Anda di halaman 1dari 3

Adubação de cobertura

Olá amigos, neste post irei falar um pouco sobre adubação de cobertura, porque fazê-la,
qual a importância e como fazê-la.

Em primeiro lugar, toda adubação deve ser feita com base em análise de solo. Através
da análise saberemos qual o pH da terra a ser adubada, quais os macro e micro
nutrientes presentes e suas relativas quantidades, o tipo de solo, etc.

No Blog existe um post com um passo a passo de como fazer uma análise de solo e
algumas informações complementares que poderão ser úteis.
Você pode estar se perguntando, e se a área for muito pequena, é viável fazer análise de
solo? Nestes casos a análise de solo se torna inviável pelo fato de a porção de terra
trabalhada ser muito pequena. Em casos como esse, utilizamos uma quantidade pré-
definia de adubo com base no tipo de terra e cultura a ser cultivada. Essa quantidade de
adubo variar de caso pra caso.

-Por que fazer?


A adubação de cobertura serve como um reforço para a adubação de plantio. Ela age
suprindo as reservas do solo que já foram consumidas pelas plantas;

Auxilia na formação, floração e frutificação das plantas;

Ajuda a garantir o sucesso da lavoura desde que as exigências básicas da planta (água,
luz, solo, clima) sejam atendidas;

Contribui com o aumento da capacidade de defesa da planta contra doenças e pragas;

-Qual a importância?

A adubação de cobertura é opcional, todo o adubo pode ser depositado no solo no ato
do plantio, no entanto, é uma prática que mostra bons resultados e que é adotada nas
mais variadas culturas.

Pode evitar o esperdício e consequente prejuízo caso a lavoura seja destruída por algum
fenômeno natural, praga ou doença antes da adução de cobertura.

-Como fazer?

Na Fruticultura:

Na fruticultura a adubação de cobertura pode ser feita em meia lua, lua cheia ou
superficial.

. Meia lua: Um pequeno sulco é aberto em metade do perímetro da copa da planta, sem
atingir as raízes e do lado de cima da planta, caso o terreno seja acidentado. O sulco
deve ser aberto entre a segunda e a terceira parte da copa da frutífera, tendendo para a
extremidade da copa, local onde se concentram as raízes responsáveis pela absorção
dos nutrientes.
O adubo deve ser depositado dentro do sulco e enterrado, molhando-se o local em
seguida para acelerar a dissolução do adubo na terra.

. Lua cheia: A diferença entre a meia lua e lua cheia é que na lua cheia o sulco ocupa
100% do perímetro da copa da planta, ou seja, ele é feito em todo o entorno da copa.

. Superficial: Neste caso, o adubo é jogado ao redor da planta, tomando-se cuidado para
não atingir o tronco e folhas. Como nos casos anteriores, o adubo deve ser depositado
nos dois últimos terços da copa da árvore.

Em casos de frutíferas como parreiras que possuem copas grandes e na maioria dos
casos tutoradas, a adubação de cobertura pode ser feita entre as linhas de plantio.

Culturas Anuais:

Em culturas anuais como feijão, soja e milho, a adubação de cobertura é feita com o
auxílio de tratores e adubadeiras. Ele é depositado ao lado da planta, nas linhas de
plantio.

Em casos de pequenos plantios, essa adubação pode ser feita manualmente, seguindo
os mesmos critérios das grandes plantações.

Na Olericultura:

Por serem na sua maioria de pequeno porte e cultivadas em canteiros, a adubação de


cobertura das olerícolas é feita entre as linhas de plantio do canteiro.

No caso das olerícolas cultivadas em covas, o adubo deve ser depositado ao redor da
planta, entre o segundo e terceiro terços da cova.

Notas:
– Caso tenha uma frutífera no seu quintal e quer fazer uma adubação de cobertura nela,
pode utilizar algumas receitas como:

10 a 15 litros de composto orgânico ou húmus de minhoca por planta ou 150 a 250g de


Uréia + 100g de Cloreto de Potássio + 200 a 300g de Super Fosfato Simples (misturar
todos e fazer a adubação).

Cinzas de fogão a lenha podem ser utilizadas como fonte de Potássio na adubação de
cobertura, fazendo-se a mistura das cinzas com água e molhando as plantas.