Anda di halaman 1dari 5

MUDANÇAS FÍSICAS E COGNITIVAS NA VIDA ADULTA INTERMEDIÁRIA

Funcionamento físico e cognitivo acredita que a grande declínio, tanto físico


quanto mental tem inicio na meia-idade acredita-se que aos 40 anos e 50 anos
nosso corpo físico começará a decair muito das suas funções físicas mostram
mudanças pequenas, como visão, audição, memoria, massa óssea reduz-se
bastante, especialmente nas mulheres, começa logo antes da menopausa.

Em nossa cultura, acreditar-se que o grande declínio físico e mental tem


inicio durante esses anos. Tem sido observado um aumento bastante rápido na
expectativa de vida de individuo em países desenvolvidos, longo da ultima décadas
tem diminuído a mortalidade infantil.

Mudanças no corpo físico principalmente sistema reprodutor a perda da


capacidade de reprodução chamada climatério nos homens declínio na quantidade
de espermas. Espera-se que nas mulheres esse processo decadente aconteça mais
rápido na produção de óvulos.

A menopausa costuma ocorrer entre 45 a 55 anos, ocorrendo uma serie de


mudanças hormonais, que inclui declínio rápido de estrogênio e progesterona.

O sintoma mais observável, mudanças hormonais e o chamado calorão,


uma sensação de calor, insônia ou dificuldade para dormir.

A expectativa de vida da mulher e igual ou mais reduzida do que os dos


homens.

Tanto o adulto ou da meia-idade os mais velhos todos estão vulneráveis a


herdar doenças recessivas ligadas ao sexo, síndrome do x fragilizado, falta do
estrogênio deixa-os mais vulneráveis a doenças cardíacas. Entre 45 e 54 anos, 237
homens a cada 100.000 morrem devido a doenças cardíacas comparadas com 74
mulheres. Após a menopausa quando reduz nível de estrogênio na mulher taxas de
doenças cardíacas reduz.

As mulheres se cuidam mais que os homens estão sempre trazendo


checapes, com isso, possui melhor habito de saúde.
VISÃO E AUDIÇÃO

Segundo a mudança física que sem duvida ocorre nos anos intermediários à
perda visual entre 45 a 50 anos, nos olhos chamada de presbiopia, espaçamento da
lente ocular, camadas acrescidas ao cristalino, reduzem notadamente, devido a
esses espaçamentos que vai aumentando.

Adulto na fase intermediaria começa a ter dificuldade de enxergar os objetos


que estão pertos e principalmente fazer a leitura de livros somente assim consegue
imagem mais clara.

Na audição, a perda da capacidade de ouvir sons com frequência muitos alta


ou muito baixa, ocorre degeneração nos nervos auditivos e as estruturas do ouvido
interno lentamente, em volta dos 50 anos.

Outra mudança começa a ocorrer são os ossos na vida adulta intermediaria


as mulheres entre 20 e 70 anos perdem cerca de 20% e os homens cerca de 10%
da massa óssea, antes da menopausa a pouca perda de cálcio nos ossos depois da
menopausa se torna mais rápido a perda por causa do nível de estrogênio que a
queda após a menopausa.

Para prevenir a osteoporose é exercitar regulamente, especialmente de


sustentação de peso como caminhada.

A mudança do corpo físico na vida adulta intermediaria “usar ou perder" é o


lema de muitas pessoas de meia-idade que adotaram a caminhada, o tênis, a
ginástica aeróbica e outras formas de atividade física. A pesquisa confirma a
sabedoria desse credo. Algumas mudanças fisiológicas são resultados direto do
envelhecimento biológico e da constituição genética, mas o acúmulo de fatores
comportamentais e de estilo de vida, desde a infância, afetam a probabilidade, o
momento de ocorrência e a extensão das mudanças físicas. Pelo mesmo raciocínio,
a saúde e os hábitos de estilo de vida nos anos intermediários influenciam o que
acontece nos anos posteriores.
Apesar de sua saúde geralmente boa, muitas pessoas na meia-idade
preocupam-se com sinais de possível declínio. Elas podem ter menos energia do
que em sua juventude e tendem a experimentar dores e fadiga Ocasionais ou
crônicas. Já não são mais capazes de fazer esforços intelectuais com facilidade, são
mais propensas a contrair certas doenças e levam mais tempo para se recuperar de
doenças ou de esforço extremo.
A hipertensão (pressão arterial cronicamente elevada) é uma preocupação
cada vez mais importante a partir da meia-idade. Ela pode causar enfarto, derrame
ou comprometimento cognitivo na terceira idade. O controle da pressão arterial,
dietas com baixo teor de sal e medicação reduziram a prevalência de hipertensão,
mas ela ainda aflige cerca de 30% dos homens e cerca de 25% das mulheres de 45
a 54 anos e mais do que 40% tanto de homens como de mulheres de 55 a 64 anos
As principais causas de morte entre 45 e 64 anos são câncer, doença
cardíaca, acidentes e derrame. Entre 1979 e 1997, as taxas de mortalidade
diminuíram drasticamente para as pessoas nessa faixa etária em virtude do
decréscimo nas mortes por doença coronariana. Esse declínio na mortalidade
coronariana parece dever-se, sobretudo aos aperfeiçoamentos no tratamento de
pacientes enfartados.
O câncer também sido a principal causa morte, na vida adulta intermediaria,
apresenta fatores conhecidos, como o tabagismo, obesidade e um estilo de vida
inativo. Ter um bom hábito de saúde, no inicio da vida adulta saudável é capaz de
reduzir seus riscos de câncer e doenças cardíacas.
Os pesquisadores não constataram "um padrão uniforme de mudanças
relacionadas com a idade para todas as habilidades intelectuais". Ao que parece, o
desenvolvimento cognitivo é irregular durante a idade adulta, envolvendo ganhos e
perdas nas diversas habilidades em épocas diferentes. Embora a rapidez perceptual
diminua constantemente a partir dos 25 anos e a capacidade numérica comece a
diminuir em torno dos 40, o desempenho máximo em quatro das seis habilidades -
raciocínio indutivo, orientação espacial, vocabulário e memória verbal - ocorre
aproximadamente em um ponto intermediário da idade adulta. Em todas essas
quatro habilidades - pessoas de meia-idade, especialmente mulheres, obtêm
pontuação média mais alta do que a que obtiveram aos 25. Nos homens, a
orientação espacial, o vocabulário e a memória verbal atingem o máximo aos 50;
nas mulheres, somente depois dos 60. Por outro lado, a rapidez perceptual das
mulheres diminui mais rápido do que a dos homens. Que ganhos e perdas
cognitivas ocorrem durante a meia-idade.
Existe uma relação entre desempenho criativo e idade? Em testes
psicométricos do pensamento divergente, diferenças de idade aparecem de forma
constante. Quer os dados sejam transversais, querem em média, as pontuações
atingem o máximo em torno do final dos 30 anos. Uma curva de idade semelhante
aparece quando a criatividade é medida por variações de produção (número de
publicações, pinturas ou composições). Uma pessoa na última década de uma
carreira criativa tipicamente produz apenas a metade do que produzia ao final dos
30 e início dos 40, embora um pouco mais do que aos 20 anos.
MEMÓRIA
Ocorre certa perda de memória, embora seja pequena sendo perceptível
após, talvez os 55 ou 60 anos. Um exemplo nas tarefas diária e familiar lembrar-se
do número de telefone. O significado pode ser processo codificação modifica-se à
medida que envelhecemos não tentar codificar os detalhes, mas podemos
armazenar informações maiores ou mais resumidas.
A produtividade criativa também parece permanecer elevada durante meia-
idade, pelo menos no caso dos adultos.
Entre os músicos ou outros artistas, o auge da criatividade pode ocorre mais
tarde ou ser mantido por mais tempo.
As informações sugerem que muitas dessas características estão
associadas ao maior ou menor risco dessas duas doenças estão também ligadas a
taxas de mudanças ou manutenção da saúde e das habilidades intelectual gerais, na
vida de adulto intermediário.
DIFERENÇAS INDIVIDUAIS
O exercício e a saúde isso traz a possibilidade que ele pode constituir um
dos fatores críticos na determinação da saúde física geral e desempenho cognitiva
de um individuo adulto durante estes ano.
Atividade física rigorosa pode auxiliar na manutenção de uma saúde
excelente ao longo dos anos vida adulta intermediaria. O exercício físico ainda é útil
para a manutenção das habilidades cognitiva nesses mesmos anos muito
provavelmente porque eles ajudam a manter a aptidão cardiovascular velho
fisicamente saudável, os mais ativos fisicamente os que praticam jardinagem,
trabalhos domésticos, pesados ou exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida ou
natação apresentam escores mais elevados nos testes de raciocínio, tempo de
reação e memoria, em curto prazo. Os adultos que mantêm níveis elevados de
exercício parecem continuar com suas habilidades em melhor estado do que os que
levam uma vida mais sedentária.