Anda di halaman 1dari 4

Casa gruta

Pesquisa

Casa gruta
De Wikipedia, a enciclopedia livre

Casa gruta em Suíça (Peter Vetsch)

Casa gruta com superfícies reflectantes em Novi Sad, Sérvia por Veljko Milković

Casa-las-gruta modernas, em contraste com as moradias tradicionais, edificadas


sobre a Terra, concebem-se perseguindo um objectivo diferente: não uma vida
baixo ou na Terra, senão com ela.

Tabela de conteúdo
[ocultar]
 1 Concepção e arquitectura
 2 Técnicas de construção
 3 Vantagens
o 3.1 Condições climáticas agradáveis
o 3.2 Poupança de energia e de CO2
o 3.3 Protecção contra tormentas e terramotos
o 3.4 Protecção e aprovechamiento da paisagem
o 3.5 Protecção contra incêndios
o 3.6 Cultivo do tejado
o 3.7 Iluminación
 4 Inconvenientes
 5 Veja-se também
 6 Referências

 7 Enlaces externos
Concepção e arquitectura
Quando a Terra e a casa se separam, se constrói no ar, o que tem como consequência um
efeito mais rápido do calor e um deterioro mais rápido do exterior do edifício. Em casa-
las-gruta, a terra serve como tejado aislante que protege de forma eficaz contra o frio, a
chuva e o vento. A terra proporciona uma protecção natural contra os efeitos negativos
do meio e as intromisiones não desejadas. Mas uma casa gruta não tem de se construir
forçadamente na terra, senão que pode aproveitar um terreno que se eleva de forma
natural. Casa-a-gruta é um edifício flexível que pode ser adaptado aos desejos da cada
utente, respeitar o médio ambiente e ajudar a um consumo razoável de energia.[1] A
liberdade de formas desta técnica de construção permite um planejamento orgânico que
requer pensamento espacial e um alto grau de criatividade. Casa-las-gruta recordam a
estruturas habitables com uma grande pretensão artística e qualidade plástica.

Casa gruta

Casa-las-gruta de exponentes como Peter Vetsch ou Arthur Quarmby se baseiam na


interpretação de uma arquitectura respetuosa com o médio ambiente, ecológica mas
também progressiva. Distinguem-se por sua cercania à natureza e permitem uma
inovadora experiência espacial para além das tradicionais quatro paredes em ângulo
recto. O princípio fundamental não é pôr a terra ao mesmo nível que o edifício, senão
desenhar este de tal forma que se conserve a esencia da terra.

Casa-las-gruta de hoje contam com todos os estándares da construção de interiores,


p.ex. cozinhas modernas, banhos e sistemas de calefacção. Ademais, os edifícios são
concebidos de novo para a cada ocasião. Casa-las-gruta podem-se construir como
moradias individuais ou como conjuntos de moradias.

Técnicas de construção

Rede metálica de malha fina


As estruturas, concebidas como abóbadas integrales, podem ser prefabricadas em blocos
individuais rígidos ou ser colocadas em redes de armazón mediante um sistema de
moldo por inyección. As abóbadas de hormigón projectado permitem formas livres e
orgânicas que definem espaços luminosos. O sistema de moldo por inyección aplicou-se
pela primeira vez a começos deste século. O naturalista estadounidense Carl Akeley
patentó em 1911 um dispositivo com o qual se podia inyectar cemento granulado. A
técnica do hormigón projectado utiliza-se principalmente nas obras subterrâneas e na
construção de túneis; na construção de edifícios, só nos saneamientos de hormigón. Um
dos pioneiros da aplicação da técnica do hormigón projectado na construção de edifícios
foi Friedrich Kiesler, com seu projecto “Casa interminável”.[2]

Este sistema foi replanteado e optimizado pelo arquitecto suíço Peter Vetsch, que, até
agora, tem construído mais de 40 casas gruta com a ajuda desta técnica e é considerado
uma autoridade neste terreno. O hormigón projectado coloca-se depois sobre uma rede
metálica de malha fina que funciona como armazón de suporte. Este armazón é dobrado
e moldado até que adapta a forma desejada. No exterior da abóbada, se inyecta um
aislante de espuma rígida e poliuretano contra o frio e o calor. Por em cima coloca-se
uma estera contínua e a construção cobre-se com entre 50 cm e 3 metros de terra. As
paredes interiores de casa-a-gruta recebem um revogue de arcilla. Isto permite uma
protecção ideal contra a humidade e, finalmente, se pintam de cor cal natural.[3]

Vantagens
As vantagens principais de casa-las-gruta estão, sobretudo, em seus aspectos ecológicos
e de segurança, que apresentar-se-ão brevemente a seguir.

Condições climáticas agradáveis

Uma das principais vantagens ecológicas de casa-a-gruta está em sua agradável


temperatura interior. A construção particular de casa-las-gruta gera condições climáticas
equilibradas: fresco em verão e protecção contra o frio em inverno. Outra vantagem é a
agradável humidade do ar, em torno do 50%, em contraste com os espaços
sobrecalentados em inverno das casas convencionales e a escassa humidade relativa do
ar. Pelo contrário, a densidade do ar de casa-las-gruta representa uma situação ideal para
um aireamiento controlado.

Poupança de energia e de CO2

Uma das consequências directas de melhore-las consequências climáticas é a poupança


de energia, que pode chegar ao 50% a cada ano. Já que as necessidades de energia e
calor das casas mau isoladas são, junto com a mobilidade e o transporte, a maior
contribuição à mudança climática na área do consumo privado, casa-a-gruta pode ser
considerada extremamente respetuosa com o CO2.

Protecção contra tormentas e terramotos

Por causa de seu tipo de construção, casa-las-gruta estão optimamente protegidas contra
as tormentas fortes, já que não podem ser arrastadas pelo vento nem viradas. Seu
estática e sua falta de esquinas e de partes que sobresalgan (tejado) evitam ademais
quase todos os pontos de ataque que poderiam fazer que os efeitos da tormenta
resultassem maiores.[4] A estabilidade das formas redondas em combinação com o
armazón de rede é ideal para a protecção contra os terramotos.

Protecção e aprovechamiento da paisagem

Casa-las-gruta integram-se perfeitamente na paisagem. Seus tejados cobertos pela terra


acoplam-se de maneira natural com o meio e, desta maneira, protegem a paisagem. Os
tejados verdes devolvem uma parte da paisagem e realizam uma contribuição ao
equilíbrio de oxigénio e nitrógeno. Ademais, graças a que as casas-gruta estão cobertas
por terra, se ganha superfície de uso. Ademais, casa-las-gruta podem colocar-se em
terraço nos lugares adequados. A possibilidade de construir baixo terra, até os limites do
possível, combinada com a construção em terraços, faz que o uso da terra seja
extremamente ahorrativo.[4] Apesar da densidade construtiva, a natureza conserva suas
superfícies verdes. Em contraste com as casas convencionales, casa-las-gruta podem
integrar-se em terreno montanhoso e assim adaptar à paisagem natural.

Protecção contra incêndios

Em comparação com outros materiais de construção, como a madeira, as casas-gruta


contam com uma protecção contra incêndios muito boa, já que o material principal é o
hormigón.

Cultivo do tejado

Já que para recubrir o tejado utilizam-se terras de desmonte, podem-se cultivar plantas
nele. Um tejado cultivado recolhe a maior parte da água de chuva. Esta recolhida
atrasada de água evita os grandes aumentos de volume espontáneos dos rios.

Iluminación

Em contraste com a crença de que as casas-gruta são escuras em seu interior, estas estão
construídas de tal maneira que contam com fachadas de cristal e cúpulas redondas que
permitem que os espaços habitados sejam claros e luminosos. Também os banhos e as
estadias accesorias podem se alumiar parcialmente com cúpulas.

Inconvenientes
A forma de casa-las-gruta costuma fazer que normalmente as paredes não sejam
completamente verticais, senão que apresentam uma forma mais bem abovedada. Isto
pode causar problemas com a disposição de seu interior, especialmente no que se refere
a muebles e grandes quadros. No entanto, este aspecto pode antecipar no planejamento e
concepção de casa-las-gruta e é possível projectar paredes rectas em algumas posições.

Veja-se também