Anda di halaman 1dari 3

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DE PARANÁ

ESTRUTURAS ALGÉBRICAS - 2018

LISTA Nro. 1 – MATEMÁTICA

Os Inteiros

Professor: Dr. Michael Gonzales

1. Usando somente os axiomas (A1) a (D) das operações em Z, deduza que (−1)(−1) = 1. (Não utilize
o resultado do item 8 do Teorema 1.2) Use o menor número de axiomas possı́vel para essa dedução.
Quais axiomas são utilizados nela?

2. Para cada inteiro m, define-se o módulo ou valor absoluto de m, como sendo o inteiro

m , se m ≥ 0
|m| =
−m , se m < 0

Mostre que se a e b são inteiros, então

(a) | − m| = |m|;
(b) |m| ≥ 0 e |m| = 0 ⇐⇒ m = 0;
(c) |m| · |n| = |mn|;
(d) |m + n| ≤ |m| + |n| [Sugestão: mostre que |m + n|2 ≤ (|m| + |n|)2 ];
(e) |m| ≤ n ⇐⇒ −n ≤ m ≤ n.

3. Demonstre que a e b são inteiros com ab = 1, então a = b = ±1. [Sugestão: Pelas regras de sinais,
temos que a e b são simultaneamente positivos ou negativos. Suponha primeiramente a > 0 e b > 0.
Mostre que, então a · (b − 1) ≤ 0, de onde b ≤ 1. Sendo 0 < b ≤ 1, tem-se então b = 1 e então
a = b = 1. Trabalhe no caso a < 0 e b < 0.]

4. Prove que se a e b são inteiros com a > b > 0, então a2 > b2 .

5. Prove que se a e b são inteiros positivos com a2 > b2 , então a > b. Prove também que se n ≥ 3 é um
inteiro positivo e an > bn , então a > b. [Sugestão: use os ”produtos notáveis”a2 − b2 = (a − b)(a + b)
e an − bn = (a − b)(an−1 + an−2 b + · · · + abn−2 + bn−1 ), para n ≥ 2.]

6. Mostre que se n é um inteiro, então n + 1 é o menor inteiro maior que n.

7. Mostre, por indução sobre n, que, se n ≥ 1, então:


n(n + 1)
(a) 1 + 2 + · · · + n = .
2
n(n + 1)(2n + 1)
(b) 12 + 22 + · · · + n2 = .
6

1
 2
n(n + 1)
(c) 13 + 23 + · · · + n3 = .
2
(d) 1 · 1! + 2 · 2! + · · · + n · n! = (n + 1)! − 1.
1 1 1 n
(e) + + ··· + = .
1·3 3·5 (2n − 1) · (2n + 1) 2n + 1
1 1 1 n
(f) + + ··· + = .
1·4 4·7 (3n − 2) · (3n + 1) 3n + 1
1 1 1 n(n + 3)
(g) + + ··· + = .
1·2·3 2·3·4 n · (n + 1) · (n + 2) 4(n + 1)(n + 2)
8. Mostre também que:

(a) Para cada inteiro n ≥ 0, n2 + n é par.


(b) Para cada número real positivo a e cada inteiro n ≥ 0, tem-se (1 + a)n ≥ 1 + na.
(c) Para cada inteiro m, m3 − m é divisı́vel por 3.
(d) 42n+1 + 3n+2 é um múltiplo de 13 (isto é, é da forma 13 · a com a inteiro), para cada n ≥ 0.
(e) Todo conjunto de n elementos possui 2n subconjuntos.

9. Mostre que o número de diagonais de um polı́gono convexo de n lados é dado por


n(n − 3)
dn = .
2

10. Para cada a ∈ Z e cada n ∈ N, define-se a potência de base a e expoente n (ou n-ésima potência
de a) como sendo o inteiro denotado por an e definido pelas leis:

(i) Se n = 0, então an = a0 = 1.
(ii) Para cada k ≥ 0, ak+1 = ak · a.

A partir das duas leis definidas acima, prove, por indução sobre n, que se m e n são números
naturais e a é um inteiro, então:

(a) am+n = am · an [Sugestão: Assuma que m é um número natural fixado e faça a prova por
indução sobre n].
(b) (am )n = amn .
an+1 − 1
(c) Se a 6= 1, então 1 + a + a2 + · · · + an = .
a−1
11. Mostre que:

(a) n! > 2n, se n ≥ 4.


(b) n! > 3n, se n ≥ 7.
(c) n! > 4n, se n ≥ 9.
 
n
12. Sendo n e p números naturais, com n ≥ p, define-se o número binomial Cn,p = ,
p
 
n n!
=
p p!(n − p)!

sendo 0! = 1! = 1, 2! = 2 · 1 = 2, 3! = 3 · 2 · 1 = 6, etc. De um modo geral, se n ≥ 1, n! = n · (n − 1)!

(a) Prove a relação de Stifel: sendo n e p números naturais, se n ≥ p + 1,


     
n n n+1
+ =
p p+1 p+1

2
(b) Prove a fórmula chamada binômio de Newton: sendo a e b números reais e n um número
natural, n ≥ 1,
n            
X n n n n n−1 n n−r r n n n
(a+b)n = an−k bk = a + a b+· · ·+ a b +· · ·+ abn−1 + b
k 0 1 r 1 0
k=0
.

13. A seqüência de Fibonacci é um exemplo de uma seqüência de inteiros definida indutivamente. Ela
é definida como a0 , a1 , a2 , . . ., sendo

a0 = 0, a1 = 1 e an+1 = an + an−1 para cada n ≥ 0

Assim, ela começa como 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, . . .

(a) Prove por indução sobre n que


 n " √ #n
1+5 1− 5

2 2
an = √
5
[Sugestão: Use o segundo princṕio da indução. Provavelmente lhe será útil saber que
√ !2 √
1+ 5 3+ 5
= ]
2 2
(b) Mostre que √
 
an+1 1+ 5
lim =φ=
n→+∞ an 2
Já ouviu falar deste número, a ”razão áurea”?

14. Considere a igualdade


2 + 4 + 6 + · · · + 2n = n2 + n + 100
Mostre que tal igualdade é falsa. Mostre porém que, sendo k um inteiro, supondo-a verdadeira para
n = k podemos demonstrar que também é verdadeira para n = k + 1.

15. Considere a afirmação


n2 − n + 5 é primo
(Um inteiro p é primo se p 6= 0, p 6= ±1, e seus únicos fatores inteiros são ±1 e ±p)
Mostre que essa afirmação é verdadeira se n ∈ {1, 2, 3, 4}, mas é falsa se n = 5.

16. Dada a sentença aberta em N:

n(n + 1)
P (n) : 1 + 2 + · · · + n = + 1,
2
mostre que

(i) Qualquer que seja n ∈ N, se P (n) é verdadeira, então P (n + 1) é verdadeira.


(ii) P (n) não é verdadeira para nenhum valor de n ∈ N.