Anda di halaman 1dari 7

Faculdade Metropolitana de Manaus - FAMETRO

TEORIA COMPORTAMENTAL

Manaus- AM

2017
Josiely Maria França Henrique

Katiany Monteiro Alves

Máira Suselle Araújo de Freitas

Marisa Soares

Luiz Gustavo Fernandes

TEORIA COMPORTAMENTAL

Trabalho para obtenção de nota parcial


da N1, na disciplina de Introdução a
Administração do curso de
Enfermagem 6º Período turma: “A” da
Faculdade Metropolitana de Manaus.
Profª.: Karine Mc Komb Garcez.

Manaus- AM

2017
Teoria comportamental

A Teoria comportamental da administração tem o seu início com Herbert


Alexander Simon, a teoria trouxe uma nova concepção e um novo enfoque
dentro da teoria administrativa: a abordagem das ciências do comportamento, o
abandono das posições normativas e prescritivas das teorias anteriores (Teorias
Clássica, das Relações Humanas e da Burocracia) e a adoção de posições
explicativas e descritivas. O foco permanece nas pessoas, mas dentro do
contexto organizacional mais amplo.

As origens da teoria comportamental da administração são as seguintes:

 A oposição e definitiva da Teoria das Relações Humanas (com sua


profunda ênfase nas pessoas) em relação à Teoria Clássica (com
sua profunda ênfase nas tarefas e na estrutura organizacional)
seguiu lentamente para um segundo estágio: a Teoria
Comportamental. Essa passou a representar uma nova tentativa
de síntese da teoria da organização formal com o enfoque das
relações humanas.
 A Teoria Comportamental representa um desdobramento da teoria
das relações humanas, com a qual se mostra eminentemente
crítica e severa. Se bem que compartilhe alguns dos seus
conceitos fundamentais, utilizando-os apenas como pontos de
partida ou de referência e reformulando-os profundamente, a
Teoria Comportamental rejeita as concepções ingênuas e
românticas da Teoria das Relações Humanas.
 Com a Teoria Comportamental deu-se a incorporação da
Sociologia da Burocracia, ampliando o campo da teoria
administrativa. Com relação à Teoria da Burocracia, a Teoria
Comportamental mostra-se muito crítica, principalmente no que se
refere ao "modelo de máquina" que aquela adota para representar
a organização.
 Em 1947, surge um livro que marca o início da Teoria
Comportamental na administração: O Comportamento
Administrativo de Herbert Alexander Simon. O livro constitui um
ataque aos princípios da Teoria Clássica e a aceitação - com os
devidos reparos e correções - das principais ideias da Teoria das
Relações Humanas. O livro constitui o início da Teoria das
Decisões.

A Teoria Comportamental surge no final da década de 1940 com uma


redefinição total de conceitos administrativos: ao criticar as teorias anteriores, o
behaviorismo na Administração não somente as abordagens anteriores como
amplia seu conteúdo e diversifica sua natureza.

Para explicar o comportamento organizacional, a Teoria Comportamental


fundamenta-se no comportamento individual das pessoas. Para poder explicar
como as pessoas se comportam, torna-se necessário o estudo da motivação
humana. Assim, um dos temas fundamentais da Teoria Comportamental da
Administração é a motivação humana, campo no qual a teoria administrativa
recebeu volumosa contribuição. Os autores behavioristas verificaram que o
administrador precisa conhecer as necessidades humanas para melhor
compreender o comportamento humano e utilizar a motivação humana como
poderoso meio para melhorar a qualidade de vida dentro das organizações.

Hierarquia das necessidades de Maslow

Maslow apresentou uma teoria da motivação segundo a qual as


necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, em uma
hierarquia de importância e de influencia. Essa hierarquia de necessidades pode
ser visualizada como uma pirâmide. Na base da pirâmide estão às necessidades
mais baixas (necessidades fisiológicas) e no topo, as necessidades mais
elevadas (as necessidades de auto realização).
Necessidades fisiológicas: Constituem o nível mais baixo de todas as
necessidades humanas, mas de vital importância. Nesse nível está às
necessidades de alimentação (fome e sede), de sono e repouso (cansaço), de
abrigo (frio ou calor) etc. As necessidades fisiológicas estão relacionadas com a
sobrevivência do indivíduo e com a preservação da espécie. São necessidades
instintivas e que já nascem com o indivíduo. São as mais prementes de todas as
necessidades humana.

Necessidades de segurança: Constitui o segundo nível das necessidades


humanas. São necessidades de segurança, estabilidade, busca de proteção
contra ameaça ou privação e fuga do perigo. Surgem no comportamento quando
as necessidades fisiológicas estão relativamente satisfeitas. As necessidades de
segurança têm grande importância no comportamento humano, uma vez que
todo empregado está sempre em relação de dependência com a empresa, na
qual ações administrativas arbitrárias ou decisões incoerentes podem provocar
incerteza ou insegurança no empregado quanto à sua permanência no emprego.

Necessidades Sociais: Dentre as necessidades sociais estão à


necessidade de associação, de participação, de aceitação por parte dos
companheiros, de troca de amizade, de afeto e de amor. Quando as
necessidades sociais não estão suficientemente satisfeitas, o indivíduo torna-se
resistente, antagônico e hostil em relação às pessoas que o cercam.

Necessidades de estima: São as necessidades relacionadas com a


maneira pela qual o indivíduo se vê e se avalia. Envolvem a auto-apreciação, a
autoconfiança, à necessidade de aprovação social e de respeito, de status, de
prestígio e de consideração.

Necessidades de auto-realização: São as necessidades humanas mais


elevadas e que estão no topo da hierarquia. Estão relacionadas com a realização
do próprio potencial e autodesenvolvimento contínuo. Essa tendência se
expressa por meio do impulso que a pessoa tem para tornar-se sempre mais do
que é e de vir a ser tudo o que pode ser.
Conclusão

A Teoria Comportamental assenta-se em novas proposições acerca da


motivação humana, dentro de uma instituição deve conhecer os mecanismos
motivacionais para poder dirigir adequadamente as organizações por meio das
pessoas. A teoria enfatiza o Processo Decisório. Todo indivíduo é um tomador
de decisão, baseando-se nas informações que recebe do seu ambiente,
processando-as de acordo com suas convicções e assumindo atitudes, opiniões
e pontos de vista em todas as circunstâncias. Para que os participantes tomem
decisões consentâneas com as da organização, essa lança mão de uma série
de artifícios para orientar as decisões. A ideia de um tomador de decisões, dentro
de uma racionalidade limitada pela escassez de informações que pode obter e
processar conduz ao conceito do homem administrativo, que se comporta
buscando soluções satisfatórias, e não soluções ótimas. A apreciação crítica a
respeito da Teoria Comportamental na Administração deve levar em conta a
ênfase nas pessoas, a abordagem mais descritiva e menos prescritiva, a
reformulação da teoria administrativa, as suas dimensões bipolares, a
relatividade das teorias da motivação, a organização como um sistema decisória
e a visão tendenciosa como os aspectos mais importantes dessa teoria
humanista e democrática.