Anda di halaman 1dari 125

DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL

teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

AULA 05
ATOS PROCESSUAIS

Sumário
1 - Considerações Iniciais ................................................................................................. 3
2 - Teoria dos Atos Jurídicos Processuais ............................................................................ 3
3 - Negócio Jurídico Processual ......................................................................................... 4
4 - Calendário Procedimental ............................................................................................ 8
5 - Forma dos Atos processuais....................................................................................... 10
5.1 - Introdução ........................................................................................................ 10
5.2 - Atos das Partes .................................................................................................. 15
5.3 - Pronunciamentos do Juiz ..................................................................................... 17
5.4 - Atos do Escrivão ou do Chefe de Secretaria ........................................................... 22
6 - Tempo dos Atos Processuais ...................................................................................... 25
7 - Lugar dos Atos Processuais........................................................................................ 30
8 - Prazos .................................................................................................................... 31
8.1 - Introdução ........................................................................................................ 31
8.2 - Classificação ...................................................................................................... 32
8.3 - Prazo subsidiário e prazo para comparecimento ..................................................... 34
8.4 - Ato processual prematuro ................................................................................... 35
8.5 - Contagem dos prazos ......................................................................................... 36
8.6 - Renúncia do prazo .............................................................................................. 45
8.7 - Prazos do Juiz .................................................................................................... 46
8.8 - Prazos dos servidores ......................................................................................... 47
8.9 - Prazos em caso de litisconsórcio .......................................................................... 47
8.10 - Verificação dos Prazos e das Penalidades ............................................................. 48
9 - Preclusão ................................................................................................................ 50
10 – Questões .............................................................................................................. 53
10.1 - Questões sem Comentários ............................................................................... 53
10.2 - Gabarito .......................................................................................................... 72

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

10.3 - Questões com Comentários ............................................................................... 73


10.4 - Lista de Questões de Aula ............................................................................... 113
11 - Destaques da Legislação ....................................................................................... 116
12 - Súmula e jurisprudência correlatos ......................................................................... 118
13 - Resumo ............................................................................................................... 119
14 - Considerações Finais ............................................................................................ 124

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

ATOS PROCESSUAIS
1 - Considerações Iniciais
Na aula de hoje vamos estudar a parte relativa aos “atos processuais”. Não
concluiremos todo o conteúdo na aula de hoje, pois o tema de comunicação dos
atos processuais é muito extenso.
Serão abordados os assuntos que envolvem os arts. 188 a 235 do NCPC. Veremos
a forma dos atos processuais, que se dividem em três assuntos: negócio jurídico
processual, calendarização processual e prática eletrônica dos atos processuais.
Desses três assuntos, os dois primeiros são novidades do NCPC, o que requer
especial atenção. Quanto à prática eletrônica dos atos processuais, não
analisaremos a temática agora, pois o assunto será objeto de tópico futuro,
quando estudarmos a Lei nº 11.416/2006.
Vamos tratar, ainda, do tempo, do lugar e dos prazos dos atos processuais,
assuntos frequentes em provas.
Para começar, entretanto, vamos trazer algumas noções doutrinárias.
Vamos lá, então?!
Boa aula a todos.

2 - Teoria dos Atos Jurídicos Processuais


Nesse momento vamos explorar, com objetividade, algumas noções acerca da
teoria dos fatos jurídicos processuais.
O processo constitui um encadeamento de atos que são organizados para se
chegar à decisão final. Esses atos encadeados são os atos processuais, que são
praticados em ordem de acordo com as regras do procedimento.
De acordo com Fredie Didier Jr.1:
“ato processual é todo aquele comportamento humano volitivo que é apto a produzir efeitos
jurídicos num processo, atual ou futuro”. Assim, ao contestar, a parte pratica um ato
processual, pois gera efeitos em um processo. Ao despachar, o juiz pratica um ato
processual, pois gera efeitos no processo. Ao juntar e certificar a juntada de documentos
nos autos, o servidor pratica atos processuais, pois gera efeitos no processo.

Os atos jurídicos processuais assumem diversas classificações.


Temos os atos jurídicos processuais em sentido estrito que envolvem os atos
processuais que conhecemos, tais como a citação, a contestação, a juntada de
documentos, o testemunho etc.
Temos atos-fatos processuais que independem de qualquer manifestação de
vontade, mas que trazem consequências para o mundo jurídico, como é o caso
da revelia, decorrente não da manifestação, mas da omissão da parte.

1
JR. DIDIER, Fredie. Curso de Direito Processual Civil, Volume 1, 18ª edição, rev., ampl. e
atual, Bahia: Editora JusPodvim, 2016, p. 380.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

seja, dentro da margem concedida pelas regras de competência relativa, fixam a


competência do juiz. Essa cláusula tem validade independente de qualquer
homologação judicial, embora o magistrado possa efetuar o controle de
legalidade desse ato.
De acordo com o parágrafo único do art. 190 – acima citado - o juiz deverá, de
ofício ou a requerimento das partes, controlar a validade desses negócios
(“dessas convenções”), devendo recusá-las, em duas situações:
 cláusula de adesão abusiva; e
 se a parte que negociou estiver em situação de vulnerabilidade.

Com o NCPC, a possibilidade de elaboração de negócios jurídicos processuais é


ampla. Vejamos outros exemplos:
 definição do mediador ou do conciliador pelas partes;
 suspensão do processo por convenção das partes;
 fixação da arbitragem como forma de solução de impasses referentes a determinados
contratos;
 acordo para adiar o julgamento do processo; e
 convenção entre litisconsortes para estipular o tempo das alegações finais orais.

Esses são apenas alguns dos exemplos de negócios


jurídicos processuais que podemos citar.
Então, vamos avançar um pouco mais. O art. 190, do
NCPC, estabelece uma “cláusula geral”.
As cláusulas gerais são normas com diretrizes indeterminadas, que não
trazem expressamente uma solução jurídica (consequência). A norma é
inteiramente aberta. Uma cláusula geral, em outras palavras, é um texto
normativo que não estabelece, a priori, o significado do termo (pressuposto),
tampouco as consequências jurídicas da norma (consequente). Sua ideia é
estabelecer uma pauta de valores a ser preenchida de acordo com as
contingências históricas.
Segundo a doutrina3:
O CPC/2015, de modo inovador e sem equivalente exato em direito comparado, rompe a
dogmática até então reinante, e, mediante uma cláusula geral de negócio jurídico
processual, passa a admitir que a vontade das partes, por meio de negócios jurídicos
processuais bilaterais atípicos (não disciplinados casuisticamente em lei), tenha impacto no
procedimento e na relação jurídica processual estabelecida em lei.

O art. 190 estabelece alguns requisitos para que o negócio seja firmado
validamente:
 possuir partes plenamente capazes; e
 versar sobre direitos que permitam a autocomposição, vale dizer, apenas poderá
envolver direitos disponíveis.

3
GAJARDONI, Fernando da Fonseca. Teoria Geral do Processo: Comentários ao CPC de 2015
– parte geral. São Paulo: Editora Forense: 2015, p. 1816.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

(Prefeitura de Salvador-BA/Procurador/2015 – adaptada)


Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
As partes poderão realizar negócio jurídico processual referente à dilação do prazo para
recorrer, caso o processo judicial tenha como objeto direito disponível.

Para nós, a assertiva estaria correta à luz do NCPC. No CPC73, havia expressa
vedação à parte para dispor sobre prazo processual peremptório, reduzindo-o ou
ampliando-o, por exemplo.
Com a cláusula geral que viabiliza a utilização dos negócios jurídicos processuais
e, também, com a previsão da calendarização dos atos processuais, a doutrina
defende que as partes podem dispor de todos os prazos processuais, inclusive
sobre o prazo para recorrer, para renunciar, para reduzi-lo ou para ampliá-lo.
(Prefeitura de Salvador-BA/Procurador/2015 – adaptada)
Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
É vedada às partes, depois de iniciado o processo, a realização de negócio jurídico
processual sobre a distribuição do ônus da prova no processo civil.

A assertiva está incorreta, pois a realização do negócio judiciário pode ser prévio
ou durante o curso do processo.

4 - Calendário Procedimental
Outro instituto novo que temos no NCPC é a denominada calendarização
processual. Veja o que nos diz a doutrina6:
Como técnica processual voltada para a gestão eficiente do tempo no processo (arts. 4ºa
8º, CPC), o novo Código prevê a possibilidade de calendarização do procedimento. Vale
dizer: o juiz e as partes, em regime de diálogo, podem acertar datas para a realização dos
atos processuais.

As partes podem, portanto, fixar um calendário para a prática de atos


processuais, proporcionando mais agilidade na condução do processo e economia
de tempo, isso ocorre porque é desnecessária a intimação das partes para a
realização de atos cujas datas estejam definidas no calendário. O resultado dessa
prática será reduzir o trabalho burocrático no cartório e eliminar o tempo morto
do processo.
Trata-se de uma espécie típica de negócio jurídico processual.

6
MARINONI, Luiz Guilherme. Novo Código de Processo Civil Comentado. 2ª edição, rev.,
atual. e ampl., São Paulo: Editora Revista dos Tribunais: 2016, 310.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

OBSERVAÇÃO: separação de corpos é espécie de tutela judicial que tem por


finalidade determinar o afastamento de um dos cônjuges do domicílio do casal.
(iii) Nos incs. X e XII, do art. 5º, da CF, temos a disciplina das inviolabilidades,
que tem por finalidade proteger a intimidade e a vida privada. Se violados,
confere-se à pessoa o direito de pleitear indenização por danos materiais e morais
causados.
Por exemplo, publicidade de processo que visa indenizar a vítima que teve fotos
íntimas veiculadas na internet.
Esse é apenas um exemplo. Vários outros podem ser citados, como:
 compartilhamento de interceptações telefônicas havidas no âmbito criminal no processo
civil;
 quebra de sigilo bancário e fiscal das partes em cumprimento de sentença ou execução;
e
 preservação de dados comerciais/estratégicos de empresas em processos judiciais.

(iv) Se as partes estipularem cláusula de que a arbitragem correrá em segredo


de justiça, atos judiciais que envolvam a arbitragem também terão procedimento
reservado.
Sobre o assunto, ensina a doutrina7:
A Lei nº 9.307/1996, que trata da arbitragem no Brasil, não impõe a confidencialidade como
característica ou condição do processo arbitral. No entanto, sendo o sigilo uma das
vantagens ordinariamente apontadas do uso da arbitragem, é absolutamente comum que
as partes, na convenção de arbitragem, estabeleçam ou aceitem a confidencialidade. A fim
de preservar a vontade das partes e a discrição por elas desejada, corretamente o CPC/2015
estabelece o segredo de justiça nas causas que versem sobre arbitragem, inclusive sobre
cumprimento de carta arbitral.

Por exemplo, execução de sentença arbitral que contenha cláusula de


confidencialidade, deve tramitar em segredo de justiça. Para tanto, quando a
parte ajuizar a execução deverá requerer que o processo tramite em segredo de
justiça, comprovando a existência da cláusula em Juízo.
Uma vez definido que o processo tramitará em segredo de justiça, o acesso aos
autos e o direito de requerer certidões será limitado. De acordo com o §1º, do
art. 191, apenas as partes e os respectivos procuradores poderão acessar as
informações constantes dos autos e requerer certidões.
Veja:
§ 1o O direito de consultar os autos de processo que tramite em segredo de justiça e de
pedir certidões de seus atos é restrito às partes e aos seus procuradores.

O terceiro juridicamente interessado terá acesso tão somente ao dispositivo da


sentença ou do inventário e da partilha, se for o caso, na hipótese de o processo
tramitar em segredo de justiça. Confira:

7
GAJARDONI, Fernando da Fonseca. Teoria Geral do Processo: Comentários ao CPC de 2015
– parte geral. São Paulo: Editora Forense: 2015, p. 1801.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 13 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 192. Em todos os atos e termos do processo é obrigatório o uso da língua


portuguesa.
Parágrafo único. O documento redigido em língua estrangeira somente poderá ser juntado
aos autos quando acompanhado de versão para a língua portuguesa tramitada por via
diplomática ou pela autoridade central, ou firmada por tradutor juramentado.

Confira como o assunto é cobrado em prova:

(TJ-CE/Juiz/2014 – adaptada ao NCPC)


Examine o enunciado seguinte e julgue-o:
Para ser anexado aos autos, o documento redigido em língua estrangeira deverá ser
acompanhado de versão em vernáculo, firmada por tradutor juramentado ou cuja
autenticação da tradução, se realizada sem tradutor oficial, seja assegurada pelo advogado
da parte.

A assertiva está incorreta. Importante essa questão para esclarecer um detalhe:


Não há impedimento para que documentos escritos em língua estrangeira sejam
juntados aos Autos. Contudo, para que esses documentos sejam acostados, eles
devem ser traduzidos para a língua portuguesa, em face do que prevê o art. 192,
caput, do NCP.
Quanto à tradução, devemos estar atentos, pois ela poderá ser realizada de três
modos:
 versão portuguesa tramitada por via diplomática. Quando o órgão do Ministério das
Relações Exteriores faz a tradução do documento.
 versão portuguesa tramitada pela autoridade central, que é recurso do auxílio direto,
previsto nos arts. 28 e seguintes do NCPC.
 tradução juramentada, que é a hipótese da questão acima.

OBSERVAÇÃO: não vamos abordar, nesta aula, os arts. 193 a 199, pois envolvem
assuntos referentes à prática eletrônica dos atos processuais que, didaticamente,
é melhor acomodado com o estudo da Lei nº 11.419/2006.
Sigamos!

5.2 - Atos das Partes


Em relação aos atos praticados pelas partes, o NCPC reserva tão somente dois
dispositivos. As partes, entretanto, praticam inúmeros atos no processo. Elas
podem contestar a ação, confessar o pedido, transacionar com a outra parte a
solução da causa de forma antecipada etc.
Alguns desses atos a parte praticará sozinha (atos unilaterais), outros praticará
em comum acordo com outras partes processuais (atos bilaterais).
De todo modo, uma vez praticado, o ato surtirá efeitos. Essa produção imediata
de efeitos, quanto ao ato praticado pela parte, está disciplinada expressamente
no art. 200, do NCPC:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 15 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 200. Os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de


vontade produzem imediatamente a constituição, modificação ou extinção de direitos
processuais.
Parágrafo único. A desistência da ação só produzirá efeitos após homologação judicial.

A produção imediata de efeitos é a regra, pois, na hipótese do parágrafo único


acima citado, é necessária a homologação judicial para que o ato produza efeitos.
Assim, seu raciocínio deve ser estabelecido da seguinte forma: não se exige
homologação dos atos das partes para que produzam efeitos jurídico
processuais, com exceção da desistência da ação.
O fato de não se exigir, em regra, a homologação, não significa que o magistrado
não poderá controlar a legalidade dos atos processuais praticados. Cabe ao
magistrado, quando em contato com os atos processuais praticados pela parte,
avaliar a regularidade.
Confira como o assunto é cobrado em prova:

(Prefeitura de Salvador - BA/Procurador/2015 – adaptada)


Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
Qualquer negócio jurídico processual deverá ser homologado pelo juiz para que seja
considerado válido e produza seus efeitos regulares.

A assertiva está incorreta, pois o magistrado, embora efetue o controle de


legalidade sobre os negócios jurídicos processuais, não traz previsão de prévia
homologação para produção de efeitos.
Lembre-se do exemplo da cláusula de eleição de foro. Ela produz efeitos
independentemente de homologação judicial, embora possa ser declarada nula
pelo Judiciário.
(TJ-CE/Juiz/2014 – adaptada ao NCPC)
Examine o enunciado seguinte e julgue-o:
Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de vontade,
produzem desde logo a constituição, a modificação ou a extinção de direitos processuais.

Está correta a assertiva, que revela o efeito imediato dos atos processuais
praticados pelas partes, de modo que produzem efeitos no processo
independentemente de qualquer homologação judicial.
Sigamos!
Uma vez praticado o ato processual, a parte poderá exigir recibo da prática. Isso
porque uma vez praticado o ato, decorrem duas consequências:
1ª CONSEQUÊNCIA: a irretratabilidade, uma vez que os efeitos são imediatos; e

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 16 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

E se pôr fim à fase de conhecimento? Se a decisão pôr fim à fase de


conhecimento será chamada de sentença, conforme analisado acima!
Confira:
§ 2o DECISÃO INTERLOCUTÓRIA é todo pronunciamento judicial de natureza decisória
que não se enquadre no § 1o.

O despacho, por sua vez, é ato praticado pelo juiz sem cunho decisório. São
atos que tem por finalidade tão somente impulsionar o processo, denominados
atos de mero expediente. Por não conter conteúdo decisório, os despachos são
irrecorríveis.
§ 3o São DESPACHOS todos os demais pronunciamentos do juiz praticados no processo,
de ofício ou a requerimento da parte.

Pergunta-se:
A Constituição não prevê no inc. XIV, do art. 93, que os servidores
receberão delegação para a prática de atos de administração e atos de
mero expediente? Portanto, o juiz poderá delegar ao servidor a prática
de despachos?
NÃO! Na realidade, tudo o que disser respeito a atos do juiz sem caráter decisório
será denominado de despacho. Alguns desses atos, entretanto, envolvem
situações expressamente previstas na legislação ou, até mesmo, em provimentos
de corregedorias ou portarias judiciais. Quando isso ocorrer, ao invés de o
magistrado praticar esse ato, como forma de otimizar e de racionalizar a
prestação da atividade jurisdicional, ele será efetuado pelo servidor, por previsão
legal ou por delegação do magistrado. Nesse caso, eles serão denominados de
atos ordinários. Veja:
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
INDEPENDEM DE DESPACHO, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos
pelo juiz quando necessário.

Para facilitar a compreensão...


Vamos pensar em um processo físico. Quando a parte protocoliza em cartório
uma petição para ser juntada no processo, é desnecessário despacho do juiz
determinando a juntada (o famoso “Junte-se”). O próprio servidor poderá juntar
aos autos a via da petição protocolada e enviar concluso o processo ao
magistrado para que ele decida qual o andamento (leia-se o impulsionamento) a
ser dado. Da análise dessa petição, o juiz poderá despachar que a parte seja
intimada para se manifestar no prazo de 5 dias. Esse pronunciamento do juiz
será um despacho.
Portanto...

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 19 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 Caso não seja possível concluir o ato processual até as 20 horas, ele deverá
ser continuado em outro dia útil, dentro do horário previsto.
Contudo, há possibilidade de que seja concluído no mesmo dia, após as 20
horas, se:
 prejudicar a diligência; ou
 causar grave dano.
Confira:
§ 1o Serão concluídos APÓS as 20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o
adiamento prejudicar a diligência ou causar grave dano.

Por exemplo, se a audiência envolver a oitiva de testemunhas e não forem todas


ouvidas e, entre elas, restar uma testemunha que esteja com viagem marcada
para residir de forma definitiva no exterior e essa testemunha for fundamental
ao deslinde do processo, a fim de evitar grave dano e até mesmo prejudicar a
produção da prova, admite-se, excepcionalmente, a continuação da audiência
para além das 20 horas.
 Considera-se dia útil, exceto se coincidir com feriado, de segunda a sexta-
feira. Importante registrar que, conforme veremos no art. 216, do NCPC, sábado
e domingo são considerados feriados para fins forenses. Isso é importante, pois,
em regra, o sábado é dia útil, em termos técnicos. Contudo, à luz do NCPC,
devemos considerá-los como feriados. Isso fará toda diferença quando
estudarmos os prazos processuais.
 Citações, intimações e penhoras podem ser realizadas fora do horário e,
inclusive, em dias não úteis.
Confira:
§ 2o Independentemente de autorização judicial, as citações, intimações e penhoras
poderão realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e nos feriados ou dias
úteis fora do horário estabelecido neste artigo, observado o disposto no art. 5o, inciso XI,
da Constituição Federal.

Quando, para prática do ato, for necessário o protocolo físico perante o órgão
judiciário, deve ser observado o horário de funcionamento do fórum, de acordo
com as normas de organização judiciária.
§ 3o Quando o ato tiver de ser praticado por meio de petição em autos não eletrônicos, essa
deverá ser protocolada no horário de funcionamento do fórum ou tribunal, conforme o
disposto na lei de organização judiciária local.

Esse dispositivo não se aplica aos casos em que o envio da peça pode ser feito
exclusivamente por meio eletrônico. Agora, se houver protocolo de documento
físico, aplica-se o §3º.
Vamos trazer um exemplo: a parte, para apresentar a contestação em processo
eletrônico, necessita juntar aos autos algumas mídias com gravações. Essas
gravações irão compor os Autos do processo e devem ser entregues fisicamente
perante o órgão judiciário. Nesse caso, a defesa poderia juntar a contestação até
o final do dia, contudo, o documento físico deve ser depositado em cartório até o
horário de fechamento da unidade judiciária.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 26 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A assertiva está incorreta, pois a parte terá restituído a parcela do prazo que foi
obstaculizado pela outra parte, não o prazo todo.
Sigamos!
 em razão de deferência: algumas autoridades devem ser intimadas no local
onde exercem sua função. Nesse caso, há possibilidade de que o ato seja
praticado fora da sede do Juízo, caso a autoridade exerça a função em outro local.
Essas autoridades estão arroladas nos incs. do art. 454, do NCPC. Para que
compreendamos, vamos citar alguns exemplos. Entre as autoridades
mencionadas estão: o presidente e o vice-presidente da República, os ministros
de Estado, o procurador-geral da República e os conselheiros do Conselho
Nacional do Ministério Público, os senadores e os deputados federais, o prefeito,
entre outros.
 em razão do interesse da justiça: aqui temos englobadas situações nas
quais, se verificadas no contexto dos autos, tornam necessária a produção da
prova fora da sede do Juízo. É uma hipótese aberta que será decidida à luz do
caso concreto.
Por exemplo, inspeção judicial de determinado imóvel. Trata-se de ato que é
praticado fora da sede, necessariamente.
 em razão da natureza do ato: são atos que, em razão da sua essência, são
realizados fora da sede do Juízo.
Por exemplo, intimação por oficial de justiça, constrição de bens, entre outros.
 em razão de obstáculo arguido pelo interessado e acolhido pelo juiz:
são situações em que a parte interessada, na prática do ato processual que,
ordinariamente, ocorreria perante a sede do Juízo, não tem condições de fazê-lo
em face de algum obstáculo apresentado.
Por exemplo, oitiva de testemunha que se encontra enferma, de modo que não
possa se deslocar.
Com isso, finalizamos mais uma parte do conteúdo teórico.

8 - Prazos
8.1 - Introdução
Nesse tópico, vamos explorar os prazos processuais. Esse é um dos assuntos que
possui grande probabilidade de estar presente na sua prova. Em razão disso,
redobre a atenção.
Vamos começar com um conceito doutrinário9:

9
MARINONI, Luiz Guilherme, ARENHART, Sérgio Cruz e MITIDIERO, Daniel. Código de Processo
Civil Comentado, 2ª edição, rev., atual e ampl., São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2016,
p. 322.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 31 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Os prazos comuns são aqueles destinados a ambas as partes (autor e réu); os


prazos particulares são aqueles destinados apenas ao autor ou apenas ao réu.
Pergunta-se:
E a classificação entre prazos dilatórios e peremptórios? Tal classificação
não faz mais sentido no NCPC.
No CPC73, essa distinção estabelecia, em síntese, a possibilidade de o magistrado
flexibilizar alguns prazos legais. No NCPC, os prazos observam a regra da
alterabilidade, de modo que todos os prazos podem ser alterados.
O art. 139, VI, do NCPC, estabelece que o magistrado, na condução do processo,
poderá “dilatar os prazos processuais”. Além disso, conforme estudado no art.
190, as partes podem fixar negócio jurídico processual adaptando os prazos às
especificidades do caso segundo a conveniência das partes.
Para arrematar, veja o que conclui a doutrina10:
Atendidos os seus pressupostos, todos os prazos legais são suscetíveis de alteração no novo
Código (arts. 139, VI, 189, 190 e 222, §1º, CPC). Daí que a velha dicotomia prazos
peremptórios e prazos dilatórios perdeu grande parte de sua importância.

Confira como o assunto é cobrado em prova:

(TRT2ºR-SP/TRT2ªR-SP – Juiz do Trabalho Substituto – 2015 – adaptada ao


NCPC)
À luz da legislação vigente, analise as seguintes proposições:
As partes, de comum acordo, poderão reduzir ou prorrogar prazos; essa convenção tem
eficácia mesmo quando requerida após o vencimento do prazo, entretanto, desde que
fundada em motivo legítimo.

A assertiva está incorreta, pois apenas a consumação do prazo não é mais


possível dilatar, ainda que seja por convenção das partes. A dilatação de prazo
deve ocorrer antes de iniciado (em regra, pela calendarização) ou durante o curso
(com requerimento nos autos). Uma vez exaurido o prazo, não é mais possível
dilatá-lo.
Sigamos!

8.3 - Prazo subsidiário e prazo para comparecimento


Em regra, as intimações destinadas às partes contêm prazos explicitamente
fixados, seja pela lei, pelo magistrado e, inclusive, pelas partes. Há situações
excepcionais, contudo, com intimações para a prática de determinados atos sem
a explicitação de prazo. Nesse caso, a parte poderá praticá-lo quando quiser?

10
MARINONI, Luiz Guilherme, ARENHART, Sérgio Cruz e MITIDIERO, Daniel. Código de
Processo Civil Comentado, 2ª edição, rev., atual e ampl., São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais, 2016, p. 322.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 34 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Entre a fixação judicial e a efetiva intimação podem se passar dias, às vezes,


semanas. É possível que o advogado da parte, por exemplo, decida consultar os
autos e se depare com a determinação judicial, da qual ainda não foi intimado.
Caso o advogado decida praticar o ato antes da intimação, ele será
válido? É justamente disso que tratamos aqui!
Sempre houve muita discussão na doutrina, e também na jurisprudência, acerca
da possibilidade da prática do ato processual prematuro ou extemporâneo. No
caso do exemplo acima, a parte nem mesmo fora intimada, logo, não há termo
inicial (dies a quo), nesse caso, o prazo de 5 dias nem sequer começou a correr.
Em face disso, a jurisprudência tinha manifestações no sentido de que a prática
extemporânea do ato era inválida porque o prazo não existia.
Esse era o entendimento do STJ (que constava da Súmula STJ 418) e do TST.
Com o NCPC, tivemos uma modificação importante no tratamento desse tema. A
partir do NCPC, o ato processual prematuro é tempestivo. Se o advogado
pretender “adiantar” o seu trabalho e, desde logo praticar o ato processual para
o qual ainda não foi intimado, ele poderá fazê-lo. É o que nos diz o art. 218, §4º,
do NCPC. Leia com atenção:
4o Será considerado tempestivo o ato praticado antes do termo inicial do prazo.

E as novidades em relação aos prazos no NCPC não param por aí...

8.5 - Contagem dos prazos


Uma das grandes alterações processuais que tivemos
envolve a contagem dos prazos processuais. Aqui,
devemos ir com calma!
Para compreender bem o assunto, vamos, inicialmente, estudar alguns conceitos.
O termo inicial (dies a quo) do prazo é o momento que marca a existência do
prazo. Isso não significa que, no momento em que há ocorrência do termo, o
prazo começa a contar. O termo inicial marca tão somente a existência (a fluência
do prazo).
O termo final (dies ad quem) marca o fim da existência do prazo. Aqui, ao
contrário do termo inicial, o momento final da contagem coincide com o termo
final. Enfim, então, como se dá a contagem do prazo?
A primeira informação, seguindo a ordem de dispositivos do NCPC, é a que consta
no art. 219, o qual estabelece que os prazos são contados apenas de segunda a
sexta-feira. Confira:
Art. 219. Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz, computar-
se-ão SOMENTE OS DIAS ÚTEIS.
Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se somente aos prazos processuais.

Assim, não são levados em consideração, para fins de contagem dos prazos
processuais, os sábados, os domingos e os dias em que não haja expediente
forense, tal como os feriados.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 36 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

determinado documento juntado, mas efetua a entrega apenas cinco dias depois,
o prazo sucessivo de manifestação irá começar somente após a obstrução.
Na hipótese do parágrafo único, há possibilidade de suspensão dos prazos quando
o Poder Judiciário formaliza programas para autocomposição. São as conhecidas
“Semanas de Conciliação”. Nesses períodos, haverá a suspensão dos prazos para
que todos os sujeitos envolvidos no processo – notadamente magistrados,
servidores, membros do Ministério Público – possam voltar-se para o programa.
No art. 222, do NCPC, há mais uma hipótese de suspensão do prazo processual,
dessa vez pela prorrogação. Prevê o Código que, em unidades judiciais em que
for difícil o transporte, o magistrado poderá prorrogar os prazos pelo período de
até dois meses. Também poderá fazê-lo em caso de calamidade pública.
É importante deixar claro que, na hipótese de calamidade pública – tal como uma
enchente –, a prorrogação do prazo poderá ocorrer mesmo em cidades de fácil
locomoção. Nesse caso, o evento de força maior justifica a prorrogação do prazo
que poderá, inclusive, ser superior a dois meses.
Veja:
Art. 222. Na comarca, seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz
poderá prorrogar os prazos por ATÉ 2 (DOIS) MESES.
§ 1o Ao juiz é VEDADO reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
§ 2o Havendo calamidade pública, o limite previsto no caput para prorrogação de
prazos poderá ser excedido.

O art. 223, do NCPC, trata do efeito decorrente do término do prazo. Assim,


terminado o prazo, extingue-se o direito da parte de praticar o ato de emendá-
lo, a não ser que a parte consiga provar que não praticou o ato por justa causa.
A justa causa, aqui, é compreendida tecnicamente como um conceito jurídico
indeterminado, que engloba eventos alheios à vontade da parte que a impediram
de praticar o ato processual. Por exemplo, deflagração de movimento grevista
dos servidores que impeça a entrega de determinado documento físico em
cartório.
Confira:
Art. 223. Decorrido o prazo, extingue-se o direito de praticar ou de emendar o ato
processual, independentemente de declaração judicial, ficando assegurado, porém, à
parte provar que não o realizou por justa causa.
§ 1o Considera-se justa causa o evento alheio à vontade da parte e que a impediu de
praticar o ato por si ou por mandatário.
§ 2o Verificada a justa causa, o juiz permitirá à parte a prática do ato no prazo que lhe
assinar.

Reunindo as principais informações a respeito da contagem do prazo até


agora...

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 40 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

(MPE-SP/Oficial de Promotoria I/2016 – adaptada ao NCPC)


Jaqueline foi intimada para aditar sua petição inicial em 10 dias, sob pena de extinção do
processo. Diante dessa hipótese, julgue:
Se o prazo fatal para cumprir tal determinação recair em um feriado, Jaqueline deverá
realizar tal ato no dia útil anterior a essa data.

Se o prazo fatal para cumprir tal determinação recair em um feriado, Jaqueline


deverá realizar tal ato no dia útil posterior a essa data. Está, portanto, incorreta
a assertiva.
Sigamos!
Nos §§, do art. 224, temos algumas regras específicas importantes.
Se o dia que inicia o prazo recair em dia em que o expediente seja encerrado
antes, ou tenha se iniciado após, ou até mesmo quando ocorrer indisponibilidade
no sistema eletrônico de comunicação processual, considera-se que o prazo
começou no primeiro dia útil seguinte. Veja:
§ 1o Os dias do começo e do vencimento do prazo serão protraídos para o primeiro dia útil
seguinte, se coincidirem com dia em que o expediente forense for encerrado antes ou
iniciado depois da hora normal ou houver indisponibilidade da comunicação eletrônica.

No caso específico do processo eletrônico, considera-se o início do prazo, ou seja,


a sua fluência, no dia útil seguinte ao da disponibilização.
§ 2o Considera-se como data de publicação o primeiro dia útil seguinte ao da
disponibilização da informação no Diário da Justiça eletrônico.

Por fim, como observado no exemplo acima, fluência (ou existência do prazo)
não se confunde com a data em que o prazo começa a correr, isso porque
devemos excluir o dia do começo. Assim, a contagem do prazo tem início no
primeiro dia útil que se seguir àquele em que for publicado.
§ 3o A contagem do prazo terá início no primeiro dia útil que seguir ao da publicação.

No exemplo acima, o dia 24 é o considerado como o dia da publicação. Portanto,


esse dia deve ser desconsiderado e os três dias do prazo são contados apenas
nos dias 25 a 27.
Portanto, uma coisa é a intimação, que revela o momento em que o prazo passa
a existir. Outra coisa é o momento em que o prazo irá correr.
Confira como o assunto é cobrado em prova:

(MPE-SP/Oficial de Promotoria I/2016 – adaptada ao NCPC)


Jaqueline foi intimada para aditar sua petição inicial em 10 dias, sob pena de extinção do
processo. Diante dessa hipótese, julgue:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 42 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Veja:
Art. 229. Os litisconsortes que tiverem diferentes procuradores, de escritórios de
advocacia distintos, terão PRAZOS CONTADOS EM DOBRO para todas as suas
manifestações, em qualquer juízo ou tribunal, independentemente de
requerimento.
§ 1o Cessa a contagem do prazo em dobro se, havendo apenas 2 (dois) réus, é oferecida
defesa por apenas um deles.
§ 2o Não se aplica o disposto no caput aos processos em autos eletrônicos.

Confira como o assunto é cobrado em prova:

(TJ-DF – Juiz – 2016 – adaptada ao NCPC)


Acerca dos temas resposta do réu, prazos e litisconsórcio, julgue, de acordo com a legislação
aplicável e a jurisprudência dominante do STJ.
A prerrogativa de prazo em dobro para recorrer, de que trata o artigo 229, do NCPC,
somente se aplica quando os litisconsortes com procuradores distintos de escritórios
diferentes. Tal prerrogativa aplica-se a todas as suas manifestações, em qualquer juízo ou
tribunal, independentemente de requerimento.

A assertiva está correta, por retratar justamente o art. 229, caput, do NCPC.
Sigamos!
Para encerrar o tópico, leia com atenção o art. 232, do NCPC:
Art. 232. Nos atos de comunicação por carta precatória, rogatória ou de ordem, a realização
da citação ou da intimação será imediatamente informada, por meio eletrônico, pelo juiz
deprecado ao juiz deprecante.

8.10 - Verificação dos Prazos e das Penalidades


O excesso de prazo poderá implicar diversas consequências a todos os sujeitos
do processo. Tanto as partes como os servidores, e também o magistrado, podem
ser responsabilizados em face do excesso de prazo.
 em relação aos servidores públicos:
No NCPC, a questão referente ao cumprimento dos prazos pelo Poder Judiciário
ficou bastante séria. Além de prever prazos para os servidores praticarem os atos
processuais que lhes são de responsabilidade, há, expressamente, regras que
tratam da responsabilização administrativa em caso de excesso de prazo.
O art. 233, do NCPC, prevê que o juiz será responsável por instaurar o processo
administrativo, de ofício ou por representação das partes interessadas, quando
os servidores excederem os prazos estabelecidos para a prática do ato
processual. Veja:
Art. 233. Incumbe ao juiz verificar se o serventuário excedeu, sem motivo legítimo,
os prazos estabelecidos em lei.
§ 1o Constatada a falta, o juiz ordenará a instauração de processo administrativo, na
forma da lei.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 48 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

§ 2o Qualquer das partes, o Ministério Público ou a Defensoria Pública poderá


representar ao juiz contra o serventuário que injustificadamente exceder os prazos
previstos em lei.

Assim, se não cumpridos os prazos de remessa à conclusão (1 dias), ou de


execução de atos determinados (5 dias), é possível que haja instauração de
procedimento administrativo.
 em relação às partes no processo:
Para as partes, a principal consequência por não praticar os atos processuais no
prazo é a perda da prerrogativa processual de fazê-lo, em razão da preclusão,
que será estudada adiante.
De toda forma, há, ainda, uma possibilidade específica que se refere à carga dos
autos físicos, ou seja, quando o advogado da parte comparece em cartório para
retirada dos autos a fim de praticar determinado ato processual.
Essa responsabilidade, quanto à questão da carga dos autos, estende-se aos
advogados, aos defensores e aos membros do Ministério Público.
Art. 234. Os advogados públicos ou privados, o defensor público e o membro do
Ministério Público devem restituir os autos no prazo do ato a ser praticado.
§ 1o É lícito a qualquer interessado exigir os autos do advogado que exceder prazo legal.

Caso haja excesso de prazo em razão de carga dos autos (retirada dos autos
físicos) por parte dos advogados, dos defensores e dos membros do Ministério
Público, o juiz determinará a intimação para que os autos sejam devolvidos no
prazo de 3 dias. Para tanto, o juiz imporá três consequências:
1ª consequência: perda do direito de vista fora do cartório. Dito de outro modo, a parte
não poderá retirar os autos físicos em carga.
2ª consequência: multa no valor de ½ salário mínimo.
3ª consequência: comunicação ao órgão de classe para apuração disciplinar (por exemplo,
OAB, Conselho Superior do Ministério Público, entre outros).

Veja:
§ 2o Se, intimado, o advogado NÃO devolver os autos no PRAZO DE 3 (TRÊS) DIAS,
perderá o direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à
metade do salário-mínimo.
§ 3o Verificada a falta, o juiz comunicará o fato à seção local da Ordem dos Advogados
do Brasil para procedimento disciplinar e imposição de multa.
§ 4o Se a situação envolver membro do Ministério Público, da Defensoria Pública ou
da Advocacia Pública, a multa, se for o caso, será aplicada ao agente público
responsável pelo ato.
§ 5o Verificada a falta, o juiz comunicará o fato ao órgão competente responsável
pela instauração de procedimento disciplinar contra o membro que atuou no feito.

 em relação aos magistrados:


Para encerrar o tópico, faltou tratar da responsabilidade do juiz. O art. 235, do
NCPC, prevê duas atitudes que podem ser tomadas contra o juiz em razão do
excesso de prazo:
 representação à corregedoria do tribunal respectivo; e

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 49 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 representação ao CNJ.

Veja:
Art. 235. Qualquer parte, o Ministério Público ou a Defensoria Pública poderá representar
ao corregedor do tribunal ou ao Conselho Nacional de Justiça contra juiz ou relator que
injustificadamente exceder os prazos previstos em lei, regulamento ou regimento interno.

Nos §§, do art. 235, do NCPC, temos a disciplina do procedimento dessa


representação. Confira como se dá o procedimento da representação:
1º – ajuizamento da representação (corregedoria ou CNJ);
2º - oitiva prévia do Juiz;
3º - verificação se é caso de arquivamento limitar;
4º - instauração do procedimento;
5º - intimação do representado (no caso, o juiz supostamente incorreu em excesso de
prazo) para se manifestar no prazo de 15 dias;
6º - adoção das medidas administrativas cabíveis no prazo de 48 horas;
7º - determinação para que o juiz pratique o ato processual que gerou a representação
no prazo de 10 dias;
8º - não praticado o ato no prazo de 10 dias, será determinado que o substituto o faça
em 10 dias.

Confira:
§ 1o Distribuída a representação ao órgão competente e ouvido previamente o juiz, não
sendo caso de arquivamento liminar, será instaurado procedimento para apuração da
responsabilidade, com intimação do representado por meio eletrônico para, querendo,
apresentar justificativa no prazo de 15 (QUINZE) DIAS.
§ 2o Sem prejuízo das sanções administrativas cabíveis, em ATÉ 48 (QUARENTA E OITO)
horas após a apresentação ou não da justificativa de que trata o § 1o, se for o caso, o
corregedor do tribunal ou o relator no Conselho Nacional de Justiça determinará a
intimação do representado por meio eletrônico para que, em 10 (dez) dias,
pratique o ato.
§ 3o Mantida a inércia, os autos serão remetidos ao substituto legal do juiz ou do relator
contra o qual se representou para decisão em 10 (DEZ) DIAS.

Finalizamos, com isso, mais um tópico.

9 - Preclusão
Como vimos ao longo da aula de hoje, a principal consequência em razão da parte
não praticar determinado ato processual é a preclusão. De acordo com a
doutrina11, a “preclusão é definida como a perda de uma situação jurídica
processual ativa”.
Portanto, se a parte não praticar o ato processual, perderá a possibilidade de
fazê-lo. Esse instituto confere autoridade aos prazos processuais, de forma que

11
JR. DIDIER, Fredie. Curso de Direito Processual Civil, Volume 1, 18ª edição, rev., ampl. e
atual, Bahia: Editora JusPodvim, 2016, p. 425

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 50 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a preclusão é fundamental para o andamento do processo, encadeando os atos


processuais e conduzindo o processo à decisão final.
Assim, a preclusão constitui instrumento processual fundamental para o deslinde
da ação. Deste modo, pode-se afirmar que sem preclusão não há processo.
A preclusão consagra três princípios:
 princípio da segurança jurídica, na medida em que a parte obtém a certeza
que o provimento jurisdicional será dado, de que haverá um final para o
processo;
 princípio da boa-fé, na medida em que são vedadas atuações
extemporâneas, repetitivas e contraditórias.
 princípio da duração razoável do processo, pois exige que o processo dê
seguimento ao procedimento, ainda que a parte não se manifeste ou tente
atrasá-lo.
Tradicionalmente, a doutrina menciona espécies de preclusão, que,
sinteticamente, podem ser definidas do seguinte modo:
1 - Preclusão Temporal: perda de um poder processual em razão da
perda de um prazo.
É justamente essa a consequência que extraímos do art. 223, do NCPC, ao
prever que, decorrido o prazo, extingue-se o direito de praticar ou de
emendar o ato processual, independentemente de haver declaração do juiz,
exceto na hipótese de configuração de justa causa.
Por exemplo, a parte deixa de apresentar a contestação no prazo legal.
2 - Preclusão Lógica: perda do poder processual em razão da prática
anterior de um ato incompatível com ele.
Por exemplo, em audiência de instrução, as partes decidem pela
conciliação, que é homologada pelo magistrado no ato. Embora, num
primeiro momento, tenha concordado com o acordo, a parte decide recorrer
da homologação. Esse recurso não deve ser admitido por preclusão lógica.
O segundo ato processual – o recurso – é incompatível com o primeiro ato,
qual seja: o acordo.
Trata-se de espécie de preclusão que destaca o princípio da boa-fé
processual, na medida em que refuta comportamento contraditório das
partes (vedação ao vernire contra factum proprium).
3 - Preclusão Consumativa: perda de um poder processual em razão do
seu exercício. A ideia é simples, veda-se à parte repetir ato processual já
praticado.
Por exemplo, nova contestação após apresentação da primeira. A segunda
contestação não será aceita por preclusão consumativa em face da primeira
contestação apresentada. Consuma-se o direito de contestar com a
apresentação da primeira contestação.
4 - Preclusão sanção: preclusão decorrente da prática de ato ilícito.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 51 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

b) a contagem de prazos será feita em dias úteis, mesmo que tais


interregnos tenham caráter de direito material.
c) será considerado intempestivo o prazo cumprido antes do termo inicial de
sua contagem.
d) na seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz poderá
prorrogar os prazos por até dois meses.
e) por se tratar o processo de direito indisponível, as partes não poderão
renunciar aos prazos processuais.

Questão 02 – MPE-SC/MPE-SC – Promotor de Justiça –


Matutina – 2016
Julgue:
Nos termos do novo Código de Processo Civil, o juiz pode dilatar os prazos
processuais e alterar a ordem de produção dos meios de prova, adequando-
os às necessidades do conflito de modo a conferir maior efetividade à tutela
do direito.

Questão 03 – FGV/Prefeitura de Paulínia-SP – Procurador –


2016
Com relação à contagem de prazos, assinale V para a afirmativa verdadeira
e F para a falsa.
( ) A contagem de prazo em dias úteis se aplica apenas aos prazos
processuais quando estabelecida por lei ou pelo juiz.
( ) O ato praticado antes do termo inicial do prazo não será considerado
tempestivo.
( ) A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor, desde que o faça de maneira expressa.
As afirmativas são, respectivamente,
a) F, V e F.
b) F, V e V.
c) V, F e F.
d) V, V e F.
e) V, F e V.

Questão 04 – TRT2ªR-SP/ TRT2ªR-SP – Juiz do Trabalho


Substituto – 2016
Quanto aos atos e prazos processuais é correto afirmar que:
a) Os atos processuais realizar-se-ão em dias úteis, das 8 (oito) às 18
(dezoito) horas e serão concluídos depois das 18 (dezoito) horas, os atos

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 54 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

iniciados antes, quando o adiamento prejudicar a diligência ou causar grave


dano.
b) É defeso lançar, nos autos, cotas marginais ou interlineares; o Juiz
mandará riscá-las, impondo a quem as escrever multa correspondente ao
dobro do salário mínimo vigente na sede do juízo.
c) Os atos e termos processuais não dependem de forma determinada senão
quando a Lei, expressamente, a exigir, reputando-se válidos os que,
realizados de outro modo, lhe preencham a finalidade essencial.
d) Não havendo preceito legal nem assinação pelo Juiz, será de 10 (dez) dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
e) É possível juntar aos autos documento redigido em língua estrangeira,
quando acompanhado de versão em vernáculo, desde que firmada pelo
subscritor regularmente constituído pela parte.

Questão 05 – CAIP-IMES/Câmara Municipal de Atibaia-SP –


Advogado – 2016
Relacione corretamente os institutos abaixo descritos.
I- A ________________ é um instituto de interesse privado. É renunciável,
tácita ou expressamente e seus prazos não podem ser modificados pela
manifestação da vontade das partes. Por fim, pode ser alegada em qualquer
grau de jurisdição, pela parte a quem aproveita, admite suspensão e
interrupção de seu prazo e pode ser conhecida pelo juiz de ofício.
II- A ________________ é um instituto de interesse público. É
irrenunciável, pode ser conhecida a qualquer tempo ou grau de jurisdição;
seus prazos não admitem suspensão e interrupção e o juiz deve conhecê-la
de oficio.
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas acima.
a) I. preclusão / II. prescrição
b) I. perempção / II. preclusão
c) I. decadência / II. prescrição
d) I. prescrição / II. Decadência

Questão 06 – VUNESP/MPE-SP – Oficial de Promotoria I –


2016 – adaptada ao NCPC
A respeito da verificação dos prazos e suas penalidades no Código de
Processo Civil, é correto afirmar que
a) é lícito a qualquer interessado cobrar os autos ao advogado que exceder
o prazo legal. Se, intimado, não os devolver dentro de 48 (quarenta e oito)
horas, perderá o direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa
correspondente à metade do salário mínimo.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 55 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

b) o advogado deve restituir os autos no prazo legal. Não o fazendo, perderá


o direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à
metade do salário-mínimo.
c) apenas as partes poderão representar ao presidente do Tribunal de Justiça
contra o juiz que excedeu os prazos previstos em lei, sendo vedada essa
função ao órgão do Ministério Público, tendo em vista não haver hierarquia
entre tal órgão e a Magistratura.
d) o Ministério Público não tem prazo para restituir os autos quando dele
possa fazer carga.
e) compete ao Ministério Público verificar se o serventuário excedeu, sem
motivo legítimo, os prazos estabelecidos no Código de Processo Civil, tendo
em vista que é fiscal da lei.

Questão 07 – VUNESP/Prefeitura de Rosana-SP – Procurador


do Município – 2016 – adaptada ao NCPC
No que tange aos prazos processuais, é correto afirmar que
a) se determinada decisão interlocutória foi disponibilizada no Diário da
Justiça eletrônico em 26.01.2016 (terça-feira), o prazo para interposição do
recurso de agravo, em sua forma instrumental, encerra-se em 05.02.2016
(sexta-feira).
b) os prazos podem ser reduzidos ou prorrogados por convenção das partes,
independentemente de legítimo motivo, desde que o requerimento se dê
antes do vencimento do prazo.
c) não havendo preceito legal nem assinação do prazo pelo juiz, será de 10
(dez) dias o prazo para prática de ato processual a cargo da parte.
d) é ilícito às partes, de comum acordo e por legítimo motivo, reduzir ou
prorrogar os prazos processuais.
e) em se tratando de prazo impróprio, são válidos e eficazes os atos
praticados além do prazo fixado na lei.

Questão 08 – UECE-CEV/DER-CE – Procurador Autárquico –


2016
No que concerne aos prazos processuais, salvo disposição em contrário,
computar-se-ão os prazos
a) excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
b) excluindo o dia do começo e o do vencimento.
c) incluindo o dia do começo e excluindo o do vencimento.
d) incluindo o dia do começo e o do vencimento.

Questão 09 – CESPE/TCE-PR – Auditor – 2016


A respeito dos atos processuais, assinale a opção correta.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 56 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) Se, para não haver perecimento de direito, a citação do réu tiver de


ocorrer em um domingo, a prática do ato deverá ser autorizada pelo juiz
competente.
b) Caso a parte vencida interponha apelação antes de publicada a sentença,
o recurso não será conhecido por intempestivo.
c) Versando a causa sobre contrato de compra e venda, é possível que as
partes estipulem mudanças no procedimento, inclusive quanto aos prazos
processuais.
d) Ainda que tenha tramitado por via diplomática, o contrato, redigido em
língua estrangeira, que servir de prova do direito alegado somente poderá
ser juntado aos autos se estiver traduzido para o português e assinado por
tradutor juramentado.
e) À exceção das causas que tramitem em segredo de justiça, como é o caso
de ações de separação e divórcio, os atos processuais podem ser digitais.

Questão 10 – CESPE/TJ-DFT – Técnico Judiciário –


Administrativa – 2015
Acerca dos atos processuais, julgue o item a seguir.
Situação hipotética: Fábio ajuizou ação ordinária contra Cláudio, que foi
citado por meio de carta precatória.
Assertiva: Nesse caso, o prazo para a resposta de Cláudio começa a correr
a partir da data da juntada, aos autos principais, da carta precatória
devidamente cumprida.

Questão 11 – CESPE/TRE-RS – Analista Judiciário – Judiciária


– 2015 – adaptado ao NCPC
Consoante o Código de Processo Civil (CPC), os atos processuais realizar-se-
ão nos prazos prescritos em lei, sob pena de preclusão. Dessa forma, os
prazos têm a finalidade de impulsionar a marcha processual para se efetivar
a jurisdição. No que se refere a prazo processual, assinale a opção correta.
a) Segundo entendimento do STF, não se conta em dobro o prazo para
recorrer, quando um só dos litisconsortes houver sucumbido.
b) Ao juiz é permitido reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
c) Segundo o CPC, não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será
de dez dias o prazo para a prática do ato processual a cargo da parte.
d) A superveniência de férias ou feriado interromperá o curso do prazo
processual, iniciando-se novamente a contagem no primeiro dia útil seguinte
ao termo das férias ou do feriado.
e) Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão
contados em quádruplo os prazos para contestar e, em dobro, para recorrer.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 57 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Questão 12 – CESPE/TJ-DFT – Analista Judiciário – Judiciária


– 2015
Com relação ao litisconsórcio, às nulidades e à atuação do juiz no processo
civil, julgue o item a seguir, de acordo com o CPC e com a jurisprudência
dos tribunais superiores.
Existe prazo em dobro para interposição de recurso para litisconsortes com
diferentes procuradores, ainda que, diante de determinada decisão do
processo, apenas um dos litisconsortes possua interesse em recorrer na
situação concreta.

Questão 13 – FGV/TJ-PI – Analista Judiciário – Escrivão


Judicial – 2015 – adaptada ao NCPC
A respeito dos atos processuais, é correto afirmar que:
a) o direito de consultar os autos de processo que corre em segredo de
justiça e de pedir certidões de seus atos é restrito às partes, seus
ascendentes e descendentes, bem como a seus procuradores;
b) correm em segredo de justiça, quando assim decidir o Juiz da causa, os
processos que dizem respeito a casamento, filiação, separação dos cônjuges,
conversão desta em divórcio, alimentos e guarda de menores;
c) os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
podem ser praticados pelo servidor, desde que à vista de determinação do
Juiz, que supervisionará a atuação;
d) a desistência da ação ou do recurso só produz efeito depois de
homologada judicialmente;
e) os atos e termos do processo devem ser assinados pelas pessoas que
neles intervieram, devendo o escrivão certificar nos autos quando não
quiserem ou não puderem fazê-lo, valendo a certidão independentemente
de testemunhas da ocorrência.

Questão 14 – CAIP-IMES/DAE de São Caetano do Sul – SP –


Procurador Judicial – 2015 – Adaptada ao NCPC
O artigo 212 do Novo Código de Processo Civil nos ensina que os atos
processuais realizar-se-ão em dias úteis, das:
a) 7 às 18 horas.
b) 8 às 18 horas.
c) 7 às 19 horas
d) 6 às 20 horas.

Questão 15 – FCC/DPE-RR – Oficial de Diligência – 2015


Os atos e termos processuais

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 58 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente


a exigir, reputando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.
b) dependem sempre de forma determinada, a ser estabelecida pelo juiz em
caso de omissão da lei, reputando-se válidos os que, realizados de outro
modo, lhe preencham a finalidade essencial.
c) não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente
a exigir, reputando-se inválidos os realizados de outro modo, ainda que lhe
preencham a finalidade essencial.
d) dependem sempre de forma determinada, a ser estabelecida pelo juiz em
caso de omissão da lei, reputando-se inválidos os realizados de outro modo,
ainda que lhe preencham a finalidade essencial.
e) dependem sempre de forma determinada, conforme previsto em lei,
reputando-se inválidos os realizados de outro modo, ainda que lhe
preencham a finalidade essencial.

Questão 16 – FCC/DPE-RR – Oficial de Diligência – 2015


Em determinada ação, o autor foi intimado pela Imprensa Oficial, na pessoa
do seu advogado, acerca da sentença de improcedência do pedido. O prazo
para o autor recorrer dessa sentença
a) interrompe-se nos feriados.
b) não se prorroga se o vencimento cair em feriado, caso em que o termo
final é antecipado ao primeiro dia útil antecedente.
c) corre em domingos ou feriados, ainda que iniciado em dia útil.
d) computar-se-á excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
e) conta-se em triplo, caso esteja representado por defensor público.

Questão 17 – FCC/TJ-PI – Juiz Substituto – 2015 – adaptado


ao NCPC
Considere os enunciados abaixo.
I. Os atos processuais realizar-se-ão nos prazos prescritos em lei, sendo
defesa ao juiz a fixação de prazos judiciais, salvo para diligências periciais
ou para cumprimento de cartas precatórias.
II. Quaisquer prazos podem ser prorrogados pelas partes, desde que
estejam de comum acordo, mas a convenção só valerá se fundada em
motivo legítimo e se for requerida antes do vencimento do prazo.
III. O prazo, estabelecido pela lei ou pelo juiz, é contínuo, não se
suspendendo nos feriados.
IV. A superveniência de férias suspenderá o curso do prazo, o que lhe sobejar
recomeçará a correr do primeiro dia útil seguinte ao termo das férias.
Está correto o que consta APENAS em

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 59 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) I e II.
b) I, II e III.
c) II e IV.
d) II, III e IV.
e) I, III e IV.

Questão 18 – FCC/TRT9ªR-PR – AJAJ – 2015 – adaptada ao


NCPC
Em relação aos prazos processuais, considere:
I. O juiz poderá, nas comarcas em que for difícil o transporte, prorrogar
quaisquer prazos, mas nunca por mais de dois meses, salvo em caso de
calamidade pública, quando então poderá ser excedido esse limite temporal.
II. Decorrido o prazo, deverá o juiz declarar a extinção do direito de praticar
o ato processual − como requisito para a extinção −, salvo se a parte provar
que o não realizou por justa causa.
III. Salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos em dias úteis,
excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
IV. Não havendo preceito legal nem determinação pelo juiz, será de dez dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
V. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor.
Está correto o que se afirma APENAS em:
a) I, III e V.
b) I, II, III e IV.
c) II, III, IV e V.
d) I, II, IV e V.
e) III, IV e V.

Questão 19 – FUNCAB/CRF-RO – Advogado – 2015


Segundo o NCPC, tratando-se da Fazenda Pública ou do Ministério Público, o
prazo para recorrer contar-se-á:
a) pela regra comum.
b) em dobro.
c) em triplo.
d) em quádruplo.
e) em quíntuplo.

Questão 20 – FCC/TRE-AP – AJAA – 2015 - adaptada

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 60 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Considere a seguinte situação hipotética: Determinado ato processual


deverá ser praticado pela parte no prazo de cinco dias. A publicação efetiva
para cumprimento deste ato ocorreu no dia 14 de Outubro de 2016 (sexta-
feira). O último dia do prazo processual em questão foi
a) 24 de Outubro de 2016.
b) 20 de Outubro de 2016.
c) 21 de Outubro de 2016.
d) 23 de Outubro de 2016.
e) 22 de Outubro de 2016.

Questão 21 – TRT 21ªR-RN/ TRT 21ªR-RN – Juiz do Trabalho


Substituto – 2015 - adaptada ao NCPC
Avalie os itens abaixo, a respeito do tema Atos, Prazo e Despesas
Processuais, e, seguindo a legislação atualmente aplicada e a jurisprudência
majoritária, assinale a assertiva correta:
I - Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz,
computar-se-ão somente os dias úteis.
II – Apenas o Ministério Público poderá representar ao corregedor do tribunal
ou ao Conselho Nacional de Justiça contra juiz ou relator que
injustificadamente exceder os prazos previstos em lei, regulamento ou
regimento interno
III - Não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando só um dos
litisconsortes haja sucumbido.
IV - O juiz poderá, nas comarcas onde for difícil o transporte, prorrogar
quaisquer prazos, mas nunca por mais de dois meses.
a) apenas as assertivas III e IV estão corretas;
b) apenas as assertivas II e III estão corretas;
c) apenas as assertivas I,III e IV estão corretas;
d) apenas as assertivas II e IV estão corretas;
e) apenas as assertivas II, III e IV estão corretas.
Portanto, a alternativa C está correta e é o gabarito da questão.

Questão 22 – TRT 16ªR-MA/TRT 16ªR-MA – Juiz do Trabalho


Substituto – 2015
Se o prazo não estiver estabelecido em lei, deverá ser:
a) Por acordo entre as partes.
b) Pelo magistrado.
c) Pelo cartório do ofício da respectiva Vara.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 61 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

d) Pelo escrevente.
e) De 05 (cinco) dias.

Questão 23 – IESES/TRE-MA – AJAJ – 2015 – adaptada ao


NCPC
Em relação aos prazos processuais, responda:
I. Quando a lei não marcar outro prazo, as intimações somente obrigarão a
comparecimento depois de decorridas 48 horas.
II. A parte poderá renunciar prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor.
III. Não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de cinco dias
a prática de ato processual a cargo da parte.
Assinale a alternativa correta:
a) Apenas a assertiva II é verdadeira.
b) Apenas a assertiva III é verdadeira.
c) Apenas as assertivas I e III são verdadeiras.
d) Todas as assertivas são verdadeiras.

Questão 24 – FCC/TRT 23ªR-MT – Juiz do Trabalho Substituto


– 2015 - adaptada
Determinando o juiz que o perito apresente o laudo em cartório até 10 dias
antes da audiência que se realizará em 27 de outubro de 2016 (quinta-feira),
o último dia do prazo, considerando-se inexistir feriado no período, será
a) 13 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
b) 14 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
c) 12 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
d) 17 de outubro, porque descontando-se 10 dias a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
e) 18 de outubro, porque descontando-se 10 dias a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.

Questão 25 – NC-UFPR/Prefeitura de Curitiba – PR –


Procurador – 2015 – adaptada ao NCPC
Acerca dos atos e dos prazos processuais, nos termos do Novo Código de
Processo Civil, assinale a alternativa correta.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 62 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito


às partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para
ajustá-lo às especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus,
poderes, faculdades e deveres processuais, antes ou durante o processo.
b) Os atos processuais devem ser totalmente digitais, de forma a permitir
que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio
eletrônico, na forma da lei.
c) Podem as partes lançar, nos autos, cotas marginais ou interlineares,
inclusive eletrônicas, desde que respeitado o contraditório.
d) Enquanto sentença é a decisão final proferida pelo juízo de primeiro grau,
acórdão designa qualquer decisão proferida em um tribunal.
e) Quando o réu for ao Ministério Público, computar-se-á em quádruplo para
as manifestações nos autos.

Questão 26 – FCC/MPE-PB – Técnico Ministerial – Sem


Especialidade – 2015 – adaptada ao NCPC
A respeito dos atos processuais, é correto afirmar:
a) Os prazos começam a correr no dia da intimação, quando as partes saírem
intimadas da audiência.
b) A citação com hora certa não necessita de nova determinação judicial
para que se realize.
c) A parte não pode renunciar o prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor.
d) Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados inclusão o dia do
começo e exclusão o dia do vencimento.
e) Considera-se como data de publicação o dia seguinte ao da
disponibilização da informação no Diário da Justiça eletrônico,
independentemente de ser dia útil.

Questão 27 – FGV/DPE-RO – Técnico da Defensoria Pública –


Técnico Administrativo – 2015
Os atos e termos processuais não dependem de forma determinada senão
quando a lei expressamente a exigir. Outrossim, os atos podem ser
classificados em atos da parte, do juiz e do escrivão. Em relação aos atos a
seguir elencados. É correto afirmar que:
a) sentença é o ato pelo qual o juiz, no curso do processo, resolve questão
incidente;
b) despachos são todos os atos do juiz que encerram o processo, com ou
sem resolução do mérito;
c) sentença é o julgamento proferido pelos tribunais;

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 63 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

d) a juntada e a vista obrigatória, independem de despacho do juiz, devendo


ser praticados de ofício pelo servidor;
e) os despachos, decisões, sentenças e acórdãos serão redigidos e assinados
pelo escrivão.

Questão 28 – VUNESP/TJ-SP – Escrevente Técnico Judiciário –


2015
Os atos processuais são atos das partes, do juiz e dos auxiliares da Justiça,
e a eles são assinalados prazos para cumprimento. Nesse caso, assinale a
alternativa correta.
a) A parte não poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em
seu favor.
b) Não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de cinco dias o
prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
c) Salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos, incluindo-se o
dia do começo e o do vencimento.
d) Decorrido o prazo, extingue-se, mediante declaração judicial, o direito de
praticar o ato.
e) Os atos processuais realizar-se-ão nos prazos prescritos em lei. Quando
esta for omissa, o juiz determinará que os prazos se cumpram em cinco dias.

Questão 29 – FCC/MANAUSPREV – Procurador Autárquico –


2015
Os atos processuais
a) podem ser praticados, no processo, por meio de cotas marginais ou
interlineares.
b) são sempre públicos a fim de dar transparência ao Poder Judiciário.
c) podem ser aproveitados se atingirem sua finalidade, mesmo quando
realizados por meio diverso ao previsto em lei.
d) têm forma prescrita em lei como regra geral, excepcionalmente não
obedecendo a formas determinadas.
e) que comportem a desistência da demanda produzem efeito imediato se
requerida antes da citação do réu.

Questão 30 – FCC/TJ-PE – Juiz Substituto – 2015 – adaptada


ao NCPC
Quanto ao tempo e lugar dos atos processuais, é INCORRETO afirmar que:
a) são excepcionais os atos processuais praticados nos feriados forenses
b) a citação e a penhora poderão, em casos excepcionais, realizar-se em
domingos e feriados, ou nos dias úteis, fora do horário legalmente

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 64 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

estabelecido, observado o disposto na Constituição Federal, a respeito da


inviolabilidade da casa do indivíduo.
c) podem ser concluídos após o horário legal os atos processuais, se houver
perigo de grave dano ou prejuízo à diligência com o adiamento.
d) como regra geral, os atos processuais realizam-se na sede do juízo.
e) não se praticarão quaisquer atos processuais durante os recessos
forenses, bem como aos sábados.

Questão 31 – FCC/TRE-RR – Analista Judiciário – Área


Judiciária – 2015 – adaptada ao NCPC
Gabriel é advogado recém-formado. No final do ano de 2014 ele fez carga
de um processo que estava com prazo para manifestação. Após o recesso
forense, Gabriel não devolveu os autos uma vez que os esqueceu em sua
chácara na cidade de Caracaraí. Neste caso, de acordo com o Código de
Processo Civil, se Gabriel for devidamente intimado para devolver os autos,
terá o prazo de
a) 48 horas sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer
em multa, correspondente à metade do salário mínimo vigente na sede do
juízo.
b) 24 horas sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer
em multa, correspondente a dois salários mínimos vigente na sede do juízo.
c) 2 dias sob pena de incorrer em multa, correspondente a um salário
mínimo vigente na sede do juízo.
d) 24 horas sob pena de incorrer em multa, correspondente a um salário
mínimo vigente na sede do juízo
e) 3 dias sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer em
multa, correspondente à metade do salário mínimo vigente na sede do juízo.

Questão 32 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015
Os atos processuais do juiz
a) precisam ser provocados pelas partes.
b) podem ser praticados pelo escrivão, sem exceção, desde que revistos pelo
juiz.
c) se limitam a resolver questões incidentes no curso do processo.
d) precisam conter relatório, os fundamentos e dispositivo, se consistentes
em sentença.
e) consistirão em sentenças, decisões ordinatórias e despachos.

Questão 33 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015 – adaptada ao NCPC

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 65 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Segundo as regras do Código de Processo Civil:


a) à, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao defensor público e
aos auxiliares da justiça não é facultado rubricar as folhas correspondentes
aos atos em que intervieram.
b) é possível lançar nos autos cotas marginais ou interlineares desde que
não ofensivas ao juiz ou a qualquer das partes.
c) os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais
de vontade produzem imediatamente a constituição, a modificação ou a
extinção de direitos processuais.
d) é facultada a utilização de abreviaturas nos atos e termos do processo.
e) a desistência da ação produzirá efeito independentemente de
homologação por sentença.

Questão 34 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015 – adaptado ao NCPC
Quanto aos prazos para a prática dos atos processuais, prescreve o Código
de Processo Civil que:
a) o juiz poderá, nas comarcas onde for difícil o transporte, prorrogar tantos
os prazos, mas nunca por mais de trinta dias.
b) dentre outros, o prazo para interposição de recurso, para apresentar
resposta e para se manifestar sobre o laudo perícia não podem ser alterados
pela parte.
c) não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de 5 (cinco) dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
d) salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos a partir do dia
da intimação.
e) é impossível às partes reduzir ou prorrogar os prazos.

Questão 35 – CEFET-BA/MPE-BA – Promotor de Justiça


Substituto – 2015 – adaptado ao NCPC
Quanto a prazos e sua aplicação, é CORRETO afirmar que:
a) Devem ser cumpridos pelas partes, sob pena de preclusão temporal,
perdendo a parte, por omissão, a faculdade processual da prática do ato.
b) Os prazos legais podem ser modificados a critério do julgador.
c) Diz-se da preclusão consumativa tratar-se da prática de ato compatível
com outro anteriormente praticado pela parte.
d) Os prazos não podem ser alterados pela vontade das partes
e) Os atos processuais não estão sujeitos à preclusão.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 66 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Questão 36 – FCC/TRT24ªR-MS – Juiz do Trabalho Substituto


– 2014
Quanto a prazos e preclusão, é correto afirmar:
a) os prazos das partes e dos terceiros intervenientes em regra são próprios,
tendo de ser respeitados sob pena de preclusão temporal, com a perda da
faculdade processual da prática do ato.
b) os atos processuais judiciais não estão sujeitos a preclusão em nenhuma
hipótese.
c) a preclusão consumativa consiste na perda da faculdade processual de
praticar um ato que seja logicamente incompatível com outro consumado
anteriormente.
d) os prazos cogentes são dilatórios, podendo ser alterados pela vontade das
partes.
e) é possível às partes, desde que de acordo, prorrogar os prazos
peremptórios.

Questão 37 – FCC/DPE-CE – Defensor Público de Entrância


Inicial – 2014
Quanto aos atos processuais, sua forma e prazos:
a) salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos, incluindo o dia
do começo e excluindo o do vencimento.
b) são válidos os atos processuais que, realizados de forma diversa da
prevista em lei, lhe preencham a finalidade essencial.
c) quando a lei não marcar outro prazo, as intimações somente obrigarão a
comparecimento depois de decorridos cinco dias.
d) por mandamento constitucional, que se sobrepõe à lei processual civil,
entende-se hoje que todos os atos processuais são públicos, sem exceção.
e) desde que de comum acordo, podem as partes dilatar quaisquer prazos,
mas não reduzi-los, o que é defeso inclusive ao órgão jurisdicional.

Questão 38 – FCC/TCE-GO – Analista de Controle Externo –


Jurídica – 2014
Num procedimento ordinário há dois réus, ambos representados pelo mesmo
advogado. Na audiência, o juiz ordenou que os réus se manifestassem sobre
documento juntado pelo autor, sem fixar prazo. Nesse caso, o prazo para
manifestação será de
a) 3 dias, iniciando-se no dia da audiência.
b) 10 dias, iniciando-se no primeiro dia útil subsequente à audiência.
c) 5 dias, iniciando-se no dia da audiência.
d) 10 dias, iniciando-se no dia da audiência.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 67 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

e) 5 dias, iniciando-se no primeiro dia útil subsequente à audiência.

Questão 39 – FCC/TCE-GO – Analista de Controle Externo –


Jurídica – 2014
Considere:
I. Perda da faculdade processual em função do decurso do prazo previsto em
lei ou assinado pelo juiz sem o seu exercício.
II. Perda da faculdade processual em razão da prática de ato incompatível
com aquele que se pretende realizar. Os conceitos acima dizem respeito,
respectivamente, à preclusão
Os conceitos acima dizem respeito, respectivamente, à preclusão
a) lógica e consumativa.
b) temporal e lógica.
c) lógica e temporal.
d) temporal e consumativa
e) consumativa e temporal.

Questão 40 – FGV/TJ-GO – Analista Judiciário – Oficial de


Justiça Avaliador – 2014
Maria propõe demanda judicial em face de João, pleiteando danos materiais
e morais decorrentes do fato deste ter quebrado a janela de sua casa com
uma bola de futebol. O réu, em contestação, não nega o fato e afirma
reconhecer a procedência do pedido do dano material. Afirma que reconhece
ter quebrado a janela da casa da autora e que deve reparar esse dano.
Todavia, impugna qualquer pedido de dano moral sobre esse fato, alegando
que ninguém se machucou e que a casa estava vazia quando do ocorrido.
Portanto, apresenta defesa em relação ao dano moral pleiteado e protesta
por provas para comprovar sua alegação. O juiz do feito, em seu
pronunciamento, reconhece a procedência do pedido de dano material e
determina a produção das provas requeridas pelas partes para apurar a
existência de dano moral no caso. A natureza jurídica do ato do julgador que
reconheceu a procedência do pedido em relação ao dano material é
considerado:
a) sentença definitiva, pois reconheceu a procedência do pedido e pôs fim
ao mérito da causa;
b) decisão interlocutória, pois não houve a resolução do mérito total, eis que
ainda segue a relação processual com a demanda sobre o dano moral;
c) despacho, pois o juiz apenas concordou com as partes sem resolver a lide;
d) sentença terminativa, pois não haverá resolução do mérito, eis que o réu
concordou com o pedido;
e) sentença determinativa, pois o processo continua para provimento final.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 68 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Questão 41 – VUNESP/IPT-SP – Advogado – 2014 – adaptada


ao NCPC
Quanto aos atos processuais, assinale a alternativa correta.
a) Em todos os atos e termos do processo é obrigatório o uso de vernáculo,
sendo inadmissíveis documentos escritos em língua estrangeira, ainda que
acompanhados de versão em vernáculo, firmados por tradutor juramentado.
b) Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais
de vontade, dentre os quais a desistência da ação, produzem efeitos
imediatamente, independentemente de homologação pelo juiz.
c) Os atos e termos processuais sempre dependem de forma determinada,
reputando-se inválidos os realizados de outro modo.
d) Os atos processuais podem ser total ou parcialmente digitais, de forma a
permitir que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por
meio eletrônico, na forma da lei.
e) É defeso às partes, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao
defensor e aos auxiliares da justiça rubricar as folhas dos autos
correspondentes aos atos em que intervieram.

Questão 42 – TRT23ªR-MT/ TRT23ªR-MT – Juiz do Trabalho


Substituto – 2014 – adaptado ao NCPC
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Os atos processuais realizar-se-ão em dias úteis, das 8 (oito) às 20 (vinte)
horas. Todavia, serão concluídos após as 20 (vinte) horas os atos iniciados
antes, quando o adiamento prejudicar a diligência ou causar grave dano.
b) É defeso às partes e ao juiz, ainda que todas estejam de acordo, reduzir
ou prorrogar os prazos peremptórios. Em caso de calamidade pública,
poderá ser excedido o limite previsto neste artigo para a prorrogação de
prazos.
c) A citação far-se-á pelo correio, mesmo nas ações de estado das pessoas,
por oficial de justiça, por edital e por meio eletrônico, conforme regulado em
lei própria.
d) As citações e as intimações serão nulas, quando feitas sem observância
das prescrições legais. Anulado o ato, reputam-se de nenhum efeito todos
os subseqüentes, que dele dependam. Todavia, a nulidade de uma parte do
ato prejudicará as outras posteriores, ainda que sejam independentes.
e) É lícito a qualquer interessado cobrar os autos ao advogado que exceder
o prazo legal. Se, intimado, não os devolver dentro em 3 dias, perderá o
direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa, correspondente à
metade do salário mínimo vigente na sede do juízo.

Questão 43 – FCC/TJ-CE – Juiz – 2014 – adaptada ao NCPC


Examine os enunciados seguintes, referentes aos atos processuais:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 69 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

I. As partes poderão exigir recibo de petições, arrazoados, papéis e


documentos que entregarem em cartório.
II. Como regra geral, os atos processuais não dependem de forma
determinada, configurando-se como válidos os que, realizados de outro
modo, preencham sua finalidade.
III. Para ser anexado aos autos, o documento redigido em língua estrangeira
deverá ser acompanhado de versão em vernáculo, firmada por tradutor
juramentado ou cuja autenticação da tradução, se realizada sem tradutor
oficial, seja assegurada pelo advogado da parte.
IV. Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais
de vontade, produzem desde logo a constituição, a modificação ou a extinção
de direitos processuais.
Estão corretos
a) I, II e III, apenas.
b) I, III e IV, apenas.
c) I, II, III e IV.
d) I, II e IV, apenas.
e) II, III e IV, apenas.

Questão 44 – CESPE/TJ-CE – Técnico Judiciário – Área


Judiciária – 2014 – adaptada ao NCPC
Considerando a disciplina do Código de Processo Civil, assinale a opção
correta acerca dos atos processuais.
a) Não se processam-se durante as férias forenses, onde as houver, e se
suspendem pela superveniência delas os procedimentos de jurisdição
voluntária e os necessários à conservação de direitos, quando puderem ser
prejudicados pelo adiamento.
b) Mediante acordo escrito protocolado nos autos, as partes podem prorrogar
ou reduzir os prazos para interposição de recursos, mesmo que já exauridos.
c) Compete ao servidor praticar os atos meramente ordinatórios, como a
juntada e a vista obrigatória, por iniciativa própria, independentemente de
despacho do juiz.
d) Por ser ato unilateral, a desistência da ação produz efeitos tão logo a parte
protocole a petição com o pedido.
e) Em casos excepcionais, a critério do oficial de justiça, a citação e a
penhora podem ser realizadas nos domingos e feriados.

Questão 45 – TRT 2R (SP)/TRT - 2ª REGIÃO (SP) – Juiz do


Trabalho – 2014 – adaptada ao NCPC
No que concerne à forma dos atos processuais, aponte a alternativa correta:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 70 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) Os atos processuais que dizem respeito a casamento, filiação, separação


de cônjuges e guarda de menores são públicos, podendo terceiro que
demonstre interesse, consultar os autos.
b) Atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
dependem de despacho do juiz, não podendo ser praticados de ofício pelo
servidor.
c) Salvo no Distrito Federal e nas capitais dos Estados, todas as petições e
documentos que instruírem o processo, quando constantes de registro
público, serão sempre acompanhadas de cópia, datada e assinada por quem
as oferecer.
d) É defeso lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, salvo com
permissão do juiz da causa.
e) Eventuais contradições na transcrição deverão ser suscitadas oralmente
no momento de realização do ato, sob pena de preclusão, devendo o juiz
decidir de plano e ordenar o registro, no termo, da alegação e da decisão.

Questão 46 – FCC/Câmara Municipal de São Paulo – SP –


Procurador Legislativo – 2014
No tocante ao tempo e lugar dos atos processuais, considere as afirmações
abaixo.
I. Durante as férias e nos feriados não se praticarão aos processuais, com a
única exceção das medidas cautelares urgentes.
II. Entre outros, processam-se durante as férias e não se suspendem pela
superveniência delas os atos de jurisdição voluntária, bem como os
necessários à conservação de direitos, quando possam ser prejudicados pelo
adiamento.
III. Os atos processuais realizam-se necessariamente na sede do juízo, só
se efetuando em outro lugar em razão de obstáculo arguido pelo interessado
e acolhido pelo juiz.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) I e II.
b) II e III.
c) III.
d) I
e) II

Questão 47 – VUNESP/TJ-SP – Escrevente Técnico Judiciário –


2014 – adaptada ao NCPC
Quanto aos prazos, assinale a alternativa correta.
a) Não havendo preceito legal, o prazo será de 10 dias para a parte.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 71 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Julgue:
Nos termos do novo Código de Processo Civil, o juiz pode dilatar os prazos
processuais e alterar a ordem de produção dos meios de prova, adequando-
os às necessidades do conflito de modo a conferir maior efetividade à tutela
do direito.

Comentários
A assertiva está correta. Não há mais se falar na distinção entre prazos dilatórios
e prazos peremptórios. Todos os prazos podem ser dilatados por negócio entre
as partes ou pelo magistrado. Cite-se, como exemplo, o art. 139, VI, do NCPC:
Art. 139. O juiz dirigirá o processo conforme as disposições deste Código, incumbindo-
lhe: (...)
VI - dilatar os prazos processuais e alterar a ordem de produção dos meios de
prova, adequando-os às necessidades do conflito de modo a conferir maior
efetividade à tutela do direito; (...)

Questão 03 – FGV/Prefeitura de Paulínia-SP – Procurador –


2016
Com relação à contagem de prazos, assinale V para a afirmativa verdadeira
e F para a falsa.
( ) A contagem de prazo em dias úteis se aplica apenas aos prazos
processuais quando estabelecida por lei ou pelo juiz.
( ) O ato praticado antes do termo inicial do prazo não será considerado
tempestivo.
( ) A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor, desde que o faça de maneira expressa.
As afirmativas são, respectivamente,
a) F, V e F.
b) F, V e V.
c) V, F e F.
d) V, V e F.
e) V, F e V.

Comentários
Vamos analisar cada uma das afirmativas:
A primeira afirmativa é verdadeira, conforme prevê o art. 219, parágrafo único,
do NCPC:
Art. 219. Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz, computar-se-
ão somente os dias úteis.
Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se somente aos prazos processuais.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 74 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A segunda afirmativa é falsa. De acordo com o art. 218, §4º, do NCPC, o ato
praticado antes do termo inicial do prazo será considerado tempestivo.
A terceira afirmativa é verdadeira, conforme está previsto no art. 225, do NCPC:
Art. 225. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor,
desde que o faça de maneira expressa.

Dessa forma, a alternativa E está correta e é o gabarito da questão.

Questão 04 – TRT2ªR-SP/ TRT2ªR-SP – Juiz do Trabalho


Substituto – 2016
Quanto aos atos e prazos processuais é correto afirmar que:
a) Os atos processuais realizar-se-ão em dias úteis, das 8 (oito) às 18
(dezoito) horas e serão concluídos depois das 18 (dezoito) horas, os atos
iniciados antes, quando o adiamento prejudicar a diligência ou causar grave
dano.
b) É defeso lançar, nos autos, cotas marginais ou interlineares; o Juiz
mandará riscá-las, impondo a quem as escrever multa correspondente ao
dobro do salário mínimo vigente na sede do juízo.
c) Os atos e termos processuais não dependem de forma determinada senão
quando a Lei, expressamente, a exigir, reputando-se válidos os que,
realizados de outro modo, lhe preencham a finalidade essencial.
d) Não havendo preceito legal nem assinação pelo Juiz, será de 10 (dez) dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
e) É possível juntar aos autos documento redigido em língua estrangeira,
quando acompanhado de versão em vernáculo, desde que firmada pelo
subscritor regularmente constituído pela parte.

Comentários
A alternativa A está incorreta. Conforme art. 212, §1º, do NCPC, os atos
processuais serão realizados em dias úteis, das 6 às 20 horas e,
excepcionalmente, podem ser concluídos depois das 20 horas quando o
adiamento puder prejudicar a diligência ou causar grave dano.
Art. 212. Os atos processuais serão realizados em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte)
horas.
§ 1o Serão concluídos após as 20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o
adiamento prejudicar a diligência ou causar grave dano.

A alternativa B está incorreta. Segundo o art. 202, do NCPC, é vedado lançar


nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz mandará riscar,
impondo a quem as escrever multa correspondente à metade do salário-mínimo.
Art. 202. É vedado lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz
mandará riscar, impondo a quem as escrever multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

A alternativa C está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o exato


teor do art. 188, do NCPC:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 75 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo quando
a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.

A alternativa D está incorreta. Com base no art. 218, §3º, do NCPC não havendo
preceito legal nem assinação pelo Juiz, será de cinco dias o prazo para a prática
de ato processual a cargo da parte.
A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 192, do NCPC, em todos os atos
e termos do processo é obrigatório o uso da língua portuguesa. A juntada de
documento estrangeiro, conforme prevê o parágrafo do dispositivo, depende da
versão para a língua portuguesa tramitada por via diplomática, por autoridade
central ou, ainda, firmada por tradutor juramentado. Logo, não basta que a
versão traduzida esteja assinada pelo subscritor constituído pela parte.

Questão 05 – CAIP-IMES/Câmara Municipal de Atibaia-SP –


Advogado – 2016
Relacione corretamente os institutos abaixo descritos.
I- A ________________ é um instituto de interesse privado. É renunciável,
tácita ou expressamente e seus prazos não podem ser modificados pela
manifestação da vontade das partes. Por fim, pode ser alegada em qualquer
grau de jurisdição, pela parte a quem aproveita, admite suspensão e
interrupção de seu prazo e pode ser conhecida pelo juiz de ofício.
II- A ________________ é um instituto de interesse público. É
irrenunciável, pode ser conhecida a qualquer tempo ou grau de jurisdição;
seus prazos não admitem suspensão e interrupção e o juiz deve conhecê-la
de oficio.
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas acima.
a) I. preclusão / II. prescrição
b) I. perempção / II. preclusão
c) I. decadência / II. prescrição
d) I. prescrição / II. Decadência

Comentários
Aqui temos uma questão doutrinária. Tal como trazido em aula, os conceitos de
decadência, de prescrição e de preclusão são distintos.
A decadência refere-se à perda de direitos potestativos em razão do seu não
exercício.
A prescrição, por sua vez, constitui a perda da pretensão em razão do seu não
exercício. Trata-se de instituto de interesse privado, que pode ser renunciado
pela parte, alegável em qualquer momento do processo.
A decadência, por sua vez, decorre da perda da prerrogativa para a prática de
determinado ato processual em face do seu não exercício. Aqui, temos um

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 76 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

instituto de direito público, também alegável a qualquer tempo, mas que não
pode ser suspenso ou interrompido.
Portanto, a alternativa D está correta e é o gabarito da questão.

Questão 06 – VUNESP/MPE-SP – Oficial de Promotoria I –


2016 – adaptada ao NCPC
A respeito da verificação dos prazos e suas penalidades no Código de
Processo Civil, é correto afirmar que
a) é lícito a qualquer interessado cobrar os autos ao advogado que exceder
o prazo legal. Se, intimado, não os devolver dentro de 48 (quarenta e oito)
horas, perderá o direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa
correspondente à metade do salário mínimo.
b) o advogado deve restituir os autos no prazo legal. Não o fazendo, perderá
o direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à
metade do salário-mínimo.
c) apenas as partes poderão representar ao presidente do Tribunal de Justiça
contra o juiz que excedeu os prazos previstos em lei, sendo vedada essa
função ao órgão do Ministério Público, tendo em vista não haver hierarquia
entre tal órgão e a Magistratura.
d) o Ministério Público não tem prazo para restituir os autos quando dele
possa fazer carga.
e) compete ao Ministério Público verificar se o serventuário excedeu, sem
motivo legítimo, os prazos estabelecidos no Código de Processo Civil, tendo
em vista que é fiscal da lei.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 234, §1º e §2º, do NCPC,
se, intimado, o advogado não devolver os autos no prazo de 3 dias, perderá o
direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à metade do
salário-mínimo.
A alternativa B está correta e é o gabarito da questão, pois se refere ao art.
234, §2º, do NCPC.
§ 2º Se, intimado, o advogado não devolver os autos no prazo de 3 (três) dias, perderá o
direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

A alternativa C está incorreta. Segundo o art. 235, do NCPC, qualquer parte, o


Ministério Público ou a Defensoria Pública, poderá representar, ao corregedor do
tribunal ou ao Conselho Nacional de Justiça, contra juiz ou relator que,
injustificadamente, exceder os prazos previstos em lei, no regulamento ou no
regimento interno.
A alternativa D está incorreta. O art. 234, do NCPC, menciona que os advogados
públicos ou privados, o defensor público e o membro do Ministério Público
devem restituir os autos no prazo do ato a ser praticado.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 77 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa E está incorreta. Com base no art. 233, compete ao juiz verificar
se o serventuário excedeu, sem motivo legítimo, os prazos estabelecidos em lei.
Art. 233. Incumbe ao juiz verificar se o serventuário excedeu, sem motivo legítimo, os
prazos estabelecidos em lei.

Questão 07 – VUNESP/Prefeitura de Rosana-SP – Procurador


do Município – 2016 – adaptada ao NCPC
No que tange aos prazos processuais, é correto afirmar que
a) se determinada decisão interlocutória foi disponibilizada no Diário da
Justiça eletrônico em 26.01.2016 (terça-feira), o prazo para interposição do
recurso de agravo, em sua forma instrumental, encerra-se em 05.02.2016
(sexta-feira).
b) os prazos podem ser reduzidos ou prorrogados por convenção das partes,
independentemente de legítimo motivo, desde que o requerimento se dê
antes do vencimento do prazo.
c) não havendo preceito legal nem assinação do prazo pelo juiz, será de 10
(dez) dias o prazo para prática de ato processual a cargo da parte.
d) é ilícito às partes, de comum acordo e por legítimo motivo, reduzir ou
prorrogar os prazos processuais.
e) em se tratando de prazo impróprio, são válidos e eficazes os atos
praticados além do prazo fixado na lei.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 224, do NCPC, os prazos
serão contados excluindo o dia do começo e incluindo o dia do vencimento.
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.

E, conforme o art. 1.003, §5º, o prazo para interpor os recursos é de 15 dias.


§ 5o Excetuados os embargos de declaração, o prazo para interpor os recursos e para
responder-lhes é de 15 (quinze) dias.

Desse modo, como a informação foi disponibilizada dia 26/01, o dia 27/01 conta
como data da publicação e o dia 28/01 como início do prazo. Como o prazo para
recurso de agravo é de 15 dias, então, o término será dia 17/02.
A alternativa B está incorreta. O motivo legítimo é um dos requisitos exigidos
pela lei para que as partes possam convencionar a respeito dos prazos.
A alternativa C está incorreta. Segundo o art. 218, §3º, do NCPC, não havendo
preceito legal nem assinação do prazo pelo juiz, será de 5 dias o prazo para a
prática de ato processual a cargo da parte.
A alternativa D está incorreta. A modulação de prazos é admitida como regra
no NCPC em face do negócio jurídico processual e da calendarização do processo.
A alternativa E está correta e é o gabarito da questão. Os prazos impróprios são
aqueles impostos à atuação do magistrado. Caso sejam praticados após o período

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 78 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

previsto, tendo em vista que não há preclusão, esses são válidos. De todo modo,
o excesso de prazo pelo magistrado poderá levar à representação perante a
corregedoria ou o CNJ.

Questão 08 – UECE-CEV/DER-CE – Procurador Autárquico –


2016
No que concerne aos prazos processuais, salvo disposição em contrário,
computar-se-ão os prazos
a) excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
b) excluindo o dia do começo e o do vencimento.
c) incluindo o dia do começo e excluindo o do vencimento.
d) incluindo o dia do começo e o do vencimento.

Comentários
Com base no art. 224, do NCPC, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.

Portanto, a alternativa A está correta e é o gabarito da questão.

Questão 09 – CESPE/TCE-PR – Auditor – 2016


A respeito dos atos processuais, assinale a opção correta.
a) Se, para não haver perecimento de direito, a citação do réu tiver de
ocorrer em um domingo, a prática do ato deverá ser autorizada pelo juiz
competente.
b) Caso a parte vencida interponha apelação antes de publicada a sentença,
o recurso não será conhecido por intempestivo.
c) Versando a causa sobre contrato de compra e venda, é possível que as
partes estipulem mudanças no procedimento, inclusive quanto aos prazos
processuais.
d) Ainda que tenha tramitado por via diplomática, o contrato, redigido em
língua estrangeira, que servir de prova do direito alegado somente poderá
ser juntado aos autos se estiver traduzido para o português e assinado por
tradutor juramentado.
e) À exceção das causas que tramitem em segredo de justiça, como é o caso
de ações de separação e divórcio, os atos processuais podem ser digitais.

Comentários
A alternativa A está incorreta. As hipóteses de citação, para evitar o
perecimento do direito, estão no art. 244, do NCPC. Nele, não se encontra a
possibilidade de prática do ato aos domingos.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 79 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 244. Não se fará a citação, salvo para evitar o perecimento do direito:
I - de quem estiver participando de ato de culto religioso;
II - de cônjuge, de companheiro ou de qualquer parente do morto, consanguíneo ou afim,
em linha reta ou na linha colateral em segundo grau, no dia do falecimento e nos 7 (sete)
dias seguintes;
III - de noivos, nos 3 (três) primeiros dias seguintes ao casamento;
IV - de doente, enquanto grave o seu estado.

E, de acordo com o art. 212, §2º, do NCPC, a prática do ato ocorrerá


independentemente de autorização judicial.
§ 2o Independentemente de autorização judicial, as citações, intimações e penhoras poderão
realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e nos feriados ou dias úteis fora
do horário estabelecido neste artigo, observado o disposto no art. 5o, inciso XI, da
Constituição Federal.

A alternativa B está incorreta. Com base no art. 218, §4º, do NCPC, será
considerado tempestivo o ato praticado antes do termo inicial do prazo.
A alternativa C está correta e é o gabarito da questão. Com as inovações do
Novo CPC, o processo está à disposição das partes, que poderão escolher como
e quando serão feitos os atos processuais. Vejamos os art. 190 e 191.
Art. 190. Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito às
partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para ajustá-lo às
especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus, poderes, faculdades e deveres
processuais, antes ou durante o processo.
Parágrafo único. De ofício ou a requerimento, o juiz controlará a validade das convenções
previstas neste artigo, recusando-lhes aplicação somente nos casos de nulidade ou de
inserção abusiva em contrato de adesão ou em que alguma parte se encontre em manifesta
situação de vulnerabilidade.
Art. 191. De comum acordo, o juiz e as partes podem fixar calendário para a prática dos
atos processuais, quando for o caso.
§ 1o O calendário vincula as partes e o juiz, e os prazos nele previstos somente serão
modificados em casos excepcionais, devidamente justificados.
§ 2o Dispensa-se a intimação das partes para a prática de ato processual ou a realização de
audiência cujas datas tiverem sido designadas no calendário.

A alternativa D está incorreta. Conforme o art. 192, do NCPC, o documento


redigido em língua estrangeira somente poderá ser juntado aos autos quando
acompanhado de versão para a língua portuguesa, tramitada por via diplomática
ou pela autoridade central, ou, ainda, firmada por tradutor juramentado.
Art. 192. Em todos os atos e termos do processo é obrigatório o uso da língua portuguesa.
Parágrafo único. O documento redigido em língua estrangeira somente poderá ser juntado
aos autos quando acompanhado de versão para a língua portuguesa tramitada por via
diplomática ou pela autoridade central, ou firmada por tradutor juramentado.

No caso, portanto, não é necessária a tradução por tradutor juramentado, uma


vez que tramitou regularmente por via diplomática.
A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 193, do NCPC, os atos processuais
podem ser total ou parcialmente digitais, de forma a permitir que sejam

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 80 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio eletrônico, na


forma da lei. Não há exceção à tramitação digital.

Questão 10 – CESPE/TJ-DFT – Técnico Judiciário –


Administrativa – 2015
Acerca dos atos processuais, julgue o item a seguir.
Situação hipotética: Fábio ajuizou ação ordinária contra Cláudio, que foi
citado por meio de carta precatória.
Assertiva: Nesse caso, o prazo para a resposta de Cláudio começa a correr
a partir da data da juntada, aos autos principais, da carta precatória
devidamente cumprida.

Comentários
A assertiva está incorreta.
Na realidade, a juntada da comunicação do cumprimento basta para iniciar o
prazo e não necessariamente a juntada a carta. Assim, torna-se incorreta a
assertiva à luz do NCPC. Estaria correta, se assim fosse: "Nesse caso, o prazo
para resposta de Cláudio começa a correr a partir da data da juntada da
comunicação de cumprimento pelo deprecado ou, se não houver, da junta da
carta precatória".
Vejamos os art. 231, VI, do NCPC:
Art. 231. Salvo disposição em sentido diverso, considera-se dia do começo do prazo: (...)
VI - a data de juntada do comunicado de que trata o art. 232 ou, não havendo esse, a
data de juntada da carta aos autos de origem devidamente cumprida, quando a citação ou
a intimação se realizar em cumprimento de carta;

Questão 11 – CESPE/TRE-RS – Analista Judiciário – Judiciária


– 2015 – adaptado ao NCPC
Consoante o Código de Processo Civil (CPC), os atos processuais realizar-se-
ão nos prazos prescritos em lei, sob pena de preclusão. Dessa forma, os
prazos têm a finalidade de impulsionar a marcha processual para se efetivar
a jurisdição. No que se refere a prazo processual, assinale a opção correta.
a) Segundo entendimento do STF, não se conta em dobro o prazo para
recorrer, quando um só dos litisconsortes houver sucumbido.
b) Ao juiz é permitido reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
c) Segundo o CPC, não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será
de dez dias o prazo para a prática do ato processual a cargo da parte.
d) A superveniência de férias ou feriado interromperá o curso do prazo
processual, iniciando-se novamente a contagem no primeiro dia útil seguinte
ao termo das férias ou do feriado.
e) Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão
contados em quádruplo os prazos para contestar e, em dobro, para recorrer.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 81 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Comentários
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão. Segundo a Súmula STF
641, não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando só um dos
litisconsortes haja sucumbido.
A alternativa B está incorreta. De acordo com o art. 222, §1º, do NCPC, é
vedado ao juiz reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
§ 1o Ao juiz é vedado reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.

Vamos aproveitar essa questão para tecer um esclarecimento: Falamos, no


contexto da aula, que não há mais sentido para que se faça a distinção entre
prazos dilatórios e peremptórios, uma vez que todos os prazos processuais
podem ser flexibilizados.
Esse é o entendimento que você deve seguir. Em face disso, o dispositivo acima
citado não faz muito sentido, de todo modo, como está expressamente previsto
no NCPC, devemos considerá-lo em eventual questão objetiva tal como a que
fizemos (adaptando-a ao NCPC) na alternativa acima.
A alternativa C está incorreta. Com base no art. 218, §3º, do NCPC, inexistindo
preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 dias o prazo para a
prática de ato processual a cargo da parte.
A alternativa D está incorreta. A superveniência de feriado forense ou do
recesso judiciário ao final do ano implica tão somente a suspensão dos prazos
processuais, que permanecerão congelados até serem novamente retomados,
pelo que resta.
A alternativa E está incorreta. Conforme art. 229, do NCPC, os litisconsortes
que tiverem diferentes procuradores, de escritórios de advocacia distintos, terão
prazos contados em dobro para todas as suas manifestações, em qualquer
juízo ou tribunal, independentemente de requerimento.

Questão 12 – CESPE/TJ-DFT – Analista Judiciário – Judiciária


– 2015
Com relação ao litisconsórcio, às nulidades e à atuação do juiz no processo
civil, julgue o item a seguir, de acordo com o CPC e com a jurisprudência
dos tribunais superiores.
Existe prazo em dobro para interposição de recurso para litisconsortes com
diferentes procuradores, ainda que, diante de determinada decisão do
processo, apenas um dos litisconsortes possua interesse em recorrer na
situação concreta.

Comentários
A assertiva está incorreta. Não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando
só um dos litisconsortes possua interesse em fazê-lo. Vejamos o art. 229, do
NCPC, o qual menciona que somente os litisconsortes que tiverem diferentes
procuradores, de escritórios de advocacia distintos, terão prazos contados em
dobro.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 82 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Além disso, de acordo com o entendimento da Corte Suprema, exarado na


Súmula STF 641, não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando só um
dos litisconsortes haja sucumbido.

Questão 13 – FGV/TJ-PI – Analista Judiciário – Escrivão


Judicial – 2015 – adaptada ao NCPC
A respeito dos atos processuais, é correto afirmar que:
a) o direito de consultar os autos de processo que corre em segredo de
justiça e de pedir certidões de seus atos é restrito às partes, seus
ascendentes e descendentes, bem como a seus procuradores;
b) correm em segredo de justiça, quando assim decidir o Juiz da causa, os
processos que dizem respeito a casamento, filiação, separação dos cônjuges,
conversão desta em divórcio, alimentos e guarda de menores;
c) os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
podem ser praticados pelo servidor, desde que à vista de determinação do
Juiz, que supervisionará a atuação;
d) a desistência da ação ou do recurso só produz efeito depois de
homologada judicialmente;
e) os atos e termos do processo devem ser assinados pelas pessoas que
neles intervieram, devendo o escrivão certificar nos autos quando não
quiserem ou não puderem fazê-lo, valendo a certidão independentemente
de testemunhas da ocorrência.

Comentários
A alternativa A está incorreta. Conforme art. 189, §1º, do NCPC, o direito de
consultar os autos de processo que corre em segredo de justiça e de pedir
certidões de seus atos é restrito às partes e aos seus procuradores.
A alternativa B está incorreta. De acordo com o art. 189, II, do NCPC, tramitam
em segredo de justiça, quando assim decidir o Juiz da causa, os processos que
dizem respeito a casamento, separação de corpos, divórcio, separação,
união estável, filiação, alimentos e guarda de crianças e adolescentes.
Não é necessária qualquer decisão do magistrado pela concessão, ou não, do
segredo de justiça nessas hipóteses, eles decorrem naturalmente em face da
regra trazida no NCPC.
A alternativa C está incorreta. Com base no art. 203, §4º, do NCPC, os atos
meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de
despacho, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz,
quando necessário.
A alternativa D está incorreta. Segundo o art. 200, do NCPC, a desistência da
ação só produzirá efeitos após homologação judicial. Não há necessidade de
homologação para desistência do recurso.
A alternativa E está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 209,
do NCPC:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 83 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 209. Os atos e os termos do processo serão assinados pelas pessoas que neles
intervierem, todavia, quando essas não puderem ou não quiserem firmá-los, o escrivão ou
o chefe de secretaria certificará a ocorrência.

Questão 14 – CAIP-IMES/DAE de São Caetano do Sul – SP –


Procurador Judicial – 2015 – adaptada ao NCPC
O artigo 212 do Novo Código de Processo Civil nos ensina que os atos
processuais realizar-se-ão em dias úteis, das:
a) 7 às 18 horas.
b) 8 às 18 horas.
c) 7 às 19 horas
d) 6 às 20 horas.

Comentários
Vejamos o art. 212, do NCPC, que menciona que os atos processuais serão
realizados em dias úteis, das 6 às 20 horas.
Art. 212. Os atos processuais serão realizados em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte)
horas.

Assim, a alternativa D está correta e é o gabarito da questão.

Questão 15 – FCC/DPE-RR – Oficial de Diligência – 2015


Os atos e termos processuais
a) não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente
a exigir, reputando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.
b) dependem sempre de forma determinada, a ser estabelecida pelo juiz em
caso de omissão da lei, reputando-se válidos os que, realizados de outro
modo, lhe preencham a finalidade essencial.
c) não dependem de forma determinada senão quando a lei expressamente
a exigir, reputando-se inválidos os realizados de outro modo, ainda que lhe
preencham a finalidade essencial.
d) dependem sempre de forma determinada, a ser estabelecida pelo juiz em
caso de omissão da lei, reputando-se inválidos os realizados de outro modo,
ainda que lhe preencham a finalidade essencial.
e) dependem sempre de forma determinada, conforme previsto em lei,
reputando-se inválidos os realizados de outro modo, ainda que lhe
preencham a finalidade essencial.

Comentários
A questão exige o conhecimento do art. 188, do NCPC.
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 84 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo


quando a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro
modo, lhe preencham a finalidade essencial.

A alternativa B, C, D e E estão incorretas, pois não estão de acordo com o art.


188.

Questão 16 – FCC/DPE-RR – Oficial de Diligência – 2015


Em determinada ação, o autor foi intimado pela Imprensa Oficial, na pessoa
do seu advogado, acerca da sentença de improcedência do pedido. O prazo
para o autor recorrer dessa sentença
a) interrompe-se nos feriados.
b) não se prorroga se o vencimento cair em feriado, caso em que o termo
final é antecipado ao primeiro dia útil antecedente.
c) corre em domingos ou feriados, ainda que iniciado em dia útil.
d) computar-se-á excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
e) conta-se em triplo, caso esteja representado por defensor público.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 220, o curso do prazo
processual é suspendido e não interrompidos, em feriados.
A alternativa B está incorreta. Com base no art. 244, §1º, prorroga-se, se o
vencimento cair em feriado, para o primeiro dia útil seguinte.
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.
§ 1o Os dias do começo e do vencimento do prazo serão protraídos para o primeiro dia útil
seguinte, se coincidirem com dia em que o expediente forense for encerrado antes ou
iniciado depois da hora normal ou houver indisponibilidade da comunicação eletrônica.

A alternativa C está incorreta. Pelo NCPC, a contagem dos prazos ocorre apenas
em dias úteis. Desse modo, ao contrário do afirmado, NÃO corre em domingos
ou feriados.
A alternativa D está correta e é o gabarito da questão, pois está previsto no art.
224, do NCPC:
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.

A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 186, do NCPC, conta-se em dobro,


caso esteja representado por defensor público.
Art. 186. A Defensoria Pública gozará de prazo em dobro para todas as suas
manifestações processuais.

Questão 17 – FCC/TJ-PI – Juiz Substituto – 2015 – adaptado


ao NCPC
Considere os enunciados abaixo.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 85 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

I. Os atos processuais realizar-se-ão nos prazos prescritos em lei, sendo


defesa ao juiz a fixação de prazos judiciais, salvo para diligências periciais
ou para cumprimento de cartas precatórias.
II. Quaisquer prazos podem ser prorrogados pelas partes, desde que
estejam de comum acordo, mas a convenção só valerá se fundada em
motivo legítimo e se for requerida antes do vencimento do prazo.
III. O prazo, estabelecido pela lei ou pelo juiz, é contínuo, não se
suspendendo nos feriados.
IV. A superveniência de férias suspenderá o curso do prazo, o que lhe sobejar
recomeçará a correr do primeiro dia útil seguinte ao termo das férias.
Está correto o que consta APENAS em
a) I e II.
b) I, II e III.
c) II e IV.
d) II, III e IV.
e) I, III e IV.

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está incorreto. De acordo com o art. 218, §1º, os atos processuais serão
realizados nos prazos prescritos em lei. Quando a lei for omissa, o juiz
determinará os prazos em consideração à complexidade do ato.
Art. 218. Os atos processuais serão realizados nos prazos prescritos em lei.
§ 1o Quando a lei for omissa, o juiz determinará os prazos em consideração à complexidade
do ato.

O item II está correto. Devemos lembrar que, à luz do NCPC, admite-se a dilação
de todos os prazos processuais, desde que fundado em motivo legítimo e seja
requerido antes de findo o prazo.
O item III está incorreto. Ao contrário do afirmado, há suspensão do prazo em
feriados.
O item IV está correto.
Art. 220. Suspende-se o curso do prazo processual nos dias compreendidos entre 20 de
dezembro e 20 de janeiro, inclusive.

Dessa forma, a alternativa C está correta e é o gabarito da questão.

Questão 18 – FCC/TRT9ªR-PR – AJAJ – 2015 – adaptada ao


NCPC
Em relação aos prazos processuais, considere:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 86 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

I. O juiz poderá, nas comarcas em que for difícil o transporte, prorrogar


quaisquer prazos, mas nunca por mais de dois meses, salvo em caso de
calamidade pública, quando então poderá ser excedido esse limite temporal.
II. Decorrido o prazo, deverá o juiz declarar a extinção do direito de praticar
o ato processual − como requisito para a extinção −, salvo se a parte provar
que o não realizou por justa causa.
III. Salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos em dias úteis,
excluindo o dia do começo e incluindo o do vencimento.
IV. Não havendo preceito legal nem determinação pelo juiz, será de dez dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
V. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor.
Está correto o que se afirma APENAS em:
a) I, III e V.
b) I, II, III e IV.
c) II, III, IV e V.
d) I, II, IV e V.
e) III, IV e V.

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está correto, conforme previsto no art. 222, do NCPC.
Art. 222. Na comarca, seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz
poderá prorrogar os prazos por até 2 (dois) meses.
§ 1o Ao juiz é vedado reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
§ 2o Havendo calamidade pública, o limite previsto no caput para prorrogação de
prazos poderá ser excedido.

O item II está incorreto. De acordo com o art. 223, do NCPC, decorrido o prazo,
extingue-se o direito de praticar ou de emendar o ato processual,
independentemente de declaração judicial, ficando assegurado à parte, porém,
provar que não o realizou por justa causa.
Art. 223. Decorrido o prazo, extingue-se o direito de praticar ou de emendar o ato
processual, independentemente de declaração judicial, ficando assegurado, porém, à
parte provar que não o realizou por justa causa.

O item III está correto, pois se refere ao art. 224, do NCPC.


Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.

O item IV está incorreto. Com base no art. 218, §3º, do NCPC, inexistindo o
preceito legal e a determinação pelo juiz, será de cinco dias o prazo para a prática
de ato processual a cargo da parte.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 87 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

O item V está correto, pois reproduz o art. 225, do NCPC:


Art. 225. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor,
desde que o faça de maneira expressa.

Portanto, a alternativa A está correta e é o gabarito da questão.

Questão 19 – FUNCAB/CRF-RO – Advogado – 2015


Segundo o NCPC, tratando-se da Fazenda Pública ou do Ministério Público, o
prazo para recorrer contar-se-á:
a) pela regra comum.
b) em dobro.
c) em triplo.
d) em quádruplo.
e) em quíntuplo.

Comentários
De acordo com o art. 180, do NCPC, o Ministério Público gozará de prazo em
dobro para se manifestar nos autos, que terá início a partir de sua intimação
pessoal.
Art. 180. O Ministério Público gozará de prazo em dobro para manifestar-se nos autos, que
terá início a partir de sua intimação pessoal, nos termos do art. 183, § 1o.

Dessa forma, a alternativa B está correta e é o gabarito da questão.

Questão 20 – FCC/TRE-AP – AJAA – 2015 - adaptada


Considere a seguinte situação hipotética: Determinado ato processual
deverá ser praticado pela parte no prazo de cinco dias. A publicação efetiva
para cumprimento deste ato ocorreu no dia 14 de Outubro de 2015 (sexta-
feira). O último dia do prazo processual em questão foi
a) 24 de Outubro de 2016.
b) 20 de Outubro de 2016.
c) 21 de Outubro de 2016.
d) 23 de Outubro de 2016.
e) 22 de Outubro de 2016.

Comentários
Conforme o art. 224, os prazos serão contados excluindo o dia do começo e
incluindo o dia do vencimento, protraídos para o primeiro dia útil seguinte.
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.
§ 1o Os dias do começo e do vencimento do prazo serão protraídos para o primeiro dia
útil seguinte, se coincidirem com dia em que o expediente forense for encerrado antes ou
iniciado depois da hora normal ou houver indisponibilidade da comunicação eletrônica.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 88 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

§ 2o Considera-se como data de publicação o primeiro dia útil seguinte ao da disponibilização


da informação no Diário da Justiça eletrônico.
§ 3o A contagem do prazo terá início no primeiro dia útil que seguir ao da
publicação.

Como a publicação efetiva ocorreu na sexta-feira, a contagem do prazo se dará


no dia útil seguinte. Logo, devemos desconsiderar sábado e domingo – dias 15 e
16.
O primeiro dia útil do prazo será no dia 17, que terminará no dia 21, sexta-feira.
Assim, a alternativa C está correta e é o gabarito da questão.

Questão 21 – TRT 21ªR-RN/ TRT 21ªR-RN – Juiz do Trabalho


Substituto – 2015 - adaptada ao NCPC
Avalie os itens abaixo, a respeito do tema Atos, Prazo e Despesas
Processuais, e, seguindo a legislação atualmente aplicada e a jurisprudência
majoritária, assinale a assertiva correta:
I - Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz,
computar-se-ão somente os dias úteis.
II – Apenas o Ministério Público poderá representar ao corregedor do tribunal
ou ao Conselho Nacional de Justiça contra juiz ou relator que
injustificadamente exceder os prazos previstos em lei, regulamento ou
regimento interno
III - Não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando só um dos
litisconsortes haja sucumbido.
IV - O juiz poderá, nas comarcas onde for difícil o transporte, prorrogar
quaisquer prazos, mas nunca por mais de dois meses.
a) apenas as assertivas III e IV estão corretas;
b) apenas as assertivas II e III estão corretas;
c) apenas as assertivas I, III e IV estão corretas;
d) apenas as assertivas II e IV estão corretas;
e) apenas as assertivas II, III e IV estão corretas.

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está correto, conforme art. 219, do NCPC:
Art. 219. Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz, computar-se-ão
somente os dias úteis.

O item II está incorreto, pois, de acordo com o caput, do art. 235, do NCPC, a
parte, o Ministério Público ou a Defensoria podem representar contra o
magistrado por excesso de prazo:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 89 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

II. A parte poderá renunciar prazo estabelecido exclusivamente em seu


favor.
III. Não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de cinco dias
a prática de ato processual a cargo da parte.
Assinale a alternativa correta:
a) Apenas a assertiva II é verdadeira.
b) Apenas a assertiva III é verdadeira.
c) Apenas as assertivas I e III são verdadeiras.
d) Todas as assertivas são verdadeiras.

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está correto, pois está previsto no art. 218, §2º, do NCPC.
§ 2o Quando a lei ou o juiz não determinar prazo, as intimações somente obrigarão a
comparecimento após decorridas 48 (quarenta e oito) horas.

O item II está correto, conforme art. 225, do NCPC:


Art. 225. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor,
desde que o faça de maneira expressa.

O fato de o item não referir “desde que o faça de maneira expressa” não torna o
item incorreto, mas apenas incompleto.
O item III está correto, conforme art. 118, §3º, do NCPC:
§ 3o Inexistindo preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 (cinco) dias o prazo
para a prática de ato processual a cargo da parte.

Portanto, a alternativa D está correta e é o gabarito da questão.

Questão 24 – FCC/TRT 23ªR-MT – Juiz do Trabalho Substituto


– 2015 - adaptada
Determinando o juiz que o perito apresente o laudo em cartório até 10 dias
antes da audiência que se realizará em 27 de outubro de 2016 (quinta-feira),
o último dia do prazo, considerando-se inexistir feriado no período, será
a) 13 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
b) 14 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
c) 12 de outubro, porque descontando-se 10 dias úteis a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
d) 17 de outubro, porque descontando-se 10 dias a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.
e) 18 de outubro, porque descontando-se 10 dias a contar da audiência
chega-se ao dia 27, dia da audiência.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 91 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

a) Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito


às partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para
ajustá-lo às especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus,
poderes, faculdades e deveres processuais, antes ou durante o processo.
b) Os atos processuais devem ser totalmente digitais, de forma a permitir
que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio
eletrônico, na forma da lei.
c) Podem as partes lançar, nos autos, cotas marginais ou interlineares,
inclusive eletrônicas, desde que respeitado o contraditório.
d) Enquanto sentença é a decisão final proferida pelo juízo de primeiro grau,
acórdão designa qualquer decisão proferida em um tribunal.
e) Quando o réu for ao Ministério Público, computar-se-á em quádruplo para
as manifestações nos autos.

Comentários
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 190,
do NCPC.
Art. 190. Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito às
partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para ajustá-lo às
especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus, poderes, faculdades e deveres
processuais, antes ou durante o processo.

A alternativa B está incorreta. De acordo com o art. 193, do NCPC, os atos


processuais podem ser total ou parcialmente digitais.
Art. 193. Os atos processuais podem ser total ou parcialmente digitais, de forma a
permitir que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio eletrônico,
na forma da lei.
Parágrafo único. O disposto nesta Seção aplica-se, no que for cabível, à prática de atos
notariais e de registro.

A alternativa C está incorreta. Conforme art. 202, do NCPC, é vedado lançar


nos autos cotas marginais ou interlineares.
Art. 202. É vedado lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz
mandará riscar, impondo a quem as escrever multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

A alternativa D está incorreta. Acórdãos são as decisões colegiadas dos


Tribunais. É importante atentar-se que existem, no âmbito dos tribunais, decisões
monocráticas que não são colegiadas e, portanto, não são denominadas de
acórdãos.
A alternativa E está incorreta. Com base no art. 180, do NCPC, o Ministério
Público gozará de prazo em dobro para manifestar-se nos autos.
Art. 180. O Ministério Público gozará de prazo em dobro para manifestar-se nos autos,
que terá início a partir de sua intimação pessoal, nos termos do art. 183, § 1o.

Questão 26 – FCC/MPE-PB – Técnico Ministerial – Sem


Especialidade – 2015 – adaptada ao NCPC

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 93 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A respeito dos atos processuais, é correto afirmar:


a) Os prazos começam a correr no dia da intimação, quando as partes saírem
intimadas da audiência.
b) A citação com hora certa não necessita de nova determinação judicial
para que se realize.
c) A parte não pode renunciar o prazo estabelecido exclusivamente em seu
favor.
d) Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados inclusão o dia do
começo e exclusão o dia do vencimento.
e) Considera-se como data de publicação o dia seguinte ao da
disponibilização da informação no Diário da Justiça eletrônico,
independentemente de ser dia útil.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 224, §3º, do NCPC, o prazo
começa a correr no primeiro dia útil que seguir.
A alternativa B está correta e é o gabarito da questão. Vejamos o art. 253, do
NCPC:
Art. 253. No dia e na hora designados, o oficial de justiça, independentemente de novo
despacho, comparecerá ao domicílio ou à residência do citando a fim de realizar a
diligência.

A citação por hora certa será estudada melhor adiante.


A alternativa C está incorreta. Conforme art. 225, do NCPC, a parte poderá
renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor.
Art. 225. A parte poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor,
desde que o faça de maneira expressa.

A alternativa D está incorreta, de acordo com o caput, do art. 224, o NCPC,


salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.
A alternativa E está incorreta, pois o art. 224, §2º, do NCPC, prevê que se
considera como data de publicação o primeiro dia útil seguinte ao da
disponibilização da informação no Diário da Justiça eletrônico.

Questão 27 – FGV/DPE-RO – Técnico da Defensoria Pública –


Técnico Administrativo – 2015
Os atos e termos processuais não dependem de forma determinada senão
quando a lei expressamente a exigir. Outrossim, os atos podem ser
classificados em atos da parte, do juiz e do escrivão. Em relação aos atos a
seguir elencados. É correto afirmar que:
a) sentença é o ato pelo qual o juiz, no curso do processo, resolve questão
incidente;

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 94 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

b) despachos são todos os atos do juiz que encerram o processo, com ou


sem resolução do mérito;
c) sentença é o julgamento proferido pelos tribunais;
d) a juntada e a vista obrigatória, independem de despacho do juiz, devendo
ser praticados de ofício pelo servidor;
e) os despachos, decisões, sentenças e acórdãos serão redigidos e assinados
pelo escrivão.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 203, §1º, do NCPC,
sentença é o pronunciamento por meio do qual o juiz põe fim à fase cognitiva do
procedimento comum, bem como extingue a execução.
A alternativa B está incorreta. Conforme art. 203, §3º, do NCPC, são despachos
todos os demais pronunciamentos do juiz praticados no processo, de ofício ou a
requerimento da parte, que não se enquadrem como atos decisórios.
A alternativa C está incorreta. Com base no art. 204, do NCPC, acórdão é o
julgamento colegiado proferido pelos tribunais.
A alternativa D está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 203,
§4º, do NCPC:
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de
despacho, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz quando
necessário.

A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 205, do NCPC, os despachos, as


decisões, as sentenças e os acórdãos serão redigidos, datados e assinados
pelos juízes.

Questão 28 – VUNESP/TJ-SP – Escrevente Técnico Judiciário –


2015
Os atos processuais são atos das partes, do juiz e dos auxiliares da Justiça,
e a eles são assinalados prazos para cumprimento. Nesse caso, assinale a
alternativa correta.
a) A parte não poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em
seu favor.
b) Não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de cinco dias o
prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
c) Salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos, incluindo-se o
dia do começo e o do vencimento.
d) Decorrido o prazo, extingue-se, mediante declaração judicial, o direito de
praticar o ato.
e) Os atos processuais realizar-se-ão nos prazos prescritos em lei. Quando
esta for omissa, o juiz determinará que os prazos se cumpram em cinco dias.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 95 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 225, do NCPC, a parte
poderá renunciar ao prazo estabelecido exclusivamente em seu favor, desde que
o faça de maneira expressa.
A alternativa B está correta e é o gabarito da questão, pois está previsto no art.
218, §3º, do NCPC:
§ 3o Inexistindo preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 (cinco) dias o prazo
para a prática de ato processual a cargo da parte.

A alternativa C está incorreta. Conforme art. 224, do NCPC, salvo disposição


em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do começo e incluindo
o dia do vencimento.
A alternativa D está incorreta. Com base no art. 223, do NCPC, decorrido o
prazo, extingue-se o direito de praticar ou de emendar o ato processual,
independentemente de declaração judicial, ficando assegurado, porém, à
parte provar que não o realizou por justa causa.
A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 218, §1º, do NCPC, os atos
processuais serão realizados nos prazos prescritos em lei. Quando a lei for
omissa, o juiz determinará os prazos levando em consideração à
complexidade do ato.

Questão 29 – FCC/MANAUSPREV – Procurador Autárquico –


2015
Os atos processuais
a) podem ser praticados, no processo, por meio de cotas marginais ou
interlineares.
b) são sempre públicos a fim de dar transparência ao Poder Judiciário.
c) podem ser aproveitados se atingirem sua finalidade, mesmo quando
realizados por meio diverso ao previsto em lei.
d) têm forma prescrita em lei como regra geral, excepcionalmente não
obedecendo a formas determinadas.
e) que comportem a desistência da demanda produzem efeito imediato se
requerida antes da citação do réu.

Comentários
A alternativa A está incorreta. Conforme art. 202, do NCPC, é vedado lançar
nos autos cotas marginais ou interlineares.
Art. 202. É vedado lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz
mandará riscar, impondo a quem as escrever multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

Note que esse dispositivo é simples, porém, recorrente em provas.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 96 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa B está incorreta. Com base no art. 189, os atos processuais são
públicos, todavia, alguns deles podem vir, em situações excepcionais, a tramitar
em segredo de justiça.
A alternativa C está correta e é o gabarito da questão. Vejamos ao art. 188, do
NCPC:
Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo quando
a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.

A alternativa D está incorreta. Como já mencionado, o art. 188, do NCPC, traz


que os atos e os termos processuais independem de forma determinada. É o
contrário do afirmado na alternativa. A regra é a liberdade de formas.
A alternativa E está incorreta. De acordo com o art. 200, parágrafo único, do
NCPC, a desistência da ação só produzirá efeitos após a homologação judicial.
Parágrafo único. A desistência da ação só produzirá efeitos após homologação
judicial.

Questão 30 – FCC/TJ-PE – Juiz Substituto – 2015 - adaptada


ao NCPC
Quanto ao tempo e lugar dos atos processuais, é INCORRETO afirmar que:
a) são excepcionais os atos processuais praticados nos feriados forenses
b) a citação e a penhora poderão, em casos excepcionais, realizar-se em
domingos e feriados, ou nos dias úteis, fora do horário legalmente
estabelecido, observado o disposto na Constituição Federal, a respeito da
inviolabilidade da casa do indivíduo.
c) podem ser concluídos após o horário legal os atos processuais, se houver
perigo de grave dano ou prejuízo à diligência com o adiamento.
d) como regra geral, os atos processuais realizam-se na sede do juízo.
e) não se praticarão quaisquer atos processuais durante os recessos
forenses, bem como aos sábados.

Comentários
A alternativa A está correta. De fato, os atos processuais praticados nos feriados
forenses são excepcionais, a regra é a prática de atos em dias úteis entre as 6 e
20 horas.
Confira:
Art. 212. Os atos processuais serão realizados em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte)
horas.
§ 1o Serão concluídos após as 20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o adiamento
prejudicar a diligência ou causar grave dano.
§ 2o Independentemente de autorização judicial, as citações, intimações e penhoras
poderão realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e nos feriados ou dias
úteis fora do horário estabelecido neste artigo, observado o disposto no art. 5o, inciso XI,
da Constituição Federal.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 97 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa B está correta, pois está previsto no art. 212, §2º, do NCPC,
independentemente de autorização judicial, que as citações, as intimações e os
penhoras poderão realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e
nos feriados ou dias úteis fora do horário.
A alternativa C está correta, conforme citado acima.
A alternativa D está correta. Com base no art. 217, do NCPC, os atos
processuais realizar-se-ão ordinariamente na sede do juízo, ou,
excepcionalmente, em outro lugar, em razão de deferência, de interesse da
justiça, da natureza do ato ou de obstáculo arguido pelo interessado e acolhido
pelo juiz.
A alternativa E está incorreta e é o gabarito da questão. De acordo com o art.
212, §2º, do NCPC, independentemente de autorização judicial, as citações, as
intimações e os penhoras poderão realizar-se no período de férias forenses.
Confira, ainda, o art. 214, do NCPC:
Art. 214. Durante as férias forenses e nos feriados, não se praticarão atos
processuais, excetuando-se:
I - os atos previstos no art. 212, § 2o;
II - a tutela de urgência.

Questão 31 – FCC/TRE-RR – Analista Judiciário – Área


Judiciária – 2015 – adaptada ao NCPC
Gabriel é advogado recém-formado. No final do ano de 2014 ele fez carga
de um processo que estava com prazo para manifestação. Após o recesso
forense, Gabriel não devolveu os autos uma vez que os esqueceu em sua
chácara na cidade de Caracaraí. Neste caso, de acordo com o Código de
Processo Civil, se Gabriel for devidamente intimado para devolver os autos,
terá o prazo de
a) 48 horas sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer
em multa, correspondente à metade do salário mínimo vigente na sede do
juízo.
b) 24 horas sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer
em multa, correspondente a dois salários mínimos vigente na sede do juízo.
c) 2 dias sob pena de incorrer em multa, correspondente a um salário
mínimo vigente na sede do juízo.
d) 24 horas sob pena de incorrer em multa, correspondente a um salário
mínimo vigente na sede do juízo
e) 3 dias sob pena de perder o direito à vista fora de cartório e incorrer em
multa, correspondente à metade do salário mínimo vigente na sede do juízo.

Comentários
Com base no art. 243, §2º, do NCPC, se o advogado for intimado e não devolver
os autos no prazo de 3 dias, perderá o direito à vista fora de cartório e incorrerá
em multa correspondente à metade do salário-mínimo.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 98 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Dessa forma, a alternativa E está correta e é o gabarito da questão.

Questão 32 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015
Os atos processuais do juiz
a) precisam ser provocados pelas partes.
b) podem ser praticados pelo escrivão, sem exceção, desde que revistos pelo
juiz.
c) se limitam a resolver questões incidentes no curso do processo.
d) precisam conter relatório, os fundamentos e dispositivo, se consistentes
em sentença.
e) consistirão em sentenças, decisões ordinatórias e despachos.

Comentários
A alternativa A está incorreta. As partes possuem liberdade para a prática de
atos processuais que geram efeitos de forma imediata.
A alternativa B está incorreta. Com base no art. 203, §4º, do NCPC, os atos
processuais podem ser praticados pelo servidor e revistos pelo juiz quando
necessário.
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de
despacho, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz quando
necessário.

A alternativa C está incorreta, pois não há tal previsão. Apenas decisões


interlocutórias decidem incidentes e serão praticadas pelo magistrado, não pelas
partes.
A alternativa D está correta e é o gabarito da questão, pois está previsto no art.
489, do NCPC
Art. 489. São elementos essenciais da sentença:
I - o relatório, que conterá os nomes das partes, a identificação do caso, com a suma do
pedido e da contestação, e o registro das principais ocorrências havidas no andamento do
processo;
II - os fundamentos, em que o juiz analisará as questões de fato e de direito;
III - o dispositivo, em que o juiz resolverá as questões principais que as partes lhe
submeterem.

Muito embora seja assunto a ser melhor estudado em outra aula, desde já você
pode memorizar que a estrutura da sentença ou do acórdão é composta por
relatório, fundamentos e dispositivo.
A alternativa E está incorreta. De acordo com o art. 203, do NCPC, os
pronunciamentos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e
despachos.
Art. 203. Os pronunciamentos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias
e despachos.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 99 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Não existe a figura das “decisões ordinatórias”.

Questão 33 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015 – adaptada ao NCPC
Segundo as regras do Código de Processo Civil:
a) à, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao defensor público e
aos auxiliares da justiça não é facultado rubricar as folhas correspondentes
aos atos em que intervieram.
b) é possível lançar nos autos cotas marginais ou interlineares desde que
não ofensivas ao juiz ou a qualquer das partes.
c) os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais
de vontade produzem imediatamente a constituição, a modificação ou a
extinção de direitos processuais.
d) é facultada a utilização de abreviaturas nos atos e termos do processo.
e) a desistência da ação produzirá efeito independentemente de
homologação por sentença.

Comentários
A alternativa A está incorreta. O art. 207, do NCPC, determina que à parte, ao
procurador, ao membro do Ministério Público, ao defensor público e aos auxiliares
da justiça é facultado rubricar as folhas correspondentes aos atos em que
intervierem.
A alternativa B está incorreta. De acordo com o art. 202, do NCPC, é vedado
lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz mandará riscar,
impondo, a quem as escrever, multa correspondente à metade do salário-
mínimo.
A alternativa C está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 200,
do NCPC:
Art. 200. Os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de
vontade produzem imediatamente a constituição, modificação ou extinção de direitos
processuais.
Parágrafo único. A desistência da ação só produzirá efeitos após homologação judicial.

A alternativa D está incorreta, pios não há referência nesse sentido no NCPC. O


que se admite é a utilização da taquigrafia e da estenotipia, ou de outro método
idôneo em qualquer juízo ou tribunal, pelo servidor para a prática de atos orais.
Da forma como a alternativa foi criada, ela ficou genérica em excesso, motivo
que faz com que esteja incorreta.
A alternativa E está incorreta. Conforme art. 200, parágrafo único (acima
citado), a desistência da ação só produzirá efeitos após homologação judicial.

Questão 34 – FCC/CNMP – Técnico do CNMP – Administração


– 2015 – adaptado ao NCPC

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 100 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Quanto aos prazos para a prática dos atos processuais, prescreve o Código
de Processo Civil que:
a) o juiz poderá, nas comarcas onde for difícil o transporte, prorrogar tantos
os prazos, mas nunca por mais de trinta dias.
b) dentre outros, o prazo para interposição de recurso, para apresentar
resposta e para se manifestar sobre o laudo perícia não podem ser alterados
pela parte.
c) não havendo preceito legal nem assinação pelo juiz, será de 5 (cinco) dias
o prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.
d) salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos a partir do dia
da intimação.
e) é impossível às partes reduzir ou prorrogar os prazos.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 222, do NCPC, na comarca,
seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz poderá prorrogar
os prazos por até 2 meses.
A alternativa B e E estão incorretas, pois, como estudado, os prazos podem ser
flexibilizados pelas partes.
A alternativa C está correta e é o gabarito da questão, pois se refere ao art.
218, §3º, do NCPC:
§ 3o Inexistindo preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 (cinco) dias o prazo
para a prática de ato processual a cargo da parte.

A alternativa D está incorreta. Segundo o art. 224, os prazos serão contados


excluindo o dia do começo e incluindo o dia do vencimento.

Questão 35 – CEFET-BA/MPE-BA – Promotor de Justiça


Substituto – 2015 – adaptado ao NCPC
Quanto a prazos e sua aplicação, é CORRETO afirmar que:
a) Devem ser cumpridos pelas partes, sob pena de preclusão temporal,
perdendo a parte, por omissão, a faculdade processual da prática do ato.
b) Os prazos legais podem ser modificados a critério do julgador.
c) Diz-se da preclusão consumativa tratar-se da prática de ato compatível
com outro anteriormente praticado pela parte.
d) Os prazos não podem ser alterados pela vontade das partes
e) Os atos processuais não estão sujeitos à preclusão.

Comentários
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão. Essa é a principal
consequência, caso não seja praticado o ato processual pela parte.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 101 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa B está incorreta. Conforme art. 218, §1º, do NCPC, somente é


dado ao juiz fixar um prazo na ausência do prazo fixado pela lei.
Art. 218. Os atos processuais serão realizados nos prazos prescritos em lei.
§ 1o Quando a lei for omissa, o juiz determinará os prazos em consideração à complexidade
do ato.

A alternativa C está incorreta. A conceituação é da preclusão lógica. A preclusão


consumativa é decorrente da prática do ato processual.
A alternativa D está incorreta, pois é admissível a alteração de prazos pela
vontade das partes.
A alternativa E está incorreta, pois os atos processuais estão sujeitos a prazos
que implicam preclusão se não forem praticados no tempo oportuno.

Questão 36 – FCC/TRT24ªR-MS – Juiz do Trabalho Substituto


– 2014
Quanto a prazos e preclusão, é correto afirmar:
a) os prazos das partes e dos terceiros intervenientes em regra são próprios,
tendo de ser respeitados sob pena de preclusão temporal, com a perda da
faculdade processual da prática do ato.
b) os atos processuais judiciais não estão sujeitos a preclusão em nenhuma
hipótese.
c) a preclusão consumativa consiste na perda da faculdade processual de
praticar um ato que seja logicamente incompatível com outro consumado
anteriormente.
d) os prazos cogentes são dilatórios, podendo ser alterados pela vontade das
partes.
e) é possível às partes, desde que de acordo, prorrogar os prazos
peremptórios.

Comentários
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão. Prazos próprios são
aqueles cujo vencimento acarreta preclusão temporal, ou seja, a perda da
faculdade processual pelo decurso do tempo.
A alternativa B está incorreta. Os atos processuais judiciais estão sujeitos à
preclusão em nenhuma hipótese.
A alternativa C está incorreta. A preclusão lógica consiste na perda da
faculdade processual de praticar um ato que seja logicamente incompatível com
outro consumado anteriormente.
A preclusão consumativa ocorre pela própria prática do ato que, uma vez
realizado, não poderá mais ser renovado ou complementado.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 102 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa D está incorreta. Os prazos cogentes são peremptórios, e não


dilatórios, não podendo ser alterados pela vontade das partes. Vejamos o art.
222, §1º, do NCPC.
Art. 222. Na comarca, seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz
poderá prorrogar os prazos por até 2 (dois) meses.
§ 1o Ao juiz é vedado reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.

A alternativa E está incorreta. Às partes é permitido, em comum acordo, reduzir


ou prorrogar os prazos dilatórios, mas não os prazos peremptórios.

Questão 37 – FCC/DPE-CE – Defensor Público de Entrância


Inicial – 2014
Quanto aos atos processuais, sua forma e prazos:
a) salvo disposição em contrário, computar-se-ão os prazos, incluindo o dia
do começo e excluindo o do vencimento.
b) são válidos os atos processuais que, realizados de forma diversa da
prevista em lei, lhe preencham a finalidade essencial.
c) quando a lei não marcar outro prazo, as intimações somente obrigarão a
comparecimento depois de decorridos cinco dias.
d) por mandamento constitucional, que se sobrepõe à lei processual civil,
entende-se hoje que todos os atos processuais são públicos, sem exceção.
e) desde que de comum acordo, podem as partes dilatar quaisquer prazos,
mas não reduzi-los, o que é defeso inclusive ao órgão jurisdicional.

Comentários
A alternativa A está incorreta. Vejamos o art. 224, do NCPC.
Art. 224. Salvo disposição em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do
começo e incluindo o dia do vencimento.

A alternativa B está correta e é o gabarito da questão, pois se refere ao art.


188.
Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo quando
a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.

A alternativa C está incorreta. De acordo com o art. 218, §2º, do NCPC, quando
a lei não marcar outro prazo, as intimações somente obrigarão o comparecimento
depois de decorridas 48 horas.
§ 2o Quando a lei ou o juiz não determinar prazo, as intimações somente obrigarão a
comparecimento após decorridas 48 (quarenta e oito) horas.

A alternativa D está incorreta. Com base no art. 5º, LX, da CF, a lei só poderá
restringir a publicidade dos atos processuais quando a defesa da intimidade ou o
interesse social o exigirem.
A alternativa E está incorreta, pois a partes podem flexibilizar os prazos
processuais, reduzindo-os ou aumentando-os.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 103 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Questão 38 – FCC/TCE-GO – Analista de Controle Externo –


Jurídica – 2014
Num procedimento ordinário há dois réus, ambos representados pelo mesmo
advogado. Na audiência, o juiz ordenou que os réus se manifestassem sobre
documento juntado pelo autor, sem fixar prazo. Nesse caso, o prazo para
manifestação será de
a) 3 dias, iniciando-se no dia da audiência.
b) 10 dias, iniciando-se no primeiro dia útil subsequente à audiência.
c) 5 dias, iniciando-se no dia da audiência.
d) 10 dias, iniciando-se no dia da audiência.
e) 5 dias, iniciando-se no primeiro dia útil subsequente à audiência.

Comentários
Com base no art. 218, §3º, do NCPC, não existindo preceito legal ou prazo
determinado pelo juiz, será de 5 dias para a prática de ato processual a cargo da
parte.
§ 3o Inexistindo preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 (cinco) dias o
prazo para a prática de ato processual a cargo da parte.

Quanto à contagem do prazo, atenção. O termo a quo do prazo é o dia da


audiência, contudo, o curso começa apenas no dia seguinte.
Portanto, a alternativa E está correta e é o gabarito da questão.

Questão 39 – FCC/TCE-GO – Analista de Controle Externo –


Jurídica – 2014
Considere:
I. Perda da faculdade processual em função do decurso do prazo previsto em
lei ou assinado pelo juiz sem o seu exercício.
II. Perda da faculdade processual em razão da prática de ato incompatível
com aquele que se pretende realizar. Os conceitos acima dizem respeito,
respectivamente, à preclusão
Os conceitos acima dizem respeito, respectivamente, à preclusão
a) lógica e consumativa.
b) temporal e lógica.
c) lógica e temporal.
d) temporal e consumativa
e) consumativa e temporal.

Comentários
São três espécies tradicionais de preclusão:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 104 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 Preclusão temporal: é a extinção da faculdade de praticar um


determinado ato processual em virtude de haver decorrido o prazo fixado
na lei.
 Preclusão lógica: é a extinção da faculdade de praticar um determinado
ato processual em virtude da não compatibilidade de um ato com outro já
realizado.
 Preclusão consumativa: é a extinção da faculdade de praticar um
determinado ato processual em virtude de já haver ocorrido a oportunidade
para tanto.
Dessa forma, o item I se refere à preclusão temporal e o item II à preclusão
lógica. Portanto, a alternativa B está correta e é o gabarito da questão.

Questão 40 – FGV/TJ-GO – Analista Judiciário – Oficial de


Justiça Avaliador – 2014
Maria propõe demanda judicial em face de João, pleiteando danos materiais
e morais decorrentes do fato deste ter quebrado a janela de sua casa com
uma bola de futebol. O réu, em contestação, não nega o fato e afirma
reconhecer a procedência do pedido do dano material. Afirma que reconhece
ter quebrado a janela da casa da autora e que deve reparar esse dano.
Todavia, impugna qualquer pedido de dano moral sobre esse fato, alegando
que ninguém se machucou e que a casa estava vazia quando do ocorrido.
Portanto, apresenta defesa em relação ao dano moral pleiteado e protesta
por provas para comprovar sua alegação. O juiz do feito, em seu
pronunciamento, reconhece a procedência do pedido de dano material e
determina a produção das provas requeridas pelas partes para apurar a
existência de dano moral no caso. A natureza jurídica do ato do julgador que
reconheceu a procedência do pedido em relação ao dano material é
considerado:
a) sentença definitiva, pois reconheceu a procedência do pedido e pôs fim
ao mérito da causa;
b) decisão interlocutória, pois não houve a resolução do mérito total, eis que
ainda segue a relação processual com a demanda sobre o dano moral;
c) despacho, pois o juiz apenas concordou com as partes sem resolver a lide;
d) sentença terminativa, pois não haverá resolução do mérito, eis que o réu
concordou com o pedido;
e) sentença determinativa, pois o processo continua para provimento final.

Comentários
Os pronunciamentos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e
despachos e estão previstos no art. 203, do NCPC.
Art. 203. Os pronunciamentos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias e
despachos.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 105 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

§ 1o Ressalvadas as disposições expressas dos procedimentos especiais, sentença é o


pronunciamento por meio do qual o juiz, com fundamento nos arts. 485 e 487, põe fim à
fase cognitiva do procedimento comum, bem como extingue a execução.
§ 2o Decisão interlocutória é todo pronunciamento judicial de natureza decisória que não se
enquadre no § 1o.
§ 3o São despachos todos os demais pronunciamentos do juiz praticados no processo, de
ofício ou a requerimento da parte.
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de
despacho, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz quando
necessário.

São dois pedidos formulados:


 condenação do réu ao pagamento de danos materiais; e
 condenação do réu ao pagamento de danos morais.

Em relação aos danos materiais, a parte ré reconheceu o pedido da parte autora.


Opôs-se, entretanto, em relação ao pagamento de danos morais.
Isso irá implicar resolução parcial da lide que, como não pôs fim à fase de
conhecimento, é classificada como decisão interlocutória. Logo, a alternativa B
é a correta e gabarito da questão.

Questão 41 – VUNESP/IPT-SP – Advogado – 2014 – adaptada


ao NCPC
Quanto aos atos processuais, assinale a alternativa correta.
a) Em todos os atos e termos do processo é obrigatório o uso de vernáculo,
sendo inadmissíveis documentos escritos em língua estrangeira, ainda que
acompanhados de versão em vernáculo, firmados por tradutor juramentado.
b) Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais
de vontade, dentre os quais a desistência da ação, produzem efeitos
imediatamente, independentemente de homologação pelo juiz.
c) Os atos e termos processuais sempre dependem de forma determinada,
reputando-se inválidos os realizados de outro modo.
d) Os atos processuais podem ser total ou parcialmente digitais, de forma a
permitir que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por
meio eletrônico, na forma da lei.
e) É defeso às partes, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao
defensor e aos auxiliares da justiça rubricar as folhas dos autos
correspondentes aos atos em que intervieram.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 192, do NCPC, em todos os
atos e termos do processo é obrigatório o uso da língua portuguesa. O documento
redigido em língua estrangeira somente poderá ser juntado aos autos quando
acompanhado de versão para a língua portuguesa tramitada por via diplomática,
pela autoridade central ou firmada por tradutor juramentado.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 106 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa B está incorreta. Conforme art. 200, do NCPC, a desistência da


ação só produzirá efeitos após homologação judicial.
Art. 200. Os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de
vontade produzem imediatamente a constituição, modificação ou extinção de direitos
processuais.
Parágrafo único. A desistência da ação só produzirá efeitos após homologação judicial.

A alternativa C está incorreta. Com base no art. 188, do NCPC, os atos e termos
processuais independem de forma determinada, reputando-se válidos os
realizados de outro modo.
Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo
quando a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro
modo, lhe preencham a finalidade essencial.

A alternativa D está correta e é o gabarito da questão, pois se refere ao art.


193, do NCPC.
Art. 193. Os atos processuais podem ser total ou parcialmente digitais, de forma a permitir
que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio eletrônico, na
forma da lei.

A alternativa E está incorreta. Segundo o art. 207, do NCPC, é permitido às


partes, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao defensor e aos
auxiliares da justiça rubricar as folhas dos autos correspondentes aos atos em
que intervieram.
Parágrafo único. À parte, ao procurador, ao membro do Ministério Público, ao defensor
público e aos auxiliares da justiça é facultado rubricar as folhas correspondentes aos atos
em que intervierem.

Questão 42 – TRT23ªR-MT/ TRT23ªR-MT – Juiz do Trabalho


Substituto – 2014 – adaptado ao NCPC
Assinale a alternativa CORRETA:
a) Os atos processuais realizar-se-ão em dias úteis, das 8 (oito) às 20 (vinte)
horas. Todavia, serão concluídos após as 20 (vinte) horas os atos iniciados
antes, quando o adiamento prejudicar a diligência ou causar grave dano.
b) É defeso às partes e ao juiz, ainda que todas estejam de acordo, reduzir
ou prorrogar os prazos peremptórios. Em caso de calamidade pública,
poderá ser excedido o limite previsto neste artigo para a prorrogação de
prazos.
c) A citação far-se-á pelo correio, mesmo nas ações de estado das pessoas,
por oficial de justiça, por edital e por meio eletrônico, conforme regulado em
lei própria.
d) As citações e as intimações serão nulas, quando feitas sem observância
das prescrições legais. Anulado o ato, reputam-se de nenhum efeito todos
os subseqüentes, que dele dependam. Todavia, a nulidade de uma parte do
ato prejudicará as outras posteriores, ainda que sejam independentes.
e) É lícito a qualquer interessado cobrar os autos ao advogado que exceder
o prazo legal. Se, intimado, não os devolver dentro em 3 dias, perderá o

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 107 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa, correspondente à


metade do salário mínimo vigente na sede do juízo.

Comentários
A alternativa A está incorreta. Conforme art. 212, do NCPC, os atos processuais
serão realizados em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte) horas.
Art. 212. Os atos processuais serão realizados em dias úteis, das 6 (seis) às 20 (vinte)
horas.
§ 1o Serão concluídos após as 20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o adiamento
prejudicar a diligência ou causar grave dano.

A alternativa B está incorreta.


Art. 222. Na comarca, seção ou subseção judiciária onde for difícil o transporte, o juiz
poderá prorrogar os prazos por até 2 (dois) meses.
§ 1o Ao juiz é vedado reduzir prazos peremptórios sem anuência das partes.
§ 2o Havendo calamidade pública, o limite previsto no caput para prorrogação de prazos
poderá ser excedido.

A alternativa C está incorreta. Com base no art. 247, I, do NCPC, a citação será
feita pelo correio para qualquer comarca do país, exceto nas ações de estado,
conforme será melhor estudado em outra oportunidade neste curso.
A alternativa D está incorreta. De acordo com os art. 280 e 281, ambos do
NCPC, as citações e as intimações serão nulas quando feitas sem observância das
prescrições legais. Anulado o ato, consideram-se de nenhum efeito todos os
subsequentes que dele dependam, todavia, a nulidade de uma parte do ato não
prejudicará as outras que dela sejam independentes.
A alternativa E está correta e é o gabarito da questão, pois está previsto no art.
234, §2º, do NCPC:
§ 2o Se, intimado, o advogado não devolver os autos no prazo de 3 (três) dias, perderá o
direito à vista fora de cartório e incorrerá em multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

Questão 43 – FCC/TJ-CE – Juiz – 2014 – adaptada ao NCPC


Examine os enunciados seguintes, referentes aos atos processuais:
I. As partes poderão exigir recibo de petições, arrazoados, papéis e
documentos que entregarem em cartório.
II. Como regra geral, os atos processuais não dependem de forma
determinada, configurando-se como válidos os que, realizados de outro
modo, preencham sua finalidade.
III. Para ser anexado aos autos, o documento redigido em língua estrangeira
deverá ser acompanhado de versão em vernáculo, firmada por tradutor
juramentado ou cuja autenticação da tradução, se realizada sem tradutor
oficial, seja assegurada pelo advogado da parte.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 108 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

IV. Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais


de vontade, produzem desde logo a constituição, a modificação ou a extinção
de direitos processuais.
Estão corretos
a) I, II e III, apenas.
b) I, III e IV, apenas.
c) I, II, III e IV.
d) I, II e IV, apenas.
e) II, III e IV, apenas.

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está correto, pois reproduz o art. 201, do NCPC:
Art. 201. As partes poderão exigir recibo de petições, arrazoados, papéis e documentos
que entregarem em cartório.

O item II está correto, pois se refere ao art. 188, do NCPC:


Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, salvo quando
a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro modo, lhe
preencham a finalidade essencial.

O item III está incorreto. De acordo com o art. 192, do NCPC, o documento
redigido em língua estrangeira somente poderá ser juntado aos autos quando
acompanhado de versão para a língua portuguesa tramitada por via diplomática,
pela autoridade central ou firmada por tradutor juramentado.
O item IV está correto, pois reproduz o art. 200, do NCPC:
Art. 200. Os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de
vontade produzem imediatamente a constituição, modificação ou extinção de direitos
processuais.

Assim, a alternativa D está correta e é o gabarito da questão.

Questão 44 – CESPE/TJ-CE – Técnico Judiciário – Área


Judiciária – 2014 – adaptada ao NCPC
Considerando a disciplina do Código de Processo Civil, assinale a opção
correta acerca dos atos processuais.
a) Não se processam-se durante as férias forenses, onde as houver, e se
suspendem pela superveniência delas os procedimentos de jurisdição
voluntária e os necessários à conservação de direitos, quando puderem ser
prejudicados pelo adiamento.
b) Mediante acordo escrito protocolado nos autos, as partes podem prorrogar
ou reduzir os prazos para interposição de recursos, mesmo que já exauridos.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 109 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

c) Compete ao servidor praticar os atos meramente ordinatórios, como a


juntada e a vista obrigatória, por iniciativa própria, independentemente de
despacho do juiz.
d) Por ser ato unilateral, a desistência da ação produz efeitos tão logo a parte
protocole a petição com o pedido.
e) Em casos excepcionais, a critério do oficial de justiça, a citação e a
penhora podem ser realizadas nos domingos e feriados.

Comentários
A alternativa A está incorreta, tendo em vista o que consta do art. 215, I, do
NCPC:
Art. 215. Processam-se durante as férias forenses, onde as houver, e não se suspendem
pela superveniência delas:
I - os procedimentos de jurisdição voluntária e os necessários à conservação de direitos,
quando puderem ser prejudicados pelo adiamento; (...)

A alternativa B está incorreta, pois não é possível estender prazo já vencido.


A alternativa C está correta e é o gabarito da questão em face do que prevê o
art. 203, §4º, do NCPC:
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de
despacho, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz quando
necessário.

A alternativa D está incorreta. Veja:


Art. 200. Os atos das partes consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de
vontade produzem imediatamente a constituição, modificação ou extinção de direitos
processuais.
Parágrafo único. A desistência da ação só produzirá efeitos após homologação judicial.

A alternativa E está incorreta. De acordo com o art. 212, §2º, do NCPC,


independentemente de autorização judicial, as citações, as intimações e as
penhoras poderão realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e
nos feriados ou dias úteis fora do horário;

Questão 45 – TRT 2R (SP)/TRT - 2ª REGIÃO (SP) – Juiz do


Trabalho – 2014 – adaptada ao NCPC
No que concerne à forma dos atos processuais, aponte a alternativa correta:
a) Os atos processuais que dizem respeito a casamento, filiação, separação
de cônjuges e guarda de menores são públicos, podendo terceiro que
demonstre interesse, consultar os autos.
b) Atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
dependem de despacho do juiz, não podendo ser praticados de ofício pelo
servidor.
c) Salvo no Distrito Federal e nas capitais dos Estados, todas as petições e
documentos que instruírem o processo, quando constantes de registro

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 110 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

público, serão sempre acompanhadas de cópia, datada e assinada por quem


as oferecer.
d) É defeso lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, salvo com
permissão do juiz da causa.
e) Eventuais contradições na transcrição deverão ser suscitadas oralmente
no momento de realização do ato, sob pena de preclusão, devendo o juiz
decidir de plano e ordenar o registro, no termo, da alegação e da decisão.

Comentários
A alternativa A está correta e é o gabarito da questão. De acordo com o art.
189, II, os atos processuais são públicos, todavia, tramitam em segredo de
justiça os processos que versem sobre casamento, separação de corpos,
divórcio, separação, união estável, filiação, alimentos e guarda de crianças e
adolescentes.
A alternativa B está incorreta. Com base no art. 203, §4º, os atos meramente
ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, independem de despacho,
devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos pelo juiz, quando
necessário.
A alternativa C está incorreta. Não há tal previsão no NCPC.
A alternativa D está incorreta. Conforme art. 202, é vedado lançar nos autos
cotas marginais ou interlineares, sem exceções.
A alternativa E está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 209,
§2º.
§ 2o Na hipótese do § 1o, eventuais contradições na transcrição deverão ser suscitadas
oralmente no momento de realização do ato, sob pena de preclusão, devendo o juiz decidir
de plano e ordenar o registro, no termo, da alegação e da decisão.

Questão 46 – FCC/Câmara Municipal de São Paulo – SP –


Procurador Legislativo – 2014
No tocante ao tempo e lugar dos atos processuais, considere as afirmações
abaixo.
I. Durante as férias e nos feriados não se praticarão aos processuais, com a
única exceção das medidas cautelares urgentes.
II. Entre outros, processam-se durante as férias e não se suspendem pela
superveniência delas os atos de jurisdição voluntária, bem como os
necessários à conservação de direitos, quando possam ser prejudicados pelo
adiamento.
III. Os atos processuais realizam-se necessariamente na sede do juízo, só
se efetuando em outro lugar em razão de obstáculo arguido pelo interessado
e acolhido pelo juiz.
Está correto o que se afirma APENAS em
a) I e II.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 111 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

b) II e III.
c) III.
d) I
e) II

Comentários
Vamos analisar cada um dos itens:
O item I está incorreto. O art. 215, do NCPC, menciona em quais hipóteses se
praticarão os atos processuais durante as férias forenses.
Art. 215. Processam-se durante as férias forenses, onde as houver, e não se suspendem
pela superveniência delas:
I - os procedimentos de jurisdição voluntária e os necessários à conservação de direitos,
quando puderem ser prejudicados pelo adiamento;
II - a ação de alimentos e os processos de nomeação ou remoção de tutor e curador;
III - os processos que a lei determinar.

O item II está correto. Conforme mencionado acima, no inciso I.


O item III está incorreto. De acordo com o art. 217, os atos processuais realizar-
se-ão ordinariamente na sede do juízo, ou, excepcionalmente, em outro lugar
em razão de deferência, de interesse da justiça, da natureza do ato ou
de obstáculo arguido pelo interessado e acolhido pelo juiz.
Assim, a alternativa E está correta e é o gabarito da questão.

Questão 47 – VUNESP/TJ-SP – Escrevente Técnico Judiciário –


2014 – adaptada ao NCPC
Quanto aos prazos, assinale a alternativa correta.
a) Não havendo preceito legal, o prazo será de 10 dias para a parte.
b) Podem o juiz e as partes, de comum acordo, fixar calendário para a prática
dos atos processuais.
c) Os prazos começam a correr no dia da intimação.
d) Em regra, computar-se-ão os prazos, incluindo o dia do começo.
e) O prazo, estabelecido pela lei ou pelo juiz, interrompe-se nos feriados.

Comentários
A alternativa A está incorreta. De acordo com o art. 218, §3º, do NCPC,
inexistindo preceito legal ou prazo determinado pelo juiz, será de 5 dias o prazo
para a prática de ato processual a cargo da parte.
A alternativa B está correta e é o gabarito da questão, pois reproduz o art. 191,
do NCPC:
Art. 191. De comum acordo, o juiz e as partes podem fixar calendário para a prática dos
atos processuais, quando for o caso.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 112 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

A alternativa C está incorreta. Conforme art. 224, do NCPC, salvo disposição


em contrário, os prazos serão contados excluindo o dia do começo e
incluindo o dia do vencimento.
A alternativa D está incorreta. Como já mencionado, os prazos serão contados
excluindo o dia do começo.
A alternativa E está incorreta. O prazo não se interrompe nos feriados,
suspende-se.

10.4 - Lista de Questões de Aula


(MPE-SP/Oficial de Promotoria I/2016 – adaptada ao NCPC)
Jaqueline foi intimada para aditar sua petição inicial em 10 dias, sob pena de extinção do
processo. Diante dessa hipótese, julgue:
Se o prazo fatal para cumprir tal determinação recair em um feriado, Jaqueline deverá
realizar tal ato no dia útil anterior a essa data.

Gabarito: INCORRETO

(MPE-SP/Oficial de Promotoria I/2016 – adaptada ao NCPC)


Jaqueline foi intimada para aditar sua petição inicial em 10 dias, sob pena de extinção do
processo. Diante dessa hipótese, julgue:
O prazo determinado deverá ser contado em dias úteis, dentro da sistemática processual
em vigor, incluindo o dia do começo e excluindo o dia de término do prazo.

Gabarito: INCORRETO

(MPE-SP/Oficial de Promotoria I/2016 – adaptada ao NCPC)


Jaqueline foi intimada para aditar sua petição inicial em 10 dias, sob pena de extinção do
processo. Diante dessa hipótese, julgue:
Se não houvesse prazo legal ou judicial determinado para que Jaqueline fizesse o
aditamento, a lei determina que seja cumprido o ato em 15 dias.

Gabarito: INCORRETO

(Prefeitura de Salvador-BA/Procurador/2015 – adaptada)


Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
As partes poderão realizar negócio jurídico processual referente à dilação do prazo para
recorrer, caso o processo judicial tenha como objeto direito disponível.

Gabarito: CORRETO

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 113 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

(Prefeitura de Salvador-BA/Procurador/2015 – adaptada)


Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
Qualquer negócio jurídico processual deverá ser homologado pelo juiz para que seja
considerado válido e produza seus efeitos regulares.

Gabarito: INCORRETO

(Prefeitura de Salvador-BA/Procurador/2015 – adaptada)


Embora haja divergência doutrinária no que diz respeito à possibilidade da utilização da
distinção entre atos jurídicos em sentido estrito e negócios jurídicos processuais, a doutrina
processual moderna reconhece a existência da categoria dos denominados negócios
jurídicos processuais. À luz dessas informações, e de acordo com essa doutrina e com a
legislação em vigor, julgue:
É vedada às partes, depois de iniciado o processo, a realização de negócio jurídico
processual sobre a distribuição do ônus da prova no processo civil.

Gabarito: INCORRETO

(DPE-PB/Defensor Público-2014 – adaptada ao NCPC)


Quanto aos atos processuais, é correto afirmar:
O prazo para sua prática é contínuo, seja estabelecido pela lei ou pelo juiz, mas é
interrompido nos feriados.

Gabarito: INCORRETO

(DPE-PB/Defensor Público-2014 – adaptada ao NCPC)


Quanto aos atos processuais, é correto afirmar:
Pelo princípio da publicidade dos atos processuais, bem como do direito à informação, não
pode haver atualmente nenhum processo que corra em segredo de justiça.

Gabarito: INCORRETO

(DPE-PB/Defensor Público-2014 – adaptada ao NCPC)


Quanto aos atos processuais, é correto afirmar:
A superveniência de férias interromperá o curso do prazo para a prática dos atos
processuais.

Gabarito: INCORRETO

(DPE-PB/Defensor Público-2014 – adaptada ao NCPC)


Quanto aos atos processuais, é correto afirmar:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 114 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Podem as partes, de comum acordo, reduzir ou prorrogar quaisquer prazos processuais.

Gabarito: INCORRETO

(TJ-CE/Juiz/2014 – adaptada ao NCPC)


Examine o enunciado seguinte e julgue-o:
Como regra geral, os atos processuais não dependem de forma determinada, configurando-
se como válidos os que, realizados de outro modo, preencham sua finalidade.

Gabarito: CORRETO

(TJ-CE/Juiz/2014 – adaptada ao NCPC)


Examine o enunciado seguinte e julgue-o:
Para ser anexado aos autos, o documento redigido em língua estrangeira deverá ser
acompanhado de versão em vernáculo, firmada por tradutor juramentado ou cuja
autenticação da tradução, se realizada sem tradutor oficial, seja assegurada pelo advogado
da parte.

Gabarito: INCORRETO

(TJ-CE/Juiz/2014 – adaptada ao NCPC)


Examine o enunciado seguinte e julgue-o:
Os atos das partes, consistentes em declarações unilaterais ou bilaterais de vontade,
produzem desde logo a constituição, a modificação ou a extinção de direitos processuais.

Gabarito: CORRETO

(TJ-DF – Juiz – 2016 – adaptada ao NCPC)


Acerca dos temas resposta do réu, prazos e litisconsórcio, julgue, de acordo com a legislação
aplicável e a jurisprudência dominante do STJ.
A prerrogativa de prazo em dobro para recorrer, de que trata o artigo 229, do NCPC,
somente se aplica quando os litisconsortes com procuradores distintos de escritórios
diferentes. Tal prerrogativa aplica-se a todas as suas manifestações, em qualquer juízo ou
tribunal, independentemente de requerimento.

Gabarito: CORRETO

(TCM-RJ/Procurador/2015)
Julgue
Tendo sido proposta ação de despejo por falta de pagamento, o réu procura o autor e o
advogado deste concorda em requerer por petição a prorrogação do prazo para
oferecimento de defesa pelo réu, enquanto entabulam acordo. Diante disso, o juiz deferirá
o pedido, pois se trata de direitos disponíveis e ambas as partes estão de acordo, irrelevante
a natureza do prazo ou do ato a ser praticado.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 115 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

Gabarito: CORRETO

(TRT2ºR-SP/TRT2ªR-SP – Juiz do Trabalho Substituto – 2015 – adaptada ao NCPC)


À luz da legislação vigente, analise as seguintes proposições:
A suspensão do curso do prazo, por obstáculo criado pela parte contrária, importa
restituição integral do prazo para a implementação do ato processual.

Gabarito: CORRETO

(TRT2ºR-SP/TRT2ªR-SP – Juiz do Trabalho Substituto – 2015 – adaptada ao NCPC)


À luz da legislação vigente, analise as seguintes proposições:
As partes, de comum acordo, poderão reduzir ou prorrogar prazos; essa convenção tem
eficácia mesmo quando requerida após o vencimento do prazo, entretanto, desde que
fundada em motivo legítimo.

Gabarito: INCORRETO

11 - Destaques da Legislação
 art. 188, do NCPC: instrumentalidade de formas.
Art. 188. Os atos e os termos processuais independem de forma determinada, SALVO
quando a lei expressamente a exigir, considerando-se válidos os que, realizados de outro
modo, lhe preencham a finalidade essencial.

 art. 189, do NCPC: publicidade X segredo de justiça.


Art. 189. Os atos processuais são públicos, TODAVIA tramitam em segredo de justiça
os processos:
I - em que o exija o interesse público ou social;
II - que versem sobre casamento, separação de corpos, divórcio, separação, união
estável, filiação, alimentos e guarda de crianças e adolescentes;
III - em que constem dados protegidos pelo direito constitucional à intimidade;
IV - que versem sobre arbitragem, inclusive sobre cumprimento de carta arbitral,
DESDE QUE a confidencialidade estipulada na arbitragem seja comprovada perante o juízo.

 art. 190, do NCPC: negócio jurídico processual.


Art. 190. Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito às
partes plenamente capazes estipular mudanças no procedimento para ajustá-lo às
especificidades da causa e convencionar sobre os seus ônus, poderes, faculdades
e deveres processuais, antes ou durante o processo.
Parágrafo único. De ofício ou a requerimento, o juiz controlará a validade das
convenções previstas neste artigo, recusando-lhes aplicação somente nos casos de
nulidade ou de inserção abusiva em contrato de adesão ou em que alguma parte se
encontre em manifesta situação de vulnerabilidade.

 art. 191, do NCPC: calendário procedimental.


Art. 191. De comum acordo, o juiz e as partes podem fixar calendário para a prática
dos atos processuais, quando for o caso.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 116 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

§ 1o O calendário vincula as partes e o juiz, e os prazos nele previstos somente


serão modificados em casos excepcionais, devidamente justificados.
§ 2o Dispensa-se a intimação das partes para a prática de ato processual ou a realização de
audiência cujas datas tiverem sido designadas no calendário.

 art. 202, do NCPC: vedação às quotas marginais ou interlineares


Art. 202. É VEDADO lançar nos autos cotas marginais ou interlineares, as quais o juiz
mandará riscar, impondo a quem as escrever multa correspondente à metade do salário-
mínimo.

 art. 203: pronunciamentos judiciais


Art. 203. Os pronunciamentos do juiz consistirão em sentenças, decisões interlocutórias
e despachos.
§ 1o RESSALVADAS as disposições expressas dos procedimentos especiais, SENTENÇA é
o pronunciamento por meio do qual o juiz, com fundamento nos arts. 485 e 487, põe fim
à fase cognitiva do procedimento comum, bem como extingue a execução.
§ 2o DECISÃO INTERLOCUTÓRIA é todo pronunciamento judicial de natureza decisória
que não se enquadre no § 1o.
§ 3o São DESPACHOS todos os demais pronunciamentos do juiz praticados no processo,
de ofício ou a requerimento da parte.
§ 4o Os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória,
INDEPENDEM DE DESPACHO, devendo ser praticados de ofício pelo servidor e revistos
pelo juiz quando necessário.

 art. 212, do NCPC: tempo dos atos processuais


Art. 212. Os atos processuais serão realizados em dias úteis, DAS 6 (SEIS) ÀS 20
(VINTE) HORAS.
§ 1o Serão concluídos APÓS as 20 (vinte) horas os atos iniciados antes, quando o
adiamento prejudicar a diligência ou causar grave dano.
§ 2o Independentemente de autorização judicial, as citações, intimações e penhoras
poderão realizar-se no período de férias forenses, onde as houver, e nos feriados ou dias
úteis fora do horário estabelecido neste artigo, observado o disposto no art. 5o, inciso XI,
da Constituição Federal.
§ 3o Quando o ato tiver de ser praticado por meio de petição em autos não eletrônicos, essa
deverá ser protocolada no horário de funcionamento do fórum ou tribunal, conforme o
disposto na lei de organização judiciária local.

 art. 218, §4º, do NCPC: admissão do prazo processual prematuro


4o Será considerado tempestivo o ato praticado antes do termo inicial do prazo.

 art. 219, do NCPC: contagem do prazo


Art. 219. Na contagem de prazo em dias, estabelecido por lei ou pelo juiz, computar-
se-ão SOMENTE OS DIAS ÚTEIS.
Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se somente aos prazos processuais.

 art. 220, do NCPC: suspensão do prazo


Art. 220. SUSPENDE-SE o curso do prazo processual nos dias compreendidos entre 20
de dezembro e 20 de janeiro, inclusive.
§ 1o RESSALVADAS as férias individuais e os feriados instituídos por lei, os juízes, os
membros do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Advocacia Pública e os

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 117 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

auxiliares da Justiça exercerão suas atribuições durante o período previsto


no caput.
§ 2o Durante a suspensão do prazo, NÃO se realizarão audiências nem sessões de
julgamento.

 art. 230, do NCPC: momento para contagem do prazo processual


Art. 230. O prazo para a parte, o procurador, a Advocacia Pública, a Defensoria Pública e
o Ministério Público será contado da citação, da intimação ou da notificação.
Art. 231. Salvo disposição em sentido diverso, considera-se dia do começo do prazo:
I - a data de juntada aos autos do aviso de recebimento, quando a citação ou a
intimação for pelo correio;
II - a data de juntada aos autos do mandado cumprido, quando a citação ou a
intimação for por oficial de justiça;
III - a data de ocorrência da citação ou da intimação, quando ela se der por ato do
escrivão ou do chefe de secretaria;
IV - o dia útil seguinte ao fim da dilação assinada pelo juiz, quando a citação ou a
intimação for por edital;
V - o dia útil seguinte à consulta ao teor da citação ou da intimação ou ao término
do prazo para que a consulta se dê, quando a citação ou a intimação for eletrônica;
VI - a data de juntada do comunicado de que trata o art. 232 ou, não havendo esse,
a data de juntada da carta aos autos de origem devidamente cumprida, quando a
citação ou a intimação se realizar em cumprimento de carta;
VII - a data de publicação, quando a intimação se der pelo Diário da Justiça
impresso ou eletrônico;
VIII - o dia da carga, quando a intimação se der por meio da retirada dos autos, em
carga, do cartório ou da secretaria.

12 - Súmula e jurisprudência correlatos


 Súmula STF 310: fluência do prazo X contagem.
Súmula STF 310
Quando a intimação tiver lugar na sexta-feira, ou a publicação com efeito de intimação for
feita nesse dia, o prazo judicial terá início na segunda-feira imediata, salvo se não houver
expediente, caso em que começará no primeiro dia útil que se seguir.

 Súmula STF 641: para a contagem em dobro do prazo recursal é necessário


que ambas as partes tenham sucumbido.
Súmula STF 641
Não se conta em dobro o prazo para recorrer, quando só um dos litisconsortes haja
sucumbido.

 AREsp 229.327/RS13: aplicação do sistema de instrumentalidade das formas


para recurso cujo nome da parte constou incorreto.
AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. ERRÔNEA
IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES E DO NÚMERO DO PROCESSO NA PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO

13
AgRg no AREsp 229.327/RS, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, 2ª Turma, julgado em
27/11/2012, DJe 05/12/2012.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 118 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

DO RECURSO ESPECIAL. APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA INSTRUMENTALIDADE DAS


FORMAS. (...)
2. Esta Corte já se pronunciou no sentido de se aplicar o princípio da instrumentalidade das
formas na hipótese em que há equívoco de designação da parte recorrente, se, contudo,
forem preenchidos os demais pressupostos recursais e se for possível identificar a decisão
que se pretende atacar. Precedentes: (REsp 1.225.645/RS, de minha relatoria, DJe
4.3.2011; AgRg no AgRg no Ag 1.081.347/PR, Rel. Min. João Otávio de Noronha, DJe
19.4.2010; REsp 412.484/RS, Rel. Min. Franciulli Netto, Segunda Turma, DJ de 1.7.2002.).
(...)

 REsp. 1.349.363/SP14: impossibilidade de autuação de peças sigilosas em


apartado. Todo o processo deve tramitar em segredo.
PROCESSUAL CIVIL. DISCUSSÃO A RESPEITO DA NECESSIDADE DE ARQUIVAMENTO EM
"PASTA PRÓPRIA" FORA DOS AUTOS OU DECRETAÇÃO DE SEGREDO DE JUSTIÇA. ART.
155, I, DO CPC. (...)
3. Não há no código de processo civil nenhuma previsão para que se crie "pasta própria"
fora dos autos da execução fiscal para o arquivamento de documentos submetidos a sigilo.
Antes, nos casos em que o interesse público justificar, cabe ao magistrado limitar às partes
o acesso aos autos passando o feito a tramitar em segredo de justiça, na forma do art. 155,
I, do CPC. (...)

 AgRg AREsp 444.56315: exclusão de litisconsorte constitui decisão


interlocutória.
PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL.
EXCLUSÃO DE UM DOS COEXECUTADOS DA FASE DE CUMPRIMENTO DE SENTENÇA.
DECISÃO INTERLOCUTÓRIA. IMPUGNAÇÃO MEDIANTE AGRAVO DE INSTRUMENTO.
INTERPOSIÇÃO DE APELAÇÃO. FALHA INESCUSÁVEL. INAPLICABILIDADE DO PRINCÍPIO
DA FUNGIBILIDADE RECURSAL. DECISÃO MANTIDA.
1. A decisão que exclui um dos coexecutados da fase do cumprimento de sentença, com o
prosseguimento da execução relativamente aos demais devedores, possui natureza
interlocutória e, em decorrência, é impugnável mediante agravo de instrumento.
2. Ademais, constitui falha inescusável interpor apelação, sendo nesse caso, inaplicável o
princípio da fungibilidade recursal.
3. Agravo regimental a que se nega provimento.

13 - Resumo
Negócio Jurídico Processual
CONCEITO: fato jurídico voluntário em que as partes regulam, dentro dos limites fixados no
próprio ordenamento jurídico, certas situações jurídicas processuais ou alteram o procedimento.
 Abrange apenas direitos que admitem a autocomposição.
 As partes podem estipular regras procedimentais ou dispor sobre posições processuais (ônus,
poderes, faculdades e deveres).
 Pode ser firmado antes ou durante o processo.

14
REsp 1.349.363/SP, Rel. Min. Mauro Campbell Marques, 1º Seção, julgado em 22/05/2013,
DJe 31/05/2013.
15
AgRg no AREsp 444.563/PR, Rel. Min. Antonio Carlos Ferreira, 4ª Turma, julgado em
25/03/2014, DJe 04/04/2014.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 119 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 Não há necessidade de participação do Juiz, muito menos de homologação judicial, contudo, o


magistrado deverá controlar a legalidade, anulando cláusula de adesão abusiva e quando o
negócio for estipulado com parte em situação de vulnerabilidade.
 Trata-se de uma cláusula geral, de forma que as partes possuem liberdade para estabelecer
negócios jurídicos processuais.
 Princípio do respeito ao autorregramento da vontade das partes.

Calendário Procedimental
CONCEITO: técnica processual voltada para a gestão eficiente do tempo no processo, NO QUAL
o juiz e as partes, em regime de diálogo, podem acertar datas para a realização dos atos
processuais.
 Possibilidade de as partes e o juiz fixarem calendário para a prática dos atos processuais.
 Dispensa a obrigatoriedade de intimação para os atos previstos no calendário.
 Regra de efetividade e celeridade processual, que implica a desburocratização do processo e
segurança jurídica.
 Somente é possível alterar a data do calendário previamente fixado, em situações excepcionais
e mediante justificativa.

Atos processuais
FORMA: diz respeito à forma como o ato se exterioriza;
TEMPO: diz respeito ao momento em que o ato é praticado;
LUGAR: diz respeito ao espaço físico em que o ato é realizado.

Forma dos Atos Processuais


SISTEMA DA INSTRUMENTALIDADE DAS FORMAS
 em regra, os atos processuais independem de forma pré-determinada;
 excepcionalmente, devem ser praticados na forma legalmente prevista; e
 ainda que realizado irregularmente, se o ato atingir a finalidade, restará convalidado.
Os atos processuais são, EM REGRA, públicos.
 EXCEÇÕES
• Interesse público ou interesse social;
• Ações sobre casamento, separação de corpos, divórcio, separação, união estável, filiação,
alimentos e guarda de crianças e adolescentes;
• Intimidade com sede constitucional;
• Cláusula de confidencialidade em juízo arbitral.
Nas hipóteses de exceções: acessam-se os autos apenas as partes e os respectivos
procuradores; e o terceiro juridicamente interessado terá acesso apenas ao dispositivo da
sentença e, se for o caso, do inventário e da partilha.
ATOS DAS PARTES
 produção de efeitos de forma imediata.
 consequências:
 a irretratabilidade, uma vez que os efeitos são imediatos; e
 a preclusão consumativa, uma vez que a prática do ato pela parte exaure a prerrogativa
de fazê-lo.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 120 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 Veda-se o uso de cotas marginais e interlineares. O juiz mandará riscar e multará a parte em
½ salário mínimo.
PRONUNCIAMENTOS DO JUIZ
 O juiz pratica atos materiais (presidência da audiência) e pronunciamentos judiciais.
 A SENTENÇA e a decisão que colocam fim à fase de conhecimento, extingue a execução ou
o que for previsto como sentença em procedimento especial.
 A DECISÃO INTERLOCUTÓRIA constitui decisão que resolve incidente sem pôr fim ao processo.
 O DESPACHO envolve pronunciamentos judiciais sem caráter decisório.
 O ACÓRDÃO constitui decisão que põe fim à fase de conhecimento, que extingue a execução e
que resolve incidentes no processo no âmbito dos tribunais.
ATOS DO ESCRIVÃO OU DO CHEFE DE SECRETARIA
 São responsáveis pelo protocolo, registro, distribuição (se houver) e autuação.
 Todos as peças e documentos devem ser numerados e rubricados, inclusive termos, vistas e
conclusão.
 Admite-se o uso de formas abreviadas (taquigrafia e estenotipia) para o registro de atos
processuais.

Tempo dos Atos Processuais


REGRA: praticados entre as 6 e 20 horas, em dias úteis (de segunda a sexta). Há possibilidade
de prorrogação para além das 20 horas quando houver possibilidade de prejudicar a diligência ou
resultar em grave dano.
Citações, intimações, penhoras e atos relativos a tutelas de urgência podem ser realizadas fora
do horário e, inclusive, em dias não úteis.
FÉRIAS FORENSES: em regra, suspende o prazo. Não há suspensão excepcionalmente nos
casos de jurisdição voluntária, de atos necessários à conservação de direitos quando causar
prejuízos em face do adiamento, de ação de alimentos, e processos de nomeação ou remoção de
tutor e curador e quando a lei prever.
São considerados FERIADOS os dias declarados em lei, sábados, domingos e dias sem
expediente forense.

Lugar dos Atos Processuais


REGRA: praticados na sede do Juízo
EXCEÇÕES:
 deferência;
 interesse da justiça;
 natureza do ato;
 obstáculo arguido pelo interessado e acolhi pelo magistrado.

Prazos
CONCEITO: lapsos temporais que existem entre dois termos (termo inicial, dies a quo, e termo
final, dies ad quem) dentro dos quais se prevê a oportunidade para uma ação ou omissão.
CLASSIFICAÇÃO
a) pela sua origem: legais, judiciais ou convencionais.
b) quanto às consequências de seu descumprimento: próprios ou impróprio, que se
subdividem-se em ordinário ou anômalo.

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 121 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 deve renunciar de modo expresso, com petição nos autos.


PRAZOS DO JUIZ
 DESPACHOS: 5 dias
 DECISÕES INTERLOCUTÓRIAS: 10 dias
 SENTENÇA: 30 dias
PRAZOS DOS SERVIDORES
 REMETER OS AUTOS CONCLUSOS: 1 dia
 EXECUTAR: 5 dias
PRAZOS EM CASO DE LITISCONSÓRCIO (por procuradores diferentes, de escritórios distintos)
 para todas as manifestações;
 para qualquer juízo ou tribunal; e
 independe de requerimento da parte.
VERIFICAÇÃO DOS PRAZOS E DAS PENALIDADES
 em relação aos servidores públicos: instauração de processo administrativo.
 em relação às partes no processo:
1 – preclusão; e
2 – no caso de excesso de prazo na carga dos autos:
 perda do direito de vista fora do cartório. Dito de outro modo, a parte não poderá retirar
os autos físicos em carga.
 multa no valor de ½ salário mínimo.
 comunicação ao órgão de classe para apuração disciplinar (por exemplo, OAB, Conselho
Superior do Ministério Público, entre outros).
 em relação aos magistrados:
 representação à corregedoria do tribunal respectivo; e
 representação ao CNJ.
 procedimento da representação:
1º – ajuizamento da representação (corregedoria ou CNJ);
2º - oitiva prévia do Juiz;
3º - verificação se é caso de arquivamento limitar;
4º - instauração do procedimento;
5º - intimação do representado (no caso, o juiz supostamente incorreu em excesso de
prazo) para se manifestar no prazo de 15 dias;
6º - adoção das medidas administrativas cabíveis no prazo de 48 horas;
7º - determinação para que o juiz pratique o ato processual que gerou a representação
no prazo de 10 dias;
8º - não praticado o ato no prazo de 10 dias, será determinado que o substituto o faça
em 10 dias.

Preclusão
CONCEITO: “preclusão é definida como a perda de uma situação jurídica processual ativa”.
PRINCÍPIOS:

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 123 de 124


DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ POLÍCIA FEDERAL
teoria e questões
Aula 05 – Prof. Ricardo Torques

 princípio da segurança jurídica;


 princípio da boa-fé;
 princípio da duração razoável do processo.
ESPÉCIES
1 - Preclusão Temporal: perda de um poder processual em razão da perda de um prazo.
2 - Preclusão Lógica: perda do poder processual em razão da prática anterior de um ato
incompatível com ele.
3 - Preclusão Consumativa: perda de um poder processual em razão do seu exercício. A ideia é
simples: veda-se à parte repetir ato processual já praticado.
4 - Preclusão sanção: preclusão decorrente da prática de ato ilícito.

14 - Considerações Finais
Chegamos ao final de mais um encontro. É uma aula importante especialmente
em razão das diversas alterações que tivemos do CPC73 para o NCPC. Além de
institutos novos, como o negócio jurídico processual como cláusula geral e a
calendarização do processo, tivemos significativas alterações na contagem dos
prazos processuais.
Aguardo vocês no próximo encontro!
Quaisquer dúvidas, sugestões ou críticas entrem em contato
conosco. Estou disponível no fórum no Curso e por e-mail.
Ricardo Torques

rst.estrategia@gmail.com

www.fb.com/rstorques

Prof. Ricardo Torques www.estrategiaconcursos.com.br 124 de 124