Anda di halaman 1dari 17

Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

Comandos - Manipulação de arquivos

Descrição de tipos de arquivos

Símbolo Descrição
- Arquivo regular
d Diretório
l Link
c Dispositivo de caractere
u Dispositivo de caractere sem buffer
s Arquivo Socket
p FIFO, Named Pipe
b Dispositivo de bloco

cd - Navegando entre diretórios

$ cd [nome_do_diretório]

Este comando acima mudará o diretório atual de onde o usuário está. Há


também algumas abreviações de diretórios no Linux para a facilitação, estes são:

. - Diretório Atual
.. - Diretório anterior
~ - Diretório HOME do usuário
/ - Diretório Raiz
- - Último diretório

ls – Listar Arquivos

ls [opções] [arquivo/diretório]

opções:

-l – Lista os arquivos em formato detalhado


-a – Lista os arquivos ocultos
-h – Exibe o tamanho em um formato legível
-R – Lista tambéms os subdiretórios

mkdir – cria diretório

Sistema Educandus de Ensino 1


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

mkdir <nome_do_diretorio>

ex.:
$ mkdir ~/teste

mknod - cria arquivos especiais de bloco ou caracteres


opções:

P para um FIFO

b para um arquivo especial de bloco (com buffer)

c para um arquivo especial de caractere (sem buffer)

rmdir – Remove um diretório vazio

rmdir <nome_do_diretorio>

ex.:
$ rmdir /tmp/lixo

cp – Cópia de arquivos e diretórios

cp [opções] <arquivo_origem> <arquivo_destino>

opções:

-i – Modo interativo
-v – Mostra o que está sendo copiado
-R – Copia recursivamente

ex.:
$ cp -i brasil.txt livro.txt

mv – Move arquivos e diretórios

mv <arquivo_origem> <arquivo_destino>

Ex.:
$ mv industria.txt fabrica.txt (obs.: está renomeando)

$ mv industria.txt /home/jardel (Obs.: Está movendo)

rm – Deleta arquivos e diretórios

rm [opções] <arquivo>

Sistema Educandus de Ensino 2


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

opção mais usada:

-r – Remove o diretório com todo seu conteúdo

Ex 1.:

$ rm arquivo.bin

Ex 2.:

$ rm -r /tmp/lixo

ln – Linkando arquivos

ln -s <arquivo_origem> <link simbolico>

Ex.:
$ ln -s /manual /home/linux-manual

cat – concatena e exibe arquivos

Ex.:
$ cat /home/jardel/jarbas

file- Indica tipo de arquivo

Ex.:
file jardel.txt

grep – Faz busca seguindo um padrão

Opções:

-i – Ignora a distinção entre letras maiúsculas e minúsculas


-c - Retonar apenas a quantidade de ocorrências encontradas
--color – Destacar expressões com cor
-l - Retornar o nome dos arquivos analisados que possuem a expressão especificada
-n - Retornar os números das linhas
-R – Executa a busca em toda a pasta recursivamente

Ex.:
$ grep -n -i '.minente' arquivo.txt

which – Descobrir onde está o comando no linux

Sistema Educandus de Ensino 3


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

which <comando>

Ex.:

$ which java

whereis - busca por arquivos executáveis, man pages, arquivos de configuração e fontes

Ex.:
# whereis httpd

locate – Localiza arquivos apartir de um banco de dados. Esse banco de dados é atualizado pelo
comando updatedb.

Ex.:
# locate jardel.php

lprm

Cancela trabalhos de impressão

touch - é usado para criar arquivos. Além disso ele ainda pode mudar a data e a hora de acesso e ou
modificação de arquivos.

As opções mais usadas são:


-a - Muda somente a data e a hora de acesso para a atual.
-m - Muda somente a data e a hora de modificação para a atual.
-t datahora - Muda a hora e a data para o datahora definidos.

Ex 1.:

# touch -t 200702182233.10 testando.txt (modificação)

# touch jardel.txt (criação)

Comandos - Compactando e extraindo arquivos


tar – comando utilizado para juntar e compactar arquivo, opções mais usadas:
-c - cria um novo arquivo tar
-t - exibe o conteúdo de um arquivo tar
-p - mantém as permissões originais do(s) arquivo(s)
-r - adiciona arquivos a um arquivo tar existente
-f - permite especificar o arquivo tar a ser utilizado
-v - exibe detalhes da operação
-w - pede confirmação antes de cada ação no comando
-x - extrai arquivos de um arquivo tar existente

Sistema Educandus de Ensino 4


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

-z - comprime o arquivo tar resultante com o gzip (visto mais à frente)

• Usando Tar e gzip


Basta aplicar o comando tar com o parâmetro -z.
Exemplo para empacotar e compartar arquivos:
#tar -zcvf guia.tar.gz marvin.png zaphod.txt trillian.odt
Para extrair o conteúdo desse arquivo:
#tar -zxvf guia.tar.gz

• Usando Tar e bzip2


Basta utilizar o parâmetro -j.
Exemplo para empacotar e compartar arquivos:
#tar -jcvf frases.tar.bz2 confucio.html nietzsche.html
Para extrair o conteúdo desse arquivo:
#tar -jxvf frases.tar.bz2

Comandos -Ajuda
man – Exibe a informações de comandos

Ex.:

$ man passwd

info – Também exibe informações de comandos

Ex.:
$ info kill
manpath – Tenta informar o caminho para páginas de manual

Comandos - Instalação de Pacotes

apt-get – Ferramenta que instala pacotes do debian e ubuntu, c através de repositórios, configurados
no arquivo /etc/apt/sources.list

apt-get [opção] [comando]

Opções mais usadas:


-d – Faz download de arquivos, mas não os instala.
-s – Simula os passos em uma modificação de pacotes, mas não modifica realmente o sistema.
-y – Responde yes (sim) automaticamente na instalação de um pacote.

Comandos mais usados


dist-upgrade – Faz upgrade automaticamente para novas versões do Debian Linux.
install – Instala ou faz upgrade de um ou mais pacotes, por nome.
remove – Remove os pacotes especificados.
update – Obtém uma lista de pacotes atualmente disponíveis. Isso é normalmente feito antes de
quaisquer modificações sejam feitas aos pacotes existentes.

Sistema Educandus de Ensino 5


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

upgrade – Faz upgrade do conjuto completo de pacotes de um sistema para a versões mais
atualizadas, de forma segura.

Exemplo:
#apt-get –y install apache2

yum - É semelhante ao APT, mas é utilizado para pacotes RPM, mas seus repositórios é
configurado no arquivo /etc/yum.conf.

Comandos mais usados


check-update – Mostra se existe alguma atualização a ser feita.
update – Mostra as atualizações a serem feitas e sugere sua instalação.
list – Usado para listar várias informações sobre os pacotes disponíveis.
install – Instala o pacote.
remove – Remove o pacote.
Search - Usado para encontrar um pacote por meio de palavras-chave.
make install – Instala pacotes binários, utilizado por todas as distribuições

1º depois de baixar o pacote e ter descompactado, execute o script configure que gerará o arquivo
make file.

Ex.:
# ./configure

2º após gerar o arquivo makefile execute o comando make para compilar os arquivos

Ex.:
# make

3º Execute o comando make install

Ex.:
# make install

rpm – Instala pacotes .rpm.

opções mais usadas:


–i [opção] ou --install - Instala.
–U [opção] ou --upgrade - Atualiza o pacote existente.
–e [opção] ou --unistall - Remove.

Exemplo de uma instalação:


#rpm –i gcc-2.96-113.i386.rpm

dpkg – Instala pacotes .deb.

Opções mais usadas:

Sistema Educandus de Ensino 6


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

-i – Instalar
-r – remover
-l – Lista os pacotes instalados no sistema
-s – Verifica p status de um pacote
-S – Procura arquivos dentro do banco de dados dpkg

ex.:

# dpkg -i firefox.deb

Comandos - Inicialização e desligamento do sistema

shutdwon: É maneira mais completa, segura e ajuizada de desligar/reiniciar um computador.

Parâmetros:
shutdown -h: desliga/pára a máquina
shutdown -r: Reinicia a máquina

halt: É a maneira mais simples de desligar o sistema.

Parâmetros:
halt -n: impede a chamada de sync
halt: encerra o sistema

reboot: É a maneira suja de reiniciar o sistema, ele é idêntico ao halt, mas a máquina reinicia em
vez de parar.

telinit: Modifica o nível de acesso.

Exemplos:
telinit 0: desliga/pára a máquina
telinit 1: Coloca o sistema em modo monousuário

poweroff: É idêntico ao halt, exceto pelo fato que depois linux foi desativado ele envia uma
solicitação ao sistema de gerenciamento de energia para desligar a alimentação

Comandos - Conta Root

su – Usuário comum passa a ser o root


sudo – programa que autoriza usuários não root pode executar um comando com privilégios
temporários do root, esse usuários estão definidos no arquivo /etc/sudoers.
visudo – edita o arquivo /etc/sudoers

Comandos - Monitoramento e Depuração

lspci – Lista os dispositivos conectados no barramento PCI e reconhecidos pelo kernel.

Sistema Educandus de Ensino 7


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

lsusb - Lista os dispositivos conectados no barramento USB e reconhecidos pelo kernel.

kill – envia um sinal ao processo utilizando o pid, o sinal padrão é o term, o qual tem por objetivo
terminar o processo

killall – Tem a mesma finalidade do kill, porém utiliza o nome do processo eliminando todos o
processos de mesmo nome

nice – Determina a prioridade do processo durante sua criação, através do caminho do processo. A
prioridade vai de -20 a +19, onde o menor número tem maior prioridade.

Renice – Altera a prioridade de um processo, utizando o pid. O dono do processo só poderá


diminuir a prioridade do processo, ou seja, colocar um valor maior da prioridade, somente o root
poderá aumentar a prioridade do processo.

ps aux – Utilizada para monitorar processos de forma estática sendo de forma geral

ps lax – exibe mais informações sobre os processos

Obs.: o ps é a principal ferramenta para a monitoria de processos

top – Monitora processos de forma dinâmica, ou seja, ainda melhor do que o ps, porém exige muito
mais do hardware .

pstree - Mostrar sistema de árvore de processos.

Lsof - Utilizado para mostrar os arquivos que estão abertos no sistema, Alguns parâmetros:

Parâmetros:
-u – Arquivos abertos por um determinado usuários
-g – Arquivos abertos por um determinado grupo
-p – Arquivos abertos por um determinado pid

Ex.:
# lsof -u jardel

strace – Mostra cada chamada de sistema que o processo faz e cada sinal que ele recebe.
Ex.:
# strace -p 12470

lsmod – Exibe os módulos carregados do sistema


rmmod – Remove Módulos
free – mostra o estado damemória ram e swap.

Comandos - Sistemas de arquivos

Sistema Educandus de Ensino 8


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

find – procura arquivos em uma partição

fuser – verifica quem está acessando cada diretório, também pode matar processos associados a um
arquivo.

umask – define a máscara do sistema

chmod – Define permissões para arquivos e pastas, para definir uma permissão recursiva, ou seja,
em todas umas pasta, utiliza o parâmetro -R.

Ex.:
chmod -R 777 /jardel

chown - Altera o dono do arquivo ou diretório e pode também alterar o grupo a que este pertence.

mount - É utilizado para montar um dispositivo na hierarquia do sistema de arquivos do Linux.

As opções mais usadas são:

-a - Monta todos os dispositivos especificados no arquivo /etc/fstab que não têm a opção noauto
selecionada.

-r- Monta o sistema de arquivos do dispositivo como somente leitura.


-w - Monta o sistema de arquivos do dispositivo como leitura e gravação.
-o - Especifica as opções de montagem.
-t - Especifica o tipo do sistema de arquivos do dispositivo.

Ex.:

# mount /dev/hdb1 /mnt/windows -t vfat

umount - É utilizado para desmontar dispositivos montados pelo comando mount

opções mais usadas são:

• -a - Desmonta todos os dispositivos listados no arquivo /etc/mtab, que é mantido pelo


comando mount como referência de todos os dispositivos montados.
• -t - Desmonta somente os dispositivos que contenham o sistema de arquivos especificado no
tipo.

Exemplo:
fernandopaiva@Tux:# umount /dev/cdrom

setfacl – Define/modifica uma acl para arquivo ou diretório


getfacl – Exibe a Acl de um arquivo ou diretório

Comandos - Usuários
chsh - Altera o shell

Sistema Educandus de Ensino 9


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

chfn – Modifica o campo GECOS do usuário


passwd – Altera a senha do usuário atual ou de outro usuário, mas para isso terá de ser root.
yppasswd - Faz o mesmo que o passwd, mas utilizando o NIS.
chage – Controla a expiração de senhas
useradd - Cria usuário de forma manual
adduser – Script que automatiza a criação de usuário
userdel – Remove usuário
usermod - Modifica as configurações de uma determinada conta de usuário, ou seja, altera as
entradas passwd de usuários existentes.
grpconv - usa o sistema gshadow para proteger as senhas dos grupos.

grpunconv - elimina o uso do sistema gshadow de proteção de senhas.


pwunconv - elimina o uso do sistema shadow de proteção de senhas.

pwconv - usa o sistema g=shadow para proteger as senhas dos usuários.

newgrp – Permite que o usuário mude temporariamente de grupo principal

chgrp - É utilizado para alterar o grupo associado a um arquivo. Ao contrário do comando chown,
chgrp permite a usuários regulares alterar grupos, mas apenas daqueles o qual são membros.

groupadd – Adiciona grupo


groupmod – Modifica informações sobre o grupo
groupdel – Remove grupo

Comandos – Discos

tune2fs -j – converte um sistema de arquivos ext2fs para ext3fs.


mke2fs – Formata partições com o sistema de arquivo Ext2.
mkreisers - Formata partições com o sistema de arquivo reiserfs.
df - Relata o espaço de disco usado pelo sistema (Usado e Livre)

du - Relata o espaço utilizado no disco de tal arquivo ou diretório


swapon – Informações sobre memória virtual (swap) e também serve para ativar ou desativar
arquivos ou partições de swap no sistema.
hdparm - Descobrir e corrigir problemas na configuração do HD, que podem comprometer o
desempenho.
fsck – Comando executado para corrigir alguns problemas do disco.
fdisk – Cria/altera/modifica partições.
mkswap - Este comando configura uma área de troca (swap) do Linux.

Mdadmm - Configura o Armazenamento Baseado no RAID

lvextend - Aumenta o tamanho de um volume lógico.

Ext2online - Aumenta o tamanho de um volume lógico sem precisar desmontar.

Vgdisplay - Exibe as propriedades de um grupo de volume (tamanho, extensão, número de volumes

Sistema Educandus de Ensino 10


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

físicos, etc).

Comandos - Rede
dump – Realiza backup de bloco de disco.
restore – Restaura backup feito pelo dump.
rdump – Comando que faz um dump remotamente.
rrestore – Restaura backup feito pelo dump Remotamente.
dd – Faz uma cópia exata do disco e arquivos bit a bit.

ip addr show
Mostrando o endereço ip da placa:

Ex.:
# ip addr show

ifconfig :

Exibe as configurações das placas de rede.

Comando para listar as placas ativas:

# ifconfig -a

Para desabilitar uma placa com endereço eth0:

# ifconfig eth0 down

Para levantar:

# ifconfig eth0 up

Configurar placa de rede:

# ifconfig eth0 10.0.0.2 netmask 255.255.0.0 up

Ping

Esse é um dos mais utilizados para verificar se a placa está viva

Ex.:
# ping 125.25.26.2

Sistema Educandus de Ensino 11


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

tcpdump e wireshark

São analisadores de pacotes, ouvem o tráfego em uma rede e registra ou imprimem pacotes
que atendam a certos critérios.

netstat
Com esse comando podemos ver as estatísticas das interfaces.

Para ver as rotas:

# netstat -r

Para ver as portas abertas no computador:

# netstat -a

Para ver todas as conexões TCP conectadas do seu computador:

# netstat -nt

traceroute
Podemos ver em tempo real todo o caminho que o pacote percorre até o destino. Cada linha que
aparece é chamada de pulo.

# traceroute www.uol.com.br

nslookup
Esse comando resolve o nome de um host para um IP.

# nslookup uol.com.br

dig
Esse comando já fornece informações mais detalhadas relacionadas ao DNS.

# dig dominio.com.br

telnet
Serve para conectar uma máquina com uma porta específica.

# telnet uol.com.br 80

Diretórios e Arquivos importantes

Sistema Educandus de Ensino 12


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

/etc/networks
Este diretório contém as configurações das interfaces (placas) de rede do sistema e outras opções
úteis para a configuração/segurança da rede.

/etc/network/interfaces
Este é o arquivo de configuração usado pelos programas ifup e ifdown, respectivamente para ativar
e desativas as interfaces de rede, matendo as configurações da placa de rede.

/etc/crontab
Arquivo que contém a programação de programas que serão executados em horários/datas
programadas.

/etc/fstab
Contém detalhes para a montagem dos sistemas de arquivos do sistema.

/etc/group

Lista de grupos existentes no sistema.

/etc/gshadow
enhas ocultas dos grupos existentes no sistema (somente o usuário root pode ter acesso a elas).

/etc/hostname
Arquivo lido pelo utilitário hostname para definir o nome de sua estação de trabalho.

/etc/hosts
Banco de dados DNS estático que mapeia o nome ao endereço IP da estação de trabalho (ou vice
versa).

/etc/inittab
Arquivo de configuração dos níveis de execução do sistema.

/etc/inputrc
Este arquivo contém parâmetros para a configuração do teclado.

/etc/issue
Contém um texto ou mensagem que será mostrada antes do login do sistema.

Sistema Educandus de Ensino 13


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

/etc/lilo.conf
Arquivo de configuração do gerenciador de partida lilo.

/etc/login.defs
Definições de configuração para o pacote login.

/etc/motd
Mstra um texto ou mensagem após o usuário se logar com sucesso no sistema. Também é usado
pelo telnet, ftp, e outros servidores que requerem autenticação do usuário (nome e senha).

/etc/passwd
Contém os dados pessoais do usuário como o login, uid, telefone e senha (caso seu sistema esteja
usando senhas ocultas, a senha terá um * no lugar e as senhas reais estarão armazenadas no arquivo
/etc/shadow).

/etc/printcap
Banco de dados de configuração da impressora, usado por daemons de impressão como o lpr e
lprng.

/etc/resolv.conf
Arquivo de configuarção do servidor DNS.

/etc/services
Associa um serviço a uma porta.

/etc/shadow
Este arquivo armazena as senhas criptografadas dos usuários caso estiver usando o recurso de
senhas ocultas.

/etc/gshadow
Este arquivo armazena as senhas criptografadas dos grupos caso estiver usando o recurso de senhas
ocultas.

/etc/shells
Contém uma lista de interpretadores de comando (shells) válidos no sistema.

Sistema Educandus de Ensino 14


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

/etc/syslog.conf
Contém configurações para definir o que será registrado nos arquivos de log em /var/log do sistema.

/etc/timezone
Contém a sua localização para cálculo correto do seu fuso-horário local.

/proc/cpuinfo
Apresenta informações sobre o(s) processador(es), tais como fabricante, modelo e registradores,
entre outras.

/proc/devices
Mostra uma relação dos dispositivos atualmente configurados no kernel do sistema operacional.

/proc/meminfo
Arquivo com informações sobre compartilhamento e o uso de memória.

/boot/grub/grub.conf
Arquivo de configuração do grub.

/etc/ppp
Diretŕios que contém arquivos de configuração usados pelo daemon pppd para fazer uma conexão
com uma rede PPP externa.

/var/spool/cron
Utilizado para armazenar o crontab dos usuários

/var/spool/cron/tabs

Uilizado para armazenar o crontab dos usuários no SUSE.

/var/spool/cron/crontabs

Utilizado para armazenar o crontab dos usuários no Debian.

/etc/cron.d

Crontab do sistema, com pequenas mudanças do crontab dos usuários

Sistema Educandus de Ensino 15


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

/etc/crontab

Arquivo crontab do sistema

/etc/cron.weekly

Diretório do cron para execução uma vez por semana

/etc/cron.daily

Diretório do cron para execução uma vez por dia

/etc/cron.hourly

Diretório do cron para execução a cada hora

/etc/cron.monthly

Diretório do cron para execução uma vez por mês

Serviços de rede e Arquivos


Serviços de Rede:

Postfix: Serviço de e-mail

Principal arquivo de configuração: main.cf

Obs.: Vários agentes de transporte estão disponíveis para os sistemas unix e linux (pmdf postfix
smail qmail exim e zmailer entre outros) porém sendmail é o mais abrangente o mais flexível e o
mais amplamente utilizado.

Open Ldap: O OpenLDAP é um livre de código aberto que implementa o protocolo LDAP, ou
seja, um serviço de diretório baseado no padrão X.500

Principais arquivos de configuração:


• slapd.conf - configuração do daemon;
• ldap.conf - configuração para acesso dos clientes à base;

Bácula / bacula: É um conjunto de programas que permite administrar Backup, restaurações e


verificação dos dados de computadores em uma rede de sistemas variados.

Principais Arquivos de configuração:

bacula-dir.conf: Maestro de todo o conjunto, gerencia quase tudo.

bacula-sd.conf: responsável por coordenar a gravação e restauração dos dados nas diversas mídias

Sistema Educandus de Ensino 16


Professor: Jardel Lameu
Apostila de Linux – Revisão da Aprovação

que podemos configurar

bacula-fd.conf:È o client do Bacula, o programa responsável por enviar os dados solicitados


bconsole.conf:Configura agendamentos

BIND: Serviço de DNS


Arquivo de configuração: /etc/named.conf

Apache: Servidor Web


Arquivo de configuração mais importante: httpd.conf ou apache2.conf

Iptables: Servidor de Firewal, ou seja, servidor Netfilter, o Kernel q gerencia.

Squid: Servidor Proxy e cache, ou seja, gerencia acessos a internet


Arquivo de configuração: squid.conf

Samba: Possui como principal função acessar arquivos compartilhas por um servidor windows

pricipal arquivo de configuração: /etc/smb.conf

Sistema Educandus de Ensino 17


Professor: Jardel Lameu