Anda di halaman 1dari 12

ESTATUTO

Associação Nacional dos Construtores de Aeronaves Experimentais –


ANCAE

CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO

Art. 1º - Sob a denominação de Associação Nacional dos Construtores de


Aeronaves Experimentais – doravante designada simplesmente ANCAE -
fica constituída a presente Associação Civil, sem fins lucrativos, de caráter
cultural, educativo e científico, de duração indeterminada, com sede
provisória na xxxxxx, cidade onde tem seu foro jurídico.
§ 1º Nos Estados onde tiver mais de 15 associados poderá ser constituida
seccional com estrutura e competência prevista no seu Regimento Interno.
§ 2º. Poderá a ANCAE, a critério de sua Diretoria Executiva, instalar
agências, escritórios ou representações em qualquer localidade do território
brasileiro onde não tenha seccional, bem como associar-se a outras
entidades de objetivos afins em qualquer parte do território nacional.
Art. 2º - A ANCAE terá como finalidades:
I - experimentação, não lucrativa, de novos modelos e técnicas de produção
de aeronaves experimentais e de sistemas alternativos de produção e
tecnologias;
II - Dirigir, difundir e incentivar, em todo o território nacional, a prática, o
ensino e a cultura aeronáutica e de todas as suas categorias e modalidades
experimentais, assim definidas pela Federação Aeronáutica Internacional -
FAI;
III - Promover a defesa, preservação e conservação do meio ambiente e a
promoção do desenvolvimento sustentável através do incentivo do uso de
tecnologias ambientalmente corretas;
IV - Elaborar estudos e propostas normativas relacionadas ao setor aéreo,
sobretudo no tocante as contruções de aeronaves experimentais;
V - Manter e incentivar as relações amistosas e desportivas entre seus
Associados, incentivando o intercâmbio de experiências;
VI - Promover eventos de difusão e fomentos de construção e esportes
aeronauticos e apoiar outras realizações no âmbito de sua competência;
VII - Atuar perante os Poderes Públicos em defesa de seus objetivos, dos
direitos e interesses legítimos das pessoas jurídicas e físicas que lhes sejam
filiadas;
VIII - estudos e pesquisas, desenvolvimento de tecnologias alternativas,
produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e
científicos que digam respeito às atividades anteriores.
Parágrafo único. Para o fiel desempenho de suas funções fica a ANCAE
autorizada a adotar medidas judiciais e ou administrativas, formular contrato,
acordo, convenio, ajuste e qualquer outro ato congêneres com Entidades,
Associações, Organismos, Órgãos Públicos e Privados, Institutos,
Fundações e Sociedades Nacionais e/ou Estrangeiras, da mesma forma que
poderá filiar-se ou integrar quadro de participantes em organizações ou
entidades afins, podendo, ainda, prestar serviços para os quais disponha de
quadro técnico qualificado.
Art. 3º - A ANCAE no desenvolvimento de suas atividades se asseguram
dos seguintes direitos:
I – produzir, publicar, editar, expor e divulgar materiais impressos,
fotográficos, audiovisuais, de gravação magnética ou ótica, programas de
rádio, televisão e outros meios de seus trabalhos, estudos e atividades;
II – documentar e difundir todas as atividades com sua participação; e
III – distribuir e ou vender materiais da própria entidade ou de terceiros.

CAPÍTULO II - DOS SÓCIOS

Art. 4º - Serão admitidos como sócios da ANCAE quaisquer pessoas, físicas


ou jurídicas, desde que aceitem e cumpram os requisitos e as finalidades
estabelecidas pelo presente Estatuto.
Art. 5º - A ANCAE terá as seguintes categorias de sócios:
I – Sócios Fundadores: Os que participaram da Assembléia Geral de
Fundação da Associação e assinaram a Ata da Fundação;
II – Sócios Efetivos: Cidadãos dispostos a colaborar com os interesses
sociais, visando fomentar e difundir os objetivos da associação para os
quais contribuem mensalmente com a mensalidade associativa em valores a
ser definidos pela diretoria;
III - Benemérito: É a pessoa física ou jurídica que haja prestado relevantes
serviços à ANCAE;
IV - Correspondente: é a pessoa ou entidade filiada à ANCAE, residente ou
sediado fora da República Federativa do Brasil.
V - Sócios Aspirante: são as pessoas que apreciam e tenham interesses
pela prática e objetivos da associação mais que por questões pessoais não
possam custear e ou assumir compromissos financeiros com a ANCAE.
Parágrafo único. ANCAE poderá criar título e distinção honoríficas para
conferir à pessoas físicas ou jurídicas que, pela elaboração ou prestação de
relevantes serviços a causa que se propõe a sociedade, fizerem jus a este
título, a critério da Diretoria e ratificado em assembléia-geral.
Art. 6º - São direitos:
I - de todos sócios:
a) participar das Assembléias Gerais;
b) fazer proposições, apresentar ideias e sugestões;
c) solicitar, a qualquer tempo, esclarecimentos e informações sobre as
atividades da ANCAE e propor medidas que julgue de interesse para o
aperfeiçoamento da entidade;
d) participar de grupos de trabalhos, estudos, eventos e demais atividades
da ANCAE;
e) desligar-se da associação quando lhe convier; e
f) outros direitos que vier a ser reconhecimento no regimento interno e
compatível com a categoria de sócio.
II - Dos sócios fundadores, efetivos:
a) fazer parte de organismos da entidade - tais como grupos de trabalho,
comissões e núcleos – e receber delegações pela ANCAE, desde que esteja
em dia com suas obrigações estatutárias;
b) votar e ser votado para seus cargos, em Assembléia Geral;
c) apresentar moções, propostas e reivindicações a qualquer dos órgãos da
associação; e
d) outros direitos que vier a ser reconhecimento no regimento interno que
por sua natureza recomende pertencer à esta categoria de sócio.
III - Dos sócios correspondentes: receber delegações da associação para
representá-la perante eventos realizados no respectivo país do qual é
residente bem como perantes os demais órgãos lá instalados; e
IV - Dos sócios benemérito e aspirantes: requerer à qualquer tempo sua
mudança de categoria de sócio imitindo-se nos respectivos direitos e
obrigações.
Art. 7º - São deveres dos sócios:
I - observar e acatar as disposições legais e estatutárias, bem como as
deliberações regularmente tomadas pelas instâncias deliberativas;
II - respeitar os compromissos assumidos para com a associação;
III - manter em dia as suas contribuições financeiras, exceto os sócios
beneméritos e aspirantes; e
IV - contribuir com todos os meios ao seu alcance, para o bom nome e
progresso da associação.
Art. 8º - Os sócios não responderão, solidária nem subsidiariamente, pelas
obrigações ou compromissos assumidos pela ANCAE.

CAPÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO

Seção I - Da Assembléia Geral

Art. 9º - A Assembléia Geral, instância máxima de deliberação, é composta


por todos sócios fundadores, efeitos e correspondentes, quites com suas
obrigações estatutárias.
Parágrafo Único. A Assembléia Geral poderá, respeitada a competência
legal, tomar toda e qualquer decisão que vise resguardar os interesses da
entidade.
Art. 10 - Compete privativamente à Assembléia Geral:
I – eleger, a cada três anos, por voto direto dos sócios quites com suas
obrigações estatutárias, a Diretoria Executiva da ANCAE;
II – nomear o conselho fiscal para analisar e emitir parecer sobre as contas
da entidade;
III – apreciar e votar os relatórios, balanços e contas da Diretoria Executiva
relativos ao exercício do ano anterior;
IV – deliberar sobre propostas de mudança no Estatuto;
V – destituir e substituir o Presidente e qualquer outro membro da Diretoria
Executiva e nomear Comissão Provisória até a eleição ordinária de novos
membros;
VI – decidir sobre a extinção da ANCAE e, neste caso, nomear os
liquidantes e analisar as respectivas contas; e
VII – autorizar a alienação, venda ou permuta de bens imóveis.
§ 1º As deliberações previstas nos incisos IV, V e VI deverão atender ao
quórum mínimo de 2/3 dos sócios quites com suas obrigações estatutárias.
§ 2º Na situação prevista pelo inciso VI, o respectivo patrimônio líquido será
transferido a outra pessoa jurídica, preferencialmente com suas mesmas
finalidades da ANCAE.
Art. 11 - A Assembléia Geral reunir-se-á:
I – ordinariamente, 01 (uma) vez por ano, até o dia 30 (trinta) do mês de
abril de cada ano; e
II – extraordinariamente, sempre que convocada pelo Presidente ou a
requerimento da maioria da Diretoria Executiva ou ainda por no mínimo de
1/5 dos sócios quites com suas obrigações estatutárias.
Parágrafo Único. O quórum de instalação em primeira convocação será o de
maioria absoluta e em segunda convocação com os presentes devendo as
decisões que não houver exigência de quórum qualificado ser tomada pela
maioria.
Art. 12 - A Assembléia Geral será convocada com uma antecedência
mínima de 15 (quinze) dias, ressalvadas as disposições eleitorais e o regime
de urgência, garantida a convocação de todos os sócios.
§ 1º A Assembléia Geral será presidida pelo Presidente ou membro da
Diretoria Executiva, na escala de sucessão prevista neste Estatuto, ou, na
ausência destes, por sócio segundo o critério de aclamação.
§ 2º As decisões serão lavradas em ata devidamente assinada pelos
membros presente da respectiva instância.

Seção II - Do Conselho Consultivo

Art. 13 – Poderá ser constituído por deliberação da Assembléia Geral um


Conselho Consultivo composto de pessoas ilibadas, notórias e reconhecidas
em Assembléia Geral pela importância de suas ações com a competência
para a formulação das políticas públicas da ANCAE e o apoio à consecução
de seus projetos.

Seção III - Da Diretoria Executiva

Art. 14 - A Diretoria Executiva da ANCAE será composta por:


I – Presidente;
II – Secretário; e
III – Tesoureiro;
§ 1º Poderão ser nomeados, extraordinariamente, Diretores Técnicos para
compor a Diretoria, de maneira a suprir eventuais necessidades decorrentes
das linhas de ação do Plano de Trabalho Anual.
§ 2º A Diretoria Executiva contará com uma estrutura técnico-administrativa
e financeira para cumprimento dos objetivos institucionais da ANCAE e
poderá constituir outros cargos temporários necessários à expansão de
suas atividades.
§ 3º No caso de impedimento do Presidente ou vacância deste cargo,
caberá ao Secretário substituí-lo ou sucedê-lo, respectivamente e na ordem
descrita no caput deste artigo as demais substituições e ou sucessões.
§ 4º A Diretoria é eleita a cada três anos por voto da maioria dos sócios
integrantes da assembleia geral, em votação por chapas, facultada a
reeleição de seus membros.
Art. 15 - Compete à Diretoria Executiva:
I - definir políticas e estratégias de atuação da ANCAE e deliberar sobre seu
plano de trabalho;
II - regulamentar os processos disciplinares e administrativos da entidade,
que poderão consolidar-se em regimento interno;
III - implementar a gestão executiva da ANCAE;
IV - examinar convênios, contratos, empréstimos e acordos com outras
instituições públicas ou privadas, nacionais, estrangeiras ou internacionais,
após análise e emissão de parecer por um de seus membros;
V - instaurar auditorias, sindicâncias e processos;
VI – analisar e deliberar sobre atos praticados pelo Presidente da ANCAE;
VII – nomear comissão de ética enquanto não existir conselho de ética;
VIII – receber e deliberar sobre as representações encaminhadas pelos
sócios;
IX – regulamentar as disposições deste estatuto;
X – decidir sobre os casos omissos do presente estatuto;
XI – responsabilizar-se pelos atos e obrigações assumidas em decorrência
do exercício de suas funções; e
XII – apresentar o Relatório, o Balanço e as Contas Anuais ao Conselho
Fiscal e, consecutivamente, à Assembléia Geral ordinária.
Art. 16 - A Diretoria Executiva reunir-se-á a partir de convocação de seu
Presidente ou auto-convocação de seus membros para apreciar pauta
definida.
§ 1º As reuniões serão presididas pelo Presidente ou em sua ausência e ou
impedimento do mesmo, pela ordem descrita no § 3º do artigo 14 do
presente estatuto.
§ 2º As decisões serão tomadas por maioria simples dos votos cabendo ao
Diretor presidente o voto de qualidade em caso de empate.

Seção IV – Das Atribuições

Art. 17 – Compete ao Presidente:


I – representar a ANCAE em juízo ou fora dele, ativa ou passivamente, ou
designar a representação a qualquer um dos membros da entidade;
II – delegar funções ou missões aos membros da Diretoria Executiva ou a
qualquer sócio, que preencham os requisitos para a finalidade delegada;
III – ordenar despesas, autorizar e efetuar pagamentos, em conjunto com o
Tesoureiro;
IV – contratar e movimentar pessoal e serviços necessários ao desempenho
das atividades técnicas e administrativas;
V – assinar os instrumentos de parceria previstos nos incisos e parágrafo
único do artigo 2º;
VI – contrair compromissos, despesas ou obrigações em nome da
Associação e assinar, em conjunto com o Tesoureito, cheques, letras e
quaisquer outros títulos decorrentes destes compromissos;
VII – expedir as ordens e executar as medidas indispensáveis ao
cumprimento das resoluções da Diretoria, das Assembléias Gerais e do
presente estatuto;
VIII – outros atos de interesse da ANCAE e no que exigir pronta solução; e
IX – outras atribuições que venham a ser estabelecidas por resolução da
diretoria.
Parágrafo Único – Para as hipóteses de movimentação bancária será
sempre necessária a assinatura em conjunto do Presidente com o
Tesoureiro.
Art. 18. Compete ao Secretário dirigir a secretaria no tocante ao expediente
e à organização administrativa, secretariar e redigir as atas das reuniões e
substituir o Presidente em suas ausências e impedimentos bem como outras
atividades correlatas.
Art. 19. Compete ao Tesoureiro propor e coordenar a política financeira da
ANCAE e assinar com o Presidente cheques, letras e outros documentos
que impliquem responsabilidade financeira da ANCAE, além de:
I – ter sob sua guarda e responsabilidade o patrimônio físico e financeiro da
ANCAE, livros e documentos contábeis;
II – efetuar pagamentos, depósitos e recebimentos;
III – organizar o balanço financeiro do exercício findo, que, examinado pelo
Conselho Fiscal e aprovado pelo Diretório, deverá ser encaminhado à
Assembléia Geral; e
IV – outras inerentes ao oficios.

Seção V - Do Conselho Fiscal


Art. 20 - O conselho Fiscal será constituído por 3 (três) membros eleitos em
Assembléia Geral, em conformidade com o Art. 10 em seu inciso I, para um
mandato de três anos, com a competência para elaborar e modificar seu
próprio Regimento Interno, discutir, votar relatórios, contas e balanços,
orçamentos da Diretoria Executiva e apresentar o resultado do exame à
Assembléia Geral.

CAPÍTULO IV - DO PATRIMÔNIO E DA RENDA

Art. 21 – O patrimônio da ANCAE será constituído por:


I – contribuições pagas por todos os sócios;
II - doações e/ou legados recebidos de pessoas físicas ou jurídicas de
direito público ou privado, nacionais, estrangeiras ou internacionais;
III – quaisquer bens e direitos que venha a adquirir, além dos rendimentos
gerados por suas atividades e propriedades;
IV – remunerações pelos serviços prestados e licenciamentos de suas
marcas e patentes;
V – rendas ou subvenções públicas;
VI – juros bancários ou receitas eventuais; e
VII – outras que vierem a ser estipuladas.
Parágrafo Único. A alienação de bens ou parcela do patrimônio é
condicionada à aprovação prévia pela Assembléia Geral.
Art. 22 – Todos os recursos obtidos pela ANCAE serão aplicados na
manutenção e no desenvolvimento de suas finalidades.

CAPÍTULO V - DA ADMINISTRAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

Art. 23 – A administração da ANCAE respeitará os princípios da probidade,


legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e
eficiência, de maneira a garantir a boa gestão de seus recursos e coibir a
obtenção, de forma individual ou coletiva, de vantagens indevidas em
decorrência da participação no respectivo processo decisório.
Art. 24 - A gestão administrativa observará as normas de prestação de
contas segundo os princípios fundamentais de contabilidade e das Normas
Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – NBCASP.

CAPÍTULO VI - DA ADMISSÃO E DESLIGAMETO DOS SÓCIOS

Art. 25 - Podem ingressar na condição de sócios, pessoas físicas ou


jurídicas, que concordem com as disposições deste Estatuto e que desejem
contribuir para consecução dos objetivos da Associação.
Parágrafo único. A admissão de novos membros se dará mediante
solicitação à Diretoria, conforme definição do Regimento Interno.
Art. 26 - O desligamento a pedido dar-se-á por solicitação dos associados,
mediante carta dirigida ao Presidente, não podendo ser negado.
Art. 27 - O desligamento será aplicado pela Diretoria, ao membro que
infringir qualquer disposição estatutária depois de prévia advertência por
escrito em processo administrativo competente com a garantia do
contraditório e da ampla defesa.
§ 1º Dessa decisão, o atingido poderá recorrer por escrito à Assembléia
Geral dentro do prazo de 30 dias, contando da data do recebimento da
comunicação de desligamento.
§ 2º O recurso terá efeito suspensivo até decisão proferida pela Assembléia
Geral que ocorrerá no prazo máximo de 60 (sessenta) dias.
Art. 28 - O desligamento será considerado definitivo caso o membro
desligado não tiver recorrido da penalidade no prazo previsto no parágrafo
1º, do artigo 25.

CAPÍTULO VII - DO PROCESSO ELEITORAL

Art. 29 - O Presidente fará afixar na sede da Associação e enviar aos seus


membros, com antecedência mínima de 45 (quinze) dias, os competentes
editais de convocação, especificando a natureza das eleições, o local, data
e hora da realização dos pleitos e inscrições de chapas.
Art. 30 - Com a antecedência mínima de 15 (sessenta) dias a Diretoria
instituirá uma Comissão Eleitoral com a finalidade de:
I. Elaborar as instruções gerais das eleições;
II. Elaborar os modelos das cédulas;
III. Organizar as mesas receptoras e juntas apuradoras;
IV. Controlar a votação;
V. Apurar os votos;
VI. Afixar os resultados dos pleitos;
VII. Providenciar os Registros dos Documentos inerentes a Eleição, bem
como o Registro da Ata da Assembléia Geral de Eleição da Diretoria e do
Conselho Fiscal.
Art. 31 - A Comissão Eleitoral será composta de 3 (três) membros Efetivos,
não ocupantes de cargos eletivos ou candidatos do pleito e em pleno gozo
de seus direitos estatutários.
Art. 32 - Concluídos os trabalhos do pleito e entregue todos os documentos
e materiais utilizados à Diretoria, inclusive os documentos inerentes ao
Registro da Ata da Assembléia Geral de Eleição da Diretoria e do Conselho
Fiscal, a Comissão Eleitoral será dissolvida automaticamente sem maiores
formalidades.

CAPÍTULO VIII - DOS LIVROS

Art. 33 - A Associação deverá ter:


I – Livro de Atas de reunião da Assembléia Geral;
II – Livro de Atas de reunião da Diretoria; e
III – Outros livros exigidos pela lei, estatuto e/ou regimento interno.

CAPÍTULO IX - DA DISSOLVIÇÃO

Art. 34 - A Associação será dissolvida por decisão em Assembléia Geral


Extraordinária, expressamente convocada para este fim, observando o
disposto no inciso VI do artigo 10, deste Estatuto.
Art. 35 - Em caso de dissolução e liquidados os compromissos assumidos, a
parte remanescente do patrimônio não poderá ser distribuída entre os
membros, sendo destinado a Entidade congênere, legalmente constituída,
para ser aplicada nas mesmas finalidades da Associação dissolvida.

CAPÍTULO X - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 36 - É permitida a remuneração dos cargos da Diretoria e do Conselho


Fiscal, desde que a ANCAE disponha de capacidade financeira para tanto e
não fique com suas atividades e finalidades inviabilizadas.
Art. 37 - A Entidade não distribuirá dividendos de espécie alguma, nem
qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas a título de lucro ou
participação no seu resultado, aplicando integralmente o "superávit"
eventualmente verificado em seus exercícios financeiros, no sustento de
suas obras e atividades, e no desenvolvimento de suas finalidades sociais.
Art. 38 - A Entidade aplicará integralmente suas rendas, recursos e eventual
resultado operacional na manutenção e desenvolvimento dos objetivos
institucionais no território nacional.
Art. 39 - O presente Estatuto entra em vigor na data de sua aprovação em
Assembléia Geral Extraordinária, convocada expressamente para este fim e
cumpridas as prescrições legais.
Art. 40 - Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria, com recurso
voluntário para a Assembléia Geral que deve ser apresentado no prazo de
10 (dez) dias.