Anda di halaman 1dari 153

MERIDIA TING YONG IU IUNN KING HO

NO
FISIOPATOLOGIA DO XIN: profundo de falência do Qui por perdas severas de Jing, Xue, Tin e Ye, etc.
Síndrome de Vazio O coma ou choque (morte súbita) é causado pelo colapso completo do
1. Deficiência do Qui do Coração YangQui do Coração, daí perda de Consciência, pois o Shen não fixa mais
2. Deficiência do Yang do Coração e Colapso do Yang do Xin no Xin.
3. Deficiência do Xue do Coração Manifestações Clinicas
4. Deficiência do Yin do Coração Palpitação, dispnéia, respiração superficial e fraca, sudorese profusa,
Síndrome de Plenitude membros frios, lábios cianóticos, e perda de consciência.
1. Ascensão do Fogo do Coração Língua: cianótica ou púrpura-azulada, dificuldade de expor a língua (curta).
2. Calor Interno com Mucosidade (Tanyin) Pulso: atado, fugaz de difícil palpação.
3. Estase de Mucosidade no Coração
Síndrome Mista Déficit de Qui do Xin;
Estagnação do Sangue (Xue) do Coração (Xin) Deficiência do Yang do Coração
Alteração do Yang ou Yin do Rim
Patologia Restabelecer o YangQui, recuperdar perda de consciência, reanimação e
Sinais deficiência do Qui por excesso de atividade física e alteração fisio- Interromper a sudorese e perdas de Qui.
energética(desgaste dos Órgãos), doenças crônicas, déficit ancestral Pontos: Quihai VC6, Guanyuan VC4, Shenque VC8, Mingmen VG4,
Manifestações Clinicas Zusanli E36, Neigucin CS6, Shenshu BX23, BaiHue VG20.
Palpitação, dispnéia ao esforço fisico, sudorese, palidez, cansaço e apatia.
Língua pálida, nos casos severos a língua pode apresentar uma rachadura VC4, VC6 e VC8 recuperam o YangQui e estanca perdas de humores.
na linha média, com edema nas laterais. VG4 tonifica o Yang do Rim (Porta de Vida).
Pulso: vazio, nos casos severos, o pulso do Xin pode manifestar dilatado e E36 e CS6 fortalecem o Yang do Coração.
fraco BX23 fortalece o Yang do Rim.
VG20 é o ponto de encontro de todos os meridianos Yang: recupera o
1. Perda de Xue Yang e promove a restauração de Qui.
Causado pelas doenças crônicas, hemorragia, ou hemorragia crônica
persistente (como as derivadas da menstruações). Qualquer perda Xue Patologia
crônica e persistente causa também uma deficiência do Qui do Xin . Alteração BP e Rim
2. Alterações Emocionais Doença de Calor Interno, invasão de Calor Externo
Partícularmente tristeza e stress, podem levar á deficiência do Qui do Excessos de esforços físicos e sexual
Coração. Xue deficiente e anemias.
3. Déficit ancestral Manifestações Clinicas
Tonificar o Qui do Coração (Xin). Palpitação, inquietude, tontura, insônia, pesadelo (persecutório), memória
Pontos: Tongli C5, NeIiguan CS6, Xinshu BX15, Shanzhorig VC17, QuiHai fraco, ansiedade, propensão a assustar-se, tez de aspecto pálido e opaco
VC6. e lábios pálidos.
Língua: pálida, fina e levemente seca.
C5 tonifica o Qui do Coração e acalma a Mente. Pulso: vazio ou fino.
CS6 tonifica o Qui e para ansiedade e depressão
BX15 é o ponto de Shu, circulação e atuação imediata Déficit de Qui do BP (nutrição);
VC17 é o ponto para o ZhongQui, TAS, que auxilia diretamente na difusão Ansiedade e preocupação crônica;
de XinQui Hemorragia (parto, hipermetrorragia).
VC6 fortalece o Qui de todo o organismo, indicado para perdas de energia Tonificar Xue e Qui, harmonizar a Mente.
crônica. Pontos: Shenmen C7, Neiguan CS6, BP10, Jiuwei VC15, Guanyuan VC4,
YinTang
Patologia
Alteração decorrente do fato de que o Yang do Coração não consegue C-7 fortalece o Xue do Coração e harmoniza a Mente.
transportar o WeiQui para as extremidades e aquecê-las CS6 tonifica o Qui do Coração, diminui ansiedade.
Manifestações Clinicas VC15 tonificam o Sangue do Coração, auxlia no relaxamento da diafragma
Palpitação, dispnéia ao esforço fisico, cansaço, apatia, sudorese, e angústia.
sensação de opressão no precórdio, sensação de frio, face pálida e VC4 recupera o YangQui e estanca perdas de humores, consolida Xue.
brilhante (maxilar), membros frios. YinTang fortalecer Shen (Mente)
Língua: pálida, úmida e edemaciada.
Pulso: atado ou intermitente. Patologia
Duas formas: Deficiência do Xue do Coração com déficit de Qui e Tin Ye.
Similar ao Déficit de Qui do Xin; entretanto a deficiência do Yang do Deficiência do Yin do Rim, não consegue ascender para nutrir e esfriar o
Coração pode provocar indiretamente de uma deficiência crônica do Yang Coração gerando “Calor-Vazio do Xin”.
do Rim, que alteraria todo sistema de equilíbrio do Organismo. A Manifestações Clinicas
deficiência do Yang do Coração (Xin) também pode ser indiretamente Palpitação, insônia, pesadelos, medo, memória e concentração dispersa,
ocasionada por qualquer uma das causas de deficiência do Yang do Rim. ansiedade, agitação mental, “preocupação”, “inquietação”, rubor malar,
Tonificar e aquecer o Yang do Coração (Xin). febre baixa ou sensação de calor, sudorese noturna.
Pontos:Tongli C5, Neiguan CS6, Xinshu BX15, XueHai BP10, TaiZhi VC4, Língua avermelhada, ausência de saburra
TaiHut VG14. Pulso: vazio, rápido e ou dilatado.

C5 e CS6 tonificam o Qui do Coração. Angústia, preocupação e irritabilidade junto a uma vida cotidiano
BX15 tonifica o Yang do Xin se a moxa for utilizada. agitado lesa YinQui, se associar ansiedade persistente pode afetar a
XueHai BP10 Harmoniza e fortalece o Xue e Qui Mente, provocando alteração de comportamento. A deficiência do Yin do
GuanYuan VC4 fortalece o YangQui e o Rim Yang Coração também pode surgir após invasão de Calor Externo, que
TaiZui VG14 recebe a Qui provenientes dos três canais de energia consome os humores organicos e esgota reserva de Yin do Coração.
principais Yang. com aplicação direta da moxa tonifica o Yang do Coração Fortalecer e nutrir o Yin do Coração, nutrir o Yin do Rim, dispersar Calor e
(Xin). harmonizar a Mente.
Pontos: C7 ShenMen, Guanyuan VC4, Mingmen VG4, Zusanli E36,
Patologia Neigucin CS6, BP6, ZhaoHai R6.
Alteração extrema de deficiência do Yang do Coração, estágio agravado e
28
C7 e CS6 tonifica o Sangue (Xue) e o Yin do Coração (Xin) e pacifica a VC15 transito de ZhongQui e elimina estase de Qui.
Mente. VC12 elimina Mucosidade alimentares, fortalece BP.
E36 e BP6 nutrição e circulação de Xue, Tin e Ye, humores organicos E-40 limpeza da Turvacidade e Mucosidade.
VC4 tonifica o Yin e “estabiliza” a Mente quando há Calor-Vazio, VG4 BP10 circulação do Xue e drenagem de Calor (YongQui).
tonifica o Yang do Rim (Porta de Vida). F2 controle do Fogo noTAI.
CS6 tonifica o Yin do Coração e interrompe a sudorese noturna.
BP6 consolida o Yin e R6 tonifica o Yin do Rim e interrompe a sudorese Patologia
noturna e promove o sono Obstrução da Mucosidade sobre Xin, por estase de Qui, Xue e até
Humores orgânicos, sem presença de Fogo, ocorre pós infarto, AVC.
Manifestações Clinicas
Topor, confusão mental, alteração de consciência, retardamento de
Patologia raciocínio, perdas de memória, etc.
Excesso de apego, obsessão, emoção, sentimentos, Calor, Umidade, Língua: edemaciado, saburra espessa, pegajosa, rachadura na linha
alimentação ou álcool e drogas (quimioterapia) média com pápulas sobre a mesma.
Manifestações Clinicas Pulso: lento, escorregadio.
Palpitação, sede, úlceras na boca e na garganta, agitação mental,
inquietude, insónia, rubor facial, urina escura, sabor amargo e ocre na Causado pelo consumo excessivo de alimentos crus, frituras,
boca. condimentos, frios (fruto do mar) e gordurosos provocando a formação de
Língua: vermelha, ponta edemaciada com pontos vermelhos e saburra Umidade, Turvacidade e Mucosidade. Habitualmente para agredir Xin é
esbranquiçada ou amarela. Pode haver rachadura na linha médiana. necessário combinada com alterações emocionais, tais como ansiedade
Pulso: cheio, rápido, forte. raiva, mágoas persistente.
Circular o Qui do Coração (Xin), eliminar Mucosidade e fontes de origem.
Fatores emocionais como predisposição para instalação do Fogo do Pontos: Shaochong C9, Jianshi CS5, Xinshu BX15, Fenglong E40,
Coração(instabilidade emocional). Essas mágoas, por um período Renzhong
prolongado, podem provocar a estase do Qui, originando o Fogo. VG26, Zhongwan VC12, Pishu BX 20.
Estagnação prolongada do Qui pode levar a depressão mental, por esse
motivo os pacientes são depressivos, embora na evolução clínica possam C9 limpeza e drenagem do Coração e abre seus orificios.
parecer assintomáticos e lentos, isto é, sintomas podem aparecer como CS5 dissolver a Mucosidade do Coração.
um síndrome de deficiência, enquanto todos os outros sinais clínicos BX15 limpa o Coração estimula a capacidade intelectual.
apontam o quadro de plenitude. O Fogo do Coração é freqüentemente E40 drena e dissolve a Mucosidade BP, TAM e E.
absorvido pelo Fígado, portanto, aparecem sintomas de fúria, frustração e VG26 restaurar a percepção dos órgãos de sentido e consciência.
ressentimento. VC12 e BX20 tonificam o BP, TAM para eliminar Umidade, Turvacidade e
Eliminar o Calor e estase de Qui, harmonizar emoções. Mucosidade.
Pontos: Shaochong C9, Shenmen C7, NeiGuan CS6, ZhaoHai R6,
TanChong VC17. Patologia
Seqüela das alteração do Xue e Qui do Xin, Yang do Coração for
C9 e C7 eliminam o Calor e Fogo do Coração. deficiente, perde força de circular o Xue no resto do organismo, resultando
CS6 harmoniza a Mente. na Estagnação do Xue
VC17 dispersar estase de Qui Manifestações Clinicas
R6 utilizado para promover o YinQui do Rim e esfriar o Calor e dispersar Taquicardia, pressão precordial que se irradia para o aspecto interno do
Fogo. braço esquerdo ou para o ombro, opressão e plenitude torácíca, dipnéia,
cansaço e ofegante, cianose nos lábios e mãos frias.
Patologia Língua: vermelho, arroxeada com edema, saburra pegajosa e espessa.
Presença do Fogo (instabilidade) ou Mucosidade (Tanyin) obstruindo o Pulso: lento, atado e fraco.
Coração. Os sintomas mentais são conseqüência da obstrução dos
orificios do Coração por Tanyin e afetando assim a Mente. BP deficiente Estase do Xue crônica no toráx por distúrbios emocionais, angústia,
perde a função de transformar e transportar Tin e Ye, Xue que se irritabilidade, ansiedade, dor, ressentimento ou mágoa; ZhongQui é o mais
acumulam transformam em Mucosidade, e o Calor Interno facilita este sensível à alteração de difusão por Pulmão e YangQui do Rim,
processo por meio da condensação dos Humores. principalmente quando há diminuição de YuangQui (Fonte).
Manifestações Clinicas Circular e difundir Xue e Qui, dissolver estase, fortalecer e consolidar
Agitação mental, palpitação, gosto amargo, insônia, pesadelos, YangQui do Coração e harmonizar a Mente.
incoerência de atitudes, confusão mental, descontrole emocional, Pontos: Shanzhong VC17, ShenMen C-7,Neiguan CS6, XinMen CS4,
depressão e apatia, nos casos severos, afasia e coma. Geshu BX17, XueHai BP10, TA3, VC12.
Língua: vermelha com saburra amarela e pegajosa,edema e pontinhos
vermelhos na ponta. CS6 regulariza o Sangue do Coração e dispersa estase de Qui do tórax.
Pulso rápido, cheio e escorregadio CS4 harmoniza o Qui e o Xue Qui, tranquiliza o Shen, expande Qui do
diafragma, limpeza e dispesão do Calor.
1. Estase crônica de Qui proveniente das alterações emocionais e C7 harmoniza a Mente.
depressão que transformam-se em Fogo. VC17 regulariza o Qui e o Xue no tórax e estimula a circulação do
2. Alimentos quentes (frituras), alcoólicos e gordurosos que originam o ZhongQui torácico.
Calor e a Mucosidade. VC12 elimina estase de Mucosidade alimentares, fortalece BP.
3. Febre provocado pelo Calor Externo invadindo TAS e CS (não há BX17 regulariza o Sangue.
alteração de consciência) TA3 favorece transito e a circulação de Qui.
Limpeza do Fogo do Coração, dispersar Mucosidade C, BP e F, e clareza BP10 circulação do Xue e drenagem de Calor no YongQui.
da Consciência.
Pontos: Jianshí CS5, Shenmen C7, Shaofu C8, Shaochong C9, Daling
CS7, Jiuwei VC15, Zhongwan VC12, Fenglong E40, XueHai BP10, F2

CS5 e CS7 dispersa a Mucosidade e desobstrui os orificíos e elimina o


Fogo do Coração.
C-7 elimina o Calor e harmoniza a Mente.
C-8 e C-9 dispersa o Fogo do Coração e restauram a consciência.
29
O Qi do Pulmão tem fundamental importância na formação do Wei Qi, que
Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang) é o Qi protetor e que circula pela epiderme. Um enfraquecimento do
Pulmão leva ao enfraquecimento da nossa camada eterna de proteção e a
conseqüente debilidade em relação a ataques externos.

O Pulmão se abre no nariz


A abertura exterior do Pulmão é o nariz e muitas vezes é aí que o
acupunturista deve procurar sintomas e sinais de alterações no Pulmão.
Por exemplo, a entrada do Calor externo para agredir o Pulmão se dá pelo
nariz, fazendo surgir sintomas como nariz tapado, rinorréia e anosmia
(falta de capacidade para sentir odores).
O acupunturista deve sempre atentar para um desequilíbrio do Pulmão
quando surgirem no paciente sintomas relacionados à respiração, ao
olfato e a fonação.
© 2001 CVE-NIAI Ephraim Ferreira Medeiros

Pulmão (Fei)
O Pulmão é um órgão único para os chineses, ao contrário dos ocidentais
que o dividem em esquerdo e direito.
Ele está situado no Aquecedor Superior. Baço (Pi)
As funções do Pulmão são: Dirigir o Qi e a "difusão" , controlar a " descida Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang)
e a eliminação" e também tem um papel regulatório na chamada "via das O Baço se localiza na região central do corpo chamada de Aquecedor
águas". Médio.
O Pulmão manifesta-se externamente na pele e se abre para o exterior O Baço se relaciona estreitamente com os alimentos e com a produção de
através do nariz. Sangue e tem como principais funções o transporte e a transformação do
O Pulmão dirige o Qi Qi dos alimentos, fazer subir ao Aquecedor Superior a essência extraída
O Pulmão tem a função de fazer com que o Qi se difunda pelo corpo, além dos alimentos na digestão e também tem a função de manter o estado
de dirigir a troca do Qi impuro que é expirado, pelo Qi puro celestial. funcional dos vasos sangüíneos, contendo o Sangue dentro dos vasos.
O Qi do Pulmão, juntamente com o Qi dos alimentos forma o Zong Qi. O O Baço também tem a função de comandar os músculos e os membros do
Zong Qi tem a função de dirigir a respiração e, pela ação do coração, se corpo.
difundir pelo corpo e alcançar tecidos e órgãos. O Baço se manifesta no exterior através da boca e dos lábios.
Quando o paciente apresenta insuficiência do Qi do Pulmão, o primeiro
sinal se dá como um desempenho respiratório desajustado, aparecendo O Baço e o transporte e transformação
sintomas como respiração ofegante, falta de ar, voz fraca e cansaço. O Baço é responsável juntamente com o estômago, por extrair a essência
dos alimentos e dos líquidos. Essa essência é a mais importante fonte de
O Pulmão controla a descida e a eliminação extração de energia externa que se transforma através da ação do Baço
Normalmente o ar puro inspirado tem que descer até os rins para interagir em Qi e Sangue.
com o Qi ancestral, mas se essa função não é cumprida aparecem Quando o paciente apresenta sinais de modificações nos padrões
sintomas típicos da "subida do Qi do Pulmão", como sensação de digestivos, ligados a mudança em padrões relacionados ao Sangue e a
opressão no peito, tosse, polipnéia, asma. energia (Por exemplo: Paciente com má digestão, fezes constantemente
A função de descida do Qi do Pulmão é também importante no controle da moles, emagrecimento com reclamação de falta de energia e anemia), o
via das águas, pois a água desce do aquecedor superior rumo ao acupunturista deve focar sua atenção na função do Baço.
aquecedor inferior regida pelo Qi do Pulmão. Como o Baço também se relaciona com os líquidos orgânicos,
Quando o Qi do Pulmão é insuficiente, a via das águas está comprometida modificações em padrões relacionados, principalmente à acúmulos de
e surgem sintomas típicos relacionados com Umidade e água como água, também estão ligados à estados alterados da função do Baço (Por
oligúria, edemas, humores viscosos, e micção difícil. exemplo : Paciente apresentando edemas, humores viscosos e diarréia é
um sinal de insuficiência na função do Baço).
O Pulmão, a difusão e a epiderme
Quando os antigos se referiam à "difusão" , eles se referiam à O Baço e a função de subida da essência
importânciado Pulmão na distribuição do Sangue e dos líquidos orgânicos. A essência extraída dos alimentos e dos líquidos é levada até o pulmão e
É um conceito que se integra a função de descida. A descida se dá para sob ação do Qi do coração ela é transformada em Qi e no seu aspecto
que haja a difusão e, por outro lado, não há difusão correta sem que a material, o Sangue.
descida do Qi seja bem dirigida. Para que esse processo transcorra com eficiência é de fundamental
Já a pele está relacionada ao Pulmão e é a primeira camada a ser atingida importância a participação do Qi do Baço, pois é esse Qi que impulsiona a
por uma energia perversa de origem externa e quando isso acontece os essência para o Aquecedor Superior.
sinais típicos se apresentam como um padrão onde o Qi do Pulmão não Quando o Baço perde a sua função de "reger a elevação", surgem no
pode se difundir, aparecendo sintomas como temor do frio, febre, nariz paciente, sintomas visuais (ofuscação da vista, vertigens) e sintomas
tapada e tosse. digestivos como diarréia crônica e prolapso anal.
30
"Manifesta-se no aspecto da face"
O Baço retém o Sangue nos vasos Como o rosto é um local visível e abundantemente irrigado por
Quando o Qi do Baço é abundante o Sangue pode circular pequenos vasos as mudanças no Qi do Coração são diretamente
dentro dos vasos, mas se o Qi do Baço se enfraquece, o Sangue não é refletidas no aspecto da face, dando ao acupunturista através da análise
mais contido pelos vasos enfraquecidos e transborda, aparecendo do externo, um panorama do que ocorre internamente em seu paciente.
sintomas como hematomas, enterorragia, metrorragia, etc... Sendo assim:
-Se o Qi do Coração é abundante, o rosto tem um aspecto
O Baço e controle dos músculos e membros brilhante e saudável
A tradição relaciona a função do Baço de produzir e transformar -Se o Qi do Coração for insuficiente, o rosto fica pálido e sem
a essência dos alimentos, diretamente com a manutenção das "carnes" e brilho
dos membros. Há uma coletânea de citações antigas que deixam bem -Se o Qi do Coração se esvaziou por causa de uma grande
clara essa função do Baço, mais do que qualquer explicação. hemorragia,
O Baço se manifesta no exterior através da boca e dos lábios
Quando o Qi do Baço é vigoroso e sadio, o apetite e o paladar o rosto fica descorado, com um aspecto seco e sem brilho.
estão garantidos mas, ao contrário, quando o Qi do Baço se enfraquece, -Se o Sangue está estagnado o rosto fica de uma cor azulada e
isso se reflete no estado do Qi e do Sangue, aparecendo sinais na boca e purpúrea.
nos lábios (eles ficam pálidos, secos ou murchos e amarelados). O
paladar também se altera e o paciente pode relatar sensação de que a "O Coração abriga o Shen"
saliva é doce (sinal forte de que o Qi do Baço está enfraquecido). Segundo Auteroche no seu "Le Diagnostic en Médecine
© 2001 CVE-NIAI Ephraim Ferreira Medeiros Chinoise", o Shen representa, no seu sentido amplo, a manifestação da
vitalidade do corpo e no seu sentido específico, representa a consciência
que comanda
o Coração, isto é, a atividade mental.
Sendo assim os autores ocidentais tratam o Shen com a
tradução de Mente, tradução que apesar de limitada, será utilizada aqui,
por já representar uma convenção para a tradução da palavra chinesa
"Shen".
A teoria do Zang-fu não considera o cérebro como sendo o
órgão responsável pela manutenção da mente e do estado de espírito,
mas é o Coração o responsável por esses aspectos.
Ainda segundo a teoria dos Zang-Fu , é o Coração o
responsável pela recepção dos fenômenos externos e a pela atividade da
mente, sendo importante também para uma boa memória.
Sendo o Coração o grande imperador dos Zang-Fu é de se
esperar, por essa analogia, que todos os outros órgãos sejam seus
subordinados, recebendo assim grande influência do poder central.
Essa constatação nos leva a pensar na importância dos
estados emocionais regidos pelo Coração como sendo fundamentais no
equilíbrio dos Zang-Fu.
Sigamos a lógica: Se o Shen reside no Coração e o Coração é
o Imperador, então a mente é capaz de exercer grande influência nos
órgãos e vísceras, pois a mente é um dos principais "poderes" do
Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang) imperador.
A teoria dos Zang-Fu parece falhar, por considerar o cérebro
como tendo um papel secundário nos processos mentais, sendo mais
importante o estado do Coração e do sangue do que o sistema nervoso
em si.
Esse aspecto foi questionado antes da introdução dos
ocidentais na China. Existem relatos de que desde a Dinastia Ming (1368-
1644), as funções da inteligência e memória já eram relacionadas ao
Coração - "O Imperador Soberano" cérebro, numa correção à teoria dos Zang-Fu.
O Coração é o mais importante dos Zang-Fu segundo teoria Mas existe um aspecto pouco explorado pelos autores
dos Zang-Fu. ocidentais, que tendem a aceitar essas correções e considerar a teoria dos
As principais funções do Coração são: Zang-Fu falha nesse aspecto. Esse aspecto ainda coloca o Coração como
-Governar o Sangue tendo mais importância do que o cérebro.
-Controle dos Vasos Sangüíneos Se o estado do Sangue e da cirulação não é perfeito, isso se
-Abrigar o Shen (Mente) reflete diretamente no funcionamento do cérebro e de todos os outros
-Controle da sudorese órgãos. O que a teoria dos Zang-Fu preconiza, então, é que o cérebro
As manifestações somáticas do Coração são: depende de uma boa circulação e de um Sangue de boa qualidade para
-O aspecto da face funcionar plena e correntamente.
-O aspecto da língua (incluído-se aí aspectos relacionados à Uma pessoa que tenha sofrido uma isquemia ou um Acidente
fala) Vascular Cerebral (AVC), pode ter comprometido o funcionamento do
cérebro por uma má circulação do Sangue.
Quando o Sangue se empobrece de glicose pela falta de
"Governar o Sangue" ingestão de alimentos (lembramos que o Qi dos alimentos é transformado
O Coração tem função de impulsionar o Sangue e fazê-lo no Coração em Qi do Sangue) o cérebro pode sofrer sérias alterações,
percorrer os podendo inclusive levar o paciente ao óbito por hipoglicemia.
Vasos Sangüíneos. Dessas observações concluímos que a teoria dos Zang-Fu não
Assim, uma boa circulação depende do estado do Qi do está equivocada por considerar o Coração mais importante que o cérebro,
Coração. Quando o Qi do Coração é abundante o Sangue circula de modo pois nessa teoria os aspectos funcionais, como já foi dito anteriormente,
satisfatório pelo corpo. são muito mais importantes que os aspectos anatômicos. Daí então, está

31
mantida a coerência da teoria quando ela considera o cérebro como tendo Armazenar o Sangue Manter o fluxo de Qi Controlar tendões O
papel secundário em relação ao Coração. Fígado manifesta-se nas unhas e abre-se nos olhos.
Essa visão se distorce quando olhamos essa relação cérebro-
Coração fora do ambiente da teoria dos Zang-Fu e, analisando a questão Armazenar o Sangue
dentro da ótica anatômica e fisiológica moderna, mas como foi discutido O Fígado armazena e controla a saída de Sangue de acordo
aqui, ainda assim existem pontos importantes a se considerar em ambos com a demanda que o organismo impõe aos diversos estados fisiológicos.
os casos. Quando estamos em repouso o organismo não precisa de uma
grande quantidade de Sangue e então o Fígado armazena a maior pare do
O Coração e os Sonhos Sangue. Já quando nos exercitamos o Sangue deve sair do Fígado para
Sendo a moradia do Shen, o Coração está intimamente ligado ganhar a circulação.
ao processo do sono. Daí podemos observar sintomas de desarmonia do Qi do
O estado do Coração e do sangue, tem influência decisiva no Fígado ligados à essa função:
estado do Shen e isso se reflete diretamente no sono. Se o Sangue no Fígado for insuficiente :
Se o Qi do Coração e do sangue estiver correto e abundante, -Tiques nos olhos, visão embaçada, vertigens, contrações dos
não há dificuldade para dormir e o sono será restaurador. tendões e músculos, rigidez articular, oligomenorréia ou amenorréia.
Se o Qi do Coração e do sangue estiver em desarmonia, o Se a função de regulação do fluxo sangüíneo estiver
Shen perde sua residência e "flutua", suscitando insônia, abundância de perturbada:
sonhos, dificuldades de memória (amnésias, "brancos") e agitação mental. -O sangue tende a estagnar dentro dos vasos, pois o Qi não
Uma indicação de que o paciente sofre de distúrbios do Shen é circula. Surgem dores acentuadas acompanhadas de má circulação,
quando ele relata ter sonhado com fogo ou queimações, ou tudo que se oclusões, sensações de bolas ou amontoados no abdômen.
passe em ambientes muito quentes. Se a raiva ferir o Fígado :
-O Qi tende a se elevar levando consigo o Sangue, causando
O Coração se abre na língua vermelhidão na face, vômito de Sangue, epistaxe, hematêmese.
Essa antiga afirmação se baseia no fato de que uma
ramificação do canal de energia do Coração se relaciona com a língua,
permitindo que o Qi e o Sangue vindos do Coração a irriguem e Manter o Fluxo de Qi
mantenham seu estado funcional. Esta é a função mais importante do Fígado. Quase todos os
A relação entre os aspectos morfológicos da língua e os padrões de desequilíbrio do Qi do Fígado afetam ou são causados pelo
desequilíbrios do Qi do Coração e do sangue é complexa para o não cumprimento dessa função. A manutenção do Fluxo de Qi influencia
principiante, pois existe um tipo de diagnóstico que se faz através da diretamente alguns aspectos como : O estado emocional, a digestão, a
análise da língua, havendo vários padrões linguais característicos para movimentação do Tríplo Aquecedor e a via das águas A secreção da Bile
cada Zang-Fu e que podem estar combinados quando se apresentam na O Estado Emocional
língua. Se o Qi Flui normalmente a vida emocional é tranqüila e feliz.
Por esse motivo não serão abordados os aspectos morfológicos Já se a circulação do Qi é obstruída surge um sentimento de
da relação Qi do Coração e língua nesse curso básico. frustração, depressão ou fúria repressiva, geralmente acompanhados de
Mas dentro dessa mesma linha e mais facilmente observáveis, sintomas físicos:
estão os distúrbios da fala e sua relação com o Coração. Dor no hipocôndrio, opressão torácica, aperto na garganta,
O acupunturista deve estar atento ao modo com que o seu distensão abdominal. Nas mulheres acrescentamos sintomas clássicos da
paciente fala e se expressa. TPM como depressão, irritabilidade e inchaço com aumento de
Um paciente que fala excessivamente pode estar acometido sensibilidade das mamas.
por fogo no Coração. Um paciente que apresenta gagueira pode estar Quanto maior for a retenção do Qi do Fígado, mais tensão
acometido por calor no emocional ele estará causando e o contrário também se aplica, isto é ,
Coração. uma vida emocional tensa (muito comum hoje em dia) pode afetar o fluxo
Já a mucosidade e os Humores viscosos, produzem o delírio verbal. de Qi e Sangue pelo Fígado, dificultando a função do Fígado.

© 2001 CVE-NIAI Ephraim Ferreira Medeiros Regulação da Digestão


Quando o fluxo de Qi ditado pelo Fígado é normal, as funções
Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang) do Estômago e do Baço são normais, mas caso haja estagnação de Qi no
Fígado esse Qi pode invadir o Estômago e bloquear a descida do seu Qi.
Surgem então sintomas clássicos das síndromes : "Qi do
Fígado agride o estômago" e "Fígado e Baço em desarmonia" que
combinam os sintomas apresentados em padrões isolados do Qi Fígado
estagnado como: irritabilidade e temperamento explosivo, peito e flancos
doloridos.
Surgem também sintomas típicos de Qi do Estômago que não
desce: Eructações, vômitos, náuseas e de Qi do Baço que não sobe como
ventre inchado e distendido.

O Fígado comanda os tendões e se manifesta nas unhas


O Sangue proveniente do Fígado tem relação direta com os
tendões e as bainhas musculares.
Essa relação fica mais clara quando o sangue do Fígado
apresenta insuficiência e daí o paciente apresenta tremores nos pés e nas
mãos, sensação de entorpecimento e rigidez dos membros.
Em algumas síndromes como "O Vento do Fígado Agita o
Interior" isso fica ainda mais claro, pois há produção de Calor interno e
esse calor agride o Sangue e seca os líquidos, fazendo com que os
tendões e bainhas musculares não sejam alimentados.
Isso produz um quadro sintomático típico caracterizado por
Fígado (Gan) espasmos, trismos, cãimbras e convulsões dos membros.
O Fígado se caracteriza por ter uma forte relação com o sangue Para os chineses, as unhas são a representação exterior dos
e fluxo de Qi no organismo. Suas principais funções são: tendões. Unhas brilhantes e saudáveis estão relacionadas com um Fígado
32
normal. A quantidade e a qualidade do Sangue no Fígado pode ser A importância do Pericárido é reconhecida no fato de que esse
analisada pelo estado das unhas. Zang possui um canal de energia próprio, apesar de sempre manter intima
Sangue em abundância é sinal de tendões fortes e sólidos e relação com a energia do Coração.
unhas resistentes e flexíveis. Ao contrário, se o Sangue do Fígado for Daí fica óbvio concluir por que muitos pontos do meridiano do
insuficiente os tendões são fracos as unhas secas e claras, além de moles Pericárido são usados nos tratamentos de problemas emocionais, em
ou finas e quebradiças. especial os de relacionamento e sexuais-afetivos.

O Fígado se abre para o exterior através dos olhos Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang)
Fígado tem uma relação direta como os olhos, pois o seu canal
de energia passa por eles.
Existem citações tradicionais que deixam clara a relação
Fígado-Olhos.
Segundo a teoria do Zang-Fu, para uma boa visão é
fundamental a contribuição do Sangue proveniente do Fígado e do Yin Qi
do Fígado também.
Se o sangue do Fígado é abundante os olhos são úmidos e a
visão normal.
Se houver insuficiencia de Sangue a visão pode ser perturbada,
turva , podendo, o paciente, apresentar dificuldade para distinguir cores,
miopia, olhos secos e sensação de areia nos olhos.

Os Rins (Shen)
O Rim é um órgão importantíssimo dentro da medicina
tradicional chinesa, pois ele é o órgão que armazena, segundo a teoria
dos Zang-Fu, a nossa essência, sendo a raiz do Yin e Yang do nosso
corpo. Suas funções principais são :
-Armazenar a essência
Pericárdio (Xin Bao Luo) -Governar a água
Os Órgãos ou Sistemas Yin (Zang) -Receber o Qi
O Pericárido recebe várias outras denominações, dependendo
do autor e da escola. Ele pode ser chamado também de Invólucro do Os Rins e o armazenamento da Essência
Coração, Mestre do Coração, Circulação e Sexualidade. É nos Rins que se encontra o Jing, a essência vital.
O Pericárido consiste na cobertura externa do Coração e atua A essência é formada pela união do Jing inato com o Jing
como uma camada de proteção do Coração dos ataques externos. adquirido. O Jing inato nada mais é do que a nossa herança hereditária,
O Pericárido, talvez por apresentar características muito dada a nós no momento da concepção por nosso pais.
semelhantes ao Coração, não está presente na teoria original dos Zang- Já o Jing adquirido é o fruto da transformação dos alimentos e
Fu, que o trata como um apêndice do Coração. Mas a despeito disso, líqüidos pelo estômago e pelo baço resultando na essência dos alimentos.
podemos relacionar características importantes deste Zang, mesmo que Esses dois tipos de Jing são interdependentes e trabalham
quase sempre relacionadas às funções do Coração. unidos detro do organismo. O Jing adquirido fortifica o Jing inato e o Jing
Essas funções serão explicitadas na coletânea de trechos de inato já está presente no momento do nascimento para servir dar o
textos clássicos a seguir, mas antes vale a pena lembrar de uma situação movimento inicial para o surgimento do Jing adquirido.
clínica que pode nos dar uma idéia mais importante da função protetora do As alterações no estado do Qi dos Rins influenciam,
Pericárido em relação ao Coração. principalmente, aspectos como reprodução e na capacidade física e
Quando os padrões energéticos do Pericárido e o Coração não mental, além é claro dos aspectos naturais dos Rins e da Bexiga.
concordam, isso pode ser um sinal de que uma invasão externa pode A vida segue o curso da emanação renal, é o que afirmam os
estar prestes a ocorrem no Coração. Por exemplo, o Pericárido apresenta- antigos, que estabeleceram um padrão natural do transcorrer da vida,
se com excesso de Calor e o Coração está normal, é sinal de que é relacionado à emanação do Qi dos Rins.
preciso expulsar o Calor antes que ele comece a influenciar o Coração e Existem dois aspectos para o Jing dos Rins. Um Yin e outro
ainda fortalecer o Coração, seguindo a lógica tradicional da influência do Yang. Diz-se que a transformação do Jing em Qi pelos Rins é dada pela
interno no externo e vice-versa (fortalecendo o Coração há o reflexo disso ação do aspecto Yang que destila o Ying dos Rins.
na camada externa). O Yin dos Rins é o fundamento dos líquidos orgânicos e existe
Esta é uma situação bastante interessante e não tão rara na para nutrir e umedecer os órgão e tecidos do corpo.
práticaclínica. É como estar no momento certo e no local certo, detectando Já o Yang dos Rins é a base do Qi do corpo. Esse Yang
no paciente (devemos lembrar que essa distinção é bastante facilitada primordial tem função de aquecer o corpo e permitir o funcionamento dos
pelo fato de que os pulsos do Coração e do Pericárido ocupam posições órgão e tecidos.
bastante distintas, ficando fácil distinguir as características A teoria dos Zang-Fu faz analogia ao Yin/Yang dos Rins como
separadamente) a possibilidade de um ataque externo que já se sendo a água e fogo que deve estar em equilíbrio constante, para que haja
concretiza em nível de Pericárido, mas que ainda não alcançou o interior um funcionamento harmônico do organismo. Fica claro agora por que os
do Coração.
33
Rins são considerados a raiz do equilíbrio de todo o corpo. Se um dos -O Ming Men é de suma importância na atividade de recepção
aspectos enfraquecer não pode controlar o outro e vice-versa. do Qi e no funcionamento correto do mecanismo respiratório.
Se o Yang dos Rins enfraquece surgem sintomas como: astenia
mental, região lombar e joelhos doloridos e frios, corpo e membros frios O Ming Men representa um aspecto Yang dos Rins e, portanto
esterilidade (útero frio nas mulheres), impotência e ejaculação precoce. se relaciona diretamente com os processos metabólicos do corpo (aquilo
Caso o Yin esteja em declínio observar-se-ão no paciente que nos dá o calor e mantem os órgãos funcionando).
sintomas como : calor na palma da mão, na sola dos pés e na região
cardíaca, febre vespertina, transpiração noturna e polução noturna.

Os Rins governam a água


Os Qi Rins tem papel chave na regulação líquidos orgânicos.

O ciclo normal da água no corpo segue o seguinte padrão:


O Estômago recebe a água, o Baço a transforma, o PSulmão a distribui ,
ela passa pelos três focos (aquecedores) e o que é puro ganha os órgão
e o impuro se transforma em suor e urina que são expulsos do corpo.

O papel do Qi dos Rins nesse processo se dá através da


função de "abrir
e fechar" onde o abrir significa permitir a expulsão do excesso de líquidos
e o fechar significa armazenar no organismo água da qual ele necessita.
Se o Qi dos Rins estiver em desarmonia logo surgem sintomas
relacionados à dificuldade de micção e podem aparecer edemas como
resultado do acúmulo de água.

Os Rins são o receptáculo do Qi


Como já foi visto, o ar inspirado pelo pulmão desce aos Rins
que o recebe e o retém.
Se o Qi dos Rins estiver insuficiente a recepção da respiração
fica comprometida e até mesmo pequenos esforços produzem sintomas
de falta de ar e asma.

Os Rins produzem a medula e governam os ossos


As citações tradicionais mostram que o antigos relacionam o
Jing dos Rins com a produção da medula óssea e com o bom estado dos
ossos.
Existem vários sinais que podem ser analisados no paciente
para inferir o estado do Jing dos Rins, nesse caso:
-Dentição fraca ou perda dos dentes
-Perda de Cabelos ou alteração na constituição do mesmo
-Osteoporose
-Deformações ósseas e atraso no fechamento da fontanela
-Distúrbios do crescimento

Os Rins se abrem nas orelhas e governam os orifícios do Foco


Inferior
O estado do Jing Qi do paciente também pode ser analisado a
partir da observação da audição e do comportamento dos esfíncteres da
parte inferior do corpo .
Um Jing Qi fraco irá levar à diminuição da capacidade auditiva
e ao aparecimento de acúfenos.
O Yang Qi dos Rins controla a excreção da urina e se o
paciente apresenta sintomas como polaciúria, enurese , oligúria ou
retenção de urina, o Yang Qi dos Rins está fraco.
Já o Yin Qi dos Rins tem papel importante no controle da
emissão das fezes e se ele for insuficiente, as fezes serão duras,
escassas e secas e quando o Qi dos Rins em geral for deficiente, um dos
sintomas clássicos é a diarréia crônica.

Os Rins e o Ming Men


Ming Men significa a "Porta da Vida" e, para os chineses
antigos era fundamental para a vida.
Existem inúmeras citações tradicionais sobre o papel do Ming
Men. O estudo dessas citações nos leva a crer que o que os chineses
atribuíam aos Rins, na realidade é papel das glândulas supra-renais e
seus hormônios reguladores do metabolismo. As funções tradicionais do
Ming Men deixam mais clara essa visão moderna :
-O Ming Meng auxilia o Triplo aquecedor em sua função de
trasformação
-O Ming Men Aquece o baço e o Estômago e auxilia a digestão.
-O Ming Men tem importancia fundamental na fecundação
34
A TEORIA DOS TIPOS
]
pessoa tem uma função fortemente dominante, chamada de SUPERIOR
OU DOMINANTE, e a mais utilizada, porque é onde o indivíduo tem mais
PSICOLÓGICOS JUNGUIANOS E facilidade.
Outras são relativamente INFERIORES. As FUNÇÕES
SUAS SEMELHANÇAS COM OS INFERIORES permanecem num estado mais ou menos primitivo e infantil,
TIPOS CONSTITUCIONAIS às vezes semiconsciente ou totalmente inconsciente.
A FUNÇÃO INFERIOR guarda uma grande concentração de
COREANOS vida (sombra), e a pessoa tem pouco entendimento ou controle sobre ela.
Na meia idade, aspectos da personalidade sempre negligenciadossão
Este texto foi parcialmente extraído e adaptado do artigo cobrados. Este processo gera sofrimento, pois para elevar a função
“PSICOLOGIA E ACUPUNTURA” escrito por Marina Paesano – psicóloga inferior ao nível da consciência,é necessário inferiorizar a função
acupunturista e editado na Revista Jung e Corpo de Psicologia Analítica superior.A FUNÇÃO INFERIOR é autônoma. Ex: vai desde a paixão até a
ANO II no. 2 - 2002 raiva cega (desequilíbrio no eixomadeira-metal do tipo I)
1. TIPOS PSICOLÓGICOS – C.G. JUNG Temos também a FUNÇÃO AUXILIAR, que é consciente e
Jung identificou quatro funções psicológicas fundamentais: parcialmente desenvolvida. É de natureza diferente da superior, porém
♦ Pensamento não antagônica. FUNÇÃO RACIONAL + FUNÇAO IRRACIONAL E VICE
♦ Sentimento VERSA. Ex: PENSAMENTO PRÁTICO está associado à SENSAÇÃO
♦ Sensação PENSAMENTO FILOSÓFICO, CIENTÍFICO está associado à INTUIÇÃO.
♦ Intuição INTUIÇÃO ARTÍSTICA está relacionada com o SENTIMENTO INTUIÇÃO
Estas funções podem ser experimentadas de maneira FILOSÓFICA sistematiza sua visão através do PENSAMENTO.
INTROVERTIDA ou EXTROVERTIDA. Quanto mais desenvolvidas e conscientes forem às funções
1.1 INTROVERSÃO E EXTROVERSÃO: dominante e auxiliar, mais profundamente inconscientes serão seus
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA INTROVERSÃO: ♦O opostos.
movimento da energia consciente é em direção ao mundo interior. ♦A 2. CARACTERÍSTICAS DOS PRINCIPAIS TIPOS
realidade interior é de vital importância ♦“Costuma ser caracterizada por PSICOLÓGICOS JUNGUIANOS E SUAS CORRELAÇÕES COM OS
uma natureza vacilante, meditativa, reservada, isolada dos TIPOS CONSTITUCIONAIS COREANOS
outros, recua diante dos objetos e está sempre na defensiva”. 2.1 INTUIÇÃO EXTROVERTIDA (METAL – TIPO I – TAI YANG)
♦Há o “medo do objeto”. ♦A força motivadora (julgamentos, percepções, EXCESSO EM METAL E FALTA EM MADEIRA
sentimentos, afeto e ações) vem de fatores ♦ EXCESSO EM METAL
internos ou subjetivos. ♦As pessoas introvertidas são ♦ Tem grande facilidade em perceber o que está acontecendo nos
conservadoras, preferem o lar e amigos íntimos.♦Considera o extrovertido bastidores. Ele vê através da camada externa. Onde a sensação vê uma
um fanfarrão superficial coisa ou pessoa, o intuitivo vê a sua alma. Há uma maior conexão com o
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA EXTROVERSÃO ♦O céu do que com a terra (excesso em metal-ar).
movimento da energia consciente é em direção ao mundo exterior. ♦ O ♦ Está sempre a espreita de novas oportunidades e entedia-se com as
objeto (as coisas, as outras pessoas), a realidade exterior é de vital coisas como elas são. A dificuldade está no elemento (madeira-terra), o
importância. ♦“Costuma ser caracterizado por uma natureza saliente, que significa que as questões referentes ao dia a dia tomam uma
franca, que se adapta com facilidade às proporção de dificuldade maior do que para os outros tipos.
situações propostas, estabelece rapidamente ligações e, pondo ♦ Dão pouca atenção ao corpo, não percebendo quando estão cansados
de lado qualquer tipo de ou famintos.
apreensão arrisca-se, com despreocupada confiança, a viver ♦ Para por em prática as possibilidades da intuição, é necessário o
situações desconhecidas”. ♦Há o “medo do que está dentro”. ♦Suas forças pensamento (fogo) e a sensação (madeira).
motivadoras são os fatores externos ♦As pessoas extrovertidas gostam de ♦ Como a madeira gera o fogo e provavelmente este também é deficiente,
viajar, de encontrar novas pessoas, de conhecer novos isto explica a falta de praticidade que lhes é atribuída, sendo às vezes
lugares. São aventureiros e têm vida social intensa. ♦Considera subjetivo demais aos olhos dos outros tipos.
o introvertido desmancha prazeres, maçante e negativo. 2.2 INTUIÇÃO INTROVERTIDA (METAL – TIPO I – TAI YANG)
1.2 AS QUATRO FUNÇÕES: EXCESSO EM METAL E FALTA EM MADEIRA
Jung chamou de FUNÇÕES RACIONAIS OU DE ♦ FALTA EM MADEIRA
JULGAMENTO, o pensamento e o sentimento, e de FUNÇÕES ♦ Em uma vertigem, o indivíduo sensação perceberá todas as sensações
IRRACIONAIS OU DE PERCEPÇÃO, a intuição e a sensação. corporais, o já o intuitivo exploraria cada detalhe das imagens suscitadas
1.2.1 FUNÇÕES RACIONAIS (DE JULGAMENTO): pelo distúrbio.
PENSAMENTO (FOGO) ♦ Todo o intuitivo tem a capacidade de pressentir o futuro, mas o
♦É racional por ser função de discriminação lógica introvertido se dirige para o interior como os profetas, poetas, artistas,
(julgamento). ♦ Refere-se ao processo de pensamento cognitivo. ♦ Nos diz xamãs.
do que se trata aquilo que existe.♦São tipos reflexivos, são planejadores. ♦ São confusos, perdem-se facilmente, esquecem coisas e compromissos.
♦Julgam em termos de lógica e eficiência. ♦ Tem dificuldade sexual pela pobre noção sobre o seu corpo e do
SENTIMENTO (ÁGUA) parceiro.
♦É racional porque avalia do que gostamos. ♦É discriminatória ♦ A função Sensação (inferior) leva a uma natureza sensual, libidinosa e,
e reflexiva ♦É a função do julgamento ou da avaliação subjetiva. ♦Nos dá devido à carência de julgamento, acaba fazendo alusões sexuais
o valor. ♦Tomam decisões de acordo com um julgamento de valores obscenas e socialmente inadequadas.
próprios: bom ou mau, certo ou errado. ♦ Preferem emoções fortes e 2.3 PENSAMENTO EXTROVERTIDO (FOGO – TIPO II –
intensas, ainda que negativas, a experiências “mornas”. SHAO YANG)
1.2.2 FUNÇÕES IRRACIONAIS (DE PERCEPÇÃO) EXCESSO EM FOGO – FALTA EM ÁGUA
SENSAÇÃO (TERRA) ♦ HIPERENERGIZAÇÃO EM FOGO
♦Vê o que está no mundo exterior ♦É a percepção através dos ♦ O indivíduo tem a vida governada pelo pensamento
órgãos dos sentidos. ♦Nos assegura que algo existe. ♦ É condicionado por dados objetivos transmitidos pela percepção
INTUIÇÃO (AR-METAL) sensorial.
♦Vê (capta) o que está no mundo interior ♦É a percepção ♦ É organizado, faz funcionar (fogo), percebe o que está errado em um
através do inconsciente. ♦ Nos dá um palpite do que podemos fazer com projeto, por ex.
isso. ♦ Seus parâmetros básicos são as idéias, os ideais, as regras e os
1.2.3 FUNÇÃO SUPERIOR E FUNÇÃO INFERIOR princípios objetivos. Pouca atenção é dada ao sujeito em questão.
O ideal seria ter acesso consciente à função exigida ou ♦ O difícil é a ligação com o outro.
apropriada para cada circunstância, mas não há controle consciente. Cada
35
♦ É o indivíduo que está na frente em uma batalha (guerra, por ex.), é o 2.8 SENTIMENTO INTROVERTIDO (TIPO IV – SHAO YIN)
executivo, o professor com uma linha lógica de raciocínio. EXCESSO DE ÁGUA – FALTA DE FOGO
2.4 PENSAMENTO INTROVERTIDO (FOGO – TIPO II – SHAO ♦ EXCESSO DE ÁGUA
YANG) ♦ Pessoa difícil de se compreender, pois seu exterior revela pouco, assim
EXCESSO EM FOGO – FALTA EM ÁGUA como a água que toma a forma que lhe é dada. Dão a impressão de não
♦ REDUÇÃO DE ENERGIA EM ÁGUA possuírem nenhum sentimento.
♦ Não é prático. Tende a ser mais teórico porque o fogo que tem a ♦ Torna a pessoa reservada e de difícil acesso. Como defesa, lança
propriedade de expansão; como se trata de um introvertido, ele fica julgamentos negativos ou é indiferente.
contido (para dentro), então não se expande (para ♦ Raramente estas pessoas são sinceras a respeito do que sentem.
fora) como no tipo pensamento extrovertido, o que traria a objetividade e a ♦ Exibem um sistema de valores irrepreensível, possuem um modelo
praticidadecaracterística deste último. impecável de normas valorativas a ponto de nos obrigar a que nos
♦ Podem se perder na fantasia. Criam teorias aparentemente baseadas na comportemos decentemente na sua presença.
realidade, mas na verdade, estão vinculadas a uma imagem interior (o ♦ Não se destacam e não se exibem. Têm uma aparência de autoridade.
fogo está contido). ♦ Evitam festas, porque sua função avaliadora paralisa muitas pessoas.
♦ Na perseguição de suas idéias, geralmente são teimosos e nada sujeitos ♦ Temperamento propenso à melancolia
a influências. Não possuem a maleabilidade da água. ♦ PENSAMENTO EXTROVERTIDO inferior, primitivo – tende a ser
♦ São pesquisadores redutivo.
♦ FUNÇÃO INFERIOR: SENTIMENTO EXTROVERTIDO: Amam, mas não
sabem como expressar. Às vezes não sabem como se sentem. SUBSTÂNCIAS FUNDAMENTAIS (QI,
♦Desvia-se da pessoa que ama, como se ela fosse um elemento
perturbador. A água é o elemento que traz a facilidade com as emoções e
XUE e JIN YE)
A Medicina Ocidental Alopática está baseada na estrutura. A
as respostas do sentimento.
Medicina Tradicional Chinesa (MTC) se preocupa com a circulação
2.5 SENSAÇAO EXTROVERTIDA (TIPO III – TAI YIN)
energética, as funções e as inter-relações. Não há na MTC definições
EXCESSO EM MADEIRA E FALTA EM METAL
precisas sobre as substâncias fundamentais. A MTC, como a filosofia
♦ EXCESSO EM MADEIRA
oriental, utiliza simbolismos, as palavras são ambíguas e situacionais.
♦ A pessoa está mais conectada com a terra (excesso em madeira), então
Jing Qi, do “Céu Anterior”Jing significa Essência. Jing Qi representa a
tem a percepção dos fatos objetivos bem desenvolvida, mas tem pouca
Energia Inata, Ancestral, do "Céu Anterior", Essencial, do Rim, talvez
paciência com a realidade abstrata (falta em metal - ar).
possamos também chamá-la de Congênita, Genética ou Cromossômica. É
♦ A pessoa depende dos objetos. Sua reação depende do próprio objeto.
recebido no momento da concepção. É a origem do Qi, Xue, In e Iang do
♦ Procurará pessoas ou situações que provoquem fortes sensações.
corpo. Não pode ser renovado. No máximo, pode ser preservado. O
♦ A percepção dos fatos objetivos é bem desenvolvida, mas tem pouca
consumo do Jing Qi aumenta com trabalho excessivo e vida sexual
paciência com a realidade abstrata.
exagerada. O gasto aumenta caso a Energia Adquirida não seja suficiente.
♦ Mestres em pequenas coisas, são organizados, não esquecem de
Energia do "Céu Posterior" É a energia obtida através do ar e dos
compromissos e são pontuais. Não perdem as coisas e não esquecem.
alimentos, além da participação da Energia Ancestral.
♦ Bom gosto estético
2.1 Gu Qi - É a essência dos alimentos e das bebidas
♦ Gostam de esportes e festas.
(vitaminas, sais minerais, proteínas, carboidratos e lipídeos etc.) Sofre o
♦ São os profissionais de moda, atletas, etc.
processo da transformação e do transporte, funções executadas pelo
♦ Seu amor depende do atrativo físico da pessoa amada.
Baço. Depois é elevado até o Pulmão, onde através da mistura com o ar
♦ As vontades, sentimentos e pensamentos do outro não importam, mas
(oxigênio) e com o Jing Qi, é produzida a Energia Adquirida, que será
vêm detalhes como novo penteado.
distribuída para todo o corpo pelo Coração e Pulmão. Conforme onde esta
♦ A intuição inferior leva a pensamentos de desconfiança, verão
energia estiver circulando, receberá nomes diferentes: Zong Qi, Zhen Qi,
possibilidades de desgraças, idéias sombrias.
Wei Qi e Ying Qi.
2.6 SENSAÇAO INTROVERTIDA (TIPO III – TAI YIN)
2.2 Zong Qi - É a energia do Centro (Coração e do Pulmão),
EXCESSO EM MADEIRA E FALTA EM METAL
movimenta o Qi e Xue através dos meridianos e vasos.
♦ FALTA EM METAL
2.3 Zhen Qi - Representa a Energia Correta, é subdividida em
♦ É guiado pela intensidade da sensação subjetiva. Como uma chapa
Wei Qi e Ying Qi. É responsável pelo aparecimento da febre durante a luta
fotográfica que capta minúcias: como o outro se sente, expressão do
contra as Energias Perversas.
rosto, etc.
2.4 Wei Qi - É a Energia Defensiva contra as Energias
♦ O extrovertido retrataria um reflexo realista do objeto, o introvertido a
Perversas (agressões climáticas), nesta luta, provoca a febre. Circula nas
impressão provocada pelo objeto.
camadas superficiais (pele até os músculos). Há livros que o considera a
♦ Em um trabalho artístico, por ex, o extrovertido se ateria a cada detalhe
energia do Pulmão. Corresponde ao sistema imunológico e aos glóbulos
do objeto, já o introvertido a impressão provocada pelo objeto no sujeito
brancos. Controla a pele e seus anexos (glândulas sudoríparas e pelos).
(impressionistas franceses).
Regula a abertura dos poros, e por conseguinte, a temperatura do corpo.
♦ Sua calma se deve a uma desconexão com o objeto, que é substituído
2.5 Ying Qi - É a energia nutriente dos órgãos, das vísceras e
por uma reação subjetiva, que não é a realidade do objeto.
dos demais tecidos do corpo. Circula nos meridianos e vasos sanguíneos.
♦ Pouca capacidade racional de julgamento para classificar as coisas.
Yuan Qi - Corresponde ao Jing Iang (Iang do Rim). Ativa as
Pouco capaz de compreensão objetiva, não compreendendo a si próprio.
transformações calóricas do TA Superior e do TA médio.
♦ Voltado para o aqui agora, não conseguem imaginar o que vem depois.
Xué O sangue é formado no peito (esterno = medula óssea)
♦ Função inferior: Intuição extrovertida. Ex: Fantasias proféticas sombrias
pela junção das Essências Alimentares, líquidos, ar e Jing In
e visões interiores que se contrapõem a sua disposição de por os pés no
(eritropoietina). É governado pelo Coração, transformado pelo Pulmão,
chão.
controlado pelo Baço e armazenado no Fígado.
2.7 SENTIMENTO EXTROVERTIDO (TIPO IV – SHAO YIN)
Jin Ye Os líquidos são extraídos dos alimentos e bebidas pelo
EXCESSO DE ÁGUA – FALTA DE FOGO
Baço, e são transformados no Pulmão, depois segue a Via dos Líquidos.
♦ FALTA EM FOGO
4.1 Jin -É o componente Iang, mais leve e puro, mais dinâmico,
♦ É orientado pelos dados objetivos e geralmente em harmonia com os
umedece e nutre pele e músculos. Acompanha a distribuição do Wei Qi.
valores objetivos (como o pensamento).
4.2 Ye - É o componente In e material, mais denso e menos
♦ Procura relações harmoniosas com o ambiente
puro. Lubrifica e nutre os Zang Fu, ossos, articulações, cérebro e outros
♦ Não precisam pensar se algo ou alguém lhes importa. Eles sabem. O
orifícios.
pensamento está subordinado ao sentimento. Conclusões lógicas que
perturbem o sentimento são ignoradas.
♦ PENSAMENTO é arcaico, infantil, negativo. Às vezes têm pensamentos
negativos acerca de pessoas que lhe são valiosas.
36
MAPAS DE QUIROPRAXIA
localização de pontos fonte (yuan) bp3 – fica proximal a cabeça do 1º metatarso (antes da joanete)
os pontos fonte estimulam o qi dos meridianos regulares,
regularizando as atividades funcionais dos órgãos internos,reforçando
os fatores antipatógenos e eliminando os fatores patogênicos.
-atuam principalmente na origem das patologias.
-cada ponto atua no próprio meridiano.
-trabalham com a energia yuan qi (energia ancestral originada nos
rins).
p9 – na dobra punho, na face lateral da artéria radial c7 – na 2ª dobra punho, na face lateral do tendão do músculo flexor
ulnar carpo

ID4 – NA FACE MEDIAL DA MÃO, NA DEPRESSÃO DISTAL OSSO


PISIFORME, ENTRE A PELE CLARA E ESCURA

e42 – 1,5 cun distal à dobra anterior do tornozelo ou 1,5 cun do e41

B64 – FICA DISTAL E INFERIOR À BASE DO 5º METATARSO


pontos locais
pontos ashi onde há dor há um ponto de acupuntura
pontos de acordo com sua função energética
pontos adjacentes
pontos vizinhos a área afetada -reforço dos pontos locais -quando os
pontos locais estiverem muito doloridos, inflamados, ou infectados.
R3 – NO PONTO MÉDIO ENTRE MALÉOLO MEDIAL E TENDÃO DE pontos distais
CALCÂNEO pontos localizados abaixo dos joelhos e cotovelos. -possuem mais
eficácea que os pontos do tronco

CS7 – NA DOBRA PUNHO, ENTRE O TENDÃO DO MÚSCULO


FLEXOR RADIAL PUNHO E PALMAR LONGO

a acoplagem dos meridianos sempre é feita nas


extremidades, onde o qi é mais superficial e muda de polaridade.
assim esses pontos tem uma função energética mais dinâmica.
pontos fonte (yuan)
p9 – ig 4 – e42– bp3 – c7 – id4 – b64 – r3 –cs7 – ta4 – vb40 – f3
•os pontos fonte estimulam o qi dos meridianos regulares,
regularizando as atividades funcionais dos órgãos internos, reforçando
TA4 – NA PREGA DORSAL PUNHO, LATERAL AO TENDÃO DO
os fatores antipatógenos e eliminando os fatores patogênicos. -atuam
MÚSCULO EXTENSOR DO DEDO MÍNIMO
principalmente na origem das patologias.
-cada ponto atua no próprio meridiano.
pontos mestres (hui)
mestre dos órgãos (zang) – f13
mestre das vísceras (fu) – vc12
mestre do qi (respiração) – vc17
mestre do sangue (xue) – b17
mestre dos tendões – vb34
mestre da circulação (xue mai) – p9
mestre dos ossos – b11
mestre da medula e cérebro (coluna espinhal) – vb39
VB40 – TRAÇANDO LINHAS IMAGINÁRIAS NAS MARGENS pontos de urgência (xi)
ANTERIOR E INFERIOR DO MALÉOLO LATERAL, O PONTO FICA p6 – ig7 – e34 – bp8 – c6 – id6 – b63 – r5 –cs4 – ta7 – vb36 – f6
NO CRUZAMENTO DAS 2 LINHAS •pontos utilizados para regularizar a circulação do qi e xue
nos meridianos correspondentes. -utilizar em caso de quadros agudos
dos meridianos, órgão e vísceras -apenas para tratamento de curta
duração ou em situações específicas. não servem para tratamento
longo.

pontos de assentimento (shu-dorsais) e alarme (mu-frontais)


zang/fu assentimento alarme
pulmão b13 p1 cs b14 vc17 coração b15 vc14 fígado b18
f14 vb b19 vb24 baço b20 f13 estômago b21 vc12 ta b22 vc15 rim b23
vb25 ig b25 e25 id b27 vc4 bexiga b28 vc3
•nesses pontos o qi de cada zang fu se funde, além de
serem um local onde os fatores patogênicos podem alojar-se,
F3 – 2 CUN ACIMA DA PREGA INTERDIGITAL FORMADA PELO 1º E
resultando em patologias.
2º DEDOS DO PÉ
- a punção desses pontos resultam em aumento de
resistência contra patologias, podem ser usados para tratar o órgão do
sentido (ex: fígado – olhos), além de expulsar fatores patogênicos
agregados em determinado zang ou fu correspondente.

pontos gerais
e36 – ig4 – bp6 – vc4 – b23 – vc12 – vg20 – yin tang – etc.
•são pontos muito utilizados por terem uma ação energética
favorável na grande maioria das aplicações. são considerados pontos
coringas por serem sempre benéficos.
pontos luo (conexão)
p7 – c5 – cs6 – id7 – ig6 – ta5 – b58 – vb37 – e40 – bp4 – r4 – f5
•são passagens entre meridianos acoplados, onde circula o - Dispersar R2 pode esfriar demais o paciente. Usar R3 para equilibrar
qi e o sangue para os zang fu e tecidos. o tratamento.
-são utilizados combinando com pontos fonte como reforço Pontos Fonte para estabilizar as Emoções.
no tratamento de patologias crônicas, lesões internas ou acúmulo de Sozinhos ou Combinados podem tratar a Labilidade emocional por
substâncias patogênicas, como estagnação do qi, sangue, umidade, Deficiência.
calor, etc. Ex: R3 + B52 – Medo e Paranóia
CS7 + VC17 – Depressão Maníaca
Teoria F3 + VB40 – Hipersensibilidade e irritabilidade.
•Yuan Qi ou Qi Essencial é armazenado no Dan Tian e está Pontos Fonte + Pontos de Conexão (Lo ou Luo)
relacionado com os Rins. A combinação aumenta o efeito do tratamento principal.
•• Circula pelos Canais, catalizando e ativando todas as Ex: Ton P9 + IG6 para bronquite crônica.
funções do corpo. Sed IG + P7 para gripe ou rinite alérgica (excesso de Vento Frio).
Pontos Fonte Yin Localizando os Pontos Fonte
P9 (Taiyuan = Grande Profundeza)
CS 7(Daling = Grande Colina)
C 7(Shenmen= Porta do Shen)
BP 3(Taibai = Grande Branco )
F 3(Taichong = Grande Impulso)
R 3 (Taixi = Grande Riacho)

“Tai” pode ser interpretado também como Supremo

Pontos Fonte Yin E42 – 1,5tsun distal à dobra anterior do tornozelo ou 1,5cun
Funções do E41
Equilibrar Yin e Yang
EX: R3 Tonifica Yin e Yang dos Rins
Dispersar Excesso ou Tonificar Deficiência
Ex: C7 pode ser usado em Tonificação para Def. Qi do Coração e em
Dispersão para acalmar o Shen.
Estabilizar as EmoçõesPor serem todos pontos Terra

Pontos Fonte Yang


IG 4 (Hegu = Vale da Junção )
E 42 (Chongyang= Impulso Yang)
TA 4 (Yangchi= Lago Yang)
ID4 (Wangu= Osso do Punho)
VB40 (Qiuxu= Grande Colina)
B64 (Jinggu= Grande Osso da Fonte)
BP3 – Fica proximal `à cabeça do 1º metatarso (antes da
Pontos Fonte Yang joanete)
Funções
Principalmente para dispersar excesso.
Ex: IG4 Dispersa Vento-Calor ou Vento-Frio;
VB40 dispersa Umidade Calor de VB;
Mas alguns podem ser usados em Tonificação
Ex: TA4 melhora estado geral;
IG4 tonifica Qi e Sangue quando acossiado à E36;
VB 40 melhora indecião e falta de confiança;
B64 ajuda a tratar o medo e a depressão.
Como usar os Pontos Fonte CS7 – Na dobra punho entre o tendão do músculo flexor
Apenas Pontos Fonte radial punho e palmar longo
-São Auto-reguladores. Melhor combinar pares nas mãos e
pés. Ex: R3 + C7 para insônia
Pontos Fonte + Pontos do VC
-Aumenta o efeito do tratamento pois no trajeto de VC e VG estão
vários Dan Tian.
Ex: R3+ VC 4 para Fadiga e impotência;
BP3 + VC12 para gastrite crônica;
C7 + VC 17 para Palpitação.
Pontos Fonte + Pontos Shu Dorsais
- Os dois tipos tem a capacidade de tonificar Yin e Yang, dispersar
excessos e equilibrar as emoções. TA4 – Na prega dorsal punho, lateral ao tendão do musculo
extensor do dedo mínimo
R3 + B23 para desânimo,
B64 + B28 para Cistite,
VB40 + B48 para Incerteza e Indecisão.

Pontos Fonte + Pontos de Tonificação e Sedação


- Estabilizam tratamentos evitando o extremo.
Ex:- Moxa em C8 para depressão é muito forte. Usar C7 para
equilibrar e impedir efeitos adversos.
B64 – Fica distal e inferior à base do 5º metatarso

Disponível em Ensino Aberto – www.ead-


acupuntura.pro.br/repositorio
Os quatro principais desequilíbrios de Qi
R3 – No ponto médio entre maléolo medial e tendão de •Deficiência Falta de Qi como um todo ou específica
calc^calcâneo TRATAMENTO – Tonificação, Moxa.
•Excesso Excesso de Qi como um todo ou específico
Tratamento – Dispersão, Eletroacupuntura, Ventosa,
Sangria
•Estagnação Bloqueio e obstruções no fluxo de Qi
Tratamento – Dispersão, Harmonização,
Eletroacupuntura,Moxa, Ventosa, Sangria
•Irregularidade Distúrbio no fluxo livre de Qi dentro ou
entre os canais
Dispersão para irregularidade com excesso
VB40 – Traçando linhas imaginárias nas margens anterior e Harmonização para irregularidade com Deficiência
inferior do maléolo lateral o ponto fica no cruzamento das 2 linhas •Vento
Externo – Dispersar
Interno - Acalmar
•Calor Externo – Dispersar
Interno – Dispersar e Tonif. Yin
•Umidade Exterior - Dispersar
Interior – Dispersar e Tonif. BP e R
•Sequidão Externa - Dispersar o Vento e Tonif. Yin
Interna – Tonif. Yin
Frio Externo – Dispersar
Interno – Dispersar o Frio e Tonif. Yang

F3 – 2 cun acima da prega interdigital formada pelo 1º e 2º


dedos do pé

C7 – Na 2ª dobra punho na face lateral do tendão do


músculo flexor ulnar carpo

ID4 – Na face medial da Mao, na depressão distal osso


pisssiforme entre a pele clara e escura
Função Energética dos Pontos
Natureza dos Tratamentos
Bases para Combinações Eficazes •Ashi, locais e adjacentes
•Tratar só Manifestação •Cadeias de pontos
•Tratar só Raiz •Um só ponto
•Tratar a Raiz e depois a Manifestação •Cercar a área
•Tratar a Manifestação e depois a Raiz •Pontos Yin e Pontos Yang
•Tratar Raiz e Manifestação Juntos •Canais Unitários
•Shu-Mo
Tratar só Raiz •Pontos no Alto e Baixo
Igualmente raro pois dificilmente não há •Pontos à direita e esquerda
uma manifestação quando o paciente nos procura •Fórmulas

Exemplo: Deficiência de Yang, levando a Frio Tipos de Pontos


(e suceptibilidade a ataques de Frio ) •Fonte
•Conexão (Luo ou Lo)
Tratar só Manifestação •Acúmulo (Emergência ou Xi)
Mais Raro pois sempre há uma •Alarme
condição crônica que propicia •Shu Dorsais (assentimento)
o ataque externo. •Janelas do Céu
•Mar Inferior
Somente para Síndromes exteriores. •Influência (ou mestres)
Exemplo Ataque de Vento Frio ao Pulmão. •Cruzamentos (ou coalescentes)
•Shu antigos
Tratar a Raiz e depois a Manifestação •Pontos de abertura de Vasos Maravilhosos
Também é raro pois sempre há (confluência de Vasos Maravilhosos)
necessidade de tratar a invasão externa.
Tratar a Manifestação e depois a Raiz •Fonte
Comum : Principais usos:
Interior Crônico e Exterior Agudo Tonificar deficiências
Ex: Estabilizar Yin e Yang e emoções.
Interior Crônico: •P9 CS7 C7 BP3 F3 R3
Def. R e P gerando cansaço e resistência baixa •IG4 TA4 ID4 E42 VB40 B64
Exterior Agudo:
Invasão de Vento Frio com Gripe •Conexão (Luo ou Lo)
Tratar Raiz e Manifestação Juntos Principais usos:
Não é usado para condições externas Problemas envolvendo acoplados Ex: BP e E
pois o fator patogênico sempre •P7 CS6 C5 BP4 F5 R4
deve ser expelido primeiro . •IG6 TA5 ID7 E40 VB37 B58
Pode ser usada para tratar problemas Internos. •Acúmulo (Emergência ou Xi)
Ex: Cefaléia por Subida do Yang do Fígado Principais usos:
por def. de Yin do Rim na base. Condições Graves.
•P6 CS4 C6 BP8 F6 R5 CS6 LUO E CONFLUENTE (YINWEI) DE CS
R8 e R9 (Yin Qiao Mai e Yin Wei Mai) E36 HO – MAR DE ESTÔMAGO
•IG7 TA7 ID6 E34 VB36 B63 VC12 ALARME DE ESTÔMAGO
B59 e VB35 (Yang Qiao Mai e Yang Wei Mai) PONTOS QUE TONIFICAM YANG
•E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO (MOXA)
•Alarme •VG26 COALESCENTE (VG – E – IG)
Principais usos: •VC6 MAR DO YUAN QI (MOXA)
Condições de Excesso Agudas (mas podem ser usados •B23 ASSENTIMENTO DE RIM (MOXA)
em técnica Shu-Mo para condições de Deficiência Crônica. •R3 IU E FONTE DE RIM (MOXA)
•P1 VC17 VC14 F13 F14 VB25 PONTOS QUE TONIFICAM YIN
•E25 VC5 VC4 VC12 VB24 VC3 •BP6 COALESCENTE (BP – F – R)
•VC4 COALESCENTE (VC – BP – F – R)
•Shu Dorsais •R6 CONFLUENTE (YINQIAO)
Principais usos: •R3 IU E FONTE DE RIM – TONIFICA JING E YIN
Deficiências Crônicas ou para equilibrar emoções e PONTOS QUE TONIFICAM O QI DO BAÇO E
mente. ESTÔMAGO:
•B13 B14 B15 B20 B18 B23 •BP9 HO – MAR DE BAÇO
•B25 B22 B27 B21 B19 B28 •B20 ASSENTIMENTO DE BP
•VC12 ALARME DE ESTÔMAGO
•Janelas do Céu DO RIM:
Principais usos: •B23 ASSENTIMENTO DE RIM
Estagnação de Qi, depressão e fobia. Problemas locais de •R3 IU E FONTE DE RIM
pescoço. •VC4 COALESCENTE (VC – BP – F – R)
•P3 IG18 CS1 TA16 ID16 ID17 E9 B10 VC22 VG16 •R7 KING E TONIFICAÇÃO DE RIM (5 ELEMENTOS)
• DO PULMÃO:
•Mar Inferior •B13 ASSENTIMENTO DO PULMÃO
Principais usos: •VC17 MESTRE DO QI E DA RESPIRAÇÃO
Tratam distúrbios físicos nos sistemas TA , ID e IG. (TONIFICA ZHONG QI)
•E37 (IG) B39 (TA) E39 (ID) DO CORAÇÃO
• •B15 ASSENTIMENTO DO CORAÇÃO
•Influência (ou mestres) •C5 PONTO LO DO CORAÇÃO
Principais usos: •VC17 MESTRE DO QI E DA RESPIRAÇÃO
Tratam Deficiência e estagnação nas áreas de (TONIFICA ZHONG QI)
influência. PONTOS QUE TONIFICAM RIM
Órgãos F13 •R10 HO – MAR DE RIM
Vísceras VC12 •B23 ASSENTIMENTO DE RIM
Qi VC17 PONTOS QUE FORTALECEM OS OSSOS
Sangue B17 •VB39 MESTRE DA MEDULA E DO CÉREBRO
Tendões VB34 •R3 IU E FONTE DE RIM – TONIFICA JING E YIN
Artérias P9 •B11 MESTRE DOS OSSOS
Ossos B11 PONTOS QUE FORMAM O XUE
Medula VB39 •B17 MESTRE DO XUE
•Cruzamentos (ou coalescentes) •B20 ASSENTIMENTO DE BP (MOXA)
Principais usos: •BP6 COALESCENTE (BP – F – R)
Tratam mais de um canal de uma só vez. •E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO
•Shu antigos •PONTOS QUE ACALMAM YANG
Principais usos: •R1 P1
TING DE RIM COALESCENTE (P – BP)
Tratam desequilíbrios e bloqueios emocionais e •VB20 COALESCENTE (VB – YANGWEI)
•VB34 F14 COALESCENTE
MESTRE DOS(FTENDÕES
– BP – YINWEI MAI)
harmonizam os 5 movimentos HO – MAR E PONTO
•VG20 CEM ENCONTROS
R6 COALESCENTE (R – YINQIAO MAI)
•Pontos de abertura de Vasos Maravilhosos •PONTOS QUE ELIMIAM O CALOR SISTÊMICO
Principais usos: •IG4 FONTE DE IG
8VB35 COALESCENTE (R (VB
– YINQIAO MAI)
Tratam vários problemas, cada um com sua •P11 TING – SANGRIA COALESCENTE – YANGWEI)
característica e natureza própria. •R3 FONTE DE RIM COALESCENTE
TA15
R9 COALESCENTE (R (TA – YANGWEI
– YINWEI MAI) MAI)
•ID3 B62 •R6 CONFLUENTE (YINQIAO) – PRINCIPALMENTE
•P7 R6 GARGANTA TA20 COALESCENTE (TA – VB – IG)
DE R11 A R21 COALESCENTE (R – CHONG MAI)
•VB41 TA5 •R10 HO – MAR DE RIM COALESCENTE (TA – VB)
TA17
•BP4 CS6 •VG14 VG14
COALESCENTE (VG COALESCENTE
– B – ID – VB –(VG
TA –– MERIDIANOS
E – IG) YANG)
TA22 COALESCENTE (TA – VB – ID)
GRANDE VÉRTEBRA SÍNDR. SUPERFICIAIS
Função energética dos Pontos •C6 VG13
XI – URGÊNCIA DECOALESCENTE
E1 COALESCENTE
CORAÇÃO (VG(E––B)YANGQIAO MAI)
PONTOS QUE TONIFICAM/REGULAM BAÇO PONTOS QUE ELIMINAM
E3 COALESCENTE CALOR,UMIDADE E
BP9 HO – MAR DE BAÇO VG15
OBSTRUÇÕES COALESCENTE (VG(E––YANGWEI
YANGQIAO MAI)
MAI)
E25 ALARME DE IG •B25 E4
ASSENTIMENTO DE IG COALESCENTE (E – IG – YANGQIAO MAI)
F13 ALARME DE BP •BP9 VG16
HO – MAR DE BAÇOCOALESCENTE (VG – YANGWEI MAI)
E7 COALESCENTE (E – VB – IG)
B20 ASSENTIMENTO DE BP •E25 ALARME DE IG – PIVÔ
VG17
E8 COALESCENTE (VG(E––B)VB – YANGWEI MAI)
E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO •BP6 COALESCENTE (BP –COALESCENTE
F – R)
PONTOS QUE TONIFICAM/REGULAM •BP4 LUO E CONFLUENTE
IG15
VG20 (CHONG) DE(VG
COALESCENTE
COALESCENTE BAÇO
(IG – YANGQIAO YANG)
- MERIDIANOS MAI)
BAÇO/ESTÔMAGO PONTOS QUE TRANSFORMAM/ELIMINAM MUCO
E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO IG16
•VB20 VG24
COALESCENTE (VB COALESCENTE (IG
– YANGWEI) (VG – B – E)– YANGQIAO MAI)
COALESCENTE
E40 LUO DE ESTÔMAGO •E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO
IG20 COALESCENTE (IG �E)
VC 12 ALARME DE ESTÔMAGO •E40 LUO DE ESTÔMAGO
VG26 COALESCENTE (VG – E – IG)
PONTOS QUE REGULAM A DIGESTÃO •VC17 MESTRE DO QI E DA RESPIRAÇÃO
B1 COALESCENTE (B – ID – E)

B11 COALESCENTE (B – ID)

B12 COALESCENTE (B – VG)


(PARA MUCO NO TÓRAX)
PONTOS QUE ELIMINAM ESTAGNAÇÕES
•VC17 MESTRE DO QI E DA RESPIRAÇÃO (NO TÓRAX)
•CS6 LUO E CONFLUENTE (YINWEI) DE CS (NO TÓRAX)
•F14 COALESCENTE (F – BP – YINWEI) E ALARME DE
FÍGADO
(NOS HIPOCÔNDRIOS E ESTÔMAGO)
•VB34 HO – MAR E PONTO MESTRE DOS TENDÕES
(NOS HIPOCÔNDRIOS)
•PONTOS QUE REGULARIZAM CHONG MAI
•BP4 LUO E CONFLUENTE (CHONG) DE BAÇO
PONTOS QUE DIMINUEM/ALIVIAM FOGO DE FÍGADO
•F2 YONG E SEDAÇÃO DE FÍGADO (5 ELEMENTOS) –
AGUDO
•F3 IU E FONTE DO FÍGADO – CRÔNICO
•TA17 COALESCENTE (VB – TA)
PONTOS QUE DISPERSAM FRIO
•B21 ASSENTIMENTO DE ESTÔMAGO
•IG4 FONTE DE IG
•VC6 MAR DO YUAN QI
•VC12 ALARME DE ESTÔMAGO
PONTOS QUE DISPERSAM FRIO E UMIDADE DO TA
INFERIOR
•VC4 COALESCENTE (VC – BP – F – R)
•B23 ASSENTIMENTO DE RIM
PONTOS QUE ELIMINAM O VENTO
•B12 COALESCENTE (VG – B) (TONIFICANDO)
• +
•IG4 FONTE DE IG (SEDANDO)
•P7 LUO E CONFLUENTE (REN - VC)
•TA17 COALESCENTE (VB – TA)
•VB20 COALESCENTE (VB – YANGWEI)
PONTOS QUE RELAXAM ESPASMOS MUSCULARES
•IG4 FONTE DE IG
•VG14 COALESCENTE (VG – B – ID – VB – TA – E – IG)
GRANDE VÉRTEBRA SÍNDR. SUPERFICIAIS
•VG16 COALESCENTE (VG – YANGWEI)
PONTOS QUE LIBERAM A CERVICAL
•VG14 COALESCENTE (VG – B – ID – VB – TA – E – IG)
GRANDE VÉRTEBRA SÍNDR. SUPERFICIAIS
•TA8 CONEXÃO DOS 3 YANG DA MÃO
PONTOS QUE PROVOCAM SUDORESE
•IG4 FONTE DE IG (SEDANDO)
• +
• R7 KING E TONIFICAÇÃO DE RIM (5 ELEMENTOS)
(TONIFICANDO)
•PONTOS QUE ACALMAM A MENTE
•VG20 CEM ENCONTROS
•C5 LUO DE CORAÇÃO
•VB20 COALESCENTE (VB – YANGWEI)
•YINTANG PONTO EXTRA
•TAI YANG PONTO EXTRA

Pontos de Cruzamento de Meridianos


PONTOS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO (DE ACORDO COM OS 5 ELEMENTOS)

PULMÃO P5 P9

INTESTINO GROSSO IG2 IG11

RIM R1 R7

BEXIGA B65 B67

FÍGADO F2 F8

VESÍCULA BILIAR VB38 VB43

CORAÇÃO C7 C9

CIRCULAÇÃO E SEXO CS7 CS9

INTESTINO DELGADO ID8 ID3

TRIPLO AQUECEDOR TA10 TA3

BAÇO PÂNCREAS BP5 BP2

ESTÔMAGO E45 E41

PONTOS SHU ANTIGOS

PULMÃO P11 P10 P9 P8 P5

IG IG1 IG2 IG3 IG4 IG5 IG11

ESTÔMAGO E45 E44 E43 E42 E41 E36

BP BP1 BP2 BP3 BP5 BP9

CORAÇÃO C9 C8 C7 C4 C3

ID ID1 ID2 ID3 ID4 ID5 ID8

BEXIGA IG11 B67 B66 B65 HO-MAR DEB64


INTESTINO GROSSO
B60 B40

RIM IG4 R1 R2 R3 FONTE DE IG R7 R10


VC3 COALESCENTE (VC – BP – F – R) E ALARME
CS CS9 CS8 CS7 DE BEXIGA CS5 CS3

VC4 COALESCENTE (VC – BP – F – R)


TA TA1 TA2 TA3 TA4 TA6 TA10

VB VC6 VB44 VB43 VB42 MAR DO YUAN QI


VB40 VB38 VB34
VC12 ALARME DE ESTÔMAGO
FÍGADOVC17 F1 F2 F3 F4
MESTRE DO QI E DA RESPIRAÇÃO F8
(TONIFICA ZHONG QI)
PONTOS GERAIS DE USO CONSTANTE
PONTO
VG14 FUNÇÃO
COALESCENTE (VG – B – ID – VB – TA – E –
IG) GRANDE VÉRTEBRA

VG20 CEM ENCONTROS


E36 HO- MAR DE ESTÔMAGO
CÃES E GATOS CONDENADOS À MORTE SÃO SALVOS PELA ACUPUNTURA
http://www.radiobras.gov.br/)
Gatos e cachorros à beira da morte são salvos pela milenar técnica da tradicional medicina chinesa, a acupuntura, em Pernambuco. A satisfação
dos proprietários de animais condenados por veterinários de outras especialidades é tanta que, mesmo depois da alta, querem continuar levando o
bichinho para as sessões de agulhadas. O responsável pela criação do ambulatório de acupuntura, na Clínica de Cães e Gatos, do Hospital Veterinário da
Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), é o médico veterinário Eduardo Cole. Cansado das soluções, para ele, nada satisfatórias, da
medicina alopata, Cole especializou-se em acupuntura e fez curso prático com o introdutor da técnica chinesa para animais no Brasil, o médico veterinário
Testsuo Inada. Cole concluiu o curso de dois anos em 95 e, desde então, buscou aprimorar-se cada vez mais. No próximo mês, por exemplo, defende sua
tese de doutorado em acupuntura, já concluída. Seus estudos comprovam que a acupuntura tem efeito calmante, semelhante ao efeito de drogas
ansiolíticas, que diminuem a ansiedade, como Valium e Lexotan.
Ele usa a acupuntura tradicional, com agulhas de aço inox e a acupuntura moxa-bustão. As agulhas têm um mandril, uma espécie de controle
para que o veterinário saiba até onde vai introduzir a agulha. "A agulha só entra na epiderme, o procedimento é quase indolor. E o efeito é tão calmante
que alguns terminam a sessão já dormindo", conta o veterinário, que afirma nunca ter sofrido nenhum acidente como mordidas ou unhadas, ou pelo
menos, nada tão grave que justificasse o anestesiamento do animal. No tipo moxa-bostão, também usado em humanos, Cole leva um bastão feito de
artemísia aquecido na ponta até o ponto que pretende estimular. Gerando calor na área desejada, a estimulação dos pontos meridianos também ocorrem.
O ambulatório foi instalado há um ano e meio e o atendimento é feito às 3ª feiras. Uma reavaliação é feita após duas sessões, mas segundo Cole, a cura
total demanda seis meses de tratamento.
A consulta dura uma hora porque, antes, o veterinário faz uma investigação completa sobre o animal e seus hábitos no primeiro encontro. Nos
que se seguem, há uma conversa sobre a evolução do comportamento do animal em casa. As sessões de acupuntura propriamente ditas levam até meia
hora. Os animais encaminhados ao ambulatório passam por uma triagem, com os próprios veterinários alopatas do hospital. "Os veterinários tratam até o
limite que a alopatia permite e quando ela não resolve mandam o caso para mim", conta. Os pacientes terminais enviados a Cole sofrem, em geral, de
males do sistema nervoso. Mas há também casos de doenças dermatológicas, como queda de pelo, problemas alérgicos e distúrbios de comportamento.
"Às vezes, tratamos animais muito agressivos para que possam conviver melhor em casa", explica o médico. Animais que aguardam cirurgias ortopédicas
também fazem sessões de acupuntura para suportar a dor até o dia do procedimento.
O resultado agrada aos donos dos animais mesmo que não desapareçam todos os sintomas, como é o caso da sinomose. Doença que acomete
cães, a sinomose é causada por um vírus que tem atração pelo sistema nervoso. O animal desenvolve uma encefalite, inflamação nos neurônios, e passa
a ter convulsões e desequilíbrio no caminhar. Além disso, o vírus afeta o sistema imunológico e o cão acaba contraindo infecções oportunistas. "Alguns
déficits neurológicos permanecem depois do tratamento. Em certos casos, o animal continua mancando, mas o dono prefere que seja assim, em função da
relação de afetividade", relata Cole. O êxito do ambulatório de acupuntura está justamente nos resultados obtidos.
O índice de cura é de 70%, segundo o médico. A explicação do veterinário para a receptividade dos donos, após o início do tratamento, quando
os animais já apresentam sensíveis melhoras, é que cães e gatos são animais de companhia e, por isso, é preferível que sobrevivam com algum nível de
qualidade de vida. Por isso não se tentou, até hoje, o tratamento de animais maiores. "No caso de animais de grande porte, cuja criação é para fins
econômicos, como eqüinos e bovinos, o sacrifício é a única opção. O proprietário de um cavalo com problemas neurológicos não arriscará o tratamento
com acupuntura se houver a possibilidade de que ele não tenha a remissão completa dos sintomas", justifica. Com o ambulatório estruturado, Cole
pretende agora ampliar o atendimento. Ele conta com a ajuda de quatro estagiários e quer implantar residência em acupuntura. "Atender uma vez por
semana é pouco. Por isso pretendo formar uma equipe para estender o atendimento a outros dias da semana", revela. A equipe atual está terminando um
projeto para oferecer acupuntura por estimulação elétrica, a eletro-acupuntura.
As agulhas seriam usadas para conduzir uma corrente suave, com o nível e o formato das ondas elétricas controlados por um aparelho. Outro
projeto para um futuro próximo é o registro da memória do laboratório. Ele quer selecionar determinados animais para filmar desde a primeira sessão e,
assim, deixar registrada a evolução do estado de saúde do bicho.
Lana Cristina

22/06/2005 O que é Acupuntura?


Acupuntura pode ser definida como a inserção de agulhas em pontos específicos no corpo, visando um efeito curativo. Esta técnica vem sendo
desenvolvida e utilizada nas práticas humana e veterinária na China há cerca de 5.000 anos para tratar diversas doenças e, sem dúvida, sobreviveu até
nossa era graças aos efeitos positivos apresentados no decorrer da história. No ocidente, foi inicialmente introduzida na França, sendo ensinada desde
1762 na escola de Lion, e posteriormente se difundiu por vários países da Europa. No Brasil, a acupuntura foi introduzida na década de 50, quando foi
fundada a Associação Brasileira de Acupuntura. Em setembro de 1994, no I Simpósio Brasileiro de Acupuntura Veterinária realizado em São Paulo, foi
lançada a semente para maior difusão da área no Brasil. A mesma foi reconhecida como especialidade pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária
(CFMV) em 1995. A acupuntura é utilizada ao redor do mundo, sozinha ou em conjunção com a medicina ocidental, como terapia primária ou de suporte,
para tratar uma ampla variedade de doenças em humanos e todas as espécies de animais domésticos e também em animais exóticos. Os chineses
também usam a acupuntura como medicina preventiva, contra problemas como laminite e cólica em cavalos. Atualmente, veterinários acupunturistas usam
diversas técnicas, com agulhas de acupuntura, agulhas hipodérmicas, sangria, eletro-estímulo, calor, massagem e lasers de baixa potência, para estimular
os pontos de acupuntura. A acupuntura não é "remédio para tudo" mas pode ser muito eficaz nos casos onde é indicada.
Para que condições a acupuntura é indicada?
A acupuntura tem grande efeito sobre os sistemas autônomo, nervoso e endócrino, bem como efeito imunoestimulante,
imunosupressor, analgésico e antinflamatório. É indicada principalmente para problemas funcionais como aqueles que envolvem paralisia,
processos inflamatórios não infecciosos (por exemplo, alergias) e para dor. Para pequenos animais, seguem algumas condições que
podem ser tratadas com acupuntura:
- problemas músculo
- esqueléticos, como artrites e patologias dos discos vertebrais.
- problemas de pele, como alergias.
- problemas respiratórios, como a asma felina
- problemas gastro-intestinais, como diarréias.
- alguns problemas reprodutivos.
Na clínica do cavalo de esporte, a acupuntura vem sendo usada principalmente para alívio da dor e para desordens funcionais do
sistema músculo-esquelético. As indicações mais comuns são desordens do aparelho locomotor, claudicações ou queda de performance
devido a problemas musculares (ex. dores lombares), articulares, tendíneos ou ligamentosos. Outras indicações freqüentes são desordens
do sistema nervoso (ex. paralisia do nervo facial), sistema respiratório (ex. D.P.O.C.), aparelho reprodutor, sistema endócrino, aparelho
digestivo (ex. cólicas não cirúrgicas), problemas dermatológicos (ex. dermatites alérgicas), alterações na sudorese (ex. anidrose) e
alterações comportamentais.
A "má atitude" de alguns cavalos pode ser resultante de um processo doloroso. Essas atitudes incluem "murchar as orelhas", virar a garupa
quando alguém se aproxima da cocheira, alterações no apetite, não gostar de ser escovado, dar coices quando montado ou exigido no
trabalho, refugar obstáculos. A acupuntura é considerada uma das formas mais eficazes de fisioterapia. Tratamentos regulares podem tratar
pequenas injúrias esportivas que ocorrem no dia a dia durante o treinamento, auxiliando assim na manutenção de músculos e tendões
resistentes, antes que injúrias mais graves ocorram. Atletas e amadores freqüentemente usam a acupuntura como parte rotineira de seu
treinamento. Caso seu animal esteja envolvido em qualquer performance atlética como corrida, salto, adestramento, rédeas ou enduro, a
acupuntura pode ajudá-lo a se manter no topo de sua condição física.

Como a acupuntura funciona?


De acordo com a antiga filosofia médica chinesa, doença é o resultado de um desequilíbrio energético no organismo. Acredita-se
que a acupuntura restitui esse equilíbrio de energia e assim auxilia o organismo na cura da doença. Em termos ocidentais, a acupuntura
pode auxiliar o organismo a se curar afetando certas reações fisiológicas. Por exemplo, a acupuntura pode estimular nervos, aumentar a
circulação sangüínea, relaxar espasmos musculares e provocar a liberação de hormônios, como endorfinas (um dos controladores
orgânicos da dor) e cortisol (um esteróide natural). O diagnóstico e tratamento por pontos de acupuntura somente é possível quando o
sistema nervoso se mantém funcional e se a região afetada é capaz de apresentar a resposta fisiológica desejada. A acupuntura pode ser
usada sozinha ou em conjunto com drogas convencionais embora sua eficácia possa diminuir quando associada a terapias com
corticosteróides ou drogas de efeito narcótico. Embora muitos efeitos fisiológicos da acupuntura tenham sido estudados, muitos outros
permanecem desconhecidos.

A acupuntura é dolorosa?
Para pequenos animais, a inserção de agulhas de acupuntura é praticamente indolor. As agulhas maiores, necessárias para
grandes animais, podem causar algum desconforto ao atravessar a pele, porém em todos os animais, uma vez que a agulha atinge a
posição correta, não deve haver dor. Alguns cavalos que foram submetidos a terapias convencionais, com várias injeções endovenosas ou
intramusculares, por vezes com conseqüentes flebites ou abcessos, podem se tornar arredios ao tratamento por acupuntura. A maioria dos
animais relaxa e por vezes fica sonolenta durante as aplicações. Ainda assim, o tratamento de acupuntura pode causar sensações, como
formigamento, cãimbra ou dormência, como pode ocorrer em humanos, e ser desconfortáveis para alguns animais.

Acupuntura é segura para animais?


A acupuntura é uma das formas mais seguras de tratamento médico para animais quando administrada por um veterinário
propriamente qualificado. Efeitos colaterais são raros porém existem. Em alguns casos a condição do animal pode parecer pior por até 48
horas após o tratamento e alguns animais podem ficar sonolentos e letárgicos por até 24 horas após a aplicação. Esses efeitos são
indicações de que alterações fisiológicas estão ocorrendo e freqüentemente são seguidos por uma melhora nas condições do animal. As
principais contra-indicações para a acupuntura são doenças orgânicas severas onde alterações irreversíveis já se estabeleceram
(calcificações, fraturas, câncer, necrose, fibrose e degeneração). Embora a acupuntura seja benéfica no controle de sintomas em doenças
infecciosas, tóxicas, nutricionais e neoplásicas, seu uso como terapia primária nesses casos é desaconselhado, podendo ser usada em
combinação com antibiótico-terapia, quimioterapia, suplementação dietética, entre outras. O custo do tratamento pode também ser
considerado uma contra-indicação em casos onde o mesmo deve ser muito prolongado, não sendo economicamente justificável em
algumas circunstâncias. Porém, o mesmo não se aplica para animais de grande valor, financeiro ou sentimental.

Por quanto tempo duram os tratamentos e qual sua freqüência?


A duração e a freqüência dos tratamentos de acupuntura dependem das condições do paciente e do método de estimulação
usado pelo acupunturista veterinário. A estimulação de um ponto de acupuntura pode ser rápida como 10 segundos ou levar até 30
minutos. Um problema simples e agudo, como uma torção, pode precisar de apenas um tratamento, enquanto doenças mais severas ou
crônicas podem necessitar de várias, até dezenas, aplicações. Quando múltiplos tratamentos são necessários, normalmente se inicia
intensamente e então espaça-se as aplicações para sua máxima eficiência. Normalmente inicia-se com 1 a 3 tratamentos semanais por 4 a
6 semanas. Uma vez que a resposta positiva máxima é atingida (normalmente após 4 a 8 aplicações), as aplicações são espaçadas de
forma que os sintomas fiquem ausentes cada vez por um maior período de tempo. Muitos animais com condições crônicas podem passar a
ser tratados de 2 a 4 vezes ao ano.
Animais submetidos a treinamento atlético podem se beneficiar da acupuntura de 2 vezes por semana a uma vez por mês. A freqüência
depende da intensidade do treinamento e da condição do atleta.

Patrícia V. Malmegrin crmv SP/7251 veterinária graduada pelo IVAS - The International Veterinary Acupuncture Society

A ACUPUNTURA EM DIREÇÃO À POPULARIDADE


Por ANAHAD O'CONNOR
Publicada em 28 de Setembro, 2004
Três anos atrás, Alfred Szymanski parecia não conseguir manter sua pressão sangüínea sob controle. Ele corria 16km por
semana, fazia uma dieta saudável e tomava medicamentos para hipertensão, tudo porém sem efeito. Seu médico sugeriu uma troca de
medicamentos, mas Sr. Szymanski, sabendo dos efeitos colaterais, decidiu tentar algo que nunca havia pensado antes: acupuntura.
Após três sessões de 20 minutos cada, todas cobertas pelo seu plano de saúde, sua pressão sangüínea diminuiu em 20 pontos.
"Sempre que eu saía de uma sessão eu me sentia muito relaxado; eu me sentia eufórico", disse Szymanski, 61, que mora em Nova Iorque.
"Minha pressão sangüínea continuou baixa por um considerável tempo."
Acupuntura, que por muito tempo foi desprezada pela medicina comum mas que por séculos foi considerada a pérola da terapia
alternativa, está lentamente ganhando espaço nas clínicas do país. Enquanto alguns especialistas ainda questionam sua efetividade,
estudos recentes - incluindo uma em Duke semana passada - descobriram um valor científico por trás de seus benefícios, apoiando sua
utilidade em aliviar desde o enjõo matinal até a síndrome de túnel do carpo. Nos últimos anos, o número de hospitais que oferecem
acupuntura e outras terapias alternativas duplicou. Ao mesmo tempo, programas de treinamento de pós-graduação em medicina alternativa
têm se espalhado em universidades por todo o país, mais recentemente em Harvard e na Universidade de São Francisco. "Existe uma
grande demanda para esses programas agora porque muitos médicos estão interessados em aprender acupuntura", disse Dr. Nader E.
Soliman, um anestesista em Rockville, Md., e presidente da Academia Americana de Acupuntura Médica. "Muitos médicos que costumavam
ser extremamente relutantes em indicar pacientes para o tratamento agora o estão fazendo regularmente." Pacientes curiosos em conhecer
melhor a medicina alternativa e o aumento dos céticos em relações às indústrias de remédios estão também procurando o procedimento,
dizem especialistas.
Uma visita a um acupunturista pode custar de 50 a 100 dólares. No entanto, para pessoas que trabalham em certas companhias, elas podem
custar bem menos. Cada vez mais, os empregadores que procuram por tratamentos com baixo custo para adicionarem aos seus planos de saúde, estão
adotando a acupuntura. Quase 50% dos trabalhadores beneficiados receberam esta cobertura em 2004, comparada com os apenas 30% de dois anos
atrás, de acordo com uma pesquisa deste mês realizada pela Kaiser Family Foundation and Health Research and Educational Trust. Essa tendência,
pelo que parece, não está limitada apenas aos humanos. Numa sociedade de pessoas ligadas aos seus animais de estimação, não é
surpreendente que veterinários por todo o país digam que estão recebendo também uma grande demanda pelo serviço. Dra. Barbara
Royal, uma veterinária que trabalha numa clínica particular, disse que tem recebido inúmeras reservas desde o dia em que recebeu sua
licença de acupuntura oito anos atrás. "As pessoas estão desesperadas por isso", disse ela. Dra. Royal usa sua técnica principalmente em
gatos e cães afetados pela artrite, mas recentemente ela tem sido chamada para atender animais exóticos. No Zoológico Brookfield em
Chicago, ela regularmente usa acupuntura para aliviar artrite em um camelo de 725kg, que agora pode correr novamente pela primeira vez
em muitos anos.
"Eu acho que a tendência em animais está relacionada com o que acontece com os seres humanos", disse ela. "Existe um
movimento holístico lá fora, e se as pessoas encontram algo que funciona para elas, elas vão querê-las também para seus animais." No
entanto, enquanto a acupuntura lentamente se incorpora ao público, alguns especialistas estão pedindo um regulamento mais rígido. Dr.
Joseph J. Fins, um membro da Comissão Casa Branca em Policiamento de Medicina Alternativa e Complementar dois anos atrás, disse
que enquanto a acupuntura continuar relativamente segura e efetiva, não haveria nenhum sistema de rastreamento de efeitos colaterais.
Sem um monitoramento próximo, ele afirmou, um acupunturista descuidado que reusar agulhas contaminadas por hepatite, por exemplo,
pode facilmente não ser notado. "Por causa do número de pessoas que a usam, é importante que nós tenhamos algum tipo de sistema de
monitoramento", disse Dr. Fins, chefe da divisão de ética médica no Colégio Médico Weill da Universidade Cornell em Nova Iorque. "Não há
nenhuma mecanismo real para coletar informações sobre a segurança e a eficácia desses tratamentos. É o mesmo problema com
suplementos que não necessitam de receita médica".
Especialista dizem que um vasto número de terapias alternativas, como gotas de óleo e aromaterapia, possuem pequena base
científica ou ainda não foram propriamente estudados. No entanto, o governo financiou pesquisas em dados de acupuntura a partir da
década de 70, ao mesmo tempo em que o tratamento começou a se tornar popular nos Estados Unidos. A acupuntura foi criada na China
há cerca de 2000 [obs: outros estudos afirmam 5000] anos atrás. "Das muitas terapias alternativas, essa foi realmente a primeira a ser
estudada seriamente pelo Instituto Nacional de Saúde", disse Dr. Richard Nahin, conselheiro da coordenação científica no Centro Nacional
para Medicina Complementar e Alternativa em Bethesda, Md. Alguns dos resultados de décadas de pesquisa em acupuntura têm sido
ambíguos. Devido ao fato de ela envolver a inserção de agulhas na pele, a criação do equivalente às pílulas de placebo para grupos de
controle em alguns estudos pode ser muito complicado, segundo especialistas. E, em alguns casos, a acunpuntura mostrou poder ajudar a
aliviar certas condições - como o vício em drogas - quando combinada com outros tratamentos, mas não necessariamente quando usada
sozinha. Para outros problemas físicos ou mentais, entretanto, a acupuntura mostrou-se mais eficaz do que remédios padrões - e sem
efeitos colaterais. Ela têm sido usada largamente durante anos para aliviar condições de dor crônica, e estudos têm repetidamente
enfatizado sua utilidade.
Semana passada, pesquisadores em Duke mostraram que ela era bem mais efetiva para doenças pós-operatórias e vômitos em
um grupo do que Zofran, uma droga anti-náusea vastamente utilizada. De modo grosseiro, um quarto das pessoas que passam por sérias
cirurgia nos Estados Unidos sofreram ânsia de vômito e mal-estar logo em seguida, normalmente causada pela anestesia. Remédios que
tratam náusea oferecem alívio, porém pelo fato deles causaram severas dores de cabeça e espasmos musculares, um grande número de
pacientes relutam a tomá-los, disse Dr. Tong J. Gan, autor de um novo estudo, publicado no jornal Anestesia & Analgesia. O estudo de Dr.
Gan observou um grupo de 75 mulheres que ou foram remediadas com Zofran antes de uma importante cirurgia mamária ou tratadas com
um aparelho de eletroacupuntura que liberava pequenas doses de corrente durante a operações. Esta técnica hi-tech preveniu mal-estar
em 73% das que a receberam, enquanto em torno de 50% das mulheres que tomaram a droga reclamaram de enjôo no dia seguinte. A
porcentagem de enjôo no grupo controle que não recebeu nenhum dos tratamentos foi em torno de 60%.
"Estamos passando por uma fase interessante", disse Dr. Gan. "Nós estamos encontrando mais e mais evidências sugerindo que
terapias alternativas são benéficas, e pacientes estão gradualmente requisitando-a." Até uma certa extensão, o aumento do aceitamento da
acupuntura reflete um crescente entendimento de seu mecanismo biológico, que até pouco havia sido praticamente um mistério, disse Dr.
Gan. Pesquisas sugerem que a estimulação de pontos de acupuntura de algum modo libera um fluxo de endorfina e outros hormônios que
amenizam a dor. Outros estudos descobriram que ela afeta partes do sistema nervoso central que controla a pressão sangüínea e a
temperatura do corpo, entre outros. Dr. Nahin afirmou que diversos estudos de imagem que podem trazer luz em como o tratamento
influencia a atividade cerebral estão a caminho. Porém qualquer que seja os efeitos underlying da acupuntura, especialistas dizem que sua
gradual mistura com a medicina convencional terá amplas implicações, eventualmente abrindo a porta para uma examinação de outras
terapias populares, não tão conhecidas pelo público.
"Até agora, nós tivemos muitas poucas evidências científicas confiáveis para comparar a medicina tradicional ou oriental com um
aproximamento farmacêutico", disse Dr. Steven Eubanks, chefe do departamento de cirurgia na Universidade de Missouri. "Esperamos que
isto seja adicionado à nossa vontade de avaliar outras terapias alternativas, e para fazer isto com nossa atenta e usual observação
científica."
(Publicado no jornal The New York Times, em 28 de Setembro de 2004)

O que é Acupuntura?
http://www.clinicahong.com.br/
A Acupuntura é uma terapêutica milenar que utiliza agulhas, moxas e outros instrumentos para liberar substâncias químicas no organismo com
efeito analgésico e/ou antiinflamatório e assim, aliviar dor e outros sintomas decorrentes de determinadas doenças.A denominação Acupuntura é atribuída
a um jesuíta europeu no século XVII que adaptou os termos chineses Zhen Jiu, juntando as palavras latinas Acum (que significa agulha) e Punctum
(picada ou punção). A tradução literal, no entanto, é bem diferente. O correto seria Zhen (agulha) e Jiu (moxa). A moxa ou mogusa (termo de origem
japonesa) é confeccionada com as folhas secas da planta Artemisia sinensis, usada na moxibustão, ou seja, queima de pequenas porções desse vegetal
associada ao tratamento com as agulhas.
Uma apresentação da acupuntura
A acupuntura é um método terapêutico antigo, utilizado há aproximadamente 5000 anos no oriente. Foi criada na China, sendo mais tarde
incorporada ao arsenal terapêutico da medicina em outros países orientais como o Japão, Coréia e Vietnã. Achados arqueológicos da Dinastia Shang
(1.766 - 1123 AC) incluíam até agulhas de acupuntura e carapaças de tartarugas e ossos, nos quais estavam gravadas discussões sobre patologia médica.
Mas o primeiro texto médico conhecido e ainda utilizado pela Medicina Tradicional Chinesa é o Tratado de Medicina Interna do Imperador Amarelo (Nei
Jing Su Wen), escrito na forma de diálogo entre o lendário Imperador Amarelo (Hwang-Ti) e seu ministro, Qi Bha, sobre os assuntos da medicina, segundo
alguns autores durante a Dinastia Chou (1122 – 256 AC). Outros textos clássicos surgiram posteriormente, entre eles a Discussão das Doenças Causadas
pelo Frio, O Clássico sobre o Pulso, O Clássico das Dificuldades (Nan Ching) e o Clássico sobre Sistematização da Acupuntura e Moxa.
A palavra acupuntura origina-se do latim, sendo que acus significa agulha e punctura significa puncionar. A acupuntura se refere, portanto, à
inserção de agulhas através da pele nos tecidos subjacentes em diferentes profundidades e em pontos estratégicos do corpo para produzir o efeito
terapêutico desejado. Mas, na verdade, acupuntura é uma tradução incompleta da palavra chinesa Jin Huo (ou Tsen Tsio) que significa metal e fogo. Para
tornar uma longa história curta: os pontos de acupuntura distribuídos pelo corpo podem ser puncionados com agulhas ou aquecidos com o calor produzido
pela queima da erva Artemisia vulgaris, (mais conhecida como moxa ou moxabustão). Podem ainda ser estimulados por ventosas, pressão, estímulos
elétricos e, mais recentemente, lasers. Acupuntura e moxabustão fazem parte da chamada Medicina Tradicional Chinesa que inclui ainda uma fitoterapia
bastante sofisticada.
Os chineses, ao longo destes milhares de anos, descreveram cerca de 1.000 pontos de acupuntura, dos quais 365 foram classificados em
catorze grupos principais. Todos os pontos que pertencem a um dos grupos são ligados por uma linha imaginária na superfície do corpo denominada
meridiano. Os doze meridianos principais controlam o pulmão, o intestino grosso, o estômago, o baço, o coração, o intestino delgado, a bexiga, o rim, o
pericárdio, o “triplo-aquecedor”, a vesícula e o fígado. Existem também dois meridianos localizados no centro do corpo, um que passa pela frente e outro
pelas costas. Todos os pontos de acupuntura ao longo destes meridianos afetam o órgão mencionado, mas não necessariamente da mesma maneira.
Para os chineses tradicionais, nosso organismo é formado de matéria e energia e é justamente a parte energética, a força vital ou Chi que circularia nestes
meridianos e todas as doenças seriam conseqüentes a um distúrbio da circulação do Chi. Embora este conceito tenha norteado a prática da acupuntura ao
longo destes milhares de anos é um pouco metafísico demais para ser compreendido e aceito pelo mundo científico atual.
Evidências científicas acumulam-se acerca da eficácia da acupuntura, e a intimidade de seu mecanismo de ação está sendo pesquisada em
muitos centros médicos do mundo, incluindo Escolas Médicas e Hospitais Universitários na China e no nosso próprio país. No Brasil, a acupuntura foi
recentemente considerada uma especialidade médica pelo conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB), tendo sido
realizado, em outubro de 1999, o primeiro concurso para o Título de Especialista em Acupuntura, no qual mais de 800 médicos foram aprovados. No
Ocidente, a acupuntura ganhou credibilidade principalmente por seu efeito no alívio da dor, seja ela de várias origens. Esta é uma das razões para a
ênfase atual da pesquisa no estudo dos mecanismos analgésicos da acupuntura. O foco de atenção tem sido o papel dos opióides endógenos neste
mecanismo. Ao longo de sua evolução, o cérebro desenvolveu sistemas complexos de modulação (aumentar ou diminuir) da percepção da dor. Em
especial o sistema opióide (semelhante à morfina) e o sistema não opióide de analgesia (os neurotransmissores) suprimem a percepção da dor, enquanto
que o sistema antiopióide (por ex., colecistoquinina) trabalha contra a analgesia opióide. Opióides são liberados durante acupuntura e a administração
prévia de naloxona (droga bloqueadora que reverte os efeitos da heroína, morfina e de outras drogas semelhantes) anula o efeito da acupuntura; porém se
a acupuntura for realizada previamente à administração de naloxona não há bloqueio do seu efeito. Além disto observou-se aumento da concentração de
endorfinas e também de serotonina no líquido cefaloraquidiano de doentes submetidos à acupuntura.
Mas a acupuntura não causa apenas um efeito analgésico, ela provoca múltiplas respostas biológicas. Estudos em animais e humanos mostram
que o estímulo por acupuntura pode ativar o hipotálamo e a glândula pituitária, resultando num amplo espectro de efeitos sistêmicos, aumento na taxa de
secreção de neurotransmissores e neurohormônios, melhora do fluxo sanguíneo, e também a estimulação da função imunológica são alguns dos efeitos já
demonstrados. A Organização Mundial da Saúde lista mais de 40 doenças para as quais a acupuntura é indicada. Para os chineses tradicionais existem
cerca de 300 doenças tratáveis por acupuntura, entre elas, sinusite, rinite, resfriado, faringite, amigdalite aguda, zumbido, dor no peito, palpitações,
enfizema, bronquite crônica, asma brônquica, alterações menstruais, cólica menstrual, lombalgia durante a gravidez, ansiedade, depressão, insônia, mal-
estar provocado pela quimioterapia, dores associadas com câncer, tendinites, fibromialgia, dores pós-cirúrgicas, síndrome complexa de dor regional,
dermatites, gastrite, úlcera gástrica, úlcera duodenal, colites, diarréia, constipação, cefaléias, enxaqueca, paralisia facial, seqüelas de acidente vascular
cerebral, lombalgia, ciatalgia, artrose, artrite, entre tantas outras.
A pesquisa em acupuntura é importante não apenas para elucidar os fenômenos associados ao seu mecanismo de ação mas também pelo
potencial para explorar novos caminhos na fisiologia humana ainda não examinados de maneira sistemática.

MECANISMOS ANALGÉSICOS DA ACUPUNTURA.


Diferentes efeitos farmacológicos de importância clínica podem ser obtidos pela acupuntura (ACP) ou Eletroacupuntura (EACP). Entre estes
efeitos destacam-se: o analgésico, relaxante muscular, sedativo/hipnótico, antidepressivo (leve), anti-emético, anti-secretor (HCl), antiinflamatório, promotor
da imunidade e da reabilitação pós AVC, estimulante da reparação e cicatrização teciduais entre outros.
Dois aspectos relevantes emergem quando se analisa este plantel de efeitos.
1 Uma gama tão variada de respostas só pode ser obtida através de
diferentes mediadores/neurotransmissores (NTs).
2 A eficácia da ACP/EACP para obtenção destes efeitos é variável
dependendo de muitos fatores associados ao clínico, às técnicas
utilizadas e ao paciente. A NIH Concensus Conference on
Acupuncture, ocorrida em 1998, estabeleceu alguns destes aspectos.
Demonstra-se que mais de uma dezena de NTs e seus vários receptores (R) participam de maneira diversa das respostas à ACP/EACP, entre
os quais: peptídeos opióides endógenos (POEs), ß - endorfinas, Leu-encefalina e dinorfinas (receptores-µ, d e k), noradrenalina (NA) (via receptores-a1 e
a2 - adrenérgicos), serotonina (através de receptores 5HT1 e 5HT3 ), acetilcolina (via receptores muscarínicos M1 e M2), dopamina (receptores D1e D2 );
adenosina (receptor A1); somatostatina (receptores SST1 e SST2), o ácido gama - aminobutírico (GABA) (receptores GABAA), além da neurotensina,
substância P (SP): vasopressiva, angiotensina, ACTH, colecistoquinina (CCK8), ácido glutâmico (pelos receptores MMDA; AMPA e metabotrópico).
Diversas áreas cerebrais são mapeadas de forma diferencial quando a estimulação por EACP ocorre por alta ou baixa freqüências. Este
rastreamento é feito pela detecção das proteínas de expressão rápida c-fos e c-jun, produtos dos respectivos proto - oncogenes. Estas proteínas entre
outras atividades controlam a transcrição de genes que codificam uma variedade de neuropeptídeos (dinorfinas, encefalinas, SP, entre outros), os quais
modulam a resposta da estimulação nociceptiva (Coderre e cols. - 1993; Abram e cols. - 2001).
Com relação a analgesia, Wu e cols (1999) demonstraram através de ressonância magnética funcional que a estimulação dos pontos E-36 e
IG-4 aumentam o De-Qi e a resposta bradicardica, ativando o hipotálamo e o núcleo acumbens, desativando a amígdala, o complexo hipocampal e o
córtex cingulado anterior (porção rostral). Assim, no que refere-se à analgesia a ACP/EACP ativam as vias antinociceptivas descendentes e desativam
setores do amplo sistema límbico envolvidos com os aspectos associativos da dor.
O transtorno de ansiedade generalizado envolve um circuito neurofuncional que compreende: loco cerúleo, os núcleos da rafe, amígdala, córtex,
pré-frontal e temporal, giro cingulado, hipotálamo, o hipocampo e o sistema límbico. Os NTs mais envolvidos são a NA, a 5HT e o GABA ativados pela
ACP/EACP.
A sedação tem como centro importante o loco cerúleo, onde a NA, atuando sobre receptores a2 adrenérgicos pré-sinápticos, determina inibição
na liberação do mediador e, em conseqüência, provoca o efeito depressor do sistema nervoso central (Rang e Cols. - 2001).
O fenômeno de dependência e as manifestações da síndrome de abstinência encontram sede no núcleo acumbens e no loco cerúleo,
respectivamente, estruturas alvos da ACP/EACP.
A percepção dolorosa, a modulação do comportamento afetivo (amígdala, hipocampo, loco cerúleo, córtex cerebral), o controle da motricidade
(núcleo caudado, globus pálidus), a regulação central do sistema nervoso neurovegetativo (bulbo) e diversas funções neuroendocrinas (eminência média)
são moduladas pelos POEs, neurotransmissores liberados pela ACP/EACP (Goodman & Gilman - 1996).
O vômito e a náusea, despertados por diferentes estímulos, têm centros localizados na zona quimioreceptora do gatilho situado na área
postrema no tronco cerebral, rica em receptores opióides (POEs) dopaminérgicos e muscarínicos. A ACP/EACP é uma técnica extremamente sensível e
reconhecida no tratamento da náusea/vômito de diferentes etiologias (Dundee e col. - 1989) especialmente no período pós operatório.
Estes aspectos despertam atenção para interações promissoras entre ACP/EACP e vários fármacos.
As tabelas 1 e 2 apresentam os principais neurotransmissores e os seus receptores envolvidos com as transmissões sinápticas excitatórias e
inibitórias respectivamente, os quais podem ser acionados pela ACP/EACP.
Tabela 1: Principais moduladores da transmissão sináptica excitatória (in: Moore, K. A. e cols. - 2000)
Sítio de Ação
Neuro
Receptor Pré Pós Efeito Mecanismo
Modulador
Sináptica
POEs m + I  liberação NT exc.
Hiperpolariza
POEs m + I
corrente AMPA
 corrente NMDA
POEs d + I
 liberação NT exc.
POEs k + I Hiperpolariza
5HT 5HT1 + I  liberação NT exc.
Hiperpolariza,
5HT 5HT3 + I
corrente NMDA
NA a2 + I  liberação GLUT.
SP
Hiperpolariza, 
NA a2 + I
condut. K+.
Despolarização, 
GABA GABAA + I
condut. Cl-
POEs = peptídeos opióides endógenos;
5HT = Serotonina
NA = Noradrenalina;
GLUT = Ácido glutâmico,
NT = Neurotransmissor,
I = Inibição,
Exc. = Excitatório
GABA= ácido gama aminobutírico
Tabela 2: Principais moduladores da transmissão sináptica excitatória(in: Moore, K. A. e cols. - 2000)
Sitio de Ação
Neuro Modulador Receptor Efeito Mecanismo
Sináptica
5HT 5HT1A Pré F  lib. Glicina
NA a1 Pré F  lib. GABA
NA a2  lib. Glicina
ACh h Pré F  lib. GABA
 correntes
Aden A1 Pós I
GABA
5HT = Serotonina,
NA= Noradrenalina,
ACh= acetilcolina
Aden = adenosina,
GABA=Acido gama aminobutírico;
F= Facilitação,
I = Inibição.

FREQUENTLY ASKED QUESTIONS - PERGUNTAS FREQÜENTES


1- A Acupuntura trata qualquer doença?
A acupuntura é indicada no tratamento de diversas doenças ou sintomas, já que apresenta efeito analgésico, antiinflamatório e relaxante
muscular, além de promover imunidade e agir na reabilitação das seqüelas do derrame cerebral. Também apresenta efeito calmante, antidepressivo leve e
cicatrizante, entre outras ações não muito pesquisadas. Esses efeitos ocorrem em conjunto ou isoladamente, dependendo das técnicas selecionadas pelo
médico.Como em qualquer outro tratamento médico, a acupuntura pode apresentar limitações. Por exemplo: não trata o câncer, mas pode melhorar a dor,
depressão, falta de apetite, náusea, vômito e outros desconfortos causados pela quimioterapia, pela radioterapia e pelo próprio câncer. Por outro lado, há
lesões musculares e dores de cabeça que podem ser tratadas pela acupuntura com resultados bastante satisfatórios.
2- A Acupuntura só alivia a dor ou também trata doenças?
A acupuntura apresenta ação geral e específica e atua nos diversos sintomas e doenças, de acordo com técnicas e pontos selecionados, como
indica o quadro a seguir.
Ação mais importante Sintomas e doenças tratáveis
Analgésica dor de qualquer origem
Antiinflamatória artrite e traumatismo
Relaxante muscular contratura muscular, torcicolo
insônia, estresse, ansiedade, irritabilidade,
Ansiolítica (calmante):
síndrome de abstinência.
Antidepressiva (leve) angústia, depressão, irritabilidade.
Broncodilatadora asma, enfisema, bronquite.
anomalias circulatórias (arteriais), AVC
Vasodilatadora
(derrame cerebral), angina de peito.
náuseas e vômitos de origem
Antiemética gastrintestinal, da gravidez e/ou pós-
quimioterapia.
Cicatrizante, melhora de
escara, acne, incisões cirúrgicas
circulação sangüínea
Imunidade rinite, alergia, asma
3 - O efeito da Acupuntura é imediato?
Cada vez mais, o uso de acupuntura é recomendado em casos de emergência, principalmente em casos de dores músculo-tendíneas, como as
que ocorrem em esportistas, graças a seu efeito analgésico, relaxante muscular e antiinflamatório. Aliás, equipes européias e asiáticas, de várias
modalidades esportivas, contam com o apoio de médicos acupunturistas durante as competições.
4- A Acupuntura é uma terapia alternativa?
Em 1995, a acupuntura foi reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Três anos depois, também
passou a ser reconhecida pela Associação Médica Brasileira (AMB). Dessa forma, oficialmente a acupuntura não é considerada terapia alternativa.
Portanto, os convênios médicos devem oferecer cobertura para acupuntura a seus associados.
5- Quem faz a Acupuntura no Brasil?
Basicamente existem quatro categorias:
A. Técnicos de acupuntura e massagistas.
B. Profissionais de acupuntura de nível superior da área da saúde (enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, biomédicos etc.).
C. Médicos, dentistas e veterinários.
D. Médicos com título de especialista em acupuntura, concedido pelo Colégio Médico de Acupuntura, reconhecido pela Associação Médica Brasileira
(AMB).
6- A Acupuntura é um tratamento complementar?
Atualmente os tratamentos em qualquer área médica tendem a ser multidisciplinares, ou seja, uma especialidade complementa outra. Nesse contexto, a
acupuntura tem sua importância reconhecida.
Para ilustrar, são apresentados a seguir três exemplos:
- Pacientes com torcicolo ou dor muscular podem ser tratados somente por acupuntura com resultados satisfatórios.
- Cerca de 70% dos pacientes acometidos de fibromialgia, ou seja, dores crônicas generalizadas, melhoram significativamente com acupuntura.
Os demais (30%) devem complementar o tratamento com medicamentos e apoio de profissionais da Saúde Mental e da Medicina Física. O
condicionamento físico é obrigatório para todos os pacientes com fibromialgia.
- Em casos de artrite reumatóide ou de lupus eritematoso sistêmico, a acupuntura não substitui o tratamento medicamentoso e sim o
complementa.
Assim, dependendo da doença, a acupuntura pode ser tratamento único ou complementar.
7- Por que o médico acupunturista aplica tantas agulhas em uma sessão?
A atuação conjunta de diferentes mecanismos é que geram o efeito terapêutico da acupuntura. Como cada ponto tem ação limitada, o médico escolhe os
pontos mais adequados, tratando os sintomas e/ou a doença de modo mais abrangente. Exemplo disso é a asma, sobre a qual os pontos IG 4 e E 36
exercem efeito antiinflamatório e promovem a imunidade; RM 17 age como broncodilatador e EX- CP3, como calmante.
8- As agulhas de Acupuntura contém medicamentos?
As agulhas de acupuntura não contêm medicamentos. A ação terapêutica deve-se ao estímulo de agulhas em determinados pontos, fazendo com que o
próprio organismo libere várias substâncias neurotransmissoras, que exercem ações analgésica, relaxante e antiinflamatória, entre outras, aliviando a dor e
gerando sensação de bem-estar.
9- A Acupuntura proporciona bom resultado em todos os casos?
Em casos de dor, espasmo e rigidez musculares, dor de cabeça, doenças psicossomáticas, ansiedade, estresse, depressão leve, e outras que
não apresentam alteração orgânica grave, normalmente a técnica apresenta bons resultados. Tais efeitos podem não ser suficientes em casos de doenças
mais graves e crônicas, sendo necessário complementar a técnica com outras terapias, inclusive com medicamentos. Exemplos: em caso de infecção
bacteriana, o tratamento pela acupuntura pode aliviar o desconforto, mas é o uso de antimicrobiano que elimina a infecção. Em caso de crise asmática,
torna-se necessário oferecer remédios broncodilatadores, entre outros. Em casos de dores agudas, se necessário, não se deve hesitar em receitar
analgésicos, incluindo a morfina ou derivados. Em dor crônica como lesões de nervos e fibromialgia, a associação de remédios antidepressivos,
anticonvulsivantes, neurolépticos, e até morfina, aumenta o efeito da terapêutica.Em resumo, em benefício da qualidade de vida do paciente, devem-se
incluir todos os meios disponíveis a favor dele.
10- A Acupuntura é indicada para tratar depressão?
Na década de 1990 muitos pacientes procuraram assistência pela acupuntura, em função dos efeitos colaterais dos medicamentos antidepressivos,
principalmente pela diminuição da concentração, do raciocínio, do desejo sexual e aumento da obesidade. Durante o tratamento, a maioria apresentou
melhora satisfatória, o que proporcionou diminuição no consumo desses medicamentos e, conseqüentemente, redução dos efeitos indesejáveis já citados.
A acupuntura é bastante eficaz na forma leve de depressão, atuando como coadjuvante nas formas moderadas e graves.
Atualmente, existe uma tendência cada vez maior de os pacientes procurarem a acupuntura mais precocemente e com mais confiança nela.
11- Existem medicamentos que diminuem a ação da Acupuntura?
Alguns medicamentos podem diminuir parcialmente a ação das agulhas, como morfina e cortisona em altas doses. As drogas ditas ilícitas também podem
interferir na ação da acupuntura, no entanto interferem em apenas algumas dessas vias de ação. O paciente nesse estado ainda teria benefícios, porém
precisaria prolongar o período de tratamento.Aqui devo fazer duas observações:
a) Os pacientes em uso de remédios desse gênero, em geral, encontram-se em um estado mais crítico e, conseqüentemente, o tratamento feito
tanto pela terapia convencional como pela acupuntura fica mais difícil de ser avaliado, por isso também seria difícil concluir que tais medicamentos
estariam interferindo ou anulando a ação da acupuntura.
b) Por outro lado, depois do tratamento com acupuntura, haveria possibilidade de reduzir a dose desses remédios gradualmente de acordo com o estado
clínico do paciente ou até processar-se a troca por outros similares mais seguros, evitando os efeitos colaterais. Como exemplo, pode-se cogitar a troca de
cortisona por outro antiinflamatório não hormonal no tratamento de artrite. Por esse motivo, ressaltamos a importância da terapia de acupuntura em
colaboração com os outros médicos.
12- A Acupuntura não tem contra-indicações?
Qualquer indivíduo, em qualquer idade, pode ser tratado com acupuntura, exceto os pacientes com infecções generalizadas da pele. Mesmo durante a
gravidez, a acupuntura não é contra-indicada, desde que se evite a aplicação nos pontos que atuam como dilatadores do colo do útero e facilitadores da
contração uterina; entretanto, ainda se trata de assunto polêmico, a não ser nas vésperas do trabalho de parto, quando a acupuntura pode auxiliar sua
aceleração. A acupuntura é uma técnica invasiva que exige conhecimentos médicos sobre antissepsia, anatomia e fisiologia humanas, fundamentais para
evitar acidentes e complicações que eventualmente possam ocorrer, tais como inoculação de microorganismos no corpo humano ou dano a alguma
estrutura nobre, como fígado, rim ou pulmão, com seqüelas imprevisíveis. Mas esse tipo de risco é extremamente baixo.
13- As agulhas de Acupuntura tem energia própria?
As agulhas de acupuntura são constituídas de materiais inertes e não apresentam energia com fins terapêuticos, e mesmo que a tenham a mesma
quantidade de energia eventualmente presente na agulha não apresenta fins terapêuticos como também não são capazes de manter as agulhas
esterilizadas.
14- Por que, ao aplicar Acupuntura, alguns pacientes sentem algum desconforto?
O efeito da acupuntura decorre da introdução das agulhas em locais apropriados. Em geral, os pacientes têm sensações semelhantes à pressão leve,
como peso, dor leve ou, raramente, “choquinho”, e são chamadas de “De Qi”, que pode irradiar-se ao longo do membro, quando a agulha é introduzida.
Essas sensações podem ser reforçadas pela técnica de manipulação, de modo a aumentar o efeito da acupuntura. No entanto, nem todos os pacientes
apresentam essas reações. Além das já mencionadas, as sensações de flutuação, tremor de músculo, vontade de urinar ou evacuar, sonolência, tontura
leve, corpo leve /pesado também são relatadas. E, muitas vezes, só acontecem nas primeiras duas aplicações e são indicativas de que o paciente está
tendo boa resposta à acupuntura. Em alguns casos de dor, pode o paciente sentir a piora nas primeiras 24 horas depois de primeira aplicação, e
curiosamente só. Em situação de tensão pré-menstrual, paciente muito tenso ou paciente com dor aguda, a aplicação da acupuntura pode ser mais
dolorosa. O paciente nessa situação deve avisar seu médico, que poderá escolher outro método ou ponto mais adequado, evitando assim o desconforto.
Eventualmente, a agulha pode “acertar” algumas fibras nervosas na pele provocando dor tipo choque ou aguda, mas esse fenômeno é raro. Existem
situações de dor aguda em que o agulhamento é feito no ramo nervoso, com efeito analgésico potente; em geral, essa técnica só é usada na primeira
sessão e devo ressaltar que não são todos os médicos que a adotam. Esse procedimento pode ser realizado, por exemplo, em casos de lombalgia aguda
ou torcicolo.
15- As agulhas de Acupuntura devem ser esterilizadas?
Estudos bacteriológicos, realizados pela equipe de acupuntura do Centro de Dor do Hospital das Clínicas da FMUSP em conjunto com o setor de
Bacteriologia do Laboratório Central do mesmo hospital, comprovaram que pode haver contaminação por microorganismos nas agulhas utilizadas após a
aplicação. Nessa pesquisa não foi avaliada a presença do vírus da hepatite, Aids, fungos ou bactérias anaeróbicas. Concluiu-se que devem ser utilizadas
somente agulhas descartáveis e esterilizadas, como as usadas em outras terapias médicas como material descartável.
16- Qual o risco no uso de agulhas não descartáveis?
Como qualquer material perfurocortante utilizado para procedimentos médicos, as agulhas de acupuntura não descartáveis podem expor o paciente a
infecções por bactérias, fungos, vírus (Aids, hepatites) etc., principalmente os pacientes idosos ou com doenças crônicas, que já habitualmente acarretam
baixa resistência.
17- Quem faz Acupuntura pode doar sangue?
Segundo determinação da Anvisa, o paciente que se submete a acupuntura, em condições assépticas, deve aguardar três dias para doar sangue.
Na nossa opinião, se as aplicações forem feitas com agulhas esterilizadas e descartáveis, não se justifica a espera de três dias para a doação; pelo
mesmo fato de os pacientes que recebem injeções com seringa descartável, de uso único, não apresentarem restrições ao doar sangue.
18- As técnicas de Acupuntura são todas iguais?
Existem técnicas desenvolvidas pela medicina chinesa, coreana, japonesa, vietnamita, francesa e de outros países. O Brasil, país de imigrantes, recebe
influência dessas escolas, sendo a técnica chinesa a mais difundida.
19- Qual a duração do tratamento?
Varia de acordo com o estado clínico do paciente, natureza e gravidade da doença. Em geral, prescreve-se uma a duas sessões semanais. Conforme a
evolução clínica, determina-se maior ou menor freqüência às sessões e estima-se o número total de procedimentos a serem aplicados.
Na maioria dos casos, indica-se de cinco a dez sessões.

Freqüentemente, os pacientes buscam a acupuntura como última opção de tratamento por desconhecerem essa modalidade de terapia. Dessa forma, ao
iniciar a terapia com essa técnica já apresentam maiores alterações estruturais, comportamentais e transtornos psicológicos. Em boa parte dos casos, os
pacientes são pessoas idosas, acometidas por doenças crônicas. Por essas razões, alguns podem necessitar de tratamento mais prolongado. Por isso, a
duração de tratamento em alguns casos é longa.
20- A Acupuntura faz emagrecer?
A acupuntura atua diminuindo a ansiedade, a sensação de fome e, desse modo, controla a compulsão alimentar, principalmente por doces. Esse efeito
favorece a reeducação alimentar, sem a necessidade do uso de drogas para reduzir o apetite. Esta é uma das grandes vantagens: age sem causar efeitos
colaterais ou dependência química provocada pelos moderadores de apetite.
São efeitos adicionais da acupuntura: melhora do sono, redução da irritabilidade e melhora dos sintomas causados pela obesidade, tais como dor na
coluna, joelhos e pés, o que motiva a realização de exercícios físicos. Existe a crença de que a acupuntura pode ser usada para reduzir a gordura
localizada; esse tópico merece estudo mais aprofundado. A técnica também é indicada em pacientes com a síndrome de abstinência causada pela
suspensão inadequada dos remédios moderadores do apetite. E aquela propaganda de perda de peso de 10 kg por mês? Não existe essa possibilidade!
21 - A Acupuntura pode tratar viciados em álcool, fumo ou drogas?
O efeito da acupuntura em pacientes acometidos desses vícios é semelhante ao descrito no tratamento da obesidade. Atua, principalmente, na redução da
ansiedade, o que ajuda no controle da compulsão e do uso de drogas. Essas condições exigem um tratamento com equipe multidisciplinar, sobretudo em
casos de dependência de álcool e de tóxicos.
22 - A Acupuntura cura doenças graves como câncer ou AIDS?
Não, mas pode melhorar parcialmente a imunidade, auxiliar no tratamento das dores, depressão, transtornos emocionais e falta de apetite, ou seja, a
acupuntura promove a melhora da qualidade de vida. Em casos de pacientes que se submetem à quimioterapia ou à radioterapia, é notável o efeito da
acupuntura na redução das náuseas e dos vômitos.
23- Todos os pacientes são tratados da mesma maneira pela Acupuntura?
Assim como os indivíduos são diferentes entre si, as manifestações das doenças também o são. Portanto, o tratamento deve ser individualizado. Cada
caso é simplesmente um caso, e conforme a evolução clínica do estado do paciente, as técnicas podem ser diferenciadas.
24- Por que em alguns pacientes não se pode melhorar permanentemente suas dores ou doenças com a Acupuntura?
A acupuntura não é uma panacéia ou uma terapia mágica. Como qualquer outro tipo de tratamento, clínico ou cirúrgico, ela pode proporcionar
resultados bons, regulares ou ruins. É necessário considerar que as doenças variam quanto à gravidade e à cronicidade e, assim sendo, as respostas ao
tratamento também podem ser diferentes. Casos mais graves ou crônicos podem apresentar piora paulatinamente, com o passar do tempo. Portanto, o
bom profissional deve oferecer todas as terapias disponíveis, além de orientação e medidas de prevenção necessárias.
25- A Acupuntura só utiliza agulhas?
A agulha de acupuntura é um dos instrumentos desenvolvidos pela MTC. Como recurso terapêutico, em determinados casos, pode ser associada a outros
métodos:
Eletroacupuntura: utilização da eletricidade para estimular os pontos da acupuntura. É indicada para tratar tensão muscular intensa, dor crônica
ou para anestesia (hipoalgia). Em geral são utilizados dois tipos de estímulos alternados, de freqüência de 2 Hz e 100 Hz. O primeiro exerce efeito
analgésico prolongado e cumulativo, e o segundo, efeito analgésico rápido e de curta duração. O aparelho TENS, usado em fisioterapia, é derivado do
aparelho de eletroacupuntura, entretanto o efeito do segundo é melhor.
Acupuntura a laser: sua utilização é contraditória. A eficácia da acupuntura depende da intensidade de estímulos nas terminações nervosas. O
raio laser apresenta pequeno efeito terapêutico, pois sua penetração é menor e o estímulo é fraco. Assim fica reservado para ser usado em crianças
menores, em alguns casos de dor nas mãos ou nos pés e em indivíduos com pavor de agulhas.
Ventosa: recipiente de vidro ou plástico semelhante a um copo, no interior do qual é produzido vácuo para prendê-lo à superfície do corpo.
Exerce efeito relaxante muscular e analgésico.
Moxibustão: mecha de fibras secas de artemísia, também em forma de bastão, que, ao queimar-se, aquece os pontos de acupuntura. É
aplicada em pacientes com doenças crônicas ou enfraquecidos.
Estas três últimas modalidades da acupuntura podem ser aplicadas sem a necessidade de agulha.
26- Como a Acupuntura age nas doenças endocrinológicas?
A Acupuntura tem pouca ação na regularização do distúrbios hormonais. Ela é mais indicada em distúrbios hormonais na área ginecológica, tais como
hemorragia disfuncional, presença de acne em adolescente, alteração de ciclo menstrual , desconfortos da TPM e da menopausa.
27 - Quando a Acupuntura começa a produzir efeito?
Depende do tipo e do tempo de evolução e do processo degenerativo da doença, além das técnicas adequadas de acupuntura utilizadas. Geralmente, em
quadros agudos, sem lesão estrutural, o efeito é imediato. Em casos crônicos, o efeito pode ocorrer a partir da quinta sessão. Por exemplo, em casos de
dor lombar por contratura muscular, quase sempre a melhora é mais rápida, podendo haver melhora significativa após a primeira aplicação. Em
contrapartida, em casos de achatamento de corpo vertebral por osteoporose, traumatismo ou tumor, a resposta é mais lenta e deve, nesses casos, ser
associada a analgésicos, porém em menor dosagem, e, conseqüentemente, com menos efeitos colaterais. Alguns estudos sugerem que a partir da quinta
aplicação, 50% dos pacientes teriam melhora de 50% da dor. Cerca de 80% dos pacientes respondem bem à acupuntura, enquanto os outros 20% reagem
mais lentamente. Observa-se também que, se pelo menos um dos pais responde bem à acupuntura, seus filhos podem ter melhor resultado com a terapia.
28 - A Acupuntura pode ser usada como tratamento estético?
A aplicação de acupuntura aumenta a circulação sangüínea e a liberação de neurotransmissores (substância P, somatostatina) e estimula a
proliferação de fibroblastos que produzem fibras colágenas no tecido conjuntivo. Além disso, melhora o equilíbrio emocional e, provavelmente, normaliza
os níveis hormonais. Desse modo, rugas de expressão, dermatite seborréica, acne, cloasma gravídico, estrias recentes, “olheiras” e queda de cabelo de
origem psicogênica são atenuadas pela acupuntura.
29 - Quais cuidados devem ser tomados antes das sessões de Acupuntura?
De modo geral, não há necessidade de cuidados especiais, mas recomenda-se não ingerir bebidas alcoólicas em excesso, não se alimentar
exageradamente nem estar com fome intensa, para evitar desconfortos. Trata-se de uma recomendação, não sendo, portanto, motivos para impedimento
do tratamento. Algumas das perguntas freqüentes são se existe algum impedimento no período de menstruação, gravidez, resfriado ou gripe. Não há.
30 - Quais cuidados devem ser tomados após as sessões de Acupuntura?
Cerca de 40% dos pacientes apresentam relaxamento profundo e até sonolência. Nesses casos, recomenda-se dirigir automóvel somente meia hora após
o término da aplicação. As reações são mais fortes, principalmente, após as duas primeiras sessões. Alguns pacientes acometidos de fibromialgia ou dor
muscular crônica podem apresentar piora da dor durante horas após a primeira aplicação, o que é mais comum no inverno. Isso raramente ocorre a partir
da segunda sessão.
31 - O que o paciente deve fazer para ter maior conforto durante a sessão de Acupuntura?
O paciente deve usar roupas confortáveis e soltas, estar relaxado e procurar manter a mente tranqüila. Deve desligar-se do telefone celular.
32– Perfuração para uso de brinco ou piercing faz mal à saúde?
Foi noticiado pela imprensa que o uso de brinco na orelha poderia fazer mal para a saúde. Entretanto, sabemos que a possível lesão das terminações
nervosas pela perfuração não produz dano à saúde. Se isso fosse verdade, as pessoas que usam brinco teriam problemas de visão e anomalias da fala,
pois normalmente o local de perfuração no lóbulo da orelha corresponde ao ponto do olho, garganta ou língua. Raciocínio semelhante aplica-se ao uso de
piercing. Essas perfurações podem provocar reações inflamatórias ou danos à cartilagem, na maioria dos casos, de duração limitada. Outro fator
importante é o risco de infecção local, às vezes, de difícil controle.
33- A Acupuntura é indicada como anestesia?
O nome correto é hipoalgesia, que corresponde à diminuição de dor, ao invés de anestesia por acupuntura. A analgesia pela acupuntura pode ser
empregada em pequenas cirurgias, principalmente as realizadas na cabeça, no pescoço e nos membros, permitindo sua realização com boa tolerabilidade
em cerca de 80% dos pacientes, e em alguns procedimentos ginecológicos. Há várias vantagens, tais como: menor sangramento, manutenção do estado
imunológico, estabilização da pressão arterial, aceleração do processo cicatricial e diminuição do tempo de recuperação. Em casos de cirurgias torácicas e
abdominais, de grande porte, devido à complexidade das inervações, costuma-se associar anestésicos em menor quantidade do que o habitual – algo em
torno de 50%. Entretanto, a .acupuntura não relaxa o espasmo muscular e o efeito disso no paciente pode ser imprevisível, causando reação vagal, isto é,
provocando náuseas, vômitos e distensão intestinal. Outra inconveniência é o fato de o paciente dever ser internado uma semana antes para treinar com a
equipe médica a fim de familiarizar-se com o procedimento cirúrgico.
34- Ainda se usa Acupuntura para anestesia na China?
A quantidade de cirurgias realizadas com “anestesia“ pela acupuntura reduziu-se muito, em razão de haver possibilidade de analgesia incompleta e,
principalmente, de processo jurídico contra o médico, em eventual falha do procedimento. Em geral, utiliza-se essa técnica em cirurgias simples e
programadas, em pacientes com reação alérgica a drogas anestésicas, com insuficiência renal e/ou hepática grave.
35- O paciente pode ser agulhado por cima da roupa?
Não. Da mesma maneira que não se aplicam injeções ou vacinas por cima da roupa.
36- Em que casos a Acupuntura deve ser considerada a primeira opção de tratamento?
Quando o paciente é alérgico ou sofre efeitos colaterais graves decorrentes do uso de medicamentos, em casos de insuficiência de função do fígado ou
dos rins, pacientes com histórico de sangramento gástrico ao tomar analgésico e/ou antiinflamatório ou idosos que necessitam tomar muitos remédios.
Pacientes hipertensos ou diabéticos que pioram com o uso de analgésico ou antiinflamatório. Da mesma maneira, nos pacientes em pós-operatório de
cirurgias cardíacas, o uso da acupuntura é recomendado. Em mulheres em período de gestação ou de amamentação, o uso de acupuntura deve ser a
primeira escolha para o tratamento de diversos sintomas, inclusive da depressão pós-parto.

Artigo 05 Efeito ansiolítico da acupuntura reduz ansiedade


Como no tratamento do stress e depressão, a acupuntura é forte aliada no combate aos transtornos de ansiedade. Associadas ou não à
psicoterapia e ao uso de drogas, as aplicações promovem relaxamento físico e mental, bem-estar e não causam efeitos colaterais. Apreensão, inquietação,
aperto no tórax, palpitações, desarranjo intestinal, cefaléia e suor excessivo são alguns dos desagradáveis sintomas da ansiedade. 0 tratamento
recomendado é quase sempre a psicoterapia associada ao uso de ansiolíticos, com bons resultados até mesmo no curto prazo. No entanto, os incômodos
efeitos colaterais resultantes do uso destes remédios, entre eles sonolência e alteração da qualidade do sono, prisão de ventre, excitação emocional,
variações de apetite e até mesmo dependência física e psicológica, muitas vezes acabam gerando outras complicações. Com a acupuntura, associada ao
tratamento psiquiátrico e psicoterapêutico, ou utilizada exclusivamente, o uso de ansiolíticos pode ser reduzido ou até mesmo suspenso, livrando assim o
paciente de efeitos colaterais. Isso porque a acupuntura tem efeito sedativo e ansiolítico, agindo na liberação de substâncias do sistema nervoso central,
entre elas a endorfina, dopamina, encefalina e serotonina. A encefalina, por exemplo, além de diminuir a dor, age no sistema límbico (a parte do encéfalo
que controla as emoções), gerando bem-estar e conseqüente relaxamento mental. A liberação de tais substâncias, promovida pelas aplicações, é fator
importante no tratamento de distúrbios como a ansiedade, depressão, síndrome de pânico e outros, além de atuar no controle de manifestações físicas
como palpitação, distensão abdominal e gastrite. A duração e intensidade do tratamento depende das características de cada pessoa, mas normalmente
durante o primeiro mês faz-se duas aplicações por semana, reduzindo-se a partir do segundo mês. Após a segunda semana de tratamento pode-se iniciar,
de forma lenta e progressiva, o processo de redução dos remédios.
Dr. Chen Sin Yuan
Doenças tratáveis pela Acupuntura
Para melhor compreensão dos leitores, alguns termos médicos estão acompanhados pelas denominações mais conhecidas.
Além das indicações abaixo, a Acupuntura apresenta ampla ação terapêutica em várias doenças e sintomas não incluídos nesta lista.
A avaliação médica é fundamental para o estabelecimento do diagnóstico correto e do tratamento adequado. Muitas vezes, o uso de outras
terapias é indispensável. Por isso, o papel de seu médico acupunturista é importante.Isso significa que a acupuntura é um recurso terapêutico importante,
mas não é a “cura de todos os males”. Quando houver dúvida, consulte sempre o seu médico.
REGIÃO CERVICAL, OMBROS E MEMBROS SUPERIORES
Efeitos prováveis
Doenças ou sintomas
e Comprovados

Dor muscular: dor decorrente de traumatismo Relaxamento


esportivo, por erro de postura e/ou tensão emocional. muscular e
Exemplo: dor no trapézio e distensão muscular. antiinflamatório

Cervicalgia: dor cervical de causas variadas, com  limiar da dor,


duração curta ou crônica. analgésico,
relaxamento
Dor do ombro: dor no ombro por causas variadas. muscular e  da
Exemplo: bursite, tendinite, artrose inflamação

Tendinite (LER/DORT) inflamação dos tendões.


Exemplo: tendinite no ombro, tendinite nos antebraços
e punhos.
Analgésico,
Epicondilite lateral e medial (cotovelo de tenista ou relaxamento
cotovelo de golfista) dor na região lateral e medial do muscular e
cotovelo por esforço, repetições de movimento. antiinflamatório

Ombro congelado: perda da mobilidade e dor no


ombro

REGIÃO LOMBAR E QUADRIL


Lombalgia aguda: dor súbita na região lombar causada
por esforço físico e/ou movimento inadequado

Lombalgia crônica: dor na região lombar de longa


duração por causas variadas e complexas Analgésico,
Dor ciática: dor na região lombar, glútea, coxa, perna e relaxamento
pé, pode ser causada por hérnia de disco, contratura do muscular e
músculo piriforme antiinflamatório

Espondilite anquilosante: rigidez parcial ou total na


coluna vertebral impossibilitando os movimentos e
causando dor

MEMBROS INFERIORES
Tendinite patelar: inflamação do tendão patelar

Bursite patelar: inflamação da bolsa que envolve a


patela

Osteoartrose de joelho: alteração não inflamatória da


cartilagem do joelho causando dor e estalidos
Analgésico,
Distensão (entorse) do tornozelo: torção de grau leve
relaxamento
sem lesão dos ligamentos do tornozelo.
muscular e
Sinovite/tendinite do tornozelo: inflamação do antiinflamatório
tornozelo

Fasciíte plantar: inflamação da camada que cobre a


musculatura da planta do pé

Dor no pé: dor nos músculos, ligamentos, com ou


sem lesão nessa estrutura.

OUTROS
Dor no pós-operatório de qualquer origem
Analgésico,
Fibromialgia: doença de causa desconhecida, miorelaxante,
que se caracteriza como dor e outras ansiolítico (reduz a
anormalidades, como insônia, depressão, ansiedade),
alterações intestinais e ou urinárias, etc. antiinflamatório
(melhora do sono)

Osteoartrite: osteoartrose, artrose.


Analgésico,
Distrofia simpático reflexa: dor muscular com
antiinflamatório
alterações da pele (cor, suor, pelos, unhas),
(melhora circulação
atrofia e edema muscular
local)
Distúrbios circulatórios: má- circulação

Dor pós-herpética: dor que permanece após Analgésico,


infecção pelo vírus da Herpes Zoster. antiinflamatório,
Dor decorrente de lesão de nervos por diabetes redução da ansiedade
REUMATOLOGIA
Dor articular (nas juntas) –reumatismo: Artrites
Analgésico, relaxante
de causas variadas.
muscular,
Ex. artrite reumatóide, artrite gotosa por depósito
antiinflamatório
de ácido úrico.

Antiinflamatório,
Lúpus eritematoso sistêmico
analgésico

Analgésico,
Síndrome de Sjögren: ausência da secreção das
antiinflamatório,
glândulas lacrimais, glândulas salivares e das
aumentar produção de
vias digestivas superiores e poliartrite crônica
secreções
CEFALÉIA (dor de cabeça)
Cefaléia do tipo tensão: associada à tensão emocional e
muscular aguda ou crônica Analgésico,
Enxaqueca (migrânea): dor de cabeça, latejante, antiinflamatório,
geralmente unilateral, acompanhada de náuseas, ansiolítico
vômitos, sensibilidade à luz e som

Dor craniofacial: dor situada na região do crânio e face


de diversas causas

Cefaléia por disfunção têmporo-mandibular: (alteração Analgésico,


da função da articulação têmporo-mandibular-ATM) antiinflamatório,
relaxamento
Cefaléia cervicogênica: causada por alteração de muscular
músculos, tendões e irritação de nervos occipitais

Outros tipos de cefaléia


APARELHO URINÁRIO
Cólica renal: dor provocada por Analgésico, antiinflamatório,
“pedra” no rim atuação na motricidade do ureter

Prostatite: inflamação da próstata

Cistite intersticial: inflamação da Analgésico, antiinflamatório


bexiga crônica

Retenção urinária pós-parto Ansiolítico, relaxamento uretral

Dor e urgência urinária

Ejaculação precoce
Ansiolítico, melhora da função e
Disfunção sexual masculina não da libido
orgânica: alteração da ereção do
pênis, de causa emocional

Ansiolítico, relaxamento uretral,


Retenção urinária pós-traumática
analgésico
APARELHO GENITAL FEMININO (GINECOLÓGICO)
Tensão pré-menstrual (TPM): alterações
emocionais, cólicas, cefaléia, dor nas mamas,
dores musculares, etc.
Antiinflamatório,
Dismenorréia primária: cólicas menstruais, sem
analgésico, ansiolítico
causa aparente

Síndrome do climatério: irritabilidade, fogachos


(calores), insônia, ansiedade, depressão

Hiperemese gravídica: excesso de vômitos


Contra vômito
durante a gravidez

Hipogalagtorréia: produção insuficiente de leite


 produção de leite
durante a amamentação

Analgésico,
Dor durante o trabalho de parto
ansiolítico

Analgésico,
Dor causada por endometriose
antiinflmatório

Indução do trabalho de parto  contrações


NÁUSEAS E VÔMITOS
Pós-operatório, gestação, pós- Inibição dos vômitos,
quimioterapia e radioterapia ansiolítico
GASTROENTEROLOGIA
Equilíbrio da secreção salivar,
Excesso de salivação (sialorréia)
ansiedade, estresse

Analgésico, antiinflamatório,
Gastroenterite aguda (náuseas,
equilibrio da motilidade
vômitos, diarréia)
gastrointestinal

Má-digestão (dispepsia), distúrbios Equilíbrio da motilidade


da motilidade gástrica gastrointestinal

Dor de estômago (epigastralgia): Analgésico, antinflamatório, alívio do


úlcera péptica, gastrite, espasmo estresse e da ansiedade, equilíbrio
gástrico da motilidade gástrica

Azia, hiperacidez ou diminuição da Equilíbrio da secreção gástrica:


secreção gástrica inibição ou ativação. Analgésico

Constipação (prisão de ventre):


diminuição da freqüência de
evacuação

Síndrome do cólon irritável:


anormalidades intestinais, dores, Analgésico, antiinflamatório,
cólicas, empaxamento, alterações equilíbrio da motilidade intestinal,
emocionais alívio da ansiedade e do estresse

Cólica intestinal aguda ou crônica

Colite ulcerativa crônica


(inflamação do cólon)

Analgésico, antiinflamatório,
Dor de pancreatite crônica
antiespasmódico

Analgésico, antiinflamatório,
Cólica biliar (colecistite):
equilíbrio da motilidade da vesícula
inflamação da vesícula por cálculo
biliar

Hemorróidas Analgésico, antiinflamatório

ODONTOLOGIA
Dor de origem dental
Analgésico, antiinflamatório
Dor pós-operatória odontológica
Dor por disfunção têmporo-mandibular:
alteração da função da ATM Analgésico, relaxante
muscular
Dor por anormalidades da oclusão (mordida)

DOR FACIAL (INCLUINDO ANORMALIDADES CRANIOFACIAIS E MANDIBULARES) – FACE -


SEIOS DA FACE - BOCA
Dor facial de origem dentária
Analgésico, antiinflamatório
Neuralgia do trigêmeo

Dor facial atípica (de origem Analgésico, antiinflamatório,


desconhecida) relaxante muscular

ALERGIA E IMUNOLOGIA
Broncodilatação (dilatação dos brônquios), ansiolítico,
Asma, bronquite
antiinflamatório, melhora da imunidade

Rinite alérgica Antialérgico, melhora da imunidade

Urticária Antialérgico, ansiolítico

DERMATOLOGIA
Acne (adolescentes), acne vulgar,
Antiinflamatório, ansiolítico
eczema

Dermatite de contato, coceira Alívio de sintomas,


Psoríase antiinflamatório, ansiolítico

Herpes zoster: lesão na pele, doença


Analgésico, antiinflamatório
de origem viral

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS
Estresse, ansiedade, insônia, depressão,
bulimia, compulsão por comida

Hiperatividade infantil

Manifestações psicossomáticas:
Ansiolítico, antidepressivo
palpitações cardíacas

Enurese noturna

Tabagismo, alcoolismo, dependência


química

SISTEMA NERVOSO
Paralisia facial periférica: paralisia da
face decorrente de anormalidades dos Antiinflamatório, relaxamento
nervos faciais muscular. Ansiolítico
Dor na musculatura da face

Melhora da circulação
Vertigem, zumbido
cerebral

Síndrome do túnel do carpo: lesão


compressiva do nervo mediano no punho
Antiinflamatório, analgésico
Neuropatia diabética: lesão neurológica
causada por diabetes mellitus

Vasodilatador cerebral,
Seqüelas de AVC: (acidente vascular
relaxamento muscular,
cerebral)
ansiolítico

Trigemialgia Analgésico, antiinflamatório

APARELHO CARDIOCIRCULATÓRIO
Hipertensão arterial leve Ansiolítico, vasodilatador
Angina pectoris Vasodilatador, ansiolítico

Fenômeno de Raynaud: (distúrbios


Vasodilatador
circulatórios das extremidades )

HEMATOLOGIA
Leucopenia: diminuição de Estimulação da produção de glóbulos
glóbulos brancos brancos

PNEUMOLOGIA
Asma, bronquite

Doença cardiopulmonar Broncodilatador, ansiolítico


crônica

ENDOCRINOLOGIA
Obesidade Ansiolítico, redução do apetite

OTORRINOLARINGOLOGIA
Dor de garganta (incluindo amigdalite)

Rinite Analgésico, antiinflamatório

Dor de ouvido

Zumbido, tontura e vertigem

Diminuição de audição não Vasodilatador


traumática

OFTALMOLOGIA
Dor no olho, conjuntivite Analgésico, antiinflamatório

INFECTOLOGIA
Infecções em geral
Analgésico, antiinflamatório, ansiolítico
Hepatite B, estado de sintomático, melhora da imunidade
portador

ACUPUNTURA NÃO É UMA TERAPIA ALTERNATIVA


A Acupuntura é geralmente reconhecida como um recurso terapêutico eficaz no tratamento da dor, porém pode tratar e curar tanto diversas doenças dos
sistemas músculo-esquelético, respiratório, dermatológico, neurológico e digestivo, como também a diminuição de apetite compulsivo por ansiedade, a
depressão e o estresse.Veja porque ela não é mais considerada uma terapia alternativa:
Organização Mundial de Saúde (OMS): A Organização Mundial de Saúde (OMS), desde 1979, estimula o uso da acupuntura no mundo e listou
um certo número de doenças que poderiam ser tratadas por meio da acupuntura. Em 2002, foi criada uma nova lista de doenças e faziam-se outras
recomendações (com bibliografia específica e nomenclatura unificada).“Consenso sobre a Acupuntura”: Entre os dias 03 e 05 de novembro de 1997, o
“National Institute of Health” (NIH) dos Estados Unidos, órgão equivalente à Secretaria Nacional de Saúde brasileira, organizou e promoveu uma reunião
de especialistas para elaborar o “Consenso sobre a Acupuntura”, tanto na área de pesquisa como na de prática clínica, sugerindo uma lista de doenças
tratáveis pela acupuntura e recomendou mais investimentos em pesquisas sobre acupuntura e maior utilização dessa terapêutica pelos
médicos.Reconhecimento da acupuntura: Em 1995, o Conselho Federal de Medicina reconheceu a acupuntura como especialidade médica e, em 1998,
reconhecida pela Associação Médica Brasileira (AMB). A Acupuntura para a população geral e para pessoas carentes: Em 1999, a SMBA, Sociedade
Médica Brasileira de Acupuntura, solicitou, junto ao Ministério da Saúde, a inclusão de procedimentos de acupuntura na Tabela SIA/SUS do Governo
Federal, com código próprio e valor. As filiais estaduais mantêm dezenas de ambulatórios para atendimento à população, por meio da acupuntura.
Difusão de ensino da acupuntura para os médicos: Conforme o interesse crescente, tanto por parte dos médicos como por parte dos pacientes,
existem, atualmente, cerca de 50 cursos de especialização em acupuntura para os médicos no Brasil, alguns ligados aos hospitais universitários, outros
reconhecidos e mantidos pelas associações de acupuntura médica, a SMBA e a AMBA.
Títulos de especialistas em acupuntura: Até hoje, foram realizadas cinco provas para a obtenção de títulos de especialistas em acupuntura,
havendo mais de 2.500 médicos com o título.
Residência Médica em acupuntura: É uma conquista recente e está presente no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco,
Hospital Regional de São José, Dr. Homero Miranda de Gomes, da Secretaria da Saúde do Estado de Santa Catarina, e Faculdade de Medicina de São
José do Rio Preto.
Atendimento no Hospital das Clínicas: Atualmente, no maior e mais conceituado hospital universitário da América Latina, o Hospital das Clínicas
da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o atendimento se dá nos seguintes setores:
• Centro de Dor da Clínica de Neurologia ,
• Clínica Médica,
• Instituto de Ortopedia e Traumatologia ,
• Geriatria
• Instituto de Crianças
Ensino para os acadêmicos da Faculdade de Medicina da USP:Liga de Dor, Liga de Acupuntura e curso optativo para quartanista de
medicina.Cursos de especialização em acupuntura:- Ensino em nível de pós-graduação de especialização em acupuntura no Instituto de Ortopedia e
Traumatologia desde 1995.
- Cursos para médicos e dentistas, organizados pelo Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa (CEIMEC) e reconhecidos pela
Sociedade Médica de Acupuntura de São Paulo (SMBA-SP) , filial estadual da Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura (SMBA).
- Cursos no Hospital São Paulo da Universidade Federal de São Paulo, no Hospital de Servidor Estadual de São Paulo e em outros ligados à
Associação Médica Brasileira de Acupuntura (AMBA).
Por esses motivos, podemos afirmar que, atualmente, a acupuntura é uma especialidade médica reconhecida, não podendo portanto ser vista
como uma terapia alternativa.
Neurofisiologia da Acupuntura
A eletro-acupuntura ativa o sistema supressor da dor. A estimulação repetida das terminações nervosas nos planos superficiais e profundos do
corpo, que integram as vias dolorosas segmentares e supra-segmentares, aliviam a dor. Foi constatado que a estimulação elétrica da substância cinzenta
periaquedutal mesencefálica produz analgesia semelhante à acupuntura, isto é, alívio da dor e manutenção das demais formas de sensibilidade.Vários
trabalhos da literatura especializada, demostram que a acupuntura alivia a dor aguda ou crônica na maioria dos casos, e que a repetição do procedimento
resulta em elevação do índice de resultados satisfatórios.Como o sucesso terapêutico da acupuntura é maior nos países de oriente em relação aos do
ocidente, foi sugerido por alguns autores, que a eficácia deste método terapêutico seria decorrente de influências culturais, efeito placebo, efeito de contra
irritação, sugestão ou hipnose.Entretanto, a hipnose tem um mecanismo de ação que difere da acupuntura em vários aspectos: causa analgesia em
pequeno número de casos, e quando isto ocorre, o seu efeito é de curta duração e não anulado por bloqueadores de receptores morfínicos. Enquanto que,
a acupuntura é eficiente em grande número de casos, o seu efeito é prolongadoe pode ser anulado por bloqueadores de receptores morfínicos. Além
disso, apesar das controversias, a acupuntura produz elevação do limiar de dor em animais de experimentação, menos sensíveis às influências
emocionais do que o ser humano.Além disso, vários trabalhos explicam que a acupuntura pode bloquear a aferência dolorosa, pelo menos, por dois
mecanismos:
1. inibição da atividade de neurônios transmissores de dor em nível medular, segundo mecanismo de comporta;
2. inibição da aferência nociceptiva por meio da ativação de sistemas supressores de dor segmentares e supra-segmentares.
A transsecção da medula espinhal bloqueia o efeito da acupuntura sobre a dor. Este é mais um elemento para reforçar a participação de
estruturas supra-segmentares, provavelmente localizadas no tronco encefálico, no mecanismo de ação da acupuntura.O impulso necessário para a ação
da acupuntura origina-se no ponto de introdução das agulhas, uma vez que o efeito produzido por este método é bloqueado pela anestesia local ou
regional. A estimulação das fibras do tipo II, que veiculam a sensibilidade proprioceptiva em nervos periféricos, parece ser necessária para que o índice de
sucesso da acupuntura seja elevado. Estas fibras são discriminativas e podem interferir nos sistemas supressores de dor. Razão pela qual aplicando-se a
acupuntura durante um tempo maior, obtém-se analgesia mais intensa e prolonga-se a duração dos seus efeitos, que não cessam com a interrupção do
estímulo. Esta observação reforça a possibilidade da participação de neuro-transmissores no seu mecanismo de ação. Além disso, foi relatada a redução
da atividade neuronal de núcleos talâmicos mediais e de núcleos do tronco encefálico e lentidão do traçado eletroencefalográfico durante sessões de
acupuntura. Experiências em modelos animais demonstraram que o líquido cefalorraquidiano (LCR) de animais tratados por acupuntura causa analgesia
em animais não tratados pela acupuntura. Estudos com circulação cruzada demostram elevação do limiar de dor de animais tratados e não tratados pela
acupuntura. Estes fatos sugerem que um fatos humoral deva estar envolvido na analgesia produzida pela acupuntura.A esse respeito, foi verificado que a
administração de um bloqueador de receptores morfínicos (naloxona), anula o efeito da acupuntura, este fato indica a participação das vias
endorfinonérgicas no fenômeno. Possibilidade confirmada quando se demonstrou que havia aumento da concentração de endorfinas no líquido
cefaloraquidiano de doentes que se submeteram à acupuntura, foi reforçada ao se verificar que em animais com deficiência genética de receptores
opióides, ou de endorfinas, a aplicação de acupuntura não produz analgesia.As vias serotoninérgicas também estão envolvidas na gênese da analgesia
induzida pela acupuntura, pois constatou-se o aumento da concentração de serotonina no LCR e nas estruturas neuronais do tronco encefálico inferior
após aplicação de acupuntura. Foi também a demonstrado que os bloqueadores serotoninéricos anulam a ação da acupuntura.
Em resumo, atualmente, admite-se que estímulos com intensidades e frequências diferentes são capazes de promover analgesia com
características diferentes. Foi observado que a estimulação de alta intensidade e baixa frequência, similar àquela proporcionada pela acupuntura, é capaz
de promover analgesia de longa duração, com efeitos cumulativos e reversíveis através da administração da naloxona, antagonista morfínico. Através
deste tipo de estímulo, o eixo hipotálamo-hipofisário atuaria na liberação de beta-endorfina.Estímulos com elevada frequência também elevam a
concentração de serotonina e de seus metabólitos no LCR. Porém, a analgesia observada quando estímulos de alta frequência são utilizados é de curta
duração e não reversível através da administração da naloxona.
Um dos aspectos mais intrigantes sobre os mecanismos de ação da acupuntura é a existência dos numerosos pontos descritos para introdução
de agulhas (pontos localizados nos meridianos), às vezes situado em segmentos do corpo distantes do local da dor. Muitos dos pontos meridionais de
acupuntura coincidem com os dermatômeros onde a dor está sediada, localizando-se em regiões ricamente inevadas e onde há grande concentração de
ponto-gatilho. Cerca de 71% e 80% dos pontos de acupuntura correspondem aos pontos-gatilho, ou a pontos motores dos músculos
esqueléticos.Nakatami demonstrou que os pontos de acupuntura correspondem a regiões do tegumento cuja resistência elétrica é baixa. Achados
confirmados posteriormente por outros autores. Por outro lado, alguns autores, não acharam diferenças estatisticamente significantes entre os resultados
obtidos aplicando os estímulos de acupuntura nos pontos meridionais e em pontos aleatórios da superfície do corpo. No entanto, outros autores discordam
desses achados.
Apesar da contravérsia, recomenda-se que a estimulação seja realizada em pontos localizados nos dermatômeros onde a dor se localiza ou em
pontos onde a resistência elétrica da pele está reduzida, e não necessariamente nos pontos clássicos dos meridianos orientais.A melhora da dor, quando
da aplicação de estímulos da acupuntura em pontos distantes dos dermatômeros referidos, é explicada pela dispersão e convergência das informações
nociceptivas no sistema nervoso central e pelo mecanismo de influências recíprocas, que ocorre entre os centros medulares da nocicepção. Assim, nos
núcleos da formação reticular do tronco encefálico, as células apresentam amplos campos receptivos(50), propiciando a covergência de informações de
várias propiciando a convergência de informações de várias origens em único corpo celular. Portanto, a estimulação elétrica é capaz de produzir analgesia
em amplos territórios do organismo. Nestas eventualidades, é possível que os estímulos da acupuntura atuem sobre células de certas regiões da formação
reticular do tronco encefálico e bloqueiem a sensibilidade dolorosa de grandes àreas do organismo e não necessariamente naquelas áreas onde a
estimulação foi realizada. A acupuntura parece reduzir o tônus neurovegetativo simpático, resultando em melhora da perfusão periférica local e geral em
seres humanos. Ensaios clínicos, através de estudos termográficos, demostraram que doentes portadores de dor crônica apresentam menores gradientes
de temperatura corpórea nas áreas afetadas, quando comparadas aos segmentos corporâneos correspondentes normais. Desta forma, a aplicação de
estímulos de acupuntura em pontos distantes de área afetada, não somente promove o alívio da dor, com também o aumento da temperatura.
Pesquisas científicas recentes sobre a exceção de proto-oncogenes, com a proteína fos-celular (c-fos), presente no núcleo de muitas células,
revelam que estas possam ser utilizadas para mapear e analisar os circuitos neuronais na medula espinal e em várias regiões cerebrais ativadas por
estímulos fisiológicos e farmacológicos. Determinadas estruturas neuronais são ativadas na presença de estímulos de baixa ou alta frequência. A
imunorreatividade c-fos pode ser detectada em neurôneos cerca de 20 a 90 minutos após a excitação neuronal e a sua expressão desaparece algumas
hora após a cessação do estímulo. Estudos em animais de experimentação comprovaram que a expressão proteína c-fos no corpo posterior de medula
espinal, provocada por estímulo nocivo, é suprimida por acupuntura de alta ou baixa freqüência. Estudos ulterinos demonstraram o mapeamento da
distribuição dos núcleos da medula espinal e do tronco cerebral, que participam de gênese da analgesia pela acupuntura, dependendo do tipo de estímulo
utilizado.
Bases Neuro-Químicas da Analgesia Por Acupuntura
Os efeitos da acupuntura e da eletroacupuntura são mediados através de uma variedade de mecanismos neurais e neuro-químicos. As
pesquisas realizadas no inicio da década de 70 inicialmente elas chegaram aos mecanismos para o efeito da anestesia por acupuntura. Estudos
experimentais demonstram que este efeito pode ser transferido de um coelho para outro através da transfusão do líquido céfalo-raquidiano (LCR). Outras
investigações exploram o papel dos neuro transmissores centrais clássicos na mediação da analgesia por acupuntura, incluíndo as catecolaminas e a
serotonina. A disponibilidade de modelos animais, utilizando a latência da retirada do rabo do rato, por exemplo, com uma avaliação biológica, permite
novos experimentos para explicar a base desses efeitos. Evidencia-se a liberação diferenciada de peptídeos opiáceos do sistema nervoso central (SNC)
pela eletroacupuntura de acordo com o tipo de estímulo elétrico. A eletroacupuntura de 2Hz libera encefalinas e beta-endorfinas, enquanto que a
estimulação de 100Hz seletivamente aumenta a liberação de dinorfina na medula espinal. A combinação de ambas a freqüências permite uma interação
sinérgica entre três peptídeos opiáceos endógenos e um efeito analgésico mais potente. Além disso, o tratamento seqüencial em espaçamento de tempo
adequado deve resultar em um efeito cumulativo de eletroacupuntura. A distribuição bimodal do efeito analgésico pode ser notado em um grande grupo de
ratos que recebem eletroacupuntura (“maus respondedores” e “bons respondedores” ). O mecanismo da baixa resposta pode ser explicado de duas
maneiras: Uma menor taxa de liberação de peptídeos opiáceos no SCN, e uma taxa alta de liberação de CCK-8, que exerce efeitos anti-opiáceos
potentes. Uma descoberta recente de peptídeos anti-opiáceo é a orfanina (SQ) que está relacionada com um controle de retro alimentação negativa da
estimulação pôr eletroacupuntura. Fenômenos Básicos da analgesia pôr acupuntura em humanos normais
O manuseio manual das agulha inserida em um ponto de acupuntura (LI 4) produz aumento significante no limiar de tolerância à dor tegumentar
induzida pela iotonforese de potássio. A latência tardia, com período de indução de 30 minutos e a queda exponencial ( T1/2 = 16 minutos) sugerem o
envolvimento de mecanismo humoral.
Modelo animal na analgesia por acupuntura
A acupuntura ou a eletroacupuntura induzem o aumento na latência da retirada do rabo do rato (HEN; HAN, 1979) e o aumento na resposta de
latência de escape (movimentos da cabeça fugindo de uma fonte de calor radiante) no coelho (HAN et al., 1973). Há evidências de modelos de analgesia
por acupuntura em primatas.
Intensidade do estímulo
O efeito anti-nociceptivo induzido pela eletroacupuntura demonstrou, tanto em ratos como em coelhos, uma relação intensidade-resposta. Os
parâmetros da estimulação elétrica ( freqüência entre 2Hz e 100Hz, comprimento de pulso de 0,3ms e intensidade 1-3mA) conectada a uma agulha de aço
inoxidável inserida no ponto de acupuntura são capazes de induzir a excitação de fibras Aa e b, parcialmente das fibras Ad assim como uma pequena
proporção de fibras C. O acréscimo adicional na intensidade da estimulação pela eletroacupuntura que envolve mais fibras C, como no caso do controle
inibitório nociceptivo difuso poderia aumentar a potência analgésica, porém a dor e o estresse gerados desse estímulo nociceptivo poderia prevenir o seu
uso clínico. Foi relatado que o uso da capsaicina no bloqueio da transmissão pela fibra C no nervo ciático do rato não afeta a analgesia pôr
eletroacupuntura de modo significante (FAN et al., 1986), sugerindo que os aferentes primários de fibra C podem não ser essencial para a produção de
analgesia convencional por eletroacupuntura. Portanto , as fibras Ab e Ad podem ser os componentes mais importantes das fibras aferentes que mediam
os sinais de acupuntura para o sistema nervoso central no intuito de produzir um efeito anti-noceptivo. Foi demonstrado um estudo recenteutilizando a
expressão C-Fos como indicador da nocepção no corpo posterior da medula espinal do rato (ZHANG et al., 1994) que a expressão da C-Fos induzida pela
farmalina nas camadas superficiais do corpo posterior podem ser praticamente abolidas através da aplicação tópica de capsaicina no nervo ciático. Sob as
mesmas condições a disfunção das fibras C, a aplicação de eletroacupuntura em pontos das patas do rato ainda era capaz de induzir anti-nocioção
utilizando a retirada do rabo como um índice de nocicepção.
A especificidade do local do ponto de acupuntura
A especificidade do sítio de acupuntura não deve ser supervalorizado quando se trata de analgesia. Não deixe ainda nenhuma evidência clara
demonstrando que a estimulação de um ponto de acupuntura possa induzir uma analgesia sítio específicada em áreas remotas. Entre dez pontos
diferentes de acupuntura testados em voluntários humanos utilizando a iontoforese de potássio para induzir dor experimental, o ponto LI 4 foi o mais eficaz
para produzir um efeito analgésico geral, provavelmente devido a densa concentração de fibras nervosas Ab nesta área (LU, 1983). O mecanismo de
comportas também deve estar envolvido na analgesia segmentar, induzida pela acupuntura, especialmente quando é aplicada no local de dolorimento
(ponto “Ah-Shi” ou ponto Ah! Sim).
Analgesia profunda por acupuntura no ato cirúrgico
A extensão da analgesia pela acupuntura ou pela eletroacupuntura observada em animais de experimentação ou em humanos é importante
porém parcial. Em ensaios experimentais com ratos, a estimulação por eletroacupuntura com intensidade menor de 3mA promove um aumento na latência
de retirada do rabo do rato de modo equivalente a 4 mg/kg ( metade de uma dose máxima) de morfina. Em operações, o uso de eletroacupuntura em
combinação com a anestesia geral ou epidural reduz em 50% o consumo de anestésicos (WANG et al., 1994; QU et al., 1996). Os resultados sugerem
que a acupuntura ou a eletroacupuntura são capazes de produzir um efeito analgésico substancial porém não forte o suficiente para abolir completamente
a dor aguda provocada pelo ato operatório.
Estudo de transfusão do líquido céfalo-raquidiano
O estudo da transmissão do líquido céfalo-raquidiano foi realizado em 1972 e publicado em 1974 (GRUPO DE PESQUISA DE ANESTESIA
POR ACUPUNTURA, 1974). Este estudo demonstrou que o efeito da analgesia por acupuntura obtido em um coelho poderia ser transferido para um outro
coelho através da transfusão do líquido céfalo raquidiano (LCR). Esta foi a primeira evidência cientifica que sugeria o mecanismo neuro químico como
mediador da anestesia por acupuntura. Esse achado desencadeou uma série de estudos para explorar o papel dos neuro transmissores centrais na
mediação da analgesia por acupunntura, entre eles a serotonina (HAN et al., 1979;XU et al., 1994b) e as catecolaminas ( HAN et al., 1979b). De fato, os
agentes químicos que aumentam a disponibilidade de serotonina na fenda sináptica, como por exemplo a clorimipramina, potencializam de modo
significante a analgesia por acupuntura em procedimentos operatórios com extração dentária.
Liberação diferencial de peptídeos opiáceos no SNC pela eletroacupuntura de freqüências diferentes
Um dos mecanismos mais importantes da analgesia mediada pela eletroacupuntura é a aceleração na liberação de peptídeos opiáceos no
sistema nervoso central que interagem com receptores opiáceos na indução de um efeito anti-nociceptivo. O principal achado foi o de que a
eletroacupuntura de 2Hz deflagra a liberação de encefalinas e de beta endorfina do cérebro e na medula espinhal, que interagem nos receptores
opiáceos ?s e d no sistema nervoso central, enquanto que a estimulação de 100Hz seletivamente aumenta a liberação de dinorfina na medula espinhal
para interagir com os receptores opiáceos k no corono posterior da medula espinhal (HAN; WANG;1992). Este fenômeno originalmente demonstrado em
ratos e coelhos também foi evidenciado em humanos (HAN et al., 1991). Novos estudos revelam que quando baixas (2Hz) e altas (100Hz) freqüências são
utilizadas consecutivamente com duração de 3 segundos, então todos os três tipos de peptídeos opiáceos (encefalinas, endorfinas e dinorfinas) podem ser
liberadas simultaneamente. A interação sinergística entre esses três peptídeos opiáceos endógenos produz um efeito analgésico mais potente (CHEN;
HAN, 1992 e CHEN et al., 1994). Estudos recentes revelam que a estimulação de 2 e 100 Hz utilizam diferentes vias nervosas para mediação do seu efeito
analgésico (GUO et al., 1996 a; 1996 b; HAN; WANG 1992).
Tolerância à eletroacupuntura durante estimulação prolongada
A duração ótima da estimulação por eletroacupuntura é de 30 minutos, período de indução necessário para o desenvolvimento pleno da
analgesia por acupuntura em humanos. Por outro lado, a estimulação por mais de uma a duas horas pode resultar em uma redução gradual do efeito
analgésico. Isto pode ser comparável com o desenvolvimento da tolerância à morfina quando múltiplas injeções são administradas em curtos intervalos de
tempo, daí o termo tolerância à acupuntura (HAN et al., 19981).
Um achado interessante é o de que ratos que se tornaram tolerantes à eletroacupuntura de 2Hz ainda reagem à de 100 Hz, e vice e versa. Isto
é compreensível porque a analgesia por 2Hz e 100 Hz são mediados por tipos diferentes e receptores opiáceos. Os do tipo m e s são ocupados pelas
encefalinas e pelas endorfinas nos estímulos de baixa freqüência, e receptores Kapa pela dinorfina na eletroacupuntura de alta freqüência (CHEN.; HAN,
1992). Os mecanismos para o desenvolvimento da tolerância por acupuntura são vários:
1. Nas seções repetidas de eletroacupuntura aceleram a liberação de peptídeos opiáceos que deflagam a auto regulação da expressão gênica
dos seus receptores em áreas cerebrais identificadas (WAN et al.).
2. A liberação de uma grande quantidade de peptídeos opiáceos no SNC induz à liberação de um outro neuro peptídeo, o octapeptídeo
colecistoquinina (CCK-8), que antagoniza o efeito dos primeiros (ZHOU et al., 1993 a, 1993 b). Realmente, o desenvolvimento de tolerância à
eletroacupuntura pode ser postergado pela administração central de um antagonista do receptor de CCK denominado L-365260, ou por um anticorpo
contra a CCK.
Maus respondedores X bons respondedores para analgesia por acupuntura
Quando um grande grupo de ratos, maior do que 100, recebe uma sessão padronizada de eletroacupuntura, nota-se facilmente uma
distribuição bimodal do seu efeito analgésico. Um grupo demostra um aumento na resposta de retirada do rabo em não mais que 50% (maus
respondedores) e o outro demonstra o aumento de latência da retirada do rabo de 50% a 150% (bons respondedores). Esse fenômeno é reprodutível, em
pelo menos dois dias. Interessante notar que os maus respondedores para a eletroacupuntura também o são para pequenas doses de morfina (3mg/kg) e
vice- versa ( TANG et al., 1997).
Os mecanismos envolvidos podem ser demostrados de duas maneiras: uma baixa taxa de liberação de peptídeos opiáceos no SCN e uma alta
taxa de liberação de CCK- 8 que é um potente anti-opiáceo. Um rato mau respontedor pode se tornar um bom respondedor pela ingeção de RNA anti-soro
para CCK intra celebral com o objetivo de bloquear a expressão do gene codificado para CCK (TANG et al., 1997). Outra maneira é a administração de
um antagonista doreceptor de CCK-8 (L365260) ( TANG et al., 1996). Por outro lado, uma raça de ratos dominados P77 PMN, que são altamente
susceptíveis à altura audiogênica, são bons respondedores à analgesia por eletroacupuntura. Estes ratos apresentam altos níveis de beta-endorfina e um
baixo nível de CCK no SNC (ZHANG et al., 1992). Além disso, o balanço dinâmico entre os peptídeos opiáceos e os peptídeos anti-opiáceos no sistema
nervos central parece ser o fator mais importante na determinação da efetividade analgésica da eletroacupuntura.
Deve ser efatizado, entretanto, que a CCK-8 é apenas um dos membros da família dos anti-peptídeos opiáceos. Um novo membro foi
recentemente descoberto e é denominado orfanina (OFQ), um peptídeo de 17 aminoácidos. O fato da OFQ funcionar com um outro mecanismo auto-
regulador da analgesia por eletroacupuntura é evidenciado por um achado recente de que o bloqueio na sua expressão gênica pela administração de um
RNA anti-soro OFQ produz um aumento dramático na analgesia induzida pela acupuntura (TIAN,XU, GRANDY, HAN< ABSTRAPTI para o 1996
International Narcotic Research Conference, 2 a 15 de julho de 1996 Long Beach, USA).
Os mecanismos do efeito anti-opiáceos da CCK-8
Amplas evidências têm sido obtidas para demonstrar que a CCK-8 desempenha um controle de retro-alimentação negativo para a analgesia
por opiáceos. A elevação dos níveis de opiáceos que geram a transcrição gênica, a síntese proteica e a liberação do peptídeo CCK, restringindo a
analgesia excessiva pelo opiáceo (HAN, 1995a). uma série de estudos foram conduzidos para explorar o seu mecanismo de ação molecular (HAN, 1995b:
1. A ligação entre receptores opiáceos e CCK CCK-8 demonstrou diminuir o número e a afinidade dos receptores opiáceos, evidenciado pela
redução Bmáx e um aumento da Kd no receptor ligante.
2. Há evidências diretas que demonstram a supressão do opiáceo de correntes de cálcio de portões de alta voltagem pode ser revertida pela
CCK-8, indicando que a interação opiáceo/CCK ocorre na membrana de um e do mesmo neurônios (LIU et al., 1995.,XU et al., 1996).
3. CCK-8 parece induzir o desacoplamento de receptores opiáceos de suas proteínas relevantes G, dessa forma interferindo na transdução dos
sinais transmembrana induzido pelos peptídeos opiáceos (ZHANG et al., 1993) a ativação pela CCK-8 do sistema de sinalização do fosfoisosiitídeo (FI) no
sistema nervoso central (ZHANG et al., 1992), que aumenta a concentração de cálcio livre intracelular pela mobilização de armazenamentos de cálcio livre
intracelular (WANG et al., 1992).
Tratamento múltiplo de acupuntura com o espaçamento apropriado pode resultar no seu efeito cumulativo. Alguns autores apontam que o efeito
terapêutico produzido por tratamentos múltiplos de acupuntura realizados uma vez por semana é melhor do que uma vez por dia. Em ratos normais,
comparou-se o efeito analgésico obtido pela eletroacupuntura realizada uma vez ao dia, uma vez a cada quatro dias, e uma vez a cada sete dias,
apresentava a tendência de obtenção de resultados cada vez melhores. Concomitantemente ocorre o numero gradual na concentração de monoaminas
no perfusato espinhal. Já no regime de uma por dia, havia uma redução gradual de efeito analgésico, com o desenvolvimento da tolerância (Xu et al.,).
Entretanto, em ratos com artrite induzido experimentalmente, o tempo ótimo de espaçamento para a obtenção dos melhores resultados terapêuticos é
diferente daqueles observados em ratos normais. Esta constatação depende do modelo patológico utilizado, merecendo maiores invetigações.
Conclusão
O uso de metodologia é absolutamente essencial para o esclarecimento das bases científicas da terapêutica com acupuntura. Pesquisas na
fisdiologia da acupuntura contribuem para o desenvolvimento da neurociência, desde o nível molecular até ao comportamental. Questões que surgem na
prática clínica são fontes valiosa para a pesquisa básica dos mecanismo de ação da acupuntura. Estudos de alta qualidade científica irão certamente
pavimentar os caminhos para a aceitação do seu uso em benefício do paciente que sofre de dor crônica assim como de outros distúrbios funcionais. (HAN,
1994).
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
1. BRATTBERG, G. Acupuncture therapy for tennis elbow. Pain, 16:285-288,1983.
2. BROW, F.E. Use of acpuncture in major surgery, 1:1328-1330, 1972.
3. CARRON, H.; EPSTEIN, B.S. & GRAND, B. Complications of acupuncture. Jama, 228:1552-1554, 1974.
4. CHAN, C.S. and CHOW, S.P. Eletroacupuncture in the treatment of post-traumatic sympathetic dystrophy (Suddeck’s Atrophy). Br.J. Anaesth, 53: 899-
902, 1981.
5. CHAPMAN, C.R. and GUNN, C.C.: Acupuncture in: Bonica, J.J. The manangement of pain. Lea & Febinger, Pennsylvania, vol 11 pp. 1805-1821,
1990.
6. CHAPMAN. C.R. 6.; COLPITTS, Y.M.; BENEDETTI, C.; KITAEFF,R.; GHEHIRIG, J..D.: Evooked Potential assessment of acupunctural analgesia:
Attempted reversal with naloxone.Pain 9:183-197, 1980.
7. CHENG, R.; MCKIBBIN, L.; ROY, B.; et al. Eletroacupuncture elevates blood cortisol levels in naive horses, sham treatment has no effect. Int. J.
Neurosci, 10:95-97, 1980.
8. CHENG, R. and POLMERANS, B. Eletroacupunctura analgesia could be mediated by at least two painrelieving mechanisms. Endorphin and non-
endorphin systems, Life Sci, 25: 1957-1962, 1979.
9. CENG, R.; POMERANZ, B. Monoaminergic mechanisms of eletraacupuncture analgesia. Brain Res 215: 77-92, 1981.
10. CHENG, T. O. Acupuncture needles as a cause of bacterial endorcarditis. Br. Med. J., 187:689, 1983.
11. DAVIS, O. and POWELL, W. Auricular perichondritis secondary to acupunture . Arch otolaryngol., 111: 770-771, 1985.
12. DIMOND, E.G. Acupuncture anaesthesia, Jama, 218:1558-1563, 1971.
13. ERNEST, M.; LEE, M.H.M. Sympathetic vasomotor changes indced by manual and electrical acupuncture of the hoku point visualized by thermography.
Pain, 21: 25-33, 1985.
14. ERNEST, M. .; LEE, M.HM.; DNORKIN, B. and ZARETSKY, H.H., Pain perception decrement produced through repeated stimulation.Pain, 26:221-
231,1986.
15. FUGIMOTO, H.; HOTTA, F.; KITAYAMA, S.; SATOH, T. Inhibition par, letro-acupuncture du potential cortical, voq, au niveau du scalp par la stimulation
douloureuse de le dent chez I’homme. Comptes rendus des sciences. Soc, Biol., 172:584-587, 1978.
16. GALEANO, C.; LEONG, C. Y. HAS acupuncture na analgesic effect in rabbit? Pain 4: 265-271,1978.
17. GALEANO, C.; LEOUNG, C. Y. ROBITAILLE, R.; ROY-CHABOT, T. Acupuncture analgesic in rabbits. Pai 6: 71-81, 1979.
18. GOLDEMBERG, J.; ATRA, E.; WEVER, H.; SATO, E.I. Les/-E o do nervo ci tico pepljteo externo pela acupuntura. Ver. Bras. Reumat.,6:185-188, vol.
21 1981.
19. GRAW, A.C.; CHANG, LW.; SHAW, L.C. Efficacy of acupuncture on osteoarthritic pain. A controlled double-blind study. N. Engl. J. Medi., 293: 375-378,
1975.
20. GUILLEMIN, R.; VARGO, T.; ROSSIER, J. MINICK, S.; LING, H.; REVIER, C.; VALE, W BLOOM, R. B-endorphin and adrenocorticotropin are secreted
concomitantily by the pituitary grand. Science 197: 1367-1369,1977.
21. HALVORSEN, T. B. et al. Fatal cardiac tamponade after acupucture through congenital sternal foramen, Lancet, 3456: 1175-1176, 1995.
22. HANS, J.S.; TERENIUS, L. Neurochemical basis of acupuncture analgesia. Ann. Rev. Pharmacol. Toxicol., 22: 193-220, 1982.
23. HANS, J.S..; XIE, G. X. Dynorphin: Important mediator for electro-acupuncture analgesia in the spinal cord of the rabbit. Pain 18: 367-377, 1984.
24. HANSEN, P. E. and HASEN, J.H. acupuncture treatment of chronic tension headache – A controlled cross – over trial. Cephalalgia, 5: 137-142, 1985.
25. HITCHCOCK, E. & TEIXEIRA, N. Anticonvulsant activation of pain supressive systems. Appl. Neuro-physiol. 45: 582-593, 1982.
26. HOSOBUCHI, Y.; ADAMS, J.E. & RUTTKIN, B. Chronic thalamic stimulation for the control of facial anesthesia dolorosa. Arch. Neurol. 9: 158-161,
1973.
27. HUGHES, J.; SMITH, T.W.; KOSTEERLITZ, H.W.; FOTHERGILL, L. A.; MORGAN, B. A.; & MORRIS, H.R. Identification of two related pentapeptides
from the brain potente agonist activity. Nature, 258: 577-579, 1975.
28. HUGHES, J. Isolation of a endogenous compound from the brain with pharmacological properties similar to morphine. Brain Res. 88: 295-308, 1975.
29. HYVARINEN, J.; KARLSON, M. Low resistance skin points that may coincide with acupuncture loci. Med. Biol. 55: 88-94, 1977.
30. IMAMURA, S.T. Eletroacupuntura no Jumper s Knee. Medicina de Reabilitação, 15: 9-11, 1987.
31. IMAMURA, S.T. Eletroacupunntura Ryodoraku. 1ª ed. São Paulo, Sarvier, 1995.
32. IMAMURA, S.T.; DOHI, I. K.; IMAMURA, M. Tratamento da dor pós cirurgia com eletroacupuntura método Ryodoraku. Medicina de Reabilitação, 22:
13-14, 1989.
33. IMAMURA, S.T.; FERRAZ, E.C.F.; SEGUCHI, H.H. Eletroacupuntura no tratamento da dor. In LIANZA, Medicina de Reabilitação. Guanabara
Koogan, S.P. pp 99-107, 19985.
34. IMAMURA, S.T.; IMAMURA, m.; AMATUZZI, M.M. The treatment of patella tendinitis (jumper s knee) with electroacupuncture Ryodoraku. Abstract of
the 7 th World Congress on Pain, Paris,August 22-27, p. 434, 1993.
35. JUNNILA, S.Y.T. Acupuncture superior to piroxican in the treatment of osteoarthritis. Am. J. Acupunct., 10:341-346, 1982.
36. KAADA, B. Neurophysioloogy and acupuncture: a reviiew, In: BONICA, J.J. & FESSARD, D. A. Adv. In pain research and therapy. Raven Press, New
York, vol. 1, pp. 733-741, 1976.
37. KATZ, R.L.; KAO, C.Y.; SPIEGEL, H.; KATZ, G.J. Pain, acupuncture and hypnosis, in: Bonica,, J.J. Adv. In neurology. Raven Press, New York, vol. 4:
819-827, 1974.
38. KENT, G.P.; BRONDUM, J.; KEENLYSIDE, R. A. LAFAZIA, L.M. and SCOTT, H.D. A large outbreak of acupuncture – associated hepatitis. B. Am. J.
Epidemiol., 127: 127: 591-598, 1988.
39. LEE, J.H.; BEITZ, A.J. Eletroacupuncture modifies the expression of c-fos in the spinal cord induced by noxious stimulation. Brain Res. 577: 80-91,
1992.
40. LEE, J.H..; BEITZ, A.J. The distribution of brain-stem and spinal cord nuclei assoooociated with different frequencies of electroacupuncture
analgesia. Pain 52(1): 11-28, 1993.
41. LEE, M.H.M.; ERNST, M. The sympatholytic effect of acupuncture as evidenced by thermography. A preliminary report. Orthop. Ver., 12: 67-72,
1983.
42. LEE, M.H.M.; LIAO, S.J. Acupuncture in Physiatry. In: KOTTKE, F.J.; LEHMANN, J.F. Krusen s Handbook of Physical Medicine and Rehabilitation.
W.B. Saunders Ed. 4 th ed., ch. 16, pp. 402-32, 1990.
43. LEE, M.H.M.; and YANG, W.G.F. The possible usefulness of acupuncture in rheumatic disease. Clin. Rheumatol., : 237-247, 1985.
44. LEE, P.K.; ANDERSEN. T. W.; MODEL,J.H.& SAGA, S.ª Treatment of chronic pain with acupúncture. JAMA 232: 1133-1135, 1975.
45. LEVITT, E. E.; WALKER, F.D. Evaluation of acupuncture in the treatment of chonic pain.J. Chron. DIS 28:311-316,1975.
46. LEWIT , K . The needle effect in the of myofacial pain.Pain,6:83-90,1979.
47. LIAO,S.J. Acupunture points: Coincidence with motor points of skeletal muscles (abstract). Arch Phyrs.Med. Rehabil.,56:550,1975.
48. LINZER,M. : VAN ATTA, L. Effects of acupunture stimulation on activity of singlethalamic neurons in the cat.BONICA, J.J. Adv. In Neuology. Raven
Press, New York, vol. 4,pp. 799-811,1974.
49. LYNN. B. Physiology of the activation of pain. In: KRAYEN-BUHL,H.; MASPERS,P.E.; SWEET,W.H. Progress in neurological surgery. S. Karger, basel,
vol.7,pp. 1-34,1976.
50. MANN,F.;BOWSHER,D.;MUMFORD,J.;LIPTON,S.;MILES,J. Treatment of intractable pain by acupunture.Lancet,2:57-60,1973.
51. MASAI,ª;SATTA,G.;ALAGNA,S.;etal.Supression of electroacupunture (EA) – inducet beta-endorphin and ACTH release by hidrocirtisone in man
Absence of effects on EA-induced anaesthesia. Acta Endocrinol.(Copenh .),103:469-472,1983.
52. MATSUMOTO,T.; AMBRUSO, V.;B.A.;BEDNANEK,J.Acupunture analgesia in animals:study of specific location(s) of acupunture points.
Am.Surg.40:340-344,1974.
53. MATSUMOTO,T.:LEVY,B.:AMBRUSO,V. Clinical evaluation of acupunture.Am.Sur.40:05,1974.
54. MAYER,D.J.:PRICE,D,D.:BARBER,J.:RAFIL,A.Acupunture analgesia evidence for activation of a pain inhibitoryu system as mechanism of action. In:
BONICA,J.J.& Fessard,D. A Adv. In pain research and therapy.New York,Raven Press,vol.1 , pp.751-754,1976.
55. MAYER,D.J.:PRICE,D.D. and RAFII,A Antagonism of acupunture hypalgesia in man by the narcotic antagonist naloxone. Brain Res.,121:368-372,1977.
56. MELZACK,R. Acupunture and related forms of folk medicine. In :WALL,P.D.:MELZACK,R. ED. Textbook of Pain,2 nd .ED.,Edinburgh , Chuchil
LIVINGSTONE,PP. 897-905,1989.
57. MELZACK,R.;STILLWELL,D.M.;FOX,E.J. Trigger points and acupunture points for pain correlation and implications.Pain,3;3-23,1977.
58. MELZACK,R.;WALL,P.D. Pain mechanisms; a new theory.SCIENCE 150:971-9,1965.
59. NAKATANI,T.;YAMASHITA,K. Ryodoraku acupunture. A guide for application of Ryodoraku therapy electrical acupunture, a new autonomic nerve
regulation therapy. Ryodoraku Research Institute.1977.
60. PEETS,J.:POMERANZ,B. CXBX mice deficient in opiate receptors show poor electroacupunture analgesia.Nature,273:675-676,1978.
61. POMERANZ,B. Scientific basis of acupunture. In STUX,G. and POMERANZ,B. Acupinture. Textbook
and atlas.Berlin , Springler-Verlag.pp 1-34,1987.
62. SATO, T.: NAKATANI, Y. Acupunture for chronic pain in Japan. In BONICA,J.J. Adv. In neurology.New YORK, Raven Press,vol.4,pp.813-
819,1974.
63. SJOLUND,B.;TERENIUS,L.;RRIKSSON,M. Increased cerebrospinal fluid levels of endorphins after electro-acupunture.Acta.Phisiol.Scand.,100;382-
384,1977.
64. TAKESHIGUE,C.; LUO,C.P.;KAMADA, Y. Modulation of EEG and discharges of brain during acupunture stimulation and hypnosis .In: BONICA, J.J.;
FESSARD,D.ª Advances in Pain Research and Therapy and Therapy,vol.1, New York,Raven Press,pp.781-5,1976.
65. TAKESHIGUE,C.;OKA,K. MIZUNO,T.;HISAMITSU,C.P.L.;KOBORI,M.;MERA,H.;FANG,T.Q. The acupunture point and its connecting central pathway for
producing acupunture analgesia.Brain res. BULL 30: 53-67,1993.
66. TAKESHIGUE,C.; SATO,T. et al. Descending pain inhibitory system involved in acupunture analgesia. Brain Res Bull 30: 53-67,1993.
67. TAKESHIGUE ,C.;TSUCHYA,M. et al. Dopaminergic transmission in the hypothalamic arcuate nucleus to produce acupunture analgesia in correlation
with the pituitary gland .Brain Res Bull 26: 113-22,1991.
68. THOMAS, D.; COLLINS, S.; STRAUSS, S. Somatic sympathetic vasomotor changes documented by medical thermography imaging acupuncture
analgesia. Clin Rheumatol 11(1); 55-9, 1992.
69. ULLET, G. A. Acupuncture treatment for pain relief. JAMA 245: 768-9, 1981.
70. WALL. P.D. T he role of substantia gelatinosa as gate control. In: BONICA, J.J. Pain. Raven Press, New York, 1980. Pp. 205-231.

COLABORADORES:
Prof. Dr. Manoel Jacobsen Teixeira
Dra. Satiko Tomikawa Imamura
Dra. Elda Hirose Pastor
Dra. Chien Hsin Fen

Acupuntura e o Idoso
João Carlos Pereira Gomes
Célia Y. Portiolli Faelli
Hong Jin Pai
O mundo está envelhecendo. Nas últimas décadas, a terceira idade é o grupo populacional que mais cresce nos países desenvolvidos e em
desenvolvimento. Mas o que significa envelhecer? Ficar mais velho não é apenas sentir o tempo passar; nem significa virar doente. Problemas de saúde
podem aparecer, mas há soluções. Se tiverem hábitos saudáveis e procurarem se manter ativas física e intelectualmente poderão ter um envelhecimento
saudável com boa qualidade de vida, minimizando as alterações próprias da idade e prevenindo doenças que incidem mais após os 60 anos.
O organismo do idoso tem menor capacidade de adaptação e demora mais tempo para recuperar-se que um organismo mais jovem. A
incidência de várias doenças é maior nas pessoas com mais de 60 anos, e a presença de mais de uma doença é freqüente. O uso concomitante de vários
medicamentos e a redução da função dos órgãos, em especial do fígado e dos rins, aumentam o risco de efeitos indesejáveis dos medicamentos e de
intoxicações.
Essa é uma das razões porque a acupuntura potencialmente teria um papel importante no tratamento do idoso. Como ela praticamente não tem
contra-indicação e tem efeitos benéficos na redução da dor, na ansiedade, no sono, nos sintomas de depressão leve entre outros, possibilitaria ao idoso
reduzir a quantidade de medicação, diminuindo também os seus vários efeitos colaterais, como por exemplo a gastrite desencadeada pelos
antiinflamatórios, proporcionando ainda uma melhor qualidade de vida.
A acupuntura é utilizada há milênios no tratamento de doenças. No idoso, especialmente no idoso frágil, o tratamento por acupuntura tem
peculiaridades. Um dos principais preceitos de acupuntura recomenda aplicá-la conforme as condições da pessoa. Idosos frágeis e crianças devem ser
agulhados com menor profundidade de inserção e por menos tempo. Estimulação excessiva pode cansar o paciente. A moxabustão, ou estimulação de
pontos de acupuntura através de calor gerado pela queima de uma erva chamada artemísia, pode ser indicada para fortalecer o organismo. Não se
recomenda o uso da acupuntura em certas situações extremas, como desidratação, hemorragia severas, nem em pessoas muito debilitadas, famintas ou
que comeram recentemente, muito sedentas ou muito assustadas. O idoso pode responder mais lentamente ao tratamento.
A acupuntura hoje é reconhecida como especialidade médica. A medicina moderna tenta desvendar os mecanismos da acupuntura e comprovar
cientificamente suas diversas aplicações no ser humano. Em 1997, o National Institute of Health (NIH), o principal instituto de saúde americano, realizou
conferência de consenso sobre o uso e eficácia de acupuntura na prática médica reconhecendo sua utilidade como tratamento complementar no manejo
de fibromialgia, epicondilite, osteoartrite, lombalgia, síndrome do túnel do carpo, reabilitação de AVC (acidente vascular cerebral), cefaléias, cólicas
menstruais, asma, dor dental pós-operatória, náuseas e vômitos pós-operatórios e pós-quimioterapia. Outros problemas como tensão pré-menstrual,
rinites, síndrome do cólon irritável, estresse, herpes zoster e neuralgia pós-herpética, hérnia de disco, obesidade e parar de fumar podem ser tratados
conjuntamente com acupuntura.
Destacamos três áreas de atuação da acupuntura em geriatria: dor, reabilitação de AVC e terapia adjuvante em doenças diversas, como
depressão leve, câncer e doenças respiratórias. Entretanto, sempre é bom ressaltar que é fundamental procurar o diagnóstico ou os diversos diagnósticos
pela medicina ocidental e tratá-los devidamente para otimizar os resultados e não mascarar doenças severas.

O saudável, o frágil e doenças associadas


A população idosa é muito heterogênea. Há idosos ativos e produtivos aos 70-80 anos e idosos com a mesma idade totalmente dependentes
para as atividades de vida diária. Além das alterações fisiológicas próprias da idade, é freqüente a ocorrência de mais de uma doença no indivíduo idoso.
Diabetes não-insulino dependente, hipertensão arterial, doença pulmonar obstrutiva crônica, insuficiência coronariana, infarto agudo do miocárdio,
insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência arterial periférica, acidente vascular cerebral (AVC), doença de Parkinson e demências, osteoartrite (OA) e
osteoporose, depressão, catarata, glaucoma, surdez e câncer são algumas delas com prevalência acima dos 60 anos.
Podemos classificar os idosos em três grupos, conforme sua condição geral de saúde: idosos saudáveis (60 a 75% dos idosos), idosos doentes
cronicamente (20 a 35%) e idosos frágeis (2 a 10%). Os idosos saudáveis têm doença crônica mínima ou não tem doença crônica, e são funcionalmente
independentes. Os idosos cronicamente doentes têm muitas doenças não curáveis, geralmente são funcionalmente independentes ou minimamente
dependentes, freqüentemente tomam vários medicamentos, e ocasionalmente são hospitalizados. Os idosos frágeis têm muitas doenças crônicas severas,
são funcionalmente dependentes e perderam muito de sua reserva fisiológica.

A medicina tradicional chinesa e o envelhecimento bem sucedido


Há séculos a medicina tradicional chinesa (MTC) preocupa-se com o envelhecimento. Segundo o Nei Jing, principal tratado de MTC escrito há
cerca de 2500 anos, o homem começa a envelhecer gradualmente a partir dos 40 anos. Para manter a saúde, é recomendado um modo de vida constante
e regular com quantidades adequadas de trabalho e repouso, evitar excessos de qualquer espécie (de alimentos, álcool, trabalho, sexo), praticar
exercícios adequados à constituição física do corpo, manter o espírito calmo e atitude positiva perante a vida, e estar atento e procurar adaptar-se às
mudanças climáticas. Seguindo estes preceitos o indivíduo preveniria doenças, fortaleceria o organismo e poderia chegar até aos 100 anos. Estes
preceitos milenares são válidos e atuais até hoje, e são a chave do envelhecimento bem sucedido.

A Dor nos idosos


Dor é uma das queixas mais comuns de idosos relatadas durante consultas médicas. Pacientes acima de 60 anos queixam-se duas vezes mais
de dor que pacientes com menos de 60 anos. Estudos sugerem que 25-50% de idosos sofrem de dor crônica e que 45 a 80% de pacientes
institucionalizados tem dor substancial, muitas vezes subtratada. A dor crônica pode comprometer a qualidade de vida do paciente e cursar com
depressão, fadiga, diminuição de socialização, falta de apetite, distúrbios de sono, diminuição de ambulação, distúrbios de marcha e polifarmácia (uso de
mais de um medicamento para atingir um objetivo terapêutico). O tratamento pode ser por vezes inadequado pela dor ser subestimada pelo médico, pelo
receio do médico de induzir adição a analgésicos, e também ser complicado por efeitos colaterais de medicamentos em pacientes mais suscetíveis e por
interações medicamentosas inadvertidas.
No idoso são freqüentes as dores articulares, as dores musculares, muitas vezes associadas à osteoartrite, as neuropatias periféricas, as dores
por câncer, as coronariopatias, bem como dores isquêmicas por doença vascular periférica e cãibras em membros inferiores. Patologias típicas da terceira
idade, como arterite temporal e polimialgia reumática devem ser lembradas na investigação de cefaléias e de dores difusas pelo corpo, respectivamente.
Freqüentemente o idoso tem mais de uma queixa dolorosa. Pesquisa com 58 idosos candidatos ao Grupo de Atendimento Multidisciplinar ao
Idoso Ambulatorial (Gamia) do Hospital das Clínicas/ FMUSP revelou que 46 (79,3%) candidatos referiam dor, dos quais 16 (34,7%) referiam dor em uma
localização, 17 (36,9%) duas dores e 13 (28,4%) três ou mais queixas dolorosas. O tratamento da dor tem como objetivos clínicos: tratar especificamente
sua causa, reduzir a dor, melhorar a capacidade funcional, o sono, o humor e a socialização do paciente. Na seleção dos tratamentos é de suma
importância considerar a causa e o mecanismo fisiopatológico envolvido, o estado funcional e emocional do paciente, suas condições clínicas e doenças
associadas, e o tratamento em si. No caso de tratamento medicamentoso, considerar a farmacologia da droga a ser usada. Naqueles casos em que a
causa da dor não é remediável ou é parcialmente tratável, freqüentemente está indicado abordagem multidisciplinar. Estratégias farmacológicas e não
farmacológicas combinadas geralmente resultam em melhor controle da dor com doses menores de medicamentos e menos efeitos colaterais. A
acupuntura é extremamente útil neste contexto. Diversos estudos mostram sua utilidade no tratamento de pacientes idosos com OA e dor no joelho,
lombalgia, artrose de articulação coxo-femoral, síndrome dolorosa miofascial cervical, dorsal e do ombro. Pacientes portadores de neuropatias diabética,
do trigêmeo e pós-herpética também podem se beneficiar do tratamento com acupuntura. Os resultados mostram redução na intensidade e freqüência da
dor, melhora na qualidade de vida, no sono, e diminuição na quantidade de medicamentos utilizados.

Doenças comuns na Geriatria podem ser tratadas pela Acupuntura


O acidente vascular cerebral (AVC), muitas vezes erroneamente chamado de derrame cerebral, é uma causa c
omum de incapacidade no idoso. O AVC pode ser de originário da diminuição do fluxo sangüíneo (isquemia) ou hemorrágica.
A Organização Mundial de Saúde considera desde 1979 a paresia (diminuição de força) pós AVC uma condição clínica possível de tratamento
por acupuntura. A acupuntura mostrou-se efetiva na redução de severidade da paresia, dependendo da localização e da extensão do AVC. A acupuntura
pode ser benéfica tanto para os casos agudos como crônicos de AVCs, especialmente se associada com fisioterapia. Melhores resultados são observados
quando a acupuntura é instituída dentro de 24 a 36 horas após o episódio do acidente isquêmico. Nos casos de acidente hemorrágico, é recomendado
esperar até que o sangramento tenha sido controlado e o quadro estabilizado, em geral após duas a três semanas.
O tratamento consiste em pelo menos 3 sessões semanais nos casos agudos e 2 vezes por semana nos casos crônicos, num total de 20 a 40
tratamentos, durante mais ou menos 2 meses. Pode ser potencializado com estimulação elétrica. A técnica de acupuntura escalpeana, ou agulhamento do
couro cabeludo, também é utilizada no tratamento de AVC com bons resultados.
A depressão é uma doença freqüente no idoso. O quadro clínico caracteriza-se por ansiedade, expressa por medo intenso sem que haja uma
causa objetiva, perda de interesse ou prazer nas atividades habituais e passatempos, irritabilidade, tristeza, cansaço ou fadiga, perda de energia,
diminuição da auto-estima, falta de esperança, idéias de culpa, indecisão, queixas somáticas, pensamento lento, diminuição da atenção e da memória,
alterações do sono, do apetite, diminuição do interesse sexual e, nos casos graves, pensamentos recidivantes de morte e suicídio. O diagnóstico da
depressão é difícil na maioria das vezes, pois nem sempre se apresenta de maneira clara. A depressão pode ser secundária a outras doenças, como
hipotireoidismo, câncer e demência, além de efeito colateral de certos medicamentos.
O tratamento da depressão envolve psicoterapia e tratamento medicamentoso. A maioria dos antidepressivos provoca efeitos colaterais como
tonturas, sonolência, prisão de ventre, excitação emocional, variações do apetite, secura na boca, taquicardia, alteração do sono, retenção urinária e até
dependência física ou psíquica, entre outros. No idoso, a diminuição das funções fisiológicas inerente ao envelhecimento associada à presença de várias
doenças simultâneas e seus tratamentos específicos aumenta a chance de interações medicamentosas e de efeitos colaterais. Mesmo assim, os
medicamentos são o tratamento mais eficaz.
A acupuntura, quando associada à terapia medicamentosa e ou apoio psicológico, pode apresentar efeitos benéficos adicionais na redução de
sintomas da depressão leve e da ansiedade, como abreviar o tempo de melhora de sintomas depressivos, já que os antidepressivos demoram duas a
quatro semanas para aliviar a depressão. Nos casos leves pode diminuir o uso de drogas e conseqüentemente diminuir as complicações advindas dos
medicamentos. A duração e a freqüência do tratamento variam conforme a gravidade e características do indivíduo. Estudo alemão recente com 43
pacientes com depressão menor e 13 pacientes com ansiedade generalizada demonstrou melhora de 60,7% e 85,7%, respectivamente, após pelo menos
10 aplicações. Pacientes com câncer ou com sintomas secundários à radio ou quimioterapia podem beneficiar-se da associação da acupuntura ao
tratamento do câncer no alívio destes sintomas. Entre agosto de 1999 e maio de 2000, 123 pacientes receberam acupuntura em centro oncológico
americano. As principais indicações de acupuntura foram dor (53%), xerostomia - boca seca- (32%), ondas de calor (6%) e náuseas ou perda de apetite
(6%). Não houve efeitos colaterais e 60% dos pacientes tiveram melhora de pelo menos 30% na intensidade dos sintomas. Outros estudos mostraram
bons resultados no tratamento de xerostomia. A asma e bronquite crônica também podem ser tratadas em associação com acupuntura. Estudos
preliminares demonstraram benefício adicional da acupuntura em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), inclusive nos pacientes com
dispnéia severa, ensejando futuros estudos. A acupuntura também pode ser utilizada no tratamento de disfunção sexual masculina e de incontinência
urinária.
UMA ABORDAGEM DA ACUPUNTURA E O TRATAMENTO DA OBESIDADE
CENTRO INTEGRADO DE TERAPIAS ENERGETICAS – CITE
CLINICA / ESCOLA PERNAMBUCANA DE TERAPIAS NATURAIS “CITE”
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONAL EM ACUPUNTURA
CURSO AURICULOTERAPIA AVANCADA DA ESCOLA CITE
MARIA BRASILINO GALINDO
Orientador “HEITOR CASADO ”.
CAMPINA GRANDE-PB 2005.

EPÍGRAFE
A doença é a cristalização problemática de um padrão. Por meio dela, o paciente é forçado a passar por esse padrão ao qual reside e que não
aceita conscientemente. A vivência consciente de um padrão é um ritual. Um acontecimento patológico é, conseqüentemente, um ritual inconsciente, ou
seja, que mergulhou na sombra. O primeiro passo em direção à cura é ir buscar esse ritual na consciência. Uma ajuda substancial para isso é fazer aquilo
que o sintoma de qualquer maneira nos força a fazer, mas conscientemente e de livre e espontânea vontade.
No exemplo da obesidade trata-se de petiscar conscientemente. À medida que se incorpora desperta e atentamente todos os doces e
guloseimas, surge um sentimento em relação ao prazer implícito. Isso poderia resultar em um ritual de petiscar divertido e prazeroso. O importante é não
permitir que surja nenhum sentimento de culpa. O sentimento de culpa vem do pólo alopático e, neste caso, somente poderia prejudicar.

SUMÁRIO
EPÍGRAFE
AGRADECIMENTOS
MENSAGEM
RESUMO
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
1 INTRODUÇÃO
2 HISTÓRIA E FILOSOFIA DA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E ACUPUNTURA.
3 TRATANDO A OBESIDADE
3.1 QUESTÕES SOBRE A OBESIDADE
3.2 CAUSAS E ORIGENS
4 DESENVOLVIMENTO DO TEMA: A AURICULOTERAPIA E O TRATAMENTO DA OBESIDADE
5 A AURICULOTERAPIA DA ESCOLA HUANG LI CHUAN
6 O EFEITO DA MANIPULAÇÃO CORRETA DAS SEMENTES
7 ANÁLISE DO TRATAMENTO DE AURICULOTERAPIA DA ESCOLA HUANG LI CHUN NA OBESIDADE
8 A DIREÇÃO DO ESTÍMULO
9 TRATAMENTOS REALIZADOS
10 ORIENTAÇÕES DADAS AO PACIENTE:
11 RESULTADOS
12 A OBESIDADE E SUA RELAÇÃO
13 CLASSIFICAÇÃO DOS PACIENTES
13.1 GRUPO NÚMERO UM
13.2 GRUPO NÚMERO DOIS
13.3 GRUPO NÚMERO TRÊS
13.4 GRUPO NÚMERO QUATRO
14 TRATAMENTO DE 15 OBESOS COM AURICULOTERAPIA PELO MÉTODO DA ESCOLA HUANG LI CHUAN
15 CITAÇÕES
16 CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

RESUMO
A elaboração deste trabalho tem por objetivo demonstrar o tratamento da obesidade através da auriculoterapia a qual é um sistema
independente dentro da acupuntura e o uso dela não se restringe apenas ao tratamento das enfermidades através dos pontos auriculares. Este
microsistema também tem se desenvolvido em relação ao diagnóstico em muitas patologias. Através da auriculoterapia podemos tratar cerca de 200
enfermidades tanto funcional, quanto estrutural.O Pavilhão auricular é considerado uma parte muito importante do corpo humano, por constituir um
microsistema, capaz de funcionar como um receptor de sinais de alta especificidade, podendo refletir todas as mudanças fisiopatológicas dos órgãos e
vísceras, dos quatro membros, do tronco, dos tecidos, dos órgãos dos sentidos, enfim, de todo o organismo.Quando se produz um estado patológico em
qualquer parte do corpo humano este é refletido na orelha com reações positivas de caracteres e localidades diferentes, específicos a cada enfermidade
em particular, e deixando relações muito estreitas entre os locais reativos e as partes do organismo implicadas na patologia.No tratamento e diagnóstico
através do pavilhão auricular não só são utilizados os pontos da face anterior da orelha como vários novos pontos da face posterior da orelha.A
auriculoterapia tem construído sua teoria própria, por ter na atualidade métodos independentes para o diagnóstico e tratamento de enfermidades, como
neste caso o tratamento da obesidade.

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
A ACUPUNTURA E O TRATAMENTO DA OBESIDADE UTILIZANDO A AURICULOTERAPIA DA ESCOLA ``CITE`` HEITOR CASADO.
Área de Conhecimento:
Medicina Tradicional Chinesa, Acupuntura e Auriculoterapia, - CITE.
Palavras Chaves:
ACUPUNTURA, AURICULOTERAPIA, MEDICINA TRADICIONAL CHINESA.

1 INTRODUÇÃO
Muitas das técnicas das terapias holísticas nasceram da observação de pequenas estruturas, em especial as relacionadas com os órgãos dos
sentidos, pois nelas estão representadas todas as estruturas do corpo. Podemos observar isto na Auriculoterapia, técnica que consiste no tratamento e
avaliação através de pontos localizados na orelha. Existem vários “estilos" de Auriculoterapia (chamados por alguns de Auriculoacupuntura ou
Auriculomedicina), as escolas de maior destaque são á francesa e a chinesa.A técnica de maior repercussão é seguramente a desenvolvida pelo Professor
Heitor Casado, médico tradicional chines e naturalista que durante mais de 25 anos desenvolveu um sistema de tratamento que associa os conhecimentos
da medicina tradicional chinesa e da medicina moderna, criando assim, um sistema com capacidade de avaliação superior a qualquer outro tipo de
tratamento auricular. O sucesso do seu método é tão grande, que a professor Heitor Casado tornou-se referência na China e no mundo. No Brasil esta
Escola está muito bem representada pela Sra. Sabrina Lira, através do Centro Integrado De Terapias Energeticas, Recife/PE, o qual ministra cursos
básicos em auriculoterapia entre outros. Este trabalho segue os fundamentos da Escola de auriculoterapia da Professor Heitor Casado. E esta inclui os
fundamentos da acupuntura sistêmica relacionando igualmente os fundamentos da medicina moderna. A Auriculoterapia CITE, difere das outras na
localização de pontos, na existência de novos pontos, na técnica de estímulo (usa-se duas sementes por ponto) e principalmente na sua capacidade de
diagnosticar através de sinais e detalhes existentes no pavilhão, descobertos através de muitas pesquisas, experimentos e observações.
Equilíbrio é sinônimo de acupuntura.
Pelo menos é este o caminho que ela vem traçando ao longo de mais de cinco mil anos de evolução, sendo tratada como parte da Medicina
Tradicional Chinesa, entretanto a auriculoterapia existe há mais de 400 anos a.C. os chineses já consideravam a orelha não como um simples apêndice do
corpo, mas sim como uma conexão com todo o sistema energético humano. O princípio básico energético da Auriculoterapia é o mesmo da acupuntura, é
a exploração das energias vitais do corpo (é a força que movimenta o ser vivo, que faz existir a vida) que circulam nos meridianos, que são uma rede de
minúsculos canais onde circulam as energias vital humana, divididas em doze meridianas principais, oito extras e várias ramificações menores conectando
os órgãos vitais internos com todas as partes internas e externas. Os meridianos afloram na superfície da pele que assim possui milhares de pontos de
acupuntura: locais que concentram mais energias e onde podemos modificar o estado energético do meridiano ou do órgão, sendo que na auriculoterapia
estas conexões se dá no pavilhão auricular. Para compreendermos melhor este microsistema que é o pavilhão auricular, devemos compreender como a
Medicina Tradicional Chinesa, em particular a acupuntura, opera e um pouco de sua história no Brasil e no mundo.

2 HISTÓRIA E FILOSOFIA DA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA E ACUPUNTURA.


No Brasil, bem como no resto do Ocidente, a acupuntura, esta terapia é recente, sendo trazida pelos chineses no início do século 20 e,
somente na década de 80, foi reconhecida como medicina vibracional (assim como a Homeopatia). Atualmente, a Acupuntura é bastante difundida e o
tratamento tem sido uma importante alternativa para aqueles que não encontram diagnósticos na medicina tradicional - a alopática -, ou mesmo para a
prevenção de doenças e como terapia. A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é oriunda de observação, dedicação e a experiência acumulada sobre a
interação entre o ser humano e seu estado de saúde com as mudanças da natureza. Os antigos sábios formularam a teoria de harmonia do universo e
postulavam o equilíbrio entre a natureza e o homem. É a teoria de Yin e Yang, onde sempre há um equilíbrio de forças naturais complementares: Dia e
Noite, Sol e Lua, Água e Fogo, Montanha e Planície, Plantas e flores e Pedras e areias, Calor e Frio, Homem e Mulher, Trabalho e Repouso, Tensão e
Relaxamento, Emoção e Rigidez etc. A acupuntura baseia-se em quatro teorias da MTC: a teoria Ying-yang, já descrita anteriormente, a teoria dos Zang-
Fu (Órgãos-vísceras), a teoria dos Cinco Elementos ou Movimentos e a Teoria dos Meridianos. O conhecimento das teorias fundamentais da MTC é
essencial para a compreensão do tratamento auricular. É através do conhecimento da teoria Yin-Yang que se pode detectar se o tratamento deve ou não
incluir sangria, etc. A teoria Zang-Fu favorece o tratamento dos órgãos e vísceras acoplados. Se um paciente estiver com disfunção pulmonar, liberar o
intestino grosso auxiliará no tratamento. Se um paciente estiver com problemas digestivos, o tratamento do baço auxiliará na restauração do
funcionamento do estômago. Portanto, é fundamental saber quais são os órgãos e vísceras que estão interligados para que o tratamento auricular possa
ser eficaz. Ao pensarmos nos Cinco Elementos, o conhecimento dos mesmos auxilia na apreensão do problema do paciente. Caso uma pessoa de idade
tenha seu pavilhão auricular excessivamente vermelho, ou mesmo cor púrpura, o terapeuta deverá reconhecer que essa pessoa possui excesso de calor
ou estagnação do elemento fogo no organismo. Sendo o coração, o órgão do elemento fogo, seria prudente encaminhar o paciente a um cardiologista para
exames de rotina, antes de qualquer terapia auricular. Caso um paciente ainda jovem possua manchas senis nas orelhas ou no corpo, o elemento metal
está em desequilíbrio e os pontos referentes ao pulmão e intestino grosso deverão ser tratados para alcançar o equilíbrio almejado. A Acupuntura hoje está
muito desenvolvida, até com a utilização de equipamentos eletrônicos. Devido à sua grande eficácia, a Acupuntura propagou-se em vários países, entre
eles a Itália, Espanha, Inglaterra, EUA, URSS, Japão, Coréia, e França.
3 TRATANDO A OBESIDADE
Para efetivar este trabalho realizei a técnica da auriculoterapia, para diminuir peso, ou seja, tratamos a obesidade. A Obesidade tornou-se um
tema universal e um dos problemas de mais difícil solução da Medicina Moderna. Enquanto a ingestão insuficiente de alimentos provoca a morte por
subnutrição de milhares de pessoas nos países subdesenvolvidos, nos países industrializados ou em desenvolvimento, outras tantas pessoas comem
demais, praticando pouco ou nenhum exercício, correndo o risco de morrerem precocemente por enfermidades provocadas direta ou indiretamente pela
obesidade.

3.1 QUESTÕES SOBRE A OBESIDADE


Estudos realizados na Alemanha constataram que, quando o excesso de peso de uma pessoa ultrapassa 10%, o seu período de vida é
reduzido em 18% e quando esse excesso supera os 30%, o tempo de vida diminui drasticamente para 50%. É preciso ressaltar que nem todo excesso de
peso é sinal de obesidade, assim, deve-se distinguir a corpulência (aumento de peso devido a um grande desenvolvimento de músculos e do esqueleto) e
o edema (excesso de peso pela acumulação anormal de água nos espaços intercelulares). A obesidade consiste então em um incremento do depósito de
gordura, que se traduz pelo excesso de peso. A obesidade é o resultado de um balanço positivo de energia. Não há como acumular energia no corpo, se
não ocorrer uma ingestão excessiva de nutrientes ricos em energia (gorduras e proteínas), que suprem em excesso o gasto do organismo humano. A
obesidade é o protótipo da nutrição inadequada na vida moderna. Recentemente foram realizadas pesquisas em diversos países da Europa e da América,
onde ficou demonstrado claramente, que uase metade das mulheres e um terço dos homens são obesos.

3.2 CAUSAS E ORIGENS


A causa imediata da obesidade é a ingestão excessiva de energia, ainda que sobre este fato incidam múltiplas causas endógenas (genéticas,
endócrinas, neurológicas e metabólicas) e exógenas (psicológicas, sociais e culturais). Há tempo se fala em uma tendência hereditária, de uma "disposição
natural do indivíduo" como a primeira causa da obesidade. Até o presente momento não se comprovou o fator genético, como causa predominante nos
males da obesidade. As glândulas endócrinas têm sido culpadas, com excessiva freqüência, como responsáveis pela obesidade, enquanto só têm uma
parte na culpa da má distribuição e organização da gordura corporal. A obesidade pode acompanhar certos problemas endócrinos, mas a maioria dos
obesos não apresentam transtornos endócrinos que justifiquem seu excesso de peso. Certa habilidade para se desprender do excesso de energia ingerido
acima de suas necessidades constituiria o único mecanismo capaz de explicar como alguns comilões permanecem magros, enquanto problemas em lidar
com esse excesso sacrificam pessoas gordas que dizem comer pouco. O metabolismo básico do obeso apenas difere do que apresenta o sujeito não
obeso. Para qualquer pessoa comer é um prazer. Para outras, a comida pode converter-se num refúgio para "compensação". A obesidade pode provocar
Stress emocional, que conduz o indivíduo a comer em excesso. Igualmente, pode surgir como defesa ou única fonte substitutiva de prazer em situações
intoleráveis da vida. Nesse caso, se fala de uma "polifagia” compensadora de idéias sociais, profissionais ou sexuais não alcançados. Um bom exemplo é
o da obesidade de certas donas de casa que, realizando seus afazeres, não encontram uma satisfação que as reconfortem plenamente. Apesar de tudo, a
obesidade não é uma doença propriamente dita, mas sim uma causa de muitas. Entre as doenças mais comuns causadas pela obesidade estão:
arteriosclerose, envelhecimento precoce, celulite, infarto do miocárdio, hipertensão arterial, distúrbios de ordem emocional, etc.

4 DESENVOLVIMENTO DO TEMA: A AURICULOTERAPIA E O TRATAMENTO DA OBESIDADE


Em linguagem da medicina energética, as energias vitais circulam em todo o corpo, do fio de cabelo ate a unha do pé mínimo. Logo, quando
estimulamos os pontos no microsistema auricular, estamos alterando as energias desses lugares, o que promove os desbloqueios, promove melhor
circulação de energia, sangue e nutrientes, melhorando o desempenho dos órgãos nas suas funções física, emocional e a disposição física e emocional
geral. Um dos métodos naturais para emagrecimento é a Auriculoterapia (acupuntura), que não prevê o uso de medicamento e é de eficácia comprovada.
A Auriculoterapia atua procurando restabelecer o equilíbrio perfeito das correntes elétricas do organismo. Como a Acupuntura Auricular (ou
Auriculoterapia) é um ramo da Acupuntura Sistêmica, que se utiliza do Pavilhão auricular (ou simplesmente orelha), para análise e tratamento das mais
diversas enfermidades, sejam elas físicas ou emocionais. O seu uso e difusão em nosso meio é bem recente. É uma técnica natural, eficaz nos resultados
e indicada para os mais diferentes problemas do corpo e da mente humana. No que se refere às contra-indicações, é quase nula. As aplicações
auriculares são feitas com pequenas agulhas ou sementes de implante que são fixadas na orelha em pontos específicos, onde permanecerão por alguns
dias. Às vezes são necessárias várias aplicações para se obter um resultado eficaz. Orienta-se em torno de seis a dez sessões. Em alguns casos, duas ou
três sessões já amenizam o problema. Em si, a Acupuntura auricular é uma técnica completa. Porém, sempre que associada a outras técnicas produzirá
melhores resultados.
A Acupuntura assim como a auriculoterapia, tradicionalmente, não visa curar a doença, mas equilibrar as energias da pessoa para que ela tenha
uma vida mais saudável.
Auriculoterapia pode ser empregada amplamente. Seu efeito é rápido na maioria dos casos. Dentre os tratamentos que podem ser realizados
pela Auriculoterapia, destaca-se bons resultados nos casos de obesidade e vícios, especialmente do fumo e do álcool. As sessões de Acupuntura Auricular
podem ser realizadas a cada duas semanas, exceto em casos mais agudos. Na medida em que se observa a melhora do quadro apresentado, esse tempo
poderá ser aumentado para três e por fim para quatro semanas, até que se constate a melhora total do quadro apresentado. O que está chamando muita
atenção é a quantidade de pessoas com excesso de peso nos consultórios dos acupunturistas. Parece que a técnica chinesa é a nova esperança de quem
está em guerra com a balança. Segundo os especialistas, a maioria das pessoas que pede socorro às técnicas chinesas já passou por várias dietas sem
conseguir emagrecer. O emagrecimento com auriculoterapia não é nenhum milagre. Além das sessões semanais, o tratamento inclui dieta (a qual o
próprio aciente vai estar consciente de sua necessidade), muitos utilizaram chás diuréticos, atividade física e relaxamento. A Medicina Chinesa indica uma
alimentação farta em cereais, legumes e verduras e pobre em enlatados, gorduras, carnes e produtos industrializados. Também aconselham a não misturar
proteínas e carboidratos na mesma refeição. O objetivo é facilitar ao máximo o processo digestivo, desintoxicar o organismo e aumentar a eliminação.
Além disso, orientou-se aos pacientes que comam porções moderadas. Também recomendo que, se possível, não ultrapassem o limite de 800 calorias
diárias para emagrecer mais rápido.No fundo, a proposta da acupuntura para emagrecer é modificar certos hábitos de vida e alimentação. Tudo isso para
regular o organismo.
5 O APROFUNDAMENTO AURICULOTERAPIA DA ESCOLA CITE
A existência dos fluxos de energia e sua influência sobre o corpo é o lado da acupuntura que a ciência ainda não conseguiu explicar. Mas há
outros aspectos em que a medicina oriental e a ocidental já concordam. Os pesquisadores confirmaram, por exemplo, que a maioria dos 365 pontos
clássicos da acupuntura está localizada em áreas do corpo muito ricas em fibras nervosas; e destas o pavilhão auricular é um local imensamente inervado
pelo sistema nervoso. A Auriculoterapia vem se desenvolvendo ao longo destes 35 anos, da auriculoterapia tradicional a nova auriculoterapia mais
moderna da Escola CITE.Em busca do equilíbrio, das doenças e disfunções - inclusive a obesidade – estas se manifestam quando há algum desequilíbrio
entre os princípios yin e yang. O desaparecimento dos mal-estares ou doenças, portanto, está diretamente ligado à redistribuição dessas energias pelo
organismo.É o que se pretende com a colocação de sementes em certos pontos do pavilhão auricular, escolhidos de acordo com o efeito desejado, neste
nosso trabalho para o tratamento da obesidade. A Auriculoterapia tem duas estratégias básicas para auxiliar na perda de peso. O método de tratamento
mais tradicional consiste em considerar a obesidade como uma conseqüência de maus hábitos alimentares, podendo ser comparado ao tabagismo. Desta
forma utilizaremos a Auriculoterapia. O tratamento de obesidade pela Aurículopuntura, consiste em implantar sementes auriculares convencionais, presas
com fita adesiva específica, que são trocadas semanalmente (o ideal é serem trocadas a cada sete dias). Utilizaremos o tratamento da acupressão, que
consiste na aplicação de pequenas sementes, chamadas de “colza” fixas por fita adesiva no pavilhão auricular.Este método utiliza um conjunto de pontos
do pavilhão auricular, escolhidos criteriosamente, de acordo com as necessidades terapêuticas do paciente. O tratamento consiste na aplicação de
sementes em pontos específicos da orelha, de acordo com as necessidades individuais. Após essa terapia, o paciente irá para casa com a incumbência de
manipular estas sementes de maneira adequada, conforme transcrição da manipulação correta de cada ponto.Esse tratamento foi realizado uma ou duas
vezes por semana, de acordo com a evolução da terapia e com a disponibilidade de cada paciente.Assim, todo paciente foi orientado para rever
completamente seu estilo de vida, seus hábitos alimentares, a retomada à prática de exercícios físicos.A técnica chinesa é uma grande aliada de quem
precisa perder peso. Basta se acostumar á manipulação correta das sementes e esperar para ver os quilinhos indo embora.
6 O EFEITO DA MANIPULAÇÃO CORRETA DAS SEMENTES
Quando manipuladas, as sementes, de maneira correta, após fixas no pavilhão auricular estas geram um impulso elétrico conduzido pelo
sistema nervoso periférico até o cérebro.Esse estímulo atravessa uma região chamada formação reticular (no tronco cerebral), depois passa pelo
mesencéfalo e finalmente se distribui por várias áreas do cérebro. Atinge principalmente o hipocampo (centro ligado à memória) e o hipotálamo (região que
controla o sistema nervoso central e o sistema hormonal). Os impulsos criados pelas sementes provocam reações distintas no sistema nervoso, de acordo
com a sua intensidade.Mais fortes, estimulam as fibras nervosas do tipo Delta A, que favorecem a liberação de potentes substâncias analgésicas
fabricadas pelo próprio organismo, como a endorfina e a encefalina.Mais suaves, atingem as fibras do tipo Delta C e áreas cerebrais que reagem
estimulando o ritmo de trabalho de vários órgãos.O maior benefício associado à perda de peso, é melhorar a saúde do corpo inteiro.
"A acupuntura não trata só do sintoma, mas do todo”. Ernesto Garcia.
”Quando o organismo está em harmonia, não guarda substâncias indesejáveis",...assegura o médico Wu Tou Kwang, do Centro de Acupuntura
e Terapias Alternativas, de São Paulo.

7 ANÁLISE DO TRATAMENTO DE AURICULOTERAPIA DA ESCOLA CITE NA OBESIDADE


A auriculoterapia tem construído sua teoria própria, por ter na atualidade, métodos independentes para o diagnóstico e tratamento, sendo que
ela segue características próprias como:
01. Por ser um microsistema não precisa necessariamente do uso de agulhas, isso facilita sua aceitação e execução.
02. Combina as Teorias da Medicina Tradicional Chinesa com as teorias da Medicina Moderna, usando desta última, matérias importantes como
a anatomia, fisiopatologia, genética e imunológica.
03. Os pontos auriculares funcionam como uma memória do histórico patológico através destes, nos fornece o desenvolvimento cronológico das
enfermidades e a preparação para processos patológicos que ainda não se manifestaram clinicamente.
04. O diagnóstico da auriculoterapia tem valor semiológico tão importante quanto o diagnóstico através do pulso e da observação da língua na
Medicina Tradicional Chinesa.
05. Na auriculoterapia da Escola CITE ela tem a descrição de novos pontos, sulcos, zonas, linhas e canais. Chegando a 160 pontos na face
ventral e 31 na face dorsal do pavilhão auricular.
06. Ela utiliza os pontos auriculares para o diagnóstico e tratamento.
07. Classifica os pontos auriculares de acordo com os sistemas em 6 grandes grupos, e de acordo com as suas funções em 46 grupos.
08. Ela dá grande importância ao uso dos pontos do dorso da orelha tanto para o tratamento como para o diagnóstico.
09. Funciona como um sistema independente com métodos próprios para o tratamento e o diagnóstico e não simplesmente como uma técnica
terapêutica.
O Dr. Ernesto G. Garcia, demonstra em seu livro Auriculoterapia1, como o pavilhão auricular está vinculado com o sistema de canais e
colaterais e elabora sobre a relação dos Zang-Fu com a orelha.
1 Auriculoterapia, Escola Huang Li Chun, Editora Roca, São Paulo, 1999.
Portanto a teoria dos Meridianos auxilia na compreensão dos canais energéticos que percorrem o corpo, que circundam e que estão em
comunicação direta com o pavilhão auricular. Não se deve, considerando essas relações usar auriculoterapia ou acupuntura auricular sem o conhecimento
das teorias da MTC.Neste trabalho, não vamos aplicar unicamente o método auriculoterapia (aliada à acupuntura), como forma de tratamento da
obesidade, pois para a Medicina Chinesa deve haver uma combinação destas, sendo que este tratamento deverá ser apoiado por dieta (ingesta adequada
de nutrientes para cada organismo), aliada a realização de atividade física. A Auriculoterapia Huang Li Chun, difere das outras na localização de pontos, na
existência de novos pontos, na técnica de estímulo (usa-se duas sementes por ponto) e principalmente na sua capacidade de diagnosticar através de
sinais e detalhes existentes no pavilhão, descobertos através de muitas pesquisas, experimentos e observações. Baseada nos princípios desta Escola, a
primeira consulta foi centralizada no diagnóstico, já que este é a base primordial para o restante do tratamento.Nesta primeira etapa foram feitas perguntas
e preenchido um questionário, padrão da instituição-CIEPH Centro Integrado de Estudos Naturais para o Homem (conforme anexo “1”), onde foram
analisados os hábitos como a nutrição, hidratação, eliminações, a oxigenação, o sono e repouso, humor, preocupações, queixa principal e problemas
físicos como dores corporais, órgãos de sentidos: audição, Visão, tato e paladar, a compleição física e a língua."Às vezes basta observar as feições de
alguém para obter boas pistas dos motivos que levam ao excesso de peso". Heitor Casado2 Foi feita uma análise criteriosa do aspecto geral da orelha:
alterações da cor, manchas, pontos de escamação, pontos de erupção, dilatação dos vasos, pontos com oleosidade, pontos sensíveis.Avaliou-se também
como diagnóstico dos órgãos internos, da circulação do sangue (xue), e do Qi (energia essencial - a qual circula em todos os meridianos do corpo), da
gravidade da obesidade e da existência e características de dores, inspecionando cuidadosamente o tamanho, textura, cor e forma do pavilhão auricular,
bem como de suas regiões como o lóbulo, a raiz da hélice, os pontos de ansiedade e neurastenia, etc...
ANEXO 1 – FICHA DE AVALIAÇÃO DE PACIENTE – CITE
2 Ver Página 16
Na primeira sessão do tratamento, o paciente foi orientado sobre os fundamentos da auriculoterapia.Nesta primeira sessão o paciente recebeu o
tratamento deitado e/ou sentado.Nas aplicações da auriculoterapia segui-se as normas de biosegurança, isto é antes de qualquer procedimento com o
paciente lavar as mãos com detergente e secá-las com papel toalha, antes de iniciar a aplicação das sementes o pavilhão auricular foi inspecionado, feita
uma pequena massagem após uma assepsia com álcool á 70%, embebido em algodão, e o orifício da orelha foi protegido com algodão seco, após
aplicado as duas sementes, mesmo ponto, com esparadrapo cor da pele e/ou fita micropore, orientado em cada colocação do ponto qual a maneira correta
de manipular o ponto, conforme descrição da direção do estímulo.Conforme a Escola CITE foi aplicado o método de tratamento na colocação de
sementes, que é um método simples, e por suas vantagens operacionais, a escolha da semente foi à espécie “colza” por ser esférica, de superfície lisa. De
forma arredondada que quando colocada no pavilhão realiza pressão sobre os pontos auriculares, para melhor estímulo e seguindo a anatomia e fisiologia
da inervação do pavilhão auricular, dependendo do objetivo a ser alcançado. Este método é relativamente novo, vem se desenvolvendo na China há
aproximadamente 30 anos, foi baseado e desenvolvido a partir das experiências obtidas com a agulha filiforme é o uso da agulha intradérmica no pavilhão
auricular. Constitui um método mais sensível que os anteriores, já que é mais bem aceito pelos pacientes, por ser menos traumático e doloroso. Entre as
vantagens que este método oferece, estão a de ser muito mais simples e mais barato, além de, com ele pode se tratar um grande número de enfermidades
da mesma forma que com os métodos anteriores, facilitando o tratamento em pessoas da terceira idade e de constituição física débil. É muito adequado no
tratamento pediátrico garantindo ou facilitando que o paciente não tenha que voltar diariamente à consulta.
8 A DIREÇÃO DO ESTÍMULO
A direção em que a semente é colocada e que se realiza sua pressão, depende da configuração e distribuição dos pontos auriculares no
pavilhão. Os pontos auriculares mais importantes estão distribuídos em relação direta com a trajetória dos nervos. Por exemplo, os pontos relacionados
com o aparelho digestivo estão diretamente vinculados, em sua localização, com um ramo do nervo vago. Por isso, ao tratar os pontos como a boca,
estômago, esôfago, cárdia, duodeno, intestino delgado, apêndice, intestino grosso, etc. deve-se direcionar as sementes para a raiz da hélix, desta maneira
o resultado terapêutico será muito melhor.Os pontos localizados em depressões e cavidades ou em regiões onde a resistência elétrica do pavilhão é baixa,
são sumamente sensíveis: coração, pulmão, endócrino, intestino grosso, útero, colo do útero, clavícula, dedos cotovelo, ponto da alergia, etc. e devem ser
pressionados em direção á parte mais profunda da cavidade onde se localizam, geralmente para baixo.O ciclo de tratamento foi de 7 em 7 dias, sendo um
dia para “descanso” da orelha, e após recolocando as sementes, na outra orelha, quando do tratamento da obesidade esta evoluiu favoravelmente, os
pontos escolhidos foram recolocados.Todos os dias o paciente deveria estimular as sementes, sendo de 5 a 8 vezes/dia, sendo de 15 a 30 segundos cada
ponto, e de acordo com a manipulação correta do estimulo em cada ponto.
9 TRATAMENTOS REALIZADOS
Neste tratamento com auriculoterapia, para tratar a obesidade foram utilizados os seguintes pontos auriculares, que a partir de agora designarei
somente pela primeira letra, conforme esquema abaixo:
01.Boca, (B),
02.Estomago, (E);
03.Baço-Pâncreas, (BP);
04.Fígado, (F);
05.Vesícula Biliar, (VB);
06.Intestino Grosso, (IG).
07.Fome, (Fome);
08.Ansiedade, (ansiedade);
09.Shen men, (Shen men);
10.Rim, (R);
11.Bexiga, (Bx).
12.Pulmão, (P).
Para este tratamento de obesidade foram utilizados 12 pontos auriculares.Os pontos mais utilizados foram: Boca, Estômago, ansiedade e fome,
com um índice de 36,36%.Sendo que em todos os casos foram utilizados os pontos ansiedade, fome e boca.Cada um com sua função específica.O ponto
Boca é um ponto do grupo de pontos fortalecedores como ponto hipoglicemiante, e este ponto fome diminui o apetite, é ponto específico,O ponto
ansiedade que é um ponto específico e acalma a mente.Na hora de escolher os pontos e aplicar as duas sementes, considerei cada informação á respeito
do que o paciente relatou e da inspeção no pavilhão auricular.Assim o número de sementes variou em cada sessão; pois numa sessão o ponto
correspondente do fígado não estava trabalhando bem, então foi fixadas as sementes nestes locais, onde o paciente e/ou a orelha estava solicitando,
através de uma alteração no pavilhão auricular, já descrita anteriormente.Foram dadas orientações específicas para o paciente para os cuidados com o
tratamento através da auriculoterapia, quando este estava realizando as sessões.
10 ORIENTAÇÕES DADAS AO PACIENTE:
Deve-se evitar molhar os esparadrapos, uma vez colocados na orelha, ao serem umedecidos, a força do estímulo diminui, além disso, podem
ser criadas condições propícias para as infecções cutâneas. Podem ocorrer reação alérgica ao esparadrapo, que se manifesta com papúlas na zona,
prurido, edemas e eritema, em tais casos, pode-se mudar o tipo de esparadrapo, trocando pela micropore. Quando for secar o pavilhão auricular não
esfregar a toalha sobre os pontos colocados, secá-la levemente. Orientados que se houver dor ao colocar a cabeça sobre o travesseiro, ou ao atender ao
telefone, procurar não utilizar a orelha escolhida no tratamento. Depois de realizado o método de colocação das sementes, o passo mais importante é o
auto-estímulo praticado pela própria pessoa, (paciente). O estímulo deve ser realizado com manipulações de pressão sobre a área onde está colocado o
esparadrapo e/ou micropore com a semente, este estímulo específico em cada ponto, deve-se evitar friccionar ou esfregar, fatos estes que podem mover
as sementes ou produzir lesões na pele.Se houver infecção ou irritabilidade o paciente pode auto-retirar as sementes.
11 RESULTADOS
Verificando o contexto geral dos pacientes com obesidade constatou-se que:O Baço-pâncreas não funcionava adequadamente, é este é um
ponto de tonificação geral, laxante, e fortalecedor do sangue, tonifica o QI e elimina a distensão, nutre o sangue (xue)- (BP, E,) fixou-se semente no Baço-
Pâncreas(BP) e seu acoplado o Estômago (E), bem como a abertura do baço-pâncreas que é a boca(B), esta também regula o Qi e elimina a distensão, é
um ponto hipoglicemiante.Também por serem pontos fortalecedores do Baço-Pâncreas e da sua função, sendo que no Baço-pâncreas na orelha esquerda,
somente, o estômago e a boca bilateral, este ponto também é laxante já que auxiliava o IG.Utilizado ponto E e F (em alguns pacientes), pois estes
acalmam a acidez.No caso da obesidade o Pulmão não faz uma de suas importantes funções que é a dispersão suave do Qi, desta forma foi utilizado este
ponto P, pois é um ponto ativador da circulação sanguínea, regula o Qi e elimina distensão, igualmente o F, e é tonificante e fortalecedor do sangue, da
medicina Tradicional Chinesa, sabemos que o Qi e o Xue (sangue) andam juntos; outra característica do pulmão é por ser um ponto diurético e laxante, já
que seu acoplado na Medicina Tradicional Chinesa é o IG.Na obesidade o Rim não consegue fazer sua função específica que é de aquecer, então fixou-se
sementes no rim (R) e seu acoplado a bexiga (Bx), que na auriculoterapia são pontos de tonificação geral, tonificantes do sangue e fortalecedores
(fortalece o Yang do rim e nutre sua essência), já que este estava com sua função (yang) debilitada, O R regula a função endócrina, sendo que estes são
pontos diuréticos-drena os líquidos corporais e também o R regula a atividade neurovegetativa.A Bx dispersa o calor e elimina a umidade, favorece a
diurese e tonifica o R.E o intestino grosso invariavelmente estava em deficiência, este foi utilizado, pois é um ponto laxante, drena o intestino, elimina calor
dos Fu (vísceras), elimina o vento.O ponto Shen men, pois é um ponto sedante, acalma a mente e controla as emoções, no caso da obesidade ás vezes
faz-se necessário para atenuar a ação de outros pontos, como no caso da ansiedade, sendo que o ponto Shemenn também é ponto de abertura do
pavilhão auricular e regula a atividade neurovegetativa.O ponto F também foi selecionado, pois estes regulam a atividade endócrina, drena o F e a VB.
Controla o Qi e ativa a circulação de sangue, fortalece o baço e harmoniza o estômago. E o ponto VB favorece a digestão, sempre usado associado ao F.O
ponto Fome - pois ele controla o apetite,O ponto ansiedade acalma a Shen (mente).
12 A OBESIDADE E SUA RELAÇÃO
A maior parte dos casos de obesidade tem relação com uma hipofunção de BP, responsável pela "subida do puro" além de manter vasos e
órgãos fixos.Seu acoplado, que é o Estômago, encarrega-se da descida do "menos puros”.Relacionada a literatura pode-se amarrar a obesidade como
compulsão do fígado ou da vesícula biliar em pacientes com características de madeira (através da lei dos cinco movimentos), aliando-se á uma
deficiência de Rim. Mas neste caso outros componentes psíquicos como ansiedade e depressão são bastante significativos.Em muitos casos a obesidade
pode estar relacionada com casos de angústia relacionando aumento de peso a uma deficiência de Qi do Pulmão, isto por que não podemos e não
devemos nos esquecer que seu acoplado é Intestino Grosso. Pulmão, por sua vez distribui e faz descer a energia, além de circular líquidos fazendo com
que não haja um estacionamento de umidade. Metal é carnoso e seco, pois quando é fundido expulsa de si a água. Mas uma vez que isto não aconteça,
teremos mucosidade.Os pontos, quando estimulados, reequilibram a função de transformação e transporte do Baço, e controlam o Shen (Mente), isto
melhora a fome, que usualmente não é necessidade de comida “mas uma compensação emocional...”.Nesses casos, o paciente só estará definitivamente
livre da "fome", depois de um ou mais ciclos de tratamento.
13 CLASSIFICAÇÃO DOS PACIENTES
Os pacientes foram clássicos em 4 grupos, pois, quando os mesmos apresentassem as mesmas características eram enquadrados no grupo
específico.
13.1 GRUPO NÚMERO UM
Pacientes obesos comiam muitas gorduras, doces, e pratos de sabor forte.De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa o picante se
transforma em Fogo / hiperatividade. Dai vêem a constipação, sede. Apresentaram distribuição homogênea da gordura, músculos fortes e tensos, língua
vermelha, saburra amarela viscosa. Auriculoterapia: BP- Baço-Pâncreas, E -Estômago, F- fome, P-Pulmão, SNV-Sistema Nervoso Vegetativo.
13.2 GRUPO NÚMERO DOIS
Este grupo apresentava acúmulo de muco e umidade, estes pacientes com vida e dieta inadequadas, que acabam lesando BP e E.Nestes
pacientes os líquidos são retidos, transformam-se em muco e umidade, e se acumulam nos tecidos adiposos. Estes pacientes apresentavam corpo flácido.
Eles tinham sonolência, cansaço, flacidez, quando menstruam esta é escassa ou amenorréia, ou impotência nos homens. Apresentaram língua pálida e
denteada.Auriculoterapia: BP, SJ- São Jião, endócrino, Shemen, adrenalAlternando a orelha o esquema alternativo: Shen Men, SNV, BP, E, Endócrino,
ovário, cérebro, fome.
13.3 GRUPO NÚMERO TRÊS
Estes apresentaram obstrução nos Canais por Estagnação de sangue (Xue), isto devido muitas vezes ao stress e à vida sedentária. Lembrando
que o Qi (energia essencial), o sangue (Xue) e a Umidade obstruem os canais.Os músculos aparentemente não estavam nem fortes nem fracos. Sentiam
dor no peito e nos hipocôndrios, náuseas, vertigem e às vezes palpitações. Apresentaram língua com pontos arroxeados, saburra branca e
fina.Auriculoterapia: P-Pulmão, C-Coração, F-Fígado, subcórtex, Shemen
13.4 GRUPO NÚMERO QUATRO
Este grupo apresentava obesidade congênita, tinham história de obesidade, desde pequenas, apresentavam cabeça grande, face redonda,
depósito de gordura na barriga e cintura. Apresentavam palpitações, respiração curta, hiperfagia e a língua pálida, saburra amarela e fina.Auriculoterapia:
BP, E, fome, P, SNV.
14 TRATAMENTO DE 15 OBESOS COM AURICULOTERAPIA PELO MÉTODO DA ESCOLA CITE.
Foram selecionados vários pontos do pavilhão auricular e tratados alternadamente nas orelhas.Em cada sessão mudavam-se os pontos e a
orelha, ora direita, ora esquerda. O paciente participou do processo como um todo, sendo que após a colocação das sementes no pavilhão auricular, lhe
era orientado qual a maneira correta de manipular cada ponto, e a manipulação deveria ocorrer cinco a oito vezes por dia, sendo que no 7 (sétimo) dia, o
paciente deveria deixar a orelha em “descanso”, para no 8(oitavo) dia, retornar ao ambulatório para trocar as sementes. Nos momentos de fome, ou antes,
das refeições, os pacientes deviam pressionar as sementes, cada ponto com o estimulo apropriado. As sessões ocorriam a cada 8 (oito) dias, completando
no mínimo 4 sessões para cada paciente.Sendo que havia pacientes que o número de sessões ultrapassou esta média.Somente uma paciente abandonou
o tratamento, logo na segunda sessão, referindo, que a Técnica de estimular as sementes era “enjoativa”. Os resultados mostraram que 14 pacientes
tiveram resposta excelente;01 caso sem resposta. (desistente).Assim, a eficiência do método é de 93,33%, conforme Anexo 2.Quanto maior o peso inicial
do paciente, os resultados eram melhores.Quanto mais persistente era o paciente nas sessões, os resultados se tornavam melhores.
ANEXO 2 – GRÁFICO DO TRATAMENTO DOS 15 PACIENTES
FAÇA A ESCOLHA CERTA
As dicas do Dr. Heitor Casado, Centro Integrado de Terapias Energeticas, de Recife-PE, para selecionar o seu acupunturista de confiança:
1. Você tem todo o direito de perguntar ao especialista qual é a formação dele. O bom profissional responderá sem problemas.
2. Informe-se se o especialista possui registro do Conselho de Profissonal. Você pode pedir referências.
3. Aceitar as indicações de pessoas conhecidas ajuda a encontrar bons profissionais.
4. Fuja de quem se considera habilitado a praticar acupuntura depois de fazer um curso rápido de fim de semana. É risco na certa.
5. Observe as condições de higiene do consultório. Confira se os lençóis da cama estão limpos e/ou são descartáveis se as agulhas são
personalizadas, isto é, se cada cliente tem o seu tubo de ensaio (estojo), identificado.
Não aceite agulhas de uso comum. A decisão é sua.Mas lembre-se de que, para perder peso com a auriculoterapia, você vai precisar cultivar a
disciplina para cumprir as recomendações do terapeuta ter um pouquinho de paciência para esperar os resultados. Aliás, essas são condições
fundamentais para qualquer dieta dar certo.
CONCLUSÃO
Este trabalho teve como objetivo tratar, divulgar, comprovar e demonstrar que através do método de auriculoterapia, da Escola Huang Li Chuan,
que os resultados tem eficiência e eficácia, pois com este tratamento há um entrosamento e participação efetiva do paciente, onde ele é mola propulsora
do tratamento, sendo que seu desprendimento para o alcance dos resultados é muito satisfatório.A Auriculoterapia não é um procedimento emagrecedor
em sua essência, isto é, a acupuntura não é uma técnica que queima calorias.Durante uma sessão de acupuntura perdemos uma quantidade muito
pequena de calorias para acreditarmos que a acupuntura por si vai emagrecer nosso corpo. Agora quando falamos dos efeitos produzidos pela
auriculoterapia, podemos olhar para ela como uma terapia que nos auxilia muito dentro de um processo de emagrecimento que inclua uma dieta específica
e o devido acompanhamento terapêutico.A auriculoterapia é conhecida por quitar a ansiedade e promover o equilíbrio das funções orgânicas. Se
pensarmos que a obesidade é fruto de um desequilíbrio energético e a auriculoterapia atua corrigindo esses desequilíbrios podemos utilizar as sementes
pensando em "acelerar" (ou consolidar, uma vez que estamos atuando na raiz do problema) o processo de emagrecimento, acrescentando a ele um
suporte de tranqüilidade e evitando que o paciente recorra a medicamentos ansiolíticos durante o tratamento para emagrecer, além de atuar na saúde
global do paciente. Na maioria das vezes os pacientes notam que após o inicio das sessões com auriculoterapia a dieta transcorreu de maneira mais
eficiente e tranqüila e isso se deve ao fato de que a auriculoterapia trata, não somente um problema, mas seus efeitos se estendem no indivíduo como um
todo. Posso concluir que a auriculoterapia, apesar de não ser uma técnica que promova diretamente a queima de calorias, pode ser de extremo valor,
quando queremos não somente uma solução milagrosa e rápida, mas pensamos em corrigir o desequilíbrio em sua raiz. Daí quando fizermos uma dieta
com acompanhamento da acupuntura, aliada a auriculoterapia, não estaremos dando apenas uma emagrecida rápida, mas estaremos procurando manter
sob controle os desequilíbrios que causam a obesidade em nosso corpo.
Devemos olhar a relação Auriculoterapia X Obesidade desta maneira, sempre lembrando que cada indivíduo tem características próprias e que,
sendo assim, se o seu amigo perdeu tantos quilos em tanto tempo, com o auxílio da acupuntura, não devemos esperar que ocorra exatamente o mesmo
conosco e mais, devemos desconfiar de profissionais que prometem emagrecimento com acupuntura. Com a popularização da Acupuntura e da Medicina
Chinesa surgiram vários tratamentos que propõem a acupuntura como via para o emagrecimento rápido, alguns inclusive com um tom miraculoso, o que
naturalmente gera dúvidas e desconfiança no público. Existem muitos casos de pacientes que procuram um acupunturista por um motivo que não é o de
emagrecer (uma dor no ombro, por exemplo) e que coincidentemente estão fazendo dieta. Na maioria das vezes esses pacientes notam que após o inicio
das sessões com auriculoterapia-acupuntura a dieta transcorreu de maneira mais eficiente e tranqüila e isso se deve ao fato de que a acupuntura trata,
não somente um problema, mas seus efeitos se estendem no indivíduo como um todo. Comer bem, ter autodisciplina e manter uma atividade física
freqüente são, de acordo com a médica Maria Rita Natale Castro, regras essenciais para a pessoa estar bem consigo mesma e com sua própria natureza.
Isso tudo pode ser percebido ao olharmo-nos no espelho. "A beleza exterior também depende da beleza interior. Se a pessoa não estiver emocionalmente
equilibrada, não terá harmonia", afirma a médica, cujas especialidades incluem a homeopatia e a acupuntura. Também podemos deduzir que problemas
estéticos como obesidade, celulite, manchas na pele e acne, por exemplo, têm causas que variam de hábitos alimentares incorretos a desequilíbrios
emocionais. "Tudo tem lógica no organismo" Maria Rita Natale Castro, num tratamento de obesidade, por exemplo, alia os benefícios da acupuntura aos
da homeopatia.O obeso costuma ter uma ansiedade incontrolável, que leva a compulsividade na hora de comer. A pessoa sabe que não pode, mas não
consegue pôr isso em prática.Com a acupuntura auricular, ela trabalha os pontos de agressividade, ansiedade e até os relacionados ao excesso de
gordura.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
GONZALEZ, Garcia, Ernesto. Auriculoterapia, Escola Huang Li Chun, Editora Roca, São Paulo, 1999.
CARNEIRO, NM (2001). Fundamentos da Acupuntura Médica; Ed. Sistema, Florianópolis, SC.
INSTITUTO PRO SALUS VITALIS. Curso Básico de Auriculoterapia da Escola Huang Li Chun, São Paulo, SP, 2003.
REICHMANN, Brunilda T. Auriculoterapia-Fundamentos de acupuntura auricular; Ed. Tecnodata, Curitiba/PR, 2002.
VEJA – Editora Abril - Veja do Que a Acupuntura é Capaz na Luta Contra a Obesidade, 5ª edição, 1999.

PULSOLOGIA - PRÁTICA
Soulié de Morant:
Distal Média Proximal IV Direita SuperficialIG E TA Medula Direita Média Pâncreas Circulação Bulbo,cerebelo Direita Profunda P Baço Genital
Cérebro Esquerda Superficial ID VB Bexiga Razão,moral,inteligência Esquerda Média R filtração Automatismo,memória Esquerda Profunda C F R
excreção Instinto
Segundo aula em 3/97 na Academia Tradicional de Beijing, a posição nova dos pulsos é:
Distal Média Proximal Direita C, CS VB /F IG,MingMen /R Esquerda P E /BP ID,B /R
10 tipos segundo: posição (superficial, profundo), intensidade (forte, fraco), frequência (rápido, lento), forma (corda, deslizante, filiforme), áspero,
intermitente.
Em cada posição, observe que há um grau de pressão onde você encosta o dedo e não nota nenhum batimento pois está apenas tocando a
pele. Aperte um pouco mais e conseguirá sentir os batimentos, é a palpação superficial. Agora, se apertar bastante para chegar ao fundo, quase parando o
pulso. Então volte um pouco a pressão até ficar bem nítido os batimentos, é a palpação profunda. Se a polpa do dedo é colocada levemente sobre a artéria
radial e que se gradualmente uma pressão maior for aplicada, chega-se subitamente a um ponto onde a percepção de qualidade é inteiramente diferente.
Esta será a posição profunda. A posição superficial tem sido comparada à elasticidade da parede da artéria e a posição profunda à sensação do fluxo do
sangue dentro da artéria. Tem-se afirmado que a pressão indicada para a posição superficial no diagnóstico equivale à diástole, enquanto que, para a
posição profunda, equivale à sístole. Posição superficial: peso de 3 feijões; posição média: peso de 6 feijões; posição profunda: peso de 9 feijões.
Ritmo: 4-5 batimentos /ciclo respiratório
Em essência, o pulso adquire a mesma qualidade do órgão que representa, por exemplo, Felix Mann descreve pulso de Estômago semelhante
a mata-borrão, num médico com gastrite hipertrófica. Ele notou um pulso “espesso e úmido”.
Uma qualidade particular desenvolve-se somente sobre um flanco da artéria que esteja na mesma posição.
O distúrbio na porção proximal da posição do pulso representa problema na parte inicial do órgão, e distúrbio na porção distal representa
problema na parte terminal do órgão.
Pulso filamentoso é sinal de desequilíbrio fisiológico crônico e generalizado, significa tratamento mais difícil.
Pulso oco, isto é, o examinador sente a resistência normal sob ligeira pressão, porém, desde que maior pressão seja aplicada ao dedo, o pulso
cai num vazio. Em geral este pulso representa Deficiência de Yin.
Pulso metálico (arame ou corda de violão) é duro, tenso e às vezes fino. Representa alterações do Fígado, principalmente quando encontrado
no braço esquerdo. Significa tensão por raiva, espasmo ou dor. Na lombalgia ou ciática, o pulso da Bexiga se encontra em corda. Nas pessoas tensas, os
pulsos de todas as posições superficiais podem se apresentar em corda.
Pulso esférico e duro pode significar um cálculo renal ou biliar. Às vezes pode ser avaliado o tamanho do cálculo.
O pulso intumescido representa o estado do órgão. Quando for do Estômago, pode estar dilatado por gases; caso estiver no pulso do Coração,
deve ser hipertrofia ou dilatação cardíaca.
Os pulsos se tornam mais profundos no frio, no inverno e nos processos com enrijecimento; os pulsos ficam superficiais nos estados febris e no
verão.

Os pulsos podem ser resumidos da seguinte maneira: a) Pulso pequeno deficiência b) Pulso fraco deficiência c) Pulso pequeno, duro e pontudo
contração, espasmo, dor d) Pulso amplo e duro hiperatividade, congestão e) Pulso grande e mole inchaço, disfunção f) Pulso grande e abundante
plenitude, dilatado, dor g) Pulso tenso e vazio deficiência funcional geral
MÉTODO CINESIOLÓGICO PARA ANÁLISE ENERGÉTICA
Há o método de LT para determinar os meridianos com excesso de energia. No caso, o paciente deve colocar seus dedos indicador, médio e
anular de uma mão sobre o pulso radial do outro punho, como se fosse tomar seu próprio diagnóstico pulsológico. O terapeuta deverá usar como músculo
indicador um músculo do membro inferior. Utilizam-se os seguintes procedimentos: a) O paciente coloca os dedos da mão esquerda levemente sobre o
pulso radial direito, o terapeuta testa o músculo indicador. Avaliam-se os meridianos IG, E e TA em conjunto. b) O paciente aperta firmemente os dedos da
mão esquerda sobre o pulso radial direito enquanto o músculo indicador é testado. Avaliam-se os meridianos P, BP e CS em conjunto. c) O paciente coloca
levemente os dedos da mão direita sobre o pulso radial esquerdo, o terapeuta testa o músculo indicador. Avaliam-se em conjunto os meridianos ID, VB e B.
d) O paciente aperta firmemente os dedos da mão direita sobre o pulso radial esquerdo, enquanto o músculo indicador é testado. Avaliam-se os meridianos
C, F e R em conjunto. e) Os conjuntos de meridianos acima que diminuírem a resistência do músculo indicador mostram que um ou mais meridianos do
conjunto estão com excesso de energia. Para determinar quais os meridianos com excesso de energia devemos repetir os testes dos conjuntos de
meridianos que enfraquecem o músculo indicador, porém, em vez do paciente colocar os três dedos juntos sobre o pulso radial, ele deverá colocar um
dedo por vez enquanto o terapeuta avaliar o músculo indicador. A posição do pulso radial tocada pelo paciente que diminuir o tônus do músculo indicador
mostra o meridiano com excesso de energia. f) Todo o procedimento acima descrito pode ser repetido em forma de Desafio (o terapeuta coloca os dedos
no pulso do paciente), permitindo diagnosticar meridianos em deficiência.

SÍNDROMES ENERGÉTICAS DESCRITAS EM MTC


SÍNDROMES DO BAÇO
Deficiência do Qi do Baço: S/s – Cansaço, letargia, fraqueza, problemas de apetite, distensão abdominal, fezes soltas e insegurança, pulso
vazio, língua pálida e flácida, marcas de dentes.
Deficiência do Qi do Pulmão: S/s – Face branca e lustrosa, voz fraca, respiração curta, pulso vazio, língua pálida e flácida, marcas de dentes.
Deficiência do Qi do Rim: S/s – Edema, retenção urinária ou micção freqüente, dor nas costas, medo, pulso profundo, talvez flutuante, língua
pálida e flácida, com marcas dos dentes.
Deficiência do Qi do coração: S/s – Mãos e pés frios, palpitações, labilidade emocional, ansiedade, pulso talvez irregular, língua irregular na
ponta.
Baço sem conseguir conter o Sangue nos vasos: S/s – Sangue na urina ou nas fezes, menorragia, face pálida e com expressão estúpida, talvez
vertigem, pulso flutuante, língua talvez muito pálida.
Afundamento do Qi do Baço: S/s - Prolapsos, tônus muscular e cutâneo debilitados, desejo de se deitar e descansar, pulso profundo, língua
pálida e flácida, com marcas de dentes.
Umidade: S/s – Sensação de peso na cabeça, membros ou no corpo, talvez náusea, secreções esbranquiçadas ou erupções de pele contendo
fluido no interior, pulso escorregadio, língua saburra branca, úmida e oleosa.
Fleuma nos Pulmões: S/s – Catarro no nariz, garganta ou peito, pulso escorregadio, cheio na posição do pulmão, língua saburra branca, grossa
e oleosa.
Fleuma-Umidade invade a cabeça: S/s – Vertigem ou dor de cabeça, sensação de peso ou embotamento na cabeça, confusão mental, pulso
escorregadio, talvez com fluxo abundante, língua saburra branca e oleosa.
Estagnação do Qi do fígado: S/s - Frustração, depressão, náusea, distensão ou desconforto nas regiões epigástrica ou abdominal, pulso em
corda, língua talvez violácea.
Hiperatividade do yang do fígado: S/s – Sensação de cansaço, desmaio, irritabilidade e dor de cabeça se não comer em intervalos freqüentes,
pulso em corda, talvez flutuante, língua talvez trêmula.
Deficiência do yang do Baço: S/s - Sensação de frio, membros e abdome frios, desejo de se aquecer, exaustão, edema, alimentos não digeridos
presentes nas fezes, pulso vazio, profundo, lento, talvez escorregadio, língua pálida, úmida, talvez aumentada de volume, saburra branca.
Frio Umidade no Baço: S/s – Sensação aguda de frio, peso, letargia e falta de apetite após exposição ao frio e Umidade Exterior, pulso com
fluxo abundante ou apertado, língua pálida, úmida, talvez aumentada de volume, saburra branca.
Estagnação do Qi do baço e do estômago: S/s – Sensação de plenitude na região epigástrica ou abdominal, congestionamento mental, excesso
de solicitude ou apego em relação aos outros, pulso com fluxo abundante, talvez escorregadio, língua talvez saburra oleosa.
Estagnação do Qi do Fígado: S/s – Frustração, depressão, raiva reprimida, náusea ou dor abdominal, pulso em corda, língua talvez violácea.

SÍNDROMES DO FÍGADO E DA VESÍCULA BILIAR

Estagnação do Qi do fígado: S/s – Frustração, depressão, sentimento de bloqueio e impedimento, sensação de distensão no peito, no
hipocôndrio ou no abdome, suspiros, dor de cabeça, pulso retardado ou em corda, língua talvez violácea.
Estagnação do Qi do coração: S/s - Tristeza e melancolia, talvez dor ou sensação de desconforto no peito, talvez má circulação periférica, pulso
talvez irregular, língua como a anterior.
Estagnação do Qi do Baço: S/s – Preocupação e solicitude, distensão e desconforto na região abdominal, borborigmos, movimentos
peristálticos irregulares, pulso talvez mais escorregadio, língua saburra gordurosa.
Estagnação do Qi do estômago: S/s – Distensão e desconforto na região epigástrica, náusea, vômitos, soluços ou eructações azedas, pulso
talvez escorregadio, língua saburra gordurosa.
Estagnação do Qi do Pulmão: S/s – Raiva reprimida e mágoa, apego às relações do passado, talvez sensação de dor, desconforto ou plenitude
no peito, pulso talvez com fluxo abundante e profundo, língua talvez aumentada na área do pulmão.
Estagnação do Qi do Rim: S/s – Medo e ressentimento pelas mudanças e períodos de transformações da vida, como menstruação, parto, meia-
idade, amenorréia ou infertilidade, pulso talvez profundo e áspero, língua talvez aumentada.
Estagnação do Qi da Vesícula Biliar: S/s – Dor no hipocôndrio, náusea, icterícia, por exemplo, colecistite, pulso talvez escorregadio, língua
talvez saburra gordurosa amarelada.
Estagnação do Qi nos músculos: S/s – Tensão muscular nas pernas, ombros e pescoço especialmente, dor de cabeça, raiva reprimida, pulso
talvez cheio, língua talvez desviada.
Estagnação do Qi no tórax ou nas mamas: S/s – Sensação de distensão e dor no peito, que piora com emoções reprimidas, ou antes, da
menstruação, talvez sensação de obstrução na garganta, pulso talvez com fluxo abundante, língua vários.
Estagnação do Qi e Umidade no Aquecedor Inferior: S/s – Edema e distensão e dor abdominais que pioram com emoções reprimidas, sensação
de peso e de frio, talvez menstruação atrasada, pulso talvez escorregadio ou vazio, língua talvez saburra gordurosa úmida.
Estagnação de Sangue no Aquecedor Inferior: S/s – Dismenorréia, endometriose, menstruação irregular, pulso talvez áspero, língua talvez
vermelha ou roxa.
Hiperatividade do Yang do Fígado: S/s – Irritabilidade, tontura, dor de cabeça, pulso em corda, língua talvez normal.
Distúrbio do Espírito do Coração: S/s – Inquietação, hiperexcitabilidade ou ansiedade, insônia, pulso talvez irregular, língua talvez trêmula.
Deficiência do Qi do Baço: S/s – Cansaço, desmaio, dor de cabeça ou sensação de cabeça vazia, que piora se muito tempo sem comer, pulso
vazio talvez áspero, língua pálida, flácida.
Deficiência do Qi do Rim: S/s – Cansaço, labilidade emocional, talvez zumbidos nos ouvidos ou dor de cabeça com sensação de vazio na
cabeça, melhora com repouso, pulso profundo vazio, áspero, língua pálida, flácida.
Deficiência do Yin do Rim S/s – Cansaço com calor e inquieto, talvez com irritação nos olhos ou dor de cabeça com sensação de Calor, pulso
fino, rápido, língua vermelha, sem saburra.
Vento no Fígado: S/s – Tontura, perda da consciência, tremores, insensibilidade ou paralisia dos membros, tiques, espasmos ou desvio da boca
e da face, pulso em corda e variado, língua talvez móvel ou desviada + variada.
Fogo no Fígado: S/s – Raiva expressa ou reprimida, com dor de cabeça, tontura, sensação de calor, face e olhos vermelhos, talvez epistaxe,
pulso em corda, rápido e cheio, língua vermelha escura, saburra amarela.
Fogo no Coração: S/s - Hiperexcitabilidade, fala excessiva, mania ou ansiedade, pulso talvez apressado, língua ponta vermelha escura, trêmula.
Fogo no Pulmão: S/s - Tosse, febre, hemoptise, talvez dor no peito que piora ao tossir, pulso talvez com fluxo abundante, língua talvez saburra
gordurosa.
Fogo no estômago: S/s - Dor em queimação na região epigástrica, sede, mau hálito, constipação, talvez hematemese, pulso talvez áspero,
língua talvez fissura profunda no centro.
Calor no Sangue S/s - Menorragia ou erupção avermelhada intensa, quente com prurido, pulso em corda e cheio, rápido, língua vermelha
escura, saburra amarelada.
Umidade Calor em Fígado-Vesícula Biliar: S/s – Febril, talvez gosto amargo na boca, talvez sensação de peso, talvez raiva ou ressentimento
reprimidos, pulso em corda, rápido, escorregadio, língua vermelha, saburra gordurosa amarelada.
Umidade Calor na área da cabeça S/s - Otite média ou conjuntivite, pulso em corda, rápido, escorregadio, língua vermelha, saburra gordurosa
amarelada.
Umidade Calor no Aquecedor Médio S/s - Náusea, dor no hipocôndrio ou em região epigástrica, talvez icterícia, pulso em corda, rápido,
escorregadio, língua vermelha, saburra gordurosa amarelada.
Umidade Calor no Aquecedor Inferior: S/s - Dor, prurido e secreção na área genital, pulso em corda, rápido, escorregadio, língua vermelha,
saburra gordurosa amarelada.
Deficiência de Sangue no Fígado: S/s – Visão turva, dor de cabeça vaga, cansaço, tonteira; fraqueza, insensibilidade ou tremores dos músculos,
pulso fino, áspero, língua pálida, fina.
Deficiência do Jing do Rim: S/s - Mmemória fraca, falta de concentração, zumbidos nos ouvidos, articulações debilitadas, insegurança e
mobilidade restrita, pulso profundo, língua flácida.
Frio invade o Canal do Fígado: S/s – Dor no baixo abdome e testículos com sensação de frio que melhora com o calor, pulso profundo, em
corda, língua talvez pálida e úmida.
Deficiência do Fogo em Fígado-Vesícula Biliar: S/s – Falta de independência, de afirmação e raiva, dificuldade em dizer não ou impedir a
invasão dos próprios limites, pulso vazio, talvez profundo e lento, língua talvez pálida e flácida.
Deficiência do Qi do Rim e da Vesícula Biliar: S/s – Medo, timidez, insegurança, falta de firmeza, incerteza e indecisão, pulso vazio, talvez
retardado, língua talvez pálida e flácida.

SÍNDROMES DO RIM E DA BEXIGA

Deficiência do Jing do Rim: S/s – Diminuição da visão, audição, memória e da atividade sexual, queda de cabelo, diminuição da motilidade,
pulso fino, flutuante, profundo, língua vários tipos.
Deficiência do Qi do Rim: S/s – Cansaço, falta de reservas de energia, falta de ambição, medo, joelhos e região lombar debilitados, piora pelo
cansaço ou pelo esforço físico, pulso vazio, talvez variável, língua pálida, flácida.
Vontade Excessiva: S/s - Fforça de vontade e objetivos fora da realidade, resultando em exaustão e depressão, pulso vazio, talvez variável,
língua pálida, flácida.
Deficiência do Qi do Coração: S/s - Depressão ou labilidade emocional, talvez palpitações, pulso talvez irregular, língua talvez irregular na ponta.
Medo invade o Baço e o Estômago: S/s - Indigestão ou síndrome do colo irritável que piora por medo e por insegurança, pulso talvez móvel,
língua talvez trêmula.
Medo invade os pulmões S/s - Asma ou dispnéia que pioram pelo medo, pulso talvez móvel e em corda, língua talvez com saburra branca.
Medo invade coração: S/s - Palpitações ou sensação de desconforto no peito que piora por medo e por ansiedade, talvez ataques de pânico,
pulso talvez móvel e irregular, língua trêmula.
Hiperatividade do Yang do Fígado: S/s - +labilidade emocional e irritação, vertigem, zumbidos nos ouvidos ou dor de cabeça. Pulso - + em
corda. Língua - + talvez violácea.
Deficiência do Qi do Pulmão e do Baço: S/s - Facilidade de contrair infecções, as quais se arrastam por longo tempo no organismo, pulso
profundo, língua saburra branca.
Deficiência do Yang do Rim: S/s – Exaustão, extremidades inferiores frias, falta de interesse, depressão, impotência, pulso vazio, profundo,
lento, língua pálida, de volume aumentado, úmida, saburra branca.
Rim falha em receber o Qi: S/s - Respiração curta durante esforço físico, tosse ou asma que piora com exaustão ou com frio, pulso vazio,
profundo, lento, língua pálida, aumentada de volume, úmida, saburra branca.
Falta de firmeza do Qi do Rim: S/s - Incontinência urinária, de fezes ou esperma, micção freqüente ou leucorréia esbranquiçada crônica, pulso
flutuante, língua talvez fina.
Transbordamento de Água: S/s - Edema, distensão abdominal, oligúria, pulso talvez flutuante, língua talvez fina.
Deficiência do Yang do Baço: S/s - Desejo de se deitar, abdome frio, fleuma aquosa nos pulmões, distensão abdominal, fezes líquidas, soltas,
pulso talvez flutuante, língua talvez fina.
Deficiência do Yang do Coração: S/s - Lábios e unhas cianóticos, dor no peito, respiração curta, transpiração espontânea, pulso talvez em
corda, língua azul violácea.
Deficiência do Yin do Rim: S/s – Cansado, mas inquieto, rubor na região malar, sensação de calor nas palmas das mãos, plantas dos pés ou
peito, dor de garganta crônica, sede, pulso fino, rápido, língua vermelha, fina, seca sem saburra.
Fogo por Deficiência do Rim: S/s - Física, emocional e mentalmente inquietos e desconfortáveis, insônia, transpiração noturna, febril à tarde,
hiperatividade sexual inquieta, pulso fino, rápido, língua vermelha, fina, seca sem saburra.
Fogo e Hiperatividade do Yang do Fígado S/s - Irritabilidade, impaciência, raiva, vertigem e dor de cabeça, pulso em corda, língua manchas
vermelho-escuras nas bordas.
Fogo no Coração: S/s - Entusiasmo excessivo, hiperexcitação, ansiedade ou mania, insônia, palpitação ou dor no peito, pulso apressado, língua
trêmula, vermelho-escura na ponta.
Estagnação do Qi do Rim: S/s - Medo de mudanças, fixado no passado, talvez dismenorréia, menstruação irregular ou infertilidade, pulso
retardo, profundo, língua pálida flácida.
Umidade Calor na Bexiga: S/s – Queimação, dor ou dificuldade durante a micção, urina turva ou hematúria, pulso rápido, escorregadio, talvez
em corda, talvez fino ou com fluxo abundante, língua vermelha, oleosa, saburra amarela.

SÍNDROMES DO CORAÇÃO

Deficiência do Qi do Coração: S/s – Pior por esforço, cansaço, palpitações, falta de alegria ou labilidade emocional, pulso vazio, talvez variável
ou com fluxo abundante, língua depressão na área do coração.
Deficiência do Yang do Coração: S/s – Exaustão, palidez, talvez cianose, extremidades frias, sensações de frio, palpitações, talvez dor peito,
pulso vazio a pequeno, profundo, lento, língua – pálida, inchada, úmida.
Deficiência do Sangue do Coração: S/s – Cansaço, tonteira, insônia, palpitações memória fraca, palidez, pulso fino e áspero, língua pálida, fina,
talvez seca.
Estagnação do Qi do Coração: S/s – Tristeza e depressão que melhoram com exercícios físicos ou estímulo social, talvez dor ou sensação de
opressão no peito, pulso retardado, talvez irregular, língua talvez levemente violácea.
Estagnação do Sangue do Coração: S/s – Dor e desconforto na região cardíaca, talvez com irradiação para o braço, talvez cianose dos lábios e
unhas, pulso em corda, talvez áspero ou irregular, língua Violácea.
Deficiência do Yin do Coração: S/s – Ansiedade com inquietação e insônia, palpitações, sensação de calor, rubor na região malar, transpiração,
boca seca, pulso fino, rápido, talvez irregular, língua – vermelha, especialmente na ponta, fina, seca, talvez rachada na ponta, sem saburra.
Fogo no Coração: S/s – Hiperexcitabilidade, excesso de entusiasmo, desassossegado, hiperatividade com pressa, loquacidade, mania e talvez
depressão grave, talvez toda a face vermelha, sensação de calor, pulso cheio, rápido, talvez irregular, língua vermelha escura, especialmente na ponta,
saburra amarelada.
Fogo do Coração se movendo para baixo: S/s – Inquietação e agitação, talvez sensação de calor e desconforto no peito, sede, talvez úlceras na
língua, talvez queimação durante micção ou hematúria, pulso rápido, com fluxo abundante, língua vermelha com ponta vermelho-escura, saburra
amarelada.
Medo do Rim invade o Coração: S/s – Sobressalto com receio e apreensão, medo de perder o controle das emoções ou de uma situação, talvez
sensação de tremor real, pulso vazio ou fino, talvez móvel ou irregular, língua talvez trêmula.
Fleuma no Coração: S/s – Depressão, confusão ou embotamento mental, talvez discurso confuso ou reduzido, letargia, talvez sensação de
opressão ou dor vaga no peito, pulso escorregadio, talvez em corda ou retardado, língua talvez aumentada de volume, talvez pálida, saburra espessa
gordurosa.
Fleuma Fogo no Coração: S/s – Inquietação, confusão ou perturbação da mente ou das emoções, que podem ser graves, talvez, discurso
incoerente, insônia ou palpitações, pulso cheio ou com fluxo abundante, rápido, língua vermelha ou vermelha escura com saburra espessa amarelada e
gordurosa.

SÍNDROMES DO PULMÃO

Deficiência do Qi do Pulmão: S/s – Face lustrosa e pálida, facilidade de se resfriar, voz fraca, tosse fraca, fleuma aquosa, pulso vazio, língua
pálida.
Umidade no Baço: S/s - Muita fleuma, letargia, sensação de peso, distensão abdominal, fezes soltas, pulso escorregadio, língua saburra
gordurosa.
Deficiência do Yin do Pulmão: S/s – Cansaço, mas inquieto, rubor na região malar, dor de garganta com secura, tosse seca com pouca fleuma,
voz rouca, pulso fino, rápido, língua vermelha, fina seca, sem saburra.
Invasão de Vento nos Pulmões: S/s – Calafrios e febre, tosse com coceira na garganta, obstrução nasal, dores pelo corpo, pulso superficial,
língua saburra fina.
Vento Frio: S/s - Calafrios predominantes, aversão ao frio, espirros, muco aquoso transparente, pulso apertado, língua saburra branca.
Vento Calor S/s - Febre predominante, sede, garganta dolorida e hiperemiada, talvez muco nasal amarelado, pulso rápido, língua pontos
vermelhos nos lados ou na ponta.
Vento Secura: S/s - Secura na mucosa nasal, garganta e nos pulmões, amiúde, depois de exposição aguda ou prolongada à fumaça ou
aquecimento central muito seco, pulso superficial, língua saburra fina.
Estagnação do Qi do Pulmão: S/s – Sensação de bloqueio no peito, dispnéia, mágoa reprimida, depressão e dificuldades em libertar do
passado, pulso retardado, talvez escorregadio e com fluxo abundante, língua normal ou aumentada na área do pulmão.
Estagnação do Qi do Coração: S/s - Talvez palpitações ou dor no peito, dificuldades em expor os sentimentos num relacionamento íntimo, pulso
talvez irregular, língua talvez irregular na área do coração.
Estagnação do Qi do Baço: S/s - Solicitude com apego e possessividade por insegurança, talvez como indigestão, pulso talvez em corda, língua
talvez aumentada na área do baço-estômago.
Estagnação do Qi do Rim: S/s - Medo de ficar só, medo das mudanças, medo do desconhecido, talvez carcinoma de mama ou de útero, pulso
talvez profundo, língua pálida.
Estagnação do Qi do Fígado: S/s – Raiva reprimida, ressentimento e amargura durante as fases de mudança da vida ou dos relacionamentos,
pulso em corda, língua violácea.
Retenção de Fleuma nos Pulmões: S/s – Bronquite crônica com sensação de plenitude no peito, pulso escorregadio, língua saburra espessa
gordurosa.
Frio S/s - Fleuma profusa esbranquiçada, talvez sensação de frio, pulso talvez apertado, língua pálida, saburra branca.
Calor: S/s - Tosse estridente, com fleuma amarelada ou esverdeada que pode ser pegajosa ou difícil de ser expectorada, talvez febril, pulso
rápido, língua vermelha, saburra amarela.

SÍNDROMES DOS INTESTINOS

Deficiência do Yang do Intestino: S/s – Sensação de frio, membros e abdome frios, desejo de aquecer-se, exaustão, edema, alimentos não
digeridos nas fezes, pulso vazio, profundo, lento, talvez escorregadio, língua pálida, úmida, talvez aumentada, saburra branca.
Frio invade os Intestinos: S/s – Dor abdominal aguda e diarréia, com sensação de frio, após exposição do abdome ao frio exterior, pulso talvez
profundo em corda, língua talvez saburra branca espessa.
Secura no Intestino Grosso (Deficiência de Sangue e de Yin): S/s – Constipação com fezes ressecadas talvez corpo fino e boca seca, por
exemplo, nos idosos ou depois de perda grave de sangue na gravidez, pulso fino, talvez áspero, língua vermelha ou pálida, fina, seca, sem saburra.
Umidade Calor nos Intestinos: S/s – Diarréia ou disenteria, talvez com dor abdominal, muco ou sangue nas fezes ou dor em queimação anal,
pulso escorregadio, rápido, talvez com fluxo abundante, língua vermelha, saburra amarelada, gordurosa.
Calor no Intestino Delgado: S/s – Inquietação e agitação, talvez sensação de calor e desconforto no peito, sede, talvez úlceras na língua, talvez
queimação durante micção ou hematúria, pulso rápido, com fluxo abundante, língua vermelha com a ponta vermelha escura, saburra amarelada.
Calor no Intestino Grosso e Estômago: S/s – Constipação com sede, mau hálito, sensação de calor e amiúde com desconforto na região
epigástrica, pulso rápido, cheio, língua vermelha, saburra seca espessa, amarelada a marrom.
Estagnação do Qi nos Intestinos: S/s – Constipação ou movimentos peristálticos irregulares, com distensão e desconforto abdominais, talvez
pior depois de contrariedade emocional ou supressão de aborrecimento, pulso retardo ou em corda, talvez com fluxo abundante, língua vários.
Estagnação do Qi do Fígado S/s - Raiva reprimida, frustração ou depressão, talvez dos de cabeça, pulso em corda, língua violácea.
Estagnação do Qi do Pulmão: S/s - Mágoa reprimida, talvez sensação de plenitude no peito, pulso talvez profundo, língua talvez irregular na
área do pulmão.
Estagnação da Qi do Estômago (retenção de alimentos): S/s - Distensão e desconforto na região epigástrica prolongados depois de comer ou
comer demais, talvez depois de aborrecimento ou preocupação, pulso escorregadio, língua saburra espessa gordurosa.
Obstrução do Qi no Intestino Delgado: S/s – Obstrução intestinal aguda com dor violenta, talvez sem passagem de gases ou fezes, talvez
vômito, talvez de matéria fecal, pulso em corda, talvez escorregadio e com fluxo abundante, língua saburra espessa.
Medo e ansiedade invadem o Intestino: S/s – Distensão abdominal e movimentos peristálticos irregulares associados com medo e ansiedade,
pulso talvez rápido, irregular, língua talvez trêmula.

EXERCÍCIO PRÁTICO DE INTERPRETAÇÃO CHINESA


1. Mulher de 52 anos apresentava os seguintes sintomas:
 Dor de cabeça frontal, na face e às vezes no topo da cabeça. Iniciavam depois da ingestão de alimentos e pioravam as dores de cabeça eram do tipo
surdo.
 Durante o dia, havia sensação de atordoamento, sem tontura.
 Catarro crônico e rinite a 25 anos.
 Dor crônica na parte inferior das costas e micção freqüente.
 Cansaço freqüente.
 Obstinação, sem movimentos intestinais. Quando defecava as fezes eram algumas vezes soltas.
 Geralmente sentia muito frio.
 Pulso profundo, fraco e levemente em corda no lado direito.
 Língua pálida e inchada, com revestimento pegajoso.
DEFICIÊNCIA DO YANG DO BAÇO (PI) E RIM (SHEN).

2. Homem, 37 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Diarréia crônica a 5 anos com fezes pastosas e as vezes aquosas.
 Sentia-se muito cansado e atordoado.
 Apresentava exaustão após a defecação.
 Língua pálida e inchada.
 Pulso fraco no lado direito do corpo.
DEFICIÊNCIA DO YANG DO BAÇO PÂNCREAS (PI), COM PRESENÇA DE UMIDADE.

3. Mulher de 40 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Asma inicia da aos 20 anos de idade a partir de um trauma emocional.
 As crises eram claramente geradas por tensão emocional, sem base alérgica.
 Era muito tensa e irritável.
 Dor no hipocôndrio direito.
 Tensão pré-menstrual.
 Pulso em corda na posição média esquerda.
 Língua vermelha, com laterais mais vermelha s e revestimento amarelo.
ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) GERANDO FOGO DO FÍGADO (GAN).

4. Mulher, 63 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Dor na parte inferior das costas.
 Joelhos doloridos.
 Micção freqüente (inclusive à noite.).
 Apresentava cansaço, tontura, zumbido e sentia frio com facilidade.
 Língua pálida e inchada.
 Pulso profundo, lento e fraco, principalmente nas duas posições posteriores.
DEFICIÊNCIA DO YANG DO RIM (SHEN).

5. Mulher de 38 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Dor irradiando na região epigástrica para o hipocôndrio direito, acompanhada de distensão e arrotos.
 Movimentos intestinais difíceis com fezes em grãos, não secas.
 Freqüentemente deprimida e irritada.
 Períodos menstruais relativamente normais, porém com TPM. Gerando muita irritabilidade.
 Língua levemente vermelha apenas dos lados.
 Pulso ligeiramente em corda no lado esquerdo.
ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN).
6. Mulher de 63 anos apresentava os seguintes sintomas:
 Hipertensão arterial, cuja sistólica variava entre 15 e 20, e a diastólica era sempre 9,5.
 Cefaléia temporal latejante, com rigidez no pescoço e sensação de pressão na cabeça.
 Tontura.
 Zumbido.
 Visão borrada e olhos secos.
 Insônia (acordando várias vezes durante a noite - entre 1 e 3 horas)
 Sensação de calor ao anoitecer.
 Região malar com manchas vermelhas.
 Pulso em corda, porém fino.
 Língua vermelha, mais nas laterais, levemente rígida e com revestimento muito fino.
DEFICIÊNCIA DO YIN DO FÍGADO (GAN) COM PRESENÇA DE CALOR-VAZIO.

7. Mulher de 34 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Obstinação a 10 anos, com uma freqüência de evacuação no máximo 3 vezes por semana e fezes pequenas e secas.
 Respiração com odor fétido.
 Pulso sem características específicas.
 Língua normal, porém com revestimento amarelo e seco, mais espesso sobre a raiz.
CALOR NOS INTESTINOS (XIAOCHANG E DACHANG) E PRESENÇA DE CALOR NO ESTÔMAGO (WEI).

8. Homem, 58 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Adormecia com facilidade, porém acordava vá rias vezes durante a noite com uma sensação de secura na boca.
 Sofria de impotência há três anos.
 Corpo emagrecido.
 Agitação mental.
 Língua vermelha, revestimento muito fino e rachadura na ponta (região do coração (shen).
 Pulso fraco e fino no lado esquerdo do corpo.
DEFICIÊNCIA DO YIN DO RIM (SHEN) E TAMBÉM RIM (SHEN) E CORAÇÃO NÃO HARMÔNICOS.

9. Mulher de 39 anos apresentava os seguintes sintomas:


 Obstinação a 20 anos, com uma freqüência de evacuação no máximo 2 vezes por semana, porém com fezes não secas.
 Períodos menstruais escassos com cansaço pós menstrual.
 No período menstrual a evacuação tendia a ser mais freqüente com fezes maiores.
 Memória era fraca.
 Pulso fraco e instável.
 Língua pálida e parcialmente careca.
DEFICIÊNCIA DE SANGUE (XUE) DE FÍGADO (GAN), COM MODESTA ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN).

10. Homem, 42 anos apresentava os seguintes sintomas que surgiram repentinamente:


 Tremores e calafrios.
 Cefaléia occiptal fraca.
 Tosse moderada e espirros.
 Coriza aquosa e ausência de febre.
 Dores corporais generalizadas e leves.
 Transpiração leve.
 Aversão ao vento.
 Língua sem alteração.
 Pulso flutuante e lento.
VENTO FRIO COM PREDOMINÂNCIA DE VENTO

SÍNDROMES ENERGÉTICAS
A energia, o sangue e os Líquidos orgânicos são a base necessária ao funcionamento dos Zang-FU e o resultado de sua atividade.Os Zang Fu
podem apresentar modificações patológicas ao nível de Ki, Xue e dos Jin Ye.
1. Ki deficiente Sintomas são agravados pelo esforço, vertigens, ofuscações da vista, respiração curta atrapalhando a conversa, esgotamento,
transpiração espontânea, apresenta língua pálida e pulso fraco.Tratamento - R3, B23, VG4, VC4, B20, B21, BP6, F13, VC17, E36.
2. Ki Abatido É um agravamento do ki deficiente Sintomas, vertigens, ofuscações da vista, respiração curta, astenia, sensação de peso de dilatação
abdominal, ptose de órgãos, prolapso (anal ou uterino).Língua pálida com revestimento branco, pulso fraco.VC12, E25, B35, VC4, VC6.
3. Ki estagnante Ki não circula ou há um bloqueio funcional de um órgão ou de uma parte do corpo.Sintomas – Inchaço, tumefação, dilatação,
dores.Acontece devido a desregramento alimentar, agentes patogênicos externos, contusão, ferimento após esforço.Tratamento – fazer circular o KiVC12,
VC2, BP6, E36, F3, postos ashi, locais e distantes.
4. Sangue deficiente Sintomas – Rosto macilento, amarelo desbotado, lábios esbranquiçados, vertigens e ofuscações da vista, palpitações, insônia,
formigamentos nas mãos e pés. Nas mulheres pode causar oligomenorréia, ou até amenorréia, língua pálida, pulso fino e fraco.B20, 17, 43, 20, 21, E36,
BP10.

SANGUE EM ACÚMULO
1. Acúmulo de Sangue Sintomas - Esgotamento, transpiração espontânea, dores localizadas e não melhoram com a pressão. Língua púrpura ou pontos
roxos. Tratamento – tonificar o Ki e fazer circular o sangue B20, 21, E36, BP6,10,1, F13, 3, TA3, E29.
2. Acúmulos de Sangue e Vazio de Sangue Sintomas – Vertigens, ofuscações da vista, palpitações, insônia, tumefação, dor fixa que não melhora com
pressão. Língua pálida com pontos roxos. Pulso fino e áspero. Tratamento – Alimentar o sangue e faze-lo circular. B20, B21, B54, E36, BP6, F13, B43,
VC2, VC3, VC4.
3. Sangue Frio nos vasos sanguíneos. Sintomas - Dor que é aliviada pelo calor, corpo e membros frios. Língua pálida e baça. Pulso profundo, retardado.
Tratamento – P9, B17, 14,43.
4. Sangue Quente Sintomas - Agitação ansiosa podendo se tornar demência agitada, boca seca, mas sem vontade de beber, febre, agravamento dos
sintomas à noite. Pode-se observar todos os tipos de perdas de sangue. [Hematêmese (vômitos de sangue), Hematútia (sangue na urina), epistaxe
(sangramento pelo nariz), equimose (mancha escura ou avermelhada na pele ou mucosas)]. Nas mulheres a menstruação adianta e é abundante. Pulso
fino e rápido. Tratamento BP6, 10, F3, IG4, VC6, P9, B40.
5. Jin Ye Deficiente Sintomas – Garganta seca, lábios queimados,. Língua seca, sede, pouca ou nenhuma saliva, pele seca e desidratada, oligúria,
cíbalos (fezes secas dentro do intestino).Tratamento Aumentar os líquidos orgânicosB21, VC12, R2, 6, BP6
6. Observação:- Temos outras síndromes de mucosidades, ligadas ao BP.Edemas – Ligado ao BP e Rins.
7. Yin Deficiente Jin Ye mais Calor nos 5 corações (palma das mãos,região plantar e precordial), hipertermia, hipertermia, transpiração noturna, língua
escarlate, pulso rápido. Tratamento BP6, VC4, VC6, VC3.
8. Yang Deficiente Ki deficiente, temor ao frio aliviado pelo calor, membros frios, boca pálida e úmida, n ao tem sede, rosto pálido, urina clara ou oligúria
com edema, fezes pastosas.Tratamento – C9, CS9, CS6, TA3, moxa em BP6, VC6, VC4, E36.

RINS E BEXIGAO
Rins conservam a essência hereditária, dirigem aa formação da medula, controlam os líquidos orgânicos, garantem a recepção da energia (Ki).
As orelhas são os órgãos do sentido ligado aos Rins os orifícios somáticos são a uretra e o ânus. Os Rins atuam na reprodução, no crescimento, no
metabolismo da água, nas doenças referentes aos ossos, medula, cérebro, respiração, ouvido e excreções. Nos Rins moram o Yin Primordial e o Yang
Primordial, seu equilíbrio, garantem o bom funcionamento orgânico.A deficiência de um dos dois traz a doença. Não existe síndrome de Plenitude dos
Rins.
1. Deficiência de Yang de Rins Sintomas – Palidez na tez do rosto, corpo e membros frios, astenia psíquica, fraqueza lombar e mole.Impotência
masculina e esterilidade feminina (útero frio).Língua pálida com revestimento branco.Tratamento – VC4, VC6, B23, R7, 9, VG4, 14, VB39.
2. Jing do Rim deficiente Deficiência congênita ou por uma doença de longa duração Sintomas – temor ao frio que melhora pelo calor, corpo e membros
frios, oligúria, edema muito importante indo dos membros inferior à cintura. Ascite, palpitações cardíacas, dispnéia, tosse asmática, respiração sibilante
(com barulho).Língua pálida, grossa, apresentando marcas de dentes, com revestimento branco, deslizante.Pulso profundo em corda ou profundo,
retardado, sem força.Tratamento – B20, 23, VC9, 8,4, 3, 2, E28, BP9, R5, 7.
3. Ki de Rins deficiente Astenia mental, lombos e joelhos moles e lassos, micção freqüente de cor clara, gotas após micção, ou então, micção freqüente à
noite.Espermatorréia, ejaculção precoce nos homens, e nas mulheres leucorréia clara, riscos de aborto.Tratamento – VC4, VC6, R3, 5, 7, B23, 28, 52,
VG4.
4. Deficiência de Yin de RinsYin dos Rins são à base dos líquidos do organismo.Contribui para a parte fisiológica das substâncias nutritivas necessárias
ao organismo e controla o yang do Rim.Sintomas – Ofuscações da vista, vertigens, acúfenos, diminuição da acuidade visual, amnésia, insônia, fraqueza e
lassidão lombar e dos joelhos, emagrecimento, garganta e boca seca e mais à noite, calor nos 5 corações, febres vespertinas, transpiração noturna, faces
vermelhas.Homens – espermatorréia.Mulheres – oligomenorréia, amenorréia ou metrorragias (hemorragias uterinas).Língua – vermelha, com pouco
revestimento lingual seco. Tratamento – B17, 23, 52, R1, 2, 3, 6, 7, BP1, BP6, BP8, F1, F8, VC6. IG11.

BEXIGA
1. Calor e Umidade na Bexiga Sintomas – Vontade de fazer xixi com freqüência, micção difícil e dolorosa, urina escura, turva e às vezes sangrenta, urina
com areia, pode acompanhar febre e dor lombar.Língua com revestimento amarelo e gorduroso. Pulso rápido.Tratamento – B22, 23, 28, R3, F8, F2, BP6,
BP9, VC3, BP12.

BAÇO PÂNCREAS ESTÔMAGOO


Baço dirige o transporte, transformação e o controle do sangue.O Estômago governa a recepção e a decomposição dos alimentos.O Baço faz
subir, e o Estômago faz descer.O Baço tem afinidade com a secura, o Estômago com a Umidade.A associação deles permite a digestão, assimilação,
divisão dos alimentos, produção de Ki e do sangue, criação da energia adquirida.As Síndromes do Baço e Estômago podem ser divididas em Plenitude e
Deficiência.
Ki de Baço e Estômago Vazio Perda de apetite, ventre dilatado após as refeições, evacuações diarréicas. Dispnéia que atrapalha a fala,
membros fadigados, emagrecimento, rosto macilento. Língua pálida com revestimento branco. Pulso lento. Tratamento – B20, 21, E21, 36, BP6, BP9,
VC4, F13.
Yang do Baço Vazio Sintoma – Pouco apetite, ventre dilatado, estômago e ventre doloridos e aliviam com pressão e calor, boca pálida, sem
sede, membros frios, evacuações líquidas.Pode também –Membros e corpo edematosos, oligúria.Ou mulher com leucorréia fluídas, brancas e
abundantes.Língua pálida e macia, revestimento lingual, branco e deslizante. Pulso profundo.TratamentoB20, B21, E36, E41, VC12, F13, BP3, 6, 9.
Ki de Baço desmoronado ou afundado Vertigens, ofuscações de vista, voz fraca, respiração curta, astenia, transpiração espontânea, falta de
apetite, dilatações abdominais após refeição, ptose gástrica, vontade repetida de evacuar ou diarréia crônica, prolapso anal. Nas mulheres prolapso
uterino. Língua pálida, revestimento lingual branco. Pulso lento, sem força ou mole.Tratamento – VC4, VC6, VC8, VC12, VG20, E21, 36, B20, 23, 43.
Baço Não Governa o Sangue e Não Segura o Sangue Sangue na urina, hemorragia intestinal, vômitos de sangue, sangue extravasado
(hematoma), fluxo menstrual abundante, hemorragia uterina, e outras perdas de sangue podem estar associada aos sintomas de Vazio de Ki de Baço ou
do Yang de Baço (sem apetite, diarréia, astenia, respiração curta, língua pálida, pulso fino e fraco). Tratamento – B17, B20, BP6, BP10, E36, F1.
Frio e Umidade Invadem o Baço Sintomas – Dilatações abdominais com sensação de opressão, falta de apetite, náuseas, boca pálida, ausência
de sede. Dores abdominais, diarréia, cefaléias, corpo pesado, edemas, oligúria, rosto amarelado e descorado.Língua grossa e com revestimento branco,
Pulso mole.Tratamento – E21, 25, 36, BP9, B20, B23, VC4 VC6, VC12.Um agravamento deste quadro é Muco Turvo Perturbando a Cabeça que seria a
umidade no baço que pertuba a cabeça provocando tontura severa.
Umidade Calor de BAÇO – Estômago Sintomas - Sensação de estômago repleto com percepção de massas e de bolas no abdome, náuseas,
repugnância, vômitos. Membros e corpos lassos e pesados. Diarréia, oligúria. Rosto, pele, olhos ficando de cor amarela. Prurido, febre ondulante.
Persistência da febre após a transpiração. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso com tônus mole, mas rápido.Tratamento – B20, 21, 51, E36,
39, VC10, VC12, VB34, VB38, VC6, BP9.
Frio no Estômago Sintomas -Epigástrio e parte superior do abdome frios e doloridos. As dores se agravam pelo frio e acalmadas pelo calor.
Ausência de sede, regurgitação de líquido claro, vômitos após refeições, borborignos intestinais. Língua pálida com revestimento branco e deslizante.
Pulso em corda ou retardado.Tratamento – VC6, 4, 12, E36, B20, 21, F13, BP4.
Fogo no Estômago Sintomas – Dor ardente no Estômago, azia, sede e de beber bebidas frescas, esfomeado, mas com propensão de
emagrecer, vômitos após refeição ou dores após comer, hálito fétido, estomatites, gengivites, sangramento das gengivas, obstipação. Língua vermelha,
com revestimento amarelo. Pulso rápido.Tratamento – VC6, BP4, VC11, 12, E25, 36, 44.
Estagnação de Alimento no Estômago Ventre dilatado e dolorido, nojo pelo alimento, eructações ou vômitos ácidos e repugnantes de alimentos
digeridos, evacuações pastosas não moldadas. Revestimento lingual espesso e gorduroso. Pulso deslizante.Tratamento – VC10, 12, 22, 6, BP4,E21, E36,
R21, F2, F13, F14.
Insuficiência de Yin de Estômago Sintomas – Boca e língua seca, fome, mas não quer comer, vômitos, sensação de bola co Estômago, agitação
ansiosa, fezes presas, oligúria.Língua vermelha sem revestimento, pouca saliva. Pulso fino e rápido.Tratamento – E44, VC6, 12, B20, 21, BP6.
Síndromes de Fígado e Vesícula Biliar O Fígado armazena o sangue, governa a drenagem e o descongestionamento, controla os tendões.
Abre-se nos olhos, se manifesta nas unhas. Suas síndromes podem ser de Plenitude e deficiência.
Estagnação e Nodosidades do Ki de Fígado Sintomas – Deprimido, irritável, suspiros freqüentes, opressão torácica. Peito, flancos, seios, baixo
ventre inchados e dolorosos. Dismenorréia, menstruações irregulares, sensação de bolas na garganta, com impossibilidade de engolir, ou cuspir.
Intumescimento de pescoço (inchaço, aumento), massas no ventre fixas e móveis. Revestimento lingual delgado. Pulso em corda.Tratamento – B17, 18,
19, 51, F2, 3, 14, VB20, 34, E34, 36, VC6, BP6, C5, VC10.
Fogo de Fígado Inflama a parte superior do corpo. – Elevação do Excesso de Fígado.(Plenitude de Fogo de Fígado ou de Plenitude de Vesícula
Biliar)Sintomas – Cefaléias, vertigens, acúfenos (ruídos como os do mar), surdez, rosto e olhos vermelhos, boca amarga, garganta seca, dores ardentes
nos flancos. Nervosismo, irritação que pode levar a loucura.Distúrbio de sono, numerosos pesadelos, epistaxe, escarros sanguinolentos, obstipação, urina
amarela escura. Língua vermelha com revestimento amarelo e grosso. Pulso em corda e rápido.Tratamento – VG20, VG23, VB20, 34, 43, F2, 3, IG4, TA3,
5, 17, CS6, C7, E36.
Insuficiência de Sangue Fígado Sintomas - Rosto macilento, vertigens, perturbações do sono, muitos sonhos, acúfenos olho ressecado, sem
brilho, visão defeituosa, membros parestésicos (desordem nervosa, com sensações anormais), espasmo de tendino muscular, unhas descoradas e moles,
Sangramento menstrual escasso ou amenorréia. Língua pálida, pulso fino.TratamentoBP6, 9,10, E36, B17, B20, 21, F13, VG19, Yin Tang.
Subida de Yang de Fígado(super abundância de yang, yin vazio, fígado com excesso de calor.)Sintomas – Vertigens, acúfenos, cefaléias
momentâneas, rosto inchado e vermelho, olhos vermelhos, irritação, insônia, abundância de sonhos, amnésia, palpitações. Região lombar fraca, pernas
moles, língua vermelha escarlate, pulso em corda e rápido.Tratamento – B18, 23, R3, BP6, 10, VB20, 34, 38, F2, 3, VG20.
Yang de Fígado Tornando-se vento Sintomas – Vertigens, perda de equilíbrio, cefaléia que puxa, membros entorpecidos, tremores, agitação
involuntária das mãos e pés, andar inseguro, dificuldade de expor pensamentos. Língua vermelha, pulso em corda.Se o caso agravar – Síncope brutal,
língua rígida, não consegue falar, boca e olhos desviados, hemiplegia.Tratamento – VB20, IG11, VC6, BP6, R3.VG16, 20, 26, IG4, E36, Sangrar os pontos
Ting, F3, E40, P7, 8, R1.
Vazio de Sangue Cria Vento Sintomas -Vertigens, rosto macilento, amarelado, diminuição da acuidade visual, face dorsal das mãos
entorpecidas, ás vezes câimbras brutais nas mãos e nos pés, trismo. Língua pálida com pouco revestimento. Pulso em corda e fino.Tratamento - VG26,
B23, R3, BP10, E36, F3, B17, B43, VB38, VC6, Yin Tang.
Frio Estagna no Meridiano do Fígado Sintomas – Baixo ventre dolorido e inchado, esta dor inchaço pode se estender aos genitais. Pele dos
testículos encolhida. A dor melhora com o calor e piora com o frio. Corpo e membros frios. Revestimento lingual branco e deslizante, pulso profundo e em
corda. Tratamento – VC2, 4, 6, BP6, 9, F1, 3, 14, E29, B23.
Calor – Umidade no Fígado e Vesícula Biliar Sintomas – Flancos e lados inchados e doloridos, fadiga, abatimento. Anorexia, náuseas, vômitos,
boca amarga, dilatação abdominal, defecação irregular, oligúria escura. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso em corda, rápido.Às vezes o
corpo e os olhos podem se tornar amarelos, febre, calafrios alternados, no homem testículos inchados, quentes, doloridos, prurido no escroto; na mulher,
leucorréia amarela e mal cheirosa, prurido na parte externa dos genitais.Tratamento – VC3, 6, E29, BP1, 6, 9, TA10, 12, VB26, F5, 8, 9, 10,13.
Vazio de Vesícula Biliar Sintomas – Vertigens, ofuscações da vista, boca amarga, náuseas, repugnância, vômitos. Irritação impossível ficar
quieto, insônia, palpitações cardíacas (de medo), opressão torácica, grandes suspiros. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso em corda,
deslizante.Tratamento – VB20, F2, 3, VC6, E8, E40, VC12, R3.
Síndromes de Coração e Intestino Delgado O Coração comanda o sangue e os vasos e contém o Espírito(Shen*).Órgão do sentido – língua e o
conduto auditivo externo é sua abertura somática.Manifesta-se pela cor do rosto.Suas síndromes se dividem em Vazio e Plenitude.
Vazio de Ki de Coração, Vazio de Yang de Coração Sintomas Comuns das doenças por Vazio de Ki e por Vazio de Yang: Palpitações, dispnéia,
transpiração espontânea, e todos esses sinais são agravados pelo esforço. Pulso fino, fraco, periódico. Sintomas Particulares
- Vazio do Ki do coração Rosto descorado, fadiga psicossomática, língua pálida, revestimento lingual branco.
- Vazio de Yang de Coração Temor do Frio que melhora pelo Calor, tez acinzentada, opressão torácica, dores precordiais, língua grossa, macia,
de cor púrpura.
- Vazio Crítico de Yang de Coração Transpiração profusa, membros frios, lábios azulados, respiração fraca, pulso tênue (pouca consistência),
parece que vai parar, mente perturbada, às vezes síncope. Tratamento -Tonificar o Ki do Coração – B15, VC14, 17 e C9.-Aquecer o Yang – VC4, VC8,
VG20, 26, E36.
Vazio de Sangue, Vazio Yin de Coração Sintomas Comuns – Palpitações, insônias, abundância de sonhos, amnésia. Sintomas Particulares
- Vazio de Sangue de Coração Vertigens, tez do rosto macilenta, lábios e língua de cor pálida, pulso fino e fraco.
- Vazio de Yin de Coração Transpiração noturna, calor nos 5 corações, boca e garganta seca, língua vermelha com pouca saliva, pulso fino e
rápido. Tratamento -Alimentar o sangue, estabilizar a mente – C9, VC5, BP9, B15.
Fogo do Coração em Excesso Sintomas – Agitação, insônia, rosto vermelho e boca seca, ulcerações na mucosa bucal e língua, delírio verbal,
estado de excitação, urina escura podendo conter sangue, micção dolorida, pulso rápido.Tratamento - IG4, C7, B15, VG14, R3.
Mucosidade Perturba os Orifícios do Coração Sintomas – Perturbações de mente, idiota, pessoa não reconhece ninguém, fala sozinho, olhar
fixo, conduta anormal.Em casos graves há perda total dos sentidos, respiração difícil acompanhada com mucosidade, revestimento lingual branco, pulso
profundo, em corda, deslizante.Tratamento – VG20, 15, IG4, E40, TA8.
Fogo e a Mucosidade Perturbam o Coração Agitação, palpitações, insônia, abundância de sonhos, rosto vermelho, sede, boca amarga,
obstipação, oligúria.Quando se agrava – divagação verbal, choro e riso sem causa aparente, agitação maníaca, bate e insulta as pessoas. Língua
vermelha, revestimento lingual amarelo gorduroso, pulos em corda, deslizante e cheio.Tratamento – VC5, C8, VG14, 26.
Estase de Sangue do Coração Sintomas – Palpitações, precordialgias sentidas como picadas ou opressão dolorosa. A dor irradia-se para os
ombros e braços, geralmente para a borda medial do braço esquerdo.Corpo da língua é púrpuro escuro com pontos de cor violeta.O pulso é fino, áspero,
periódico.
Se a doença for mais grave – Dor é brutal, violenta, os membros vão estar esfriados, os lábios tornam-se violáceos, pode surgir perda de
sentido, o pulso está muito pequeno e prestes a parar.Tratamento – fazer circular o yang, dissolver as estases – B15, 14, VC14, 17, CS6, C5, B17,
P9.Fazer voltar o yang do coração – VG26, R1, E36, CS6, VC6.
Calor no Intestino Delgado Sintomas – quando o calor de coração se desloca par o ID além dos sintomas de Fogo de coração (agitação
ansiosa, rosto vermelho, insônia, delírio verbal....) apresenta sinais urinários – disúria, hematúria, ou então queimação e dor na uretra. A língua está
vermelha com revestimento amarelo. Pulso está deslizante e rápido.Tratamento – IG4, C7, B15, R3, ID8, B27.
Ki do Intestino Delgado Doloroso Sintomas – Bacinete dolorido (parte superior do ureter), as dores do tipo de deficiência podem começar na
região lombar e descer em direção aos genitais. Abdome dilatado, borborignos intestinais, intumescimento do escroto. Língua pálida com revestimento
branco e delgado. Pulso profundo em corda e tenso.Esta descrição é semelhante à de Frio estagna o meridiano de Fígado.Tratamento – VC5, BP6, F1,
B23, VC6, E29.
Frio do Intestino Delgado Sintomas – Dores abdominais aliviadas pela pressão e o calor, borborignos intestinais, diarréia pastosa, polaciúria.
Língua pálida, revestimento lingual branco e delgado. Pulso profundo, lento.Esta descrição é semelhante à de Yang de Baço Vazio.Tratamento – B20, B21,
E36, E41, VC12, BP2, 3, 6, 9.
Síndromes de Pulmão e Intestino Grosso O Pulmão comanda a respiração, governa o Ki, dirige a descida, purificação, descida, regula a via da
água.Órgão do sentido – nariz, sua correspondências é a pele.As síndromes são de Vazio e de Plenitude
Ki de Pulmão Vazio Sintomas – Apatia, pouca energia, tosse asmática, sem força, dispnéia após um esforço, voz fraca, transpiração
espontânea, temor ao frio, rosto descorado. Língua pálida, Pulso Vazio.Tratamento – B13, P1, P7, P9, VC17, IG4, IG18, E36.
Vazio de Yin de Pulmão Sintomas – Tosse seca, pouca mucosidade e às vezes misturada com sangue. Respiração curta, garganta e boca
seca, afonia, febre vesperal, transpiração noturna, bochecha vermelha, calor nos 5 corações, emagrecimento. Língua seca e vermelha. Pulso fino e
rápido. Tratamento – P6, 9, 10, B43, B13, 23, BP6.
Frio Perverso Agride o Pulmão e a Superfície Sintomas – Tosse, respiração acelerada e ofegante, mucosidade fluidas e brancas, nariz tapado
com secreção de líquido claro, ausência de sede, pode acompanhar febre com temor ao frio, cefaléia e lassidão. Revestimento lingual branco, pulso tenso
e superficial.Tratamento – VG14, ID15, B13, B45, B60, VC12, VC17, VC22, VB20, P5, 7, 9, IG4, 11, 20.
Calor Perverso Obstrui o Pulmão e Invade a Superfície Sintomas – Tosse asmática, respiração ruidosa, mucosidade amarela e espessa,
garganta dolorida, sede, obstipação, oligúria. Língua vermelha, revestimento amarelo e seco. Pulso rápido e superficial. Estes sintomas podem se associar
a Febre com leve temor ao Vento e do Frio e apresentar dor torácica, escarro de mucosidade com sangue.Tratamento – VG13, 12, VB20, IG4, IG11, TA5,
B13, B45, VC22, E40, P5, 7,11, ID18.
Secura Perversa Fere o Pulmão e Prejudica a superfície Sintomas – Tosse seca pouco produtiva, mucosidade pegajosa com dificuldade de
expectorar, ou escarros espumosos, nariz e garganta secos. Se a tosse for forte aparece dor torácica, afonia, Língua seca com revestimento delgado seco.
Pulso fino. Se aparecer febre com temor ao vento e ao frio, cefaléia o pulso ficará fino e superficial.Tratamento – P6, 9,10, B12, 13, 23, R3, 7.
Pulmão obstruído pela mucosidade e a umidade Sintomas – Tosse com mucosidade abundante, humores brancos e fluídos, fáceis de
expectorar, opressão no peito, às vezes dispnéia com mucosidade. Língua pálida, revestimento lingual branco e gorduroso. Pulso em corda, deslizante,
lento.TrataemntoVC17, VC22, B13, 20, BP9, CS6, P5, 7, 9.
Vento Invadindo o Pulmão Sintomas são os da gripe e é diferenciado se for de calor ou de frio.Frio – secreção branca e fluída Calor – secreção
amarela e grossa.
Intestino Grosso Deficiência de Líquidos em IG. Sintomas – Obstipação, evacuação difícil e poucas vezes. Vertigens, boca seca, garganta
seca, mau hálito. . Língua vermelha com revestimento amarelo e seco. Pulso fino, rápido. Tratamento – VG14, ID15, B13, B45, B60, VC12, VC17, 22,
VB20, P5, 7, 9, IG4, 11, 20.
Umidade Calor ataca Intestino GrossoSintomas – Abdome dolorido, diarréia, pus e sangue misturado nas fezes, contração anal, ardência no
ânus, boca seca, ausência de se sede, oligúria. Àsvezes e calafrios alternados e neste caso haverá sede. Língua vermelha com revestimento amarelo e
gorduroso. Pulso deslizante, rápido.Tratamento – VC12, E25, E37, VC6, IG11, BP9, B25.

FUNÇÃO ENERGÉTICA DOS PONTOS DE ACUPUNTURA


Os pontos de acupuntura funcionam como meio de comunicação entre o Exterior e o Interior do nosso corpo, por isso recebem as influências
das Energias Celestes e das Energias Perversas que transmitem para os Canais de Energia que por sua vez transmitem para os Órgãos e Vísceras e
estes para os tecidos. Os pontos de acupuntura podem ter efeito semelhante em todos os Canais de Energias (pontos Shu antigos, Luo, fonte...), podem
ter ação específica (pontos Ashi, pontos de Acupuntura em geral), podem ter uma função energética sobre os Zang Fu (pontos para tirar calor, umidade,
mucosidade, tonificar ou sedar os Zang Fu).
B19 Shu da VB, harmoniza o Ki do F e VB e Ki geral.
B22 Shu do TA, dispersa a energia yang do TA. Harmoniza o TA e via das águas, afasta a umidade, tonifica o Ki dos Rins.
B35 Faz limpeza do calor perverso, afasta a umidade-calor do TA inferior.
B40 Harmoniza e fortalece Ki de BP, Harmoniza o Ki do Estômago, afasta a umidade e a umidade calor.
B43 – Hepatite, gastrite, colecistite.
B45 – Fortalece o Ki do BP, recupera a perda do Ki por esforços, tonifica o Ki de R e P.
B51 – Lombociatalgia, paralisia de membro inferior, dor na região glútea.
B52 – retenção urinária, problemas de VB, cistite, igual aos de cima.
BP1 – Ponto madeira e Ting, harmoniza o Ki de BP, aumenta e aquece o Ki de BP. acalma o Shen e clareia a mente.
BP2 – Ponto Iong – Fogo, Harmoniza Ki de BP e Estômago, dissolve a estagnação do tubo digestivo.
BP3 – Ponto Iu – Terra, Harmoniza e fortalece o Ki de BP, harmoniza o Ki de Estomago e dos Intestinos e TA médio, transforma a |umidade e
Umidade Calor.
BP12 – Promove a circulação de Ki e sangue, transforma a umidade.
C8 – Ponto Iong – Fogo, Harmoniza e fortalece o Ki do Coração, aumenta a circulação de sangue nos vasos sanguíneos, acalma o shen.
CS9 – Ponto Ting – Madeira, Harmoniza o Ki de Coração, restaura o colapso de yang Ki, faz limpeza do calor do coração.
E8 – Ponto de reunião com cana do VB, clareia a visão e dispersa o vento e calor do yang ming.
E28 – Rege os líquidos orgânicos, fortalece o Ki da B., regula a via das águas, dissipa op calor perverso de TA.
E29 – dismenorréia, prolapso uterino, hérnia inguinal, infertilidade masculina e feminina.
E34 – Fortalece e circula o Ki de estômago, dispersa o vento perverso, limpa o canal do yang ming.
E41 – Ponto King – Fogo, harmoniza as funções energéticas de estômago e intestinos, acalma o shen e clareia a mente, tonifica o Ki dos
tendões e músculos, dispersa a umidade e vento.
E44 – Ponto Iong – Água, harmoniza o Ki do Estômago e Intestinos, circula o Ki do Estômago, transforma umidade-calor, refresca o calor do
yang ming.
F1- Ponto Ting – Madeira, Harmonia e tonifica o Ki de F. e do sangue, clareia o Shen a mente e a visão, reduz o yang excessivo de fígado.
F8 – Ponto Ho –água, harmoniza o Ki do fígado e do sangue, dissipa o yang excessivo de F. e de seu canal de energia, dissipa a umidade –
calor.F10 – Meteorismo intestinal (barulho típico do abdome), retenção urinária.
ID8 – Ponto Ho – Terra, dispersa as energias perversas, relaxa os músculos e tendões.
ID15 – Faz a difusão de Ki de Pulmão, limpa o calor perverso.
ID18 – dispersa o vento frio perverso, faz limpeza do calor perverso.
IG11 – Ponto HO, Terra, Regula a circulação de Ki e Sangue nos canais de energia, harmoniza a energia essencial e o sangue, fortalece o
sangue, elimina vento perverso e a umidade, refresca o calor, reduz a febre.
IG18 – circula e difunde o Ki do Pulmão, umedece a garganta, transforma a umidade.
IG20- Circula o Ki do nariz, dissipa o vento, vento-frio e o vento calor, remove a estagnação de Ki do nariz.
P5- Ponto Ho, água, dissipa e elimina o calo, vento – calor de pulmão, faz circular o Ki para baixo, alivia a plenitude de Ki do Tórax.
P8 – Ponto King – Metal, Toasse, dispnéia, asma, angina, dor de punho.
P10 – Ponto Iong – Fogo, regula o Ki do Pulmão, faz circular o Ki da garganta, dispersa o vento calor, dispersa o yang excessivo dos 12 canais
de energia principais.
R5 – Tonifica o Ki dos rins, harmoniza o ki da bexiga, circula o Ki do TA inferior.
R9 – Tonifica o Ki do Rim, acalma o shen.
R21 – Algias torácicas, náuseas e vômitos, eructações, diarréia, gastrite crônica.
TA3 – Ponto Iu, Madeira, facilita a circulação de Ki, harmoniza o Ki do ouvido.
TA8 – Remove as obstruções do canal de energia e de Ki, abre os orifícios sensoriais, dispersa o vento.
TA10 – Ponto Ho – Terra, acalma o shen e clareia a mente, dispersa vento, dissolve a estagnação de umidade-calor.
TA12 – Cefaléia, dores no braço, convulsão, dor de dente.
VB38 – Ponto King - Fogo, harmoniza o Ki de VB., Dispersa vento e a umidadecalor.
VB43 – Ponto Iong – água, harmoniza o Ki da VB., Dissipa o Yang de F., dispersa o calor do corpo, dispersa vento perverso.
VC2 – Supre a falta de Ki de Rins, fortalece o yang Ki, mantém a essência, harmoniza o Ki da Bexiga, Aquece o frio, fortalece o TA médio.
VC5 – Ponto Mo de TA, tonifica e aquece o yang Ki, aquece o frio, fortalece o Ki ancestral, faz retornar a energia sexual, harmoniza e aquece o
útero e próstata, faz aumentar o Wei Ki.
VC8 – fortalece e aquece o ki de BP e estômago, tonifica o yang Ki dos Rins, harmoniza os intestinos, harmoniza a via das águas, dispersa a
umidade.VC10 – Faz aumentar a circulação de Ki e as funções de transporte/transformação de BP e Estômago, dissipa a Umidade e Umidade Calor,
favorece a eliminação de água e da umidade (diurese).
VC11 – Harmoniza o Ki de BNP e Estômago, aquece BP, auxilia as funções de Estômago e Intestinos, tonifica o yang Ki (nutrição).
VC22 – harmoniza e difunde o Ki de Pulmão, umedece e refresca a garganta e clareia a voz, descongestiona a estagnação da mucosidade.
VG12 – Harmoniza e difunde o Ki de Pulmão, acalma o shen, e faz limpeza de Fogo do Coração, mantém a vontade, relaxa tendões e
músculos.VG13 – Fortalece e difunde o Ki de P. e o Wei Ki, acalma o shen e clareia a mente.
VG15 – Fortalece as funções do Du Mai, Acalma o Shen e clareia a mente.
VG19 – Clareia a mente, induz a reanimação, dispersa o vento e a umidade –calor,
VG23 – Clareia a mente e a visão, elimina o calor e dispersa o vento-calor, induz a reanimação.
Yintang – Elimina a energia perversa Vento Calor, acalma o shen e clareia a mente, descongestiona o nariz.

SÍNDROMES ENERGÉTICAS
A energia, o sangue e os Líquidos orgânicos são a base necessária ao funcionamento dos Zang-FU e o resultado de sua atividade.Os Zang Fu
podem apresentar modificações patológicas ao nível de Ki, Xue e dos Jin Ye.
5. Ki deficiente Sintomas são agravados pelo esforço, vertigens, ofuscações da vista, respiração curta atrapalhando a conversa, esgotamento,
transpiração espontânea, apresenta língua pálida e pulso fraco.Tratamento - R3, B23, VG4, VC4, B20, B21, BP6, F13, VC17, E36.
6. Ki Abatido É um agravamento do ki deficiente Sintomas, vertigens, ofuscações da vista, respiração curta, astenia, sensação de peso de dilatação
abdominal, ptose de órgãos, prolapso (anal ou uterino).Língua pálida com revestimento branco, pulso fraco.VC12, E25, B35, VC4, VC6.
7. Ki estagnante Ki não circula ou há um bloqueio funcional de um órgão ou de uma parte do corpo.Sintomas – Inchaço, tumefação, dilatação,
dores.Acontece devido a desregramento alimentar, agentes patogênicos externos, contusão, ferimento após esforço.Tratamento – fazer circular o KiVC12,
VC2, BP6, E36, F3, postos ashi, locais e distantes.
8. Sangue deficiente Sintomas – Rosto macilento, amarelo desbotado, lábios esbranquiçados, vertigens e ofuscações da vista, palpitações, insônia,
formigamentos nas mãos e pés. Nas mulheres pode causar oligomenorréia, ou até amenorréia, língua pálida, pulso fino e fraco.B20, 17, 43, 20, 21, E36,
BP10.

SANGUE EM ACÚMULO
9. Acúmulo de Sangue Sintomas - Esgotamento, transpiração espontânea, dores localizadas e não melhoram com a pressão. Língua púrpura ou pontos
roxos. Tratamento – tonificar o Ki e fazer circular o sangue B20, 21, E36, BP6,10,1, F13, 3, TA3, E29.
10. Acúmulos de Sangue e Vazio de Sangue Sintomas – Vertigens, ofuscações da vista, palpitações, insônia, tumefação, dor fixa que não melhora com
pressão. Língua pálida com pontos roxos. Pulso fino e áspero. Tratamento – Alimentar o sangue e faze-lo circular. B20, B21, B54, E36, BP6, F13, B43,
VC2, VC3, VC4.
11. Sangue Frio nos vasos sanguíneos. Sintomas - Dor que é aliviada pelo calor, corpo e membros frios. Língua pálida e baça. Pulso profundo, retardado.
Tratamento – P9, B17, 14,43.
12. Sangue Quente Sintomas - Agitação ansiosa podendo se tornar demência agitada, boca seca, mas sem vontade de beber, febre, agravamento dos
sintomas à noite. Pode-se observar todos os tipos de perdas de sangue. [Hematêmese (vômitos de sangue), Hematútia (sangue na urina), epistaxe
(sangramento pelo nariz), equimose (mancha escura ou avermelhada na pele ou mucosas)]. Nas mulheres a menstruação adianta e é abundante. Pulso
fino e rápido. Tratamento BP6, 10, F3, IG4, VC6, P9, B40.
13. Jin Ye Deficiente Sintomas – Garganta seca, lábios queimados,. Língua seca, sede, pouca ou nenhuma saliva, pele seca e desidratada, oligúria,
cíbalos (fezes secas dentro do intestino).Tratamento Aumentar os líquidos orgânicosB21, VC12, R2, 6, BP6
14. Observação:- Temos outras síndromes de mucosidades, ligadas ao BP.Edemas – Ligado ao BP e Rins.
15. Yin Deficiente Jin Ye mais Calor nos 5 corações (palma das mãos,região plantar e precordial), hipertermia, hipertermia, transpiração noturna, língua
escarlate, pulso rápido. Tratamento BP6, VC4, VC6, VC3.
16. Yang Deficiente Ki deficiente, temor ao frio aliviado pelo calor, membros frios, boca pálida e úmida, n ao tem sede, rosto pálido, urina clara ou oligúria
com edema, fezes pastosas.Tratamento – C9, CS9, CS6, TA3, moxa em BP6, VC6, VC4, E36.

RINS E BEXIGAO
Rins conservam a essência hereditária, dirigem aa formação da medula, controlam os líquidos orgânicos, garantem a recepção da energia (Ki).
As orelhas são os órgãos do sentido ligado aos Rins os orifícios somáticos são a uretra e o ânus. Os Rins atuam na reprodução, no crescimento, no
metabolismo da água, nas doenças referentes aos ossos, medula, cérebro, respiração, ouvido e excreções. Nos Rins moram o Yin Primordial e o Yang
Primordial, seu equilíbrio, garantem o bom funcionamento orgânico.A deficiência de um dos dois traz a doença. Não existe síndrome de Plenitude dos
Rins.
5. Deficiência de Yang de Rins Sintomas – Palidez na tez do rosto, corpo e membros frios, astenia psíquica, fraqueza lombar e mole.Impotência
masculina e esterilidade feminina (útero frio).Língua pálida com revestimento branco.Tratamento – VC4, VC6, B23, R7, 9, VG4, 14, VB39.
6. Jing do Rim deficiente Deficiência congênita ou por uma doença de longa duração Sintomas – temor ao frio que melhora pelo calor, corpo e membros
frios, oligúria, edema muito importante indo dos membros inferior à cintura. Ascite, palpitações cardíacas, dispnéia, tosse asmática, respiração sibilante
(com barulho).Língua pálida, grossa, apresentando marcas de dentes, com revestimento branco, deslizante.Pulso profundo em corda ou profundo,
retardado, sem força.Tratamento – B20, 23, VC9, 8,4, 3, 2, E28, BP9, R5, 7.
7. Ki de Rins deficiente Astenia mental, lombos e joelhos moles e lassos, micção freqüente de cor clara, gotas após micção, ou então, micção freqüente à
noite.Espermatorréia, ejaculção precoce nos homens, e nas mulheres leucorréia clara, riscos de aborto.Tratamento – VC4, VC6, R3, 5, 7, B23, 28, 52,
VG4.
8. Deficiência de Yin de RinsYin dos Rins são à base dos líquidos do organismo.Contribui para a parte fisiológica das substâncias nutritivas necessárias
ao organismo e controla o yang do Rim.Sintomas – Ofuscações da vista, vertigens, acúfenos, diminuição da acuidade visual, amnésia, insônia, fraqueza e
lassidão lombar e dos joelhos, emagrecimento, garganta e boca seca e mais à noite, calor nos 5 corações, febres vespertinas, transpiração noturna, faces
vermelhas.Homens – espermatorréia.Mulheres – oligomenorréia, amenorréia ou metrorragias (hemorragias uterinas).Língua – vermelha, com pouco
revestimento lingual seco. Tratamento – B17, 23, 52, R1, 2, 3, 6, 7, BP1, BP6, BP8, F1, F8, VC6. IG11.

BEXIGA
2. Calor e Umidade na Bexiga Sintomas – Vontade de fazer xixi com freqüência, micção difícil e dolorosa, urina escura, turva e às vezes sangrenta, urina
com areia, pode acompanhar febre e dor lombar.Língua com revestimento amarelo e gorduroso. Pulso rápido.Tratamento – B22, 23, 28, R3, F8, F2, BP6,
BP9, VC3, BP12.

BAÇO PÂNCREAS ESTÔMAGOO


Baço dirige o transporte, transformação e o controle do sangue.O Estômago governa a recepção e a decomposição dos alimentos.O Baço faz
subir, e o Estômago faz descer.O Baço tem afinidade com a secura, o Estômago com a Umidade.A associação deles permite a digestão, assimilação,
divisão dos alimentos, produção de Ki e do sangue, criação da energia adquirida.As Síndromes do Baço e Estômago podem ser divididas em Plenitude e
Deficiência.
Ki de Baço e Estômago Vazio Perda de apetite, ventre dilatado após as refeições, evacuações diarréicas. Dispnéia que atrapalha a fala,
membros fadigados, emagrecimento, rosto macilento. Língua pálida com revestimento branco. Pulso lento. Tratamento – B20, 21, E21, 36, BP6, BP9,
VC4, F13.
Yang do Baço Vazio Sintoma – Pouco apetite, ventre dilatado, estômago e ventre doloridos e aliviam com pressão e calor, boca pálida, sem
sede, membros frios, evacuações líquidas.Pode também –Membros e corpo edematosos, oligúria.Ou mulher com leucorréia fluídas, brancas e
abundantes.Língua pálida e macia, revestimento lingual, branco e deslizante. Pulso profundo.TratamentoB20, B21, E36, E41, VC12, F13, BP3, 6, 9.
Ki de Baço desmoronado ou afundado Vertigens, ofuscações de vista, voz fraca, respiração curta, astenia, transpiração espontânea, falta de
apetite, dilatações abdominais após refeição, ptose gástrica, vontade repetida de evacuar ou diarréia crônica, prolapso anal. Nas mulheres prolapso
uterino. Língua pálida, revestimento lingual branco. Pulso lento, sem força ou mole.Tratamento – VC4, VC6, VC8, VC12, VG20, E21, 36, B20, 23, 43.
Baço Não Governa o Sangue e Não Segura o Sangue Sangue na urina, hemorragia intestinal, vômitos de sangue, sangue extravasado
(hematoma), fluxo menstrual abundante, hemorragia uterina, e outras perdas de sangue podem estar associada aos sintomas de Vazio de Ki de Baço ou
do Yang de Baço (sem apetite, diarréia, astenia, respiração curta, língua pálida, pulso fino e fraco). Tratamento – B17, B20, BP6, BP10, E36, F1.
Frio e Umidade Invadem o Baço Sintomas – Dilatações abdominais com sensação de opressão, falta de apetite, náuseas, boca pálida, ausência
de sede. Dores abdominais, diarréia, cefaléias, corpo pesado, edemas, oligúria, rosto amarelado e descorado.Língua grossa e com revestimento branco,
Pulso mole.Tratamento – E21, 25, 36, BP9, B20, B23, VC4 VC6, VC12.Um agravamento deste quadro é Muco Turvo Perturbando a Cabeça que seria a
umidade no baço que pertuba a cabeça provocando tontura severa.
Umidade Calor de BAÇO – Estômago Sintomas - Sensação de estômago repleto com percepção de massas e de bolas no abdome, náuseas,
repugnância, vômitos. Membros e corpos lassos e pesados. Diarréia, oligúria. Rosto, pele, olhos ficando de cor amarela. Prurido, febre ondulante.
Persistência da febre após a transpiração. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso com tônus mole, mas rápido.Tratamento – B20, 21, 51, E36,
39, VC10, VC12, VB34, VB38, VC6, BP9.
Frio no Estômago Sintomas -Epigástrio e parte superior do abdome frios e doloridos. As dores se agravam pelo frio e acalmadas pelo calor.
Ausência de sede, regurgitação de líquido claro, vômitos após refeições, borborignos intestinais. Língua pálida com revestimento branco e deslizante.
Pulso em corda ou retardado.Tratamento – VC6, 4, 12, E36, B20, 21, F13, BP4.
Fogo no Estômago Sintomas – Dor ardente no Estômago, azia, sede e de beber bebidas frescas, esfomeado, mas com propensão de
emagrecer, vômitos após refeição ou dores após comer, hálito fétido, estomatites, gengivites, sangramento das gengivas, obstipação. Língua vermelha,
com revestimento amarelo. Pulso rápido.Tratamento – VC6, BP4, VC11, 12, E25, 36, 44.
Estagnação de Alimento no Estômago Ventre dilatado e dolorido, nojo pelo alimento, eructações ou vômitos ácidos e repugnantes de alimentos
digeridos, evacuações pastosas não moldadas. Revestimento lingual espesso e gorduroso. Pulso deslizante.Tratamento – VC10, 12, 22, 6, BP4,E21, E36,
R21, F2, F13, F14.
Insuficiência de Yin de Estômago Sintomas – Boca e língua seca, fome, mas não quer comer, vômitos, sensação de bola co Estômago, agitação
ansiosa, fezes presas, oligúria.Língua vermelha sem revestimento, pouca saliva. Pulso fino e rápido.Tratamento – E44, VC6, 12, B20, 21, BP6.
Síndromes de Fígado e Vesícula Biliar O Fígado armazena o sangue, governa a drenagem e o descongestionamento, controla os tendões.
Abre-se nos olhos, se manifesta nas unhas. Suas síndromes podem ser de Plenitude e deficiência.
Estagnação e Nodosidades do Ki de Fígado Sintomas – Deprimido, irritável, suspiros freqüentes, opressão torácica. Peito, flancos, seios, baixo
ventre inchados e dolorosos. Dismenorréia, menstruações irregulares, sensação de bolas na garganta, com impossibilidade de engolir, ou cuspir.
Intumescimento de pescoço (inchaço, aumento), massas no ventre fixas e móveis. Revestimento lingual delgado. Pulso em corda.Tratamento – B17, 18,
19, 51, F2, 3, 14, VB20, 34, E34, 36, VC6, BP6, C5, VC10.
Fogo de Fígado Inflama a parte superior do corpo. – Elevação do Excesso de Fígado.(Plenitude de Fogo de Fígado ou de Plenitude de Vesícula
Biliar)Sintomas – Cefaléias, vertigens, acúfenos (ruídos como os do mar), surdez, rosto e olhos vermelhos, boca amarga, garganta seca, dores ardentes
nos flancos. Nervosismo, irritação que pode levar a loucura.Distúrbio de sono, numerosos pesadelos, epistaxe, escarros sanguinolentos, obstipação, urina
amarela escura. Língua vermelha com revestimento amarelo e grosso. Pulso em corda e rápido.Tratamento – VG20, VG23, VB20, 34, 43, F2, 3, IG4, TA3,
5, 17, CS6, C7, E36.
Insuficiência de Sangue Fígado Sintomas - Rosto macilento, vertigens, perturbações do sono, muitos sonhos, acúfenos olho ressecado, sem
brilho, visão defeituosa, membros parestésicos (desordem nervosa, com sensações anormais), espasmo de tendino muscular, unhas descoradas e moles,
Sangramento menstrual escasso ou amenorréia. Língua pálida, pulso fino.TratamentoBP6, 9,10, E36, B17, B20, 21, F13, VG19, Yin Tang.
Subida de Yang de Fígado(super abundância de yang, yin vazio, fígado com excesso de calor.)Sintomas – Vertigens, acúfenos, cefaléias
momentâneas, rosto inchado e vermelho, olhos vermelhos, irritação, insônia, abundância de sonhos, amnésia, palpitações. Região lombar fraca, pernas
moles, língua vermelha escarlate, pulso em corda e rápido.Tratamento – B18, 23, R3, BP6, 10, VB20, 34, 38, F2, 3, VG20.
Yang de Fígado Tornando-se vento Sintomas – Vertigens, perda de equilíbrio, cefaléia que puxa, membros entorpecidos, tremores, agitação
involuntária das mãos e pés, andar inseguro, dificuldade de expor pensamentos. Língua vermelha, pulso em corda.Se o caso agravar – Síncope brutal,
língua rígida, não consegue falar, boca e olhos desviados, hemiplegia.Tratamento – VB20, IG11, VC6, BP6, R3.VG16, 20, 26, IG4, E36, Sangrar os pontos
Ting, F3, E40, P7, 8, R1.
Vazio de Sangue Cria Vento Sintomas -Vertigens, rosto macilento, amarelado, diminuição da acuidade visual, face dorsal das mãos
entorpecidas, ás vezes câimbras brutais nas mãos e nos pés, trismo. Língua pálida com pouco revestimento. Pulso em corda e fino.Tratamento - VG26,
B23, R3, BP10, E36, F3, B17, B43, VB38, VC6, Yin Tang.
Frio Estagna no Meridiano do Fígado Sintomas – Baixo ventre dolorido e inchado, esta dor inchaço pode se estender aos genitais. Pele dos
testículos encolhida. A dor melhora com o calor e piora com o frio. Corpo e membros frios. Revestimento lingual branco e deslizante, pulso profundo e em
corda. Tratamento – VC2, 4, 6, BP6, 9, F1, 3, 14, E29, B23.
Calor – Umidade no Fígado e Vesícula Biliar Sintomas – Flancos e lados inchados e doloridos, fadiga, abatimento. Anorexia, náuseas, vômitos,
boca amarga, dilatação abdominal, defecação irregular, oligúria escura. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso em corda, rápido.Às vezes o
corpo e os olhos podem se tornar amarelos, febre, calafrios alternados, no homem testículos inchados, quentes, doloridos, prurido no escroto; na mulher,
leucorréia amarela e mal cheirosa, prurido na parte externa dos genitais.Tratamento – VC3, 6, E29, BP1, 6, 9, TA10, 12, VB26, F5, 8, 9, 10,13.
Vazio de Vesícula Biliar Sintomas – Vertigens, ofuscações da vista, boca amarga, náuseas, repugnância, vômitos. Irritação impossível ficar
quieto, insônia, palpitações cardíacas (de medo), opressão torácica, grandes suspiros. Revestimento lingual amarelo e gorduroso. Pulso em corda,
deslizante.Tratamento – VB20, F2, 3, VC6, E8, E40, VC12, R3.
Síndromes de Coração e Intestino Delgado O Coração comanda o sangue e os vasos e contém o Espírito(Shen*).Órgão do sentido – língua e o
conduto auditivo externo é sua abertura somática.Manifesta-se pela cor do rosto.Suas síndromes se dividem em Vazio e Plenitude.
Vazio de Ki de Coração, Vazio de Yang de Coração Sintomas Comuns das doenças por Vazio de Ki e por Vazio de Yang: Palpitações, dispnéia,
transpiração espontânea, e todos esses sinais são agravados pelo esforço. Pulso fino, fraco, periódico. Sintomas Particulares
- Vazio do Ki do coração Rosto descorado, fadiga psicossomática, língua pálida, revestimento lingual branco.
- Vazio de Yang de Coração Temor do Frio que melhora pelo Calor, tez acinzentada, opressão torácica, dores precordiais, língua grossa, macia,
de cor púrpura.
- Vazio Crítico de Yang de Coração Transpiração profusa, membros frios, lábios azulados, respiração fraca, pulso tênue (pouca consistência),
parece que vai parar, mente perturbada, às vezes síncope. Tratamento -Tonificar o Ki do Coração – B15, VC14, 17 e C9.-Aquecer o Yang – VC4, VC8,
VG20, 26, E36.
Vazio de Sangue, Vazio Yin de Coração Sintomas Comuns – Palpitações, insônias, abundância de sonhos, amnésia. Sintomas Particulares
- Vazio de Sangue de Coração Vertigens, tez do rosto macilenta, lábios e língua de cor pálida, pulso fino e fraco.
- Vazio de Yin de Coração Transpiração noturna, calor nos 5 corações, boca e garganta seca, língua vermelha com pouca saliva, pulso fino e
rápido. Tratamento -Alimentar o sangue, estabilizar a mente – C9, VC5, BP9, B15.
Fogo do Coração em Excesso Sintomas – Agitação, insônia, rosto vermelho e boca seca, ulcerações na mucosa bucal e língua, delírio verbal,
estado de excitação, urina escura podendo conter sangue, micção dolorida, pulso rápido.Tratamento - IG4, C7, B15, VG14, R3.
Mucosidade Perturba os Orifícios do Coração Sintomas – Perturbações de mente, idiota, pessoa não reconhece ninguém, fala sozinho, olhar
fixo, conduta anormal.Em casos graves há perda total dos sentidos, respiração difícil acompanhada com mucosidade, revestimento lingual branco, pulso
profundo, em corda, deslizante.Tratamento – VG20, 15, IG4, E40, TA8.
Fogo e a Mucosidade Perturbam o Coração Agitação, palpitações, insônia, abundância de sonhos, rosto vermelho, sede, boca amarga,
obstipação, oligúria.Quando se agrava – divagação verbal, choro e riso sem causa aparente, agitação maníaca, bate e insulta as pessoas. Língua
vermelha, revestimento lingual amarelo gorduroso, pulos em corda, deslizante e cheio.Tratamento – VC5, C8, VG14, 26.
Estase de Sangue do Coração Sintomas – Palpitações, precordialgias sentidas como picadas ou opressão dolorosa. A dor irradia-se para os
ombros e braços, geralmente para a borda medial do braço esquerdo.Corpo da língua é púrpuro escuro com pontos de cor violeta.O pulso é fino, áspero,
periódico.
Se a doença for mais grave – Dor é brutal, violenta, os membros vão estar esfriados, os lábios tornam-se violáceos, pode surgir perda de
sentido, o pulso está muito pequeno e prestes a parar.Tratamento – fazer circular o yang, dissolver as estases – B15, 14, VC14, 17, CS6, C5, B17,
P9.Fazer voltar o yang do coração – VG26, R1, E36, CS6, VC6.
Calor no Intestino Delgado Sintomas – quando o calor de coração se desloca par o ID além dos sintomas de Fogo de coração (agitação
ansiosa, rosto vermelho, insônia, delírio verbal....) apresenta sinais urinários – disúria, hematúria, ou então queimação e dor na uretra. A língua está
vermelha com revestimento amarelo. Pulso está deslizante e rápido.Tratamento – IG4, C7, B15, R3, ID8, B27.
Ki do Intestino Delgado Doloroso Sintomas – Bacinete dolorido (parte superior do ureter), as dores do tipo de deficiência podem começar na
região lombar e descer em direção aos genitais. Abdome dilatado, borborignos intestinais, intumescimento do escroto. Língua pálida com revestimento
branco e delgado. Pulso profundo em corda e tenso.Esta descrição é semelhante à de Frio estagna o meridiano de Fígado.Tratamento – VC5, BP6, F1,
B23, VC6, E29.
Frio do Intestino Delgado Sintomas – Dores abdominais aliviadas pela pressão e o calor, borborignos intestinais, diarréia pastosa, polaciúria.
Língua pálida, revestimento lingual branco e delgado. Pulso profundo, lento.Esta descrição é semelhante à de Yang de Baço Vazio.Tratamento – B20, B21,
E36, E41, VC12, BP2, 3, 6, 9.
Síndromes de Pulmão e Intestino Grosso O Pulmão comanda a respiração, governa o Ki, dirige a descida, purificação, descida, regula a via da
água.Órgão do sentido – nariz, sua correspondências é a pele.As síndromes são de Vazio e de Plenitude
Ki de Pulmão Vazio Sintomas – Apatia, pouca energia, tosse asmática, sem força, dispnéia após um esforço, voz fraca, transpiração
espontânea, temor ao frio, rosto descorado. Língua pálida, Pulso Vazio.Tratamento – B13, P1, P7, P9, VC17, IG4, IG18, E36.
Vazio de Yin de Pulmão Sintomas – Tosse seca, pouca mucosidade e às vezes misturada com sangue. Respiração curta, garganta e boca
seca, afonia, febre vesperal, transpiração noturna, bochecha vermelha, calor nos 5 corações, emagrecimento. Língua seca e vermelha. Pulso fino e
rápido. Tratamento – P6, 9, 10, B43, B13, 23, BP6.
Frio Perverso Agride o Pulmão e a Superfície Sintomas – Tosse, respiração acelerada e ofegante, mucosidade fluidas e brancas, nariz tapado
com secreção de líquido claro, ausência de sede, pode acompanhar febre com temor ao frio, cefaléia e lassidão. Revestimento lingual branco, pulso tenso
e superficial.Tratamento – VG14, ID15, B13, B45, B60, VC12, VC17, VC22, VB20, P5, 7, 9, IG4, 11, 20.
Calor Perverso Obstrui o Pulmão e Invade a Superfície Sintomas – Tosse asmática, respiração ruidosa, mucosidade amarela e espessa,
garganta dolorida, sede, obstipação, oligúria. Língua vermelha, revestimento amarelo e seco. Pulso rápido e superficial. Estes sintomas podem se associar
a Febre com leve temor ao Vento e do Frio e apresentar dor torácica, escarro de mucosidade com sangue.Tratamento – VG13, 12, VB20, IG4, IG11, TA5,
B13, B45, VC22, E40, P5, 7,11, ID18.
Secura Perversa Fere o Pulmão e Prejudica a superfície Sintomas – Tosse seca pouco produtiva, mucosidade pegajosa com dificuldade de
expectorar, ou escarros espumosos, nariz e garganta secos. Se a tosse for forte aparece dor torácica, afonia, Língua seca com revestimento delgado seco.
Pulso fino. Se aparecer febre com temor ao vento e ao frio, cefaléia o pulso ficará fino e superficial.Tratamento – P6, 9,10, B12, 13, 23, R3, 7.
Pulmão obstruído pela mucosidade e a umidade Sintomas – Tosse com mucosidade abundante, humores brancos e fluídos, fáceis de
expectorar, opressão no peito, às vezes dispnéia com mucosidade. Língua pálida, revestimento lingual branco e gorduroso. Pulso em corda, deslizante,
lento.TrataemntoVC17, VC22, B13, 20, BP9, CS6, P5, 7, 9.
Vento Invadindo o Pulmão Sintomas são os da gripe e é diferenciado se for de calor ou de frio.Frio – secreção branca e fluída Calor – secreção
amarela e grossa.
Intestino Grosso Deficiência de Líquidos em IG. Sintomas – Obstipação, evacuação difícil e poucas vezes. Vertigens, boca seca, garganta
seca, mau hálito. . Língua vermelha com revestimento amarelo e seco. Pulso fino, rápido. Tratamento – VG14, ID15, B13, B45, B60, VC12, VC17, 22,
VB20, P5, 7, 9, IG4, 11, 20.
Umidade Calor ataca Intestino GrossoSintomas – Abdome dolorido, diarréia, pus e sangue misturado nas fezes, contração anal, ardência no
ânus, boca seca, ausência de se sede, oligúria. Àsvezes e calafrios alternados e neste caso haverá sede. Língua vermelha com revestimento amarelo e
gorduroso. Pulso deslizante, rápido.Tratamento – VC12, E25, E37, VC6, IG11, BP9, B25.

FUNÇÃO ENERGÉTICA DOS PONTOS DE ACUPUNTURA


Os pontos de acupuntura funcionam como meio de comunicação entre o Exterior e o Interior do nosso corpo, por isso recebem as influências
das Energias Celestes e das Energias Perversas que transmitem para os Canais de Energia que por sua vez transmitem para os Órgãos e Vísceras e
estes para os tecidos. Os pontos de acupuntura podem ter efeito semelhante em todos os Canais de Energias (pontos Shu antigos, Luo, fonte...), podem
ter ação específica (pontos Ashi, pontos de Acupuntura em geral), podem ter uma função energética sobre os Zang Fu (pontos para tirar calor, umidade,
mucosidade, tonificar ou sedar os Zang Fu).
B19 Shu da VB, harmoniza o Ki do F e VB e Ki geral.
B22 Shu do TA, dispersa a energia yang do TA. Harmoniza o TA e via das águas, afasta a umidade, tonifica o Ki dos Rins.
B35 Faz limpeza do calor perverso, afasta a umidade-calor do TA inferior.
B40 Harmoniza e fortalece Ki de BP, Harmoniza o Ki do Estômago, afasta a umidade e a umidade calor.
B43 – Hepatite, gastrite, colecistite.
B45 – Fortalece o Ki do BP, recupera a perda do Ki por esforços, tonifica o Ki de R e P.
B51 – Lombociatalgia, paralisia de membro inferior, dor na região glútea.
B52 – retenção urinária, problemas de VB, cistite, igual aos de cima.
BP1 – Ponto madeira e Ting, harmoniza o Ki de BP, aumenta e aquece o Ki de BP. acalma o Shen e clareia a mente.
BP2 – Ponto Iong – Fogo, Harmoniza Ki de BP e Estômago, dissolve a estagnação do tubo digestivo.
BP3 – Ponto Iu – Terra, Harmoniza e fortalece o Ki de BP, harmoniza o Ki de Estomago e dos Intestinos e TA médio, transforma a |umidade e
Umidade Calor.
BP12 – Promove a circulação de Ki e sangue, transforma a umidade.
C8 – Ponto Iong – Fogo, Harmoniza e fortalece o Ki do Coração, aumenta a circulação de sangue nos vasos sanguíneos, acalma o shen.
CS9 – Ponto Ting – Madeira, Harmoniza o Ki de Coração, restaura o colapso de yang Ki, faz limpeza do calor do coração.
E8 – Ponto de reunião com cana do VB, clareia a visão e dispersa o vento e calor do yang ming.
E28 – Rege os líquidos orgânicos, fortalece o Ki da B., regula a via das águas, dissipa op calor perverso de TA.
E29 – dismenorréia, prolapso uterino, hérnia inguinal, infertilidade masculina e feminina.
E34 – Fortalece e circula o Ki de estômago, dispersa o vento perverso, limpa o canal do yang ming.
E41 – Ponto King – Fogo, harmoniza as funções energéticas de estômago e intestinos, acalma o shen e clareia a mente, tonifica o Ki dos
tendões e músculos, dispersa a umidade e vento.
E44 – Ponto Iong – Água, harmoniza o Ki do Estômago e Intestinos, circula o Ki do Estômago, transforma umidade-calor, refresca o calor do
yang ming.
F1- Ponto Ting – Madeira, Harmonia e tonifica o Ki de F. e do sangue, clareia o Shen a mente e a visão, reduz o yang excessivo de fígado.
F8 – Ponto Ho –água, harmoniza o Ki do fígado e do sangue, dissipa o yang excessivo de F. e de seu canal de energia, dissipa a umidade –
calor.F10 – Meteorismo intestinal (barulho típico do abdome), retenção urinária.
ID8 – Ponto Ho – Terra, dispersa as energias perversas, relaxa os músculos e tendões.
ID15 – Faz a difusão de Ki de Pulmão, limpa o calor perverso.
ID18 – dispersa o vento frio perverso, faz limpeza do calor perverso.
IG11 – Ponto HO, Terra, Regula a circulação de Ki e Sangue nos canais de energia, harmoniza a energia essencial e o sangue, fortalece o
sangue, elimina vento perverso e a umidade, refresca o calor, reduz a febre.
IG18 – circula e difunde o Ki do Pulmão, umedece a garganta, transforma a umidade.
IG20- Circula o Ki do nariz, dissipa o vento, vento-frio e o vento calor, remove a estagnação de Ki do nariz.
P5- Ponto Ho, água, dissipa e elimina o calo, vento – calor de pulmão, faz circular o Ki para baixo, alivia a plenitude de Ki do Tórax.
P8 – Ponto King – Metal, Toasse, dispnéia, asma, angina, dor de punho.
P10 – Ponto Iong – Fogo, regula o Ki do Pulmão, faz circular o Ki da garganta, dispersa o vento calor, dispersa o yang excessivo dos 12 canais
de energia principais.
R5 – Tonifica o Ki dos rins, harmoniza o ki da bexiga, circula o Ki do TA inferior.
R9 – Tonifica o Ki do Rim, acalma o shen.
R21 – Algias torácicas, náuseas e vômitos, eructações, diarréia, gastrite crônica.
TA3 – Ponto Iu, Madeira, facilita a circulação de Ki, harmoniza o Ki do ouvido.
TA8 – Remove as obstruções do canal de energia e de Ki, abre os orifícios sensoriais, dispersa o vento.
TA10 – Ponto Ho – Terra, acalma o shen e clareia a mente, dispersa vento, dissolve a estagnação de umidade-calor.
TA12 – Cefaléia, dores no braço, convulsão, dor de dente.
VB38 – Ponto King - Fogo, harmoniza o Ki de VB., Dispersa vento e a umidadecalor.
VB43 – Ponto Iong – água, harmoniza o Ki da VB., Dissipa o Yang de F., dispersa o calor do corpo, dispersa vento perverso.
VC2 – Supre a falta de Ki de Rins, fortalece o yang Ki, mantém a essência, harmoniza o Ki da Bexiga, Aquece o frio, fortalece o TA médio.
VC5 – Ponto Mo de TA, tonifica e aquece o yang Ki, aquece o frio, fortalece o Ki ancestral, faz retornar a energia sexual, harmoniza e aquece o
útero e próstata, faz aumentar o Wei Ki.
VC8 – fortalece e aquece o ki de BP e estômago, tonifica o yang Ki dos Rins, harmoniza os intestinos, harmoniza a via das águas, dispersa a
umidade.VC10 – Faz aumentar a circulação de Ki e as funções de transporte/transformação de BP e Estômago, dissipa a Umidade e Umidade Calor,
favorece a eliminação de água e da umidade (diurese).
VC11 – Harmoniza o Ki de BNP e Estômago, aquece BP, auxilia as funções de Estômago e Intestinos, tonifica o yang Ki (nutrição).
VC22 – harmoniza e difunde o Ki de Pulmão, umedece e refresca a garganta e clareia a voz, descongestiona a estagnação da mucosidade.
VG12 – Harmoniza e difunde o Ki de Pulmão, acalma o shen, e faz limpeza de Fogo do Coração, mantém a vontade, relaxa tendões e
músculos.VG13 – Fortalece e difunde o Ki de P. e o Wei Ki, acalma o shen e clareia a mente.
VG15 – Fortalece as funções do Du Mai, Acalma o Shen e clareia a mente.
VG19 – Clareia a mente, induz a reanimação, dispersa o vento e a umidade –calor,
VG23 – Clareia a mente e a visão, elimina o calor e dispersa o vento-calor, induz a reanimação.
Yintang – Elimina a energia perversa Vento Calor, acalma o shen e clareia a mente, descongestiona o nariz.

ACUPUNTURA NA OBESIDADE
Referência bibliográficas de obesidade
1. The supressing effect of the extract from Cassia nomame on clastogenicity and mitomycin C in CHO cells. Kadowaki, et al. Journal of
health Science, 47 (1) 86-88 (2001).
2. Anti-obsity effects of lipase inhibitor CT-II, an extract from edible herbs, Nomame Herba, n rats fed a high-fat diet. Yamamoto, M. et al.
Int. J. Obes. Relat. Metab. Disorb. 24(6): 758-64(2000).
3. Cassia nomame – Nature’s fat absortion blocker. Rita Elkins M.A., M.H. Woodland Publishing, 2000.
4. Partially purified white bean amylase inhibitor reduces starch digestion in vitro and inactivates intraduodenal amylase in humans,
Peter layer, Gerald L. Carlson. And Eugene P. DiMagn, Gastroenterology Unit. Mayo Clinic and Fundation, Rochester, Minnesota and S.C. Johnson and
Son. Inc., Racine, Wisconsin (Gastroenterology 1985:98:1895-902).
5. Effect of a purified amylase inhibitor on carbohydrate metabolism after a mixed meal in healthy humans, Michele Boivin M.D. Alan R.
Zinsmeister PhD, Vay L. W. D., Eugene P. DiMagno M.D.; (Mayo Clinic Proceedings, Rochester Minnesota; april 1987 vol62).

APRESENTAÇÃO
Esta apostila mostra a você, numa língua fácil e acessível, como a Filosofia Chinesa trata a obesidade e como ela encara a interação do ser
humano com a natureza, e também que você deve entender que não devemos nos tornar perseguidores obsessivos do emagrecimento, mas procuradores
naturais da boa saúde. Procure as informações da apostila com atenção. Aos poucos estará dentro de um mundo diferente, do qual você está acostumado
em termos de saúde, doença de relação do ser humano com o mundo e consigo mesmo. Estima-se que 150 mil pessoas morrem ao ano ( Brasil ) devido
a problemas ligados direta ou indiretamente a gordura.
AFINAL, O QUE É OBESIDADE???
Dentro da visão da Medicina Chinesa, a obesidade é uma doença moderna, devido a "boa alimentação", excesso de doces com gordura, falta
de exercícios. A obesidade não é boa para saúde e encurta o tempo de vida. É difícil prevenir doenças nos obesos. As mulheres tendem ser mais obesas,
podendo causar câncer , infertilidade, parto difícil, doenças cardiovasculares, hipertensão, cálculo biliar, diabetes, AVC. É a 2a. enfermidade do mundo e
não consta nos livros antigos da China. Uma das causas principais da obesidade ainda é a ingestão de muitas calorias. Estudos comprovam que as
pessoas com excesso de peso tendem a ingerir 400/500 calorias a mais. A obesidade é mais comum em sociedades que consomem mais gordura. Por
exemplo os americanos consomem 40% das calorias em forma de gordura, ao passo que os chineses 15%. Apesar dos chineses consumirem maior
quantidade de calorias no total, (proveniente de cereais, amido, vegetais) a pouca obesidade na China. A gordura depositada no abdome tende a ter maior
atividade metabólica. As células do abdome liberam facilmente essa gordura no sangue e no fígado, aumentando o risco de doenças como, hipertensão,
colesterol, câncer e distúrbios cardíacos.

Por que a gordura engorda?


1) Acentua o gosto dos alimentos e dessa forma, leva a comer-se mais.
2) A sensação de saciedade é mais demorada nos alimentos gordurosos do que nos alimentos ricos em fibras.
3) O excesso de gordura deposita-se facilmente, enquanto que a ingestão de cereais e fibras desprende mais energia para ser metabolizado.
4) Inatividade física.
A obesidade pode existir por comer-se muito doce e alimentos quentes desde jovem, depois de aborto ou parto, causa herdada dos pais, erros
alimentares, emoções alteradas, traumatismos. O grande aumento de produtos novos ricos em energia mais com poucos nutrientes. A grande e moderna
tecnologia substituiu o trabalho braçal por maquinas e aparelhos que produzem o mesmo trabalho, poupando energia. A televisão e o automóvel
dominaram as atividades de lazer. Enquanto as pessoas fazem menos exercícios e comem mais alimentos calóricos, a obesidade avança. Uma função
endócrina alterada pode levar também a obesidade.

AFINAL QUAL O SEU PESO IDEAL? SAIBA SE VOCÊ ESTA ACIMA DO PESO. Exemplo:
Fórmula ♣ Uma mulher com 75 kg e 1,65 m de
Kg ÷ M2 altura
♥ Divida seu peso pela sua ♣ Multiplique a altura por ela mesma :
altura ao quadrado. 1,65 X 1,65 = 275482
♣ Divida o peso pelo resultado obtido:
Pontos: 75 ÷ 27225 = 275482
♥ Menos de 20 subnutrição ♣ Ignore os 3 últimos números
♥ De 20 a 25 peso normal O índice obtido é 27
♥ De 25 a 30 sobrepeso
♥ De 30 a 40 obesidade Segundo a tabela da OMS , essa
♥ Acima de 40 obesidade pessoa estaria com sobrepeso.
grave

O QUE É A CELULITE?
A Celulite é um fantasma que atinge 90% das mulheres em idade adulta ou na puberdade. Mesma as magras estão sujeitas a celulite ou
lipodistrofia. A celulite é uma modificação da textura dos tecidos subcutâneos superficiais, caracterizado por aumento da espessura e consistência e
diminuição da mobilidade. Essas mudanças são conhecidas como "pele casca de laranja ou queijo suíço". Os locais mais comuns são barriga, coxa,
nádegas, culotes, cintura e parte interna dos joelhos. Os responsáveis são o desequilíbrio hormonal, erros alimentares, stress, problemas digestivos, vida
sedentária, problemas vasculares e intestinais. Existem hoje no mercado diversos tipos de tratamentos como a mesoterapia, pressoterapia, ultra som,
eletrolipoforese, lipoescultura . que trazem resultados alguns duvidosos outros de efeitos relativos Contudo o mais importante você deve fazer como
atividades físicas e mudanças de hábitos de vida. A Brasil-Oriente criou com exclusividade para você o CELL 14 composto de substancias medicinais
NATURAIS que visam estimular a circulação de retorno do Fígado e de eliminação dos Rins.
PARA OS OBESOS
Emagrecer até que é fácil. É uma seqüência de dias de relativas restrições. Come-se de tudo, mas talvez não de forma desejada. É bom
lembrar que o emagrecimento é uma fase; e a fase seguinte é a de manter o peso conquistado. Quem é gordo carregará para sempre a sua tendência a
engordar. Mesmo o magro que um dia foi gordo, quando se descuida engorda novamente. O gordo tem um número maior de células de gorduras
( adipócitos ) em relação a uma pessoa não gorda, e após o emagrecimento, este número quase não se modifica, continua o mesmo, ocupando contudo
um volume menor. No emagrecimento do corpo, ocorre um emagrecimento dos adipócitos e não a sua eliminação, logo o emagrecimento não significa alta.
Que este lembrete não sirva de desalento, mas de uma conscientização de uma limitação. Todos temos limitações e a obesidade é um destes distúrbios
que aprimora o seu dono, a como lidar com ela.

“REDESCOBRIR O CONHECIMENTO FAZ PARTE DA VIDA”


“EQUILIBRE-SE E PERCA PESO”

NUTROLOGIA - A CIÊNCIA DA ALIMENTAÇÃO


Alimento não é simplesmente algo que comemos para saciar a fome e dar prazer ao paladar, mas algo que deve nutrir as células de todo nosso
organismo. Por isso, alimentar-se é uma ciência e uma arte. Requer conhecimento do valor dos alimentos, relacionados a quantidade, qualidade e
combinação entre si. Nem tudo que atualmente é rotulado como próprio para o consumo é bom para o organismo. A grande manipulação industrial através
das grandes propagandas, embalagens atraentes e "gosto saboroso", tem feito-nos consumir alimentos desnaturados, cheios de corantes, estabilizantes,
conservantes e outros antes, atendendo só a fatos econômicos e aos caprichos de um apetite não natural. Juntando-se ainda, os maus efeitos de um
regime errôneo criado e difundido como sendo da mais alta qualidade. Portanto é necessário escolher sabiamente os alimentos, para promover a saúde e
rejeitar os que nos fazem declinar. Os nutrientes são captados pelo aparelho digestivo, a partir dos alimentos que ingerimos. Convém portanto, escolher
os nossos alimentos de tal maneira, que realmente possuam elementos nutritivos. Convém dar atenção à combinação correta dos alimentos, à cuidadosa
mastigação e insalivação, aos números de refeições diárias e à qualidade.

REGRAS DE BOA SAÚDE PARA FICAR DE BEM COM SEU CORPO


♦ Existem muitas formas de perder peso, como, injeções, choques elétricos, lipoaspirações, suprimir refeições, chás, comprimidos etc. Porém a
maneiras certas e maneiras erradas de perder peso :
Certo significa: seguro, eficaz e com possibilidade de produzir efeitos duradouros.
Errado significa: inseguro, contraproducente, e não duradouro nos seus efeitos.
Por que você escolheria um modo errado?
Talvez porque não saiba o que é certo e o que é errado. E é possível também, que o método errado produza efeitos mais rápidos. A triste
realidade é que nada que vale a pena se consegue facilmente, principalmente a perda de peso. O maior problema dos tratamentos não é emagrecer e sim
manter o peso conquistado.
Pergunte a você mesmo. Estou disposto a fazer algumas mudanças básicas no meu estilo de vida? Se responder sim e esta decidido a
aprender novas maneiras de viver, então terá êxito.
Comer com calma e espírito positivo.
♦ Mastigar bem (30 a 50 vezes cada bocado). É importante para fazer do alimento um bolo macio, de fácil digestão e para que a ptialina atue de
forma ótima.
♦ O horário das refeições é importante, procure almoçar até às 11,30 hs e jantar no máximo até às 18,00 hs.
♦ Procure comer sempre um pouco menos do que deseja, o apetite que ainda restou ao levantar-se desaparecerá em poucos minutos. Existe
um ditado que diz: Nós vivemos de 1/3 do que comemos, o médico com os outros 2/3.
♦ Beber vários copos de água ou suco por dia.
♦ Após as refeições, movimentar-se ou sentar-se bem ereto durante 15/30 minutos para facilitar a digestão.
♦ Respirar adequadamente através de exercícios.
♦ Sono e exercícios suficientes. Verifique sempre as condições de seu colchão. ♦ Procure usar um pouco de produtos com grãos integrais,
como arroz integral, pão, bolo e macarrão integral. Estes produtos contém riqueza de vitaminas e sais minerais que promovem purificação do sangue e
contém elementos da saúde.
♦ Comer sempre alimentos crus no final das refeições ou junto.
♦ Dar preferência ao uso de ricota, tofu ou queijo fresco (ausência de gorduras saturadas e abundância de não saturadas - baixa o colesterol e
previne o enfarto).
♦ Os vegetais contém riqueza de enzimas naturais, aumentando a presença de energia viva, captada pelos raios do sol e solo, acelerando o
processo de rejuvenescimento das células, bem como os processos de eliminação de toxinas e cura espontânea.
♦ Tenha sempre em mente de estar comendo com prazer satisfazendo seu senso de beleza, seu olfato e seu paladar.
♦ Relaxamentos são importantes e fazem tomarmos consciência do nosso corpo.
♦ O banho deve ser de manhã, com tranqüilidade, calma e sem pressa.
♦ Procure beber um copo d'água ou chá em jejum.
♦ Faça Yoga, Tai Chi Chuam, Chi Kun.
♦ Procure fazer, sempre que possível ou 1 vez por semana, uma mono dieta, ou seja, um dia só com água, suco (tipo Yang), ou chás
estimulantes (tipo Yin). ♥ Você deve aprender quando, onde e por que come.
♥ Evite as tentações.
♥ Esqueça sua dieta- Quando se reduz de forma drástica a ingestão de calorias, o corpo responde como se estivesse com fome, o
metabolismo diminui sem ritmo e isso leva a um aumento mais rápido do peso quando se deixa de fazer dieta.
♥ Mude seu estilo de vida para uma maneira saudável em vez de ficar obcecado com emagrecer.
♥ Reduza gradativamente tudo aquilo que você gosta mais sabe que engorda, como tomar sorvete todo dia.
♥ Reduza a ingestão de gordura contida nos alimentos, procure receitas mais saudáveis.
♥ Faça registro diário de tudo que você come, isso fará você descobrir o que te faz mal.
♥ Emagreça por estágios. Ao fazer dieta e emagrecer, e você parar de emagrecer não desanime pois o organismo precisa de tempo para se
adaptar, procure pensar nos progressos que já fez.
♥ Coma conscientemente, não coma assistindo televisão, lendo ou trabalhando.
♥ Não elimine refeições e não se prive totalmente do que você gosta.
O VALOR DO JEJUM
Conforme uma recente publicação em uma revista, mais de 100.000 pessoas morrem por dia devido a fome ou em conseqüência dela. O
problema de subnutrição é sério. Mas não se espante se lhe disser que muitos morrem de excesso alimentar e suas conseqüências, e ao que parece,
ninguém se importa com isso. Pela boca morre o peixe, e morre também o homem quando abusa do estômago. Sem dar tréguas ao aparelho digestivo,
ingere tudo e de tudo, quer tenha fome ou não, sem cessar um dia sequer. O jejum do qual estamos falando não consiste em apenas omitir uma ou duas
refeições, tão pouco em reduzir a ração diária. Jejuar não é comer absolutamente nada, mas apenas beber água pura ou sucos alcalinos, durante certo
período de tempo, conforme a doença ou o respectivo tratamento. O jejum é o melhor processo de desintoxicação que existe. Dessa maneira as toxinas
são eliminadas, o tubo digestivo descansa, o sistema vascular não é fatigado. Toda vez que se sente um mal-estar, deve-se abster-se de alimentos sólidos.
Não se trata de tomar purgante, nem de se encher de remédios, mas de observar um dia de jejum. Desta maneira estaremos ganhando energia que não
foi usado no processo digestivo. O organismo que não se alimenta, consome seus próprios tecidos, acabando por queimar e eliminar as substâncias
morbosas e reconstruindo a defesa dos órgãos enfermos. Durante o jejum, podem aparecer sintomas inquietantes como dor de cabeça, tonturas, mal-
estar, contudo duram só algum tempo, visto que o corpo está cheio de toxinas que precisam ser eliminadas. Para cada indivíduo é conveniente que o
médico prescreva a duração e a maneira de como será efetuado o jejum, e a transição do mesmo para a alimentação normal.
“É PRECISO, ANTES DE TUDO, SE DESTACAR DO VELHO PARA SE TER O NOVO”
“A DOR QUE AINDA NÃO HOUVE, PODE SER EVITADA”
O GRANDE DESAFIO: O TRATAMENTO
O maior desafio para a obesidade é o tratamento. Os tratamentos não alcançam o sucesso desejado. Apesar de muitos métodos produzirem os
efeitos desejados, depois de 1 ano, mais da metade dos pacientes recuperam o peso. Todo obeso já procura um tratamento com certa dose de ansiedade
querendo emagrecer rápido e isto não é bom pois quanto mais rápido a pessoa perde peso mais rápido ira recuperá-lo. Quanto mais rápido o
emagrecimento, menos tempo de prepará-lo para a manutenção do peso, e assim menos chance de sucesso. Perdas rápidas podem ser perigosas a
saúde, junto com o emagrecimento a pessoa deve iniciar uma manutenção que inclua exercícios e dieta equilibrada. O paciente deve se conscientizar que
emagrecer é antes de tudo um processo de auto- conhecimento, alta dose de amor e desejo de emagrecer e conhecimento dos fatores que envolvem a
obesidade.
UM POUCO DE FILOSOFIA ORIENTAL
A Sabedoria Chinesa traz em si muitas informações importantes no que diz respeito à interação homem-natureza . Estas informações
começam pelo auto-conhecimento do próprio ser internamente, de modo que o indivíduo possa carregar na memória como se ajudar por toda vida,
prolongando-a ao máximo possível. Assim se entende o "TAO" A partir daí, podemos nos colocar dentro do mundo "TERRA" e interagir com ele. Há uma
"troca" entre o homem e tudo o que há no mundo, em maior ou menor grau. Assim, os fatores naturais entram em contato com o corpo do animal, através,
ou por intermédio das suas alterações. O calor, o frio, o vento, a umidade, a secura são fatores que contatam constantemente conosco. São elementos
existentes do clima , que podem nos afetar diretamente. Como vemos , cada elemento pode ser básico, como o calor e o frio, ou ainda composto por duas
formas básicas , como o vento gerado pelo encontro dos dois anteriores. Por aí entendemos a existência e co-existência de uma dualidade, de uma
polaridade, designada na Filosofia Chinesa por "YIN/YANG", ou negativo /positivo, ou mínimo /máximo, etc. Esta polaridade é geradora do existir. Em
função dela surgem as energias, as diferentes formas , o alto e o baixo, o claro e o escuro, o frio e o quente, assim por diante. Em função dela, também,
aparecem as formas intermediárias, entre cada extremo. Assim, nós também temos dentro de nós esta polaridade, pois sem ela não existiríamos, como
nada existiria.
A interação pacífica "YIN/YANG" gera o equilíbrio, a uniformidade, a vida. A interação desequilibrada destes dois fatores gera a desordem, a
deformidade, o caos e ausência de vida. Ambos coexistem. Um complementa o outro. Quando um se sobressai, definha o outro. Se a sobressaliência é
demasiado grande, um acaba se transformado no outro. Quer um exemplo? Imagine uma pessoa com febre, uma febre exageradamente alta. O que
acontece a ela? Não começa a tremer? Mas por quê ela treme se está quente? Por que o Yang, representado pela febre, cresceu tanto que acaba por se
transformar em Yin, representado pelo tremor de frio, ou calafrio. Mas, não é só de "YIN/YANG" que vive a filosofia chinesa, esta que é a base da medicina
chinesa. Os componentes da natureza, que são básicos para ela, portanto, também interagem entre si. O mais básico na, "TERRA" vem da água, que gera
a vida para o vegetal = madeira, que pode dar origem ao fogo, gerando cinzas = terra, de onde se retira o metal. Desta forma, cria-se um ciclo de geração,
a seguir representado:

Estes 5 "movimentos" ou elementos estão em constante interação, não só nesse ciclo "gerativo", mas também em mais quatro outros tipos de
relações, que são: qualquer um deles pode ser reprimido pelo anterior, assim como pode fazer com o posterior; este sistema se chama de inibição. Pode
haver, ainda, uma hiper-estimulação nos dois sentidos, complementando os dois tipos restantes de atuação neste pequeno sistema. Ocorre, ainda, que os
cinco elementos, água, terra, madeira, metal e fogo, guardam, evidentemente alguma relação com o corpo humano, como já era de esperar. Então, cada
um desses elementos, retirados da natureza, tem como representante um órgão interno no corpo humano, como mostra a relação abaixo.
madeira → fígado → raiva
fogo → coração → alegria / tristeza
terra → estômago → pensamento
metal → pulmão → preocupação
água → rim → medo
Como se pode ver, além da relação elemento / órgão, há na tabela uma terceira coluna com sentimentos também participando desta interação.
Assim, você pode estar prejudicando seu fígado ao manter sentimento de raiva em relação à alguém ou à um fato. Do mesmo modo, você já ouvir falar em
alguém que tenha falecido por ataque cardíaco após uma grande alegria ou tristeza. Você já conseguiu entender que nós não vivemos isolados, que a
natureza pode nos trazer benefícios, mas também prejuízos, senão estivermos preparados para enfrentar seus elementos em que nossos sentimentos
podem interferir muito em nosso corpo. Se levarmos em conta que gostamos muito de "entender" as causas dos nossos males, vamos para mais uma
informação. Nascemos com uma energia chamada vital , que representa a energia "captada" a partir dos nossos pais, e por este motivo, chamada na
Medicina Chinesa de energia ancestral. Esta energia é responsável pelo nosso crescimento e desenvolvimento desde a formação do ovo na fecundação
até a nossa morte. A esta energia vão se somando as energias adquiridas pela alimentação e pela respiração, os dois, básicos para a existência devida.
Desta forma, não paramos de crescer e de apresentarmos desenvolvimento neuro-psico-motor, pela renovação e manutenção de nossa energia corporal.
Com o decorrer dos anos nós vamos, progressivamente, desgastando nossa energia vital, através de erros constantes. Erramos na alimentação, comendo
mais, menos ou inadequadamente. Erramos nas atitudes físicas, desrespeitando nosso corpo, ao solicitar mais dele do que devíamos e erramos por não
aprendermos a conhecer nosso próprio corpo e por não ajudar no seu "funcionamento" adequado. Com erros sucessivos, os sintomas internos vão
encontrando dificuldades para circularem suas respectivas energias e não só para manter nossas funções normais, mas também para defendermos das
agressões externas, como infecções, por exemplo. A partir deste ponto, qualquer agressão que anteriormente seria debelada com a maior facilidade passa
a fazer parte do nosso dia a dia, transformando nossas vidas num constante conviver com fantasmas de dores e problemas. Por isso, uma "friagem" pode
nos fazer ter ou sentir dores antes não sentidas. Uma dor nos joelhos, a partir de uma certa idade, uma companheira constante, se no passado cometemos
exageros físicos ou psíquicos. Não encontramos, entretanto, na Medicina Chinesa, somente informações negativas. Podemos através dela vislumbrar uma
alternativa para resolução de muitos de nossos problemas. Encontramos, nessa área uma série enorme de terapêuticas sempre naturalistas, voltadas para
o seu humano que se integra com o meio na forma de alto respeito, de alto estima e de alto conhecimento. Apenas para citar alguma coisa, lembremo-nos
da acupuntura, do-in, tui-ná, fitoterapia chinesa, tai-chi-chuan, etc. Cada um deles compõe uma pequena porcentagem do que realmente é a Medicina
Chinesa. Para nós será importante conhecer um pouco mais da dietética chinesa, da alimentação seguindo os princípios básicos Yin/Yang e dos 5
elementos. Temos que conhecer um pouco mais sobre nós mesmos, sabendo se somos Yin ou Yang. Se precisamos de mais ou menos calor em nosso
corpo, e assim por diante, como teremos oportunidade de ver nas páginas a seguir.
VOCÊ E VOCÊ
Tenha consciência de alguns detalhes, antes de seguir adiante com sua leitura:
1. Não persiga a balança diariamente, não fique obcecado por ela. Determine um dia para se pesar, na semana, na mesma balança e com a
mesma roupa (se possível sem roupa).
2. Não acredite se disserem a você que irá perder um certo número de quilos por dia, semana ou mês. Isto é besteira! As pessoas são
diferentes, perdem ou ganham peso de forma e ritmo diferentes, sempre.
3. Prefira acreditar que você irá se equilibrar, e depois perder peso.
4. É bom, também, durante uma dieta, procurar anotar não só peso e medidas, mas o nosso estado de espírito a cada dia.
5. Procure, antes da dieta, sentir-se. Quero dizer, faça uma pequena introspecção, voltando-se para dentro de si, saia do seu cotidiano.
6. Relaxe.
7. A água pode nos ajudar, como depurativo. Ao acordar tome um copo de água. Faça o mesmo meia hora antes do almoço e do jantar.
8. Alimente-se com calma sempre. mastigue os alimentos demoradamente, saboreando-os.
9. Encare com seriedade sua dieta. Ela é o meio para que você chegue ao seu objetivo: PERDER PESO. Não se esqueça disso.
10. Orientação médica vai bem, sempre.
VAMOS ENTÃO DESCOBRIR SE VOCÊ É YIN OU YANG? CARACTERÍSTICAS DOS INDIVÍDUOS OBESOS
TIPO YANG Tipo YIN:
♦ Super-alimentação ♦ Se cansa com facilidade, pouca
♦ Músculos grandes e fortes força muscular.
♦ Gordura tipo andróide, mais ♦ Formação de varizes.
torácica, peitoral e abdominal ♦ Prisão de ventre pela diminuição
com tendência a inchaços na dos movimentos peristálticos, as
região abaixo do umbigo. vezes diarréia.
♦ Faces coradas, pele quente. ♦ Vísceras e abdômen dilatados
♦ Respiração forte, voz alta, por pouco tônus muscular.
emoções exaltadas, sudorese ♦ Rosto redondo, pele mais fria.
abundante. ♦ Tendência a palidez ou pele
♦ Pressão arterial tendendo a amarela.
alta. ♦ Transpiração fria.
♦ Sexualidade ativa. ♦ Edema palpebral e de membros
♦ Tendência ao stress, angina e inferiores.
ao enfarte. ♦ Olfato sensível aos odores e ao
♦ Mãos quentes e úmidas. mofo. Coriza clara.
♦ Cistites, ardência nas vias ♦ Produção de cerume acentuada.
urinárias, afecções dentárias, ♦ Diminuição do apetite sexual.
faringites, amidalites, sinusites. ♦ Tendência para dormir no sofá.
♦ Prisão de ventre, ♦ A gordura é ginecoide.
ressecamento. ♦ Pressão baixa. Celulites. Otites.
♦ Paladar aguçado. ♦ Tumores frios, colite irritativa.
♦ Dorme pouco.
A DIETA MAIS APROPRIADA PARA O INDIVÍDUO YANG.
O indivíduo Yang se compara a uma madeira úmida queimando lentamente, isto é, não passa de uma pessoa quente e úmida internamente.
Este calor, aliado a umidade fazem com que suas energias fiquem estagnadas, sem circulação adequada, dando a sensação de calor estufante e
prejudicando o metabolismo. Estas pessoas apresentam urina escassa e mais para concentrada. As fezes tendem a ser ressecadas, e por estes motivos
ele precisa de uma dieta que o resfrie e elimine seu excesso de água. Assim, usamos dieta refrescante, feita por alimentos neutros, frescos e frios, de
sabores ácido, amargo e doce. Usa- se também verduras, frutas, carnes "leves" e alimentos neutros, como arroz, batata, milho, cará e ervilha. Usa- se
saladas cruas, temperadas com limão, vinagre de arroz ou de maçã, azeite de oliva em pequena quantidade e pouco sal. As frutas devem estar sempre
presentes, mas sem combiná-las com carnes. Os derivados de leite devem ser usados com moderação, em particular os requeijões cremosos, que tem
dentro de si mais calor e umidade, o que poderia agravar esta particularidade do indivíduo Yang. Evidentemente deve-se evitar o uso de gorduras de
origens animal. Também deve-se evitar os temperos de sabor forte como o alho, por exemplo. Os ovos devem ser consumidos quentes e moles, nunca
fritos ou omeletes.
PRESTE ATENÇÃO!
Você terá agora uma lista de alimentos agrupados por afinidades entre si. Esta lista é a síntese para você combinar bem os alimentos, de
forma a emagrecer com maior facilidade do que você esta acostumado. A combinação é discutida logo depois da lista com três exemplos de maior para
menor facilidade de peso.
COMBINAÇÃO DOS ALIMENTOS:
rápida: lista A (até 3 alimentos) mais lista B (1 elemento) + 1 fruta.
moderada: lista A (até 3 alimentos) mais lista C (1 alimento).
lenta: lista A (1 alimento) mais lista B (1 alimento) mais lista C (1 alimento).
mais lenta ainda: preocupe-se em consumir alimentos mais "frios".
TABELA DE CONDUTA ALIMENTAR
PARA INDIVÍDUOS TIPO YANG
LISTA A Natureza fresca-
fria
Abobrinh Palmito moyashi Alface alfafa beterrab espinafre
a a
Abóbora couve- broto Bertalh cenoura tomate brócolis
flor bambú a
Giló Nabo champignon Agrião repolho chuchu beringela
Chicória Couve alga Vagem escarol maxixe
marinha a
Obs: Usar crús ou semi-cozidos.

LISTA B Natureza neutra


Aipin arroz inhame ervilh Cará soja milho batata
a
LISTA C Natureza fresca e morna
Frango ostra porco ovo mole peixe magro
Coelho pato Siri ovo poche ou cozido mole
Obs.: Não combina com frutas.
LISTA Natureza fria, fresca e neutra
D
Laranja mamão melão Tangerina maçã pêra
Abacaxi manga morango Uva melanci
a

CONDIMENTOS: limão, vinagre de arroz ou maçã, shoyu, azeite, pouco sal, folha de hortelã.

ERVAS: menta, erva-doce, maçã seca, camomila, cidreira, estigma milho, casca de abacaxi, folha de abacateiro, parte verde esbranquiçada de
melancia.

EVITAR: bolos, doces, confeitos, sorvetes, açúcar, álcool, refrigerante, café, chocolate, salame, peixe gordo, carne defumada, vaca, camarão,
carneiro, lingüiça, gordura animal, queijo gordo ou de cabra, queijo cremoso, manteiga, creme de leite, ervas e condimentos de sabor forte.
Obs: Com moderação, queijo fresco . Tofú à vontade.
A PENITÊNCIA DO YANG
Escolha 3 vegetais e 3 frutas para ingerir abundantemente neste dia, retirados da lista abaixo: Abobrinha, alface, tomate, palmito,, repolho,
brócolis, pepino, broto de feijão, champignon, couve-flor, vagem, couve, cenoura, beterraba, chuchu e abóbora. Mamão, melão, melancia, abacaxi, laranja
e morango. Neste dia, sua alimentação se consistirá somente deles, em qualquer forma: suco, cozido ou cru. MAIS NADA!
A DIETA MAIS APROPRIADA PARA O INDIVÍDUO YIN
O indivíduo YIn precisa de uma dieta que o aqueça, formada por alimentos aquecidos e temperados com ervas e condimentos de sabores
fortes. São importantes de usar nessas circunstâncias produtos como alho, cebola, salsa, cebolinha, cheiro-verde, coentro, pimentão, gengibre, cravo e
canela. As carnes deverão ser mais quentes e temperadas com os condimentos já citados. Os ovos devem ser cozidos, duros ou na forma de omeletes
com temperos fortes. As frutas devem ser de natureza neutra, como a maçã que fica ainda melhor assada ou cozida, com canela. O damasco pode ser
usado seco ou na forma de geléia, sem açúcar. As sopas devem ser incrementadas com temperos, mas não se deve fazer combinações de vários
legumes e verduras ao mesmo tempo, para evitar fermentação dos alimentos no tubo digestivo, com formação de gases. Elas também devem conter um
tipo de carne ou um ovo, se não tiver carne, pode ter um carboidrato pesado, como o milho. O indivíduo Yin deve evitar leite e derivados, pois eles são
geradores de umidade interna com estagnação das energias do corpo. Da mesmo forma, deve evitar farinhas e massas, sendo liberados torradas e pão de
centeio, além da bolacha de água e sal.
COMBINAÇÃO DOS ALIMENTOS:
rápida: lista A (até 3 alimentos) mais lista B (1 elemento) + 1 fruta.
moderada: lista A (até 3 alimentos) mais lista C (1 alimento).
lenta: lista A (1 alimento) mais lista B (1 alimento) mais lista C (1 alimento).
mais lenta ainda: não se importe com as combinações, mas somente com a natureza "quente" dos alimentos.
TABELA DE CONDUTA ALIMENTAR PARA INDIVÍDUOS TIPO YIN
LISTA A Natureza fresca ou fria
Couve aspargo Abóbora taioba couve-flor
Aipo bertalha Chicória nabo alga marinha
Alho brócolis Espinafre pimentão abobrinha
Chuchu cebola Cenoura repolho vagem
Obs: Usar refogados ou semi cozidos.

LISTA B Natureza neutra


Aipin batata ervilha milho inhame arroz cará feijã lentilh
o a
Obs.: Usar somente um tipo com elementos da lista A)

LISTA C Natureza fresca e


morna
Ovo cozido camarão carneiro peix per
duro e u
Ovo de omelete carne de frango
codorna cozido condimentado vaca
Obs.: Evitar a pele de aves, peixes e gorduras. Usar junto com alimentos da lista A.

LISTA D Natureza fria, fresca e neutra


Cereja mamão damasco Nectarina maçã figo pêssego
Obs.: Usar nos intervalos das refeições ou após uma refeição sem carne.

CONDIMENTOS: alho, cebola, salsa, cebolinha, cheiro-verde, coentro, pimentão, gengibre, pimenta do reino (pouco), cravo e canela.

ERVAS: canela, alho, casca de maçã, maçã seca, cidreira, catuaba, estigma de milho, folha de abacateiro, guaraná em pó.

SOPAS: usar à vontade, com poucos legumes e verduras misturados; não bater no liquidificador; pode conter um ovo ou carne; sem carne, usar
um carboidrato da lista B junto com 3 legumes da lista A.
EVITAR: Laticínios como leite, queijo, creme de leite, coalhada, doces, balas, confeitos, sorvetes, açúcar, refrigerantes, bebidas alcoólicas,
farinhas e massas.
Obs: Com moderação, pão de centeio, torradas, biscoito água e sal.

A PENITÊNCIA DO YIN
Escolha 3 vegetais e 3 frutas para ingerir abundantemente neste dia, retirados da lista abaixo: Aipo, algas marinhas, aspargos, brócolis,
bertalha, couve, couve-flor, espinafre, quiabo, vagem, repolho, cenoura, chuchu e abóbora. Mamão, maçã, pêssego, cereja, nectarina e figo. Neste dia sua
alimentação se consistirá somente deles, em qualquer forma: suco, cozido ou cru. MAIS NADA!

DIA DE PENSAR NA DIETA


Nenhuma dieta pode ser chamada de "boa", já que ela é sempre restrita para uma das boas coisas da vida: comer! Entretanto, sabe-se que
uma dieta bem executada com disciplina e constância acaba por levar á perda de peso. Pelo menos é assim que relacionamos quando nós enfrentamos
uma dieta! Devemos aprender que, não só de acordo com a Medicina Chinesa, mas também de acordo com qualquer tipo de medicina, o mais importante
não é perder peso, é alcançar o equilíbrio, e sentir-se bem, não ficar doente. Para chegar-se e este ponto, é importante a consciência de não tornar a
perda de peso um alvo obsessivo, e ao mesmo tempo inatingível... Para "desafogar-se" do espírito restritivo da dieta, após duas primeiras semanas de
esforço, podemos pensar em dia "santo", para experimentar um pouco das boas tentações que nos acompanham todos os dias, dando-nos água na boca e
um pouco de irritação. Aí escolhe-se, por exemplo, o domingo como dia "santo" e come-se mais ou menos à vontade. SEM EXAGEROS! Quando o
domingo acaba, enfim, sente-se um certo "remorso" por se haver comido "aquilo tudo que engorda" e o próprio médico havia recomendado que não se
comesse... Para a consciência não pesar ainda mais, seria de bom costume fazer-se uma "penitência" para compensar os males causados no dia
anterior, promovendo uma limpeza interna de modo a retirar as impurezas adquiridas na data anterior. Veja bem, não é um castigo! É apenas uma pequena
compensação pelos excessos cometidos na véspera.

FÓRMULAS e SUBSTANCIAS NATURALMED PARA TRATAR A OBESIDADE

CINNABARIN WAN (ANSIOLÍTICO) Embalagem com 100 CÁPSULAS


USO CLÍNICO: Tira a ansiedade, acalma o espírito, normaliza o sono, normaliza a fome pela ansiedade, tranqüiliza a mente, nutre o coração e
sangue, normaliza o ritmo cardíaco. Nutre o intestino.
COMPONENTES: Pteria margarifica - Succinum - Os Draconis - Biota Orientalis - Glycyrrhiza Uralensis - Massa Fermentada.
DOSAGEM: Tomar 1 a 2 cápsulas 03 vezes ao dia antes das refeições.
CONTRA-INDICADO na gravidez.

FAN XIE WAN (OBSTIPAÇÃO CRÔNICA) Embalagem com 100 CÁPSULAS


USO CLÍNICO: Normaliza a função intestinal, elimina sensação de distensão abdominal, resolve problemas digestivos com náusea e dores nos
flancos, edemas, elimina gorduras (colesterol e triglicérides), excesso de calor nos intestinos.
COMPONENTES: Ligustrum lucidum - Crataegus pinnatifida - Alisma plantago - Mirabilitum - Artemisia capillaris - Garcinia.
DOSAGEM: Tomar 02 cápsulas 03 vezes ao dia antes das refeições.

HORN BÚFALO (CALOR E UMIDADE) Tipo Yang Embalagem com 100 CÁPSULAS
USO CLÍNICO: Excesso de apetite, uso de bebidas e fumo, rubor facial e cianose, boca amarga, fezes secas, palpitações, insônia, menstruação
irregular, dor nos flancos, urinária e abdominal, cefaléias, urina amarela.
COMPONENTES: Ligustrum lucidum - Alisma plantago - Artemísia capilaris - Scutellaria baicalensis - Gardênia jasminóides - Gentiana scabra
-Taraxacum off - Cromo Garcinia - Alga Marinha.
DOSAGEM: Tomar 02 cápsulas 03 vezes ao dia antes das refeições.
CONTRA-INDICADO na gestação.

JOBI WAN (FRIO E UMIDADE) Tipo Yin Embalagem com 100 CÁPSULAS
USO CLÍNICO: Transforma o fleuma frio do baço e estômago, seca a umidade, regula a energia, para vômitos, distensão abdominal, dores
abdominais, edemas, excesso de gordura corporal, friagem excessiva.
COMPONENTES: Pinellia ternata - Poria cocos - Alisma plantago - Citrus reticulata - Atractiloides lancea - Coix lacryma jobi - Glycyrrhiza -
Talcum - Ephedra sinica - Coffea cruda - Garcinia.
DOSAGEM: Tomar 02 cápsulas 03 vezes ao dia antes das refeições.

OBESITY REDUCING ALL Todos os tipos de obesos Embalagem com 100 CÁPSULAS
FUNÇÕES: Tonifica a energia, seca umidade, dissipa estagnação.
USO CLÍNICO: Obesidade simples, ativa a circulação de sangue e remove o sangue estagnado, dispersa estagnação no peito, ativa o baço,
obesidade com complicações cardíacas, diabéticas, hipertensivas e hiperlipodemia.
COMPONENTES: Astragali seu hedysari / Stephaniae tetrandrae / Alisma plantago / Crataegus pinnatifida / Salviae miltiorrhizae / Ligusticum
chvanxiong / Horns bulls.
DOSAGEM: Tomar 02 cápsulas 03 vezes ao dia antes das refeições.

GARCINOL Inibidor Natural do Apetite Embalagem com 100 CÁPSULAS


FUNÇÕES: Inibidor do apetite que pode ser associado com outras formulas como Horn Búfalo ou Obesity All- Converte a gordura em
glicogênio , dando sensação de saciedade
USO CLINICO: Excesso de apetite insaciável , colesterol e triglicérides.
COMPONENTES: Extrato de Garcinia camboja
DOSAGEM: Tomar 01 cápsula 1 hora ANTES das refeições.

FEY YAN (corpo de andorinha) Embalagem com 100 g ou 80 g


FUNÇÕES: Digestivo que pode ser associado com outras formulas como Horn Búfalo , Obesity All, Cell 14, Jobi Wan.
USO CLINICO: Excesso de apetite, colesterol e triglicérides., má digestão, insônia,
COMPONENTES: Diversas ervas nacionais e importadas
DOSAGEM: Chá: 1 a 2 colheres de sopa em 1 lt água, ferver por 10 minutos em fogo baixo, coar e tomar 1 copo antes das principais
refeições. Chá Instantâneo: 1 colher café em 1 xícara de água, antes das refeições
CELL 14 Anti- Celulitico Embalagem com 100 cápsulas
FUNÇÕES: Ativa o sistema metabólico e de drenagem
USO CLINICO: Excesso de celulite, obesidade ginecoide.
COMPONENTES: Ginkgo biloba, Glycyrrrihza, Gotu Kola (todos em extrato)
DOSAGEM: 2 cápsulas 2 vezes ao dia antes das refeições com água.

Terapia de Emagrecimento
FITOCÊUTICOS PADRONIZADOS NATURALMED

Sugestões de Fórmulas e Substâncias Manipuláveis

Sem mágicas, sem anfetaminas, sem efeitos adversos indesejáveis, é possível satisfazer a vontade e o prazer da boa comida com a utilização
de algumas matérias-primas especiais e especificas.
COMPONENTES Dose/ Classe Terapêutica/ Efeitos Farmacológicos
DIA
FASEOLAMINA (ES) É uma glicoproteina que possui como principal propriedade à capacidade de inibir a ação da enzima alfa-amilase, reduzindo
a conversão de carboidratos em glicose (açúcar). A inibição desta conversão impede a absorção de uma parte dos
250 a 1000 mg carboidratos ingeridos na dieta na forma de glicose. O resultado é a redução dos níveis de açucares e as calorias atribuídas
a eles e a diminuição das reservas de gordura.

CASSIALAMINA 8% Inibe a enzima Lípase responsável pela quebra das moléculas de gorduras e, conseqüentemente, inibe a absorção pelo
(ES) organismo. Pode ainda reduzir a pressão sanguínea, os níveis de colesterol sérico, acido úrico e dos níveis sanguíneas de
açucares. Efeito positivo em alguns casos de apneia do sono. Reduz o efeito rebote de perda de peso. Suprime alterações
200 a 600 mg cromossômicas induzidas por clastógenos.
Como todo inibidor de lípase, pode inibir a absorção de certas vitaminas lipossolúveis como Vt. A, E e D. Sugere-se uma
suplementação destas vitaminas.
GREEN TEA 50% (ES) A cafeína ativa o metabolismo e reduz peso ou excesso de gorduras, principalmente quando associado com exercícios
físicos. O extrato contém alcalóides (cafeína, teobromina), taninos (polifenóis), catequinas, óleo volátil e flúor. O chá verde é
100 a 200 mg rico em flúor (1). Contém ainda triterpenos de saponinas, como as agliconas Barringtogenol C e R1-Barringenol, ácido
caféico, e teofilina. Dos óleos voláteis, o principal é o linalool, entre mais de 300 outros compostos aromáticos (voláteis) (2).
MAGNÉSIO GLICIL- Oferece, de forma sinérgica, importantes nutrientes envolvidos na resposta imunológica, estresse físico e mental, síntese
GLUTAMINA protéica e ganho de massa muscular.
200 mg
CITRUS AURANTIUM Regula o Qi, eliminando gordura corporal. O extrato de Citrus aurantium contém uma composição única de 5 aminas
EXTRACT 6% adrenérgicas: sinefrina, N-metiltiramina, hordenina, octopamina e tiramina. O extrato é padronizado para conter 6,0% de
(ADVANTRA Z) sinefrina. aumenta o mecanismo natural do corpo que queima as gorduras, aumenta o metabolismo sem afetar a taxa de
batimentos cardíacos ou a pressão sangüínea.
A chave para a eficácia é sua propriedade de estimular receptores beta-3, os sítios específicos na célula que regulam a
1000 a 1500 mg perda de gordura. Faz isso sem afetar os receptores alfa-1, alfa-2, beta-1 e beta-2, que estão relacionados à pressão
sangüínea e aos batimentos cardíacos. O extrato de Citrus aurantium causa a liberação de adrenalina e noradrenalina perto
dos sítios de receptores beta-3. O estímulo aos receptores beta-3 desencadeia o processo de quebra da gordura - a
lipólise. Simultaneamente, esse estímulo causa um aumento na taxa metabólica (termogênese), o que queima uma
quantidade maior de calorias.

GARCINOL EXTRACT Garcinol Extract reduz a formação de gordura corporal, colesterol e triglicérides. Dessa forma, este fitocêutico auxilia o
(GARCINIA COMBOJA) organismo a remover do sangue as lipoproteínas de baixa densidade (LDL), ao mesmo tempo em que estimula a queima
das calorias já existentes no organismo.
1000 a 1500 mg Ainda inibe o apetite, pois aumenta a produção de glucogênio hepático (fato que transmite ao cérebro uma sensação de
saciedade), e não por agir no sistema nervoso central (não altera o paladar e nem provoca disfunções gástricas).Estimula a
queima de gorduras por ativar a enzima carboxil piruvato, produzida durante metabolização de ácidos graxos.
Contém um esteroisômero ativo do ácido hidroxicítrico, responsável pela aceleração da queima de gordura e inibição da
síntese de ácidos graxos:
· estimula a queima das calorias já existentes no organismo;
· controla o apetite;
GYNMENA EXTRACT Usado como auxiliar nos regimes de emagrecimento, inibindo o desejo de alimentos doces.
85%
200 mg
CROMO CHELAVITE. Regulação da glicemia. Aumento dos receptores de insulina na membrana plasmática. Redução dos níveis de colesterol
LDL. Aumento dos níveis de colesterol HDL. Otimização do metabolismo lipídico..Diabetes. Hipoglicêmica. Doenças
50 a 400 microgramas cardíacas. Arteriosclerose. Obesidade. Níveis estáveis de açúcar no sangue são críticos na perda de peso, pois a elevação
crônica dos níveis de insulina resulta num acumulo de macronutrientes nos tecidos adiposos.
COLEUS FORSKOLII É indicado nos regimes de emagrecimento ou para pessoas que desejam aumentar a massa magra, como por exemplo,
praticantes de esportes. Pode ainda ser usado por animais de competição, pois causa aumento da massa magra.
250 mg dia 30 minutos
antes das refeições
KELP 0,05% IODINE Resolve a fleuma e desfaz acúmulos.. Clareia o calor e transforma a fleuma..Elimina o calor e umidade..Promove o fluxo de
QI nas vísceras.
1000 mg dia Contra indicado em hipertiroidismo.
CHITOSAN C Componente natural associado à Vitamina C, dissolve-se no estomago, formando uma emulsão com gotículas lipidicas
presentes na luz estomacal. Essa emulsão precipita-se no intestino delgado e agrega-se formando matrizes complexas que
2000 mg antes das não são absorvidas e sendo excretadas pelas fezes. A redução dos níveis de colesterol LDL, deve-se à afinidade do
refeições com muita chitosan em ligar-se aos ácidos biliares. Contra Indicação: Pessoas alérgicas a crustáceos, gestantes e lactentes.
água.
HORSE TAIL EXTRACT O extrato pode ser usado em infecções urinárias e cálculos renais, em problemas pulmonares e na arteriosclerose. É
recomendado nos estados de anemia e debilidade geral. Fortalece as unhas e os cabelos, e é útil para eliminar manchas
350 mg/dia brancas nas unhas. Também é recomendado no tratamento de próstata inflamada ou aumentada e da cistite (2), da
osteoporose e de degenerações nas juntas. Horsetail Extrato Seco auxilia a drenagem linfática, a reestruturação dos
mucopolissacarídeos e das fibras do tecido conjuntivo.
GOTU KOLA EXTRACT A Centella atua no tecido conjuntivo celulítico - congestionado, subnutrido e sem elasticidade - promovendo uma ação
reguladora: normalizando a produção de colágeno e melhorando a microcirculação sanguínea local, o que favorece a
200 a 500 mg/dia eliminação das células gordurosas e diminui a retenção de líquidos. O resultado do tratamento com a Centella depende do
estágio de comprometimento do tecido conjuntivo. A celulite pode ser classificada em fases: 1,2,3 e 4.
CLAE O CLA melhora a atividade da carnitina-palmitoiltransferase, o que regula a oxidação mitocondrial de ácidos graxos de
(ACIDO LINOLEICO cadeia longa e a produção de energia. O fato de essa enzima ajudar a regular o metabolismo da glicose e ácidos graxos
CONJUGADO) também explica porque a suplementação com CLA pode ajudar a perder peso (1).
Pesquisas recentes sugerem que o CLA pode também ajudar a promover um metabolismo saudável de glicose e insulina,
1 a 2 cápsulas 3 x ao dia por meio de sua influência nos receptores hormonais que regulam os genes envolvidos no metabolismo dos lipídeos e da
insulina (1, 2).

KINOSPHERINE® Biopolímero marinho enriquecido com catecolaminas do Green Tea. Bloqueador de absorção de gorduras de liberação
programada . Durante a absorção das cápsulas, cada dose libera os grânulos de Kinospherine no trato digestivo.
1200 mg Primeiramente a água dissolve os fruto-oligossacarídeos que compõem os grânulos, abrindo os poros. A quitosana
dissolve-se lentamente, aprisiona os ácidos graxos e se flocula instantaneamente.
Os triglicérides neutros de ésteres, do tipo alquil-éster são adsorvidos pelo negro de carbono. O sistema quitosana/ácido
graxo se ativa e transforma parte dos lipídeos em fibras não assimiláveis. Os fruto-oligossacarídeos tornam o trânsito
intestinal mais fácil. Com pKi de 6,2, a quitosana reduz ao mesmo tempo a acidez gástrica e limita a hidrólise de
triglicérides, enquanto que o negro de carbono oculta os resíduos de alquil-ésteres e limita a hidrólise enzimática (2).

VALERIANA EXTRACT As ações da Valleriana são historicamente conhecidas e comprovadas cientificamente. Estudo clínicos demonstram
0,8% eficiência no tratamento de 66% dos casos de distúrbio do sono. Valleritin possui atividade calmante, sedativa, ansiolítica,
100 a 900 mg/dia antes espasmolítica, e relaxante.
de dormir

Cuidados e Contra Indicações: Todas as substancias são contra indicadas na gravidez e lactação.
Posologia (como formular) : Será determinada de acordo com SOBRE A PERGUNTA ACIMA.
as combinações feitas. Sempre indique por quanto tempo (dias) o ( ) 10 PÉS E MÃOS QUENTES ?
paciente devera utilizar a formula. Exemplo: Se a combinação der 1600 ( ) 10 SEMPRE ATIVO, IRRIQUIETO , IRRITA-SE COM
mg/dia, “deve resultar” em 4 cápsulas/dia, que será dividida em 2 FACILIDADE ?
tomadas de 2 cápsulas cada, sempre tomado antes das refeições e com ( ) 10 MAIS GORDA NO TORAX ?
muita água. ( ) 10 OBESIDADE GERAL?
Caso deseje, poderemos fornecer uma ficha técnica de cada ( ) 15 VOZ ALTA , EXTROVERTIDO, EXPANSIVO?
substancia. ( ) 10 GORDURA DURA ?
Tendo duvidas, consulte nosso Departamento Técnico. ( ) 10 “LIGADA” EM COMIDA E SEXO ?
( ) 5 OU MAIS “LIGADA” EM SEXO ?
ONDE ENCONTRAR PRODUTOS PARA OBESIDADE ( ) 10 QUASE NÃO TEM SONO,SÓ COCHILA SE
- WWW.NATURALMED.COM.BR EXAUSTO ?
( ) 10 DESCANÇA POUCO, SEMPRE IMPACIENTE ?
DESCUBRA O SEU TIPO DE OBESIDADE PELA MEDICINA ( ) 10 EXCESSO ANORMAL DE APETITE E SEDE ?
ENERGÉTICA CHINESA ( ) 5 MUITO ANSIOSO, COME POR COMPULSÃO ?
Você é Yin ou Yang? ( ) 10 PRISÃO DE VENTRE, FEZES RESSECADAS ?
Entrevista realizada com: ( ) – 10 PÉS E MÃOS FRIOS ?
___________________________________________________________ ( ) – 10 SEMPRE OU COM FREQUÊNCIA CANSADO ?
_______________ ( ) – 10 MAIS GORDA ABAIXO DA CINTURA ?
Entrevistador:_______________________________________ ( ) – 10 VOZ BAIXA E SUAVE ?
_____________________________________________ ( ) – 10 INTROSPECTIVO, INTROVERTIDO,
MELANCÓLICO ?
SIGA AS PERGUNTAS ABAIXO E PROCURE CHEGAR À ( ) – 10 GORDURA MOLE ?
CONCLUSÃO FINAL ( ) – 10 “ LIGA” POUCO PARA SEXO E COMIDA ?
( ) – 5 OU MAIS PARA COMIDA QUE SEXO ?
( ) – 10 DORME MUITO FACILMENTE ?
( ) – 10 COCHILA E DORME A TOA ?
( ) – 10 PACIENTE É DE FÁCIL CONVIVENCIA ?
( ) – 5 PRISÃO DE VENTRE, PORÉM COM FEZES
NORMAIS ?
( ) – 15 COME POUCO, MAIS ENGORDA ?

Total com sinal + : _________________


Letras : ___________________

Total com sinal - : __________________


Total líquido: ____________________

QUANTO AOS VALORES DE CADA PERGUNTA

Cada pergunta possui um valor, some primeiro os valores


positivos e subtraia a soma dos valores negativos. Com o resultado, ligue
já e descubra em que estágio energético está a sua obesidade.
meridianos se encuentran sobre las partes internas o anteriores y la otra
Resultado Obtido___________ Pontos ____________ mitad sobre las partes externas y posteriores seis meridianos fluyen por
Letras_____________ los brazos y seis por las piernas. Los de las partes antero internas son
Ying y las postero externas son Yang. Los meridianos son dobles, uno a
Lista de Equivalência de Códigos Alfanuméricos cada lado del cuerpo. Los meridianos Ying de la parte superior se inician
sobre el pecho y finalizan sobre los dedos pulgar, medio y meñique
x nome dos meridianos. (pulmón, maestro del corazón y corazón respectivamente). Los
MERIDIANO CÓDIGO OUTROS CÓDIGOS meridianos Yang superiores nacen en los dedos índice, anular y meñique
PADRÃO* ALFABÉTICOS UTILIZADOS ** y terminan en la cabeza (intestino grueso, triple recalentador e intestino
delgado). Los meridianos Ying de la parte inferior nacen en el dedo
Pulmão LU F L Lu P
grueso del pie (hígado y bazo) y en la planta del pie (riñón) y terminan en
Intestino LI CO Co DCh DI Di GI IC IG Li el pecho. Los Yang inferiores comienzan alrededor del ojo, parte interna
Grosso (vejiga), externa (vesícula biliar) e inferior (estómago) finalizando en el 5º,
Estômago ST E Est M Ma S St V W 4º y 2º dedo del pie. Los meridianos hacen circular la energía vital y la
Baço SP B BP LP MP P RP RT Rt Sp sangre, calientan y nutren los tejidos y enlazan y soportan los variados
Coração HT C H HE He Ht X aspectos funcionales y estructurales el ser en su totalidad, mientras que
Intestino proveen una ruta para que el hombre interior se comunique con el
SI Du ID IG IT Si XCh
Delgado cosmos. Cada meridiano tiene una ubicación especifica donde las
Bexiga BL B Bl PG UB V VU profundas energías del cuerpo pueden ser
Rim KI K Ki N NI Ni R RN Rn Sh accedidas desde el exterior. Estas
Pericárdio PC CS CX ECS EH HC Hc KS MC MdH P localizaciones se llaman puntos de
Pe XB acupuntura. Cada punto actúa en la energía
Triplo TE DE T TB TH TA TR TW SC SJ 3E 3H del cuerpo de una manera diferente especifica,
Aquecedor eso es lo que se llama la función de un
Vesícula punto. Existen meridianos llamados
GB D G Go VB VF "vasos maravillosos", que no tienen
Biliar
Fígado LR F G H LE Le Liv LIV LV L puntos propios, sino que comparten
Vaso GV DM DU Du GG Go Gv LG Lg T TM VG puntos de otros meridianos y que su
Governado Vg función es absorber los excesos de
r energía Ying o Yang de las zonas que
Vaso CV Co Cv J JM KG Kg REN Ren RM VC Vc atraviesan. El Ying o Yang Tsiao Mo
Concepção actúan sobre la parte derecha e izquierda
del cuerpo, el Yang o Ying Wei sobre lo
Nomenclatura padrão internacional para acupuntura adotada a alto y lo bajo, Tou Mo y Jen Mo sobre la
partir de 1989. ** Alguns códigos mostrados não são mais usados , mas parte anterior y posterior, finalmente el
foram mostrados pois podem constar em documentos mais antigos. *** Tae Mo y Tchong Mo sobre la superficie y
Os códigos usados como padrão no Brasil estão em Negrito el exterior. El sistema de canales esta
compuesto por doce canales regulares,
ocho extraordinarios y quince colaterales
PUNTOS ENERGETICOS DEL (hacen posible la conexión entre un canal y
otro). Los doce canales regulares estan distribuidos simétricamente en la
CUERPO superficie del cuerpo.
1. CHI 2.1 CLASIFICACION DE LOS PUNTOS DE ACUPUNTURA
Es la energía que se encuentra y fluye en nuestro cuerpo y en Los doce canales mas el vaso gobernador y el vaso
todo cuanto nos rodea. El Chi dentro del cuerpo humano es a la vez el concepción constituyen la mayoría de los puntos en el cuerpo humano.
transportador y el mensaje, que viaja por canales,vasos y conductos por Los puntos de los doce canales regulares estan distribuidos
todo nuestro cuerpo. El Chi dentro del cuerpo se clasifica en prenatal y simétricamente en la superficie del cuerpo humano. Existen cinco tipos de
postnatal que a su vez manejan cierta energía del cuerpo. El Chi prenatal puntos: shu, yuan, luo, xi, shu-espalda.
(Chi original) se refiere a la energía dada al ser humano al nacer desde 2.2 LOCALIZACION DE LOS PUNTOS
ambos padres, es la esencia básica y la fuerza natal que soporta los Cada punto tiene una localización definida, si se quiere
tejidos corporales y los órganos. Esta energía transmitida constituye la ubicarlos con exactitud. Los métodos mas usados para su localización
información genética. Este Chi esta directamente relacionado con el tan son:
tien seminal y los ocho vasos extraordinarios del cuerpo. l Chi postnatal a) Localizar los puntos de acuerdo a las marcas anatómicas.
es una combinación de Chi derivado de la comida que comemos y del b) Localizar los puntos de acuerdo a la división proporcional.
aire que respiramos, esta directamente relacionado con los doce c) Medir con los dedos de la mano.
meridianos primarios del cuerpo. La respiración es imprescindible para
sobrevivir. La alimentación a excepción del agua y las sales que son de 2.2 DISTRIBUCION DE LOS DOCE CANALES EN EL CUERPO
origen mineral, proviene de la fotosíntesis de los vegetales que han Hay varias clasificaciones de estos canales: Meridianos
elaborado sus sustancias alimentarías utilizando energía Primarios, Canales de conexión, Canales divergentes, Canales
solar. Estos dos Chi forman la verdadera energía extraordinarios, Canales principales y canales diminutos. Cada uno de
humana del cuerpo. El Chi verdadero es la fuente de ellos tiene su esfera de influencia y su función en el mantenimiento de la
energía usada en la vida diaria. salud de nuestro cuerpo y mente.
LOS OCHO CANALES EXTRAORDINARIOS O
2. LOS MERIDIANOS O CAMINOS CURIOSOS
DE ENERGIA Du Mai . Canal de control , es el vaso Gobernador . Comienza
en la cavidad pélvica, en el punto llamado Kanda y sigue su trayecto por
Los meridianos son por llamarlo la columna terminando en la parte interna del labio superior. Es la
así, caminos de energía. Los medios por los confluencia de los canales Yang
que el cuerpo transporta la energía, es decir, Ren Mai . Canal de funciones, es el vaso Concepción .
el "Chi". Ésta atraviesa el cuerpo de abajo Comienza en el mismo punto del anterior pero sube por la parte anterior
arriba y de arriba a abajo, según si el y termina en la parte interna del labio inferior .
meridiano es Ying o Yang. La mitad de
Chong Mai Canal de asalto ò vital . Se origina en la cavidad En el shaolin trabajamos en todo momento con diferentes
pèlvica y termina en el corazón posturas o ejercicios toda la energía del cuerpo utilizando todos los
Dai Mai . Nace bajo el hipocondrio y va oblicuamente a travès canales en determinado momento, in ejemplo claro es notorio desde el
de los tres puntos de VB posteriormente corre transversalmente comienzo el primer paso de un largo camino la llegada al primer grado de
alrededor de la cintura. cinturón negro Si Di. Para llegar a este punto se necesita tener activado el
Yangchiao Mai .Cara externa del talon del pie y termina al primer chakra y esto lo logramos cuando trabajamos las posiciones
pie del cuenco de los ojos. bajitas en las formas o cuando estamos en la posición de jinete; al llegar a
Yinchiao Mai . Parte del talòn , sigue por el tobillo interno y este punto descubrimos que no solo es el ejercicio ni las posturas las que
sube hasta la garganta donde se une con el meridiano de asalto. trabajan cada milímetro de energía en nuestro cuerpo sino que con
Yangwei Mai . Nace del talòn y termina en la cabeza con el técnicas como el saber respirar o al trabajar meditación se siente como
Canal Du Mai. esta energía el Chi recorre nuestro cuerpo y así seguimos avanzado en el
Yinwei Mai Pasrte del centro del talòn y termina en la boca camino, cada avance significa una nueva prueba ya sea física o mental
con el Canal REn Mai donde describiremos nuevos retos y así nos damos cuenta que el shaolin
no solo es el estilo de vida que nos enseña como vivir trabajando la
RELACION CON EL SHAOLIN energía sino que es la vida que nos muestra el verdadero camino hacia la
trascendencia.

CANAL NOMBRE PUNTO ABREV. INICIA TERMINA


Taiyin 11 P
Pulmòn Parte media de la
cavidad abdominal Cara interna de la punta del dedo pulgar
Corazòn Shaoyin 9 C
Centro de axila donde
palpita arteria Lado interno del dedo meñor que de la mano
Pericardio Jueyin 9 PC
Parte anterior del tòraz
Punta del dedo medio de la mano
Inter.Grueso Yangmin 20 IG
Punta del dedo indice A los lados de la nariz
int. Delgado Taiyang 19 ID
Lado cubital de la punta
del dedo meñique
Canal auditivo hueco entre cartilago y arti
culaciòn de mandibula
Sanjiao Shaoyang 23 TC
Lado cubital de la punta Canto externo del ojo
del dedo dedo anular
Bazo Taiyin 21 B
Carta interna del dedo
grande del pie Raìz de la len gua y superficie inferior
Riñón Shaoyin 27 R Parte inferior del 5 dedo
del pie Borde inferior de la clavicula
Hígado Jueyin 14 H
Regiòn dorsal del dedo
gordo del pie Dos costillas debajo del pezòn sexto espacio
intercostal
Estomago Yangming 45 E
En la lìnea de las pupilas
por debajo del ojo y Cara externa de la punta del segundo dedo del
encima del hueso pie
Vejiga Taiyang 67 V

Canto interno del ojo Cara externa de la punta de la punta del dedo
pequeño del pie
Vesícula Biliar Shaoyang 44 VB
Canto interno del ojo
Cara externa de la punta del 4ª dedo del pie
TESTE NEUROMUSCULAR DO ANEL
Dr. Wu Kwang
Nos últimos anos, a Ecologia ganhou importância muito grande, inclusive dentro da Medicina Natural. Estuda-se muito a influência dos fatores
ambientais sobre as pessoas. Os testes mais difundidos são: Vegatest ou EAV (Eletroacupuntura de Voll), Cinesiologia Especializada, Sinal Arterial de
Nogier e Teste Neuromuscular do Anel. No começo da década 60, George Goodheart, D.C., descobriu os fundamentos da Cinesiologia Aplicada (CA -
atualmente alterada para Cinesiologia Especializada), fundindo os conhecimentos de Cinesiologia, Quiroprática, Medicina Chinesa, Tibetana, Indiana etc.
Conseguiu assim o que considero a maior contribuição do século XX para as Medicinas Naturais, descobrir todos os segredos e todas as aspirações do
corpo através de um teste simples e objetivo, acessível a qualquer pessoa. As aplicações do Teste Muscular são realmente fantásticas. Desde então outras
especialidades da Cinesiologia Aplicada surgiram, as mais conhecidas no Brasil são o Touch for Health (TFH - Saúde pelo Toque) e a Behavioral
Kinesiology (BK -Cinesiologia Comportamental). A BK analisa a relação do corpo com o ambiente. Suas potencialidades podem ser apreciadas através do
livro "BK Behavioral Kinesiology: The Revolutionary New Science for Positive Health (Your Body Doesn't Lie)", escrito em 1978 por John Diamond, M.D.,
expresidente da Academia Internacional de Medicina Preventiva. Tal obra já foi traduzida para português no livro "Seu Corpo Não Mente". Em 1970, John
F. Thie, D.C., sintetizou e simplificou a CA de modo que os leigos possam aprendê-la rapidamente e aplicá-la para si, para os familiares e amigos, deu à
técnica o nome de TFH. Em 1973, foi fundada a Touch for Health Foundation, na Califórnia, EUA. Desde então, tal técnica já atingiu Canadá, Inglaterra,
França, Noruéga, Suécia, Holanda, Suíça, Austrália, Nova Zelândia, México, Venezuela e em 1982, o Brasil. Desde os primeiros contatos com a CA em
1983, através do livro "Seu Corpo Não Mente", percebi logo a importância de suas aplicações em Acupuntura, principalmente para resolver um dos
maiores problemas em diagnóstico, a pulsologia, um método subjetivo e difícil, porém, muito importante. Tal percepção foi finalmente confirmado no artigo
de D. Larson, na revista American Journal of Acupuncture, de 1985 e nos trabalhos do Dr. Yoshiaki Omura (Columbia University) a partir de 1977 sobre o
Teste Neuromuscular do Anel.Em 2001, realizamos em São Paulo, através do SINATEN, o 1º Encontro Brasileiro de Cinesiologia Aplicada e Métodos
Bioenergéticos, com apoio do Ministério da Saúde.Após anos de pesquisas, acho que consegui montar um esquema a ser transmitido didaticamente para
os colegas. Quero primeiro dar algumas definições:
1) Músculo Indicador - é o músculo ou grupo muscular escolhido para realizar os testes, deverá ser resistente e fácil de posicionar. O músculo
indicador é usado na pesquisa dos fatores ambientais exógenos e endógenos. O músculo escolhido não deve estar com dor ou contratura. Deve estar com
boa circulação de energia, isto é, resistente e confiável para oferecer respostas. Em geral, os músculos mais utilizados são: deltóide, supraespinhoso e
grande peitoral clavicular. No Teste Neuromuscular do Anel, em geral a pessoa testada encosta as extremidades do polegar e do indicador, assim, são
avaliados os músculos Opositor e Flexor Curto do Polegar, e os mm. Flexor Superficial e Profundo dos Dedos. Há outros 3 anéis possíveis: polegar com
médio, com anular ou com mínimo. Deve ser escolhido o anel que demonstre melhor a resposta.
2) Teste Neuromuscular - é o procedimento básico donde se originou a CA. Devemos realizá-lo após a seguinte preparação:
a) O examinador e o paciente não devem estar rodeados de muitas pessoas.
b) Apagar os aparelhos elétricos até uma distância de 3m; ficar a 1m de fios elétricos.
c) Paciente não deve estar com bexiga ou estômago cheios.
d) Retirar relógios, pulseiras, chicletes, cartões magnéticos, pagers, baterias etc. do paciente e do terapeuta, com exceção do ouro.
e) Tirar remédios dos bolsos, retirar qualquer objeto sob o sutiã (inclusive etiqueta).
f) Retirar roupas de fibras sintéticas.
g) O paciente não deve estar descalço, exceto se estiver sobre piso seco de madeira.
h) Paciente deve assumir postura ereta, em pé ou sentado, ou em decúbito dorsal horizontal.
i) Ambos devem estar concentrados nos testes e evitar o riso.
j) Paciente não deve encostar a língua no céu da boca.
k) Limpar as mãos do terapeuta, do intermediário e do material condutor com álcool a 70%.
l) O paciente deve estar relaxado e tranquilo. O terapeuta deve conversar com o paciente explicando todo o procedimento e que vai apenas pesquisar
problemas pertinentes ao diagnóstico e tratamento. É conveniente também perguntar ao corpo (subconsciente) do paciente através do Teste Muscular se
tem permissão para iniciar a pesquisa.
m) Escolher o músculo a ser pesquisado e colocá-lo na posição apropriada. Tal músculo não deve apresentar dor, rigidez ou defeito.
n) Escolher o membro, para os destros, usar o direito; nos canhotos, o esquerdo.
o) A outra mão do paciente deve estar fechada, os dedos envolvendo o polegar, isto é para não captar energias de outras pessoas e objetos. Os braços do
paciente, do terapeuta ou do intermediário devem estar afastados do corpo uns 45º.
p) Paciente deve estar com a mão escolhida formando um anel, juntando as polpas digitais das falanges distais de polegar e do indicador.
q) O terapeuta coloca seus dedos indicadores dentro do anel do paciente, encostando depois cada polegar no indicador da mão respectiva formando
assim dois anéis.
r) Deve mostrar ao paciente a direção e o sentido do movimento a ser executado sobre o anel para conscientizá-lo.
s) O terapeuta tenta abrir o anel do paciente puxando diametralmente opostos os seus dedos indicadores, avaliando assim a resistência do anel do
paciente, ou seja, dos seus mm. Oponente, Adutor, Flexor Curto e Longo do Polegar, e mm. Flexor Superficial e Profundo dos Dedos.
Dr. Omura ressalta as 2 condições necessárias para escolher um bom anel: Um bom anel não deve ser aberto só com o(s) indicador(es) do
terapeuta. Um bom anel pode ser aberto visivelmente com dois dedos (indicadores e médios) do terapeuta.
AUMENTAR A SENSIBILIDADEPara tornar o teste mais sensível e fácil, Dr. Omura utiliza rotineiramente o BDORT Indireto, colocando uma
pessoa como intermediário e realiza sobre a sua mão dominante o O-Ring-Test. O intermediário recebe as informações do paciente através da outra
mão.Para obter respostas puntiformes e precisas, o intermediário segura uma haste de latão (cobre e zinco, 20cm de comprimento) e indica os pontos do
paciente. É importante não deixar exposta a outra extremidade da haste pois poderia estar apontando para algum local ou pessoa inconveniente.A
utilização do intermediário facilita o teste pois esta mesma pessoa poderá ser usada em outros exames e não precisa mais ser instruída e treinada.
Entretanto, é claro que tal intermediário deve ser bem escolhido, treinado e calibrado. Um bom intermediário não deve apresentar problemas de coluna
cervical que afetem o exame, isto é, o intermediário, ao posicionar a cabeça para frente, para trás, ou girar para os lados, não deve alterar a resistência do
anel.Após realizar todos estes passos preliminares, podemos aplicar o Teste Neuromuscular do Anel segundo nossos objetivos diagnósticos ou
terapêuticos: pontos, meridianos, micro-sistemas, neurotransmissores, vírus, bactérias, neoplasias, medicamentos alopáticos, homeopáticos, fitoterápicos,
florais, vitaminas, sais minerais etc.
INTERFERÊNCIA MEDICAMENTOSA: É preferível que o paciente não tenha ingerido remédios químicos nos últimos 8 a 15 dias. Caso
suspeitar de interferência, deve neutralizá-la com o nome do remédio ingerido, com tanchagem, com propólis, com antibiótico naturais ou industriais.
INIBIÇÃO AUDITIVA: O paciente gira a cabeça para a direita e depois, para a esquerda, em nenhuma das posições deve ocorrer alteração do
anel. Caso o anel abrir, significa que há distúrbios das antenas do corpo (orelhas), porque estão fechadas ou sobrecarregadas. Para corrigir, é só abrir as
antenas (puxar as orelhas em várias direções).
INIBIÇÃO VISUAL E DISTÚRBIOS DO CAMPO ENERGÉTICO TIBETANO Ao virar os olho para a direita, e depois para a esquerda, não deve
abrir o anel. Caso houver, significa haver distúrbios visuais por sobrecarga, focalização excessiva, falta de iluminação, campo eletromagnético etc. Ao
cortar em figura de 8 o campo energético anterior ao tórax, saindo do ombro direito, passando pelo ilíaco esquerdo, e então pelo ilíaco direito, e terminando
no ombro esquerdo; ou pelo caminho contrário, do ombro esquerdo para o ombro direito; não deve haver abertura do anel. Caso houver, significa haver
perturbação do campo energético tibetano. Ambos os fenômenos estão relacionados com o “switching”. A correção do "switching" deve ser realizada da
seguinte forma: o terapeuta deve colocar uma mão sobre o umbigo e colocar a outra mão massageando vigorosamente por uns 20 segundos os pontos
R27 (Palácio dos pontos de Assentimento). Testa-se o músculo indicador novamente para verificar a eficiência da correção. Esta manobra permite pelo
menos uma correção temporária afastando a influência do "switching" durante a sessão.

No Internet, procurem por O-RING TEST ou BDORT (Bidigital O-Ring Test)

CONSTITUIÇÃO
A constituição do corpo herdada dos pais depende de 3 fatores:
1) da saúde geral dos pais1) se o qi e a essência (jing) dos pais forem fracos, a essência (jing) ancestral da criança também será fraca. isso
também ocorre se os pais a conceberem em uma idade muito avançada..
2) se a saúde dos pais for boa, mas estiver fraca no momento da concepção, causa da por fatores como: excesso de trabalho e atividade
sexual, consumo excessivo de álcool ou o uso de determinados remédios ou drogas (lícitas ou não), resultará em uma criança com constituição fraca..
3) a condição da mãe durante a gravidez pode afetar o feto, como por exemplo acidentes coma mãe, choque emocional, consumo de drogas,
álcool, cigarro, etc..
A fraqueza constitucional (hereditária) pode afetar qualquer um dos 5 sistemas yin, apesar do rim (shen) armazenar a essência (jing).sinais e
sintomas de fraqueza constitucional para cada sistema yin:
CORAÇÃO (XIN): nervosismo e sono perturbado na infância. Coloração azulada na testa: linha mediana da língua relativamente funda,
atingindo a área imediatamente atrás da ponta.
PULMÃO (FEI): propensão a resfriados e às doenças do peito na infância. Tórax magro, tez pálida.
FÍGADO (GAN): cefaléias temporais na infância. Miopia precoce. Tez esverdeada. Infertilidade primária ou amenorréia nas mulheres.
BAÇO PÂNCREAS (PI): músculos fracos e flácidos. Cansaço físico na infância. Distúrbios digestivos na infância, tais como: vômitos. Diarréia.
Pouco apetite. Tez amarelada. Dores de cabeça frontais na infância, relacionadas com a ingestão de alimentos.
RIM (SHEN): micção noturna. Tremores na infância. Coloração azulada no queixo. Ossos ou desenvolvimento cerebral fracos. Infertilidade
primária nas mulheres. Esterilidade nos homens. Envelhecimento precoce. embranquecimento e queda precoce dos cabelos. Dores de cabeça (na cabeça
toda) na infância (entre 7 e 10 anos).
EMOÇÕES: as emoções são de longe os mais fortes indícios etiopatológicos das síndromes dedesequilíbrio energético. Vamos abordar seus
principais aspectos:
RAIVA: agregado de muitos sentimentos como: ressentimento; mágoa; fúria; indignação; amargura. Efeito da raiva no organismo depende da
reação do indivíduo: se a raiva for reprimida causará estagnação do QI do fígado (GAN), o que nas mulheres poderá causar a estase do sangue (XUE) do
fígado (GAN), nesse caso é favorável que a pessoa expresse sua raiva. Se a raiva for expressa causará ascensão do yang do fígado ( GAN) ou queimação
do fogo do fígado (GAN), os sinais de uma pessoa assim serão cefaléias, zumbido, tontura, erupções vermelhas na parte da frente do pescoço, face
vermelha, sede, língua vermelha com os lados mais vermelhos, etc., contudo, às vezes uma pessoa com depressão e aspecto tímido e pálido, pode ter
fúria reprimida por anos, onde a estagnação de QI virou fogo de fígado recluso. Para identificar esses casos observe a língua e o pulso, que retratarão a
real condição interna.
ALEGRIA EXCITAÇÃO EXCESSIVA E ANSIOSA: a excitação excessiva e ansiosa pode ser encontrada em pessoas que vivem sob constante
excitação ou estimulação mental em sua rotina de vida. Isso incita fogo de coração (XIN), que por sua vez hiperestimula a mente. O amor e o ciúme
obsessivos também afetam o coração (XIN) da forma acima descrita. As principais manifestações desse quadro são: palpitações, hiperexcitação mental,
insônia, inquietação falar pelas “articulações” (falar muito), língua com a ponta vermelha. Há casos, porém em que a alegria repentina pode se tornar um
trauma: uma boa notícia inesperada causa hiperexcitação repentina. O YANG QI flutua e os vasos sanguíneos tornam-se dilatados e muito abertos,
podendo gerar uma crise de enxaqueca súbita. Uma súbita e incontrolável “crise de gargalhadas” pode gerar um ataque do coração, confirmando a relação
entre coração e riso.
PREOCUPAÇÃO: essa é uma das causas emocionais das doenças mais comum na sociedade, devido a constantes mudanças sócio-
econômicas que afetam toda uma coletividade. A preocupação e sua exacerbação, o pensamento forçado, afetam baço pâncreas (PI), devido ao fato dele
controlar o pensamento, a reflexão. Esse sentimento prende o QI e pode afetar dois sistemas: baço pâncreas (PI) - comanda a reflexão e o pensamento:
pouco apetite, desconforto epigástrico moderado, suave distensão abdominal, fadiga, • tez pálida
PULMÃO (FEI) - na preocupação a respiração fica superficial: sensação de desconforto torácico, dispnéia moderada, ombros tensos, algumas
vezes tosse seca
TRISTEZA E PESAR (DOR) esses sentimentos retratam a condição de lastimação de um indivíduo por fatos ocorridos no passado, onde a
mente é voltada para esta época. “a tristeza e o pesar afetam coração (XIN), tornando-o confinado e agitado pressionando os lobos do pulmão. O triplo
aquecedor superior se torna obstruído e o QI não circula livremente, o calor se acumula e dissolve o QI do pulmão (FEI)” essa afirmativa extraída do simple
qüestions, capítulo 39, mostra que esses sentimentos afetam primeiro o coração (XIN) para depois afetar o pulmão (fEI). O pulmão (FEI) governa o QI a
tristeza e o pesar esgotam o QI: voz fraca, fadiga, dispnéia moderada, opressão torácica, choro. nas mulheres pode gerar deficiência de sangue (XUE) e
amenorréia. EMBORA ESSES SENTIMENTOS ESGOTEM O QI, SE FOREM MANTIDOS POR MUITO TEMPO PODEM GERAR A ESTAGNAÇÃO DO QI
NO TÓRAX.
Medo: o medo inclui um estado de medo e ansiedade ou um susto repentino. o medo esgota a essência ( JING) de rim (SHEN) e faz o QI
descender. As conseqüências desse fato são: micção noturna nas crianças, incontinência urinária ou diarréia nos adultos após um susto repentino. a
ansiedade crônica e medo podem apresentar um quadro específico de sintomas, dependendo da condição do coração (XIN). Um coração (XIN) forte, fará
o QI descer. Se o coração (XIN) for fraco, o QI pode elevar-se em forma de calor-vazio, o que é muito comum nas mulheres e nos idosos, uma vez que
esse sentimento enfraquece o yin do rim (SHEN) e gera calor vazio do coração (XIN). Na normalidade, o yin do rim (SHEN) ascende para resfriar o fogo de
coração (XIN). O fogo do coração (XIN) descende para aquecer o rim (SHEN) os sintomas são: palpitações, insônia, transpiração noturna, boca seca mais
à noite, rubor malar.
Excesso de trabalho: na atual sociedade industrializada, é muito comum a presença de longas horas de trabalho sem o repouso adequado e
trabalho que exija muito do físico e do mental, sob condições estressantes. Nessas situações o corpo não consegue recuperar suas energias, recorrendo
às reservas energéticas, ou seja, essência (JING) de rim (SHEN). Com o yin do rim (SHEN) deficiente, poderão surgir sintomas específicos como:
lombalgia; exaustão, depressão com perda da força de vontade (vigor e iniciativa); fraqueza nas pernas e nos joelhos; tontura e zumbido (rim ( SHEN) não
nutre cérebro adequadamente); transpiração noturna, etc; no entanto, existem alguns padrões específicos no excesso de trabalho: carregar muito peso
prejudica rim (SHEN), utilizando reservas de energia; o trabalho físico excessivo sem descanso enfraquece músculos (baço (PI)); o excesso de atividades
físicas prejudica tendões. Após alguns anos pode gerar deficiência de sangue (XUE) ou YIN do fígado (GAN); esforço mental excessivo durante muitas
horas com má alimentação podem enfraquecer o yin do estômago (WEI).
Sedentarismo: o sedentarismo também é causa de desarmonias orgânicas. o excesso de inatividade pode gerar ou agravar a estagnação do
QI e, em alguns casos, pode contribuir para uma deficiência do QI do pulmão (FEI), uma vez que o QI estagnado no triplo aquecedor superior gera calor
que consome o QI torácico. Para pessoas que apresentem estagnação do QI em qualquer sistema, advinda de uma condição de deficiência (o que é muito
comum.), com a presença do fator sedentarismo, deve-se proporcionar atividades moderadas, já que: falta de atividade gera ou agrava estagnação do QI;
atividade moderada movimenta o QI estagnado sem aumentar a deficiência que causou esta estagnação; excesso de atividade movimenta o QI estagnado
mas aumenta a deficiência que causou esta estagnação, gerando mais estagnação após a atividade.
Alimentação: hoje em dia esse é um forte fator predisponente das síndromes de desequilíbrios internos, devido a falta de critérios para o
sustento do organismo. Quantidade do alimento: excessivo “a quantidade de alimento deve ser regulada com a atividade física” comer em demasia gera a
retenção de alimentos no estômago (WEI), tornando difícil a descida do QI. Pessoas que tem muita atividade física durante a semana devem ingerir menos
alimentos no final de semana, o que não ocorre normalmente. Insuficiente:
Pobreza extrema com pouca quantidade - deficiência nutricional
Dietas severas podem levar à anorexia
Irregularidades alimentares com alimentos destituídos de valor nutricional (vegetarianismo)
Deficiência da ingesta de nutrientes essenciais
Consumo excessivo de queijo (prejudica yang de baço (PI))
Deficiência da ingesta de produtores de sangue (XUE)
Senilidade - idosos comem pouco por solidão
Natureza do alimento: alimentos frios; vegetais crus; saladas; frutas; bebidas frias; sorvete o consumo excessivo desses alimentos pode causar
frio no baço (PI) e no estômago (WEI).
Alimentos quentes (cujo consumo excessivo produz calor no estômago - WEI): Pimenta, Condimentos, Carne de vaca, Álcool, Açúcar e doces
Já alimentos gordurosos como frituras e laticínios produzem (pelo consumo excessivo) umidade ou mucosidade no estômago (WEI).
Condições da alimentação : é muito importante que a ingestão de alimentos seja feita de acordo com uma. Rotina, com refeições regulares,
ingeridas diariamente nos mesmos horários e em quantidades análogas, procurando distribuir os alimentos de forma a não se sujeitar a refeições muito
pobres, alternadas com refeições muito substanciais.
Comer muito rápido ou com pressa: significa comer um rápido sanduíche, almoçar em minutos, comer dirigindo, etc. esses hábitos podem gerar
ao longo dos anos: estagnação do QI do estômago (WEI) e retenção de alimento; comer apos as 20 horas:ao anoitecer passamos a consumir energia yin,
e não mais o yang (QI). A ingestão de alimentos nesse período durante muitos anos pode gerar:; deficiência do yin do estômago ( WEI); • discussão de
trabalho durante a refeição: a discussão afeta fígado (GAN) que deveria suprir o QI do estômago às refeições. Esse padrão mantido por muito tempo gera;
estagnação do QI do estômago (WEI); voltar a trabalhar imediatamente após a refeição. O QI e desviado do estômago para suprir o resto do corpo em
atividade, esse fato pode gerar: deficiência do QI do estômago (WEI): alimentar-se quando emocionalmente perturbado: fato muito comum e freqüente em
várias famílias cuja hora das refeições não é considerada uma “hora sagrada”. Esse fato gera ao longo dos anos: estagnação do QI do fígado (GAN) e do
estômago (WEI); ingestão de quantidades irregulares de alimentos de um dia para o outro comum entre empresários que em um dia fazem um almoço de
negócios, com fartura (excessiva às vezes) alimentar e no outro dia comem um lanchinho no avião. Isso pode gerar ao longo de um período; não tomar o
café da manhã: a principal refeição deve ocorrer entre 7 e 9:00 hrs, que é o horário de pico energético do estômago (WEI), onde o alimento deve ser
substancial, pois é essa refeição que proporciona a nutrição que deve nos manter durante o dia. A não ingestão do café da manhã por longo tempo causa:
deficiência do QI do estômago (WEI); deficiência de sangue nas mulheres. Beliscar constantemente: quando ingerimos um alimento, o estômago (WEI)
fica cheio e os intestinos (DACHANG E XIAOCHANG) ficam vazios. Quando o alimento desce, os intestinos (DACHANG E XIAOCHANG) ficam cheios e o
estômago (WEI) fica vazio. Esse ciclo deve ser respeitado para que esses sistemas possam trabalhar com uma boa cota de QI. Se for mantido esse hábito
por muito tempo poderá gerar: deficiência do QI do estômago (WEI). Comer enquanto assiste televisão ou enquanto lê: quando se usa os olhos, durante a
alimentação, o QI do estômago é desviado para nutri-los. Isso pode gerar: estagnação do QI do estômago e retenção de alimento. (é um padrão bastante
comum de cefaléias frontais); jejum: o jejum pode ser benéfico para pessoas com quadro de calor no estômago (WEI). No entanto, o jejum completo de
água e líquidos pode enfraquecer o estômago (WEI) e do baço (PI). Isso pode gerar: deficiência do QI do estômago (WEI). (pessoas com deficiência do QI
do estômago (WEI) e do baço (PI), não devem usar o jejum como método de tratamento).
ACIDENTES : * acidentes graves e quedas podem ser fatores que venham a facilitar o aparecimento de desequilíbrios energéticos específicos
na região afetada. Uma criança pode bater a cabeça, por exemplo, e ficar levemente contundida. Muitos anos depois, ela pode passar por problemas
emocionais ligados à raiva e frustração, que causam a ascensão do yang do fígado (GAN). Neste caso, a ascensão do yang se alojará na área da cabeça
onde ocorreu o antigo trauma, provocando dores de cabeça. Uma maneira de localizar traumas antigos na região da cabeça, é observar a presença de
uma mancha de cor púrpura extensa e isolada, na ponta da língua.

Pautas y secuelas de la Acupuntura


M.V. Adriana Moiron

Cuales son las pautas que se deben considerar durante el tratamiento acupuntural? Según las pautas que rigen la Medicina Tradicional China,
los puntos de acupuntura o también denominados acupuntos se ubican en meridianos o canales los cuales se conectan con: relaciones metabólicas -
funcionales orgánicas específicas de los seres vivos; es decir con órganos, sistemas orgánicos y tejidos corporales a través de estos meridianos. Para que
estos acupuntos sean estimulados o afectados por cualquier método acupuntural, deben aplicarse ciertas pautas metodológicas durante la sesión (tiempo
que dura la consulta acupuntural). Ellas son:
 Selección de los puntos utilizados.
 Ubicación adecuada de los puntos utilizados.
 Profundidad de la acupunción.
 Elección del tipo de estimulación o tratamiento del punto de acupuntura.
 Duración de cada sesión de acupuntura.
 Cantidad de sesiones que debe tener el tratamiento de una enfermedad.
En cuanto a este último item, es algo difícil de preestablecer de antemano con exactitud. Ya que es sabido que no existen enfermedades, sino
enfermos. Cada individuo porta una energía especial que lo identifica y que a su vez interactúa con el medio ambiente de la mascota. Con esto quiero decir
que un animal que tiene un estrecho vínculo con su amo, va a tener una respuesta más rápida al tratamiento. O un propietario que conozca la acupuntura
desde su creencia o porque la ha utilizado para su curación personal, producirá en su mascota un efecto beneficioso. A continuación se describen una
serie de maniobras que el acupuntor realiza durante la aplicación de las agujas en las diferentes regiones del cuerpo.Cuales son las secuelas que se
pueden producir en un tratamiento acupuntual? Si bién son poco frecuentes de hallar cuando la acupuntura es efectuada por un profesional
experimentado. Alguna secuela a modo fortuito puede presentarse. La más común es la exacerbación del problema tratado, especialmente en aquellos
casos que cursen con dolor. Este empeoramiento aparente en general, es de escasa duración (entre 1 a 2 días) y en la mayoría de los casos no constituye
un signo de mal pronóstico. Este problema se basa generalmente por un exceso de acupuntura, ya sea por los siguientes factores:
1. El uso de muchos puntos.
2. Selección de puntos incorrectos.
3. Aplicación de una estimulación exagerada.
4. Porque las agujas son mantenidas por mucho tiempo en el lugar.
Esto se corrige de manera fácil en las sucesivas sesiones y en gran parte de los tratamientos que se aplican, es común de observar estos tipos
de problemas.Otras secuelas que se pueden observar, se pueden deber a factores que dependen de la manipulación de la técnica acupuntural. Ellas son:
1. Curvatura o fractura de agujas.
2. Agujas “ trabadas o congeladas “, cuando las agujas se enganchan en el tejido, por lo general a causa de espasmos musculares o por quedar enredadas
en las fascias (cobertura de tipo pseudo tendinosa que envuelve a un músculo o región muscular) dificultando su extracción.
3. Injuria de órganos vitales tales como corazón, hígado, riñón y bazo. Este problema se puede observar cuando el profesional no es idóneo o cuando
existen factores predisponentes del animal tales como talla miniatura, agresividad o inquietud exacerbada del paciente.
4. Hematomas o hemotórax.
5. Infecciones.
6. Vómitos y / o náuseas.

BIBLIOGRAFÍA:
H. Sumano López y col.; “Acupuntura Veterinaria”, Editorial Interamericana, Méjico 1990.
Nguyen Van Nghi; “Patogenia y Patología Energéticas en Medicina China”, Vol. I, Editorial Cabal, Madrid 1981.
Marita Casasola; “Acupuntura en Animales”, Editorial Mandala, Madrid 1999.
www.wbvc.bc
www.interhiper.com
Datos de la autora: Dra. Adriana Moiron - Médica Veterinaria
Egresada de la F.C.V. de la U.B.A en 1983. Nacionalidad: Argentina. Docente del Área de Enfermedades Médicas de la F.C.V. de la U.B.A.
Argentina, desde 1992 a la fecha. Ex docente de la Cátedra de Histología y Embriología de la F.C.V. de la U.B.A., Argentina, desde 1979 hasta 1986.
Docente del Instituto Médico Argentino de Acupuntura (IMADA), desde 1993 a la fecha. Directora del Laboratorio Clínico Veterinario Alem, especializado en
la práctica de análisis clínicos en P.A., desde 1983 a la fecha Directora de los Cursos Internacionales de Educación a Distancia sobre: “Acupuntura
Veterinaria”. IMADA.
http://ar.geocities.com/adrianamoiron -
www.adrianamoiron.mascotia.com

O QUE É A MEDICINA VETERINÁRIA HOLÍSTICA


http://www.veterinariaholistica.net/index.html

"Acupunctura, homotoxicologia, probiótica, fitoterapia,...!! " Quando pensamos em medicina veterinária holística temos tendência a associar este
termo à prática exclusiva de terapias alternativas, colocando de lado a medicina veterinária convencional. Apesar de muitas destas terapias serem já
conhecidas do domínio público, alguns "mitos" ainda persistem à cerca da sua utilização e eficácia clínica. Regra geral apenas recorremos a elas quando a
conhecida medicina convencional "já não dá resposta" ou seja, em "último recurso" e muitas vezes com casos terminais ou de recuperação muito difícil.A
American Holistic Veterinary Medical Association (AHVMA) define a Medicina Veterinária Holística ou Integrada como "a realização da observação e
diagnóstico de um animal, tendo em consideração todos os aspectos da vida do mesmo e utilizando todos os sentidos do clínico veterinário, bem como a
combinação de modalidades de tratamento convencionais e alternativas (complementares)".Mais importante do que classificar a medicina em alopática ou
holística, alternativa ou convencional, científica ou não-científica, racionalista ou empirista, ocidental ou oriental é ter a consciência da qualidade de vida
que a mesma pode trazer à saúde animal quando praticada com uma abordagem diagnóstica e terapêutica correctas.Para que conheça um pouco melhor
as principais abordagens diagnósticas e terapêuticas holísticas deste serviço, segue um pequeno enquadramento histórico e uma breve explicação dos
fundamentos que regem cada uma delas.
MEDICINA TRADICIONAL CHINESA
A acupunctura é uma disciplina da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), a qual teve a sua origem na China Antiga há vários milénios atrás.
Desde a segunda metade do século XX a acupunctura sofreu uma rápida difusão em todo o mundo ocidental.A prática da acupunctura estendeu-se
também à Medicina Veterinária, na qual tem sido integrada de forma complementar. A sua utilização como método terapêutico preventivo (profilaxia),
curativo (tratamento) ou paliativo generalizou-se em países como os E.U.A., Brasil e em vários países europeus.A Medicina Tradicional Chinesa possui um
método de diagnóstico próprio - o diagnóstico energético - que se baseia principalmente num interrogatório detalhado dos hábitos de vida do paciente, na
palpação (energética) dos pulsos, na observação da língua e na palpação de pontos específicos de diagnóstico, o que permite avaliar quais os
desequilibrios energéticos presentes no organismo responsáveis pelo aparecimento de estados de doença.Com a acupunctura veterinária, é possível
corrigir desequilibrios nos organismos animais através da aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo, os chamados pontos energéticos.
Aplicadas nos pontos sobre o trajecto de meridinanos, permitem obter um efeito regulador ao nível dos diferentes sistemas do organismo, nomeadamente
nervoso, hormonal e imunitário, promovendo a recuperação de diversas patologias orgânicas (digestivas, respiratórias, dermatológicas, uro-genitais),
neurológicas (paralisia, incontinência), comportamentais, imunitárias, hormonais, ortopédicas, musculo-esqueléticas e articulares.
MEDICINA BIOLÓGICA
A medicina biológica é outra designação integrada na medicina holística. A medicina biológica não pretende produzir uma supressão dos
sintomas das doenças (o que "engana" o organismo ao fazê-lo "pensar" que já não está doente) mas sim modular a sua intensidade, enquanto promove as
respostas fisiológicas necessárias para que o próprio organismo animal possa combater as causas da doença e obter a cura. A homotoxicologia e a
probiótica são dois exemplos de terapêuticas integradas na medicina biológica.A homotoxicologia nasceu na Alemanha, em 1969, pelo médico Dr. Hans
Reckeweg e basea-se nos princípios da medicina hipocrática e da homeopatia clássica de Hannemann. Uma das principais vantagens da homotoxicologia
é concilar a abordagem alopática (convencional) e a abordagem holística no diagnóstico e tratamento de doenças. A sua terapêutica basea-se no uso de
produtos homeopáticos.A probiótica constitui uma abordagem nutracêutica na regulação de certos aspectos do organismo. O intestino dos animais aloja
uma flora bacteriana variada e numerosa, muito importante para um intestino funcional e para um bom sistema imunitário geral de defesa contra as
infecções. Várias patologias podem ser melhoradas com o recurso a uma terapia probiótica adequada e à instituição de uma higiene alimentar e intestinal.
MEDICINA CONVENCIONAL
A medicina veterinária convencional pode igualmente ser designada por alopática. Hoje em dia, de uma forma geral, não é praticada segundo
uma filosofia holística mas pode ser usada para ajudar a ver os pacientes nessa perspectiva. Análises clínicas, biópsias, radiologia, ecografia, etc podem
ajudar-nos a ver "à transparência" e a confirmar algumas hipóteses diagnósticas. Além disso, um interrogatório detalhado da anamnese, história clínica e
hábitos de vida e um exame físico atento, pormenorizado e detalhado deviam já por si dar uma perspectiva "holística" do paciente com a sua patologia. Por
ser muito útil na abordagem de patologias agudas através do uso de certos medicamentos, por permitir uma abordagem preventiva (profilaxia) de certas
patologias através da criação de programas de saúde pública e saúde animal e pelos seus avanços em cirurgia, favoreceu o aumento da esperança média
de vida da população e foi conquistando um lugar previligiado e uma forte aceitação nas sociedades ocidentais a partir do início do século XX.

Apresentação e uso da acupuntura Veterinária


www.dogtimes.com.br/acupuntura,htm
A acupuntura pode ser definida (acus = agulha e punctura = punção) como a inserção de agulhas nos pontos exatamente pré-estabelecidos (cananies)
especificamente sobre o corpo do indivíduo a curar para produzir uma reação fisiológica específica. A Medicina Veterinária tem catalogados 32 pontos
simples e 40 bilaterais, isso quer dizer 112 pontos selecionadas possíveis de se usar em Animais Pequenos. Cada ponto de acupuntura tem uma ou várias
funções quando é estimulado. Sobre combinar com outro ponto, os resultados são produzidos por modificar a ação do órgão a tratar. Mas a seleção
inadequada dos acupontos pode anular ou piorar os sintomas clínicos a tratar. Apresentação: Durante muito tempo, as doenças degenerativas crônicas ou
produtoras do dor crônica eram de pouca incidência de tratamento. Por fatores econômicos, porque o paciente manteve um escasso ou nenhum contato
com o proprietário ou por falta de preocupação ou desconhecimento do sofrimento dos mascotes, para estes casos, a solução bem comum destas
patologias era a eutanásia. Mas os avanços da nutrição e da Geriatria em Medicina Veterinária fizeram com que os mascotes vivam muitos mais anos.
Portanto, os estados geriátricos debilitantes são apresentados em qualidade e não em quantidade como anos atrás. Algo que havia acontecido com o
animal jovem traumatizado, com as degenerações neurológicas ou disfunções fisiológicas, ou com as deformações congênitas que podem causar dor
aguda ou crônica. Sempre eram tratados de forma não satisfatória, com procedimentos medicamentosos e/ou cirúrgicos. Para estes tipos de situações é
que surge a Acupuntura na Medicina Veterinária, como uma nova maneira de tratamento. Aplicações da Acupuntura na Medicina Veterinária: As patologias
sobre as quais a acupuntura veterinária pode agir, são várias, mas existe uma quantidade delas que são as que têm difusão maior. É certo que por sua
cronicidade e tipo de demonstração, oferecem a esta terapia alternativa um lugar afamado. Dentro desta assembléia de patologias, achamos aquelas que
se apresentam tanto com dor aguda como crônica. Do mesmo modo, outro grupo de patologias pode surgir como conseqüência de doenças metabólicas
ou imunológicas de curso crônico, que não necessariamente apresentam dor.
 Patologias mais comuns tratadas em Medicina Veterinária:
 Alívio da dor
 Paralisias e Paresias dos membros anteriores e posteriores
 Afecções motoras dos membros anteriores e posteriores
 Indução de respostas nervosas autônomicas
 Analgesia na dor aguda e crônica
 Patologias dérmicas
 Granulomas por lambida
 Afecções do trato gastrointestinal
 Afecções músculo - esqueléticas degenerativas ou senis
 Afecções da coluna vertebral
 Síndromes de mal absorção e / ou Síndrome de mal assimilativo
 Estimulação do trabalho de parto
 Síndrome de Insuficiência renal
 Doença respiratória crônica
Abaixo pode ser observada a imagem de um esqueleto cão onde alguns pontos são descritos em letras violetas, pertencentes ao meridiano de
Tripla Função ou Recalentador e seu trajeto está demarcado em linha azul. O Interesse alopático pela acupuntura: O interesse dos meios de comunicação
provocou o interesse dos proprietários. Esta preocupação do povo, forçou os médicos veterinários a procurarem a ajuda dos colegas acupunturistas. Os
resultados favoráveis obtidos, estimularam a curiosidade, assim como a desconfiança das organizações veterinárias. Os artigos e escritos sobre a
acupuntura veterinária, agora são aceitos para a maioria das publicações da profissão. Os encontros, seminários e convenções locais, regionais, estado e
nacional, deram importância aos conferencistas sobre acupuntura. Em janeiro de 1986, O Comitê de Estudos de Terapias Alternativas da Associação
Veterinária Médica Americana (AVMA) começou estudos de 2 anos sobre a segurança e eficácia dos Procedimentos e protocolos que difere das formas
tradicionais da cirurgia e Medicina Veterinária. Uma das modalidades sob estudo é a acupuntura. O comitê toma débito de informar o que acha ao
Conselho do Serviço Veterinário. Este corpo submete se com a tarefa de estabelecer uma modalidade adequada como um jeito de alternativa terapêutica
em Medicina Veterinária, então propõe recomendações de certificar ou abonar os profissionais em técnicas, aprovar e garantir sua habilitação. Uma
Comissão anuncia as especificações e diretrizes sobre a acupuntura. A Sociedade Internacional de Acupuntura Veterinária (IVAS) foi criada e regulada em
1974 , para promover a excelência em prática da acupuntura veterinária. Como uma parte integral do sistema total veterinário de saúde, esta sociedade
tenta estabelecer padrões uniformemente altos da acupuntura veterinária, por meio de seus programas educacionais e exames de habilitação. O IVAS
procura integrar a acupuntura veterinária e a prática da ciência ocidental veterinária. Assim, requer 120 h de aulas de instrução abonado, toma-o de
exames extensos e a publicação de 5 casos, em ordem a receber a certificação da Sociedade. Também esta Sociedade delimitou um código de ética, com
os detalhes das obrigações em general dos membros, o compromisso dos assistentes médicos com os pacientes e a profissão, a ética dos acupunturistas
nas questões comerciais e as relações com o público em geral sobre promover exposições, publicidade e ao professor para a educação, treinamento e
experiência. Na República Argentina, as instituições responsável para regular a prática da medicina animal e humana são: Sociedade de Argentina de
Acupuntura (SAA) e Instituto Médico Argentino de Acupuntura (IMADA).As ações da Acupuntura em Medicina Veterinária: As ações da Acupuntura nas
patologias mais comuns em Medicina Veterinária são: Alívio da dor; Em analgesia cirúrgica (pouco freqüente); Indução de respostas nervosas autônomas;
As Contra-indicações da Acupuntura em Medicina Veterinária: A contra-indicação mais importante para a acupuntura é o processamento antes de
estabelecer um adequado diagnóstico ou antes de tentar determinar de forma eficiente a etiologia do processo que é desejado tratar. Este deve ser assim
porque a acupuntura tem a capacidade de mascarar ou modificar a sintomatologia, complicando ainda mais a precisão do diagnóstico. (p. ex. dor e
síndromes neurológicas) ou podem promover um quadro perigoso para a vida (p. ex. neoplasia) isso deve ser tratado com outra modalidade terapêutica
cujo empreendimento, desta maneira será visto como demorado. Outro fator a considerar nos casos agudos é que a eliminação da dor pode encorajar o
animal a uma desmedida atividade, a qual obstaculiza a cura da ferida original. Certas precauções devem ser tomadas na aplicação da acupuntura. Na
medida do possível isto deve ser evitado sob as seguintes circunstâncias:
 Imediatamente depois de uma alimentação intensa.
 Depois do exercício ou sobre um animal cansado.
 Sobre um animal que é notavelmente medroso, zangado ou emotivo.
 Sobre cães gestantes.
 Paciente recentemente banhado ou que será banhado logo após a sessão.
 Quando injeções de atropina, narcóticos, narcóticos antagonistas ou corticosteróides são empregadas.
 Quando o animal não pode ser contido convenientemente e não pode ser observado com tranqüilidade durante o ínterim do
rocessamento.
BIBLIOGRAFIA:
H. Sumano López y col.; "Acupuntura Veterinaria", Editorial Interamericana, Méjico 1990.

Nguyen Van Nghi; "Patogenia y Patología Energéticas en Medicina China", Vol. I, Editorial Cabal, Madrid 1981.
Marita Casasola; "Acupuntura en Animales", Editorial Mandala, Madrid 1999.
www.wbvc.bc
www.interhiper.com
Dra. Adriana Moiron - Médica Veterinaria
Educacional da Área Doenças Médicas da F. C. V. da U. B. A. Argentina.
Educacional do Instituto Médico Argentino de Acupuntura (IMADA).
http://www.petfriends.com.br/
Acupuntura é uma técnica de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa que consiste em introduzir finas agulhas de aço inoxidável na pele
(0,25 mm) com a finalidade de estimular pontos específicos relacionados a cada órgão do corpo. E cada órgão possui um trajeto de energia que percorre o
corpo, chamado de meridianos. Com a estimulação dos pontos, a energia que está bloqueada nos meridianos se espalha, tratando a queixa da dor e
reequilibrando o funcionamento do corpo como um todo. Dentro da concepção chinesa, a doença é uma manifestação de desequilíbrio, e a acupuntura
seria uma forma de readquirir a harmonia perdida. Esta prática antiga existe há quatro mil anos e vem sendo utilizada em animais com bastante sucesso e
aceitação. A duração do tratamento varia de acordo com a doença apresentada e com a receptividade do animal. A médica veterinária Cecília Maria R. T.
Groke explica que a intenção de curar o animal colabora para o êxito do tratamento e para o aumento da qualidade de vida do bichinho. Pelas suas mãos
já passaram mais de mil animais entre cães, gatos, coelhos, sagüis e cabritos. Ela ainda adverte sobre alguns cuidados que os donos precisam ter para
preservar a saúde do seu animal:
* cuidar da alimentação para que ele não se torne obeso;
* não praticar exercícios físicos de alto impacto, como saltar e correr em solo irregular.
Dependendo do quadro do paciente as sessões de acupuntura podem ser associadas a medicamentos fitoterápicos, homeopáticos ou
alopáticos, obtendo ótimos resultados e diminuindo a incidência de cirurgias. Além dos casos de dor, várias doenças como artrite, gastrite, artrose,
diabetes, insuficiência renal, insônia, estresse, entre outras podem ser tratadas pela acupuntura com eficiência. Traumas, seqüelas de cinomose e
recuperação pós-operatória também são tratáveis pela técnica milenar.
Dra. Cecília Maria R. T. Groke Médica Veterinária
http://www.clinivet.com.br/
A Acupuntura é uma arte milenar de cura que entende o ser vivo em sua totalidade. Seus fundamentos baseiam-se na Medicina Tradicional
Chinesa, a qual compreende a doença ou enfermidade, como manifestação de um desequilíbrio. Para Medicina Tradicional Chinesa, as desordens
surgem e instalam-se quando o corpo não está devidamente equilibrado a idéia do equilíbrio ou harmonia, é a chave para este forma de tratamento. Sua
ação é através de estímulos de pontos reflexos específicos, distribuídos em todo o corpo objetivando reverter, curar e prevenir estados patológicos nos
animais, principalmente através da utilização de agulhas, bem como ser uma ciência direcionada a manutenção do equilíbrio e do bem estar dos animais. A
acupuntura age sobre o sistema nervoso autônomo e sistema endócrino e seu efeito pode ser imunoestimulante, imunossupressor, analgésico e
antiinflamatório. Ao contrário do que muitos pensam a introdução das finas agulhas de Acupuntura não causam dor. Existe sim a “sensação da
Acupuntura” chamada de de Qi Esta sensação, que pode ser relatada por humanos que se tratam com a Acupuntura, é sentida como compressão,
beliscos suaves, calor e ou formigamento no local que está sendo estimulado, de acordo com a sensibilidade de cada paciente.Esta terapia é uma ciência
e método terapêutico que, pode ser utilizado em conjunto, por exemplo, com a alopatia, homeopatia, fitoterapia, e deve ser realizada sempre por um
médico veterinário acupunturista. O número de agulhas introduzidas por tratamento pode ser de uma até vinte e tempo de permanência destas variam de
acordo com as patologias e objetivos do veterinário acupunturista podendo ser desde a simples punção e retirada, até a permanência de trinta minutos. Os
animais aceitam bem a colocação das agulhas, pois não existe o conceito pré-determinado de “agulha é sinônimo de injeção” que existe na mente dos
humanos. Com a evolução da relação construída entre os seres humanos e os animais de companhia; os cães e gatos desenvolveram uma importância
inquestionável dentro do convívio familiar, a busca por métodos de terapias que possam amenizar, prevenir e curar condições patológicas tem sido cada
vez maior.A acupuntura vem sendo utilizada com sucesso no tratamento de cães e gatos em casos de:
 Distúrbios na coluna
 Displasia coxofemoral
 Distúrbios comportamentais: hiperatividade, medo, depressão, ansiedade, entre outros
 Dores agudas e crônicas
 Incontinência urinária e fecal
 Desordens de fertilidade
 Dermatologia
 Cicatrização
 Desordens do sistema imune
 Pós-operatório
 Distúrbios gastrintestinais
 Coadjuvantes no tratamento cardíaco.
 Neuropatias entre outras.
acupuntura@clinivet.com.br

Acupuntura Veterinária: Cura através das agulhas


A acupuntura veterinária é eficaz no tratamento e prevenção de diversas doenças
Janaína Ferreira
http://paginas.terra.com.br/saude/jornalnatural

Um benefício ainda pouco discutido entre os médicos e praticamente desconhecido para proprietários de animais é a acupuntura veterinária. No
entanto, dizer que essa prática é uma novidade pode ser um grande engano. Diz-se que na China, desde a Dinastia Chang (1765 a 1123 a.c.), os cavalos
que iam para as guerras e os que eram usados no trabalho já eram tratados com agulhas. Contudo, no mundo ocidental, há pouco tempo a acupuntura
começou a ser utilizada para tratar doenças que antes não tinham cura pela medicina tradicional, como a cinomose – doença viral que causa lesões
irreversíveis no sistema nervoso – e a Síndrome de Wobbler – uma instabilidade cervical que provoca deslocamento entre as vértebras, acarretando
paralisia.Além dessas enfermidades, a acupuntura trata os mais diversos tipos de doenças, como a espondilose anquilosante,problemas reprodutivos,
digestivos, neuro-musculares, de coluna, etc. “Nos casos em que o paciente não ficar curado da doença, ao menos os sintomas serão amenizados através
das aplicações”, explica o médico veterinário Marcello Costa, um dos poucos especialistas na área e responsável pelo curso de especialização na
Unigranrio. A acupuntura em animais é igual ao tratamento em humanos. Ambos consistem em trabalhar os pontos de equilibro energético da superfície
do corpo, através dos meridianos que circulam por essa superfície e têm correlação com os órgão internos. O objetivo da terapia é justamente provocar o
equilíbrio dessas energias para minimizar o desequilíbrio provocado pela doença. A acupuntura consiste na estimulação mecânica de determinados e
precisos pontos da superfície corpórea, através de agulhas metálicas, chamados acupontos. Mas apesar de em alguns casos ela servir como tratamento
específico, outras vezes pode ser utilizada como um coadjuvante. “A acupuntura estimula o sistema imune, e toda patologia tem um fundo imunológico.
Assim, mesmo que o paciente necessite dos antibióticos, será beneficiado com as aplicações. É comum pegar um animal para tratar um problema
específico e o proprietário relatar que seu bicho está mais ativo, comendo melhor, com as fezes melhores e com o pêlo mais bonito”, diz Costa.O médico
garante que até animais com câncer podem ser beneficiados com as aplicações. Segundo ele, a doença continuará existindo, mas os sintomas, que às
vezes são tão dolorosos, desaparecem. Através da acupuntura, o quadro clínico do animal fica estável e ele passa a ter uma boa qualidade de vida,
mesmo estando doente. “Recentemente peguei um animal com tumor maligno no mediastino. Com a acupuntura, o quadro clínico ficou estável e quando o
animal morreu, foi de um dia para o outro. Se ele não tivesse feito as aplicações teria tido uma morte mais lenta e sofrida”, afirma o veterinário. Para evitar:
PREVENÇÃO. Através do tratamento com as agulhas o médico consegue tonificar os pontos energéticos evitando o surgimento de algumas
doenças, que normalmente se manifestam quando o animal está com idade mais avançada.
FRIO. Os proprietários devem ficar mais atentos à saúde dos bichos no inverno. Neste período do ano são comuns as chamadas patologias do
frio, como problemas nas articulações, coluna, artroses e bico-de-papagaio, devido à queda da temperatura.
RAÇAS. Algumas raças têm tendência a manifestar problemas nas articulações e na coluna com maior freqüência, como é o caso do doberman,
pastor, basset hound, rotweiller e poodle.
CUIDADOS. Não existem contra-indicações para o tratamento com agulhas. Segundo o especialista, o único cuidado é saber os pontos nos
quais você vai utilizá-las.
DISPLASIA. Acupuntura também é indicada para displasia coxo femural, que normalmente provoca muitas dores no animal e não tem cura
através da medicina tradicional.
janainaferreira@odianet.com.br

Sedação e analgesia em crianças - FISIOLOGIA DA DOR


R.S. Miyake, A.G. Reis, S. Grisi Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, SP.

FISIOLOGIA DA DOR
A Associação Internacional do Estudo da Dor (IASP) definiu a dor como "uma experiência sensorial e emocional desagradável associada a dano
tissular presente ou potencial". A dor é transmitida a partir de nociceptores localizados na pele e vísceras que podem ser ativados por estímulos
mecânicos, térmicos e químicos, cuja responsividade pode ser modulada por meio da ação de prostaglandinas, cininas, catecolaminas, íons H +, K+ e
substância P (um neurotransmissor específico das fibras condutoras do estímulo doloroso). Tais eestímulos são conduzidos através de dois tipos de fibras
nervosas (fibras A- C) até o corno dorsal da coluna espinal, onde realizam sinapses com interneurônios medulares, podendo ser modulados por peptídeos
opióides. Da medula espinal, os estímulos dolorosos percorrem os tratos espinotalâmicos e espinorreticulares, alcançando estruturas nervosas centrais
(formação reticular, tálamo, sistema límbico, córtex cerebral), onde são modulados novamente via receptores opióides. A interpretação do estímulo
doloroso é individual e sofre influência dos padrões culturais, do grau de medo e ansiedade e das experiências dolorosas prévias. A partir dessa percepção
da dor pelo SNC, são obtidas as respostas motoras, autonômicas e comportamentais diante do estímulo doloroso. A dor desencadeia uma série de
respostas neuroendócrinas e cardiovasculares com o objetivo de preparar o organismo contra a agressão, em um tipo de resposta de "luta ou fuga". Assim,
ocorre aumento do catabolismo e bloqueio do anabolismo no intuito de se mobilizar todas as reservas metabólicas para a produção de energia, por meio
da secreção de hormônios contra-reguladores como glucagon, hormônio de crescimento, catecolaminas e corticosteróides, além de elevação da
resistência periférica à insulina. Essas alterações levam à hiperglicemia e a aumento dos níveis de ácido lático e corpos cetônicos, com conseqüente
acidose metabólica e outras alterações hidroeletrolíticas. No que diz respeito ao metabolismo protéico, o balanço nitrogenado negativo, decorrente do
bloqueio do anabolismo, impossibilita a incorporação adequada de proteínas aos tecidos, levando o paciente a um processo consumptivo, podendo chegar
até à desnutrição, na dependência da duração do estímulo nocivo e da dor decorrente deste estímulo. Esse balanço nitrogenado também causa uma
diminuição da produção de anticorpos, predispondo ao desenvolvimento de infecções. Paralelamente a essas alterações neuroendócrinas, há, também,
alterações hemodinâmicas decorrentes da secreção aumentada de aminas simpatomiméticas, no objetivo de preservar a circulação em órgãos nobres,
como coração e cérebro, em detrimento dos outros órgãos. Dessa forma, ocorre aumento da resistência vascular periférica, com conseqüente aumento da
pós-carga e maior trabalho cardíaco, levando a maior consumo de oxigênio pelo miocárdio. Demonstrou-se que crianças sob sedação e analgesia
adequadas, após procedimentos cirúrgicos, apresentaram diminuição de complicações pós-operatórias certamente decorrentes do bloqueio dessas
reações fisiopatológicas diante da dor, recuperando-se com maior rapidez.
AVALIAÇÃO DA DOR
A dificuldade na avaliação da dor no paciente pediátrico é inversamente proporcional à sua idade, de forma que uma criança maior é capaz de
expressar verbalmente sua experiência dolorosa, até mesmo quantificando-a. Já na criança menor, a avaliação depende de uma observação atenta e
sensível de quem lhe presta assistência. Nos pacientes inconscientes, incapazes de demonstrar suas respostas dolorosas, a avaliação da dor depende da
observação de reações fisiológicas, como sudorese, taquicardia, reflexo pupilar, alteração de oximetria, eletroencelografia etc. Tais alterações fisiológicas e
sua relação com a intensidade do estímulo doloroso ainda não está completamente definida, impossibilitando seu uso como uma avaliação confiável. Além
do mais, essas respostas fisiológicas diante da dor ocorrem em eventos agudos, não sendo encontradas em pacientes já adaptados ao estresse de uma
estimulação dolorosa crônica. Exemplo desse tipo de avaliação é a escala de avaliação da sedação CONFORT, que se utiliza de parâmetros clínicos,
como pressão arterial média e freqüência cardíaca, além da avaliação da consciência, resposta respiratória, movimentos, tônus muscular e tensão facial.
Esse tipo de avaliação por meio de parâmetros biológicos pode ser, ainda, utilizado em lactentes, nos quais a dor também pode ser avaliada mediante
observação de alterações comportamentais, como respostas motoras (movimentos do tronco e dos membros), expressões faciais e choro, como, por
exemplo, a Tabela CHEOPS (Children's Hospital of Eastern Ontario Pain Scale), que se utiliza desses parâmetros para avaliar a intensidade da dor em
pacientes pediátricos, em períodos pós-operatórios 4, e o escore de analgesia do Departamento de Anestesia do Necker-Enfants-Malades. Sendo a dor
uma experiência essencialmente subjetiva, a avaliação de sua intensidade pode ser baseada na percepção dessa experiência pelo próprio paciente.
Crianças com mais de 3 anos são capazes de compreender o conceito de dor e seus variados graus, e quando são ensinadas, de forma adequada, a
utilizar os instrumentos para avaliar a intensidade da dor são capazes de determiná-la com objetividade. Baseados nessa capacidade, foram criadas
escalas de intensidade de dor para utilização em pré-escolares e escolares, como a escala de Oucher, a escala de intervalos de Nove-Faces e a escala
linear de dor4. Essas tentativas de avaliação, porém, são dificultadas pela necessidade de colaboração pelo paciente ou do julgamento subjetivo do
observador. Dessa forma, diante das dificuldades de avaliação da dor na criança, devemos encarar o ambiente hospitalar e, sobretudo, os procedimentos
invasivos como potencialmente dolorosos e danosos, devendo sempre ser precedidos de sedação e analgesia.

Medicina vibracional
Dra. Daionety Aparecida Pereira*
A alopatia enfatiza a doença, e a medicina vibracional, a saúde. A primeira lida com componentes químicos e estruturais do corpo físico; é a
medicina verdadeiramente objetiva porque lida com a natureza em nível espaço/tempo meramente quadrimensional e, portanto, tem evidências
laboratoriais diretas em apoio a suas hipóteses fisioquímicas. A medicina vibracional lida diretamente com substâncias e energias de outro nível, que são
mais difíceis de detectar e intervêm diretamente na química e na estrutura do corpo físico. Apenas recentemente os cientistas reconheceram que a mente
tem capacidade de influenciar os mecanismos biomoleculares que regulam o funcionamento do organismo. Vários estudos vistos em conjunto mostram
que os seres vivos são seres de energias multidimensionais. A física quântica mostra que toda matéria, na verdade, é energia. Se somos constituídos de
energia, com certeza somos afetados por ela. Através da percepção de que os seres vivos são constituídos de energia, podemos começar a compreender
novos pontos de vista a respeito da saúde e da doença. Esta perspectiva baseia-se na compreensão de que o arranjo molecular do corpo físico é, na
verdade, uma complexa rede de campos de energia entrelaçados. A rede energética que representa a estrutura físico-molecular é organizada e sustentada
pelos sistemas energéticos "sutis", que coordenam as forças vitais e o corpo. Há uma hierarquia de sistemas energéticos sutis que coordenam as funções
eletro-fisiológicas e hormonais, bem como a estrutura celular do corpo físico. É basicamente a partir desses níveis de energias sutis que se originam a
saúde e a doença. Esses singulares sistemas de energia são intensamente afetados tanto pelas emoções quanto pelos fatores ambientais e nutricionais.
As energias sutis afetam os padrões de crescimento celular tanto positiva quanto negativamente. Vivemos em um oceano de freqüências energéticas.
Nossa consciência dessa existência depende de nossa habilidade em registrá-las. Atualmente, muitos cientistas pesquisam meios de poder provar,
mensurar e registrar essas energias. O corpo é como uma estação de rádio, enviando mensagens a partir de cada célula, tecido ou órgão, e cada indivíduo
tem sua própria freqüência e seu ritmo natural de vida. A alopatia já usa um pouco de energia nos seus tratamentos, como emissões radioativas,
eletricidade para deter a dor e campos magnéticos para acelerar a cura de fraturas. Outros tratamentos, ditos alternativos, também transmitem energia
para o corpo, só que de freqüência muito diferente daquelas medidas pelos equipamentos convencionais de detecção. A esse conjunto de tratamentos
denominamos de Medicina Vibracional, e entre eles destacamos: Homeopatia, Florais, Acupuntura (com estimulação feita por agulhas, corrente elétrica,
ondas sonoras, luz laser, pressão pelos dedos e freqüências eletromagnéticas produzidas por luz colorida), Cristais, Cromoterapia, Radiestesia, Imposição
de mãos, Radiônica e Elixires de pedras preciosas.
FONTE: Vetimagem Centro de Diagnóstico Veterinário R Pedro Madureira

ETIOPATOGENIA
Wu Tou Kwang

É muito importante diagnosticar os agentes etiológicos para poder realmente curar os doentes!
ETIOLOGIA - trata dos fatores que determinam o aparecimento das doenças.
PATOGENIA - estuda a formação e a evolução das doenças.
FATORES QUE ALTERAM O EQUILÍBRIO ENTRE O IN E O IANG: As alterações climáticas (6 Energias Perversas) ;Hábitos de vida -
alimentação, exercícios físicos, atividade ;sexual ;A constituição física (hereditariedade) ;Os traumatismos ;O estado mental (7 sentimentos /emoções) ;
ENERGIAS PERVERSAS: Vento, Frio, Calor, Secura, Umidade e Calor de Verão são patogênicas quando a pessoa não consegue se adaptar
a elas. - Cada energia se manifesta em especial numa estação climática, mas pode ser produzida em qualquer outra.

VENTO (FENG): principal Qi da primavera natureza Iang causa dores erráticas agitação abre os orifícios da pele, causa sudorese e temor ao
vento doenças de evolução rápida. SÍNDROME EXTERNA: pulso superficial e lento sudorese irritação na garganta tosse, nariz tapado febre, edema
generalizado ossos e articulações doloridas urticárias sem localização exata. SÍNDROME INTERNA: manifestação de alterações do Fígado calor que
queima o meridiano F vazio de In ofuscações da vista, hemiplegia, espasmos dos membros
FRIO (HAN): principal Qi do inverno natureza In bloqueia a circulação de Qi e Xue produz contrações, temor ao frio (calafrios), dores que
repuxam SÍNDROME EXTERNA produzida pelo frio externo prejudica o BP e E temor do frio que não é melhorado pelo calor articulações e corpo doloridos
contraturas vômitos, inapetência, diarréia SÍNDROME INTERNA produzida por insuficiência do Iang Qi do organismo temor do frio que é melhorado pelo
calor vômitos de líquidos claros, fadiga "todas as contrações pelo frio pertencem ao Rim"
CALOR (RE) e FOGO (HUO): produzidos pelo excesso de Iang, o Fogo forte consome o Qi... o Fogo pequeno produz o Qi, o Calor (Re) não
pertence ao Qi correto do organismo a manifestação de calor extremo origina o Vento SÍNDROME EXTERNA calor pertencente aos excessos externos
de categoria Iang febre na fase inicial, leve temor do vento e do frio, cefaléias, garganta inchada e dolorida, boca seca e sede. Em seguida se manifesta
febre sem calafrios, sede importante, desejo de beber. SÍNDROME INTERNA Fogo que nasce no interior do corpo (Fogo ardente, Fogo robusto)
proveniente do mau funcionamento dos Zang Fu vazio de In dos órgãos calor na palma das mãos, solas dos pés e tórax, insônia, transpirações noturnas,
vertigens zumbidos (distúrbios de R, C e F), ulcerações na língua e na boca, olhos vermelhos, boca amarga, garganta seca e dolorida etc. (indicam fogo do
C, F, P e E)
UMIDADE (SHI): principal Qi do "verão prolongado" (5ª Estação) de natureza In, pesada e impura (turva) causa sensação de peso na cabeça
e no corpo, lassidão, entorpecimento o Qi não pode espalhar-se
manifestações das impurezas: no rosto, fezes pastosas, secreção nos olhos, eczema é "colante" e estagnante provoca doenças de evolução longa e difícil
de se curar bloqueia Qi, desregula a atividade de subida e descida, impede a passagem de energia nos meridianos. SÍNDROME EXTERNA agressão
pelo clima úmido febre cíclica (vespertina); transpiração que não abaixa a febre, temor do vento, lassidão dos membros reumatismo da umidade: dores
fixas, dificuldade para locomoção, paresia dos músculos e parestesia da pele SÍNDROME INTERNA: quando o Baço não exerce a sua função de
sustentação e transporte: Iang do Baço vazio, enfraquecido; falta de apetite, boca pastosa, ausência de sede, náuseas, sensação de "bolas" no interior,
rosto amarelo, leucorréia etc. todos as congestões de umidade dependem do BAÇO.
SECURA (ZAO): principal Qi do outono natureza seca e adstringente prejudica facilmente o Pulmão penetra geralmente pela boca e pelo nariz
SÍNDROME EXTERNA ação do clima seco secura quente: febre, leve temor do frio e vento, suor fraco, sede, angústia, tosse seca etc. SÍNDROME
INTERNA por perda excessiva de líquidos orgânicos boca e garganta seca, pele seca e áspera, pelos e cabelos secos e embaçados, emagrecimento,
oligúria, constipação
CANÍCULA (HUO) OU CALOR DO VERÃO (SHU): principal Qi do verão resulta da transformação do Calor (Re) e do Fogo origem
unicamente externa ao penetrar no corpo, sobe e se espalha abre os orifícios cutâneos, provoca sudorese, fere os líquidos orgânicos (Jin Ye) e esgota o Qi
pode associar-se à umidade (chuvas na estação quente) SÍNDROME EXTERNA temperatura elevada sudorese abundante angústia, sede, astenia,
urinas vermelhas, vertigens, naúseas, opressão no peito etc. alegria, raiva, preocupações, pensamento (reflexão), tristeza, medo e pavor.
OS 7 SENTIMENTOS: São fatores principais das doenças de origem interna. Relacionam-se com os órgãos dos 5 Elementos, as cinco
entidades psíquicas e viscerais que se expressam cada qual através de uma emoção.
CORAÇÃO ligado ao SHEN - alegria governa as emoções.
BAÇO ligado ao YI - pensamento governa a reflexão e a memorização.
PULMÃO ligado ao PO - tristeza governa o movimento de interiorização, relacionado com a inteligência e a alma sensitiva.
RIM ligado ao ZHI - medo governa a vontade de sobrevivência do indivíduo e da espécie.
FÍGADO ligado ao HUN - cólera governa o movimento psíquico de exteriorização, relacionado com o subconsciente, com a inteligência não guiada pela
razão, inteligência instintiva.
Um excesso de emoção fere o órgão correspondente na sua função: com a raiva o Qi sobe; com a alegria o Qi se dissolve; com a tristeza o Qi
fica atado; com o pavor o Qi desce. O mau funcionamento do órgão causa distúrbio nas emoções: Vazio do Qi de BP - depressão, astenia mental;
Plenitude do Qi de BP - obsessão, idéia fixa; Vazio do Qi do R - indecisão, apreensão; Plenitude do Qi do R - autoritarismo, extravagância; Vazio de Qi do
P – angústia; Plenitude do Qi do P - superexcitação; Vazio do Qi do F – medo; Plenitude do Qi do F - raiva; Vazio de Qi do C - choros, timidez, falta de
coordenação; Plenitude de Qi do C - excitação mental, risos e alegrias exagerados, amnésias. Um excesso descontrolado das emoções pode transformar-
se em Fogo

CRANIOPUNTURA
A Craniopuntura foi a descoberta de um neurocirurgião chinês, Chiao Shun Fa, médico do Hospital do Povo da comarca de Chi Shan, norte da
China. Desiludido com os resultados da Medicina Ocidental no tratamento das sequelas neurológicas, passou a estudar a acupuntura e teve a brilhante
hipótese de que o estímulo de pontos do couro cabeludo, que têm maior proximidade com o córtex cerebral do que os pontos sistêmicos, teria efeito mais
rápido sobre as doenças cerebrais. Com o apoio dos colegas, passou a realizar pesquisas, até mesmo estimular os pontos da própria cabeça, diante de
um espelho. Em março de 1971, conseguiu curar a hemiplegia de um paciente causada por endarterite de vaso cerebral. Ficou muito entusiasmado e
continuou intensivamente seu trabalho. Em 1975, após tratar 600 casos, publicou suas descobertas no livro "Scalp Needling Therapy". De acordo com a
doutrina dos meridianos: "Todos os meridianos Iang passam pela cabeça" e os vasos maravilhosos Tou-Mo e Jen-Mo também. Assim, pela cabeça, todo o
corpo pode ser controlado.
REFERÊNCIAS Linha longitudinal do limite posterior dos cabelos até a borda anterior: 12 cun Linha longitudinal na fronte: 3 cun VG20: 7 cun a
partir do limite posterior dos cabelos, entre os ápices das orelhas
LOCALIZAÇÃO DAS ÁREAS 1) Linha mediana - liga o ponto entre as sobrancelhas até a protuberância ocipital externa. 2) Linha sobrancelha-
ocipital - liga o meio da sobrancelha com a protuberância ocipital externa
TÉCNICAUtilizam-se agulhas grossas nº 26-28. Essas agulhas são colocadas obliquamente tomando toda a área de interesse. São estimuladas
rodando 200 vezes por minuto. Após 1-2 minutos de manipulação contínua, as agulhas são deixadas em posição por 5-10 minutos. São removidas após
duas manipulações. Somente na hipertensão não se realiza a manipulação das agulhas.10-12 sessões diárias constituem uma série para doenças
crônicas. A segunda série é realizada após 3-5 dias de descanso.Seleção dos Pontos - Geralmente contralaterais.Paralisia - O 1/5 superior das região
motor para paralisia do membro inferior contralateral. Os 2/5 médio das regiões motoras para paralisia do membro superior contralateral e os 2/5 inferior
das regiões motoras para paralisia facial contralateral, afasia motora e disartria.Distúrbios sensoriais - O 1/5 superior das região sensorial é utilizado para
alterações sensoriais do membro inferior contralateral, os 2/5 médios da região sensorial para alterações sensoriais do membro superior contralateral e os
2/5 inferiores da região sensorial para alterações sensoriais faciais contralaterais.Hipertensão - Utiliza -se a metade superior da zona vasomotora
bilateralmente.Coréia e doença de Parkinson - Escolhem-se as regiões de controle dos tremores correspondentes às áreas afetadas. Se os sintomas são
unilaterais, a região contralateral é utilizada. Se os sintomas são bilaterais, estimulam-se bilateralmente.Enurese - áreas bilaterais das regiões sensoriais e
motoras correspondentes ao pé.
RESULTADOSAVC Isquêmico e Esclerose Múltipla respondem muito bem.AVC Hemorrágico não responde bem.Coréia apresenta melhoras e
curas em torno de 50%.Doença de Parkinson responde na maioria dos casos.Hipertensão - 50% responde bem.Enurese - os resultados imediatos são
bons.Podem ser tratadas nevralgia do trigêmeo, Tic-Douloureux, radiculite cervical e bursite, síndrome dolorosa pós-laminectomia.
OUTRAS LINHAS TREMORES: Coréia e Parkinson Linha paralela 1,5cm à frente da área motora.
VASOMOTORA: Edema de origem cortical Linha paralela 1,5cm à frente da linha dos Tremores. ½ superior trata edema de origem cortical do
membro superior contralateral. ½ inferior trata edema de origem cortical do membro inferior contralateral.
VESTÍBULO-COCLEAR: Zumbidos, vertigem e síndrome de Menière. Segmento de reta horizontal de 4cm, cujo ponto médio está localizado a
1,5cm acima do ápice da orelha.
2ª LINHA DA LINGUAGEM: Afasia Motora Segmento de reta de 3cm, no plano sagital, acompanhando o contorno do crânio, iniciando a 2cm
atrás e abaixo da proeminência parietal.
3ª LINHA DA LINGUAGEM: Afasia Sensorial Segmento de reta horizontal, inicia no ponto médio da linha Vestíbulo-Coclear, e termina 4cm atrás.
PSICOMOTORA: Apraxia 3 segmentos de reta, de 3cm cada, iniciando na proeminência parietal; 1 segmento vertical, 1 formando ângulo de
40º para frente, e o outro, 40º para trás.
SENSIBILIDADE E MOTRICIDADE DO MEMBRO INFERIOR Trata dor, parestesia e paresia do membro inferior contralateral. Trata também
lombalgia aguda, poliúria de origem cortical, enurese e ptose de útero.Segmento de reta paralelo à linha mediana, situado lateralmente a 1cm desta linha,
iniciando a partir do ponto médio da linha sagital entre proeminência ocipital e base do nariz, terminando a 3cm posteriormente (1cm posterior à
extremidade superior da linha sensorial), cruza as extremidades superiores das linhas motor e sensorial.
VISUAL: Perturbações visuais de origem cortical, dores oculares Segmento de reta, iniciando a 1cm lateral à protuberância ocipital, terminando
4cm verticalmente acima.
EQUILÍBRIO: Alterações de equilíbrio de origem cerebelar Segmento de reta, iniciando a 3,5cm lateral à protuberância ocipital, terminando 4cm
verticalmente abaixo.
NASO-BUCO-FARINGEANA: Problemas de nariz, boca e garganta Sobre a linha mediana, 2cm acima e 2cm abaixo da borda anterior dos
cabelos.
TRANSTORNOS MENTAIS: Transtornos mentais Partindo da protuberância ocipital, terminando 4cm verticalmente para baixo.
PSICO-AFETIVA: Transtornos mentais. Segmento de reta de 3,5cm, paralelo à linha mediana, situado a 2cm de cada lado da linha mediana,
entre a zona Vasomotora e a zona do Tórax.
Acupuntura - Fiscalização
É de conhecimento público que, na metade última do ano de 1995, fazendo-se valer de uma simples resolução do CFM (Conselho Federal de
Medicina) sobre a Acupuntura (a qual não poderia jamais pretender ingerir sobre outras categorias profissionais que não fosse a classe médica), alguns
médicos se dirigiram aos meios de comunicação dizendo-se representantes do CFM, e, iniciaram uma campanha difamatória, tentaram prejudicar
seriamente os Acupunturistas, induzindo a perseguições indevidas dos órgãos públicos tais como Centros de Vigilância Sanitária, Secretarias de Saúde e
Prefeituras de alguns pontos do território nacional, as quais, foram levadas ao erro, pois trataram as simples entrevistas nos meios de comunicação como
se fossem leis. Na verdade, um Conselho profissional pode criar regras tão somente para seus próprios membros, ou seja, o Conselho de Medicina
poderia criar regras para os médicos exercerem acupuntura, mas não tem direito legal de criar regras para os fisioterapeutas, nutricionistas, biomédicos,
terapeutas holísticos, nenhuma outra profissão que não a própria... Assim sendo, tentaram lesar o Acupunturista em seus direitos constitucionais, em
especial o ARTIGO 05 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL que lhe garante livre exercício deste ofício. Os membros dignos da classe médica, ou seja, a sua
grande maioria, estão de pleno acordo com a nossa posição e nos opoiam, pois sabem que é moralmente insustentável que apenas os médicos possam
exercer a Acupuntura, já que tal matéria nem sequer é estudada nos cursos de medicina. Esta temática já foi objeto de avaliação recente em vários
colegiados, sendo unânime a conclusão de que PRATICAR ACUPUNTURA NÃO É ATO MÉDICO. Já houve tentativa anterior de monopolizar a técnica
para a classe médica, isto em 1993, por parte, inclusive, de alguns indivíduos que novamente nos dias de hoje procuram o mesmo objetivo. Tal absurdo
partiu de alguns membros da Secretaria de Vigilância Sanitária (Brasília) que emitiu um "Relatório Final e Recomendações/ Seminário Sobre O Exercício
Da Acupuntura No Brasil", onde extrapolando as suas atribuições, procuravam, numa atitude corporativista, monopolizar a Acupuntura como exclusividade
médica. TODOS OS CONSELHOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE ASSINARAM DOCUMENTO DIRIGIDO AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR
MINISTRO DA SAÚDE ONDE DISCORDAM DO RELATÓRIO E CONCLUEM SOBRE A ACUPUNTURA: " A MESMA NÃO É UMA PRÁTICA MÉDICA MAS,
SIM, E TÃO SOMENTE UMA METODOLOGIA TERAPÊUTICA APLICÁVEL EM QUALQUER CAMPO DO SABER NA SAÚDE". E mais, afirmam
OFICIALMENTE ser a Acupuntura: "Em se tratando de uma Metodologia Terapêutica Milenar montada em bases Filosóficas dispares de qualquer
formação acadêmica, em qualquer área profissional do campo da Saúde no país"; "Estas bases Filosóficas que movimentaram os Métodos e as Técnicas
de Acupuntura são distintos dos princípios de diagnóstico e metodologia terapêuticas que movimentam academicamente as práticas de Saúde do mundo
ocidental"; " Para a Acupuntura não há exigência de pré-qualificação no campo da medicina tanto no Brasil como no exterior . A mesma não é uma prática
médica mas, sim, e tão somente uma Metodologia Terapêutica aplicável em qualquer campo do Saber na Saúde". Acrescentam ainda, de forma muito justa
e honesta: "O Seminário contou apenas com a participação restrita e não representativa das profissões de Saúde, haja visto não terem sido convidados
outros profissionais e mesmo autodidatas, que sempre demonstraram grau de responsabilidade com a questão da Acupuntura em nosso país".
Relembrando: assinam este documento os representante oficiais dos Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Conselho Federal de
Nutricionistas, Conselho Federal de Biologia, Conselho Federal de Odontologia, Conselho Federal de Farmácia, Conselho Federal de Biomedicina,
Conselho Federal de Psicologia, Conselho Federal de Enfermagem, Conselho Federal de Medicina Veterinária, Conselho Federal de Serviço Social,
Conselho Federal de Fonoaudiologia e, até mesmo, o próprio Conselho Federal de Medicina. Documento de teor semelhante é a Recomendação 27/93 da
Comissão Técnica de Atuação Profissional na Área de Saúde, do Ministério da Saúde, afirmando: "Que no documento conclusivodo Seminário de
Acupuntura transparece, fortemente, a vontade da criação de reserva mercantil para o exercício de tal atividade desconsiderando o aprofundamento
necessário das discussões científicas e acadêmicas que envolvem a matéria". Convém lembrar que só uma lei federal pode restringir as práticas da
Acupuntura para os filiados ao Conselho Federal de Terapia e não há notícia de um único projeto que seja que tentasse enquadrá-la como prática médica.
Todos os existentes visavam incluí-la como uma técnica distinta da classe médica. Como exemplos, podemos citar o próprio projeto desenvolvido pelo
Conselho Federal de Terapia que propõe a criação da profissão de Terapeuta Holístico, que foi apresentado pelo ilustre Deputado José de Abreu, além dos
anteriores do então senador Valmir Campelo que propunha a profissão de Terapeuta em Medicina Natural (projeto de Lei do Senado número 306, de
1991), além do PLC 67/95, e, o projeto mais explícito sobre Acupuntura, de autoria do então senador, e ex-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, FERNANDO
HENRIQUE CARDOSO, que dispõe sobre o exercício da profissão de Técnico em Acupuntura. Muito nos gratifica saber que o próprio ex-Presidente da
República concorda com nosso ponto de vista. Igualmente interessante é a jurisprudência sobre as técnicas naturalistas serem ou não atividades lícitas e
se são ou não ato médico: TODOS os pareceres concluiram ser LIVRE o exercício profissional. Tanto isso é verdade que o CFM abriu mão de seu direito
de se manifestar na ocasião em que o Sr. Dr. Waldir Paiva Mesquita, M. D. Presidente do Conselho Federal de Medicina, recebeu a Notificação do CFT -
Conselho Federal de Terapia, remetida via Cartório do 2º Ofício de Brasília, onde interpelamos: "Pretende o CFM, de acordo com as suas resoluções,
impedir o terapeuta "não-médico" de exercer a acupuntura ?". Esta Notificação, somada a outras ações do CFT pôs fim a uma série de informações
incorretas sobre o exercício da Acupuntura, conquistando o máximo de tranquilidade para nossos filiados. Curiosamente, após tanta polêmica, conforme
noticiado no próprio Jornal do CFM (Ago/Set/96), acabou não sendo validada a "especialidade médica de acupuntura", pois, "... situações como a da
Associação Médica Brasileira de Acupuntura, que foi reconhecida pelo CFM mas não integra a AMB, não podendo, portando, conceder título de
especialista" (o grifo é nosso). Veja o texto A prática de acupuntura não caracteriza exercício ilegal de Medicina na figura abaixo:

Fundamentos da Medicina Tradicional Chinesa


"...pois nenhuma grande des c ob erta ja ma is foi ace ita de imediato. Pelo contrário, na Me di c in a , parece qu e o
re verso é verdad e iro, e todo s d evem pas sar po r um p er íodo de apro vaç ão e até ce n s u ra antes qu e o qu e p arece
ser a verdad e óbvia se ja re conh ec ido por todo s ... Mas essas ace itação tão lenta impede qu e as d esc ob ertas ver dadeiras
sejam conh ec id as e amplamen te aceitas mais ce do, e muitas vidas são ass i m sacr ificadas d es n ecessa riamente."
Frank Slaughter
Sobre o Autor: P rof. Al exander Raspa da Silva
- Fisioterapeuta graduado pela Unicid
- Cirurgião-dentista graduado pela Umesp
- Mestre em fisiopatologia pela faculdade de medicina USP
- Especialista em dor orofacial e DTM pelo Conselho Federal de Odontologia
- Lato Senso em Fisiologia pela faculdade de medicina ABC
- Lato Senso em Patofisiologia pela faculdade de medicina ABC
- Especialização em acupuntura pelo IBRAHO
- Professor de Patologia geral e sistêmica da UNICID
- Professor do primeiro estágio supervisionado em dor e disfunção cérvico-crânio-mandibular em curso de graduação para fisioterapeutas no Brasil
- Coordenou o primeiro curso de lato sensu em Atm, cabeça e pescoço para fisioterapeutas no Brasil
- Professor da Associação Brasileira Científica de Fisioterapia
- Presidente da Associação Brasileira Científica de Fisioterapia
- Professor de Tai Chi Chuan, Chi Kung e Yoga
- Mestre em Hapkido (4º. DAN) pela World Hapkido Association

A Medicina Tradicional Chinesa se baseia em conceitos Taoístas e energéticos, os quais enfocam o indivíduo como um todo e como
parte integrante do universo. Para ela, o indivíduo é constituído por um conjunto de energias, provenientes do céu e da terra, que fluem por todo do
corpo, e que devem estar em constante equilíbrio; quando isso não ocorre, temos então a manifestação de Patologias. A Lombalgia, é uma
afecção muito frequente, resultante de diferentes tipos de desequilíbrios energéticos e/ou agressões externas, e que ha muito tempo a Medicina
Tradicional Chinesa tenta cuidar. Para isso, ela lança mão de vários recursos, tais como a acupuntura, a moxabustão, a farmacopéia, a dietética,
o tai chi chuan, e o qi gong, em função das teorias sobre as quais se fundamenta.

1. Intro d u ç ão
1.1 Conceitos bási cos :
A palavra acupuntura introduzida no Ocidente pelos jesuítas ao retornarem da China, provém do latim, onde acus significa
agulha e punctura, picar. Consiste portanto, em picar agulhas em pontos especiais da pele, a fim de se obter uma resposta terapêutica bem
determinada.Os chineses denominam esse método de Zhen Jiu, que significa agulha e fogo; ou seja, o uso de um recurso térmico, além da
agulha, para estímulos dos pontos. Atualmente fala-se em moxabustão, que consiste na combustão de uma pequena quantidade de pó de
artemísia vulgaris ou sinensis.
1.2 Hi s tór i co da MTC :
A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é tão antiga quanto a humanidade. Pode-se dizer que ela existe desde quando o primeiro
homem pressionou e massageou seu corpo instintivamente ao sentir dor. O primeiro nome que a tradição guardou foi Fu Hi (2953 ac) fundador da
civilização chinesa, ao qual foi atribuído a invenção da caça, e do cozimento dos alimentos. Atribui-se a ele a criação dos oito hexagramas do
livro das mutações-I Ching. Seu sucessor foi o Imperador Cheng Nong (2838 ac) o qual ensinou às pessoas plantas curativas e assinalou as tóxicas.
Os conhecimentos foram transmitidos por meio oral até a dinastia Chou (1122 a 256 ac) quando do aparecimento do Huang Di Nei Jing Su
Wen. Não se sabe quem foi seu autor, mas supõe-se que tenha sido escrito por muitos médicos, cuja autoria fora atribuída ao legendário
Imperador Huang Di . Esse livro contém toda base filosófica, ciência do diagnóstico e tratamento por meio de agulhas e moxa. quase toda MTC se
baseia no Nei Jing, o qual desfruta de grande autoridade, pela riqueza de observações que contém seus ensinamentos sobre prevenção e
tratamento de doenças. Quase todas obras posteriores foram inspiradas nesse livro.Nesse mesmo período, o famoso médico Pien Chueh
descreveu a ressuscitação de uma pessoa considerada morta, com o uso de agulhas.Numerosas passagens difíceis foram retomadas no Nin Jing,
atribuído a Pienn Tsio (300 ou 500 ac). Outra bibliografia que resistiu ao tempo foi a de Chouen yu yi, contemporâneo de Pien Tsio. Ele soube
diagnosticar especificamente uma cirrose hepática, uma hérnia estrangulada, um ataque de gota, uma hemoptise justificando a terapêutica
indicada em cada caso. No período de desunião (221 - 589) foi descrita a regra de diagnose pelo pulso radial. No início da dinastia Han, assinala-
se a existência de uma mulher médica, e as primeiras mulheres médicas foram reconhecidas oficialmente no início do século XIV da dinastia
Yuan. Esse fato mostra-se de suma importância, uma vez que uma paciente do sexo feminino não podia despir-se diante de um médico.
Normalmente, as chinesas utilizavam estátuas ou bonecas para indicar a ele o local onde sentiam dor. No final da dinastia Han, foi escrito Chang
Tsung Jing, livro que descreve o tratamento da malária pela acupuntura, moxa, ervas e de quimioterápicos.
Na dinastia T'ang (sec. VII a VIII) a medicina atingiu seu apogeu, dividindo-se em quatro especialidades. Primeiro vinham os
médicos e pulsólogos que tratavam da medicina interna e externa, doenças pediatricas, da boca, nariz e garganta. Depois vinham os acupuntores,
seguidos dos massagistas, que também utilizavam técnicas respiratórias e de redução de fraturas; e por último, os geomancistas e mestres em
sortilégios. Na dinastia Sung (960 - 1279) o Rei Sung Jen Tsung foi curado pela acupuntura e passou a dar-lhe grande importância. Ordenou a um
médico famoso, Wang Wei Yi, organizar escritos sobre o assunto, bem como mapas e diagramas dos meridianos. Instituiu a primeira faculdade de
acupuntura e foi confeccionado estátuas de bronze para exame dos estudantes. Na dinastia Ming (1368 - 1643 dc) foi publicado o Zhen Jiu Da Cheng
(grande perfeição das agulhas e da moxa) escrito por Yang jizhou, que fornece resumos de todas as obras conhecidas, desde o Nei Jing até
seu aparecimento. Na dinastia Chin (l649 - l9l0 d.c.) Fan Pei Lan escreveu sobre tratamentos combinados das ervas e moxabustão e
selecionando pontos simples. Os governantes desta dinastia baniram a pratica da acupuntura, a qual continuou a ser praticada clandestinamente.
A medicina ocidental provou sua eficiência em assuntos como epidemia e operações cirúrgicas, o que atraía os estudantes. As
escolas de medicina tradicional foram aos poucos, sendo abandonadas, e após a revolução de 1912 só restavam oito. De 1945 a 1949 ocorreram
lutas entre as duas forças que disputavam o poder político: Chiang Kai Shek (revolucionário) e Mao tse tung (comunista). Em primeiro de
outubro de 1949 foi proclamada a República Popular da China sob a liderança de Mao Tsé.No ano seguinte, desencadeou-se uma revolução
sanitária pelo I congresso Panchinês dos trabalhos da saúde pública, onde preconizou-se a profilaxia, a atenção médica voltada principalmente a
operários, camponeses e soldados, e ainda uma colaboração entre médicos de formação ocidental e oriental. Dessa maneira, a medicina
tradicional era oficialmente reconhecida.Com a china saneada, reorganizaram estudos médicos, construíram faculdades, escolas e colégios
médicos nas grandes cidades, e Mao tsé definiu que a linha a ser seguida era a coexistência da medicina popular e a medicina moderna."Embora
Mao tsé tenha promovido a associação da MTC com a medicina do oeste, a china atual não adimite os conceitos taoístas, que estão
descritos nos textos clássicos sinomédicos, muito antigos, e no entanto, tão atuais ....". (Dulcetti , 1993).Em l974, foi criado em Pequim um
instituto de pesquisa científica em medicina tradicional, e até 1958 já haviam 27 institutos semelhantes com objetivo de determinar o valor da
medicina popular através de metodos científicos modernos.Em 1958 começou-se a praticar analgesia por acupuntura. Realizou-se a primeira
amigdalectomia sob analgesia por acupuntura, com sucesso. O método extendeu-se para cirurgias bucais, tireoidectomia, herniorrafia, remoção de
tumores cerebrais, cirurgias de tórax, abdomem, pelvis e extremidades. Os chineses surpreenderam o mundo ao mostratem pela TV um de
seus compatriotas sorrindo sobre a mesa cirúrgica enquanto era submetido à uma gastrectomia através da analgesia acupuntural.

1.3 As teorias bási cas da MTC


1.3.1 Dao ou Tao
Tao é a realidade e a energia primordial do universo, o fundamento do ser e do não ser. Conforme escreveu Chuang tsé: "O Tao possui
realidade e clareza, mas nenhuma ação ou forma. Pode ser transmitido, mas não recebido. Pode ser atingido, mas não visto. Existe por si e através de
si. Existia antes do céu e da terra, na verdade, por toda a eternidade. Ele é a razão da divindade dos Deuses e da criação do mundo. Está acima do zênite,
mas não lhe é inferior. Embora mais velho do que o mais idoso, não é velho". Os chineses acreditavam na existência de uma realidade última que é
subjacente e que unifica todas as coisas e fatos que observamos, denominada de Tao. O Tao é o processo cósmico no qual se achavam
envolvidas todas as coisas; o mundo é visto como um fluxo contínuo, uma mudança contínua. Existem padrões constantes nessas mudanças, que
podem ser observados pelos homens. O sábio reconhece esses padrões e dirige suas ações de acordo com eles. Assim, ele se torna "Uno com o Tao",
vivendo em harmonia com a natureza e obtendo sucesso em tudo que realiza. Lao tsé ensina que Tao (cujo significado pode ser "caminho") não
passa de um termo aceitável para o que fora melhor chamado "o Inominado". Nada lhe predica sem comprometer sua integridade. Dizer que
existe é excluir o que não existe, apesar de o vazio ser sua verdadeira natureza. As palavras limitam, e Tao não tem limites. A característica
principal do Tao é a natureza cíclica de seu movimento e sua mudança incessantes. Essa idéia é a que todos os acontecimentos na
natureza apresentam padrões cíclicos de ida e vinda, de expansão e contração. A idéia de padrões cíclicos no movimento do Tao recebeu uma
estrutura precisa com a introdução dos opostos polares Yin e Yang. Todas manifestações do Tao são geradas pela interrelação dinâmica dessa duas forças
polares.

1.3 . 2 E n ergia Qi:


Há milênios foi desenvolvido no Oriente, um sistema filosófico, cultural, religioso e científico, relacionando uma energia com todas as
coisas e especialmente com os seres vivos. Essa energia é conhecida como Ki no Japão, Qi na China, Prana na Índia e atualmente bioenergia no
Ocidente. Os orientalistas que se referem aos escritos cosmológicos e filosóficos, traduzem Qi como sopro, o sopro original que originou Yin-Yang,
mas os acupuntores preferem utilizar a palavra "energia". Qi dá origem ao céu e a terra: os sopros ligeiros, mais Yang, sobem e formam o céu, enquanto
os sopros pesados, mais Yin, descem e formam a terra. Entre o céu e a terra se encontra o homem, com energia própria e submetido às leis do
céu e da terra.

1.3 . 2.1. Os t i pos de energia ( Q I ) :


Apezar da energia Qi ser única, podemos classificá-la em 3 tipos, segundo suas funções:
A energia ancestral, ou, Yuan Qi, nasce da união do óvulo com o espermatozóide e traz o código genético para cada ser. Ela
decresce durante a vida e seu esgotamento é responsável pela morte não acidental. Yuan Qi, se encontra principalmente na região inferior do
abdomem, estando presente também em todas células do corpo.
A energia ancestral, após o nascimento, ainda precisa ser completada pelo Qi da nutrição.
A energia da alimentação Yong Qi, é a energia essencial, proveniente do ar (Yeung Chi) e dos alimentos (Kou Chi).
A energia defensiva, ou, Wei Chi, é responsável pela proteção e defesa do organismo, ou seja, imunidade.

1. 3.2. 2. O Tri pl o Aquecedor :


O Triplo Aquecedor (T.A) ou Triplo Reaquecedor (T.R.) é conhecido também como três forneiros, três queimadores e três sedes de energia.
Quanto ao T.A., devemos entender uma função tripla que inclui o sistema respiratório, digestivo e gênito-urinário.
O T.A. tem por função manter a vida pela integração ao corpo humano da energia absorvida do ar e dos alimentos.
O Yuan Qi passa pelo T.A., e em cada nível ( superior, médio e inferior), atravessa as vísceras (Zang Fú), provocando atividade
funcional de cada uma delas. Desse modo, permite a digestão, a assimilação, a distribuição e a excreção das águas e dos alimentos.
A sede supeiror se situa no tórax acima do diafragma, e é responsável por assimilar a energia do ar; a sede média, se situa
entre o diafragma e o umbigo, e sua função é produzir energia a partir da absorção dos alimentos e eliminar resíduos da digestão para a sede inferior; a
sede inferior se situa entre o umbigo e o púbis. É também conhecida como campo de cinábrio. É responsável pela reprodução, eliminação de
resíduos e elaborar a energia defensiva Wei, além de conter a energia ancestral.

1.3. 2.3 - As energias perversas :


Cada estação do ano tem uma energia própria que lhe caracteriza e age predominantemente em cada uma das funções:
No verão o calor ; na quinta estação a umidade ; no outono a secura; no inverno o frio e na primavera o vento. Sendo normais em suas
estações, estas energias são ditas "perversas" quando se manifestam em outra estação, porque afetam de maneira negativa as funções
orgânicas, desequilibrando-as se a energia defensiva não estiver forte, provocando fenômenos Yang (excesso) quando atuam além da estação e
fenômenos Yin (insuficiência) quando aparecem atrasadas.
1.3.3 Teo ria do Yi n - Yang :
A partir de uma energia única, temos uma diferenciação em duas energias: Yin e Yang, que são ao mesmo tempo opostas e
complementares. Assim, o cap. 42 do Tao Te King, descreve a criação do mundo: O Tao deu origem a um um deu origem a dois dois deu origem a três três
deu origem aos 10.000 seres os 10.000 seres carregam o Yin nas costas e abraçam Yang. O significado original das palavras Yin e Yang correspondia aos
lados ensolarado e ensombrado , respectivamente de uma montanha. Todos os fenômenos da natureza são constituídos pelo movimento e transformação
dos dois aspectos opostos do Yin e do Yang, como dia e noite, o tempo claro e o sombrio, o calor e o frio, a atividade e o repouso. A teoria do Yin e
Yang classifica fenômenos e manifestações segundo vários critérios, dentre eles :
1 ) Conforme caracteres físicos
Tudo que é animado, em movimento, exterior, ascendente, quente, luminoso, funcional, tudo que corresponde a ação é Yang.
Tudo que está em repouso, tranquilo, interior, descendente, frio, sombrio, material, tudo que corresponde a uma substância (matéria) é Yin.
2 ) Conforme a natureza da manifestação
O céu está no alto, assim é Yang; a terra por estar embaixo é Yin.
A água é de natureza fria, escorre, é Yin. O fogo é de natureza quente, suas chamas se elevam, é Yang.
3 ) Conforme as transformações
Em princípio, o Yang transforma-se em Qi, e o Yin torna-se forma, matéria.
O Fato de pertencer a Yin ou Yang é relativo, pois por um lado, Yin pode transformar-se em Yang, e vice-versa, e por outro lado,
todos fenômenos podem se fragmentar em partes Yin e em partes Yang. Por exemplo, o dia é Yang, mas a manhã é Yang dentro de Yang, e a tarde
é Yin dentro de Yang.
A teoria Yin-Yang quando aplicada ao corpo humano, faz uma diferenciação entre órgãos (Zang) e vísceras (Fú) , sendo que os
primeiros apresentam características Yin e os segundos, características Yang. Segundo George Soulié de Mourant, as vísceras (Fú) cujo ideograma
Chinês denota a idéia de "talher", são assim denominadas porque transformam em energia e sangue os materiais que recebem do exterior. O
fato de estarem em relação com o exterior e fabricarem energia, as caracteriza com sendo Yang. Já os órgãos (Zang) cujo ideograma
representa "tesouro", presidem a purificação e circulação do sangue; apresentam características Yin, por controlar a vida interna (Yin) e o sangue
(Yin). Os órgãos são representados pelo pulmão, coração, fígado, baço- pâncreas, rim e circulação-sexualidade (o qual não é um órgão real,
mas sim uma função que controla todas energias yin, além das funções circulatórias e gênito-urinárias). As vísceras (Fú) são: estômago,
intestino delgado, intestino grosso, vesícula biliar, rim e triplo aquecedor. Entendendo-se que a doença é resultado do desequilíbrio Yin-Yang, os métodos
de acupuntura devem visar reestabelecer o equilíbrio entre os dois elementos. As doenças que possuem características Yang, são agitadas, fortes,
quentes, secas, hiperfuncionantes e agudas. As que possuem características Yin, são calmas, fracas, frias, úmidas, hipofuncionantes e crônicas.
1.3 . 4. Teoria dos c i n c o elementos :
Essa teoria considera que a natureza é constituída de cinco elementos básicos: madeira, fogo, terra, metal e água, existindo entre
eles uma relação de interdependência e interrestrição gerrando assim um estado de constante movimento e mutação. Os elementos geram-se
mutuamente na seguinte ordem: a madeira gera o fogo; o fogo gera a terra (sua combustão produz cinzas); a terra gera o metal (estes nascem na terra); o
metal gera água (quando se liquefaz); a água gera a madeira (pois a nutre); e a madeira gera o fogo (ao se queimar) fechando o ciclo, Ao elemento
gerador, denominamos de "elemento mãe", e ao elemento gerado denominamos de "elemento filho". Por exemplo, a madeira é filha da água e mãe
do fogo. Esse constante movimento de geração levaria o universo a um desequilíbrio. Para frear esse processo, temos a lei da dominância agindo
simultâneamente : A madeira domina a terra (as raízes das àrvores a penetram); a terra domina a água (absorvendo-a); a água domina o fogo (apagando-
o); o fogo domina o metal (fundindo-o); e o metal domina a madeira (a lâmina do machado abate a àrvore). Em certos casos, pode aparecer o
fenômeno da contra dominância, onde o dominado passa a dominar por uma deficiência do dominante, ou então, por um excesso do dominado o
dominante passa a ser inibido. Qualquer fenômeno, objeto, ou manifestação existente na natureza pode cair dentro da esfera de algum desses
elementos. Assim, por exemplo, as estações, as cores, os tons musicais, os órgãos, os sabores, e outros. Há mais de 2600 anos já haviam descrições
da classificação dos órgãos segundo os cinco elementos, no Livro de Ouro do Imperador amarelo. Assim, o fígado pertence ao elemento madeira; o
coração ao fogo; o baço-pâncreas pertence à terra; o metal ao pulmão e os rins à água. Desse modo, o Qi dor rins alimenta o fígado (madeira); este
estoca sangue para ajudar o coração (fogo); o calor do coração vai aquecer o baço-pâncreas o qual transforma a essência (energia) dos alimentos que vai
encher o pulmão (metal). o Pulmão purifica auxiliando os Rins (água). Os estados psíquicos também estão associados aos cinco elementos. Assim, a
cólera (raiva) ao elemento madeira; a alegria ao fogo; a reflexão ao baço; a tristeza ao pulmão; e o medo aos rins.
1.3 . 5. Teoria dos m e r i d i anos :
Cada função possui na superfície do corpo uma série de pontos, que ligados entre si, constituem os meridianos. O ideograma utilizado desde a
antiguidade para designar essas linhas de pontos, está composto por elementos que dão a idéia de alinhamento, e pronuncia-se "Tsing". George Soulié
de Mourant, cita em seu livro texto as seguintes observações clínicas :
1 ) Quando um órgão está alterado, existe uma série de pontos que se tornam sensíveis, e formam uma linha;
2 ) Em pessoas sensíveis, a linha dos meridianos são dolorosas;
3 ) Muitos doentes, no momento da picada da agulha, referem sentir uma sensação que segue uma linha e que coincide com o trajeto do
meridiano do ponto que fora picado. Os meridianos principais são em número de doze. São bilaterais e correspondem a função dos seis órgãos (Zang) e
seis vísceras (Fú). Para cada membro superior existe três meridianos principais de natureza Yin e três de natureza Yang, o mesmo ocorrendo em
relação ao membro inferior, apresentando-se da seguinte maneira :
- 3 meridianos Yin do membro inferior : Baço-pâncreas, Fígado e Rim;
- 3 meridianos Yang do membro inferior : Estômago, Bexiga e Vesícula Biliar;
- 3 meridianos Yin do membro superior : Pulmão, Circulação-Sexo, e Coração;
- 3 meridianos Yang do membro superior : Intestino Grosso, Intestino Delgado, e Triplo aquecedor (Anexo 2).
Além dos meridianos principais o corpo humano possui outras vias que não apenas ligam aqueles a várias partes do corpo como
também cobrem todas as áreas externas e internas por onde circulam as energias. São conhecidos como meridianos secundários, e se dividem em 4:
1 ) Meridianos extraordinários ou curiosos: Esses meridianos são assim chamados porque não têm comunicações especiais com as vísceras.
Além disso, não há correspondência nem reunião entre eles, são forro na parte externa. É nisso que são diferentes dos meridianos regulares que
cruzam e lhes pedem pontos. Estão agrupados em 4 meridianos Yang :
- Du Mai, Dai Mai, Yang Qiao Mai, Yang Wei Mai ; e 4 meridianos Yin :
- Ren Mai, Chong Mai, Yin Qiao Mai e Yin Wei Mai.
Sua principal função é de reforçar os liames entre os meridianos regulares, a fim de regularizar o Qi e o sangue. O excesso destes nos 12
meridianos principais se escoa e se concentra nos 8 meridianos extraordinários, onde é guardado como reserva para ser distribuído quando há
insuficiência de Qi e de sangue nos Jing Mai. Cada um dos meridianos extraordinários (ou ainda "Vazos Maravilhosos") possui um ponto de
comando situado num meridiano principal, da mesma forma que os outros pontos. Com excessão de Ren Mai e Du Mai, os meridianos
extraordinários não possuem pontos próprios, sendo seus trajetos constituídos por pontos dos meridianos principais. Os quatro vasos Yang atuam sobre
as doenças externas e os quatro vasos Yin sobre as doenças internas. Os pontos de comando destes vasos servem para abrir um tratamento , conforme
sua sintomatologia :
- Du Mai - "Vaso Governador" ( ID 3) - Nevralgias, distúrbios motores das extremidades, contraturas da nuca ou maxilares, tétano,
olhos vermelhos, amigdalite, bruxismo, tosse com catarro, e surdez;
- Yang Qiao Mai - ( B 62) - contraturas em geral, hemiplegia, paralisia, afasia, dores da nuca e das costas, e lumbago;
- Yang Wei Mai - ( TR5 ) - esgotamento, expectoração de sangue, dores de cabeça, dores e doenças dos olhos e ouvidos, dor e
edema do pescoço e da nuca, gânglios da nuca, abcessos na boca, dores nos molares inferiores, e artrite dos dedos ou artelhos;
- Dai Mai - (VB 41) - Todos os vazios (insuficiências) e esgotamentos, reumatismo articular agudo, artrite do calcanhar, vermelhidão e edema
nos pulsos e/ou joelhos e/ou nos maléolos externos, paralisis flácida, tremores ou contraturas dos pés e das mãos, dores nas costas, ombros, braços ou
membro inferior;
- Yin Wei Mai - ( CS 6) - amnésia, fuga das palavras, ansiedade, distúrbios do cérebro, riso desordenado, epilepsia, indigestão,
plenitudes internas, constipação espasmódica, hemorróidas;
- Chong Mai - ( BP 4 ) - dores precordiais, dor de estômago, aerogastria, aerocolia, soluços, febres palustres, icterícia de todos tipos;
- Ren Mai - "Vaso da Concepção" - ( P7 ) - doenças das vias respiratórias; coriza, espirros, bronquite, asma, ondas de calor,
meningite nas crianças, diabetes, intoxicações alimentares e medo nas crianças;
- Yin Qiao Mai - ( R6 ) - espasmo da bexiga, urina espessa ou sanguinolenta, micção frequente, constipação nas mulheres, perda
seminal, esgotamento dos idosos e das mulheres, aborto espontâneo, intoxicação nas mulheres, dores no ventre pós parto, e metrite.
2 ) Meridianos distintos (Jing Bie): São em número de 12, partem dos 12 meridianos principais e dependem deles. Têm ação importante,
que consiste em ligar os meridianos principais aos órgãos internos.
3 ) Meridianos de ligação ou Luo Mai: Se dividem em dois tipos:
a ) as ramificaçõe mais grossas - Há no total 15 Bie Luo, sendo 12 meridianos principais, os meridianos Du Mai e Ren Mai, e o grande Luo do
baço. O Bie Luo liga um meridiano Yin e um meridiano Yang;
b ) a circulação na superfície apela para ramificações cada vez menores dos Luo, chamadas Fu Luo e Yun Luo (Anexo 2).
(Auteroche et Navailh , 1986).
4 ) Meridianos tendino-musculares : Sua função principal é proteger o corpo das influências externas. Possuem a energia defensiva,
que circula nos meridianos Yang de dia, e nos meridianos Yin à noite, obedecendo a seguinte ordem :
B - VB - E - ID - TR - IG - BP - F - R - P - CS - C
Principais afecções provenientes do comprometimento destes meridianos :
- Reumatismo agudo, algias e contraturas, contusões, lesões musculares ou ligamentárias ;
- Neurites, mialgias, tendinites;
- Afecções cutâneas;
- Afecções cefálicas : nevralgias, paresias ou paralisias faciais, tiques nervosos, rinites, sinusites, conjuntivites, afonia e catarros.
Sintomatologia :
a ) Plenitude - hipersensibilidade, dor espontânea ou a palpação superficial, rubor, calor, espasmos, contrações, edemas, formigamento,
b ) Insuficiência (ou vazio) - hipossensibilidade, frio, paresia ou paralisia motora, palidez dos tegumentos, atonia ou atrofia muscular, dor a
palpação profunda.

1 .3 . 5 .1. A c i rc u lação ene r gética nos mer i d i anos


A energia, após sua elaboração pelas 3 sedes (T.A.), surge no circuito dos meridianos ao nível dos pulmões, e segue o seguinte trajeto : Dos
pulmões a energia (Yong Qi e Yuan Qi) passa para o Intestino grosso, e deste seguindo para o estomago, baço-pâncreas, coração,
intestino delgado, bexiga, rim, circulação-sexo, triplo aquecedor, vesícula biliar e finalmente para o fígado. Percorre este trajeto em 24
horas, demorando 2 horas em cada meridiano. Paralelamente, ocorre uma segunda circulação. Esta inicia-se às 3 horas da manhã ao nível do
pulmão e continua nos 2 meridianos Du Mai e Ren Mai, onde também circula durante 24 horas. Ao estudar e observar o funcionamento dos
meridianos e órgãos, verificou-se que eles possuem um aumento da atividade durante duas horas por dia, sendo possível comprová-la com o simples
exame do pulso radial.
Os horários de maior atividade são :
Intestino grosso das 5 às 7 hs
Estomago das 7 às 9 hs
Baço-pâncreas das 9 às 11 hs
Coração das 11 às 13 hs
Intestino delgado das 13 às 15 hs
Bexiga das 15 às 17 hs
Rim das 17 às 19 hs
Circulação-sexo das 19 às 21 hs
Triplo aquecedor das 21 às 23 hs
Vesícula biliar das 23 a 1 h
Fígado da 1 às 3 hs
Pulmões das 3 às 5 hs
É interessante observarmos que os pacientes hepáticos e asmáticos por problemas de fígado, têm seus piores períodos entre uma e três
da manhã, e para os cardiopatas, aproximadamente ao meio dia.

1.3.5.1. Trajeto dos meridianos principa i s :


Meridiano do pulmão: Inicia-se a uma distância abaixo da fossa subclavicular, desce ao longo da face antero-lateral do braço, face
radial e palmar do antebraço, passa sob a artéria radial, e termina no ângulo ungueal externo do polegar.
Meridiano do intestino grosso: Inicia-se no leito ungueal externo do dedo indicador, sobe pelo dorso radial da mão, entre os músculos extensor
longo e curto do polegar. Sobe até o dorso lateral do cotovelo, continua no braço pela borda lateral do músculo bíceps braquial e tríceps braquial até
o ombro. Segue para a região supraescapular, volta para a fossa supraclavicular, sobe pela borda lateral do músculo esternocleidomastóideo até a
mandíbula, cruza o plano sagital mediano acima do lábio superior até o seu último ponto, que fica no cruzamento da linha inferior do nariz e da linha
nasolabial.
Meridiano do Estômago : Se origina lateralmente à asa do nariz, penetra pelo arco dentário superior e sai pela pálpebra inferior do
olho, onde se localiza o primeiro ponto desse meridiano. Desce pelo pelo ângulo da boca até a mandíbula. Um ramo sobe, passando pelo ângulo
mandibular, arco zigomático na frente do ouvido , testa (osso frontal), até a implantação de cabelo. O ramo principal desce pelo lado antero-lateral
do pescoço ao longo do lado medial do músculo esternocleidomastóideo até a fossa supraclavicular, onde se divide em dois ramos. Um superficial e
outro profundo. O ramo profundo desce ao longo do esôfago, passa pelo diafragma até a região do estômago, e tem um ramo que o liga com o
òrgão baço- pâncreas. O ramo superficial desce pela linha do mamilo, atravessa a lateral do músculo reto abdominal até a região inguinal, na lateral
do osso púbico. Desce pela borda medial da artéria femural, seguindo pela região antero- lateral da coxa, desce pela borda lateral do músculo
reto femural , passa lateralmente à patela, atingindo a face antero-lateral tibial, até o dorso do pé, entre os tendões do músculo extensor longo do
hálux e extensor longo dos dedos, passa entre o segundo e terceiro metatarso, chegando ao segundo artelho no ângulo ungueal externo.
Meridiano do baço-pâncreas: Começa no ângulo ungueal interno do Hálux, sobe ao longo do lado medial do mesmo, primeiro metatarso, até o
maléolo interno. Continua pela borda póstero-medial da tíbia, passa pela face medial do joelho, e sobe pelo lado medial da coxa até a região da
virílha, de onde percorre a região antero-lateral do abdomem e pela face lateral do tórax até o nível da axila.
Meridiano do coração: O ramo principal sai do coração e sobe pelo pulmão até o centro da fossa axilar onde situa-se o primeiro acuponto do
meridiano. Desce na face medial do braço, epicôndilo medial do cotovelo e pelo lado medial do músculo flexor ulnar do carpo. Passa pelo pulso
entre o quarto e quinto metacarpo da mão e chega em seu último ponto, situado no ângulo ungueal externo do quinto dedo.
Meridiano do Intestino delgado: Inicia-se no ângulo ungueal interno do quinto dedo, sobe pela face ulnar da mão, punho, e antebraço.
Passa pelo lado medial do olécrano, subindo pelo lado ulnar do músculo tríceps braquial até a borda póstero- lateral do ombro. Passa ao
longo da escápula e cruza até a fossa supraclavicular, sobe o lado postero-lateral do músculo esternocleidomastoideo, vai até o ângulo lateral do
olho, e termina na frente do ouvido,na depressão que se forma atrás da articulação têmporo- mandibular quando a boca está aberta.
Meridiano da bexiga: Inicia-se no ângulo medial dos olhos, sube pela região frontal, parietal e occipital do seguimento cefálico. Da nuca, ao
nível da implantação dos cabelos, se divide em dois ramos. Um desce ao longo dos músculos paravertebrais até a região sacro-ilíaca,
musculatura glútea, por trás da coxa até a fossa poplítea. O outro desce pelo lado medial da escápula, até os glúteos, passa por trás da região
trocanteriana e desce pelo músculo bíceps femural até a fossa poplítea, onde se une ao primeiro ramo. Desce a região posterior da perna pelo músculo
gastrocnêmio, passa entre o tendão de aquiles e o maleolo externo, até a borda lateral do pé, terminando no ângulo ungueal externo do quinto
dedo.
Meridiano dos rins: Nasce na planta do pé. Seu primeiro ponto fica psteriormente à articulação metatarso falangeana entre o segundo
e terceiro metatarso, ascende pelo lado ínfero-medial da cabeça do primeiro metatarso, seguindo pelo lado medial do osso cubóide, região póstero inferior
do maleolo medial e ao longo da borda medial do músculo gastrocnêmio, na região póstero- medial do joelho e medialmente à coxa, ao longo dos
músculos adutores e grácil, entra pela pélvis aparecendo novamente no abdomem, correndo ao longo da face medial do músculo reto abdominal, até o
tórax, na depressão entre a clavícula e a primeira costela, lateralmente ao manúbrio do esterno.
Meridiano da circulação-sexualidade - CS: Inicia-se no tórax, no quarto espaço intercostal, a uma polegada para o lado do mamilo, e três
polegadas abaixo da linha axilar. Desce ao longo da borda medial do músculo bíceps braquial, entre o meridiano principal do pulmão e o meridiano do
coração, até a face medial do cotovelo. Continua entre os tendões dos músculos palmar longo e flexor radial do carpo. Na mão, ele passa entre o
terceiro e quarto metacarpo e termina no terceiro dedo, no angulo unguela externo.
Meridiano do triplo aquecedor -TA : Esse meridiano começa no ângulo ungueal interno do quarto dedo da mão, sobe pela face dorsal da
mão, entre o quarto e quinto metacarpo, passa pelo punho bem no centro do punho e do antebraço (entre os ossos rádio e ulna). Passa pelo
olécrano, corta o tríceps posteriormente até a região posterior do ombro. Sobe pela região supraescapular e nuca, contorna posteriormente
a região auricular e termina lateralmente ao supercílio, onde se liga ao meridiano da vesícula biliar (Anexo 10, fig.2).
Meridiano da vesícula biliar : Tem início a 0.5 polegada da borda lateral do ângulo externo do olho; passa a frente do ouvido pela lateral da
extremidade cefálica, e desce pela lateral do músculo trapézio até a região supraescapular. Segue para frente do ombro, lateralmente no tórax até o glúteo
na região trocanteriana, onde se liga com o músculo da bexiga. Desce pela borda lateral da coxa, perna e face ântero-lateral do tornozelo até a face dorsal
do pé, onde passa entre o quarto e quinto metatarso até o ângulo ungueal externo do quarto dedo. Há outro ramo que se separa no lado dorsal do
pé, passa entre o primeiro e segundo metatarso até o ângulo ungueal lateral do hálux, onde se liga ao meridiano do fígado.
Meridiano do Fígado: Tem início no ângulo ungueal interno do Hálux, sobe passando entre o primeiro e segundo metatarso. Passa a uma
polegada a frente do maleolo interno, na borda medial do tendão do músculo tibial anterior. Cruza o músculo baco pâncreas no ponto Bp6 e
sobe pela face antero-medial da perna. Segue pelo lado medial do joelho e coxa para a região genital externa e supra púbica. Sobe pela lateral
do abdomem até a reborda costal, na borda inferior do ponto final da décima primeira costela, e termina no espaço entre a sexta e sétima costela,
na linha mamilar.

1.4. Acupontos
1.4 . 1. Concei t o s
O termo tradicional chinês que designa o ponto de acupuntura é Xué Dáo. Xué tem significado de caverna, fossa, depressão; e Dáo
significa a via, energia espiritual ou cósmica. Xué Dáo significa portanto, a "caverna do Dáo". Outro sinônimo para o acuponto é Qi Xué , ou seja, o
ponto da energia vital, onde "mora o Qi". Através do ponto ocorrem mudanças e transformações, ou trocas energéticas do homem com o céu e a
terra. O dicionário da Medicina Tradicional Chinesa conceitua acuponto da seguinte maneira : " São pontos situados na superfície do corpo onde o Qi
dos órgãos internos e dos meridianos fluem" . Esse conceito é complementado em outro capítulo, pelo termo Dao Qi : " Através da
interconexão fisiológica entre órgãos e canais, mudanças patológicas dos órgãos podem se refletir nos pontos. Estes sítios de estimulação regulam
o balanço do Qi (Yin/Yang) e sangue (Xué), desobstrue os canais e elimina fatores patógenos (ditos "energia perversa ou xié"), reforça a
resistência orgânica e regula a insuficiência (Xu) e os excessos (Shi) ". Soulié de Mourant cita alguns fatos observados :
1) Alterações orgânicas ou funcionais despertam em certos pontos da pele, uma sensibilidade dolorosa, a qual deixa de existir
quando a patologia se resolve. Esses pontos são sempre os mesmos para cada moléstia;
2) Esses mesmos pontos, quando estimulados (via agulhas ou não), proporcionam um retorno a normalidade (temporária ou
definitiva) do funcionamento do órgão correspondente. O ponto de acupuntura apresenta uma ação local (na àrea proxima ao local do acuponto), a
distância (ação sobre órgãos internos e no meridiano correspondente) e uma ação no psiquismo.

1.4. 2. M étodos para localização dos acupontos :


Existem váris métodos para localização dos pontos :
a ) Polegada Chinesa, ou Cun (lê-se Tsun). O Cun equivale a distância medida entre as duas pregas da falange média do terceiro
metacarpo do paciente; três Cun's equivale ao comprimento que vai da articulação interfalangeana média do dedo indicador ao dedo mínimo
do paciente;
b ) Divisão do corpo em partes proporcionais. Por exemplo, o antebraço é dividido em doze partes (12 cun's); a distância
entre dois mamilos é dividida em 8 partes. Esse é um método simples e preciso;
c ) Estruturas anatômicas. É bastante prática e exata para localizar os pontos. Segundo G.S.de Mourant as descrições chinesas para
localização dos pontos não são muito precisas, portanto acrescenta os seguintes ítens a serem observados na procura do ponto :
1 ) Todos pontos se encontram no fundo de pequenas cúpulas ou depressões, o que condiz com seu ideograma Xué (caverna,
cavidade);
2 ) Com a pressão do dedo, o enfermo perceberá uma dor;
3 ) A pele do ponto apresentará uma alteração, uma espécie de rugosidade, a qual não se observa em suas adjacências. Essa
alteração deve ser sentida pelo tato ;
4 ) As pessoas sensíveis perceberão uma resposta ao longo do meridiano, quando pressionado o ponto.
1.4. 3. Nomencl at ura :
Cada ponto possui originalmente um nome em chinês, cada qual com um significado especial. Entre eles,alguns nomes recordam a
posição anatômica, por exemplo o ponto Hé-gu (Ro Kou) que significa "fundo do vale", porque se encontra no ângulo formado pelos dois
primeiros metacarpos. Outros nomes, recordam a sua ação, por exemplo, o ponto Fou-Leóu, que significa "brotar de novo", porque estimula a
secreção renal. Outros nomes ainda, são dados pelo uso que se faz da região onde se encontram. Por exemplo, o ponto Chao Chang (Shao
Shang) que significa "pequeno mercador" ou "pequeno comerciante" porque situa-se na falange distal do polegar, com o qual se faz o gesto que simboliza
"quanto custa ?". Em Tóquio, no ano de l995, aconteceu o I Congresso Mundial de Acupuntura, onde foi estabelecida uma nomenclatura internacinal
para os acupontos. A partir de então, os pontos foram identificados pelo número da sequência no trajeto do respectivo meridiano, mais o nome ou
abreviatura da função correspondente. Por exemplo, o IG 4 é o quarto ponto do meridiano do Intestino Grosso.

1.4 . 4.1. C a racteríst i c as H i sto l óg i cas :


Segundo pesquizas de Niboyet e Rabischong sobre levantamentos efetuados no coelho e no homem, o ponto de acupuntura tem uma
estrutura histológica particular. Foi evidenciado, um adelgaçamento do epitélio, uma modificação nas fibras colágenas, o que explicaria o fato do ponto ser
palpado sob forma de cúpula, a existência de redes vasculares espiraladas entrelaçadas por uma densa rede de fibras nervosas amielínicas de tipo
colinérgicas. A penetração da agulha no acuponto, provoca por ação mecânica, um afastamento das fibras colágenas, o que explica a retenção da mesma
no tecido, até o momento do relaxamento das fibras do tecido conjuntivo.
1.4 . 4.2. C a racteríst i c as bioelétr i cas :
Em 1963, Niboyet em sua tese de ciências, demonstrou que a resistência elétrica do acuponto é sempre inferior àquela da pele
circunvizinha. A análise comparativa dos cortes histológicos feitos na pele de humanos, nos acupontos, após pesquisa bioelétrica mostrou duas
vezes mais papilas dérmicas na região do ponto de acupuntura em relação à outras áreas. O aumento da densidade das papilas dérmicas com
capilares e terminações nervosas sobre a região do ponto pode explicar o aumento da condutividade na pele.
1.4 . 5. Cla s s i ficação :
Existem várias classificações para os acupontos, dependendo da sua função energética. Assim sendo, podem ser classificados em pontos
de comando, pontos dos cinco elementos ou pontos shu antigos, pontos especiais e pontos extra meridianos.
1.4.5.1.) Pontos de comando - são pontos capazes de modificar o comportamento do meridiano ou a função do órgão
correspondente. São classificados em ponto de tonificação, sedação, fonte, passagem ou lo, assentimento e alarme.
1.4.5.1.1.) Ponto de tonificação : promove o aumento de energia no meridiano e estimula a função do órgão correspondente.
1.4.5.1.2.) Ponto de sedação : diminue o caudal de energia no meridiano e seda, acalma a função do órgão correspondente.
1.4.5.1.3.) Ponto fonte : é um ponto de função ambivalente, pois pode aumentar ou diminuir o caudal de energia do meridiano e a função do
órgão correspondente, dependendo das necessidades que o organismo impõe.
1.4.5.1.4.) Ponto de passagem (ou Lo) : ponto de ligação de um meridiano principal com seu acoplado através de um meridiano
secundário;
1.4.5.1.5.) Ponto de alarme (ou Mu) : são pontos que se situam na face anterior (ventral) do tronco e tornam-se dolorosos ou sensíveis
quando houver afecção dos òrgãos internos;
1.4.5.1.6.) Ponto de assentimento (Yú) : são pontos que se localizam na face dorsal do corpo, sobre o ramo interno do meridiano da
Bexiga. Atuam diretamento sobre os órgãos internos por intermédio do SNV.
1.4.5.2.I ) Pontos dos cinco elementos ou 66 pontos shu antigos : Através desses pontos é possível transferir a energia de uma função (órgão-
víscera) para outra. Estão situados nos membros superiores entre o cotovelo e a ponta dos dedos, e nos membros inferiores entre os joelhos e a ponta dos
artelhos. Esses pontos surgiram da analogia feita entre o meridiano e à corrente de um rio, desde a nascente até sua foz, onde se misturam
ao mar. São eles :
1.4.5.2.1. ) Ting : "poço; onde brota a água". Ficam situados nas extremidades dos dedos e dos artelhos;
1.4.5.2.2. ) Iong : "regato, pequeno filete de água". Localizam-se nas articulações falangeanas;
1.4.5.2.3. ) Iú : "riacho, pequeno rio". Estão situados nos metacarpos e metatarsos;
1.4.5.2.4. ) Iunn : "origem". Existem apenas para funções Yang. As funções Yin usam o ponto Iu;
1.4.5.2.5. ) King : "rio caudaloso". Situam-se nos punhos e tornozelos;
1.4.5.2.6. ) Ho : "foz; ponto de encontro do rio com o mar". Localizam- se na altura dos cotovelos e dos joelhos.
Cada ponto shu corresponde a um elemento. Assim, para as funções Yang temos :
Ting - metal; Iong - água; Iú - madeira; King - fogo; Ho - terra;
e para as funções Yin temos : Ting - madeira; Iong - fogo; Iú - terra; King - metal; Ho - água.
Aplicando-se a regra mãe-filho, onde tonifica-se o elemento gerador e seda o elemento gerado, pode-se determinar o ponto de tonificação
e de sedação para cada função. Os 66 pontos shu antigos permitem intervir em função das estações climáticas do ano e de todos os ritmos que animam o
cosmos.

1.5. Di agnóstico pelo pulso radial


Pelo exame do pulso, o médico chinês constata toda perturbação do equilíbrio energético do indivíduo, o que lhe permite aplicar uma terapêutica
eficaz que consiste em restabelecer o equilíbrio, trazendo ao organismo o elemento deficiente ou fazendo-o eliminar o excesso. Os pulsos estão
situados sobre a artéria radial, de ambos os lados, ao nível da apófise do rádio. (pontos P7, P8 e P9).
Pulso E squerdo Pulso Direito
Nível 1 (P9)
superficial : Intestino delgado ................................Intestino Grosso
profundo : Coração .............................................Pulmões
Nível 2 (P8)
superficial : Vesícula Biliar................................... Estômago
profundo : Fígado .............................................. Baço
médio: ............................................................ Pâncreas
Nível 3 (P7)
superficial : Bexiga ................................................ T.A.
profundo : Rins .................................................... C.S.
Entende-se por superficial o que se percebe com pressão leve do dedo no local indicado; nível médio se percebe com uma pressão
pouco mais acentuada; profundo com forte pressão.

1 . 6. Principa i s regras terapêuticas :


1.6.1. ) Regra mãe e filho :
Essa regra baseia-se no princípio de que o órgão que fornece energia é denominado elemento mãe, e o órgão que recebe energia de
elemento filho; ou ainda, o órgão (ou função) gerador é a mãe e o órgão gerado é o filho. Quando desejamos tonificar uma função , tonificamos o elemento
mãe, e quando desejamos sedar uma função devemos sedar o filho. Assim sendo podemos utilizá-la de várias maneiras :
a ) Na grande circulação de energia A energia flui sem cessar na seguinte ordem: Pulmão - intestino grosso - estômago - baço pâncreas -
coração - intestino delgado - bexiga - rim - circulação sexo - triplo aquecedor - vesícula biliar e fígado. Assim sendo, para tonificarmos, por exemplo, o
coração, teremos que tonificar o elemento mãe, que é o baço pâncreas.
b ) Nos pontos de um mesmo meridiano. (pontos shu). Cada ponto está relacionado a um elemento, como já foi descrito. Aplicando-se a
regra mãe filho no meridiano do coração, por exemplo, poderemos sedá-lo usando o ponto Iú (filho), ou tonificá-lo usando o ponto ting (mãe).
c ) No ciclo de geração dos cinco elementos. Desse modo, se por exemplo, o coração está debilitado temos que tonificar sua mãe
(fígado) e se está sobrecarregado devemos sedar seu filho (baço-pâncreas).
1.6.2. ) Regra meio-dia meia-noite
Essa regra se baseia na disposição dos órgãos e vísceras de acordo com a direção da corrente de energia e com o horário de atividade máxima
de cada órgão : pulmão de 3 as 5 horas ; bexiga de 15 as 17 horas intestino grosso de 5 as 7 horas ; rim de 17 as 19 horas estomago de 7 as 9
horas ; Cs de 19 as 21 horas baço-pâncreas de 9 as 11 horas ; Ta de 21 as 23 horas coração de 11 as 13 horas ; vesícula de 23 as 01 horas
intestino delgado de 13 as 15 horas ; fígado de 01 as 03 horas. A tonificação de qualquer órgão provoca a sedação do órgão que se acha em oposição
horária. O mesmo é válido para sedação. Assim, a tonificação do estômago provoca a sedação da função de circulação-sexo, ou ainda, a tonificação
do cs provoca a sedação do estômago.
1.6.3. ) Regra esposo – esposa. Essa regra baseia-se na disposição pulsológica dos órgãos e vísceras Os órgãos do pulso esquerdo
correspondem ao esposo e os do pulso direito à esposa. O esposo domina a esposa. Assim, a tonificação do intestino delgado seda o intestino
grosso.
pulso esquerdo pulso direito
int. delgado int. grosso
coração pulmão vesícula biliar estômago
fígado baço pâncreas bexiga triplo aquecedor rim circulação sexo

1.6.4. Regra dos acoplados


Dispersa-se o ponto Lo do meridiano em excesso e tonifica-se o ponto Iunn do meridiano acoplado em insuficiência.

1. 7. Materi ais e métodos utilizados pela M TC


1.7 . 1. As Agu l has
Na idade da Pedra, espinhos de madeira, depois lascas de ossos ou sílex afinados, eram utilizados para puncionar, tirar o pûs do
abcesso, ou para fazer sangrias. Segundo a tradição as primeiras agulhas vinham do mar oriental e eram de pedra, longas e arredondadas, mas
após 45 séculos foram substituídas por agulhas de metal. O imperador Huang Ti ordenou o emprego de agulhas metálicas, substituindo as de estiletes e
de Jade. Os diferentes tipos de agulhas eram resultantes da necessidade de estímulos diferentes, quer em função da profundidade a que se deve
enfiar a agulha, quer pelos efeitos que se deseja obter. De maneira geral temos três níveis de profundidade :
a )Superficial, atingindo a energia defensiva Oé e que corresponde ao céu ;
b ) Médio , relativo ao homem, nível síntese em que se aumenta ou diminui
a energia da função ;
c ) Profundo, atingindo a energia nutridora Yong.
A tradição chinesa apresentava nove tipos de agulhas.São elas :
1 ) Tsrann - "cabeça de flecha" - tem 3.73 cm - usada para contatos rápidos e superficiais, sem penetrar na pele, com o objetivo de ativar
no local a energia defensiva Oé;
2 ) Iuann - "agulha redonda" - tem 3,73 cm - não é propriamente uma agulha, pois sua extremidade tem forma de esfera, devendo ser
de material dielétrico (marfim, osso, teflon entre outros). Serve para massagear o ponto quando a picada ou a moxa são proibidas e para crianças;
3 ) Ti - tem 8,15 cm - tem a ponta como um grão de milho, ou seja, sua ponta de 1 milímetro é encimada por uma bola que
impede penetração maior. Tem por objetivo tirar apenas uma gota de sangue, ação que tonifica a energia defensiva Oé;
4 ) Fong - "agulha triangular" - tem 3,73 cm , com ponta talhada em três planos para fazer sangrar superficialmente, conseguindo um
efeito dispersante, drenador;
5 ) Prae - "agulha sabre" - tem 8.39 cm, não é uma agulha e sim o bisturi, utilizada para abrir e drenar abcessos. Seu uso excepcional
pelos acupunturistas tem o intuito de impedir que uma infecção produza repercurssões energéticas mais profundas;
6 ) Iuann li - "cabo redondo e ponta aguda" - tem 3.73 cm, é uma agulha curta de ponta muito fina, destinada a inserções superficiais em
crianças ou em portadores de reumatismo agudo, quando a energia defensiva Oé é deficiente
7 ) Rao - tem 8.39 cm, seu comprimento permite penetrar na profundidade máxima do ponto, agindo na energia Yong (nutridora) e drenar as
energias externas agressivas que penetram em profundidade. É muito fina e de grande flexibilidade ;
8 ) Tchrang - "agulha que faz saltar" - tem aproximadamente 16 cm ; utilizada nos pontos muitos profundos, por exemplo das coxas
e nádegas dos obesos;
9 ) Rouo - "agulha de fogo" - tem 9.32 cm; é a única agulha de cobre vermelho (as demais são de aço), porque deve ser
esquentada antes ou quando já está implantada no ponto. Sua ponta é alongada enquanto a das outras são talhadas. Sua aplicação é dolorosa mas de
maior eficiência que as demais nos casos de problemas musculares, carência de energia e paralisia.
Quanto ao metal utilizado, nenhum texto chinês faz menção a agulhas de ouro ou de prata. Segundo Van nghi, os metais não tem nenhuma
ação diferente sobre a intensidade do estímulo da agulha. Entretanto, George Soulié de Mourant afirma em seu tratado que a tradição oral
chinesa confirma experiências feitas em paris : metais coloridos, cobre ou ouro são tonificantes, Yang, e metais brancos são dispersantes, Yin. Qualquer
que seja a natureza do metal, é evidente que a escolha do ponto certo é o mais importante para o tratamento, sendo o restante de ação
secundária, servindo apenas para reforçar a reação que é feita sempre no mesmo sentido e dependente basicamente da função do ponto
estimulado.

1.7. 2. Técnica da pi cada e reti rada da agulha


Para reforçarmos a ação tonificante ou sedante de um ponto, existem regras que prescrevem a melhor maneira de inserir e retirar as
agulhas. Quando a intenção é tonificar, procederemos da seguinte maneira :
a ) Inclinar a agulha no sentido da corrente do meridiano;
b ) Picar no fim da expiração e retirar no início da inspiração ;
c ) Enfiar a agulha lentamente e retirar de maneira rápida ;
d ) Realizar movimentos circulares com a agulha no sentido horário ;
e ) Tampar rapidamente o ponto ao retirar a agulha, e massagea-lo com o polegar esquerdo ;
f ) Massagear o ponto antes da picada ;
g ) Picar superficialmente ; e
h ) Agir no meridiano nas duas horas seguintes ao horário de passagem da onda energética.
Quanto as regras de sedação temos :
a ) Inclinar a agulha no sentido contrário à corrente energética;
b ) Picar no início da inspiração e retirar a agulha no início da expiração;
c ) Enfiar a agulha rapidamente e retirar lentamente;
d ) Rodar a agulha no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio;
e ) Deixar livre o ponto depois de retirada a agulha ;
f ) A puntura deve ser profunda ;
g ) Agir no meridiano durante as 2 horas do horário da onda máxima de energia.
Com relação à profundidade das picadas, é óbvio que nos dedos, nos artelhos ou na cabeça, onde o osso está maix próximo a pele, as agulhas
não devem ser inseridas tão profundamente como nas zonas musculares, onde chegam a atingir de dois a cinco centímetros. As agulhas pequenas
servem para rosto e dedos, as médias para membros e tronco e as grandes para as regiões mais volumosas. Em crianças é conveniente picar
superficialmente e de maneira rápida.

1.7. 4. Moxabustão
Moxabustão é a denominação dada à combustão de uma pequena quantidade de pó de artemísia vulgaris ou sinensis, como forma de
estímulo no ponto de acupuntura. Segundo o Nei King, "em todas afecções onde a acupuntura é contra indicada, é preciso usar moxas. A artemísia tem o
poder de extrair a energia Yang do Yin ". As principais indicações para o uso da moxa são para crianças, velhos, e quando o doente estiver muito
enfraquecido ou magro. As moxas podem ser usadas de duas maneiras : diretamente sobre o ponto ou indiretamente, colocando-se uma camadas de
gengibre, sal ou alho entre a pele e a moxa. Para prepará-la, faz-se um pequeno cone com o pó de artemísia (amassado com os dedos) que se
coloca sobre o acuponto previamente umedecido com uma gota d'agua (para melhor fixar o cone). A seguir colocamos fogo no cone. Quando
a combustão se aproxima da base o paciente percebe o ardor da queimadura e relata ao acupuntor. No ocidente evitamos provocar queimaduras,
retirando-se então a moxa no momento em que se inicia uma sensação de calor intenso. No oriente porém, não é dado muita importância ao fato, o que
geralmente provoca uma cauterização do ponto. Para tonificar-se um ponto, devemos deixar que a artemísia queime, e depois massageamos o ponto
com o dedo. Para obter-se uma sedação, devemos soprar o fogo, para que a moxa queime rapidamente. Com relação ao número de aplicações por
sessão, de 3 a 4 sedam , e de 7 a 10 tonificam.

1.8. Tratamentos compl ementares


1.8. 1. Tai chi chuan
A expressão Tai chi chuan, ou Tai Ji quan, significa literalmente "boxe da suprema cumeeira". (Despeaux , 1981).
O Tai chi chuan é uma expressão corporal e uma arte marcial que derivou do pensamento do Tao e tem seu trabalho interior e
energético baseado nos conceitos e técnicas da alquimia interna Taoísta - Nei Tan. ( Cheng , 1989).
O Tai chi chuan se baseia na meditação taoísta e no I ching, o livro das mutações. "É dizer que Lao tsé e Confúcio deram as mãos". (Severino ,
1988).
Definido modernamente como "a arte da meditação em movimento", os movimentos flexíveis e lentos do tai chi chuan promovem a
harmonização das energias Yin e Yang através da coordenação entre a consciência do movimento e a respiração, libera tensões corporais, e
seu efeito terapêutico se faz sentir sobre a saúde física e mental. (Despeaux ,1981).
Os movimentos do Tai Ji quan tem por base o círculo e o Yin-Yang por utilização; ou seja, em todo movimento, a alternância do yin e do yang
passa a ser um círculo. Durante a prática, as mãos são a parte do corpo que mais descreve os círculos. Essa idéia também se encontra no deslocamento
dos passos. A última postura da sequência de movimentos vai coincidir com o ponto de partida, simbolizando o retorno à origem. A idéia de círculo está
ligada à de continuidade; os movimentos são encadeados e ligados sem interrupção. O princípio de um movimento é o fim do movimento
precedente. (Despeux , 1981).
A meditação e o tai chi chuan são técnicas específicas para obtenção de estados mentais tranquilos, que podem auxiliar na cura e prevenção de
doenças. Os movimentos do tai chi chuan devem ser feitos com o corpo em equilíbrio e centralizado. Os autores classicos dizem que se a coluna
estiver reta e centralizada, o Qi alcançará o topo da cabeça. Dessa forma o equilíbrio é mantido e as dores nas costas e as lesões aos membros
podem ser evitadas. (Liu , 1986).
O Tai chi chuan é na verdade a acupuntura em movimento. Originalmente eram praticados 108 movimentos que poderiam ser
reduzidos a 60 como método síntese. Provavelmente cada movimento objetiva no físico estimular um ponto de acupuntura, sendo de observar que
dividindo-se 108 por 12 (número de meridianos) obtém-se 9 como resultado, sendo esse o menor número de pontos de algumas funções (Coração e
Cs). Podemos relacionar ainda, os 60 movimentos síntese com os pontos shu (5 pontos shu vezes 12 funções é igual a 60 ). ( Cordeiro , 1992).

1.8. 2. Chi Kun ou Qi gong


O Chi kun é derivado da alquimia taoísta e foi introduzido em diversas artes marciais e na medicina oriental como prática
preventiva e curativa. A palavra Chi significa sopro vital, ar, ou ainda energia. Kun significa exercício ou treinamento. Assim, Chi kun pode ser
entendido como exercício respiratório e energético, ou seja, exercícios respiratórios que estimulam a estrutura energética. Com tal prática,
desenvolve-se os centros, os canais (Jing luo) e o campo energético. Existem dois tipos básicos de Chi-kun, com diferentes finalidades :
a ) Chi kun para arte marcial - baseia-se no fortalecimento muscular e ósseo e no desenvolvimento do poder de concentração. Tem como
objetivo o combate, desestabilizando a força e energia do adversário. Essas práticas nem sempre são benéficas ao corpo humano;
b ) Chi-kun terapêutico - tem a função de equilibrar corpo, mente e emoção. Qualquer distúrbio físico, pressão emocional ou mental
causa a formação de congestionamentos energéticos. O Chi kun tem como objetivo previnir e tratar tais desequilíbrios.
Existem duas técnicas básicas na prática do chi kun :
1 ) Tu-na chi-kun : trata-se de exercícios respiratórios sem grandes preocupações em relação aos canais de energia. Atua sobre os
sistemas respiratório e digestivo, expelindo e absorvendo o ar do interior do corpo. Trabalha principalmente com os movimentos do
diafragma e com a dilatação muscular do abdome, em conjunto com a respiração. Tem efeito de oxigenar, energizar e purificar todo o corpo, além
de estimular uma maior capacidade respiratória e digestiva;
2 ) Tao in chi-kun : são exercícios que visam à manutenção, purificação e desbloqueio das energias nos canais de chi.
Normalmente, não exige a manipulação de grandes quantidades de ar durante a respiração. Em geral, a canalização do chi é feita
através de condução mental, massagem e de pancadas leves em partes do corpo. Ambas as formas (Tu na e Tao in) são utilizados nas
práticas de apoio ao Tai chi chuan. O Qi é como a água, necessita de movimento, não pode ser bloqueado. Qualquer tentativa de
restringir o movimento natural de renovação pode trazer o desequilíbrio do corpo e da mente. Por essa razão, o Qi gong (Chi-kun) tem o propósito de
recuperar a naturalidade do corpo e não o de construir um corpo artificial. (Cheng , 1989).

1.8. 3. Dietéti ca
É uma das especialidades médicas das mais antigas na China, a qual classifica os alimentos como Yang ou Yin, segundo sua cor, forma e
teor de água. Os taoístas consideravam o regime alimentar muito importante para manutenção da saúde. (Beau , 1974).
A energia dos alimentos, ou Kou chi, é um fator influente no ser humano, sob enfoque energético, físico e psíquico. Assim
sendo, por intermédio da lei Yin-Yang e da lei dos 5 elementos é possível intervir nos desequilíbrios de maneira reguladora. Os cinco sabores e a
correspondência que eles mantêm com os órgãos segundo a doutrina dos cinco elementos constituem o fundamento da dietética chinesa.
Apresentamos abaixo, as correspondências dos sabores com os órgãos :
Elemento órgão/víscera sabor
Madeira F / Vb ácido
Fogo C / Id amargo
Ta / Cs
Metal P / Ig picante
Terra Bp / E doce
Água R/B salgado
Em geral, o sabor correspondente do órgão tonifica se houver insuficiência da função. Se o órgão estiver em excesso o sabor
correspondente agravará o quadro e também atacará o órgão dominado, segundo o ciclo de destruição (Ko). (Faubert et Crepon , 1990).
Quando uma função está em excesso, os alimentos correspondente ao órgão dominado no ciclo Ko terão efeitos reguladores. Assim sendo
teremos :
Órgão Sabor tonificante Sabor Sedante
F , Vb ácido doce
C , Id amargo Picante
Bp , E doce Salgado
P , Ig picante Ácido
R,B salgado amargo
A menos que haja uma doença grave, não se deve suprimir completamente um sabor correspondente de um órgão. Um
regime equilibrado, é aquele que garante uma parte igual para cada sabor. Segundo o So Ouenn (cap. V) o sabor dos alimentos é Yin e a energia
Yang. Diz ainda, que alimentos de sabor forte são Yin, a que é menos forte é Yin no Yang. a energia que é forte é Yang; a energia menos forte
é Yang no Yin. (Faubert et Crepon , 1990). O sabor picante, relacionado com os pulmões, e o sabor doce, relacionado com o baço, se
exalam e se transformam em Yang.São portanto Yin de Yang. O sabor ácido, ligados ao fígado e amargo ligados ao coração, descem e vão para o
Yin. São portanto Yin de Yin. O salgado é símbolo da nutrição Yang, pode é decomposto em dois sabores : amargo, portanto Yin, e picante, portanto
Yang. Excessos de Yin são corrigidos pelo acréscimo de Yang, e excessos de Yang são corrigidos pelo acréscimo de Yin. (Faubert et Crepon).

1.8. 4. A Farmacopéia
A farmacopéia chinesa tradicional repousa no trabalho de um só homem que a ela consagrou 30 anos de sua vida : Li Che-tchen.
A República Popular Chinesa rendeu-lhe uma homenagem excepcional em 1956, imprimindo um selo postal com sua efígie. Seu Compêndio Geral
da Matéria Médica compreende 56 capítulos dos quais um é índice dos remédios e 3 estão reservados às ilustrações em número de 1.100. Cerca de
12 mil receitas e fórmulas estão consignadas nestra obra e muitas foram recolhidas ao longo de suas andanças pelo Império. Mil e setenta e
quatro substâncias vegetais, 443 animais e 354 minerais são especialmente estudadas tendo sido tirado o restante de tratados semelhantes. As
prescrições levam em conta a preponderância do Yin e do Yang e, através da ação de cada produto sobre os meridianos, a circulação de energia
em relação às estações. Os chineses acreditavam que a natureza tivera o cuidado de chamar a atenção dos homens para os venenos e para os
remédios que ela lhes pode proporcionar.
Medicamentos de origem vegetal :Acônito; alcaçuz; artemísia; cana de açúcar; cânave; cânhamo indiano; efedrina; faveira; funcho;
gengibre; hera; jinsão; lótus; menta; peônia; rabanete; rícino; romazeira; ruibarbo; taraxaco; verberna; violeta; e volúbil entre outros.
Medicamentos de origem mineral :Arsênico; bórax; calomelado; cinabre; enxofre; ferro; iodo; pérolas e pedras preciosas, entre outros.
Medicamentos de origem animal :Asno; boi; cigarra; ganso; morcego; lombriga; porco; sapo; serpente;tigre; veado, entre outros. (Beau , 1974).

4 - Referências Bibli ograficas


ADAS, Melhen. Geografia. São Paulo: Pensamento, 1986.
AUTEROCHE, Bernard. Traitement des Lombalgies, Tradition et Modernité. Revue de L'association Scientifique des Médicin Acupuntureurs de France et
de L'école Française d'acupunture; Paris: 1993, n.99 ao n.100, p. 49 a 185.
AUTEROCHE, B. , NAVAILH, P. Diagnóstico na Medicina Chinesa. São Paulo: Andrei, 1986.
BEAU, Georges. A Medicina Chinesa, Rio de Janeiro: Interciência, 1974.
BLOFELD, John. Taoísmo, o caminho para a imortalidade. 2. edição, São Paulo, Pensamento, 1979.
BRESSET , Michel. Analgesia por Acupuntura em Odonto-estomatologia Operatória e Cirúrgica. São Paulo: Andrei, 1982.
BULL, Wagner. Aikido, O Caminho da Sabedoria. São Paulo,1988.
CAPRA, Fritjof. O Tao da Física. 8a. edição, São Paulo, Cultrix, 1975.
CARBALLO, Diana. Acupuntura no tratamento da dor. Revista do Instituto Brasileiro de Acupuntura e Homeopatia. São Paulo,1994,n.1 , p.21 a 28.
CARLSON , CROLEY. Histologia do ponto de acupuntura. Revista do Instituto Brasileiro de Acupuntura e Homeopatia. São Paulo, 1994, n.1 , pg 29.
CHENG, Wu. Tai Chi Chuan, a alquimia do movimento. Rio de Janeiro: Objetiva, 1989.
CHI, Hung. An inquiry into the analgesic principles of acupunture anesthesia. The American Journal of Chinese Medicine. v.1.,n.1., p.172 a 176, 1973.
CORDEIRO, Ary. Acupuntura e ... . São Paulo: Ensaio, 1992.
CORDEIRO, Ary. Acupuntura, elementos básicos. São Paulo, Ensaio: 1992.
DESPEUX, Catherine. Tai Chi Chuan - arte marcial, técnica da longa vida, 2. edição, São Paulo: Pensamento, 1981.
DULCETTI, Orley. Acupuntura e Homeopatia em Odontologia. Revista da Associação Paulista dos Cirurgiões Dentistas, São Paulo: 1994, v.48, p.1219 a
1223.
DULCETTI, Orley. Especialização em Acupuntura, São Paulo: 1993. [apostila].
FAUBERT, G., CREPON, P. A Cronobiologia Chinesa. São Paulo: Ibrasa: 1990.
GUYTON, Arthur. Fisiologia Humana. 6. edição, Rio de Janeiro: Guanabara: 1988.
GONZALO, Luiz. La acupuntura en el tratamento del dolor. Espanha: Eunsa, 1979.
LIU, Da. Tai Chi Chuan e meditação. São Paulo: Pensamento, 1986.
MANN, Félix. Acupuntura, A Arte Chinesa de Curar. São Paulo: Hemus, 1982. MOURANT, S. Acupuntura. 3.ed., Buenos Aires: Panamericana, 1990.
PENZER,V. , MATSUMOTO,K. Neuroanatomical and Neurophysiological basis for use of acupunture in dentistry. Journal of the Massachusetts Dental
Society. v.36, n.2, p.83, 1987.
SEVERINO, Roque. O Espírito das Artes Marciais. São Paulo: Ícone, 1988.
SILVA, Srilal. Acupunture for the relief of Pain of Facial and Dental Origin. Anesthesiology Program. v.36, p.242 a 248, 1989.
SOMARJ, Sociedade Médica de Acupuntura do Rio de Janeiro. Esterilização normas técnicas atualizadas. Revista da Sociedade Médica
Brasileira de Acupuntura. Florianópolis, 1994,n.1, p.10 e 11.
SUSSMANN A.J. Que é Acupuntura ? .Rio de Janeiro: Record,1973.
YENG,Lin., TEIXEIRA,M. Acupuntura e Dor. Revista da Sociedade médica Brasileira de Acupuntura, Florianópolis, 1994, n.1, pg.8 e 9.
WATTS, Alan. Tao, o curso do rio. São Paulo: Pensamento, 1975. WEN, T.S. Acupuntura Clássica Chinesa, São Paulo: Cultrix, 1985.
WILHELM, Richard. I Ching. 8a. edição, São Paulo: Pensamento, 1987.

Acupuntura Veterinaria
M.V. Adriana Moiron
Acupuntura Veterinaria en la Clínica Pequeños animales - Una nueva forma alternativa de terapia

Definición:
Se puede definir a la Acupuntura ( acus = aguja y punctura = punción) como la inserción de agujas muy finas en puntos preestablecidos
específicamente ( meridianos) sobre el cuerpo del individuo a curar, para producir una determinada reacción fisiológica. La Medicina Veterinaria se ha
listado 32 puntos simples y 40 bilaterales, o sea 112 puntos seleccionados posibles de ser usados en Pequeños Animales. Cada punto de acupuntura tiene
una o varias funciones cuando es estimulado. Al combinarse con otros puntos se producen resultados que modifican la acción del órgano a tratar. Pero la
inadecuada selección de los acupuntos puede anular o exacerbar los síntomas clínicos a tratar.

Inicios de la Acupuntura en Medicina Veterinaria:


En Oriente, la acupuntura fue utilizada como modalidad preventiva y terapéutica durante varios miles de años. Hace más de 5000 años atrás, se
usaban agujas de piedra y espinas de pescado. Luego de la Edad de Piedra, la tecnología empleada era mediante agujas de Bambú, Jade, Cobre, Hierro,
Oro o Plata. Así se deduce que la acupuntura es una de las técnicas médicas curativas más milenarias que existen en el mundo dentro de las ramas
médicas. Se cree que una terapia similar existió en la India unos 7000 años atrás. En la actualidad las agujas de acupuntura son de Acero Inoxidable y/o
combinaciones de otros metales de aleación. Como así también de oro, las cuales son utilizadas los más abesados expertos (en casos excepcionales) en
puntos especiales y para activar funciones específicas. Muchos son los libros que se han escrito sobre esta milenaria ciencia y en ellos se han descripto
los mecanismos fisiológicos, anatómicos, patológicos, diagnósticos y de tratamiento de las enfermedades que ocurrían en esos tiempos. La Medicina
Tradicional China clasificaba a los profesionales médicos en cuatro disciplinas diferentes, a saber:
Médicos
Cirujanos
Veterinarios
Dietistas
Estas disciplinas se entrecruzaban y sus prácticas se superponían, de modo que un solo profesional ejercía una o más disciplinas. Hasta que
las filosofías médicas occidentales fueron introducidas durante la Dinastía Ching (1664 al1991), la Medicina Tradicional China fue la forma exclusiva de
terapia practicada en China. Dentro de la Medicina Tradicional China se encontraban incluidas diferentes técnicas, que sin ser ejercidas solamente a través
de agujas podían producir los mismos efectos que la acupuntura. Esto se debe a que poseen el mismo fundamento: actuar sobre los meridianos, y es aquí
donde (dentro de la clasificación que se detalla a continuación) la acupuntura es la técnica es la más conocida.

Estas técnicas consistían en:


Acupuntura
Moxibustión (aplicación de calor en los puntos de acupuntura a través de la combustión de una hierba llamada Artemisa vulgaris modelada en forma de
cigarro o de cono)
Terapia manipulativa o masaje
Ejercicios respiratorios ( conocido en la actualidad como Chi- Gung)
Nutrición y dieta
Medicina por Hierbas (o denominada comúnmente como fitoterapia)
La creciente popularidad en 1929 de la medicina clínica y quirúrgica occidental dentro de China, produjo que el gobierno chino proscribiera la
práctica de la Medicina Tradicional China. Pero esta prohibición fue ignorada por el pueblo chino y produce que la Medicina Tradicional China pase a la
clandestinidad. Pero cuando las tropas de Mao-Tse-Tung se afectaron de Malaria; las reservas de medicamentos tales como el Atabrine y la Quinina se
agotaron. Esto produjo que los soldados del ejército Revolucionario Rojo de China pelearan ineficazmente. Como resultado de la enfermedad,.la victoria
para Mao estaba en peligro, y es así como él se reunió con los practicantes de la Medicina Tradicional China. Estos practicantes ( como así se los llamaba
a los profesionales que ejercían la Medicina Tradicional China) se ofrecieron bajo ciertas condiciones para curar al ejército. La condición fue: que si la
Revolución era ganada, la Medicina Tradicional China ocuparía el lugar de honor en el nuevo orden Imperial. Y así sucedió. Los soldados se recuperaron
en 3 días y al ganar la revolución, Mao impartió órdenes para que las medicinas antigua (Oriental) y la medicina moderna ( Occidental) recibieran un trato
igualitario en la educación, investigación y práctica.

La acupuntura veterinaria probablemente sea casi tan antigua como la acupuntura


Humana.
El primer practicante en Medicina Veterinaria que fue registrado, se llamó Shun Yong El vivió en los años 480 AC y es considerado como el
padre de la profesión veterinaria en China. En esos tiempos la acupuntura era efectuada en caballos los cuales eran estimulados con flechas antes de
cada batalla. Los veterinarios gubernamentales también trataban vacas, cerdos y aves desde la Dinastía Chow hasta los tiempos actuales en China.
Japón, también tiene antecedentes registrados sobre la Acupuntura Veterinaria hacia fines de los años 1800, momento en que fue introducida la Medicina
Occidental. En Francia, la acupuntura veterinaria es utilizada desde fines de los1700 y comienzos de los años 1800. Tomando nuevo auge en los últimos
40 años. En 1979 la Organización Mundial para la Salud publicó sus observaciones sobre la Acupuntura después del Seminario Interregional llevado a
cabo en Pekín. Así fue que la Organización Mundial para la Salud concluyó que: " el claro peso de las evidencias demandan que la acupuntura sea
considerada seriamente como un procedimiento clínico de valor sustancial". Y se realizó una compilación enfermedades adecuadas para el tratamiento
acupuntural, ellas son a saber:
Desórdenes reproductivos
Afecciones músculo-esqueléticas, pulmonares y digestivas
Trastornos neurológicos y dermatológicos
Estos desórdenes fueron tratados con éxito considerable en varias especies.

Introducción:
Durante mucho tiempo, las enfermedades degenerativas crónicas o productoras del dolor crónico eran de baja incidencia de tratamiento. Ya sea
por factores económicos, por que el paciente sostenía una escasa o nula convivencia con el propietario o por falta de preocupación o desconocimiento del
sufrimiento de lãs mascotas. Para estos casos, la solución más común de estas patologías era la eutanasia. Pero los avances en la nutrición y de la
Geriatría en Medicina Veterinaria hicieron que las mascotas vivieran muchos más años. Por lo tanto los estados geriátricos debilitantes no se presentan en
calidad y en cantidad como años atrás. Algo parecido acontecía con los animales jóvenes traumatizados, con las degeneraciones neurológicas o
disfunciones fisiológicas, o con las deformaciones congénitas que podían causar dolor agudo o crónico. No siempre eran tratadas satisfactoriamente con
procedimientos quirúrgicos y/o medicamentosos de actualidad. Para este tipo de situaciones es que surge la Acupuntura en la Medicina Veterinaria, como
una nueva forma de tratamiento.

Aplicaciones de la Acupuntura en la Medicina Veterinaria:


Las patologías sobre las cuales la acupuntura veterinaria puede actuar son múltiples y variadas, pero existen un conjunto de ellas que son las
que tienen mayor difusión. Dado que por su cronicidad y tipo de manifestación le han otorgado a esta terapia alternativa un lugar afamado. Dentro de este
conjunto de entidades a tratar, encontramos aquellas que cursan tanto sea con dolor agudo o crónico. Del mismo modo, existe otro grupo de entidades que
surgen como consecuencia de enfermedades del tipo metabólica o inmunológicas de curso crónico, las cuales no necesariamente cursan con dolor.
Patologías más comunes tratadas en Medicina Veterinaria:
Alivio del dolor
Parálisis y Paresias de los miembros posteriores
Afecciones motoras de los miembros anteriores
Inducción de respuestas nerviosas autonómicas
Analgesia en del dolor agudo y crónico
Patologías dérmicas
Granulomas por lamido
Patologías del tracto gastrointestinal
Afecciones músculo - esqueléticas degenerativas o seniles
Afecciones de columna vertebral
Síndromes de malabsorción y / o malasimilativo
Síndrome de insuficiencia renal
Estimulación durante el trabajo del parto
Enfermedad respiratoria crónica
A continuación se puede observar la imagen de un esqueleto canino el donde se describen algunos puntos en letras violetas, correspondientes
al meridiano de Triple Función o Recalentador y su recorrido dibujado en línea azul.

Interés de la Medicina Occidental por la Acupuntura: considerar como procedimientos quirúrgicos y/o médicos baja las leyes de
La preocupación de la gente en búsqueda de nuevas práctica veterinaria estatal. Antes de que un veterinario sea considerado
alternativas de tratamiento para sus mascotas, ha estimulado a los competente para la práctica de la acupuntura se recomienda el comienzo
médicos veterinarios a buscar información pertinente a los médicos de programas educacionales detallados.
acupunturistas. Los resultados favorables obtenidos com esta terapia han La International Veterinary Acupuncture Society (IVAS) fue
estimulado la curiosidad, así como la desconfianza de las entidades creada y reglamentada en 1974 para proveer la excelencia en la práctica
veterinarias. Los artículos y escritos sobre la acupuntura veterinaria ahora y en el conocimiento de la acupuntura veterinaria. Como una parte
son aceptados por la mayoría de las publicaciones de la profesión. integral del sistema de salud veterinario total. Esta sociedad intenta
Encuentros, seminarios, jornadas y convenciones han dado importancia a establecer patrones uniformemente altos de la acupuntura veterinaria
los conferenciantes que se han referido sobre esta disciplina. En 1986, el mediante sus programas educativos y exámenes de acreditación. Y así
Comité de estudios de Terapias Alternativas de la American Veterinary busca integrar a la acupuntura veterinaria con la práctica de la ciencia
Medical Association (AVMA) comenzó a instaurar cursos de estudios de 2 veterinaria occidental. Con tal fin es que exige la aprobación de cursos
años sobre acupuntura y a pregonar la eficacia de los procedimientos y com una determinada carga horaria para obtener una instrucción
protocolos que difieren de las formas tradicionales de la cirugía y acreditada, la toma de exámenes amplios y la remisión de casos
Medicina Veterinaria. El comité se encarga de informar hallazgos al detallados a fin de recibir la certificación de la Sociedad. También esta
Consejo de Servicio Veterinario. Este cuerpo cumple la tarea de Sociedad ha delimitado un código de ética que detalla las obligaciones de
establecer si una modalidad dada es adecuada como forma terapéutica sus miembros general, el compromiso del practicante con El paciente y la
alternativa en Medicina Veterinaria, entonces propone recomendaciones profesión, la ética del acupunturistas en los asuntos comerciales y lãs
para certificar o acreditar a los profesionales en técnicas aprobadas para relaciones de éste con el público en general al efectuar exposiciones,
asegurar su habilitación. Una Comisión conformada específicamente para publicidad y al profesor la educación, entrenamiento y experiencia
esta tarea recomienda las pautas de la acupuntura y sus combinaciones: En nuestro país, las dos instituciones de mayor renombre que
La acupuntura y acuterapia veterinaria se consideran modalidades regulan la enseñanza y acreditación de la práctica acupuntural son: la
válidas, pero existe la posibilidad del abuso. Estas técnicas se deben Sociedad Argentina de Acupuntura(SAA) y el Instituto Medico Argentino
de Acupuntura (IMADA). Que con un criterio muy similar al americano, destruindo a calma e a claridade dos pensamentos. O espirito guardião
instruyen y capacitan tanto a médicos humanos como veterinarios. En do elemento terra (chamado de Yi ) sofre e perde a quietude.
1979 la Organización Mundial para la Salud publicó sus observaciones
sobre la Acupuntura después del Seminario Interregional llevado a cabo Caracterizando o Paciente com depressão Terra.
en Pekín. Así fue que la Organización Mundial para la Salud llega a la - O paciente sente-se OPRIMIDO e PENSA DEMAIS.
conclusión que la acupuntura, ciertamente no es una panacea para todas - Os sentimento depressivos são acompanhados por
las enfermedades. Pero el claro peso de las evidencias científicas CONFUSÃO e PREOCUPAÇÃO EXCESSIVA.
presentadas en esos momentos, demandan que: - Os pacientes nesse estado tendem à desconectar-se da
"La acupuntura sea considerada seriamente como un matriz emocional do elemento terra e podem tornar-se antipáticos,
procedimiento clínico de valor sustancial" preocupados demais com os problemas alheios e com grande dificuldade
Agradecemos la colaboración para la publicación de esta nota de refletir sobre os seus próprios problemas e necessidades.
a: - Podem ser indivíduos que se mostram independentes mas
que no fundo são extremamente carentes de auto- nutrição e com o
Fuente espírito pesado.
M.V. Adriana Moiron - Podem também apresentar dificuldade de concentração
Alem 511 - Ramos Mejía - Bs. As - Argentina - CP. 1706 matemática e alguma relação forte, podendo ser de afinidade ou não,
TE / mensajes/Fax: ( 54 -11) 4658-2750. - Móvil: 15-4434-4567 com o sabor doce.
http://www.foyel.com/acupuntura_veterinaria/index.html - Email:
adrianamoiron@netscape.net Como Tratar O Paciente com Depressão tipo Terra :
- Fortalecer e harmonizar o elemento terra.
As 5 Depressões Pontos que não devem ser desprezados no tratamento desse
tipo de depressão: E 36 e BP6
A depressão é um mal que vem sendo amplamente combatido
pela medicina moderna, seja através de medicamentos , seja através de DEPRESSÃO DO TIPO FOGO
auxílio psicoterápico. Esse texto mostrará uma visão geral da Medicina Visão Geral : Envolve problemas afetivos ligados a rejeição e
Tradicional Chinesa ( MTC ) sobre a depressão e irá também sugerir vias desapontamentos em relacionamentos interpessoais . Alegria, Amor e
de tratamento para cada tipo de depressão. A MTC reconhece e trata de Razão compõem a base da matriz emocional do coração chamada de
5 tipos primordiais de depressão, relacionados diretamente com os 5 Shen. O Shen é responsável pelo sentido inato da harmonia e da
elementos do pentagrama. Deve-se observar que pode existir a perfeição. O Coração é o juiz supremo.
combinação entre os tipos de depressão que aqui serão expostos. Essa
combinação de tipos de depressão , por ser complexa demais para o que Caracterizando o Paciente com depressão Fogo:
esse estudo se propõe, terá apenas um importante caso abordado nesse - Paciente acometido de depressão o tipo fogo é caracterizado
estudo. Apesar de ser um texto básico , o leitor o entenderá melhor se pela FALTA DE ALEGRIA DE VIVER, POUCO ENTUSIASMO, POUCO
tiver conhecimentos básicos sobre a teoria dos 5 elementos, pois serão INTERESSE, FALTA DE INSPIRAÇÃO E CAPACIDADE DE
usados termos relativos à essa teoria. JULGAMENTO EQUILIBRADO.
- Eram pessoas “quentes e sensíveis “que tornaram-se frias e
DEPRESSÃO ÁGUA apáticas ou , ao contrário, tornaram-se excessivamente agitadas e
Visão Geral : Esse tipo de depressão é reflexo de uma hipersensíveis.
desarmonia no elemento água. O "Espírito Guardião " da harmonia no - Esse tipo de depressão é acompanhado por uma frieza e
elemento Água é denominado de "Zhi". Zhi, que mora nos Rins , distância do paciente em relação à novos relacionamentos.
representa: - A raiz do Yin e do Yang, a essência, a iniciativa, o poder de - Em casos muito extremos esse tipo de depressão pode gerar
decidir, a confiança. comportamentos maníaco- depressivos, maníaco –sexuais e a loucura
Caracterizando o Paciente Depressivo Água : O paciente ( perda total da razão, o shen não encontra verdadeira morada ).
acometido por esse tipo de depressão apresenta as seguintes
características : Como Tratar O Paciente com Depressão tipo FOGO :
- MEDO, FOBIAS que podem não ter causa aparente ( podem - Restaurar o Shen
estar associadas à um trauma na infância que o paciente bloqueou na - Tonificar e relaxar o coração
memória e não se lembra ) Esse medo fica claro em situações de risco - Equilibrar a razão.
reduzido, onde somente aquele indivíduo HESITA em encarar a tal PONTOS que não devem ser esquecidos : C5 C7 CS7 CS8
situação Ex.: Numa caminhada ecológica em grupo ele é o único
indivíduo a ter medo ou hesitar em atravessar um pequeno riacho que DEPRESSÃO METAL :
todos do grupo já atravessaram sem problema, até as criancinhas mais Visão Geral : Esse tipo de depressão geralmente é decorrente
novas. de perdas materiais. A tristeza é a do P’o: A matriz emocional do
- APATIA elemento Metal . Ter tristeza é bom , pois a tristeza nos leva à
- FALTA DE INICIATIVA- "Acho que não vou conseguir " , ACEITAÇÃO e a aceitação nos leva à expressão máxima do P’o : A
- FALTA DE CONFIANÇA NA SUA CAPACIDADE DE Reverência. O P’o também é responsável pela proteção do indivíduo. Daí
RESOLVER SITUAÇÕES ( DE QUALQUER NATUREZA ) as relações entre o Pulmão, a pele ( barreira defensiva ) e a energia
- Sensação de IMPOTÊNCIA, INCLUSIVE SEXUAL , sem ter defensiva Wei.
nenhum problema estrutural justifique a causa ( Indivíduos fortes e bem
alimentados que , ainda assim, sentem-se incapazes ). Caracterizando o Paciente com depressão Metal:
- Podem ser pacientes que enfrentam problemas gênito- - indivíduo que apresenta problemas no elemento Metal,
urinários. geralmente está ou sente-se de alguma forma , desprotegido.
- A falta de proteção que gera a depressão metal é
Como Tratar O Paciente com Depressão tipo Água: relacionada à aspectos físicos, materiais.
Fortalecer e harmonizar o elemento água - A morte de um parente querido, a perda de uma propriedade
Pontos indispensáveis: R6, R3, R7 estimada são exemplos corriqueiros de situações em que o paciente tem
problemas em ACEITAR o inevitável ocorrido e é aí que inicia a
DEPRESSÃO TERRA desarmonia no elemento metal, a ascensão maléfica da tristeza, geradora
Visão Geral: Reflexão, calma e simpatia compõem a base da da MELANCOLIA e RESIGNAÇÃO.
matriz emocional do elemento TERRA chamada de Yi. Esse tipo de - Os pacientes acometidos por depressão METAL podem se
depressão é um resultante da desarmonia do intelecto. Quando a energia tornar excessivamente RESIGNADOS, PESSIMISTAS, COM
do Baço- Pâncreas é insuficiente ocorre o descontrole do intelecto, SENTIMENTOS DE REMORSO.
Metal:FOGO :
- Reforçar o pulmão
- Cuidar das defesas e da Alimentação
PONTOS MUITO IMPORTANTES : P7 P9 IG4

DEPRESSÃO MADEIRA
Visão Geral : As características básicas do Houn, matriz
emocional elemento Madeira são a Movimentação e a Liberdade.
A depressão Madeira é causada pela estagnação do Qi no
Fígado, gerando FRUSTRAÇÃO, SENSAÇÃO DE OPRESSÃO, DE
FALTA DE MOVIMENTO, DESGOSTO E IRRITABILIDADE.
A depressão Madeira geralmente é provocado por excesso de
tensão e pressão. Ela fica evidente em situações de stress prolongado e
também no FRACASSO.

Caracterizando Pacientes com depressão tipo Madeira :


- São pacientes que trabalham duro, são ambiciosos e que
subitamente perdem a motivação e a direção, por terem sido por algum
motivo ( geralmente o fracasso ) forçados a abandonar uma ação
( projeto, ambição, emprego, meta, etc... ) muito desejada e assim
perdem o SENTIDO de viver .
- Os pacientes podem apresentar quadros de COLAPSO E
PROSTRAÇÃO, PERDA DE PROPÓSITO DE VIDA, FALTA DE VISÃO
PERSPECTIVA ( Note que olhos e visão estão diretamente relacionados
com o elemento Madeira ) DE FUTURO .

Como Tratar Paciente com Depressão Tipo Madeira:


- Escoar e reforçar o Qi do Fígado
- Liberar a tensão
- Pontos : F3 VB 34

DEPRESSÃO COMBINADA METAL-ÁGUA


(COMENTÁRIO) .
É um caso grave de depressão , onde o paciente está
debilitado em duas importantes matrizes emocionais : O P'o ( metal ) e o
Zhi (água ). Conseqüentemente o paciente se apresenta sem vontade de
viver, triste e vulnerável , o que geralmente leva a quadro de anorexia
grave. O paciente pode ter medo de se alimentar , de sair de casa, de
conversar e até de dormir. O mais importante de se ressaltar nesse tipo
de depressão é a forma de tratamento. Ela deve ser conduzida com
extrema cautela e deve visar, numa primeira etapa, reforçar o P'o. Deve
evitar IMPERIOSAMENTE fortalecer o Zhi , pois estaremos trazendo
força de vontade e decisão à um paciente triste e desprotegido, o que
normalmente leva à tendências suicidas. Nessa primeira etapa, durante
as entrevistas com o paciente, devemos evitar frases do tipo " Você
precisa fazer alguma coisa para sair dessa", "Você tem que reagir e se
movimentar", pois essas também são frases motivadoras da vontade e
que podem levar à pensamento suicida. Devemos, nos ater aos pontos do
Pulmão ( P9, P7 e P11 principalmente) e usar frases do tipo "Você deve
se proteger", "Você precisa voltar a se alimentar corretamente ..." , que
são frases que estimulam o sentido de proteção . Pela lógica dos 5
elementos, ao fortalecermos o elemento Metal, naturalmente a energia irá
escoar para o elemento água e surgirá no paciente a vontade ( saudável )
de reagir . Quando isto ocorrer, podemos utilizar pontos de Rim , como
R3, R6 e R7, para ajudar o paciente nessa etapa final.

-- Artículos de Interés veterinario --


¿ACUPUNTURA VETERINARIA, MITO, MODA O REALIDAD?
En el siguiente artículo, ponemos a su disposición los principales elementos en que se basa esta interesante técnica curativa y su
aplicación actual en la Medicina Veterinaria.

¿Qué es la Acupuntura?
Se puede definir a la Acupuntura (acus = aguja y punctura = punción) como la inserción de agujas muy finas en puntos preestablecidos
específicamente (meridianos) sobre el cuerpo del individuo a curar, para producir una determinada reacción fisiológica. De acuerdo a la Medicina
Tradicional China los puntos de acupuntura se ubican en meridianos o canales los cuales se conectan con relaciones funcionales específicas; es decir
con los órganos y tejidos corporales a través de éstos meridianos.

Introducción a la Acupuntura en la Medicina Veterinaria


Hasta hace poco tiempo, el tratamiento de las enfermedades degenerativas crónicas o productoras de dolor crónico eran de baja frecuencia
de tratamiento, ya sea por factores económicos, escasa o nula convivencia con el paciente, falta de preocupación o desconocimiento por el
sufrimiento de las mascotas. La solución más común para estas patologías era la eutanasia. Pero los avances en nutrición y de la Medicina Veterinaria
hicieron que las mascotas vivieran muchos más años y llegaran a estados geriátricos debilitantes que no eran comunes de encontrar años atrás. En
el caso de los animales jóvenes, el trauma, la enfermedad y las deformaciones congénitas pueden causar dolor crónico, degeneraciones neurológicas o
disfunciones fisiológicas que no siempre pueden ser tratadas satisfactoriamente con procedimientos quirúrgicos y/o medicamentosos, también se ve
beneficiada por este tipo de curación.

Surgimiento de la Acupuntura en Medicina Veterinaria


La acupuntura es una de las técnicas médicas curativas más milenarias que existen dentro de las ramas médicas. Se cree que una
terapia similar existió en la India unos 7000 años atrás.

En Oriente, la acupuntura fue utilizada como modalidad profiláctica y terapéutica durante varios miles de años. En esos tiempos se
usaban agujas de piedra y espinas de pescado. Luego de la Edad de Piedra, la tecnología empleada era con Bambú, Jade, Cobre, Hierro, Oro,
Plata y en la actualidad de Acero Inoxidable y/o combinaciones de otros metales de aleación. La Medicina Tradicional China clasificaba a los
profesionales médicos en cuatro disciplinas diferentes:
 Médicos
 Cirujanos
 Veterinarios
 Dietistas

En la actualidad se estima que existen 1.300.000 Doctores Descalzos, 100.000 Farmacéuticos, 200.000 enfermeros, 250.000
Doctores Médicos, 150.000 Veterinarios y 70.000 Veterinarios Descalzos, que han recibido conocimientos de acupuntura. El concepto de Descalzo
hace referencia al personal paramédico ya sea tanto para la curación de seres humanos como animales. La acupuntura veterinaria
probablemente sea casi tan antigua como la acupuntura misma. Recientemente se descubrió en Sri Lanka un tratado sobre el uso de la acupuntura
en elefantes de la India y cuya escritura data de 3000 años estimativamente. El primer practicante de tiempo completo registrado en Medicina
Veterinaria fue Shun Yong (también llamado Pao Lo) que vivió en los años 480 AC y es considerado como el padre de la profesión en China. En esos
tiempos, la acupuntura era efectuada en caballos, los cuales eran estimulados con flechas antes de cada batalla. Los veterinarios
gubernamentales y descalzos, también trataban vacas, cerdos y aves desde la Dinastía Chow hasta los tiempos actuales en China. Japón, también tiene
antecedentes registrados sobre acupuntura Veterinaria hacia fines de los años 1800, momento en que fue introducida la medicina occidental. En Francia, la
acupuntura veterinaria es utilizada desde fines de los1700 y comienzos de los años 1800. Tomando nuevo auge en los últimos 30 años. En la actualidad, la
mayoría de las citas publicadas sobre acupuntura veterinaria proceden de Francia, Bélgica, Taiwán, Austria, China y EEUU.

Interés de la Medicina Alopática por la Acupuntura


El interés de los medios de comunicación ha provocado el interés de los propietarios. Esta preocupación de la gente, ha forzado a los médicos
veterinarios a buscar la ayuda de los colegas acupunturistas. Los resultados favorables obtenidos, han estimulado la curiosidad, así como la
desconfianza de las organizaciones veterinarias. Los artículos y escritos sobre la acupuntura veterinaria ahora son aceptados por la mayoría de las
publicaciones de la profesión. Encuentros, seminarios y convenciones locales, regionales, estatales y nacionales, han dado Importancia a
los conferenciantes sobre acupuntura. En enero de 1986, El Comité de estudios de Terapias Alternativas de la American Veterinary Medical
Association (AVMA) comenzó estudios de 2 años sobre la seguridad y eficacia de los procedimientos y protocolos que difieren de las
formas tradicionales de la cirugía y Medicina Veterinaria. Una de las modalidades bajo estúdio es la acupuntura. El comité se encarga de informar
hallazgos al Consejo de Servicio Veterinario. Este cuerpo cumple la tarea de establecer si una modalidad dada es adecuada como forma
terapéutica alternativa en Medicina Veterinaria, entonces propone recomendaciones para certificar o acreditar a los profesionales en técnicas
aprobadas para asegurar su habilitación. La Comisión ad hoc recomendó que las pautas sobre la acupuntura fueran cambiadas.
La International Veterinary Acupuncture Society (IVAS) fue creada y reglamentada em 1974 para promover la excelencia en la práctica de la
acupuntura veterinaria. Como una parte integral del sistema de salud veterinario total. Esta sociedad intenta establecer patrones uniformemente
altos de la acupuntura veterinaria mediante sus programas educativos y exámenes de acreditación. La IVAS busca integrar la acupuntura
veterinaria y la práctica de la ciencia veterinaria occidental. Así es que exige 120 hs de clases de instrucción acreditada, la toma de exámenes amplios y la
remisión de 5 casos detallados a fin de recibir la certificación de la Sociedad. También esta Sociedad ha delimitado un código de ética que detalla
las obligaciones de sus miembros general, el compromiso del practicante con el paciente y la profesión, la ética de los acupunturistas en los asuntos
comerciales y las relaciones de éste con el público en general al efectuar exposiciones, publicidad y al profesor la educación, entrenamiento y experiencia.
Aplicaciones de la Acupuntura en Medicina Veterinária Las aplicaciones de la Acupuntura en las patologías más comunes en Medicina Veterinaria
son:
 Síndromes de malabsorción y/o malasimilativo
 Alivio del dolor
 Parálisis y Paresias de los miembros posteriores
 Afecciones motoras de los miembros anteriores
 Inducción de respuestas nerviosas autonómicas
 Analgesia en del dolor agudo y crónico
 Patologías dérmicas
 Patologías del tracto gastrointestinal
 Afecciones músculo - esqueléticas degenerativas o seniles
 Afecciones de columna vertebral

Acciones de la Acupuntura en Medicina Veterinária Las acciones de la Acupuntura en las patologías más comunes en Medicina Veterinaria son:
 Alivio del dolor
 Analgesia quirúrgica (poco frecuente)
 Inducción de respuestas nerviosas autonómicas

Contraindicaciones de la Acupuntura en Medicina Veterinaria


La contraindicación más importante para la acupuntura es el tratamiento antes de establecer un diagnóstico adecuado o antes de intentar
al menos de un modo honesto y consciente la determinación de la etiología del proceso que se desea tratar. Esto debe ser así porque la acupuntura puede
enmascarar o modificar la sintomatología dificultando aún más la precisión del diagnóstico. (Ejemplo dolor y síndromes neurológicos) o puede promover un
cuadro peligroso para la vida (ejemplo neoplasia) que debería ser abortado con otra modalidad terapéutica cuyo emprendimiento, de este modo se verá
demorado. Otro factor a considerar en los casos agudos es que la eliminación del dolor puede alentar al animal a una actividad desmedida, lo cual
obstaculiza la curación de la lesión original. Ciertas precauciones deben ser tomadas en la aplicación de la acupuntura. En lo posible ésta debe ser evitada
bajo las siguientes circunstancias:
 Inmediatamente después de una comida intensa.
 Después del ejercicio o sobre un animal fatigado.
 Sobre un ejemplar que es notablemente miedoso, encolerizado o emocional.
 Sobre hembras gestantes.
 Paciente recién bañado o que se va a bañar al poco tiempo de la sesión.
 Cuando se emplean inyecciones de atropina, narcótico, antagonistas narcóticos o corticoesteroides.
 Cuando el animal no puede ser sujetado cómodamente y observado con tranquilidad durante el lapso del tratamiento.

Secuelas de la Acupuntura en Medicina Veterinaria


Por lo general son poco frecuentes de hallar cuando la acupuntura es efectuada por un profesional experimentado. No obstante, algunas
pueden presentarse. La más común ES la exacerbación del problema tratado, especialmente en los casos dolorosos. Este empeoramiento en
general es corta duración (menor de 24 a 48 hrs.) y muchas veces no constituye un signo de mal pronóstico. El problema suele ser causado por
una "acupuntura excesiva ", ya sea por:
 El uso de muchos puntos.
 Selección de puntos incorrectos.
 Aplicación de una estimulación exagerada.
 Porque las agujas son mantenidas por mucho tiempo en el lugar.
 Expectativas de los resultados de la Acupuntura en Medicina Veterinaria
Para los casos agudos: el tratamiento del animal se realiza cada 2 a 3 días. En general causa una mejoría uniforme hasta alcanzar los
resultados deseados. El tratamiento que se realiza 1 vez semanal, la mejoría parece llegar hasta un máximo hacia el 3 er o 4 to día, y entonces disminuye
hasta que en la próxima sesión la condición está apenas un poco mejor que cuando se dio la última sesión. En cada tratamiento sin embargo, la
mejoría alcanza pico más elevados, y las caídas son más lentas, hasta que el progreso se estabiliza. Para los casos crónicos: la mejoría por lo regular se
alcanza de un modo más lento y puede variar en la respuesta de cada sesión hasta que se observan los efectos deseados. Como se mencionara, la
exacerbación sintomática puede suceder luego del tratamiento, pero la misma tiende a ser sólo temporaria. En las evaluaciones clínicas a gran escala, una
mejoría aceptable se advierte en el 50 al 63,4 % de los casos tratados. Esto no parece constituir un nivel de respuesta especialmente alto, hasta
que se considera que la mayor parte de los casos fue presentada sobre la base de "nada se pierde con probar" debido a su resistencia frente a los
tratamientos más convencionales.

Técnicas de la Acupuntura en Medicina Veterinaria


La Medicina Tradicional China reúne un conjunto de principios y leyes, los cuales conforman los fundamentos para la realización de esta
forma de terapia para todos los seres vivos, de acuerdo a las concepciones que rigen la vida de los habitantes orientales desde hace millones de años.
Esta modalidad en occidente es generalmente conocida como ACUPUNTURA, pero esta denominación para la Medicina Tradicional China,
constituye sólo una forma o una técnica más (dentro de las tantas que posee esta ciencia) de aplicación para corregir cualquier tipo de desorden
energético del paciente a tratar. Diferentes fenómenos fisiológicos suceden cuando son estimulados los acupuntos (zona específica del organismo en
donde se trabaja para aplicar los fenómenos de correxión energética). Los métodos para la aplicación de los estímulos, varían de modo considerable,
desde el más sencillo como la aplicación de la presión digital hasta al más complejo método contemporáneo por la estimulación electrónica o
electromagnética, donde variables tales como forma de onda, amplitud, frecuencia y patrones de estímulos pueden ser ajustados para lograr resultados
diferentes. Estas técnicas son:
 Acupresión
 Ventosas o terapia por vacío
 Agujas
 Variación térmica
 Ultrasonido
 Acuapuntura
 Electroacupuntura
 Implantación
 Laserpuntura
 Martillo de siete puntas
 Fitoterapia
 Dietoterapia

1. ACUPRESIÓN
O terapia por presión transdinámica. Probablemente sea una de las formas más primitivas del tratamiento por puntos. Inconscientemente
practicamos esta técnica cada vez que nos frotamos o masajeamos un área dolorosa o rascamos una zona de prurito. En Medicina Veterinaria la
acupresión se aplica en situaciones excepcionales, en especial para aliviar espasmos musculares y dolores. Pueden ser enseñadas a los
propietarios de las mascotas para potenciar la acupuntura aplicada en el tratamiento veterinario. Los primeros médicos chinos descubrieron 8
formas diferentes para el masaje terapéutico:
 Empujar
 Agarrar
 Apretar
 Friccionar Girar
 Pellizcar
 Frotar entre las palmas
 Golpes ligeros

2. VENTOSAS O TERAPIA POR VACÍO


Una variante de la acupresión es la presión negativa, la cual puede ser aplicada a los acupuntos mediante una técnica antigua de aplicación
con ventosas. Para el uso se describen 3 tipos de ventosas: Un tipo está confeccionado en Bambú con una boca y base pequeña. Con una sección
media apenas agrandada. Los otros dos tipos son potes globulares de boca pequeña, elaborado con arcilla y vidrio. Una solución combustible, tal
como el alcohol es aplicada en el interior de la ventosa y encendida. Entonces la ventosa se aplica con firmeza sobre el punto. A medida que el oxígeno es
consumido por el fuego en la ventosa, se crea el vacío y la piel es traicionada hacia el interior del pote. Las derivaciones aplicar un vaso ardiente a la piel
de nuestras mascotas pueden ser imaginadas sin dificultad, siendo esta técnica más frecuente en medicina humana. Aunque existen algunas
aplicaciones en grandes animales.

3. AGUJAS
El libro de Nei Ching describe 9 tipos tradicionales de agujas. En la actualidad, para los tratamientos en Pequeños Animales se usan agujas
de acero inoxidable filiformes de calibre 25 a 34 y de 1,25 a 5 cm de largo. Las técnicas correctas para la inserción de las agujas hasta la profundidad
prefijada, em el ángulo adecuado, la aplicación de la manipulación apropiada a las agujas mientras están colocadas y su extracción, son más
difíciles que lo que se podría suponer. Un tratamiento adecuado y mucha práctica son necesarios antes de intentar tratar a nuestras mascotas. En la
siguiente figura, se muestra la evolución de las agujas utilizadas para acupuntura a través de los años hasta la actualidad.

4. VARIACIÓN TÉRMICA
Se basa en el uso del calor y del frío:
Uso de calor: La moxibustión es una técnica muy antigua, la cual se basa en la combustión de hojas pulverizadas de Artemisa vulgaris. Estas
hojas son curadas, secadas y trituradas en um mortero. La fibra obtenida de esta planta es de color amarillo y al ser tamizada se separa del vellón de la
moxa de los tallos. Para la moxibustión directa, el vellón de la moxa o yesca es enrollado en la forma de un cono diminuto y colocado directamente sobre el
punto de acupuntura que se va a usar para el tratamiento. Luego se enciende y se deja que arda hacia la piel, pero se retira con una pinza antes
que pueda causar una quemadura térmica. La moxibustión indirecta La moxibustión indirecta es de uso más frecuente. La moxa se puede adquirir
preenrollada en una varilla con forma de cigarro y envuelta en un papel especialmente tratado. Antiguamente era enrollada y sellada en corteza de
Mora. La varilla de moxa es encendida y luego movilizada hacia delante y atrás con lentitud sobre el acupunto o a una aguja ya insertada en el
punto. El procedimiento se efectúa hasta que la piel muestra un eritema ligero. Con ambas técnicas de moxibustión se debe ser muy
cuidadoso para evitar quemaduras del paciente o del pelo circundante. Estas técnicas son de particular importancia para el tratamiento de
procesos dolorosos crónicos.
Otros métodos que se valen del calor para estimular los puntos de acupuntura son el empleo de lámpara infrarroja a una distancia
de 18 a 24 pulgadas de la superficie corporal para calentar las agujas colocadas y el uso del dispositivo térmico electrónico desarrollado
especialmente para este propósito. Las pastas vesicantes para la estimulación adicional de estás áreas fueron empleadas en los Animales
Grandes, pero su aplicación en los Pequeños Animales no se recomienda.
Uso de frío: La crioterapia es eficaz en muchos estados dolorosos agudos. Como tal, se han utilizados los cubitos de hielo, hielo seco,
congelantes químicos preenvasados y el rocio de cloruro de etilo. La estimulación de los acupuntos con el frío no está aconsejada para las condiciones de
dolor crônico La crioterapia es eficaz en muchos estados dolorosos agudos. Como tal, se han utilizados los cubitos de hielo, hielo seco,
congelantes químicos preenvasados y el rocio de cloruro de etilo. La estimulación de los acupuntos con el frío no está aconsejada para las condiciones de
dolor crónico.

5. ULTRASONIDO
La sonoacupuntura, estimulación ultrasónica de los loci de acupuntura, es recomendada porque no es invasiva y acorta el tiempo de
tratamiento. Sólo se requiere de 10 a 30 segundos por punto. Se encuentran disponibles sondas o cabezas pequeñas con un diámetro hasta 5 mm.
La inyección de soluciones en los puntos de acupuntura es rápida, sencilla en la mayoría de los casos y puede ser el único modo para tratar un animal que
sólo puede ser sujetado durante un lapso muy breve. En los Pequeños Animales se puede emplear una aguja hipodérmica calibre 25 y de 1,25
a 2,5 cm de largo. Los ejemplos de sustancias aconsejadas para la inyección incluyen:
 Agua destilada.
 Soluciones electrolíticas (preferiblemente hipotónicas o hipertónicas).
 Vitaminas (en especial B 12 y/o C).
 Antibióticos.
 Extractos de hierbas.
 Anestésicos locales.
 Analgésicos (fenilbutazona).
 Agentes antiinflamatorios esteroides y AINE.
Las cantidades inyectadas varían desde 0,25 cc a 2 cc, dependiendo del sitio de inyección y del tamaño del animal.

6. ELECTROACUPUNTURA
Para potenciar la estimulación dada a los acupuntos se han ideado aparatos electrónicos. Estos dispositivos son acoplados a las agujas
insertadas y entregan la estimulación electrónica en forma percutánea o se emplean sondas y un medio electroconductivo para pasar el estímulo vía
transcutánea hasta las estructuras nerviosas subyacentes. La estimulación electrónica es más intensa que la manipulación manual de las agujas y en
general ocasiona efectos más pronunciados. La electroacupuntura es muy común en la acuterapia humana y animal en Europa y EEUU.

IMPLANTACIÓN
Una estimulación más prolongada de los acupuntos se puede alcanzar mediante la implantación de diferentes materiales en los loci.
Los ejemplos más comunes son las agujas de presión o grampas en las orejas de las personas para tratar ciertas adicciones como el tabaquismo u
obesidad. Estas técnicas, rara vez se utilizan en los Pequeños Animales. Para una terapia crónica en los acupuntos se pueden aplicar suturas como
el catgut o acero inoxidable. La modalidad de implantación más común en los Pequeños Animales es el uso de cuentas metálicas alrededor de las
caderas para tratar el dolor crónico debido a osteoartritis inducida por displasia.
En la siguiente fotografía, se observa la imagen de un canino, macho, Collie de 5 años al cual se le han insertado 20 cuentas metálicas de
implantación subcutánea, ubicadas sobre la línea del meridiano de Vejiga. Nótese la pequeñas marcas sobre la zona de depilación en la columna
vertebral, en donde se sitúan estas diminutas bolillas las cuales poseen una acción permanente para y durante el tratamiento de la epilepsia mayor.

7. LASERPUNTURA
El uso del laser de baja intensidad para estimular los acupuntos es muy popular en la clínica de Animales Grandes, en particular la referida
a la práctica equina. Esta modalidad fue iniciada en 1973, pero aún la bioestimulación con láser no ha sido aceptada completamente por todos
los veterinarios acupunturistas. Los propulsores de la laserterapia citan buenos resultados en:
 Tratamiento del dolor.
 Procesos flogísticos.
 Desórdenes neurológicos.
 Potenciación de la curación de heridas, quemaduras, úlceras, tendones y huesos.
El término láser deriva de la combinación de las primeras letras de "Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation ". La
laserterapia de baja intensidad se definió como una forma de terapia lumínica intensa que utiliza diferentes frecuencias y longitudes de ondas
que producen cambios fisiológicos positivos dentro de las células, cuyo resultado es apoyar la curación y reducir o eliminar el dolor. En la siguiente figura,
se muestra un equipo de aplicación de laserpuntura de uso frecuente en la clínica acupuntural equina.

MARTILLO DE SIETE PUNTAS


Consiste en la aplicación de un martillo, con el cual se percute una región de acupuntos pertenecientes al meridiano afectado. Esta
percución sobre la piel con pequeñas y finas agujas generan la irritación del área afectada, produciendo calor, otorgándole al meridiano la energía
suficiente como para reactivar la curación de la enfermedad crónica.

8. FITOTERAPIA
Esta es otra herramienta más que posee la terapia acupuntural. Ella consiste en la administración de extractos de plantas, que
procesados de una manera específica se denominan Tinturas Madres. Entre las diferentes acciones, encontramos la de ser reguladoras del Inn -
Yang.

Concepto de Acupunto y Meridiano

ACUPUNTO
También llamado LOCI, es la zona específica o puntal del cuerpo la cual es sensible a diferentes estímulos; y por lo tanto es capaz de generar
una respuesta la cual afectará inicialmente a la zona estimulada en cuestión y por otro lado al meridiano (conjunto de puntos) que lo involucra. Algunos de
los atributos físicos de los acupuntos comprende:
 La mayoría tienen una resistencia cutánea eléctrica mucho más baja que la piel circundante.
 Termográficamente son mucho más calientes que la piel vecina.
 La sensibilidad local a la palpación es más común de detectar.
 La mayor parte se ubican en depresiones anatómicas.

MERIDIANOS
Es el conjunto de acupuntos que frente a cualquier tipo estimulo tiene una respuesta a distancia, modificando el funcionamiento órgano o
víscera (entraña). En la siguiente fotografía, se muestra la imagen de un felino sobre el cual se ha dibujado en línea rosada el recorrido de un meridiano,
que en este caso es el de vejiga.

Así fue que los antiguos chinos sistematizaron la relación de estos puntos con el órgano modificado, para luego unirlos formando canales, Jing o
meridianos. Existen 12 meridianos principales u ordinarios y 8 meridianos curiosos, Qi-Jing-Mei o extraordinarios y canales de unión o Lé-Mei. Los 12
meridianos principales u ordinarios son aquellos que tienen recorrido propio, poseen rutas simétricas, bilaterales y se encuentran representados
en los pulsos. Ellos son a saber:
DOCE MERIDIANOS PRINCIPALES CON RECORRIDO PROPIO, SIMÉTRICOS Y
BILATERALES
NOMENCLATURA CASTELLANA NOMENCLATURA INGLESA NOMENCLATURA CHINA
Meridiano de Pulmón Lu = Lung CHEOU TAE INN
Meridiano de intestino Grueso LI = Large Intestine CHEOU YANG MING
Meridiano estómago ST =Stomach TSOU YANG MING
Meridiano de Bazo – Páncreas B – P = Spleen – Pancreas TSOU TAE INN
Meridiano de Corazón H = Heart CHEOU CHAO INN
Meridiano de Intestino Delgado SI = Small Intestine CHEOU TAE YANG
Meridiano de Vejiga Bl o B = Bladder TSOU TAE YANG
Meridiano de Riñón K = Kidney TSOU CHAO INN
Meridiano de Circulación Sexualidad o Pericardio o HC = Heart Constrictor CHEOU TSIUE INN

Constrictor Del Corazón


Meridiano de Triple Función o Triple Recalentador o MaestroTH = Triple Heater CHEOU CHAO YANG
Pericardio
Meridiano de Vesícula Biliar GB = Gall Blader TSOU CHAO YANG
Meridiano de Hígado LI = Liver TSOU TSIUE INN
De los 8 meridianos extraordinarios, 6 poseen su ruta fuera de los meridianos principales, no poseen recorrido propio y no son
simétricos; pero 2 de ellos tienen recorrido propio y son asimétricos. Estos 8 meridianos no tienen representación en los pulsos.

SEIS MERIDIANOS EXTRAORDINARIOS SIN RECORRIDO PROPIO

YANG o IANG INN o YIN


Canal que reúne la Energia Yang: Canal que reúne la Energia Inn:
Yang – Wei – Mei Yin – Wei – Mei
Canal Yang del Tobillo: Canal Yinn del Tobillo:
Yang – Chíao – Mei Yin – Chíao – Mei
Canal de la Cintura: Canal del Sexo:
Tai – Mei Chúng – Mei
DOS MERIDIANOS EXTRAOERDINARIOS CON RECORRIDO PROPIO Y
ASIMÉTRICOS
YANG O IANG INN O YIN
Canal del Gobierno: Canal de la Concepción:
Du - Mei Ren - Mei

UBICACION DE LOS 12 MERIDIANOS PRINCIPALES


N° DE PUNTOS MERIDIANO UBICACIÓN
Comienza en el primer espacio Intercostal, en la continuación de la línea
11 Meridiano de Pulmón paraxilar, donde tiene su primer punto. Desciende por la parte anterolateral
del brazo hasta llegar al último punto situado en la raíz de la uña del
dedo pulgar.
20 Meridiano de Intestino Grueso Nace en la raíz de la uña Del dedo índice, discurre por la parte
postero-lateral Del antebrazo y brazo, y sigue por el hombro, cuello y cara
hasta su último punto situado junto a la ventana nasal.
45 Meridiano de Estómago Nace en la cara, en el centro del borde inferior de la cavidad orbitaria,
verticalmente por debajo del centro de la pupila. Desde la cara, el
meridiano desciende a lo largo de la garganta hasta la cara anterior del
tórax, abdomen y por la cara anterior del muslo y de la pantorrilla,
terminando en la raíz de la uña del segundo dedo.
21 Meridiano de Bazo- Páncreas Comienza en la raíz del primer dedo del pie, en su cara medial. Asciende
por la cara interna de la pierna, cruza la ingle y llega al abdomen y al
tórax para terminar en el sexto espacio intercostal en la línea axilar.

9 Meridiano de Corazón Comienza en el tórax, justo em el vértice de la axila. El primer punto se


encuentra por debajo del borde exterior de la primera costilla, entre los
músculos subescapular y coracobranquial y los tendones del dorsal
ancho, donde pueden palparse las pulsaciones de la art. Axilar. Discurre a lo
largo del brazo y antebrazo en la zona antero- medial para terminar en la raiz
de la uña el dedo meñique.
19 Meridiano de Intestino Delgado Nace en la raíz del dedo meñique, recorre la parte posterointerna del
brazo, pasa por encima del hombro y llega a la cara donde tiene su; ultimo
punto por delante del trago.
67 Meridiano de vejiga Nace en la cara, justo por dentro del ángulo interno Del ojo. Desde
aquí discurre por la parte superior de la cabeza, hasta la nuca, desciende por
la espalda, cara posterior de los muslos y pantorrillas y borde externo del
pie para terminar en la raíz de la uña del quinto dedo.
27 Meridiano de Riñón Comienza en la planta del pie con su primer punto, en la base del dedo
pulgar y los restantes dedos. Asciende por la cara interna de la pierna
hasta la ingle y sigue por el abdomen y cara anterior del tórax para
terminar justo por debajo de la clavícula y el esternón.
9 Meridiano de Circulación Nace el en tórax, justo por fuera del pezón, sube hasta El brazo, baja
Sexualidad o Pericardio opor la cara anterior del mismo y del antebrazo, y cruzando la palma de la
Constrictor del Corazón mano termina en la raíz de la uña Del dedo medio.
23 Meridiano de Triple Función o TripleTiene su primer punto en la raíz de la uña del dedo anular. Sigue por la
Recalentador o Maestro cara posterior de la mano, antebrazo y brazo, por detrás del hombro hasta
Pericardio la cara lateral Del cuello, y rodeando a la oreja llega a su último punto cerca
del extremo externo de la ceja.
44 Meridiano de Vesícula Biliar Nace detrás del ángulo externo Del ojo, verticalmente por debajo del último
punto Del meridiano de triple función. Se dirige hacia atrás y adelante sobre
el cráneo y de nuevo hacia atrás hasta la nuca, cruza por encima Del hombro
dirigiéndose hacia delante y baja por el costado del tórax y del abdomen
y por la cara externa del muslo y pantorrilla para terminar en la raíz de
la uña del cuarto dedo.
14 Meridiano de Hígado Nace en la raíz de la uña Del dedo pulgar del pie lado lateral, asciende por
la cara interna, llega al abdomen y termina em el borde inferior de la parrilla
costal em El punto de intersección de uma línea imaginaria vertical que
pase por el pezón.

UBICACIÓN DE LOS SEIS


MERIDIANOS EXTRAORDINARIOS SIN RECORRIDO PROPIO
MERIDIANO FUNCIÓN UBICACIÓN
Tchong Mo Vaso estratégico No posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
El punto maestro es 4BP bilateral
Tae Mo Vaso de la Cintura No posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
El punto maestro es 41 VB bilateral
Inn Keo Vaso delNo posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
Equilíbrio Inn El punto maestro es 6R bilateral.
Yang Keo Vaso delNo posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
Equilíbrio Yang El punto maestro es 62 V bilateral.
Inn Oe Vaso Inn de unión No posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
El punto maestro es 6 CS bilateral.
Yang Oe VasoYang de uniónNo posee puntos propios y su recorrido lo hace mediante conexiones con otros meridianos.
El punto maestro es 5 TF Bilateral

UBICACIÓN DE LOS DOS MERIDIANOS EXTRAOERDINARIOS CON


RECORRIDO PROPIO
Meridiano Tipo de Meridiano N° de Puntos Ubicación
Canal del Gobierno: Du-Mei oVaso Yang o Iang 27 Ubicación de los dos meridianos
Gobernador o Tu Mo extraordinarioscon recorrido propio
Canal de la Concepción: Ren-Mei o Inn o Yin 24 Tiene su primer punto en el centro exacto del
Vaso concepción o Jen- Mo periné. Sigue la línea media anterior ascendiendo
por el abdomen, tórax y garganta hasta justo por
debajo del labio inferior

excelentes resultados são reconhecidos tanto pela Organização


¿Qué es un Microsistema? Mundial da Saúde como por pesquisas científicas. Trata-se de uma
Según lo expresado en los conceptos de la Medicina excelente terapêutica integral que atua diretamente em níveis
Tradicional China, todos los meridianos se encuentran representados complexos do funcionamento do ser vivo (psicológico, comportamental,
en los llamados microsistemas. Estos son diversos, existiendo los biológico).
siguientes:
 Cabeza Palavras-chave: Acupuntura, terapêutica integral
 Oreja
 Mano A Acupuntura é uma terapêutica milenar que faz a
 Pie prevenção, tratamento e cura de patologias através da inserção de
Em Medicina Veterinária El más conocido ES El de oreja, finíssimas agulhas de ouro, prata ou aço inoxidável em determinadas
denominado AURÍCULOTERAPIA. Este posee zonas de diferentes regiões do corpo chamadas de “pontos de acupuntura”. Os seus
potenciales eléctricos los cuales ejercen sus efectos sobre distintos excelentes resultados são reconhecidos pela Organização Mundial da
meridianos, es decir sobre órganos y entrañas. En la actualidad la Saúde (WHO, 2002) e por pesquisas científicas (Allen et al, 1998).
auriculoterapia está muy desarrollada en los seres humano, en virtud que A Acupuntura estimula as fibras sensitivas do Sistema Nervoso
el paciente colabora para este tipo de tratamiento. Por correlación Periférico (SNP) fazendo com que ocorra uma transmissão elétrica via
anatómica y comparándose las orejas caninas con las orejas humanas, neurônios para produzir alterações no Sistema Nervoso Central
se han establecido una serie de caninas con las orejas humanas, se han (SNC), o qual libera substâncias (ex.: cortisol, endorfinas,
establecido una serie de puntos los cuales poseen efectos directos sobre dopamina, noradrenalina, serotonina) que promovem bem-estar,
los órganos y entrañas. Estas orejas poseen áreas de influencia prevenção e tratamento de doenças, sejam elas psicológicas, biológicas
similares a las humanas, pero la gran variabilidad de especies, e/ou comportamentais. Há evidências de que a Acupuntura pode
hacen que esta técnica deba readaptarse constantemente para que substituir o uso de remédios (sendo mais efetiva, rápida, duradoura, sem
pueda producirse su efecto terapéutico. Para producir la estimulación de dependência, sem efeitos colaterais importantes, com menor custo
los puntos de auriculoterapia se realiza mediante el uso de agujas, bolitas financeiro ao paciente e ao sistema de saúde pública). O uso da
que presionan al punto, chinches que punzan específicamente al punto o tomografia computadorizada (TC), da tomografia por emissão de
por acción eléctrica. pósitrons (PET), da imagem de ressonância magnética (MRI) e da
imagem de ressonância magnética funcional (fMRI) apontam que a
American Veterinary Medical Association- http://www.avma.org/ Acupuntura é eficaz (Cho et al, 2005).
International Veterinary Acupuncture Society-
http://ivas.org/main.cfm QUESTÕES SOBRE ACUPUNTURA:
Fuente: Dra. M. V. Adriana Moiron. Buenos Aires. Argentina. 1) Efeitos colaterais?
Logo após a Acupuntura, alguns pacientes relatam
sonolência e uma sensação de relaxamento muito grande e isso,
ACUPUNTURA SEM SEGREDOS: que para a grande maioria é uma qualidade, para outros pode ser ruim,
TRATAMENTO NATURAL, MILENAR principalmente para os que precisam executar atividade que exija grande
atenção (ex.:pilotar avião).
E CIENTÍFICO*(2007) 2) Contra-indicações?
Alex Sandro Tavares da Silva Psicólogo. Psicoterapeuta. A) pessoa com fobia de agulha (nesse caso pode ser
Mestre em Psicologia pela “Universidade Federal do Rio Grande do Sul” utilizado outro estímulo, como por exemplo, laser); B) febre muito
(UFRGS). Especializando em Acupuntura e Eletroacupuntura pelo alta; C) esgotamento físico; D) estado de embriaguez; E) distúrbios
“Colégio Brasileiro de Acupuntura” (CBA). Editor da revista eletrônica psicológicos graves (ex.: surto psicótico); F) jejum ou grave desnutrição;
“AcupunturaS” G) problemas de sangramento (ex.: hemofilia, uso de anticoagulantes); H)
E-mail: alextavares@gmail.com situações de emergência (ex.: fratura do crânio); I) indicação de
* Artigo publicado no n.º 10 da revista “Psicologia Actual” intervenção cirúrgica (ex.: ataque cardíaco).
(Lisboa, Portugal), em 20 de Janeiro de 2007 3) Sempre há dor?
Não. Os pacientes relatam várias sensações, como,
RESUMO por exemplo, “calor”, “peso”, “distensão”, “choque”, “leve dor”,
A Acupuntura é uma terapêutica milenar que faz a “formigamento”. O importante é que todas essas sensações passam
prevenção, tratamento e cura de patologias através da inserção de em menos de 05 segundos após a inserção da agulha.
finíssimas agulhas de ouro, prata ou aço inoxidável em determinadas 4) As agulhas transmitem doenças?
regiões do corpo chamadas de “pontos de acupuntura”. Os seus
Não. Todas as agulhas são: 1) descartáveis; 2) esterilizadas;  Síndrome do estresse competitivo - Eficácia em 93% dos
3) de uso único. Além disso, antes de inserir as agulhas, o acupunturista casos.
faz a higienização: 1) de suas mãos e 2) do local de inserção das  Tabaco – Diminuição da vontade de fumar em 13% dos
agulhas. casos. Redução no hábito de fumar em 20% dos casos. Redução no
5) Doenças tratáveis? prazer de fumar em 70% dos casos.
A “Organização Mundial de Saúde” (WHO, 2002) publicou um  Tontura - Eficácia em 75% dos casos.
documento que divulgou os resultados científicos da Acupuntura em  TPM - Alívio completo dos sintomas, sem recorrência por 6
comparação com o tratamento convencional (remédio) para 147 doenças. meses, em 92% dos casos.
Cito alguns desses achados:  Úlcera - Eficácia em 97% dos casos.
 Acne - Desapareceu em 59% dos casos após 10 dias de
tratamento. VINHETA CLÍNICA:
 Álcool - Diminui a necessidade de ingerir álcool.  Paciente: Isabel Silva (nome fictício), 47 anos, separada,
 Ansiedade - Eficácia superior à medicação convencional mora com 02 filhos.
(mas sem efeitos colaterais).  Diagnóstico Ocidental: Episódio depressivo grave sem
 Arteriosclerose - Aumento da memória, da inteligência e da sintomas psicóticos (CID - F32.2) e ansiedade generalizada (CID F41.1).
capacidade de cuidar de si mesmo em 68% dos casos.  Diagnóstico Oriental: “Deficiência do Qi do Fei” e “Deficiência
 Asma - Efeito antiasmático em 93% dos casos e maior do Xue do Gan”.
ventilação pulmonar em 68%.  Modelo de Acupuntura: MTC (c/Deqi).
 Ataque súbito de surdez - Eficácia em 90% dos casos após 2  Intervenção: Semanal, total de 10 sessões.
semanas.  Tipo de agulha: sistêmica, descartáveis, tamanho 0,25 X
 AVC (seqüela) - Dificuldade de articular palavras. Eficácia em 25mm.
90% dos casos.  Sedação: retenção de 20 min., manipulação vigorosa.
 Cirurgia cerebral - Cura dos sintomas pós-operatórios em  Tonificação: retenção de 10 min. manipulação suave.
86% dos casos.  Pontos: Tonificação de P9, P7, VC6, E36, Bp6, B13, VG12,
 Cocaína - Diminuição dos sintomas da abstinência em 44% VG4. Sedação de Yin- Tang, VC17, VB34, F3.
dos casos.  Manifestações clínicas: depressão, ansiedade, anemia, dor
 Cólica estomacal e intestinal - Alívio da dor em 98% dos temporal, dispnéia, voz fraca, asma, constipação, pulso Vazio, língua
casos. pálida, suor e frio nas mãos e pés, gripes, cansaço, cabelos fracos,
 Cólon irritado - Melhora significativa em 93% dos casos. visão turva, “formigamento vaginal”, insônia, debilidade muscular,
 Convalescença - Efeito analgésico superior e mais unhas quebradiças, memória fraca, cervicalgia, dor nas mãos.
rápido que a medicação convencional no pós-operatório.
 Depressão - Eficácia similar à medicação convencional (mas No dia 11/08/2006, a paciente apresentava as seguintes
sem efeitos colaterais). alterações:
 Desintoxicação de álcool - Redução do álcool no sangue. A) “Questionário de Saúde Geral” (QSG) - alterações
 Desintoxicação de tabaco - Redução da concentração de patológicas em todos os fatores: 1.
nicotina. Stresse Psíquico; 2. Desejo de Morte; 3. Desconfiança no
 Dor de cabeça - Alívio imediato em 80% dos casos. próprio desempenho; 4. Distúrbios do sono; 5. Distúrbios
 Dor lombar - Eficácia em 72% dos casos (superior à psicossomáticos e Saúde Geral;
medicação convencional). B) “Inventário Beck de Ansiedade” (BAI) - mostrava ansiedade
 Dor menstrual - Melhora em 91% dos casos. grave (BAI=39);
 Dor nos olhos - Eliminação da dor em 90% dos casos. C) “Inventário Beck de Depressão” (BDI) - indicava depressão
 Ejaculação precoce - Eficácia em 83% dos casos. grave (BDI=34);
 Enxaqueca - Eficácia em 80% dos casos. D) “Teste de Aferição do Desconforto” (TAD) - apontou um
 Esquizofrenia - Eficácia superior à da medicação “desconforto geral” em nível “insuportável” (TAD=32).
convencional (78% dos casos).
 Excesso de gordura no sangue - Diminuição em 90% dos Após 02 meses de tratamento com Acupuntura, na
casos. segunda avaliação, realizada no dia 13/10/2006, a paciente não
 Heroína - Diminuição dos sintomas da abstinência (anorexia, apresentou mais nenhuma alteração patológica, comprovada pelo teste
suor espontâneo e insônia) e redução da freqüência do uso. “QSG”. O “BAI” indicou uma ansiedade normal (BAI=06) e o “BDI”
 Hiperacidez no estômago - Eficácia em 95% dos casos. indicou “sem depressão” (BDI=00). O “Teste de Aferição do Desconforto”
 Hipertensão - Eficácia similar à medicação convencional (mas (TAD) apontou uma melhora geral no desconforto de 87,5% (TAD=04) e
sem efeitos colaterais). cura (100%) da dor temporal, dor nas mãos, cervicalgia, constipação,
 Hipotensão - A pressão foi normalizada em 95% dos casos. “formigamento vaginal” e insônia. Após o tratamento, Isabel se sentiu tão
 Lactação deficiente - Aumento da lactação em 92% dos bem que, depois de mais de 30 anos sem estudar, resolveu começar o
casos. seu primeiro curso superior.
 Impotência sexual (não orgânica) - Eficácia em 60% dos A Acupuntura utilizada em Isabel foi uma estratégia
casos. eficaz, rápida e segura no seu tratamento de ansiedade, depressão,
 Infecção urinária recorrente - Desobstrução do trato urinário estresse psíquico, desejo de morte, desconfiança no próprio
em 85% dos casos. desempenho, distúrbios do sono, distúrbios psicossomáticos e se
 Infertilidade - Eficácia em 75% dos casos. mostra como uma estratégia clínica muito potente na promoção da
 Inflamação na próstata - Alívio dos sintomas e melhora das “Saúde Geral”, conforme testes validados pelo conselho Federal de
funções sexuais superior à medicação convencional. Psicologia (CFP) do Brasil. Já o questionário que criei, “Teste de
 Insônia - O sono foi totalmente normalizado em 98% dos Aferição do Desconforto” (TAD), apontou uma melhora geral no
casos. seu desconforto e cura de vários transtornos.
 Obesidade - Supressão do apetite em 95% dos casos. Estou em pleno desenvolvimento de novas pesquisas
 Policisto no ovário - Cura obtida em 94% dos casos. científicas e monografias, com um número considerável de pacientes,
 Reações à radioterapia e/ou quimioterapia - Náuseas, para testar a abrangência dos resultados, medidos por vários tipos de
vômitos e falta de apetite foram eliminadas em 93% dos casos. testes. A Acupuntura é uma excelente terapêutica integral que atua
 Rinite alérgica - Eficácia em 97% dos casos (superior e diretamente em níveis complexos do funcionamento do ser vivo
mais duradoura que a medicação convencional). (psicológico, comportamental, biológico). A nossa “ciência ocidental”
 Retardo mental - Aumento de 21% no QI (inteligência) e de vem corroborando o que a “tradição oriental” já sabia: A Acupuntura,
18% na adaptação social.
quando bem administrada, é: 1) terapêutica; 2) preventiva; 3) segura; 4) o prêmio Nobel por seu trabalho na área de tratamento de dor,
rápida; 5) eficaz; 6) com efeito duradouro e 7) de baixo custo financeiro. correlacionou os pontos que os cientistas ocidentais vinham estudando
com os pontos da acupuntura chinesa. (MORI, 2006)
BIBLIOGRAFIA: Segundo Mori, a acupuntura foi trazida ao Japão junto com o
ALLEN, JJB; SCHNYER RN; HITT, SK. (1998). The budismo (Era Nara), e difundiu-se rapidamente durante a Era Edo.
efficacy of acupuncture in the treatment of major depression in women. Várias correntes tóricas e práticas desenvolveram-se, entre elas as
Psichol Sci 9:397-401. bem conhecidas Irie, Mubun e Sugiyama. A acupuntura chegou ao
CHO, Z.H.; Na, CS; WANG, EK; LEE, SH; HONG, IK. (2005). Brasil pelas mãos e agulhas dos imigrantes orientais e em 1961 foi
Imagem de ressonância magnética funcional do cérebro na investigação fundada a Associação Brasileira de Acupuntura (ABA).
da Acupuntura. STUX, Gabriel.; HAMMERCHLAG, Richard. Acupuntura Derivada dos radicais latinos acus e pungere, que
Clínica: Bases científicas. São Paulo: Manole. 93-106p. significam agulha e puncionar, respectivamente, a acupuntura visa à
WORLD HEALTH ORGANIZATION [WHO] (2002). terapia e cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através
Acupuncture: Review and analysis of reports on controlled clinical trials, da pele, com a inserção de agulhas em pontos específicos chamados
WHO Geneva, (35 Swiss Francs). acupontos. Trata-se também de uma terapia reflexa, em que o estímulo
de uma área age sobre outra(s). Para este fim, utiliza,
principalmente, o estímulo nociceptivo (LUNDEBERG, 1993).
AGULHAS QUE CURAM - JADCELY
Entretanto, além do sentido restrito de agulhamento, a palavra
acupuntura pode ter sentido mais amplo, o do estímulo do acuponto
MARIA VITURINO SERAFIM segundo das várias técnicas disponíveis (agulhamento, alterações de
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA – TCC apresentado à temperatura, pressão e outras). A acupuntura faz parte de um
Coordenação de Pós- Graduação em Acupuntura latu sensu do Centro conjunto de conhecimentos teórico-empíricos, a Medicina Tradicional
Integrado de Terapias Energéticas, como pré-requisito para obtenção do Chinesa (MTC) que inclui técnicas de massagem (Tui-Na), exercícios
título de especialista em Acupuntura. JOÃO PESSOA – PB 2007 respiratórios (Chi-Gung), orientações nutricionais (Shu-Shieh) e a
farmacopéia chinesa (medicamentos de origem animal, vegetal e
RESUMO mineral) (ALTMAN, 1997).
A acupuntura utiliza-se de alguns instrumentos para a Vista inicialmente com desconfiança por profissionais de
estimulação dos pontos de acupuntura, sendo o mais utilizado a Agulha. saúde, a acupuntura prática agregou novos adeptos dia após dia, até ser
A agulha de acupuntura compõe-se de cabo, corpo e ponta e pode reconhecida como especialidade por praticamente todos os conselhos
ser fabricada em diversos materiais, sendo o aço inoxidável o mais da área de saúde no Brasil: Fisioterapia, Biomedicina, Medicina,
utilizado. Sua espessura varia de 0,14 a 0,46 mm e o tamanho da agulha Psicologia, Enfermagem, Educação Física. Hoje, quem quiser ser
dependerá do efeito desejado e o local onde será aplicada. Existem até acupunturista precisará cursar uma rigorosa especialização, com carga
hoje discussões a respeito da reutilização das agulhas de acupuntura, horária mínima de 1.200 horas/aula. (BRASIL, 2005).
sendo que na maior parte das instituições de saúde o que A Organização Mundial de Saúde, trabalhando em conjunto
acontece é a esterilização do material após cada aplicação e só depois com o Centro Internacional de Acupuntura da Universidade de Medicina
de algum tempo de uso é que são descartadas em local apropriado para Tradicional Chinesa de Shangai, apontou a acupuntura como sendo
tais resíduos. Tomando-se todos os cuidados com a aplicação, com o efetiva no tratamento das seguintes doenças, entre outras: dor aguda e
paciente e com a manutenção das mesmas, elas podem ser utilizadas crônica, dor de cabeça e enxaqueca, sinusite, incontinência urinária, dor
sem oferecer riscos, e sim oferecendo saúde a quem delas se na coluna (cervical, torácica e lombar), asma, alergia, náuseas e
utilizam para a realização do tratamento de acupuntura. vômitos na gravidez, fadiga, ansiedade, insônia, artrite, controle de
Palavras - chave: agulha; acupuntura; tratamento. vícios (bebida, cigarro). (BRASIL, 2005).
ABSTRACT As Agulhas
Acupuncture makes use of some instruments for acupoints As agulhas de Acupuntura são instrumentos utilizados para
stimulation, among which the most common is the needle. The estimulação dos pontos de acupuntura. Em passado remoto, vários outros
acupuncture needle is composed of handle, body and tip and can be materiais foram usados como lasca de pedra, bambu, ferro, ouro,
produced in several materials, the most common being stainless steel. Its platina, espinhos, etc. (YAMAMURA,2001).
gauge varies from 0,14 to 0,46 mm and its size depends on the effect Ao que parece, os antigos acupunturistas chineses utilizavam
desired and the application place. Up to this date, there are discussions basicamente nove tipos de agulhas, algumas das quais poderiam
about the re-utilization of acupunctural needles, where in most health ser comparadas mais facilmente a bisturis. A mais frequentemente
institutions a sterilization of the material used after each application usada foi a Goushin, palavra originada dos caracteres chineses
is carried out and only after some time of use they are discarded in "Gou"- fio de cabelo_ e "Shin"- agulha; a união das palavras descreve
appropriate places for such residues. As long as all the correct procedures suficientemente o diâmetro da agulha em questão. (MORI,2006).
are taken with the application, the patient and maintenance of the needles, Gradualmente foram introduzidas as agulhas
they can be used with no risk, offering health to those who use them for confeccionadas de ouro e prata, bem como o condutor (mandril) para
their acupuncture treatment. facilitar a inserção e depois surgiram as feitas de aço inoxidável. Essa
Word – keys: acure; acupuncture; treatment. antiga tradição foi conservada por gerações e soube encontrar seu
caminho em meio às práticas clínicas modernas, onde continuou a se
INTRODUÇÃO desenvolver. (MORI, 2006).
É difícil apontar a idade exata da acupuntura, mas A agulha da acupuntura consiste de três partes: cabeça
os historiadores acreditam que ela surgiu há mais de sete mil anos, na (cabo), corpo e ponta. A cabeça é, geralmente, feita de cobre ou de
China, a primeira menção sobre acupuntura foi encontrada em textos alumínio; enquanto o corpo, preferencialmente deve ser feito de material
como Hung Di Nei Ching: Su Wun, e também o Ling Su, que inclui diferente, por exemplo, aço inoxidável ou prata, ouro, ferro, alumínio, a
uma explanação mais detalhada do uso da acupuntura num fim de induzir a formação de diferença de potencial elétrico entre o
capítulo intitulado Xiao Zen Jie Pien. De lá, viajou para o Egito antigo, cabo e a ponta da agulha. A maioria das agulhas de acupuntura
o império romano e a Europa oriental. O primeiro registro da acupuntura tem seus cabos envoltos por fio metálico, conferindo-lhe efeito
no Ocidente data de 1810, em Paris. Os americanos conheceram a solenóide, que aumenta o potencial elétrico. (YAMAMURA, 2001).
técnica em 1971, quando James Reston, um jornalista do New York A cabeça é normalmente mais grossa que o corpo + ou
Times, foi à China e teve de fazer uma cirurgia de apêndice de – 18 mm de comprimento, + ou – 1,5 mm de diâmetro, e em geral
emergência. A anestesia foi feita com acupuntura, e a notícia das é sulcada ou torneada, o que previne contra deslizamentos. O corpo
"agulhas milagrosas" correu a América. Nos últimos 50 anos, novas da agulha possui diâmetro variando entre 0,14 a 0,34 mm e um
formas de estimulação, como a eletroacupuntura e a acupuntura a comprimento de 30 a 100 mm. A ponta da agulha é desenhada de modo
laser, foram criadas. Em 1977, o médico Ronald Melzack, que ganhou a entrar facilmente no corpo, e, entre os diversos estilos existentes,
os mais populares são o Matsuba (semelhante a uma agulha de
pinheiro), o Surioroshi e o Noge. (MORI, 2006). Tipos de Agulhas
Existem vários tipos de agulhas de acupuntura: filiformes,
Ação das Agulhas de diversos calibres e comprimentos, para uso clínico e para as diversas
Borsarello, em 1975, fazendo estudos do material da finalidades a que elas se destinam. Os principais tipos de agulha de
agulha na formação do campo elétrico, verificou que materiais como acupuntura utilizados são:
ouro, platina e aço cromado formam um campo positivo com um  Agulhas de acupuntura capilar cilíndrica de 0,10 a 0,50 mm
efeito transmissor, isto é, têm efeito tonificador, ao passo que a de calibre e de 1,5 a 10 cm de comprimento. Esse tipo de agulha é
prata, o cobre, o ferro e o alumínio têm efeito de formar um campo composto por ponta, corpo e cabo, o qual serve para manipulá-la.
eletromagnético em que absorve a energia, logo, têm efeito  Agulha de acupuntura triangular, com ponta trifacetada,
dispersor. tem finalidade de provocar pequena sangria quando se efetua no
A agulha de acupuntura metálica, sendo um objeto pontiagudo, paciente punção rápida e superficial.
eletricamente carregado, concentra as cargas elétricas em sua ponta,  Agulha de acupuntura de retenção. É curta, em forma
obedecendo ao "princípio das pontas" descrito pela física e que deu de caracol, usada principalmente em auriculoterapia, com finalidade de
origem à concepção de pára-raios. Estudos mostraram que permanecer in situ por vários dias reestimulando o ponto durante todo
diferença de potencial entre a os dois extremos da agulha, medida esse período. (YAMAMURA, 2001).
por osciloscópio de raios catódicos, é da ordem de 1.800 mV,
apresentando diferença significativa ao tratar de agulhas longas ou As Agulhas Japonesas
curtas, caracterizando o efeito antena das agulhas de acupuntura. Esses As agulhas habitualmente usadas no Japão têm um diâmetro
valores elevam-se para níveis em torno de 140.000 mV , quando a agulha bem menor que as consideradas "finas" no Ocidente: 0,14 a 0,34
é fixa entre os dedos de um ser humano. (YAMAMURA, 2001). mm, em geral. Por uma outra razão, entre as quais já se mencionou a
O potencial elétrico formado na ponta da agulha, além da destreza "nipônica" _ a utilização de agulhas extremamente finas
diferença da constituição metálica do cabo e corpo/ ponta, depende parece ser uma característica limitada ao povo japonês: em países
também dos efeitos das ondas eletromagnéticas do ambiente, que europeus, especialmente França e Alemanha, onde a acupuntura
agem sobre as agulhas de acupuntura, transformando-a numa espécie de floresceu nos anos, a tendência é utilizar agulhas do tipo hipodérmico
antena receptora. (YAMAMURA, 2001). comum, e mesmo na China, onde a acupuntura sempre
Atualmente existem muitas fontes de ondas experimentou grandes avanços, o diâmetro de 0,34 mm represente o
eletromagnéticas artificiais, como cabos de alta tensão, ultra-som, mínimo utilizado: a agulha mais popularmente usada é a de 0,46 mm.
ondas curtas, raios-X, raios gama, explosões atômicas, fontes essas (MORI, 2006).
que foram denominadas por Beker, em 1990, de "poluição Mori relata que as agulhas de acupuntura no Japão são
eletromagnética". Por outro lado, existem as radiações naturais, habitualmente introduzidas com o auxílio de um tubo especial de
constituídas por ondas eletromagnéticas do cosmos e inserção, o condutor (mandril), desenvolvido durante a Era Edo pelo
particularmente do Sol, radiações infravermelhas, ultravioletas, gama, luz mestre acupunturista Waichi Sugiyama. Confeccionado em metal, com
visível, raios-X, ondas térmicas e sonoras, ultra-som, eletricidade, etc. diâmetro aproximado de 3 mm, formato circular e hexagonal e orifício
O conjunto de todas essas radiações naturais e artificiais interage central em torno de 1,7 mm, é aberto de ambos os lados
com o efeito antena da agulha de acupuntura, transmitindo-se ao ser permitindo a passagem da agulha, geralmente de 4 mm mais comprida:
humano. Essas energias cósmicas, hoje bem conhecidas, podem ser menos do que isso disso dificultaria a entrada na pele, mais do que isso
consideradas o que a milenar Medicina Tradicional Chinesa denominou aumentaria os riscos de entortamento. Atualmente, o condutor é
de Energia Celeste ou Qi celeste, que varia de acordo com as estações bastante utilizado no Ocidente e é produzido de outros materiais, entre
do ano, dia e noite, calor e frio, umidade, latitude, longitude e eles o mais usado é o plástico.
campo eletromagnético. (YAMAMURA, 2001).
Beker, em 1990, ressaltou a ação das ondas Dimensões da Agulha
eletromagnéticas sobre os seres vivos, interagindo aos níveis das As agulhas utilizadas no Japão são mais finas que
moléculas, proteínas, ritmo cardíaco, colinesterase, pressão arterial, suas similares chinesas ou coreanas: a maioria é muito pouca coisa
histamina, metabolismo do carbono, função sexual (em ratos) e no mais grossa que um fio de cabelo, e sua classificação baseia-se no
crescimento embrionário. Sabe-se, também, que essas ondas diâmetro e tamanho-padrão, como veremos a seguir (baseados na
eletromagnéticas penetram no corpo dos seres vivos através dos classificação do acupunturista Haruto Kinoshita).
pontos de acupuntura. O ângulo de penetração da agulha de acupuntura
e os estímulos que nela são efetuados interferem na circulação de Qi, TAMANHO DIÂMETRO COMPRIMENTO
podendo intensificá-la, reduzi-la ou alterar a polaridade dos Canais de
Nº 0 0,14 mm -
Energia, tornado-os mais ou menos ativos (efeitos yang e yin,
respectivamente). A agulha de acupuntura, obedecendo ao princípio da Nº 1 0,16 mm -
íntima relação entre energia e matéria, é composta de matéria (aço
Nº 2 0,18 mm -
inoxidável) e energia (cargas elétricas). A agulha-matéria serve para
incorporar a energia, funcionando como veículo desta, enquanto Nº 3 0,20 mm -
durar a inserção da agulha de acupuntura no corpo. A polaridade do
Nº 4 0,22 mm 1 tsun
meio ambiente e os estímulos locais ou a distância subseqüente
(vibração, calor, ímã, imposição da mão), que agem sobre a Nº 5 0,24 mm 1,3 tsun
agulha de acupuntura, atuam como transmissores dos estímulos,
Nº 6 0,26 mm 1,6 tsun
polarizando a agulha. (YAMAMURA, 2001).
A rigidez e a flexibilidade do material utilizado determinam a Nº 7 0,28 mm 2 tsun
facilidade na inserção, bem como a freqüência de quedas e
Nº 8 0,30 mm 2,5 tsun
entortamentos e, naturalmente, as sensações do paciente. Tem
ocorrido recentemente muita discussão quanto à possibilidade de a Nº 9 0,32 mm 3 tsun
distribuição iônica de vários metais afetar ou não o tratamento. Contudo,
Nº 10 0,34 mm -
não existem respostas conclusivas para essas questões. Na França,
muitos acupunturistas alegam ser as agulhas de ouro as mais As agulhas de acupuntura para auriculoterapia podem ser
apropriadas para tonificação e as de prata para a sedação_ teoria não as mesmas da acupuntura comum. Não há necessidade de se usar
confirmada_ e na China a preferência parece mesmo recair sobre as de micro-agulhas ou agulhas pequenas. O mais comum é o uso de
aço inoxidável, popularidade que se estendeu ao Japão devido à agulhas de 1,5 a 3 cm de comprimento, dependendo a escolha
facilidade que este material apresenta quando de sua inserção. (MORI, apenas da facilidade da manipulação. É comum também o uso de
2006). agulhas semipermanentes para tratamentos de estímulo constante. Para
o uso das agulhas semipermanentes usamos as de 1,8 a 2,0 mm para (condutor/ mandril). No caso das agulhas longas chinesas deve-se
sedação e de 1,5 a 1,0 mm para tonificação. (CASADO, LIRA, 2004). utilizar luvas e gaze estéril.
 Na retirada das agulhas, ter atenção para evitar acidentes.
Agulhas: Descartáveis ou Não? As agulhas deverão ser descartadas em recipiente adequado
Existem várias teorias a respeito da questão da conforme orientações descritas mais adiante, quando falarmos sobre
reutilização das agulhas usadas durante o tratamento da acupuntura. resíduos. Os diâmetros extremamente finos do corpo e da ponta das
Em todos os países onde a acupuntura é praticada existe a agulhas fazem com que elas sejam facilmente danificadas. Uma agulha
polêmica a respeito desta questão e no Brasil em 09 de novembro de danificada, além de não propiciar uma acupuntura satisfatória, causa
1992 foi publicada no diário oficial da união a Resolução de nº. 811/SES sofrimento ao paciente, havendo ainda o risco de ruptura durante o uso.
que dispunha sobre normas de esterilização de materiais empregados em É necessário, portanto o constante cuidado com sua manutenção, como
acupuntura. Em 23 de agosto de 1996, o estado do Rio de Janeiro descrito abaixo:
sancionou uma lei que dispõe sobre a obrigatoriedade da esterilização de 1. Manter as agulhas na caixa. Quando abrir uma nova
materiais técnicos utilizados nos tratamentos por embalagem, retire apenas as que você pretende usar, sem remover as
acupuntura.Considerando materiais técnicos: agulhas, pinças, demais.
bandeja, cursores e demais materiais necessários. (NOGUEIRA, MAKI, 2. As agulhas de uso diário devem ser guardadas de modo a
2003). não danificar as pontas dentro da caixa ou no saco para agulhas, ou
O não cumprimento desta lei sujeitará o infrator à multa ainda na bandejinha, envoltas em gaze e algodão.
variável entre 300 (trezentas) a 500 (quinhentas) UFERJ's, 3. Após usar as agulhas, deve-se examiná-las com cuidado,
recomendação para suspensão do alvará ou interdição provisória do reparando o que for possível. Esterilizá-las antes de guardar.
local das atividades e ainda cassação da Inscrição Estadual. No 4. Se a ponta estiver danificada, pode ser reparada com uma
caso de reincidência, a multa prevista será aplicada em dobro e, pedra de amolar, de dimensões em torno de 60 mm de comprimento, 30
assim, sucessivamente. (BRASIL, 2006) mm de largura e espessura de 5 mm. Sobre sua superfície, previamente
No Manual de Biossegurança em Acupuntura publicado pela umedecida, a agulha deve ser rodada num ângulo de 20 a 30 graus. Ou
Secretaria de Saúde do estado do Rio de Janeiro, eles definem o conceito simplesmente desprezá-la é mais a forma mais segura!
de Esterilização como sendo o processo que promove a completa 5. Para observar a ponta da agulha, o ideal é usar um
eliminação ou destruição de todas as formas de microorganismos microscópio com aumento de 50 vezes, ou pelo menos uma lupa. Não
presentes. Nogueira e Maki (2003) apresentam os métodos, fique na dependência de observações a olho nu.
equipamentos e soluções utilizadas no processo de esterilização 7. As agulhas muito tortas correm o risco de ruptura, e
indicada, relacionando a temperatura e o tempo de exposição para os devem ser descartadas. (MORI, 2006).
diversos processos.
Alguns tipos de acidentes e reações indesejáveis
Método Físico podem acontecer, ressaltamos alguns pontos a serem observados para
1. Vapor sob pressão: autoclave (gravitacional: 121°C/ 30 min; prevenir tais situações.
pré-vácuo: 134°C/4 min); 1. Qualidade da agulha: devem ter registros no Ministério da
2. Calor seco: estufa: 170°C/ 1hora; 160°C/ 2 horas; Saúde.
2. Posição do paciente: o paciente deve ser acomodado de
Método Químico forma confortável e orientado a permanecer quieto e a evitar mudança de
1. Líquido: glutaraldeido (imersão) 25°C/ 10 horas; ácido posição abruptamente.
peracético 50°C/ 12 horas; ácido peracético+peróxido de hidrogênio 3. Dor: o tratamento com acupuntura normalmente é
(imersão) 20°C/ 3 horas; peróxido de hidrogênio 20°C/ 6 horas; indolor quando há penetração rápida e habilidosa da agulha, porém
2. Gasoso: óxido de etileno 54,4°C/ 3 horas; plasma de a dor poderá ocorrer nas situações abaixo relacionadas.
peróxido de hidrogênio 54°C/ 1 hora. 4. Durante a penetração da agulha: dor poderá ocorrer
A estufa atualmente é pouco recomendada, uma vez que a devido a técnica não apropriada ou a ponta da agulha se encontrar
penetração do calor é lenta, não uniforme, a alta temperatura exigida grossa, curva ou "cega". Também poderá ocorrer em paciente com
danifica o material e há dificuldade de validação do processo. sensibilidade aumentada.
(NOGUEIRA, MAKI, 2003). 5. Depois da inserção: quando a agulha penetra
Sobre a esterilização as autoridades já discutiram, profundamente e atinge um receptor de fibra nervosa, nesta situação
questionaram, como também já aprovaram leis, porém sobre a a agulha deve ser superficializada e aprofundada em outra direção.
utilização única das agulhas de acupuntura (agulhas descartáveis) não 6. Dor após a retirada da agulha: ocorre devido a
foi ainda discutido de forma legal. Muitos julgam este caso complicado, estimulação excessiva ou a manipulação desajeitada. Para casos
pois isto viria dificultar ainda mais o acesso das populações carentes suaves, pressionar o local; para casos graves realizar a moxabustão
aos tratamentos de acupuntura, já que aumentaria muito o custo além da pressão.
médio de cada sessão. Assim sendo, fica a critério de cada 7. Quando a agulha emperra: poderá ocorrer por um
profissional optar pela forma de utilização ou reutilização das espasmo muscular, neste caso a agulha deve ser deixada por algum
agulhas e dos demais instrumentos utilizados durante o tratamento tempo e depois retirada por rotação ou massagear em torno do ponto. Se
pela acupuntura. a causa é a rotação excessiva numa só direção a dor vai ser aliviada
Antes de se iniciar a inserção das agulhas, algumas quando fizer uma rotação em sentido inverso.
atitudes também devem ser tomadas com o objetivo de manter a 8. O que fazer quando a agulha não sai - freqüentemente o
integridade do paciente e a idoneidade do tratamento que irá ser paciente se move involuntariamente durante a aplicação e isso pode
realizado. O acupunturista deve sempre usar roupa branca e limpa, causar um desvio da agulha que irá dificultar sua retirada. O mesmo
ter as unhas cortadas e as mãos bem lavadas e esterilizadas também pode ocorrer por tensão muscular ou do tecidos. Em tais
com cresol ou solução inversa. As agulhas devem ser esterilizadas, a ocasiões é importante não se afobar, e procurar desviar a atenção do
área de aplicação no paciente também deve ser lavada com álcool paciente para a área da aplicação, percutindo um local distante do
antes do tratamento. (MORI, 2006). ponto em questão, por exemplo, ou aplicando uma agulha em local
Cuidados na manutenção e manuseio das agulhas e diferente; os tecidos em redor do primeiro relaxarão, e a retirada da
atitudes a tomar diante de imprevistos agulha irá ocorrer com relativa facilidade. Se tais providências falharem
Para a boa prática da acupuntura, deve-se conhecer as e continuar difícil retirar a agulha, é melhor deixa-la no local por algum
normas e os procedimentos de segurança, para minimizar os riscos de tempo, até diminuir o espasmo, e depois tentar de novo. Pode-se
acidentes. Cabe ressaltar alguns cuidados durante esta prática: ainda executar punção simples três ou quatro vezes em torno da agulha,
 Na introdução das agulhas, nunca tocar na lâmina das cerca de 3 a 4 cm distante do ponto de inserção original. Com calma, e
mesmas, o que pode ser evitado com a utilização do tubo guia paciência logo será possível extrair a agulha. Nunca entre em pânico ou
tente forçar a retirada da agulha, pois isso poderá quebrá-la.
9. Se ocorrer ruptura, devido a agulha defeituosa ou um V - marrom - RESÍDUOS ORGÂNICOS
movimento inesperado do paciente, tome as providências seguintes: Para os demais resíduos do Grupo D deverá ser utilizada a cor
não é necessário alertar imediatamente o paciente. Procure cinza nos recipientes. Caso não seja procedida a reciclagem, poderá
cuidadosamente o fragmento usando a mão de apoio. Se houver uma ser utilizada a cor preta.
pequena exposição da ponta da agulha, retire-a com as unhas ou  GRUPO E (perfuro-cortantes) – são os objetos e
utilizando uma pinça. Se a ruptura ocorrer no plano profundo e puder ser instrumentos contendo cantos, bordas, pontos ou protuberâncias rígidas e
localizada, simplesmente deixe-a onde está. Podemos afirmar, agudas, capazes de cortar ou perfurar.
baseados na experiência, que um fragmento de agulha deixado no corpo Enquadram-se neste grupo: lâminas de barbear, bisturis,
não costuma causar problemas, dependendo naturalmente do seu agulhas, escalpes, ampolas de vidro, lâminas e outros assemelhados
tamanho e localização. O fragmento pode gerar estímulo doloroso por 2 a provenientes de serviços de saúde, bolsas de coleta incompleta,
3 dias, e o paciente deve ser advertido para tal eventualidade. Ao informar descartadas no local da coleta, quando acompanhadas de agulha,
o paciente sobre a ruptura da agulha, faça-o com bastante cuidado, para independente do volume coletado.
não lhe provocar medo_ e, conseqüentemente, aumento da dor e Os materiais perfuro-cortantes devem ser descartados
problemas posteriores. separadamente, no local de sua geração, imediatamente após o
10. Agulha quebrada: Poderá ocorrer devido a má uso, em recipientes, rígidos, resistentes à punctura, ruptura e
qualidade da agulha, forte espasmo muscular, pela erosão entre a vazamento, com tampa, devidamente identificados, baseados nas
lâmina e o cabo, movimento brusco do paciente ou utilização normas da ABNT NBR 13853/97 - Coletores para RSS perfurantes e
prolongada de corrente galvânica. Devemos manter o paciente calmo cortantes e NBR 9259/97- Agulhas hipodérmicas estéreis e de uso
orientando-o para que não se mova a fim de se evitar que a agulha único-, sendo expressamente proibido o esvaziamento desses
penetre mais nos tecidos. Se parte da agulha quebrada estiver visível, recipientes para o seu reaproveitamento. As agulhas descartáveis
pressionar em torno do local para que seja possível a retirada da mesma devem ser desprezadas juntamente com as seringas, quando
com auxílio de uma pinça, não sendo possível, uma intervenção cirúrgica descartáveis, sendo proibido reencapá-las ou proceder a sua retirada
será necessária, devendo o paciente ser encaminhado a um cirurgião. manualmente. (NOGUEIRA, MAKI, 2003)
(MORI, 2006). O símbolo que representa o GRUPO E, é o símbolo de
11. Agulhas auriculares não devem ser mantidas no local por substância infectante constante na NBR-7500 da ABNT de março de
mais de sete dias, pois podem provocar reações alérgicas, e infecções 2000, com rótulos de fundo branco, desenho e contornos pretos,
locais, o tempo seguro é de aproximadamente 4 dias. (NOGUEIRA, acrescido da inscrição de RESÍDUO PERFURO-CORTANTE,
MAKI, 2003). indicando o risco que apresenta aquele resíduo. Os resíduos do Grupo
E devem ser encaminhados para destinação final em Aterro Sanitário,
O que fazer com o "lixo" produzido pelas agulhas devidamente licenciado em órgão ambiental competente. Caso não haja a
descartadas? disponibilidade do tipo de destino final acima mencionado, devem ser
A responsabilidade por resíduos gerados em qualquer submetidos a autoclavação para que haja redução ou eliminação da
ambiente é do gerador, devendo este conhecer a legislação vigente sua carga microbiana. Neste caso, os resíduos resultantes do tratamento
sobre o assunto. Atualmente estão em vigência: Resolução CONAMA devem ser acondicionados e identificados como resíduos do tipo D.
05/93, CONAMA 281/01 e RDC 33/03. Por definição, resíduos de serviços (NOGUEIRA, MAKI,2003).
de saúde são aqueles provenientes de qualquer unidade que execute CONCLUSÃO
atividades de natureza médico-assistencial humana ou animal; aqueles As agulhas de acupuntura são instrumentos utilizados
provenientes de centros de pesquisa, desenvolvimento ou durante os tratamentos de acupuntura com o objetivo de estimular
experimentação na área de farmacologia e saúde medicamentos e os pontos, contidos nos meridianos e canais de energia. Pontos estes
imunoterápicos vencidos ou deteriorados e aqueles provenientes de que também podem ser estimulados por diversos outros instrumentos,
necrotérios, funerárias e serviços de medicina legal bem como os como: ventosa, moxa, rolete, etc., sendo a agulha o mais conhecido
provenientes de barreiras sanitárias (RESOL. CONAMA 283/01). e utilizado. As agulhas podem ser feitas dos mais diversos materiais,
(NOGUEIRA, MAKI, 2003) sendo o aço inoxidável o mais vastamente utilizado. O que não se pode
Processamentos de artigos e padronização de soluções discordar é que a Acupuntura, quando bem aplicada é de extrema
O processamento de artigos inclui a limpeza, desinfecção e eficácia, assim como comprovou a Organização Mundial de
esterilização. É importante saber classificar o artigo, pois de acordo Saúde (OMS) aceitando-a como tratamento de inúmeras patologias.
com a classificação, este poderá passar apenas pelo processo de Desta forma, devemos ignorar termos usualmente conhecidos como
desinfecção ou deverá ser esterilizado. Lembrando ainda que para o “agulhas milagrosas” e substituí-los por “agulhas que curam”, o que
bom processamento de artigos, a limpeza é fundamental. demonstra mais fidedignamente a ação das agulhas de acupuntura.
Classificação de artigos REFERÊNCIAS
A classificação de artigos é dividida em categorias de acordo 1. ALTMAN, S. Acupuncture therapy in small animal practice.
com o risco de aquisição de infecção com o uso desses artigos, esta foi The Compendium on Continuing Education for Practicing Veterinarian,
uma classificação criada por Spalding na década de 60. Os artigos v.19, n.11, p.1233- 1245, 1997.
podem ser críticos ou não-críticos, sendo os usados na acupuntura, 2. BORSARELLO, J. F. A acupuntura e o Ocidente. Lisboa,
considerados críticos. Artigos críticos – penetram tecidos estéreis ou Áster: 1975.
sistema vascular e devem ser esterilizados para uso. Exemplo: agulhas, 3. BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. A profissão que
martelo, sangrador, pinça, ventosas utilizadas em sangria. Estes são veio da China.Correio Brasiliense. 2005. Disponível em:
divididos em 5 grupos: A, B, C, D e E. No caso da acupuntura são www.portal.saude.gov.br. Acessado em 04/01/2007.
gerados resíduos apenas dos grupos D e E. (NOGUEIRA, MAKI, 2003) 4. BRASIL. Publicação do diário oficial. Assembléia legislativa
 GRUPO D (resíduos comuns) – são todos os resíduos do estado do Rio de Janeiro. Disponível em: www.alerj.rj.gov.br.
gerados nos serviços abrangidos por esta resolução que, por suas Acessado em 06/01/2006.
características, não necessitam de processos diferenciados 5. BRASIL. Agulhas descartáveis na acupuntura.Grupo de
relacionados ao acondicionamento, identificação e tratamento, incentivo à vida, 2004. Disponível em: www.giv.org.br/noticias/noticia.
devendo ser considerados resíduos sólidos urbanos - RSU. Para os Acessado em 07/01/2007.
resíduos do GRUPO D, destinados à reciclagem ou reutilização, a 6. CASADO, H.; LIRA, T. Auriculoterapia. CITE- Centro
identificação deve ser feita nos recipientes e nos abrigos de guarda Integrado de Terapias Energéticas. p 10. Recife: 2004.
de recipientes, usando código de cores e suas correspondentes 7. YAMAMURA, Y.Acupuntura Tradicional- A Arte de Inserir.
nomeações, baseadas na Resolução CONAMA nº 275, de 25 de abril 2ed. Editora Roca: São Paulo, 2001.2. MORI, H. Introdução à Acupuntura.
de 2001, e símbolos de tipo de material reciclável. Ícone Editora: 2006.
I - azul - PAPÉIS 8. LUNDEBERG, T. Peripheral effects of sensory nerve
II- amarelo – METAIS III - verde - VIDROS stimulation (acupuncture) in inflammation and ischemia. Scandinavian
IV - vermelho - PLÁSTICOS Journal Rehabilitation Medicine, suppl. 29, p.61-86, 1993.
9. NOGUEIRA, I. A.; MAKI, R. Manual de Biossegurança ACUPUNTURA NAS AFECÇÕES DO SISTEMA ARTICULAR
em Acupuntura.Rio de Janeiro:2003. Disponível em: Displasia coxofemoral
www.saude.rj.gov.br. Acessado em 04/01/2007. Em um estudo realizado no de Departamento de Reabilitação
10. SZABO, M.V.R.S; BECHARA,G.H.Acupuntura: Bases da Escola de Medicina de Hannover, observou-se que tanto a inserção de
científicas e aplicações. Ciência Rural. v.31, n.6, Santa Maria: 2001 agulhas na região anatômica próxima articulação coxofemoral como as
inserções de agulhas em pontos de AP resultaram em melhora dos sinais
clínicos dos pacientes tais como diminuição da dor, maior ângulo de movi-
Uso da acupuntura nas mento da articulação entre outros sinais [4].

síndromes articulares: primeira ou Acupuntura e fisioterapia


Em um estudo comparando-se os efeitos da eletroacupuntura,
última opção? massagem com gelo e estimulação nervosa transcutânea (TENS) em
Acta Scientiae Veterinariae. 35(Supl 2): s277-s278, 2007. pacientes com osteoartrite na articulação femoro-tibio-patelar, observou-
Jean Guilherme Fernandes Joaquim se que a acupuntura proporcionou uma diminuição da dor e da rigidez,
Serviço de Acupuntura Veterinária, FMVZ (UNESP) – Botucatu, aumentou a capacidade de contração muscular e facilitou a flexão do
SP/Brasil. joelho [13].
Instituto Bioethicus – Botucatu, SP/Brasil.
E-mail: jeanvet@yahoo.com Acupuntura e osteoartrite de joelho
Em um estudo no homem de Vaz et al. [11] com pacientes com
INTRODUÇÃO osteoartrites, observou-se que a associação da AP com diclofenaco, foi
A acupuntura (AP) é uma modalidade médica baseada na superior ao uso isolado do Diclofenaco ou ao grupo Placebo associado ao
medicina tradicional chinesa, compreendendo na sua forma mais comum Diclofenaco. Os resultados, segundo os autores, indicam que a AP produz
a inserção de agulhas em pontos cutâneos específicos, situados em seis mudanças significativas na capacidade física e psicológica dos pacientes.
pares de canais de energia deno- minados meridianos. A nomenclatura
dos meridianos deriva dos principais órgãos internos, tais como meridiano Mecanismo de ação
do pulmão, intestino grosso, fígado, vesícula biliar, rim, bexiga, coração, Em um estudo de Chu & Schwartz [2], os autores observaram
intestino delgado, pericárdio sendo que destes, três têm seus nomes que o alivio da dor miofascial acontece por um meca- nismo local, isto é,
derivados da linguagem figurada da medicina tradicional chinesa que são contração muscular, a qual é feita por movimentos intramusculares na
o meridiano do triplo-aquecedor, vaso governador e vaso concepção [1]. zona da placa motora, que são estimuladas por sua vez através dos
Os textos referentes a teoria e prática da medicina tradicional estímulos mecânicos e elétricos (nervosos) produzidos pelas agulhas.
chinesa e AP no homem e nos animais foram elabo- rados a mais de Tal estudo corrobora com outras pesquisas onde se
1000 a.C. sendo que seus preceitos orais datam de até 5000 a.C. No comprovou que as fibras musculares participam da resposta à inserção
ocidente a AP foi apresentada primei- ramente na Europa, por jesuítas das agulhas pela produção consistente de potenciais de ação musculares
franceses, no início do século 17. Entre as teorias mais conhecidas e que [7]. Este fenômeno é relacionado com o tecido muscular intrafusal e com
permeiam a acupuntura no que concerne à aplicação da mesma estão a as fibras motoras tipo gama II, permanecendo mesmo após a interrupção
do Yin e Yang, princípios relacionados com as energias negativas e do suprimento vascular e nervoso [7]. Yan et al. [12] relataram que a
positivas, deficiência e excesso, noite e claro, respectivamente. Outra intensa manipulação das agulhas produz um potencial de ação muscular
teoria comumente empregada é a dos Cinco Movi- mentos, que visa à intenso, sendo o mesmo dependente da quantidade, presença e
auto-regulação entre os órgãos internos, o clima, os hábitos alimentares e distribuição das fibras musculares intrafusais em pontos específicos de
as emoções, aparecendo a doença quando do desequilíbrio entre os acupuntura. Tal fato poderia ser explicado pela liberação de potássio
diversos órgãos dentro desse sistema que procura a homeostasia intracelular pelas fibras musculares “lesadas” pelas agulhas, liberação
(Sistema Nervoso Autônomo) através de leis de criação e destruição, essa suficiente para causar a despolarização das fibras nervosas
linguagem figurativa do sistema de feed back a que se referem [5]. adjacentes, bem como pela maior quantidade de terminações nervosas
livres que funcionam como nociceptores polimodais, capazes de
USO DE TRATAMENTO CONSERVATIVO MEDICAMENTOSO EM intermediar os diversos efeitos da inserção local da agulha de acupuntura
AFECÇÕES ARTICULARES até o SNC [10].
Em um estudo clinico e radiográfico dos efeitos do sulfato de
condroitina e do hialuronato de sódio no tratamento da articulação Acupuntura e dor articular
femorotibiopatelar de cães com doença articular degenerativa (DAD) Em outro estudo visando comparar a eficácia da Acupuntura
induzida experimentalmente. Os resul- tados demonstraram que os versus o uso do ultrassom continuo, em pacientes com artrite, 85
animais que receberam hialuronato de sódio (HS) apresentaram menor pacientes foram avaliados de forma randomizada quanto aos padrões de
grau de claudicação quando comparados com os demais. Ao exame dor e amplitude de movimento. Os tratamentos foram realizados por
radiográfico observaram-se osteofitose periarticular e esclerose óssea fisioterapeutas, 2 vezes por semana, durante 5 semanas, sendo os
subcondral. Essas alterações foram evidenciadas de forma mais resultados avaliados por 12 meses. Os resultados demonstraram que
acentuada nos animais tratados com HS. Clinicamente, observou-se ambos os tratamentos foram efetivos, porém a acupuntura foi mais
melhor resultado com o hialuronato de sódio do que nos demais grupos, eficiente [6].
reduzindo a dor e o grau de claudicação.
O exame radiográfico não foi compatível com a sintomatologia REFERÊNCIAS
clínica nos cães tratados com HS [3]. 1 Blue Poppy Press. 2003. FLAWS, B. Tendonitis of the Rotator Cuff.
Segundo Lascelles [8], os Nutracêuticos que frequentemente Disponível em: <http:// www.bluepoppy.com>. Acessado em: 01/2003.
são empregados nos casos de osteoartrose possuem leve efeito 2 Chu J. & Schwartz I. 2002. The muscle twitch in myofascial pain
antiinflamatório e analgésico, sendo mais observáveis em gatos, havendo relief: effects of acupuncture and other needling methods.
indícios de melhora dos casos de dor crônica. A dose sugerida de Electromyography
Glucosamina e Sulfato de condroitina seria de 13-15mg/kg, VO, a cada 24 Clinical Neurophysiology. 42: 307-311.
horas. Em outro estudo realizado no homem por Richy et al. [9], os 3 Melo E.G., Rezende C.M.F., Gomes M.G., Freitas P.M. & Arias S.A.
autores observaram que a administração de 500mg sulfato de 2003. Sulfato de condroitina e hialuronato de sódio no tratamento da
glucosamida de 8-8hs associada sulfato de condroitina na dose oral de doença articular degenerativa experimental em cães. Aspectos clínicos e
400mg 12-12 horas, produziram efeito significativos e similares na radiológicos. Arquivos. Brasileiros Medicina Veterinária e Zootecnia.
diminuição da osteoartrite em 1 de cada 5 pacientes. A melhora 55: 35-43.
observada foi quanto a mobilidade articular, após semanas de uso do 4 Fink M.G., Wipperman B. & Gehrke A. 2001. Non-specific effects of
produto. traditional Chinese acupuncture in osteoarthritis of the hip.
Complementary
Therapy Medicine, 9: 82-9.
5 Jaggar D.H. & Robinson N.G. 2001. History of veterinary
acupuncture. In: Schoen A.M. (Ed). Veterinary acupuncture: ancient art to
modern medicine. 2nd edn. St. Louis: Mosby, pp.03-17.
6 Johansson K.M., Adolfsson L.E. & Foldevi M.O. 2005. Effects of
acupuncture versus ultrasound in patients with impingement syndrome:
randomized clinical trial. Physic Therapy. 85: 490-501.
7 Kendall O.M.D. 1989. A Scientific model for acupuncture. American
Journal Acupuncture. 17: 251-268.
8 Lascelles B.D.X. 2006. Manejo da Dor Crônica em Pequenos
Animais. Terapia Multimodal. In: Dor. Avaliação e Tratamento em
Pequenos
Animais. São Caetano do Sul: Interbook, pp.142-153.
9 Richy F., Bruyere O., Cucherat M., Henrotin Y. & Reginster J.Y. 2003.
Structural and symptomatic efficacy of glucosamine and chondroitin
in knee osteoarthritis: a comprehensive meta-analysis. Archives of Internal
Medicine. 163: 1514-1522.
1 0 Steiss J.E. 2001. The neurophysiologic basis of acupuncture. In:
Schoen A.M. Veterinary acupuncture: ancient art to modern medicine. 2nd
edn.
St. Louis: Mosby, pp.27-46.
1 1 Vas J., Méndez C., Milla E.P.,Vega E., Panadero M.D., León J.M.,
Borge M.A., Gaspar O., Rodríguez F.S., Aguilar I. & Jurado R. 2004.
AP as a complementary therapy to the pharmacological treatment of
osteoarthritis of the knee: randomised controlled trial British Medical
Journal.
329:1216.
1 2 Yan J.Q., Wang K.M. & Hou Z.L. 1984. The nature of acupoint muscle
action potencial (AMAP) and influence of temperature on it. In: II Nacional
Symposium on Acupuncture and Moxibustion, (Beijing, China) pp.533-
534.
1 3 Yurtkuran M. & Kogacil T. 1999. TENS, electroacupuncture and ice
massage: comparison of treatment for osteoarthritis of the knee. American
Journal of Acupuncture. 27: 133-140.
www.ufrgs.br/favet/revista
ID de solução único: #1198
Autor: SINTE SINDICATO DOS TERAPEUTAS Última atualização: 2007-07-16 11:27
ACUPUNTURA: BASES CIENTÍFICAS E APLICAÇÕES
Szabó, M.V. Rizzo Scognamillo; Bechara, G.H. ACUPUNTURA: BASES CIENTÍFICAS E APLICAÇÕES. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Revista de
Ciência Rural, Santa Maria, v 31, n 6 p 1091-1099, 2001.

RESUMO
A acupuntura visa à terapia e à cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com a inserção de agulhas em pontos
específicos. Essa técnica esteve isolada do mundo ocidental durante milênios, distanciando sua forma de raciocínio e linguagem da cultura
ocidental. Isto restringe sua aceitação no Ocidente, sendo considerada mística e sem base científica. Além disso, a prática da acupuntura no
Ocidente se depara com deficiências no ensino e difusão científica. Porém, a eficácia dessa terapia levou a Organização Mundial de Saúde a listar
enfermidades que podem ser tratadas pela acupuntura e, recentemente, essa técnica foi reconhecida como especialidade médica veterinária no
Brasil. A pesquisa da acupuntura reveste- se, portanto, de grande interesse, na medida em que poderá traduzir conhecimentos milenares,
contribuindo para sua aceitação e incorporação.

Palavras-chave: acupuntura, história da acupuntura, processo inflamatório, inflamação neurogênica.

INTRODUÇÃO
Derivada dos radicais latinos acus e pungere, que significam agulha e puncionar, respectivamente, a acupuntura visa à terapia
e cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com a inserção de agulhas em pontos específicos (WEN, 1989;
JAGGAR, 1992; SCHOEN,1993) chamados acupontos. Trata-se também de uma terapia reflexa, em que o estímulo de uma área age sobre outra(s).
Para este fim, utiliza, principalmente, o estímulo nociceptivo (LUNDEBERG, 1993).
Entretanto, além do sentido restrito de agulhamento, a palavra acupuntura pode ter sentido mais amplo, o do estímulo do acuponto segundo
as várias técnicas disponíveis (agulhamento, alterações de temperatura, pressão e outras). A acupuntura faz parte de um conjunto de conhecimentos
teórico- empíricos, a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) que inclui técnicas de massagem (Tui-Na), exercícios respiratórios (Chi-Gung),
orientações nutricionais (Shu-Shieh) e a farmacopéia chinesa (medica- mentos de origem animal, vegetal e mineral) (ALTMAN, 1997).

Histórico
No Oriente, a acupuntura vem sendo usada com finalidades preventiva e terapêutica há vários milênios. De fato, agulhas de pedra e de espinha
de peixe foram utilizadas na China durante a Idade da Pedra (cerca de 3000 anos AC). Ney Jing, ou "Clássico do Imperador Amarelo sobre Medicina
Interna", texto clássico e fundamental da MTC, descreve aspectos anatômicos, fisiológicos, patológicos, diagnósticos e terapêuticos das
moléstias à luz da medicina oriental. Nesse tratado, já se afirmava que o sangue flui continuamente por todo o corpo, sob controle do coração.
Cerca de 2000 anos depois, mais precisamente em 1628, William Harvey, pro- poria sua teoria sobre a circulação sangüínea (ALTMAN,
1992).
A acupuntura veterinária é, provavelmente, tão antiga quanto a história da acupuntura, acompanhando-a pari passu. Estima-se em
3000 anos a idade de um tratado descoberto no Sri Lanka sobre o uso de acupuntura em elefantes indianos. (ALTMAN, 1997).
A introdução da acupuntura no Ocidente está vinculada à fundação da Companhia das Índias Ocidentais, em 1602. Já a acupuntura
veterinária se inicia na Escola de Veterinária de Alfort, quando Lepetit e Bernar publicam ilustrações com localização dos canais de acupuntura em
cães (SCHIPPERS,1993).

Os pontos de Acupuntura (acupontos)


Os acupontos foram empiricamente determinados no transcorrer de milhares de anos de prática médica (RISTOL, 1997). Acuponto é
uma região da pele em que é grande a concentração de terminações nervosas sensoriais, Essa região está em relação íntima com nervos,
vasos sangüíneos, tendões, periósteos e cápsulas articulares (WU,1990). Sua estimulação possibilita acesso direto ao SNC (FARBER & TIMO-
IARIA, 1994). Estudos morfofuncionais identificaram plexos nervosos, elementos vasculares e feixes musculares como sendo os mais
prováveis sítios receptores dos acupontos. Outros receptores encapsulados, principal- mente o órgão de Golgi do tendão e bulbos terminais de
Krause também podem ser observados (HWANG, 1992). Diversos trabalhos têm demonstrado grande número de mastócitos nos acupontos. Nesse
sentido, Zhai apud HWANG (1992) verificou que ratos adultos possuem contagens de mastócitos significativamente mais altas nos acupontos que em
outros locais. Além disso, os acupontos possuem propriedades elétricas diversas das áreas adjacentes: condutância elevada, menor resistência,
padrões de campo organizados e diferenças de potencial elétrico (ALTMAN, 1992). Por isso, são denominados pontos de baixa resistência elétrica da
pele (PBRP) e podem ser localizados na superfície da pele através de um localizador de pontos. Em ratos, há uma cor- relação positiva entre o
desenvolvimento pós-natal de PBRP e o aumento da contagem de mastócitos no tecido conjuntivo da derme estes PBRP. KENDALL (1989) verificou
que, em acupontos de ratos e humanos, podem ser observadas junções entre mastócitos e fibras nervosas aferentes e eferentes imunerreativas
para o neurotransmissor substância P (SP). Segundo HWANG (1992), junções específicas mastócito-célula nervosa foram observa- das nos
acupontos, bem como relatos de degranulação de mastócitos no acuponto após sua estimulação com agulha. Funcionalmente, os mastócitos estão
intimamente relacionados às reações de hipersensibilidade imediata, inflamação neurogênica e enfermidades parasitárias. Devido à gama de
estímulos e agentes capazes de ativar o mastócito, tem sido também sugerida sua participação como adjuvante ou amplificador de respostas
inflamatórias agudas não relacionadas com hipersensibilidade imediata (Galli apud ABEL, 1995). Sabe-se, por exemplo, que mastócitos
produzem interleucina 8 (IL-8), um potente agente quimiotático para neutrófilos (MÖLLER et al., 1993).
A combinação das características descritas tornam o ponto de acupuntura extremamente reativo ao pequeno estímulo causado pela
inserção da agulha (KENDALL, 1989).
Segundo GUNN et al. (1976), os acupontos podem ser divididos em tipo I ou pontos motores; tipo II, localizados nas linhas
medianas posterior e anterior (ou dorsal e ventral) do organismo e tipo III, que apresentam leitura difusa com neurômetro. Quanto à sua localização,
os acupontos dos membros estão situados sobre linhas que seguem o trajeto dos principais nervos e vasos sangüíneos, os do tronco, ao nível da
inervação segmentar, local onde nervos e vasos sangüíneos penetram a fáscia muscular e os da cabeça e face, próximos aos nervos cranianos e
cervicais superiores (KENDALL,1989). A figura 1 ilustra parte dos acupontos do cão.

Contra-indicações da acupuntura
É contra-indicado o uso da acupuntura durante a gestação, sobre dermatites ou áreas tumorais e em portadores de marca-passo
(BANNERMAN,

Na China, a acupuntura é utilizada rotineiramente para o tratamento de diversas afecções. A eficácia dessa terapia levou, em 1979,
especialistas de 12 países presentes ao Seminário Inter- Regional da OMS (BANNERMAN, 1979) a publicarem uma lista provisória de
enfermidades que podem ser tratadas pela acupuntura e que inclui, dentre outras: sinusite, rinite, amidalite, bronquite e conjuntivite agudas,
faringite, gastrite, duodenite ulcerativa e colites agudas e crônicas. Recentemente, a acupuntura foi reconhecida como especialidade médica
veterinária em nosso país (BRASIL, 1995). Em Medicina Veterinária, a acupuntura também é indicada para o tratamento de diversas doenças, tais
como: gastrites, enterites, colites, bronquite, broncopneumonia, pleurisia, miocardites, arritmia cardíaca, nefrites, alterações na micção, prostatite,
cistite, hipotiroidismo, hipertiroidismo, diabetes insipidus, espondilopatia hipertrófica, paralisia facial, epilepsia, seqüelas da cinomose, mastite,
conjuntivite, otite média, entre outras (ALTMAN, 1997).

Efeito da acupuntura sobre processos fisiopatológicos específicos

Figura 1 – Canal de energia da bexiga do cão (fonte: BRUNNER,1981).

1980; STANDARD, 1990). Também é contra- indicada a instituição do tratamento com acupuntura antes de elaborado diagnóstico,
correndo-se o risco de mascarar ou alterar os sinais clínicos (ALTMAN,1992).

Incorporação da acupuntura à medicina convencional praticada no Ocidente


Os conhecimentos da acupuntura estiveram isolados do mundo ocidental por cerca de 5000 anos (MANN, 1971; WEN, 1989),
distanciando a forma de raciocínio e linguagem. Além do empeci- lho semântico, a prática dessa técnica se depara com deficiências no ensino e difusão
científica (CIGNOLINI, 1990). A ciência rejeita o princípio energético, linguagem metafísica e sistema aparentemente primitivo da MTC,
dificultando o engaja- mento de cientistas na investigação e desenvolvi- mento da acupuntura (KENDALL, 1989; ANDERSSON, 1993). A
necessidade de uma linguagem comum para facilitar o ensino, pesquisa, prática médica e troca de informações ao nível global em acupuntura, levou
a Organização Mundial de Saúde (OMS) a criar uma nomenclatura internacional padrão (STANDARD, 1990).
Processo inflamatório
O processo inflamatório pode ser definido como a reação do tecido vivo vascularizado a uma agressão local (COTRAN et al., 1994) e
ocupa um lugar proeminente na medicina pela sua freqüência e importância na origem de grande parte das enfermidades que acometem o ser humano
e os animais (CORREA et al., 1970). A princípio, independente de sua causa, o processo inflamatório se caracteriza por uma série de reações de
células e tecidos a uma agressão, seguindo um modelo básico e estereotipa- do que se repete em muitas espécies diferentes. Entretanto a complexidade
das alterações bioquímicas, morfológicas e funcionais que têm lugar durante o processo inflamatório, revelam um interessante exemplo de
homeostase (PEREZ-TAMAYO, 1986). Por outro lado, o processo inflamatório pode também representar uma agressão aos tecidos e seu controle
é desejável em muitas situações, como nas pneumonias, artrites, meningites, dentre outras. Dada a complexidade da reação, o processo
inflamatório é ainda tema de numerosas pesquisas no meio científico. Essa complexidade se dá pela inter- ação simultânea no local inflamado de
vários componentes orgânicos, locais e sistêmicos, tais como microcirculação sangüínea e linfática, células e fibras do tecido conjuntivo, sistema
endócrino e sis- tema nervoso (ROCHA e SILVA & GARCIA LEME, 1972).
Neurônios sensitivos periféricos, além de transmitirem sinais aferentes, respondem à estimulação elétrica ou estimulação química com um
reflexo axônico local desencadeando a liberação de potentes peptídeos vasoativos na área inervada. Essa liberação de peptídeos, que tem sido
predominantemente estudada na pele, vias aéreas e articulações de diferentes espécies animais e do ser humano, pode causar vasodilatação loca e
edema, i.e. inflamação neurogênica (LUNDEBERG, 1993). A inflamação neurogênica é causada pela excitação de fibras aferentes primárias do tipo C e
liberação de mediadores em suas terminações periféricas, levando à contração de musculatura lisa, aumento na permeabilidade vascular,
recrutamento de células inflamatórias, degranulação de mastócitos e estimulação de secreção mucosa. As taquicininas SP, neurocinina A (NKA),
neurocinina B (NKB) e, provavelmente, outros peptídeos como o peptídeo relaciona- do ao gene da calcitonina (CGRP) são mediadores nesse
processo. A inflamação neurogênica está presente não só na pele como também em muitos órgãos ocos (vísceras) e pode contribuir para a
patologia de várias enfermidades inflamatórias (SARIA & LUNDBERG, 1995).
A SP, um neuropeptídeo sintetizado na raiz dorsal ganglionar (Harmar et al. apud ABEL,1995) é transportada axoplasmaticamente
até às porções terminais dos nervos sensitivos e sua liberação estimula várias atividades biológicas, entre as quais: contração de musculatura lisa,
vasodilatação, secreção glandular e eventos que contribuem com o desenvolvimento da inflamação neurogênica. No ser humano, quando injetada
intravenosamente em baixas concentrações, a SP promove aumento do fluxo sangüíneo na pele e na musculatura regional, mimetizando o efeito da
estimulação antidrômica (Per- now, apud ABEL, 1995). A administração intradérmica de SP induz ardor, edema e dor local, efeitos que são
parcialmente bloqueados pelo composto básico 48/80 ou com anti-histamínicos, indicando que parte dos efeitos da SP estão relacionados à
liberação de histamina de mastócitos (Hargermark, apud ABEL, 1995).
Na literatura científica, correlações entre acuponto e mecanismos de ação da acupuntura têm sido feitos com elementos do processo
inflamatório, em especial, aspectos neurogênicos. Como já citado, HWANG (1992) observou junções específicas entre mastócitos e células nervosas nos
acupontos.
KENDALL (1989b) e QINGLAN (1991b) citam que, no modelo da injeção de terebentina no pavilhão auricular de coelhos, a ação
antiinflamatória da acupuntura resulta em um terço do aumento no volume de exsudato nos animais testes quando comparados aos controles
não trata- dos. Estes autores também verificaram redução no volume de exsudato e na migração de leucócitos.
Para tal, foi necessário que a inervação simpática estivesse intacta. ZHAO & ZHU (1992) sugerem que a acupuntura pode ter efeitos
diretos na regulação periférica da liberação de mediadores do processo inflamatório e da dor, levando a uma redução da liberação periférica de
substância P (SP). MA (1992) observou a diminuição dos níveis de SP em mulheres através do estímulo de agulhamento durante o trabalho de parto.
SIN et al. (1984) obtiveram supressão da pleurisia aguda induzida por carragenina em ratos através da estimulação de um conjunto de
acupontos na região torácica dorsal (T1-T7), sugerindo que a escolha dos acupontos sobre dermátomos e miótomos relacionados ao sítio do
processo inflamatório pode ser essencial para eficácia dessa terapia. Ainda no mesmo modelo, utilizando-se a eletroacupuntura, diferentes formatos de
onda podem produzir efeitos diversos. A supressão do processo inflamatório agudo pode ser obtida com o uso de onda descontí- nua (15 e 25
ciclos/min), onda denso-dispersa (15 ciclos/min), pulso periódico de onda dispersa (8Hz) e densa (50Hz). Mas a eletroacupuntura pode induzir efeitos
adversos, nesse caso, com o aumento do processo inflamatório agudo através do uso da onda denso-dispersa (25 ciclos/min), e ondas “riple” e
“sawtooth” (SIN, 1986).
ZHAO & ZHU (1990), trabalhando com artrite experimental em ratos, verificaram que a temperatura da pele e o perímetro da
articulação no grupo tratado com eletroacupuntura foram marcadamente menores que no grupo controle.

Cicatrização, neovascularização e regeneração


ABOLAFIA et al. (1985) demonstraram que a eletroacupuntura pode exercer efeito cicatrizante em feridas experimentalmente induzidas
na pele de ratos. Animais tratados com eletroacupuntura apresentam uma cicatrização completa, sem contaminação e com tensão superior àquela dos
animais controle. Nesse experimento, o grupo controle, que recebeu tratamento com anti-sépticos, apresentou contaminação da ferida experimental.
A atividade da acupuntura sobre neovascularização foi estudada por JANSEN et al. (1989). Estes autores constataram um aumento no
fluxo sangüíneo em flaps músculo-cutâneos de ratos, através da eletroacupuntura. Comparando tratamentos com eletroacupuntura e com os
neuropeptídeos SP e CGRP, verificaram que a borda circulatória do flap moveu-se distalmente 66%, 31% e 49%, respectivamente. O tratamento com
o bloqueador simpático reserpina não alterou o fluxo sangüíneo do flap. O mecanismo pelo qual a eletroacupuntura aumenta o fluxo sangüíneo e a
sobrevivência do flap ainda é desconhecido. Entretanto, têm sido sugeridas duas possíveis vias: (1) uma inibição de fibras nervosas
vasoconstrictoras simpáticas ou (2) a liberação de neurotransmissores nas terminações nervosas perifé- ricas de neurônios sensitivos primários de
pequeno diâmetro (fibras C ou A). Estes autores sugerem que a eletroacupuntura possui maior similaridade com os efeitos atingidos quando se
injeta nos flaps os neurotransmissores SP e CGRP do que o efeito obtido com o bloqueio dos neurônios vasoconstrictores simpáticos.
MEDEIROS et al. (1995) induziram úlceras gástricas em camundongos através de restrição alimentar ou da administração de
indometacina. Todos os animais foram submetidos a 24 horas de jejum e a avaliação de ocorrência de ulcerações gástricas foi feita 6 horas
após os tratamentos com
(I) indometacina (10mg/kg s.c.),
(II) acupuntura,
(III) indometacina + acupuntura, (IV) apenas jejum. A estimulação do acuponto Zuzanli com agulhas permanentes fixadas com cola
instantânea foi capaz de diminuir as ulcerações provocadas pelo jejum prolongado, mas não aquelas provocadas pelo antiinflamatório não esteroidal.
KENDALL (1989b) cita também que a eletroacupuntura no acuponto Zusanli (36E) em ratos pode promover reparo tecidual em úlceras gástricas,
reduzindo a área da úlcera.
GAVIOLLE (1999) estudou a ação da acupuntura sobre o fenômeno regenerativo induzido em girinos Rana catesbeiana submetidos à
amputação da cauda. Essa autora observou que a morfologia do tecido em regeneração dos girinos que receberam tratamento com acupuntura diferiu
significativa- mente dos animais não tratados.

Resposta imune
A seguinte afirmação: “A energia vital, dentro, a energia anormal, fora; se a energia anormal é vitoriosa, é porque a energia vital deve estar
insuficiente”, extraída do Livro de Medicina Inter- na, escrito há cerca de 2000 anos, indica que os chineses ancestrais já possuíam alguma noção
de imunidade (QINGLAN, 1991a).
O efeito da acupuntura e moxabustão (aquecimento da pele sobre o ponto do acupuntura com auxílio de um bastão de
moxabustão - Artemisia vulgaris - em brasa) sobre as funções imunológicas está intimamente relacionado ao local da estimulação. Uma diferença
significativa é notada quando são estimulados acupontos ou não-acupontos e também entre estímulos dados a diferentes acupontos. É uma
característica da acupuntura manter a função imunológica em um estado ótimo, regulando seus mecanismos. Em geral, a acupuntura pode
restaurar a homeostase de um organismo, diminuindo hiperfunções e ativando mecanismos em hipofunção. MENG (1992) classifica essa
situação como um efeito regulatório de dupla direção, mas essas ações dependem do estado de saúde do organismo em questão.
QINGLAN (1991a) em ampla revisão des- creveu que a acupuntura pode exercer efeito sobre a produção de anticorpos. Isso foi
demonstrado através do tratamento com acupuntura e moxabustão para diarréia bacteriana em macacos. O grupo tratado des- envolveu anticorpos
mais rapidamente, com título em dobro e mais persistente que o grupo controle. Também foi verificado que a eletroacupuntura e moxabustão reduziram
o número total de bactérias recuperadas no exsudato peritoneal de coelhos submetidos à peritonite infecciosa experimental, através do aumento de
anti- corpos fixadores de complementos, opsonizantes e aglutinantes. Em outro experimento observou-se que a moxabustão pode dobrar o título sérico
de aglutininas contra bacilo tifóide em coelhos.
Na mesma revisão sobre acupuntura- moxabustão-imunidade, QINGLAN (1991a) destaca que: 1) O número de leucócitos ou a fagocitose
po- dem estar aumentados nas seguintes situações: mo- xabustão no acuponto Mingmen (04VG) em camundongos e Baihui (20VG) e Shenshu
(23B) em coe- lhos; irradiação de laser de gás carbônico no acu- ponto Guanyuanshu (04VC) em coelhos e cabras; eletroacupuntura no
acuponto Housanli (36E) em cães; 2) o percentual de linfócitos T e a taxa de lin- fócitos esterase positivos aumentaram em camundongos
imunodeficientes submetidos à moxabustão no acuponto Guanyuan e em macacos com diarréia bacteriana submetidos a uma associação de
acupuntura com moxabustão; 3) eletroacupuntura no acuponto Neiguan em coelhos eleva as leucinas- encefalinas totais no cérebro e
sangue, enquanto a capacidade lítica das células NK (natural killer) sobre células alvo K562 também aumenta significativamente; 4) eletroacupuntura
em alta potência e por longos períodos pode induzir imunossupressão. Quando ratos são submetidos a essa técnica nos acupontos Housanli
(36E) e Sanyinjiao por 30 mi- nutos diariamente, durante 5 dias, é liberado um fator de imunossupressão. Este pode inibir a proliferação de
linfócitos T induzida por concanavalina A (Con A). O efeito é mais forte no quinto dia, desapa- recendo ao décimo dia. Essa imunossupressão não
parece estar relacionada ao ACTH e outros hormônios, nem aos receptores opióides.
Segundo o RESEARCH GROUP OF ACUPUNCTURE ANESTHESIA (1979), o efeito da eletroacupuntura no acuponto Hegu ou
Zusanli sobre a imunidade celular em setenta pacientes submetidos a operações cirúrgicas, variou de acordo com o status imunológico de cada
paciente. O teste de transformação blástica, o teste sheep eritrocyte (SE) roseta não ativo e o teste SE roseta ativo mostraram que ocorreu
estimulação da imunidade celular, principalmente em indivíduos com níveis baixos ou normais desta, enquanto naqueles com altos níveis de
imunidade celular, ocorreu um decréscimo. Isso sugere que essa técnica tem um efeito regulató- rio sobre a imunidade celular.
Segundo JINZHANG et al. (1979), eletroacupuntura (2Hz) no acuponto Housanli de coe- lhos não altera o número de linfócitos,
porém aumenta a formação de pregueamento de membrana, indicando presença de movimentação ativa, e também aumenta a taxa de
proliferação celular induzida por fito-hemaglutinina.
ZHENYA et al. (1979) observaram a capacidade de formação de roseta ativa e total e de transformação blástica de linfócitos em vinte
mulheres com hiperplasia mamária, antes e após o trata- mento com acupuntura. Os resultados demonstraram que a acupuntura foi capaz de
promover a formação ativa e total de roseta e também a transformação de linfócitos em linfoblastos.
O estímulo repetido com eletroacupuntura (2Hz) no acuponto 36E de cães sadios levou a um decréscimo nas células alfa-naftil-
acetato-esterase positivas (ANAE), no índice de estimulação de linfócitos que sofreram transformação blástica pela incubação com fito-hemaglutinina
e nas gama- globulinas séricas. Isso representa um decréscimo na resposta imunológica basal e, provavelmente, ocorre com envolvimento das células
T (KUDO et al.,1987).
KASAHARA et al. (1992) relatam a supressão da reação de hipersensibilidade do tipo tardia (RHTT) ao trinitroclorobenzeno (TNCB) através
da acupuntura em camundongos. Estes autores observaram em camundongos BALB/c, C57BL/6 e ddY uma significante supressão da RHTT
quando submetidos à acupuntura uma vez ao dia por três dias consecutivos ou após uma única aplicação antes do desafio com TNCB. A aplicação
das agulhas na região média do músculo femural (sham-acupuntura) não suprimiu a RHTT ao TCNB.
Em recente estudo sobre o efeito da acupuntura e moxabustão na hipersensibilidade induzida em cobaias e cães por carrapatos da
espécie Rhipicephalus sanguineus, SCOGNAMILLO- SZABÓ (1999) observou que a moxabustão, aplicada na fase de sensibilização em
cobaias, prolongou a reação tardia ao teste cutâneo de hipersensibilidade e diminuiu onúmero de osinófilos no local, ambos de forma
significativa. Além disso, a acupuntura, realizada durante a Manifestação de reação de hipersensibilidade imediata induzida por antígenos do
carrapato em cães, foi capaz de diminuir a intensidade da reação de maneira significativa.

Outras aplicações da acupuntura


Tem sido demonstrado experimental- mente que a colocação de agulhas no filtro nasal de gatos aumenta a resistência ao choque
hipovolêmico e que, acupuntura no acuponto 26 do canal do Vaso- Governador (26VG) aumenta a oxigenação tecidual em cérebros de ratos. A
estimulação deste mesmo acuponto em cães levemente anestesiados com halotano aumenta o débito cardíaco, freqüência cardíaca, pressão
arterial média e diminui a resistência periférica total (ALTMAN, 1979).
A acupuntura também foi avaliada em ex- perimentos com estresse agudo por contenção. GUIMARÃES et al. (1997) avaliaram o
efeito da acupuntura nos acupontos 06BP, 36E, 17VC, 06CS, 20VG durante um período de imobilização de 60 minutos em ratos Wistar, utilizando
como parâmetros cardiovasculares pressão arterial e freqüência cardíaca e análise de comportamento. Os resultados obtidos sugerem que a
acupuntura aplicada durante o estresse agudo por contenção atenua alguns comportamentos envolvidos na reação de luta ou fuga característica
do estresse, de maneira independente dos parâmetros cardiovasculares avaliados.
TOUGAS et al. (1992) demonstraram que a acupuntura é capaz de reduzir, durante 30min, a secreção ácida do estômago em
voluntários sadios do sexo masculino. ASAMOTO & TAKESHIGE (1992) estudaram o efeito da acupuntura sobre o apetite. Observaram que a
implantação de agulhas nos acupontos auriculares correspondentes ao piloro, pulmão, traquéia, estômago, esôfago, sistema endócrino e coração
reduziu o ganho de peso em ratos obesos. Segundo estes autores, isso poderia ocorrer pelo efeito da acupuntura exercido sobre o núcleo ventro-
medial, pois a estimulação de regiões específicas do pavilhão auricular de ratos (aurículo-acupuntura) é capaz de evocar potenciais no núcleo
hipotalâmico ventro-medial, o centro da saciedade. FARBER et al. (1996) avaliaram a utilização da acupuntura auri- cular como tratamento da
obesidade em pacientes humanos. O estímulo dos acupontos auriculares Shen Men, estômago, cárdia, subcórtex (interno) levou à diminuição
significativa do peso nas pessoas tratadas, com grandes variações individuais. Estes autores concluem que a acupuntura é moderada- mente eficaz
como auxiliar no tratamento da obesidade.
Em uma revisão sobre o uso de neuroestimulação para o tratamento de angina pectoris, COLQUHOUM (1993) defende o uso regular de
estimulação elétrica transcutânea (transcutaneal electrical nerve stimulation – TENS), baseado no fato de essa técnica aliviar os sintomas e
melhorar a performance sem induzir a chamada isquemia silenciosa (alívio da dor sem prevenção da isquemia). Estes resultados são observados a
curto e longo prazo.
Em pacientes vítimas de acidente vascular cerebral (AVC), a acupuntura é capaz de promover uma melhora funcional mais intensa que os
métodos usuais de fisioterapia. JOHANSSON et al. (1993) estudaram 78 pacientes com hemiparesia severa, tanto direita quanto esquerda, e
observaram que aqueles que receberam o estímulo sensitivo se recuperaram mais rapidamente e de forma mais intensa que os controles, com uma
diferença significativa no equilíbrio, mobilidade, atividades da vida diária, qualidade de vida e dias dispendidos no hospital ou com cuidados de
enfermeiras no domicílio.
YAO (1993) estudou o efeito pressor da acupuntura em animais hipotensos. Ratos com hipotensão hemorrágica, ou seja, com pressão
arterial média (PAM) correspondente a 60% do valor controle antes da indução da hemorragia, tiveram a PAM elevada a 80% da PAM controle,
após aplicação de eletroacupuntura. Houve também um aumento significativo da atividade do nervo esplênico, ou seja, inibição da resposta
depressora pós- estimulatória atribuível à inibição simpática.
A eletroacupuntura é capaz de diminuir os níveis de emocionalidade em camundongos. A aplicação de eletroacupuntura nos acupontos
36E e 06BP em camundongos observados em campo aberto e em labirinto em cruz elevado aumentou significativamente a porcentagem
de locomoção central em relação à locomoção total, indicando um efeito ansiolítico da eletroacupuntura (SILVA et al., 1996). Comparando as técnicas
de estimulação do acuponto Zuzanli (36E) com agulha permanente fixada com cola instantânea ou fazendo a contenção do animal e utilizando
agulha simples, os mesmos autores observaram que em camundongos em jejum, normoalimentados ou atropinizados, a técnica da agulha
permanente não alterou ou não reduziu de forma significativa o trânsito gastrintestinal. Porém, reduções significativas foram observadas em ani-
mais sob contenção e acupunturados (MEDEIROS et al., 1996)
COSTA et al. (1996) avaliaram o efeito da acupuntura sobre a indução de estro em éguas puro sangue inglês virgens que
apresentavam retardo no aparecimento de estro na estação de monta. A taxa de prenhez à primeira cobertura foi de 88,88% para o grupo tratado e de
58,33% para os animais do grupo controle não tratado. A taxa de prenhez geral, incluindo todas as coberturas foi de 88,85% para o grupo tratado e de
83,33% para o grupo controle não tratado. Com os resultados obtidos, estes autores concluíram que a acupuntura é uma alternativa para auxiliar o
tratamento de éguas que não apresentam ciclo estral no início da estação de monta. ALVARENGA et al. (1998, 1998a) avaliaram o efeito luteolítico da
aplicação de microdoses (um décimo da dose mínima recomendada) de PGF2 no acuponto Bai Hui em éguas durante a fase luteínica e
verificaram ser a microdose tão eficaz quanto a aplicação da dose convencional por via intra-muscular. Por outro lado, a injeção de água destilada no
mesmo ponto não produziu efeito luteolítico (LUNA et al., 1999).

CONCLUSÕES
Como se observa, apesar da eficácia demonstrada em várias situações, a carência nas bases científicas da acupuntura ou na compreensão
de sua linguagem têm restringido seu uso. A pesquisa da acupuntura reveste-se portanto de grande interesse, na medida em que poderá traduzir
estes conheci- mentos milenares, contribuindo para sua aceitação e incorporação. Ao mesmo tempo, poderá colaborar com avanços na medicina de
forma geral, e da neurofisiopatologia em especial. De qualquer forma, o bem-estar humano e animal será beneficiado.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ABEL, M.N.C. Modulação da permeabilidade vascular pela solução hipertônica de cloreto de sódio. São Paulo, 1985. 83p. Tese
(Doutorado em Patologia Experimental e Comparada) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, 1995.
ABOLAFIA, A.J.A., SUMANO, H., NAVARRO, R., et al. Evaluación del efecto cicatrizante de la acupuntura. Veterinaria Mexico,
v.16, p.27-31, 1985.
ALTMAN, S. Acupuncture as an emergency treatment. California veterinarian, v.15, n.1, p.6-8, 1979.
___. Terapia pela acupuntura na clínica de pequenos animais. In ETTINGER, S.J. Tratado de medicina interna veterinária: moléstias do cão e
do gato. 3ed. São Paulo: Manole, 1992, V.1, p.454-459.
___. Acupuncture therapy in small animal practice. The Compendium on Continuing Education for Practicing Veterinarian, v.19, n.11,
p.1233- 1245, 1997.
ALVARENGA, M.A., FERREIRA, J.C.P., MEIRA, C., et al. Induction of luteolysis in mares utilizing a micro-dose of prostaglandin in the
sacral lumbar space (bai hui acupoint). In: ANNUAL INTERNATIONAL CONGRESS ON VETERINARY ACUPUNTURE, 24, 1998a, Taipei.
Abstracts... Taipei : Scientifc Editions, 1998. p.169-171.
ALVARENGA, M.A., FERREIRA, J.P.C., MEIRA, C., et al. Induction of luteolysis in mares utilizing a micro-dose of prostaglandin F2
in the sacral lumbar space. Equine Veterinary Science, v.18, n.3, p.167-168, 1998a.
ANDERSSON, S. The functional background in acupuncture effects. S candinavian Journal of Rehabilitation Medicine, suppl 29, p.31-60,
1993.
ASAMOTO, S., TAKESHIGE, C. Activation of the saciety center by auricular acupuncture point stimulation. Brain Research Bulletin,
v.99, p.157-164, 1992.
BANNERMAN, R.H. Acupuntura: a opinião da OMS. Revista Saúde do Mundo (OMS), dezembro, p.23-28, 1979.
BANNERMAN, R.H. The World Health Organization viewpoint on acupuncture. American Journal of Acupuncture, v.8, n.3, p.231-235, 1980.
BRASIL. Resolução 625, 16 mar. 1995. Dispões sobre o Registro de título de especialista no âmbito dos Conselhos Regionais de Medicina
Veterinária. Diário Oficial da União, Brasília, v.133, n.77, p.5694, 1995.
CIGNOLINI, ª Problems of teaching and diffusion of chinese acupuncture in Europe. Journal of Traditional Chinese Medicine, v.10, n.1,
p.9-12, 1990.
COLQUHOUN, D.M. Eletcrical neuroestimulation for angina pectoris. The Medical Journal of Australia, v.158, n.4, p.440-441, 1993.
CORREA,P., ARIAS-STELLA,J., TAMAYO, R.P. et al. Texto de patología. México : La Prensa Médica Mexicana, 1970. 1282p.
COSTA, M.M., MARTINS, A.V., SANTOS, M.R.C., et al. Utilização da acupuntura veterinária no tratamento de éguas com anestro
prolongado. In: CONGRESSO PANAMERICANO DE CIÊNCIAS VETERINÁRIAS, 15, 1996. Campo Grande, MS. Anais... Campo Grande, 1996.
p.227.
COTRAN, R.M., KUMAR, V., ROBBINS, S.L. Robbins: pathologic basis of disease. 5.ed. Philadelphia : Saunders, 1994. 1397p.
FARBER, P.L, TIMO-IARIA, C. Acupuntura e sistema nervoso. Jornal Brasileiro de Medicina, v.67, n.5-6, p.125-131, 1994.
FARBER, P.L., MORAN, C.M., L.I, H.Y., D´ELLIA, F.L.G.M., et al. Acupuntura auricular como auxiliar no tratamento da obesidade: estudo
simples-cego, randomizado e placebo- controlado. Revista Médico-Científica de Acupuntura, v.1, n.2, p.5-8, 1996.
GAVIOLLE, M.C. Modelo experimental para o estudo da interação entre acupuntura e o fenômeno regenerativo induzido em caudas
de girinos de Rana catesbiana (SHAW, 1802). São Paulo, 1999. 105p. Tese (Doutorado em Patologia Experimental e Comparada) -
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, 1999.
GUIMARÃES, C.M., PINGE, C.M.C., YAMAMURA, Y., et al. Effects of acupuncture on behavioral, cardiovascular and hormonal responses
in restraint-stressed Wistar rats. Brazilian Journal of Medical Biological Research, v.30, n.12, p.24-27, 1997.
GUNN, C.C., DITCHBURN, F.G., KING, M.H., et al. Acupuncture loci: a proposal for their classification according to their
relationship to known neural structures. American Journal of Chinese Medicine, v.4, n.2, p.183-195, 1976.
HWANG, Y.C. Anatomy and classification of acupoints. Problems in Veterinary Medicine, v.4, n.1, p.12-15, 1992.
JAGGAR, D. History and basic introduction to veterinary acupuncture. Problems in Veterinary Medicine, v.4, n.1, p.13-15, 1992
JANSEN, G., LUNDEBERG, T., KJARTANSSON, J. et al Acupuncture and sensory neuropeptides increase cutaneous blood flow in
rats. Neuroscience Letters, v.97, p.305-309,1989.
JINZHANG, Z., ZONGHUI, W., RU,Z. Experimental studies of electroacupuncture on cell-mediated immune response of rabbit. In:
NATIONAL SYMPOSIUM OF ACUPUNCTURE, MOXIBUSTION AND ACUPUNCTURE ANAESTHESIA, Beijing, 1979. Abstracts... Beijing : Beijing
Agricultural University, 1979. p.510.
JOHANSSON, K., LINDGREN, I., WIDNER, H., et al. Can sensory stimulation improve the functional outcome in stroke patients?
Neurology, v.43, p.2189-2192, 1993.
KASAHARA, T., WU, Y., SAKURAI, Y., et al. Suppressive effect of acupuncture on delayed type hypersensitivity to
trinitrochlorobenzene and involviment of opiate receptors. International Journal of Immunopharmacology, v.14, n.4, p.661-665, 1992.
KENDALL, D.E. A scientific model for acupuncture. Part I. American Journal of Acupuncture (California), v.17, n.3, p.251-268, 1989.
___. A scientific model for acupuncture. Part II. American Journal of Acupuncture (California), v.17, n.4, p.342-360, 1989b.
KUDO, T., KATO, Y., MASUNO, H., et al. The effect of repeated acupuncture stimulation on canine lynphocyte response.
Japanese Journal of Veterinary Science, v.49, n.6, p.1009-1013, 1987.
LUNA, S.P.L., JOAQUIM, J.G., MINICHELLI, M., et al. The role of bai hui accupoint for induction of luteolysis in mares. In: ANNUAL
INTERNATIONAL CONGRESS ON VETERINARY ACUPUNTURE, 25, 1999. Lexington, Kentucky, EUA. Abstracts... Lexington, 1999. p.P29-
P31.
LUNDEBERG, T. Peripheral effects of sensory nerve stimulation (acupuncture) in inflammation and ischemia. Scandinavian
Journal Rehabilitation Medicine, suppl. 29, p.61-86, 1993.
MA, H. The effect of acupuncture in the content of substance P in serum of gravida during delivery. Chen Tzu Yen Chiu, v.17, n.1, p.65-66,
1992.
MANN, F. Acupuntura: a antiga arte chinesa de curar. São Paulo : Hemus, 1971. 208p.
MEDEIROS, M.A., COSTA, E.A., REIS, L.C., et al.. Influência do acuponto Zuzanli na função gastrintestinal em camundongos. In:
REUNIÃO ANUAL DA FEDEREÇÃO DE SOCIEDADES DE BIOLOGIA EXPERIMENTAL, 11, 1996, Caxambu. Resumos... Caxambu : FESBE,
1995, p.874.
MENG, C. Present status of reserach abroad concerning the effect of acupuncture and moxibustion on immunologic functions.
Journal of Traditional Chinese Medicine (Beijing), v.12, n.3, p.211-219, 1992.
MÖLLER, A., LIPPERT, U., LESSMAN, et al. Human mast cells produce IL-8. The Journal of Immunology, v.151, n.6, p.3261-3266, 1993.
PEREZ-TAMAYO, R. Introducíon a la patología. 2. ed. Buenos Aires : Médica Panamericana, 1986. 669p.
QINGLAN, W. Research on animal acupuncture-moxibustion immunity. In: WORLD VETERINARY CONGRESS, 24, 1991a, Rio de
Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 1991. p.57.
____. Studies of the regulatory effects of acupuncture on Yin- Yang equilibrium. In: WORLD VETERINARY CONGRESS, 24 1991a Rio
de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 1991. p.59.
RESEARCH GROUP OF ACUPUNCTURE ANESTHESIA. Effect of electroacupuncture on cell-mediated immunity in human body. In:
NATIONAL SYMPOSIUM OF ACUPUNCTURE, MOXIBUSTION AND ACUPUNCTURE ANAESTHESIA, 1979, Beijing. Resumes... Beijing,
1979. p.510.
RISTOL, E.G.-A. Acupuntura y neurología. Revista de Neurología (Barcelona), v.25, n.142, p.894-898, 1997.
ROCHA e SILVA, M., GARCIA LEME, J. Chemical mediators of the acute inflammatory reaction. Oxford : Pergram, 1972. 425p.
SARIA, A, LUNDBERG, J.M. Neurogenic inflammation. In: INFLAMMATORY MEDIATORS - SATELLITE SYMPOSIA OF THE 9TH
INTERNATIONAL CONGRESS OF PHARMACOLOGY, 1995, London. Annals... London, 1995. p.73-84.
SCHIPPERS, R. The history of veterinary acupuncture and moxibustion outside China. Hannover, 1993. 81p. Thesis (PHD) -
Tierärztliche Houchschule (Escola Superior de Veterinária de Hannover), Hannover, 1993.
SCHOEN, A.M. Introduction to veterinary acupuncture: scientific basis and clinical aplications. In: ANNUAL CONVENTION OF THE
AMERICAN ASSOCIATION OF EQUINE PRACTIONERS, 39, 1993. California. Proceedings... California, 1993. p.39.
SCOGNAMILLO-SZABÓ, M.V.R. Efeito da acupuntura sobre a reação inflamatória imune a carrapatos Rhipicephalus sanguineus
(Latreille, 1806) em cobaias (Cavia porcellus) e cães. Jaboticabal, 1999. 115p. Dissertação (Mestrado em Patologia Animal) - Faculdade
de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, 1999.
SILVA, Y.M., TABOSA, A., YAMAMURA, Y., et al.. Efeitos da eletroacupuntura no comportamento de camundongos observados no
campo aberto e no labirinto em cruz elevado. In: REUNIÃO ANUAL DA FEDERAÇÃO DE SOCIEDADES DE BIOLOGIA EXPERIMENTAL, 11, 1996,
Caxambu. Anais... Caxambu, 1996. p.17.
SIN, Y.M. Effect of different waveforms on acute pleurisy during electrical acupuncture. American Journal of Acupuncture, v.14,
n.1, p.39-42, 1986.
SIN, Y.M., GWEE, M.S., LOH, M.S. Electric acupuncture on carrageenan-pleurisy: comparative study using various body regions for
stimulation. American Journal of Acupuncture, v.12, n.4, p.355-358, 1984.
STANDARD international acupuncture nomenclature: memorandum from a WHO meeting. Bulletin of World Health Organization (Genevre),
v.68, n.2, p.165-169, 1990.
TOUGAS, G., YUAN, L.Y., RADAMAKER, J.W., et al. Effect of acupuncture on gastric acid secretion in health male volunteers.
Digestive Diseases and Sciences, v.37, n.10, p.1576-1582, 1992.
YAO, T. Acupuncture and somatic nerve stimulation: mechanism underlying effects on cardiovascular and renal activities. Scandinavian
Journal of Rehabilitation Medicine, suppl. 29, p.7-18, 1993.
WU, D.Z. Acupuncture and neurophisiology. Clinical Neurology and Neurosurgery, v.92, n.1, p.13-25, 1990.
WEN, T.S. Acupuntura clássica chinesa. 2.ed. São Paulo: Cultrix, 1989. 225p.
ZHAO, F., ZHU, L. [Therapeutic effects of acupuncture on acute experimental arthritis in rats]. Chen Tzu Yen Chiu, v.15, n.3, p.197-202,
1990.
___. [Effect of electroacupuncture on neurogenic inflammation] Chen Tzu Yen Chiu, v.17, n.3, p.207-211, 1992.
ZHENYA, M., HONG, C., ZENGXIN, Y. Experimental observations on cellular immunological function under the influence of
acupuncture. In: NATIONAL SYMPOSIUM OF ACUPUNCTURE, MOXIBUSTION AND ACUPUNCTURE ANAESTHESIA, 1979, Beijing, Abstracts...
Beijing, 1979. p.511.

Reversão de paralisia em cão da raça Dachshund com tratamento


por acupuntura - Relato de caso.
Lourenço, R.; Gouvêa, A.H. Macedo; Ramalho, M.F.Pereira Di-Tanno. Reversão de paralisia em cão da raça Dachshund com tratamento
por acupuntura - Relato de caso.

Resumo
A medula espinhal de cães pode ser comprometida por lesões da coluna vertebral e tecidos adjacentes, freqüentemente levando a distúrbios
neurológicos e locomotores.A acupuntura é um método terapêutico da Medicina Tradicional Chinesa, que tem mostrado eficiência no tratamento de
patologias do disco intervertebral em caninos.Este relato descreve a utilização da Acupuntura em um cão macho, da raça Dachshund, de 6 anos de
idade com paralisia de membros posteriores. O exame clínico do animal revelou presença de percepção de dor profunda, porém com perda
completa da propriocepção consciente dos membros posteriores. Foram realizadas 8 sessões de acupuntura diárias sendo o início de recuperação por
ocasião da quinta sessão Após essa fase inicial do tratamento, foram realizadas mais 5 sessões em dias alternados. As agulhas foram posicionadas
bilateralmente ao longo do meridiano da bexiga, dos pontos B23 ao B26-2, e mantidas por cerca de vinte minutos .O animal apresentou recuperação
satisfatória, voltando a se locomover.

Palavras-chave: Acupuntura, doença do disco intervertebral, paralisia, dachshund.

Introdução
A doença do disco intervertrebral é a causa mais freqüente de paralisia em cães e gatos. Sua ocorrência varia em diferentes idades e raças.
As raças condrodistróficas (Dachshund, Lhasa-Apso, Pequinês), normalmente apresentam a ruptura destes discos com perda de substância gelatinosa
levando a compressão medular (Lecouteur e Child, 1992). Nestas raças, a região toracolombar da medula espinhal é a mais afetada em cães de meia
idade (Fenner, 2003). Dentre os animais das raças condrodistróficas, os cães da raça Dachshund, como o tratado neste relato, possuem menor espaço
epidural, sendo por este motivo, os que apresentam sintomas clínicos mais severos, mesmo quando pequenas quantidades aparentes de material
discal é extrudado. A extrusão do disco pode levar à distorção mecânica e à compressão de medula espinhal aguda ou crônica (Lecouteur e Child, 1992).
Segundo Fenner (2003), a maioria dos casos de lesão da medula espinhal na medicina veterinária relaciona-se à compressão das vértebras espinhais
ou de suas estruturas de suporte.
A gravidade da lesão à medula espinhal depende da velocidade com que é aplicada a força compressiva, grau de compressão e a duração
desta compressão. Os principais sintomas clínicos observados comumente nas discopatias toracolombares são: dificuldade de locomoção, dor
abdominal ou dorsal aparente, paralisia dos membros, podendo chegar a perda de percepção da dor profunda e incontinência urinária e/ou fecal
(Lecouteur e Child, 1992).
O diagnóstico é baseado na anamnese, exame clínico neurológico, radiografias e mielografias. O prognóstico da doença do disco toracolombar
depende da gravidade e da duração dos sinais antes do início da tratamento. Os animais com paralisia possuem prognóstico pior do que aqueles com
dor e marcha anormal. Os animais que perdem a sensação de dor profunda apresentam prognóstico reservado a mau e podem não recuperar a função
(Fenner, 2003).
O tratamento das discopatias varia com a gravidade da lesão e podem ser conservativos ou cirúrgicos. O tratamento conservativo
tradicional preconiza o repouso e o uso de antiinflamatórios. A remoção cirúrgica da porção extrudada do disco que se encontra comprimindo a medula é a
opção terapêutica em animais com quadro mais grave. A acupuntura surge como opção terapêutica alternativa de grande importância neste contexto.
Joaquim (2005) evidencia que, com base em estudos clínicos, a acupuntura pode ser eficiente no tratamento de doenças do disco intervertebral
em cães, sendo utilizada no alívio da dor, na normalização da função motora e sensorial e nos distúrbios de micção. Nestes casos, diferentes métodos de
estimulação podem ser utilizados, porém os mecanismos pelos quais a acupuntura trata as doenças de disco e outras afecções medulares ainda não
são totalmente compreendidos.

Relato de caso
Foi avaliado um cão macho, da raça Dachshund, de 6 anos de idade com paralisia de membros posteriores. Segundo informações do
proprietário o animal estava sendo tratado por um colega há cerca de 3 semanas, sem sucesso. O exame clínico do animal revelou presença de percepção
de dor profunda, porém com perda completa da propriocepção consciente dos membros posteriores. O exame radiográfico revelou presença de osteófito
em face dorsal de T9, diminuição de espaço intervertebral entre T9 e T10 e presença de esclerose óssea em T10, em face dorsal da vértebra. Foram
realizadas 8 sessões de acupuntura diárias (figura 1), sendo o início de recuperação por ocasião da quinta sessão (figura 2). Após essa fase inicial do
tratamento, foram realizadas mais 5 sessões em dias alternados.As agulhas foram posicionadas bilateralmente ao longo do meridiano da bexiga, dos
pontos B23 ao B26-2, e mantidas por cerca de vinte minutos (figura 3).

Figura 4: Fotografia do animal após a última sessão de acupuntura. O animal é capaz de posicionar-se em estação e caminhar sem sinal de dor.
Figura 2: Fotografia do animal na quinta sessão de acupuntura. O animal já apresenta início de propriocepção consciente.

Figura 3: Ilustração topográfica dos pontos do meridiano da bexiga no cão. As chaves indicam os pontos utilizados durante a terapia no presente
relato. Adaptada de Draehmpael, 1994.
Discussão e Conclusão
Consideramos o animal curado quando foi capaz de andar novamente e ter uma vida normal, sem seqüelas. Após um ano o animal
preservava os benefícios do tratamento. Os pontos de acupuntura utilizados neste relato estão indicados pela maioria dos autores para tratar doenças
medulares compressivas (Janssens, 1992; Janssens e Rogers, 1989; Schoen, 1992), estando, portanto, o resultado obtido neste relato, em
concordância com a literatura especializada. Infelizmente, ainda hoje muitos cães são sacrificados inutilmente por apresentarem alguma deficiência
locomotora. O desconhecimento dos proprietários e médicos veterinários sobre opções alternativas de terapêutica concorrem para esta triste constatação.
Com certeza alguns destes animais poderiam ter uma chance de recuperação com o uso de uma técnica simples e de baixo custo como a acupuntura.

Referências Bibliográficas
Draehmpael, D. Acupuntura no cão e no gato: princípios básicos e prática científica. São Paulo. Ed. Roca, 1994.
Fenner, W.R. Distúrbios neurológicos. In:______Consulta rápida em clínica veterinária. (Ed. Guanabara Koogan). 3ª. Ed., Rio de Janeiro, 2003, pág.
411.
Janssens L.A. Acupuncture for the treatment of thoracolumbar and cervical disc disease in the dog. Probl. Vet. Med. 4(1): 107-16, 1992.
Janssens L.A.; Rogers P.A. Acupuncture versus surgery in canine thoracolumbar disc disease. Vet. Rec. 124(11):283, 1989.
Joaquim, J.G.F. Acupuntura no Tratamento das Afecções Medulares. Anais 5º Congresso Paulista de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais
2005, São Paulo, SP, pág.55, Out.2005.
Lecouter, R.A. e Child, G. Moléstias da medula espinhal. In: Ettinger, S.J. (Editora Manole Ltda). Tratado de medicina interna veterinária, 3a. ed., vol. 2,
São Paulo, pag. 695-704.
Schoen A.M. Acupuncture for musculoskeletal disorders. Probl. Vet. Med. 4(1):88-97, 1992.
ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO
CURSO DE ACUPUNTURA DO CENTRO INTEGRADO DE TERAPIAS ENERGÉTICAS
Rosângela Rosa de Souza
Recife/2007
Orientador Drº Heitor Casado

SUMÁRIO
1 - INTRODUÇÃO
2 - CONCEITO DE ACUPUNTURA
3 - A HISTÓRIA DA ACUPUNTURA
3.1 - A Acupuntura no Brasil
3.2 - Registros Cronológicos
4 - A HISTÓRIA DA DEPRESSÃO
4.1 - Conceito de depressão na visão da medicina ocidental
4.2 - Classificação dos 6 principais tipos de depressão na Medicina Ocidental
4.3 - Fatores de risco para depressão
4.4 - Conceito da depressão na visão da Medicina Tradicional Chinesa
4.5 - Classificação dos 5 principais tipos de depressão na medicina tradicional chinesa
4.6 - Pontos indicados e importantes no tratamento da depressão em geral
5 - O TRATAMENTO DA DEPRESSÃO PELA ACUPUNTURA
6 - CONCLUSÃO
7 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
8 – ANEXOS

1 - INTRODUÇÃO
Em nenhum momento da história da humanidade a busca pela integração corpo e mente se fez tão presente, como atesta, em escala
mundial, a avalanche de literatura sobre alternativas terapêuticas, buscando proporcionar melhor qualidade de vida. Embora a preocupação por uma
saúde integral e harmônica, conforme definido pela Organização Mundial de Saúde, ou seja, o completo bem-estar - físico, psíquico e social e não
simplesmente a ausência de doença - seja tão antiga quanto o homem, o terceiro milênio parece ter-se iniciado com a esperança e com o desejo de
se viver mais, porém de forma digna, independente e sem as contínuas mazelas que acometem o ser humano ao longo de seu desenvolvimento. É
evidente que proporcionar saúde física e mental constitui uma tarefa bastante árdua, em virtude das inúmeras variáveis presentes na determinação de
melhor condição de vida à população, como o acesso à informação, à educação, às boas condições de moradia e outras que sempre fazem parte
das promessas políticas e que infelizmente, em nosso meio, são pouco cumpridas. A despeito dos inegáveis avanços da ciência em todas as áreas do
conhecimento, onde os estudos têm propiciado maior expectativa de vida humana na maior parte das culturas, a falta de saúde tanto física quanto
mental é ainda um dos problemas que insistem em desafiar os estudiosos, os especialistas e os responsáveis por políticas públicas na busca
de soluções eficazes e eficientes, capazes de serem implementadas para um grande número de pessoas. Nesse sentido, a organização Mundial da
Saúde (OMS) reconhece o uso da acupuntura para vários tipos de patologias, como, por exemplo, enxaquecas, depressão, problemas gastro-
intestinais, alergias e dores diversas. Além disso, vários estudos têm demonstrado que a acupuntura apresenta uma influência profunda sobre os
problemas emocionais e mentais, sendo recomendável a combinação dessa técnica com outros tratamentos. Desse modo, é interessante que
possamos conhecer os pressupostos básicos da acupuntura, um dos recursos terapêuticos utilizados pela milenar medicina tradicional chinesa que,
por meio de um profundo conhecimento filosófico e de ricas alegorias, demonstra a importância da visão holística, onde o homem e a natureza se
encontram interligados ao universo, contrapondo-se à excessiva mecanização e racionalidade do paradigma cartesiano-newtoniano. Assim, o
objetivo da presente monografia é demonstrar que a acupuntura pode ser mais um recurso terapêutico, para o terapeuta ocupacional no tratamento
da depressão e possibilitar mais um instrumento e técnica bem como o uso do conhecimento desta para identificar e tratar de doenças em
sua prática diária.
2 - CONCEITO DE ACUPUNTURA
A acupuntura é uma das técnicas da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) usadas para tratamento de desequilíbrios energéticos,
funcionais e orgânicos.um método terapêutico antigo, utilizado há aproximadamente 5000 anos no oriente. Foi criada na China, sendo mais tarde
incorporada ao arsenal terapêutico da medicina em outros países orientais como o Japão, Coréia e Vietnã. A palavra acupuntura origina-se do
latim, sendo que acus significa agulha e punctura significa puncionar. A acupuntura se refere, portanto, à inserção de agulhas através da pele nos
tecidos subjacentes em diferentes profundidades e em pontos estratégicos do corpo para produzir o efeito terapêutico desejado. Mas, na
verdade, acupuntura é uma tradução incompleta da palavra chinesa Jin Huo (ou Tsen Tsio) que significa metal e fogo. Para tornar uma longa história
curta: os pontos de acupuntura distribuídos pelo corpo podem ser puncionados com agulhas ou aquecidos com o calor produzido pela queima da erva
Artemisia vulgaris, (mais conhecida como moxa ou moxabustão). Podem ainda ser estimulados por ventosas, pressão, estímulos elétricos e, mais
recentemente, lasers. Acupuntura e moxabustão fazem parte da chamada Medicina Tradicional Chinesa que inclui ainda uma fitoterapia
bastante sofisticada. Os chineses, ao longo destes milhares de anos, descreveram cerca de 1.000 pontos de acupuntura, dos quais 365 foram
classificados em catorze grupos principais. Todos os pontos que pertencem a um dos grupos são ligados por uma linha imaginária na superfície do
corpo denominada meridiano. Os doze meridianos principais controlam o pulmão, o intestino grosso, o estômago, o baço, o coração, o
intestino delgado, a bexiga, o rim, o pericárdio, o “triplo-aquecedor”, a vesícula e o fígado. Existem também dois meridianos localizados no
centro do corpo, um que passa pela frente e outro pelas costas. Todos os pontos de acupuntura ao longo destes meridianos afetam o órgão
mencionado, mas não necessariamente da mesma maneira. Para os chineses tradicionais, nosso organismo é formado de matéria e energia e é
justamente a parte energética, a força vital ou Chi que circularia nestes meridianos e todas as doenças seriam conseqüentes a um distúrbio da circulação
do Chi. Embora este conceito tenha norteado a prática da acupuntura ao longo destes milhares de anos é um pouco metafísico demais para ser
compreendido e aceito pelo mundo científico atual. O objetivo da acupuntura é favorecer, através dos estímulos produzidos pelas agulhas, que o
organismo crie condições internas para retorno de seu equilíbrio e alivio de suas desordens, sem o emprego da ingestão de drogas. Isto leva a outras
vantagens que é a ausência de efeitos colaterais. A eficácia e eficiência dos resultados são complementadas por uma seqüência de orientações
importantes: alimentação, o tipo e a hora em que deve ser ingerida, a prática de exercícios como o tai chi chuan e massagens, que visam facilitar a
circulação da energia do corpo.

3 - A HISTÓRIA DA ACUPUNTURA
A acupuntura, conforme anteriormente especificado, está inserida no conjunto de técnicas relativas à medicina tradicional chinesa (MTC), que
busca compreender e tratar as doenças a partir de uma visão integradora entre o corpo e a mente. Remota ao primórdio da civilização chinesa
a qual abrangem uma gama de modalidades de terapias todas atribuídas a alguns imperadores de uma época lendária, embora se tenha tido
descobertas arqueológicas. as primeiras informações sobre a técnica vieram através de uma coleção de manuscritos chineses do século XVIII a.C. - O Nei
Jing (Nei Ching), comumente conhecido como o Tratado do Imperador Amarelo, uma figura mitológica que conversa com os seus médicos, revelando os
dogmas da medicina chinesa.

3.1 - A Acupuntura no Brasil


O desenvolvimento da acupuntura no Brasil se deu através de duas vertentes básicas: os imigrantes orientais, principalmente chineses
e japoneses, que se estabeleceram de preferência no sul e sudeste do país; e o Prof. Frederico Spaeth, que na década de 50 chegou ao Brasil
procedente da Europa, e que, como conhecedor da Acupuntura, em pouco tempo fez uma grande clientela. Em decorrência dos resultados alcançados
por Spaeth, não demorou para que vários médicos se sentissem atraídos pela acupuntura. Assim, paulatinamente vários profissionais foram se
unindo ao Prof. Spaeth, e, em algum tempo, se formou o primeiro grupo de acupuntura organizado no país. No Brasil a história da acupuntura sempre
envolveu certa aura de mistério, tais as marcantes diferenças existentes entre a Medicina Tradicional Chinesa e a ocidental. Hoje a milenar terapia das
agulhas, que já foi taxada inadvertidamente até como charlatanismo e curandeirismo, é reconhecida por oito Conselhos Federais de Saúde
como especialidade. Reconhecimento este, plenamente legitimado, pelo imenso apoio popular e ações governamentais obtidas em nosso país.

3.2- Registros Cronológicos


Antes de 1500: registros históricos comprovam que os índios brasileiros já praticavam técnicas rudimentares muito semelhantes à
Acupuntura Clássica Chinesa, antes da chegada de Pedro Álvares Cabral, através da implantação de espinhos no corpo. 1812: A história da imigração
chinesa para o país remonta ao ano de 1812 quando, por sugestão do Conde de Linhares, D. João VI autorizou a entrada de 2.000 chineses..
Trouxeram com eles a sua medicina tradicional chinesa. 1895: Com o final do Período Feudal no Japão, muitos ficaram sem trabalho. O governo decide
incentivar a saída do país de seus cidadãos. Foi firmado o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre Brasil e Japão. 1904: Foi fundada em Belo
Horizonte a Liga de Pesquisa em Acupuntura da Escola Superior de Ensino do Instituto Brasil-China de Acupuntura, tendo como presidente o
acupunturista Professor Antônio Ferreira Lago. A documentação de fundação da Liga, esteve desde 1928 sob a guarda do Arquivo Público Mineiro,
recentemente encontra-se sob a guarda do Arquivo Público da cidade de Belo Horizonte. Tudo indica ser esta a primeira instituição a unir acupunturistas
não-médicos em todo o Brasil. 1930: O diplomata francês Soulié de Morant começa a divulgar mais intensamente a Acupuntura em sua terra
natal. Dali ela se espalhará pela Europa e Américas. Posteriormente, pelo fato de não ser médico, foi perseguido por alguns ex-alunos
médicos. Enquanto isso no Brasil os acupunturistas de origem oriental, por não dominarem o nosso idioma, tinham dificuldades de ensinar a
acupuntura e as terapias orientais em português, tornando-as restritas à colônia oriental. 1947: No Japão apenas os acupuntores aprovados no exame
de qualificação nacional organizado pelo Ministério da Saúde possuem o direito de exercer a técnica. No Brasil começa a aumentar o interesse dos
ocidentais pela acupuntura. 1950: O professor Friedrich Johann Spaeth imigrou para o Brasil nos anos 40, fugindo da violência nazista, era natural de
Luxemburgo e naturalizado brasileiro. Fisioterapeuta e massoterapeuta, foi cursar Acupuntura na Alemanha, lá permanecendo durante três anos
1958: Frederico Spaeth, como era mais conhecido, funda a Sociedade Brasileira de Acupuntura e Medicina Oriental e começa a ensinar Acupuntura
para profissionais da área de saúde, grupo este responsável pela fundação desta primeira entidade da classe o país, a futura A.B.A. Foi o seu grande
divulgador, numa época em que a descrença sobre a acupuntura chegava ao ponto de freqüentemente ser confundida com charlatanismo.
Enquanto isso, a técnica milenar já é usada na China para controlar a dor pós-operatória e passa a ser utilizada como anestésico em operações simples.
1961: No ano de 1961, juntamente com os Drs. Ermelino Pugliesi e Ary Telles Cordeiro, Spaeth fundou o Instituto Brasileiro de Acupuntura - IBRA,
primeira clínica institucional de Acupuntura do Brasil.
 Chega ao Brasil o imigrante chinês Wu Tou Kwang, médico cirurgião vascular e um dos pioneiros da Acupuntura no Brasil, que
vem formando novos acupunturistas clássicos há 20 anos. É hoje, sem a menor sombra de dúvida, o maior expoente em prol da regulamentação
democrática e multidisciplinar da acupuntura no Brasil, nos moldes de como ela é realizada em seu país de origem. Segundo Wu a China é o país que
mais utiliza as Terapias Naturais e por isso, consegue proporcionar a seus um bilhão e trezentos milhões de habitantes uma assistência de saúde
barata e altamente eficaz. 1963: A imigração oficial dos coreanos para o Brasil teve seu início em fevereiro de 1963, mas antes dessa data,
pequenos grupos de coreanos que haviam sido prisioneiros na Guerra da Coréia (1950-1953), já haviam chegado ao Brasil. Trouxeram na bagagem um
tipo de acupuntura bastante diferenciado da chinesa e da japonesa. 1965: Reuben B. Amber, psicólogo norte-americano discípulo de Wu Wei Ping,
solicitou ao Departamento de Educação do Estado de Nova Iorque permissão para a prática de Acupuntura. Assim começou a campanha
pela regulamentação da Acupuntura nos EUA. No Brasil a técnica ainda era vista com descrédito pela grande maioria da comunidade científica. 1966:
A OIT (Organização Internacional do Trabalho) classifica o Acupunturista como uma das profissões da CIUO (Classificação Internacional Uniforme de
Ocupações). 1972: Foi fundada a ABA (Associação Brasileira de Acupuntura). O médico Dr. Evaldo Martins Leite sofreu censura pública pelo CRMESP
(Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) por praticar a Acupuntura. O prestigio internacional da ABA chegou ao ponto de ser escolhida,
na pessoa do seu então presidente, Frederico Spaeth, para a direção da Sociedade Internacional de Acupuntura, com sede em Paris. A partir da sua
criação, a ABA, melhor estruturada que sua antecessora, dinamizou os seus objetivos, organizando e ministrando os primeiros cursos
sistematizados de ensino da acupuntura, para profissionais da área da saúde.
 O Ocidente teve sua atenção voltada para a acupuntura por causa do artigo do jornalista James Reston, editor do New York
Times, que descrevia o efeito da acupuntura nas suas dores pós-operatórias depois de submetido a uma apendicectomia de emergência, quando
acompanhava a equipe norte-americana de tênis de mesa em viagem à China. 1975: A Acupuntura é regulamentada nos estados de Nova York e
Califórnia, USA, em nível multiprofissional, situação em que permanece até os dias atuais. Este fato localizado foi determinante para o
fortalecimento da acupuntura nos Estados Unidos e também no Brasil. 1977: O Ministério do Trabalho, em convênio com a OIT (Organização
Internacional do Trabalho) e a UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), definiu a profissão de acupunturista . 1978:
Os médicos também começam a aprender Acupuntura na Associação Brasileira de Acupuntura. Ocorre o Primeiro Seminário Brasileiro de
Acupuntura, no Rio de Janeiro. 1979: A Organização Mundial de Saúde, órgão da ONU para a área, já reconhecia o uso da acupuntura como terapêutica
eficaz para mais de 40 doenças (WHO, "Viewpoint on Acupuncture"). No Brasil acontece o segundo Seminário Brasileiro de Acupuntura, agora em
São Paulo.
 Desde 1974, a Sohaku-in Foundation promove cursos em caráter informativo. Entretanto, o primeiro curso de
ACUPUNTURA e ELETROACUPUNTURA de formação profissional, direcionado a médicos brasileiros e de SHIATSUTERAPIA a profissionais da
área de saúde, teve inicio em 1979. 1980: É lançado o primeiro livro de Acupuntura escrito no Brasil, "Elementos de Acupuntura", pelo dentista
Attilio Marins.
 Lançado o MH1, primeiro aparelho de eletroacupuntura fabricado no país. É iniciada a aplicação de imãs em pontos de
Acupuntura.
 Apesar da falta de apoio do CRM médicos começam a freqüentar mais intensamente os cursos da ABA.
 Pelo fato de não ser médico, Frederico Spaeth é destituído da presidência da ABA por seus ex-alunos médicos. 1981: No I
Congresso Brasileiro de Acupuntura, no Recife, alguns médicos corporativistas começam a discriminar os acupunturistas clássicos.
 É fundado o CEATA (Centro de Estudos de Acupuntura e Terapias Alternativas), um ícone da acupuntura multidisciplinar, onde
médicos e profissionais de saúde têm aprendido a Medicina Vibracional.
 Um curso técnico de Acupuntura de São Paulo foi reconhecido pelo MEC. 1982: A ABAA, Associação Brasileira de Acupuntura
Auricular, foi fundada em São Paulo, com o objetivo de divulgar, estudar, pesquisar a Acupuntura Auricular, a Auriculoterapia e a Auriculomedicina.
 Os médicos começaram a aprender nos cursos do acupunturista coreano Eu Won Lee. 1983: A AMECA foi fundada como
Associação de Acupuntura da América do Sul, sendo alterada para Associação de Medicina Chinesa e Acupuntura do Brasil em 1998. 1984: O
crescimento desenfreado da acupuntura vem preocupando os profissionais da área. Para coibir abusos, eles vêm batalhando pela
regulamentação profissional. Tramitam no Congresso Nacional desde 1984 vários projetos de lei pela regulamentação da .No Congresso Brasileiro
de Acupuntura, em Brasília, houve o primeiro desentendimento público na área. Os médicos separaram-se dos demais profissionais de saúde para
fundar a SMBA (Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura). 1985: A primeira entidade promovedora de cursos de acupuntura em odontologia foi o
IBRAHO – Instituto Brasileiro de Acupuntura e Homeopatia Odontológica, em 1985, cujo presidente é um dos pioneiros da acupuntura e da
homeopatia na odontologia, o cirurgião-dentista, Orley Dulcetti Junior.
 O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional decide, em 29/10/85, através da Resolução COFITTO-60, habilitar os
fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais para a prática de Acupuntura. 1986: Quatro meses depois, o Conselho Federal de Biomedicina (CFBM)
passa a habilitar os seus profissionais à prática da milenar ciência das agulhas, através da Resolução nº 02/86.
 No parecer decorrente do processo consulta 1588-28/85, aprovado em 1986, o Conselho Federal de Medicina rejeitou novamente a
Acupuntura como atividade médica válida, pois consideravam que toda a terapêutica da acupuntura é baseada em princípios energéticos sem nenhuma
semelhança real com a medicina ocidental.
 Apesar das resoluções contrárias do CFM, começam a surgir os primeiros cursos de Acupuntura dirigidos somente para médicos. 1987: A
primeira habilitação em Acupuntura expedida por um Conselho Federal foi concedida ao Biomédico Sérgio Franceschini Filho. Um marco de
pioneirismo do CFBM que abriu caminhos para que outros profissionais de saúde recebessem registro definitivo como acupunturista. 1988: O médico
Antônio Salim Curiati (PPB-SP) deu entrada ao projeto PL852/88 a favor da prática multidisciplinar da acupuntura.
 A CIPLAN, Comissão Interministerial de Planejamento, após realizar várias reuniões com a presença única dos representantes da
SMBA, baixa Resolução CIPLAN n.º 5, normatizando o emprego da acupuntura nos Serviços Públicos Médicos Assistenciais, restringindo
sua prática somente para médicos nas instituições governamentais. 1989: É aprovado pelo Ministério do Trabalho o Sindicato de
Profissionais de Acupuntura, Moxabustão, Do-In e Quiroprática do Estado de São Paulo. 1990: É realizado o primeiro curso de Florais no Brasil para
médicos, a maioria deles acupunturistas.
 A CIPLAN (Comissão Interministerial de Planejamento e Coordenação), foi extinta no governo Collor e, com ela, as Resoluções
que versavam sobre acupuntura em instituições públicas. A Resolução de 1988 só tinha valor em Serviços Públicos Médico- Assistenciais. 1991: É criada
a FENAC (Federação Nacional de Profissionais de Acupuntura, Moxabustão, Do-In e Quiroprática), órgão centralizador que visa unir forças em torno
da regulamentação democrática da profissão de acupunturista e formalizar ações em prol de uma acupuntura multidisciplinar de qualidade no país,
registrada no Ministério do Trabalho, sob o nº24000.000345/91.
 Todos projetos desde 1984 apresentam em comum o caráter democrático e social, estendendo o exercício da acupuntura para
todos os profissionais da área de saúde e exigindo boa formação dos acupunturistas.
 Enquanto isso no Brasil se inicia a longa tramitação do mais importante projeto que trata da regulamentação da acupuntura: o PLC
Nº383/1991 do deputado Marcelino Romano Machado (PPB-SP), que teve prosseguimento com parecer favorável do relator Nilson Gibson (PMDB-PE).
Obteve também parecer favorável dos 12 Conselhos Federais da área de Saúde (inclusive do Conselho Federal de Medicina). 1992: A Universidade de
Mogi das Cruzes (UMC) começa a ministrar o primeiro curso superior de Acupuntura do país, em nível de Pós-Graduação, para todos os profissionais de
saúde. 1993: Fundada em São Paulo a Clínica Escola Companhia Zen Núcleo de Práticas Orientais, por Amélia Kassis e Itagiba Matos.
 É publicado um relatório do seminário organizado pela Secretaria Nacional de Vigilância Sanitária, onde se recomenda o monopólio
da Acupuntura pela classe médica. Tal seminário foi realizado sob condições suspeitas pois dele participaram 12 médicos da SMBA, 2 médicos a
favor dos acupunturistas e 1 único profissional não- médico. Enquanto isso pesquisas realizadas pela WFAS (World Federation of
Acupuncture-Moxibustion Societies), e pela revista "The European Journal of Oriental Medicine", dão conta de que só existe um país no mundo, a
Dinamarca, onde a Acupuntura é restrita aos médicos e, por isso, lá a técnica chinesa está praticamente extinta.
 Parecer favorável dos 12 Conselhos Federais da área de Saúde (inclusive do Conselho Federal de Medicina) ao PL383/91, onde é
solicitado um fórum amplo e democrático para a discussão da acupuntura.
 No Fórum Regular dos Conselhos Federais da Área da Saúde, realizado no Conselho de Odontologia, em um Seminário sobre “O
exercício da Acupuntura no Brasil”, organizado pela Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde, o Conselho de Medicina declara
novamente que a acupuntura não é uma prática médica. Considerou-se em consenso na época que qualquer profissional da Área da Saúde, de nível
superior tem bases acadêmicas necessárias para utilizar a Acupuntura. . 1994: É introduzida no país a aplicação de Florais em pontos de Acupuntura.
 O PL 383/1991, do deputado Marcelino Romano Machado (PPB-SP), um projeto amplamente democrático e abrangente, foi aprovado na
Câmara dos Deputados e encaminhado para a CAS (Comissão de Assuntos Sociais) do Senado, sob o código PLC 67/95. O relator foi o senador
Valmir Campelo (PTB-DF).
 Foi criada a Liga de Acupuntura do Departamento Científico do Centro Acadêmico Oswaldo Cruz da FMUSP, com a participação
de acadêmicos de medicina da FMUSP, pelo médico e ex-aluno do CEATA, Paulo Farber, 1995: O CFM (Conselho Federal de Medicina) muda
radicalmente a posição adotada nos últimos quarenta anos e classifica a Acupuntura como especialidade médica.
 O Conselho Federal de Enfermagem aprova, em sua 239ª Reunião Ordinária, o parecer n.º 004/95, favorável à prática de Terapias
Naturais por profissionais de Enfermagem.
 O Conselho Federal de Biomedicina reafirma a resolução de 1986 e publica nova normatização no intuito de disciplinar a prática da
acupuntura pelo biomédico.
 Devido ao relatório e ao substitutivo favoráveis à monopolização da Acupuntura pela classe médica, os médicos Wu Tou Kwang e Evaldo
Martins Leite vão conversar com o senador Valmir Campelo, convencendo-o a mudar de opinião e aceitar a democratização da regulamentação.
 É enviado para o Senado abaixo-assinado contra o monopólio médico da acupuntura, contendo 45.000 nomes, entre os quais há
300 assinaturas de médicos.
 A Câmara Municipal de Campinas envia moção nº103/95 em apoio ao Substitutivo ao PLC67/95 do senador Valmir Campelo.
1996: Entra em funcionamento o curso superior de Naturologia Aplicada, da Faculdade Bezerra de Menezes, em Curitiba. A Acupuntura consta do seu
currículo.
 Uma entidade médica foi até Lyon, França, para convencer o professor Dr. Raphael Nogier a não dar mais aulas para
acupunturistas não médicos aqui no Brasil.
 A SBEMO (Sociedade Brasileira de Estudos de Medicina Oriental), dirigida pelo acupunturista Duk Ki Kim - sucessor de Eu Won Lee
– e o CEATA, presidida por Wu Tou Kwang, unem-se fundando a entidade que tem o nome fantasia de EMOSP (Escola
de Medicina Oriental de São Paulo) com o objetivo de unir os esforços pela regulamentação Multidisciplinar da Acupuntura. Em
2001, com a separação, a EMOSP passa a ter o nome fantasia de ETOSP (Escola de Terapias Orientais de São Paulo).
 Ocorre a Audiência Pública da Comissão de Assuntos Sociais do Senado, solicitada pela senadora Benedita da Silva. Os
médicos a favor e contra o monopólio da Acupuntura pela classe médica ali expuseram suas motivações. Os acupunturistas foram defendidos pelos
médicos Evaldo Martins Leite e Wu Tou Kwang, pelo terapeuta naturista e presidente da ANTN, Rogério Fagundes Filho e pelo vice-presidente
do Conselho Federal de Fisioterapia, João Carneiro.
 Ocorre a primeira votação da CAS. O Substitutivo do senador Valmir Campelo é aprovado. O Substitutivo foi então para o
Plenário do Senado onde foram propostas emendas e o mesmo aguardaria novas votações para definir a validade destas emendas. O substitutivo do
senador Lucídio Portella é rejeitado pela primeira vez.
 Para elevar o nível dos acupunturistas são elaborados um Código de Ética e um Manual de Procedimentos em Acupuntura.
 O Conselho Estadual de Educação de Rio Janeiro reconhece e disciplina cursos técnicos de Acupuntura e de Shiatsu, através
da Deliberação nº 218/96. A Presente Deliberação foi aprovada nos termos do Art. 9º da Lei nº 1.590, e, em anexo, fixa o currículo mínimo dos
Cursos Técnico em Acupuntura e Shiatsuterapia. 1997: O Instituto Nacional de Saúde dos EUA recomenda aos sistemas de saúde que subsidiem o
tratamento. Enquanto isso, no Brasil, as emendas em plenário dos senadores médicos Lucídio Portela e José Alves, como tentativas de
restaurar o monopólio da classe médica dentro do PLC 67/95, foram rejeitadas na Comissão de Assuntos Sociais por 9 votos a 2.
 O PLC67/95 seria então votado pelo plenário do Senado em 2 turnos. Mas o senador médico Lucídio Portela (PPB-PI) requer ao
plenário do Senado o envio do PLC 67/95 para a apreciação pela Comissão de Educação, então presidida pelo senador Artur da Távola (PSDB-RJ) e o
relator do projeto era o senador Joel de Hollanda (PFL-PE). Vários representantes das entidades ligadas à área de acupuntura (ANTN, CONAT,
ANDEMO, EOMA, ATEND, SINDAQ) estiveram com os senadores.
 O relator Joel De Hollanda acabou entregando um Substitutivo totalmente desfavorável aos profissionais não médicos. Os
médicos radicais chegaram a comemorar a vitória pensando em levar tal notícia para o IV Congresso Mundial de MEDICINA TRADICIONAL
CHINESA promovido por eles, ocorrido nos dias 25 a 28/11, em Recife. O senador tentou votar várias vezes o seu substitutivo, abusando do seu
poder de vice-presidente da Comissão de Educação. Os acupunturistas liderados pelos colegas Wu Tou Kwang, Rogério de Paula e Paulo
Varanda, com o precioso auxílio dos senadores Ernandes Amorim, Leonel Paiva, Levy Dias e Benedita da Silva, conseguiram frustrar tal manobra. O
senador Joel de Hollanda evitou uma votação para não ser derrotado.
 É instituído na cidade de São Paulo o Dia do Acupunturista (23 de março), através da Lei nº 12487. São Paulo é a 1ª cidade do
mundo a instituir uma data comemorativa para os acupunturistas. 1998: A ABA (Associação Brasileira de Acupuntura) do RJ foi fundada, de
maneira efetiva, em outubro de 1998. Nesta ocasião, houve a indicação e a eleição do Dr. Márcio De Luna para a presidência da entidade.
 A ANTN (Associação Nacional dos Terapeutas Naturistas) impetra mandado de segurança perante a 1ª Vara Cível Federal da
circunscrição judiciária de Paraná nos autos Nº98.0006327-7, visando garantir o livre exercício da profissão contra os atos arbitrários do CFM.
Enquanto isso cientistas da Universidade da Califórnia comprovaram, através de ressonância magnética funcional do cérebro, que os pontos da
acupuntura estão mesmo ligados a importantes órgãos internos e funções do corpo.
 .Ocorre Ato Público em favor dos Acupunturistas, na Câmara Municipal de São Paulo.
 A Sociedade Brasileira de Fisioterapeutas Acupunturistas (SOBRAFISA) foi fundada em 09 de agosto de 1998, com objetivo
de congregar profissionais Fisioterapeutas e Especialistas em Acupuntura no sentido de promover aprimoramento, desenvolvimento científico e cultural.
 1ª Audiência Pública e 2ª Audiência Pública do Projeto de Lei 01-0518/97 sobre a concessão de Auto de Licença de Funcionamento às
Clínicas de Acupuntura, no Município de São Paulo. 1999 - O deputado Carlos Minc (PT-RJ) consegue aprovação de um projeto de lei que institui o
serviço de acupuntura na rede pública de saúde do Rio de Janeiro. O governador Anthony Garotinho através do decreto 3181 autorizou a
Acupuntura no serviço público.
 Foi aberta a primeira turma para o curso de Especialização em Acupuntura na
ABA-RJ. Esta turma inicial, composta por 30 alunos, graduados na área de saúde, teve seus objetivos plenamente alcançados, o que levou
a instituição a abrir novas turmas todos os anos.
 Reunião do Colégio Brasileiro de Acupuntura (SMBA/AMBA), ocorrida em São Paulo, resultou nos acertos finais para realização da
primeira prova de titulação em acupuntura médica.
 No Brasil por sugestão do presidente da Vigilância Sanitária e do ministro José
Serra, o CEATA, ANAMO, SATOSP e outras entidades sérias do movimento constituíram o CONBRAC (Conselho Brasileiro de
Acupuntura) para avaliar os acupunturistas. No documento "Guidelines on basic training and safety in acupuncture", a OMS recomenda a adoção da
acupuntura nos sistemas públicos de saúde utilizando tanto médicos ocidentais como terapeutas com formação exclusiva em acupuntura - inclusive
com formação básica, para que trabalhem como agentes de saúde junto à população carente.
 Fundado o Instituto Brasileiro de Medicina Chinesa e Terapias, o IBRAMEC.
 Editada a Resolução SES Nº1439, da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, colocando normas para licenciamento, para
fiscalização, sobre as instalações, e sobre os serviços de Acupuntura nos Hospitais do Estado. Foi o primeiro Estado do país a regulamentar a prática da
Acupuntura.
 A Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União, a Portaria Nº85 de 1999, em fase de
consulta pública, sobre o Regulamento Técnico de Funcionamento dos Serviços de Acupuntura. Alguns itens da portaria foram considerados
prejudiciais pelos acupunturistas que imediatamente entraram em contato com o Secretário Dr. Gonzalo Vecina Neto, com o auxílio do
Deputado Federal Nelson Marquezeli e sugeriram modificações. 2000: Um grupo de médicos radicais enviou um relatório ao Senado afirmando que “na
China, berço da Acupuntura, a técnica seria ensinada aos chineses exclusivamente nas escolas médicas, tanto em nível de graduação como de pós-
graduação, exclusivamente para médicos alopáticos".
 Affonso Celso de Ouro Preto, embaixador do Brasil na China, envia uma carta ao Senado onde explica que a acupuntura na China
constitui atividade de médicos de acupuntura e de medicina tradicional chinesa, "atividade socialmente independente da medicina alopática ou
ocidental". O órgão que regula a terapia das agulhas em seu país berço é a Secretaria Nacional de Administração da Medicina Chinesa (que não tem nada
a ver com a medicina alopata ou a ocidental).
 O IMAM, Instituto Mineiro de Acupuntura e Massagens, firma convênio com a Beijing University of Chinese Medicine, parceria
internacional de Cooperação Acadêmica para realização do 1º Curso de Medicina Chinesa de nível superior das Américas, além da vantagem de
Especialização em qualquer das unidades da BUCM no Mundo. O curso tem duração de cinco anos no Brasil com mais três meses de
especialização no exterior.
 Através da Resolução SES Nº1439, de 30/12/99, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, fixa as normas para licenciamento,
para fiscalização, sobre as instalações, e sobre os serviços de atendimento em Acupuntura nos Hospitais, através de equipes formadas por médicos e
não-médicos.
 O Conselho Regional de Farmácia (CFF) disciplina a prática da acupuntura pelo profissional farmacêutico através da Resolução CFF nº
353/00.
 Realizado o primeiro Concurso Nacional para obtenção de títulos de especialista em Acupuntura Tradicional pelo Conselho Brasileiro de
Acupuntura, o CONBRAC
 A Acupuntura vive um momento de crescimento em sua história no Ocidente. Pesquisadores em Neurofisiologia em recentes
achados (com o uso de imagens de ressonância magnética funcional cerebral) confirmaram o efeito analgésico dessa milenar prática
chinesa sobre o sistema nervoso central. Enquanto isso no Brasil o substitutivo elaborado pelo senador médico Geraldo Althoff, é enviado à
CCJC, Comissão de Constituição e Justiça, onde receberá nova redação e emendas.
 Após o arquivamento da tentativa de monopólio da acupuntura pela classe médica no Senado a Sociedade Médica Brasileira de
Acupuntura lança a campanha nacional intitulada "Meu Acupunturista é Médico, e o Seu?".
 O Dr. Toshikatsu Yamamoto, descobridor do método YNSA, nova craniopuntura, realizaria um curso em São Paulo. Alguns radicais de
tentaram forçar os organizadores a cancelar o evento; depois enviaram carta para Japão ameaçando o Dr. Yamamoto (dizendo que no Brasil a
acupuntura só pode praticada por médicos e ele poderia ser preso). Prometeram desfiliar os médicos e cancelar seus títulos de especialistas
em acupuntura caso viessem assistir as aulas. As manobras foram infrutíferas e estiveram presentes 400 acupunturistas.
 Criado o Comitê Nacional Pró-Regulamentação da Acupuntura (Conapra), com sede em Brasília e representação em vários estados.
Entre as propostas do Comitê estão: realização de um cadastro nacional de acupunturistas, eleição de um porta-voz que expresse o pensamento
comum de todas as entidades e dar um cunho social à Acupuntura, levando-a às comunidades.
 Entra no ar o site do IEHOB - Instituto de Estudos Holísticos e Orientais do Brasil.
2001: O Conselho Federal de Fonoaudiologia disciplina a prática da acupuntura pelo fonoaudiólogo através da RESOLUÇÃO CFFa n°
272, de 20 de Abril de 2001.
 Para acabar com dúvidas relativas à regulamentação da Acupuntura, a AMECA solicitou à presidência da WFAS (World
Federation of Acupunture-Moxibustion Societies) maiores informações sobre a Acupuntura na China e recebeu uma correspondência
diretamente do Presidente da WFAS, Dr. Deng Liang Yue, comprovando o caráter democrático e multidisciplinar da prática da acupuntura em seu
país de origem.
 Durante o 38º Congresso Mundial de Saúde e Terapias Complementares no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC) dentistas,
médicos, veterinários, biomédicos e fisioterapeutas presentes optaram por uma ação conjunta ao assinar a Declaração do Rio de Janeiro. O documento
mostra o apoio dos profissionais de saúde à regulamentação da prática da acupuntura no Brasil. Com as mais de 500 assinaturas favoráveis
à regulamentação do método oriental no Brasil, a Declaração será encaminhada à Organização Mundial de Saúde.
 A resolução n.º 221, de 23 de maio de 2001 autoriza o Terapeuta Ocupacional a usar complementarmente a Acupuntura em
suas condutas profissionais, após a comprovação da sua formação técnica específica, perante o COFFITO.
 O SATOSP obteve do Ministério do Trabalho confirmação da Acupuntura como profissão.
 Algumas associações médicas, apoiadas pelo Conselho Regional de Medicina, decidem ignorar as resoluções dos Conselhos
Federais de Fisioterapia, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia e Fonoaudiologia e o processo de regulamentação que tramita no Senado Federal. A
estratégia era tentar derrubar, via liminares na Justiça, as resoluções internas destes órgãos em relação à prática da acupuntura.
 Foram colocados em discussão numa Audiência Pública no dia 25/6, na Assembléia Legislativa de MG, os 3 projetos
de lei do deputado Márcio Cunha (PMDB): PL 1349 /2001 (institui 23/3 como Dia do Acupunturista); PL 1348 /2001 (criar o Conselho Estadual
de Acupuntura e Terapias Orientais); PL 1347 /2001 (autoriza o Poder Executivo a criar o serviço de Acupuntura e Terapias Afins nas Unidades
de Saúde e nos Hospitais públicos).
 O SINATEN, Sindicato Nacional dos Terapeutas Naturais, obteve um ofício do Dr. Gonçalo Vecina Neto, presidente da Agência
Nacional de Vigilância Sanitária, confirmando que não existe lei, portaria ou norma regulamentando a prática da Acupuntura.
 A Câmara Municipal de Guarulhos aprovou em 13/12 a Lei n.o 5741 do vereador JONAS DIAS, introduzindo a Acupuntura e
Terapias Orientais nas instituições do Serviço Público de Assistência à Saúde. Aprovou também outro projeto de lei criando o Comitê Municipal de
Acupuntura.
 O vereador Luís Ernesto aprovou a lei no.10467/01 no dia 15/5, criando o DIA DE ACUPUNTURISTA de Curitiba.
 Diante das perseguições dos médicos radicais, o SATOSP obteve liminar em Itupeva, onde a Prefeitura não recorreu; obteve
também vitória numa ação criminal de Avaré. Em Florianópolis, Marcelo Oliva obteve nova vitória em outro processo movido pela SMBA referente à
Acupuntura e Homeopatia.
 O SATOSP obteve do Ministério do Trabalho confirmação da Acupuntura como profissão.
 Foi criado em São Paulo o Conselho de Regulamentação da Acupuntura do Estado de São Paulo - CRAESP 1ª Região
(Nacional). Visando elevar ainda mais o nível da formação dos profissionais acupunturistas no país o recém fundado Conselho só aceita filiações de
acupunturistas aprovados pelo concurso de especialistas em acupuntura clássica do CONBRAC.
 Fundado o CRAEMG, Conselho Regional de Auto-Regulamentação da Acupuntura do Estado de Minas Gerais, uma
entidade destinada à auto-regulamentação da profissão de acupunturista, com o objetivo de orientar, supervisionar e sistematizar o ensino e a prática da
acupuntura.
 No final de 2001 o Conselho Federal de Medicina moveu ações contra todos os Conselhos da Área da Saúde que possuem uma
Resolução normatizadora da prática da acupuntura. O Colégio Médico de Acupuntura também. Eles alegavam incompetência dos demais profissionais
de saúde à prática da acupuntura.
 O COFITTO, O COFEN e o CRBM publicam notas de esclarecimento onde repudiam a atuação do grupo de médicos radicais
que deseja monopolizar a prática da acupuntura através de ações na Justiça.
 Na 21a. Vara da Secção Judiciária do DF, julgando o Proc. 2001.31798-3 da Ação Cautelar Inominada do CFM contra
CFBM, o juiz Guilherme Jorge de Resende Brito negou a liminar, considerando que o CFBM reconheceu Acupuntura desde 1986, e o CFM a reconheceu
em 1995, porque os autores (CFM) demoraram 9 anos para entrar com esta ação... O CMA entrou numa outra Vara com outro pedido de liminar e acabou
obtendo. O CFBM entrou com agravo de instrumento.
 Na sentença 097/2002-b, a Dra. Adverci Lates Mendes de Abreu, Juíza Federal da 5a. Vara do DF, indeferiu a ação cautelar
2001.34.00.031799-6 e os pedidos da demanda, a inicial e julga extinto o processo, sem exame do mérito, condenando os autores (CFM) ao
pagamento dos honorários advocatícios. Esta foi a maior derrota dos médicos radicais, já que os fisioterapeutas constituem a maioria entre os
acupunturistas, portanto, são o alvo principal desta Guerrilha dos Liminares.
 Fundada a Sociedade Brasileira de Terapias Chinesas (SBTC), no Serviço de Fisioterapia do Centro Universitário Barão de
Mauá de Ribeirão Preto – SP. Seu presidente é o Biomédico e Acupunturista Antonio José Ipólito. A SBTC tem por finalidades congregar os
profissionais graduados em nível superior da área de saúde com conhecimentos em Terapias Tradicionais Chinesas e Técnicas Afins.
 A fisioterapeuta Patrícia Rossafa Branco inaugura o primeiro Colégio Brasileiro de Acupuntura (CBA) do Paraná. A iniciativa é
voltada a profissionais da área de saúde.
 A Justiça dá ganho de causa aos conselhos de Enfermagem, Fisioterapia e Biomedicina em relação às liminares que
buscavam dar efeito suspensivo às resoluções internas em relação à prática da acupuntura. As entidades médicas prometeram recorrer e o processo deve
se arrastar.
 O CFP (Conselho Federal de Psicologia), através da resolução CFP N° 005/2002 reconhece o uso da Acupuntura como recurso
complementar ao trabalho do psicólogo. O CFP é o oitavo conselho federal de saúde a reconhecer a acupuntura como especialidade, o que
só vem a ratificar a posição de destaque conquistada pela milenar terapia das agulhas no Brasil.
 Em Junho de 2002 foi reativado o Sindicato dos Profissionais em Acupuntura, Moxabustão, Do-in e Quiroprática do Estado do
Paraná, que a partir de então passou a usar o nome fantasia de SATOPAR - Sindicato dos Acupunturistas e Terapias Orientais do Estado do Paraná.
 O CRAEMG lança selo de qualificação profissional e o Certificado de Proficiência, que apresentará à sociedade
mineira o Acupunturista que comprovou capacitação técnico profissional. O CRAEMG realizará campanha de âmbito estadual onde ressalvará a
necessidade da população em consultar-se preferencialmente com um Acupunturista credenciado.
 O então senador Geraldo Althoff, médico pediatra, apresentou o projeto de Lei nº 25/02 que define ATO MÉDICO. Este Projeto de lei
está em avaliação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CJC) e irá depois tramitar para a Comissão de Assuntos Sociais (CAS). O
senador não foi reeleito mas o projeto continua tramitando em 2003.
 Fundada a Clínica e Escola Técnica CIEFATO - Centro Internacional de Estudos de Fisioterapia, Acupuntura e Terapias Orientais,
que oferece cursos reconhecidos pelo MEC com 1450 horas teórico-práticas. Possui convênio com Shandong University of Traditional Chinese
Medicine, na China, e com Five Branches Institute, College & Clinic of Traditional Chinese Medicine, nos EUA
 Indignado com o modelo do novo projeto que tramita no Senado definindo o que seria “Ato Médico” o deputado federal Dr.
Rosinha, eleito pelo PT, que também é médico pediatra e sanitarista afirma que: “mais importante que uma lei estabelecendo o que é "ato médico" é,
perante as inúmeras profissões que surgiram, a elaboração de um novo código de ética abrangendo relações multiprofissionais."
 A Câmara dos Vereadores de S. Paulo, rejeitando o veto da Prefeita Marta Suplicy, decretou a Lei Municipal Nº 13.472, que
dispõe sobre a criação da Comissão Municipal de Acupuntura, junto ao Conselho Municipal de Saúde. Uma grande conquista do vereador
Salim Curiati.
 A CBO - Edição 2002 do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) estabeleceu os códigos de Acupunturista (3221-05), de
Fisioterapeuta acupunturista (2236-05), e de Psicólogo acupunturista (2515-10) 2002 - A Portaria CVS 01, da Vigilância Sanitária de SP, reconhece
os Serviços Acupuntura apenas para profissionais de saúde de nível superior legalmente habilitados com especialização em acupuntura (No Anexo I -
Estabelecimentos e Equipamentos de Interesse à Saúde, no Código 8516-2/02). O SATOSP teve que entrar com mandados de segurança em vários
municípios para defender os técnicos de Acupuntura.
 O projeto de Lei 67/95 que propõe regulamentação do exercício da Acupuntura no Brasil, passou a ter um novo relator, passou a ter
um novo relator, o Senador médico Sebastião Ferreira Rocha – PDT – Amapá.
 Várias entidades, coordenadas pela A ANTN e a FENAC se reuniram com o senador relator Sebastião Rocha, oferecendo um
extenso dossiê sobre a regulamentação. Ele demonstrou que será coerente com seu voto contra o suscito em favor do projeto de Lei 67/95, que veio da
Comissão de Educação, no sentido de beneficiar toda a categoria
e ressaltou a necessidade de Curso Superior em Acupuntura. Ele é a favor da criação do Conselho Federal de Acupuntura. O senador não foi
reeleito. O senado foi renovado em 40 por cento e qualquer decisão deve ficar para a próxima legislatura, que se inicia em 2003.
 O Ministério do Trabalho e do Emprego divulga o novo