. ed. 2 Petrópolis, Vozes, 1998.
Reigota, Marcos. O que é educação ambiental. São Paulo, Brasiliense, 2004.
Loureiro, Carlos Frederico B. (Org.);Santos, Erivaldo Pedrosa dos (Org.);Noal,
Fernando Oliveira (Org.).
Sociedade e meio ambiente : a educação ambiental em debate. 3.ed. São Paulo,
Cortez, 2002.
AETA, Anna M. B; SOFFIATI, Arthur; LAUREIRO, Carlos F. B. Educação
Ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002.
DIAS, Genebaldo F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 6. Ed, São Paulo:
Gaia, 2000.
26
POLUIÇÃO AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Compostos poluidores e contaminantes ambientes. Processos de dispersão e
degradação de poluentes no ambiente. Monitoramento de variáveis ambientais:
temperatura, umidade, pluviosidade, ventos e processos meteorológicos, disco de
Secchi, salinidade, pH, cor da água. Metodologias de coleta e preservação de
amostras de água para análise de: nutrientes, agrotóxicos, metais pesados,
hidrocarbonetos, cianetos, detergentes, microalgas, coliformes fecais,
microrganismos patogênicos, DBO. Metodologias para coleta de amostras de
organismos vivos ou mortos para diferentes análises (causa mortis, patogenias,
contaminações). Procedimentos rotineiros para detecção de alterações em
ambientes terrestres: desmatamentos, erosão, aterros, construções irregulares.
Movimento de água; controle de poluição hídrica subterrânea. Tipos de filtros
industriais. Qualidade ambiental. Poluentes e contaminantes. Critérios de manejo.
Padrões de emissão. Controle.

Referências Básicas:
Fellenberg, Günter. Introdução aos problemas da poluição ambiental. São Paulo,
EPU, 1980.
BAIRD, C. Química Ambiental. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.
PHILIPPI Jr., A (Ed.). Saneamento, saúde e ambiente: fundamentos para um
desenvolvimento sustentável. Barueri : Manole, 2005.
SPIRO, T. G.; STIGLIANI, W. M. Química Ambiental. 2 ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2000.
27
FENOMENOS DE TRANSPORTE
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Temperatura. Escalas termométricas. Calor sensível e latente. Calor e trabalho.
Primeira lei da termodinâmica. Gases perfeitos. Segunda lei da termodinâmica. Ciclo
de Carnot. Entropia. Conceitos fundamentais de fluidos. Pressões na hidrostática.
Forças sobre superfícies submersas. Equação da continuidade e de Bernoulli.
Análise dimensional. Perdas de carga. Escoamento laminar e turbulento.
Desenvolvimento da camada limite. Condução de calor em regime permanente e
não-permanente. Transmissão de calor por radiação. Convecção natural e forçada.
Transmissão de calor com mudança de fase. Trocadores de calor.

Referências Básicas:
Braga Filho, Washington, Fenômeno de transportes para engenharia. Rio de
Janeiro: LTC, 2006.
FOX, R.W.; McDONALD, A.T. Introdução à Mecânica dos Fluidos. LTC Editora,
2001.
MUNSON, B.R.; YOUNG, D.F.; OKIISHI, T.H. Fundamentos da Mecânica dos
Fluidos. Vol 1 e 2, Edgard Blucher, 2003.
SCHULZ, H. E. O Essencial em Fenômenos de Transporte. EESC-USP, 2003.
28
FASE V

TOPOGRAFIA, CARTOGRAFIA E FOTOGRAMETRIA


Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceitos básicos de topografia (topometria, topologia), estudo e análise de cartas
topográficas. Planimetria. Altimetria. Fundamentos de cartografia, conhecimento dos
diferentes tipos de cartas, mapas e plantas. Escalas. Projeções cartográficas.
Fotointerpretação de produtos sub-orbitais coloridos, falsa-cor e pancromáticos.
Manipulação de cartas topográficas, cartográficas, náuticas e temáticas. Noções
básicas de Sistemas de Informações geográficas (SIG) para entrada de dados
espaciais, não espaciais, planimétricos e altimétricos. Confecção de mapas
temáticos ambientais.

Referências Básicas:

DUARTE, P. A. Cartografia básica. 2. ed. Florianópolis: UFSC, 1998.


OLIVEIRA, P. A. Cartografia básica. 2. ed. Florianópolis: UFSC, 1998.
LIVEIRA, C. Curso de Cartografia Moderna. Rio de Janeiro: IBGE (1988).
29
MECÂNICA DOS FLUÍDOS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Bombas; Válvulas para sistemas hidráulicos; Atuadores para sistemas hidráulicos;
Reservatórios; Tubulações; Eletrohidráulica; Projetos de Sistemas Hidráulicos;
Compressores; Tratamento, armazenamento, e transporte de ar; Válvulas para
sistemas pneumáticos; Atuadores para sistemas pneumáticos; Conceitos de
eletropneumática; Projetos de sistemas pneumáticos. Fluidos e a Estática dos
fluidos. Princípios de conservação e equações do movimento nas formas de volume
de controle e diferencial. Escoamento não viscoso.

Referências Básicas:

Fox, R. W., McDonald, A. T. & Pritchard, P. J.Introdução à Mecânica dos Fluidos.


Livros Técnicos e Científicos Editora, 6a edição, 2006.
Çengel, Y.A. e Cimbala, J.M. 2007. Mecânica dos Fluidos - Fundamentos e
Aplicações. McGraw-Hill Interamericana do Brasil Ltda.
Vianna, M.R., 2001. Mecânica dos Fluidos Para Engenheiros. Quarta Edição,
Imprimatur, Artes Ltda.
30

GÊNESE, MORFOLOGIA E CLASSIFICAÇÃO DE SOLO


Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Introdução ao estudo de solos; Gênese do solo (Intemperismo, Fatores de formação
do solo; Processos pedogenéticos; Classes de formação do solo); Morfologia do solo
(O perfil do solo; Principais características morfológicas dos horizontes);
Classificação do solo (Atributos diagnósticos; Horizontes diagnósticos superficiais e
subsuperficiais; Classes de solos)

Referências Básicas:

PRADO, H. Manual de classificação de solos do Brasil.


Jaboticabal,FUNEP,1983.
BAHIA, V.G.; RIBEIRO, M.A.V. Conservação do solo e preservação ambiental.
Lavras: UFLA/FAEPE, 1997.
BESOAIN, E. Mineralogia de arcillas de suelos. San José: IICA, 1985.
CALEGARI, A.; et. All. Adubação verde no sul do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: AS-
PTA, 1993.
CASTRO FILHO, C. de; MUZILLI, O. Manejo integrado de solos em microbacias
hidrográficas. Londrina: IAPAR, 1996.
AUDURO, F.A.; DORFMAN, R. Manual de ensaios de laboratório e de campo
para irrigação e drenagem. Porto Alegre : PRONI / IPHA-UFRGS, s.d.
31
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA, SOLO E AR
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Legislação das águas. Métodos de avaliação da qualidade da água; Histórico do
Biomonitoramento; Técnicas, aplicações e principais grupos utilizados; Utilização de
macro invertebrado como organismos bioindicadores; Estudo de casos de utilização
de monitoramento biológico; Tendências futuras do biomonitoramento no Brasil e no
mundo. Problemas de salinidade; Problemas de infiltração da água no solo;
Problemas de toxicidade para as plantas. Qualidade das águas subterâneas.
Usos da água. Padrões de qualidade. Características químicas, físicas e biológicas
da água, solo e ar. Noções de microbiologia e análises bacteriológicas. Noções de
corrosão. Reutilização das águas.

Referências Básicas:

BREDA FILHO, D. Reuso de água. 2003. 1ª ed. São Paulo. Ed. Monole Ltda.
VON SPERLING, M. Qualidade da água. Brasília: ABEAS,
COSTA, E. F. da; BRITO, R. A. L. In: COSTA, E.F., VIEIRA, R.F., VIANA, P.A.
Quimigação: Aplicação de produtos químicos e biológicos via irrigação.
Brasília: EMBRAPA-SPI, 1994.
32
SAÚDE PÚBLICA E DO AMBIENTE
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceito de saúde: individual e coletiva. Saúde pública. Fenômenos ambientais que
afetam a saúde dos seres humanos: determinantes físico-químicas, biológicas e
sociais. Epidemiologia geral. Doenças transmissíveis e seu controle. Saúde
ocupacional. Acidentes, catástrofes e seus reflexos na saúde pública. Indicadores
biológicos de risco à saúde humana.

Referências Básicas:

CAMPOS, G.W.S. et al. Tratado de Saúde Coletiva. Hucitec/Fiocruz. São Paulo/Rio


de Janeiro, 2006.
PERES, F. e MOREIRA, J.C. É veneno ou é remédio: agrotóxicos, saúde e
ambiente. Fiocruz. Rio de Janeiro, 2003.
FREITAS, C.M. Saúde, ambiente e sustentabilidade. Fiocruz. Rio de Janeiro,
2006.
33
MATERIAS DE CONSTRUÇÃO
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Estudos dos materiais de construção, suas propriedades físicas, mecânicas e
normatização. Métodos de controle de qualidade do concreto, do aço, da madeira,
aglomerados, materiais cerâmicos e refratários, vidros, tintas, pedras naturais e
outros.

Referências Básicas:

BAUER, L. Falcão. Materiais de Construção. 5ª Ed. Rio de Janeiro. LTC, 1994.


RIPPER, Ernesto. Manual Prático de Materiais de Construção. Editora Pini. São
Paulo.1999.
VLACK, Lawrence H. V. Princípios de Ciência dos Materiais. Editora Edgard
Blucher Ltda. São Paulo.l987.
34
FASE VI

SISTEMA DE TRATAMENTO E ABASTECIMENTO DE ÁGUA


Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Estações de tratamento de água: dimensionamento, construção e manutenção.
Qualidade da água. Coagulação da água. Sistemas coloidais. Mistura rápida.
Floculação. Decantadores. Filtros. Desinfecção. Fluoretação.
Reservatórios de acumulação. Dimensionamento, traçado e dispositivos especiais
das linhas adutoras de abastecimento;
Redes ramificadas, malhadas e mistas de distribuição de água.

Referências Básicas:

BABBIT, Harold e outros. Abastecimento de Água. ed. Edgard Blucher Ltda, 1962.
DI BERNARDO, Luiz. Tratamento de Águas de Abastecimento por Filtração em
Múltiplas Etapas. ABES, 1993.
STEEL, Ernest W. Abastecimento de Água e Sistemas de Esgotos. ed. livro
Técnico S/A 1966.
NBR-12217 - Elaboração de projeto de Reservatório de distribuição de água
para abastecimento público
NBR 12216 - Projeto de estação de Tratamento de água para abastecimento
público
NBR-12218 - Elaboração de projetos hidráulicos de redes de distribuição de
água potável para abastecimento público.
35
SENSORIAMENTO REMOTO E GEOPROCESSAMENTO I
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceitos do Sensoriamento Remoto. Princípios físicos, técnicas de extração de
informações por análise visual e processamento digital (operações de pré-
processamento, realce, classificação e correção geométrica de imagens orbitais).
Principais sensores em órbita e suas características e aplicabilidade nas diversas
áreas do conhecimento: exemplos especiais em engenharia. Extração de atributos
das imagens digitais para geração de produtos. Conceitos sobre Sistemas de
Informações geográficas (SIG). Formato de entrada de dados, integração de
informações, manipulação e análise de dados.

Referências Básicas:

CHUVIECO, E. 1996. Fundamentos de teledetección espacial. Madrid: Ediciones


RIALP SA., 1996.
CROSTA,A.P. Processamento digital de imagens de sensoriamento remoto.
Campinas: UNICAMP, 1992.
ASSAD, Eduardo Delgado; SANO, Edson Eyji. Sistema de informações
geográficas: aplicações na agricultura. Brasilia, 1993.
36
TOXICOLOGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Controle de produtos perigosos: prevenção e emergência. Noções de toxicologia.
Transporte de cargas perigosas. Riscos e cuidados com solventes industriais,
agrotóxicos, materiais corrosivos e inflamáveis. Aspectos legais da insalubridade e
periculosidade. Principais ingredientes ativos em uso na agricultura. Intoxicação
pelos agrotóxicos; efeitos das intoxicações; formulações; DL 50; período de
carência; período de efetividade; cuidado na manipulação de produtos; riscos
ocupacionais; contaminação do ambiente; descarte de embalagens.

Referências Básicas:

Knie, Joachim L. W.; Lopes, Ester W. B. Testes ecotoxicológicos: métodos,


técnicas e aplicações. Florianópolis: FATMA, 2004.
Oga, Seizi. Fundamentos de toxicologia. São Paulo: Atheneu, 2003.
Bjeldanes, Leonard F. ; Shibamoto, Takayuki. Introducción a la toxicología de los
alimentos. Zaragoza: Acribia, 1996.
37
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Atmosfera: definição, composição e estrutura. Radiações Solar e Terrestre. Natureza
e leis da radiação, distribuição espectral e atenuação atmosférica. Balanço da
radiação. Processos de transferência de energia. Troca básica de energia,
instrumentos de medida: temperatura do ar, temperaturas médias e normais.
Variações de temperatura. Gradiente de temperatura: estabilidade e instabilidade do
ar. Distribuição global de temperatura. Isotermas. Pressão Atmosférica. Conceito.
Medida de pressão. Variação vertical de pressão. Gradiente de pressão. Isóbaras.
Instrumentos de medida. Circulação da Atmosfera. As escalas do movimento do ar.
Circulação dos ventos e circulação regional. Teoremas de Bjerknes. Esquemas de
circulação geral. Variações sazonais. Vento de Monção. Evaporação, Condensação
e Precipitação. Natureza e comportamento do vapor d’água. Fatores que afetam a
evaporação. Distribuição do vapor d’água na atmosfera. Base para a condensação.
Nuvens, nevoeiros. Princípios de precipitação. Tipos de precipitação. Massa de Ar e
Frentes. Natureza das massas de ar. Estrutura e características das frentes. Tipos
de frentes. Frentes e massas de ar globais. Ciclones Tropicais e Extra-tropicais.
Fenômenos óticos e elétricos da atmosfera; tornados, furacões, trombas d’água,
halos, arco-íris, trovão, relâmpagos. Dados atmosféricos. Interpretação de imagens
de satélite. Cartas sinópticas. Familiarização com modelos de prognósticos do
Centro Americano.
Dinâmica geral da atmosfera. Classificações climáticas. Mudanças globais.
Aplicação da climatologia.

Referências Básicas:

AYOADE, J. Introdução à Climatologia para os Trópicos. São Paulo: 12 ed. Ed.


Bertrand Brasil, 2007.
BLAIR, T. A. Meteorologia. Rio de Janeiro : Ed. Ao Livro Técnico, 1964.
OMETTO, J.C Bioclimatologia vegetal. São Paulo. Ed Agronômica Ceres. 1986.
TUBELIS, A, NASCIMENTO, F. J. Meteorologia Descritiva: Fundamentos e
Aplicações Brasileiras. São Paulo. NOBEL, 1984.
38

USO E CONSERVAÇÃO DO SOLO


Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Noções básicas de física do solo; erosão, práticas conservacionistas, classes dos
solos, mineralogia. Composição geral do solo. Perfil de solo: horizontes e camadas.
Mineralogia de solos. Fatores de formação de solos. Processos Pedogenéticos.
Propriedades físicas e químicas dos solos. Sistema água-solo. Classificação dos
solos. Manejo e conservação dos solos. Aplicações de estudos de solos no
planejamento. Aulas práticas: Classificação expedita, perfil de solo, horizontes e
camadas, propriedades morfológicas dos solos, análises de lâminas de solo e uso
de tensiômetros aplicados à análise de drenagem em diferentes materiais. Prática
Laboratório.

Referências Básicas:

GUERRA,A .J.T.;SILVA, A .S.da; BOTELHO, R.G.M. Erosão e Conservação dos


Solos:Conceitos, Temas e Aplicações.Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 1999.
BAHIA, V.G; RIBEIRO, M. A.V. Conservação do Solo e preservação
ambiental.Lavras: UFLA/FAEPE, 1997.
BERTONI, J.;LOMBARDI NETO, F. Conservação do Solo.4.ed.São Paulo: ícone,
1999.
AZOLIN, Miguel A. D.Classificação e levantamento de Solos. Apostila.Santa Maria:
UFSM, 1986. 137p.
PALMIERI, F. E LARACH, J.O.I. Pedologia e Geomorfologia. In: Guerra, A.J. e
Cunha, S.B. (org.) Geomorfologia e Meio ambiente, Bertrand Brasil, 1996, p. 59-122.
RESENDE, M. E OUTROS. Pedologia: base para distinção de ambientes. NEPUT.
Viçosa. 2002, 338 p
BRADY, N.C. Natureza e Propriedades dos Solos. Livraria Freitas Bastos, 1989, 878
p.
39
IRRIGAÇÃO E DRENAGEM
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
História da drenagem. Evolução da ocupação urbana. Ocupação do Solo Urbano e
seus efeitos no escoamento superficial . Sistemas de Drenagem urbana e relações
com outros componentes da infra-estrutura urbana. Subsistemas. Tipos de Medidas
e Soluções. Hidrologia Urbana: Informações hidrológicas. Curvas Intensidade-
Duração e Freqüência. Método Racional. Métodos baseados no Hidrograma
Unitário. Propagação de cheias. Sistemas de Microdrenagem. Sistemas de
Macrodrenagem. Técnicas Compensatórias em Drenagem Urbana. Medidas de
controle de inundações. Disponibilidade da água no solo. Métodos e sistemas de
irrigação. Irrigação por aspersão. Irrigação localizada. Irrigação por Superfície.

Referências Básicas:

CANHOLI, ALUÍSIO - Drenagem Urbana e Controle de Enchentes. Editora Oficina


de Textos, 304 p., 2005
CETESB/DAEE - Drenagem Urbana : Manual de Projeto. Editora da CETESB. São
Paulo, SP, 1978.
PORTO, R. L. - Técnicas quantitativas para o gerenciamento de recursos
hídricos, Porto Alegre : Ed. da UFRGS, ABRH, 1997.
WILKEN, P.S. - Engenharia de Drenagem Superficial. Editora da CETESB. São
Paulo, SP, 1978.
OLITTA, A.F.L. Os métodos de irrigação. São Paulo SP: Nobel editora, 1977.
BERNARDO, S. Manual de irrigação 6ª ed., Viçosa, MG: UFV, imprensa
universitária. 1995.
40
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS

Crédito: 04
Hora/Aula: 60

Ementa: Conceitos. Princípios Fundamentais. Classificação dos Esforços. Tração,


Compressão Simples. Flexão Simples. Cisalhamento. Torção. Estados de Tensões.
Noções sobre os materiais. Solicitação axial.

Bibliografia Básica

MELCONIAN, S. Mecânica Técnica e Resistência dos Materiais. Ed. Érica


Ltda.19ª ed. 2013 376 p.
HIBBELER, R. C. Resistência dos materiais. 7. ed. São Paulo: Pearson Prentice
Hall, 2012. 637p.
BOTELHO, Manoel Henrique Campos. Resistência dos materiais: para entender e
gostar. 2.ed. rev. e ampl. São Paulo: Blucher, 2013. 244 p.

Bibliografia Complementar

NASH, William A. Resistência de materiais. 4. ed. São Paulo, SP: Editora McGraw-
Hill do Brasil, 2001. 533 p.
SOUZA, Hiran Rodrigues de. Resistência dos materiais. São Paulo, SP: Editora F.
Provenza, 1995. 108 p.
BEER, Ferdinand P.; JOHNSTON JR., E. Russell. Resistência dos materiais. 3. ed.
São Paulo, SP: Makron Books, 1995.. 1255 p.
GOMES, Sérgio Concli. Resistência dos materiais. 4. ed. São Leopoldo:
UNISINOS, 1980. 259 p.
POPOV, Egor Paul. Introdução à mecânica dos sólidos. São Paulo, SP: Edgar
Blucher, 1978.. 534 p.
VAN VLACK, Lawrence H.; FERRAO, Luiz Paulo Camargo (Trad.). Princípios de
ciência dos materiais. São Paulo, SP: Edgard Blücher, 2004. 427 p.
41
FASE VII

ECONOMIA AMBIENTAL E DE RECURSOS HIDRICOS


Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Introdução á economia. Economia do meio ambiente. Recursos ambientais e
propriedade privada. Desenvolvimento sustentável. Nível ótimo de poluição.
Instrumentos de controle ambiental. Instrumentos reguladores. Instrumentos
econômicos. Instrumentos de padronização internacional. Avaliação monetária do
meio ambiente. Valor econômico total. Análise de custo-benefício. Taxa de
desconto. Risco e incerteza. Estudos de casos. Taxas de poluição e subsídios.
Poluidor pagador. Direitos de propriedade. A escassez de recursos.

Referências Básicas:

MAY, P. H. LUSTOSA, M. C. VINHA, V. Organizadores Economia do Meio


Ambiente Teoria e Prática
PINHO, D.B., VASCONCELLOS M.A.S. Manual de economia. 5. ed. São Paulo:
Saraiva, 2004.
ROMEIRO, A.R. REYDON, B.P., LEONARDI, M.L.A. Economia do Meio Ambiente:
Teoria, Políticas e a Gestão de Espaços Regionais. Campinas: Unicamp, Instituto
de Economia, 1999.
42
TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS E GASOSOS
Carga horária: 90 Horas
Créditos: 6

Ementa
Redes de esgotos sanitários, tratamento de águas residuária, proteção ambiental.
Dimensionamento, fossas sépticas, filtro anaeróbio, outros sistemas de
esgotamento, instalações de água pluviais: esgotamento de águas pluviais e projeto
de instalações. Tratamento preliminar. Decantação. Processos químicos. Processos
biológicos. Tratamento e destino final do lodo. Lagoas de estabilização Valos de
oxidação. Desinfecção. Tratamento de efluentes gasosos.

Referências Básicas:

Leme, Edson José de Arruda. Manual prático de tratamento de águas


residuárias. São Carlos, EdUFSC, 2008.
RICHTER, C.A.; AZEVEDO NETTO, J.M. Tratamento de água: tecnologia
atualizada. São Paulo: Edgard Blucher Ltda, 2000.
DI BERNARDO et al. Ensaios de tratabilidade de água e dos resíduos gerados
em estações de tratamento de água. São Carlos: Rima editora 2002.
SANTOS FILHO, D.F. Tecnologia de tratamento de água. São Paulo: Livraria
Nobel, 1989.
VIANNA, M.C. Hidráulica aplicada às estações de tratamento de água. Belo
Horizonte: Imprimatur, 2002.

.
43
ANALISE DE SISTEMAS E MODELAGEM EM AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Teoria geral de sistemas. Modelagem de sistemas ambientais. Conceituação e
aplicação. Programação linear. Otimização. Sistema de apoio á decisão. Interfaces
de utilização. Estudos e Técnicas em situações e problemas ambientais.

Referências Básicas:

CRISTOFOLETTI, Antonio (2000). Modelagem de Sistemas Ambientais.USP


(2000).
CAPRA, Fritjot. Ateia da vida: uma nova compreensão cientifica dos sistemas.
(1996).
FRANK, Besate. Metodologia da pesquisa ambiental. FURB. 2003.
44
MONITORAMENTO AMBIENTAL I
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Problemas específicos de recursos hídricos: recursos hídricos superficiais e
subterrâneos, bacia hidrográfica, disponibilidade hídrica superficial e Subterrânea,
efeitos antrópicos do uso do solo, impactos da urbanização sobre os mananciais;
vulnerabilidade dos recursos hídricos e áreas de proteção dos mananciais
superficiais e subterrâneos; estrutura de planejamento e regulamentação dos
recursos hídricos e do saneamento ambiental no Brasil; Regras para manejo
sustentável dos recursos hídricos; outorga de uso e de descarga de poluentes;
fiscalização.

Referências Básicas:

BARTH, F. T. et al. Modelos para Gerenciamento de Recursos Hídricos, São


Paulo: Nobel: ABRH 1987
LANNA, A. E. L. Gerenciamento de bacia hidrográfica: aspectos conceituais e
metodológicos. IBAMA, 1995.
LEAL, M. S. Gestão ambiental dos recursos hídricos: princípios e aplicações.
Rio de Janeiro: CPRM, 1998.
PRUSKI F. F., Silva D. D. – Gestão de Recursos Hídricos - Aspectos legais,
econômicos, administrativos e sociais, ABRH, 2000.
REBOUÇAS, A. C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J. G. Águas doces no Brasil: capital
ecológico, uso e conservação. 2ed, São Paulo, Escrituras editora, 2002.
45
LICENCIAMENTO AMBIENTAL E SERVIÇOS AMBIENTAIS
Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Licenciamento ambiental como instrumento da Política Ambiental. Licença e
autorização. Competência para licenciar. Atividades a serem licenciadas. As etapas
do licenciamento ambiental. Licenciamento ambiental como instrumento da Política
Ambiental. Licença e autorização. Competência para licenciar. Atividades a serem
licenciadas. As etapas do licenciamento ambiental.

Referências Básicas:

CRETELLA JR., José. Manual de Direito Administrativo, 2. Ed., Rio de


Janeiro, forense, 1979, p. 239.
DA SILVA, José Afonso. Direito Ambiental Constitucional. 2. Ed., (2.ª
tiragem). São Paulo, Malheiros, 1997, p.190.
MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro, 8ª edição revista,
atualizada e ampliada. São Paulo: Malheiros, 2000. pp.243 e 244.
46
SENSORIAMENTO REMOTO E GEOPROCESSAMENTO II
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Sistemas de Informações geográficas (SIG). Formato de entrada de dados,
integração de informações, manipulação e análise de dados. Geração de dados
temáticos (mapas e suas representações em ambiente computacional – mapas
temáticos; mapas cadastrais; sistema de redes; imagens, modelos digitais de
terreno). Operações de análise geográfica. Saída de dados (mapas, tabelas).
Aplicações de algoritmos matemáticos para geração de modelos tridimensionais em
estudos de barragens e outras obras de engenharia. Modelagem de dados especiais
em rede para estudos de gerência e avaliação de impacto ambiental.

Referências Básicas:

CHUVIECO, E. 1996. Fundamentos de teledetección espacial. Madrid: Ediciones


RIALP SA., 1996.
CROSTA,A.P. Processamento digital de imagens de sensoriamento remoto.
Campinas: UNICAMP, 1992.
ASSAD, Eduardo Delgado; SANO, Edson Eyji. Sistema de informações
geográficas: aplicações na agricultura. Brasilia, 1993.
47

MECÂNICA DOS SOLOS

Crédito: 04
Hora/Aula: 60
Ementa:
Mecânica dos solos e as obras de engenharia. O solo e suas conceituações,
propriedades dos índices, estrutura, caracterização e classificação dos solos;
princípio das tensões efetivas e tensões atuantes da terra; compressibilidade e
adensamento dos solos; compactação. Permeabilidade. Redes de fluxo. Barragem
de terra. Cisalhamento em solo. Atividades de laboratório.

Bibliografia Básica

CRAING, R.F. Craig Mecânica dos solos. 7ª edição. Rio de Janeiro- RJ: LTC.
2013.
BRADY, N. C; WEIL, R. R. Elementos da Natureza e propriedades dos solos. 3ª
edição. Bookman, 2013.
LÜKE, W. SILVA, B. A. Engenharia Civil 1. Patologia e dimensionamento de
concreto armado, materiais de construção civil, resistência dos materiais e
análise estrutural, mecânicas dos solos, estradas e pavimentos. Coordenação
Flávio Daher e Marcelo Borsio. Ed. Saraiva. São Paulo- SP. 2013 269 p.

Bibliografia Complementar

FIORI, Alberto Pio; CARMIGNANI, Luigi. Fundamentos de mecânica dos solos e


das rochas: aplicações na estabilidade de taludes. Curitiba: Universidade Federal
do Paraná, 2001..548 p.
ORTIGÃO, J. A. R. Introdução a Mecânica dos Solos dos Estados Críticos. 2. ed.
Rio de Janeiro: LTC, 1995.. 62 p.
CAPUTO, Homero Pinto. Mecânica dos solos e suas aplicações 1. 3.ed.
Guanabara, RJ: Livros Técnicos e Científicos, 1973. [Brasília]: INL, xii, 242 p.

PINTO, Carlos de Sousa. Curso básico de mecânica dos solos: com exercícios
resolvidos: em 16 aulas. 3. ed. São Paulo, SP: Oficina de Textos, 2006. 355 p.
ABMS-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MECÂNICA DOS SOLOS E
ENGENHARIA. ABMS: Cinquenta anos de geotecnia. São Paulo, SP: DBA Artes
Gráficas, 2000. 150 p.
48

FASE VIII

TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS


Carga horária: 90 Horas
Créditos: 6

Ementa
Resíduos sólidos: caracterização e impactos ambientais. Segregação e coleta de
resíduos: conceitos básicos.Reciclagem de resíduos. Aterros: descrição,
classificação e projetos básicos, custos. Incineração de resíduos em forno de
cimento. Pirólise. Conversão biológica com recuperação de energia. Legislação e
Normas.

Referências Básicas:

Bettiol, W. e Camargo, O.A. Impacto Ambiental do uso Agrícola do Lodo de


Esgoto. Embrapa Meio Ambiente, 2000
Cassini, S.T. Digestão de Resíduos Sólidos Orgânicos e Aproveitamento do
Biogás. Prosab 3, Vitória, 2003.
Lima, L.M.Q.. Lixo: Tratamento e biorremediação. Editora Hemus, terceira edição,
2004.
Lora, E.E.S.; Prevenção e Controle da Poluição nos Setores Energéticos,
Industrial e de Transportes. Rio de Janeiro, Editor Interciência, segunda edição,
2002.
49
ZONEAMENTO E ORDENAMENTO AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceituação teórica e metodológica de zoneamento; critérios naturais,
socioeconômicos e políticos-institucionais nas práticas do zoneamento; diagnóstico
e prognóstico no zoneamento ecológico-econômico; experiências brasileiras em
zoneamento. urbanização e cidade. Concepção e aspectos históricos. O
zoneamento ambiental como instrumento de planejamento e de gestão territorial.
Métodos e técnicas de zoneamento. A dimensão natural e a dimensão social na
construção da cidade. Cidade e Ambiente urbano: Problemas ambientais. Urbanos
contemporâneos. Planejamento e gestão urbana. Plano diretor para cidades.

Referências Básicas:

BERTUCCI, Liane M. “As Transformações Urbanas na Imprensa Operária: São


Paulo, na virada do século XX”. in: Ribeiro, Luiz C. de Q e Pechman, R.M. (org)
Cidade, Povo e Nação. Gênese do Urbanismo Moderno. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 1996.
MELLO, Luiz I. de Anhaia Problemas de Urbanismo - Bases para a resolução do
problema technico. São Paulo : Boletim do Instituto de Engenharia de São Paulo,
1929.
PECHMAN, Robert M. “O Urbano Fora do Lugar? Transferências e Traduções das
Idéias Urbanísticas nos Anos 20” in: Ribeiro, Luiz C. de Q e Pechman, R.M. (org)
Cidade, Povo e Nação. Gênese do Urbanismo Moderno. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 1996.
SINGER, Paul Desenvolvimento Econômico e Evolução Urbana. São Paulo:
Editora Nacional, 1977.
GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e lutas pela moradia. São Paulo,
Loyola, 1991.
50

MONITORAMENTO AMBIENTAL II
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Educação ambiental; controle e planejamento do uso do solo na bacia; principais
procedimentos para manutenção da qualidade e da quantidade de água dos
mananciais subterrâneos e superficiais; técnicas de conservação ambiental dos
recursos hídricos: preservação das matas ciliares; levantamentos sanitários de
bacias hidrográficas; florestamento e reflorestamento; Código Florestal; formulação
de um plano de monitoramento de qualidade da água subterrânea e superficial; uso
dos dados de monitoramento para o planejamento dos recursos hídricos.

Referências Básicas:

BARTH, F. T. et al. Modelos para Gerenciamento de Recursos Hídricos, São


Paulo: Nobel: ABRH 1987
LANNA, A. E. L. Gerenciamento de bacia hidrográfica: aspectos conceituais e
metodológicos. IBAMA, 1995.
LEAL, M. S. Gestão ambiental dos recursos hídricos: princípios e aplicações.
Rio de Janeiro: CPRM, 1998.
PRUSKI F. F., Silva D. D. – Gestão de Recursos Hídricos - Aspectos legais,
econômicos, administrativos e sociais, ABRH, 2000.
REBOUÇAS, A. C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J. G. Águas doces no Brasil: capital
ecológico, uso e conservação. 2ed, São Paulo, Escrituras editora, 2002.
51
SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Base legal e institucional para a gestão ambiental e Sanitária. Inserção do meio
ambiente no planejamento econômico. Aplicação de modelos econômicos.
Valoração do Ativo e Passivo ambiental nos estudos de alternativas e
viabilidades.Políticas de desenvolvimento integrado e suas características.
Instrumento de gestão e suas implementações: conceitos e prática.
Compatibilização da exploração nos planejamentos territoriais.

Referências Básicas:

Hammes, Valéria Sucena (Ed.);Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária -


EMBRAPA. Agir – percepção da gestão ambiental. 2.ed. São Paulo, Globo, 2004.
Brito, Francisco A.;Câmara, João B. D. Democratização e gestão ambiental : em
busca do desenvolvimento sustentável. Petrópolis, Vozes, 1999.
BACKER, PAUL DE. Gestão Ambiental: A Administração Verde. Rio de Janeiro:
Qualitymark, 1995.
BRILHANTE, Ogenis M. e CALDAS, QUERINO L. Gestão s avaliação de risco em
saúde ambiental, Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1999.
DONAIRE, Denis. Gestão Ambiental na Empresa. – 2. ed. – São Paulo: Atlas,
1999.
52
FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Energia e meio ambiente. Compreensão dos sistemas de geração de energias
renováveis como: solar, eólica, biomassa, geotérmica e hidrelétrica. Programa
energético atual e perspectivas futuras.

Referências Básicas:

Branco, Samuel Murgel (1930-). Energia e meio ambiente. 13.ed. São Paulo,
Moderna, 1996.
Reis, Lineu Belico dos;Cunha, Eldis Camargo Neves da. Energia elétrica e
sustentabilidade : aspectos tecnólogicos, socioambientais e legais. São Paulo,
Manole, 2006. 243p.
Pereira, Augusto Baptista. Quando o petróleo acabar : fontes alternativas de
energia como substitutivas do petróleo. Florianópolis, UDESC, 1979.
Cavalcanti, Clóvis. Desenvolvimento e natureza : estudos para uma sociedade
sustentável. 2. ed. São Paulo, Cortez, 1998.
Tolmasquim, M.T. Fontes Renováveis de Energia no Brasil. Editora Interciência.
Rio de Janeiro. 2003.
ROTHMAN, H. Uso da biomassa para produção de energia na indústria
brasileira. Campinas: Unicamp, 2005.
53
ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Classificação e análise dos sistemas Ambientais. Gerenciamento Ambiental. Fases:
Diagnóstico, planejamento, e gerenciamento. Definição de unidade territorial
geográfica (microbacia). Paisagem: conceito e técnicas de análise.
Aspectos legais: Constituição Brasileira; Código das Águas de 1934. Lei 9.433/97 da
Política Nacional dos Recursos Hídricos (PNRH). Política Nacional de Meio
Ambiente. Propostas de regulamentação da PNRH. Políticas Estaduais. Outros
instrumentos legais de interesse. Aspectos organizacionais. Sistemas de recursos
hídricos da: França, Espanha, Alemanha, entre outros. Conselho Nacional de
Recursos Hídricos. Comitês de Bacias Hidrográficas. Agências de águas. Órgão
gestor de águas federais. Sistemas estaduais de recursos hídricos. Aspectos
conceituais da gestão de recursos hídricos. Modelos de gestão: burocrático,
econômico-financeiro, sistêmico de integração participativa. Processo de
planejamento de recursos hídricos: conceito. Interpretação do planejamento à luz da
Lei 9.433/97. Integração dos planos nos âmbitos nacional, estadual e de bacia
hidrográfica. Enquadramento de corpos de água em classes de usos
preponderantes. Outorga dos direitos de uso da água. Cobrança pelo uso da água.
Sistemas de informação sobre recursos hídricos. Outros instrumentos de gestão.

Referências Básicas:

Andrade, Rui Otávio Bernardes de;Tachizawa, Takeshy;Carvalho, Ana Barreiros de.


Gestão ambiental : enfoque estratégico aplicado ao desenvolvimento
sustentável. 2.ed. São Paulo, Makron Books, 2004.
LEITE, Paulo Roberto.Logística Reversa: meio ambiente e competitividade. São
Paulo - 2009.
ANDREOLI, Cleverson Vitório (Org.). Mananciais de abastecimento:
Planejamento e gestão. Estudo de caso do Altíssimo Iguaçu. Curitiba:
SANEPAR/FINEP, 2003.
BELTRAME, A. V. Diagnóstico do Meio Físico de Bacias Hidrográficas.
Florianópolis: Ed. da UFSC, 1994.
54
LIMA, Walter de Paula. Introdução ao manejo de bacias hidrográficas. São
Paulo: USP, 2006.
MACEDO, R. K. Gestão ambiental: os instrumentos básicos para a gestão
ambiental de territórios e de unidades produtivas. ABES, Rio de Janeiro: 1994.
55

SISTEMAS DE ESGOTOS

Crédito: 04
Hora/Aula: 60

Ementa: Esgoto Sanitário, conceito e classificação. Concepção de sistemas de


esgotamento sanitário. Vazões de esgoto. Rede coletora de esgoto Sanitário.
Hidráulica dos condutos de esgoto. Interceptores, Emissários e Elevatória de esgoto.
Medição de Vazão. Esgotamento Estático. Critérios para dimensionamento de rede
de esgoto. Materiais dos condutos.

Bibliografia Básica

CENTRO DE PRODUÇÕES TÉCNICAS - CPT. Esgoto sanitário e meio ambiente


[catálogo]. Viçosa: Centro de Produções Técnicas, [1998]. 24 p. (Série Saneamento
24).
NUVOLARI, Ariovaldo (Coord.). Esgoto sanitário: coleta, transporte, tratamento e
reuso agrícola. São Paulo, SP: Edgard Blücher, 2003. xiii, 520 p.
LEME, Edson José de Arruda. Manual prático de tratamento de águas
residuárias. São Carlos, SP: Ed. da UFSC, 2008. 595 p.
TELLES, Dirceu D'Alkmin; COSTA, Regina Helena Pacca Guimarães
(Coord.). Reúso da água: conceitos, teorias e práticas. São Paulo, SP: Blucher,
2007. 311 p.

Bibliografia Complementar

BRASIL. Ministério das Cidades. Diagnóstico dos serviços de Água e Esgotos -


2004. Brasília: MCIDADES, 2005. SNSA, 271 p.
IMHOFF, Karl; IMHOFF, Klaus. Manual de tratamento de águas residuárias. São
Paulo, SP: Edgard Blucher, 1996. 301 p.
GARCIA, Edmundo (Org.). Água - esperança do futuro: lixo, esgoto, escassez,
agrotóxico, desertificação, seca, desperdícios, megaprojetos: Será que a água
sobrevive?. São Paulo, SP: Edições Loyola, 2004. 94p.
CREDER, Hélio. Instalações hidráulicas e sanitárias. 6. ed. Rio de Janeiro: LTC,
2011. 423 p.
BRASIL. Resolução CONAMA 357. Brasília, Ministério do Meio Ambiente. 2005.
NBR 7229. Projeto de Tanques Sépticos. Rio de Janeiro, ABNT, 1997.
NBR 13969. Tanques Sépticos – Unidades de tratamento complementar e
disposição final dos efluentes líquidos – Projetos, construção e operação. Rio
de Janeiro, ABNT, 1997.
NBR 12209. Projeto de Estações de Tratamento de Esgoto Sanitário. Rio de
Janeiro, ABNT. 2009.
56
FASE IX

ERGONOMIA E SEGURANÇA NO TRABALHO


Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
A evolução da segurança do trabalho. Aspectos políticos, éticos, econômicos e
sociais. A prevenção de acidentes. A segurança do trabalho no contexto capital-
trabalho. O papel e as responsabilidades do engenheiro na segurança do trabalho.
Acidentes: Conceituação e classificação. Causas de acidentes: fator pessoal de
insegurança, ato inseguro, condição ambiente de insegurança. Conseqüências do
acidente: lesão pessoal e prejuízo material. Agente do acidente e fonte de lesão.
Riscos das principais atividades laborais. Prevenção de riscos com máquinas e
equipamento, equipamentos de segurança e higiene no trabalho.

Referências Básicas:

COUTO, H.A. Ergonomia aplicada ao trabalho: manual técnico da máquina


humana. Belo Horizonte: Ergo, 1996.
DUL, J.; WEERDMEESTER B. Ergonomia prática. 1. ed. São Paulo: Edgar Blücher
, 1995.
GRANDJEAN, E. Manual de ergonomia - adaptando o trabalho ao homem. 4. ed.
Porto Alegre: Bookman, 1998.
NORMAS REGULAMENTADORAS. Segurança e medicina no trabalho. São
Paulo : Atlas, 1989.
57
AVALIAÇÃO DE IMPACTOS E RISCOS AMBIENTAIS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Risco Ambiental. Análise Ambiental. Método de avaliação de impacto ambiental
(AIA). Elaboração de EIA/RIMA. Metodologias de valoração ambiental. Avaliação
econômica de impactos ambientais. Estudo de caso. Contabilidade de recursos
naturais.

Referências Básicas:

Brilhante, Ogenis Magno (Coord.);Caldas, Luiz Querino de A. Caldas (Coord.).


Gestão e avaliação de risco em saúde ambiental. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2004.
ABSY, M. L. et al. Avaliação de Impacto Ambiental: agentes sociais,
procedimentos e ferramentas. Brasília: IBAMA, 1995.
SANCHEZ, Luiz Enrique. Avaliação de impacto ambiental - conceitos e métodos.
Oficina de textos. São Paulo. 2006.
LEITE, José Rubens Morato e BELLO FILHO, Ney de Barros (Org.). Direito
Ambiental Contemporâneo. Barueri, SP: Manole, 2004.
MATTOS, Katty Maria da Costa e MATTOS, Arthur. Valoração Econômica do Meio
Ambiente - uma abordagem teórica e prática. São Carlos, SP: RiMa, FAPESP,
2004.
MELO, Rosemeri S. & SOUZA, Roberto R. Risco Ambiental da Perda da
Biodiversidade em Litorais do Brasil, 2001.
58
PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DE OBRAS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Planejamento, controle e acompanhamento do desenvolvimento de obra, segurança
na obra, canteiro de obra e equipamentos, gestão de qualidade da obra,
almoxarifado e gerenciamento de estoque, procedimentos de contratação
empreitada global, cronograma físico-financeiro, execução e produtividade.

Referências Básicas:

MESEGUER, Alvaro Garcia. Controle e Garantia da Qualidade na Construção.


São Paulo, Sinduscon/Projeto, 1991.
SOUZA, R. et al Sistema de Gestão da Qualidade para Empresas Construtoras.
São Paulo: PINI, 1995.
THOMAZ, E. Tecnologia, Gerenciamento e Qualidade na Construção. São Paulo:
Pini, 2002.
VIEIRA NETTO, A. Como Gerenciar Construções. São Paulo: Editora PINI, 2ª
Edição, 1988.
59
INSTALAÇÕES PREDIAIS
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Instalações elétricas e telefonia. Instalações prediais de água fria e quente, esgoto
sanitário, águas pluviais, gás e proteção contra incêndio. Projeto e detalhamento.

Referências Básicas:

ABNT- NBR 5626 - Instalações Prediais de Água Fria – 1998.


ABNT - NBR 8160 - Instalação Predial de Esgoto Sanitário - Procedimento –
1983.
ABNT - NBR 13714 da ABNT - Instalações Hidráulicas Prediais contra Incêndio
por Hidrantes e Mangotinhos.
ABNT - NBR 7198 - Projeto e Execução de Instalações Prediais de Água Quente
-
1993.
ABNT - NB 611 - Instalações Prediais de Águas Pluviais – 1988.
ABNT - NBR 7229 - Projeto, Construção e operação de sistemas de tanques
sépticos.
CREDER, Hélio - Instalações Hidráulicas e Sanitárias. Livros Técnicos e Editora.
5ª Edição. Rio de Janeiro. 1991.
MACINTYRE, A.J., Instalações Hidráulicas Prediais e Industriais. Guanabara
Dois.
1988.
VIANNA, M.R. Instalações Hidráulicas Prediais. IEA EDITORA. Belo Horizonte.
MG.
1993.
60

AUDITORIA AMBIENTAL
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Introdução: meio-ambiente e impacto ambiental, principais termos técnicos. Grandes
ambientes: terrestre, aquático, transição. Diagnóstico ambiental na indústria e em
distritos industriais. Alterações ambientais: efeitos sobre o equilíbrio do ecossistema,
conceito de capacidade de suporte, padrões clássicos de intervenções. Prognósticos
ambientais: métodos, modelos, cenários ambientais. Impacto ambiental da
urbanização nas matas ciliares. Impacto ambiental na indústria e complexos
industriais. Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental no Brasil: estudo de casos.

Referências Básicas:

Cunha, Sandra Baptista da (Org.);Guerra, Antonio José Teixeira (Org.). Avaliação e


perícia ambiental. 4.ed. 1. Rio de Janeiro, Bertand Brasil, 2002.
LA ROVERE, E.L. (Coordenador) et al. Manual de Auditoria Ambiental, Rio de
Janeiro. 2 ed. 2001.
SILVA, H.V.O. Auditoria de Estudo de Impacto Ambiental. Dissertação de
mestrado PPE/COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, 1996.
ALLE, Cyro E.. Qualidade Ambiental: o desafio de ser competitivo protegendo o
meio ambiente : como se preparar para as Normas ISO 14000. São Paulo:
Pioneira, 1995.
61
METODOLOGIA DA PESQUISA
Carga horária: 60 Horas
Créditos: 4

Ementa
Conceitos básicos de método científico, ciência e técnicas de pesquisa.
Amostragem, observação, elaboração, análise e interpretação de dados, trabalhos e
publicações científicas, referências bibliográficas e normas da ABNT e da UNC.
Orientações para a elaboração do TCC. Elaboração do projeto de TCC.

Referências Básicas:

MARCONI, Mariana Andrade, LAKATO, Eva Maria, Metodologia Científica, 2º


edição, São Paulo, Atlas,2001.
OLIVEIRA,S,L, Tratado de metodologia Científica, 2 ed. São Paulo, Pioneira
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI. Marina de Andrade. Fundamentos de
metodologia Científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007
62
TEORIA DAS ESTRUTURAS

Crédito: 04
Hora/Aula: 60

Ementa: Estrutura de concreto: Diagrama de esforço cortante e momento fletor,


definições de carga e esforço solicitantes. Flexão simples e cisalhamento. Lajes.
Vigas isostáticas. Generalidades. Propriedades. Tração, compressão e flexão
simples.
Estruturas de madeira: Análise da estrutura interna do material. Comportamento
mecânico da madeira. Tração, compressão e cisalhamento. Flexão simples.
Solicitação de peças múltiplas. Ligações. Estrutura de Aço: Generalidades.
Propriedades. Tração. Compressão simples. Flexão simples. Flexo-compressão
normal e oblíqua. Ligações. Ação do vento nas estruturas.

Bibliografia Básica

LÜKE, W. SILVA, B. A. Engenharia Civil 1. Patologia e dimensionamento de


concreto armado, materiais de construção civil, resistência dos materiais e
análise estrutural, mecânicas dos solos, estradas e pavimentos. Coordenação
Flávio Daher e Marcelo Borsio. Ed. Saraiva. São Paulo- SP. 2013 269 p.
CARTWRIGHT, P. Alvenaria. Revisão técnica: Pablo Nogueira. Porto Alegre:
Bookman, 2014, 209p.
LEET. K. M; UANG, C. M; GILBERT, A. M. Fundamentos da análise estrutural. 3ª
Ed., Editora AMGH, 2008, 791 p.

Bibliografia Complementar

SORIANO, Humberto Lima; LIMA, Silvio de Souza. Análise de estruturas: método


das forças e método dos deslocamentos. 2.ed. Rio de Janeiro: Ciencia Moderna,
2006. 308 p.
FREITAS NETO, José de Almendra; VIEIRA, Inaldo Ayres. Análise matricial de
estruturas, 2. Curitiba: Dom Bosco, 1973. 175 p.
ALMEIDA, Maria Cascão Ferreira de. Estruturas isostáticas. São Paulo: Oficina de
Textos, 2011.
MENDES NETO, Flávio. Concreto estrutural avançado: análise de seções
transversais sob flexão normal composta. São Paulo, SP: PINI, 2009.
HIBBELER, R. C. Resistência dos materiais. São Paulo: Pearson Prentice Hall,
2012.
PFEIL, Walter. Estruturas de madeira. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1994.. 295 p.
63

FASE X

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO


Carga horária: 30 Horas
Créditos: 2

Ementa
Desenvolvimento do Projeto aprovado na disciplina Metodologia da pesquisa.
Elaboração do TCC com articulação teórica- prática. Orientação, supervisão e
avaliação docente.

Referências Básicas:

MARCONI, Mariana Andrade, LAKATO, Eva Maria, Metodologia Científica, 2º


edição, São Paulo, Atlas,2001.
OLIVEIRA,S,L, Tratado de metodologia Científica, 2 ed. São Paulo, Pioneira
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI. Marina de Andrade. Fundamentos de
metodologia Científica. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007
64
ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E
SANITÁRIA
Carga horária: 180 Horas
Créditos: 12

Ementa
Importância; Definições; Partes essenciais do projeto; Orientações individualizadas
na elaboração do projeto; Orientações sobre a elaboração de relatório final.
Proposta do Estágio (Projeto); Elaboração do projeto de Estágio com
acompanhamento dos professores; Execução de um trabalho numa empresa, com
carga horária prevista, demonstrando a aplicabilidade de conceitos estudados em
sala de aula; Fundamentação Teórica; Relatório da pesquisa de campo; Relatório
final.

Referências Básicas:

RUIZ, João Álvaro. Metodologia Científica: guia para eficiência nos estudos. 3
ed. São Paulo: Atlas, 1991.
TAFNER, Malcon Anderson; TAFNER, José; FISHER, Juliane. Metodologia do
trabalho acadêmico. Curitiba: Juruá, 1998.
MARCONI, Mariana Andrade, LAKATO, Eva Maria, Metodologia Científica, 2º
edição, São Paulo, Atlas,2001