Anda di halaman 1dari 43

Aglomerantes

Introdução

04/04/11
Definição
Materiais, geralmente pulverulentos, que
entram na composição das pastas, argamassas
e concretos.
Sob a forma de pasta têm a propriedade de se
solidificar e endurecer com o passar do tempo.

2
Cal

Aérea Hidráulica

3
Gesso
Comum Anidro

Hidráulico

4
Natural
Cimento
Polimérico

Artificial

Aluminoso

5
Betumes

Asfalto Alcatrão

6
Argila

7
Denominações:
- pasta = aglomerante + água;
- nata = pasta fluída;
- argamassa = pasta + agregado miúdo; e
- concreto = argamassa + agregado graúdo
Observações:
- os aglomerantes são os materiais ativos; e
- os agregados são os materiais inertes.

8
Classificação geral:
- aéreos – endurecem na presença do ar
e são pouco resistentes à ação da água.
Exemplo: cal
- hidráulicos – endurecem por hidratação e resistem
a ação da água.
Exemplo: cimento

Ainda podem ser:


- simples;
- compostos; e
- com adições.
9
Pega e endurecimento:
- pega – solidificação da pasta; e
- endurecimento – aumento da resistência.

10
Cal

11
A cal é um aglomerante inorgânico, produzido
a partir de rochas calcárias e conchas
composto basicamente de cálcio e magnésio.
Matérias primas: calcário e dolomito.
A cal (aérea) e a cal hidratada são:
- pulverulentas e cor esbranquiçada; e
- são utilizadas na forma de pasta e argamassa.

12
Calcários:
- mineral predominante: calcita = CaCO3 =
CaO.CO2.
Dolomitos:
- mineral predominante:
dolomita = (Ca, Mg)(CO3 )2 → CaCO3
MgCO3 = CaO.MgO. 2CO2.
Especificação:
- CaO + MgO ≥ 88% ou ≥ 90% (dependendo
do tipo de cal produzido).

13
Tipos de cal – NBR 7175:
CH-I - cal hidratada especial
CH-II - cal hidratada comum
CH-III - cal hidratada comum com
carbonato

14
Etapas da produção
1. extração da matéria prima e britagem;
2. seleção da faixa granulométrica ótima e
transporte para o forno;
3. calcinação e controle do grau de calcinação;
4. moagem adequada para cada tipo de
hidratação;
5. armazenamento da cal virgem;
6. hidratação e moagem;
7. ensacamento e distribuição para
comercialização.
15
Calcinação
Calcário

CaCO3 + calor (660 a 900 ºC) CaO + CO2


Calcita cal virgem,
cal aérea ou
cal viva
Extinção
CaO + H2O → Ca(OH)2 + calor
cal virgem, cal extinta,
cal aérea ou cal apagada,
cal viva cal hidratada ou
cal aérea
16
Dolomito:
- 1ª etapa:
CaCO3 MgCO3 →CaCO3 + MgO + CO2
Temperatura: ~250°C - 380°C
- 2ª etapa, análoga à decomposição da calcita:
CaCO3→CaO + CO2
Temperatura: 660°C - 900°C
- Reação global:
CaCO3 MgCO3 → CaO + MgO + 2CO2
17
Extinção (hidratação)
da cal viva

18
O processo de hidratação da cal virgem pode
ser executado no canteiro de obras.
As pedras são colocadas em tanques onde
ocorre a sua extinção ao se misturarem com a
água.
O fenômeno de transformação de cal virgem
em cal extinta é exotérmico, isto é, se dá com
grande desprendimento de calor o que torna o
processo altamente perigoso.

19
Após a hidratação das pedras, o material
deverá descansar por 48 horas no mínimo,
antes de ser utilizado na obra.
As argamassas de cal endurecem por
combinação do hidróxido com o gás
carbônico, presente na atmosfera (daí o nome
cal aérea), voltando ao seu estado inicial de
carbonato de cálcio.

20
Ca(OH)2 + CO2 → CaCO3 + H2O

A cal viva ou cal virgem é encontrada no


comércio em forma de pedras, como saem do
forno ou moídas e ensacadas.

21
Cal virgem

Quanto ao teor de magnésio


- cálcica, com alto teor de cálcio, produzida
de calcário
- magnesiana, produzida de calcário dolomítico

- dolomítica, produzida de dolomito

22
Quanto à reação com a água (extinção):
Tempo de início de extinção:
- rápida ( < 5 min);
- média (entre 5 e 30 min);
- lenta ( > 30 min).

23
Tempo para atingir a temperatura máxima de
reação:

altamente reatividade baixa


reativa média reatividade
10 20 minutos

24
Reações de hidratação:
- CaO + H2O →Ca(OH)2
- MgO + H2O →Mg(OH)2
Resíduo de extinção:
- fração supercalcinada não hidratável + teor
de impurezas da rocha matriz.

25
Cal hidratada

26
Cal hidratada é um produto manufaturado que
sofreu em usina o processo de hidratação.
É apresentada como um produto seco, na
forma de um pó branco de elevada finura.
A cal é encontrada no mercado em sacos de 20
kg.
A cal hidratada apresenta algumas vantagens
sobre a cal virgem:

27
- maior facilidade de manuseio, por ser um
produto pronto, eliminando, no canteiro de
obras, a operação de extinção;
- maior facilidade de transporte e
armazenamento.

28
Aplicações da Cal
A cal pode ser utilizada como único
aglomerante em argamassas:
- para assentamento de tijolos;
- revestimento de alvenarias; ou
- em misturas para a obtenção de blocos de
solo/cal, blocos sílico/calcário, e
- cimentos alternativos.

29
Durante muito tempo a cal foi largamente
empregada em alvenarias, que vêm
atravessando muitos séculos de vida útil.
Atualmente o maior emprego da cal (na
indústria da construção civil) se dá, misturada
ao cimento Portland.

30
Por causa da elevada finura de seus grãos (2
μm de diâmetro), e conseqüente capacidade de
proporcionar fluidez, coesão e retenção de
água, a cal melhora a qualidade das
argamassas.
A cal confere uma maior plasticidade as pastas
e argamassas, permitindo que elas tenham
maiores deformações, sem fissuração, do que
teriam somente com cimento Portland.
As argamassas de cimento, contendo cal,
retêm mais água de amassamento e assim
permitem uma melhor aderência.
31
A cal também é muito utilizada, dissolvida em
água para pinturas, na proporção de mais ou
menos 1,3 gramas por litro de água.
Esta suspensão é denominada leite de cal e sua
utilização é conhecida como caiação.
As tintas de cal, além do efeito estético, têm,
também, efeito asséptico, devido a sua alta
alcalinidade (pH alto).

32
Tintas à base de cal
São obtidas com uma suspensão do leite.
O leite de cal pode ser preparado a partir de cal
virgem ou cal hidratada
A composição é melhorada pelo emprego de
adições, agentes aglutinantes, óleos naturais,
como o de linhaça, fixadores e corantes
compatíveis com a cal.

33
É uma tinta de baixo custo.
Não é recomendável aplicação sobre
superfícies lisas, metais ou repintura sobre
outras superfícies pintadas.
É indicada para superfícies rugosas onde a
camada de pintura adere por ancoragem.

34
As aplicações da cal são influenciadas pela sua
composição química.
Na tabela é apresentado um resumo das
espécies químicas presentes nas cales.

35
Espécie Cal virgem Cal hidratada
química Dolomí- Magne- Cálcica Dolomí- Magne- Cálcica
tica siana tica siana

CaO ++++ +++++ ++++++ ++++ +++++ ++++++

MgO +++ ++ + +++ ++ +


H2O * - - - +++++ +++++ ++++
CaCO3 + + + + + +
(Ca, Mg)CO3 + + - + + -

* água combinada
36
O cálculo teórico da composição química da
cal virgem e da cal hidratada pode ser feito
com os pesos moleculares, conforme mostrado
nas tabelas:

37
Calcário e cales cálcicas
composição percentual teórica

Espécie Calcário Cal virgem Cal hidratada


química

CaO 56 100 75,7

CO2 44 0 0

H2O 0 0 24,3

38
Dolomito e cales dolomíticas
composição percentual teórica
Espécie Dolomito Cal virgem Cal hidratada
química
CaO 30,4 58,2 42,4

MgO 21,8 41,8 30,4

CO2 47,8 0 0

H2O 0 0 27,2

39
Lembrar...
A capacidade aglomerante da cal hidratada é
quantificada pelo teor de hidróxido.
No entanto, em qualquer cal hidratada existe
uma fração de óxidos não hidratado e
potencialmente aglomerante, e ainda
uma fração inerte constituída de óxidos
calcinados, impurezas e carbonatos.

40
Cal hidráulica

41
Cal hidráulica é um tipo de cal obtida da
calcinação a 900 a 1400 °C de um calcário
argiloso (marga).
Este tipo de cal apresenta um endurecimento
semelhante ao do cimento portland.
Pode ser classificada como um produto
intermediário entre a cal e o cimento portland
Foi muito utilizado nas construções mais
antigas, sendo posteriormente, substituído pelo
cimento Portland.
42
Por enquanto é só isso!
Próximas aulas: cimento portland

43