Anda di halaman 1dari 9

INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS (IFG)

CURSOS: BACHARELADO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

DISCIPLINA: ELETRÔNICA ANALÓGICA 1

PROF.: DR. MARCOS ANTÔNIO ARANTES DE FREITAS

Higor Alves Mendes


Jesiel Pereira Vieira
Valdeon Batista de Oliveira Filho

Circuitos Multiplicadores de Tensão

Itumbiara, 2017
1

Higor Alves Mendes


Jesiel Pereira Vieira
Valdeon Batista de Oliveira Filho

Circuitos Multiplicadores de Tensão

Trabalho apresentado como requisito


parcial para obtenção de aprovação na disciplina
de Eletrônica Analógica I, no Curso de Engenharia
Elétrica, no Instituto Federal de Goiás – Campus
Itumbiara.

Prof. Dr. Marcos Antônio Arantes de Freitas

Itumbiara, 2017

2
3

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO .............................................................................................................................4
2 DESENVOLVIMENTO .............................................................................................................5
3 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES .........................................................................8
REFERÊNCIAS...........................................................................................................................9

3
1 INTRODUÇÃO

Os circuitos multiplicadores de tensão possibilitam a obtenção de uma tensão


contínua de saída que é múltiplo do valor de pico de uma tensão de entrada na qual é
alternada. A sua utilidade atribui a diversas aplicações onde necessita-se de uma
tensão superior da tensão principal recebida. Outra utilização é gerar uma tensão de
polaridade contrária à de alimentação.
Para montar um circuito multiplicador de tensão é necessário capacitores,
resistores e diodos, que no caso funciona como chaves que desligam e ligam em
sincronia com a frequência da fonte.

4
2 DESENVOLVIMENTO

Multiplicadores de Tensão

Basicamente, um multiplicador de tensão é formado pela associação de dois ou


mais retificadores de pico, produzindo na saída uma tensão DC igual a um múltiplo da
tensão de pico de entrada (2Vp, 3Vp, 4Vp, etc.). Geralmente, os multiplicadores de
tensão formam fontes de alta tensão / baixa corrente para alimentar dispositivos como
os tubos de imagem dos televisores, tubos de osciloscópios e monitores de vídeo dos
computadores.
Os circuitos multiplicadores possuem essa característica devido ao seu aspecto
construtivo, feito basicamente de capacitores e diodos.

Duplicadores de Tensão

Os dobradores de tensão são circuitos que ao mesmo tempo operam como


retificadores e permitem obter uma saída de tensão duas vezes maior do que a que
seria obtida com os processos comuns de retificação (meia onda, onda completa).
Temos duas configurações básicas de dobradores de tensão:

 Dobrador de meia onda:

O dobrador de meia onda é mostrado na figura 1, utilizando apenas um diodo e


um capacitor. Seu funcionamento é o seguinte:
Nos semiciclos em que o diodo é polarizado no sentido direto, quando sua
resistência é muito menor do que a carga, ocorre a circulação de uma corrente intensa
que leva o capacitor a carregar-se praticamente com o valor de pico da tensão
alternante de alimentação.
Nos semiciclos em que o diodo é polarizado no sentido inverso, não há
circulação de corrente pelo diodo e a tensão da rede praticamente se soma à tensão
manifestada pelo capacitor carregado. Esta tensão dupla aparece no circuito de carga
que então é alimentado.

5
Vp

V1
U1 470uF
220Vrms D1
60Hz 1N4007

2

Figura 1 – Circuito Dobrador de meia onda

 Dobrador de onda completa:

Conforme mostra o circuito da figura 2 são usados dois diodos e dois


capacitores para obtermos o dobrador de onda completa.
Conforme uma rápida análise do circuito revela, o que temos é a utilização de
dois circuitos simples de dobrador de mais onda em oposição de modo que um
funciona com os semiciclos positivos e o outro com os negativos, havendo, portanto, a
condução de corrente pela carga nos dois semiciclos.

Vp

V1
U1 470uF
D2
220Vrms D1
1N4007
60Hz 1N4007

2 C2

470uF

Figura 2 – Circuito Dobrador de onda completa

 Triplicadores e Quadruplicadores

Analisando o circuito da figura 2, e adicionando ao mesmo mais capacitores e


diodos, de forma a continuar com o mesmo padrão, é possível obter tensões
multiplicadas de 3 e 4Vp.
Para se construir um circuito triplicador, basta adicionar mais um diodo e um
capacitor ao circuito da figura 2, e o circuito deverá ficar como o circuito da figura 3.

6
Vp 2Vp

V1
U1 470uF 470uF
D2
220Vrms D1 D3
1N4007
60Hz 1N4007 1N4007

2 C2

470uF

Figura 3 – Circuito Triplicador de onda completa

De forma análoga, para se obter o circuito quadruplicador, basta adicionar um


diodo e um capacitor ao circuito mostrado na figura 3, e o mesmo pode ser observado
na figura 4.

Vp 2Vp

V1
U1 470uF 470uF
D2
220Vrms D1 D3 D4
1N4007
60Hz 1N4007 1N4007 1N4007

2 C2 C4

470uF 470uF
2Vp

Figura 4 – Circuito Quadruplicador de onda completa

7
3 CONCLUSÃO

Tendo como base os circuitos anteriores, notamos que o circuito multiplicador


pode ser expandido n vezes para obter-se uma tensão superior 2n vezes maior da
tensão de pico de entrada.
Quando se busca multiplicar a tensão de entrada temos diversas soluções
práticas, que basicamente muda na configuração dos componentes. Para multiplicar a
tensão podemos usar o dobrador de tensão convencional, dobrador de tensão
convencional em cascata ou o dobrador de tensão em ponte. Já para o triplicador de
tensão, podemos utilizar a configuração de triplicador de tensão de onda completa ou o
triplicador de tensão em cascata.
Outra questão importante é que os capacitores em cada um dos circuitos devem
ter tensões mínimas maiores que a tensão de pico de entrada. Nesses circuitos há
percas a serem consideradas e lembrando que não podemos criar energia, o que
acontece nesses sistemas é que ao multiplicarmos as tensões, a corrente disponível
na carga vai se tornando proporcionalmente menores.

8
REFERÊNCIAS

BOYLESTAD, R. NASHELSKI, L. Dispositivos Eletrônicos e Teoria dos Circuitos. 8 ed


– Prentice Hall do Brasil, Rio de Janeiro, 2004.