Anda di halaman 1dari 12

CAPÍTULO 5

CICLOS DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO MECÂNICA DE VAPOR DE


MÚLTIPLOS ESTÁGIOS

5.1 Introdução
A compressão mecânica de vapor de único estágio é um método de
refrigeração eficiente para temperaturas de evaporação relativamente altas.
As conseqüências da redução da temperatura de evaporação para uma
temperatura de condensação constante são:

- Redução do COP;
- Redução da eficiência de refrigeração R (=COP/COPcarnot);
- Aumento da temperatura de descarga do gás;
- Redução da capacidade de refrigeração, Q E ;
- Redução da vazão mássica, m ;
- Aumento do trabalho de compressão. (h2-h1)

Portanto, aconselha-se aumentar o número de estágios quando são


necessárias baixas temperaturas de evaporação.
Quando ocorre a expansão a partir da condição de líquido saturado, o
percentual de vapor (título) formado aumenta com a redução da temperatura de
evaporação.
No processo de evaporação, somente o líquido produz refrigeração.
Conseqüentemente, com o aumento do título há uma redução da capacidade de
refrigeração.

3 2

l 4 1=v

Note que a capacidade de refrigeração do sistema pode ser escrita por:

Q E  m (h1  h4 )
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

As entalpias h1 e h4 são funções da condição termodinâmica (título):

h1  hv

h4  xhv  (1  x)hl

Considerando que o título, x, pode ser escrito como a razão entre a vazão de
vapor e a vazão total de fluido refrigerante, h4 pode ser calculada por:

m v  m 
h4  hv  1  v  hl
m  m 

Substituindo tudo na expressão para capacidade de refrigeração, tem-se:

 m  m  
Q E  m  hv  v hv  1  v  hl 
 m  m  

Rearranjando,

 m 
Q E  m 1  v   hv  hl 
 m 

 m 
Note ainda que m 1  v  é a vazão de líquido pelo evaporador e portanto,
 m 

Q E  m l hlv

Sendo assim, somente a parcela de líquido é responsável pelo resfriamento.

5.2 – Separador de Líquido


Para reduzir o efeito da formação de vapor durante a expansão, um depósito
separador de líquido é utilizado. A expansão ocorre até uma pressão intermediária e
em seguida, o líquido é separado da fase vapor. O líquido separado sofre um novo
processo de expansão até a pressão de evaporação desejada e o vapor saturado é
comprimido.

2
Notas de aula de Refrigeração e Ar Condicionado – Prof. Cezar Negrão

Ao compressor

PC 1 4

3 Do cond.
PI 2 4
1 D.E. 2

PE
6 Ao evap.
5
3 5
D.E.

Conseqüências da expansão do vapor saturado:


-> O refrigerante no estado 4 não pode refrigerar.
-> Há necessidade de trabalho adicional para elevar a pressão do fluido do
ponto 6 até a pressão intermediária.

5.3 – Subresfriador de Líquido


Este dispositivo resfria o líquido refrigerante por evaporação de uma pequena
fração de líquido.

 Ao compressor
PC 3 1
4

PI 2 4 Do cond.
1 D.E. 2
PE
5

Ao evap.
3
h D.E. 5

Comparando com o separador de líquido, o subresfriador não pode resfriar o


líquido até temperaturas tão baixas. Por outro lado, o líquido é mantido a alta
pressão, o que se torna interessante no caso de canalizações com perda de carga
acentuada, evitando vaporização parcial do fluido.

3
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

5.4 - Resfriador Intermediário de Vapor


O Objetivo deste dispositivo é principalmente reduzir a temperatura de
descarga do compressor.

7
p/ Cond

CA

6
1 2

5
CB
Do Evap

3
Ao evap.

1 7 7´
Pc

PI 4
3 2 6

PE 5

- Reduz a temperatura de descarga do compressor;


- Pode reduzir o trabalho de compressão dependendo do fluido refrigerante:

m cb (h5  h2 )  m ca (h7  h6 )  m cb (h7´  h5 )

Geralmente benéfico para R-717 ( NH 3 ).

4
Notas de aula de Refrigeração e Ar Condicionado – Prof. Cezar Negrão

5.5 Exemplos
Calcular a potência necessária para comprimir 1,2 kg/s de NH3 desde a condição de
vapor saturado a 80 kPa até uma pressão de condensação de 1000 kPa.
a) Em uma compressão de único estágio;
b) Em uma compressão de duplo estágio com resfriamento intermediário de vapor por
refrigerante líquido;

a)
3 CONDENSADOR 2

1 C
4 EVAPORADOR

b) 100kPa
9 8
CONDENSADOR

7
CA

9 10

80kPa
5
EVAPORADOR
9 11 CB

5
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

Solução:

a)
P

pC 1000 kPa 3 2

80kPa
pE 1
4

h1  1410kJ / kg ;
h2  1800kJ / kg
W  m (h2  h1 )  1, 2 x(1800  1400)  468kW

b)
P

Pc 1000kPa 9 8

PI 10 7
6

PE 80kPa 11
5

Notar que a comparação só faz sentido se a capacidade de refrigeração for a mesma:


m ( a ) (h1  h4 )  m (b ) (h5  h11 )

Item a Item b

Como (h1  h4 )  (h5  h11 ) então m (b )  1, 2kg / s

A pressão intermediária ótima (menor potência) para sistemas como NH 3 , pode ser
estimada por:
6
Notas de aula de Refrigeração e Ar Condicionado – Prof. Cezar Negrão

pI  pC pE  1000 x 80  283kPa

Solução
h5  1410kJ / kg h7  1450kJ / kg h9  h10  h11  316kJ / kg
h6  1588kJ / kg h8  1628kJ / kg
WCB  m CB (h6  h5 )  1,2(1588  1410)  213,6kW

m CA  m CB + massa de líquido evaporada no resfriador para fazer o gás passar de


superaquecido para saturado.

Balanço de energia no resfriador intermediário


m 10h10  m 6 h6  m 7 h7
m 10h10  (m 7  m 10 )h6  m 7 h7 (1)

Balanço de massa
m 10  m 6  m 7 m 6  m 7  m 10

Resolvendo (1)

m 10 (h6  h10 )
m 7   1,346kg / s  m CA
h7  h10

WCA  m CA (h8  h7 )  1,346(1628  1450)  239,6kW

WCA  WCB  239,6  213,6  453,2kW


Comparando com o item (a) observa-se que:

a) W(a) > W(b) (468kW > 453,2kW)


b) Tdes (a) > Tdes (b) (146ºC > 77ºC) (compressor de alta) entropia constante.

7
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

5.6 Ciclo com Dois Evaporadores e Um Compressor

a) Temperaturas de evaporação iguais.

3 2
CONDENSADOR P

3 2

EVAPORAD. 1 C
1
4 4 1

EVAPORAD. 2
4 1 h

b) Temperaturas de evaporação diferentes.

3
CONDENSADOR

2 TE1 > TE2

D.E 1
EVAP 1
4 5 6

D.E EVAP 2
7 8

T
P
2

3 TC
3 2
TE1
4 5
6 4 5
TE2 1
7 8
6
7 1

S h 8
Notas de aula de Refrigeração e Ar Condicionado – Prof. Cezar Negrão

5.7 Ciclos com Dois Compressores e Um Evaporador


(Exemplo 16.3 do Stoecker)

5.8 Ciclo com Dois Compressores e Dois Evaporadores


Exemplo: Em um sistema com R-717 ( NH 3 ), um evaporador proporciona 180 kW de
refrigeração a -30ºC, e outro evaporador 200 kW a 5ºC. O sistema faz a compressão
em duas etapas com resfriamento intermediário de vapor. A temperatura de
condensação é 40ºC. Calcular:
a) A potência consumida pelos compressores.
b) O COP.

TC=40oC
5 CONDENSADOR 4

TE1=5ºC 200kW
EVAPOR. 1 CA
6 3

6
CB

EVAPOR. 2 1
8
TE2 = -30C 180kW

9
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

Solução:

P
T 4

5 4 5
2

7 2 7
6 3 6 3

8 1 8 1

h S

Entalpias (tab. A-3 Stoecher)+ diagrama p-h para NH 3

h1=hv(-30ºC) = 1423kJ/kg
h2=hg[s1,pe(5ºC)]= 1630kJ/kg
h3=hv(5ºC) = 1467kJ/kg
h4=hg[s3,pc(40ºC)]= 1625kJ/kg
h5=hl(40ºC) = 390,6kJ/kg
h7=hl(5ºC) = 223kJ/kg
h8=h7

Fluxo de massa nos compressores

Balanço de energia no compressor de baixa:

Q E 2 180
Q E 2  m CB (h1  h8 )  m CB    0,150kg / s
h1h8 1423  223

Balanço de energia no volume de controle indicado em vermelho na figura:

m 5h5  m 2 h2  200  m 3h3  m 7 h7


m 3  m 5  m CA
m 2  m 7  m CB
m (h7  h 2)  200 0,15(223  1630)  200
m CA  CB 
h5  h3 390,60  1467
m CA  0,382kg / s

10
Notas de aula de Refrigeração e Ar Condicionado – Prof. Cezar Negrão

Potência dos compressores

WCB  m CB wCB  m CB (h2  h1 )  0,15(1630  1423)  31,1kW


W  m w  m (h  h )  0,382(1625  1464)  60,4kW
CA CA CA CA 4 3

WT  WCA  WCB  91,5kW

COP

Q E Q E1  Q E 2 180  200
COP     4,15
W WCA  WCB 91,5

Se um compressor servisse cada evaporador em compressão de único estágio, a


potência requerida pelos dois compressores seriam as seguintes:

Evaporador de baixa:
180
m CB   0,174kg / s
1423  390,6

Evaporador de alta:
200
m CA   0,186kg / s
1467  390,6

Potência sistema de baixa: 0,174(1815-1423)=68,2 kW


Potência sistema de alta: 0,186(1625-1467)=29,4 kW
Total=97,6kW

11
Capítulo 4 – Ciclos de Refrigeração por Compressão de Mecânica de Vapor de Único Estágio

5.8 Compressores Compostos (“Compound”)

São compressores que admitem diferentes níveis de pressão de sucção. Por


exemplo, compressores com 6 cilindros, onde 4 cilindros efetuam a primeira etapa de
compressão e os 2 restantes a segunda.

5.9 Sistemas de Recirculação de Líquido

Ver livro do Stoecker.

5.10 Sistema Cascata

3 Condensador
2
4 Trocador de
1
calor
7
6

Evapor.
8 5

Pressão de saturação e volume específico de vapor (R-12 e R-13)


Temperatura R-12 R-13
Pres. Sat. Vol. Espec. Pres. Sat. Vol Espec.
-70ºC 12,42 kPa 1,146 m3/kg 180,9 kPa 0,08488 m3/kg
25ºC 651,6 kPa 0,02686 m3/kg 3560 kPa 0,002915 m3/kg

P
3 2 T 2

3
7
R-12 1
4
8 5 R-12 7
1
4
5
R-13 8
R-13

h S 12