Anda di halaman 1dari 15

Seja muito bem vindo.

Preparei este e-book especialmente para


você que precisa:

 Ter mais foco e concentração


 Aprender mais rápido e com melhor qualidade
 Aumentar seu poder de retenção de informação

Meu objetivo com este e-book é apresentar dicas rápidas para você
aplicar hoje mesmo e já sentir melhoras em seus estudos e
aprendizado. Direto ao ponto.

As dicas são aplicáveis para qualquer pessoa. Esteja você


estudando para uma prova no colégio, estudando para sua pós-
graduação, estudando para passar em um concurso público ou que
precisa estar em constante estudo para evoluir em seu trabalho e
na vida.

Afinal, estamos na era do conhecimento e o processo de


aprendizado é primordial para atingir o resultado que deseja.

Mas antes, se você não me conhece, deixe me apresentar:

Meu nome é Filipe Iorio, e sou idealizador do


MapaMental.org um dos principais portais
sobre mapas mentais do Brasil. Pesquisador
e apaixonado por técnicas de produtividade e
otimização do aprendizado. Também sou
autor de cursos e livros sobre mapas mentais
e aprendizagem eficaz.

Boa leitura e sucesso nos estudos...


Se interessar pelo assunto que está estudando é uma boa maneira
de começar. Sem dúvida, é muito mais fácil ter atenção e foco
quando se tem interesse pelo assunto que você está estudando.

Você estará motivado naturalmente para aprender mais.

Para poder desenvolver esse interesse, você precisa adotar uma


atitude de curiosidade.

Uma dica que funciona muito bem para gerar interesse em um


assunto, que já utilizei inúmeras vezes quando estava estudando
algo importante, é pesquisar no Youtube algum especialista do
assunto.

Não importa o assunto: Desde química orgânica, regras gramáticas,


até mesmo código civil.

Colocando em prática:

Pesquise na internet (Google, Youtube, Facebook, etc) sobre um


especialista na área. Quando você ouve ou lê algum especialista
falando sobre o assunto, ele fala com tanto entusiasmo, com tanta
vontade, que você percebe o brilho nos olhos dele. Isso ajuda muito
a gerar interesse e curiosidade sobre o tema.

O interesse acaba sendo contagiante. Faça o teste!


Se você precisar interromper os estudos por algum motivo. Seja
para fazer uma refeição, uma pausa para descanso, ou por
qualquer outro motivo, é importante que você planeje esta pausa.

Procure pausar em uma parte mais fácil ou divertida do assunto.


Considerar a pausa em partes mais agradáveis, certamente fará
você ter mais interesse em retomar aos estudos. Você vai ficar mais
interessado e animado.

Isso acontece muito com livros, quando estamos lendo um livro com
um conteúdo cativante e que nos interessa, fica quase impossível
fazermos uma pausa, ou se fizer, você quer voltar correndo para ler
a continuação.

“Hackeie” seu cérebro para fazer isso com seus estudos também.

Colocando em prática:

Quando estiver estudando um material, identifique os pontos que


mais lhe agrada e programe pausas próximas deste ponto, para
você criar uma motivação extra para retomar os estudos.
Defina sempre um ambiente para seu estudo. Várias pesquisas
mostram que até nossa postura influencia em nossa retenção de
informação.

Se você estiver deitado, por exemplo, provavelmente terá uma taxa


menor de retenção de conhecimento. O motivo? Seu cérebro estará
entendendo que você está em estado de repouso.

Tenha uma área de estudo que esteja definida em um ambiente


confortável sempre que possível. O ambiente desempenha um
papel significativo na motivação do estudo.

Então, certifique-se que o lugar onde você estudará é o mais


propício e agradável possível.

Colocando em prática:

Principalmente se a maior parte do tempo você estuda em sua


casa, defina um lugar de estudos que se sinta confortável e
comunique sua família que quando estiver naquele lugar, está
estudando e ocupado. Isso faz uma diferença muito grande, pois a
cada momento que você perde o foco, seu cérebro precisará de
muita energia para retomá-lo.
Defina seu cronograma de estudo de forma que seja possível ser
cumprido. Não adianta você definir que irá estudar durante a
madrugada se tiver que acordar as 06h00 para trabalhar. Seja
coerente.

Também evite estudar “quando tiver um tempinho”. Provavelmente


esse “tempinho” nunca irá chegar.

Crie o hábito de entender o horário de estudo como sendo um


compromisso sério.

Colocando em prática:

Defina seus horários e dias de estudos e aprendizado. Crie um


cronograma para isso e siga-o.
Crie uma lista de tarefas em seus estudos e vá selecionando as que
você já fez. Nosso cérebro tende sempre a querer concluir um ciclo
que foi proposto e, ao concluir, gera-se uma sensação de dever
cumprido.

Lista de tarefas, se bem utilizadas e formatadas, podem nos ajudar


a sempre concluir as tarefas nos estudos e evitar a procrastinação.

Existem centenas de aplicativos para lista de tarefas, um que gosto


e recomendo é o Todoist.

Colocando em prática:

Você pode fazer em um papel ou em um aplicativo, o importante é


que crie um check-list para ser usado sempre que estiver
estudando. Algo simples, direto ao ponto.

Exemplo: preparar o material necessário, criar mapa mental do


conteúdo, revisar o mapa mental.
Uma técnica de administração do tempo e de tarefas muito de
simples de ser aplicada e que gera um ganho significativo de
produtividade.

Esta técnica chamada de “Pomodoro” permite você ter muito mais


foco e atenção em que está fazendo.

Colocando em prática:

De forma resumida e que já permite você colocar em prática, a


técnica consiste em: Estudar por 25 minutos e descansar por 5
minutos. Repita esse ciclo até finalizar seu cronograma de estudo.
Existem algumas variações da técnica, mas utilize este formato, ele
funciona.

Colocando em prática:

Crie ciclos de 25 minutos e 5 de descanso durante sua rotina de


estudos e aprendizado. Você pode utilizar seu próprio celular ou
utilizar um APP para se organizar nestes ciclos. Pesquisa por
“pomodoro”.
Utilize as distrações como ferramenta de produtividade.

Sabe aquela série do Netflix que você queria estar assistindo


enquanto está estudando? Então, quando concluir seu cronograma
de estudos naquele dia, de um presente para você mesmo, seja
assistir a sua série, ir tomar um sorvete, qualquer coisa que gere
prazer e satisfação para você.

Faça o teste! Quando você começa a ter prioridades e um objetivo


definido, seus estudos começam a fazer muito mais sentido e você
irá colher grandes resultados.

Colocando em prática:

Esta dica é a mais fácil. Defina o que te dar prazer e se de este


presente cada vez que concluir as tarefas definidas para seu ciclo
de estudo no dia.
A distração é uma grande vilã nos estudos. Afinal, vamos ser bem
honestos, quase sempre é muito mais divertido assistir uma série
no Netflix do que estudar, não é mesmo? Agora imagine você
querer tentar estudar ao mesmo tempo em que assiste TV ou que
fala com os amigos no Facebook? Isso não funciona!

Cada distração que você tiver no momento que está estudando,


cria-se uma barreira para conseguir ter a atenção seletiva no
estudo.

Já falamos um pouco o ambiente para o estudo, mas é importante


reforçarmos que estudar em um lugar em que você se sinta
confortável é uma das chaves para o foco e atenção.

Basicamente, temos dois tipos de distrações: externas e internas. E


o objetivo deste DICA é você entender da importância de reduzir ao
máximo estas distrações.

As distrações externas, com o próprio nome já fiz, são


relacionadas ao ambiente externo.

E como eliminar as distrações externas?

A regra é você ter um lugar que ajude a bloquear ao máximo as


distrações externas, que são: barulhos, pessoas, sensações, falta
de organização, etc. Qualquer coisa que possa te atrapalhar
quando estiver focado nos estudos.
Já as distrações internas são nossas emoções, nossos
pensamentos, aquele “barulhinho” interno em nossa mente que fica
tentando tirar nosso foco.

Uma forma de diminuir as distrações internas é você ter um objetivo


muito claro e definido em seu estudo.

Responda a pergunta: “Por que precisando aprender isto?”

Identifique o motivo mais profundo do por que você estar


estudando. Se for para passar em um concurso, você não está
estudando somente para passar na prova, mas sim, para dar maior
segurança financeira para sua família, garantir uma qualidade de
vida para seus filhos.

Colocando em prática:

Liste suas possíveis distrações externas (família, celular,


computador, barulho em sua rua, etc). E veja como você pode
blindar-se destas distrações, seja um horário específico que tudo
está mais calmo, ou um aviso para as pessoas. Mas aja e elimine o
máximo que conseguir.

A distração interna (sua mente) procure fazer uma técnica de


respiração, ouvir uma música que você goste.
Sim, ouvir música enquanto estuda é muito benéfico para os
estudos, mas calma, não pode ser qualquer música...

Ouça músicas instrumentais, barrocas ou sons da natureza. Evite


música com alguém cantando (que possua letra), pois pode causar
efeito contrário e tirara sua atenção.

Não vou me aprofundar muito, mas existem diversos estudos


científicos mostrando que ouvir a música correta durante os
estudos, eleva seu foco e concentração para outro patamar, pois
ajuda a reduzir os ruídos das distrações internas e externas.

Colocando em prática:

Pesquise no Youtube ou Spotfy por “Música Barroca” você


encontrará horas e mais horas de música clássica. Faça o teste,
veja o poder que a música tem em eliminar os dois tipos de
distrações: internas e externas.
Deixei esta dica por último, mas podemos considerar a mais
importante de todas, pois sem ela, o processo de aprender qualquer
coisa não fará sentido.

Parece exagero, mas não é. Falar a mesma língua que seu


cérebro é a grande chave para você ter um aprendizado eficiente.

Mas infelizmente a maioria das pessoas tenta estudar e aprender


de uma forma que não é a maneira que naturalmente aprendemos
e memorizamos algo e acabam se frustrando e achando que o
problema é ela.

E como “falamos” a língua do nosso cérebro?

Naturalmente aprendemos por meio de três fatores principais:


Associações, Palavras-chave e Imagens-chave.

Um exemplo prático é como aprendemos a falar quando criança.


Aprendemos pura e simplesmente pela associação de palavras que
nos eram ditas associadas a imagens mostradas para nós.

Um processo muito simples não? Mas que a maioria das pessoas


não utiliza e por isso estão patinando e não tendo um aprendizado e
memorização eficiente.

E a boa notícia, é que existe uma ferramenta que se utiliza


exatamente destes fatores para melhorar o aprendizado,
memorização e retenção de informação: Mapa Mental.

O Mapa Mental é conhecido por muitos como o “canivete suíço do


cérebro”.
Podemos fazer essa afirmação, pois os mapas mentais utilizam o
mesmo formato que nosso cérebro utiliza para armazenar e
organizar informação e conhecimento em nossa memória de curto e
longo prazo.

E como você pode ver, não é nenhum milagre, é apenas um


método que se utiliza dos mesmos princípios que nosso cérebro;
simples assim.

Agora, se você quer ir além e aprender tudo sobre mapas mentais,


o passo a passo para criar mapas mentais eficientes e também
como aplicar ele em diversas áreas...

Tenho um presente especial para você!

Se você chegou até aqui é por que realmente está comprometido


com sua evolução pessoal, profissional e com seus estudos.
Parabéns.

Por isso, o presente para você é o meu curso online:

Mapa Mental Express 2.0

Já passaram mais de 1.585 alunos por este treinamento online


onde ensino tudo sobre mapas mentais e como você pode utilizar
essa ferramenta para aumentar o seu nível de aprendizado e a sua
memória.

Praticamente todas as ferramentas e técnicas que vimos neste


Manual podem ser utilizadas em conjunto com os mapas mentais.

Então se você deseja continuar esta jornada de aprendizado e


evolução, e com isso:

 Aumentar sua memória;

 Organizar seu conhecimento de forma eficiente;

 Resumir um livro de 264 páginas em uma única folha;

 Nunca mais se esquecer dos conteúdos que estuda.


Este é seu momento. Preparei uma condição especial, que é válida
somente para você, que faz parte da comunidade do Manual do
Aprendizado.

Clique na imagem abaixo, ou acesse: www.mapamental.org/curso

Grande abraço,

Filipe Iorio.